Page 1

JBoss Operations Network: agora também numa via Open Source

CORPORATE

Edgar Silva A natureza de código aberto do JBoss dá margem à união de esforços entre empresas, que colaboram para o avanço das tecnologias. por Edgar Silva

O

JBoss Operations Network, ou JON, como é carinhosamente chamado, é a plataforma de gerenciamento e monitoramento do ambiente JBoss Application Server Enterprise[1], versão suportada pela Red Hat. Para quem optar pela solução sem suporte corporativo, a exemplo do Fedora em relação à plataforma Red Hat Enterprise Linux, pode utilizar o JBoss.ORG[2]. No artigo deste mês vou falar da abertura do código do JON. Historicamente, o JON utilizava como item de seu kernel o Hyperic HQ, da empresa Hyperic[3]. Em fevereiro de 2008, durante o JBoss World, nos Estados Unidos, foi anunciada a nova versão do JON, de número 2.0 (figura 1), além do projeto de código aberto RHQ[4], resultado da abertura do código-fonte do JON e do Hyperic HQ, uma união de esforços entre a Red Hat e a Hyperic. O que isso quer dizer? Que as empresas que no passado tinham algum receio do modelo de comercialização do JON agora têm acesso a todo o seu código e funcionalidades. Outro benefício é o surgimento e fomento de uma comunidade voltada à área de plataformas de gerenciamento de sistemas críticos. O JON, além das capacidades de controle (iniciar, parar, reiniciar servidores, editar recursos de pool de conexão e limpeza de filas JMS), todas dentro de uma aplicação baseada no navegador, possui ainda capacidade de monitoramento de todo o parque de infra-estru-

tura relacionado ao JBoss, como sistema operacional, servidor de banco de dados, servidor web (Apache ou IIS), consumo e recurso de máquina virtual Java etc. Recursos como esses tornam extremamente corporativo o ambiente JBoss Enterprise, não deixando nada a desejar em relação a outros players de mercado. A novidade mais marcante do JON 2.0 é a capacidade de criação de plugins, que, nesse caso, são implementações de monitoramento para recursos do cliente, entre eles até aplicações e integrações. Tudo isso torna o JON candidato natural a plataformas com suporte de “dashboards” (painel de controle de visualizações) com indicadores das aplicações para uma arquitetura SOA, permitindo aderência e possibilidade de hospedagem de uma aplicação de BAM (Business Activity Monitoring). Se você ainda tinha dúvidas de que o JBoss, que nasceu e permanece de código aberto, poderia chegar ao patamar de ser visto como solução realmente corporativa, acredito que, após o lançamento do JON 2.0 e do projeto RHQ, as dúvidas já não existam mais. ■

Mais informações [1] Site corporativo do JBoss: http://www.redhat.com/jboss [2] Comunidade do JBoss Open Source: http://www.jboss.org [3] Hyperic: http://www.hyperic.com [4] Projeto RHQ, base do JON 2.0: http://www.rhq-project.org

Sobre o autor

Figura 1 Tela do JON 2.0.

32

Edgar Silva (edgar.silva@redhat.com) é Arquiteto de Soluções JBoss na Red Hat Brasil. Com experiência, desde 1998, em objetos distribuídos (Corba, COM+ e Java), Edgar vem, nos últimos anos, pesquisando, aplicando e ministrando palestras e treinamentos no Brasil e no Exterior sobre assuntos de alta tecnologia, entre eles JavaEE e SOA.

http://www.linuxmagazine.com.br

LM44_pag32  

Mais informações JBoss Operations Network: agora também numa via Open Source [2] Comunidade do JBoss Open Source: http://www.jboss.org [4] P...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you