Issuu on Google+

SOA e ERP

CORPORATE

Um futuro planejado O ERP com novas funcionalidades e recursos. por Luis Maeda

A

s tradicionais ferramentas de ERP (Enterprise Resource Planning, ou Planejamento de Recursos Empresariais) vem sofrendo contínuas modificações e conquistando novas funcionalidades e recursos. Essas alterações passam pela demanda das empresas por ferramentas que possibilitem uma integração forte e consistente entre seus departamentos e fluxos de informação. Mas, não é para isso que as empresas investem, e cada vez mais, nos sistemas de ERP? O que há de novo nisso? Bem, devemos nos lembrar do paradigma da adoção de tecnologias: a adoção de uma solução de tecnologia deve trazer benefícios maiores do que os custos e carga de trabalho necessários para sua implementação. De olhos abertos para essa regra, surgiu a dúvida do que era melhor fazer: a primeira opção era desenvolver o seu próprio ERP. Mas, em um cenário como esse, a empresa precisa de um departamento de informática próprio,

O SOA deverá tornar-se a próxima oportunidade de negócios para as empresas de software a partir de 2008/2009 com vários profissionais desenvolvendo e implementando o sistema. É claro que isso gera altos custos devido às constantes atualizações de tecnologias, manutenção de infraestrutura e alocação de novos profissionais. A segunda opção era procurar uma equipe de desenvolvimento, ou uma empresa, da qual fosse possível comprar um produto já finalizado. Adquirir um ERP nesse contexto exige pesquisa das soluções disponíveis no mercado, da confiabilidade das empresas que desenvolvem ou implementam essas soluções, além de uma análise de quais dentre suas necessidades serão cobertas pelo software. As soluções já finalizadas, obviamente, são mais vantajosas em diversos quesitos, incluindo a questão do suporte técnico profissional. Ao se construir uma solução de ERP interna, toda a infraestrutura está por fazer, inclusive o suporte e resolução de problemas. Com isso, as empresas de software de ERP começaram a despontar no mercado, incluindo gigantes do rol da SAP, ORACLE e

24

MICROSOFT. No Brasil, essas empresas atuam através de parceiros certificados, como Systemplan Consultoria, que é parceira de desenvolvimento de sistemas (ISV Independent Software Vendor) da SAP. Chegou a hora de atender as novas necessidades dos clientes, em um mundo onde, por conta da globalização, as ferramentas de trabalho devem crescer e evoluir juntamente com os desafios que elas antagonizam – e muitas vezes até antes. E é aqui que entramos no conceito de SOA. A plataforma SOA (Service Oriented Architecture, ou Arquitetura Orientada a Serviços) é um conector da integração corporativa. Ao mesmo tempo em que facilita o desenvolvimento de novas versões e funcionalidades, reduzindo custos internos, facilita a criação de web services e potencializa a capacidade de integração de processos de negócios da empresa. A SOA pode ser bem representada a partir do processo chamado de “find-bind-execute paradigm”. Esse processo preconiza que os provedores de serviços registrem informações em um registro central, com suas características, indicadores e aspectos relevantes às tomadas de decisões. O registro é utilizado pelo cliente para determinar as características dos serviços necessários e das decisões a serem tomadas. A SOA deverá tornar-se a próxima oportunidade de negócios para as empresas de software a partir de 2008/2009. Com a arquitetura SOA, as empresas de software poderão vender os softwares como serviços, fazendo uma mudança na atuação de vendas por licenças de uso. Veremos o surgimento das vendas de bilhetagem de uso do ERP, onde o cliente pagará pelo uso do produto e de suas ferramentas por utilização, como um aluguel. A melhor vantagem da SOA é que o cliente torna-se independente dos fornecedores de softwares, descartando os grandes projetos de integração e implementação. Além disso, facilita-se a integração de diferentes fornecedores de software, em um mesmo ambiente, com óbvio ganho por parte do cliente corporativo. ■

O autor LUIZ HIROYUKI MAEDA, é formado em Ciências Contábeis com Analise de Sistemas e possui MBA em Gestão Empresarial. Atualmente é Diretor Presidente da Systemplan Consultoria (www.systemplan.com.br).

http://www.linuxmagazine.com.br


LM30_systemplan