Issuu on Google+

Analisando as Novas Tecnologias Atuais

Valdeir Ferreira Camargo1

RESUMO Este trabalho é sobre as Novas Tecnologias Atuais, o foco do estudo é sobre como essas tecnologias atuais podem serem utilizadas em sala de aula. Aliás, no ensino em geral, o aprendizado tendo como suporte essas tecnologias novas.

ABSTRACT This work is on new technologies Current, the focus of the study is about how these technologies can be used in today's classroom. Indeed, education in general, and learning how to support these new technologies.

PALAVRAS-CHAVE: Artigo. Tecnologia. Aprendizagem. Educação.

1

Historiador, graduado pela Universidade Federal de Goiás em 2011. Especialidade: História Visual, História Cultural. Latu sensu em andamento pela Faculdade Internacional Signorelli em 2012. E-mail: Historia@valdeircamargo.com.br


INTRODUÇÃO

A análise sobre as novas tecnologias atuais é um tema rico porque o processo de aprendizagem é de certo modo dinâmico, não aceitando a estagnação do ensino que pode ser causada pelo desprezo pelas novas tecnologias. Essas novas tecnologias possuem um papel fundamental na importância da democratização do ensino e no acompanhamento das novas gerações. Os professores devem então se adaptar as novidades tecnológicas a fim de entrar na mesma frequência de entendimento do aluno para que ocorra o conhecimento construído, já que há o entendimento que o estudante é o protagonista de seu ensino e vida, sendo auxiliado e guiado por seu professor. Há muito o que se estudar sobre esse novo sistema de ensino-aprendizagem, sendo assim o artigo deverá não só manter a porta aberta sobre o tema como também abrir novas portas para os que irão lidar com a área de educação. A busca incessante pelo conhecimento não pode apenas permanecer na teoria, deve ir para a sala de aula. Ocorre então no artigo uma análise de discursos e uma dialética entre as fontes a fim de chegar em uma conclusão mesmo que ainda prematura. Enfim, a criação do artigo servirá para que o senso crítico seja criado e fortalecido nos estudantes.

O Homem e a tecnologia A humanidade sempre passou por diversos desafios, de sua origem até no atual século XXI. Para o Homem sobreviver no período “pré-histórico” o mesmo teve que criar ferramentas que facilitassem a sua condição atual – no caso a caça. A caça era importante porque o homem dependia dela para se alimentar e procriar, mantendo assim a espécie “viva”. De certo modo, o homem dependeu de sua inteligência, que é


a mesma que cria a tecnologia. Ou seja, dependeram de “tecnologias da inteligência” (Pierre Levy, 1993).2 Com a inteligência, ferramentas foram criadas, tais criações facilitaram a vida do homem mantendo assim a sua existência e criando um domínio unilateral do homem perante as outras espécies biológicas. O progresso tecnológico do homem não tem de fato a ver com a moral do mesmo, prova disso são os conflitos civis e as guerras mundiais, mas se a tecnologia já foi usada para causar danos à inocentes, então há de se acreditar que a grande parcela altruísta deva orientar a tecnologia para o progresso moral da existência humana, uma dessas orientações é agregar a educação tendo como suporte o aparato tecnológico, ou seja, a tecnologia. A Tecnologia e o Ensino A tecnologia vem sendo adaptada para serem usadas nas escolas do Brasil. Existem variados aparatos tecnológicos na escola como; rádio, internet, retroprojetor, televisão e afins. O uso desses aparelhos é de extrema importância para a democratização do ensino e a acessibilidade das informações em tempo atual. A cidadania é formada através da sociabilização que esses aparelhos tecnológicos geram e criam então uma igualdade na construção desse conhecimento. Há então de ocorrer uma adaptação dos professores com essas novas mídias 3 e com o modo de usá-las, pois, o aluno é o protagonista da escola, todo o conhecimento deve ser construído, não deve haver no ensino a ultrapassada forma de aula conteudista. Aulas em que o discente não constrói conceito, mas apenas recebe de forma “bancária” - como Freire disse que o ensino assim deixou de ser desde 1970. Apesar de que infelizmente ainda existam professores que insistem nos erros de transformar o estudante em um “banco de dados – receptivo” como fazem os cursinhos prévestibulares. Há então de se lutar contra a ideia de que a informação só pode advir de livros e do 2

LÉVY, Pierre. As tecnologias da Inteligência – O futuro do pensamento na era da informática. São Paulo. Editora 34. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2004 3 Acredita-se que o computador associado às tecnologias de comunicação pode ser um recurso educacional muito mais efetivo se utilizado como mediação de aprendizagem num processo interacional AH Catapan, FAP Fialho-Educação, Porto Alegre: PUC/RS


conhecimento escrito. O conhecimento se dá através de novas tecnologias e elas podem se relacionar com a educação. Tecnologia é tudo que é criado pelo Homem a fim de facilitar a sua vida, e alcançar o resultado de forma mais precisa ou rápida. Assim ferramentas que facilitam a solução, é tecnologia.

Tecnologia no Ensino; estudando a EaD. As novas tecnologias educacionais que foram e estão sendo utilizadas para gerar e compartilhar conhecimento se dão através do rádio, televisão, internet, vídeos e outros. Silvane Guimarães mostra a evolução do Ensino a Distância e a importância que as tecnologias tiveram para o crescimento do conhecimento. O rádio teve a sua primeira aparição em meados de 1923. EDGARD ROQUETTE PINTO4, da Academia Brasileira de Ciências, que criou a pioneira Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. E além prosseguiu, em 1939 veio a fundação do Instituto Rádio-Monitor, e só teve sequência positiva, pois em 1941 várias experiências com o rádio surgiram. Isso demonstra o tão importante é o rádio no processo de aprendizado. É uma tecnologia que abriu portas para os outros aparatos tecnológicos, como por exemplo a televisão que surgiu o primeiro EaD em 1961 pela TV RIO. O sucesso de adaptar as tecnologias para a educação foi de forma tão grande que em 1996 a rede globo lançou o telecurso 2000 que era disciplinas para Ensino Fundamental e Médio. A grande dificuldade é transformar a tecnologia em suporte educacional, transformando assim em tecnologia educacional. As novas tecnologias educacionais pareciam cada vez mais forte dentro do ensino, e o sucesso se estabilizou, sendo assim a partir de 2005, as universidades, faculdades e os centros tecnológicos podem oferecer até 20% da carga horária total de qualquer um de seus cursos 4

O amadorismo da rádio era tão flagrante quanto a boa vontade dos que a faziam. A programação também não era de cunho exatamente popular, mas ninguém se importava: os aparelhos eram caros naqueles primeiros tempos, poucos podiam possuí-lo e esses poucos gostavam do que a rádio punha no ar. O que os desagradava era o som terrível das transmissões. Os jornais viviam cheios de cartas protestando contra os ruídos e chiados da PRA-A e temendo pelo futuro do rádio no Brasil, caso aquilo não melhorasse. Roquette, com sua larga visão histórica, não se assustava com a ameaça: “Nós, que assistimos à aurora do rádio, sentimos o que deveriam ter sentido alguns dos que conseguiram possuir e ler os primeiros livros”, ele disse ao microfone. R Castro - Revista espe, 2002 -

locutor.info


presenciais na modalidade a distância, desde que o referido curso seja reconhecido pelo MEC. A tecnologia caminha a passos largos, sendo assim o processo de aprendizado EaD passou do rádio, para a televisão e foi fácil chegar no computador, vídeos que tem a possibilidade de serem acessados através da internet. O computador é um mecanismo de auto-avaliação e inclusão social para os alunos.

Tecnologia na escola; no ensino em geral. O professor deve levar para o seu local de ensino materiais didáticos diversos, na busca de causar no estudante a curiosidade de compreender o objetivo do seu professor. Auxiliar o discente a buscar na internet informações para complementar suas pesquisas, e evitar o famoso “copia e cola”, divulgando assim sites informativos, bibliotecas virtuais e vídeos online para que os alunos possam apreender aquele conhecimento. A escola deve incentivar o professor a utilização de filmes, documentários, retroprojetor, utilização de bibliotecas virtuais, programas de rádios e qualquer aparato tecnológico que tenha sido adaptado à área de educação.

Referência Bibliográfica FIS;Faculdade Internacional Signorelli, Docência no Ensino Superior, EaD. 2012. LAKATOS, Eva Maria. Marconi, Marina de Andrade. Metodologia Científica;Ciência e Conhecimento Científico; Métodos Científicos, Teoria, Hipóteses e variáveis. Atlas; Revista Ampliada; 1. ed. 1982; 8. tiragem – 1989; 2; ed. 1991; 2. tiragem. GOMES. Silvane Guimarães Silva. História da EaD no Brasil. E-Tec Brasil – Tópicos em educação a distância. CORRÊA, Juliane. O cenário atual da educação a distância. In: SENAC. Curso de especialização a distância. E-Book. Rio de Janeiro: Editora Senac Nacional, 2005. LANDIN, M. M. P. F. Educação a distância: algumas considerações. Rio de Janeiro, 1999.


AH Catapan, FAP Fialho-Educação, Porto Alegre: PUC/RS LÉVY, Pierre. As tecnologias da Inteligência – O futuro do pensamento na era da informática. São Paulo. Editora 34. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2004


Analisando as Novas Tecnologias Atuais