Issuu on Google+

3 JOÃO Introdução

Capítulo 1

Introdução Esta epístola foi dirigida a um convertido gentio. o objetivo é elogiar a sua constância na fé e sua hospitalidade especialmente para com os ministros de Cristo.

3 João 1 Versículos 1-8: O apóstolo elogia a Gaio por sua piedade e hospitalidade; 9-12: Adverte-o para que não se coloque ao lado de Diótrefes, que tinha um espírito turbulento, porém recomenda a Demétrio como homem de excelente caráter; 13,14: Espera logo ver a Gaio. Vv. 1-8. Aqueles que são amados por Cristo, amarão aos seus irmãos por amor a Ele. A prosperidade da alma é a maior benção que existe nesta terra. A graça e a saúde são ricas companhias. A graça trará a saúde. A alma rica pode estar vivendo em um corpo frágil; e a graça deve então ser exercida, para que possa submeter-se a tal situação. Porém, podemos desejar e orar para que os que têm almas prósperas possam ter corpos sadios; que a sua graça possa brilhar onde ainda houver lugar para a vivacidade. Existem muitos cristãos professos sobre os quais as palavras do apóstolo devem ser aplicadas, e devemos orar e desejar com fervor que as suas almas prosperem, ao prosperar sua saúde e suas situações. A verdadeira fé operará por amor. Aqueles que recebem bênçãos devem divulgar boas informações; estes não podem senão testificar à Igreja o que receberam e sentiram. Os homens bons se regozijam na prosperidade da alma do próximo e se alegram ao ouvir sobre a graça e a bondade de outros. Assim como é gozo para os bons pais, será um gozo para os bons ministros ver que a sua gente adorna sua profissão de fé.


3 João (Comentário Bíblico de Matthew Henry)

2 Gaio ignorou as pequenas diferenças entre cristãos sérios e ajudou generosamente a todos os que levavam a imagem de Cristo e faziam a sua obra. Foi reto no que fez como servo fiel. As almas fiéis podem ouvir elogios sem envaidecer-se; a felicitação do que é bom neles, coloca-os aos pés da cruz de Cristo. Os cristãos devem considerar não só o que devem fazer, mas o que podem fazer; e devem fazer até as coisas comuns da vida de boa vontade, com bom ânimo, servindo nisto a Deus e procurando assim a sua glória. Aqueles que anunciam gratuitamente o Evangelho de Cristo serão ajudados pelos demais, a quem Deus dá os meios. Aqueles que não podem proclamá-lo, podem recebê-lo e ajudarem de algum modo a sustentar aos que o fazem. Vv. 9-12. Devemos vigiar o nosso coração e a nossa boca. O temperamento e o espírito de Diótrefes estavam cheios de orgulho e ambição. É mim não fazer o bem; porém, pior ainda é trazer obstáculos àqueles que o fazem. Estas advertências e conselhos são mais provavelmente aceitos quando estão temperados com amor. Sigamos o que é bom porque o que faz o bem, deleitando-se nele, é nascido de Deus. Os malfeitores pretendem de maneira vã conhecer a Deus, ou se gloriam disto. Não sigamos o que é de má intenção, soberba, egoísmo, ainda que o exemplo seja dado por pessoas de poder e altas posições; sejamos seguidores de Deus e andemos em amor segundo o exemplo de nosso Senhor. Vv. 13,14. Aqui está demonstrado o caráter de Demétrio. Um nome no Evangelho ou um bom testemunho das igrejas é melhor que a honra mundana. Afinal de contas, fala-se bem de poucos; e não é bom que seja assim. Felizes aqueles cujo espírito e conduta os elogiam diante de Deus e dos homens. Devemos estar preparados para dar-lhes o nosso testemunho; e é bom quando aqueles que elogiam podem apelar à consciência daqueles que são elogiados. O diálogo poupa tempo, evita problemas e os erros que surgem por causa das cartas; todos os bons cristãos podem alegrar-se de verem uns


3 João (Comentário Bíblico de Matthew Henry)

3 aos outros. A benção é: a Paz seja contigo, toda a alegria seja contigo. Aqueles que esperam viver juntos no céu, devem saudar-se de modo cordial na terra. Unindo-se aos cristãos e imitando o exemplo deles, teremos paz interior e viveremos em paz com os irmãos; nossa convivência com o povo do Senhor na terra será grata, e seremos contados com eles na glória eterna.


3 Joao - M. Henry