Issuu on Google+

Jornal Hoje Notícias • Edição 168 • Sexta-feira, 18 de outubro de 2013

jornalhojenoticias@gmail.com • R$ 0,50

R$

50

0,

» Páginas 06, 07 e 08

foto: divulgação

“O que dizer de uma sociedade e de cidadãos que sujam a água que bebem?” A pergunta seria clichê se não viesse do capixaba José Carlos Carvalho, um ambientalista respeitado no mundo e que tem acompanhado de perto as mudanças climáticas. Mais que perguntas, nessa entrevista o ex-ministro de Meio Ambiente dá respostas sobre temas globais e locais, demonstrando preocupação com as bacias hidrográficas da região Sul

A CASA CAIU

14

Fotos: Jackson Soares

Nove pessoas foram presas em ação do Ministério Público que apura desvio de recursos na Câmara Municipal de Cachoeiro

15

MUDANÇA SEM FIM Comerciantes pressionam e prefeitura volta a alterar trânsito no centro de Cachoeiro. Espaço onde seria implantada faixa para ônibus, na Praça Jerônimo Monteiro, dá lugar ao estacionamento rotativo Foto: Rael Sérgio

Colégio Salesiano: uma história de 90 anos contada pelo povo de Vargem Alta » Páginas 02 e 03


2 Especial

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

Colégio Salesiano: um dos cartões postais de Vargem Alta completa 90 anos

por Rael Sérgio

P

arte da história do desenvolvimento educacional e religioso da região serrana, o Colégio Instituto Salesiano Anchieta, localizado na comunidade de Boa Esperança, distrito de Jaciguá, Vargem Alta, completa 90 anos de muita tradição, histórias e saudades. Foi inaugurado em 1923, e iniciou com a vinda dos padres salesianos Dom Helvécio e Dom Manuel. Eles buscavam um lugar no Estado para a construção de um seminário, e a escolha foi pela Fazenda Boa Esperança (hoje comunidade), onde a família já havia construído uma capela em 1903, em Virgínia (atualmente distrito de Jaciguá). O colégio, que é um dos cartões postais do município, é formado por três andares em forma de “U”, com uma área destinada a estacionamento, uma quadra poliesportiva, além de um jardim no espaço

livre entre os prédios. O colégio já foi reformado algumas vezes, porém, está conservado quase que totalmente o seu desenho original. Na época o Salesiano chegou abrigar cerca de mil jovens vindos de diversos municípios do Espírito Santo e de outros Estados, como por exemplo Minas Gerais. Recentemente a Assembleia Legislativa realizou uma Sessão Especial em homenagem ao colégio. Esteve presente o diretor-presidente da obra Salesiana no Estado, padre Oscar de Farias Campos, que fez uma retrospectiva da história da congregação no Espírito Santo. A deputada estadual Lúcia Dornellas (PT), que foi ex-aluna do Colégio Salesiano Nossa Senhora da Vitória, frisou que os princípios e o aprendizado que adquiriu nessa instituição foram fundamentais para sua vida. Os ex-alunos que passaram anos em regime de internato recordam os bons momentos, e reconhecem a importância

histórica do local.

Dom Tarcísio Scaramussa Dom Tarcísio Scaramussa disse que foi uma experiência de vida no salesiano de Jaciguá, onde viveu entre os 11 aos 15 anos de idade. “O Colégio Salesiano de Jaciguá foi como um trampolim que me lançou para os acontecimentos seguintes de minha vida. Contribuiu para o meu amadurecimento e confirmou minha vocação sacerdotal salesiana. Segui este caminho com os salesianos de Dom Bosco, e ingressei na Congregação, continuei a formação acadêmica, formando-me em filosofia, pedagogia e teologia”, disse. Ordenado sacerdote em 1977, Dom Tarcísio voltou

fotos: Rael Sérgio

www.hojees.com

à Jaciguá como padre, e trabalhou como professor e orientador educacional no colégio, e atuando nas comunidades da Paróquia, de 1980 a 1988. Ele foi também diretor do colégio e pároco da Paróquia de São João Batista, que integrava na época as atuais Paróquias de Jaciguá e de Vargem Alta. Neste período trabalhou pela emancipação do município de


3 Especial

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com Vargem Alta, com intensa participação das comunidades eclesiais. “Depois fui inspetor da Inspetoria São João Bosco, que abrangia os Estados de Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal, de 1997 a 2002, quando fui eleito para o Conselho Geral da Congregação dos Salesianos, em Roma, onde fiquei por 6 anos”, explicou o Bispo.“No início de 2008, fui nomeado Bispo Auxiliar de São Paulo, onde me encontro até o momento. Olhando para os inícios, reconheço sempre mais como foi importante para a minha vida e formação estes ano vividos em Jaciguá”, completou Bispo Tarcísio Scaramussa.

Sonho acabou, lamenta ex-aluno

Diretor Executivo Tiago Turini Redator-Chefe Ilauro Oliveira Editoração Wellington Pintor (28) 9945.7012 Editor Jackson Soares jakinibc@hotmail.com

Circulação - Região Sul do Espírito Santo CNPJ 18.311.486/0001-44 jornalhojenoticias@gmail.com

Colaborador Adilson Conti Thiago Shwan Thalyson Inácio de Araújo Rocha Luiz Trevisan Rael Sérgio

Redação: Rua 25 de março, nº 01 – Edifício Jorge Miguel – Sala 505 Cachoeiro de Itapemirim – ES Tel.: (28) 3517-7615 Tiragem: 3000 exemplares

“Foi tudo um sonho para os imigrantes italianos que moravam no Distrito da Estação de Virgínia, que queriam tanto ver seus filhos estudar no salesiano. Sob o comando do padre Antônio Macigaglia, o seminário começou pequeno, onde se estudava o curso primário, enquanto se construía a primeira casa, os alunos moravam no casarão do Sr. José Altoé. Em 1925 chegou também o Padre Olívio Giordano para instalar um dínamo “gerador de energia”, para os moradores”, explicou Cristóvão Agrizzi. “O ensino era de primeira linha, lá me ingressei em 1967 e me formei em 1970, naquele tempo a formatura no Ginásio era uma grande festa e era pra ser mesmo, porque o aluno ao se formar no 4º ginásio saia sabendo mais que uma pessoa que se forma em certos cursos superiores de hoje em dia”, contou. “O o b j e t i v o d o e n t ã o Instituto Salesiano Anchieta,

era formar padres, mas as crianças iam muito novas e ainda não tinham uma ideia do que queriam na vida, mas mesmo assim muitos se ordenaram padres, outros políticos, empresários, etc... Poderíamos citar centenas, milhares que contam com saudades e emocionadas suas histórias daquele tempo”, disse. “Com as mudanças causadas na Igreja Católica pelo Concilio Vaticano II, muitos padres Salesianos deixaram a batina e em 1988, o Seminário deixou de existir e assim também aos poucos a escola foi desativada. Atualmente os Salesianos colocaram a casa à venda. O sonho acabou, mas para mim não, porque pessoalmente acho que deveria continuar com o objetivo inicial e continuar uma casa de formação religiosa”, lamenta. Atualmente o local recebe cursilhos e Encontros de Casais com Cristo, promovidos pela Diocese de Cachoeiro de Itapemirim.


4 Geral

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Jovem cego de Alfredo Chaves identifica raça e idade de cavalos apenas pelo tato por Rael Sérgio

Consigo descobrir várias lesões que passam despercebidas a olho nu, e com a minha audição, consigo saber o andamento de um cavalo de raça”, diz Dieyson Gonçalves, 24 anos, morador de Alfredo Chaves. O jovem, que é deficiente visual, tem um talento especial com os cavalos. Ele já foi destaque em um jornal da rede nacional de TV. Dieyson já nasceu sem enxergar, mas consegue lidar com os cavalos através de um dom raro. “Nós temos que falar a língua dos cavalos”, explica. Ao tocar os animais, ele consegue identificar qual a raça e descobre a também a idade, apenas avaliando as posições dos dentes. Outra raridade: no tato, descobre alguma fratura e se o animal esta doente de alguma forma.

História e Ajuda A primeira vez que Dieyson teve contato com os cavalos foi há 10 anos, e daí em diante nunca mais parou. Hoje ele é bem conhecido na região com seu talento. Um dono de haras disse que o jovem é um excelente analista de cavalos. “É ele que cuida dos meus cavalos. É incrível o dom que Dieyson tem, parece que a mão dele tem um Raio-X”, conta emocionado o proprietário do aras. Por fim, Dieyson faz um pedido: “Eu preciso de um cão guia para me ajudar na minha locomoção, porém, para falar a verdade, o que me faz mais falta é um cavalo. Se alguém puder me doar, ficarei muito feliz. Eu não tenho condições de comprar um cavalo, e conto com a colaboração de todos”, finaliza.

Foto: Arquivo Pessoal

Dieyson Gonçalves, de 24 anos, consegue também saber se os animais estão doentes ou têm alguma lesão

Os interessados em ajudar poderão fazer contato através do (27) 8182-3605

Professores da rede pública de Domingos Martins participaram de treinamento no 4º Batalhão de Bombeiros Militar, em Marechal Floriano. Ações preventivas e manejo de extintores foram repassados pelo

Ten. Cel. Germano Felippe Wernersbach aos presentes, com o objetivo de prepará-los para eventuais acidentes. O Projeto Bombeiro na Escola tem como objetivo principal a transmissão de informações. Ele

é de cunho educativo e social, tendo a finalidade de promover a integração entre o Corpo de Bombeiros Militar, a Escola, a Família e a Comunidade, para que esses pilares consigam criar nos jovens a cultura da prevenção e da responsabilidade social, proporcionando conhecimentos referentes à Prevenção e Combate a Incêndio, Primeiros Socorros, Defesa Civil, Prevenção a Acidentes. O curso foi planejado, elaborado e executado por profissionais do corpo de bombeiros

foto: divulgação

Aulas de prevenção contra incêndio em Domingos Martins

de Marechal Floriano com uma carga horária de 20hs/aula, distribuídos em aulas e avaliações teórico/prática abrangendo o conteúdo programático: Prevenção e Riscos, Fraturas, Emergências Clínicas, Estado de Choque, Queimaduras, Transporte, Análise primária, Animais peçonhentos, RCP (Ressuscitação Cardiopulmonar).


5 Geral

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Cachoeiro sedia 1º evento amador de musculação do Sul do Estado Alunos de várias academias do Sul do Estado disputam neste sábado o título de Mister Cachoeiro Fitness fotos: divulgação

por Jackson Soares

A

contece neste sábado (19), o 1º Mister Cachoeiro Fitness. O evento, que envolve academias e alunos de musculação de todo o Sul do Estado, aconte ce no Shopping Sul, em Cachoeiro de Itapemirim. A realização é dos professores Isaías Leal e Guilherme Borges, ambos educadores físicos e atletas de fisiculturismo. As inscrições para o evento foram fechadas no início desta semana. No total, mais de 60 atletas se inscreveram para competir. “Nossa intenção é divulgar o esporte em uma linhagem mais branda, e incentivar os alunos a buscar a boa

Alunos de Isaías Leal estão se preparando há pelo menos três meses para a competição forma física não somente aparentemente, mas também priorizando a saúde e a boa

alimentação”, explica o professor Isaías, que é tricampeão estadual de fisiculturismo.

A altura dos atletas será o divisor de categoria Entre os homens e as mulheres, a disputa acontece dividida por categorias, basicamente, conforme a altura dos competidores. As mulheres poderão enquadrar-se nas categorias biquíni e wellness, e os homens, na body shate, men physique. Os atletas serão julgados em categorias diferentes, que variam de 1,58 a 175 de altura. Os árbitros, todos da Federação Capixaba de Fisiculturismo, irão julgá-los através dos critérios de beleza, charme, simpatia e harmonia muscular. A premiação para os atletas vencedores será toda em suplementação alimentar, através de uma parceria com as lojas Fisio Fitness e Nutrição e Cia, que são patrocinadoras do evento. O 1º Mister Cachoeiro Fitness não será restrito somente à atletas. Qualquer pessoa que se interesse pelo tema poderá acompanhar a disputa. Os ingressos serão vendidos a R$ 10,00, no local do evento.


6 Entrevista - José Carlos Carvalho Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Mudança climática: o problema não só existe como está se agravando

U

ma semana após Cachoeiro receber especialistas e estudiosos para o X Seminário Estadual sobre Saneamento e Meio Ambiente, o jornal traz uma entrevista exclusiva com José Carlos Carvalho, ex-ministro de Meio Ambiente no governo Fernando Henrique Cardoso. Nascido em Jerônimo Monteiro, viveu em terras cachoeirenses antes de se formar em engenheiro florestal e ganhar mundo até ser reconhecido como um dos maiores nomes da área ambiental do país. Universal, mas sem perder o olhar sobre nossa aldeia – que conhece muito bem, já que vive no corredor Belo Horizonte/ Cachoeiro/Jerônimo Monteiro – José Carlos é solicitado em muitos países para tratar dos grandes temas ambientais que desafiam o mundo e o Brasil, porém sem deixar passar em branco sua preocupação com as questões locais e com as matas e rios de sua infância. Nessa entrevista, além de passear pela política e por temas amplos como a espionagem americana, ele fala dos principais desafios que as nações têm pela frente para manter o desenvolvimento econômico de maneira sustentável para que homem e natureza vivam em comunhão e equilíbrio. 1 – Começando com política e Meio Ambiente, como vê o movimento dos sonháticos da Marina, a rede de Sustentabilidade pendurada, e como considera que possa ser o debate ambiental na sucessão, agora com

Marina em dobradinha com Eduardo Campos? Carvalho – Embora adepto de uma eventual candidatura de Aécio Neves (PSDB) à presidência, acompanhei a Marina em evento público em Belo Horizonte assinando a ficha e dando meu apoio à criação da Rede Sustentabilidade, não apenas pela relação pessoal de amizade que tenho com ela, mas pelo que ela representa e pela liderança que exerce como intérprete de novos paradigmas para a política e para a economia. A definição de “sonháticos”, tomada inicialmente como pejorativa por alguns setores, se encaixa muito bem no projeto político de Marina e de todos os outros candidatos, porque não acredito em política sem utopias, sem sonhos, sem esperança no futuro. Aliás, o grande papel da política é transformar sonhos em realidade. 2- Qual sua expectativa em relação a Aécio Neves, na questão ambiental, agora também na sucessão presidencial, e como avalia a política dele para o setor em Minas Gerais? Carvalho - Sou suspeito para avaliar a atuação do então governador Aécio Neves na área ambiental, em virtude de haver sido seu secretário de Meio Ambiente, nos dois mandatos que exerceu, de 2003 a 2010. Todavia, tivemos uma gestão reconhecida como inovadora dentro e fora do país, pelas iniciativas que foram adotadas no campo da biodiversidade, das águas e da gestão de resíduos. Uma política ambiental com foco na sustentabilidade, de proteção do patrimônio natural e de estímulo à economia

fotos: Divulgação

por Luiz Trevisan e Ilauro Oliveira

verde. 3 - Até que ponto a espionagem americana é uma ameaça à soberania brasileira na questão ambiental? Carvalho – Os americanos e os países hegemônicos sempre espionaram o mundo em todas as épocas. Na atualidade, o fenômeno da espionagem é facilitado pelas sofisticadas tecnologias da informação e pelas técnicas de sensoriamento remoto. Não é de hoje que os satélites vasculham o mundo, monitorando o planeta de todas as formas,

com os EUA à frente, como detentor das tecnologias mais avançadas. Por isso, a grande surpresa da espionagem americana está em se surpreender. Aliás, não precisamos ir aos Estados Unidos, basta consultar o google, cujos aplicativos de mapeamento por satélite permite que a gente veja as janelas de nossas casas e, dependendo do ângulo de visão, ver o que há dentro delas. Obviamente, isto não autoriza os americanos a comandarem um big brother global, sem limites. Com a globalização, as fronteiras dos Estados Nacionais tornaram-se


Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com virtuais e o próprio conceito de soberania vai ganhando novos contornos. Os mercados globalizados, as novas mídias, o monitoramento por satélite e as tecnologias inovadores no campo das informações expandem as fronteiras e fragilizam os Estados Nacionais na condução de suas políticas domésticas. 4 - Certa ocasião, o senhor revelou como o francês tratava a política hídrica, na captação de água. A unidade industrial era obrigada a captar água do rio abaixo do ponto de despejo de seu resíduo líquido. Normalmente, capta-se água no ponto acima. Com a inversão, a unidade passa a ser obrigada a fazer rigoroso tratamento do seu próprio esgoto. Soube, recentemente, por uma equipe técnica que desceu o Rio Sena, que houve mudança na legislação que trata da captação. O que está ocorrendo? Carvalho - A primeira e mais dura constatação que desejo fazer é que vivemos numa civilização na qual as sociedades mantém uma relação perdulária com a natureza. O que dizer de uma sociedade e de cidadãos que sujam a água que bebem? Esta visão equivocada considera a proteção do Meio Ambiente, incluindo a água, como uma externalidade econômica do sistema produtivo. Em vários países a captação ocorre abaixo do ponto de lançamento, como forma de obrigar que as águas servidas sejam devolvidas aos cursos de água com qualidade idêntica ou melhor do que aquela existente no corpo receptor. O mais importante é que as águas utilizadas na indústria, na agricultura ou para consumo doméstico sejam tratadas e devolvidas aos rios com padrão de qualidade igual ou melhor do que aquela que foi captada.

7 Entrevista - José Carlos Carvalho

5 - Municípios capixabas na bacia do rio Doce vão começar a cobrar taxa pelo uso da água para o produtor rural, das empresas de saneamento. Isso vai acabar desaguando no bolso do consumidor, de alguma forma. Como evitar isso ou tratar essa taxação pelo uso da água, mesmo que direcionada a melhorar as condições do rio, de uma forma que não onere o cidadão? Carvalho - A cobrança pelo uso da água é uma prática utilizada em vários países, principalmente naqueles com gestão mais avançada dos recursos hídricos. Significa valorar um recurso vital e estratégico para a vida, uma forma de assegurar a sua conservação e a manutenção de sua potabilidade. Todavia, isto não pode significar a mercantilização de um recurso essencial à vida. Hoje a população paga pela distribuição da água, incluindo seu tratamento, cada vez mais caro, em razão da deterioração da qualidade advinda da degradação das bacias hidrográficas, mas não paga pelo uso. A ideia é adotar o principio usuário-poluidor/pagador, carreando recursos para a recuperação das nascentes e mananciais de água vitais para a própria população. Neste modelo, é fundamental ressaltar, a política de cobrança e aplicação dos recursos arrecadados é decidida de forma colegiada, no âmbito dos Comitês das bacias, nos quais estão presentes os usuários da água, os governos e a sociedade civil. 6 – Por serem vizinhos, olhando as realidades de Minas Gerais e do Espírito Santo, dá para avaliar se há distância no trabalho que tem sido feito em cada Estado nos últimos anos? Carvalho - São Estados com realidades geográficas, ambientais e socioeconômicas distintas. Mas, do ponto de

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

vista institucional, os Estados têm atuação parecida, uma vez que seguem as diretrizes e a estrutura organizacional previstas no Sistema Nacional de Meio Ambiente – SISNAMA e no Sistema Nacional de Gerenciamento dos Recursos Hídricos – SNGRH. Sobre este aspecto é importante ressaltar a iniciativa do Governador Renato Casagrande de criar uma entidade específica, na esfera do Estado, para realizar a gestão das águas, diante da realidade, pouca divulgada, de déficit hídrico registrado em várias regiões do Espírito Santo, inclusive na Bacia Hidrográfica do Rio Itapemirim, no seu baixo curso. 7 - Há pouco tempo, o empresário Eliezer Batista indicou como um bom negócio investir na produção de madeira. Diz que tem grande mercado pela frente. Como avalia essa indicação? Qual sua projeção para esse segmento do agrobusiness? Carvalho - O Dr. Eliezer Batista é um dos grandes estrategistas brasileiros, com visão geopolítica acurada do território nacional e da inserção do Brasil no plano internacional. A madeira e seus subprodutos continuam sendo recursos indispensáveis à civilização, desde os primórdios da evolução humana. A madeira nos acompanha do berço ao túmulo. Como país tropical, o Brasil reúne as melhores vantagens comparativas para ser um grande player do mercado global dessa comodities, incluindo celulose e papel. De fato, as condições edafo-climáticas e a disponibilidade de terra no Brasil consolidam o nosso potencial nessa área. Todavia, torna-se necessário, no meu entendimento, evitar o monocultivo extensivo de florestas plantadas, adotando um modelo de integração agroflorestal ou agrosilvopastoril, ocupando áreas ociosas e subaproveitadas das pro-

priedades rurais, com vocação para a silvicultura, sem concorrer com a produção de alimentos. Neste aspecto, deve ser ressaltado a implantação dos cursos de engenharia florestal e de engenharia industrial madeireira no Centro de Ciências Agrárias da UFES, com sede em Alegre e em Jerônimo Monteiro, reconhecidos entre os mais equipados do país e com alto nível de excelência acadêmica. 8 - Mudança climática: até que ponto é ou não falácia de grandes potências para inibir o desenvolvimento de países emergentes, como o Brasil? Carvalho - As mudanças climáticas e seus efeitos constituem uma realidade tangível e visível, pois estão ao nosso redor, através de eventos climáticos extremos que se sucedem em todas as regiões. O quinto relatório do Painel das Nações Unidas sobre o tema, que acaba de ser divulgado, revela, com 95% de certeza científica, que o problema não só existe como está se agravando. Como problema de natureza global afeta todos os países, sem distinção. A Convenção de Mudanças Climáticas da ONU, da qual o Brasil é signatário, estabelece o princípio das responsabilidades comuns, porem diferenciadas no trato do problema. Vale dizer que as responsabilidades dos países são proporcionais, levando em conta a contribuição histórica de cada um na emissão dos gases de efeito estufa que causam o problema, o que confere aos países ricos a maior responsabilidade em relação às emissões, bem como no que concerne aos esforços para reduzi-las. Neste contexto, os países emergentes devem atuar, também, de forma proporcional. Todavia, esta é grande oportunidade para se faze a transição da economia de base predatória para a economia verde, com a implantação de um novo... (segue)


8 Entrevista - José Carlos Carvalho Sexta-feira 18 de outubro de 2013

... modelo de desenvolvimento baseado na sustentabilidade. 9 - Quando o senhor assumiu o ministério de Meio Ambiente, disse que tinha o sonho de ver o rio de sua aldeia despoluído, desassoreado, correndo bojudo e repleto de tainhas e robalos. Como anda o rio da sua aldeia? Carvalho - Houve avanços. De lá para cá uma primeira etapa de coleta e tratamento de esgoto foi providenciada, mas lamentavelmente, o serviço de tratamento dos esgotos está paralisado por falta de operação e manutenção adequadas da estação que trata os resíduos. Neste momento, a FUNASA está se rearticulando com a Prefeitura de Jerônimo Monteiro para retomar a construção de nova estação de tratamento e ampliar a rede de coleta para a parte da cidade que não tinha sido contemplada na primeira etapa. Outro problema a ser registrado desde aquela época é redução da vazão dos Córregos Cristal e Vala do Souza, entre outros fatores, pela captação não outorgada de água para irrigação, que deve merecer a atenção das autoridades.

10 - E o Parque do Itabira: está ou não destinado a ser somente uma miragem projetada por ambientalistas, como Dr João de Deus Madureira e seguidores? Esse parque é viável, tem futuro? O que espera a respeito desse projeto? Carvalho – Lamentavelmente esta iniciativa não encontrou eco nas autoridades de Cachoeiro, no vários momentos em que esta questão teve chance de se deslanchar. Ainda jovem, sonhei este sonho com o Dr. João Madureira, cheguei a apoiar uma ação, visando elaborar um projeto para o Itabira, mas ficou nisto. Agora, temo que a especulação imobiliária e a inércia do poder público acabem por inviabilizar definitivamente a possibilidade de se criar o parque. 11 - Conhecendo bem a nossa região Sul e o Caparaó há anos, dá pra dizer se estamos evoluindo, regredindo ou estagnados quando se trata de preservação... Carvalho - ...Sinto que houve uma redução no ritmo da devastação, mas não se registra nenhuma iniciativa de recuperar ou que foi destruído, salvo algumas exceções de projetos isolados. No entanto, não podemos esquecer

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

que a região conta com ativos ambientais importantes, como a Serra do Caparaó e o rio Itapemirim, que podem alavancar um grande esforço de preservação, associado ao desenvolvimento sustentável da região. 12 - Como o senhor vê o futuro das nossas bacias hidrográficas da região Sul e quais as ações mais imediatas para preservá-las? Carvalho - Vejo com preocupação. As práticas de uso da terra continuam atrasadas, provocando erosão e assoreamento dos cursos de água. Com exceção de Cachoeiro que tem um sistema de tratamento de esgoto modelar, na maioria dos municípios o que se vê é o lançamento “in natura” dos esgotos nos rios. Assim, tornam-se necessárias ações imediatas de conservação do solo e água na agricultura, tratamento de esgoto, destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos, principalmente do lixo urbano, reflorestamento com finalidade múltipla, envolvendo recuperação de áreas degradas, principalmente de nascentes e de florestas de produção em áreas impróprias para agricultura, visando aumentar a renda dos pequenos e médios

www.hojees.com agricultores. 13 – Já que o senhor tocou nesse ponto, entre as cidades da região Sul, Cachoeiro é a única que tem uma concessionária atuando na área de saneamento, enquanto as demais funcionam com serviços dos SAAE´s ou da Cesan. O caminho das cidades será fazer o que Cachoeiro fez ou dá para continuar com as autarquias que me parecem modelos administrativos ultrapassados e sem capacidade de investir? Qual o caminho? Carvalho - Cachoeiro, através da Foz, é realmente um bom exemplo do que pode ser feito para tratamento dos esgotos e melhoria da qualidade das águas, demonstrando que um modelo de concessão privada dos serviços de saneamento constitui uma alternativa viável e eficiente para solução deste problema. Todavia, não acho que a solução definitiva desta grave questão, na nossa região, no Estado e no país esteja baseada num modelo único. Existem empresas estatais como a COPASA, em Minas; a SABESP, em São Paulo e a SANEPAR, no Paraná que também são bons exemplos para o saneamento ambiental brasileiro. Em municípios com pequena população o SAAE pode ser uma boa solução, diante da falta de escala para uma concessão privada. Todavia, em qualquer situação, é necessário praticar o realismo tarifário, obviamente que sem ter que remunerar a ineficiência e a corrupção. O populismo e a demagogia em manter tarifas abaixo do custo real de coleta e tratamento do esgoto é mais perniciosa à população do que o suposto benefício de tarifas baixas que impedem os investimentos e a manutenção adequada dos serviços, levando ao sucateamento dos sistemas de tratamento e à consequente poluição das águas e graves prejuízos à saúde pública.


Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

9 Publicidade

Sexta-feira 18 de outubro de 2013


10 Cidades

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Aumento do consumo de drogas é tema de audiência pública em Marechal Floriano Vicente Ramatis ministrou palestra durante audiência pública em Marechal Floriano por Rael Sérgio

O

Brasil representa 20% do consumo mundial e é o maior mercado de crack do mundo. Este foi um dos destaques da palestra ministrada pelo médico psiquiatra Vicente Ramatis Lima, em audiência pública realizada na Câmara Municipal de Marechal Floriano. O evento aconteceu na semana passada e foi organizado pela Comissão da Frente Parlamentar de Segurança Pública do município para discutir sobre a violência na cidade, suas causas e consequências. Em sua fala, Vicente Ramatis destacou que o consumo de drogas está relacionado ao aumento nos índices de violência. “É preciso investir em educação, trabalhar o tema nas escolas. As pessoas

se envolvem com as drogas por falta de uma formação adequada. Algum pensador já disse que cidade segura não é a que tem muita polícia, e sim a que precisa de pouca, mas que tem muita escola”, disse. Marechal Floriano possui uma lei que reserva um dos trimestres escolares para trabalhar a questão das drogas, de forma didática. No entanto, a Secretaria Municipal de Educação não está colocando em prática a medida. Questionado sobre o assunto, o prefeito Lidiney Gobbi, presente à audiência pública, se comprometeu a colocar em prática os trabalhos. Além do aumento do número de usuários de drogas abordados no município, foram tratados outros pontos como: a possível criação de um centro de tratamento para dependentes químicos na

Região Serrana, a instalação de câmeras de videomonitoramento em pontos estratégicos da cidade, a reativação do Conselho Municipal de Segurança Pública, o cum-

primento do convênio do município com a Secretaria Estadual de Segurança (sobre o novo horário de funcionamento de bares) e o controle da violência doméstica.

Sustentabilidade e educação ambiental em destaque Um projeto ambiental vem sendo desenvolvido em Marechal Floriano pela escola Mauro José Christo e toda sua equipe pedagógica, através da professora de Ciências Simony Endlich, com apoio da Incaper, FUNASA e ADERF (Associação para Desenvolvimento Comunitário de Rio Fundo). Ao todo, 16 alunos participam. O objetivo principal é uma escola sustentável, onde se desenvolvem processos educativos permanentes e continuados, capazes de sensibilizar o indivíduo e a coletividade para a construção de conhecimentos, valores, habilidades, atitudes e com-

petências voltadas para a construção de uma sociedade de direitos, ambientalmente justa e sustentável. A professora Simony Endlich explicou que diante dos temas da IV Conferência Nacional Infanto Juvenil a Escola Mauro José Christo escolheu o tema água. “Será realizada análise laboratorial da água do Rio Jucu Braço Sul. No laboratório da Escola também realizaremos o teste controle com alevinos de Tilápia. Tudo isso para comprovar a poluição do rio de uma forma bem prática e com a participação dos alunos, dessa forma queremos que eles entendam a sua

importância na sociedade, da sua função como formadores de opiniões e de mudanças. Após os resultados iremos de montar um projeto de inter-

venção para conscientização da população na preservação e despoluição do meio ambiente principalmente o nosso Rio”, disse Simony.


11 Comunidades Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Distrito de Cachoeiro sem ambulância e sem atendimento de pediatria por Jackson Soares

O

foto: divulgação

vereador Alexandre Andreza Macedo (PR) usou seu tempo na tribuna da Câmara Municipal de Cachoeiro, durante sessão ordinária da última terça-feira (15), para cobrar da prefeitura municipal assistência imediata para a saúde em Itaóca Pedra. Segundo o parlamentar, há seis anos o distrito encontra-se sem pediatra. Por conta do problema, empresários e moradores da região já promoveram uma reunião no local, juntamente com a diretoria do Hospital Infantil, para tentar alocar um especialista na comunidade. O espaço para o atendimento em Itaóca já foi conseguido, ainda de acordo com o edil,

porém, afirma que há mais de 20 dias aguarda para ser atendido pelo secretário municipal de Saúde, e não obteve retorno algum. “Como se não bastasse nossa espera pelo pediatra, também não conseguimos contato com o secretariado do executivo. Além disso, estamos esperando há mais de 30 dias que a Secretaria de Obras construa um quebra-molas na comunidade de Barro Vermelho. Minha comunidade não tem sido atendida”, afirmou. O vereador Alexandre de Itaóca contou ainda que uma ambulância chegou a pegar fogo com um paciente dentro, em Itaóca. “Não temos ambulância. E neste dia, o motorista e o paciente só não se feriram por que algumas pessoas ajudaram a removê-los de dentro do carro. Poderiam ter morrido

foto: Jackson Soares

Vereador de Itaóca Pedra afirma que está aguardando há três semanas para falar com secretário de Saúde

queimados se não fosse a ajuda popular”, disse. Durante uma ocasião em que foram entregues 4 ambulâncias para a cidade, o vereador questionou a entrega de um dos carros para seu distrito. “O prefeito me disse que receberíamos uma que é semi-uti, ainda longe do ideal para o distrito. Mas até hoje nada”, desabafou.

Obras e segurança

Em parceria com os empresários locais, Alexandre afirma que conseguiu 20 caminhões de saibro. O material foi despejado na descida que liga Alto Moledo à comunidade de Soturno. Outros 10 caminhões de saibro foram jogados em uma rua do loteamento Carola. “Além de estarmos nos virando sozinhos para conseguirmos as obras para nosso distrito, também estamos vendo nossa praça virar ponto de encontro de viciados e

comércio de drogas”, conta indignado o vereador.

Prefeitura se defende

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Abel Santana, as cobranças do vereador têm procedência, porém, o Executivo jamais deixou de atender o parlamentar. “Realmente, a questão da pediatria é um problema em todo o município. Não conseguimos os especialistas para atender nas comunidades. Estamos orientando os prontos atendimentos a encaminharem os casos de atendimento pediátrico ao Centro de Saúde. Já disse isso ao vereador, pessoalmente”, contou Abel Santana. Ainda de acordo com o titular da Secretaria de Saúde, a ambulância solicitada pelo vereador deve chegar à comunidade em até 120 dias, através de emenda parlamentar. “É possível que a ambulância chegue antes, mas o prazo máximo para a entrega de 4 meses”, afimou Abel.


12 Opinião

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Parceria Mimoso e Governo foto: Beto Barbosa

jornalhojenoticias@gmail.com

Alternativa viável A prefeita de Mimoso do Sul, Flávia Cisne (PSB), e o vice-governador Givaldo Vieira (PT) deram uma boa notícia para a Casa Reviver. Foi formalizado o repasse no valor de R$ 180 mil, via Prefeitura Municipal, para a aquisição do sítio Santa Helena, onde se localiza a entidade de tratamento de dependência química. Nosso amigo Roney Moraes prestigiou o evento.

Mineirinho pescador: será??? O pré-candidato à presidência da República, governador Eduardo Campos (PSB) esteve nesta semana, em Vitória, onde foi recebido por mais de duas mil pessoas. Ele veio apresentar o modelo de gestão sustentável que vem praticando com êxito há 7 anos em Pernambuco. Recentemente, Eduardo Campos recebeu o apoio da ex-senadora Marina Silva (PSB) para formação de uma alternativa à polarização PT x PSDB nas eleições do ano que vem. Campos que é companheiro de partido do governador capixaba, Renato Casagrande, disse que a população brasileira quer experimentar um salto de qualidade na política e não vai admitir retrocesso ou gestão que não transmita confiança à população. Durante sua exposição, o pré-candidato a presidente do Brasil,Eduardo Campos, deixou uma boa impressão na sociedade capixaba.

Vereadores kennedenses visitam Cachoeiro

Os vereadores de Presidente Kennedy, Bruno das Neves Silva (PHS), o Brunão do Povo, e Tércio Jordão Gomes (PSD), visitaram a Câmara Municipal de Cachoeiro na última terça-feira (15). Acompanhados do presidente do PHS em Cachoeiro, João Batista Theodoro, eles vieram com a intenção de falar um pouco das atividades desempenhadas pelos vereadores no legislativo de Presidente Kennedy.

Fato estranho aconteceu no bairro Santo Antonio. Nosso amigo Marco Antonio, o Mineirinho, apareceu com um belo peixe que pescou no fim de semana passado. Esqueceu apenas de dizer em qual peixaria.


Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

13 Opinião Política

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

www. www.hojees hojees.com .com

Jackson Soares Jakinibc@hotmail.com

AQUI E ALI

Prefeitura de Cachoeiro voltou atrás e devolveu vagas para estacionamento no Centro da Cidade / Mais de 100 empresários faziam pressão para que o executivo retornasse com as vagas nos locais de costume, alegando prejuízo / Conseguiram / Em Cachoeiro, quem chora mama! / A novidade é: o que era velho agora é novo / E a faixa exclusiva para ônibus? Vai passar por cima dos carros parados nas vagas do lado direito da via? / Planejamento feito com objetivo de implantação de terminal rodoviário jogado fora / Desperdício de tempo e dinheiro /Alteração na Avenida Jones dos Santos Neves foi a única de impacto positivo no trânsito cachoeirense / No Centro, guardas municipais já notificavam carros parados nas áreas proibidas / O problema é que ninguém avisou aos motoristas que o trânsito mudou de um dia para o outro

artigo

Thalyson Inácio de Araújo Rocha

Incertezas minerárias

O atual Código de Mineração está com os dias contados e as dúvidas já começam por aí, não sabemos se isso é bom ou ruim. Aanálise dos projetos de lei que visam modificar o ordenamento jurídico minerário estão dando pano pra manga. Não se sabe se as mudanças previstas nos projetos de lei conseguirão a aprovação necessária para serem implantadas futuramente. Só a análise preliminar dos projetos do código já tem deixado a iniciativa privada um tanto quanto receosa – e realmente há motivos para isso. Os projetos de lei abordam temas que ainda renderão boas discussões. Destaca-se o desejo do governo de aniquilar o direito de prioridade – um elemento basilar da atividade minerária. Por aí já podemos imaginar o que ainda vem por esses caminhos; essa é só a ponta do iceberg. A retirada do direito de prioridade consiste no fato de que os interessados em pesquisar recursos minerais em determinada área serão chamados para participar de chamada pública ou de licitação (a depender do caso), com outras pessoas, o que poderá ocasionar desestímulo ao setor de pesquisa. Atualmente, a pesquisa é autorizada desde que a área a ser pesquisada esteja livre e que o requerente cumpra requisitos específicos da lei. Com a mudança, o requerente será obrigado a tornar público “seu achado” e outras pessoas poderão disputar com ele, em igualdade de condições, a autorização para pesquisar. Pode ser o verdadeiro ganhar e não levar. O governo defende sua “intervencionisse” baseado no fato de que é preciso planejar melhor a exploração dos recursos minerais brasileiros, tendo por consequência a retirada do protagonismo do setor privado em um primeiro momento (direito de prioridade), sob a ótica de que isto dará igualdade de condições ao próprio setor privado, incentivando a concorrência. Das duas uma, ou as novas propostas darão o impulso que a atividade mineral precisa para alvancar a economia do país ou será retrocesso inimaginável. Terá o governo competência para não deixar a peteca minerária cair? Será que a iniciativa privada conseguirá se estabilizar após as novas regras do jogo? Serão cenas dos próximos capítulos. (O autor é Advogado no Mansur e Associados – Sociedade de Advogados e Consultor Jurídico Ambiental)

artigo

Evandro Coelho de Lima

Desabafo

Como se sabe, quem é demandado em Juízo possui o Direito/dever de defender-se, sob pena de ser-lhe decretada a revelia, ou seja: ter-se como verdadeiros os fatos afirmados pelo autor, ou seja: quem demanda em face dele. Atento a essa regra, em causa que me foi apresentada visando rescisão de negócio jurídico e diante do silêncio do demandado, apliquei a lei, decretando-lhe a revelia. E, com isso, além de desfazer o negócio de compra e venda havido entre as partes, determinei a desocupação do imóvel objeto do mesmo e a imissão do autor na posse. Pouco tempo depois, o patrono do autor vem aos autos do processo noticiando que o réu voltou ao imóvel. Com isso, reclamou ao Estado, personificado no Juiz, a decretação de sua prisão. O texto abaixo reproduz parte do despacho por mim exarado, em verdadeiro tom de desabafo: “Apesar de entender as angústias do autor com relação ao desrespeito do réu quanto à vontade estatal estampada na decisão por ele desrespeitada fato é que este juiz não pode decretar a prisão dele por “desobediência”. Tal possibilidade não existe no ordenamento positivo. Quanto às angústias do autor e de seu patrono, registro que elas também são minhas, e vou mais além. Depois de toda uma vida dedicada às coisas do Direito, a cada dia mais me decepciono com os rumos que a Sociedade moderna vem adotando. O individualismo, com certeza poderá tornar a vida social impossível, muito embora reconheça, a esta altura da vida, que meu posicionamento não possui o condão de modificar tais fatos...”. Sei que pareço repetitivo, e acho que sou mesmo, mas tenho a convicção de que atitudes como aquela aqui retratada, são um reflexo do pouco, ou quase nenhum significado que o Poder Judiciário parece apresentar nos dias de hoje. Seja pela imprensa, ou mesmo de algumas autoridades encasteladas no Conselho Nacional de Justiça, fato é que o desrespeito a uma decisão judicial se tornou a tônica do Brasil contemporâneo. Se os formadores de opinião não se posicionam, não há motivos para o cidadão comum fazê-lo. Insisto, esquecem aqueles que o Poder Judiciário é o último bastião de que ainda se pode valer a Sociedade, a despeito de algumas de suas mazelas, decorrentes, essencialmente, de uma legislação anacrônica. Não obstante essa constatação, um erro não substitui o outro. O desrespeito a uma decisão judicial equivale a um atentado à Democracia, a partir do momento em que, para viver em Sociedade, o homem abriu mão da vingança privada para delegar ao Estado a composição de seus conflitos. É por isso que nem o advogado que patrocina a causa acima mencionada, nem os brasileiros de bem podem se conformar com tal atitude. Evandro Coelho de Lima é juíz de Direito em Cachoeiro


14 Política

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Câmara: nove pessoas presas sob suspeita de desvio de recurso Suspeitos de envolvimento no esquema que desviava recursos da Câmara foram detidos em ação conjunta do MP com a Polícia Militar fotos: Jackson Soares

por Jackson Soares

N

ove pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira, dia 17, suspeitas de envolvimento em esquema que desviou mais de 1 milhão de reais dos cofres da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim. O contador da Casa de Leis, Hélio Grechi, foi um dos detidos. Segundo o Ministério Público, ainda não há indícios de participação de funcionários da Caixa Econômica Federal no esquema. Até o fechamento desta edição os demais presos não tiveram seus nomes divulgados. Mais de 50 policiais militares, em dez viaturas, participaram da operação. Os suspeitos foram presos em suas residências. Viaturas do Ministério Público também fizeram parte da busca. Foram apreendidos números de contas, extratos e comprovantes de pagamentos bancários. Os suspeitos poderão permanecer detidos por até dez dias, até que a apuração do

O contador da casa de leis, Hélio Grechi, foi um dos detidos na operação MP seja concluída. O MPES, por meio da Promotoria de Justiça de Cachoeiro de Itapemirim, expediu dez mandados de prisão

O esquema A suspeita ocorreu por conta de cheques emitidos pela Câmara com rasuras no verso, onde é definida a destinação dos recursos. O dinheiro, que seria usado para o recolhimento de tributos previdenciários, havia sido desviado para o pagamento de uma suposta folha de pagamento suplementar de funcionários. Diferente da verdadeira folha de pagamentos da Câmara, que é enviada à

Caixa através de um sistema on-line, esta relação foi entregue à agência pelo contador da Casa, em papel simples, sem timbre e sem nenhuma assinatura. Os representados responderão pelos crimes de formação de quadrilha, falsificação de documento público, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, além de outros crimes correlatos.

provisória com o objetivo de desarticular e colher provas relativas à atuação de uma organização criminosa, formada por servidores públicos e terceiros, suspeita de desviar recursos dos cofres da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim. Uma pessoa ainda está foragida. As informações preliminares dão conta de um desvio de cerca de R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais),

mas, segundo o MP, o valor do rombo pode ser ainda maior. As investigações partiram de uma suspeita de movimentação financeira estranha, apontada pela Caixa Econômica Federal (CEF), e foram levadas ao conhecimento do Ministério Público, que colheu provas e indícios do envolvimento de servidores no desvio de valores inicialmente destinados ao pagamento de dívidas de parcelamentos junto ao INSS e à Receita Federal.


15 Trânsito

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Pressão dos comerciantes derruba planejamento de trânsito em Cachoeiro por Jackson Soares

Q

uase dois anos de planejamento e alterações no trânsito de Cachoeiro jogados fora. As obras realizadas com o objetivo de criar uma faixa exclusiva para o transporte coletivo, e um terminal rodoviário na intenção de desafogar o trânsito no centro da cidade, foram em vão. O trânsito, bem como as vagas para estacionamento na Praça Jerônimo Monteiro, voltou à estaca zero. As vagas para estacionamento em frente à Praça Jerônimo Monteiro, sentido Beira Rio, foram resgatadas, após terem sido extintas com a justificativa da criação do corredor exclusivo para ônibus. A medida atende à pressão dos comerciantes, que afirmavam ter sofrido impacto econômico por conta da proibição. Na manhã de quarta-feira (16), já estava sendo cobrada a tarifa

de estacionamento rotativo em ambos os lados da via. Na última terça-feira (15), ocorreu uma reunião entre a Associação dos Comerciantes e a Prefeitura. A Secretaria de Defesa Social, através de Cidney Nunes, responsável pelo setor, afirma que a alteração está sendo feita em caráter experimental, pelo período de 30 dias. “É uma prova de que estamos atentos às reivindicações da população e do comércio, na tentativa de buscar a satisfação de todos nas novas tendências do trânsito”, disse. Porém, a nova medida que hoje está sendo aplicada em caráter experimental, é o retorno da velha maneira tradicional com a qual Cachoeiro sempre conviveu: “Vão tornar a experimentar o método velho pra ver se ele fica melhor que o novo”, disse Magno, segurança de uma das lojas no centro da cidade.

Planejamento desordenado e desorganização planejada Em matéria publicada há quase 30 dias com exclusividade pelo Jornal HOJE NOTÍCIAS, a prefeitura havia dito que “em prol da melhoria do fluxo de veículos na Praça Jerônimo Monteiro, no centro de Cachoeiro, as vagas para estacionamento do lado direito da via seriam, de fato, extintas”. A afirmação foi do então secretário de Comunicação, Sérgio Mariano, que ainda acrescentou: “A mudança faz parte do nosso planejamento de melhoria para o fluxo de veículos naquela região. A intenção é criar uma faixa exclusiva para ônibus do lado

direito, e para isso, não temos como manter as vagas”. Em contrapartida, o secretário afirmou que mais vagas seriam criadas do lado esquerdo, em frente ao Palácio Bernardino Monteiro, e outras duas vagas de carga e descarga também seriam abertas em frente ao antigo ponto de ônibus, embaixo da Câmara Municipal. De fato, promessa cumprida. Porém, a demarcação no asfalto e as placas de proibido estacionar não estão sendo respeitadas pelos motoristas, que insistem em parar onde a sinalização indica área de carga e descarga.

fotos: Jackson Soares

Em menos de 30 dias após alteração prefeitura volta atrás, devolve vagas e contradiz projeto de corredor para ônibus

Mais de 100 comerciantes pressionam e Prefeitura cede Comerciantes já vinham reclamando que a arrecadação em suas lojas naquela região já havia caído até 50%, por conta da escassez de vagas para que os clientes estacionassem. Várias reuniões entre os comerciantes e a prefeitura foram realizadas e, enfim, o empresariado foi atendido. “Não me importo de ter que dar uma volta maior para chegar em casa, mas faço questão que meu cliente possa ser atendido. Eu presto somente um serviço, mas e o comerciante que tem centenas de artigos para vender? O comércio estava sendo prejudicado e a prefeitura atendeu aos anseios de mais de 100 empresários, que se organizaram através

de um abaixo assinado para mostrar a insatisfação com a metodologia que havia sido implantada. Agora estamos satisfeitos”, diz Edgard Baião, um dos empresários que atendem no Centro da cidade.


16 Economia

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Governo do Estado destinará recursos para custeio dos municípios A proposta de socorro às finanças municipais visa amenizar os impactos causados pela queda nos repasses de ICMS Fotos: Thiago Guimarães/Secom

da Redação

O

s municípios beneficiados pelo Fundo para Redução das Desigualdades Regionais poderão utilizar metade desses repasses com custeio até 2014. A medida, assinada pelo governador Renato Casagrande na tarde desta quarta-feira (16), será encaminhada à Assembleia Legislativa e visa amenizar os impactos causados pela queda nos repasses de ICMS, provocada pela redução das alíquotas do imposto na circulação interestadual de mercadorias importadas. Atualmente, a verba recebida por meio desse fundo apenas pode ser aplicada em investimentos. No entanto, muitas prefeituras vêm enfrentando dificuldades financeiras devido à redução dos repasses de ICMS, provocada pela Resolução nº 13/2012 do Senado, em vigor desde 1º de janeiro deste ano. A medida atende a uma demanda a Associação dos Municípios do Espírito Santo (Amunes), que buscou junto ao Governo do Estado uma nova fonte de recursos para a manutenção dos municípios, para ser usada em custeio, em despesas correntes, e não somente em investimentos. O evento contou com a

participação de diversas autoridades, como o presidente da Assembleia Legislativa Theodorico Ferraço, do presidente da Amunes, prefeito de Venda Nova do Imigrante Dalton Perin, secretários de Estado – dentre eles, o secretário da Fazenda, Maurício Cézar Duque –, ainda, 49 dos 67 prefeitos de municípios de Norte a Sul capixaba que têm direito ao repasse, e de deputados estaduais. Ação O governador lembrou que o Projeto de Lei é mais uma ação do governo para auxiliar os municípios do Estado. “Discutimos com os prefeitos e prefeitas o que poderia ser feito para auxiliá-los quanto ao custeio das administrações. Sabemos das dificuldades das prefeituras e podemos dizer que, com essa mudança, o Estado ganhará mais velocidade em suas ações nos municípios. Em parceria com a Assembleia, já desburocratizamos os investimentos por meio de repasses fundo a fundo e essa medida é mais uma solução para romper as barreiras que atrasam o nosso desenvolvimento”, disse o governador. Segundo o governador, ainda,

em 2013, serão aproximadamente R$ 120 milhões destinados a essas cidades por meio do Fundo. Em 2014, esse valor saltará para a casa dos R$ 160 milhões. “Poderemos ampliar o repasse porque quitamos a dívida de adiantamento dos recursos de petróleo contraída em 2003. Ganham os municípios e a sociedade capixaba, que terá respostas mais rápidas aos seus anseios, nas cidades em que residem”, explica.

O prefeito de Venda Nova do Imigrante e presidente da Amunes, Dalton Perin, agradeceu ao governador em nome dos prefeitos. “Este não é o primeiro nem o último sinal de apoio do governo aos municípios. Reconhecemos e agradecemos esse esforço”, disse Perin, citando uma série de melhorias realizadas pelo Estado. A expectativa é de que a nova Lei passe a vigorar já a partir de novembro.

Redução das Desigualdades Atualmente, 67 municípios são beneficiados pelo Fundo de Redução das Desigualdades Regionais. Criado pela Lei 8.308, transfere 30% do que é arrecadado com os royalties do petróleo e gás natural aos municípios atendidos. Os cálculos para distribuição dos recursos são feitos de forma a privilegiar os municípios com menores índices de participação na divisão do ICMS e maior população. Durante o ano de 2012, conforme cálculos da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), por meio do Tesouro Estadual, o fundo destinou R$ 113 milhões às cidades beneficiadas. Até o mês de outubro deste ano, já foram cerca de 100 milhões. Segundo a Receita Estadual, devido à Resolução 13/2012 do Senado Federal, que reduziu a alíquota de ICMS de produtos importados pelo Estado de 12% para 4%, o Espírito Santo já deixou de arrecadar até o início de outubro cerca de R$ 330 milhões. Como o Estado destina 25% do ICMS recolhido aos municípios, o total dos 78 deixou de receber por volta de R$ 82 milhões – o que significa grande perda para determinadas prefeituras, pois muitas têm nas transferências de ICMS realizadas pelo Governo a principal fonte de receita. As prefeituras poderão aplicar 50% do que recebem por meio do Fundo de Redução das Desigualdades Regionais em custeio somente até o final do ano que vem. Segundo o Projeto de Lei, permanece proibido o gasto dos recursos vindos do Fundo com despesas de pessoal e pagamento de dívida pública.


18 Esporte

Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

P L A N E TA E S P O R T E : A Q U I , O E S P O R T E É P R I O R I D A D E

www.hojees.com

Macário Secco, o homem do voleibol em Cachoeiro Um dos mais respeitados técnicos de voleibol em Cachoeiro de Itapemirim, o professor Macário Secco vem desenvolvendo um grande trabalho e conquistando títulos com suas equipes.

Quem é: Macário Pastro Secco Filho, 26 anos. Técnico de Voleibol Nível II CBV Professor de Educação Física Colégio Darwin Cachoeiro de Itapemirim Colégio CIAC Raymundo Andrade Jaraguá Tênis Clube Principais Títulos 2013 Campeão Estadual Juvenil Escolar Vice Campeão Estadual Escolar Juvenil Campeão Regional Escolar Juvenil e Infantil Campeão Estadual Infantil de Clubes Campeão Municipal Adulto 2013 3° colocado Taça Cidade do Verde de Voleibol em Domingos Martins Vice Campeão Copa Águias Adulto em Alfredo Chaves Desde quando você se tornou técnico em Voleibol? Desde 2007 sou técnico de Vôlei. Em 2007 montei minha própria Escola de Vôlei “ Pró-Vôlei” junto com as equipes Pré-Mirim e Mirim e funcionava na AABB Cachoeiro. Como descobriu o gosto por esse tipo de prática esportiva? Após a medalha de Ouro de 1992 conquistada pela seleção Brasileira Masculina, em Barcelona, a modalidade começou a ser divulgada com maior freqüência e começou aí o meu interesse pela modalidade. Sempre motivado pelos competentes professores Caetano Scarpe e Marco Aurélio Targa segui o caminho de técnico. Desde a faculdade já se imaginava sendo técnico? Sim, quando entrei na faculdade em 2005 já tinha certeza que iria especializar em voleibol. Minha carreira acadêmica foi toda voltada para o treinamento, tive professores que me ajudaram muito. A quem, ou a quais pessoas você se espelha para ser tão vitorioso? Sem dúvida alguma me espelho no competentíssimo José Roberto Guimarães, técnico da seleção brasileira adulta, atual Bi-Campeã Olímpica. Por qual motivo você escolheu ser técnico de Vôlei? Desde criança, sempre me interessei em jogar voleibol, incen-

tivado por alguns familiares e professores. Tentei por 10 anos ser atleta, e para ser atleta de voleibol hoje o homem deve ter em média 2 metros e como não fiquei alto, também não tinha interesse em largar as quadras, optei fazer Educação Física e especializar em voleibol. Ser técnico de vôlei requer muita dedicação? Sim, muita dedicação! Ser técnico de qualquer modalidade esportiva não é fácil, é preciso abdicar de quase todos os finais de semana do ano, abrir mão daquela única hora de folga ou daquele final de semana com os amigos para se dedicar apenas aos treinamentos e competição. Mas sou um privilegiado em poder fazer o que gosto, é gratificante a cada dia receber um elogio dos meus gestores, dos pais de atletas e ver o sorriso no rosto de cada menina que esta presente em nosso projeto.


Sexta-feira 18 de outubro de 2013

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

19

P L A N E TA E S P O R T E : A Q U I , O E S P O R T E É P R I O R I D A D E

muito forte. Isso sim é acreditar que a força coletiva do esporte faz a diferença. Nesse ano você teve a convocação da atleta do Colégio CIAC Lara Gomes para Seleção Brasileira. Explica melhor como surgiu essa atleta que todos querem ver brilhar com a camisa do Brasil nas próximas Olimpíadas. Lara é uma atleta dedicada, que iniciou comigo aos 8 anos de idade e já medindo seus 1.70, hoje mede 1.92 com 14 anos e têm um dos biótipos mais invejáveis do voleibol brasileiro. Incentivada pelos pais continuou no vôlei e já acumula duas convocações para avaliação para Seleções Brasileira de Base. Treinando em Saquarema-RJ onde fica sediado o Centro de Treinamento do Brasil e entre as melhores do País desde Setembro, esperamos vê-la se destacar. Lara que já possui diversos convites para jogar nas melhores estruturas do país em 2014 escolherá sua equipe.

Como foi chegar em duas finais de Olimpíadas Escolares do Espírito Santo em 2013 e ser Vice Campeão pela CIAC e Tri-Campeão com o Darwin? 2013 foi um ano muito produtivo. Conseguimos chegar com possibilidade de ser campeão nas duas finais. São projetos novos que ainda darão muitos resultados para as instituições e para o povo de Cachoeiro. Esses títulos provém de muita dedicação e trabalho de todos, diretores, pais, alunos e técnico. Terminarei esse ano de alma lavada e com todos objetivos traçados alcançados. Agora viajaremos em Novembro para os Jogos da Juventude em Belém do Pará, competição essa que reúne os campeões de todos os estados em 8 dias para disputar o título nacional juvenil, até 17 anos na modalidade voleibol escolar. Qual a perspectiva para o Brasileiro desse ano, onde sua equipe do Darwin Cachoeiro vai representar o ES? Estar no Brasileiro já é um objetivo alcançado. Nosso Estado está na 3° divisão e o objetivo maior é chegar a final dessa divisão, sobem para 2° divisão os finalistas. A equipe está focada e bem preparada, agora é pedir a Deus que tudo corra bem e, quem sabe, trazer o ouro para nossa terra. Qual de suas conquistas mais te emocionou? Todos os títulos que conquistei tem seu lugar, cada vitória tem um gosto especial, mas esse ano foi diferente, trabalhei muito com as meninas, tanto do juvenil quanto do infantil. Despertar na atleta que ela pode ou é capaz não é tão fácil como vivenciar o jogo, vai muito além disso. E este ano fomos campeão com o juvenil invictos e sem perder nenhum set em uma final com adversário

Macário, qual sua principal preocupação com o esporte de Cachoeiro de Itapemirim? Cachoeiro é um celeiro de atletas, temos atletas para tudo quanto é canto do país. Atletas esses incentivados por instituições particulares, sem apoio algum dos órgãos esportivos municipais. É necessário oportunizar a todas as crianças condições esportivas, professores de Educação Física, quadra com mínimas condições de uso. Os governantes de nossa cidade deveriam olhar com mais sabedoria para o esporte, em todas as competições que participo existem projetos municipais de esportes, com equipes que viajam e incentivam as crianças através do esporte a se tornar cidadãos menos ociosos, acreditando que é possível a transformação através do desporto. Nosso município não tem nenhuma escolinha de voleibol pública, as que têm são particulares.Q uantas crianças de mais de 1.90, quantos talentos perdidos, escondidas em suas casas, ociosas e a disposição das drogas em nossas periferias teríamos hoje em Cachoeiro? Essa é minha maior preocupação, não levar o esporte para todos em nosso município. E de futuro Macário, o que você espera do futuro? Quanto ao futuro, em 2014 pretendo dar continuidade nos projetos, agregar novos atletas e trabalhar muito. Aproveitando quero agradecer as instituições que trabalho por cada ano como gestor dos projetos, professor das escolinhas e técnicos das equipes, por todas elas acreditar que e possível o desenvolvimento do aluno através do esporte. Quero agradecer aos meus familiares e amigos por sempre estar me motivando e apoiando sempre. Não poderia deixar de agradecer a produção da revista Planeta Esporte que está sempre divulgando o esporte de Cachoeiro. E a todos o meu muito obrigado! E-mail: planetaesporte@hotmail.com

EXPEDIENTE

PLANETA ESPORTE planetaesporte@hotmail.com Adilson Costa Conti-MEI CNPJ: 12.362.809/0001-42 Rua Pedro Estellita Herkenhoff, 42 Bairro Basiléia Cachoeiro de Itapemirim-ES Diretor Adilson Conti adilsonconti@hotmail.com adilsonconti@yahoo.com.br


20 Esporte Anuncio

Sexta-feira 18 de outubro de 2013 P L A N E TA E S P O R T E : A Q U I , O E S P O R T E É P R I O R I D A D E

Jornal Hoje Notícias • O jornal de Verdade

www.hojees.com

Conti Estrela do Norte F.C Comigo Com objetivo de descentralizar as ações e as responsabilidades, o presidente Adilson Conti, do Estrela do Norte, já vem se movimentando para 2014. Reuniões vêm acontecendo entre o dirigente e o grupo que o apóia e que fará parte do Grupo de Gestão que vai administrar o clube.. O futebol está entregue ao Conselheiro Geraldo Altoé que vai coordenar o Departamento. O Conselheiro Bruno Mazoco é o Consultor Financeiro e terá em seu quadro os Conselheiros Danielo Moreira, Renan Moreira e o contador Edmar Rodrigues Ramos. Marcelo Chocolate e Fernando Maitan, são os responsável pelo departamento de Patrimônio. O Grupo deverá ter no total 12 pessoas. Algumas ações que serão implementadas estão sendo analisadas e deverão entrar em pauta nas próximas reuniões do grupo. O SITE do clube entra no ar ainda este mês e você poderá acessá-lo para se tornar sócio torcedor. O endereço é: www.estreladonortefc.com.br.

Deputado Rodrigo Coelho é estrelense assumido e vai estar colaborando com o Estrela em 2014

Família Martins. Natal, Fabricio e Vitor, todos estrelenses e rubro negros

Everton Coelho, diretor de esportes do Jaraguá e grande estrelense

Marcelo Chocolate ao lado de Zezé, homem forte da Devassa em Cachoeiro

Marcus Vicente deverá ser um dos vices presidentes da CBF e vai passar o comando do futebol capixaba

Perto de aposentar na 2ª Ciretran de Cachoeiro, o comentarista Orlando Luiz deverá ser candidato a vereador em Muqui, sua terra natal


Edição 168