Page 1

Boletim

- Distribuição gratuita -

Ecetistas em Luta Edição Minas Gerais - ano IX- nº 955 -

quinta-feira, 20 de março de 2014

Órgão da corrente nacional Ecetistas em Luta

Entre em contato com Ecetistas em Luta na Internet: www.sintectmg.wordpress.com Receba o boletim Ecetistas em Luta por e-mail, escreva para: sintectmg@ig.com.br - fone: (31) 3224-0752

ECT DISTRIBUI CARGOS PARA AUMENTAR O CONTROLE NO MOVIMENTO SINDICAL Mais um sindicalista do PT-Articulação ganha cargo na empresa Mais um sindicalista é agraciado com um cargo na direção dos Correios. A bola da vez foi Rogério Trabuco (PT), ex-presidente do Sintect-SP (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de São Paulo) no início dos anos 2000. Trabuco foi o protagonista da traição à greve de 2003, uma das maiores da história recente do movimento dos Correios, em que os trabalhadores ocuparam o carro de som da assembleia para “acertar as contas” com os sindicalistas que haviam traído a greve. Desde então Trabuco estava desmoralizado no sindicalismo. Foi afastado inclusive do quadro de associados do Sintect-SP. Recentemente, Trabuco aproveitou-se da crise geral da burocracia sindical para tentar se “reciclar”. Procurou inclusive se distanciar de seu companheiro de Articulação Sindical, José Rivaldo “Talibã”, ex-secretário geral da Fentect, responsável por traições recentes nos Correios, como foi o Acordo Bianual. É justamente esse racha dentro da Articulação Sindical/PT o principal motivo pelo qual Trabuco recebeu esse cargo na ECT. Como

esse ano haverá eleições em São Paulo, o principal sindicato da categoria e a empresa quer manter o máximo de unidade em torno da burocracia sindical. Não quer correr o risco de perder o controle do sindicato para um grupo de base, de oposição. O Sintect-SP é o principal ponto de apoio da burocracia sindical e dos interesses da empresa. A diretoria do sindicato é controlada há três mandatos pelo PCdoB/ CTB, um grupo extremamente patronal, que sequer faz assembleia para evitar ao máximo a participação dos trabalhadores. A divisão do sindicato de São Paulo do restante da categoria é uma forma de garantir ainda mais o isolamento do sindicato em relação aos trabalhadores. No entanto, esse controle extremamente burocrático é um claro sinal de fraqueza da burocracia sindical e da própria empresa. Onde tiver participação real dos trabalhadores a política da empresa e dos traidores não se sustenta nem por um segundo. Nesse sentido, nas eleições, a direção da ECT precisa que seus elementos dentro do movimento sindical (PCdoB, PT e o apoio lateral do PSTU) estejam unificados

contra os trabalhadores para garantir o controle patronal do maior sindicato da categoria. O cargo recebido por Trabuco, Assessor de Relações Sindicais da ECT, é uma maneira da empresa garantir a unidade da burocracia, já que a dissidência de Trabuco dentro do próprio PT poderia atrapalhar as manobras da burocracia para se manter no sindicato. Trabuco é só mais um sindicalista do Correios que se vendeu e agora recebeu seu pagamento: um cargo de chefia para chicotear os trabalhadores. Trabuco se junta aos mais de 500 ex-sindicalistas traidores que receberam cargos na ECT.

Rogério Trabuco (PT) recebeu um alto cargo na ECT.


CEE PAMPULHA, CDD PIT E CDD BETIM BR

DESCASO DA ECT COM OS ASSALTOS QUE VEM CAUSANDO TERROR AOS MOTORISTAS E AGORA TAMBÉM AOS CARTEIROS Os trabalhadores do CEE Pampulha estão trabalhando sob um clima imenso de tensão. Como se não bastasse a sobrecarga de trabalho, os ecetistas deste setor ainda são obrigados a se submeter ao descaso da direção da ECT para com os intermináveis assaltos. Só na semana passada foram mais de três assaltos no mesmo setor. O clima de terror entre os trabalhadores é visível. No setor existem companheiros motorizados que já foram assaltados até dez vezes. O caso não se restringe aos motoristas, pois só na semana pas-

sada tivemos assaltos no CDD PIT e dois casos no CDD Betim BR. Ainda tem um agravante que quando o companheiro é assaltado ainda tem que passar por um interrogatório que é mais constrangedor do que o próprio assalto. Vários trabalhadores já reclamaram e estão procurando o Sindicato para analisar a situação. informamos aos companheiros que registrem devidamente o boletim de ocorrência, a CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) e logo depois procurem imediatamente o Sindicato para tomarmos as providências jurídi-

cas. Já entramos com ações de vários tipos para os companheiros assaltados. Estamos à disposição para atender os trabalhadores que sofreram este tipo de violência. No último sábado, o presidente do Sindicato esteve na porta do CEE Pampulha e conversou com o delegado sindical do setor e com trabalhadores para tirar um plano de ação para exigir da ECT para resolver esses problemas. Foi deliberado que na próxima quarta-feira a direção do Sindicato estará no setor para fazer uma reunião com os trabalhadores sobre o tema.

DIA 22 DE MARÇO, EM SÃO PAULO: TODOS À MARCHA ANTI-GOLPE!

Para o próximo dia 22 de marcço, grupos de extrema-direita convocaram marchas em várias cidades do Brasil. Nas principais cidades, essas mobilizações se dirigirão a quartéis do Exército para pedir aos generais um golpe militar. RESPONDER ÀS TENTATIVAS GOLPISTAS COM A MOBILIZAÇÃO POPULAR O povo fez uma importante experiência nas enormes manifestações que ocorreram em São Paulo em junho do ano passado. Desde então, a imprensa vem repercutindo os pontos de vista que apoiam a repressão policial. Entre os que defendem a polícia, há os que vão

além e pedem, abertamente, um golpe militar no Brasil. A brutal repressão policial à manifestação contra o aumento das passagens de ônibus e trens no dia 13 de junho levou a uma indignação generalizada. Quando as população saiu às ruas para protestar contra a repressão policial, na semana seguinte, grupos de extrema-direita,foram infiltrados. Esses grupos de neonazistas estão convocando, agora, uma “Marcha da Família”, fazendo propaganda aberta de que essa marcha deveria repetir o que foi feito em 1964. Para a extrema-direita, a “Marcha da Família” deve ser

o prenúncio de um golpe. Organizações populares e par- tidos de esquerda, em particular o PCO (Partido da Causa Operária) convocaram uma manifestação contra o golpismo da direita, no mesmo dia (22 de março), às 15h, na Praça da Sé, no centro. É contra isso que nós, da corrente Ecetistas em Luta, estamos nos somando à convocação feita por organizações populares e partidos de esquerda. Chamamos os trabalhadores a se somar a essa luta importantíssima. Vamos, juntos, às ruas mostrar que a população pobre e trabalhadora não quer um golpe

Eel mg 955 20 3 14  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you