Issuu on Google+

Aula 12

Planejamento e Desenvolvimento de Sistemas “Os analfabetos do próximo século não são aqueles que não sabem ler ou escrever, mas aqueles que se recusarem a aprender, reaprender e voltar a aprender. Alvim Toffler Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Desenvolvimento e uso de SI

• As empresas necessitam de diferentes tipos de Sistemas de Informação de acordo com o seu tamanho, complexidade estrutural e política. • Possui 2 tipos de problemas: – Problemas estruturados; – Problemas semi-estruturados.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

1


Ciclo de vida dos sistemas

• Método padrão de desenvolvimento de sistemas onde ocorre a divisão do trabalho em fases relacionadas. • Pode ter problemas por sua rigidez e inflexibilidade. • A maior parte do seu desenvolvimento é praticada por profissionais técnicos. • Não indicada para sistemas que necessitam de soluções imediatas.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Ciclo de vida dos sistemas

• Principais fases: – – – – – –

Definição do projeto; Estudo do sistema; Projeto da solução; Programação; Instalação; Pós-implementação.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

2


Prototipagem

• Método que primeiramente cria-se um protótipo do sistema como um elemento experimental. • Aproxima mais o desenvolvimento de sistema das necessidades do usuário. • Estrutura mais flexível e informal. • Indicada quando as necessidades do usuário não estão muito claras.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Prototipagem

• Os usuários podem ser classificados em dois tipos: – Intuitivos; – Sistemáticos.

• Este método também é importante para testar a interface com o usuário do Sistema de Informação.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

3


Prototipagem Resolução de Problemas

Prototipagem

Análise do problema

Identificar os requisitos iniciais

Entendimento do problema

Desenvolvimento do protótipo operacional

Tomada de decisões Projeto da solução

NÃO

Usar o protótipo?

SIM

Verificar a aceitação do protótipo? Desenvolver o protótipo final

Implementação Desenvolver a versão para a produção. Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Uso de pacotes

• Programas pré-desenvolvidos e testados que se encontram disponíveis no mercado. • Boa opção para empresas sem profissionais técnicos. • Reduz o custo de desenvolvimento e custo com mãode-obra especializada. • Desvantagem: – Super-dimensionado; – Sub-dimensionado.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

4


Uso de pacotes

• Talvez seja importante definir um processo de elaboração de questões relativas as necessidades do usuário. • Criar um sistema de pontuação para verificar o que melhor se adapta as necessidades. • Pode ocorrer uma racionalização forçada de processos e políticas vigentes.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Uso de pacotes

Resolução de problemas

Uso de pacotes

Análise do problema

Definição do problema

Entendimento do problema Estudo do sistema Tomada de decisão Projeto da solução

Avaliação do pacote Instalação do pacote

Implementação

Adequação do pacote à organização Pós-implementação

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

5


Terceirização

• Uso de uma empresa especializada que promove a concepção do sistema. • Nem sempre a economia com a terceirização é materializada. • Possui diversos elementos que devem ser levados em consideração. • A empresa contratada deve ter capacidade técnica e prática suficiente para exercer a atividade em questão. • Confiança em demasia pode se tornar um problema.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Terceirização

• Atividades que podem ser supridas: – Gerenciamento de CI’s; – Operação de alguns ou todos os sistemas ligados a tecnologia; – Desenvolvimento de suporte técnico; – Desenvolvimento de aplicações personalizadas; – Consultoria em resolução de problemas relativos a aplicação de tecnologia.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

6


Terceirização (barreiras)

• Internas: – – – – – – – –

Medo; Insegurança; Pessimismo; Comodismo; Desânimo; Incompetência; Passividade; Isolamento.

• Externas: – – – – – – – –

Conservadorismo; Acomodação; Imediatismo; Imobilismo; Burocracia; Pseudo-comunicação; Fragmentação; Chefia.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Terceirização

Resolução de problemas

Terceirização

Análise do problema

Definição do problema

Entendimento do problema

Estudo do sistema

Tomada de decisão

Solicitação de propostas

Projeto da solução

Avaliação do prestador de serviços

Implementação

Implantação

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

7


Ferramentas de Engenharia de Software

• Ferramentas CASE – Computer Aided Software Engineering – Engenharia de Software Auxiliada por Computador

• Utilizam técnicas de engenharia de software para automatizar o desenvolvimento de sistemas. • Permite a concentração de esforços nas tarefas criativas e que exigem racionalização.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Ferramentas de Engenharia de Software

• Principais produtos das ferramentas CASE: – Produção automática de gráficos e diagramas; – Criação de protótipos da interface com o usuário e dos relatórios; – Geração dos códigos de programação; – Análise e verificação das especificações do projeto; – Geração da documentação do sistema.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

8


Ferramentas de Engenharia de Software

• Tipos de ferramentas CASE: – Focada em Análise de Sistemas; – Focada no Projeto de Sistemas.

• Muito usada para o desenvolvimento distribuído de software.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Segurança dos dados

• Com a existência de um patrimônio virtual da organização a necessidade de imposição de segurança nos sistemas da organização passou a ser de grande importância. • O uso de computadores torna algumas vulnerabilidades da organização mais acentuadas. • A imposição de segurança promove a minimização de prejuízos e a garantia de qualidade dos dados e informações do sistema.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

9


Segurança dos dados

• Maior preocupação da segurança deve ser contra ataques internos – Funcionários insatisfeitos; – Ex-funcionários que possuíam privilégios avançados.

• Um quadro assustador demonstra que muitas empresas não possuem sequer a capacidade de definir se foram ou não atacadas de alguma forma.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Segurança de dados

• As maiores ameaças aos sistemas de informação são: – – – – – – –

Incêndio; Falha elétrica; Mau funcionamento de hardware; Erros de software; Erros de usuário; Crime por computador; Mau uso do computador.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

10


Segurança de dados

Risco = vulnerabilidades * ataques • Principais pontos de segurança: – Servidores; – Pontos de conexão de redes; – Usuários e seus privilégios nos sistemas;

• Tipos de invasores: – – – –

Hackers e seus variantes; Funcionários descontentes; Usuários mal treinados; Vírus e worms de computador.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Segurança de dados

• Métodos para imposição de segurança: – Controle de acesso; – Autenticação de usuário; – Criptografia.

• Criptografia: – Método que utiliza algoritmos matemáticos complexos para codificar e decodificar os dados ou informações que estejam em tráfego nos sistemas de telecomunicações.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

11


Segurança de dados

• Outros sistemas de segurança: – – – –

Certificados digitais; Token cards; Smart cards; Biometria.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Custo e investimento em TI

• As empresas necessitam estudar melhor a aplicação da tecnologia para que tal tarefa seja um investimento e não um custo. • Necessidade da visão de TI como uma aliada. • TI não é substituto e sim um ferramental para aumento de produtividade.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

12


Custo e investimento em TI

• No campo da tecnologia controlar os custos e a produtividade é considerada a melhor forma de administrar uma organização com Sistemas de Informação. • Neste caso são usados parâmetros como: – TCO (Total Cost Ownership – Custo total de propriedade); – TVO (Total Value Ownership – Valor total de propriedade).

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Custo e investimento em TI

• A redução de TCO envolve a resolução dos desequilíbrios existentes no Modelo de Relacionamento Cíclico. • Redução de custos deve ser ≠≠≠ Redução da qualidade. • Um outro método pode ser o modelo CBFR (custo, benefícios, flexibilidade e riscos). • ROI (Return On Investiment – Retorno de Investimento) – Normalmente usado para justificar o investimento em tecnologia.

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

13


PDSI

FIM

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

14


cap12