Page 1


A revista Hippo é uma publicação da Editora Sul Publicações Ltda. Comercialização: Editora Sul Publicações Ltda. E-mail: revistanutriresaber@hotmail.com Maria Helena José: (48) 9998 6737

Foto Capa: Renato Gama Projeto Gráfico: Larissa Harsteln Revisão de Texto: Cleusa Iracema Pereira Editora Responsável: Maria Helena José Planejamento e Concepção do Projeto: Maria Helena José Impressão: Tipotil

www.hippo.com.br www.facebook.com/HippoSupermercados Twitter: @redehippo Loja 01: Rua Almirante Alvim, 555 Centro - Florianópolis Loja 02: Rua Almirante Lamego, 761 Centro - Florianópolis Fones: 0800 480304

Editorial Caro leitor, É com imensa satisfação que chegamos ao número 23 da Revista Hippo. Entre as matérias selecionadas para compor esta edição, apresentamos um texto sobre os produtos premium, cada vez mais presentes no mercado devido às exigências dos consumidores, que procuram produtos com qualidade. A seção Cliente HIPPO faz traz uma matéria do produtor de eventos Ezequiel Maia, que versa sobre a importância de fazermos um bom planejamento, para sermos bem-sucedidos naquilo que realizamos. Na seção Chef convidado, apresentamos uma deliciosa receita de costeleta de cordeiro, fornecida por Renato Garcia Justo Júnior, proprietário do “La Provence Bistrô”, um charmoso bistrô situado na Lagoa da Conceição. Destacamos também, na seção Entretenimento, uma matéria sobre Fabiano Silveira, bailarino, professor de dança e coreógrafo que tornou a capital catarinense na sede de um dos maiores e mais refinados eventos de tango do Brasil. Para a seção Chef Hippo, Vilmar Turnes elaborou uma matéria sobre a harmonização de peixes com vinhos. A seção Nutrição Hippo apresenta um texto de autoria de Thaís Lourenço Nogueira, nutricionista do “Programa de Atenção aos Transtornos Alimentares” da Universidade Federal de São Paulo, que versa sobre o que é seletividade alimentar e como evitá-la. Por fim, na seção Responsabilidade Social, o destaque é para o projeto “Procurando Caminho”, desenvolvido pelo Centro Cultural Escrava Anastácia, que recebeu o Prêmio Anu 2013 como o melhor projeto social desenvolvido no estado de Santa Catarina. Aproveitamos para parabenizar essa instituição e todos os responsáveis por contribuir direta ou indiretamente para a transformação da realizadade de muitos jovens que vivem à margem da sociedade. Esse é uma amostra do que o leitor encontrará nesta edição. Desejamos-lhe uma ótima leitura!


Sumário Novidades HIPPO .07 Clientes HIPPO .08 Chef HIPPO .11 Chef Convidado .12 Receita Cliente HIPPO .14 Matéria de Capa .16 Nutrição HIPPO .23 Momentos HIPPO .29 HIPPO em Movimento .31 Saúde e Bem-estar .33 Meio Ambiente .37 Entretenimento .39 Comportamento .41 Tendência .42 Informações em Destaque .45 Responsabilidade Social .49 Cliente HIPPO Faz .50


Novidades HIPPO

Esti

 marca centenária ESTI da Grécia tem azeites A de oliva, azeitonas e patês produzidos com a tradição de um nome que carrega o conceito de melhor óleo de azeitona do mundo.

Fini

Já a italiana FINI é um dos primeiros produtores de vinagre balsâmico de Modena e sinônimo mundial de marca Premium. Duas delícias feitas para pessoas que amam a alta gastronomia.

Polli

 As Conservas Polli com ingredientes totalmente naturais são referência de qualidade e frescor que atendem os mais exigentes paladares. Experimente estas delícias e viaje nestes sabores exclusivos.

Meliora

Meliora que, desde 1870, produz uma linha especial de biscoitos leves e saudáveis preparados de forma artesanal com o charme dos fornos de pedra antigos que são excelentes para serem consumidos como aperitivos.

revista HIPPO

7


Clientes HIPPO

Nilsa Bittencourt de Oliveira e Erida Schaefer

Leonora Damerau Prisco Paraiso e Mylene Camilli

Christiane Lopes Vieira e Mario Jendiroba

8 • revista HIPPO


Daniela Lopes e Gianne Becker Alves

Claudete Beduschi Teske e Paulo Teske com netos

Elizabeth Collaรงo Linhares e Lauro Linhares

revista HIPPO

โ€ข

9


Chef HIPPO

Vilmar Turnes Qual o vinho ideal para acompanhar um bom peixe?

Os pescados são presença corriqueira nas refeições da Semana Santa, mas não basta seguir a regra de que com peixe vale um vinho branco. Há muitos estilos de vinhos brancos e muitos tipos de peixe, com diferenças de sabor e textura. O pescado pode ser firme e grande, seco e fibroso, ou levíssimo e delicado e úmido. Os preparos também são dos mais variados: assados, grelhados, cozido no vapor ou churrasqueado. Para definir as boas harmonizações, é muito importante estabelecer qual a intensidade do sabor da carne e como será servida. Peixes leves, temperados com suco de limão, ervas frescas, sal e pimenta-do-reino, pedem uma bebida que combine com as notas ácidas desses temperos. Nesse caso, são indicados vinhos jovens, que não passem por barricas de madeira, e elaborados com uvas como riesling, sauvignon blanc, alvarinho ou verdelho. Entre os peixes leves, estão o badejo, o congro, o robalo, o pargo, o linguado ou a pescada, os quais podem ser acompanhados de legumes salteados. Já as preparações orientais, por sua vez, que em geral são condimentadas, geralmente ensopadas, temperadas com gengibre, leite de coco, curry e canela, o vinho de acompanhamento deverá ter menor graduação alcoólica. Esses pratos mais apimentados conflitam com bebidas com muito teor alcoólico. Assim, a escolha deve recair nos proseccos e em vinho verde branco, elaborado com uva verdelho. Nas receitas em que prevalecem peixes defumados e salgados, como o haddock e o bacalhau, os quais possuem sabor intenso e textura firme, com notas para o gosto defumado ou picante de sal, se a opção for o salmão defumado em canapés ou sanduíche, o leque aumenta: espumantes leves, brancos de boa acidez e corpo médio ou rosados. Contudo, se for haddock, arenque ou qualquer outro lombo, preparado no leite ou grelhado, o ideal será o vinho branco encorpado, intenso e bem amadeirado, para contrapor o sabor defumado, esse vinho serve também para o bacalhau na brasa ou a bacalhoada, a melhor opção é o chardonay ou outro branco amadeirado, se o momento pedir por um tinto, ele deve ser leve, ter pouco tanino. No setor de peixaria do Hippo, há uma variedade de pescados, tanto do mar como das águas continentais, que harmonizam perfeitamente com a vasta variedade da adega Hippo. Na dúvida, chame o chef.

revista HIPPO

11


Chef convidado

Renato Garcia Renato Garcia Justo Júnior é natural de Niterói/RJ e formado em Direito pela Faculdade Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, profissão que exerceu até os 26 anos, junto com seu pai e seu primo. Muito antes disso, porém, lá pelos 14 anos, tomou gosto pela cozinha e nas férias trabalhava em restaurantes de amigos. Em 1994, após um período de um mês na “Locanda della Mimosa”, do renomado chef Danio Braga, foi para o SENAC, no Grande Hotel São Pedro, em Águas de São Pedro/SP. Depois trabalhou seis meses no Hotel Intercontinental em São Paulo e daí foi para a França, mais precisamente

12 • revista HIPPO

para Paris, onde permaneceu por dois anos. Lá obteve o “Le Grand Diplome” (graduação máxima em cozinha e confeitaria) da famosa escola “Le Cordon Bleu” e, após um estágio de três meses no hotel “Prince de Gales”, também em Paris, fez pós-graduação em confeitaria no Ritz-Escoffier. De volta ao Brasil, trabalhou em São Paulo, no restaurante “Laurent”. De Lá foi para Recife, onde ficou por seis anos e onde teve um restaurante, chamado “Nassau”, em Olinda. Voltando à sua terra natal, foi chef e consultor, durante três anos, do Bistrô Mac, que fica no subsolo do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, onde teve uma pequena fábrica de sorvetes artesanais, o “Sorvete do Chef”, até que, ao conhecer sua companheira Suzana Reiser, natural de Itajaí, mas residente em Florianópolis, resolveu vir para Florianópolis e, como não poderia deixar de ser, apaixonou-se pela Ilha, seu clima, seu povo e sua civilidade. Há pouco mais de um ano, o casal abriu o “La Provence Bistrô”, um pequeno, mas charmoso bistrô, que fica na Pracinha da Lagoa da Conceição.

“É uma honra participar desta edição da revista HIPPO e convido todos os clientes para visitarem o “La Provence Bistrô.” Destacou Renato Garcia.


Costeleta de cordeiro

grelhada ao molho de cerveja preta e alecrim Ingredientes

Modo de preparO

• 1 pacote duplo de costeleta de cordeiro, geralmente contendo duas unidades, do tipo short rack ou fran rack • 1 lata de 350 ml de cerveja preta • 1 caixinha de molho madeira – dilua metade do conteúdo em água morna para tirar um pouco do gosto dos conservantes • 1 dente de alho picado • 8 ramos alecrim (seis para o molho e dois para decoração) • 50 ml de azeite • Sal e pimenta-do-reino a gosto

1 Corte as costeletas em três ou quatro pedaços 2 Tempere-as com sal e pimenta 3 Esquente o azeite em uma frigideira e coloque as costeletas, deixando mais ou menos três minutos de cada lado 4 Escorra o excesso de azeite (se houver) e junte o alho e o alecrim 5 Acrescente a cerveja e reduza até secar, depois coloque o molho e deixe reduzir até a consistência de sua preferência 6 Sirva acompanhado de purê de batata-baroa (se preferir, substitua por um fetuccine de alguma marca italiana)

revista HIPPO

13


Receita cliente HIPPO

Ana Luiza A empresária Ana Luiza Cavalcante da Trindade despertou seu interesse pelo ramo da gastronomia ainda na infância, aos seis anos de idade, quando acompanhava sua mãe, Eva Trindade, em cursos de culinária. Atua no ramo da gastronomia desde 1988 e é responsável pela organização de festas e eventos. Atendendo a solicitações de clientes e amigos que desejavam saborear produtos especiais no seu dia a dia e também queriam estar preparados para receber seus convidados com arte, criou, em 2009, a Ana Luiza Massas Artesanais, com proposta voltada para uma cozinha artesanal de qualidade, cujas massas são elaboradas com trigo de grano duro. Site: www.analuizamassas.com.br

14 • revista HIPPO


Arroz de

Bacalhau (4 pessoas)

Ingredientes • 2 colheres de azeite de oliva • 1 cebola média picada • 1 e 1/4 de xícara arroz parboilizado • Caldo de legumes • 2 dentes de alho picado • 2 tomates sem pele e sem semente picados • 1/3 de xícara de molho de tomate • 600 g de lascas de lombo de bacalhau dessalgado • 1/3 de xícara de azeitonas pretas picadas • 2 ovos cozidos e picados • 1 cálice de vinho branco • 2 colheres de salsa picada • 1/3 de xícara de queijo parmesão ralado • Sal e pimenta a gosto Modo de fazer o arroz Em uma panela, aquecer o óleo e refogar o arroz. Adicionar o caldo de legumes e cozinhar o arroz até ficar ao dente. Reservar.

Modo de fazer o arroz de bacalhau

Em outra panela, aquecer o azeite e dourar a cebola e o alho. Adicionar o tomate e refogar. Colocar o vinho e deixar evaporar. Juntar uma xícara de caldo de legumes, o molho de tomates e deixar levantar fervura. Adicionar o bacalhau, a azeitona e cozinhar em fogo brando por 5 minutos. Colocar a pimenta e, se necessário, o sal. Misturar o arroz, a salsa e o ovo. Colocar em um refratário e polvilhar com o queijo parmesão. Levar ao forno preaquecido a 200 oC e deixar até dourar o queijo. Servir em seguida. Dica: para dessalgar as postas de bacalhau, coloque-as de molho na água e mantenha na geladeira durante dois dias, trocando a água três vezes ao dia.

revista HIPPO

15


Matéria de capa

A evolução dos

produtos premium

16 • revista HIPPO


Torta elaborada com finas camadas de nega maluca intercalando com saboroso mousse de chocolate, coberta de chocolate kit kat. Um produto premium que você encontra no HIPPO

Foi-se o tempo em que os produtos eram simplesmente embrulhados em papel pardo ou colocados em uma sacola, sem a necessidade de uma supervisão técnica. Hoje, devido à evolução dos mercados e, principalmente, ao aumento das exigências dos consumidores, que procuram cada vez mais produtos com qualidade, as empresas passaram a investir em produtos premium.

Os produtos premium são produtos com maior valor agregado devido ao tipo de matéria-prima utilizada na sua confecção. De altíssima qualidade, são elaborados com maior consciência ecológica, e suas embalagens são apropriadas para proporcionar-lhes durabilidade e segurança. Além dos produtos da linha alimentícia, muito apreciada inclusive pelos chefs e gourmets, os produtos premium estão nas linhas de produtos como papel higiênico de folha dupla, fralda noturna, sabão líquido, sabão em pó, entre outros. Segundo o estudo “Tendências do consumidor”, o acesso a essa nova categoria de produtos está no crescimento do consumo de produtos diferenciados. O levantamento aponta que, em todas as classes, está em curso um movimento de sofisticação do consumo. O fator preço ainda exerce forte influência na decisão de aquisição por parte do consumidor, no entanto, a procura de produtos premium tem crescido de forma exponencial, tendo cada vez mais adeptos, principalmente entre clientes de grau de exigência mais elevado. Especialistas ouvidos por Veja.com destacam que ganharam força nos últimos anos elementos mais intangíveis, como qualidade, conforto e refinamento, o que não significa descuido com aqueles aspectos relacionados ao bolso, como valor, rendimento e relação custo-benefício. Como consequência, indicadores econômicos evidenciam que cada vez mais a classe C adquire bens que tradicionalmente eram consumidos em massa somente pelas classes A e B.

A importância da linha premium já começa pela perfeição dos ingredientes, pela seleção da matéria-prima. Para ser premium, o produto precisa de muito cuidado e atenção. A exemplo disso temos a famosa marca Queensberry, que sempre se preocupou em oferecer qualidade aos seus consumidores, desde a escolha das matériasprimas até a finalização do processo de produção das geleias. O princípio da empresa é buscar as frutas onde elas alcançam excelência em seu sabor e textura, sendo rigorosamente selecionadas de produtores certificados com Boas Práticas Agrícolas (BPA). Além das frutas, as demais matérias-primas utilizadas também são submetidas ao mesmo processo de aprovação e ao critério de qualidade adotado pela empresa. A marca de sabão em pó Omo, uma das mais caras entre as concorrentes, investiu pela primeira vez em uma ação de mídia que ressalta a relação custobenefício do produto. A campanha “Faça as contas e escolha Omo” sugere que, na ponta do lápis, comprar marcas populares ou pouco confiáveis sai mais caro. O papel higiênico de folha dupla Neve e o alvejante Vanish decidiram disponibilizar os produtos em embalagens maiores, que barateiam o preço final. Outro exemplo a ser citado é a Sadia, que lançou um produto diferencial: o pernil de cordeiro ao molho de hortelã com toque de alecrim, visando atender à vontade dos consumidores de experimentarem sabores novos e mais requintados. Hoje em dia, itens que simbolizam riqueza estão presentes também em tratamentos, chamados premium. Agora, esses itens, símbolos de poder, estão empregados em vários serviços oferecidos em salões de beleza e clínicas de estética. Segundo Germano Ludders, o setor de higiene e beleza foi responsável por 21% dos gastos com produtos premium.

revista HIPPO

17


O Hippo é Premium em Produtos e Seviços.

“O setor de Hortifrútis do Hippo oferece frutas e verduras selecionadas e fresquinhas“ Claudia Fialho Daux

“Gosto muito da REVISTA HIPPO. O Hippo só tem produtos de primeira linha“ Paulo Manfro

“Os produtos são de qualidade e as gôndolas organizadas “ Cintia Ronchi

“A padaria do Hippo tem os mais variados tipos de pães” Andre Zomer

“Os produtos garantem qualidade na alimentação“ Maria Cristina

18 • revista HIPPO


O Hippo, ciente de que uma organização empresarial pode aumentar seu valor através da qualidade e considerando as necessidades de consumo de seus clientes, busca oferecer um setor completo de produtos orgânicos, compostos de frutas, verduras, produtos industrializados, tais como geleias, temperos, vinhos, chás, aguardente, doces, cereais, sucos, café de grão orgânico, pepino, pizzas, massas, tortas, pães, biscoitos, açúcar, arroz, trigo, cerveja, polpa de tomate, macarrão de quinoa, achocolatado, bebidas, palmito, entre outros produtos, além de possuir em seu estabelecimento açougue, restaurante, padaria e confeitaria excelentes. Hoje, o Hippo possui uma grande variedade de produtos premium. Assim, a visão inovadora acompanhou o Hippo desde a preferência por produtos de primeira linha, o que denota uma interação entre o supermercado, o distribuidor e o consumidor, garantindo fidelidade. O estabelecimento expandiu sua capacidade produtiva e diversificou, atraindo clientes de novas fatias do mercado, promoveu a abertura de novas oportunidades com o lançamento, do qual foi o pioneiro em Florianópolis, da fabricação própria de produtos sem glúten, para pessoas portadoras da doença celíaca (com rejeição ao trigo), sem lactose (intolerância ou alergia a lactose), light (com menor teor de gordura) e diet (para diabéticos). Os gestores, analisando os hábitos de compra de seus clientes, foram moldando os espaços de exposição de produtos às tendências preferenciais dos consumidores. Nas gôndolas, só são expostos produtos de primeira qualidade. As estratégias que mais contribuíram para a situação confortável e estável que o Hippo ocupa se devem à utilização das estratégias genéricas de enfoque e de diferenciação de produto e serviços, culminando com o sucesso de sua cadeia de valores. A busca pela diferenciação de produtos está presente no dia a dia do Hippo, pois ele oferece produtos e serviços em muitos casos considerados únicos no âmbito da indústria. Nesse caso, seu comportamento empresarial está direcionado a um produto com características variadas para atender ao gosto pessoal, baseado principalmente no perfil de seus clientes, pautando suas ações num atendimento de excelência e na qualidade de produtos. Outro fator a destacar na análise do Hippo consiste em sua excelente estrutura no que diz respeito à conservação dos alimentos, higiene do local, cuidados com a manipulação e cortesia no atendimento. Assim, acompanhando o progresso trazido pelas novas tecnologias e consequentes inovações, os supermercados se transformaram em grandes cadeias de distribuição, não só de alimentos, mas de itens de consumo e de serviços cada vez mais procurados pelo homem moderno. “Gosto muito do ambiente harmonioso e do atendimento“ Maria Alves

revista HIPPO

19


Exemplos de produtos premium nas gôndolas do Hippo:

Sal Negro do Havaí

Apresentado em cristais, é uma mistura do sal do Oceano Pacífico com a areia escura de algumas praias do Havaí proveniente dos resíduos de lava de vulcão. Esse condimento natural contém muitos nutrientes minerais e sabor característico. É destinado aos grelhados, saladas, pães e finalização de pratos.

Sal Rosa do Himalaia

Sal natural, não refinado e totalmente puro. A cor rosa, oriunda da grande concentração de minerais e ferro, é resultado de um processo natural que enriquece o cristal com o tempo.

Maple Syrup VINOTAGE

Prevenção do envelhecimento precoce da pele, Combate aos radicais livres, Hidratação profunda da pele, aumento do brilho e maciez dos cabelos

Xarope para Panqueca Maple Topping. Produto ideal para coberturas de waffles e panquecas. Das florestas do Canadá é retirada a seiva do tronco da árvore de maple, que, com seu gosto diferente e adocicado, é ideal para coberturas de panquecas e sorvetes. No Brasil essa planta é conhecida como bordo. Muitas pessoas utilizam como substituto do açúcar.

Biscoitos Jules Destrooper

20 • revista HIPPO

São produzidos de maneira única: utilizam apenas ingredientes naturais (sem adição de corantes, aromatizantes ou conservantes artificiais), seguindo a paixão, tradição e autênticas receitas do século XIX. Assim, são únicos em sabor e formatos, destacando-se por sua linha sóbria de elegantes embalagens. Dignos da realeza belga e de consumidores especiais.


Nutrição HIPPO

Seletividade Alimentar: um novo diagnóstico Saiba o que é e como evitar

Thais Lourenço Nogueira Doutora em Medicina (Universidad Autónoma de Madrid) Nutricionista do PROATA/UNIFESP (Programa de Atenção aos Transtornos Alimentares)

O primeiro ano de vida do bebê é marcado pela transição de uma dieta exclusiva à base de leite a uma diversidade de alimentos. Essa transição tem um papel fundamental para a aceitação alimentar durante a infância, considerando as preferências sensoriais da própria criança, bem como os padrões dietéticos da família. Sabe-se que tanto os bebês quanto as crianças estariam predispostos a serem neofóbicos e rejeitar novos alimentos. De fato, a aceitação pode não ocorrer imediatamente quando algo diferente é oferecido, sendo necessário proporcionar várias tentativas, em torno de cinco a dez vezes, para a adaptação ao novo sabor, textura ou consistência. É comum a preocupação dos pais ou cuidadores sobre o que e quanto as crianças comem, mesmo quando não apresentam prejuízos no estado nutricional e alterações na conduta alimentar. No entanto, algumas crianças limitam muito o que consomem e demonstram resistência em provar novos alimentos, comprometendo a variedade da dieta e, às vezes, até seu crescimento. Mas até que ponto esse comportamento seria considerado aceitável? A recusa alimentar é um comportamento típico da primeira infância (0 – 3 anos de idade), ainda que também possa ser observado em crianças mais velhas. As birras e atitudes desafiadoras são normalmente observadas, fazendo das refeições momentos intermináveis e de muita angústia para os pais. As crianças demoram a comer, tentam negociar o alimento que será consumido, levantamse várias vezes durante a refeição e pedem por mais alimentos, em geral pouco nutritivos, ao longo do dia. Esse tipo de comportamento costuma acontecer de forma isolada, em determinados momentos durante a infância, repetindo-se por curtos períodos. Para os clínicos, a recusa alimentar somente é preocupante quando envolve um grande número de alimentos e, consequentemente, uma importante quantidade de nutrientes, suficiente para desenvolver possíveis patologias. Nesse caso, poderia tratar-se de um quadro de seletividade alimentar, o qual poderia persistir até meados da infância (cerca de 6 a 7 anos de idade) ou continuar pelas demais fases da vida. revista HIPPO

23


O que é a seletividade alimentar? É o comportamento caracterizado por um consumo alimentar altamente limitado e extrema resistência em experimentar novos alimentos, podendo limitar as atividades sociais relacionadas à alimentação, além de comprometer o estado nutricional e o crescimento adequado da criança. Os critérios específicos para diagnosticar a seletividade alimentar vêm sendo determinados nos últimos anos, e somente agora esse quadro começa a ser considerado como um diagnóstico dentro dos transtornos alimentares. De acordo com os relatos de pais e cuidadores, existe um aumento progressivo na prevalência dos casos entre crianças de 4 a 24 meses de vida, podendo estar presente em até 50% das crianças ao redor dos dois anos de idade. Em crianças maiores, assim como em adolescentes, a prevalência seria relativamente estável, variando entre 27 e 29%. Estes números permanecem imprecisos e requerem confirmação baseada na visão e diagnóstico médico. No entanto, não há dúvidas de que quanto mais tempo o quadro da seletividade mantém-se ativo, mais difícil torna-se o tratamento e mais frequentes são as reclamações dos pais em saber lidar com a situação de forma pacífica. Sendo assim, fique atento aos sinais mais importantes que podem caracterizar uma criança seletiva: • o início do comportamento seletivo ocorre antes dos seis anos, persistindo por, pelo menos, 18 a 24 meses; • dificuldade persistente em comer adequadamente, com aceitação de uma pequena variedade de alimentos; entretanto, sem a presença de outras condições fisiopatológicas ou desordens mentais associadas; • as rejeições e preferências alimentares são muito marcantes. Antes dos dois anos de idade, é frequente a preferência por carboidratos de textura pastosa, como purê de batatas ou sopas trituradas, podendo prejudicar o desenvolvimento das habilidades de mastigação ou a utilização de garfo e faca;

Caso você identifique essas características, procure profissionais especializados para conseguir reverter o quadro de forma precoce. O médico deve acompanhar o ganho de peso e o desenvolvimento da estatura, os quais devem permanecer dentro dos limites esperados. O uso de medicações deve ser muito ponderado, ainda que, em alguns casos, os suplementos alimentares possam ser necessários. Visitas ao nutricionista e psicólogo podem ser de grande ajuda no tratamento, tanto para a criança como para a família. A família é, sem dúvida, fundamental para a formação e estruturação dos hábitos e condutas alimentares das crianças, sendo também responsável por promover as primeiras experiências alimentares dos pequenos. Quando eles parecem não comer muito, os sentimentos de perda de controle, estresse, culpa e frustração predominam em muitas casas, sendo a criança quem decide o que come, e não seus responsáveis. A ansiedade dos familiares para ver a criança comendo leva a substituição de alimentos saudáveis por aqueles de baixo valor nutritivo, sendo essa atitude considerada inadequada, já que rapidamente a criança associa que, se não comer, obterá o que deseja.

• associado aos sinais acima, pode haver falha no ganho de peso e/ou redução da velocidade de crescimento. revista HIPPO

25


Chef HIPPO

Crianças que se alimentam de forma insuficiente ou que não consomem alimentos adequados para sua fase de crescimento podem, de fato, comprometer sua saúde, desenvolvimento e aspectos sociais de sua vida. O apoio e a participação ativa dos pais na alimentação dos filhos, acompanhados por simples condutas, podem ajudar a prevenir ou mesmo tratar o quadro da seletividade alimentar. Assim, é importante: • estimular o aleitamento materno ao longo dos primeiros meses do bebê; • durante a introdução de alimentos sólidos, incentivar a criança a usar as mãos, manusear os alimentos e utilizar talheres adequados para a idade, respeitando as habilidades individuais de cada um; • oferecer um novo alimento diversas vezes, em situações variadas, de forma a facilitar o processo de adaptação da criança ao novo sabor, textura ou consistência. • as refeições devem ter horários fixos e serem feitas com a família à mesa, em ambiente agradável, descontraído e amistoso. • as ameaças devem ser evitadas, assim como a oferta de guloseimas entre as refeições. • impor regras e limites para que fique claro quem manda. No entanto, o apetite da criança deve ser respeitado, sem forçar o consumo de todo o alimento presente no prato. • a criança deve ser convidada a participar na seleção e compras dos alimentos, na elaboração de receitas apropriadas para a sua idade e mesmo na montagem de seu prato; • deve-se evitar disfarçar os alimentos rejeitados, pois a criança deve saber o que está comendo para identificar cores, sabores e texturas. • diferentes receitas, temperos ou técnicas culinárias utilizando o mesmo alimento podem ajudar na sua aceitação. Lembre-se: a seletividade alimentar proporciona uma má alimentação e possibilita a instalação de carências nutricionais. Dessa forma, a identificação precoce do quadro de seletividade alimentar, além de facilitar o tratamento, evita o comprometimento do crescimento e desenvolvimento da criança, consequências características desse quadro.

revista HIPPO

27


EXPERIMENTE A DELICIOSA QUALIDADE DAS LASANHAS MESTRE FARINA. 0ES0AN% 1 AL RT A

Mestre Farina produz lasanhas totalmente artesanais sem conservantes e com ingredientes selecionados. Um produto especial feito para os amantes da boa mesa. Experimente cada uma e descubra a deliciosa qualidade das lasanhas Mestre Farina.

10 SABORES PARA ESCOLHER. Leve para sua casa o que hรก de melhor em massas e lasanhas artesanais congeladas.

Chefs Joรฃo Fernando Cabral e Thaysa Peretti. www.mestrefarina.com.br


Momentos HIPPO

Para Comemorar o Dia Internacional Da Mulher, O Hippo promoveu no dia 08 de março o “Day Spa Hippo”. A Ação ofereceu, entre outras atividades, um Kit de Produtos Vinotage e um Spa para Pés da Clinica Eduardo Fraga. Todos os anos em datas comemorativas o Hippo proporciona aos seus clientes este carinho. Ir ao Hippo é também um momento de encontrar amigos, saber das novidades, inscreverse nos eventos, fazer compras e ter ao seu lado a disponibilidade dos colaboradores que auxiliam na escolha dos produtos. Momentos Hippo é a razão de registrar os clientes, pois são compartilhados ideias e sugestões e brindam com entusiasmo cada passagem por este ambiente tão familiar e amigo.

revista HIPPO

29


Body Hall Academia - Única para você.


HIPPO em Movimento

Circuito Floripa Run: Corrida para Mulheres Prova de Revezamento Ponta do Papagaio O Hippo iniciou o ano em grande estilo, com a participação da equipe feminina no Circuito Floripa Run: Corrida para Mulheres. Uma corrida de alto astral, realizada no dia 19 de janeiro de 2013, na Av. BeiraMar Continental, com a bela vista da Ponte Hercílio Luz, e que contou com 500 participantes. A energia era contagiante entre as mulheres, apaixonadas por qualidade de vida. O Hippo em Movimento contou com a participação de 17 atletas, que correram 5 km.

Corrida Night Run Costão do Santinho

Linda prova realizada na Praia do Santinho, à noite, no dia 26 de janeiro de 2013, com percurso de 5 e 10 km iluminado por tochas e envolvendo subidas em dunas, além do astral do lugar, que mostrava a grandiosidade da prova. O HIPPO EM MOVIMENTO participou com 40 atletas e subiu ao podium para receber o lindíssimo troféu de maior equipe no evento.

No dia 3 de fevereiro, oito atletas da equipe participaram da Prova de Revezamento na Praia Ponta do Papagaio, em Palhoça. Dos oito atletas, cinco revezaram o percurso de 30 km e três correram individualmente. Superação de limites!

Corrida Lua Cheia

O Hippo em Movimento esteve presente também na corrida Lua Cheia, realizada no dia 23 de fevereiro, em Jurerê, e cujo percurso foi feito metade no asfalto e metade na areia. Cinco dos 36 corredores do Hippo em Movimento subiram ao podium e ganharam troféu por categoria de idade. Na ocasião, a equipe aproveitou para comemorar o aniversário de Rosangela Saquete, grande mentora do programa de qualidade de vida HIPPO EM MOVIMENTO, que correu a prova e foi homenageada com um belo troféu em formato de coração.

revista HIPPO

31


Saúde e Bem-estar

Vinotage Depois da exposição ao sol e ao calor do verão, novas ameaças pairam sobre a pele de homens e mulheres. O ar seco, o frio, o vento e os banhos quentes, típicos do inverno, são inimigos que precisam ser contidos o mais rápido possível, sob pena de provocarem estragos sérios. Desde o início da humanidade, os benefícios da uva contribuem para a beleza e a saúde das pessoas, e, com o passar do tempo, os ativos das uvas têm sido muito estudados e vêm substituindo muitas substâncias químicas e abrasivas encontradas em cosméticos. Assim, a vinoterapia, que se baseia no tratamento da pele através de ativos derivados da uva ou da videira, apresenta comprovadamente efeitos benéficos à pele e resultados muito positivos para a pele nesta estação, que requer cuidados especiais. Com uma linha cosmética exclusiva desenvolvida a partir dos princípios ativos das uvas vitis viníferas e ativos modernos, a Vinotage Cosméticos está localizada no coração da maior região produtora de uva e de vinho do país, a Serra Gaúcha, no Rio Grande do Sul. Entre os produtos fabricados pela empresa, destacamse os hidratantes corporais Banho de Uvas e Leite de Uvas, que possuem, além dos polifenóis da uva (efeito antioxidante e protetor da pele), altas concentrações de ômega 3 e ômega 6. Assim, é possível observar melhora na pele, que vem de dentro para fora, como o aumento das fibras de colágeno e efeitos antiinflamatórios, além de um excelente efeito anti-aging. Cada embalagem concentra as propriedades benéficas da uva, visando acentuar e prolongar a saúde e a beleza naturais da pele e transferir a energia positiva dos produtos Vinotage a quem valoriza a autoestima. Para saber mais sobre a Vinotage, acesse www.vinotage.com.br.

revista HIPPO

33


Saúde e Bem-estar

Tratamento Rejuvenescedor: PEGOLIFT O Do-In é uma técnica milenar de origem chinesa que permite, através de estímulos de determinados pontos do nosso corpo, reequilibrando o funcionamento do organismo. O Instituto ANNA PEGOVA aperfeiçoou esta técnica, criando um aparelho para atuar sobre específicos pontos energéticos do rosto que estão ligados ao equilíbrio do organismo. Seu rosto apresentará mudanças visíveis: a pele se tornará mais viçosa e jovem, além de diminuir a flacidez e as marcas de expressão. Sua pele se beneficiará também de massagens, cremes e loções especiais, de uma inovadora máscara com vitamina C concentrada, encapsulada e, ainda, de um exclusivo complexo vegetal de soja antiflacidez. Sessão: 1h15 a 1h30 Para: Rosto e pescoço e colo

Tratamento Antirrugas e Rejuvenescedor LIFTING POLIVITAMINADO COM VITAMINA A PURA (RETINOL) O Lifting Polivitaminado com Retinol é o resultado dos mais recentes conhecimentos científicos sobre o papel da vitamina A pura. Por que o Retinol? Porque o Retinol é a forma mais pura da vitamina A, um poderosíssimo anti-idade e antirrugas, além de possuir a excelente vantagem de não ser fotossensível. Ao contrário da vitamina A ácida - ou ácido retinóico, o Retinol não mancha a pele ao sol. Por isso, o Lifting Polivitaminado com Retinol pode ser feito tanto no inverno quanto no verão. Conjugado com vitaminas C, E, B, AHA, Oligoelementos, Polifenóis, Lactato de Sódio e outros eficientíssimos ativos, este tratamento vai: • Alisar a pele; • Firmar a pele e fortalecer sua elasticidade; • Impedir a ação dos radicas livres e da poluição que provocam o stress celular e o envelhecimento precoce; • Aumentar a quantidade de células novas e prolongar a vida das outras células; • Devolver a vitalidade e o aspecto jovem à pele; • Rejuvenescer a pele de dentro para fora. 7 Sessões em 1 ou 2 vezes por semana de 1h cada. Para: rosto, pescoço e colo

UM PRESENTE ESPECIAL 45 minutos só para você uma sessão de Revitalização Facial - Ligue e agende seu horário 3222-3590 - promoção válida até 30.05.2013

Tratamento Rejuvenescedor e Firmador com DMAE. Rejuvenescedor, este tratamento recupera o tônus e o “oval” do rosto devolvendo elasticidade e sustentação à pele. Com Vitaminas A, E e C, Soja e extratos de plantas que favorecem a reposição das perdas proteicas ocorridas com a idade. Sessão 1h15 Para: rosto, pescoço e colo revista HIPPO

35


Meio Ambiente

Idéias

Sustentáveis

Colaborar com os princípios da sustentabilidade, favorecendo nosso meio ambiente ao reaproveitar sobras de tecidos e diferentes materiais que iriam parar no lixo. Aliado a isso grandes idéias e muito bom gosto, o resultado pode ser surpreendente. A prova são as cooperativas de mulheres espalhadas pelas diversas regiões do país que, para garantirem uma renda extra familiar, buscam nas suas mentes criativas e na própria vivência do dia-a-dia inspiração para peças dignas de puro exercício de design. E é do sertão da Paraíba, que encontramos o grupo das “Cabritas”, artesãs que fazem sucesso confeccionando carteiras de mão e de bolso, além de niqueleiras e bolsas. As peças produzidas por elas são caracterizadas pelas tiras de chita – tecido a base de algodão colorido -, que entrelaçadas, ganham formas de peças indispensáveis no universo feminino. Em Florianópolis, o trabalho desta cooperativa pode ser conferido nas lojas Syga Verde, no Centro (Ceisa Center) e Lagoa da Conceição (Centrinho).

revista HIPPO

37


Entretenimento

A Ilha e seus ritmos Studio de Dança Fabiano Silveira comemora o sucesso da VII Bienal de Tango de Florianópolis e inicia as atividades de 2013 com força total No mês de fevereiro, a capital catarinense tornou-se sede de mais uma edição de um dos maiores e mais refinados eventos de tango do Brasil: a VII Bienal de Tango de Florianópolis. Com a produção do bailarino, professor e coreógrafo Fabiano Silveira, o evento inclui a cidade, desde sua primeira edição, no roteiro internacional do tango. Foram quatro dias de aulas, pequenos bailes (as tradicionais milongas), shows e baile de gala, além do campeonato de Tango Salão, que contou com a participação de bailarinos brasileiros de vários estados e participantes de diversos países da América Latina e da Europa. Renomados bailarinos, como Lorena Ermocida e Pancho Martinez Pey, Alexandra Kirinus e Edson Nunes, Sabrina e Ruben Veliz também participaram do evento. Além de encantarem o público com apresentações, os bailarinos ministraram aulas do ritmo portenho, de bolero e de samba de gafieira, ritmos que conquistam cada vez mais adeptos em todo o mundo. Ao todo foram 15 aulas por dia, desde o nível iniciante até as turmas mais avançadas. “Todos puderam aprender os passos e os gestos da dança, até mesmo aqueles que nunca dançaram”, garante Fabiano. Fabiano Silveira e a dança de salão: modalidade que conquista cada vez mais adeptos em todo o mundo Natural de Florianópolis, Fabiano Silveira começou sua história com a dança no ano de 1999. Como uma brincadeira, buscou na aula de dança de salão novas amizades. Foi quando

conheceu o professor Edson Nunes e se apaixonou pelos ritmos, ou, como ele diz, a dança se apaixonou por ele: “Na verdade, não é a gente que escolhe a dança, é a dança que nos escolhe”, afirma Fabiano. Há nove anos, resolveu montar sua própria escola. No início, localizada na Rua Conselheiro Mafra, o Studio de Dança Fabiano Silveira atendia, em média, 250 alunos. Idealizador, criador e protagonista de espetáculos como “Florianópolis, Menina de Ouro e Luz” — onde mesclou o tango com os aspectos culturais açorianos da Ilha de Santa Catarina — e do Congresso Internacional de Tango de Florianópolis (o maior já realizado no gênero no Brasil), Fabiano encanta com uma combinação de precisão, elegância e emoção em tudo o que se propõe a fazer, seja nos palcos, nas pistas de baile ou nas aulas que ministra. Desde o início de sua trajetória como bailarino, coreógrafo e produtor, Fabiano se encantou não só pelo ritmo portenho, mas principalmente pela possibilidade de levar alegria às pessoas. Atualmente recebe cerca de 200 alunos por mês, em seu Studio, na Rua São Jorge, no centro de Florianópolis, que buscam na dança mais saúde, convívio e alegria. O Studio possui turmas de dança de salão de diversos níveis. Os estilos que ditam os ritmos das aulas são forró, samba, bolero, tango, zouk, soltinho, entre outros. O Studio conta, ainda, com aulas de ballet infantil, adulto e jazz. Em 2013 comemora 10 anos de atividades, com uma programação extensa de cursos, workshops e eventos.

O Studio de Dança Fabiano Silveira está situado na Rua São Jorge, nº 202, Centro de Florianópolis. Informações pelo telefone (48) 3222.9292 ou pelo site www.fabianosilveira.com.br revista HIPPO

39


Comportamento

Quem se conhece tem mais chance de viver

relacionamentos plenos Está na moda a palavra sustentabilidade. Vamos aplicá-la, então, nas relações. Para começar, pergunto: o que afinal torna uma relação “sustentável”? Se você respondeu que é o amor, errou. A entrega é que cumpre esse papel. Por mais amorosos que os parceiros sejam, se não houver entrega, a união será superficial e seu “prazo de validade” vencerá logo. Entrega, vale lembrar, é a atitude de “dar-se a conhecer”. Mas, como só se pode dar o que se tem, para se entregar a pessoa precisa antes conhecer-se. Quanto mais alguém se conhece, tanto mais saberá distinguir o que é seu do que é do outro e tanto mais poderá entregar-se. Nos tempos atuais, no entanto, hábitos como introspecção e reflexão caíram em desuso. Internet, celular, televisão a cabo, tudo nos distancia de nós mesmos. A maioria das pessoas é pouco íntima dos próprios pensamentos, emoções, atitudes e mecanismos de defesa. Por isso, confunde emoções, incomoda-se com dilemas, lida mal com conflitos e não sabe entregar-se. Para entender como isso interfere na relação, imagine que uma moça diz ao namorado: “Estou insegura, pois não sei o que represento em sua vida. Às vezes acho que você gosta de mim, outras, que não. Nessas horas fico magoada e infeliz. Se tento não pensar no assunto, me culpo, pois acho que me acomodo. Gostaria de não ser assim, procuro mudar, mas estou com dificuldades. O que a gente poderia fazer a respeito? Você pode me ajudar?” Repare que ela está dizendo coisas que ele não teria condições de saber se ela não expusesse. Assume a insegurança e não o culpa pelo que sente. Deixa claro que gostaria de sentir-se mais segura, reconhece que sua dificuldade prejudica

a relação e pede ajuda. Em outras palavras, entrega-se, faz um investimento afetivo. Se o namorado for sensível, mas não sentir por ela afeto bastante para entregar-se mais, ambos reconhecerão que têm expectativas diferentes. Nesse caso, a relação pode terminar ou continuar se o casal encontrar sentido em ficar junto apesar das diferenças. Mas se ele desejar envolver-se mais, e não souber se entregar, a situação poderá ficar dramática. Sendo sensível, ele reconhecerá como legítima a expectativa da namorada e entenderá o pedido dela como evidência de seu afeto por ele. Pode ser até que fique desconcertado com a facilidade com que ela se entrega, uma vez que desejaria fazer igual. Porém, não consegue, não sabe o que entregar de si, pois não se conhece. Fica no conflito entre o desejo de entrega e a incapacidade de fazê-lo. A convivência torna-se dolorosa, porque é no convívio com o outro que a pessoa constata sua incapacidade de entrega. Então vem a culpa. A saída é evitar o convívio, o que gera outro conflito: ele quer estar perto, pois gosta, e longe, pois proximidade o faz sofrer. Seu distanciamento desencadeia mais sofrimento nela, porque confirma a suspeita de que ele não a ama o bastante. A frustração de ambos e a incapacidade de entender essa dinâmica inviabilizam a relação, mesmo que haja amor - ela não se sustenta. O fim poderia ser evitado se ele fizesse como ela: buscasse entender seus medos e fantasias, reconhecendo-os e compartilhando-os. A entrega de ambos daria consistência ao relacionamento e juntos eles teriam mais chances de vencer suas inseguranças. Por: Rosa Avello

revista HIPPO

41


Tendência

42 • revista HIPPO


Fabiana Silva Desde 1993, Fabiana Silva fabrica acessórios femininos para o mercado da moda. Com estilo, modernidade e sofisticação, atua no desenvolvimento e produção de peças exclusivas para grifes renomadas e também para as maiores redes de varejo do Brasil, através do sistema de Private Label. Em 2010, decidiu incorporar mais um negócio e transformar a razão social em marca própria, focando o público A e B e agregando um novo valor e identidade à marca. A Fabiana Silva Acessórios é distribuída, através de representantes e grandes feiras, para lojas em todo o Brasil.

Nosso inverno vem inspirado em três tendências-chave:

barroco, étnico e gótico. Inspirado por Dolce&Gabbana, o nosso barroco é muito feminino e extravagante. Strass, chatons e pérolas, mesclados ao banho dourado com o luxo do rubi e esmeralda, que se unem aos bordados e dão o brilho que a tendência pede. No étnico, os tons cítricos aparecem em contraponto aos terrosos, com estampas triangulares. E assim como Missoni apresenta em suas coleções, as tramas mescladas com fios neons e formas pontiagudas refletem o dinamismo de suas padronagens, inspiração máxima de nossas criações. As cruzes também são uma grande aposta da estação, assim como Versace mostrou em seu desfile de inverno. O gótico é um estilo carregado de simbolismo, assim como a nossa coleção, que vem carregada de estacas, spikes, correntes e cruzes. Estes símbolos, junto ao brilho dos cristais e do ônix, deixam o lado sombrio de lado, enaltecendo a tendência gótica com o toque necessário para brilhar.

Acompanhe Fabiana Silva nas mídias: www.fabianasilva.com.br/blog Instagram: @fsacessorios Facebook: /Fabianasilvaacessorios Tenha acesso à nossa coleção também através da loja virtual: www.lojafabianasilva.com.br

revista HIPPO

43


Informações em destaque

O sabor da Grécia

chega a Florianópolis Muita gente já deve ter percebido que Florianópolis, além de todos os seus talentos, vem se tornando um importante centro de gastronomia no sul do país, revelando bons chefs de cozinha, incentivando e atraindo profissionais e empreendimentos de qualidade nessa área, enfim, estão aí mais opções de lazer para seus habitantes e mais um atrativo para os tantos turistas que visitam a cidade todos os anos. Entre esses empreendimentos, destacam-se os restaurantes e bistrôs típicos, além de uma pequena indústria de congelados, que trazem a culinária de outros países. Hoje já são muitas opções para quem aprecia pratos italianos, japoneses, árabes, mexicanos, portugueses, tailandeses, enfim! Agora chega a Florianópolis um pouquinho da Grécia, o Ilhas Gregas, onde poderão ser saboreados os principais pratos da culinária grega, além de bons vinhos. Aliás, alguns vinhos gregos são bastante

conceituados em países da Europa e de outros continentes. De acordo com seus proprietários, o casal Luiz Aurélio e sua esposa, a chef Spiri, que comandará a brigada da cozinha, o Ilhas Gregas será o primeiro bistrô grego do sul do Brasil. O projeto vai focar na produção de congelados e em eventos de degustação sob reserva, além de cursos na área de gastronomia e boas práticas de cozinha. Para isso, foi montada uma moderna cozinha e um salão que acomoda, no máximo, quarenta pessoas. Essa estrutura poderá ser alugada também para comemorações, aniversários, etc. Nesse salão, especialmente decorado, no qual cada mesa tem o nome de uma ilha grega, existe uma falsa janela, na qual se veem imagens de alta definição das belezas daquele país. É nesse ambiente, temperado de músicas típicas, gravuras e outros elementos, que o Ilhas Gregas promete transportar seus clientes para aquelas lindas ilhas, nem que seja por apenas uma noite.

A chef Spiri nasceu na Grécia e veio para Florianópolis com apenas nove anos de idade. Como grande parte de sua família ainda reside naquela terra, nunca se distanciou dos costumes, da música e, especialmente, da culinária grega. Porém, jamais imaginou que, com mais de 50 anos de idade, estaria se formando em gastronomia e realizando um sonho: trazer para a cidade que a acolheu algumas delícias de seu país! A ilha de Zakynthos, onde nasceu, é uma das mais bonitas da Grécia, e seu principal ponto turístico, Navagio (Praia do Naufrágio), é um famoso cartão postal. Comer bem é talvez o mais antigo dos costumes gregos. Por isso desenvolveram, através dos tempos, uma característica culinária saudável, com baixo teor de gordura, utilizando bastantes verduras, legumes, hortaliças e frutos do mar. Tipicamente mediterrânea, à base de azeite de oliva, a culinária grega se caracteriza por sua simplicidade e por seus sabores agradáveis ao paladar.

revista HIPPO

45


Aliás, o azeite extravirgem grego ganha cada vez mais a fama de ser um ingrediente extremamente saudável, pois, além de ser um produto natural com sabor autêntico, de agradável aroma, possui muitas propriedades nutricionais. Basta lembrar que, desde os tempos mais remotos, as oliveiras, das quais se produz o azeite, são cultivadas na Grécia e eram tão valorizadas que, para os vencedores dos antigos Jogos Olímpicos, era dada uma coroa feita de ramos de oliveira-brava. Hoje, com o passar dos anos e com a proximidade com outros países, existe na culinária grega influência italiana, árabe, libanesa, entre outras. Por incrível que pareça, foi a dificuldade de se obterem ingredientes, por suas características naturais de solo árido e clima seco, que tornou os sabores gregos tão especiais. Um exemplo são os pratos à base de cordeiro. Como não existem pastos na Grécia para criação de gado bovino, eles criam ovelhas, cabras e carneiros, que não necessitam de terras muito férteis. São essas delícias que estarão nos congelados e eventos de degustação do Ilhas Gregas. Entre as entradas e pratos, destacam-se: o DOLMADAKIA - charutinhos de folhas de couve, recheados com arroz temperado; o TIROPITAKIA - minifolhados recheados com queijo branco e espinafre; a SALADA GREGA - tomate, pepino, azeitonas pretas, cebola e queijo branco; o MOUSSAKÁ - Lasanha de carne bovina moída, com camadas de fatias de beringela e rodelas de batata, coberta com molho bechamel enriquecido com ovos e queijo parmesão; o POLVO À MODA DO ILHAS - polvo assado ao forno com temperos gregos especiais; o YOUVETSI - massa risoni (macarrão tipo arrozinho) com molho à base de pedacinhos de frango e tomate; o PAIDAKIA - porções de cordeiro assado e batatas ao forno, entre outros. As sobremesas também são bastante típicas, como o BAKLAVA - folhado com recheio de nozes, regado com calda à base de mel e canela, e a DELÍCIA DE ZAKYNTHOS - iogurte natural com calda de frutas vermelhas. Casados há mais de 35 anos, Luiz Aurélio e Spiri realizam um antigo sonho: abrir em Florianópolis um espaço para divulgação e apreciação da culinária grega e, é claro, um pouquinho da cultura e costumes gregos. Entre esses costumes, está a quebra de prato. Aliás, ninguém sabe ao certo como o hábito surgiu, mas os especialistas dizem que ele já fazia parte da cultura grega há 4 mil anos. Uma das explicações seria o fato de os gregos antigos acreditarem que o barulho afastava os maus espíritos. Além disso, quebrar pratos seria prova do desapego aos bens materiais, também uma espécie de rompimento com as coisas ruins do passado. Na década de 1930, quebrar pratos havia se tornado uma prática tão comum que os restaurantes costumavam comprar cerâmicas especiais para serem espatifadas no final da noite. Hoje, porém, esse hábito é ilegal nos restaurantes, clubes noturnos e tavernas na Grécia. O tradicional costume foi substituído pelo ato de atirar flores. Tudo por causa da grande quantidade de pessoas que acabavam se ferindo com os pedaços de cerâmica. Por isso o Ilhas Gregas estará fazendo a quebra de uma forma diferente e criativa.

O Ilhas Gregas está localizado no bairro Jardim Atlântico, no Continente, e informações sobre os congelados e reservas para as noites de degustação poderão ser obtidas por telefone: (48) 3240-8232 ou por e-mail: ilhasgregasrestaurante@gmail.com.

revista HIPPO

47


Responsabilidade Social

Projeto

“Procurando Caminho”

vence prêmio de melhor iniciativa social de SC O Instituto Pe. Vilson Groh busca desenvolver projetos para atender comunidades de periferia. Entre estes projetos, está o “Procurando Caminho”, que promove ações com adolescentes e jovens das comunidades Chico Mendes, Novo Horizonte, Monte Cristo e o Maciço do Morro da Cruz, em Florianópolis. Mais de mil adolescentes atendidos em seis anos de existência. Este é o saldo final do “Projeto Procurando Caminho”, um trabalho longo e contínuo, desenvolvido pelo Centro Cultural Escrava Anastácia (CCEA), que no dia 20 de fevereiro deste ano recebeu o prêmio de melhor projeto social do estado de Santa Catarina, o qual foi entregue durante o evento Prêmio Anu 2013, realizado pela Central Única de Favelas (CUFA), pelo reconhecimento de iniciativas sociais que se destacaram em seus estados. O evento aconteceu no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e o objetivo do concurso é destacar ações desenvolvidas em todo o território nacional que contribuem para o desenvolvimento humano e social desses espaços. O Prêmio Anu é muito mais do que um prêmio, mais que um símbolo; é o reconhecimento das ações desenvolvidas na busca do sentimento de vitória dos que nasceram invisíveis, por conta de sua condição social, e fazem a diferença. O surgimento da CUFA partiu dessa busca da crença no

protagonismo de milhares de jovens que hoje buscam seu caminho, identidade e respeito. Buscar suscitar vidas e promover a cidadania pela integração com o esporte, este é o objetivo que o “Procurando Caminho” promove na realidade dos jovens de comunidades em situação de vulnerabilidade social. Uma das formas de conseguir isso é com a integração através do esporte. O Governo de Santa Catarina reconhece o êxito dessas ações na redução da criminalidade entre adolescentes nas regiões atendidas. Segundo o psicólogo Antônio Carlos José Britto, coordenador do Projeto “Procurando o Caminho”, as ações desenvolvidas estão trazendo resultados satisfatórios, pois jovens estão sendo educados para a cidadania e esportes, construindo a relação de grupos, solidariedade, respeito e, dessa forma, vão entendendo o processo do projeto. Depois de passarem pelo projeto, os jovens são encaminhados ao mercado de trabalho. Antônio Carlos José Britto, Vanildo Luiz Júnior, Diego Trípoli e Felipe Barbosa foram ao Rio de Janeiro receber o prêmio. Estes dois últimos são jovens acolhidos pelo projeto. No caso de Diego, ele fez parte do primeiro grupo de adolescentes abraçados pela iniciativa em meados de 2007.

“De lá pra cá cresci e acabei me tornando articulador comunitário e instrutor de surf, porém sinto pela perda dos meus amigos que se desviaram para o caminho do crime e hoje já não vivem mais entre nós. Por isso sei a importância da minha missão de orientar jovens da comunidade para um futuro melhor, na escola e no mercado de trabalho”, afirma Diego. Problemas sociais são evitados quando adolescentes têm oportunidades de se desenvolverem para a vida! Parabéns aos participantes do Projeto Procurando o Caminho! Acesse http://ccea.org.br, e conheça os projetos desenvolvidos pelo Centro Cultural Escrava Anastácia.

revista HIPPO

49


Por Ezequiel Maia (48) 9113.5675

Cliente HIPPO faz

A importância do

planejamento...

...Sem ele não há sucesso!

Sabemos bem que o sucesso é algo buscado incessantemente por todas as pessoas, seja no âmbito familiar, no amor, no trabalho, na religião, ou através de uma iniciativa na área da ciência, do esporte, ou mesmo do entretenimento. Entretanto, há uma grande distância entre o “buscar” e o “alcançar”... Embora a abordagem desse tema aqui careça de espaço para uma explanação mais aprofundada, não podemos deixar de ir ao âmago da questão, afirmando que uma palavra nos traduz e revela a garantia entre o início e o término positivo de um processo: PLANEJAMENTO! Sim, também sabemos que esse “detalhe” está ao alcance de todos, desde que haja foco, lucidez, objetividade, disciplina, criatividade, conhecimento, pesquisa, padrão de conduta, respeito e, sobretudo, comprometimento com a causa, não necessariamente nessa ordem. Ainda muito jovem, apenas com 22 anos, estava “aventurandome” pelos países da Europa quando me deparei, em Sevilla (Sede da Seleção Brasileira na primeira fase), Espanha, com a “Copa do Mundo 82”. Aquariano, sempre ligado nas coisas do por vir, percebi, naquele momento, que nada estava sendo providenciado pelas autoridades brasileiras, leia-se Embaixada e Consulado Brasileiro, que de fato pudesse ser útil aos 15.000 torcedores brasileiros que estavam para chegar. “Parei e pensei: Essa é a minha grande oportunidade, mas de nada valerá se eu não me organizar com o máximo de planejamento para formatar as ideias que me borbulhavam a cabeça...”. E assim foi, com disciplina e determinação, fundei a Equipe Brasileira de Orientação (EBO), com a edição de um manual em português com informações gerais sobre o evento; com a programação de festas entre um jogo e outro; com a promoção de shows depois dos jogos; e até com a incumbência de promover o entretenimento aos jogadores da seleção na concentração, levando “grupos de samba”, enfim... Tudo com muito PLANEJAMENTO! Não havia como não dar certo! Quando você pensa em todos os detalhes, do início ao fim, não se esquecendo das fases intermediárias, o sucesso mora ao lado, está a um palmo de seu alcance, embora com muito trabalho também! Costumo dizer que o importante, em primeiro lugar, é PLANEJAR o PLANEJAMENTO! Contei essa passagem de minha vida apenas para dizer que os frutos desse planejamento foram promissores e que até hoje os colho, pois, além de ter sido convidado pelo Itamarati e pela CBF, na ocasião, para, e agora sim com o patrocínio do governo brasileiro, desenvolver o mesmo trabalho de apoio aos brasileiros na Copa do México 86, onde tive a oportunidade fundar o Centro de Atenção aos Brasileiros (CAB) e de criar o projeto “Casa Brasil”, um centro de integração cultural entre o país sede e o nosso (desde então colocado em prática em todas

50 • revista HIPPO

as Copas subsequentes pela CBF, inclusive a última, na África do Sul), em Guadalajara (sede da Seleção Brasileira na primeira fase), desenvolvi e aprimorei a tão necessária Metodologia do Planejamento. Com isso, ampliei meus conhecimentos e visão, dando-me condições de desenvolver e executar centenas de outros projetos, a maioria com absoluto sucesso, tais como: shows locais, nacionais e internacionais; jornais alternativos; casas noturnas diferenciadas; sistema de premiação com carnê através da televisão; campanhas políticas; marketing promocional (Centro Comercial Entrelaços, Beiramar Shopping, Rei Bingo e outros); e também festas particulares, como foi o caso da última edição da Feijoada do Cacau, realizada em fevereiro deste ano. Ao assumir a coordenação de um evento, seja do tipo que for, em primeiro lugar, deve-se ter a “visão precisa” do que é e do que se pretende com tal evento. Para que isso seja possível, é necessária uma carga de informações expressivas advindas dos promotores e ou contratantes, muita conversa e pesquisa, conhecimento do histórico em todos os sentidos (caso não seja esta a primeira edição), etc.. Agora, sabendo-se com propriedade o que foi e o que se pretende, adquire-se uma “visão globalizada” da empreitada, restando-nos pensar muito nos detalhes e em todas as necessidades que compreendem o início, meio e fim do processo de produção, sem nunca se esquecer dos imprevistos que poderão surgir durante a execução do projeto — criando, por precaução, o tão propalado e importante “Plano B” — e, preferencialmente, sempre buscando o diferencial de se fazer as coisas, a forma inovadora, a novidade, o surpreendente, o inédito (o universo está repleto disso!), enfim, aquilo que, além da funcionalidade correta de tudo que foi programado, vai garantir ao evento o destaque e reconhecimento como SUCESSO! É importante ressaltar que este “estado de conquista”, o “ápice positivo” do processo, não será completo se não se atingirem dois fatores básicos: o primeiro refere-se ao quantitativo e à satisfação do público; o segundo, à aferição de lucro (quando for o caso)! Mas, para que o planejamento seja perfeito e a execução melhor ainda, há de se organizar de forma exemplar e facilitadora, além da garra e o comprometimento com a causa, imprescindivelmente! De nada adiantará um bom planejamento se, na hora de executá-lo, não se tiver uma boa agenda com todos os contatos na ordem correta, desde fornecedores em geral, patrocinadores e promotores até um banco de RH ou mesmo dos veículos de comunicação, passando por modelos adequados de planilhas, seja para a prestação dos custos e despesas, bem como para a montagem de cronogramas, além dos canais que permitam com fluidez a comunicação entre os envolvidos no processo, tipo internet, e-mails etc..


Revista Hippo  

Revista Hippo Edição 23