Page 11

região 11

quinta-feira 2.8.2018

A

cerimónia foi realizada na base aérea de Osan, a 70 quilómetros ao sul de Seul, cinco dias após o regime de Pyongyang permitir que um avião norte-americano pousasse na localidade norte-coreana de Wonsan, recolhesse os restos mortais dos soldados e voltasse para a Coreia do Sul. A entrega foi acordada pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, durante a cimeira realizada a 12 de Junho, em Singapura, em que ambos assinaram uma declaração para melhorar as relações entre os dois países e para trabalhar sobre a desnuclearização da península. “Os mortos da Guerra da Coreia (1950-1953) nunca foram esquecidos pelos Estados Unidos ou pelos outros 16 países que compunham o Comando das Nações Unidas (UNC), nações que apoiaram os norte-americanos durante esta guerra. O Comando nunca deixa soldados para trás, vivos ou mortos, e continuará a missão de repatriação até que cada soldado retorne para casa”, explicou a UNC num comunicado. Cerca de 500 pessoas participaram na cerimónia, incluindo o comandante da UNC, Vicent Brooks, o embaixador dos Estados Unidos na Coreia do Sul, Harry Harris, e o ministro da Defesa sul-coreano, Song Young-moo. Concluído o acto, espera-se que os restos mortais sejam enviados para o Havai, onde está a sede da Agência de Contabilização de Desaparecidos em Combate e Prisioneiros de Guerra do Departamento de Defesa (DPAA), que será responsável pela identificação das ossadas.

QUEM É QUEM

O processo de identificação deve levar pelo menos alguns meses, segundo os especialistas. Entretanto, as primeiras avaliações sugerem que é “provavelmente espólio norte-americano”, disse John Byrd, director de análise científica da DPAA. “Os restos são consistentes com os restos mortais que já recuperámos na Coreia do Norte (…) no passado”, disse Byrd a jornalistas na base militar de Osan. Desde 1990, os restos mortais de 629 americanos que morreram na Coreia do Norte foram devolvidos às suas famílias, segundo a UNC. Mais de 36 mil militares dos Estados Unidos morreram na Guerra

É a conversar

Conversações entre Coreias terminam sem acordo

A

GUERRA DA COREIA RESTOS MORTAIS DE SOLDADOS NORTE-AMERICANOS REPATRIADOS

O voo de regresso

O Comando das Nações Unidas (UNC), liderado pelo exército dos Estados Unidos, realizou ontem uma cerimónia solene para repatriar os restos mortais de 55 soldados norte-americanos mortos na Guerra da Coreia recentemente devolvidos pela Coreia do Norte da Coreia e cerca de 7700 desapareceram, dos quais 5300 estavam supostamente a norte do 38.º paralelo. Com este gesto simbólico, a Coreia do Norte procura convencer os Estados Unidos da necessidade de assinar um tratado de paz para substituir o cessar-fogo que pôs fim ao conflito,

um documento que o regime de Kim considerada chave para a sua sobrevivência. No entanto, Washington mostrou dúvidas sobre este tratado de paz e parece estar a esperar primeiro por acções concretas de Pyongyang que apontem para um compromisso real de abandonar o seu programa nuclear.

S duas Coreias terminaram esta semana conversações ao mais alto nível sem um acordo, mas Seul e Pyongyang indicaram que tiveram uma discussão significativa sobre o apaziguamento do impasse militar que dura há décadas na península coreana. Esta é a segunda reunião entre altos representantes da Coreia do Sul e da Coreia do Norte desde que os líderes dos dois países, Moon Jae-in e Kim Jong-un, respectivamente, reuniram-se numa cimeira em Abril passado e assumiram o compromisso de reduzir o clima de tensão e o perigo de um novo conflito naquela região. O encontro deAbril foi a primeira cimeira entre as duas Coreias em 11 anos.A reunião desta semana contou com a presença de altas patentes militares dos dois países e ocorreu em Panmunjom, aldeia localizada na zona desmilitarizada onde também foi assinado o armistício que suspendeu a Guerra da Coreia (1950-1953). Em declarações citadas pelas agências internacio-

nais, o chefe da delegação sul-coreana, o major-general Kim Do Gyun, referiu que os dois lados partilham uma visão comum sobre o princípio de desarmar a área conjunta controlada em Panmunjom, sobre a redução de alguns postos de guarda na zona desmilitarizada (faixa de quatro quilómetros de largura que divide os dois Estados) e sobre a suspensão de actos hostis ao longo de uma fronteira marítima fortemente disputada. A realização de buscas conjuntas para encontrar soldados desaparecidos durante a Guerra da Coreia foi outro dos aspectos partilhados pelas duas delegações, referiu o mesmo representante sul-coreano, que adiantou que as duas Coreias vão prosseguir no futuro com as conversações sobre estes assuntos. Kim Do Gyun descreveu ainda as conversações como “sinceras” e “francas”, concluindo que as chefias militares de Seul e de Pyongyang poderão contribuir para o estabelecimento de uma paz duradoura entre os dois países.

PUB HM • 2ª VEZ • 2-8-18

ANÚNCIO AUTOS DE INTERDIÇÃO CV3-18-0027-CPE 3º Juízo Cível REQUERENTE: O MINISTÉRIO PÚBLICO.----------------------REQUERIDA: CHAN WUN HOU, feminino, residente na RPC, na “中國廣東省珠海市香洲區銀新村 32 棟 C 座 604 房” ---------*****

FAZ-SE SABER que, foi distribuída neste Tribunal,

em 09 de Julho de 2018, uma Acção de Interdição, com o número acima indicado, em que é Requerida, CHAN WUN HOU, feminino, acima referida, para efeito de ser decretada a sua interdição por anomalia psíquica.-------------------------------Macau, 18 de Julho de 2018. ***

Myanmar Pelo menos 12 mortos e 148 mil deslocados devido a inundações Pelo menos 12 pessoas morreram e cerca de 148 mil foram deslocadas para centros de acolhimento na sequência de inundações que atingiram grande parte de Myanmar (antiga Birmânia), segundo dados do Governo divulgados ontem por representantes da ONU. A área mais afectada pelas chuvas

que têm assolado o país desde meados de Julho é a região de Bago (centro), onde 94 mil pessoas estão alojadas em 157 centros. No estado de Kachin, no norte, existem mais de 25 mil afectados, enquanto a sul estão identificados 15.884 deslocados no estado de Mon e 5.895 na região de Tanintharyi.

Hoje Macau 2 AGO 2018 #4105  

N.º 4105 de 2 de AGO de 2018

Hoje Macau 2 AGO 2018 #4105  

N.º 4105 de 2 de AGO de 2018

Advertisement