Issuu on Google+

fundamentos de rede de computadores COMUTAÇÃO PROF. HORACIO RIBEIRO


comutação  Refere-se a alocação de recursos de uma rede.  Faz a ligação para a par (enlace) para estabelecer

um caminho.  Esta ligada a forma de multiplexação dos meiso de transmissão.  Pode ser:   

Por circuito Comutação de mensagens Comutação por pacotes


Comutação por circuitos  Pre supoem o estabelecimento de um caminho

prévio. Antes da comunicação é estabelecido um caminho fim a fim (estabelece-se uma rota)  Existe um tempo de sinalização até se estabelecer a rota.  Ocorrem 3 passos: 

 

Estabelecimento do circuito: o canal alocado fica permanenete durante a transmissão ( tempo de estab. Do canal = Tcanal) Transmissao de dados (tempo ter trasnferencia = Ttransf Desconexao do circuito


Transmissão por circuito

T E M P O T O T A L

TE EN ML PA OC e T E M P O

T r a n S

Circuito estabelecido

Dados do arquivo

Destivação do circuito


Tempo para transmitir um arquivo de 640kbytes Enlace de 300 kms - sinalização 2ookm/segundo Enlace de 400 kms - sinalização 2ookm/segundo

1,5 segundo 2 segundo

Enlace de 300 kms - sinalização 3ookm/segundo Circuito estabelecido

1 segundo

4,5 segundos

Transmissão: taxa do menos dos canais = 64kbps tempo necessário para o arquivo-- 640kbps/64kbps = 10 seguntos Tempo total:

4,5 segundos d+ 10 segundos = 14,5 segundos


Comutação por mensagens  Não há necessidade de se estabelecer o circuito  A estação que vai transmitir coloca o endereço do    

destino. A menagem vai de nó em nó. Em cada nó a mensagem inteira é recebida e o próximo caminho é definido de acordo com o endereço. Se o caminho estiver ocupado a mensagem entra em uma fila. Como vai de nó em nó usando um canal é conhecido como: store-and-forward


Vantagens da comutação por menagens:  Aproveitamento melhor dos canais. Um canal pode

transmitir várias mensagens (por demanda)  As menagens são sempre aceitas interfere no tempo de transferencia devido as filas.


Cmutação por mensagaens No A

Cabecalho Com endereço D

dados

Fila para Aces so aB

No c

No B

Cabecalho Com endereço D

dado s

Fila para Aces so aC

No d

dado s

Fila para Aces so ad

Cabecalho Com endereço D


Transmissão por mensagem  Deve sair do no a para de um arquivo de 640 kbps.  Considere as caracteristicas em cada nó NO A Tabela de rotas: para d : via no B ftempo médio na fila para B = 2 segundos Taxa= 64kbps

Tempo total no no A: tempo de fila: 2 segundos tempo de transmissão: 10 segundos Tempo total: 12 segundos ( no :nó a)


Transmissão por mensagem  Deve sair do no a para de um arquivo de 640 kbps.  Considere as caracteristicas em cada nó NO b Tabela de rotas: para d : ftempo médio na fila para c= 4 segundos Taxa do canal = 32kbps

Tempo total no no B: tempo de fila: 4 segundos tempo de transmissão: 20 segundos Tempo total: 24segundos (nó b) Até o no b: 12 segundo + 24 segundos


Transmissão por mensagem  Deve sair do no a para de um arquivo de 640 kbps.  Considere as caracteristicas em cada nó NO b Tabela de rotas: para d : ftempo médio na fila para d= 4 segundos Taxa do canal = 64kbps

Tempo total no no d: tempo de fila: 4 segundos tempo de transmissão: 10 segundos Tempo total: 14segundos (nó b) Até o no b: 12 segundo + 24 segundos +14 segundo 50 segundos.....


Comutação por pacotes:  Igual a comutação por mensagens.  O tamanho da mensagem é fixo.  Quebra-se a mensagem em pacotes menores.  O nó de comutação passa a ser de menor

capacidade.  Pode-se implementar mecanismos de recuperação de erros


Comutação por pacotes  Cada pacote tem o seu destino  A rota é definido pelo volume de trafego de pacotes


Transmissão por mensagem  Deve sair do no a para de um arquivo de 640 kbps.  Considere as caracteristicas em cada nó NO b Tabela de rotas: para d : ftempo médio na fila para c= 4 segundos Taxa do canal = 32kbps

Tempo total no no B: tempo de fila: 4 segundos tempo de transmissão: 20 segundos Tempo total: 24segundos (nó b) Até o no b: 12 segundo + 24 segundos


Comutação por pacotes  Cada pacote tem o seu destino  A rota é definido pelo volume de trafego de pacotes


Comutação por pacotes  Rotulo de endereço e controle  Dados de tamanho fixo


Comparação entre circuitos e pacotes  Circuitos:  Mais adequada onde existe um fluxo continuo Pós estabelecido e não existe ociosidade de canal e tem taxa constante  Pacotes:  ocupa a linha apenas no tempo de transmissão  A alocação é dinamica  Pode-e transmitir de forma assincrona.  Pode-se implementar mecanismos de prioridade  Pode-se implementar mencanismos de recuperação de erro.


Comparação entre circuitos e pacotes  Pacotes:  o retardo depende do trafego.  o retardo pode ser compensado com algoritmos de verificação.  Comutação rápida de pacotes:  Cada nó recebe o pacote aramazena-lo faz a

recuperação de erro e de fluxo no enlace. Toma decisões de roteamento.  Existem algoritmos que visam otimizar o percurso, calculadondo omenor percuros na rede


Tecnicas para detecção de erros  Erros podem aparecer por erros de transmissão e     

ruidos. O primeiro passo e detectar o erro. Segundo passo determinar as providencias necessárias. Coloca-se bist extrs de controle na informação. O transmissor coloca estes bits ates da trasnmissão O receptor retira estes bits e vrifica se houve algum erro


Tecnica de paridade.  É a forma mais simples  Coloca-se um bit de paridade no final de cada caracter

a ser transmitido  Tem limitações, só percebe uma inversão de bit  Pode ser paridade par ou paridade impar.  Não faz recuperação. Pede retransmissão


Técnica de CRC  Tecnica melhor que paridade  CRC (cyclec redundancy checks)  Uma das técnicas é gerar para k bist um polinomio

de ordem K-1 onde os coeficientes são os bists que se deseja transmitir: 

10110001  1 * x7 + 0 * x6 + 1*x5 +1 *x4+ o*x3 +0*x2 + 0*x + 1

No transmissor divide-se o resultado da conta por (k-1) e obtem-se o resto chamado de frame check sequence = FCS.e transmite-se


Técnica de CRC  No receptor repete-se a operação e verifica-se o

resultado.  Existem alguns padrões de acordo com o polinomio

gerado. 

Exe: crc 12 ; crc 16 .... Crc 32 ...

Algoritmos de recuperação: 0 1 0 0 1 0 1 1


Técnica de CRC 

Algoritmos de recuperação: 0 0 1 0 0 1 0 1 1 1 1 c0controla bits 2 el 0 0 0 1 1 0 1 1 1 1 1 1 0controla s bits 2 el 1 0 1 1 1 1 0 1 1 1 1 1 controla s bits 2 el 2

erro 0 0 0


fuamentos de redes aula28 10