Page 1

BUSINESS TRAVEL | 1


2 | BUSINESS TRAVEL


BUSINESS TRAVEL | 3


CO R P O R AT E T R AV E L

BUSINESS TRAVEL:

previsões para 2010 NBTA: buyers vão aumentar gastos com viagens Mais da metade dos 180 compradores de viagens (buyers) entrevistados em pesquisa aplicada pela NBTA entre seus membros projeta aumentar seus gastos com viagens corporativas em 2010, enquanto 31% espera manter o mesmo nível de gastos - sempre em relação aos volumes de 2009. Dos entrevistados, 42%

atribuem o crescimento de despesas previstas para 2010 a um aumento no número de viagens, apesar da previsão de redução dos preços de business travel feita por estudo da própria entidade. Para 2010, a NBTA - National Business Travel Association prevê que as tarifas aéreas variem de um decréscimo de 2% a um aumento de 3%, sobre a média de US$ 299 de 2009. O estudo alerta que as sobretaxas e os fees podem aumentar em até 30% o custo dos bi-

lhetes aéreos. A NBTA projeta que a tarifa média internacional em classe econômica fique em US$ 1,236 e que a tarifa média internacional em classe executiva fique em US$ 3,750. A associação também projeta que a diária hoteleira média (ADR) vai variar entre menos 2% e mais 8% em 2010, em relação a diária média de US$ 136 deste ano. A tarifa média para locação de automóvel deve cair entre 1% e 3% em relação aos US$ 46 por dia de 2009.

Advito: viagens corporativas vão custar mais caro A Advito - braço independente de consultoria da BCD Travel - divulga anualmente seu “Industry Forecast”, focando as tendências de preços, estratégias de negociações de fornecedores para aéreo, hospedagem e transporte terrestre, bem como analisando as principais tendências em práticas de gestão de viagens corporativas. Dados preliminares antecipados pela Advito para 2010 mostram que os preços vão começar a subir no próximo ano, começando pelas tarifas aéreas, que tentarão recuperar as perdas dos últimos 12 meses em decorrência da crise financeira global e da queda na demanda. Globalmente, as tarifas aéreas deverão aumentar entre 1% e 6% em comparação com os preços dos bilhetes em 2009. Nos EUA, as tarifas econômicas deverão aumentar 6%

em viagens domésticas e 3% em rotas intercontinentais. As tarifas de classe executiva deverão aumentar 3% na América do Norte (voos domésticos e regionais) e 5% nos voos internacionais.

da baixa ocupação e grandes descontos. Em 2009, hotéis upper upscale e de luxo registraram mais da metade dos room nights dos clientes Advito. Os hotéis midscale ficaram com pouco mais de um terço desse share.

Enquanto isso, os compradores vão continuar percebendo uma recuperação de preços na hotelaria dos principais mercados de business travel, inclusive nos EUA, onde a Advito projeta que as diárias médias caiam 0,9% em termos anuais. Propriedades de alto nível ganharam maior participação no total de room nights dos clientes da Advito, como resultado

O estudo da consultoria projeta um aumento de 4% para as locações de automóveis nos EUA, em relação as tarifas de 2009. As previsões da Advito estão baseadas nas projeções de seus clientes para 2010, na manutenção relativamente estável dos preços do petróleo entre US$ 60 e US$ 70 por barril e em outros indicadores econômicos, inclusive no ultimo Economic Outlook divulgado pelo FMI, que projeta para 2010 um crescimento de 1,5% para o PIB dos EUA e de 3,1% para o PIB mundial.

FCm Travel Solutions: aumento nos orçamentos de viagens Pesquisa online aplicada pela travel management company FCm Travel Solutions, especialista em administração de despesas de viagens, mostrou mais de 70% dos business travelers que participaram do estudo pretendem aumentar ou consolidar seus gastos com viagens corporativas no próximo ano. Os resultados revelam que 39% desses viajantes de negócios vão aumentar seus orçamentos de viagens corporativas, enquanto 35% não estarão mudando o montante

4 | BUSINESS TRAVEL

de gastos e apenas 26% pretendem reduzir as despesas com business travel. Comentando esses dados, o diretor geral da FCm Travel Solutions na Austrália, Shannon O’Brien, disse que os resultados do estudo refletem uma mudança positiva nos negócios e um aumento da confiança dos consumidores no ambiente corporativo. “Isso significa que veremos mais empresas começando a considerar um aumento nas freqüências de suas viagens e a usar mais métodos de compras estratégicas, para conseguir valorizar ao máximo seus orçamentos de viagens”.


American Express Business Travel: tarifas aéreas corporativas vão aumentar Os preços de business travel vão continuar a cair ou ficarão estáveis no primeiro semestre de 2010, mas podem aumentar na última metade do ano, na medida em que os fornecedores removerem os programas de descontos e aumentarem as tarifas e as diárias médias, acompanhando a gradual recuperação da economia (e a consequente retomada da demanda). As previsões são do “American Express Business Travel 2010 Global Business Travel Forecast”, divulgado pela travel management company nos EUA.

entre 1% e 4%, e entre 3% e 6% para as propriedades de categoria mais elevada. Nos principais destinos de negócios dos EUA, os hotéis também sofrerão queda de diária média (ADR), de acordo com a AMEX. A diária média em Nova York deverá ficar estável ou cair no máximo 2%, nos hotéis de categoria média. Já nos hotéis de categoria superior, a queda de ADR será entre 1% e 4%. As diárias em Boston, Chicago, Philadelphia e San Francisco também deverão cair até 5%. Para as locações de automóveis, as previsões da AMEX Business Travel indicam que as tarifas globais se manterão relativamente estáveis, com preços variando entre -1% e +2% em relação aos de 2009.

A AMEX Business Travel prevê que o custo médio de uma viagem de negócios doméstica na América do Norte - que inclui aéreo, transporte terrestre e acomodação de hotel -, fique igual ao de 2009, com apenas um pequeno decréscimo de US$ 5 no custo por viagem, que ficará em US$ 1,108. As viagens de negócios internacionais originadas nos EUA vão sofrer uma redução média de 3,5%, ficando em US$ 3,413.

Para a América Latina, o estudo da AMEX prevê que as tarifas aéreas de voos domésticos e de curta-distância em classe econômica variem, em 2010, entre -3% e +2%. As tarifas de voos internacionais de longa distância em classe executiva devem variar entre -1% e +2%. As diárias médias para hospedagem em hotéis de categoria média devem variar entre -2% e +2%, enquanto nos estabelecimentos de categoria superior essa variação deve ficar entre -6% e 0% (zero).

As previsões para as tarifas aéreas corporativas domésticas e para as econômicas em vôos de curta duração são de aumento entre 2% e 7%, enquanto as tarifas corporativas internacionais devem aumentar entre 3% e 8% em 2010, em comparação aos níveis praticados em 2009. Grande parte da habilidade das companhias aéreas para aumentar preços em 2010, apesar da estabilização na demanda, virá da drástica redução da oferta mantida neste ano. As tarifas para hotéis norte-americanos de categoria média devem cair

Especificamente para o Brasil e em relação aos preços praticados em 2009 , as previsões incluem variação entre -3% e +1% para as tarifas aéreas de voos domésticos e de curta duração em classe econômica, e entre -1% e +2% para as tarifas aéreas de voos internacionais de longa duração em classe executiva. A diária nos hotéis de categoria média deve variar entre 0% (zero) e +2%, e nos hotéis de categoria superior entre -2% e 0% (zero).

Carlson Wagonlit Travel: aumento das tarifas aéreas e queda nas diárias em 2010 Segundo previsões para 2010 divulgadas pela CWT - Carlson Wagonlit Travel dos Estados Unidos, os compradores de viagens corporativas deveriam antecipar-se ao aumento das tarifas aéreas em todas as classes de serviços, pois as companhias aéreas têm planos de implementar cortes adicionais de capacidade neste 4º trimestre do ano - o preço do petróleo se mantém relativamente estável e a demanda apenas engatinha uma recuperação. Para 2010, a CWT prevê ainda que as tarifas hoteleiras médias cairão consideravelmente, que as diárias de locação de automóveis terão queda moderada e que os custos dos eventos continuarão a cair. As pesquisas foram desenvolvidas por economistas das Universidades de Minnesota e da Califórnia, e as previsões foram baseadas considerando um crescimento de 1,5% no PIB dos EUA em 2010, uma taxa de

desemprego de 10,2% (nos EUA) e um preço médio entre US$ 70 e US$ 75 para o barril de petróleo. Com essas premissas, a CWT estimou que as tarifas aéreas domésticas publicadas para todas as classes aumentarão entre 3% e 5% sobre os níveis de 2009. As tarifas internacionais em classe econômica aumentarão entre 4% e 6% e, em classe executiva, entre 5% e 8%. A TMC disse que o mercado hoteleiro continuará comprador em 2010 e que a diária média doméstica deverá cair cerca de 10% em relação às tarifas de 2009, consideradas as tarifas promocionais e os upgrades. Um alívio na diária média de locação de automóveis e nas tarifas de limousines também foram projetadas pela CWT, com quedas entre 1% e 3% e entre 3% e 5% respectivamente. No mercado de eventos, o fator custo continuará dirigindo os negócios, na medida em que os hotéis e outros itens subsidiários inerentes aos eventos implementam descontos e programas de valor agregado para induzir negócios.

BUSINESS TRAVEL | 5


CO R P O R AT E T R AV E L

US Airways direto Charlotte-Rio de Janeiro

A US Airways, uma das maiores companhias aéreas dos EUA, começa a operar no dia 15 de dezembro voos diários e diretos ligando a cidade de Charlotte ao Rio de Janeiro. Entre os destaques do novo voo estão as facilidades na chegada - o voo do Rio será o primeiro a chegar diaria-

Continental Airlines na Star Alliance Desde 27 de outubro a Continental Airlines é um membro pleno da Star Alliance, tornando-se seu 25º associado e a terceira companhia aérea norte-americana da aliança - após a United Airlines e a US Airways. Três dias antes, a companhia aérea norte-americana deixou a aliança SkyTeam. Agora, com a CO, os clientes da Star Alliance têm uma escolha de 19.500 voos diários servindo 1.071 aeroportos em 171 países. O maior reforço no network da aliança envolve a América do Norte e os voos de e para a América Latina, assim como as rotas do Atlântico Norte e do Pacífico.

Nas 48 horas que antecederam a cerimônia oficial de entrada na Star Alliance, a Continental formalizou os acordos comerciais bilaterais com os 24 demais membros da aliança, além de codeshares com a United, Lufthansa, Air Canada e bmi. Esses acordos definem as relações de negócios que envolvem a marca e os serviços da Star Alliance, inclusive o acúmulo e o resgate recíproco de milhas de viajantes freqüentes. Os acordos codesharing com os demais membros da aliança serão implementados nos próximos meses.

6 | BUSINESS TRAVEL

mente a Charlotte, agilizando os processos de imigração e alfândega -, as inúmeras e rápidas conexões domésticas e internacionais (principalmente para o Caribe), bem como os atrativos de Charlotte, na Carolina do Norte, principal hub da US Airways. O voo US 800 decolará do Charlotte Douglas (CLT) às 20h30 e pousará no Terminal 2 do Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão (GIG) às 09h15 do dia seguinte. No sentido inverso, o voo US 801 partirá diariamente do Rio de Janeiro às 22h55 e chegará em Charlotte às 06h00, após um voo com 09h45 de duração. A companhia norte-americana utilizará na rota aeronaves Boeing 767-200ER, com 18 poltronas na Classe Envoy (executiva) e 186 lugares em Classe Econômica. A US Airways deverá formalizar um acordo de distribuição com a TAM, de quem será parceira em 2010 na Star Alliance.

Políticas de viagens mais rigorosas O número de travel managers que espera que as políticas de viagens de suas empresas se tornem mais rigorosas nos próximos 12 meses, ultrapassou pela primeira vez os 50%, de acordo com uma pesquisa da AirPlus International divulgada em outubro. Envolvendo 1.500 travel managers - 100 de cada país, inclusive do Brasil, China, França, Alemanha, Reino Unido e dos Estados Unidos -, a pesquisa foi aplicada nos meses de fevereiro e março deste ano - o que pode justificar esse alto índice. Enquanto 58% de todos os participantes (de todos os países) disseram que as políticas de suas empresas se tornarão mais severas, 62% dos travel managers norteamericanos deram a mesma resposta. Um crescente número de empresas também está implementando políticas para todos os aspectos de seus programas de viagens - 70% dos participantes disseram que estão procedendo assim, contra apenas 57% na pesquisa do ano passado. A previsão de políticas de viagens mais restritivas aparece da mesma forma que, pela primeira vez em cinco edições do estudo da AirPlus, o número de participantes que espera uma queda no número de viagens (35%) supera aqueles que esperam aumentar o número de viagens (33%) nos próximos 12

meses - uma redução significativa em relação aos 58% que pretendiam aumentar seus gastos em 2008. Um terço dos travel managers antecipou que vai reduzir os gastos com viagens. E 26% deles, o menor percentual entre todas as edições da pesquisa, disseram que vão aumentar suas viagens aéreas nos próximos 12 meses, enquanto cerca de um terço disse que o número de viagens aéreas vai cair. Também apareceram significativas diferenças nas expectativas de gastos com hotéis, em relação as pesquisas anteriores: 22% dos participantes esperam aumentar suas despesas com hotéis (menos da metade dos 53% registrados na pesquisa do ano passado). Nas projeções de níveis de transações de locação de automóveis, 15% esperam aumentá-las, enquanto 27% pretendem reduzi-las (o percentual triplicou em relação a pesquisa de 2008). As expectativas globais em relação a eventos também são pessimistas, com apenas 17% dos gestores de viagens informando que pretendem aumentar o número de eventos que suas empresas vão organizar nos próximos 12 meses. Entre os travel managers norte-americanos - que registram a segunda pior performance do mundo no setor de eventos, atrás apenas de Cingapura -, 45% esperam que o número de eventos caia no próximo ano.


24% dos brasileiros viajam à Europa a negócios Na abertura do Workshop “Descubra a Europa”, em São Paulo, a CET - Comissão Européia de Turismo divulgou os principais resultados de um estudo que revela que a Europa é o destino preferido dos residentes em São Paulo. Do total de turistas brasileiros que visitam o continente europeu todos os anos, 35% são de São Paulo, 24% do Rio de Janeiro, 8% do Rio Grande do Sul, 7% de Minas Gerais, 5% do Paraná e 21% dos outros estados. O relatório aponta também que os brasileiros são normalmente das classes sociais alta, têm rendimento anual de U$$ 40 mil ou mais por

ano, são bem-educados, falam várias línguas e têm entre 30 e 40 anos. A maior parte é de homens (60%) e a média de permanência é de 15 dias em várias localidades (média de três noites em cada lugar). A Europa recebe anualmente cerca de 1,5 milhão de turistas brasileiros por ano e são eles que mais gastam em território europeu: o ticket médio está entre 60 e 70 euros por dia. Dos viajantes, 54% vão a lazer por conta de férias ou feriados prolongados, 24% negócios e 22% outros motivos. A faixa etária mais interessada na Europa tem entre de 30 e 59 anos, seguida pelos brasileiros de 50 a 65 anos. Os jovens de 19 a 30 não tem a Europa como primeira opção de lazer, mas a escolhem para graduações, capacitações e estudo de línguas.

Consistência é mais importante que a fidelidade O principal fator de sucesso para os hotéis é entender como programas de fidelidade podem reforçar o comprometimento emocional com uma marca. De acordo com a “British Hotel Guest Survey”, divulgada pela empresa britânica de pesquisas BDRC, os sócios de esquemas de fidelidade de marcas econômicas estão aumentando e, com a recente retração econômica, esses esquemas tendem a aumentar seu market share em relação aos programas de seus “concorrentes internacionais mais experientes”. Nos dias atuais, a maioria dos esquemas hote-

leiros de fidelidade estabelece pouco mais do que um “relacionamento de transações” com clientes, que funcionam apenas enquanto esse cliente valoriza os benefícios. Segundo a pesquisa, os fatores mais importantes para os business travelers na escolha de um hotel são a consistência da qualidade e sua padronização, a adequada localização, a excelência de serviços de seu staff e um bom valor relativo. Em relação a esses atributos, um programa de fidelidade que valha a pena ficou em último lugar na lista. Mais da metade dos business tra-

velers (55%) que pertencem a um programa de fidelidade, resgatam os pontos acumulados: 45% os utilizam para hospedagens grátis, 21% para serviços internos dos hotéis e upgrades, 16% convertem esses pontos em milhas de companhias aéreas, 11% convertem os pontos em outros prêmios, 8% usam os pontos em outras viagens e 5,5% doam os pontos à caridade (a soma das múltiplas escolhas superam 100%). Segundo a BDRC, os que não resgatam seus pontos indicam que, ou não estão compromissados com o programa ou que o resgate envolve uma transação difícil.

Gastos com business travel chegaram a US$ 929 bilhões A NBTA - National Business Travel Association e a Egencia, braço de business travel da Expedia Inc., divulgaram os resultados de um estudo que quantifica as despesas globais das viagens corporativas e projeta o crescimento do setor até 2013. O estudo revela que as despesas globais com business travel atingiram US$ 929 bilhões em 2008 e devem exceder US$ 986 bilhões até 2013. O estudo completo, desenvolvido pelo IHS Global Insight, inclui um completo perfil dos business travelers norte-americanos, assim como uma abrangente previsão para as atividades de business travel nos EUA e no mundo. O estudo NBTA/Egencia conclui que a América do Norte, a Europa Ocidental e Ásia-Pacífico representam, cada, cerca de 30% do mercado global de business travel (90% consolidados), estimado em US$ 929 bilhões no ano passado. Os dados incluem tanto as viagens domésticas quanto as internacionais em cada região. Os 10% restantes das atividades globais são atribuídas à América Latina, aos países emergentes da Europa e ao Oriente Médio/África. Os Estados Unidos representam o maior mercado mundial de business travel, com US$ 261 bilhões ou 28% dos gastos totais mundiais, seguido pela China com 10% e pelo Japão com 8%. Avaliando 72 países, o estudo mostra que o padrão de crescimento das

viagens de negócios varia significativamente no mundo, com os Estados Unidos crescendo a uma taxa média anual de apenas 2% na última década, enquanto a Europa Ocidental cresceu 4,6% por ano nesse período e a Ásia-Pacífico cresceu 7,2% anualmente. Entre 1998 e 2008, nos países emergentes da Europa o business travel cresceu 12,4% a.a. e 7,7% anualmente no Oriente Médio e na África. “Este estudo mostra que os gastos com viagens corporativas cresceram mais de 35% desde 1998, transformando-as em uma impactante indústria na economia global”, disse Kenneth McGill, consultor de Pesquisas da NBTA e analista-chefe do relatório da IHS Global Insight. “Grande parte desse crescimento deve-se a expansão da economia global e à crescente dispersão das atividades de business travel pelo mundo”. Apesar da posição de liderança dos EUA em termos de gastos com viagens de negócios, projeta-se que a Ásia-Pacífico terá um substancial crescimento de gastos com business travel nos próximos cinco anos, enquanto esse crescimento nos EUA deve ficar estagnado (crescimento de 0,3% a.a.). Os gastos da China, de US$ 93,8 bilhões em 2008, triplicaram nos últimos 10 anos e espera-se que liderem o crescimento de mercado entre 2008 e 2013 (crescimento de 6,5% a.a.), seguida do Japão e da Coréia do Sul. Medido em termos de incremento de gastos em dólar com viagens corporativas, os EUA devem ficar em quarto lugar, um pouco à frente da Índia (crescimento de 5,3% a.a.).

BUSINESS TRAVEL | 7


DIRETORIA CEO Rubem Tavares DIRETOR Luiz Paulo Muniz Barretto REDAÇÃO redacao@businesstravel.com.br EDITOR-CHEFE: Rubem Tavares editor@businesstravel.com.br EDITORES: Turismo Sustentável: Rogério Ruschel ecoturismo@businesstravel.com.br Rio Business & Travel: Luiza Sampaio rio@businesstravel.com.br COLABORADORES: Diogo Canteras, Fábio Steinberg, Wellington Costa FOTOGRAFIAS: Arquivo Business Travel e divulgação. ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS: Diretor: Luiz Paulo Muniz Barretto administracao@businesstravel.com.br DEPARTAMENTO COMERCIAL comercial@businesstravel.com.br REPRESENTANTE NO BRASIL Bahia e Sergipe: Canal C Tel.: (71) 234 4551 REPRESENTANTES NO EXTERIOR Áustria e Suiça: IMM-Infligth Media Marketing tel.: (4161) 319 9090 e fax. (4161) 319 9095 Coréia do Sul: Jes Media Internacional tel.: (822) 481 3411/3413 e fax. (822) 481 3414 Espanha: Luis Andrade Plucidad Internacional tel. (3491) 441 6266 e fax. (3491) 441 6549 França: Ray Lanpard Internacional Media tel. (330) 6 2258 4585 e fax. (330) 1 4267 9309 Japão: I.A.C. Japan Inc. tel. (813) 3263 5877 e fax. (813) 3263 5865 Uruguai: Terare -Daniel Coronel tel. (5982) 900 5775 e fax. (5982) 901 9408 Estados Unidos: Francis X. Gallagher tel. (347) 729 7200 e fax. (347) 427 9615 fran@globaltravelerusa.com ARTE E DIAGRAMAÇÃO MLA Comunicações IMPRESSÃO Vox Editora Capa: Ilustração Dudu Barretto ASSINATURAS assinaturas@businesstravel.com.br Por telefone: (11) 41111 4844 Online: www.businesstravel.com.br BUSINESS TRAVEL Magazine: Avenida Brigadeiro Faria Lima nº 1903, Cj. 85 01452-001, São Paulo, SP , Brasil Tel/Fax: (55 11) 4111 4844 www.businesstravel.com.br A BUSINESS TRAVEL Magazine é uma publicação da BRW- Negócios, Representações & Turismo Ltda. A editora não se responsabiliza pelos conceitos expressos nos artigos assinados. Não é permitida a reprodução total ou parcial das matérias sem prévia e expressa autorização da editora.

8 | BUSINESS TRAVEL


BUSINESS TRAVEL | 9


ÍNDICE

28

18

Upgrade na qualidade em hospedagem Para melhorar o conforto nos apartamentos dos hotéis da marca TRYP, atrair um maior número de hóspedes corporativos e acelerar o processo de recuperação de suas diárias médias, a Sol Meliá criou a categoria Premium Room, com vários diferenciais. Resultado? Um case de sucesso.

Crise econômica gera oportunidades para a gestão de viagens esort & Safári realiza soltura de pássaros

Acordo entre o Comitê de Viagens Corporativas e a BUSINESS TRAVEL Magazine, permitirá que os gestores de viagens que integram a entidade compartilhem sua experiência e analisem assuntos relacionados à gestão de viagens corporativas, em todas as edições da revista. O primeiro editorial é assinado pelo coordenador do Comitê de Viagens Corporativas, Wellington Costa.

32

36

Investir em hotelaria no Brasil

Celular para reduzir despesas com deslocamentos e viagens corporativas

Ao emergir fortificado da crise financeira global, o Brasil apresenta, em contraste ao atual cenário econômico internacional, excelentes oportunidades de investimento, de maneira especial na área hoteleira. Veja quais são essas oportunidades.

Um sistema que permite a autorização do pagamento por meio do telefone celular surge não só como mais uma modernidade, mas também como uma inovação tecnológica que responde a uma das demandas mais importantes das empresas, que é a redução de custos.

Seções 04 Corporate Travel 20 Turismo Sustentável

38

12 De Zero a Dez

24 Rio Business &Travel

40 Luxury Business Travel

47 Outside

13 Inside

26 Shopping

44 Eventos

50 Opinião

10 | BUSINESS TRAVEL

Mercotur

46 Viagens de Incentivo


BUSINESS TRAVEL | 11


p o r R u b e m Ta v a r e s

DE ZERO A DEZ

O maior calote de todos os tempos e, em decorrência, a oficialização do desrespeito aos bons cidadãos e à ordem jurídica estão para ser oficializados pelo Congresso, com a aprovação da PEC dos Precatórios. Precatórios são as dívidas da União, Estados e municípios impostas por decisões judiciais. Ao aprovar a PEC, o Congresso permitirá que mais de R$ 100 bilhões em precatórios - o maior caloteiro é o Estado de São Paulo -, tenham seu pagamento adiado por até 15 anos ou pago através de leilão, vencido por aqueles que concederem o maior desconto sobre o que lhe devem. Vergonha! Empresas e pobres mortais são condenados, presos e multados se não pagarem suas obrigações para com o governo. E o inverso não é verdadeiro, ao contrário. Estão estimulando a irresponsabilidade do gestor público, permitindo que ele possa tudo e o cidadão nada. Como exigir respeito e cumprimento das obrigações? Que moral o governo terá? Quem exigirá respeito e cumprimento das obrigações serão justamente os maus pagadores públicos, que se lixam para decisões judiciais conclusivas. É um escândalo ético, moral e jurídico que não pode prevalecer em um país dito democrático. Fiquem de olho, registrem e respondam a esses congressistas nas eleições.

0

E cuidado. Ou olho aberto com outra PEC. De forma sorrateira, a base governista no Congresso continua se movimentando para regulamentar o que agora, em embalagem nobre, chama de CSS ou Contribuição Social para a Saúde. Com alíquota de 0,10% sobre todas as operações e movimentações financeiras, trata-se mesmo é da antiga, indesejada e extinta - por pressão da população - CPMF. Hora de agir novamente.

3

0

Mais uma da Câmara. A Comissão que investigou a “farra das passagens aéreas”, não encontrou irregularidades ou indícios de envolvi-

editor@businesstravel.com.br

mento de nenhum parlamentar no uso indevido de passagens. Papai Noel existe. As eleições vêm aí. Não reelejam!

10

Para as companhias aéreas que zelam pela ética e pela transparência, que estão reduzindo ou abolindo as sobretaxas de combustível. Aliás, essas taxas ou fees, introduzidas com criatividade, como as taxas “de segurança”(e que muitas vezes não são de segurança para burlar as autoridades), de bagagem e muitas outras que oneram os passageiros, deveriam ser proibidas. Custos mais elevados? Aumentem as tarifas! Da forma como está, não dá sequer para comparar preços, o que é uma afronta aos direitos dos consumidores.

2

A Interfarma, entidade que congrega as farmacêuticas multinacionais que atuam no Brasil, divulgou um “código de ética” que proíbe a distribuição de brindes para médicos com valor superior a um terço do salário mínimo, viagens em primeira classe e o patrocínio de eventos em “locais excessivamente turísticos, como resorts”. Qual a diferença de um resort a um hotel? Vai ter estabelecimento mudando de nome para continuar sediando eventos de um dos setores que mais gastam com essa ferramenta comercial. Bem que a Resorts Brasil, entidade que congrega essa modalidade de unidades de hospedagem - e distraída com uma batalha contra os cruzeiros marítimos -, poderia tentar reverter esse duvidoso código de ética em relação aos resorts.

RÁPIDAS

3

Ao divulgarem seus resultados no 2º trimestre do ano, muitas companhias aéreas atribuíram seus prejuízos às operações de hedge. O vilão continuou o

mesmo: o combustível. Se antes o preço estava alto demais, depois, com a crise financeira global e a retração econômica, para essas empresas ele ficou baixo demais. A proteção virou problemão. Ou prejuízo!

5

Coincidência? As companhias aéreas norte-americanas, mais do que quaisquer outras de suas congêneres em outras regiões do mundo, passaram a cobrar fees

para quase tudo: 1ª mala, 2ª mala, travesseiro, cobertor, comida, bebidas - até para água (US Airways) -, etc. E os resultados de seus balanços do 3º trimestre também foram muito piores do que os de suas congêneres. Coincidência?

0

A imagem da ministra Dilma, já não muito boa no quesito simpatia, ficou bem arranhada no episodio em que bateu de frente com e ex-secretária da Receita Fe-

deral, Lina Maria Vieira. Quem disse a verdade? Houve ou não encontro no Palácio? Aliás, a demissão de Lina já havia mostrado que o governo não admite interferências em alguns feudos, como na Petrobrás, área

0

O mercado continua dando atenção às agências de classificação de crédito e de solidez financeira (risco), como Standard & Poor’s e outras. Q u e moral e influência essas agências ainda querem assumir na economia global, depois de não terem enxergado o desastre financeiro originado nos EUA, cujas instituições, possivelmente, devem continuar ostentando a classificação AA+? Credibilidade zero.

sob influência direta de Dilma.

5

A tradicional e antiga profissão de prostituta, com descrição detalhada de suas atribuições e todos seus sinônimos constam, sob código 5198-5, da CBO - Classifi-

cação Brasileira de Ocupações, no site do Ministério do Trabalho. Não sabemos se simplesmente por ser uma profissão reconhecida, se para permitir a utilização do código em documentos oficiais (tipo declaração de IR e carteira de identidade - será?) ou se para orientação em testes vocacionais. Certamente a primeira opção.

12 | BUSINESS TRAVEL


INSIDE

Noticias Lucro recorde A TAM registrou lucro líquido recorde de R$ 788,9 milhões no segundo trimestre deste ano, com crescimento de 134,1% em relação ao mesmo período de 2008, quando o resultado foi de R$ 337 milhões. “Obtivemos o maior lucro líquido trimestral da história da nossa empresa”, destacou o comandante David Barioni Neto, presidente da TAM. Entretanto, o lucro da companhia foi contábil, pois o resultado da operação medido pelo EBIT foi equivalente a uma perda operacional de R$ 95,3 milhões, com margem negativa de 4%. A TAM apurou resultado financeiro líquido de R$ 1,3 bilhão no segundo trimestre. O vice-presidente de Finanças, Gestão e TI da TAM, Líbano Barroso, explica que “a dinâmica da valorização do real frente à moeda norteamericana gerou um impacto positivo de R$ 1,2 bilhão, devido principalmente à redução dos valores futuros de arrendamentos financeiros a pagar”. Outro impacto positivo, acrescenta, decorreu de ganho não realizado de R$

471,6 milhões nos contratos de hedge de combustível, numa situação oposta à que ocorreu no último trimestre de 2008.

Air China A TAM deu início à operação de voos compartilhados (codeshare) com a Air China, interligando São Paulo a Pequim. Partindo do Brasil pela TAM, os passageiros podem comprar bilhetes até Pequim, com conexão no aeroporto de Barajas, em Madri. Lá, contarão com os serviços e apoio das equipes da companhia brasileira para fazer conexão com os voos operados pela Air China, que levarão o código JJ até Pequim. No sentido inverso, os passageiros da Air China terão as mesmas facilidades na montagem dos roteiros aéreos, fazendo conexão também na capital espanhola para os voos diretos até São Paulo.

Transfer Vip de helicóptero A TAM Linhas Aéreas, em parceria com a TAM

Aviação Executiva, lançou o serviço Vip de transfer de helicóptero entre os aeroportos de Congonhas e Guarulhos, em São Paulo. A novidade é mais um diferencial oferecido aos passageiros que viajam em qualquer destino doméstico ou internacional operado pela TAM. Complementando o serviço, a TAM realiza a coleta das bagagens no endereço de preferência do cliente, na Grande São Paulo, com até seis horas de antecedência ao voo. Elas também são entregues em até seis horas após o desembarque. O transfer de helicóptero tem duração de aproximadamente 20 minutos e está disponível a partir das 06h00 em Congonhas e das 06h30 em Guarulhos, com intervalos de uma hora entre as partidas. A solicitação do serviço deverá ser feita pelo telefone (11) 5582 9616, de segunda à sexta-feira das 06h00 às 23h30 e aos sábados, domingos e feriados, das 08h00 às 18h00. O transfer está sujeito a disponibilidade e condições climáticas favoráveis.

Lucro recorde A GOL registrou lucro líquido de R$ 353,7 milhões no segundo trimestre de 2009, com margem líquida em 25,4%, em comparação ao prejuízo de R$ 166,5 milhões no mesmo período de 2008 e ao lucro líquido de R$ 61,4 milhões apurado no primeiro trimestre de 2009. O resultado operacional entre abril e junho foi positivo pelo quarto trimestre consecutivo, atingindo R$ 89,9 milhões, com margem operacional de 6,5%. Já a margem EBITDAR, importante indicador de desempenho operacional, chegou a R$ 258,8 milhões (18,6%) no trimestre.

Voos Congonhas - Maringá A GOL lançou seis novas ligações semanais entre o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo,

e a cidade de Maringá, no Paraná. As novas freqüências partem de Congonhas (voo G3 1330) às 22h10 e chegam em Maringá às 23h30. No sentido inverso (voo G3 1331), partem de Maringá às 05h15 e chegam em São Paulo/CGH às 06h30. Os voos são operados por aeronaves Boeing 737-700 Next Generation, configuradas com 144 assentos.

voo diário e direto entre os aeroportos do Rio/ Santos Dumont e SP/Guarulhos. O voo sai do Santos Dumont às 22h00 e chega a São Paulo às 23h00. Na volta, parte do aeroporto de Guarulhos às 05h30 e aterrissa no Rio de Janeiro às 06h30. Mais informações: www.voegol.com.br

Voos Santos Dumont - Vitória e SP/Guarulhos A GOL passou a oferecer uma nova rota, conectando o Aeroporto Santos Dumont (SDU), no Rio de Janeiro, a Vitória (ES). São quatro frequências diárias, três operando de segunda-feira a sábado e outra diário. A companhia aérea também está operando um

Nova identidade visual do Smiles A GOL Linhas Aéreas apresentou a nova identidade visual da marca Smiles, programa de viajantes freqüentes (relacionamento) das companhias GOL e VARIG. O novo logotipo do Smiles, criado pela agência 100% Design, manteve o sorriso no nome e na forma, mas ressurge modernizado - maior e mais aberto.

BUSINESS TRAVEL | 13


INSIDE

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras vem expandindo suas operações e além de seu hub principal em Viracopos, está estabelecendo um segundo hub no aeroporto Santos Dumont (SDU), no Rio de Janeiro. Nas últimas semanas, a companhia aérea começou a operar diversas novas rotas - novidades que apresentamos abaixo. Mais informações: www.voeazul. com.br

ligar cidades brasileiras com serviços ponto a ponto, sem escalas e com diversas frequências diárias. A companhia já voava entre os dois destinos, mas com escala em Campinas. Os voos diretos partem do SDU todos os dias às 09h05, 14h36 e 20h22. De Porto Alegre, os horários de partida são às 06h35, 11h55 e 17h15.

Santos Dumont-Porto Alegre sem escalas

Também no início de agosto, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras começou a conectar Campinas a Belo Horizonte com voos diretos e a integrar a capital mineira a todas as 12 outras cidades que já fazem parte da malha aérea da companhia aérea. São oito frequências por dia entre as duas cidades (quatro em cada sentido).

A Azul começou a oferecer a rota Porto Alegre - Rio de Janeiro/SDU sem escalas na primeira quinzena de agosto. São seis frequências diárias entre as duas cidades (três em cada sentido). O início dos voos entre Porto Alegre e o Rio de Janeiro revela mais uma vez o cumprimento da proposta inicial da Azul, de

Campinas-Belo Horizonte

Campinas-Maceió O início dos voos da Azul entre Campinas e

Maceió marcou o 13º destino atendido pela malha aérea da companhia. O voo entre as duas cidades parte diariamente do Aeroporto de Viracopos às 23h00, com chegada à capital alagoana às 02h00. No sentido inverso, o voo parte às 03h00 de Maceió e aterrissa em Campinas às 06h00.

Campinas-Maringá A Azul começou a ligar Campinas a Maringá (PR), com quatro voos diários (dois em cada sentido). Os voos partem de Campinas às 06h35 e às 18h00 diariamente, e de Maringá às 08h05 e às 19h30. É possível também seguir de Maringá para qualquer uma das 11 outras cidades conectadas pela Azul - Rio de Janeiro/SDU, Vitória, Porto Alegre, Navegantes, por exemplo -, via Campinas.

GIG, SDU, GRU e CGH Apesar da crise e da transferência de voos entre aeroportos, o movimento de passageiros (embarques + desembarques) no 1º semestre (1S09) variou bastante. Nos dois principais aeroportos do Rio de Janeiro, o movimento de passageiros aumentou. No Galeão (GIG), a Infraero registrou um movimento total de 5.821.052 passageiros, um aumento de 4,34% em relação ao mesmo semestre de 2008. O movimento em voos internacionais aumentou 21,80%, para 1.283.464 passageiros, representando 22,03% do movimento total do GIG. No Santos Dumont (SDU), o movimento total foi de 2.103.386 passageiros, um aumento de 23,29% em relação ao 1º se-

mestre do ano passado. Já a movimentação de passageiros nos dois principais aeroportos da cidade de São Paulo teve resultado inverso: caiu no 1S09. Em Guarulhos (GRU), a Infraero registrou um movimento total de 9.953.124 passageiros, significando uma queda de 2,74% em relação ao 1S08. O movimento em voos internacionais caiu 9,57%, para 3.963.929 passageiros, representando 39,83% do movimento total de GRU. Em Congonhas (CGH) o movimento total foi de 6.249.728 passageiros, uma queda de 8,09% em relação ao 1º semestre de 2008. Tanto o Santos Dumont quanto Congonhas só operam voos domésticos.

RÁPIDAS • A rede íbis, marca econômica da Accor Hospitality, inaugurou dois novos hotéis no País: sua primeira unidade no estado do Pará, o ibis Belém, com 128 apartamentos, e a terceira unidade em Minas Gerais, o ibis Uberlândia, com 120 apartamentos. • O Rezidor Hotel Group assinou contrato para operar o quinto hotel da marca Missoni no mundo, o Hotel Missoni Ilha de Cajaíba, localizado na Baia de Todos os Santos, na Bahia, - a 40 km de Salvador. Com 118 apartamentos e suítes, além de 32 “villas”, a propriedade deve abrir suas portas no início de 2012. O Rezidor Hotel Group está presente em 59 países com 370 hotéis, tem sede em Bruxelas, é controlado

14 | BUSINESS TRAVEL

pela Carlson Companies e possui as marcas hoteleiras Park Inn, Regent, Country Inn, Radisson Blu e Hotel Missoni. • O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), encerrou o primeiro semestre de 2009 com movimentação de 1,24 milhão de passageiros, 14,75% a mais que o total de embarques e desembarques registrados ao longo de todo ano de 2008. • A Webjet Linhas Aéreas passou a operar no Terminal 2 do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim/Galeão (GIG), no Rio de Janeiro. • A CBCVB - Confederação Brasileira de Con-

vention & Visitors Bureaux está atendendo em novo endereço: SB/NORTE, Quadra 01, Bloco B, nº 14, Sala 602, Edifício CNC, 70040-010, Brasília, DF.

sentido, de segunda a sexta-feira, com equipamento EMB Brasília 120 com capacidade para 30 passageiros.

• A Royal Caribbean International - e suas empresas-irmãs Celibrity Cruises e Azamara Cruises - inaugurou sua nova sede no Brasil, na capital paulista. O novo escritório ocupa o lado A do 30º andar de um moderno edifício, na Avenida das Nações Unidas, 8.501, em Pinheiros.

• A terceira freqüência da Turkih Airlines na rota São Paulo-Dakar-Istambul começou a ser operada, ampliando a oferta de dois para três voos semanais. A companhia aérea turca já oferecia serviços às quartas-feiras e aos domingos e agora introduziu um voo às sextas-feiras (nos dois sentidos). Mais informações: www. flyturkish.com.br

• A Air Minas Linhas Aéreas começou a operar a rota Uberaba-São Paulo/Aeroporto de Guarulhos-Uberaba, oferecendo um voo em cada

• A Passaredo Linhas Aéreas começou a operar a rota ligando Uberlândia ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, com três voos diários e


Voos entre o Rio/SDU e BH/Confins A Webjet Linhas Aéreas aumentou sua oferta de voos operados no Aeroporto Santos Dumont (SDU), no Rio de Janeiro, lançando quatro novas frequências para Belo Horizonte (Confins). Os voos saem do aeroporto de Confins às 06h15, 09h40, 15h20 e 19h10, retornando do aeroporto Santos Dumont, no Rio, às 07h58, 13h25, 16h58 e 20h52. As operações para a capital mineira a partir do aeroporto do Galeão continuam mantidas. Os novos voos fazem parte das reformulações da malha da companhia aérea, devido à incorporação de novas aeronaves à frota.

Logomarca, interior das aeronaves e slogan A Webjet Linhas Aéreas lançou sua nova identidade visual, que engloba mudanças na logomarca, no interior das aeronaves e no slogan da companhia. As alterações não se restringem à

diretos, utilizando aeronave modelo EMB Brasília 120 com capacidade para 30 passageiros. • O Grupo Solare colocou em operação, o Expresso XXI Nazaré, localizado no bairro de Nazaré, no centro de Belém. O empreendimento de bandeira econômica do grupo tem 100 apartamentos. • A Costa do Sauípe inaugurou seu novo escritório em São Paulo, localizado à avenida Brigadeiro Faria Lima, 1755 (térreo). O telefone é (11) 27114500. • A TRIP Linhas Aéreas expandiu sua malha aérea e está oferecendo a cidade de Ilhéus (BA)

pintura. A nova assinatura da empresa comunica sua postura diante do mercado, dos colaboradores e no atendimento aos passageiros. As principais mudanças aconteceram na logo, que passou a ser a letra W estilizada, mixada com o sinal de arroba, que transmite a idéia de tecnologia, simplicidade e modernidade, indo ao encontro do nome da empresa, que remete imediatamente à internet, a wide world web. O novo slogan, “CONECTE-SE”, enfatiza a proposta do moderno, valorizando porém o lado humano. A Webjet entendeu que, mais que transportar passageiros, conecta as pessoas. Internamente, as aeronaves ganharam novos padrões de tecido nos assentos, no piso e nas cortinas que dividem as cabines. Em paralelo, a companhia está adotando internamente a “Webmania”, valorizando seus funcionários e reforçando o compromisso de todos com a consolidação da Webjet no mercado. A ação inclui a divulgação dos novos valores da empresa, através das “WebAtitudes”, que implicam em simplificar e surpreender o passageiro, com um comportamento proativo, sem deixar de lado o atendimento humanizado da Webjet.

como novo destino. Com a nova rota VitóriaIlhéus-Salvador, a companhia passa a atender 68 cidades. Os voos estão disponíveis de segunda a sexta-feira, com uma freqüência diária e são realizados com aeronaves ATR 72-500 turbo-hélices de última geração. • Os Hotéis Slaviero inauguraram o Slaviero Executive, em Guarulhos. Com 300 apartamentos, tem o mercado corporativo como públicoalvo, é a 18ª unidade da rede hoteleira e está localizado estrategicamente a poucos quilômetros do Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica) e a alguns minutos do parque industrial da cidade.

2ª freqüência diária SP/GRUSalvador A Webjet começou a operar mais uma ligação direta entre São Paulo e Salvador - a 2ª freqüência diária na rota. O novo voo sai de Guarulhos diariamente às 17h30, com chegada às 19h45 na capital baiana e retorna às 20h45, chegando em São Paulo às 23h05. Os horários do voo direto que a Webjet já operava na rota permanecem inalterados, com saídas de São Paulo às 09h50 e de Salvador às 12h35.

Web-Ponte entre o Rio/SDU e São Paulo/GRU A Webjet Linhas Aéreas iniciou seus voos pela Web-Ponte São Paulo- Rio de Janeiro e viceversa, entre os aeroportos de Guarulhos e Santos Dumont, no centro do Rio de Janeiro. São quatro voos diários, em horários estratégicos, tanto para os passageiros que viajam a negócios, quanto para aqueles que fazem conexão para as cidades atendidas pela Webjet a partir de São Paulo. Mais informações sobre os voos, horários e tarifas: tel. 0300 21 01234 ou www. webjet.com.br

• Para divulgar a cidade para o Brasil e o mundo, o Porto Alegre Convention & Visitors Bureau (Porto Alegre CVB) desenvolveu um novo site - www.visiteportoalegre.com -, que já está no ar.

da República e homenageia o pioneiro piloto de aeronaves, Atlas Brasil Cantanhede, que desbravou os céus do então Território Federal de Rio Branco e depois de Roraima, na década de 50.

• O Circuito Elegante está atendendo em novas instalações, na rua Conde de Leopoldina, 644 São Cristovão, no Rio de Janeiro. Telefone: (21) 2523 0877, Central de Reservas: 0800 282 0484, www.circuitoelegante.com.br

• O Global Team Airport Assistance, empresa especializada em prestação de serviços de receptivo em aeroportos, inaugurou um Vip Lounge no aeroporto de Curitiba. O confortável espaço oferece serviços de qualidade, como business center com impressora a laser e conexão à internet, acesso gratuito à internet wireless, bebidas, TV a cabo, jornais e revistas. Mais informações: tel. (11) 2227 2393 e www. gtaa.com.br

• Aeroporto Internacional de Boa Vista-Atlas Brasil Cantanhede é o novo nome do complexo aeroportuário da capital de Roraima. A nova denominação foi sancionada pela Presidência

BUSINESS TRAVEL | 15


INSIDE Medicamentos do exterior

Admirals Club de Guarulhos

Continua sendo prestado o serviço humanitário que a Fundação Ruben Berta (e a antiga Varig) adotaram há cerca de 30 anos e que possibilita o acesso a medicamentos não existentes no Brasil, sem outro custo que o da aquisição do medicamento, pelo câmbio oficial do dia da compra no exterior. Não se trata de importação e sim de serviço de caráter humanitário, regulamentado através de portaria da Receita Federal e supervisionado pela Anvisa - Agência de Vigilância Sanitária. O diretor da Fundação Ruben Berta, João Manuel Correia de Assunção, diz: “Muitos julgam que tal serviço não existe mais e por isso resolvemos lançar a campanha de sua revitalização”. Para informações: tel. (11) 5090 8000 e 5090 8001 (de 2ª a 6ª feira, das 08h00 às 14h00), comunicação.frb@frb.org.br ou www. rubenberta.org.br/medex.html

Para melhorar cada vez mais a experiência de viagem de seus passageiros, a American Airlines investiu na renovação do lounge Admirals Club do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU) em São Paulo. O lounge, localizado no mezanino do Terminal 2, Asa D, agora possui 596 m2 e capacidade para acomodar 220 visitantes. O espaço renovado reúne luxo e conveniência, oferecendo um business center multifuncional com seis estações de trabalho, três PC’s, impressora, copiadora, telefones para ligações locais gratuitas e serviço de fax, acesso wi-fi de alta velocidade gratuito, TV’s de tela plana, buffet de alimentos e bebidas gratuitos,

além de sala para crianças e salas de banho com dois chuveiros privativos No lounge em Guarulhos também há assistência para emissão de bilhetes, remarcação de voos ou upgrades com os representantes do Admirals Club. O espaço está aberto diariamente, das 06h30 às 22h30, até outubro. De novembro a fevereiro, estará aberto diariamente, das 07h30 às 24h00. A anuidade para novos membros custa entre US$ 350 e US$ 500, e o convite de um dia custa US$ 50. O programa de milhagens AAdvantage também pode ser utilizado para comprar títulos do Admirals Club. Mais infomações: www.aa.com/admiralsclub.

Usuário avalia os serviços das companhias aéreas A ANAC lançou um novo serviço, o “Espaço do Passageiro”, para que os usuários da aviação regular possam avaliar em 11 quesitos, no site da Agência (www.anac.gov.br/passageiro), o serviço prestado pelas companhias aéreas nacionais e internacionais. A soma das avaliações de todos os passageiros irá gerar, automaticamente, um ranking popular da qualidade dos serviços das companhias aéreas. O site exige o cadastro do nome e do CPF do passageiro, para garantir a segurança na votação. Empresas nacionais e estrangeiras

que operam no Brasil poderão ser avaliadas quanto ao atendimento (na venda de passagens, na internet, no check-in, na sala de embarque, nas reclamações, e quanto à necessidades especiais), conforto da aeronave, cuidados com a bagagem, pontualidade, relação custo-benefício e serviço de bordo. Com login e senha pessoais, o passageiro cadastrado poderá alterar sua avaliação e fazer novas votações sempre que desejar. O ranking das companhias poderá ser consultado por qualquer pessoa e servirá para orientar os passageiros sobre as melhores e as piores empresas, de acordo com a avaliação dos usuários. As companhias aéreas só começarão a figurar no “Ranking Popular” quando alcançarem um mínimo de 100 avaliações em pelo menos 4 quesitos.

Comercialização do Brasil no exterior A Embratur - Instituto Brasileiro de Turismo reformulou o Brasil Network, página na internet para profissionais de turismo que tem por objetivo o apoio à comercialização do Brasil no exterior. Com layout moderno e amplo conteúdo, o site está disponível em sete idiomas (português de Portugal, português do Brasil, inglês, espanhol, francês, alemão e italiano) e passa a oferecer ferramentas que propõem a interação entre o usuário e inúmeras possibilidades de navegação. Entre elas, um acervo de mais de seis mil imagens em alta definição, além de vídeos e uma área de downloads, com arquivos que dão suporte para o profissional que promove o Brasil no exterior, como banners, apresen-

16 | BUSINESS TRAVEL

tações, informações sobre o Plano Aquarela e manual de utilização da Marca Brasil. O diretor de Marketing da Embratur, Walter Vasconcelos, explica que o novo Brasil Network não é apenas uma fonte de consulta de informações sobre o País, mas também uma ferramenta de apoio a comercialização dos destinos brasileiros. “O site permite a apresentação do Brasil em tempo real, com imagens e características dos destinos selecionados”, explica. Jornalistas do Brasil e do exterior também poderão consultar notícias sobre as ações do Instituto, além de acessar newsletters. O endereço da página é www. brasilnetwork.tur.br


IN& OUT

L’Hotel São Paulo é Porto Bay Um dos mais conhecidos e luxuosos cinco estrelas da capital paulista, o L’Hotel mudou de mãos e passou a se chamar Porto Bay L’Hotel São Paulo. Localizado na Alameda Campinas, quase esquina com a Avenida Paulista, o cinco estrelas de oitenta quartos - um hotel boutique com restaurante, SPA, piscina interior e ginásio -, é também um Leading Small Hotels of the World. A aquisição do Porto Bay L’Hotel São Paulo marca a chegada do grupo Porto Bay à capital financeira da América Latina e é seu terceiro empreendimento no país, onde possui desde 2007 o Porto Bay Rio Internacional, em Copacabana, no Rio de Janeiro, e a a pousada Porto Bay Glenzhaus, em Búzios (RJ).

• Gisele Alvarez, no mercado hoteleiro há 22 anos, é a nova Gerente de Vendas Corporativas do grupo SuperClubs; • O engenheiro Murilo Marques Barboza tomou posse como presidente da Infraero; • Eduardo Giestas é o novo diretor-presidente de Sauipe S/A. Ele substitui Alexandre Zubaran, que pediu demissão; • Sergio Takao Sato foi empossado como presidente da Federação de Convention & Visitors Bureaux do Estado do Paraná (FCVB-PR); • Iracema Ribeiro é a nova superintendente do Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau (BHC&VB); • Luiz Antônio Strauss de Campos, da Promotional Travel, foi reeleito para novo mandato de dois anos à frente da ABAV/RJ; • Após 5 anos no comando da Copa Airlines no Brasil, Alexandre Camargo deixou a companhia;

Houston-Rio direto com a Continental Continental Airlines começou a operar voos diários e diretos entre seu hub no Bush Intercontinental Airport em Houston e o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. A rota tem início e fim na cidade de New Orleans e os vôos são operados com equipamento Boeing 767-200, com 25 poltronas em BusinessFirst e 149 lugares em classe econômica. O voo CO129 parte de Houston às 21h15 e chega ao

Rio de Janeiro às 09h15 do dia seguinte. No sentido inverso, o voo CO128 parte do Galeão às 21h45 e chega em Houston às 06h00 da manhã seguinte. A Continental Airlines, que este ano está comemorando seu 75º aniversário, já operava vôos diários e diretos entre NY/Newark e São Paulo e entre Houston e São Paulo - estes últimos continuavam para o Rio de Janeiro.

• Os brasileiros Fernando Pinto (presidente) e Luiz da Gama Mór (vice-presidente Comercial), além de Manuel Torres e Michael Connolly, permanecem no comando da TAP Portugal por mais três anos; • Com mandato até 10 de abril de 2010, Ricardo Amaral é o novo presidente da ABREMAR - Associação Brasileira de Representantes de Empresas Marítimas; • Steven Daines é o novo diretor de Operações das redes ibis e Formule 1 para a América Latina; • Rui Carvalho, ex Campinas CVB, é o novo superintendente executivo do Aracaju Convention & Visitors Bureau; • Novos dirigentes no RC&VB - Rio Convention & Visitors Bureau: Philippe Godefroit, diretor do Caesar Park Ipanema foi eleito presidente executivo do Rio Convenctions & Visitors Bureau para o próximo biênio. Michel Chertouh, gerente geral do InterContinental Rio, é o novo representante da classe hoteleira no CVB. Alfredo Lopes foi reeleito à frente do Conselho Curador e Paulo Senise continua no cargo de diretor executivo; • Alessandro Amadeo deixou o cargo de diretor geral da Alitalia para o Brasil. Ele foi substituído por Alessandro Innocenzi, antecessor de Amadeo e que retorna ao País, agora como VP e diretor regional para a América do Sul; • José Otávio de Meira Lins - que comandou a diretoria do Recife Convention & Visitors Bureau no biênio 2007/2009 -, foi reeleito para presidir a instituição por dois anos, tendo Gustavo Luck como vice-presidente; • Orlando de Souza é o novo presidente da diretoria do Conselho Curador do SPCVB - São Paulo Convention & Visitors Bureau;

CWT Turismo terceiriza para a TAM Viagens Em decisão estratégica que permitiu a concentração das operações no mercado de business travel, seu “core business”, a CWT Carlson Wagonlit Travel transferiu para a TAM Viagens todas as atividades e operações de lazer da CWT Turismo. O acordo operacional é válido por três anos, renováveis, e a parceria transferiu para a TAM Viagens - que passou a

operar como CWT TAM Viagens - toda a estrutura da CWT Turismo, inclusive a equipe de consulto- res que atendia as viagens a lazer dos clientes da CWT.

• Brice Massimo Cicconetti, ex-Maison de la France no Brasil (SP), é o novo executivo do Escritório Brasileiro de Turismo (Embratur) na França; • A nova diretoria da Comissão Européia de Turismo na América Latina é presidida por Paulo Machado, do ICEP (Portugal); • Walter Teixeira é o novo presidente do Skal/SP; • Gilbran Chalita é o novo executivo do FAVECC – Fórum das Agências de Viagens Especializadas em Contas Comerciais.

BUSINESS TRAVEL | 17


G E S TÃO

Crise econômica

gera oportunidades

para uma gestão

de viagens

p o r We l l i n g t o n C o s t a *

Mais do que uma crise, a recessão é uma excelente oportunidade para ressaltar uma boa gestão de viagens corporativas. As iniciativas, ações, prioridades e a postura são as mesmas que em tempos de crescimento econômico, mas na recessão o foco do raciocínio empresarial se concentra na geração de receitas e na redução de custos, facilitando o destaque das áreas que comprovadamente conseguem atingir esses objetivos. Entre as atribuições da área de viagens corporativas está a demonstração à alta direção da empresa da necessidade de manutenção das viagens que geram receitas e novos negócios, a demonstração de confiança em seus resultados, o estabelecimento de critérios para as viagens corporativas, a motivação do comprometimento dos colaboradores com a empresa - especialmente em momentos de crise - e, a comprovação de como as viagens podem ser feitas de forma eficiente,

representando um ganho ao invés de despesas. Assim, é fundamental o papel do Travel Manager na elaboração e no gerenciamento da Política de Viagens, juntamente com ações de comunicação, como a ampla divulgação dessa política na intranet e em workshops de esclarecimentos das normas de viagens para os colaboradores, além da criação de um canal para o esclarecimento das dúvidas dos viajantes. Compete também ao Travel Manager a renegociação das tarifas aéreas e de hospedagens de forma estratégica, com pleno conhecimento, na prática, de quanto será o ganho financeiro da empresa, evitando assim que esses ganhos figurem apenas em planilhas estimativas. Muitas vezes os valores agregados representam mais do que a tarifa negociada. Aumento na duração de vôos internacionais, para utilização de classe executiva, foco na negociação de classe específica de vôos nas principais rotas nacionais e internacionais utilizadas, transfers nas viagens internacionais, e isenção de multas tarifárias no aéreo, além da incorporação do café da manhã à diária do hotel e da negociação de descontos em alimentação (A&B), inclusive frigobar, lavanderia, tranfers e estacionamento, são de suma importância e podem representar uma grande economia para a empresa. Em tempos de crise, as melhorias nas relações com os prestadores de serviços são de grande importância, uma vez que passada a crise, estes mesmos prestadores de serviços estarão mais próximos de seus clientes e mais flexíveis em futuras negociações comerciais. * Wellington Costa é coordenador do CVC Comitê de Viagens Corporativas e possui 30 anos de experiência na gestão de viagens de grandes empresas.

18 | BUSINESS TRAVEL


BUSINESS TRAVEL | 19


T U R I S M O S U S T E N TÁV E L

Quando não desmatar

vale dinheiro

Ressarcir financeiramente proprietários de florestas pela não derrubada das mesmas para criar gado ou plantar soja parece ser a lógica mais evidente e racional para evitar danos a ecossistemas. A idéia proposta pelo Brasil e apoiada pela União Européia no CoP-14, em Poznan, na Polonia - é reconhecer o valor dos serviços ambientais proporcionados pelos ecossistemas florestais, e em breve poderá ser uma política pública internacional. As recentes discussões do CoP-14 foram positivas para a instituição do REED, mecanismo de redução de emissões de gases de efeito estufa pelo pagamento ao desmatamento evitado, que poderá ser formalizado nas convenções sobre mudanças climáticas para depois de 2012, quando se encerra o “mandato” do Protocolo de Kyoto. O Brasil já tem algumas experiências pontuais bem sucedidas nesta área. Uma delas é o Programa Desmatamento Evitado, uma iniciativa da ONG paranaense SPVS – Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental – para preservar áreas de matas com araucária remanescentes no Paraná e Santa Catarina, que já garantiu a adoção e preservação de 1.763,63 hectares em 14 propriedades privadas em pouco mais de um ano. Estas áreas estão sendo protegidas por empresas como o banco HSBC (R$ 1,5 milhão investidos), Grupo Positivo e Kapersul, que apóiam o programa pagando aos proprietários das áreas o valor estimado de cerca de 120 toneladas de carbono armazenado por hectare de floresta de araucária preservada. A contribuição do banco HSBC está sendo feita a partir da escolha de seus produtos financeiros pelos clientes. A cada contratação ou renovação de apó-

20 | BUSINESS TRAVEL

lice de seguro feita no banco, o cliente ganha um bônus (do banco) para preservar uma área nativa de 88 m² - no caso de seguro veicular - ou de 44 m², se for um seguro residencial. O Paraná gerou outro bom exemplo de experiência de pagamento para incentivar o não-desmatamento: trata-se do ICMS Ecológico. Criado em 1991 a partir da aliança do governo do estado com municípios, tem como objetivo devolver parte do ICMS arrecadado aos municípios que tenham grande parte do território ocupado por florestas, como forma de compensá-los pelo não uso da terra e incentivá-los a preservar as áreas. Nestes quase 15 anos o ICMS Ecológico transformou-se também em instrumento de incentivo direto à conservação ambiental para proprietários de terras além dos municípios (o que já vem sendo feito no Paraná) e já está presente em São Paulo, Minas Gerais, Rondônia, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Outra experiência bem sucedida de incentivo financeiro para a preservação é da Fundação Amazonas Sustentável – FAS, que vem fazendo o pagamento de uma Bolsa Floresta para moradores e comunidades de moradores do estado do Amazonas preservarem a floresta do entorno onde moram. Criada a partir da associação do banco Bradesco com o governo do Estado do Amazonas em fins de 2007 para financiar um programa de desenvolvimento sustentável, a experiência da FAS já beneficia mais de 5.000 famílias com R$ 600,00 por ano, além de comunidades para investimento em atividades produtivas sustentáveis. Segundo o Bradesco, os recursos totais a serem investidos na


por Rogério Ruschel ecoturismo@businesstravel.com.br

Fundação (R$ 20 milhões já foram doados e o compromisso é doar mais R$ 50 milhões nos próximos 5 anos) também sairá do mercado, através da comercialização de produtos - venda de títulos de capitalização “Pé Quente Bradesco FAS”.

A experiência da FAS foi apresentada como modelo de projeto de desmatamento evitado no “Forum on Readiness for REED” em Gana, na África, em agosto do ano passado, pelo diretor executivo da Fundação, Virgilio Vianna. A estimativa do estoque de carbono nos 17 milhões de hectares das 31 Unidades de Conservação gerenciados pela FAS é gigantesco – 67 bilhões de toneladas – e poderia gerar algo em torno de US$ 100 milhões anuais em créditos de carbono, se o desmatamento evitado for aprovado na sucessão do Protocolo de Kyoto. A Fundação Amazonas Sustentável é responsável também pelo primeiro projeto brasileiro certificado de REDD, através da preservação de uma área de 366.000 hectares da floresta amazônica dentro da Reserva Juma, no Amazonas, até o ano de 2050, gerando uma redução de 210 milhões de toneladas de CO2. Este projeto atraiu outros parceiros para a FAS, além do Bradesco e do governo do Amazonas. É o caso da rede de hotéis Marriott, que vai investir US$ 2 milhões nos próximos anos na Reserva para melhorar as condições de vida das pessoas e além disso vai incentivar seus hóspedes a doarem US$ 1,00 por noite – o que poderá gerar espantosos US$ 400 mil dólares por dia, já que a rede tem cerca de 500.000 leitos.

O débito ambiental da humanidade já chega a 30% Segundo o relatório “Living Planet Report - 2008”, um relatório bianual que mede a chamada “pegada ecológica” da humanidade, preparado pela WWF e pela Sociedade Zoológica de Londres, a humanidade já está consumindo 30% a mais que a capacidade do planeta de fornecer bens e serviços à civilização de forma sustentável. Segundo o documento, hoje cada ser humano precisa para viver de 2,7 hectares de área biologicamente produtiva da Terra. Isso inclui a área agrícola e de florestas necessária para produzir comida, fibras e madeira; os oceanos e rios que fornecem pescado; e a porção de biosfera que absorve os resíduos como o gás carbônico e fornece espaço para cidades e infraestrutura. Esse total é a pegada ecológica de cada pessoa. A pegada

dos brasileiros já é de 2,4 hectares. Acontece que a área biologicamente produtiva da Terra é de apenas 2,1 hectares por pessoa. A diferença entra na conta do débito ambiental. As maiores pegadas ecológicas pertencem aos EUA e à China (que, somados, usam 21% da biocapacidade do planeta), embora os norteamericanos tenham maior pegada que os chineses.. Apesar de ser credor ambiental o Brasil está contraindo empréstimos perigosos porque o relatório aponta que as regiões tropicais lideram a perda de fauna. Enquanto nas zonas temperadas houve 6% de aumento em populações de vertebrados de 1970 a 2005, nos trópicos houve declínio de 51%.

C U R TA S Emirates Airlines lança programa de sustentabilidade O Grupo Emirates, proprietária da Emirates Airline, anunciou em Dubai uma série de inciativas para diminuir sua “pegada ecológica”. O programa, denominado simplesmente “Meio Ambiente” inclui ganhos de ecoeficiência nas novas aeronaves Airbus A380, uma campanha interna de mobilização dos funcionários, a definição de metas de redução de consumo de energia e lixo e programas de reciclagem – além de um novo espaço no site da empresa só sobre meio ambiente. Só no serviço de catering da empresa já são reciclados mais de 100 toneladas de papel, plástico e aluminio,

mensalmente. Segundo a companhia, estas iniciativas têm como foco a redução de custos, o atendimento ao interesse dos clientes e dos ambientes onde opera e uma resposta positiva aos mais de 100 destinos operados pela empresa. O compromisso ambiental da empresa teve inicio com a criação, em 1997, da “Dubai Desert Conservation Reserve”; há poucas semanas, abriu as portas o Wolgan Valley Resort & Spa nas Blue Mountains da Austrália, um hotel que ocupa 1% de sua área e restaura e preserva cerca de 99% de 1.700 hectares, a um custo de 69 milhões de dólares.

BUSINESS TRAVEL | 21


T U R I S M O S U S T E N TÁV E L Manguezal intacto vale US$ 40 mil por hectare Pesquisa feita por Octavio Aburto-Oropeza, do Instituto Scripps de Oceanografia (Califórnia, EUA), mostrou que cada hectare de manguezal na região do golfo da Califórnia, México, gera dividendos de pesca equivalentes a US$ 40 mil por ano, cerca de 600 vezes mais do que o valor dado a essa terra pelo governo mexicano. O estudo, publicado na revista científica “PNAS” demonstra que as capturas pesqueiras no oceano Pacífico, na região do golfo da Califórnia, é sempre diretamente proporcional à quantidade de manguezais intactos. Isto significa que os manguezais podem valer muito mais para o bolso e para a biodiversidade do que os preços irrisórios pelos quais essas áreas são vendidas para os especuladores imobiliários.

Bioma Cerrado em pé rende US$ 20 bi Estudo conduzido pelas ONGs Conservação Internacional (CI) e The Nature Conservancy, em parceria com a Universidade Federal de Goiás, mostrou que manter o cerrado remanescente em pé e reflorestar suas áreas degradadas podem render no mínimo R$ 34 bilhões em créditos de carbono em 30 anos. Segundo o estudo, cada hectare de cerrado é capaz de retirar até 2 toneladas de CO2 da atmosfera por ano, mais do que o estimado

O dinheiro que dá em árvores Reflorestamento de áreas à beira de rios e de reservatórios de água que geram energia da AES Tietê, no Estado de São Paulo é o primeiro deste tipo, no mundo, a ganhar aval da ONU para vender crédito ambiental. A empresa já reflorestou 1.450 hectares, mas o projeto prevê uma área total de 10 mil hectares, que deve retirar da atmosfera 3 milhões de toneladas de CO2 ao longo de 20 anos, o que representaria R$ 130 milhões em bolsas internacionais que operam o MDL. O investimento da empresa está estimado em torno de R$ 80 milhões. Aos que ainda pensam que sustentabilidade é coisa “para criar imagem”, aí está mais um exemplo: a AES Tietê vai ganhar cerca de R$ 50 milhões preservando o próprio negócio.

22 | BUSINESS TRAVEL

para a Amazônia, de 1 t/ha. Os pesquisadores chegaram a esse número após mapear as regiões com cobertura vegetal abaixo da prevista pelo Código Florestal para o bioma (35% para as áreas de cerrado localizadas na Amazônia Legal, 30% no Piauí e 20% nas demais) e aquelas que mantêm a vegetação original acima desse limite. Para saber mais sobre o Cerrado visite http://www.biologo.com.br/ plantas/cerrado


Brasil exporta modelo de gerenciamento de resíduos sólidos O CEMPRE – Compromisso Empresarial para a Reciclagem ampliou em outubro seu prestígio internacional com a exportação de seu modelo organizacional para mais um país: a Colômbia. O CEMPRE - organização sem fins lucrativos mantida por 25 empresas de grande porte (como Ambev, Alcoa, CocaCola, Nestlé, Pão de Açucar, Carrefour, Unilever, Suzano, Tetra Pak e Souza Cruz) para promover a reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado de resíuduos sólidos - já está presente na Russia, Tailândia, China, México, Uruguai e Venezuela. Fonte segura de informações sobre reciclagem, pode ser acessado pelo site http:// www.cempre.org.br

Revista Brasileira de Ecoturismo Já está disponível no site http://www.physis.org.br/rbecotur/ mais um exemplar da Revista Brasileira de Ecoturismo (RBEcotur). Nesta edição são publicados tres artigos e uma resenha. Os argtigos são: Ecoturismo construindo a materialidade dos assentamentos: uma história de legitimação da terra no Distrito Federal - DF, de Juarez Martins Rodrigues; Ecoturismo e conservação ambiental: contextualizações gerais e reflexões sobre a prática, de Gabriela Barros Rodrigues e Ozelito Possidônio de AmaranteJunior e Representação social da Educação Ambiental e sua contribuição ao turismo, por Rafael Angelo Fortunato. A Revista Brasileira de Ecoturismo é uma publicação eletrônica quadrimestral

Porto de Santos-SP será mais turístico Como parte do convênio para revitalização dos antigos terminais 1 ao 8 do Porto de Santos, no centro histórico, a prefeitura e a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) apresentaram em maio o projeto de um centro náutico, cultural, turístico e empresarial na área, cuja obra deverá começar em 2011 e ser concluída em 2014. Batizado de Porto Valongo Santos, o projeto foi inspirado nos grandes complexos portuários do mundo, como Los Angeles e Barcelona, onde áreas integrando a cidade ao porto se tornaram pontos de lazer e turismo. O complexo terá cerca de 150 mil metros quadrados e a prefeitura de Santos vai investir R$ 800 mil no estudo de viabilidade econômica, uma verba conseguida por meio de financiamento com o Banco Mundial. De acordo com o projeto, os armazéns 1 e 2 terão praça de alimentação e espaço para exposições artísticas; o armazém 3 abrigará escritórios de design e turismo e um museu maritime; o espaço entre os galpões 3 e 4 servirá para a instalação de serviços de informação e de apoio turístico; o armazém 4 ficará com a escola nautical; o galpão 5, por sua vez, terá estações para transporte aquaviário de passageiros e decks. No galpão 6 ficará o terminal portuário para cruzeiros; no 7, será instalado o Instituto de Ciências do Mar e, no 8, uma unidade de apoio técnico para pequenas embarcações. Saiba mais sobre o Porto de Santos em http:// www.portodesantos.com.br/historia (*) Rogerio Ruschel é jornalista, editor da revista eletrônica “Business do Bem – Economia, Negócios e Sustentabilidade” - http://www.ruscheleassociados.com.br - e autor de 6 livros sobre sustentabilidade.

BUSINESS TRAVEL | 23


R I O B U S I N E S S & T R AV E L

Webjet amplia frota e lança serviços Com a frota de Boeings 737-300 quase dobrada desde o início de 2009, quando operava com 11 aeronaves, a Webjet Linhas Aéreas vem ampliando sua malha e agregando facilidades aos seus serviços. A companhia chega a 2010 com 20 aviões e conectando dez cidades brasileiras, em 11 aeroportos. Além de contar com uma nova revista de bordo, a Conecte-se, a Webjet oferece aos seus clientes transporte gratuito em ônibus executivo entre os aeroportos de Congonhas e

Guarulhos, em São Paulo. Com nove saídas diárias de Guarulhos para Congonhas e oito no sentido contrário, o Web-Bus visa a facilitar o deslocamento dos passageiros que voam pela Webjet de/para Cumbica e precisam de um meio de transporte ágil para o centro, principalmente os clientes corporativos que utilizam a Web-Ponte Santos Dumont/Guarulhos. E as novidades da empresa não param por aí. Desde a Feira das Américas 2009 - ABAV, a Webjet vem trabalhando um programa de parcelamento pioneiro, com condições inovadoras para a aquisição de passagens aéreas, o “Vai Voando”, que tem como principal beneficiado o público das classes C e D, que representa um mercado potencial de cerca de R$ 40 bilhões.

Paraty tem tudo o que você procura Encantadoramente colonial, a bela Paraty é considerada Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e preserva, até hoje, inúmeras maravilhas arquitetônicas, que consolidaram a cidade como destino para o turismo histórico. Paraty é um município com 300 praias - como as famosas Trindade e Saco do Mamanguá -, 12 bacias hidrográficas, cinco unidades de conservação, 65 ilhas e centenas de cachoeiras distribuídas por uma vasta extensão de Mata Atlântica. A natureza local é o principal atrativo turístico da cidade. É possível conhecer tudo de perto e explorar as paisagens por água e por terra. As opções são as mais variadas. Quem preferir ir por água, pode escolher entre passeios de escuna e mergulhos pelo litoral. Já para os que preferem ficar em terra firme, as opções são os jeep tours, bike tours ou trekkings. Entre os pontos turísticos, não há como não incluir o seu mais famoso cartão postal: a Igreja Santa Rita dos Pardos, a mais antiga da cidade, construída em 1722. De frente para o mar, a igreja abriga o Museu de Arte Sacra, com diversificado acervo que reúne objetos e utilitários em ouro e prata, imagens de santos, mobiliário e peças de época. A Praça da Matriz, no Centro Histórico, é palco de todo agito cultural da cidade. As diversas festas regionais realizadas na região também são um forte atrativo turístico. Entre as mais conhecidas, estão a Festa do Divino, a badalada FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty), o Festival da Pinga, o Paraty em Foco, que reúne especialistas e admiradores da arte da fotografia. Longe de ser um lugar parado no tempo, apesar de seu caráter colonial, a bucólica cidade da Costa Verde do Rio de Janeiro também oferece atrações para os mais diferenciados tipos de turistas. A ci-

24 | BUSINESS TRAVEL

dade é destino para pessoas que estão em busca de aventuras ou bem-estar, para casais que procuram um cenário romântico, para famílias em busca de descanso e diversão e também para os amantes da gastronomia e apreciadores de cachaça. Paraty Convention & Visitors Bureau Rua D. Pedro II, s / n - Sala 4 - Centro Comercial Parque Imperial Bairro Parque Imperial - 23970-000, Paraty, RJ Tel.: (55 24) 3371 2669 E-mail: info@paratycvb.com.br


por Luiza Sampaio rio@businesstravel.com.br

Portobello Resort & Safári realiza soltura de pássaros O Portobello Resort & Safári, em Mangaratiba, Costa Verde do Rio de Janeiro, está trabalhando junto ao CETAS (Centro de Triagem de Animais Silvestres) em prol do meio ambiente. O resort realiza soltura de pássaros provenientes de apreensões realizadas pelo IBAMA contra o tráfico ilegal de animais e, até agora, essa parceria já beneficiou mais de mil pássaros. O resort possui um Safári – o único do Brasil dentro de um empreendimento desse tipo -, numa área de 300 mil metros quadrados em meio à Mata Atlântica, sendo o ambiente ideal para a soltura das aves, segundo Bruno Rocha, veterinário do Safári. O processo começa com o fornecimento de frutas e alpiste para esses pássaros, em local próximo à mata onde serão libertados. Com o passar dos dias, eles ganham a mata, retornando naturalmente para

seu habitat. “Este projeto se faz importante, uma vez que dá oportunidade a esses pássaros capturados retornarem ao seu habitat natural. E o Resort Portobello é privilegiado quanto à questão do volume de mata nativa na região, mata essa íntegra e intocada”, ressalta o veterinário. A maioria desses pássaros consegue retornar à natureza, mas os animais mais “imprintados”, ou seja, os que perderam realmente o vínculo com a natureza, são mantidos em viveiros no próprio Safári. Portobello Resort & Safári www.portotel.com.br Endereço: Rodovia Rio-Santos, Km 438. Mangaratiba, RJ Reservas: reservas@hotelportobello.com.br Telefone: (21) 2789 8000 ou 0800 282 0868

Circuito Elegante com novidades para 2010 Priscila Bentes, diretora do Circuito Elegante, lançou o catálogo 2010 de sua associação de hotéis elegantes, que chega com tiragem inicial de 60 mil exemplares e passa a contar com mais uma nova categoria - hotéis Business -, além de apresentar 20 novos associados de todo Brasil. São eles: Pousada Reserva Aroeira, Eco-Resort Tankamana, Hotel Apa Pau Brasil, Hotel Galápagos de Búzios, Hotel Casa 32, Hotel Yacamin Reserva, Hotel Dois Santos, Pousada Vila Natal, Guest House La Laguna, Kenoa Beach Spa & Resort, Hotel Vila Selvagem, Bora Bora, Pousada Vila do Bosque, Vinicula Laurentia, Solar Mirador, Pousada Pequena Tiradentes, Pousada Maria Manhã, Txai Resort, Porto

Bay Rio Internacional e Hotel Unique. Em 2010, Bentes também concentra a atenção no ambicioso projeto “MIT Aventura Elegante”, um tour pelo Brasil com o objetivo de divulgar novos roteiros e locais especiais em forma de aventura, com um percurso que inclui 10 roteiros nas regiões Norte, Nordeste, Sul e Sudeste do país e com vários trechos 4x4. Nessa aventura exclusiva, Priscila Bentes, na companhia de sua filha Rafaela, vai passar pelos 135 hotéis e 60 restaurantes associados do Circuito Elegante, e mostrará detalhes dos estabelecimentos, destinos e maneiras diferentes de acesso a esses lugares. Para acompanhar a aventura de perto, basta acessar o blog MIT Aventura Elegante (www.ciruitoelegante.com.br/mitviagem), escutar os boletins no programa da Priscila Bentes na rádio MIT FM (www.mitfm.com. br) ou conferir na Revista Mitsubishi. Circuito Elegante Telefones: 0800 282 0484 www.circuitoelegante.com.br

BUSINESS TRAVEL | 25


SHOPPING

New Fit1.4l LX A segunda geração do New Fit chega com o motor iVTEC Flex em todas as suas versões. Um dos diferenciais é que a Honda aumentou em 25% a potência na versão 1.4l e 10% na versão 1.5l. A versão 1.4l movida a álcool produz 101 cv a 6.000 rpm e 100 cv a 6.000 rpm, quando a gasolina. Todas possuem torque de 13 kgf.m a 4.800 rpm. Ou seja, mais potência e torque com baixo consumo de combustível. O New Fit tem transmissão automática de cinco velocidades, mas é o único de sua categoria que também oferece transmissão manual de cinco velocidades. A tecnologia de ponta está inserida no modelo, seja com o moderno sistema eletrônico de aceleração DBW (DriveBy-Wire), que proporciona melhor dirigibilidade, seja com o ACE (Advanced Compatibility Engineering), uma estrutura frontal interna para auxiliar na absorção e dispersão de impactos. Mais informações: www.honda. com.br

Netuno - Tecnologia e desempenho O Netuno une tecnologias para garantir desempenho, segurança e conforto para o atleta. Os benefícios pelo uso do tênis se dão pela fusão da tripla camada de amortecimento. A placa estabilizadora ATH Non Torsion, localizada na região central do solado, ajuda a manter o eixo do pé estável durante a passada. Já o solado ATH Pro Gripp é antiderrapante e garante ao atleta total segurança, mesmo em pistas molhadas. Pesando 338g, é encontrado nas numerações 38 a 43 e nas cores preto/prata/azul Royal, ao preço sugerido de R$ 149,90. Mais informações: www.athleticsports.com.br

Grand Carrera da Tag Heuer Elegância e autenticidade são características do modelo Grand Carrera Calibre 8 RS da Tag Heuer, que traz a indicação da data na posição das 12 horas e um sistema rotativo (RS) mostra um segundo fuso horário na posição das 6 horas. A caixa grande, de 42.5 mm, possui fundo duplo e visor de cristal de safira. Disponível com mostrador preto e pulseira de aço ou com mostrador prata e pulseira de crocodilo preta. Mais informações: www.tagheuer.com

26 | BUSINESS TRAVEL


Novo TravelPilot 100 da Blaupunkt Com um bonito design, o TravelPilot 100 é leve, tem aproximadamente 175g e é fácil de instalar. Com alto-falantes internos, memória interna de 64 MB e memória flash de 1GB, o dispositivo ainda tem entrada para cartões de memória SD, MultiMedia Card (MMC) e Secure Digital High Capacity (SDHC). Outro ponto forte que auxilia o motorista é o sensor de luz acoplado ao produto, que possibilita que o display troque entre o modo “dia” e “noite” automaticamente, sem que seja necessário ativar qualquer botão ou comando. Com esta grande quantidade de funções, o TravelPilot 100 é a escolha perfeita para todos os usuários que procuram um sistema de navegação prático e confiável. E sem stress. Ou seja, fácil de navegar. O preço sugerido para o produto é de R$ 1.099,00. Mais informações: www.blaupunkt.com.br

Mercedes-Benz inova com óculos modelo aviador A grife automotiva alemã Mercedes-Benz lança o modelo de óculos, em que o item de maior destaque são as lentes. A marca surpreende ao lançar o clássico modelo aviador para aplicação de lentes de grau. Totalmente confeccionado em metal prata, o modelo de ponte dupla tem hastes com ponteiras em acetato e assinatura da marca. Uma peça que agrada dos homens mais conservadores aos mais modernos - que buscam um item de vanguarda para valorizar o visual. O modelo Mercedes-Benz é distribuído no Brasil pela General Optical e esta disponível para venda em óticas e lojas especializadas em todo o território nacional. Mais informações: www.generaloptical.com.br

Palm Pre: o primeiro telefone da webOS O novo aparelho Palm Pre apresenta interface e conceito surpreendentes, ideais para os usuários que priorizam a mobilidade. Apresentando um design ergonômico leve, arredondado e um teclado físico deslizante, o Pre foi projetado para ser natural nas mãos e confortavelmente pequeno nos bolsos. Quando está fechado, o telefone é ideal para chamadas telefônicas, navegar pela Web, ouvir músicas, ver fotos e vídeos. Quando aberto, o Pre é otimizado para emails e mensagens de texto. Com seu manuseio deslizante e sua interface de toque controlada por gestos, o Pre alia design sofisticado e o software revolucionário da webOS, o que possibilita um acesso mais rápido a qualquer função do dispositivo ou à Web. Mais informações: www.palm.com

BUSINESS TRAVEL | 27


B O A R D I N G PA S S

Upgrade na qualidade

de hospedagem

Podemos afirmar de forma simplória que a estratégia comercial das operadoras hoteleiras está exclusivamente vinculada aos fatores que regulam o mercado, ou seja, seus indicadores de oferta e de demanda. Tem sido assim há décadas, apesar da indústria hoteleira considerar fundamentais as projeções de cenários econômicos e utilizar o RevPAR (receita por apartamentos disponíveis) como seu principal indicador de desempenho. Antes da crise econômica que se abateu no mundo no início do segundo semestre de 2008, a indústria hoteleira brasileira já havia sido impactada por outra crise - na realidade mais imobiliária do que hoteleira -, maior e mais duradoura, de excesso de oferta. Ela atingiu tanto os hotéis independentes quanto as grandes redes e, em resumo, devido à acirrada concorrência, provocou grandes quedas nas taxas de ocupação, nas diárias e, consequentemente, no RevPAR da hotelaria. Como enfrentar essa realidade e ao mesmo tempo atrair demanda e aumentar as receitas? Pode haver uma série de opções, mas a que foi

planejada no início do ano passado pela Divisão Brasil da Sol Meliá Hotels & Resorts foi muito inteligente e eficiente. É claro que foi decorrente de consenso entre a operadora e os investidores das propriedades, assim como da expertise operacional e financeira da Sol Meliá, mas o fato é que a solução já se transformou em case de sucesso. E qual foi ela? Dar um completo upgrade nos apartamentos dos hotéis da marca urbana Tryp, tornando-os mais modernos e confortáveis, de forma a atrair mais hóspedes - especialmente os corporativos - e possibilitar a aceleração do processo de recuperação das diárias médias. Assim é que em meados de 2008, junto com o início da crise econômica global, a Sol Meliá começou a implantar em diversos hotéis da marca Tryp da capital paulista, os apartamentos Premium Room. Como o próprio nome diz, trata-se de uma categoria de qualidade superior, criada para oferecer uma experiência única ao cliente. Oferecem inicialmente a nova categoria de apartamentos os hotéis Tryp Berrini, Tryp Itaim, Tryp Jesuíno Arruda, Tryp Iguatemi, Tryp Paulista, Tryp Higienópolis, Tryp Tatuapé e Tryp Campinas.

TRYP Itaim

28 | BUSINESS TRAVEL


TRYP Higienรณpolis

TRYP Jardim Europa

BUSINESS TRAVEL | 29


B O A R D I N G PA S S

TRYP Iguatemi

Trabalhando com rapidez

Detalhes que fazem a diferença

Após um dia agitado de trabalho, o Premium Room oferece conforto e a qualidade de serviços para proporcionar descanso e bem estar. Para aqueles que precisam concluir os trabalhos do escritório, os apartamentos dessa categoria contam com conexão cortesia à internet de alta velocidade - a cabo e wireless -, além de mesa de trabalho com iluminação apropriada, pontos de telefone e de energia, entre outras comodidades.

É com pequenos detalhes que se conquistam os clientes. O conceito Premium Room oferece esses diferenciais com uma excelente relação custo-benefício, ao oferecer aos hóspedes todos os itens de conforto já mencionados, como o menu de traveseiros, além de um kit passa roupas - ferro e tábua de passar - e um kit com café, capuccino ou chá com uma chaleira elétrica. E para completar, um chocolate personalizado é colocado todas as noites sobre as camas.

Relaxando com prazer

Mais informações e reservas: Tel. (55 11) 3748 8771 (São Paulo e exterior), Toll free 0800 703 3399 (outras localidades) Grupos ou eventos, tel. (55 11) 3043 8438 www.solmelia.com

Para os que querem apenas descansar após um dia de trabalho, o hóspede já encontra um roupão estendido na cama e pantuflas prontas para o uso, além de luzes adequadas para o período noturno. Aliás, trata-se de uma cama premium com colchão especial e enxoval com fios de algodão leve e clean, que proporcionam o máximo em descanso, conforto e bem estar. Em vez dos tradicionais cobertores, foram encomendados leves endredons, que garantem a estabilidade da temperatura. E para garantir o conforto, um menu de travesseiros oferece a opção mais confortável. Para o entretenimento, aparelhos de TV LCD foram instalados em todos os Premium Room. Nos banheiros foram instaladas duchas maiores, que respeitam a economia de água mas que proporcionam um banho mais confortável e prazeroso. E as amenities diferenciadas encontradas nos banheiros procuram atender todas as necessidades de um hóspede exigente.

30 | BUSINESS TRAVEL


BUSINESS TRAVEL | 31


ABOUTUR

Investir em Hotelaria

no Brasil por Diogo Canteras*

Ao emergir fortificado da crise financeira global, o Brasil apresenta, em contraste ao atual cenário econômico internacional, excelentes oportunidades de investimento, de maneira especial na área hoteleira. O Brasil é uma grande economia, com perspectivas em médio e longo prazos bastante animadoras e, de fato, talvez o momento seja único na história do país. Também é verdade, entretanto, que o Brasil tem características muito peculiares e fazer negócios no país não é fácil. Neste contexto, objetivamos com este artigo esclarecer de maneira ampla as especificidades do nosso mercado hoteleiro e a sua situação atual, para depois falar de oportunidades de investimento. O diretor de Desenvolvimento de uma grande cadeia hoteleira internacional me dizia certa vez, que não tinha dificuldades de fazer negócios em nenhum país da América Latina, mas que no Brasil era difícil. O Brasil é geograficamente distante de todas as outras grandes economias do mundo, seu idioma é o Português, sendo que mesmo entre os homens de negócios poucos falam inglês com fluência, e durante mais de 15 anos, entre meados da década de 70 e o início dos anos 90, teve que fechar a sua economia, adotando uma política de auto suficiência interna. Esses fatores de isolamento, aliados ao fato de que o Brasil é uma economia relativamente grande, proporcionam as condições típicas para o desenvolvimento de uma cultura de negócios própria. Isso faz com que a concretização de investimentos no país requeira sempre muito estudo e paciência. Charles Mac Kay, no seu livro “Ilusões Coletivas Extraordinárias e a Loucura das Multidões”, muito acertadamente disse: “...Homens pensam em manada, enlouquecem em manada e só recobram o bom senso devagar e um por um”. Ganhar dinheiro com hotelaria no Brasil é mui-

32 | BUSINESS TRAVEL

to fácil, mesmo porque o desempenho dos hotéis é muito previsível, mas é fundamental conhecer o mercado, ter paciência e, principalmente, questionar a “manada”.

A ECONOMIA BRASILEIRA, A COPA DE 2014 E A OLIMPÍADA DE 2016 É verdade que a economia brasileira tem melhorado muito nos últimos anos e que suas perspectivas são muito animadoras. Relativamente, entretanto, continua sendo muito menor do que a das grandes potências. O nosso PIB é pouco mais de 10% do PIB dos Estados Unidos e o negócio de hotéis no Brasil, dadas as características específicas do país, não ultrapassa 5% do que é nos Estados Unidos. Também não há dúvida de que a Copa do Mundo de 2014, que se realizará em 12 cidades brasileiras, e a Olimpíada de 2016 no Rio de Janeiro, são muito positivas para o Brasil. Para o negócio hoteleiro, entretanto, o que é realmente importante é o legado que será deixado por esses eventos, o “day after”, o quanto seremos capazes de aproveitá-los para aumentar a demanda hoteleira do país de forma permanente. Investir em um hotel só porque vão faltar quartos para as pessoas dormirem durante a Copa ou durante a Olimpíada é insensato. O que fazer com o hotel depois?

CONSTRUIR NOVOS HOTÉIS OU INVESTIR NA OFERTA JÁ EXISTENTE? Muitas cidades brasileiras ainda sofrem a ressaca da super-oferta de flats, que fez com que o Brasil ainda hoje tenha diárias hoteleiras entre as mais baixas do mundo. Essas diárias ainda inviabilizam economicamente novos projetos na grande maioria das cidades. O gráfico seguinte apresenta o processo de recuperação de mercado da cidade de São Paulo, indicando quando, em média, devem aparecer as diversas oportunidades de investimento.


No gráfico, percebemos que há alguns anos (desde 2006) a grande oportunidade de investimento é a compra de ativos hoteleiros existentes. E mais recentemente (a partir de 2009), investir em reformas e renovação de hotéis também passou a fazer sentido. Já a construção de hotéis novos só deve ser viável dentro de alguns anos, quando a diária média da cidade tiver atingido um patamar semelhante ao que era no período anterior ao da super-oferta de flats. Esse mesmo processo de recuperação ocorre em todos os outros destinos atingidos pelo fenômeno dos flats, que são a maioria das grandes cidades brasileiras. O que varia é o estágio de evolução no qual cada destino se encontra. Isso não significa que qualquer projeto novo no país nos próximos anos será inviável, mas sim que sua implementação requer mais cuidados e estudos precisos.

BRASIL E SEU MERCADO DE TURISMO DE LAZER Entender a dinâmica do mercado de turismo de lazer brasileiro é fundamental antes de se tomar qualquer decisão de investimento. O Brasil é distante dos principais mercados emissores do mundo, não dá para contar muito com os turistas internacionais. Nos últimos 10 anos, o fluxo de demanda externa tem se mantido estagnado em torno dos 5 milhões de visitantes/ano. E com a taxa de câmbio no patamar atual (1 US$ = 1,70R$), não é de se esperar que esse fluxo aumente muito, dado o encarecimento do produto turístico brasileiro.

Existe uma forte correlação entre nível de atratividade e preço, mas há um desequilíbrio introduzido pela atual taxa de câmbio, que beneficia fortemente os produtos dolarizados. Dessa maneira, viagens ao exterior e, principalmente, cruzeiros marítimos acabam ficando mais competitivos e ganham mercado, enquanto que os resorts do nordeste e outros produtos hoteleiros domésticos são prejudicados e perdem hóspedes. No caso dos cruzeiros marítimos, esse benefício fez com que o número de pernoites tenha evoluído de 139 mil na temporada 2003/2004 para mais de 500 mil nesta última temporada (2008/2009), um crescimento médio anual superior a 20% ao longo dos últimos 5 anos. Esse número de pernoites equivaleria a 2.000 apartamentos de hotel ocupados a 70% durante um ano. O mercado de turismo de lazer brasileiro tem crescido, impulsionado pela melhora da economia e pelo crescimento da classe média. No entanto, esse aumento tem beneficiado principalmente produtos turísticos do exterior, em virtude da melhor relação atratividade X preço apresentada pelos produtos dolarizados. De qualquer maneira, em virtude desse crescimento do mercado de turismo de lazer brasileiro, parece existir uma boa oportunidade para um produto turístico doméstico de alta atratividade e baixo preço, que se beneficiaria da demanda hoje quase exclusiva do mercado de cruzeiros e resorts. A estruturação de um produto com essas características, entretanto, não é trivial.

De fato, os produtos hoteleiros em geral, e os de lazer em particular, são essencialmente focados no público brasileiro. Na verdade, com a atual situação da taxa de câmbio, somos exportadores de mercado (do ponto de vista de fluxo de divisas, somos importadores de produtos turísticos estrangeiros). Estima-se que aproximadamente 2,5 milhões de residentes em território brasileiro viajam todo ano aos Estados Unidos e à Europa. A figura seguinte apresenta uma comparação do nível de atratividade de cada produto turístico com o seu preço médio diário por pessoa:

BUSINESS TRAVEL | 33


ABOUTUR

ALTERNATIVAS DE INVESTIMENTOS HOTELEIROS NO BRASIL

As considerações anteriores nos permitem ter uma visão geral do mercado hoteleiro brasileiro e de suas peculiaridades, seja no segmento de hotéis urbanos, seja no segmento de lazer. As oportunidades de investimento são consequência direta dessas condições de mercado. Concretamente, algumas das opções que hoje se apresentam no país são:

1. Aquisição de ativos hoteleiros existentes e já operando nas cidades afetadas pela superoferta de flats. Esses ativos podem ser hotéis, condo-hotéis ou mesmo empresas hoteleiras. Eles tendem a se valorizar com a recuperação dos mercados;

2. Investir em reforma e reposicionamento mercadológico de hotéis e condo-hotéis, principalmente tendo em vista os recursos que estão sendo negociados pelo Ministério do Turismo junto ao BNDES para esse propósito;

3. Evidentemente, a composição das duas alternativas anteriores faz sentido, ou seja, comprar ativos hoteleiros existentes para reformá-los e reposicioná-los no mercado;

4. Em alguns mercados específicos e para alguns nichos de mercado, principalmente no segmento econômico, vale a pena considerar a construção de hotéis novos. De maneira geral, entretanto, de cada 10 projetos analisados pela HVS nos últimos meses 7 ainda são inviáveis economicamente;

5. O desenvolvimento de produtos de lazer para a classe média, de

34 | BUSINESS TRAVEL

alta atratividade e baixo custo, atuando no mesmo mercado que os cruzeiros e resorts, pode ser uma oportunidade interessante;

6. Finalmente, desenvolver produtos para brasileiros em países vizinhos, como a Argentina e, principalmente, o Paraguai, que se beneficiam da baixa taxa de câmbio do Brasil, também pode ser uma alternativa de investimento interessante e funcionar como uma estratégia complementar de investimento. Para todas as alternativas, valem as observações iniciais deste artigo: o Brasil é um país com uma cultura de negócios própria e que apresenta boas oportunidades. No Brasil existem investidores que depois de imobilizar muito dinheiro no seu hotel concluem que ele vale apenas uma fração daquilo que foi investido. Existem fundos de pensão que amargam todos os meses milhões em perdas operacionais em seus resorts. Ao mesmo tempo, entretanto, existem resorts rentáveis e que fazem dinheiro consistentemente todos os anos e fundos de investimento em hotelaria que rendem mais de 25% ao ano para os seus cotistas. As oportunidades existem. Aproveitá-las implica em entender com profundidade o mercado e em “fazer a lição de casa” com diligência.

*Diogo Canteras é sócio-diretor da HVS no Brasil e professor de Desenvolvimento de Projetos Turísticos Hoteleiros da FGV. dcanteras@hvs.com


BUSINESS TRAVEL | 35


ESPECIAL

Celular para reduzir despesas com deslocamentos e viagens corporativas

Gerenciar as despesas com deslocamentos de colaboradores e os investimentos com viagens corporativas é, muitas vezes, mais trabalhoso e oneroso para as empresas do que os próprios custos em si desses deslocamentos e viagens profissionais. O uso de táxi, por exemplo, requer uma verdadeira força tarefa destinada a recolher os boletos de papel, somar todo o gasto do mês e fazer os pagamentos e reembolsos de acordo com a política de cada corporação. Na maioria dos casos são vários funcionários envolvidos nessa tarefa, o que acrescenta ao serviço as despesas das horas de trabalho dessas pessoas. Neste contexto, um sistema que permite a autorização do pagamento de corridas de táxis por meio do telefone celular surge não só como mais uma modernidade, mas também como uma inovação tecnológica que responde a uma das demandas mais importantes das empresas, que é a redução de custos. E a tecnologia já opera em mais de dois mil carros de cooperativas paulistanas. O serviço se chama Mobility Pass e é oferecido pela Sodexo em parceria com a Mcash. Com ele as empresas clientes da Sodexo têm conseguido gerenciar esse tipo de gasto de seus funcionários eletronicamente, inclusive com a possibilidade de interferir na aprovação e recusa da despesa no momento em que ela ocorre. A Sodexo é a

36 | BUSINESS TRAVEL

divisão de cheques e cartões de serviço do grupo francês Sodexho Alliance, líder mundial em alimentação e gestão de serviços. Presente no Brasil há mais de 10 anos, ela atende em torno de 40 mil clientes, representando três milhões de trabalhadores com uma rede de 200 mil estabelecimentos afiliados.

O sistema será usado em todos os tipos de gastos de representação, como restaurantes, passagens aéreas, hotéis e outros. O presidente da Mcash, Gastão Mattos, afirma que o pagamento de corridas de táxi é apenas o primeiro passo para o uso mais abrangente do telefone celular como meio de pagamento. Segundo ele, em breve o sistema será usado em todos os tipos de gastos de representação, como restaurantes, passagens aéreas, hotéis e outros. A Mcash é a


primeira plataforma universal que permite o uso de telefones celulares para autenticar informações, efetuar compras e pagamentos em qualquer tipo de estabelecimento comercial, seja em lojas eletrônicas ou físicas, com qualquer tipo de aparelho. Ao contratar o Mobility Pass a empresa recebe uma senha para acessar a página na internet do sistema, onde serão cadastrados os números dos celulares e registradas todas as viagens de táxi utilizadas pelos funcionários autorizados (relatório gerencial). O procedimento é simples: o usuário comunica ao taxista que vai pagar com celular, o ponto de partida e o destino. Ao chegar, o motorista informa por rádio o valor da corrida à central de táxi e o usuário recebe uma ligação no celular para confirmar o valor e autorizar o pagamento. Todos esses dados são disponibilizados via web para gerenciamento da empresa cliente. Com este processo, o funcionário não precisa mais fazer o desembolso para depois ser reembolsado pela empresa ou preencher um boleto discriminando os gastos. A empresa ganha, além da segurança, uma economia considerável no processo de gestão e contabilização, o que gera um controle muito melhor dos seus gastos com despesas de táxi. Além da agilidade, o Mobility Pass permite às empresas automatizar o controle das visitas de seus funcionários, terceiros ou visitantes, gerando economia de tempo e custo, não importando se a companhia é pequena, média ou grande. A primeira fase do projeto piloto do Mobility Pass foi consolidada em 2009 com a cooperativa Use Táxi, na cidade de São Paulo, e será expandida para outras cooperativas da capital paulista e também de outras capitais, sendo que no Rio de Janeiro isso deve acontecer nos próximos meses.

autorização para conceitualmente fazê-lo. Apesar dessa característica, é sempre necessário o controle e a aprovação de um superior hierárquico ou controlador. “Até então isto somente poderia ser feito posteriormente, no caso dos cartões de crédito corporativos. O celular como meio de pagamento permite grande aperfeiçoamento desse tipo de transação, pois através dele o controle pode ser anterior ao pagamento”, afirma. Na prática isto significa que antes de efetuar o pagamento de uma corrida a empresa pode verificar o limite de crédito atribuído ao empregado, a distância e os destinos percorridos, tendo a exata noção de que eles eram estritamente necessários para a realização do trabalho daquele funcionário. A plataforma da Mcash pode ser totalmente parametrizada caso a caso, permitindo que a autorização prévia para uma determinada transação seja concedida não só pelo usuário, mas também pelo pagador ou mesmo por seu superior imediato. Este controle pode ser feito para compras acima de determinado valor, ou para determinados segmentos de lojas, ou por região geográfica, por exemplo. Da mesma forma, extrapolando o uso do sistema para outras aplicações, a empresa pode avaliar antes de pagar, por exemplo, os gastos feitos em uma hospedagem de hotel por um de seus funcionários. “Quando há um gasto acima do valor previamente estipulado, o superior hierárquico do funcionário responsável pela despesa recebe um alerta para autorizar a compra. O dispositivo permite um acompanhamento mais apurado das transações, pois controla o gasto no ato. Com os freqüentes cortes de custos nas empresas, a gestão de gastos terá vida longa. O pagamento por meio de celular se tornará mais uma ferramenta de controle e segurança no ambiente corporativo” diz Mattos.

Gastão Mattos

Gastão Mattos explica que as transações de representação ou empresariais quase sempre são feitas por pessoas que têm uma prévia

A Mcash trabalha com uma tecnologia compatível com todas as marcas, modelos e operadoras de celulares. O sistema funciona em aparelhos pré-pagos e pós-pagos. As informações relativas à operação são sigilosas e o usuário não divulga o número do cartão nem outra informação pessoal, apenas o número do aparelho.

BUSINESS TRAVEL | 37


M E R COT U R

TAM Airlines voa de Assunção a La Paz

Voo diário da SAA para a Argentina

A TAM Airlines, empresa com sede em Assunção, no Paraguai, inaugura uma rota internacional no dia 1º de dezembro, quando começa a voar para La Paz, na Bolívia. Serão quatro frequências semanais - às terças, quintas, sábados e domingos -, que farão a única ligação aérea entre as capitais boliviana e paraguaia. La Paz será a terceira cidade na Bolívia atendida pela TAM Airlines com aeronaves Airbus A320 para 156 passageiros, sendo 12 na Classe Executiva e 144 na Econômica.

A SAA - South African Airways vai aumentar a atual operação de Buenos Aires, de três freqüências semanais para voos diários, de 7 de junho a 18 de julho de 2010, período que corresponde à realização da Copa do Mundo de Futebol na África do Sul. O aumento da oferta de assentos durante aquele período visa atender a demanda para a Copa. Será utilizada uma aeronave Boeing 747-400 na rota, com um total de 357 assentos, divididos em duas classes de serviços.

Novo gigante nos céus da América Latina Holiday Inn Express em Rosário O IHG - InterContinental Hotels Group assinou um novo contrato de franquia para o Holiday Inn Express Rosário, na Argentina. Instalado em um edifício de 9 andares no centro comercial de Rosário e com 175 apartamentos, o hotel abre suas portas em dezembro. Este é o segundo empreendimento do IHG em Rosário, onde a companhia hoteleira já opera o Holiday Inn Rosário

38 | BUSINESS TRAVEL

A Avianca e a TACA formaram uma aliança estratégica para criar e gerir o grupo líder de companhias aéreas da América Latina, que vai operar para mais de 100 destinos no continente. A união das duas companhias constituirá a maior rede de serviços de passageiros e carga da América Latina, permitindo o desenvolvimento de novos mercados a partir de seus centros de conexão (hub’s) em Bogotá, San Salvador, San José de Costa Rica e Lima. A união será efetuada em diversas fases, subordinadas a aprovações regulatórias e governamentais, buscando inicialmente inovar em benefício do desenvolvimento de mercados e do serviço a clientes, avançando progressivamente em uma integração estratégica. Um dos objetivos será a consolidação de produtos baseada na complementação de suas frotas, de suas filosofias de serviços e de suas atuais estruturas. Em função do significativo valor das marcas em suas respectivas regiões, Avianca e TACA manterão a identidade de suas marcas e continuarão operando de forma independente. A partir dessa união estratégica, Avianca e TACA servirão de forma coordenada 109 destinos, com uma frota de 129 aviões. Juntas, as duas companhias aéreas transportaram 13,6 milhões de passageiros entre julho de 2008 e junho de 2009 e possuem 3,3 milhões de membros em seus programas de viajantes freqüentes.


Pluna voa para Foz do Iguaçu A uruguaia Pluna começou a operar em novembro dois voos semanais entre Foz do Iguaçu e Montevidéu. As viagens são feitas às quartasfeiras e aos sábados, com saídas da capital uruguaia às 13h20 e de Foz às 15h50. Com este novo destino brasileiro, a Pluna passa a operar seis rotas com destino ao Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis (na alta temporada) e Foz do Iguaçu.

Porto Alegre a Lima direto com a TACA Tendo como target os passageiros do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, que já não terão que viajar até São Paulo para viajar ao Pacífico e a diversos destinos latino-americanos, a TACA Airlines passa a ligar sem escalas Porto Alegre a Lima, no Peru. São três freqüências semanais, às terças, quintas e sábados (de Lima a Porto Alegre os voos serão às segundas, quartas e sextas-feiras). Atualmente a TACA Airlines oferece voos diretos até Lima de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Novo terminal no aeroporto de Carrasco A PromPerú informou que no 1o semestre de 2009, o Peru registrou um aumento de 48,9% no número de chegadas de brasileiros ao país pelo Aeroporto Jorge Chávez, de Lima - no ano passado 62,9 brasileiros visitaram o país. Outros dados revelados pela entidade informam que 49% dos brasileiros viajam ao Peru a negócios e 36,9% a lazer, 55,8% residem em São Paulo, 12,1% no Rio de Janeiro e 6,8% no Rio Grande do Sul.

RÁPIDAS • A Pluna está fazendo a ligação direta entre Florianópolis e Santiago do Chile, com um voo semanal. É a segunda rota operada pela Pluna entre cidades fora do Uruguai, já que em setembro passou a voar sem escalas entre Assunção no Paraguai e Santiago do Chile.

W Santiago. Com 196 apartamentos e suítes, o hotel está situado no complexo Isadora 3000, no bairro de El Golf, próximo ao centro de convenções e áreas de comércio.

• A GOL lançou um voo regular diário que liga, sem escalas ou conexões, o Aeroporto Internacional de Florianópolis a Buenos Aires.

• A LAN Airlines retomou seus voos diários com uma escala entre Santiago e Sydney, utilizando aeronaves Airbus A340 configuradas com 42 poltronas em Premium Business Class e 218 lugares na nova Economy Class.

• A bandeira W Hotels, da Starwood Hotels & Resorts, fez sua estréia na América do Sul, ao inaugurar o W Santiago e o The Residences at

• O Hotel Fundador de Santiago do Chile passou a operar como Blue Tree Hotels Fundador. Localizado no bairro Paris-Londres oferece,

entre outros, 150 amplos apartamentos e 8 salões para eventos corporativos e sociais, com capacidade para até 400 pessoas. • A Mexicana está operando apenas voos noturnos entre o Brasil e o México. • Os brasileiros que viajam à Colômbia não precisam mais apresentar passaporte ou atestado de vacina contra febre amarela para entrar no país. É necessário portar apenas um documento de identidade - mesmo antes da mudança, não era necessário visto, apenas passaporte. As novas regras também valem para os colombianos que visitam o Brasil.

• O Consulado Geral do México em São Paulo está facilitando o processo de emissão de vistos. Além de adotar desde o ano passado um sistema de agendamento eletrônico gratuito (www.sre.gob.mx/saopaulo), agora estão sendo concedidos vistos de turismo com duração mínima de seis meses e máxima de 10 anos, com entradas múltiplas. O governo mexicano também abriu um escritório consular em Porto Alegre, o que facilitará o atendimento dos residentes nos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

BUSINESS TRAVEL | 39


LU X U R Y

O maior navio do mundo Após seis anos de construção na Finlândia, a Royal Caribbean Internacional acaba de realizar a viagem inaugural de seu mais novo e mais revolucionário navio de cruzeiros, o Oasis of the Seas. Com sua maravilhosa arquitetura que abrange 16 decks, 225.282 toneladas, o maior navio de cruzeiros do mundo tem capacidade para 5.400 hóspedes em ocupação dupla e possui 2.700 cabines. A companhia revolucionou o mercado de cruzeiros ao trazer navios com simulador de surfe, pista de patina-

ção, jacuzis com vista panorâmica, paredes de escaladas e com a Royal Promenade, uma avenida com opções de entretenimento que se alonga por toda a embarcação e está prestes a revelar uma série de novas atrações e maravilhas a bordo do Oasis of the Seas. O navio introduz na indústria o primeiro conceito de vizinhança a bordo de um navio - sete áreas temáticas oferecem aos convidados a oportunidade de buscar experiências relevantes baseadas em seus estilos de vida, preferências e humor. Mais informações: www.OasisoftheSeas.com

Um dos mais luxuosos navios do mundo no Brasil Com capacidade para até 540 passageiros e diferenciais como suítes ainda mais espaçosas - 95% com varanda -, e uma variedade de 6 restaurantes de alta-gastronomia a bordo, a Silversea traz para o Brasil seu novíssimo navio, o Silver Spirit. A embarcação de 36,000 toneladas terá sofisticada decoração Art Deco dos anos 30 e spa de 770m2, da grife Steiner Leisure Limited, com o que há de mais inovador na área de tratamentos de beleza e anti-stress. A viagem inaugural, marcada para o dia 21 de janeiro de 2010, será uma jornada de até 91 dias, chamada “The Spirit of South America”, com paradas em 45 portos de 20 países diferentes e através de dois continentes. O itinerário começa em Fort Lauderdale e vai a Los Angeles, passando por New York, no Rio de Janeiro para o Carnaval, Buenos Aires, Patagônia Argentina e Chilena, dobrando o Cabo Horn e seguindo para Lima e Acapulco, na Riviera Mexicana, pelo Canal do Panamá, até chegar em Los Angeles.

A linha de cruzeiros Silversea, com seus 6 navios para até 500 passageiros - Silver Cloud, Silver Wind, Silver Shadow, Silver Whisper, Prince Albert II e o novo Silver Spirit -, se destaca no segmento de turismo de luxo pelo sistema all inclusive, com todas as refeições e gratificações incluídas, open bar com os melhores vinhos, champagnes e drinks durante a viagem e gastronomia francesa by Relais & Châteaux. Mais informações: Pier 1, tel. (11) 3078 2474, The Blue Sea Cruises, tel. 0800 210270 ou www.silversea.com

”É a primeira vez que esta viagem é realizada pela Silversea, com parada de três dias no Rio de Janeiro para o Carnaval”, diz Marcia Chiota, gerente de marketing para o Brasil. “O Silver Spirit vai surpreender os brasileiros. Entre as novidades estão o restaurante japonês Seishin e o Stars Supper Club - restaurante com jantar dançante ao som de música ao vivo”, completa.

Acqualina e o AAA Five Diamond Award Acqualina Resort & Spa on the Beach, o hotel ultra-luxuoso de Sunny Isles, ganhou o prestigioso prêmio AAA Five Diamond Award de 2010. Conhecido por seu visual mediterrâneo e praia estonteante, o Acqualina oferece 97 quartos e suítes de luxo, um premiado spa ESPA de 20 mil metros quadrados de frente para o mar, dois restaurantes com vista para o mar - entre eles o aclamado Il Mulino New York -, quatro piscinas e um inovador programa de biologia marinha para crianças, o Acqua-Marine. Mais informações: www.Acqualina.com.

40 | BUSINESS TRAVEL


Um Small Luxury Hotels of the World a 100 km de São Paulo Em Monte Mor, a pouco mais de 100 quilômetros da capital paulista pela rodovia dos Bandeirantes, encontra-se o Hotel do Haras Larissa, que pelo charme, conforto e nível de serviços, entrou no cobiçado SLH - Small Luxury Hotels of the World, organização que reúne os mais charmosos e luxuosos pequenos hotéis independentes do mundo. Instalado no Condomínio Haras Larissa, na sede de uma antiga fazenda, o hotel mantém a decoração original, toda em estilo inglês, com móveis provenientes dos melhores antiquários do mundo. São apenas 17 aconchegantes suítes, equipadas com hidromassagem, TV de plasma/LCD com Sky, ventilador, cofre e excepcional terraço com vista para a piscina. Um dos pontes fortes do hotel é a gastronomia, tradicionalmente de fazenda. Conseguindo driblar as exigências do SLH – que pedia um chef de cozinha profissional no local - o hotel manteve intacto o menu local, baseado na genuína cozinha do campo. Por trás das fartas e frescas delícias que chegam à mesa está D. Romilda, cozinheira da fazenda há 30 anos. No café da manhã, são servidos bolos variados, que acabam de sair do forno, pão de queijo fresquinho, broas e pães caseiros. No almoço, se destacam pratos típicos como picadinho, feijoada, pernil de porco, pasteizinhos, além de uma grande diversidade de saladas elaboradas com legumes e folhas 100% orgânicos, oriundos da própria

horta do Haras. Para harmonizar com as delícias servidas no lugar, o hotel conta com uma grande adega, com capacidade para 855 garrafas da bebida, com rótulos argentinos, chilenos, franceses, entre outros. Projetado segundo os mais sofisticados haras para a criação de cavalos ingleses, o Haras Larissa conta com uma centena de cocheiras, clínica veterinária, uma pista de hipismo , um campo de pólo e uma piscina de hidroginástica especial para cavalos. Em breve, um picadeiro coberto fará a delícia dos amantes de cavalos. Mais informações: www.haraslarissa.com.br

Leading e o mercado brasileiro de luxo Entre o primeiro e o segundo quadrimestre do ano, a The Leading Hotels of the World registrou crescimento de 13,5% na receita de seus hotéis. Com os resultados divulgados por João Annibale, CEO da Leading no Brasil, consta que os brasileiros aparecem como o segundo público que mais se hospedou em hotéis de luxo na França, logo atrás dos americanos, e como terceiro público em diárias de luxo na Itália. Aliás, no ano, as vendas de diárias em hotéis na Europa cresceram 22% no período. Segundo a Leading Hotels, os brasileiros já respondem por 5% do mer-

cado de luxo mundial e são responsáveis por quase 60% do mercado de luxo da América Latina. “Além disso, o brasileiro que se hospeda nos hotéis Leading gasta em média US$ 540 por diária, enquanto a média mundial é de US$ 462. Ou seja, o brasileiro gasta 17% a mais”, comemora Annibale. “Acreditamos que a importância do Brasil no mercado hoteleiro de luxo continuará a crescer ano após anos”, complementou o executivo.

O melhor hotel de luxo do Brasil O complexo hoteleiro Royal Palm Resort, composto pelo Royal Palm Plaza e o recém inaugurado hotel boutique The Palms, ganhou o prêmio de “Hotel de Luxo do Ano” e passou a integrar a lista dos 17 hotéis de luxo do Guia Quatro Rodas Brasil 2010. O reconhecimento acontece no mesmo ano em que o resort obteve a afiliação à Preferred Hotels & Resorts, selo de qualidade internacional atribuído apenas aos estabelecimentos de mais alto padrão de luxo.

BUSINESS TRAVEL | 41


LU X U R Y

Um Castelo Oetker

na Côte D’Azur

A Oetker Hotel Collection é parte de um império alemão que atravessou fronteiras e que atualmente forma um grupo internacional diversificado, com atividades na indústria de alimentos, bebidas, transporte marítimo e hotéis de luxo. A família Oetker deu o primeiro passo no ramo da hotelaria em 1941, com a aquisição de seu primeiro estabelecimento, o Park Hôtel & Spa Brenner, em Baden-Baden, Alemanha. Posteriormente, na década de 60, incorporou o Hôtel du Cap-Eden-Roc, em Antibes, no sul da França. Em 1978 é comprado o Hôtel Le Bristol, em Paris, e dois anos mais tarde, o Park Hôtel Vitznau, na Suíça. O espírito de cada hotel foi carinhosamente preservado, formando uma “Coleção” de prestigiosos estabelecimentos, que culminou em grande estilo com a aquisição do Château Saint-Martin & Spa, em Vence, em 1994, que historicamente é tido como a menina dos olhos da cadeia de hotéis “Relais & Châteaux”. Antiga fortaleza do período romano, o Château Saint-Martin & Spa hospedou o Bispo de Tours no ano de 350 d.C., de quem herdou o nome. A

42 | BUSINESS TRAVEL

propriedade foi entregue aos Cruzados que regressavam de Jerusalém e tornou-se, em 1150 d.C., o baluarte dos Cavaleiros Templários, cuja mensagem de fé até hoje reluz na Capela de Saint-Martin, que continua sendo um local para eventos privativos, como batismos e matrimônios. O prédio atual foi construído e concluído em 1936, sobre os alicerces do antigo Comando Templário. Ainda visíveis nos dias atuais, as ruínas são pitorescas e silenciosas testemunhas de um passado ancestral. Situado a 15 km do Aeroporto Nice Cote D’Azur, 28 km de Cannes e 35 km de Mônaco, também acessível de helicóptero, o Château Saint-Martin & Spa mescla o espírito da região de Provença com o prestígio da Riviera Francesa. O parque onde está situado, com 150 mil m2 e 300 oliveiras centenárias, possui um jardim poético projetado pelo paisagista Jean Mus, duas quadras de tênis de saibro e uma espetacular piscina infinity. O Castelo possui 51 suítes Junior com vista para o horizonte, seis das quais são residências privativas (villas) com serviços de altíssima qualidade.


Além de uma grande e variada adega, o Château oferece três restaurantes: o Le Saint-Martin, capitaneado pelo chef Yannick Franques, discípulo de Alain Ducasse, Christian Constant e Eric Fréchon, que recria os grandes pratos clássicos franceses, priorizando o frescor de cada ingrediente. O La Rôtisserie, que oferece um festival de pratos mediterrâneos, e o L’Oliveraie, localizado em ambiente espetacular em meio à natureza e às margens da piscina infinity do hotel. Seu cardápio oferece todas as fragrâncias do sudeste da França, numa série de pratos fartos e refrescantes, habilidosamente elaborados para honrar os ingredientes locais. O L’Oliveraie abre apenas para o almoço e só de junho a setembro. A propriedade 5 estreleas oferece ainda um espetacular spa, cujo must são os tratamentos da indústria internacional de cosmetologia La Prairie, principalmente os anti-aging. Destaque para as técnicas que utilizam a magia do ouro puro, os benefícios tonificantes do caviar e os efeitos revitalizantes da biologia marinha. Cinco luxuosas cabines de tratamento,

sala de relaxamento e um Centro de Beleza, espalhados em uma área de 400m2, formam o luxuoso spa, cujo foco principal é a sublimação da beleza e o desafio constante da passagem do tempo. Os tratamentos de beleza são realizados por profissionais altamente qualificados e combinam a eficácia de texturas sofisticadas com a abordagem holística, enaltecendo tanto mulheres quanto homens. Para eventos, o Salon Matisse tem vista panorâmica das colinas de Vence e dá para um jardim privativo, podendo ser utilizado para festas privadas, casamentos, seminários e congressos. O espaço dispõe de equipamento multimídia de ponta, conexões Wi-Fi, modem e várias linhas diretas de telefone. Além do Matisse, é possível utilizar outros espaços do hotel para eventos privativos - piscina, pomar das oliveiras, restaurantes e terraços. O Château Saint-Martin & Spa também pode ser alugado por completo para eventos particulares. Mais informações: www.chateau-st-martin.com

BUSINESS TRAVEL | 43


EVENTOS

Eventos em cruzeiros A empresa norte-americana especializada em cruzeiros globais e eventos, Landry & Kling, anunciou o lançamento mundial do website Seasite. com, o primeiro portal dedicado ao mercado de eventos em cruzeiros marítimos. Segundo a empresa, o momento não poderia ser melhor, pois os cruzeiros eliminam entre 25% e 40% dos custos de um evento ou de uma viagem de incentivo realizada em terra, ajudando os planejadores de eventos a adaptar seus apertados orçamentos. O Seasite permite às companhias que administram eventos e incentivos, aos planejadores corporativos e demais organizadores de eventos, um completo controle sobre os eventos que realizam em cruzeiros marítimos.

Gasto médio do turista de eventos Realizado sob encomenda da Embratur, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a “Pesquisa do Impacto Econômico dos Eventos Internacionais no Brasil 2007/2008” detalha os gastos e o perfil socioeconômico do turista estrangeiro que visita o País para participar de congressos, seminários e conferências. O impacto econômico direto dos gastos realizados pelos participantes estrangeiros - foram ouvidos participantes de 36 eventos

internacionais, em 14 cidades brasileiras -, foi de US$ 34,9 milhões. Segundo a pesquisa MTur/Embratur/FGV, o perfil do turista de eventos de 2008 tem os seguintes destaques: • Grande parte dos turistas reside nos EUA (10,84%) e na Argentina (8,12%). • 66,1% visitaram o Brasil pela primeira vez e 81,93% visitaram pela primeira vez a cidade sede do evento. • O meio de hospedagem mais utilizado foi o hotel (96,31%). • Os turistas permaneceram, em média, sete noites no País. • Dos turistas estrangeiros participantes, de pelo menos 22 países, 23,27% têm entre 25 e 34 anos, 28,98%, entre 35 e 44 anos e 26,21% entre 45 e 54 anos. • Com relação à escolaridade, 96,83% têm mestrado, doutorado ou especialização. • Faixa mensal de renda: 10,74% declararam renda entre US$ 1 mil e US$ 2 mil; 13,79% entre US$ 2 mil e US$ 3 mil; 12,60% entre US$ 3 mil e US$ 4 mil; 14,51% entre US$ 4 mil e US$ 6 mil mensais; e 29,12% afirmaram ganhar acima de US$ 6 mil.

AIBTM e IMEX America em 2011 nos EUA Os organizadores das duas principais feiras européias especializadas em business travel e eventos, as rivais EIBTM (Barcelona) e IMEX (Frankfurt), anunciaram em outubro o lançamento de suas versões norteamericanas. A Reed Travel Exhibitions anunciou seu compromisso com o mercado americano de eventos e incentivo, ao confirmar a realização da edição inaugural da AIBTM - Americas Incentive Business Travel and Meetings Exhibition, entre os dias 21 e 23 de junho de 2011, em Baltimore, Maryland, EUA. A nova feira com denominação “IBTM” vem se juntar às demais exibições especializadas do mercado global de eventos que integram o portfólio da empresa, a saber, a EIBTM em Barcelona, a GIBTM em Abu Dhabi e a CIBTM em Beijing, além da AIME em Melboune e a ICCA Congress Exhibition, que é realizada cada ano em um destino diferente. Por sua vez, o Grupo IMEX anunciou uma nova exposição anual para a

44 | BUSINESS TRAVEL

indústria norte-americana de eventos, a IMEX America, que será realizada no Sands Expo Convention Center do Venetian/Palazzo Meetings Hotel, em Las Vegas, entre os dias 11 e 13 de outubro de 2011. O evento terá como parceiros estratégicos, entre outros, o MPI - Meeting Professionals International, a SITE, a ICCA, a AIPC e o LVCVA - Las Vegas Convention and Visitors Authority.


Qualidade das sessões técnicas na 1ª SMEC-LA Aproximadamente 400 profissionais participaram da primeira edição do Strategic Meetings & Events Conference Latin America (SMEC-LA), encontro que reuniu no Grand Hyatt São Paulo especialistas nacionais e internacionais em torno das principais questões ligadas ao segmento de eventos corporativos. Parceiros na organização e realização do evento - ao lado da MPI - Meeting Professionals International e da NBTA -National Business Travel Association -, os presidentes da ABGEV - Associação Brasileira de Gestores e Eventos Corporativos, Viviânne Martins, e do MPI Brazil Chapter, Ricardo Ferreira, comandaram a sessão de abertura. O presidente da MPI, Bruce MacMillan, encerrou a primeira parte do programa técnico do SMEC-LA apresentando ao público um panorama global sobre o futuro dos eventos, que mais do que estratégia e organização, hoje demanda um novo perfil de gestor. Entre as atribuições desse novo profissional, segundo MacMillan, deve estar a habilidade em utilizar o conjunto de competências para transformar um evento em oportunidade de desempenho para a sua corporação. “Temos que começar a falar a linguagem do nosso negócio”, disse MacMillan, para quem o gestor de eventos hoje deve trabalhar como um “designer de desempenho e não mais apenas como organizador de reuniões”. Para obter sucesso na atividade, de acordo com MacMillan, o gestor deve ter habilidade de comunicação e usá-la para motivar a compreensão dos participantes do evento acerca das estratégias da sua corporação, o que o tornará mais memorável no futuro. Ainda de acordo com o especialista, saber o momento ideal para a realização de um evento também é um fator decisivo para o seu sucesso, assim como acompanhar de perto os seus resultados como forma de mensurar, de fato, se alcançou o desempenho esperado. Antes desta apresentação geral, o público do SMEC-LA dividiu-se entre as apresentações de três sessões educacionais. Na primeira, a consultora Elizabeth Wada (FerWa Consultoria) introduziu a platéia

ao PEGE (Programas Estratégicos de Gestão de Eventos), um conjunto de iniciativas que, postas em prática, podem auxiliar os profissionais a identificar oportunidades econômicas e, com elas, desenvolver uma política capaz de superar dificuldades. Riscos em Eventos Corporativos. Como você trata isso? foi o tema da segunda sessão educacional do dia, comandada pela gerente da Pepsico Brasil, Eliane Taunay, o advogado Ricardo Martins, também da Pepsico, e Sílvio Araújo, diretor de Vendas do Grand Hyatt São Paulo, sob a mediação do consultor José Marques. Encerrando essa primeira parte do dia, Mary Boone, presidente da Boone Associates, especialista norte-americana em comunicação organizacional, abordou “Os Quatro Elementos do Valor Estratégico”: Gerência de Portfólio, Criação de Eventos, Medidas e Logística Avançada. Um painel sobre papéis e responsabilidades nas decisões de gestão e organização de eventos encerrou o programa técnico da 1ª SMEC-LA. Sob a mediação de Alejandro Verzoub, presidente da AV - Business & Communication, empresa full service em incentivo & marketing da Argentina, o debate reuniu em torno do tema o gerente regional de Compras da Pfizer, Simon Vanderput, o diretor de Marketing da Fiat, João Ciaco, e a presidente da ABGEV, Viviânne Martins. Na opinião dos executivos, com base em práticas bem sucedidas em suas corporações, a criação de comitês integrando profissionais das áreas envolvidas no processo pode ser uma das soluções possíveis para minimizar eventuais conflitos entre as áreas de Compras e Marketing e, dessas para com seus fornecedores. Ao encerrarem o debate, os palestrantes foram unânimes em reconhecer o papel fundamental do gestor de eventos como interlocutor dos diversos departamentos envolvidos no processo. O sucesso da iniciativa e a qualidade de seu programa, além da demanda gerada pelo Trade Showcase de produtos e serviços de viagens corporativas, garantiu ao SMEC-LA uma segunda edição, já agendada para o dia 6 de outubro de 2010.

RÁPIDAS A ABEOC/SP - Associação Brasileira de Empresas de Eventos - Estadual São Paulo reelegeu sua diretoria para o biênio 2010/2011 - presidida por José Eduardo de Souza Rodrigues (Office Brasil Gestão de Eventos. • O governador da Paraíba, José Maranhão, autorizou a construção imediata do Centro de

Convenções de João Pessoa. A ordem de serviço já foi assinada e a área, de 342 mil metros quadrados, está localizada no Pólo Turístico Cabo Branco. • Para refletir a convergência entre as indústrias de business travel e de eventos, a tradicional feira britânica Business Travel Show passará a

adotar a denominação “The Business Travel & Meetings Show”, já a partir da edição de 2010

• A edição 2010do Business Travel Market foi confirmada para acontecer entre os dias 16 e 17 de junho, no ExCel, em Londres.

• A MPI – Meeting Professionals International abriu “Global Training Centers” na SDSU - San Diego State University (EUA), na CERAM Business School (Sophia Antipolis, França) e no QMDI Qatar MICE Development Institute (Qatar).

• O 51º Congresso e Exposição da ICCA será realizado em San Juan, Porto Rico, em novembro de 2012. Em 2010 o evento acontece em Hyderabad, na Índia, de 23 a 27 de outubro, e em 2011 em Leipzig, na Alemanha, de 5 a 9 de novembro.

BUSINESS TRAVEL | 45


V I AG E N S D E I N C E N T I V O

Eventos no Museu Thyssen-Bornemisza Trata-se de um dos principais e mais conhecidos museus de Madri, instalado em um palácio neoclássico do século XIX, em pleno centro histórico da capital espanhola, que oferece uma impressionante coleção permanente (Edgar Degas, Claude Monet, Edward Hopper, Francis Bacon, Paul Gaugin, Rubens, etc) e um dinâmico calendário de exposições temporais. Para quem planeja uma viagem de incentivo na capital espanhola, a inclusão do Museu Thyssen-Bornemisza para realizar eventos corporativos privativos - apresentações, conferências, premiações, recepções, jantares - pode transformá-lo no ponto alto da viagem. E em um programa inesquecível. Além de visitas personalizadas e guiadas, o Museu oferece uma variedade de espaços para grupos de incentivo com até 300 participantes. O museu fica no Paseo del Prado, 8. Mais informações: www.museothyssen.org

Viagens de incentivo em Natal O “Natal Cidade Eventos”, programa idealizado pela Prefeitura do Natal, através da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico (SETURDE), vem fomentando o turismo de eventos e de viagens de incentivo. Mais de quatro grupos de especialistas de eventos já estiveram em Natal e em

um deles estava Edmundo Monteiro, professor universitário, vice-presidente de desenvolvimento setorial da AMPRO - Associação de Marketing Promocional e sócio-proprietário da agência People Mais, que em sua primeira visita a Natal elogiou o parque hoteleiro, a riqueza cultural, a beleza natural e a infra-estrutura receptiva da capital potiguar. Segundo Monteiro, o mercado de viagens de incentivo sofreu profundas mudanças nos últimos anos. Anteriormente, o destino da premiação de programas motivacionais privilegiava o exterior, pelo charme, atrativos e até mesmo o preço. Agora, com uma maior consciência sobre o potencial das viagens de incentivo, os impactos econômicos e a capacitação de destinos nacionais, o mercado especializado passou a descobrir o mercado interno para essas premiações. E Natal tem todos os requisitos para atender as necessidades do mercado. O “Natal Cidade Eventos” é um programa desenvolvido sob a coordenação do consultor Paulo Gaudenzi e executado através do consultor Raimundo Peres, com o apoio do Natal Convention, de entidades locais, do Serhs Natal Grand Hotel, do receptivo da Luck Viagens, de empresas de turismo do Rio Grande do Norte e das companhias aéreas GOL e TAM.

Ficou mais fácil programar Charlotte Com o início dos voos diários e diretos da US Aiways entre o Rio de Janeiro e Charlotte, na Carolina do Norte, ficou mais fácil considerar essa agradável cidade norte-americana como destino para uma premiação de programa de incentivo. Charlotte mistura sofisticação urbana e a hospitalidade sulina. É uma das 30 cidades mais visitadas dos EUA e é conhecida como “Cidade-Raínha” . Por ter um clima moderado, é bom andar em Charlotte, em seus inúmeros parques e atrativos que promovem a vida ao ar livre. Entre os programas sugeridos estão o maior rio de águas claras do mundo, feito pelo homem, localizado no US National Whitewater Center, a Biblioteca Billy Graham - sobre a vida desse grande evangelista e o “Hall da Fama da Nascar”, que reunirá a história dessas corridas de automóveis e que será inaugurado na primavera de 2010. Charlotte tem tudo - museus, centros de esportes, shoppings, teatros e muitos atrativos turísticos como o Latta Plantation and Nature Preserve, Mina de Ouro de 1799, Lago Norman, campos de golfe e vinhedos -, para agradar quaisquer grupos de incentivo. Mais informações sobre a cidade: www.charlottesgotalot.com

46 | BUSINESS TRAVEL


OUTSIDE

Tráfego global de passageiros em aeroportos A ACI - Airports Council International divulgou em agosto o “2008 World Airport Traffic Report”, englobando o número recorde de 1.357 aeroportos que representam aproximadamente 98% do tráfego global de aeroportos. O número total de passageiros chegando e partindo chegou a 4,874 bilhões (4,869 bilhões em 2007), resultando em um crescimento anual marginal de 0,1%. O tráfego internacional de passageiros, que representa 42% do tráfego global, aumentou 2,4% no ano passado e o tráfego doméstico registrou uma queda global de 1,4%. Em função da crise econômica mundial, que se agravou no início do segundo semestre do ano passado, o volume de carga caiu 3,7% em 2008 - queda de 5,4% nos fretes domésticos e de 2,4% nos fretes internacionais. O movimento mundial de aeronaves totalizou 77 milhões de pousos e decolagens, representando um declínio de 2,1% em relação ao movimento de 2007.

Sinais de estabilização no tráfego aéreo As companhias aéreas européias e o principal operador de aeroportos do Reino Unido (a BAA) sinalizaram que o tráfego aéreo está se estabilizando, após dois anos de quedas escalonadas. A AEA - Association of European Airlines, que representa 33 grandes empresas aéreas regulares, disse que as estatísticas preliminares de tráfego (RPK’s) de julho mostram que ele caiu 2,2% em

relação ao mesmo mês do ano passado, bem menos do que as quedas de 6,5% e de 8,3% registradas respectivamente nos meses de junho e de maio. A BAA - que opera os aeroportos londrinos de Heatrow, Gatwick e Stansted, assim como os de Southampton, Glasgow, Edinburgo e Aberdeen - disse que seus aeroportos movimentaram 14,5

milhões de passageiros em julho, 2,4% a menos do que em julho de 2008. A queda foi menor do que os 5,9% negativos registrados em junho e os 7,3% negativos apurados em maio. O Heathrow, o maior aeroporto do Reino Unido, voltou a crescer e registrou um movimento de 6,5 milhões de passageiros, número 0,9% superior ao de julho de 2008 e o melhor mês de julho desde 2006.

OMT e resultados da indústria em 2008 Dados divulgados no final de julho pela OMT - Organização Mundial de Turismo, mostram que as receitas turísticas internacionais aumentaram 1,8% em 2008 (em termos reais), um crescimento praticamente igual ao crescimento do número de chegadas internacionais de turistas, que ficou em 1,9% (922 milhões de pessoas). A OMT estima que as receitas mundiais do turismo internacional alcançaram US$ 944 bilhões (US$ 857 bilhões em 2007) ou € 642 bilhões (€ 625 bilhões em 2007). No ano passado houve apenas pequenas mudanças nos rankings globais de receitas turísticas e número de chegadas internacionais. Em número de chegadas, a França manteve a posição de principal destino turístico do mundo (79 milhões de turistas) e o terceiro lugar em volume de receitas. Os EUA são o primeiro destino em receitas e o segundo em número de chegadas internacionais, retomando o lugar perdido para a Espanha após o 11 de setembro de 2001. A Espanha é o terceiro destino em número de chegadas, mas manteve sua posição como o segundo país do mundo em volume de receitas turísticas e o primeiro na Europa. A China ficou em quarto lugar em número de chegadas e em quinto em receitas, enquanto a Itália ficou em quinto lugar em chegadas e em quarto em volume de receitas.

BUSINESS TRAVEL | 47


OUTSIDE Prejuízo das companhias aéreas

A russa S7 no oneworld

A IATA - International Air Transport Association revisou sua projeção financeira para 2009, estimando agora um prejuízo global de US$ 9 bilhões para a indústria aérea. O valor é quase o dobro do valor estimado em março último, de um prejuízo total de US$ 4,7 bilhões, “refletindo a rápida deterioração do ambiente de receitas”. A IATA também revisou a estimativa consolidada de prejuízo da indústria em 2008, dos anteriores US$ 8,5 bilhões para US$ 10,4 bilhões.

A grega Aegean Airlines na Star Alliance A Star Alliance anunciou que seu Conselho Executivo aceitou a proposta de entrada, como membro pleno da aliança, da companhia aérea grega Aegean Airlines. A empresa é a primeira companhia grega a juntar-se a uma aliança aérea global e adicionará 23 rotas domésticas, 24 rotas internacionais e 200 voos diários ao network da Star Alliance. A conclusão do processo de integração para entrar como membro pleno da aliança, que hoje possui 21 membros full, está previsto para maio de 2010. A Aegean Airlines iniciou suas atividades há 10 anos e hoje possui uma marca reconhecida, altos padrões de segurança, uma eficiente

ATOUT France

O governo francês anunciou a criação do ATOUT France, Agência de Desenvolvimento Turístico da França. Nascida a partir da fusão da Maison de la France, departamento oficial de promoção do turismo francês, e da ODIT France, agência de engenharia turística, a Atout France agora o órgão único do turismo francês. Ele surgiu com uma grande missão: apresentar uma política de turismo melhor coordenada e mais eficaz para responder aos inúmeros desafios do turismo francês na atualidade.

gestão, além de operar uma frota de 31 aeronaves, das quais 21 são novos Airbus A320 e A321. No ano passado superou sua concorrente em número de passageiros, ao transportar 6 milhões de pessoas, 14% a mais que em 2007, e a registrar 58% de participação no mercado doméstico grego. A companhia vem registrando lucro desde 2003 e, no ano passado, contabilizou um lucro líquido de € 29,5 milhões (US$ 41,3 milhões).

São previstas novas responsabilidades para o novo órgão, como a classificação hoteleira e o registro dos operadores turísticos. A agência continuará a assumir as funções de engenharia turística, observação econômica e promoção, antes exercidas pela Maison de la France e ODIT France. Além disso, ela ampliará seu campo de atuação internacional e atuará na formação de profissionais. A nova marca institucional, a ser utilizada na comunicação junto aos profissionais do turismo, complementará a recém-criada marca França, que será utilizada em todas ações de comunicação junto ao grande público, para promover a França como destino turístico.

A companhia aérea russa S7, a segunda maior daquele país e líder no mercado doméstico voa para 38 cidades russas -, iniciou o processo que permitirá sua integração à aliança global oneworld no segundo semestre de 2010. Integram o oneworld a American Airlines, British Airways, Cathay Pacific, Finnair, Iberia, LAN, JAL, Malév, Qantase Royal Jordanian. A Mexicana integra-se definitivamente à aliança no final de 2009.

Reservas das Américas

A Sol Meliá Hotels & Resorts, Divisão Brasil, é a nova responsável pela Central de Reservas das Américas para os hotéis da rede em todo o mundo. A Central operará na cidade de São Paulo com 30 atendentes bilíngues e atenderá todas as chamadas geradas no continente. “É um orgulho para a Sol Meliá, Divisão Brasil, atender às demandas de todos os países da América do Sul, Estados Unidos, México, Caribe e América Central. Isso mostra o grande interesse do grupo em expandir no Brasil onde já temos uma excelente infraestrutura”, afirmou o vice-presidente da Divisão Brasil, Rui Manuel Oliveira. Os números da Central de Reservas da Sol Meliá Hotels & Resorts são (55 11) 3748 8771, São Paulo e exterior, e 0800 703 3399, demais localidades. Mais informações: www.solmelia.com.br.

RÁPIDAS • Hotéis Othon fortaleceu sua presença internacional ao incorporar o Hotel Santo Domingo Othon Classic. Com 120 habitações, a nova unidade está localizada no centro de Madri, próximo da Puerta del Sol, do Palácio Real, da Plaza Mayor e dos principais centros culturais e de entretenimento da capital espanhola. • A ENIT - Agência Nacional Italiana de Turismo está em novo endereço em São Paulo: Av. São Luís, 50 - Ed. Itália, Cj. 202 B, 20º andar, 01046926, São Paulo, SP. O telefone do Departamento

48 | BUSINESS TRAVEL

de Informações da ENIT é o (11) 2189 2740, o e-mail enit2@italcam.com.br e o website www. enit.it • Os passageiros da United Airlines que não efetuarem o pagamento do fee no website da companhia aérea para despachar suas bagagens e fizerem esse pagamento nos aeroportos norte-americanos, terão que pagar US$ 5 adicionais. • O hotel Le Bristol Abu Dhabi, do mesmo grupo

do tradicional hotel parisiense, vai introduzir um novo padrão de luxo no Oriente Médio. Com uma perfeita localização no centro de Abu Dhabi, o resort com padrão europeu clássico vai abrir suas portas em 2012 e oferecerá 250 sofisticados apartamentos e suítes, com fitness privativo e muitas amenities. • A companhia ferroviária Jungfrau Railways reabriu a nostálgica linha de Schynige Platte, na região de Interlaken, na Suíça. Os visitantes agora têm a oportunidade de voltar ao

passado na majestosa montanha. Em bancos de madeira originais, o turista viaja a 12 quilômetros por hora até o topo da montanha, que fica a 1.967 metros do nível do mar. Lá de cima é possível ver os picos Eiger, Mönch e Jungfrau, considerada a melhor vista da região. • A ANAC renegociou a ampliação da capacidade de voos entre o Brasil e Hong Kong e a Coréia do Sul. Pelos termos dos novos acordos de serviços aéreos, o Brasil expandiu de três para sete as freqüências mistas (passageiros e carga) com


All-business class A OpenSkies, subsidiária plena da British Airways, completou sua fusão com a francesa L’Avion, a companhia all-business class que adquiriu em junho do ano passado por € 68 milhões. A nova empresa resultante da fusão manteve o nome OpenSkies, o certificado de operação na França e estabeleceu sua sede no aeroporto de Orly, em Paris. Além de uma mudança em sua imagem corporativa, a companhia rebatizou o nome de suas duas classes de serviços, que agora se chamam Biz Bed e Biz Seat. A nova classe Biz Bed oferece 12 poltronas-cama com 180º de reclinação, enquanto a cabine Biz Seat oferece 72 lugares. A OpenSkies mantém operações regulares entre Orly e Newark e JFK.

Joint venture Delta e AF KLM A Delta Air Lines e a Air France KLM assinaram uma joint venture de longo prazo, para operar voos em todo o mundo, com 50% de participação de cada parte, sem trocas acionárias. Em rotas transatlânticas - serão mais de 200 voos diários, o que representa cerca de 25% da oferta nessas rotas -, as companhias aéreas vão coordenar todas as operações e compartilhar receitas e custos. As companhias também

vão cooperar em rotas entre a América do Norte e a África, o Oriente Médio e a Índia e entre a Europa e países da América Latina. O acordo consolida a cooperação já existente entre a Air France (AF), a Delta e a Northwest Airlines, agora apenas Delta, e a KLM. Entretanto, a joint venture não engloba operações conjuntas da América do Norte para a Ásia, da Europa para a Ásia e o tráfego ponto a ponto europeu.

Morada de D. Pedro II e Villa-Lobos em Paris O Hôtel Bedford Paris - localizado ao lado da igreja de Madeleine, próximo da rue du Faubourg St Honoré, da rue de Rivoli, da Champs-Elysées e de suas transversais ilustres, assim como dos Grands Ma¬gasins du Printemps e Galeries Lafayettes -, há quatro gerações é administrado pela mesma família suíça, que oferece aos seus hóspedes uma acolhida personalizada e calorosa. O quatro estrelas de 145 apartamentos e estilo clássico foi inaugurado em 1850 e, em sua história, acolheu diversas personalidades como o último Im¬pe¬rador do Brasil, Dom Pedro II, que elegeu o Bedford para morar quando se exilou na França e por lá permaneceu até seu último dia de vida, o compositor Heitor Villa-Lobos, que morou no hotel por sete anos, além da esposa de Napoleão III, Eugénie de Montijo. O endereço do hotel é 17, rue de l’Arcade, tel. 00 33 1 44 94 77 77, email reservation@hotel-bedford.com e site www.hotel-bedford.com

a Coréia do Sul - para cada parte. Atualmente, apenas a Korean Air opera três freqüências semanais entre os dois países (via Los Angeles). Com Hong Kong, o novo acordo prevê o aumento de três para sete voos semanais de passageiros e/ou carga para cada parte, e sem a limitação anterior de 830 assentos por semana. Nos dois novos acordos passou a ser permitido o código compartilhado (codeshare) entre as companhias aéreas nacionais e estrangeiras. • A Pet Airways, a companhia aérea para bichos

de estimação onde passageiros humanos estão proibidos, começou a operar e inicialmente está ligando cinco cidades norte-americanas - Nova York, Washington D.C., Chicago, Denver e Los Angeles. Mais informações: www.petairways.com • A TAM e a britânica bmi, segunda maior empresa aérea no Aeroporto de Heathrow, em Londres, iniciaram o acordo operacional de compartilhamento de voos (codeshare) entre o Brasil e o Reino Unido, que também inclui a sim-

plificação de reservas de voos, conexões convenientes em um único bilhete aéreo e despachos de bagagens até o destino final. • A flydubai, companhia aérea low-cost criada pelo governo de Dubai e que tem parceria com a Emirates, começou a operar com um vôo para Beirute. No dia seguinte, iniciou operações para Amman, na Jordânia. • A Proexport Colombia, entidade governa-

mental responsável pela promoção do turismo, investimentos e exportações do país, promoveu no Brasil o lançamento de seu novo portal de turismo, www.colombia.travel, e a apresentação dos principais destinos colombianos - Bogotá, Cartagena de Índias, San Andrés e Santa Marta. • A cidade de Chicago anunciou o lançamento do www.explorechicago.org, seu novo e dinâmico site de promoção turística internacional.

BUSINESS TRAVEL | 49


O P I N I ÃO

GPS: não saia

de viagem sem ele p o r Fá b i o S t e i n b e r g * Ainda há gente que ainda não percebeu como o GPS está influenciando hábitos e provocando mudanças na vida das pessoas, principalmente do viajante de negócios. Literalmente não existem mais barreiras de direção provocadas por fatores como desconhecimento de um local ou domínio de um idioma. É só dirigir um carro por qualquer freeway americana, para observar o domínio absoluto dos tais aparelhinhos sobre o painel dianteiro dos veículos e para entender que ele chegou para ficar. As locadoras já captaram a oportunidade e hoje alugam GPS ao preço exorbitante de pouco mais de 20 dólares por dia - tão caro que apenas dez dias de uso pagando esse valor equivalem à compra do equipamento básico em qualquer boa loja do ramo. Mas é um investimento que vale cada centavo. Os próprios argumentos das locadoras deixam isto claro. O custo é menor que os invevitáveis erros de direção durante um percurso desconhecido. Isto sem falar em eventuais brigas de casal ou inimizades provocadas por acusações mútuas entre quem dirige e seu co-piloto que controla os mapas. Mas, brincadeiras e lazer à parte, o GPS é antes de tudo uma senhora ferramenta de produtividade à disposição de todos os que viajam a trabalho. Por isto, cada dia novas aplicações são acrescen-

tadas ao portfólio de utilidades do GPS. E os benefícios se tornam exponenciais quando ocorre a combinação de recursos do GPS com internet. Um bom exemplo é o adotado pela empresa Super Shuttle, que oferece transporte de passageiros nos principais aeroportos americanos. É possível fazer reservas pela internet que tanto servem para buscar um viajante no aeroporto na hora da chegada do vôo, como no endereço indicado nos Estados Unidos. A requisição solicita também o endereço postal e um telefone de contato. Há pelo menos duas razões para isto e ambas envolvem o GPS. Primeiro, facilita a logística, o controle do roteiro do veículo e a localização exata de onde se encontra o cliente. Segundo, porque ao chegar ao endereço, o GPS do veículo informa ao sistema que então liga para o passageiro e uma gravação avisa que o carro chegou. O GPS é uma via de mão dupla, que tanto serve para achar como para ser achado. Hoje, a parte mais visível de suas utilizações ainda se refere a como localizar um local. O potencial de encontrar um usuário ainda dá os primeiros passos. Isto traz uma boa e má notícia. A boa é a garantia de segurança pessoal em qualquer lugar do planeta. A má é ser também uma ferramenta de controle de movimento. Por exemplo, algumas empresas gostariam de saber se o seu pessoal de vendas ou assistência técnica está percorrendo o roteiro determinados dentro dos prazos ou se está “perdido” em algum lugar indevido. Quem tem mesmo tudo a ganhar é o comércio, que pode disparar mensagens no próprio GPS do visitante ao perceber sua proximidade. Pode ser um posto de combustível, um parque temático, um hotel e até um restaurante que convenientemente anuncia a oferta especial para o prato do dia bem na hora do almoço. A partir de agora, a imaginação, não a tecnologia, é o único limitador. O GPS quebra paradigmas e até torna obsoleta a frase “quem tem boca vai a Roma”. Na verdade, quem tem GPS é que chega lá. *Fábio Steinberg é jornalista, autor do livro Viagem de Negócios e especialista no segmento.

50 | BUSINESS TRAVEL


BUSINESS TRAVEL | 51


52 | BUSINESS TRAVEL

Business Travel Magazine  

Publicação corporativa

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you