Issuu on Google+

Tecidos meristemáticos ou embrionários (vivos)

meristemáticos primários

meristemáticos secundários

protoderme: epiderme meristema fundamental: córtex procâmbio: cilindro central Câmbio: (floema e xilema) Felogênio: (súber e feloderme)

tecidos de revestimento ou proteção tecidos de sustentação Tecidos adultos ou permanentes

epiderme (vivo) súber (morto) colênquima (vivo) esclerênquima (morto)

tecidos de condução de seivas

xilema (morto) floema (vivo)

tecidos de preenchimento ou parênquimas (vivos)

parênquima clorofiliano parênquima amilífero ou de reserva parênquima aerífero parênquima aquífero


Tema 2 Tecidos de formac達o: os meristemas


• Os tecidos vegetais dividem-se em tecidos de formacão e tecidos definitivos. • Os tecidos de formacão são também chamados meristemas, que são tecidos que originam outros tecidos. • A sua orígem pode ser primária, se se formam a partir do embrião; ou secundária se se formam a partir de tecidos definitivos que recuperaram a capacidade de divisão.


• Os tecidos primários são os que resultam directamente do desenvolvimento do ovo e se diferenciam originando os tecidos definitivos primários. • Estes tecidos definitivos primários poderão adquirir outra vez a capacidade de se dividirem, formando assim os tecidos de formação secundários, também chamados meristemas secundários ou câmbios. • Os câmbios diferenciam-se e dão orígem aos tecidos definitivos secundários. ovo

Meristema primário

Tecido definitivo secundário

Tecido definitivo primário

Meristema secundário


• A principal característica das células meristemáticas primárias reside na sua capacidade de divisão e crescimento. • Além disso, possuem um carácter juvenil, citoplasma denso, núcleo bem evidente, vacúolos pouco desenvolvidos e parede celular delgada. • As células são aproximadamente cúbicas (de seccão aproximadamente quadrada), justapostas, sem meatos, com paredes de natureza celulósico-péptica. • Estas células estão em constante divisão activa por mitose. • Os meristemas podem ser encontrados em regiões apicais, axilares e intercalares.


• Os meristemas apicais são os principais responsáveis pelo alongamento das raízes e dos caules, embora em alguns grupos, como as gramíneas, possam haver outros meristemas envolvidos (ex.: meristemas intercalares). • Mantêm continuidade desde o embrião até a planta adulta.


• O meristema intercalar encontra-se entre tecidos já formados pelo meristema apical. Por exemplo, nas gramíneas os nós amadurecem primeiro e o meristema intercalar situa-se nos entre-nós. • Os meristemas axilares encontra-se nas axilas das folhas. São responsáveis pela producão do xilema e floema secundários.

v) vértice vegetativo a) Primórdios foliares b) Gemas laretais nas axilas das folhas jovens c) Folha jovem


• Os meristemas primários persistem sempre no corpo das plantas, e encontram-se em locais chamados de vértice vegetativo. • Os tecidos e órgãos originados pela divisão das células dos meristemas primários e pelo crescimento dessas células, dizem-se primários e constituem o corpo primário da planta. • São exemplos de meristemas primarios: 1. O meristema fundamental, que deriva do meristema apical e dá origem aos tecidos fundamentais (de preenchimento). 2. O procâmbio, que se diferencia em tecido vascular primário. 3. A protoderme, que vai originar a epiderme.


• Os meristemas secundários são originados por células já em fase de diferenciação, mas que tenham retrocedido por qualquer circunstância à actividade meristemática. • Formam-se de células dos tecidos definitivos primários. Estas células adquirem de novo a capacidade de se dividirem e voltam a ser tecidos de formação. São chamadas câmbios. • As células dos câmbios são prismáticas, alongadas, justapostas, sem meatos e com paredes finas de natureza celulósica. • Dão origem aos tecidos definitivos secundários. • São exemplos de meristemas secundários o felogénio ou câmbio da casca (que origina a periderme) e o câmbio vascular (que origina xilema e floema secundários).


Os meristemas secundarios sao encontrados na raiz e no caule de Gimnospermas e Dicotiledôneas, e sao responsáveis pelo crescimento em espessura do vegetal. O felogênio origina-se por desdiferenciação de células da região cortical. Câmbio Vascular – Origina-se entre as células do cilindro central, formado para fora o líber ou floema e para dentro o lenho ou xilema.


Classificacao do meristema quanto a posicao Meristema apical (localizado na extremidade do órgão que produzem, por ex., na extremidade da raiz); Meristema basal (localizado na base do órgão que formam); Meristema intercalar (localizado entre seus derivados, com o meristema contribuindo com células para ambos os lados); Meristema lateral (localizado na periferia do órgão que formam, por ex. o câmbio vascular); Meristema axilar (meristemas apicais dos botões localizados nas axilas das folhas).


Em resumo‌


características gerais dos meristemas sempre ► estimulam crescimento

células são indiferenciadas ou “totipotentes”

► células em

mitose constante

[ meristema primário: células indiferenciadas,

crescimento primário (em altura) meristema secundário: surge da [ desdiferenciação de células adultas, crescimento secundário (em espessura)

podem formar outros tecidos, principalmente os adultos ou permanentes

Ex. câmbio

Xilema Floema

Ex. felogênio

Súber Feloderme

Ex.meristema fundamental

Tecidos de sustentação Tecidos de preenchimento

Ex. Procâmbio

Ex. protoderme

cilindro central

epiderme


Tema 2 tecidos de forma º o 2013