Page 1

dossier

1


2


COmpanhia página 4 - 5

espetáculos página 6 - 25

OFICINAS página 26 -29

condições de apresentação & CONTACTOS página 30

3


COMPANHIA O Historioscopio nasce em 2013, como uma companhia de formato itinerante direcionada para o público infantil e familiar, com um repertório de espetáculos adaptáveis a diferentes espaços (convencionais e não convencionais). Desde a sua génese que Historioscopio tem uma grande preocupação em utilizar o potencial expressivo e dramatúrgico do teatro de marionetas para estabelecer uma relação de proximidade com o espetador. O nosso objetivo é explorar, a cada nova criação, as potencialidades cénicas e dramáticas da marioneta como veículo para contar histórias, indo de encontro ao espetador. Ao longo do nosso percurso artístico temos apresentado espetáculos em diferentes contextos: rua, salas de espetáculos, bibliotecas, instituições de ensino, eventos literários, etc. Neste momento a companhia aposta na digressão nacional e internacional dos seus projetos.

SAmantha Jesus Direção Artística Nasceu nos EUA, em 1989. É licenciada em Teatro - Cenografia pela Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo. Frequentou diversas formações na área do teatro de marionetas destacando-se 2 cursos de “Marionetas de Fios” e “Formas Animadas” com Marcelo Lafontana e um Workshop de Manipulação de Marionetas na ACE/Teatro do Bolhão com Tommy Luther. Fundou o Historioscopio - Teatro de Marionetas em 2013, sendo responsável pela encenação e criação plástica de todos os espetáculos da companhia, integrando também o elenco de alguns projetos como manipuladora de marionetas. Desenvolve atividade como cenógrafa freelancer e marionetista para diferentes entidades, das quais Marionetas da Feira e Teatro e Marionetas de Mandrágora.

Laura Felício Direção Musical Natural de Marinha Grande, nasceu em 1990. Licenciada em piano pela ESMAE e tendo frequentado o Conservatório de Leiria. Teve como orientadores os professores Constantin Sandu e Vesna Monojlovic respetivamente. Estudou piano jazz com Hugo Raro. No Historioscopio é responsável pela criação e interpretação musical nos espectáculos da companhia. Da sua atividade como pianista destaca o prémio Helena Sá e Costa 2013, bem como três 2º prémios a nível superior de Música de Câmara do Prémio Jovens Músicos. Atualmente é professora de piano nos colégios Oporto British School e Efanor e é membro integrante dos projetos ALTA(MENTE) e THE HOLY BEAT .

4


MARTAS ROSAS Interpretação Natural do Porto, Marta Rosas, concluiu o Mestrado em Teatro – Interpretação e Encenação na ESMAE (2016). Frequentou várias formações em Teatro com destaque para o curso de Formação Profissional de Construção de Marionetas - Marcelo Lafontana, Sílvia Fagundes; e um Workshop de Marionetas na ACE/Teatro do Bolhão - Tommy Luther. Do seu trabalho como intérprete destaca espectáculos como “O Filho de Mil Homens” – TeCA; “Ressurreição” - THSC; e “Idiota”; Ao longo da sua experiência académica e profissional colaborou com Ana Luena, Lee Beagley, Pedro Fiúza, João Sousa Cardoso, Diogo Costa Reis, Allex Miranda, Poliksena Hardalova, Palmilha Dentada, Iztok Kovac, Rui Sousa, Teatro a Quatro – Teatro para Bébes, entre outros. Colabora com a Cinemágica, onde realiza dobragens desde Nov. 2016 e é intérprete residente na companhia Historioscopio desde Fevereiro 2017.

Cláudia Gomes Interpretação Nasceu no Porto, em 1995. Concluiu o curso de Realização Plástica do Espetáculo, na Escola Artística Soares do Reis e licenciou-se em Interpretação, pela ESMAE. Estudou Marionetas na Universidade de Turku, na Finlândia no âmbito do programa ERASMUS+. Frequenta atualmente a pós-graduação em Dança Contemporânea (ESMAE/Rivoli, Porto) Da sua experiência profissional como actriz destaca espectáculos como: “Prozac” como Projecto Independente, “Ressurreição” com Lee Beagley, “Família Fragmentada” com Patrick Murys, “Porto, Granito e Sonho” com João Paulo Costa, “Rómulo, O Grande” com Palmilha Dentada e “Alice” com o Teatro da Garagem. É intérprete residente na companhia Historioscopio desde Outubro de 2016.

filipe moreira Interpretação

Natural do Porto, Filipe Moreira é coreógrafo, bailarino, ator e cantor. Licenciado em Coreografia pela Falmouth University (2012-2013, UK) e formado em Teatro pela Academia Contemporânea do Espetáculo (2005-2009). Estudou também figurinos e canto lírico. Em 2017 foi premiado pela Fundação Porosus, através da bolsa Caravane do Centre Nacional de la Danse de Paris, e em 2012 foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, onde desenvolveu um período de pesquisa de meio ano em teatro de rua, em São Paulo. Intérprete residente nas companhias de teatro Historioscopio (2017), Usina (2013-2017) e Radar 360 (2010-2017). Trabalha de forma independente e em colaboração com várias organizações/ instituições nacionais e estrangeiras, tendo já atuado em diversos eventos e festivais de diferentes países. 5


espetáculos “JOÃO PATETA” “Uma Lágrima no Oceano” “QUIQUIRIQUI” “história do caracol que descobiu a importância da lentidão”

“BravoS reis, bravos amores”

6


7


“JOÃO PATETA” Sinopse: Num velho casebre perto da floresta, vivia uma pobre senhora com o seu filho João, bom rapaz, mas um tanto simplório. As gentes da aldeia chamavam-lhe em tom de zombaria de “João Pateta”. A partir de um dos “Contos para a Infância de Guerra Junqueiro”, esta é uma aventura incontornável, onde aprendemos o valor da generosidade e da sabedoria. Um espetáculo muito divertido com música ao vivo. Este espetáculo é inspirado pelo imaginário das histórias tradicionais do meio rural, contadas e recontadas oralmente de geração em geração. É construido com base nas personagens e temas recorrentes deste tipo de narrativa: “O João”, jovem herói, cheio de boas intensões, mas ainda com muito para aprender com os mais velhos; “A Mãe”, personagem moralizadora; e a “velha trapaceira”, que tem tantos anos como a maldade humana. A proximidade criada pela comunicação imediata com as marionetas, fortalece a cumplicidade com o espetador que participa ativamente no espetáculo através de um conjunto de reacções. Um espetáculo intemporal para todas as gerações. Criação ARTÍSTICA Samantha Jesus Interpretação Cláudia Gomes e Samantha Jesus Cenografia e Marionetas Samantha Jesus Banda sonora e Música ao vivo Laura Felício Duração: aprox. 45 min. Faixa etária: Maiores de 3 anos

8


requisitos técnicos Rider técnico (espaços não convencionais) - acesso a corrente elétrica - mesa(s) com dimensões aproximadas 2m comprimento x 0,6m largura x 0,7m altura (se possível) Rider técnico (espaços convencionais) Pessoas afetas: 3 Interpretação: 2 Músico: 1 Necessidade técnicas de Luz : - mesa luz - 2 Pprojetores de recorte 550W - 3 PC 6650W Necessidades de Som: - PA adequado ao espaço - mesa mistura - cabelagem para ligação de uma DI à mesa mistura - piano acústico (se possível) Espaço cénico: - dimensões do palco mínimas 4m largura X 3m profundidade x 2m altura - dimensões do palco ideais 6m largura X 3m profundidade x 4m altura - panejamentos negros - mesa(s) com dimensões aproximadas 2m comprimento x 0,6m largura x 0,7m altura (se possível) Apoio técnico: - É necessário um técnico de apoio na fase de montagem, afinação e operação Previsão de montagem: 30 minutos (se realizada previamente a pré-montagem de luz) Desmontagem: 30min.

9


10


fotos de cena fotos por: Ana Sousa 11


“Uma Lágrima no Oceano” sinopse

Num futuro distópico em que as reservas de água esgotaram, uma menina e o seu avô fazem os possíveis para sobreviver como nómadas recoletores. Escondidos nas entranhas deste mundo árido e seco, vivem também os guardiões das águas, à espera da extinção dos homens para restabelecer o equilíbrio do planeta. Uma história que nos fará refletir sobre a importância dos pequenos gestos, para consertar os grandes estragos da ganância humana. Com pouca palavra, o espetáculo é conduzido pela banda sonora, interpretado ao vivo, com inspiração nos 24 prelúdios para piano do compositor francês Claude Debussy.

apresentação

Estamos tão habituados à presença da água que por vezes nos esquecemos da sua extrema importância. Mas e se chegar o dia em que o gesto de abrir a torneira não for suficiente? O desperdício e a poluição são provas de que a humanidade trata a água como se ela fosse um recurso inesgotável. Nesse sentido, o papel de cada um de nós é deter¬minante. Com este espetáculo queremos evidenciar a importância de cada gota de água e de cada pequeno gesto para a sua preservação.

Dramaturgia Nuno Santos Encenação Samantha Jesus Assistência de encenação Filipe Moreira Banda sonora e Música ao vivo Laura Felício Interpretação Cláudia Gomes e Samantha Jesus Cenografia e adereços Nuno Santos Marionetas Samantha Jesus Figurinos Maria de La Salete Santos Duração: aprox. 45 min. Faixa etária: Maiores de 6 anos Espaço recomendado: Interiores Convencionais

12


requisitos técnicos RIDER TÉCNICO Pessoas afetas: Interpretação: 2 Músico: 1 Necessidade técnicas de Luz: - 2 Varas de iluminação ou 2 torres laterais - mesa luz DMX com pelo menos 10 canais - 5 projetores de recorte 550W - 3 PC 650W - 2 PAR LED Wash RGB com base de chão Necessidades de Som: - PA adequado ao espaço - mesa mistura - 2 estantes - cabelagem para ligação de uma DI à mesa mistura - piano acústico (se possível) Espaço cénico: dimensões do palco mínimas 5 largura X 3 profundidade x 2 altura dimensões do palco ideais 7 largura X 5 profundidade x 4 altura panejamentos negros e piso negro Apoio técnico: É necessário um técnico de apoio na fase de montagem, afinação e operação. Previsão de montagem: 1 hora (se realizada previamente a pré-montagem de luz) Ensaio: 1 hora (se necessário) Desmontagem: 45min.

13


14


fotos de cena fotos por: Ana Sousa 15


“QUIQUIRIQUI” sinopse

Mamã galinha Amassa na cozinha Um bolo apetitoso Para o pintainho guloso Mas chega o gato malvado E está o caldo entornado! Quiquiriqui é uma adaptação livre de uma história tradicional que aborda a necessidade de prestar atenção aos bons conselhos e a importância de cumprir promessas. Um espetáculo muito interativo que pode ser adaptado a diferentes espaços convencionais ou não convencionais. Criação ARTÍSTICA Joana Teixeira e Samantha Jesus Interpretação Marta Rosas e Samantha Jesus Cenografia e Marionetas Samantha Jesus Duração: aprox. 45 min. Faixa etária: Maiores de 3 anos

16


requisitos técnicos Rider técnico (espaços não convencionais) - acesso a corrente elétrica - mesa com dimensões aproximadas 1m comprimento x 0,6m largura x 0,7m altura (se possível) Rider técnico (espaços convencionais) Pessoas afetas: Interpretação: 2 Necessidade técnicas de Luz : - 2 Pprojetores de recorte 550W Necessidades de Som: - PA adequado ao espaço - mesa mistura - Cabo de sinal de audio com entrada mini jack para ligação no palco Espaço cénico: - dimensões do palco mínimas 2m largura X 2m profundidade x 2m altura - dimensões do palco ideais 6m largura X 3m profundidade x 4m altura - panejamentos negros - ponto de corrente para cenografia - mesa com dimensões aproximadas 1m comprimento x 0,6m largura x 0,7m altura (se possível) Apoio técnico: - É necessário um técnico de apoio na fase de montagem e afinação Previsão de montagem: 30 minutos (se realizada previamente a pré-montagem de luz) Desmontagem: 30min.

17


fotos de cena fotos por: Ana Sousa 18


19


“história do caracol que descobiu a importância da lentidão” sinopse Os caracóis do País do Dente-de-Leão, estão habituados a um estilo de vida pachorrento e silencioso, e a chamar uns aos outros simplesmente “caracol”. Um deles contudo, apesar da reprovação dos companheiros, embarca numa aventura ousada rumo à liberdade. A partir do livro homónimo de Luís Sepúlveda, este projeto aborda a temática da educação ambiental, o respeito pelas diferentes espécies e o reconhecimento da importância de cada uma para o equilíbrio da natureza. Dramaturgia Catarina Joele e Samantha Jesus encenação Samantha Jesus Interpretação Cláudia Gomes e Samantha Jesus Marionetas Samantha Jesus Cenografia Samantha Jesus e Cláudia Gomes Banda sonora Original Laura Felício Construção da Máscara Inês Mota Duração: aprox. 45 min. Faixa etária: Maiores de 3 anos

20


requisitos técnicos Rider técnico (espaços não convencionais) - acesso a corrente elétrica Rider técnico (espaços convencionais) Pessoas afetas: 2 Interpretação: 2 Necessidade técnicas de Luz : - mesa luz - 2 Projetores de recorte 550W - 2 PAR LED 64 RGB Necessidades de Som: - PA adequado ao espaço - mesa mistura - Cabo de sinal de audio com entrada mini jack para ligação no palco Espaço cénico: - dimensões do palco mínimas 4m largura X 3m profundidade x 2m altura - dimensões do palco ideais 6m largura X 4m profundidade x 4m altura - panejamentos e piso negros Apoio técnico: É necessário um técnico de apoio na fase de montagem, afinação e operação Previsão de montagem: 30 minutos (se realizada previamente a pré-montagem de luz) Desmontagem: 30min.

21


22


fotos de cena 23


“BravoS reis, bravos amores” sinopse Um rei de cóleras explosivas que gosta de demonstrar o seu poder, um príncipe de paixões exaltadas e escandalosas, uma princesa rejeitada por todos e uma amante demasiado influente. Tudo isto num reino devastado pela fome e pela peste! Um divertido espetáculo sobre o trágico romance de D. Pedro e Inês de Casto. Uma Co-produção Historioscopio e Marionetas da Feira. Contexto narrativo e histórico O espetáculo é um retrato social do reinado de D. Afonso IV aos olhos de dois trovadores irónicos, encarregues de enaltecer os feitos de sua majestade, mas que em vez disso optam por um estilo mais satírico, ao tom das cantigas de escárnio e maldizer. A narrativa é baseada nos acontecimentos históricos e crónicas da época, abordando a trágica história de amor do Infante D. Pedro e a bela Inês de Castro, num registo humorístico e interativo, focado no exagero de características de personalidade das personagens. Criação artistica Rui Sousa e Samantha Jesus Interpretação Cláudia Gomes e Filipe Moreira Co-produção Historioscopio & Marionetas da Feira Duração: aprox. 30 min. Faixa etária: Maiores de 6 anos ESPAÇO RECOMENDADO: Contexto de rua

24


fotos de cena 25


oficinas criativas “os animais do país dente-de-leão” “Galinholas Tagarelas” “guardiões da água” “O joão, a mãe e a bruxa”

26


27


“os animais do país dente-de-leão” Esta oficina consiste na construção de marionetas das personagens do livro “História do Caracol que Descobriu a Importância da Lentidão”, de Luís Sepúlveda. Com recurso a meias, luvas e outros materiais reutilizáveis, os participantes criam e caracterizam os seus próprios caracóis, tartarugas, formigas, sapos e demais habitantes do País Dente-de-Leão. Duração: aprox. 45 min. Faixa etária: Maiores de 3 anos

“Galinholas Tagarelas” No seguimento do espetáculo “Quiquiriqui”, esta oficina tem como objetivo aproximar as crianças do universo das formas animadas. Cada participante constrói a sua personagem favorita com materiais reutilizados, inspirando-se das marionetas do espetáculo. Desta forma, as crianças são incentivadas a desenvolver os seus personagens deacordo com a sua criatividade e ainda a criar as suas próprias histórias. Duração: aprox. 45 min. Faixa etária: Maiores de 3 anos

28


“Guardiões da água” Este atelier propõe uma reflexão sobre a temática abordada no espetáculo “Uma Lágrima no Oceano”. Num contexto que incentiva o desenvolvimento da criatividade, cada participante constrói o seu próprio “Guardião da Água”. Esta será o ponto de partida para um projeto mais alargado em torno da educação ambiental para a preservação da água, sendo sugeridos num ambiente informal, alguns comportamentos que podem ser adotados no quotidiano e a importância de cada gota de água do oceano. Duração: aprox. 45 min. Faixa etária: Maiores de 3 anos

“O João, a Mãe e a Bruxa” Cada participante constrói uma figura animada simples de uma das personagens da história. As crianças são então desafiadas a recriar alguns momentos da história através de dinâmicas de grupo focadas na exploração da voz, contracena, e na expressão musical. Oficina associada ao espetáculo “João Pateta” Duração: aprox. 45 min. Faixa etária: Maiores de 3 anos

29


CONDIÇÕES DE APRESENTAÇÃO CONDIÇÕES LOGÍSTICAS - Acesso directo ao palco ou recinto por parte da viatura da produção; - Parqueamento de viatura de produção em local seguro; OUTROS REQUISITOS * Acompanhamento de um técnico familiarizado com o material (luz e som) durante a instalação, ensaio técnico e espectáculo. * Piso plano (sem irregularidades) e limpo, no caso de espetáculos na rua; * O palco ou recinto deve estar livre durante a instalação.

CONTAcTOS 937527772 historioscopio@gmail.com www.historioscopio.com www.facebook.com/historioscopio/ Rua Mouzinho da silveira 234/6/8 4050-417 porto

30


31


32

Dossier Historioscopio 2017/2018  

Dossier da companhia de Teatro de Marionetas Historioscopio para 2017/2018 (espetáculos e serviço educativo).

Dossier Historioscopio 2017/2018  

Dossier da companhia de Teatro de Marionetas Historioscopio para 2017/2018 (espetáculos e serviço educativo).

Advertisement