Issuu on Google+

Colégio Salesiano São José Natal, __ de ______ de 2007

JK: “Eu não nasci para ter ódios nem rancores, nasci para construir”. Componentes: • Alexandre Augusto  Renan Moura • Vitor Emanuel

Sumário

Nº 01 33 38

Pág.


Introdução................ 02 • Apresentação • Resumo Desenvolvimento............ 03 • Vida pré – presidência.03 • Governo de Juscelino... 04 • Economia............. 05 • Política.............. 07 Conclusão................. 08 Referências................ 10 Introdução

01


• Apresentação Uma das figuras que fez e marcou a história brasileira, sendo um dos poucos políticos, desse país abençoado, que realmente cumpriu o que prometeu, transformando 5 anos de governo em 50 anos de progresso. Aqui você encontrará toda a sua vida. Dês de onde e quando nasceu até onde e quando morreu, além de suas realizações como político. Aqui você também encontra obras feitas em sua homenagem.

• Resumo De todos os chefes de Estado, JK, foi quem deu régua e compasso ao Brasil e o ajudou a compor sua identidade e mostra-la ao mundo. Dos "anos JK" ainda se escuta suas “idéias/façanhas”: num ritmo desafinado, a industrialização alcançou seus mais altos “decibéis”, as belas- letras se fizeram mais belas, o país entrou numa modernidade, que só vendo. Mas finalmente: Quem foi JK, o presidente que fez uma capital em menos de quatro anos? Sim. Más também foi um menino que gostava de jabuticaba, frango com quiabo e pescaria, cuja infância acabou com a morte prematura do pai? Também. Um aluno dedicado que virou médico; O prefeito de Belo Horizonte, que em três dias construiu uma avenida entre dois bairros, com meio-fio e calçamento; O governador de Minas Gerais aclamado pelo povo; E que será sempre lembrado em histórias, livros, bibliografias e monumentos espalhados Brasil a fora.

Desenvolvimento 02


Vida pré - presidência

Nascido em 12 de setembro de 1902 em Diamantina, Minas Gerais. Juscelino Kubitschek de Oliveira era filho de um caixeiro-viajante e de uma professora primária, Júlia Kubitschek. Seus primeiros anos de vida foram marcados de um lado por uma infância profundamente pobre, e do outro da perda de seu pai aos três anos. Ao completar seus estudos, Juscelino foi para Belo Horizonte em 1920, onde se empregou como telegrafista. Más, dois anos depois entrou na Faculdade de Medicina de Minas Gerais, onde se torna médico em 1927 e em 30 vai para a França para especializar-se em Urologia. Um ano depois volta ao Brasil torna-se o médico da PM de MG, onde ganha o título de Coronélmédico e faz amizade com o político e futuro governador Benedito Valadares. Nesse mesmo ano casa-se com Sarah Luiza Gomes de Lemos. “Sua vida sofre uma grande mudança em 1933 quando Valadares é nomeado interventor federal em Minas Gerais e nomeia o amigo como seu chefe de gabinete. Inteligente e culto, Juscelino inicia sua vida política na Chefia de Gabinete do Governador Benedito Valadares.”

Sarah e Juscelino

Sete anos depois Juscelino é nomeado prefeito de Belo Horizonte (1940-1945) pelo governador Benedito Valadares e realiza obras de remodelação da capital. Em 1946, é eleito deputado constituinte pelo Partido Social Democrático (PSD) e, em 1950, governador de Minas Gerais. Durante seu governo, implantou um sistema de metas, com objetivos a serem alcançados através do slogan "Energia e Transporte". >>>>>>>>>>>>>>>>>> Isso fez com que ele se torna um grande administrador e um político sagaz de fama nacional. E ao acabar seu governo, JK percebe que havia chegado o momento de lançar-se candidato à Presidência da República, com o apoio do Partido Social Democrático (PSD) e do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). No dia 4 de abril de 1955, JK dá inicio à sua campanha presidencial pela coligação PSD-PTB, em Jataí, Goiás.

03


Governo de Juscelino Com a morte de Getúlio Vargas, o Partido Social Democrático (PSD) e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) ajudaram Juscelino a ganhar a eleição, Juscelino foi eleito Presidente da República em outubro de 1955 com 36% dos votos — lembrando que na época não tinha 2º turno. Obteve 500 mil votos a mais que o candidato da União Democrática Nacional (UDN) (que no caso era o 2º colocado) e 700 mil votos a mais que o terceiro colocado. A União Democrática Nacional (UDN) tentou impor-se sobre o resultado da eleição, alegando que Juscelino não obteve vitória por maioria absoluta. Mas aí o ministro da Guerra, o general Henrique Teixeira Lott, garantiu a posse de Juscelino com um levante militar e em 11 de novembro de 1955.

Herrique Teixeira Lott (o último)

JK após ter ganhado a eleição

Obs.: Ele foi eleito em 1955, mas só assumiu em 1956. Juscelino Kubitschek era ousado e foi eleito em 1955, prometendo 50 anos de progresso em 5 anos de governo.

04


Economia Uma de suas primeiras medidas teria sido o Plano Nacional de Desenvolvimento ou Plano de Metas apoiado pelo slogan “Cinqüenta anos em cinco”. Esse Plano de Metas para a economia brasileira, que estabelecia 31 objetivos a serem alcançados em seu governo, priorizando os seguintes setores: energia, transportes, alimentação, indústria de base e educação. Os recursos para tal empreendimento foram trazidos na maior parte do exterior, isso teve uma conseqüência desastrosa (que será falada mais lá pra frente).

Principais realizações A criação da SUDENE - A Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste – que foi uma entidade destinada a promover soluções sócioeconômicas para a Região Nordeste do Brasil, más durante a Ditadura militar de 1964 foi tendo seu objetivo cada vez mais desviado, sendo considerada um órgão que, além de não realizar os seus objetivos, era um foco de corrupção. Por conta disso, após vários escândalos, em 1999 a imprensa iniciou um debate sobre a existência do órgão, por não esta executando o seu trabalho e acabou sendo extinta em 2001 por Fernando Henrique Cardoso. A construção das barragens de Furnas e Três Marias para a obtenção de energia elétrica.

Furnas

Três Marias

05


“Outros importantes empreendimentos realizados durante o governo de JK foram as construções das rodovias Belém-Brasília e Brasília-Acre.” “JK era sonhador e realizador. Ousava fazer e sabia fazer. Executou o antigo projeto de mudança da capital e conseguiu que, em apenas 42 meses (três anos e cinco meses, um tempo record), fosse construída Brasília – a nova capital do Brasil. Inaugurada em 21 de abril de 1960, Brasília é considerada hoje uma das mais relevantes obras da arquitetura e do urbanismo contemporâneos. Foi símbolo do desenvolvimento do país, a cidade foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e pelo urbanista Lúcio Costa, tornando-se um exemplo da arquitetura moderna. Oscar Niemeyer >>>>>>>>>>>>

Em 7 de setembro de 1987, foi tombada pela Unesco e registrada como patrimônio histórico e cultural da humanidade. A construção de Brasília ajudou a desenvolver o interior do país e tirou o excesso de poder do eixo Rio-São Paulo. Até hoje não se sabe o exato custo da construção da nova capital. Nos anos 60, falava-se em 1,6 bilhões de dólares. “Mas o certo é que esse gasto fez com que a inflação subisse descontroladamente, o que perduraria por três décadas.”

06


A abertura do mercado brasileiro para as multinacionais, como:

“O resultado de todas essas grandes realizações, foi a produção industrial ter aumentado em 80% e no final do seu mandato como Presidente. O Brasil apresentava pela primeira vez um PIB industrial maior do que o PIB agrícola.”

Política Alguns historiadores chamam a política econômica de Juscelino de desenvolvimentismo, que seria qualquer tipo de política econômica baseada no crescimento da produção industrial e da infra-estrutura, com participação ativa do estado, como base da economia e o conseqüente aumento do consumo. Essa política só beneficiava a burguesia e a classe média alta, capaz de comprar os bens de consumo produzidos pelas novas empresas. A urbanização cresceu de forma acelerada, facilitando a expansão desordenada das cidades. O Brasil vivia o que se chamava então de um intenso processo de "modernização" política e econômica e sofria todos os impactos, positivos e negativos, daí decorrentes. Infelizmente nada é perfeito e esse plano de metas não foi exceção, pois não atingiu todas as regiões nem todos os grupos sociais (gerando aí uma certa desigualdade social), tomamos como exemplo o fato dos trabalhadores rurais terem sido esquecidos pelo governo; ou ainda do salário mínimo ter diminuído (em seu governo) devido a alta inflação e que a maioria das industrias (principalmente as automobilísticas) irem parar direto na região Sudeste, fazendo com que houvesse uma enorme migração para o Centro-Sul. Além da enorme dívida externa que JK deixou após seu mandato, só para se ter uma noção: estima - se que começo de seu mandato a dívida era de 1,5 bilhões de dólares após seu mandato a dívida aumentou para 3,8 bilhões de dólares. E assim “Com a visão de estadista, que pensa nas gerações futuras, e a paciência do político, chegou ao fim do governo consagrado pelo povo.”

07


Foi sucedido, em 1960, por Jânio Quadros. >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> Mas não acaba por aí. JK ainda foi eleito senador pelo estado de Goiás. Mas ele queria mais. Juscelino ambicionava disputar as eleições presidenciais de 1965, mas em junho de 64 teve seu mandato (de senador) e seus direitos políticos cassados pelo regime militar. Depois disso ainda viveu em Nova Iorque e em Paris até regressar ao Brasil em 1967. Foi membro da Academia Mineira de Letras, e foi candidato à Academia Brasileira de Letras, mas foi derrotado pelo escritor Bernardo Ellis. Faleceu em 1976, em um trágico acidente automobilístico na via Dutra, perto da cidade de Resende, no estado do Rio de Janeiro.

Conclusão Em seu governo muitas coisas deram realmente certas, como: a criação de Brasília; a construção das barragens de Furnas e Três Marias além da abertura de nossas portas para as multinacionais. Mas também um monte de coisas não dera certo não, como: o fato do desenvolvimento econômico do país não ter atingido todas as classes sociais; o fato das empresas multinacionais irem parar todas ou em SP o no RJ >>>>> havendo aí uma concentração de poder; o fato da SUDENE também não ter dado certo, além do pior dos prejuízos que foi de fato a Dívida Externa ter dobrado, após o seu governo. Bem... Como se pode ver Juscelino Kubitschek, ou JK como era conhecido, foi um presidente que teve os seus dois lados da moeda, sim, pois visto por uns trouxe progresso e desenvolvimento a economia do país, já nos olhares de outros nos deixou um grande prejuízo, além de gerar uma desigualdade social – e realmente os dois lados estavam certos. Mas com certeza ele é lembrado por muitos, historiadores... Políticos de hoje como (uma expressão que nós mesmos o denominamos) “O CARA”. “O CARA” que mostrou a cara do Brasil para o Mundo, abrindo as portas da economia. “O CARA” que foi a luz no fim do túnel para o futuro brasileiro. “O CARA” que “transformou 5 anos de governo em 50 anos de progresso”.

08


E para comprovar isso basta ir a Brasília e vê lá vários monumentos em sua homenagem, como: O Memorial JK é um museu na cidade de Brasília projetada por Oscar Niemeyer, inaugurado em 12 de setembro de 1981. No local, encontram-se o corpo de JK, diversos pertences, como sua biblioteca pessoal, e fotos tanto dele como de sua esposa Sarah. >>>>>>>>>>>>>>

Ou ainda A Ponte JK, que desde sua inauguração, tem atraído turistas, engenheiros, arquitetos e profissionais, estudantes, curiosos, gente da cidade e de todo o Brasil interessada em contemplar a obra.

09


Referências: http://www.memorialjk.com.br http://pt.wikipedia.org/wiki/Juscelino_Kubitschek http://www.vivabrazil.com/jkubitschek.htm http://www.brasilescola.com/historiab/juscelino-kubitschek.htm http://www.10emtudo.com.br/artigos_1.asp?CodigoArtigo=46 http://www.universia.com.br/html/materia/materia_baajb.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/SUDENE http://www.brasiliaconvention.com.br/turismo_atracoes_ponte.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Memorial_JK http://flog.clickgratis.com.br/detonados/175593 http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia.php?c=575 Livro: Juscelino Kubitschek - o Presidente Bossa – Nova Autor: Marleine Cohen Editora: Globo Editora

10


Juscelino Kubitschek