Page 1

informativo Maio 2011 - ano 02 - nº 03

Sistema Faerj

MOBILIZADORES

Saiba como foi o treinamento anual do Senar - Rio

BALDE CHEIO Sítio São Francisco

IPTU X ITR

Qual imposto pagar?


Sumário

4

A monetização dos créditos tributários do leite no Estado do Rio de Janeiro

6

Preservação Ambiental no Município de Varre-Sai

8

Treinamento de mobilizadores do Senar-Rio

14

Balde Cheio

18

Plantando o Futuro

20

Segurança alimentar

21

IPTU x ITR

22

Agenda


A monetização dos créditos tributários do leite no Estado do Rio de Janeiro

Conselho de Consumidores

N

A

Por Rodolfo Tavares

o mês de março de 2011 concluímos

A estratégia de fomento do período

a aprovação do conjunto de

2001/2009 fica concluída com saldo positivo.

instrumentos legal/administrativos que

Daqui para frente a legislação tributária

possibilitará a monetização dos créditos

do leite garantirá a competitividade

atuam no Rio de Janeiro: a

tributários do leite, produzido no período

da produção fluminense através do

Light e a Ampla. Participamos

de janeiro de 2001 a fevereiro de 2009,

zeramento do ICMS na origem e a

do Conselho de Consumidores,

beneficiando cooperativas, associações,

transferência de crédito presumido de

um fórum de debates para

laticínios e indústrias.

19% sobre o valor da operação de venda.

discutir, orientar, analisar e agilizar

Nossa expectativa é que até o final

A lógica do atual programa é a do

questões ligadas ao fornecimento

do 1ª semestre de 2011 o setor tenha

estímulo direto à produção, através do

de energia elétrica. Isso significa

capitalizado mais de 60 milhões de reais

próprio mercado.

que se o produtor rural já fez a sua

de créditos para execução de projetos de

O produtor deverá estar atento com a

solicitação a Ampla ou a Light, mas

desenvolvimento, previamente aprovados

competência do seu comprador, seja

ainda não foi atendido dentro do prazo

pela Secretaria de Estado de Agricultura

ele cooperativa, associação, laticínio

determinado pela empresa, a Federação pode

e Pecuária.

ou indústria, para repassar no preço da

ajudá-lo nesse processo. Mande-nos um e-mail para

matéria prima os benefícios do incentivo.

faerj@faerj.com.br com a sua solicitação. Seu caso será

Com esta providência, a configuração da cadeia produtiva do leite ganha um contorno de plena capacidade industrial para absorver o crescimento da produção dos próximos anos.

Faerj

mantém

representativo

seu

papel

junto

às

concessionárias de energia que

levado ao conselho e buscaremos a melhor solução.

Atenção! Novo Piso Salárial para o Trabalhador do Campo no Estado do Rio de Janeiro

Daqui para frente a legislação tributária do leite garantirá a competitividade da produção fluminense

No dia 13 de abril de 2011 foi promulgada a Lei 5.950 pelo Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, decretando o novo piso salarial para os trabalhadores agropecuários e florestais. A partir de maio de 2011 o salário mínimo estadual para a categoria será de R$ 607,88.

Rodolfo Tavares é presidente da Faerj

4

5


Preservação Ambiental no Município de Varre-Sai

Adequação da legislação para repasse do ICMS Ecológico

O

município de Varre-Sai, no interior do

legislação, mas alerta que esse ainda não

Estado do Rio de Janeiro, decidiu inovar

deve ser o modelo final.

em sua legislação ambiental. Foi o primeiro

Rodolfo Tavares, Presidente da Federação,

a criar mecanismos legais para o repasse do

explica que a Lei está sendo avaliada pelo

ICMS ecológico do estado a proprietários

departamento jurídico. “Estamos fazendo

particulares. A Faerj junto com a Associação

um estudo para propor adequações à

Patrimônio Natural participou de um evento

legislação, para que as áreas de preservação

de divulgação dessa legislação.

em propriedades particulares também

Em novembro de 2010 a Câmara de Vereadores local promulgou as leis: 570, que

A legislação é importante porque é mais uma maneira de buscar o reconhecimento do produtor rural que sabe conciliar produção com preservação.

6

possam ser remuneradas pela conservação”, complementa.

determina a criação das Reservas Particulares

A Faerj mantém uma comissão técnica

de Patrimônio Natural (RPPN) e 572, que

de Meio Ambiente coordenada por Deise

especifica como será feito o repasse do

Moreira Paulo, da Associação Patrimônio

ICMS Ecológico. A idéia é incentivar e apoiar

Natural,

os proprietários particulares na criação de

organização do evento em Varre-Sai. Deise

Áreas de Preservação Permanentes, Reservas

afirma que vê a legislação como uma aliada

Legais e RPPN no município, além de adotar

dos produtores rurais que se preocupam

o pagamento por serviços ambientais.

com o meio ambiente.

que

também

participou

da

Para isso, a Prefeitura criou o Sistema

“A legislação é importante porque é mais

Municipal de Conservação da Biodiversidade

uma maneira de buscar o reconhecimento

de Varre-sai que prevê dotar o município

do produtor rural que sabe conciliar

de cobertura natural suficiente a garantir a

produção com preservação. A possibilidade

manutenção da vida silvestre, dos corpos

de remuneração é também um incentivo

d’água, dos solos e a estabilidade do clima

para que novos proprietários se interessem

da região. A Faerj apoiou a criação da

em preservar”, finaliza.

7


Treinamento de mobilizadores do Senar-Rio Valorizando a equipe de trabalho


D

e 22 a 25 de março o Senar-Rio

as etapas do treinamento, desde a

recebeu no Centro Marista de

identificação

das

necessidades

dos

Mendes cerca de 40 mobilizadores que

produtores à organização e execução do

trabalham como parceiros no apoio ao

curso e os resultados.

Senar nas cidades do interior do estado.

Os mobilizadores que já trabalham com

Foram feitas dinâmicas, competições

o Senar-Rio receberam outro tipo de

ao ar livre, apresentação de projetos e

treinamento do instrutor e facilitador

confraternização dos participantes. De

Mozart

inicio o grupo foi dividido em novos e

curso de motivação e valorização desses

antigos mobilizadores.

profissionais.

Neto.

Foi desenvolvido um

Paulo Leal, Consultor de treinamento

No primeiro dia do encontro, Mozart

da Universidade de Viçosa, ministrou

utilizou uma ferramenta de simulação

curso para novos mobilizadores com

chamada TEAL (treinamento experiencial

aulas conceituais, teóricas e simulações

ao ar livre), com provas individuais e

práticas, incluindo comportamento do

situações de stress elevado para forçar

grupo com interferências externas.

o individualismo dos participantes. No

Carla Valle, Chefe do Departamento

segundo

dia

situações

práticas

de

Técnico e Pedagógico, se preocupou em

trabalho em equipe, confrontando qual a

passar para a nova equipe a importância

melhor forma de trabalhar.

de entender bem o papel do Senar.

“Ocorre uma mudança de comportamento

“É preciso ser bem simples e direto ao

e os resultados em grupo passam a ser

transmitir a nossa missão. Formamos

muito mais valorizados”, explica Mozart.

e treinamos o homem do campo e

O resultado é visível. Rose Kennedy,

queremos fazer isso cada vez melhor”,

mobilizadora há 14 anos em Sumidouro,

explica Carla à equipe.

diz que o treinamento de capacitação é

O grupo passou por uma simulação de

mobilização

em

um

curso

de

muito importante para o seu crescimento profissional e pessoal.

casqueamento e ferrageamento em

“Sou bem dedicada ao trabalho de

eqüinos, onde foram observadas todas

mobilização. Visito as comunidades rurais

10

11


Perfil profissional de um mobilizador:

para entender de perto as demandas dos

algumas características profissionais. Ser

produtores e participo de reuniões com

comunicativo, ter iniciativa, ser dinâmico,

eles. Observo tudo para avaliar se algum

ter criatividade e acima de tudo conhecer

Idade mínima: 18 anos

treinamento do Senar se encaixa nas

muito bem a região que trabalhará.

Escolaridade: Ensino fundamental

necessidades deles. Sinto-me muito bem

Conhecimentos exigidos: conhecer a região, ter alguns conhecimentos de

com o que faço e o treinamento me ajuda

informática e agropecuária.

muito”, conta Rose.

Características pessoais: ser comunicativo, ter iniciativa, ser dinâmico e ter criatividade

Marlene

Nascimento,

de

Macaé,

espera desenvolver o mesmo trabalho da

Onde encontrar mobilizadores:

obstinada Rose. Ela faz parte do grupo de novos mobilizadores. Viu no Senar-Rio a

Lista de cidades participantes:

possibilidade de se manter em atividade.

Araruama, Barra do Pirai, Barra Mansa, Bom Jardim, Cachoeira de Macacu, Cambuci.

“Hoje estou aposentada, mas não quero

Campos, Cantagalo, Carmo, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Duas Barras,

parar. Minha família veio do campo e

Itaborai, Itaguaí, Itaocara, Itaperuna, Laje do Muriae, Macaé, Miguel Pereira, Miracema,

agora pretendo atuar nele. Vou voltar

Natividade, Nova Friburgo, Paraíba do Sul, Petrópolis, Pirai, Porciúncula, Resende, Rio

para a Macaé com toda a motivação para

Bonito, Rio Claro, Rio das Flores, Rio de Janeiro, Santa Maria Madalena, São Fidélis,

aplicar o que aprendi à zona rural da minha

São Sebastião do Alto, Sapucaia, Silva Jardim, Santo Antônio de Pádua, Sumidouro,

região”, conta a empolgada Marlene.

Teresópolis, Trajano de Moraes, Valença e Vassouras.

Jaciara Corrêa, mobilizadora de Rio Claro há quatro anos, diz que o começo é muito difícil, mas vale a pena.

Jogos Rurais

“No início, a gente volta do treinamento

O último dia do encontro de mobilizadores foi dedicado a apresentação de um projeto

de mobilizadores sem saber muito bem

de jogos rurais. Lançado pela Administração Central, os jogos tem como objetivo

o que fazer, mas o Senar nos apóia. Busquei parcerias e comecei com apenas 15 treinamentos por ano. Nesse ano devo fazer mais de 50. É preciso ganhar a credibilidade das pessoas”, dá a dica. Para ser um mobilizador é preciso ter

12

Busquei parcerias e comecei com apenas 15 treinamentos por ano. Nesse ano devo fazer mais de 50. É preciso ganhar a credibilidade das pessoas.

contribuir para a promoção de eventos esportivos e de lazer na área rural. Raquel Lima, do departamento técnico e pedagógico, e o professor de Educação Física Ricardo Branco, apresentaram os detalhes do projeto, as modalidades e como funcionarão as eliminatórias estaduais e a etapa nacional que acontecerá em Brasília. A data ainda não foi definida pela Administração Central. Os mobilizadores assistiram animados e já pensam em montar equipes nos municípios.

13


Balde Cheio Sítio São Francisco - Campos

Onde o sonho de viver da produção de leite se tornou realidade 14

A

lcionio Barcelos, o “Nenco”, proprietário

de alegria. Ali estava o conhecimento que

do sítio São Francisco, no Distrito de

Nenco precisava para realizar o seu sonho

Dores de Macabu, em Campos, retirava 18

de viver da produção de leite.

litros de leite ao dia antes de conhecer

Assim que voltou para o seu sítio, Nenco

o técnico do programa Balde Cheio,

colocou em prática o que viu na Unidade

João Maciel, que transformaria a vida do

Demonstrativa de Cambuci. Melhorou o

produtor rural. Em menos de um ano sua

manejo, separou as vacas secas das em

produção pulou de 18 litros para 110

lactação e deu conforto às vacas que

litros ao dia.

estavam produzindo. Imediatamente sua

João conheceu Nenco em 2010, em uma

produção pulou de 18 litros para 35 litros

vistoria de tratores na região. Ao avistar o

ao dia.

curral, o técnico quis saber se ele gostava

Mas o potencial do sítio de Nenco era

de trabalhar com leite e a resposta foi

bem maior. Foi quando o técnico João

que seu sonho era viver do leite, mas

Maciel convidou o produtor para ser uma

infelizmente a sua propriedade era muito

Unidade Demonstrativa do projeto Balde

pequena e não tinha como tirar o sustento

Cheio na região. O trabalho começou em

daquela atividade.

março de 2010.

Naquele momento, João Maciel viu sua

“No início, a família estava empolgada,

oportunidade de se desenvolver como

mas ainda não confiavam em mim. Só após

técnico e convidou Nenco para conhecer

a visita do nosso coordenador, Maurício

uma propriedade que faz parte do projeto

Salles, foi que tudo mudou. Eles viram

Balde Cheio na localidade de Funil, na

que o trabalho era sério e poderiam, um

cidade de Cambuci. Na visita, o produtor

dia, viver do leite. Foi quando conquistei

viu um sítio simples, de topografia bem

de uma vez a confiança da família, e como

mais acentuada do que a dele e com

eles dizem, entrei para a família”, conta

pouca água, numa estiagem rigorosa do

João Maciel.

mês de fevereiro. O produtor local tirava

A família tem um importante papel na

100 litros de leite por dia. Foi o suficiente

vida do produtor rural. Normalmente eles

para que os olhos de Nenco brilhassem

se ajudam com o objetivo de melhorar a

15


vida de todos. Na família do Nenco não foi

galinha, milho, feijão, aipim, laranja,

com qualidade de vida digna. É mostrar

antes não esperada e todos unidos com

diferente. Assim que o técnico passou as

abacaxi, maracujá e até mesmo o leite,

que com tecnologia, suporte técnico,

o propósito de viver com qualidade,

primeiras tarefas, em uma semana os seis

porém sem nenhum sucesso. Agora

orientação, suas propriedades podem

harmonia e dignidade, tendo condições

integrantes, esposa e filhos, já estavam

temos certeza que nada é como o leite.

funcionar como uma pequena empresa.

de viver do que produz sua propriedade”,

com tudo organizado esperando as

O projeto Balde Cheio resgatou a nossa

“É muito bom acompanhar a família em

conta orgulhoso o técnico João Maciel.

novas orientações.

auto-estima, nossos valores e nossas

suas dificuldades fornecendo todas as

Quando técnico e produtor começaram a

origens. Faz todos verem o nosso trabalho

orientações, e vendo a satisfação que

trabalhar juntos, a atividade principal de

valorizado e reconhecido, servindo de

cada conquista lhes traz. A propriedade

Nenco era a Feira da Roça, uma feira de

exemplo para motivar outros produtores

apresentando condições de produção

pequenos produtores rurais que acontece

rurais a acreditarem neste sonho. Não tem

semanalmente, onde recebem uma banca

prazer maior, pois não é o valor material o

para a venda de seus produtos. Segundo

mais importante, mas ter o seu trabalho

João Maciel eles saíam de casa por volta

reconhecido e os frutos revertendo para a

de uma hora da manhã levando frutas,

família. Onde moramos não passa ônibus,

legumes, verduras, urucum, farinha, leite

não tem asfalto, nossos filhos estudaram

e queijo, e retornavam a casa às cinco

com muito sacrifício e todos diziam que

horas da tarde. A venda permitia uma

tínhamos que sair daqui, que não tinha

renda de R$ 1 mil mensais.

como sobrevivermos da nossa terra.

João Maciel conta que após terem feito a

Hoje descobrimos que podemos ter uma

correção do solo, melhorado a qualidade

vida digna, trabalhando no que sempre

e quantidade do alimento para as vacas,

sonhamos. Podemos dizer que somos

manejo, irrigação das pastagens, genética

realizados por podermos viver da nossa

e todas as outras técnicas que o projeto

terra, graças à tecnologia propiciada pelo

Balde Cheio oferece, a família passou a

projeto. Hoje acreditamos realmente que

produzir 110 litros de leite com a mesma

somos ricos”.

quantidade de vacas que tinham antes

O técnico acredita que a grande

do projeto. Nenco dá seu depoimento

finalidade do projeto é resgatar as

emocionado: “Já tentamos de tudo nesta

famílias que acreditavam não poderem

vida, cana de açúcar, criação de porco,

mais viver de uma propriedade pequena

16

O projeto Balde Cheio resgatou a nossa auto-estima, nossos valores e nossas origens. Faz todos verem o nosso trabalho valorizado e reconhecido, servindo de exemplo para motivar outros produtores rurais a acreditarem neste sonho

17


trabalho. Acreditamos que eles podem

de Botânica, o Sindicato Rural de Silva

ver na conservação e proteção do meio

Jardim e as Secretarias municipais de

ambiente da região uma oportunidade de

educação, meio ambiente e promoção

desenvolvimento social”, diz Carla.

social de Silva Jardim.

O projeto é uma parceria do Senar com o Instituto Jardim Botânico, a Escola Nacional Projeto: Restauração e conservação de ecossistemas degradados no Estado do

Plantando o Futuro Projeto forma jovens para preservarem a Reserva Biológica de Poço das Antas

Rio de Janeiro Programação: Curso de qualificação em Agente Ambiental Público Alvo: Jovens dos Municípios de Silva Jardim e Casimiro de Abreu Pré-requisito: • Jovens de ambos os sexos na faixa etária de 17 a 23 anos incompletos; • Ensino Médio (que esteja devidamente matriculado e frequentando o ensino formal regularmente);

N

o dia 27 de abril os instrutores

restauração ecológica a partir do plantio

do

de

Senar-Rio

receberam

a

espécies

nativas

e

desenvolver

primeira turma do Curso Técnico de

estratégias mais eficientes para produção

Agente Ambiental na região de Silva

de mudas e armazenamento de sementes

Jardim e Casimiro de Abreu. Esse foi o

de espécies da Mata Atlântica.

primeiro módulo de treinamento do

Para Carla Valle, Chefe do Departamento

projeto de restauração e conservação

Técnico e Pedagógico, também faz parte

de ecossistemas degradados que irá

do

beneficiar a Reserva Biológica Poço das

socioambientais como o curso de Agente

Antas, na baixada litorânea do estado.

Ambiental para jovens das comunidades

Participaram do treinamento jovens

projeto

desenvolver

atividades

locais.

entre 17 e 23 anos, que cursam o ensino

“É ai que entra o papel do Senar,

médio na região. O objetivo do projeto

preparar os jovens do campo para a

é implantar e monitorar modelos de

inserção produtiva no mercado de

18

• Apresentar Certidão de Nascimento / Identidade e declaração de escolaridade. Carga Horária: • 24 h por módulo, totalizando 240 h Execução: Centro de Responsabilidade Socioambiental do JBRJ/SENAR-RJ

Acreditamos que eles podem ver na conservação e proteção do meio ambiente da região uma oportunidade de desenvolvimento social

19


Segurança alimentar IPTU x ITR

Seminário Internacional de Salmonella e Salmonelose Aviária

O limite entre a cidade e o campo

E

O

ntre os dias 28 e 30 de junho, o Rio

Está prevista a participação de especialistas

perfil geográfico do estado do Rio

via de urbanização ou urbana.

de Janeiro irá sediar o seminário

de diversos países como Bélgica, Estados

de Janeiro tem mudado muito com

Se o proprietário rural já recebeu um carnê

internacional de salmonella e salmonelose

unidos, Itália, Holanda, entre outros. O

o desenvolvimento econômico de alguns

de IPTU, ele deve entrar com um processo

aviária, evento de segurança alimentar

Brasil apresentará pesquisas desenvolvidas

municípios. A cidade tem chegado cada

administrativo na Secretaria Municipal

que contará com o apoio do Senar-Rio.

pela Unesp, Fiocruz, Faculdade Paulista

vez mais perto do campo. E a região

de Fazenda apresentando provas que

O seminário foi dividido em quatro

de Medicina, Universidade Federal do

que antes era considerada rural passa

exerce atividade rural na propriedade em

painéis que discutirão os desafios na

Rio Grande do Sul e pelos laboratórios

a ser avaliada como área “em via de

questão. Serão consideradas provas toda

produção avícola e as ferramentas de

Schering Plough e Novartis.

urbanização”. Provavelmente o produtor

a documentação da propriedade, o ITR,

controle da salmonella e salmonelose no

O evento acontecerá no Rio Othon

que se encontra nessa região já deve ter

o cartão do produtor rural, notas fiscais

campo. Sobre inocuidade serão debatidas

Palace, na Avenida Atlântica, 3.264, em

recebido um carnê de IPTU. Mas afinal o

de venda dos produtos ou até mesmo

as ferramentas de controle e prevenção na

Copacabana. Os interessados podem

que fazer? Uma propriedade rural deve

fotografias que comprovem a atividade

produção e processamento de carnes de

entrar em contato pelos telefones (21)

pagar IPTU ou ITR?

exercida na propriedade. O Produtor deve

aves e no processamento de ovos, além

2106-1670 ou 2106-1674.

O art. 32 do código tributário nacional

fazer uma consulta formal ao município ou

da aplicação de critérios microbiológicos.

permite a conclusão de que a localização

notificá-lo judicial ou extrajudicialmente.

As discussões sobre as técnicas de

é o fator determinante para a cobrança de

Caso o município insista na cobrança, o

diagnósticos fecharão o evento.

IPTU, mas o Superior Tribunal de Justiça já

proprietário poderá pleitear judicialmente

considera, com base no art.15 do Decreto-

a questão.

Lei n. 57/66, a possibilidade da utilização

Os proprietários rurais que tiverem

de dois critérios para determinar o

dúvidas

sobre

o

assunto,

poderão

pagamento do imposto: a destinação

procurar a Faerj pelos telefones 0800-

do imóvel e a localização. Portanto, um

2820020.

imóvel destinado a produção rural deve pagar o ITR e não o IPTU, mesmo que esteja localizado em área considerada em

20

21


Agenda

Destaques O que vem por aí

Útero é vida Útero é Vida de Porciúncula – parceria Sindicato Rural de Porciúncula, Lions Club, Secretarias de Saude, Educação e Promoção Social do município. Data: 18 de junho.

Diagnóstico da carne Lançamento do Diagnóstico da Cadeia Produtiva da Pecuária de Corte. Data: 30 de maio. Rio de Janeiro - Alerj

Sindicato forte Programa Sindicato Forte. Data: 29, 30 e 1º de Julho. Local: Rio das Ostras.

Maio

Administração Rural Licenciamento Ambiental das Atividades Rurais Data: 18 e 19 de maio de 2011 Barra do Piraí Doma Racional de Equinos Data: 2ª quinzena de maio Local: Cantagalo Produção Orgânica de Hortaliças Folhosas Data: 20 e 21 de maio de 2011 Barra do Piraí

Operação e Manutenção de Roçadeiras Data: 24, 25 e 26 de maio de 2011 Barra do Piraí Administração Rural Segurança no Trabalho Data: 27 e 28 de maio de 2011 Barra do Piraí Tratorista - Manutenção Data: 27, 28 e 29 de maio de 2011 Barra do Piraí

Administração Rural Segurança no Trabalho Data: 23 e 24 de maio de 2011 Barra do Piraí

Junho Produção Orgânica de Hortaliças e Frutos Data:01, 02 e 03 de junho de 2011 Barra do Piraí Ferrageamento Data: previsão 1ª quinzena de Junho Local: Itaperuna Produção Orgânica de Raízes, Tubérculos e Rizomas Data: 16, 17 e 18 de junho de 2011 Barra do Piraí

Redeas Data: 2ª quinzena de junho Local: Cantagalo Manejo de Bezerras Data: previsão 1ª quinzena de Junho Local : Itaperuna Bovinocultura de Leite – Alimentação de Inverno Data: 07 e 08 de junho de 2011 Barra do Piraí


Junho Alimentação de inverno Data: previsão 1ª quinzena de Junho Local : Itaperuna Artesanato em Fibra de Bananeira Data: 06, 07 e 08 de junho de 2011 Barra do Piraí Inclusão Digital Data: previsão 1ª quinzena de Junho Local : Itaperuna Produção Artesanal de Alimentos – Panificação II Data: 13, 14 e 15 de junho de 2011 Barra do Piraí Reflorestamento – Proteção de Áreas Degradadas Data: 16 de junho de 2011 Barra do Piraí Útero é vida Data: 18 de junho de 2011 Local: Porciúncula

Reflorestamento – Proteção de Nascentes Data: 21 de junho de 2011 Barra do Piraí Ferrageamento Data: 27 de junho de 2011 Petrópolis Produção de Derivados do Mel Data: 28, 29 e 30 de junho de 2011 Barra do Piraí Operação e Manutenção de Motosserra Data: 28, 29 e 30 de junho de 2011 Barra do Piraí Seminário Internacional de Salmonelose Aviária Data: 28, 28 e 30 de junho Rio de Janeiro – Copacabana


Editorial

Rodolfo Tavares

Presidente do Conselho Administrativo – SENAR-AR/RJ

Maria Cristina Teixeira de Carvalho Tavares Superintendente – SENAR-AR/RJ

Carla Ribeiro Valle Chefe do Departamento Técnico e Pedagógico

Bianca de Fátima Machado Chefe do Departamento de Arrecadação

Geiza Mesquita Assessora de comunicação

Projeto gráfico, QK Movie + Design Administrativo Titular Rodolfo Tavares Carlos Eduardo Dair Coutinho Manoel Affonso Mendes de Farias Mello Rosanne Curi Zarattini Oto dos Santos Suplentes Maria Zeni Andrade Morais Ueber Moreira Poeys José Nolasco de Salles Filho Jairo Roberto Marques da Fonseca Manoel Oscar Jotta Barboza Fiscal Titular João Batista da Silva Roberto Monnerat Ezaquiel Siqueira da Conceição Suplentes Aloysio José Braga Monteiro Heloísio Amorim Machado Júnior Martins Barbosa

Informativo Senar RJ - Maio 2011  
Informativo Senar RJ - Maio 2011  

Informativo Senar RJ - Maio 2011

Advertisement