Issuu on Google+

ÍNDICE 1. FUNÇÕES.........................................................................................................................1 1.1 Anatomia de uma Função................................................................................................1 1.2 Argumentos .....................................................................................................................2 2. CONVENÇÕES UTILIZADAS NA APOSTILA ............................................................3 2.1 Comandos de Menu.........................................................................................................3 2.2 Mouse..............................................................................................................................3 Dicas................................................................................................................................3 3. APERFEIÇOANDO A CRIAÇÃO DE FÓRMULAS......................................................4 3.1 Criando fórmulas com endereços de outras pastas de trabalho .......................................4 4. TRABALHANDO COM BANCO DE DADOS ..............................................................12 4.1 Classificar por uma lista personalizada ...........................................................................12 4.2 Filtro Avançado...............................................................................................................14 4.3 Subtotais..........................................................................................................................17 4.3.1 Inserindo subtotais na lista ...............................................................................17 4.3.2 Removendo subtotais ......................................................................................20 4.4 Tabela e Gráfico Dinâmicos...........................................................................................20 4.4.1 Compreendendo a Tabela dinâmica .................................................................25 5. FUNÇÕES LÓGICAS ......................................................................................................28 6. FUNÇÕES ESTATÍSTICAS ............................................................................................35 6.1 Contando itens em uma lista .............................................................................................35 6.1.1 Funções CONT.NÚM e CONTAR.VAZIO.....................................................35 6.1.2 Condicionando uma contagem pela função CONT.SE ....................................36 7. FUNÇÕES MATEMÁTICAS E TRIGONOMÉTRICAS .................................................38 7.1 Somando com uma condição.............................................................................................38 8. FUNÇÕES DE BANCO DE DADOS ...............................................................................40 8.1 Contando pelas funções BDCONTAR e BDCONTARA .................................................47 8.2 Somando pela função BDSOMA ......................................................................................50 8.3 Conhecendo as funções BDMÉDIA, BDMÁX e BDMÍN................................................50

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos


Excel Intermediário

1.0 FUNÇÕES Usando apenas os operadores matemáticos apresentados há pouco, você certamente já poderia criar planilhas para resolver praticamente todas as tarefas realizadas manualmente hoje e que envolvam cálculos diversos. Mas, o EXCEL 7 vai mais além, ele contém uma série de funções predefinidas que economizam muito trabalho para você. Genericamente uma função consiste em uma série de operações matemáticas que agem sobre valores fornecidos pelo usuário e retorna obrigatoriamente algum resultado. No exemplo anterior tivemos que somar apenas o conteúdo de quatro células, mas imagine que em vez de quatro fossem cem referências. Seria um enorme trabalho de digitação, sujeito a muitos erros. Para facilitar esse trabalho, o EXCEL 7 possui uma função chamada "SOMA", que pede a especificação apenas da referência da primeira e da última célula da faixa que será somada. No exemplo anterior, em vez de digitar a referência das células, poderíamos digitar =SOMA(C4:C7). Além de economizar digitação, a utilização dessa função beneficia o usuário quando ele precisa alterar a estrutura da planilha.

1.1

Anatomia de uma Função

Uma função se caracteriza pela seguinte estrutura genérica:

Toda função é composta por um nome que é sucedido obrigatoriamente por parênteses. Dependendo da função, dentro dos parênteses podem existir argumentos , ou seja valores ou referências a células e que serão usados pela função para retornar o resultado da função.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

1


Excel Intermediário

A função SOMA( ), por exemplo, exige como argumentos a especificação da célula inicial e da célula final separadas por dois-pontos ou, então, uma série de endereços de células separados por ponto-e-vírgula. Cada função possui uma sintaxe própria, ou seja, espera-se que os seus argumentos sejam especificados em uma ordem determinada. Se isso não ocorrer, haverá um erro que faz com que o resultado não seja produzido ou uma mensagem de advertência seja exibida.

1.2 Argumentos O número e tipo de argumentos requeridos variam de função para função. Um argumento pode ser:

### Números ### Texto ### Valores lógicos ### Valores de erro ### Referências ### Matrizes

Usando referências a outras células, você pode especificar diretamente o endereço de uma célula ou então uma faixa de células, usando o símbolo de dois-pontos para separar a célula inicial e final. Exemplo: SOMA(A1:A20)

Quando uma função possuir mais de um argumento, eles devem ser separados por um ponto-evírgula. Exemplos: SOMA(A1;A15;A30) SOMA(C1:C15;B1:B15)

### Soma as três células especificadas. ### Soma as duas faixas especificadas.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

2


Excel Intermediário

2. CONVENÇÕES UTILIZADAS NA APOSTILA

2.1 Comandos de Menu Quando houver um comando de menu, este será referenciado pela palavra escolha e depois o caminho do menu em negrito, sendo que cada parte será separada por símbolo . Por exemplo, para acessar o comando Filtro avançado, que está no submenu do item Filtro do menu Dados, será referenciado da seguinte forma: escolha Dados Filtrar Filtro avançado. As letras sublinhadas são as mesmas que estão sublinhadas no menu, também chamadas de teclas de aceleração. Havendo uma caixa de diálogo que contenha várias guias, o nome desta será precedido pela palavra guia entre os sinais de menor e maior <guia>. Um exemplo é a caixa de Opções, que tem 8 guias e é acessada pelo item Opções do menu Ferramentas. Para chegar à guia Geral, a referência será: escolha Ferramentas Opções<guia>Geral.

2.2 Mouse Quando for referenciada a utilização do mouse, você deve utilizar o botão esquerdo, como em: clique na barra de rolagem e... Quando for necessário utilizar o botão direito, será especificado, como em: clique com o botão direito do mouse na célula... Estamos considerando que o botão esquerdo do mouse esteja configurado como botão primário no seu computador.

Dicas Na própria narrativa você encontrará várias dicas do Excel, porém as principais estarão destacadas como esta, que contém um dos Assistentes do Office na frente:

Pressione SHIFT+F2 para inserir uma nota na célula

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

3


Excel Intermediário

3. APERFEIÇOANDO A CRIAÇÃO DE FÓRMULAS Vamos recapitular um tema do treinamento básico, que é a elaboração de fórmulas com referências de outra planilha da mesma pasta de trabalho: Para criar fórmulas utilizando endereços de outras planilhas da mesma pasta de trabalho a sintaxe é:

=Planilha!Célula

Na qual o nome da planilha é seguido do ponto de exclamação (!) e, após, é inserida a referência da célula, como por exemplo:

=Plan1!A1

Se no nome da planilha houver espaço, como Valor Mensal, este nome surgirá entre apóstrofos. Para referenciar a célula C5 dessa planilha, a fórmula é:

= ‘Valor Mensal ‘ ! C5

A fórmula a seguir soma os valores das células A5 de Plan1 e B8 de Plan3:

=SOMA(Plan1!A5;Plan3!B8)

3.1 Criando fórmulas com endereços de outras pastas de trabalho Você também pode elaborar fórmulas que se baseiem em células de outras pastas de trabalho, ou seja, de outros arquivos. O modo de criar a fórmula é bastante simples: 1- Abra as pastas de trabalho a serem referenciadas; 2- Selecione a célula onde fará a fórmula e digite o sinal de igual (=). Pelo menu Janela escolha a pasta de trabalho (arquivo) a ser referenciada e clique na célula cuja referência você deseja inserir. Se for continuar a fórmula, digite um operador e clique em outra de qualquer pasta de trabalho. Faça assim para cada referência da fórmula: 3- Quando terminar pressione a tecla ENTER. A sintaxe de uma fórmula com referência de outra pasta de trabalho é: Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

4


Excel Intermediário

= [Arquivo] Planilha!Célula

Na qual, no caminho, o nome do arquivo deve estar entre colchetes e o nome da planilha seguido do ponto de exclamação (!). Tudo isso estará entre apóstrofo, com exceção do ponto de exclamação, se houver espaço no nome da planilha, como Tabela de Custos (com 2 espaços). Após, surge o endereço da célula. Um exemplo é:

=C:\Valores\ [Mensal.xls] Plan1!C5

A célula referenciada é C5 da planilha Plan1, do arquivo Mensal.xls que está na pasta (diretório) Valores da unidade C do computador. Outro exemplo é:

=SOMA ( ‘A: \ [Cursos.xls]Data Inicial ‘!A6:A14)

Que soma o intervalo A6:A14 da planilha Data Inicial da pasta Cursos.xls. Neste caso, o arquivo se encontra no drive A (disquete). Crie fórmulas com referências de outras planilhas simplesmente clicando nas células, deixando que o Excel insira o caminho completo. Se, após criar a fórmula, não surgir o nome do disco e da pasta (diretório), é porque a pasta de trabalho referenciada está aberta. Quando fechar, o caminho surgirá na fórmula. Se preferir, vicê também pode digitar o caminho completo para referenciar a célula, porém é mais trabalhoso. Na figura a seguir há uma pasta de trabalho cujo nome é Preços.xls que está localizada na pasta (diretório) Custos. Na coluna B da planilha Valores, a partir da linha 4 estão inseridos os preços de custo dos produtos cujos nomes estão na coluna A . Para calcular o preço de venda na colula C será necessário utilizar a margem de lucro que está na planilha Margens de outra pasta de trabalho, nomeada de Percentual.xls. Essa pasta de trabalho está no diretório Lucro e é exibida na próxima figura.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

5


Excel Intermediário

Esta pasta de trabalho é Preços.xls. Na coluna C, os preços de venda deverão ser calculados baseados na...

...planilha Margens da pasta de trabalho Percentual.xls

O preço da venda será calculado baseado no lucro sobre o custo, ou seja, será multiplicado o preço de custo por 1+margem de lucro.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

6


Excel Intermediário

Vamos dar mais importância agora para o modo de criação da fórmula. Para criar esta fórmula, selecione a célula C4 da planilha Valores da Pasta Preços.xls. Certifique-se que a pasta Percentual.xls também esteja aberta e siga estes passos:

1- Digite o sinal de (=) e insira a referência do preço de custo, célula B4. Depois, digite o sinal de multiplicação (*), abra parêntese e digite 1+; =B4*(1+

2.

Escolha Janela

e clique no nome da pasta Percentual.xls (CTRL+F6);

2

Clique na célula C4 da planilha Margens. Isso faz com que essa referência seja inserida como absoluta (estão fixas a coluna e a linha) na fórmula. Feche parêntese e pressione a tecla ENTER.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

7


Excel Intermediário

Após clicar na pasta Percentual.xls e na célula C4 da planilha Margens, essa referência é inserida na fórmula

A fórmula contém a referência da pasta Percentual.xls

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

8


Excel Intermediário

A fórmula será: =B4*(1+ [Percentual.xls] Margens!$C$4) Veja que o nome da pasta de trabalho surge entre colchetes. Percebe como é simples, você só precisa clicar na célula que o Excel se encarrega de montar a sintaxe. Se for preciso tornar a referência da célula mista (C$4 ou $C4) ou relativa (C4), basta tirar os cifrões que desejar.

Crie fórmulas com referências de outras pastas de trabalho simplesmente clicando na célula a referenciar. Se achar mais fácil, exiba as janelas das pastas de trabalho lado a lado, que pode ser feito pelo menu Janela

Agora é só preencher para as demais células da coluna, que deverá ficar conforme a próxima figura.

Após preencher a fórmula para as demais células, o resultado será este

Abra a pasta de trabalho Percentual.xls e na planilha Margens altere para 30% o valor da célula C4. Salve e feche a pasta de trabalho.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

9


Excel Intermediário

Depois, abra a pasta Preços.xls. Como esta pasta tem vínculos externos, será exibida a mensagem perguntando se você desejar atualizar as informações. Clique no botão Sim.

Este alerta é exibido ao abrir uma pasta de trabalho com vínculos externos.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

10


Excel Intermediário

Agora veja os valores das células do intervalo C4:C8 foram alterados, considerando 30% como margem de lucro.

Os valores da coluna C foram atualizados

Para que não seja mais exibida a mensagem de atualização ao abrir a pasta, escolha Ferramentas Opções<guia>Editar e desmarque a caixa Confirmar atualização de vínculos automáticos.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

11


Excel Intermediário

4. TRABALHANDO COM BANCO DE DADOS Neste capítulo você conhecerá mais recursos para trabalhar com listas. Uma lista no Excel tem o mesmo conceito de banco de dados, sendo a nomenclatura a única diferença. Portanto, quando você for consultar a literatura referente ao sotware, notará a frequência o nome lista, que pode ser entendido como banco de dados. Lista é um conjunto de dados organizados em linhas e colunas que têm uma relação entre si. Cada coluna recebe um rótulo, também chamado de nome do campo, que estará na primeira linha da lista. Abaixo dos rótulos, ou seja, a partir da segunda linha, são inseridos os registros. Portanto, as colunas são os campos e as linhas os registros. A lista da figura a seguir possui 4 campos, que são: Produto, Valor, Qtde e Origem. O número de registros desta lista é 6, que são os dados da linha 2 até 7.

Rótulo dos Campos

Registros

Quase tudo o que se cria no Excel é uma lista. São exemplos de lista: o cadastro de clientes, a lista de produtos, a tabela de preços de uma empresa, o cadastro de alunos de uma escola, etc...

4.1 Classificar por uma lista personalizada Você verá como classificar por uma lista personalizada, como os dias da semana, os meses do ano ou uma lista com nomes de produtos. Escolha Ferramentas Opções<guia>Listas clique em Entradas da lista e digite cada entrada pressionando ENTER até completar a lista. Depois clique em Adicionar e OK. Para classificar po uma lista personalizada, selecione a região a classificar, conforme a regra de seleção para classificar e siga os passos: Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

12


Excel Intermediário

1. escolha Dados Classificar; 2. em Classificar por escolha o campo que contém a lista e clique em Opções; 3. em Ordem de classificação da primeira chave escolha a lista desejada e confirme. Clique no botão OK e veja o resultado. A classificação por uma lista personalizada somente pode ser inserida como a primeira chave da classificação

Clique aqui para Escolher a lista

Permite distinguir letras maiúsculas de minúsculas na classificação

Normalmente a classificação é feita de cima para baixo. Da esquerda para a direita muda a ordem das colunas

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

13


Excel Intermediário

Esta lista está classificada pelos dias da semana

A lista da figura anterior está classificada pelos dias da semana em ordem crescente. Se não fosse escolhida a opção de classificação pela lista personalizada, a ordem crescente colocaria qua em primeiro lugar, que seria a ordem alfabética.

4.2 Filtro Avançado Em uma lista contendo diversos registros, às vezes é necessário exibir ou extrair apenas aqueles que atendam a determinadas condições. Por exemplo, em uma lista com diversos produtos, datas, quantidades e preços é preciso exibir apenas os dados referentes a um determinado produto dentro de um certo período. Para isso é preciso filtrar os dados da lista e o Excel possui dois tipos de filtros: o Auto filtro, e o Filtro avançado. A diferença entre eles é que o filtro avançado permite especificar mais de duas condições por campo da lista e o local de extração pode ser uma região diferente daquela que contém os dados de origem. Antes de aplicar o filtro avançado em uma lista, algumas regras devem ser seguidas: 1- A lista deve conter os rótulos que identificam os campos, ou seja, a primeira linha da lista deve ter os nomes dos campos; 2- É necessário que exista um intervalo de critérios na mesma planilha com os dados a serem filtrados.

Um intervalo de critérios é criado da seguinte forma: A primeira linha deve conter o nome dos campos a serem filtrados, podendo ser desde 1 até todos os campos da lista. Da segunda linha em diante são inseridas as condições. Na lista da figura a seguir, os nomes dos campos estão no intervalo A1:G1. Um intervalo de critérios para filtrar esta lista dever ser criado a partir de qualquer célula da planilha Movimento, que é a planilha que contém os dados a serem filtrados. Todas as condições que estiverem na mesma linha são cumulativas, ou seja, se em um intervalo de critérios para a lista a seguir for digitado um nome em uma célula e em outra célula da mesma linha o nome de um produto, significa que serão filtrados os registros com aquele nome e com Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

14


Excel Intermediário

aquele produto. Caso o nome esteja em uma linha e o produto em outra, serão filtrados os registros com aquele nome ou com aquele produto. Portanto, o que estiver na mesma linha significa E e em linhas diferentes significa OU. Veja mais adiante alguns exemplos.

Você pode utilizar os operadores de comparação nas condições, que são:

> < >= <= = <>

Maior que Menor que Maior ou igual a Menor ou igual a Igual a Diferente de

Veja nas figuras a seguir alguns exemplos:

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

15


O intervalo de critérios está em A11:B12 Nessa figura, o intervalo de critérios está em A11:B12 e extrai os registros cujo Produto seja Trompete e Qtde acima de 6. Veja que as condições são inseridas respectivamente em cada campo. Por estarem na mesma linha (12), as condições são cumulativas, significando que, para ser extraído, o registro tem que ter necessariamente esse nome com esse produto e essa quantidade. Na figura a seguir, o intervalo de critérios está em A11:B13. Veja que o nome Adriana, podendo está em uma linha (12) e Saxofone, assim como >5 estão na linha de baixo (13). Isso significa que serão extraídos os registros cujo nome seja Adriana, podendo haver qualquer dado nos outros campos. Também serão extraídos os registros com Saxofone e, como a quantidade está na

mesma lnha, as quantidades dos Saxofones extraídos têm que ser maior que 5.

16


Excel Intermediário

4.3 Subtotais Conforme são digitados os dados em uma lista e ela vai ficando extensa, chega um momento em que torna-se necessário ter uma visualização geral dos valores para melhor compreensão dos dados. O Excel dispõe de ferramentas que fazem o gerenciamento de listas, como a extração de registros através da filtragem ou a classificação dos dados. Um dos recursos existentes no software eu permite exibir os valores totais de cada item diferente da lista é chamado de Subtotais, que devem ser aplicados na existência de itens repetidos em um campo. Lembra-se da lista que nós utilizamos no Filtro avançado? Desta vez ela será utilizada para você entender como aplicar subtotais. Antes de inserir subtotais em uma lista, classifique-a (em ordem crescente ou descrescente) pelo campo a ser subtotalizado. Isso é fundamental, pois ao utilizar esta ferramenta, surgirão os valores totais sempre que um novo item for localizado. Nesta lista, os subtotais serão aplicados no campo Nome. Portanto, primeiramente classificamos por este campo, conforme a figura a seguir.

A lista está classificada pelos nomes

4.3.1 Inserindo subtotais na lista

Após classificada, selecione qualquer célula da lista e escolha Dados Subtotais. A caixa Subtotais possui os seguintes itens: A cada alteração em: selecione o campo em que, ao notar mudança de dado, será inserida uma linha com o total do item. Sempre deve ser escolhido o campo pelo qual a lista está classificada como primeira chave. Nesta lista será o campo Produto. Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

17


Excel Intermediário

Usar função: exibe uma lista com 11 funções. Escolha uma compatível com o tipo de dado do campo onde será adicionado o subtotal. Neste caso, selecione Soma. Adicionar subtotal a: marque os campos que terão os subtotais. Como foi escolhida a função SOMA, o correto é marcar um ou mais campos que contenham números. Se escolher a função Cont.valores, então pode ser adicionado um subtotal em campos com textos, pois esta função faz a contagem dos itens existentes. Marque apenas Total. Substituir subtotais atuais: caso já exista subtotais aplicados à lista, se marcar esta caixa, aqueles que estiverem sendo configurados neste momento substituirão os existentes, caso contrário, os novos subtotais serão adicionados aos já existentes. Não marque esta caixa. Quebra de página entre grupos: se marcar esta caixa, será criada uma quebra de página para cada item com subtotal na lista. Não marque. Resumir abaixo dos dados: insere os subtotais abaixo dos dados da lista. Se não estiver marcada, os subtotais são colocados acima dos dados. Deixe marcada.

Caixa Subtotais Clique no botão OK para confirmar.

Veja que surgiram os símbolos de estrutura de tópicos e uma linha com o subtotal de cada nome, calculando a soma do campo Total (coluna G). Em uma lista com subtotais, na célula com o valor é inserida uma fórmula com a função SUBTOTAL, cuja sintaxe é: =SUBTOTAL (Núm_função;Ref1;Ref2;...Ref29) Na célula G4 a fórmula que calcula o valor total da é: =SUBTOTAL(9;G2:G9) Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

18


Excel Intermediário

Onde 9 é o número da função SOMA seguido do intervalo a ser somado. Cada uma das 11 funções tem um número que a identifica. Veja a tabela: Nº da função

Função

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

MÉDIA CONT.NÚM CONT.VALORES MÁXIMO MÍNIMO MULT DESVPAD DESVPADP SOMA VAR VARP

Símbolo de estrutura de tópicos Linha com subtotal

Os subtotais foram adicionados a cada mudança em Produto (Coluna D)

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

19


4.3.2 Removendo subtotais

Para remover subtotais selecione uma célula da lista, escolha Dados Subtotais e clique no botão Remover todos.

4.4 Tabela e Gráfico Dinâmicos Você já viu diante de uma grande massa de informações simplesmente digitadas e precisou ter uma visão geral desses dados? Muito provavelmente a resposta será Sim. Um exemplo são os registros do setor de vendas de uma empresa que possui diversos itens. Imagine se cada item vendido ocupar uma linha em um banco de dados. Quantos registros não haverá no final de um período! E essa lista pode ter diversos campos, como data, produto, vendedor, preço, quantidade, total, e até muitos outros. Chegará um momento que será necessário resumir os dados para se ter uma idéia geral daquilo que existe na lista. Você já conheceu os recursos do filtro avançado, dos subtotais e verá mias adiante, no capítulo FUNÇÕES, as funções de banco de dados. Todos esses excelentes recursos auxiliam bastante no gerenciamento das informações e devem ser empregados quando necessário. Porém, agora você vai conhecer uma ferramenta que torna o Excel um dos melhores e mais versáteis softwares existentes no mercado. É a Tabela dinâmica. Uma Tabela dinâmica deve ser criada quando uma lista tiver vários itens repetidos, como na lista da próxima figura, na qual existem produtos repetidos na coluna A, operações de Importação ou Exportação na B, países na coluna C, prazos de entrega na D, estendendo-se a lista até a coluna G, com o campo Total.

20


Excel Intermediário

O objetivo de uma Tabela dinâmica é resumir os dados permitindo ter uma visão geral das informações. Um exemplo é verificar qual a soma das unidades referentes a Calçados, na operação Exportação cujo país é a Alemanha.

Tabela Dinâmica 4.2.1.1 Criando uma Tabela dinâmica A lista da figura anterior se estende até a linha 351. Portanto, nessa lista há 350 registros. Para criar uma Tabela dinâmica baseada nesses dados, selecione qualquer célula na lista (isso facilida o trabalho) e siga os passos: 1- Escolha Dados Relatório de tabela e gráfico dinâmicos; 2- Será aberto um assistente na primeira de três etapas. Nessa etapa você deve indicar onde estão os dados a partir dos quais a tabela dinâmica deve ser criada, que podem ser: •

Banco de dados ou lista do Microsoft Excel: os dados estão organizados em uma planilha do Excel. Podem estar inclusive em outra pasta de trabalho.

Fonte de dados externos: permite obter os dados de outras fontes, como arquivos do tipo .DBF, de tabelas ou consultas de um arquivo do Microsoft Access, tabelas do Visual FoxPro ou consultas criadas a partir do Microsoft Query.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

21


Excel Intermediário

Vários intervalor de consolidação: permite obter dados de planilhas diferentes do Excel. Esta opção deve ser escolhida quando os dados não estiverem na mesma lista, como por exemplo, quando houver dados referentes a vários meses, estando os meses distribuídos em planilhas diferentes.

Neste caso, como os dados estão em uma única lista do Excel, escolha Banco de dados ou lista do Microsoft Excel. Na parte inferior dessa caixa, é preciso escolher o tipo de relatório a ser criado. Escolha Tabela dinâmica. Posteriormente criaremos um gráfico dinâmico. Clique no botão Avançar para passar para a segunda etapa do assistente;

Primeira etapa do assistente. Indique a origem dos dados e o tipo de relatório

3- Nesta etapa você deve especificar onde se encontram os dados a serem utilizados. Como inicialmente foi selecionada uma célula da lista, toda a lista já é sugerida como origem de dados, que corresponde ao intervalo $A$1:$G$17. Veja que é necessário incluir os rótulos das colunas, que estão na primeira linha da lista. Aceite esse intervalo. Se os dados estiverem em outra pasta de trabalho clique no botão Procurar para selecionar a pasta e a planilha. Clique no botão Avançar;

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

22


Excel Intermediário

Determine o intervalo da lista a ser utilizada como base de dados

4- Ainda nesta estapa existem os botões Layout e Opções na parte inferior da caixa de diálogo. As configurações das caixas a serem abertas por esses botões podem ser especificadas também posteriormente. Porém, clique no botão Layout para diagramar a tabela.

Campos da lista com a origem de dados

4 campos da Tabela dinâmica

Nessa caixa, existem os campos da lista com a origem de dados do lado direito e os 4 campos de uma Tabela dinâmica, que são:

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

23


Excel Intermediário

PÁGINA: Deve conter o campo a ser filtrado. COLUNA: Deve conter o campo a ser exibido na coluna da Tabela dinâmica. LINHA: Deve conter o campo a ser exibido em linhas na Tabela dinâmica. DADOS: Deve conter o campo em que os cálculos serão feitos Para elaborar o layout você deve arrastar o botão que contém o nome do campo da lista e soltá-lo em cima do campo da Tabela dinâmica em que este deverá ficar. Então, arraste o botão Produto, soltando-o no campo da PÁGINA. Depois, arraste o botão País soltando-o na LINHA. O botão Operação deve ficar na COLUNA e Unidades em DADOS. Ao soltar o botão Unidades, ele será Soma de Unidades.

Arraste os botões em cima dos campos para criar o layout

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

24


Excel Intermediário

5- Na quarta e última etapa deve-se especificar onde a Tabela dinâmica será criada. Se escolher Nova planilha, quando clicar no botão Concluir, surgirá uma nova planilha na pasta de trabalho e a partir da célula A1 será criada a Tabela Dinâmica. Neste exercício, escolha Nova Planilha e clique em Concluir.

Surgirá uma nova planilha onde será criada uma Tabela dinâmica resumindo os dados do intervalo, contendo os nomes dos países dispostos em linhas, as operações, Importação e Exportação, ocupando uma coluna cada uma; os números da área de dados referem-se à soma das unidades. Na linha 1 na nova planilha existe o campo de PÁGINA da Tabela dinâmica, contendo os produtos, onde inicialmente aparece Tudo.

A partir da linha 1 da nova planilha foi criada uma Tabela dinâmica

4.4.1 Compreendendo a Tabela dinâmica

Essa tabela exibe os valores referentes à soma das unidades de todos os produtos de acordo com o país e a operação. Veja na linha 9 que o valor total das importações para a Itália é de R$ 11,00. As importações tem um total Global de R$ 309,00, e assim como esse valor, há os valores dos demais países e, na coluna D estão os totais globais. Antes de fazer alterações de layout ou exibição dos dados, vamos formatar os números para que sejam exibidos os separadores de milhares. Para isso, selecione qualquer número existente na Tabela Dinâmica e clique no botão Configurações de campo, na barra de ferramentas Tabela dinâmica. Será exibida a caixa Campo da Tabela dinâmica com o campo previamente selecionado, que é Unidades. Clique no botão Número. Será exibida a caixa Formatar células. Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

25


Excel Intermediário

Clique na categoria Número e marque a caixa Usar separador de 1000 (.). Como casas decimais, digite 0 (zero). Clique no botão OK para voltar à caixa anterior. Clique no botão OK.

Barra de ferramentas Tabela dinâmica

Caixa com configurações do campo selecionado

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

26


Excel Intermediário

Formatação do número

Isso faz com que os valores do campo de dados sejam exibidos com o separador de milhares sem casas decimais, melhorando a compreensão desses dados. Você pode escolher o ítem cujos valores serão calculados na Tabela dinâmica. No campo de PÁGINA há os nomes dos produtos da lista.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

27


5. FUNÇÕES LÓGICAS Inserindo mais de uma condição em um teste lógico No treinamento básico você conheceu a função SE, que permite inserir uma condição e dar uma resposta caso a condição tenha um resultado o valor lógico VERDADEIRO e dar outra resposta para o caso do teste lógico ser FALSO. Também no treinamento básico você aprendeu de maneira superficial a inserir várias condições no teste lógico. Porém, neste treinamento vamos tratar deste assunto com mais detalhe. Existem algumas técnicas utilizadas para inserir várias condições em um teste lógico. A forma mais prática na maioria dos casos é através da função E. Esta função permite especificar até 30 (trinta) condições, retornando VERDADEIRO somente se TODAS as condições forem satisfeitas. Basta que uma delas não seja satisfeita para que o resultado seja FALSO. Uma faculdade estabeleceu que somente serão aprovados os alunos que obtiverem média final maior ou igual a 7, frequência maior ou igual a 70% e a nota do 4º Bimestre tem que ser maior que 6. Os demais estarão reprovados. A estrutura da fórmula para esta questão deve ser esta: =SE(E(condição1;condição2;condição3);VERDADEIRO;FALSO) Segundo a figura a seguir, para calcular a situação dos alunos, selecione a célula H3 e siga estes passos:

Esta fórmula obriga que todas as condições sejam satisfeitas (média>=7;frequência>=70%;4ºBim>6)para que o Teste_lógico seja VERDADEIRO e o aluno Aprovado 28


Excel Intermediário

1- Digite =SE e pressione CTRL+T (ou digite o sinal de igual (=) e clique na função SE pela Caixa de nome). Como haverá mais de uma condição para aprovação, com o cursor pulsando na caixa de edição do Teste_lógico (quando for aberto o assistente o cursor já vede estar lá), clique no drop-down do lado do X vermelho na barra de fórmulas e assim que localizar a funcão E dê um clique nela; 2- Nesta etapa, note que os argumentos da função E são Lógico1 e Lógico2. Porém, esta função contém 30 argumentos, que são Lógico1, Lógico2,...até Lógico30, que são as condições a serem testadas. Insira as três condições, uma em cada argumento, ou seja, Lógico1 será F2>=7, Lógico2 G2>=70%, Lógico3, que será aberto quando clicar em Lógico2, será E2>6;

Digite cada condição em caixas de edição diferentes. O valor que aparece à direita dos testes indica o resultado de cada um. Neste caso todos são VERDADEIRO

5. Após, clique em SE que está na Barra de fórmulas para voltar para a etapa anterior. Note que o Teste_lógico contém E(F3>=7;G3>=70%;E3>6), ou seja, o nome da função E e todas as condições entre parênteses e separadas por ponto e vírgula. Em Valor_se_verdadeiro digite “Aprovado” e “Reprovado” em Valor_se_falso. Clique no botão OK.

A fórmula será esta: =SE(E(F3>=7;G3>=70%;E3>6);”Aprovado”;”Reprovado”)

Para saber o resultado parcial de uma fórmula, selecione pela Barra de fórmulas a parte a ser verificada e tecle F9. Na fórmula acima, se você selecionar E(F3>=7;G3>=70%;E3>6) e teclar F9, verá que surgirá o valor lógico VERDADEIRO ou FALSO, dependendo do resultado do teste. Porém não confirme, tecle ESC para cancelar, caso contrário a seleção será uma constante.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

29


Selecione parcialmente uma fórmula e tecle F9 para...

...saber o valor da seleção

Se você achar mais simples, digite a fórmula. Para certas funções fica mais fácil digitar do que utilizar o assistente. Se digitar a fórmula acima faça assim: Digite o sinal de igual, o nome da função SE (pois é ela que permite testar e dar respostas para o teste) e abra parêntese; como será utilizado o resultado de outra função para o Teste_lógico, digite E e abra parêntese da funcão SE e tecle ENTER.

30


Excel Intermediário

E para o aluno ficar de exame? Se a média for maior ou igual a 5,5 e menor que 7, o aluno ficará para “Exame”. Não considerando a frequência e a nota do 4º Bimestre, a fórmula será:

=SE(E(F3>=7;G3>=70%;E3>=6); ”Aprovado”;SE(F3>=5,5;”Exame”;”Reprovado”)) Note que o segundo SE pertence ao Valor_se_falso do primeiro SE. A condição para “Exame” é F2>=5,5 onde não é necessário especificar <7 pois, por eliminação, isso já é feito devido ao primeiro teste lógico, que prevê a aprovação. Inserindo condições alternativas Em situações onde existe mais de uma condição, bastando que qualquer uma delas seja satisfeita para que o objetivo seja alcançado, utilize a função OU, que, assim como E, também permite inserir até 30 condições, com a diferença de que, se qualquer uma das condições testadas for satisfeita, o resultado será VERDADEIRO. Veja o exemplo a seguir: Uma loja pretende fazer uma promoção, oferecendo um desconto de 10% para quem comprar acima de 4 unidades de um produto ou se o valor total da compra for maior que R$ 100,00. Para verificar se haverá desconto a estrutura da fórmula será esta: =SE(OU(QUANTIDADE>4;TOTAL>100);10%;0) A primeira função é SE, pois é ela que permite especificar um teste e determinar respostas para o resultado desse teste. Como haverá mais de uma alternativa para o caso do teste ser VERDADEIRO, no Teste_lógico utilizamos a função OU para especificar as duas alternativas. Note que a sintaxe de OU é a mesma de E, ou seja, insira até 30 argumentos que correspondem às condições a serem testadas. Como o próprio nome sugere, se uma OU outra condição for satisfeita, o resultado será VERDADEIRO, retornando a fórmula o valor especificado em Valor_se_verdadeiro, que neste caso é 10%. Caso todas as condições não sejam satisfeitas, o retorno será o Valor_se_falso, zero no nosso exemplo.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

31


Excel Intermediário

Esta fórmula concede desconto se qualquer condição for VERDADEIRO

Portanto, a fórmula da célula E3 da figura anterior é:

=SE(OU(B3>$B$9;D3>$B$10);D3*$B$11;0) Utilizamos a célula B9 como base para a quantidade, B10 para o valor da compra e B11 para a porcentagem de desconto. Assim, quando precisar modificar as condições, basta alterar o valor destas células. Mas, o “seu” Virgílio, que é o dono da loja quer atrair a freguesia para melhorar as vendas. Para isso resolveu aumentar a promoção. Vai dar um desconto especial de 15% para quem, além de comprar nas condições anteriores, pagar à vista. Para isso, inserimos mais uma coluna com o rótulo de Tipo de Pgto, cujo valor será v para pagamento à vista ou p para pagamento a prazo. E, abaixo do desconto, criamos o desconto especial, cujo valor é de 15% (célula B12). Veja a figura a seguir:

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

32


Excel Intermediário

A coluna E indica o pagamento à vista “v” ou a prazo “p” E agora? Agora temos que analisar os dois descontos: Desconto de 15%: quantidade acima de 4 unidades ou valor acima de 100,00 e pagamento à vista; Desconto de 10% : quantidade acima de 4 unidades ou valor acima de 100,00. Sem desconto: os demais Vamos construir esta fórmula por partes: A primeira função é SE, portanto a fórmula inicia-se por ela: =SE(

Agora vamos analisar o desconto de 15%. Para receber este desconto uma condição é obrigatória: o pagamento à vista. Como haverá outra condição, devemos inserir a função E e inserir a primeira condição: =SE(E(E3=”v”; O “v” deve estar entre aspas por ser um texto. Se não estiver, o Excel “pensará” que trata-se de um nome. A próxima etapa é colocar a próxima condição. Como serão duas bastando que apenas uma seja satisfeita para conceder o desconto de 15%, inserimos as duas através da função OU: =SE(E(E3=”v”; OU(B3>$B$9;D3>$B$10)); Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

33


Excel Intermediário

Fecha-se parêntese para OU e para E, pois as condições já estão colocadas. Agora vamos inserir a resposta para o valor VERDADEIRO, ou seja, se estas condições forem satisfeitas, que será o desconto de 15%, calculado por D3*B12: =SE(E(E3=”v”;OU(B3>$B$9;D3>$B$10));D3*$B$12; A próxima etapa é determinar a resposta para o valor FALSO, que podem ser dois valores: o desconto de 10% ou nenhum desconto. Como existe mais de uma hipótese, começamos pela função SE e depois, como teremos que colocar duas condições alternativas para o conceder o desconto de 10%, inserimos estas condições através da função OU: =SE(E(E3=”v”;OU(B3>$B$9;D3>$B$10));D3*$B$12;SE(OU(B3>$B$9;D3>$B$10); Finalmente resta colocar a resposta para a condição verdadeira, que será o desconto de 10%, calculado por D3*B11 e 0 (zero) para a condição falsa: =SE(E(E3=”v”;OU(B3>$B$9;D3>$B$10));D3*$B$12;SE(OU(B3>$B$9;D3>$B$10);D3*$B$ 11;0))

Desconto de 15% para compras à vista, com ou quantidades maiores que 4 ou valores totais maiores que 100,00 Quando as vendas melhorarem o “seu” Virgílio disse que já sabe como trocar OU por E.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

34


Excel Intermediário

6. FUNÇÕES ESTATÍSTICAS Nesta categoria há funções que fazem cálculos estatísticos, e algumas delas você já conheceu no treinamento básico, como MÉDIA, que retorna a média aritmética. A função MÁXIMO e MÍNIMO, que retornam o maior ou o menor valor existente em uma lista de valores, CONT.VALORES, que conta itens não vazios existem em uma lista, dentre outras.

6.1 Contando itens em uma lista 6.1.1 Funções CONT.NÚM e CONTAR.VAZIO

Além de CONT.VALORES, existem outras funções de contagem, como CONT.NÚM, que conta somente o número de células com valores numéricos, ou CONTAR.VAZIO, que conta o número de células vazias de um intervalo. A sintaxe dessas funções é: =CONT.NÚM(Valor1;Valor2;...Valor30) Onde Valor1 até Valor30 são os argumentos, que podem fazer referência a vários tipos de dados, como números, textos, valores lógicos. Porém, o resultado será a contagem somente dos números. =CONTAR.VAZIO(Intervalo) O intervalo é a região da planilha a ser contada. Essa região pode conter diversos tipos de valores, porém somente as células vazias serão contadas. A célula D2 da planilha da figura a seguir contém a fórmula que calcula quantas células com números há no intervalo A2:B9, cujo resultado é 4: =CONT.NÚM(A2:B9)

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

35


Excel Intermediário

Em D3 a contagem é do número de células vazias existentes no mesmo intervalo, resultando em 6: =CONTAR.VAZIO(A2:B9) Se o cálculo fosse feito através da função CONT.VALORES, através da fórmula a seguir, o resultado seria 10, pois seriam contadas quantas células não vazias existem no intervalo: =CONT.VALORES(A2:B9) Para CONT.NÚM e CONT.VALORES, você pode especificar até 30 argumentos, como: =CONT.NÚM(A2:B9;C20:E30;G5:J10) Nessa fórmula há 3 argumentos.

6.1.2 Condicionando uma contagem pela função CONT.SE

E para contar quantos itens existem que satisfaçam a uma condição? Como contar quantos itens existem na lista referentes a um determinado produto? Quantos registros há com quantidades maiores que 10? Para solucionar questões como essas existe a função CONT.SE, que conta quantos itens existem no intervalo de acordo com um critério. Sua sintaxe é: =CONT.SE(Intervalo;Critérios)

Os argumentos são:

Argumento

Descrição

Intervalo

É a região onde a contagem será feita

Critérios

É a condição para fazer a contagem, podendo ser Número, texto ou uma expressão em que podem ser utilizados os operadores de comparação

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

36


Excel Intermediário

Na lista da figura a seguir há nomes de vendedores na coluna A . Na célula H2 existem o nome de uma vendedora, Luciana. Para contar quantos registros existem com esse nome, na célula I2 há a fórmula: =CONT.SE(A2:A30;H2)

Onde A2:A30 é o intervalo a ser pesquisado, ou seja, o nome “Luciana” deverá ser localizado nesta região. H2 é o critério a ser considerado para contar. Então, é pesquisado o valor da célula H2, “Luciana”, no intervalo A2:A30 e o resultado será a quantidade de itens existentes com esse nome. É lógico que o critério também pode ser digitado. Nesse caso, ele deve estar entre aspas e a fórmula seria: =CONT.SE(A2:A30;”Luciana”) Caso não digite as aspas, o Excel entende Luciana como um nome que pode ser dado a uma célula. Para contar quantos itens diferentes de Luciana, digite na célula H2 “<>Luciana” (sem as aspas). Nesse caso, estamos fazendo referência à fórmula anterior, em que a referência H2 é o critério. Para contar quantos registros existem com quantidades maiores que 18, considerando que o intervalo D2:D30 tem o nome de Qtde, a fórmula será: Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

37


Excel Intermediário

=CONT.SE(Qtde;”>18”) Se precisar inserir mais de uma condição para contar, utilize a função BDCONTAR ou BDCONTARA, da categoria de banco de dados. 7. FUNÇÕES MATEMÁTICAS E TRIGONOMÉTRICAS Esta categoria engloba funções que fazem cálculos matemáticos, como SOMA, que soma os argumentos, SOMASE, que faz a soma condicional, ABS, que retorna o valor absoluto de um número (um número sem sinal), COMBIM, que calcula o número de combinações possíveis em um conjunto de números, funções de arredondamento, forçando que o cálculo seja feito com um certo número de casas decimais, e trigonométricas, como SEM e COS, que calculam respectivamente o seno e o cosseno de um ângulo, dentre outras.

7.1 Somando com uma condição Para somar valores é utilizada a função SOMA, que você já conhece. Porém, quando precisar somar de acordo com uma condição, ou seja, quando for necessário colocar um critério, como calcular a soma da quantidade vendida de um determinado produto em uma lista de produtos, existe a função SOMASE. Sua sintaxe é: =SOMASE(Intervalo;Critérios;Invervalo_Soma) Os argumentos são: Argumento

Descrição

Intervalo

É o intervalo onde se encontram os valores a serem pesquisados, ou seja, em uma lista de produtos, é o intervalo de células onde estão todos os produtos

Critérios

É a condição a ser imposta, podendo fazer uso dos operadores de comparação. Na lista de produtos, será o nome do produto a ser pesquisado para que seja feita a soma de suas quantidades.

Intervalo_soma

É o intervalo onde estão os números a serem somados. Neste dos produtos, são as células que contém todas as quantidades

Na planilha da figura a seguir, existe uma lista com nomes de produtos e suas quantidades. Para calcular a soma das quantidades do produto que está na célula D2, em E2 há a fórmula: Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

38


Excel Intermediário

=SOMASE(A2:A20;D2;B2:B20)

A fórmula da célula E2 calcula a quantidade total do produto que está em D2

A2:A20 é o intervalo onde será pesquisado o produto digitado em D2, Uva. Quando encontrado, é somado o valor das células que estão no intervalo B2:B20, na mesma linha do produto encontrado na coluna A. Se digitar um critério, este deve estar entre aspas. É lógico que, no exemplo anterior, D2, que é o critério, não pode conter aspas porque é uma referência de célula. Porém, se ao invés de indicar a célula D2 como critério, utilizar o texto “Uva”, este deve estar entre aspas. Nesse caso a fórmula seria:

=SOMASE(A2:A20;”uva”;B2:B20)

Você também pode utilizar os caracteres curinga, como o asterísco (*) e o ponto de interrogação (?), para colocar condições. Veja alguns exemplos de critérios:

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

39


Excel Intermediário

“>F”

Soma os valores dos itens que cuja palavra seja maior que F em ordem alfabética crescente

“<>uva”

Soma os valores dos itens que sejam diferentes de “Uva”

“m*”

Soma os valores dos itens que começam com a letra “M”

“M??”

Soma os valores dos ítens que começam com a letra “M” e que tenham 3 caracteres

“<”&B5

Soma os valores dos itens que sejam menores que o valor da célula B5. Neste caso é preciso concatenar o sinal de maior com B5 porque esta é uma referência de célula e não pode estar entre aspas

A função SOMASE não diferencia letras maiúsculas de minúsculas, porém não se esqueça que: se digitar espaços em branco, estes SÃO considerados

8. FUNÇÕES DE BANCO DE DADOS Você já se deparou com uma questão na qual precisou calcular a quantidade de itens existentes em uma lista que atendessem a mais de uma condição? Um exemplo é contar quantos registros existem referentes a um determinado produto em uma lista de produtos, com quantidades entre 10 e 15 e preços iguais a R$ 32,00. Para resolver questões como essa existem as funções de banco de dados que executam diversos tipos de cálculos em uma lista baseados em critérios. Para utilizar uma destas funções é necessário haver uma lista na qual os cálculos serão baseados e uma região de critérios, que podem estar na mesma ou em outra planilha de qualquer pasta de trabalho. A sintaxe das funções que serão apresentadas a seguir é: =Nome da função(Banco_dados;Campo;Critérios)

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

40


Excel Intermediário

Os argumentos são: Argumento

Descrição

Banco_dados

É a lista que contém os dados a serem pesquisados. É imprescindível referenciar também a primeira linha da lista, que deve conter os nomes dos campos, como Nome, Telefone, Cidade. Também pode ser um intervalo nomeado.

Campo

É o rótulo do campo da lista onde será feito o cálculo. Ele deve estar entre aspas. Também pode ser o número da posição deste campo na lista. Por exemplo, se for 2, o cálculo será feito no campo “Telefone”

Critérios

É um intervalo de células que contém as condições a serem consideradas para calcular. Para criar um intervalo de critérios, siga a mesma regra utilizada na elaboração do intervalo de critérios do filtro avançado, com a diferença de que este pode estar em qualquer planilha ou até mesmo em outra pasta de trabalho

Antes de criar a fórmula, crie o intervalo de critérios, que deve conter o nome dos campos na primeira linha e as condições a partir da segunda. Se tiver dúvidas de como criar um intervalo de critérios, consulte o ítem Filtro Avançado do capítulo TRABALHANDO COM BANCO DE DADOS. A partir do intervalo A1:D20, que é o banco de dados, da planilha da figura a seguir, vamos aplicar várias funções de banco de dados.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

46


Excel Intermediário

8.1 Contando pelas funções BDCONTAR e BDCONTARA Primeiramente, vamos criar um intervalo de critérios a partir da célula F1 para contar quantos registros existem com datas iguais ou superiores a 1/1/99, da categoria Atacado, com o produto Camisa e quantidades maiores que 20. Veja na próxima figura que os nomes dos campos estão em F1 até I1, que é a primeira linha do intervalo. Abaixo destes, são inseridas condições de campo. Lembre-se que um intervalo de critérios as condições que estiverem na mesma linha são cumulativas, ou seja, têm que ser atendidas a todas as condições. E, quando estiverem em linhas diferentes, não são cumulativas, significando que será atendida a uma ou a outra condição. Resumindo, o que estiver na mesma linha significa E e em linhas diferentes OU. Se houver apenas uma condição para contar, utilize a função CONT.SE.

O intervalo de critérios está em F1:I2

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

47


Excel Intermediário

As funções de banco de dados que fazem contagem são BDCONTAR e BDCONTARA. Note que a diferença nos seus nomes é que a primeira não tem a letra “A” no final. BDCONTAR conta quantas células com números existem em um intervalo de acordo com as condições do intervalo de critérios. Já BDCONTARA, conta quantas células não vazias, ou seja, que contenham qualquer tipo de dado existentes em um intervalo. Neste caso, vamos utilizar BDCONTARA. A fórmula da célula F5 é: =BDCONTARA(A1:D20;C1;F1:I2)

Onde Banco_dados é A1:D20, ou seja, toda a lista (banco de dados) com os dados. Campo é C1, pois serão contadas as células existentes nesta coluna com a condição especificada no intervalo de critérios. Neste caso, poderia também ser digitado o nome do campo “Produto” entre aspas ou o número do campo, 3, pois este é o terceiro campo da lista. Esta regra serve para qualquer função desta categoria. Critérios é F1:I2, que é o intervalo com as condições para que a contagem seja feita. O resultado é 2, isto é, existem dois registros na lista que atendam às condições do intervalo de critérios. Quanto a essa fórmula, no segundo argumento, poderíamos ter especificado qualquer um dos quatro campos, pois a função BDCONTARA não diferencia o tipo de dado existente na célula.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

48


Excel Intermediário

As fórmulas de F5 e F6 obtém o mesmo resultado, contando o número de registros existentes na lista conforme o intervalo de critérios, que está em F1:I2

Se empregar BDCONTAR, a fórmula que obtém o mesmo o resultado é: =BDCONTAR(A1:D20;D1;F1:I2) Com a diferença que o campo é D1, “Qtde”. Este é um campo numérico.

Se alterar intervalo de critérios, o resultado da fórmula também será modificado de acordo com as novas condições. Isso significa que a fórmula mantém um vínculo com o intervalo de critérios. Se necessário, crie outro intervalo para os critérios de outras fórmulas.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

49


Excel Intermediário

8.2 Somando pela função BDSOMA Agora vamos calcular a quantidade existente do produto Jaqueta na categoria Atacado. A função de banco de dados que soma valores de acordo com um intervalo de critérios é BDSOMA. O intervalo de critérios será G1:H2 e a fórmula, que está na célula F5 da figura a seguir é: =BDSOMA(A1:D20;”Qtde”;G1:H2) O resultado é 4.

Para somar as quantidades existentes de jaquetas no atacado ou meias no varejo, o intervalo de critérios deve conter mais de uma linha, onde as condições estarão em linhas diferentes. A figura a seguir contém os critérios no intervalo G1:H3 e a fórmula é: =BDSOMA(A1:D20;”Qtde”;G1:H3)

Na célula F5 são somadas as quantidades de jaquetas no atacado ou meias no varejo O resultado é 97.

8.3 Conhecendo as funções BDMÉDIA, BDMÁX e BDMÍN Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

50


Excel Intermediário

A função que calcula a média aritmética segundo condições é BDMÉDIA. Na fórmula anterior, foi calculada a soma das quantidades de 1996. Para calcular a média desse ano, podemos utilizar o mesmo intervalo de critérios através da fórmula:

=BDMÉDIA(A1:D20;”Qtde”;G1:H2)

Calculando a média aritmética de 1996

Para calcular o maior valor, utilize a função BDMÁX, pela fórmula: =BDMÁX(A1:D20;”Qtde”;G1:H2) Retornando 645.

O menor valor de 1996 deve ser calculado pela funcão BDMÍN e a fórmula é: Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

51


Excel Intermediário

=BDMÍN(A1:D20;”Qtde”;G1:H2) Cujo resultado é 2.

Esse material é de autoria de Edna Araújo dos Santos

52


Nome do arquivo: Apostila de Excel Intermediário.DOC Pasta: C:\APOSTILAS\Cursos\Excel Intermediário Modelo: C:\Documents and Settings\ske6022\Dados de aplicativos\Microsoft\Templates\Normal.dot Título: excel 5 Assunto: Autor: Marcelo Mariano da Silva Palavras-chave: Comentários: Data de criação: 22/6/1997 22:36:00 Número de alterações: 198 Última gravação: 12/6/2006 10:24:00 Salvo por: Serasa Tempo total de edição: 1.593 Minutos Última impressão: 12/6/2006 10:25:00 Como a última impressão Número de páginas: 48 Número de palavras: 7.953 (aprox.) Número de caracteres: 40.004 (aprox.)


Apostila de Excel - Funções Diversas