Page 1

adePede minha screSss


Mandy Eileen Перевод Арольдо де Кампос

Silentium Он еще не родился. Просто песни и поэзии, И это в полной гармонии Со всем, что есть жизнь.

Синус волна брюки в мире, Но она сияет, как безумный день И пены бледная сирень Заключается в синий туман бассейна.

Это завис на моих губах Тишина оригинальные В записке кристаллической Чисто с рождения!

стихи и песни, Будьте справедливы пены Афродиты, Сердце, сердце презирает Кто сожительствует с жизнью!

Deixa a palavra escorregar, Como um jardim o âmbar e a cidra, Magnânimo e distraído, Devagar, devagar, devagar.


Minha loucura, outros que me a tomem Com o que nela ia. Sem a loucura, que é o homem Mais que a besta sadia, Cadáver adiado que procria? Fernando Pessoa

Dizem que finjo ou minto Tudo que escrevo, não. Eu apenas sinto com a imaginação. Não uso o coração. Por isso escrevo ao meio Do que não está ao pé. Livre do meu enleio


Sério do que não é. Sentir? Sinta quem lê! Fernando Pessoa

O poeta é um fingidor Finge tão completamente Que chega a fingir que é dor A dor que deveras sente.

E os que leem o que escreve Na dor lida sentem bem, Não as duas que ele teve Mas só as que ele não tem.


Eu conheço a sua alma. A fonte de sua existencia. Essa memoria ninguem vai tirar de mim. Nem você. Isso e tudo que eu tenho. Feliz? Feliz? Você esta feliz? Você não se importa com felicidade, eu sei. Eu sei tudo que se passa em sua mente. Em sua alma. Eu sei. Orgulho. Falsidade. Ódio. Mentiras. Isso vai te deixar livre? Isso vai fazer alcançar seus objetivos? Eu tenho sua vida em minhas mãos. Mas não me importo.


Não me importo com o que você e. Com o que você foi. Com o que você será. Isso esta guardado dentro de mim. Não me importo com sua arrogância. Eu provei que sou forte. Provei que você e o covarde. Essas vozes vão ecoar eternamente. Não me importo. Nem em morrer.

Mandy Eileen


A dor já não é mais dor Quando proveniente de um amor Nem a loucura pode ser Chamada de loucura Por procurarmos em um amor amargo Sua inexistente doçura. E a sorte que já não me abraça, A solidão meu simples sorriso disfarça. Perco-me nas estradas tortas, E longas dos meus pensamentos


E nessas estradas me vejo sempre.. Triste e sozinha, em todos os momentos. Nas estranhas entranhas Da minha mente demente Eu ainda penso em vocĂŞ Nas madrugadas geladas Ou em tardes ensolaradas Eu ainda penso em te ter Em bebidas ingeridas Amargas como nossas vidas


Eu ainda sonho com você No eterno fogo do inferno Ou mesmo no gelo do inferno Eu ainda morreria por você Na eterna vontade De querer a eternidade Eu ainda sofro por você; Mesmo em forma de cinza. Eu ainda amo você.

Mandy Eileen


Ao Saam.

Quem é o louco que ainda vive por amor? Quem espera que lhe seja correspondido, Que seja cheio de flores, e não de dor? Mentiras e traição. Me foi ensinado, desde berço, A não ter compaixão. Ódio, tortura, vingança é o que verás em minha alma. Rejeição, sofrimento, ambição por nada... E se enquanto lê, não desistir, e se ainda assim persistir e esperar. E me amar nesse mundo cheio de imperfeição. Procura-me, mostra-me o amor E seja um dos únicos que me encontrarão. Mandy Eileen


Que é loucura: ser cavaleiro andante Ou segui-lo como escudeiro? De nós dois, quem é louco verdadeiro, o que acordado, sonha doidamente, o que, mesmo vendado, vê o real e segue o sonho de um doido pelas bruxas embruxado? Eis-me, talvez, o único maluco. e me sabendo tal, sem grão de siso, Sou – que doidera! – um louco de juízo. Deixar as palavras saírem sem rumo, sem prosa, sem medo


O amor mudando tudo Você não estará lá por mim. Eu não me importo. Não me importo. Se está morto ou se continua vivo Eu juro que não me importo. Eu tento fazer isso através da minha vida, Em meu caminho, lá está você Eu tento fazer isso através dessas mentiras E é tudo o que eu faço Só não negue isso Só não negue e encare isso E lidar com ele E isso é apenas parte disso


"Seja essa frase o nosso adeus" - grito, de pé, com aflição. "Vai-te! Regressa à tempestade, à noite escura de Plutão! Não deixes pluma que recorde essas palavras funerais! Mentiste! Sai! Deixa-me só! Sai desse busto junto à porta! Não rasgues mais meu coração! Piedade! Sai de sobre a porta!" E o Corvo disse: "Nunca mais." E não saiu! e não saiu! ainda agora se conserva pousado, trágico e fatal, no busto branco de Minerva. Negro demônio sonhador, seus olhos são como punhais! Por cima, a luz, jorrando, espalha a sombra dele, que flutua...

E a alma infeliz, que me tombou dentro da sombra que flutua, não há de erguer-se, "Nunca mais". Edgar Alan Poe – O corvo.

Desabafo Uma vez mais caiu e se perdeu. Vocês não me deixam em paz. Estremeceu e agonizou quando nessa fortaleza entrou.


Amor e Magia que só fazem piorar. Sem nunca entender o sentido de família, realmente não sabia como fazer parar. Vem por entre as sombras, Aquela que ninguém nota, Ninguém vê. Caminhando despercebida por entre muros de pedra. Sempre como um vaso que não se quebra,


mascarando sua dor. E as palavras... vazias, não denotam alegrias nem remetem ao leitor. Mandy Eileen

O jogo das palavras. Não basta um olhar, mas sim acreditar. Acreditar que virá me buscar? Mas sem esperança, e sem rancor. Quantas vezes devo repetir o quão sincero é meu amor?


Ok, você ganhou, mas eu ganhei meu dia. Você não decidiu, o que de mim queria. Eu? Queria apenas um beijo, para matar meu desejo, Você por perto é meu prêmio Saam, não vou me deixar enganar, Palavras tão fortes, que me faltam o ar Mas sei que, no fundo, não é bem assim. Estás errada, acredites em mim, Quando eu falo sorrindo, não é para ter um fim. Sua companhia já me pagou o bastante, estou sem cabeça para pensar.


As belezas da vida ao teu lado, Mas sem rimas, sem esquemas. Só pude dizer: Te amo.

Mandy Eileen Saam Radcliffe. É hora de escrever tudo Aquilo que tem passado A dor está indo embora, devagar. Mas o que me perturba é esse lugar. Gentilezas, bons modos, amizade. Tudo que antes nunca conheci


Mesmo com minha arrogância. E orgulho. Surpreendem-me com seus sorrisos, Falsos amigos Mascarando o verdadeiro caráter, Magoando, mentindo, esnobando, Achando que poderão me atingir. Não vou acreditar em vocês, malditos mentirosos. Não vou mudar por ninguém - Nem por você – Portador de meus sonhos Submisso à minha alma Isso não me acalma


O que importa é continuar a escrever. Pois se eu perder as palavras Não haverá mais sentido, devo desistir E seria mais fácil morrer. Mandy Eileen Sem nome, sem compreensão. Meus poemas assim serão. Ver tudo mudar assim, confuso. Uma gentileza imposta pela sociedade Quem nisso vê maldade? Arrogância e desprezo,


Se não importam as boas maneiras Para mim és tolo, tantas besteiras Que já não alcançam a dor. Deixar entregar, assim tão fácil E pensar, posso acabar como você. Memórias. Feridas. Curas. Aos meus olhos não é simples Como os outros podem ver. Não me importa se não for capaz de compreender. Não há nada para você. Se não fossem as memórias de sua Deplorável e mesquinha alma.


Comigo ficarão Para sempre Guardadas No Coração. Mandy Eileen Amor é o nome disso. À Everdeen Sem julgar o meu caráter Quem sempre impõe à sociedade Como eu sou, o que vê. Aproxima-se, gentilmente Quando preciso estás presente. Mereces mais do que palavras


Mas palavras são sentimentos, a quem lê. Por isso deixo registrado, Da única maneira que sei. Escrevo de bom grado Tudo que de ti pensei. Àquele que possui Toda minha gratidão. Matthew Spencer. O calor do seu abraço e a simplicidade de sua fala, o egoísmo e as mentiras, o sentimento que me embala. Se perguntar, assim será meu lar.


Fraqueza Certeza De n茫o voltar atr谩s Em minha mente Demente A Pensar e semPre mais. Mem贸rias Guardadas Por mim Protegidas. Hist贸rias. Pessoas.


Amadas. Esquecidas e afundadas Em um Poço de Podridão. Sinto muito, Lá ficarão. Mandy Eileen Ao Saam Ainda tenta me enganar Como pode ser tolo assim? Acreditas que continuará Levando-me com tuas palavras, até o fim.


Bem sabes como posso ver Seu passado, seu presente Por mais que estejas ausente HĂĄ artimanhas, outros meios, nĂŁo crĂŞ? Pode tentar Se aproximar, novamente Cautela! Deixo um aviso: para ti minhas palavras acabaram Como se esgota a parafina de uma vela. Eu achei que seria o fim De todo o sofrimento Engano meu, pensar assim.


Esperança e descontentamento.

Mandy Eileen Se aPrendi a desconfiar Porque ainda tento me enganar? Não é possível Que eu esteja caindo Nas armadilhas que antes pensei. E a cada dia se mostra Mais falso e rancoroso E é claro, é como eu imaginei.


Se eu quero me livrar? NĂŁo. Mas um dia precisa acabar. Em algum momento, Se eu continuar vivendo E acumulando esse sentimento. Ah! Mas vou conseguir libertar A busca pela magia Aquela que extingue, por toda eternidade. E se eu tiver coragem Inundada serĂĄ.


Acha que não posso? Espere e verá. Mandy Eileen Quando acho que não posso mais Lá vem tu, ah, acaba comigo! Mas e ai, que me importa, se seremos amigos? ... Reality Assim dizem: A loucura está presente em mim. Mas esses tolos não veem


Que as loucuras provem De um coração sofrido, Que anseia por um amigo Com quem possa contar. E eles dizem: “Você precisa amar!” Quem são para me julgar? Se aquele em quem confia Será o traidor. Pois sabes que a alegria Uma hora transforma-se em dor. Não seria diferente contigo Mas não o culpo.


Pois bons momentos passei. Momentos em um sonho maluco, Que não precisam acabar. Não é simples? Basta fechar os olhos, fingir não enxergar. E o meu dom, não adianta pedir. Mesmo que implore, não vou te ouvir. A chance já foi, confiança quebrou. Voltarei a sobreviver. Mas... Apenas por mim.

Mandy Gale.


O que eu vejo, além de meu ser Escuro, barulhento, maligno Não me deixa. Tentar viver. Desprezo. Rejeição. Dentro todos que não podem, Não poderiam ver. Vergonha. E se eu me perder? E não conseguir voltar... Irás tu me buscar? Basta. De amor não quero falar.

Mandy Eileen


Eu poderia dizer Que meu coração já não sente mais Toda aquela angústia, e dor. Mas é fácil escrever Quando o silêncio e escuridão me acompanham

Pois quando tu estás perto, recordo. Coração, alma e as lembranças. Sempre, sempre sonhando. Vou me livrar, Curar-me desse vicio. E quando perguntar, direi: Foi apenas como um solstício. De inverno, o mais frio.


E eu, sabendo onde cresci, Surpreendi-me com esse lado sombrio. Estou curada, posso sentir. Enquanto teus olhos eu não encontrar Porque os olhos? Essa maldição É esse o demônio que me assombra Nas madrugadas tempestuosas, Ou nos dias ensolarados, É o azul dos teus olhos, Vivos, profundos, debochados. Mandy Eileen 'O tempo é muito lento para os que esperam Muito rápido para os que têm medo Muito longo para os que lamentam Muito curto para os que festejam Mas, para os que amam, o tempo é eterno. ' William Shakespeare Nath Riddle.


A ciência ainda não nos provou se a loucura é ou não o mais sublime da inteligência. Tudo o que vemos ou parecemos, não passa de um sonho dentro de um sonho. Defino a poesia das palavras como a criação rítmica da beleza. O único juiz é o Gosto. Quando um louco parece completamente lúcido, é hora de colocar-lhe a camisa de força. E se a loucura não é o que procura Não vai conseguir provar, a minha doçura. Pois já é dito, há tempos escrito, ainda em cadernos de brochura, Apenas um louco, reconhece outro.


EsPerança tinha mas sabia Que tudo seria em vão Deixo aqui registradas Lembranças de meu coração. Que agora Pertence a outra Pessoa.


Mandy Eileen – por F.R.M. Exclusivo Hogwarts Live School RPG Online

http://hogwartsliveschool.blogspot.com All rights reserved.


Caderno de Mandy Eileen - RPG Hogwarts Live School  

anotações e recordações Para os jogadores do RPG Hogwarts Live School www.hogwartsliveschool.com

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you