Page 1

ediçao n°6 março

Educador JORNAL DO

de 2011

Lençóis une forças para criar o Plano Municipal de Educação

Reunião ocorreu no último dia 25, na Diretoria Municipal de Educação

A Diretoria Municipal de Educação, em conjunto com outros setores ligados à área, está trabalhando na criação do Plano Municipal de Educação, como pede o Plano Nacional (PNE), instituído pela Lei número 10.172. Na sexta-feira, 25 de março, foi a vez de membros da Diretoria se reunirem com outros setores ligados à Educação em Lençóis Paulista para explicar sobre a iniciativa. Representantes de 17 entidades foram convidados a participar do encontro: EE Dr. “Paulo Zillo”, EE “Profª Leonina Alves Coneglian”, EE “Profª Antonieta Grassi Malatrasi”, EE “Profª Vera Braga Franco Giacomini”, EE “Virgílio Copoani”, EE “Rubens Pietraróia”, Cooperelp (Cooperativa Educacional de Lençóis Paulista), Colégio Francisco Garrido, Facol, Colégio São José, Prevê Objetivo, Centro Municipal de Formação Profissional

(CMFP), Senai, Cebrac, Instituto Ana Neri, Facinter (Faculdade Internacional de Curitiba) e ETEC de Lençóis Paulista. Cada representante saiu do encontro com um dever de casa: falar com seus pares sobre o assunto para, na próxima reunião, apresentar propostas e sugestões. O próximo passo será reunir os gestores das escolas municipais para tratar do tema. Para a criação do Plano Municipal de Educação, a comunidade educacional se debruça nas diretrizes e metas do Plano Nacional 2011-2021. A expectativa é que, até o final deste ano, Lençóis Paulista já conte com o seu Plano Municipal. Com ele, o município vislumbra, sobretudo, o estabelecimento de um planejamento duradouro no setor da Educação, com a intenção de garantir, no transcorrer de uma década, avanços em benefício de toda a sociedade.


``

CAPACITACAO

“Escola é lugar de felicidade” Durante palestra aos educadores da rede, o drº César Nunes, professor da Unicamp, defendeu a humanização na escola

A

abertura do período de planejamento pedagógico deste ano, de 9 a 11 de março, levou os educadores da Rede Municipal de Educação de Lençóis Paulista a refletir sobre um tema importante: a humanização na escola. Os professores e gestores estiveram reunidos na sede do Lions Clube, na Quarta-Feira de Cinzas, para ouvir a palestra do doutor em Educação César Aparecido Nunes, professor da Unicamp. O tema da palestra foi “Educar para a humanização: sensibilizar os saberes e esclarecer os afetos na escola e na vida”. “Escola é lugar de felicidade, de identidade da criança”, defendeu o palestrante, dono de um currículo “de peso”. Ele é licenciado em filosofia, história e pedagogia. É mestre e doutor em Educação pela Unicamp e livre docente na mesma instituição no Departamento de Filosofia e História da Educação. É coordenador adjunto do Grupo de Filosofia e História da Educação e também do Grupo de Estudos e Pesquisas em Filosofia e Educação “Paidéia”. Exerce ainda a presidência da Associação

Brasileira de Educação Sexual, tendo atuado nas escolas paulistas dos anos 1980 e 1990 para implantar a educação sexual como conteúdo e componente curricular na escola pública. Autor de 18 livros sobre temas e assuntos da articulação entre Filosofia, História, Educação e Sexualidade, hoje ele se dedica à pesquisa sobre ética, a formação do professor e a educação. A seguir, acompanhe os principais pontos da entrevista que o Jornal do Educador fez com o pesquisador. Estamos em um novo tempo e é necessário, também, investir em um novo modelo de Educação? Sim. Aquela escola baseada na disciplina, no aluno chamado de obediente, já não pode existir mais. Nós temos que criar um aluno respeitoso, mas não obediente, porque a obediência às vezes é cega. Nós temos que superar também a visão da escola como um lugar militarizado. A escola tem que ser um lugar vivo, bonito. O Brasil agora começa a entender que não adianta um

A palestra foi dirigida a todos os educadores da rede

ciclo econômico de desenvolvimento se ele não for acompanhado de um ciclo cultural, ético e estético. Não adianta melhorar a renda e continuar com a mentalidade atrasada, a falta de cultura, a falta de escola. Então, eu diria que nós estamos em um novo tempo e a sociedade brasileira tem dado sinais de que valoriza a escola. O fato de um professor pesquisador da Unicamp, por exemplo, estar aqui hoje, demonstra uma grande preocupação de Lençóis Paulista com as questões da Educação para a Humanização e para a Emancipação. Quais, então, devem ser as diretrizes da Educação neste momento? A primeira diretriz é superar as tendências do passado, conforme acabamos de mencionar. Já a segunda é construir referenciais humanizadores. É valorizar a criança, valorizar o professor, criar um ambiente de diálogo na escola, melhorar a estética do espaço escolar, organizar um projeto pedagógico baseado na leitura e na escrita. É preciso usar, sim, a mídia, a televisão, o computador, mas nada vai substituir a leitura e a escrita, a fantasia, a capacidade de pensar o mundo. A partir disso, precisamos fazer, também, uma nova relação com a comunidade, não assistencialista, nem patrulhadora, e isso eu vejo que Lençóis Paulista está buscando. O senhor defende que é necessário aliar o conteúdo pedagógico da sala de aula a valores e investir na sensibilidade. Qual a importância disso? O conhecimento, sozinho, não provoca mudanças comportamentais. Ficamos mais cultos, mais esclarecidos, mas não mudamos. O que gera a mudança é a educação afetiva, a sensibilidade. A minha proposta é centrar o projeto pedagógico da escola nos novos direitos e novos deveres sociais que o Brasil construiu nos últimos 25 anos. Então, não é uma magia. Não adianta copiarmos a pedagogia da França, da Espanha. Nós temos que buscar aquilo que historicamente é a nossa possibilidade. É uma pedagogia brasileira, partindo da emancipação, da humanização, com a nossa cara de escola e de sociedade. É triste dizer que o povo brasileiro é um dos mais criativos do mundo, mas que essa criatividade para na

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

Prof. Dr. César Nunes

Gisela Wajskop

Presidente do Instituto Singularidades

porta da escola. Na grande maioria das escolas ainda predomina a visão disciplinar, militar, autoritária, e hoje fabril. Só que escola é lugar de felicidade, de identidade da criança. O senhor também é presidente da Associação Brasileira de Educação Sexual. Quais os avanços conquistados nessa área e quais os desafios a serem superados? A Educação sexual é um tema bastante meticuloso, ainda de difícil abordagem; a sexualidade envolve valores éticos, religiosos, subjetivos. Vimos que o Brasil passou um longuíssimo período de repressão sexual e, nos últimos 50 anos, houve uma descompressão, liberação, um consumismo, um exibicionismo muito grande. Temos que chegar agora a um equilíbrio quando à educação afetiva e a ética sexual. Em 1996 os parâmetros curriculares nacionais definiram a sexualidade como tema transversal, portanto, que a escola tem que abordar. Só que daí definimos o tema como obrigatório, mas não pusemos a sexualidade nos cursos de pedagogia, nos cursos de formação de professores. Portante, agora estamos num segundo momento: é preciso formar o professor para lidar com a sexualidade da criança. É lidar no sentido de dar informações científicas, psicológicas, mas não dar moral. Moral é problema dos pais. Pai e mãe é que têm que dizer o que é certo e o que é errado. Mas o professor tem que mostrar, por exemplo, que o machismo é uma construção social, que a mulher e o homem são iguais em direitos, em potencialidades.

A diretora presidente do Instituto Superior de Educação de São Paulo/ Singularidades, Gisela Wajskop, esteve em Lençóis Paulista no dia 21 de fevereiro para proferir palestra aos profissionais da Educação Infantil da rede municipal. Com o tema “Conceito de infância, escola e aprendizagem”, o evento ocorreu no salão paroquial Nossa Senhora da Piedade e marcou a abertura do programa de capacitação da área infantil, do qual participam aproximadamente 150 educadores. A certificação é de extensão universitária. “Quando se pensa em Educação Infantil, hoje a diretriz é garantir condições para que as crianças possam vivenciar experiências em todas as áreas do conhecimento, aprendendo e desenvolvendo as suas capacidades de falar, expressar o que querem, o que desejam, o que podem”, diz a educadora Gisela Wajskop. “Elas devem ser introduzidas nas áreas dos conhecimentos mais gerais, particularmente pela fala”.


PALAVRA DO DIRETOR

Luiz Eduardo Conti Diretor de Educaçao de Lençois Paulista

A Diretoria Municipal de Educação de Lençóis Paulista está trabalhando intensamente para a criação do nosso Plano Municipal de Educação, o qual queremos que esteja concluído até o final de 2011. Com diretrizes e metas traçadas para uma década, não temos dúvidas de que ele somará muito às ações já implantadas, a partir do momento que vislumbra um planejamento contínuo na área da Educação, capaz de garantir benefícios para toda a sociedade. No momento, estamos na fase de explanação do novo PNE (Plano Nacional de Educação) para todos os dirigentes escolares: municipais, estaduais, particulares, de ensino técnico e ensino superior, para a construção das metas educacionais do município, com base no PNE 2011-2021. Em virtude de sua importância e diretrizes pensadas para todo o município, buscamos o envolvimento de toda a comunidade educacional. Sabemos que todos têm informações e posições muito valiosas e queremos estudá-las juntos, de maneira democrática, para criar o plano mais condizente com o ideal e a realidade da Educação em Lençóis Paulista.

Fundação Volkswagen investe em novos projetos educacionais em Lençóis Uma parceria firmada entre a prefeitura de Lençóis Paulista (por meio da Diretoria Municipal de Educação), a Fundação Volkswagen e o Cenpec (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária), que já possibilitava a implementação do projeto “Entre na Roda” na Rede Municipal de Ensino, agora também torna realidade os programas “Estudar pra Valer!” e “Brincar. Entre na Roda O Entre na Roda tem como objetivo formar orientadores de leitura a fim de difundir o hábito em instituições educacionais, em seu entorno e em outros espaços educativos. Cada escola ou instituição que participa do projeto recebe um baú de livros com até 200 títulos para auxiliar na implantação de rodas de leitura e outras atividades orientadas pelo projeto. No ano passado, a ação começou a ser desenvolvida como projeto piloto na EMEF Profª Guiomar Fortunata Coneglian Borcat. Neste ano, a EMEIF Irma Carrit será a escola piloto para o desenvolvimento da iniciativa com a educação infantil.

Mural

Estudar pra Valer O “Estudar pra Valer!” é segmentado para ciclos I e II do Ensino Fundamental. Sua proposta está pautada na formação de professores e gestores de escolas públicas, propiciando o efetivo aprendizado da leitura e da escrita aos alunos em todas as áreas do conhecimento. Para oferecer subsídios à atuação dos professores em sala de aula, alunos e educadores recebem material didático com atividades de leitura e produção de texto que abordam situações concretas, reforçando o uso da língua como função social. Esse projeto será direcionado a todos os alunos da rede municipal de Lençóis que cursam de 5ª a 8ª séries. Brincar O “Brincar” é uma proposta de formação voltada para Educação Infantil. O projeto trabalha com resgate cultural para ampliar o repertório de brincadeiras, jogos e brinquedos da cultura brasileira. A EMEIF Maria Cordeiro Fernandes Orsi e a Creche Neide Madeira Dias participam do projeto piloto.

Orientacao profissional

A convite da EMEF Profª Idalina Canova de Barros, o diretor de Desenvolvimento e Geração de Emprego e Renda, Altair Aparecido Toniolo, proferiu palestra no último dia 16 aos alunos das 8ª séries. Foi mais uma iniciativa da escola dentro do projeto “Despertando o Jovem para o Mercado de Trabalho, Conhecendo Profissões”, que também conta com parcerias com instituições como o Senai e a Escola Qually Brasil.

Carnaval na escola - no mês do Carnaval, mui-

tas escolas municipais investiram em uma programação diferenciada para incentivar a cultura popular brasileira. Desfile de fantasias, decoração das escolas e muitas marchinhas fizeram parte do programa. Na foto, a “festança” na EMEIF Eliza Pereira de Barros, no Centro.

EXPEDIENTE

Educador JORNAL DO

é um informativo mensal da Diretoria Municipal de Educação de Lençóis Paulista, destinado aos profissionais da rede.

Textos: Carla Izeppe • Fotos: Carla Izeppe e divulgação das escolas Jornalistas responsáveis: Carla Izeppe (Mtb - 44.401) e Eduardo Magalhães (Mtb- 24.213) Produção gráfica: Propagare Propaganda e Marketing • Impressão: Gráfica Agudos Tiragem: 1.200 exemplares • Custo de produção: 0,77 (valor unitário)


Jornal do Educador - Março 2011  

Informativo mensal da Diretoria Municipal de Educação de Lençóis Paulista, destinado aos profissionais da rede.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you