__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

ASSUNTO Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

1


ASSUNTO

EDITORIAL

Colegas profissionais e amigos, Com muita satisfação, temos o prazer de apresentar-lhes a 1ª. edição do ANUÁRIO BIM SANTA CATARINA, com apoio e patrocínio do CREA-SC, o qual busca divulgar os principais projetos e trabalhos BIM do ano de 2020 em nosso Estado. Em primeiro lugar, gostaríamos de destacar a atuação do Conselho, que através de seleção pública, viabilizou esta e outras iniciativas para o aprimoramento técnico e capacitação dos profissionais. Não hesitamos em propor algo que contribuísse com a disseminação do BIM (Building Information Modeling), buscando levar à toda cadeia AEC alguns trabalhos desenvolvidos no ano de 2020. Impossível não citar a pandemia e suas consequências. Foi um ano marcado por adaptações e perdas, mas também por muitas vitórias e, principalmente, por superação! Agradeço a participação das empresas e profissionais que estão expondo seus trabalhos, e espero que juntos possamos contribuir ainda mais com a divulgação desta metodologia. Registro que a participação no presente material se deu de forma pública e gratuita, independente da área de atuação dos profissionais ou empresas. Convido-os então a conhecer os principais projetos BIM de Santa Catarina no ano de 2020.

EXPEDIENTE:

Anuário BIM Santa Catarina é uma publicação dirigida para profissionais da área de engenharia e arquitetura do Brasil

Boa leitura,

Eng. Robson Carlos Santos Diretor da empresa Magnus Engenharia e Arquitetura; Engenheiro Civil formado pela Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI em 2002; MBA em Plataforma BIM pelo INBEC (UNIP - Universidade Paulista)

ANUÁRIO 2 2 ANUÁRIO BIMBIM

Na capa, uma homenagem para o arquiteto e professor Charles M. Eastman, coordenador do Digital Building Laboratory do Instituto de Tecnologia da Geórgia (EUA) e um dos precursores da metodologia BIM. Chuck, como era conhecido, faleceu em 2020 e dedicou a vida acadêmica à compreensão dos processos de projeto e construção, além de ter desenvolvido ferramentas para auxiliar o trabalho de arquitetos e engenheiros. Ao longo de sua carreira, ele publicou inúmeros artigos e livros, incluindo o Handbook BIM.

Projeto Gráfico: Harmonia Comunicação Jornalista Responsável: Mariana Woj MtB 3580 (marianawoj@gmail.com). Diagramação: Bianca Tontini (btontini@gmail.com). Fotos: Banco de imagem e divulgação. Tiragem: 250 exemplares


ASSUNTO Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

SOLUÇÕES BIM PARA PROJETOS DE ENGENHARIA, ORÇAMENTAÇÃO E PLANEJAMENTO DE OBRAS

BIM além da modelagem Para desenvolver bons projetos você precisa fazer dimensionamento, detalhamento e atender todas as normas. As soluções AltoQi fazem isso de forma automatizada e alinhada com a interoperabilidade BIM, através da exportação e importação de modelos IFC e Qi3D com diferentes níveis de detalhamento geométrico e propriedades das peças.

Integração com outros softwares BIM A interoperabilidade permite a modelagem e compatibilização simultânea com disciplinas desenvolvidas em outras ferramentas BIM, como ArchiCAD e Revit. A diversidade de intercâmbios na plataforma AltoQi permite agregar mais valor ao seu projeto entregando modelos que podem ser utilizados para impressão 3D, ambientes de realidade virtual e workflow BIM (IFC).

AltoQi 2021 - Revolucione as suas entregas e toda a experiência construtiva do seu cliente.

3


4 ANUÁRIO BIM


06 ARTIGO CREA-SC

20 SERENITY RESIDENCE

30 CASA DA SERRA

08 ARTIGO CAU/SC

22 BIM CREA-SC

32 RESIDÊNCIA J&E

11 A TRAJETÓRIA DO BIM

24

34

EM SANTA CATARINA

12

PLUGINS INTELIGENTES

26

HOME DESIGN

36

CASE BIM FCEE

CASA W

GEBIM UFSC

16

28

38

HOSPITAL BIM

ETA CRISTALINA

ED. MODULAR LEVEL

SUMÁRIO

Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

5


GARANTINDO A QUALIDADE DE SEUS PROJETOS EM BIM Vá muito além de checagens de clash ! Baseado em checagem automatizada através de regras paramétricas, o SOLIBRI permite validar a qualidade dos seus modelos, requisitos de projeto, verificar aderência às normas e muito mais.

SOLIBRI PARTNER BRASIL

COMERCIAL@CADTEC.COM.BR TEL.. (11) 38498257 / (11) 91022 7174

6

ANUÁRIO

BIM

W W W . S O L I B R I . C O M . B R


ARTIGO CREA-SC

O BIM E A ENGENHARIA Por: Eng. Civil e Seg. Trab. Carlos Alberto Kita Xavier Presidente do CREA-SC gestão 2021/2023

Falar em BIM hoje na construção civil é algo inevitável, os processos licitatórios exigem projetos por essa plataforma e os profissionais precisam se preparar para atender a demanda do mercado nessa área. É importante que se tenha consciência dos benefícios desta tecnologia que obriga os projetos a elevarem seu nível de integração e a melhorarem sua qualidade quanto à resolução de conflitos.

Santa Catarina foi o primeiro estado a contratar projetos e obras públicas tendo como obrigatoriedade a adoção do BIM e a ter um caderno de especificações da plataforma para contratação de obras públicas. E não poderia ser diferente já que temos aqui grandes empresas de engenharia e de tecnologia, além de eventos e cursos de especialização na área.

Isso não significa que o projeto ficará mais moroso e difícil de ser elaborado, mas sim que o modelo será usado para facilitar a compreensão da construção, automatizar as compras e aperfeiçoar o planejamento através de novas tecnologias aliadas a um elemento: o tempo. A programação de dados ajuda na previsão do tempo de conclusão e no andamento do projeto, uma verdadeira integração entre os profissionais envolvidos na elaboração de um modelo virtual preciso com detalhes de todas as fases da construção.

Da mesma forma este anuário vem ser pioneiro, apresentando projetos de destaque e o conceito da ferramenta BIM. E o CREASC não poderia deixar de apoiar uma iniciativa como esta através da sua política de patrocínio, para valorizar o trabalho dos engenheiros. Temos certeza que este material será uma fonte de pesquisa aos profissionais que atuam ou pretendem trabalhar com a plataforma BIM. E que venham projetos precisos e de qualidade.

Carlos Alberto Kita Xavier assumiu como presidente do CREA-SC em 2021, é formado em Engenharia Civil (UFSC/1993) e com especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho (UFSC/1997), atua desde 1994 como Responsável Técnico na elaboração e execução de Projetos de Empreendimentos Comerciais e Residenciais Multifamiliares na Grande Florianópolis. Além disso, foi um dos fundadores do CREDCREA, cooperativa de crédito dos engenheiros e arquitetos de Santa Catarina

7


ARTIGO CAU/SC

CAU/SC INOVA COM INCLUSÃO BIM A tecnologia permite a distribuição da informação a partir de um modelo unificado em um processo colaborativo e traz consigo o desafio de estar ao alcance dos profissionais * Por Patrícia Sarquis Herden, Presidente do CAU/SC O ano de 2020 trouxe ao mundo um dos maiores desafios da história: a pandemia da covid-19. Fomos colocados diante de um cenário em que se tornou indeclinável a busca por adaptações e inovações. Pensando nisso, o CAU/SC realizou no ano passado uma série de eventos chamada “Inclusão BIM”. A iniciativa foi concretizada após a autarquia observar a necessidade de ampliar o domínio dos arquitetos e urbanistas sobre as ferramentas que compõem o BIM. Entre palestras e workshops, a “Inclusão BIM” introduziu e aprofundou os conhecimentos dos profissionais interessados no desenvolvimento de projetos com uso das tecnologias, explicando conceitos básicos e evidenciando o debate sobre a utilização e os processos de migração para as plataformas BIM – sempre com o objetivo de aperfeiçoar o exercício profissional em Arquitetura e Urbanismo. Para o setor da construção civil, o Building Information Modeling (BIM), em português, Modelagem da Informação da Construção, se mostra cada vez mais como a garantia de um fluxo de trabalho colaborativo, rápido e à

altura dos desafios globais. Nós, arquitetos e urbanistas, estamos habituados a projetar no presente para um futuro incerto, o que é a base do processo criativo. O futuro, todavia, começa a se apresentar: as tecnologias de impressão 3D, o uso de drones, a visualização interativa e o design generativo já ganham escalabilidade. BIM é o que conecta essas novas tecnologias com os processos, ferramentas e práticas do setor da construção civil, desde a concepção até a execução das instalações e edificações. Habilita para a colaboração de forma inteligente, convergindo as informações e mitigando os conflitos entre os stakeholders. Entre as vantagens do BIM estão: mais entendimento geral sobre as intenções de design; melhor qualidade do projeto; redução dos conflitos durante a construção; agilidade nos ciclos de aprovação do cliente; melhor controle e previsão de custos; suavização dos riscos; estimativas de custos baseadas no modelo; aumento na produtividade e préfabricação; detecção de colisão e melhorias na coordenação.

Ruschel Aquitetura e Urbanismo Desenvolvimento BIM - Archicad 24

8

ANUÁRIO

BIM


ARTIGO CAU/SC Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

Arquitetos Felipe Savassi e Francisco Eduardo Sá Desenvolvimento BIM - Archicad 23

PESQUISA BIM PELO CAU/SC O CAU/SC realizou, a partir do último trimestre de 2020, uma pesquisa para identificar a percepção dos profissionais de Santa Catarina sobre o uso das ferramentas BIM – a pesquisa foi encerrada em fevereiro de 2021. Dos participantes, 79% atuam com Arquitetura e Urbanismo, 3% com Engenharia Civil, 2% são das áreas de Engenharia Mecânica, Técnico em Edificações e Biologia, 7% são estudantes e 9% não identificaram a atuação. A maioria, cerca de 40%, tem entre 29 e 41 anos de idade. Alguns resultados obtidos foram: - Mais de 50% dos que responderam à pesquisa trabalham sozinhos. - 66% já utilizam alguma plataforma BIM.

- Quando perguntados sobre qual a melhor definição de BIM, 67,4% escolheram a seguinte opção: É a integração das informações geradas a partir de um modelo. - Entre as ferramentas BIM mais utilizadas estão: Modelo 3D por 97% dos participantes; Documentação 2D por 60%; Planejamento 4D

Rodrigo Kirck Arquitetura - Desenvolvimento BIM - Archicad 23

por 17%; Estimativa de Custo 5D por 16%; Sustentabilidade por 7%; e Manutenção do Edifício também por 7% - o mesmo participante pode ter escolhido mais de uma opção para este item da pesquisa.

A partir dessa pesquisa, o CAU/SC pretende iniciar um trabalho de elaboração de ações que sejam voltadas para esse tema. Entre as constatações iniciais, observamos que é fundamental encontrar caminhos para que o BIM seja mais acessível aos diversos públicos de profissionais – a maioria dos participantes atuam sozinhos, o que sugere uma possível característica de empresas de pequeno porte ou microempresários. Vimos ainda que, como uma tecnologia que veio para ficar, é necessário viabilizar a implementação do BIM para que o aproveitamento das suas funcionalidades seja o mais pleno. Como diz o arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels, fazer arquitetura é tentar fazer o mundo um pouco mais como o dos nossos sonhos. No setor da construção civil, quais são os nossos sonhos? Buscamos um cenário de sustentabilidade e inovação, em que a colaboração entre os profissionais envolvidos promova o planejamento e a gestão de cidades mais inclusivas, mais inteligentes e mais solidárias. Para superar as dificuldades e vencer a pandemia da covid-19, a solidariedade e a colaboração farão da crise uma oportunidade de crescimento em qualidade e em quantidade no nosso setor. Vamos fazer isso juntos? Patrícia Sarquis Herden é presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina (CAU/SC). Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Santa Catarina, tem MBA em Plataforma BIM e é treinadora Certificada GRAPHISOFT. Empresária do setor de tecnologia à frente da Equipe BIM, é consultora da indústria AEC em adoção e gestão BIM com foco no aprimoramento de processos. Tem vasta experiência de mais de 25 anos amparados pela TI, englobando todas as fases dos projetos, aprovações legais e compatibilizações até a execução de obras civis.

9


ARTIGO RAFAEL FERNANDES

A TRAJETÓRIA DO BIM EM SANTA CATARINA Por: Engenheiro Rafael Fernandes Teixeira da Silva Servidor do Instituto do Meio Ambiente de SC - IMA/SC Gostaria inicialmente de parabenizar a iniciativa do CREA em apoiar essa grande ideia da Magnus Engenharia pela criação do Anuário Catarinense de BIM. Tenho certeza que este anuário entrará para a história catarinense por registrar os projetos de engenharia e arquitetura em BIM desenvolvidos pelos profissionais e empresas catarinenses até o momento. Mas por que dar esse destaque para o BIM? Porque o BIM gera benefícios econômicos, aumento de produtividade, redução nos aditivos contratuais, redução do desperdício de materiais e o aumento da credibilidade por quem o usa ou contrata, ou seja, o BIM é a entrega de valor que a sociedade exige dos projetos e obras de engenharia e arquitetura, sejam elas privadas ou públicas. Nas grandes potências mundiais o BIM já é uma realidade, sendo exigido nas contratações públicas desde a segunda década do século 21. Na américa latina, o Chile, se destaca em diversas iniciativas públicas e privadas. E no Brasil, o governo federal começou a sua primeira iniciativa em 2009 entre o antigo MDIC e a ABNT. De lá para cá, tivemos quatro presidentes da república e todos eles foram incorporando mais iniciativas para indução e disseminação do BIM. Sendo as mais recentes o Decreto 10.306/2020 e a nova lei de Licitações que está na presidência da República para sanção do presidente, onde o BIM tem um destaque. Em Santa Catarina, o BIM passou a fazer parte da discussão interna da extinta Secretaria do Planejamento do Estado de Santa Catarina – SPG/SC em abril de 2013. Quando o secretário na época, Dr. Murilo Flores e a secretária da saúde, Tânia Eberhardt, aceitaram o desafio de fazer o primeiro edital de contratação de projetos em BIM do Governo do Estado, a licitação do Instituto de Cardiologia de SC – ICSC. De 2013 a setembro de 2019, diversas ações foram desenvolvidas, mas a que mais repercutiu e reverberou no Brasil foi a

criação do Laboratório de BIM – LaBIM/SC da SPG/SC, incentivada pelo ex-secretário Dr. Murilo Flores, com o intuito de desenvolver conhecimento sobre BIM e como as diversas tecnologias disponíveis poderiam ser apropriadas pelo Estado para uma gestão mais eficiente dos recursos dos impostos pagos pelos contribuintes na contratação de projetos e obras. O Governo do Estado até 2019 era referência sobre o BIM na área pública, servindo de inspiração e motivação para diversos servidores públicos em todas as esferas e para a iniciativa privada. Chegou a ser o Estado com o maior número de pós-graduação em BIM impulsionadas pela contratação dos projetos em BIM do ICSC e seus desdobramentos. O Estado disseminou a importância de se fazer a gestão do conhecimento nos órgãos ou setores de engenharia e arquitetura do setor público, transferindo o aprendizado adquirido nas atividades desenvolvidas pelo LaBIM/SC, atendendo a um dos pilares do BIM que é a colaboração. Outros Estados seguiram os nossos passos, como o Governo do Paraná e o Governo do Rio Grande do Sul que hoje são referências, além de diversos órgãos como Caixa Econômica, FNDE, Ministério da Saúde, CPTM/SP, Secretaria Nacional de Aviação Civil – SAC, FIRJAN, Prefeitura Municipal de Terezinha entre outras que têm nosso Estado com uma fonte de inspiração. A um longo caminho ainda pela frente, de muito aprendizado com os erros e os acertos, principalmente por que estamos numa fase de transição onde as “verdades” serão colocadas à prova para a consolidação da importância do BIM para toda sociedade.

Rafael Fernandes Teixeira da Silva Engenheiro de Produção Civil e Engenheiro de Materiais pela Universidade Federal de Santa Catarina. Especialista em Direito Ambiental e Urbanismo. Servidor de carreira do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina – IMA. Consultor em BIM, Professor de MBA em BIM em Gerenciamento de Projetos e Modelagem Ágil para BIM. Idealizador do LaBIM-SC e foi Especialista no Grupo Ad Hoc Compras Governamentais do Comitê Estratégico de BIM do MDIC.

11


CASE BIM FCEE

FUNDAÇÃO CATARINENSE DE EDUCAÇÃO ESPECIAL (FCEE) Edificação de três pavimentos e 6.700 m² teve seus projetos totalmente desenvolvidos na plataforma BIM

A Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) tem como missão definir e coordenar a educação especial no Estado, atuando principalmente através de parcerias com instituições especializadas, como APAEs, AMAs e outras. Em seu campus em São José, na Grande Florianópolis, conta com uma estrutura física datada da década de 1980 que abriga cerca de 400 servidores que realizam atividades técnicas e administrativas relacionadas ao atendimento especializado do público da Educação Especial, formado por pessoas com atraso global do desenvolvimento, deficiência (visual, auditiva, intelectual, física e múltipla), transtorno do espectro autista, transtorno

12

ANUÁRIO

BIM

do déficit de atenção/hiperatividade e altas habilidades/superdotação. Até então, boa parte da estrutura do campus é voltada para os dez Centros de Atendimento Especializado, que são espaços de estudos, discussões, atendimentos e pesquisas em diferentes áreas de atuação da Educação Especial. Durante o ano, são realizados em média cerca de 600 atendimentos diários, incluindo atividades como reabilitação e estimulação precoce, avaliação diagnóstica, centro de vivência, educação profissional, encaminhamento ao mercado de trabalho, emissão de carteiras de Passe Livre e Identificação do Autista, reabilitação visual e atendimento educacional especializado.


CASE BIM FCEE

NECESSIDADE DE AMPLIAÇÃO Com o intuito de suprir uma demanda de espaços físicos mais adequados e acessíveis e modernizar a estrutura atual para a realização dos atendimentos, o Governo do Estado decidiu pela construção de um novo prédio à FCEE. Localizado dentro do campus da instituição em São José, o prédio será dividido em três pavimentos que abrigarão sete Centros de Atendimento Especializado. A construção terá uma área total de 6.700 m², com espaço para jardins internos e projetos voltados para sustentabilidade e acessibilidade. O projeto do prédio da FCEE foi um dos primeiros do Governo do Estado totalmente desenvolvido no sistema BIM, metodologia baseada em processos, políticas e tecnologia. “O apoio do Governo do Estado foi fundamental para o sucesso deste projeto, o qual será referencia em sustentabilidade e acessibilidade em Santa Catarina”, destaca o responsável pelo projeto na instituição, servidor Jonathan Coelho. O tempo estimado para execução da obra é de 24 meses e a previsão é que os trabalhos comecem ainda no primeiro semestre de 2021.

Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

13


Information Modeling

CASE BIM FCEE

PROJETOS EM BIM Para realização dos projetos, o Governo do Estado realizou processo licitatório do tipo preço e técnica, onde sagrou-se vencedora a empresa Magnus Engenharia e Arquitetura da cidade de Itajaí/SC. O Governo forneceu o anteprojeto, e coube a empresa a modelagem de todas as disciplinas da edificação, e geração da documentação na etapa executiva. “É importante destacar que este foi um processo coletivo, com a participação efetiva dos servidores para o planejamento do novo espaço físico, através da qual chegamos a um nível alto de detalhamento de projeto”, explica o engenheiro Robson Carlos Santos, citando como exemplo a complexidade de planejamento da sala do Serviço de Estimulação Essencial, que inclui necessidades diversas dos diferentes

profissionais que atuam simultaneamente no atendimento das crianças com deficiência. Destaca-se ainda o encontro dos profissionais da equipe com colegas com deficiência, proporcionando a real vivência das necessidades através de visita guiada e visualização in loco dos equipamentos especiais previstos em projeto. Neste momento percebeu-se a importância de, não somente atender as normas, mas principalmente ouvir e trazer para o projeto seus futuros usuários. O maior desafio ficou para a modelagem multidisciplinar, com o uso de ferramentas diversas, interoperabilidade e trabalho colaborativo. Durante o contrato deu-se o início da pandemia, obrigando a revisão do Plano de Execução BIM, dos fluxos de processos, e uma reestruturação na equipe, fatos que não impediram o sucesso do trabalho.

FICHA TÉCNICA

Centro de Atendimento Especializado da FCEE Projeto 100% BIM Licitação Pública Anteprojeto: Eng. Rafael Fernandes Teixeira da Silva e Arq. Bárbara Martins Godeny

ESCOPO:

Projeto Arquitetônico Projeto Estrutural Projeto Hidrossanitário Projeto para Reuso de águas cinzas Projeto Elétrico/Telecomunicações Projeto Energia Fotovoltaica Projeto Preventivo contra Incêndio Projeto HVAC Projeto Atenuação acústica Projeto Impermeabilização Modelo Federado Planejamento 4D Orçamento 5D

PARCEIROS:

Graphisoft Brasil Altoqi Cad Technology Bentley Acca Software Novas Ideas Arquitetura Concrete Engenharia Icatu Saneamento

SOFTWARES:

Archicad - Graphisoft Eberick - Altoqi Qibuilder - Altoqi Solibri - Nemetschek Synchro - Bentley Primus - Acca QiVisus - Altoqi

14

ANUÁRIO

BIM


ASSUNTO Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

15


HOSPITAL BIM

BIM A SERVIÇO DA EMERGÊNCIA SANITÁRIA

Engenheiros e arquitetos voluntários projetam hospital de campanha com metodologia BIM

Por conta da pandemia de coronavírus (COVID-19), diversos países do mundo, inclusive o Brasil, tiveram que recorrer à construção de hospitais de campanha. Isso se tornou necessário porque a doença tem um caráter rápido de disseminação. Com isso, ocorre o afogamento do sistema de saúde que, consequentemente, gera falta de leitos comuns e UTI.

16

ANUÁRIO

BIM


HOSPITAL BIM Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

O QUE SÃO HOSPITAIS DE CAMPANHA?

O hospital de campanha é uma unidade hospitalar móvel e temporária que é construída em lugares amplos, como estádios de futebol ou parques, para atender situações emergenciais ou de calamidade pública. Essas unidades têm o objetivo de atender pacientes com sintomas mais leves ou com complexidade mais baixa, ou seja, que ainda não precisam de cuidados intensivos de uma UTI. Com isso, as UTIs ficam liberadas para os casos mais graves da infecção.

MODELO APROVADO PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

A situação de pandemia gerou uma demanda do Ministério de Saúde em estabelecer um programa assistencial, por meio da criação de um hospital de campanha adequado e que servisse de modelo matriz com diretrizes gerais para orientar os estados e municípios. Essa iniciativa é extremamente importante para estabelecer um padrão correto de orientações e procedimentos. A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) ficou responsável pela elaboração do projeto que foi entregue em abril e aprovado pelo ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta. O projeto seguiu as orientações do Ministério da Saúde e apresentava as demandas de espaço físico, áreas, setores, tipos de equipamentos e instalações, arquitetura e engenharia geral que deveriam ser respeitadas.

HOSPITAIS DE CAMPANHA E O BIM

Com a disseminação e o crescimento da metodologia BIM no Brasil e através do conhecimento dos seus benefícios, um grupo de 26 engenheiros, arquitetos e profissionais da área da saúde, trabalharam de forma voluntária, durante a quarentena,

17


HOSPITAL BIM

e desenvolveram um projeto conceitual de um Hospital de Campanha para atender 29 pacientes, sendo 9 em UTI, com ambiente climatizado, com paredes e pisos isotérmicos, atendendo aos principais requisitos, normas técnicas e RDC 50. A ideia inicial era que a unidade de saúde fosse erguida utilizando a metodologia BIM. Isso faria com que a montagem fosse rápida – apenas duas semanas – economicamente viável e dentro de todas as normas sanitárias e de segurança. Segundo a coordenadora do projeto, a engenheira Késia Alves da Silva, “apresentamos ao poder público e a sociedade os benefícios que a metodologia BIM pode proporcionar na utilização em obras públicas, como ganho em agilidade, eficiência, colaboração, transparência, entre outras. E, além disso, houve o foco em soluções que visam a industrialização da construção civil, apresentando possibilidade de modulação da construção de hospitais, diminuição de geração de resíduos, reutilização das peças utilizadas, diminuição do prazo de execução e inúmeros outros benefícios que o processo construtivo modular pode proporcionar”, afirma.

DESENVOLVIMENTO Utilizando

a plataforma Trimble Conect, os 26 profissionais desenvolveram, de maneira simultânea, todo o projeto. Durante o período de 14 dias, a equipe detalhou: - Plano de execução BIM; - Modelo 3D de todas as disciplinas, com visualizadores através do QR code, junto com um manual exclusivo para essa finalidade; - Maquetes de realidade virtual para navegar pelo modelo; - Compatibilização de todas as disciplinas através do Software Solibri; - Extração de quantitativos para elaboração do orçamento através do Software Orçafascio, que utilizou base SINAPI, com um nível de detalhe muito claro e transparente. O valor estimado foi de R$ 5.795.379,31 - Planejamento da obra para execução em 21 dias. Construção rápida considerando um processo a montante de industrialização e racionalização, prevendo a chegada de materiais em obra pré-condicionados para um processo de montagem orientada à filosofia do Lean Construction; - Sistema para tagueamento para controle na execução; - Estudo de eficiência energética; - Estudo com CFD (Computational Fluid Dynamics), para validar eficiência dos equipamentos de climatização; - Análise do fluxo de pessoas através de fluxograma de uso dos espaços, aliado com a ferramenta Legion da Bentley, que proporciona uma análise do comportamento das pessoas, possibilitando o planejamento e a visualização da superlotação do hospital, em função do número de pacientes; - Comprovação do potencial do BIM, mesmo em situações de emergência. Como o hospital é modular, pode ser ampliada, dobrada ou até triplicada a sua capacidade. E, ainda, para garantir a segurança dos pacientes, foi pensado em um aplicativo que trataria os pacientes através do uso de pulseiras e QR Code, para evitar o uso de prontuário e, assim, diminuir o nível de contaminação. Além disso, foi previsto ainda o uso de Drive Thru para melhorar o fluxo de pessoas. Após concluído, o projeto foi doado para a Federação Catarinense dos Municípios de Santa Catarina (Fecam), contou com apoio de várias empresas e associações, foi também cadastrado na base da entidade Médico Sem Fronteiras e apresentado para a Fiocruz.

EQUIPE Enga Civil Késia Alves da Silva – Coordenação Eng° Civil Rafael Rigoni – Coordenação Eng° Eletricista Fabio Sato – Projeto elétrico Tecga. Rosângela Castanheiras - Orçamentação Arq. Roberta Baqueiro – Orçamentação Eng° Civil Vilberty – Orçamentação Arq. Liége Garlet – Projeto Arquitetônico Arq. Diego Both – Projeto Arquitetônico e render Arq. Maurício Serpa – Projeto Arquitetônico e coordenação Arq. Juliana A. Mizumoto – Projeto Arquitetônico Arq. Juliana Gehlen– Projeto Arquitetônico Eng°. Civil Alexsander dos Santos Costa - Checagem do modelo Eng° Mecanico Fernando Dutra – Projeto de climatização

18

ANUÁRIO

BIM

Eng° Sanit. Euclides Ademir Espíndola – Projeto hidrossanitário e preventivo Eng° Civil Paulo Cesar Padilha – Projeto estrutural Davi Vargas – Projeto estrutural Arq. Rogério Suzuki – Planejamento Eng° Civil Natacha Sauer – Planejamento Eng° de Produção Márcia Honório Codecco – Planejamento Eng° José Carlos Lino – Colaboração técnica Dr. Daniel Vignardi - Colaboração técnica Iaan Carlos - Colaboração técnica Eng° Sanit. Berenice Vieira Ferrari - Colaboração técnica Eng° Civil Rui Raoli – Realidade aumentada Fernando de Godoy – Taqueamento para execução Eng° Ramão Silveira Netto – Simulação de fluxo de pessoas


PROJETO HOSPITAL

Plataforma de gestão integrada com Revit? Só o Sienge BIM! O que é o Sienge BIM? O Sienge, solução líder no Brasil em gestão na área de construção civil, acaba de lançar uma integração BIM com recursos inéditos. O Sienge BIM é parte integrante do Sienge Plataforma. É uma funcionalidade que integra o Sienge com sistemas dedicados ao desenvolvimento de projetos de arquitetura e construção em BIM, como o Revit, da Autodesk. E o que isso quer dizer na prática? Quer dizer que essa integração proporciona um ganho de até 40% no tempo de orçamentação dos projetos para incorporadoras e construtoras. Quando o um projeto é desenvolvido no Revit, a integração Sienge BIM envia informações relacionadas a quantitativos e descritivos de materiais para o Sienge Plataforma, onde os outros aspectos do projeto são geridos.

Com a integração Sienge BIM, projetistas e empresas de construção não precisam manipular arquivos entre o Revit e o Sienge Plataforma. Afinal, a integração é total e as alterações são refletidas em tempo real entre os sistemas. Colaboração e Agilidade gerando Economia de tempo e dinheiro.

“O Sienge BIM facilita a colaboração entre projetistas e empresas de construção, refletindo alterações de projeto em tempo real no orçamento e, assim, aumentando a produtividade geral. Seu desenvolvimento é fruto da cultura Sienge de pensar em produtos que atendam às principais demandas das empresas de construção. É por isso que o Sienge BIM é um sucesso!” Comenta Giseli Anversa, Lead Product Manager, do Sienge. Quer saber mais? Entre em contato conosco pelo site sienge.com.br ou peça uma demonstração no telefone (48) 3027-8110.

FEVEREIRO /2021

19


ALÉM DO 3D, BIM LEVADO A SÉRIO

SERENITY RESIDENCE 32 andares projetados com a inovação do BIM Instagram: @lotisaconstrutora www.lotisa.com.br

Localizado em Itajaí, o edifício Serenity Residence chama atenção por sua imponência. Projetado pela Construtora Lotisa, o edifício conta com 32 pavimentos, 44 apartamentos dos quais 2 são duplex, tem 4 pavimentos de garagem e um boulevard na área comercial no térreo. Já no espaço do condomínio, possui um PUB, academia, espaço kids, salão de festas, mini quadra, espaço gourmet e piscina. A área externa do pavimento também se diferencia por sua vista para a Marina de Itajaí promovendo uma integração entre o ambiente construído e a natureza, com vários espaços sociais externos integrados a variações de vegetação. “O empreendimento foi desenvolvido desde o início para ser único e admirável. Tamanha complexidade e compromisso com a qualidade nos deixaram extremamente engajados e focados nesses objetivos”, destaca o engenheiro Luis Henrique C. Wescinski.

SOFTWARES Autodesk Revit Autodesk Navisworks Autodesk Autocad TQS Bimcollab cloud Bimcollab zoom Dalux Bim Viewer QI Builder AltoQI Dynamo for Revit Unreal Twinmotion

20

ANUÁRIO

BIM


ALÉM DO 3D, BIM LEVADO A SÉRIO Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

PROCESSO O projeto contou com uma equipe multidisciplinar, que incluiu arquitetura, estrutura, fundações, hidráulica, elétrica, telecomunicações, PCI, gás, paisagismo, esquadrias, vedações, fachadas, climatização, entre outras de menor porte. Segundo o engenheiro, a aplicação de um novo processo para aportar uma edificação deste porte e o número de envolvidos, além de necessária, se mostrou muito eficaz. “Com o processo BIM embarcado e a modificação dos processos de projeto, planejamento e execução, o desafio foi a mudança de cultura, de maneira a antecipar a construção para um campo virtual e engajar a comunicação constante de todos os participantes”, pontua. Apesar do desafio, Luis ressalta que os resultados foram gratificantes, conseguindo tomar decisões de maneira assertiva e ter uma construção mais fluida. “Basicamente nossa capacidade de criação e melhoria de projetos foi impulsionada, pois tal antecipação nos permite buscar melhores soluções com menor esforço, pois estamos em um ambiente virtual simulando o que vamos construir, e isso, aliado a sensação de que sempre

podemos melhorar nossos produtos nos leva a resultados realmente promissores”, destaca o engenheiro. Para a equipe, a chave de tudo isso foi a centralização das informações. Pensando dessa forma, buscou-se garantir que todos tenham acesso a um único banco de dados sobre a construção, seja qualquer um dos envolvidos e em qualquer momento. “Como todo novo processo e mudança de cultura é normal passarmos por um período de aprendizado, e isso foi e é um desafio atual, pois constantemente somos desafiados a melhorar para fornecer um produto cada vez melhor também, porém acreditamos que isso seja nosso diferencial, nos engaja a trabalhar cada dia em um nível mais alto para atender melhor às expectativas que nossos clientes podem ter”, aponta Luis. Levando o pensamento desta forma, o cliente também é impactado pelo ganho de qualidade com o novo processo. “A partir do lançamento de nossos edifícios, buscamos garantir que o produto final, ao passar pelo processo construtivo, será fidedigno ao produto inicial, e buscamos encarar isso como normal em nossas rotinas, pois a satisfação do cliente

é nosso maior foco”, ressalta. Da mesma maneira em que a construtora atua para que os participantes do projeto tenham um maior poder de visualização e consequentemente uma melhor tomada de decisão, busca levar isso para os processos que possuem interação com o cliente final, como personalização e os manuais de proprietário, uma vez que tal controle de personalizações passa por sua análise de alteração via modelo, conseguindo assim esclarecer as dúvidas que podem ser levantadas, tornando tal processo mais fluido e claro para ambas as partes. “Este mesmo manual é positivamente afetado, pois como o que construímos é o que projetamos, temos a confiança de que o documento que entregamos, condiz com o que o cliente irá receber”, pontua o profissional. A construtora está entre as 50 maiores do Brasil e para eles isso é reflexo do olhar inovador que possuem. “Com a incorporação do BIM aplicado a toda cadeia de envolvidos podemos garantir produtos melhores, trazendo solidez e satisfação a quem desenvolve e a quem recebe”, finaliza o engenheiro.

21


BIM CREA-SC

PLANEJAR E CONSTRUIR Congresso anual reúne engenheiros e arquitetos para discutir impacto do BIM nas cidades Pessoas. Qualidade de vida. Construção. Urbanismo. Está tudo interligado. Como fazer a gestão de todas essas disciplinas? É o que foi apresentado na segunda edição do BIM CREA-SC, realizado nos dias 21 e 22 de outubro de 2020, em formato online, permitindo que mais de 600 profissionais da área, técnicos e estudantes de todo Brasil pudessem participar. Com a temática BIM: O impacto nas cidades, o evento trouxe conceitos, cases de sucesso e tendências para implantação do BIM nos centros urbanos - desde políticas públicas a obras e projetos da iniciativa privada.

Profissionais de diferentes instituições e empresas que já incorporaram o BIM às suas realizações, palestraram sobre a metodologia. Utilizada para criar modelos virtuais mais precisos, ela auxilia na elaboração de projeto e verificação de possíveis falhas, entre outros benefícios.

22

ANUÁRIO

BIM

Na fase de obra é possível fiscalizar e antecipar problemas, inclusive antes mesmo da execução, diminuindo os custos e prazos e aumentando a qualidade do serviço. O evento abordou ainda aspectos importantes sobre essa tecnologia e discutiu de que forma ela pode impactar na qualidade de vida das pessoas.

A partir deste ano essa modelagem tornou-se obrigatória em diversas obras públicas, o que melhora e muito a aplicação desses recursos, atendendo com mais agilidade às demandas da sociedade.


BIM CREA-SC Entre os palestrantes estava o engenheiro civil português, José Carlos Lino, diretor acadêmico e pedagógico da Especialização NossoBIM, e a especialista em aeroportos, que atualmente participa do processo de Transformação Digital da Infraero, Patrícia Oliveira. O evento teve como patrocinador principal o CREA-SC por meio da política de patrocínio. Os demais patrocinadores foram: Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, ACCA Software, Oxford, Pousada Pedra da Ilha, Alves Espíndola, Bit Arch, Nosso BIM, Bentley, IPOG e OrçaFascio. E conta com o apoio da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial e do Instituto Agenda Urbana Brasil. “Apoiar a disseminação do BIM, é apoiar ao desenvolvimento da nossa construção civil, rumo à modernização. O nosso muito obrigada a todos que acreditam que o BIM pode ajudar a melhorar a qualidade de vida das pessoas e das nossas cidade”, destaca uma das organizadoras do evento, Késia Alves da Silva.

PRÊMIO BIM DE PROJETOS O prêmio, organizado e produzido pela empresa Conexão BIM, através do patrocínio do CREA, foi promovido pelo 2º Congresso BIM CREA/SC e teve seu resultado divulgado em seu segundo dia, 22 de outubro de 2020. A votação foi contabilizada pela quantidade de curtidas dos vídeos disponibilizados no canal do youtube. Confira os ganhadores:

CATEGORIA CAU O projeto mais votado pelo público, com 1.354 curtidas no canal do youtube e vencedor desta categoria, foi o Projeto Leroy Merlin (LM749-Santos). Parabéns os profissionais da Kemp Oficina de Projetos e Gerenciamento Ltda, envolvidos neste projeto.

CATEGORIA CREA O projeto mais votado pelo público, com 2.085 curtidas no canal do youtube e vencedor desta categoria, foi o Projeto Sede do Instituto Ninho Social e Projeto Lavanderia, uma iniciativa dos alunos e profissionais do IPOG-SP.

23


INOVAÇÕES EM PROJETOS ELÉTRICOS

PLUGINS INTELIGENTES Empresa de Criciúma desenvolve soluções para a implementação de projetos elétricos através da plataforma BIM Instagram: @inovar.engenharia e @ricaun.io

Muito se foi desenvolvido dentro das soluções de projetos elétricos em softwares tipo CAD (Computer Aided Design ou desenho auxiliado por computador), porém as soluções desenvolvidos na plataforma BIM (Building Information Modeling) são limitadas, não estão difundidas ou certificadas no mercado brasileiro e, muitas vezes, isso dificulta o desenvolvimento dos projetos elétricos através destes softwares. Segundo o NBS BIM Report 2020, 50% das empresas utilizam o Revit como sua principal ferramenta para o desenvolvimento de projetos BIM, possuindo, aproximadamente, 4 milhões de usuários no mundo e 50 mil no Brasil. Com o intuito de atender estas necessidades do mercado brasileiro, a empresa Ricaun, de Criciúma, vem desenvolvendo soluções para a implementação de projetos elétricos através da plataforma BIM, mais especificamente por meio do software Revit. EX T6 FG T5 T1 T5

RF1

T1

EX T6

L1l

#6

#1.5

24

T1

#1.5

HALL

L1l

T5 T7 #4

RF1

T3 T3

L1i L1i #1.5

T3 T3

BIM

T4 LS

L1i RF2

Ø 1 Ø1" 1/2 C

L1l

L1g h l L1i

T1

T1

L1c

#1.5 T1 CA

T3

#16

AP-202

Á. TÉCNICA

L2f

T2 L3y L3y

Ø1"

T1

L1j

L2 T2

CIRC. #1.5

AP-202

h=120 cm T1 L1j k

L j

A3 #6

LAV.

DUTO

L1k h=180 cm Ø1" L1l

T2

DESCE 11X Ø1.1/2" SOBE 8X Ø1.1/2" Caixa de PVC 200x200x85 mm h=30 cm

L2f #1.5

L1a b

L1a

IE2

C

C1C2 C3 C4C5C6

#6

L1l L1a b c

#16

L3i

L1m

C4 C5 C6

A2

#6

L1b

#1.5

#1.5

L3i

A1

L2a

L1l

C3 C2 C1

AP-201

"

T2

#1.5

L1 T1 T3 T4

L1e d c

#1.5 #1.5 #1.5

L1c

L1m

T4 T5 T3

L1 T5

T5

ANUÁRIO

#1.5

L1e L1d L1c

AP-201

#1.5 #4 T5

L1h

h=100 cm

L1d

T1

#4

4x4 T7 LL T5

#1.5

#4

HALL

T1 T6

#4 T5

T1 L1e

ESTAR

CA

A3

#1.5

A

T3

L1j

#1.5

T5 T7

T1

#1.5 #1.5 #1.5 T1

T3

L2a

1/ 2"

#6

L1h

T3

T2 L2

SUÍTE 01 T2

Ø1 "

L2f

L2 T2

T1

L1d

Ø1" L1d L1e L1f T3 T4 L1i

T1

#1.5

L2a

T2

T1

L1j

#1.5

T6 FO

T6

T1

L1k T1 h=120 cm

T6 4x4

T1

h=180 cm L1k

T1

A1

#1.5

T2

T2

L2a

T2

C

Á. SERV.

T1

L1h

T4

T4

T1 L1

L2 T2

T2

#6

Ø 1

T1

#1.5

L2a T2

T1

T1

T1

L1i T3

LS

L1g

#1.5

T1

RF2

T1

T1

#1.5

T2 L2f

#1.5

T1

#1.5 #1.5 #1.5 T5

#1.5

L1f

L1f L1e L1d

T1

L1e

C

T1

L1e f d

T1 L1f Ø1"

T1

L1g

No modelo atual de fluxo de projeto do Revit não é possível desenvolver todas as etapas do projeto, sem o uso de um software externo, principalmente para as etapas de cálculos e documentação do projeto. Isto pode acarretar em mais horas de trabalho, maior chance de erros e mais custos. Este tipo de problemática emprega grandes demandas para as empresas e deixa os projetos mais caros e onerosos para os contratantes. Essas problemáticas inspiraram o Engenheiro Eletricista Luiz Henrique Cassettari, fundador da empresa, a desenvolver plugins para o Revit, cujo propósito é trazer mais automação, assertividade e produtividade para as atividades cotidianas do desenvolvimento de projetos elétricos. Dentre as soluções criadas pela Ricaun, encontra-se o plugin EasyConduit, que tem por objetivo facilitar o lançamento de eletrodutos dentro do software Revit.

C3 C2C1 C5 C4

Caixa Metálica 500x500x200 mm h=140 cm

L3 T2 IE2

L3j L3j

#1.5

HALL ELEV. Ø1 1/2"

C4 C5

L3 IE2 #1.5 IE2

L3 T2 IE2

Caixa de PVC 200x200x85 mm h=30 cm

#1.5

L3l L3l

L4a

ELEV. SOBE DESCE

IE2

IE2

SOBE


INOVAÇÕES EM PROJETOS ELÉTRICOS Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

O EasyConduit é capaz de reduzir em, aproximadamente, 60% do tempo empregado no lançamento de eletrodutos em um projeto elétrico, considerando um profissional com habilidades intermediárias no Revit. Além disso, com o objetivo de eliminar o uso de softwares externos e tornar possível o desenvolvimento de um projeto elétrico completo através do software Revit, a Ricaun criou o plugin WireInConduit. E, em parceria com a Inovar Engenharia Elétrica, representada pelo Engenheiro Eletricista Eduardo Clasen Inacio, vem desenvolvendo funcionalidades e aplicações para que o plugin atenda às normas e ao mercado brasileiro.

“A ferramenta facilita a criação de anotações de fiação, utilizando os circuitos elétricos para fazer o lançamento de fiação nos conduítes e bandejas de cabos. Além disso, realiza o quantitativo dos cabos automaticamente e configura cada tipo de fiação, com descrição do tipo de cabo e comportamento, conforme necessidade do usuário, sem a necessidade de uso de template padrão”, explica Eduardo. O WireInConduit está em fase de aperfeiçoamento, atualmente está se trabalhando na ampliação de novas soluções, tais como o desenvolvimento de projetos de telecomunicações e cálculos para os dimensionamentos elétricos. O plugin já encontra-se disponível para ser adquirido no site do desenvolvedor, e funciona nas versões 2018, 2019, 2020 e 2021 do Revit. O WireInConduit também estará disponível para futuras atualizações.

25


ON.WE / PROJETO ESTRUTURAL ONLINE

CASA W Parceria entre escritórios projeta residência unifamiliar em Balneário Camboriú Projeto Arquitetônico e Execução da Obra: Imoveline Arquitetos Projetos Complementares: On.We / Projeto Estrutural Online Instagram: @somosonwe e @imoveline Site: www.onwe.com.br/blog/casa_w

Para os padrões acelerados da vida urbana, uma residência de alto padrão, carinhosamente apelidada de Casa W, que está neste momento em construção, traz uma sensação de tranquilidade na Praia do Estaleiro em Balneário Camboriú. O projeto arquitetônico foi elaborado pelo escritório Imoveline Arquitetos enquanto os projetos estrutural, de instalações elétricas e hidrossanitárias foram desenvolvidos de maneira colaborativa pela empresa Projeto Estrutural Online. A On.We / Projeto Estrutural Online está localizada em Penha e atua no nicho de projetos para residências de médio e alto padrão, tendo projetos já presentes em 14 estados do Brasil e utiliza da via online para atender seus clientes. “Os arquitetos, mesmo considerando tratar-se da construção de uma residência unifamiliar, buscaram nos nossos serviços a possibilidade de ter todos os projetos na metodologia BIM, integrados, compatibilizados e conversando com a arquitetura”, explica Anamélia Adriano, engenheira civil, co-founder da On.We / Projeto Estrutural Online. Mesmo o mercado ainda vinculando o BIM aos projetos destinados às construções de grande porte, a On.We / Projeto Estrutural Online trabalha majoritariamente com projetos para residências unifamiliares. Anamélia aponta que, da mesma forma como nas grandes obras, a metodologia traz um benefício para o cliente em termos de redução de custo e tempo de obra.

26

ANUÁRIO

BIM


ON.WE / PROJETO ESTRUTURAL ONLINE Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

PROCESSO

Obra em fase de acabamento

Questionado sobre como a empresa organiza as suas ações, a engenheira detalha: “primeiro iniciamos com a aplicação de questionários, produzidos no Forms do Google, com diversas perguntas para cada disciplina contratada e vídeos dentro do formulário para orientação do cliente. Notamos que uma boa captação de informações e dados logo no início auxilia na redução de erros e retrabalho”, explica. Posterior à coleta de informações, a equipe parte para a chamada fase Preliminar dos Projetos onde é feito um primeiro esboço e enviado no formato eletrônico IFC para o escritório de arquitetura. Este envio tem como propósito trocar ideias facilitadas pela utilização de softwares BIM. No caso da Casa W, foram feitas várias reuniões online e trocas de informações através de compartilhamento de telas, bem como dos arquivos federados escolhidos para o trabalho “Gostamos de dizer que nesta fase nós simulamos a obra pela primeira vez. Pois, papel aceita tudo, mas a obra não. Com a implementação do BIM em nossa empresa, a preocupação que antes era a de entregar o melhor projeto, passou a ser a de entregar a melhor solução executiva para obra, sendo o projeto apenas o documento que vai representar isso”, detalha. Aprovado os projetos na fase preliminar, garantida a melhor compatibilização, é hora de partir para os detalhes e geração da documentação (pranchas para obra, 3D interativos, e listas de materiais). Vale lembrar que essa aprovação envolve vários atores que estão conduzindo este empreendimento, principalmente a equipe de arquitetura que representa o cliente em todos os seus principais interesses e conduzem a sinfonia de soluções que uma casa de alto padrão necessita. As ferramentas utilizadas pela On.We / Projeto Estrutural Online para transcrever o BIM em forma de projetos e documentos são o Eberick, QiBuilder, QiElétrico, QiHidrossanitário, QiCloud e QiConnect, todos da empresa Alto QI.

Obra em fase de acabamento

Imagem renderizada do projeto arquitetônico em BIM

SOFTWARES Eberick - AltoQi QiBuilder - AltoQi QiCloud - AltoQi

3D dos projetos complementares em BIM

27


PROJETO IBR

ETA CRISTALINA Escritórios projetam 1ª Estação de Tratamento 100% em BIM no Brasil Empresas: IBR e MPB Site: www.ibr.eng.br

No ano de 2018, o SAMAE de Brusque lançou o Edital de Concorrência Pública para a prestação de serviço de engenharia consultiva para revisão do projeto básico e elaboração de projeto executivo do sistema produtor de água da nova ETA Cristalina, sendo seu objetivo a melhoria da qualidade de vida e saúde pública da população de Brusque e a redução dos impactos ambientais na zona urbana do município. As empresas IBR e MPB assinaram o projeto e para a gestão, desenvolvimento e compatibilização, o consórcio utilizou-se de diversas ferramentas BIM permitindo melhor entendimento e maior assertividade nas etapas de projeto, evitando assim possíveis erros na fase de execução das obras, mesmo esta tecnologia não sendo solicitada no edital. Área de Tratamento e Reservação (Vista Norte)

Com capacidade de tratamento de 400L/s em uma área total de 108.845,35 m², o projeto compreendeu o seguinte escopo: 1 - Captação e elevatória de água bruta; 2 - Adução de água bruta e equipamentos de proteção; 3 - Estação de tratamento de água (ETA); 4 - Estação de desaguamento de lodo (ETL); 5 - Prédio Operacional; 6 - Reservatórios de água tratada; 7 - Rua de acesso; 8 - Rede de alta tensão, subestação de energia e grupo Gerador; 9 - Sistema de distribuição de água.

28

ANUÁRIO

BIM


PROJETO IBR Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

Para criação do projeto, a empresa utilizou os softwares Autodesk Revit, Recap, Civl 3D, Dynamo, TQs, Navisworks, Unity Engine, Dialux e Cypecad e para chegar ao resultado esperado foram desenvolvidos os seguintes passos:

ETAPA 1:

Estação de Tratamento de lodo

Estação de Tratamento de lodo

Prédio Operacional e Setor Administrativo

Simulador Unity Engine

Projeto de desapropriação, drenagem, geotécnico, iluminação, obras complementares e pavimentação;

ETAPA 2: Projeto hidráulico e hidromecânico, estrutura concreto e metálica, fundações, elétrico, automação e controle, instalações especiais, arquitetura, terraplenagem, pavimentação, geométrico, drenagem, PPCI, hidrossanitário, orçamento, cronograma físico-financeiro, plano de execução de obras e termo de referência e edital de obras. Segundo o diretor do Grupo IBR, Tiago Perucchi, na construção civil, quanto mais próximo da realidade o planejamento da obra estiver, as chances de sucesso serão maiores. E a tecnologia BIM está relacionada com essa realidade, com recursos para que a visualização prévia das edificações fique ainda mais apurada. “No BIM é possível incluir dados como custos, materiais, fabricante e outras diversas propriedades que poderão ser úteis no projeto de construção”, destaca. Nesta obra, por exemplo, os fiscais conseguiram ter um entendimento real da situação de cada projeto e compatibilização entre eles através de softwares de visualização e deram maior celeridade às aprovações das etapas. Foi desenvolvido um modelo federado contendo todos os projetos georreferenciados além de um simulador Unity Engine para que os fiscais pudessem pilotar o veículo pelo trecho de acesso em tempo real. O Grupo IBR é uma empresa referência no desenvolvimento de projetos multidisciplinares BIM, tendo desenvolvido mais de 100 projetos nesta tecnologia em diferentes setores da engenharia.

Estação de Tratamento de água

SOFTWARES

Reservatórios de Água Tratada cada um com capacidade de 6.300m³

Autodesk Revit Recap Civil 3D Dynamo TQs Navisworks Unity Engine Dialux Cypecad

29


BIM PARA TODAS AS ESCALAS DE PROJETO

CASA DA SERRA

Residência de 300m² valoriza natureza e arquitetura em Rancho Queimado Projeto: Alexandrino Arquitetura e Groen Engenharia Instagram: @alexandrino.me

A natureza como fio condutor entre o homem e sua essência: esse é o conceito deste projeto em Rancho Queimado. Assinado pelos escritórios parceiros Alexandrino Arquitetura

30

ANUÁRIO

BIM

e a Groen Engenharia que apostaram em espaços amplos, funcionalidade e décor orgânico para proporcionar a sensação de conexão com o natural, além de reforçar o aconchego e bem-estar. São 300m² de área construída para uma família que procurava tranquilidade. “Buscamos conectar uma arquitetura leve, aconchegante e permeável

com os benefícios da tecnologia e da natureza. O layout é funcional e os ambientes completamente integrados. Valorizamos também o uso da madeira. A paleta de cores neutra, aconchegante e elegante abusa das texturas e dos elementos sem abrir mão do conforto”, afirma o arquiteto Thiago Alexandrino.


BIM PARA TODAS AS ESCALAS DE PROJETO

PROCESSO

SOFTWARES ArchiCAD - Graphisoft Revit - Autodesk BIMColllab

Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

Sendo este o primeiro projeto produzido com o BIM pelos escritórios, Thiago destaca que a experiência foi bastante positiva. “Acreditamos que os maiores ganhos com a implementação do BIM são frutos do trabalho interdisciplinar entre os projetistas, incorporadores e construtores”, explica. Através de um processo colaborativo permitiuse, assim, que todos os projetistas tivessem um entendimento total de todas as demais disciplinas de projetos da edificação. “Outro ponto que consideramos crucial para a qualidade é o estabelecimento de um CDO, acrônimo para a expressão em inglês de Common Data Environment, que nada mais é que um repositório em uma nuvem de dados acessível a todos os envolvidos onde podemos acessar as versões mais recentes de cada projeto, comentários, briefing do projeto e outras informações relevantes”, pontua o arquiteto. A edificação foi construída virtualmente e buscou-se soluções para as interferências durante a fase de execução. “Acreditamos que cada hora de trabalho investida em compatibilização e refinamento dos projetos representa um dia de trabalho poupado na obra”, analisa o arquiteto. Após as compatibilizações, passou-se para a fase de levantamento de quantitativos, que foram entregues em formato de tabelas de dados. Desta forma, segundo o arquiteto, os gestores têm instrumentos confiáveis para programar desembolsos e a evolução da obra. “As empresas de projeto fazem visitas periódicas à obra para realizar apresentação de andamento, treinamentos com encarregados de obra para utilização de softwares de colaboração, verificações da qualidade e fidelidade”. Atualmente a Alexandrino Arquitetura está desenvolvendo três projetos em parceria utilizando o BIM, sendo um industrial, um residencial multifamiliar e um residencial unifamiliar.

31


ÁGILOBRA3D

RESIDÊNCIA J&E Projeto em Itá ganha inúmeras vantagens unindo BIM e Light Steel Frame Projeto arquitetônico, complementares e execução da obra: ÁgilObra3D Projeto estrutura em Light Steel Frame: ConstruÁgil Instagram: @agilobra3d

Com 192,19 m2, dois pavimentos e localizada na cidade de Itá, a residência J&E tem como grande diferencial ter sido projetada com metodologia BIM e construída em Light Steel Frame. Compatíveis, a união dos dois processos trouxe algumas vantagens como otimização do tempo de obra e assertividade na fase pré-construção. Como as peças vêm prontas da fábrica ou pré-montadas, seguindo a fase de montagem das estruturas e ligação entre elas, possibilita assim menos etapas construtivas.

PROCESSOS Com a estrutura projetada na plataforma BIM, o escritório conseguiu facilitar e melhorar vários processos. Citando alguns exemplos, Diego comenta da compatibilização, que resolveu assim as interferências entre as disciplinas ainda na etapa de projetos; a questão da extração de todos os quantitativos de materiais, que auxiliou na redução de desperdícios; do momento de elaborar os projetos executivos, que colaborou com a execução e evitou retrabalhos e, por último, com o planejamento 4D e orçamento 5D, obteve-se um controle maior físico-financeiro. Tudo isso, podendo ser acompanhado no canteiro de obras através de tablets e smartphones.

32

ANUÁRIO

BIM

Além disso, conforme explica o engenheiro Diego Fontana, por se tratar de uma edificação industrializada, outros pontos positivos do Steel Frame é que utiliza em sua grande maioria materiais recicláveis, possui redução drástica na geração de resíduos (em torno de 3%) e, quando comparado ao concreto e alvenaria, o LSF é 70% mais leve, é construído em torno de 1/3 do tempo e economiza em torno de 80% de água.


ÁGILOBRA3D Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

SUSTENTABILIDADE Além da inovação da construção, os moradores da casa também optaram por pensar no futuro e no meio ambiente. “O projeto conta com placas fotovoltaicas para geração de energia elétrica, placas solares para aquecimento de água e ponto de recarga para carro elétrico na garagem”, explica Diego Juntamente, a obra recebeu revestimento externo EIFS, um sistema composto por EPS, que proporciona isolamento térmico e acústico, reduz fissurações em fachadas e economiza energia elétrica Enquanto que para as instalações de água fria, água quente e gás, foi escolhido o sistema PEX (polietileno reticulado) que tem alguns benefícios. “ Com esse tipo de sistema temos facilidade e agilidade na montagem, redução de desperdícios, da possibilidade de vazamentos devido a utilização de menos conexões e facilidade de manutenção a longo prazo, pois utiliza tubo guia por fora da tubulação de pex, extinguindo a necessidade de quebrar a parede no caso de manutenção”, aponta o engenheiro.

33


IMPLEMENTAÇÃO BIM

D/MYS HOME DESIGN Após dois anos de estudo e análise, construtora constrói seu primeiro empreendimento com BIM Site: www.dimasconstrucoes.com.br

Lançado em outubro de 2020, o D/Mys Home Design é um empreendimento de torre única e 88 apartamentos. Situado em Florianópolis, tem aproximadamente 14 mil metros quadrados e foi projetado pela Dimas Construções que teve como objetivo de coordenação 3D, MVP de quantitativo, realidade aumentada e realidade virtual. Para isso, contratou os principais projetos dentro da metodologia BIM e sua equipe interna foi a responsável pela coordenação e compatibilização, optando pelo Navisworks para isso. Segundo o engenheiro Paulo Henrique Klein, diretor da Otus Engenharia, foi criado, para esse empreendimento um processo colaborativo, com fases bem definidas e informações evoluindo em cada etapa do projeto. “Para controlar essas informações, criamos alguns mecanismos como DNA Dimas e o Plano de Execução BIM, que permite o desenvolvimento simultâneo dos projetos”, explica. Já para a compatibilização dos projetos a empresa usou três critérios. “Temos o Clash Detection, a análise técnica e a análise de informações dos requisitos dos elementos”, destaca o engenheiro Leandro Oliveira dos Anjos. Além disso, foi utilizado o BCF através do Bimcollab, onde todas as soluções de projetos ficam centralizadas, registradas e de fácil acesso a todos stakeholders. Trabalhando com o MVP (Mínimo produto viável) na parte do 5D, para extração dos quantitativos e atuando em parceria com um plugin, desenvolvido pela Sienge, conseguiu-se assim eliminar algumas etapas do processo tornando-o mais assertivo e rápida a inclusão dos quantitativos do Revit/Navisworks para o Sienge. “Com a concepção do modelo de forma padronizada, conseguimos atingir alguns objetivos, entre eles, extração de quantitativos, visualização do modelo na obra e o aumento da experiência dos nossos clientes, através da realidade aumentada e virtual”, pontua a Engenheira Kalindi Duarte Souza

34

ANUÁRIO

BIM


IMPLEMENTAÇÃO BIM

IMPLANTAÇÃO DA METODOLOGIA Para que conseguisse implementar o BIM, a Dimas ficou aproximadamente 2 anos estudando, fazendo testes, conhecendo as ferramentas e estruturando toda sua parte de documentação. Com o intuito de padronizar e tornar as regras claras para todos os envolvidos, a empresa desenvolveu um arquivo chamado de DNA Dimas, que aponta nele as metodologias construtivas que são utilizadas na obra; alinha o fluxo de projeto, para apresentar como funcionará o processo desde a contratação até a entrega do projeto executivo final, apresentando os entregáveis de cada etapa e, traz também o documento BEP (BIM Execution Plan) que tem como finalidade determinar diretrizes, critérios e usos do modelo para todas as fases. “Com a documentação robusta é que conseguimos dar um salto em todo nosso processo. Alteramos também nossos contratos com o jurídico, para que se adequasse agora com as contratações no formato BIM. Enfim, tivemos que ajustar todo o processo da empresa para que o BIM entrasse em nosso processo para não sair mais”, explica Kalindi.

Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

Desenvolvimento modelagem em BIM.

Realidade aumentada da fachada que serviu para substituir a maquete física.

SOFTWARES Revit-Autodesk Navisworks-Autodesk TQS

Filtro para análise técnica do modelo.

Vista de áreas internas do empreendimento

35


GeBIM

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS: DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA UFSC Autoria: Grupo de Extensão em BIM (GEBIM) da Universidade Federal de Santa Catarina Instagram: @gebimsc Site: www.gebim.ufsc.br

O

edifício do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), localizado no Campus Trindade em Florianópolis, caracterizase pela geometria curva, com paredes não ortogonais que acabam conferindo complexidade ao projeto arquitetônico. Devido ao formato não trivial e ao fato de os desenhos originais diferirem da execução final, há dificuldades para a obtenção de quantitativos precisos para elaboração de orçamento para manutenção. O objetivo deste projeto, desenvolvido pelos alunos da professora Letícia Mattana, é adotar inovações tecnológicas para obtenção de informações precisas das envoltórias visando a orçamentação para futura manutenção predial. Para isso, foi realizado levantamento de dados em campo para captura da realidade com drones e laser scanner. O levantamento com laser scanner ocorreu em julho de 2019 e o equipamento utilizado foi o laser scanner FARO Focus 350, resultando em 32 cenas para a completa cobertura da edificação.

Nuvem de pontos obtidas pelo processamento das cenas do laser scanner da FARO Technologies

36

ANUÁRIO

BIM

Levantamento em campo com Laser Scanner. Fonte: autores


GeBIM

O processamento das 32 cenas do laser scanner foi realizado no software Faro Scene, as quais foram posteriormente utilizadas na reconstrução tridimensional da edificação no software Autodesk Recap, gerando a nuvem de pontos. Esta, não apresenta dados densos na cobertura do edifício, devido à dificuldade em acessar este local in loco para instalação do laser scanner. Visando mais informações para a modelagem BIM, foram realizados voos com o drone DJI Mavic Air no ano 2019 (empresa V&MDrones), para captura da cobertura e terreno, com suporte do aplicativo DroneDeploy. As imagens obtidas do voo foram novamente processadas no software Autodesk Recap e exportadas nos mesmos formatos descritos anteriormente.

Com as nuvens de pontos disponíveis, o projeto as-is (como está) foi modelado em BIM por um estudante do curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo, na ferramenta Autodesk Revit. A partir da modelagem BIM arquitetônica, outro estudante do curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo obteve os quantitativos e realizou o orçamento para pintura das fachadas da edificação e reforma da cobertura. A partir da modelagem arquitetônica foi gerado o arquivo “IFC” da edificação, o que possibilitou a simulação estrutural do edifício usando o software Altoqi Eberick, realizada por um estudante de graduação em Engenharia Civil da UFSC, com o objetivo de também gerar material didático para uso em sala de aula, nas disciplinas de tecnologia de edificações.

Aproxime Aproxime sua sua câmera câmera e saiba e saiba mais mais sobresobre esse esse projeto projeto

SOFTWARES Revit-Autodesk Recap-Autodesk Eberick-AltoQi

Modelo BIM Arquitetônico. Fonte: estudante W. P. Koerich, 2019

Modelo BIM Armaduras. Fonte: estudante M. C. Villela, 2020

Modelo BIM Estrutural. Fonte: estudante M. C. Villela, 2020

37


EDIFÍCIO MODULAR LEVEL

LEVEL Projeto Arquitetônico: ATO 9 Arquitetura | Ronaldo Martins Projetos Complementares: Civile, Inovar, Beck & Falk, Clara Eng. Instagram: @ato9.arquitetura

Projeto contratado pela Brasil ao Cubo para desenvolvimento de edifício modular vertical off-site com implantação em um terreno localizado em Tubarão. Elaborado através da tecnologia de engenharia simultânea e contrato integrado, onde todas as disciplinas utilizaram ferramentas BIM para o seu desenvolvimento. Desde o início dos trabalhos, a equipe de arquitetos e engenheiros trabalhou em  paralelo com o grupo Brasil ao Cubo que, com seu processo de fabricação e know how, auxiliou na criação e desenvolvimento dos módulos que seriam fabricados e, posteriormente, transportados e içados.

esquema arquitetura e proj. complementares

Além de ser um produto altamente tecnológico, que faz uso de sistemas como o de placas fotovoltaicas e de aproveitamento de água da chuva, o partido arquitetônico utilizou estratégias bioclimáticas através de desenhos que aumentam a performance do edifício. Neste caso, através dos brises para sombrear as fachadas e do atrium central que possibilita o efeito chaminé de ventilação. A integração das placas fotovoltaicas foi feita até mesmo na fachada, onde estas ajudam a bloquear a incidência da luz solar direta.

içamento dos módulos de cobertura

O edifício como um todo, que conta com oito pavimentos estruturados um sobre o outro e 3.121,69m², é composto por 73 módulos de tamanhos variados, indo desde aqueles menores planificados de 3,75x7,50m, até maiores tridimensionais de 3,75x15,0x4,20m. Produzidos no galpão da empresa para a então transporte até o terreno, a previsão de sua montagem foi de 45 dias.

38

ANUÁRIO

BIM

esquema detalhe brises da fachada


EDIFÍCIO MODULAR LEVEL Aproxime sua câmera e saiba mais sobre esse projeto

COWORK

I

BUSSINES CENTER

A arquitetura de interior também foi integrada ao conceito industrial empregado, sempre utilizando elementos contrastantes, como o uso da madeira, da programação visual e do paisagismo, os quais humanizaram os espaços que abrigarão as empresas. No térreo, terá um café da rede Premier, espaço que funcionará como uma praça de recebimento dos usuários e aumentará a parcela de

fachada ativa, conferindo vida à paisagem urbana. Também neste pavimento, funcionará um posto de gasolina já existente no terreno, o qual foi integrado ao conjunto através da arquitetura. Valorização da quadra e melhoria dos espaços próximos é o que se espera após a implantação do LEVEL.

SOFTWARES Ato 9 Arquitetura Revit Sketchup Enscape Civile Engenharia Revit Robot Inovar Engenharia Pro-elétrica – Multiplus Revit Beck & Falk Revit Clara Engenharia Revit Auto CAD

39


ANUÁRIO

FORNECEDORES

40

ANUÁRIO

BIM

BIM

Profile for Harmonia Comunicação

1º Anuário BIM/SC  

Elaborado pela Magnus Engenharia e Arquitetura, com o apoio do CREA/SC, o 1º Anuário BIM reúne projetos desenvolvidos em Santa Catarina com...

1º Anuário BIM/SC  

Elaborado pela Magnus Engenharia e Arquitetura, com o apoio do CREA/SC, o 1º Anuário BIM reúne projetos desenvolvidos em Santa Catarina com...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded