Page 1

Tazria/Metsorá Vayikrá

12:1– 15:33

Na primeira porção da Torá, Deus instrui Moisés sobre os rituais de purificação para as mães após o parto. Deus, então, descreve a Moisés e Arão, os procedimentos para identificar e tratar aos infectados com tzaarat, uma espécie de doença de pele. Na segunda parashá da semana, Deus descreve o ritual de purificação para as pessoas e casas atingidas com doenças de pele; Deus também instrui Moisés e Arão sobre as leis de emissão de fluidos corporais.

2ª. Feira é Iom HaZikaron Segunda-feira, véspera do Dia da Independência, é o dia da Recordação dos heróis caídos nas batalhas desde a criação do Estado. É um dia de luto e de recordação, as bandeiras são hasteadas a meio pau, velas são acesas em todos os edifícios públicos e sinagogas. As cerimônias oficiais ocorrem nos cemitérios militares.

3ª Feira é Iom HaAtzmaut O dia da independência do Estado de Israel representa o renascimento do estado judeu na terra de Israel, dia que foi sonhado, desejado, planejado por todas as gerações ao longo de toda a diáspora e formulado em todas as nossas festas com a frase “No ano que vem em Jerusalém”.

Shabat na sinagoga de A Hebraica Prédica: Breno Wasserstein Chazan: David Kullock Musicista: Marcello Frenkiel Baalei Koré: Rony e Daniel Grabarz

CJ‫נ‬EW‫ם‬ Ano XV nº 649 13 de Abril de 2013 3 de Iyar de 5773 Shabat Tazria/Metsorá


Parashiot Tazria & Metsorá + Iom Hatsmaut: Israel: Ir de encontro àquilo que queremos que venha ao nosso encontro Se D’us quiser, na próxima terça-feira, a independência do nosso querido Estado de Israel. Não há dúvida quanto à importância política e nacionalista de se comemorar a Independência em Israel, mas muitos questionam a validade ou a autenticidade do Iom Haatsmaut como uma festa religiosa, levantando o que tem de especial a criação do nosso Estado. Afinal, a criação da Medinat Israel é de fato o começo da nossa redenção? Trata-se ou não de uma salvação milagrosa do povo de Israel? Como estaríamos hoje sem nosso Estado? Existiríamos? Como seria nosso futuro? E nosso presente? Nossa cultura? Nossa identidade? Sobre esse assunto, na realidade, há muitas questões e muita polêmica, mas o fato é que, seja como for, dificilmente pode-se fugir do fato de que é impossível pensar em nossas vidas hoje como judeus sem considerar a existência e a presença do Estado de Israel. Se não podemos afirmar que, sem Israel, não existiríamos, no mínimo somos obrigados a reconhecer que nossa situação frente ao mundo seria muito mais frágil e delicada. Apenas o fato de sabermos que há um Estado nosso que está sempre de portas abertas para nos receber é um conforto material, espiritual e psicológico para nós em todas as situações. Podemos ter nossas críticas a Israel, suas políticas e suas ações, mas devemos ter a consciência de que esse país não existe para ninguém e nem por ninguém que não nós mesmos, ainda que estejamos distantes de nossa terra há gerações. Temos, portanto, todos, mesmo fora de Israel, um papel fundamental em relação ao nosso Estado. Nossa situação na galut [exílio] de hoje pode ser comparada à situação do metsorá [leproso] narrada nas parashiot desta semana, Tazria e Metsora: a pessoa leprosa, ritualmente impura, deveria permanecer fora da machané [acampamento] do nosso povo no deserto. Apenas quando estivesse curado, o metsorá poderia voltar a viver no acampamento. Essa volta ao convívio normal, sempre acompanhada por um kohen [sacerdote] é descrita pela Torá de duas maneiras aparentemente contraditórias: “e será levado ao kohen” (Lev. 14:2) e “e sairá o kohen para fora do acampamento”(Lev. 14:3).

Não fica claro, pelo texto da Torá se o kohen é que saía para encontrar o metsorá ou se o metsorá é que entrava a procura do kohen. Provavelmente essa passagem dúbia vem nos ensinar que justamente o que acontece quando alguém busca se purificar ou se transformar de alguma maneira é isso: a transformação vem em direção à pessoa, mas é necessário que a pessoa também colabore e que vá em direção à transformação. Com Israel é semelhante. Devemos ter a consciência de que Israel existe por nós e para nós e que, se queremos ver Israel mudado, com paz, prosperidade e segurança, como um exemplo para o mundo e como nossa verdadeira casa, não podemos esperar que tudo isso venha ao nosso encontro sem que nos movamos em direção aos nossos sonhos. Assim como o metsorá e o kohen se moviam iam um de encontro ao outro, nós devemos ir ao encontro de D’us para que sejamos seus parceiros, e não telespectadores passivos, da construção do nosso Estado e da nossa terra, bem como da nossa própria salvação

Chag haatsmaut sameach!

David Rosenberg Krausz

A contagem do Omer Nesta Shabat, seguindo na contagem do omer, iniciada na primeira noite de Pessach, devemos recordar, que ontem, quinta feira, foi o anunciado o décimo sétimo dia da contagem do omer.

Horários Kabalat Shabat: 6ª f. 19h30 Schacharit: Sab 10 hs Mincha, Maariv e Havdalá: sab 17h30 Todos os serviços são acompanhados de um kidush

Cultura Judaica News Texto: Mauricio Mindrisz e David Rosenberg Krausz Ilustrações: Rubem Castro Cultura Judaica News (CJ‫נ‬EW‫ (ם‬é de responsabilidade do Depto. de Cultura Judaica de A Hebraica

CJ News 25 - 23/04/2013  

CJ News 25 - 23/04/2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you