Issuu on Google+


O Chefe TambĂŠm Lexy Timms Traduzido por Ju Pinheiro


“O Chefe Também” Escrito por Lexy Timms Copyright © 2016 Lexy Timms Todos os direitos reservados Distribuído por Babelcube, Inc. www.babelcube.com Traduzido por Ju Pinheiro Design da capa © 2016 Book Cover by Design “Babelcube Books” e “Babelcube” são marcas comerciais da Babelcube Inc.


O chefe também Livro 2 Série Lidando com os Chefes Por Lexy Timms Copyright 2015 by Lexy Timms


Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada ou introduzida em um sistema de recuperação ou transmitida, de qualquer maneira ou por quaisquer meios (eletrônico, mecânico, fotocópia, gravação ou outro) sem a autorização prévia por escrito de ambos, o proprietário dos direitos autorais e da editora, acima mencionada, deste livro. Esta é uma obra de ficção. Nomes, personagens, lugares, marcas, mídia e incidentes são produtos da imaginação da autora ou são usados ficticiamente. Qualquer semelhança com uma pessoa real, viva ou morta, eventos ou locais, é mera coincidência. A autora reconhece o status de marca registrada e proprietários de marca registrada dos vários produtos citados nesta obra de ficção, que tenham sido usados sem permissão. A publicação/uso destas marcas registradas não está autorizada, associada ou patrocinada pelos proprietários da marca registrada.

Todos os direitos reservados. Copyright 2015 by Lexy Timms


Índice Analítico Página do Título Página dos Direitos Autorais Página dos Direitos Autorais Página dos Direitos Autorais O Chefe Também Nova Série com Alex no Livro 1! Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 Capítulo 5 Capítulo 6 Capítulo 7 Capítulo 8 Capítulo 9 Capítulo 10 Capítulo 11 Capítulo 12 Capítulo 13 Capítulo 14 Capítulo 15 Capítulo 16 Capítulo 17 Capítulo 18 Série Lidando com os chefes


Série Lidando com os Chefes O Chefe O Chefe Também Quem é o Chefe Agora Ame o Chefe I Do The Boss

Esposa do Chefe Em Abril 2016 PRESENTE PARA O CHEFE Conto de Natal (3.5)


Nova Série com Alex no Livro 1!

Quente e Bonito, Rico & Solteiro...quão longe você está disposto a ir? Conheça Alex Reid, CEO d Reid Enterprise. Bilionário extraordinário, esculpido à perfeição, de derreter a calcinha e atualmente solteiro. Descubra mais sobre Alex Reid antes que ele começasse na série Lidando com os Chefes. Alex Reid senta para uma entrevista com R&S. Seu estilo de vida é como a sua aparência bonita: duro, rápido, de tirar o fôlego e disponível para jogar bola. Ele é perigoso, charmoso e determinado. Quão perto do limite Alex está disposto a ir? Estará ele disposto a fazer qualquer coisa para conseguir o que deseja? Alex Reid é o primeiro livro na Série R&S – Rico e Solteiro. Apaixone-se por estes homens quentes e sensuais; todos solteiros, bem-sucedidos e à procura do amor.

Encontre Lexy Timms: Lexy Timms Boletim de Notícias: http://eepurl.com/9i0vD Lexy Timms Facebook: https://www.facebook.com/SavingForever Lexy Timms Website: http://lexytimms.wix.com/savingforever


Descrição: Da autora best seller, Lexy Timms, chega um romance sobre um bilionário que irá fazê-la desmaiar e apaixonar-se novamente.

Jamie Connors decidiu que um emprego é mais importante do que um namorado. Ela conseguiu uma posição incrível trabalhando como a assistente pessoal de Alex Reid. Não era para ser um emprego com benefícios e no entanto ela se encontra na cama de Alex. Apesar de ser inteligente, bonita e ligeiramente acima do peso, ela não acredita que é atraente o suficiente para um homem como Alex. Tentando controlar o trabalho e colocar tanto tempo no casamento da sua irmã, Jamie encontra-se tentando agradar todo mundo. O casamento da sua irmã está no primeiro plano da atenção da família. Jamie estaria bem se sua irmã não fosse tão mandona, se sua mãe iria parar de reclamar e seu ex-namorado horrível não estivesse prestes a se tornar seu cunhado. Jamie tem de aprender a amar a si mesma novamente, a defender-se e ter a confiança para ir atrás do que ela quer. Ela também precisa provar para Alex que ela é perfeita para o emprego e sua cama. ** O Chefe Também é o segundo livro na série Lidando com os Chefes. ** Para um público maduro somente. Há situações adultas, mas esta é uma história de amor, NÃO erótica.


Conteúdo Série Lidando com os Chefes Encontre Lexy Timms: Descrição: Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 Capítulo 5 Capítulo 6 Capítulo 7 Capítulo 8 Capítulo 9 Capítulo 10 Capítulo 11 Capítulo 12 Capítulo 13 Capítulo 14 Capítulo 15 Capítulo 16 Capítulo 17 Capítulo 18 Nota da Autora: Encontre Lexy Timms: Série Lidando com os Chefes Mais por Lexy Timms:


Capítulo 1 Jamie olhava para o reflexo no espelho. Para alguém que odiava a si mesma, ela estava começando a passar muito mais tempo vendo a si mesma pela primeira vez, de novo e de novo. Ela tocou o pescoço, os três pequenos hematomas pela pressão dos dedos tinha desaparecido e ela estava feliz que Stephen não estaria no jantar hoje à noite para celebrar o aniversário do seu pai. Ele tinha de trabalhar até tarde, de acordo com Christine. Alex tinha se oferecido para ir com ela ao jantar. Não porque ele queria jantar com ela, mas porque ele tinha se sentido obrigado a fornecer proteção caso Stephen aparecesse. Desde a noite selvagem deles há mais de uma semana atrás as coisas tinham ido de embaraçosas de volta a uma quase normalidade. Ela não deveria ter passado a noite. Ela deveria ter voltado para sua casa ao invés de permanecer emaranhada nos seus lençóis. Seus elogios e sorriso sexy a tinham convencido do contrário. Nas primeiras horas da manhã, ela tinha escorregado para fora da sua cama e voltado para a sua suite. Ela tinha colocado sua roupa de ginástica e ido para uma corrida na esteira para tentar clarear sua cabeça. Não tinha ajudado. A luz da manhã trouxe suas ações em nitidez e por mais que ela tivesse precisado daquela noite, não tinha sido certo. Não ajudou que depois que ela tinha tomado banho, ela tivesse de enviar-lhe uma mensagem de texto e pedir para levá-la para o trabalho com ele porque seu carro ainda estava na garagem do escritório. Eles tinham ficado em um silêncio embaraçoso e quando eles chegaram no escritório, Jamie encontrou uma desculpa para precisar ir até o seu carro. Alex não argumentou quando ela sugeriu que ele entrasse e ela estaria logo atrás dele. Eles tinham conseguido superar o dia, com muitas reuniões e enquanto o dia passava para o seguinte, nenhum dos dois trouxe à tona a noite de paixão. No momento que a semana tinha passado, eles tinham parado de tentar evitar um ao outro. Jamie passou seu tempo livre na academia e tinha ido fazer compras para comprar um maiô assim ela poderia começar a nadar na piscina. Ela tinha observado Alex nadar uma noite, escondendo-se atrás das suas persianas. Seu corpo aqueceu enquanto ela o observava dar voltas na piscina. “Jamie!” Christine entrou no banheiro. “O que está lhe tomando tanto tempo?” Jamie afastou-se do espelho com um pulo e fingiu secar as mãos com a máquina. “Tive de enviar alguns e-mails para o trabalho,” ela mentiu. “É o aniversário de pai. Você não pode tirar uma noite de folga?” “Estou. Agora.” “Bom.” Christine brincou com o cabelo no espelho e retocou a maquiagem. Ela olhou para Jamie no reflexo do espelho. “Você está usando uma cinta ou algo assim?” “O que? Não.” Jamie balançou a cabeça. “Perdi um pouco de peso.” Ela encolheu os ombros. “Meio que encontrei minha rotina na academia. A esteira e eu nos tornamos bons amigos.” Ela queria contar para Christine sobre sua noite com Alex, mas se conteve. “Um verdadeiro milagre de Natal.” Ela sorriu. “Agora vamos ver se você apenas consegue mantê-lo.” Ela franziu os olhos para Jamie. “Você ainda não está no tamanho certo para o vestido vermelho.” Jamie abriu a porta e a segurou para a sua irmã. O maldito vestido vermelho. Ela reprimiu um comentário e forçou um sorriso no rosto. “Estou fazendo isto por mim. Não por você.”


Christine caminhou de volta para a mesa. Se ela ouviu o comentário de Jamie, ela não o reconheceu. Jamie sentou de propósito ao lado da sua mãe, deixando o espaço ao lado de Christine aberto para Stephen se ele aparecesse e longe o suficiente de Jamie assim ela não tinha de falar com ele. Sua mãe pegou um menu. “Este é um restaurante agradável que você escolheu, Jamie. Cheio de escolhas saudáveis, eu espero?” “Fruta para sobremesa e tudo.” Ela piscou para o seu pai. “Excelente. Realmente espero que você irá tirar proveito disto hoje então. Sei que é o aniversário do seu pai, mas não seria satisfatório se soltar antes do casamento da sua irmã.” “Claro que não,” Jamie disse de maneira automática. Ela planejava comer o pedaço de cheesecake que Murray tinha deixado com sua refeição mais cedo hoje. Ele ainda fazia suas refeições, assim como as de Alex e ela não poderia reclamar. Ele era um cozinheiro incrível. Jamie virou para o seu pai e deu-lhe um abraço. Ele a abraçou de volta. “Feliz aniversário, Pai,” ela disse. “Tenho para você dois ingressos para uma peça na Broadway. Não conte para Mãe. Ela queria que eu o inscrevesse para o clube do vegetal do mês.” Seu pai sorriu. Ele estava cada vez mais parecendo consigo mesmo estes dias. “Como está indo o planejamento do casamento, Christine?” a mãe de Jamie perguntou sobre uma taça de vinho. “Espero que não seja muito trabalho para fazer sozinha.” Ela lançou um olhar decepcionado para Jamie. “É muito trabalho. Estou exausta.” Christine fez uma careta. “Com o trabalho de Jamie no caminho, é muito difícil para ela me ajudar. Mas tudo está sob controle.” “Estou tão feliz. Deve ser tão difícil planejar tudo e no entanto você parece tão no controle.” O garçom aproximou-se então, muito para o alívio de Jamie. “Posso anotar seus pedidos?” ele perguntou. “Eu gostaria de uma salada Caesar de frango, por favor,” Jamie disse, entregando-lhe o menu. “Molho à parte,” sua mãe disse, levantando uma sobrancelha para Jamie. “Ela quer o molho à parte.” “Prefiro ter o molho realmente na sala. Não acho que isto irá me matar.” “Não, mas poderia enviá-la em uma espiral descendente para a obesidade.” Jamie suspirou. “Ótimo,” ela disse. “Molho à parte, por favor.” “Eu terei o mesmo, mas com o molho na salada,” Christine disse. “E um martini de chocolate também.” “Outro vinho tinto para mim e a sopa cremosa de frutos do mar,” sua mãe acrescentou. Ela deu uma cotovelada no seu marido e ele desviou o olhar do telefone. “Oh,” ele murmurou. “Apenas o especial. Obrigado.” “Mal posso esperar para vê-la no seu vestido de noiva,” a mãe de Jamie disse para Christine. “Ele vai ficar fantástico em você, Sei que irá.” O pai de Jamie revirou os olhos e checou seu bolso pelos fones de ouvido. Quando ele percebeu que não os trouxe, ele virou para Jamie. “O que você tem feito ultimamente?” “Gina, uma garota com quem trabalho e eu saímos para uma happy hour no bar no outro lado da rua e...” “Oh não, você pediu o camarão frito, não foi?” Christine revirou os olhos. “Você sempre pede. Eu sabia que você estava usando uma cinta hoje à noite!” Ela reprimiu um comentário. Seu vestido era solto e sem ajustamento. Por que, diabos, ela usaria uma cinta com ele? “Seu vestido de casamento já chegou?”


“Desculpe-me, espero que vocês não se importem que eu interrompa por um momento,” uma voz masculina suave disse. “Posso falar com Jamie por um momento?” Jamie corou. Poderia esta noite ficar mais embaraçosa? Todo mundo olhava para Alex enquanto ele se aproximava da mesa. Jamie podia ver três homens em ternos muito caros sentados à mesa atrás deles. Ela levantou e caminhou até ele. “Jantar de negócios?” “Maçante como o inferno. Preferia estar na sua mesa.” Ela tentou não sorrir. “Não, você não iria, confie em mim.” Ele olhou atrás dela. “Sem Stephen hoje à noite?” “Até agora não.” Ela se perguntou se ele tinha trazido de propósito a reunião para o restaurante já que ela poderia ter jurado que sua agenda o tinha no centro da cidade hoje à noite. “Você precisa de algo, Sr. Reid?” Ela tinha voltado a chamá-lo pelo seu nome completo e ele não tinha discutido. Seu rosto não traía nada. “Há um contrato que irei precisar que você digite hoje à noite. Espero que isto não seja um grande incômodo?” Ela não poderia dizer se ele estava sendo sarcástico ou tentando ver se ela estaria em casa hoje à noite. “Sem problema. Posso ter de pegar seu computador emprestado já que meu laptop está no trabalho. Não pensei em levá-lo hoje à noite.” Ela detectou uma faísca nos seus olhos com a menção do seu laptop? Um frisson de calor provocou profundo na sua barriga enquanto ela pensava na última vez que ela o tinha usado e ele a tinha pego olhando pornografia. Não foi minha culpa! Ela queria dizer-lhe. Mesmo se tivesse sido ela bisbilhotando o histórico do seu computador. “Sem problema. Irei também me certificar que Gina peça para você um notebook Mac semelhante ao meu com conexões para o escritório.” “Claro.” Ela ouviu sua mãe tossir e pigarrear atrás dela. “Excelente.” Ele virou para os empresários atrás dele. “Acredito que concluímos nossos negócios por esta noite, Srta. Connors. Espero que você aprecie o resto da sua refeição. Encaminhe a conta para mim quando ela chegar. Meu presente pelo aniversário do seu pai.” Ele virou e caminhou de volta para a sua mesa.

O jantar arrastou-se a um ritmo ridiculamente lento. Ela acenou com a cabeça para Alex enquanto ela ia embora antes que a sua família pedisse a sobremesa, usando a desculpa do contrato para escapar mais cedo. “Srta. Connors?” Alex chamou. “Sim?” Ela virou e caminhou de volta para a mesa dele. Um dos empresários, descaradamente, correu seu olhar para baixo e em seguida para cima pelo corpo de Jamie. “Srta. Connors, não é? Venha se juntar a nós para uma bebida!” Jamie sorriu de maneira educada. “Ela não pode.” Alex impediu Jamie antes que ela mesma pudesse responder. Ele arremessou-lhe um conjunto de chaves. “Meu computador está na cozinha. Irei enviar-lhe o esboço do contrato via email em breve.” Ela pegou as chaves enquanto ele terminava de falar e assentiu. “Sem problema.” Quando ela virou para ir embora, ouviu aquele empresário que tinha falado com ela antes reclamar com Alex e em seguida a resposta de Alex. “Você poderia ter permitido que ela se juntasse a nós para uma bebida!”


“Ela não é este tipo de assistente pessoal.” Que diabos ele quis dizer com isto?


Capítulo 2 “Sinto muito que você teve de deixar a sua família antes que você conseguisse a sobremesa.” Alex estava na sua cozinha, seus olhos ligeiramente vermelhos enquanto Jamie estava sentada no balcão terminando o relatório que ele tinha lhe pedido para digitar. Ela encolheu os ombros. “Eu sabia que não havia nenhuma maneira no inferno que eu conseguiria bolo com minha família observando minhas coxas. Eles estão nesta missão conseguir-Jamie-magra.” “Eu observaria alegremente suas...” Alex de repente pigarreou e balançou a cabeça, como se fisicamente tentando impedir-se de dizer as palavras. “Bem, você adivinhou errado sobre isto.” Alex jogou-lhe uma caixa plástica de comida para viagem. “Consegui um pouco para viagem.” Ela mudou de posição, aquecendo com a frase que ele não terminou. Ela olhava para ele enquanto abria lentamente a caixa. Dentro estavam várias fatias de bolo de chocolate. Ele tinha estado bebendo? Ele parecia parecia distante. Isto a confundiu. Ela tinha finalmente se acostumado a estar de volta aos negócios somente. Ela precisava de algo para desviar sua atenção do gato bonito, meio bêbado, apoiado no balcão ao lado dela. Ela olhou para as camadas do chocolate rico e delicioso. “Eu lhe devo muito.” Jamie abriu a caixa e pegou o garfo que Alex ofereceu. Ela o deslizou em um pedaço celestial de bolo. Ela fez uma pausa antes de dar uma mordida. Culpa tomou conta dela. “Não, não posso. Elas estão certas. Irei apenas engordar novamente.” “Você pode ter um pouco do maldito bolo. Eu vejo quão duro você malha. Algumas calorias extras não irão fazer você de repente mudar este hábito. Apenas coma o bolo.” Ele fez um gesto para ela dar uma mordida. Quando ela não deu, ele inclinou-se mais perto e pegou o garfo da sua mão, roubando a mordida. “Uau! Isto é tão bom!” Ele fechou os olhos enquanto saboreava a mordida. Ele sorriu enquanto devolvia o garfo de volta para ela. Jamie mergulhou o garfo novamente e colocou-o na boca. A doçura derreteu como manteiga dentro da sua boca, preenchendo sua língua com uma delícia acuçarada. Ela quase gemeu alto. “Como está o contrato?” Ela engoliu e lambeu os lábios. “Quase terminado.” “Irei fazer um pouco de chá para você,” ele ofereceu. “Hortelã, certo?” “Claro,” ela respondeu, roubando outra mordida. “Obrigado.” Ela digitou mais algumas frases do relatório enquanto o observava retirar recipiente após recipiente de chá para fora do seu armário. Uma lata de chá caiu, fazendo barulho no chão. Alex praguejou e estendeu a mão para pegá-la, mas ela rolou na direção dos pés de Jamie Ela a pegou e ergueu uma sobrancelha para o rótulo. “O que é um Chá de Cadela?” Alex pigarreou. “É, uh, apenas o nome que eles dão para esta combinação em particular de ervas. Foi-me dado como um presente de gozação no último Natal.” Jamie virou a lata para ler as informações no verso. Ela sorriu. “Ajuda nas mudanças de humor durante a TPM?” Alex pegou a lata das mãos dela e colocou-a de volta no armário. “Sei que é um nome ofensivo.” Ele teve a decência de corar. “E enganoso. Aparentemente, você não se transforma em uma cadela durante o seu período do mês.” Ele sorriu para ela. “Na verdade, você nunca é uma cadela.” “Você deveria ver minha irmã. Ela se transforma no Hulk na segunda semana de cada mês. Fique longe.”


“Engraçado,” ele disse, sorrindo. “Pensei que ela era sempre o Hulk.” Ele derramou a água quente em uma caneca e colocou o chá de hortelã ao lado de Jamie. Ela tomou um gole e sorriu. “Obrigada.” Voltando ao trabalho, ela trabalhou em silêncio enquanto terminava o contrato. Deu mais uma mordida no bolo e mentalmente planejou colocar uma meia hora extra na esteira amanhã de manhã antes do trabalho. Dez minutos depois, ela salvou seu trabalho. “Está tudo pronto.” Ela fechou o laptop e levantou. “Vejo você amanhã.” “Por favor, fique.” Alex olhava para o seu copo agora somente contendo gelo, o uísque que ele tinha servido desaparecido há muito tempo. “É bom ter uma conversa que não seja uma reunião de negócios por dez minutos.” Jamie mordeu o lábio, incerta. Ela não tinha nenhum motivo para acreditar que ele queria mais alguma coisa além de uma conversa não relacionado ao trabalho enquanto esperava que ela terminasse seu chá. Só que da última vez que eles estiveram em uma sala juntos quando não estavam trabalhando, eles tinham terminado no quarto de Alex. E olhe quão bem isto terminou. Bem, terminou bem. Por aquela noite, pelo menos. A manhã seguinte foi uma história diferente. Alex deve ter lido sua mente porque ele sorriu para ela. “Eu lhe garanto, não estou procurando por... performances repetidas. Nós dois sabemos que não é inteligente.” Jamie sorriu hesitante e acenou com a cabeça, ignorando a pontada de decepção que ela sentiu. “Acho que posso ficar um pouco.” Ele sorriu e sentou-se ao lado dela. “Incrível! Como foi o aniversário do seu pai?” “Você estava na mesa ao lado. Deveria saber.” “Acredite ou não, eu realmente tinha de trabalhar,” Alex disse. “Fiz o meu melhor para me desligar do que estava acontecendo até depois que o negócio estivesse resolvido.” “Oh, bem, você pode imaginar.” Jamie revirou os olhos, apreciando que ela poderia ficar confortável e ser honesta com ele e ele não iria julgar. “Muita conversa sobre o casamento e meu pai não queria fazer nada exceto voltar ao trabalho, embora fosse a sua festa.” Ela encolheu os ombros. “Foi uma noite muito longa.” “Sinto muito que sua família seja tão rude,” Alex disse. “Tenho de admitir, estou feliz que Stephen não estava lá. Se ele tivesse estado e estivesse agindo de maneira tão rude quanto ele estava na última vez que eu o vi, então eu teria feito algo muito pouco profissional na frente de um monte de valiosos parceiros de negócios.” Jamie sorriu. “Você teria se transformado no Hulk?” “Absolutamente. Várias vezes.” Ela deu uma risadinha. “Então, por que a sua família a trata como merda?” Alex serviu mais um pouco do líquido dourado no seu copo. Ele ofereceu-lhe um pouco e ela negou com a cabeça. Jamie encolheu os ombros. “Eles não são tão ruins. Apenas ficam estressados e eu sou um alvo fácil para descontá-lo. Preciso perder um pouco de peso e eles estão apenas tentando ajudar.” Eles tinham uma maneira abominável de fazer isto, mas tinham boas intenções. “Não penso assim.” Alex franziu o cenho. “Se você quer dizer o fato que você não passa fome porque a sociedade diz que você deveria, então...” “É basicamente isto,” Jamie disse, interrompendo-o e desejando que ela não tivesse de ter esta conversa. “Eu costumava ser magra como Christine ao crescer. Mãe era tão devotada a mim quanto ela é devotada a Christine agora. Então o ensino médio chegou e eu não lidei bem com a puberdade. Nem qualquer uma das outras crianças na minha turma, mas ao invés de me tornar cruel e malvada


como as outras garotas na minha turma, comecei a apreciar excessivamente a comida de conforto. Desde então tenho sido a única mancha na vida perfeita e na família perfeita de Mãe e Christine.” “E elas nunca a deixam se esquecer disto,” Alex murmurou. Ela mordeu o lábio. Ele realmente via isto nos olhos delas e muito provavelmente concordava com elas. “Isto é tão cruel!” Alex bateu na bancada de granito. “Como elas podem fazer isto? Nem mesmo...” Ele cerrou a mandíbula de repente e Jamie sabia que seja o que fosse que ele estava prestes a dizer, ele não estava pronto para dizer. “Nem mesmo os meus anos de ensino médio foram tão ruins,” ele disse sem convicção. “Bem, tenho certeza que a sua família não é tão ruim quanto a minha.” Jamie forçou um sorriso, mais do que disposta a mudar de assunto. “Sua irmã e mãe não tem direito.” Ela piscou surpresa. “Obrigado por estar disposto a lutar minha batalha, Sr. Reid, mas alguém tão perfeito quanto você nunca teve de lidar com este tipo de tratamento. Você não compreende.” Ela não poderia culpá-lo, ele era perfeito e, muito provavelmente, assim como todos na sua família. “Como eles são? Sua família?” ela perguntou. “Além de algumas fotos na sua casa, não há praticamente nenhum sinal de que você sequer tem uma.” Alex encolheu os ombros e olhou para o seu relógio, seu rosto tornando-se ilegível. “Temo que seja uma história para outro momento.” Ele levantou e trouxe seus copos até a pia. “Está ficando tarde. Mas obrigado pela companhia, Jamie.” “Claro.” Ela levantou abruptamente, desconcertada pela sua atitude repentina ‘cai fora’. Foi ele quem lhe pediu para ficar e de repente era tarde? Ela estava prestes a ir embora, mas virou no último segundo. Frustração lhe deu uma falsa coragem. “Sei que nunca conversamos sobre aquela noite,” ela disse rapidamente. “E tenho certeza que você quer esquecer sobre ela. Apenas preciso — quero — saber se você realmente quis dizer o que disse.” Ela engoliu em seco, chocada que ela tinha dito as palavras em voz alta. “Sobre como eu a desejava e quão incrivelmente sexy você é?” Ele ergueu uma sobrancelha, sua voz baixa e sexy, ela enviou sensações quentes através do corpo dela. “Não é, uh, exatamente...” “Sem mencionar o quão incrível você é na cama?” Sua fachada calma derreteu para mostrar o tesão que ele estava realmente sentindo. Jamie ficou fraca dos joelhos e teve de estender a mão para segurar na bancada para evitar tropeçar. Os lindos olhos azuis de Alex nunca deixaram os dela. “Acredite-me, quis dizer cada palavra.” Sua respiração aumentou e ele endireitou-se para se recompor. “Jamie... Eu peço desculpas por aquela noite. O único relacionamento que posso ter com você é profissional e qualquer coisa a parte teria de ser sem vínculos. Não estou interessado em qualquer outra coisa. Espero que você saiba disto.” Decepção atingiu Jamie como uma bola de demolição. Ela virou assim Alex não veria as lágrimas se formando nos seus olhos. Ele poderia realmente não se importar com o seu peso, mas ele queria usá-la como uma vagabunda de escritório exatamente como Stephen. Apesar de como seu corpo estava reagindo ao homem ardente parado ao seu lado, ela definitivamente tinha um problema com isto. Ela engoliu em seco e assentiu. “Imaginei que seria o caso,” ela disse. “Isto torna as coisas mais fáceis para quando eu lhe digo que quero somente um relacionamento estritamente profissional


com você de agora em diante. Afinal, não foi por isto que você me contratou? Para não ser distraído?” “Jamie...” “Boa noite, Sr. Reid.” Jamie sorriu de maneira educada para ele. “Tenha uma excelente noite.” Ela foi embora antes que ele pudesse responder e virou-se para ir para o seu apartamento. Não foi até que ela entrou e trancou a porta que ela começou a chorar.


Capítulo 3 “Como está o computador novo?” Alex perguntou no dia seguinte, seu tom tendo um certo resguardarse nele, como se ele não quisesse que ela rosnasse para ele. “É bom,” Jamie respondeu enquanto sentava no escritório dele para examinar a programação da semana. Ela virou o organizador assim ele iria sincronizar com o dele. Eles precisavam manter as coisas seguras e distantes e ela iria provar para ele que esta era a melhor situação para ambos. Alex estava sentado atrás de uma mesa examinando uma pasta na frente dele. “Temos um monte de coisas para examinar antes da reunião com os investidores.” Ele franziu o cenho e colocou uma folha de papel de lado. “Preciso que você certifique-se que tudo esteja em ordem para que possamos conseguir o melhor acordo. Isto é o que vai conseguir com que os investidores negociem o projeto.” Ele fez um gesto para as pastas sobre a sua mesa, que deveriam ser a acompanhante deles. Estavam cheias de diferentes esboços para um novo programa de software de computador que fazia aperfeiçoamentos nos atuais modelos de programas de reconhecimento de voz. Houve uma batida educada na porta que conduzia para o lobby. “Entre,” Alex disse. Gina entrou, olhando para os dois com cautela. Jamie fez o seu melhor para parecer calma, indiferente e profissional. Gina continuava provocando Jamie que havia algo acontecendo entre ela e Alex. Durante os drinques na noite passada, ela tinha tentado convencer Jamie que Alex queria dormir com ela. Jamie tinha negado tudo isto. Isto não impediu Gina de agir como se ela fosse pegálos no ato. Isto nunca ia acontecer. Gina olhou para eles dois. “Sr. Reid, seu compromisso das três horas está aqui.” “Obrigado, Srta. Campbell.” Ele olhou para Jamie, sua própria expressão fria e indiferente. “Envie estes e-mails, Srta. Connors e se qualquer um destes documentos forem danificados, cabeças irão rolar.” Ele entregou para Jamie a pilha de pastas. “Mantenha isto no seu escritório até a reunião com os investidores.” “Sim, Sr. Reid,” Jamie disse. “Você gostaria que eu ficasse agora e tomasse notas para a reunião?” “Isto não será necessário.” Ele acenou a mão. “Espero que você converta tudo que eu gravar em um processador de texto.” Jamie assentiu e em seguida sorriu para Gina, que olhava cética para a troca entre ela e Alex. Ela deu um suspiro quando deixou o escritório de Alex. Ela sentou novamente na sua mesa e tomou alguns segundos para verificar seu telefone pessoal para quaisquer mensagens de Christine. Com o casamento se aproximando cada vez mais, Christine estava ficando cada vez mais tensa e exigente. Havia cinco mensagens de texto dela agora e Jamie somente tinha estado no escritório de Alex por vinte minutos. Pelo menos, ela achava que foram vinte minutos. Ela estava respondendo a última quando uma sombra caiu sobre sua mesa. “Desculpe-me, senhorita, Alex Reid está?” Ela deslizou o telefone na sua bolsa, embaraçada por se sentir como se ela tivesse sido pego fazendo algo que não deveria ao verificar seu telefone. Ela sentiu ficar boquiaberta quando viu um homem que parecia exatamente como uma versão mais velha de Alex sorrindo para ela. Ela reconheceu o irmão de Alex da foto na sala de estar de Alex, embora ele estivesse muito mais velho agora. O que ela não podia compreender era por que ele estava aqui agora.


“S-sim,” ela gaguejou. “Ele está no seu escritório neste momento. Você é seu compromisso das três horas?” Não era de admirar que Alex não precisasse dela no escritório para a reunião. Ela levantou e deu a volta na mesa. “Sou Jamie Connors, a assistente pessoal do Sr. Reid.” Ele apertou sua mão. “Sou o irmão dele, Mark.” Jamie assentiu. “Eu sei,” ela disse. “Q-quero dizer, vocês dois são muito parecidos. É isto. Hum...” Ela olhou para a porta do escritório e em seguida pegou o telefone para discar para a linha de Alex. Ela abaixou o telefone. “Estou surpresa que Gina não o acompanhou a partir do lobby. Posso deixá-lo entrar por aqui,” ela disse. “Não deverá ser um problema.” Mark ergueu uma sobrancelha. “Siga-me.” Jamie bateu de leve na porta de Alex antes de abri-la. Ela piscou surpresa quando Mark passou por ela e entrou no escritório de Alex antes dela. “Alex!” Jamie seguiu atrás dele, notando uma mulher extremamente atraente sentada na frente da mesa de Alex. Compromisso pessoal das três horas? Ou Mark era seu compromisso da três horas? Alex deu uma olhada no seu irmão e parou de falar. Ele olhou para Mark e suas mãos fecharam em punhos, amassando um maço de papéis nas suas mãos. “O que você está fazendo aqui?” Ele fez uma careta para Jamie. “Por que você o deixou entrar?” “Podemos conversar em particular?” Mark perguntou. “Não,” Alex levantou, “porque você está indo embora. Realmente não me importo porquê você está aqui. Apenas vá embora.” “Alex!” Mark colocou seus pés separados na largura do ombro e cruzou os braços sobre o peito. “Não vou embora. Sou seu irmão. Tenho o direito de conversar com você.” “Você não tem,” Alex disse, sua voz baixa e perigosa. “Dê o fora daqui. Ou irei chamar a segurança.” A mulher ainda sentada na frente da mesa de Alex começou a rabiscar furiosamente no seu bloco de notas. “Srta. Snatters?” “Hmmm?” a mulher disse sem olhar para cima. “Você pode, por favor, deixar isto fora dos registros?” Ele olhou para Mark e Jamie novamente. “Srta. Connors, faça com que Mark vá embora ou não somente farei com que a segurança o escolte para fora, você estará indo com ele.” Mark suspirou e virou para Jamie. “Não permitirei que você perca seu emprego por minha causa.” Ele voltou para o escritório de Jamie. Jamie acompanhou, sem saber o que dizer e chocada com quão zangado o rosto de Alex tinha ficado. “Dê-lhe isto, se você puder.” Mark colocou um pequeno envelope branco selado sobre a sua mesa. Jamie assentiu, incapaz de responder. Mark foi embora sem outra palavra, deixando Jamie olhando para o envelope por um minuto inteiro antes que Alex abrisse a porta e chamasse Jamie. Ela pegou o envelope com uma mão trêmula, sentindo os papéis grossos dobrados dentro dele queimar sua mão. Ela teria dado qualquer coisa para conhecer o conteúdo do envelope, mas sabia que iria cruzar uma linha que nunca poderia cruzar de volta se ela o abrisse. Ela jamais faria isto. Contudo, isto não a impediu de ficar curiosa. Alex bateu a porta atrás de Jamie e suspirou aliviado. Ou um suspiro para enrolar o suficiente para manter seu temperamento sob controle. A srta. Snatters já não estava mais no seu escritório. “Se


ele alguma vez ele vier aqui novamente, chame a segurança,” ele disse. “Não quero meu irmão ou qualquer outra pessoa da minha família aqui novamente, compreende?” Jamie mordeu o lábio e em seguida assentiu. “Ele me pediu para lhe dar isto.” Jamie entregou-lhe o envelope. Alex jogou o envelope sobre a mesa. “O que aconteceu entre você e sua família?” Ela cobriu a boca, chocada que ela sequer tinha dito as palavras em voz alta. “Isto não é da sua conta.” Ele olhava pelas janelas grandes para a vida citadina abaixo. “É uma história antiga.” “Mark parece... legal.” Ela não conseguia compreender a explosão de Alex. Ela estava envergonhada por ele. Ela tinha uma família maluca e ainda assim ela os amava. “Talvez você deveria tentar falar com ele. Poderia ajudar.” “Ninguém pode ajudar,” ele disse bruscamente. “Não para mudar o passado e certamente não para reconciliação, porque isto é impossível. Certifique-se que ninguém da minha família jamais venha aqui.” Ele girou ao redor. “Se alguma vez você mencionar qualquer coisa sobre a minha família novamente, pode encontrar para si um novo lugar para morar e um novo emprego. Fui claro, Srta. Connors?” Ele olhou para ela, seus olhos brilhando de raiva. Jamie queria fazer uma careta de volta para ele, mas finalmente concordou. “Sim, Sr. Reid,” ela disse automaticamente antes de virar e voltar para a sua mesa. Ela escondeu-se atrás da sua tela do computador, fingindo parecer ocupada, mas realmente tentando impedir que alguém visse quão frustrada e confusa ela estava com o confronto.


Capítulo 4 Alex não estava no escritório no dia seguinte. Quando Jamie verificou as mensagens do escritório, ele deixou uma abrupta para dizer que não estaria e para cuidar das coisas enquanto ele estivesse fora. Nenhuma explicação. Nenhum detalhe sobre quanto tempo. Nenhuma informação de contato. Nada. Ela administrou o dia, mas não houve nenhuma notícia dele no dia seguinte ou no outro. Jamie passou a maior parte do seu tempo cancelando compromissos e recebendo ligações para cobri-lo. Ele estava perdendo dinheiro, clientes e acordos. Não que isto provavelmente importasse com a sua empresa de bilhões de dólares mas mesmo assim, isto não parecia bom. E a julgar pelos olhares preocupados de Gina, isto não era normal. Ele não estava na sua casa também. Ela não notou seu carro, ou ele, na casa. Quando bateu na sua porta ninguém respondeu também. Ela tinha uma chave para a sua casa, mas não se atreveu a usá-la. Ela esbarrou com Murray uma manhã enquanto saia para trabalhar e ele mencionou que Alex tinha lhe pedido para continuar fazendo suas refeições, mas para esperar até que ele entrasse em contato com ele para quando ele precisaria de mais. Sexta-feira no almoço, Jamie conversou com Gina. Ela tentou parecer indiferente, “O Sr. Reid entrou em contato com você?” Gina balançou a cabeça. “Ele não está atendendo seu telefone também. Realmente não tenho tido notícias dele. O que está acontecendo? Ele disse algo para você?” “Apenas disse que ele estaria fora.” Ela olhou para o seu sanduíche, recusando-se a mencionar qualquer coisa sobre o irmão de Alex aparecendo ou os comentários pouco profissionais que ela tinha feito para ele. Ela era uma idiota por tentar fazer sugestões sobre ele e sua familia. Não era da sua conta. “É incrivelmente estranho.” Gina amassou seu guardanapo. “O trabalho é tudo para ele! Ele não perdeu um dia em todos os anos que tenho estado aqui. Inferno, ele veio quando estava vomitando.” “Não sei quando ele estará de volta. Ele não disse nada exceto para segurar os telefonemas e cancelar as reuniões.” Jamie encolheu os ombros e brincou com a sua salada. “Acho que algo está acontecendo com a sua família.” Gina inclinou-se mais perto dela. “Quero dizer, Mark esteve no escritório no outro dia e em seguida Alex desaparece?” Ela balançou a cabeça. “Não faz sentido.” O telefone de Jamie tocou com um lembrete. Ela verificou e engoliu em seco. “Seja o que for, espero que ele esteja no escritório quando voltarmos,” ela disse. “Ele agendou uma reunião com uma nova firma de grandes investidores dois meses atrás e é esta tarde. Ele irá perder mais de um milhão de dólares se ele não comparecer.” Gina empalideceu enquanto seus olhos arregalavam. “Merda! De maneira nenhuma Alex não irá aparecer para isto,” ela disse, soando como se estivesse tentando convencer a si mesma juntamente com Jamie. “Ele vive para fazer dinheiro. Nada iria impedi-lo de perder um acordo como este.” Elas beliscaram sua comida mais um pouco em silêncio. “Acho que irei voltar para o escritório.” Jamie jogou sua salada inacabada na lixeira. “Talvez você devesse telefonar para ele,” Gina disse. “Apenas para ter certeza.” Ela tinha telefonado várias vezes. Somente do telefone do escritório, não do seu celular pessoal. Ela o tirou para fora. “Irei tentar.”


Gina deixou seu garfo cair e ele tilintou no seu prato. “Irei tentar seu pager também.” Não importou. Alex não respondeu a nenhum dos dois. “Vou voltar para o escritório e me preparar.” Jamie vestiu seu casaco. Gina assentiu. “Continuarei tentando seu celular. Irei verificar e ver se alguém no escritório teve notícias dele, sem levantar qualquer alarme. Prometo. Não farei com que os empregados se preocupem.” Jamie assentiu. “Ok.” Ela tirou seu cabelo do coque no alto da sua cabeça e soltou um suspiro trêmulo. Isto era uma reunião muito importante para cancelar. “É melhor eu me preparar para salvar a bunda de Alex.” Uma hora e quinze minutos depois Jamie respirou fundo para acalmar-se. Gina tinha acomodado os investidores na sala de conferência e ainda não havia sinal de Alex. Vou ter de assumir. Merda! Ela tinha repassado a situação milhares de vezes com todas as estatísticas e fatos memorizados. Claro, ela tinha examinado isto para ajudar Alex aperfeiçoá-lo na época, não para si mesmo, mas isto dificilmente importava agora. Ela não poderia estragar esta reunião. Ela verificou sua aparência no espelho, certificando-se que não houvesse uma ruga na sua blusa ou um fio de cabelo fora do lugar antes de dirigir-se para a sala de conferência. Dez homens em ternos de mil dólares estavam sentados ao redor da mesa, parecendo infelizes e impacientes. Todos eles eram homens como Alex, eles não estavam acostumados a esperar. Enquanto caminhava ao redor da comprida mesa de conferência, ela obrigou-se a parecer calma e indiferente. Definitivamente, eles não estavam em um clima de investimento e era seu trabalho mudar isto. Ela sorriu de maneira agradável para eles, reunindo toda a autoridade e refinamento que ela poderia. “Cavalheiros. Sejam bem-vindos.”

Três horas mais tarde, Jamie caminhava ao redor do seu apartamento tentando acalmar seus nervos trêmulos com um copo de uísque e gelo. Não estava ajudando. Ela odiava falar em público, mas com tanto em risco, ela não teve escolha hoje. Agora tudo que ela queria fazer era esconder-se no seu quarto e ficar bêbada. Realmente bêbada. Ela chutou os sapatos para fora e em seguida puxou a saia para baixo, arremessando-a com força na parede. “Seu idiota!” ela gritou para o quarto vazio. Outro gole do líquido ardente e ela abriu o primeiro botão da sua blusa. Ela tinha conseguido superar a reunião e tomara convencido os investidores a permanecer com Alex. Se eles não permanecessem, não era sua culpa. Não era ela quem tinha fugido e se escondido. Ela os tinha enfrentado de cabeça erguida e arrassado, certo? Uma batida na porta respondeu sua pergunta. Ela girou e marchou na direção dela, forçando um sorriso nos seus lábios. Murray tinha esbarrado com ela quando ela chegou em casa do trabalho, completamente exausta da reunião e do dia impossível. Provavelmente ele estava dando uma checada nela. “Estou bem, Murray,” ela gritou, estendendo a mão para a maçaneta e esquecendo que ela estava somente com a sua blusa. Ela olhou para baixo em pânico e abriu apenas uma fresta da porta para aparecer somente a sua cabeça para fora. “Estou be...” As palavras morreram nos seus lábios quando ela localizou Alex no outro lado. Seu sorriso desapareceu. “Você!” Irritada, ela abriu a porta e cutucou-o no peito, duro. “Onde diabos você tem estado?” Ela deu um passo para frente e cutucou seu peitoral musculoso novamente. “Eu estava preocupada com você. Gina estava preocupada com você! Você tinha uma maldita reunião importante hoje e sua bunda não estava em nenhum lugar para ser encontrada. Você percebe...”


“Eu sei,” Alex a interrompeu, seus olhos percorrendo para baixo e em seguida lentamente para cima. Ele engoliu em seco antes de encontrar seus olhos furiosos. “Posso entrar?” “Você tem algumas explicações sérias para dar,” Jamie resmungou. Ela cruzou os braços sobre o peito e marchou de volta para o seu apartamento. Alex olhou ao redor do apartamento com um sorriso afetado. “Alguém iria pensar que você se mudou ontem,” ele brincou. “Você não tem absolutamente nenhuma decoração aqui” “Não recebo convidados então isto nunca foi um problema.” Jamie virou a mão e marchou até a bancada para terminar seu uísque ridiculamente caro que tinha gosto de merda. Ela serviu-se de outro copo, propositalmente não oferecendo um para Alex. “Venho aqui para dormir. Não importa como as paredes parecem quando estou roncando.” Ela balançou a cabeça e apontou um dedo para ele. “Você está redirecionando. Onde você tem estado?” Alex sentou-se no seu sofá. “Eu precisava escapar por alguns dias,” ele disse simplesmente enquanto estendia o braço sobre o encosto do sofá e cruzava um tornozelo sobre o joelho. “Resolver algumas coisas. Fui para os Hamptons.” O maldito Hamptons? Sério? “Por que você não disse para ninguém?” Jamie caminhou até a geladeira e pegou mais dois cubos de gelo para a sua bebida. “Você poderia ter sido assassinado por tudo que eu ... nós ... sabíamos.” “Sinto muito,” ele disse, tentando não sorrir enquanto a observava. Jamie podia ver os cantos da sua boca contraindo e isto a enfureceu. “Foi injusto da minha parte. Eu apenas...” “Precisava escapar. Eu sei.” Jamie absorveu a aparência de Alex e percebeu pela primeira vez que ela não estava imaculada. Ele cheirava a perfume e havia uma mancha de batom muito nítida no seu colarinho. Raiva tomou conta dela novamente. “Com uma garota, aparentemente,” ela disse bruscamente. Alex teve a graça de parecer envergonhado. “Isto não é da sua conta.” Ele suspirou. “Eu precisava de um pouco de ... companhia.” “Sim, isto é evidente.” Jamie engoliu um gole grande da sua bebida, ela queimou algo feroz enquanto corria pela sua garganta. Ela se recusou a tossir. “Você fede a perfume barato. Então, a não ser que você tenha o hábito de se tranvestir, é da minha conta quando você entra no meu apartamento.” “Você não tem nenhum direito de estar chateado comigo sobre querer um pouco ... um pouco de companhia,” Alex disse bruscamente. Companhia? Que diabos? Estamos vivendo no século XIX? “Não me importo! Transe com alguma oportunista, Alex. Transe com dez delas, eu não me importo!” Seu rosto aqueceu. “Mas eu realmente me importo quando você some e não se dá ao trabalho de atender aos telefonemas. Não sou dona de uma empresa de um bilhão de dólares, mas você pode beijar minha bunda se acha que me deixar responsável por ela não vai ter nenhum efeito catastrófico.!” Tome isto idiota! “Então ajudeme, se você me demitir porque...” “Seu emprego nunca esteve em perigo, Jamie,” Alex a interrompeu e sorriu levemente para ela, mas isto nunca chegou perto de alcançar seus olhos. “Assumo total responsabilidade pela reunião sendo um fracasso.” Jamie ergueu uma sobrancelha. “Você acha que isto foi tão ruim?” “Eles são sempre vendas difíceis, Jamie. Não seja muito dura consigo mesma. Sequer tenho certeza se eu poderia ter conseguido o milhão.” “Você realmente não acha que poderia ter conseguido?” Isto a fez se sentir melhor que até mesmo ele não tinha certeza se poderia selar o acordo. Espere... ele acabou dizer um milhão. Ela tomou


outro gole da sua bebida. Ela se sentitu tonta. Talvez a bebida estivesse começando a atingi-la. De repente, ela queria dar uma risadinha. “Não.” Ele balançou a cabeça e suspirou, de repente parecendo exausto. “Iremos simplesmente conseguir mais investidores. Está tudo bem.” “Vamos precisar de mais investidores?” “Inferno sim. Nossos clientes deixaram claro que eles queriam, pelo menos, um milhão de dólares em investidores, não meu dinheiro, se eles se comprometem. Você não conseguiu um milhão de dólares, não é?” “Não,” Jamie admitiu e abaixou a cabeça. Ela rapidamente a moveu de volta para cima e sorriu. “Consegui dois.” Por um segundo ele olhou para ela, confuso e em seguida seu rosto abriu em um sorriso. “Você conseguiu dois milhões?” Jamie assentiu, sentindo-se tonta pela bebida. Ela inclinou-se para trás contra a bancada. “Posso ser muito persuasiva.” Ela riu. Ele a observava com as sobrancelhas erguidas, seus olhos vagando por ela avidamente. “Você acertou.” Ela olhou para baixo e de repente endireitou-se. Ela tinha estado tão zangada que esqueceu que tudo que ela estava usando era somente sua blusa branca e calcinha preta. Ela caminhou para trás da bancada, tentando se esconder e fazer parecer que ela tinha planejado isto. Ela pegou um copo de cristal para ele e serviu-lhe uma bebida. Ele levantou e caminhou até ela, permanecendo no outro lado da bancada enquanto pegava seu copo e o levantava. “Você é a melhor assistente pessoal que eu já tive.” “Sou a única assistente pessoal que você já teve.” Ela riu. Ele tomou um gole e fez um barulho de apreciação na parte de trás da garganta. “Mesmo se eu tivesse tido uma centena de assistentes pessoais, você ainda seria a minha favorita.” Jamie sorriu. “Você tem sorte que eu não quero um aumento, Sr. Reid.” “Você merece um aumento depois desta semana,” Alex murmurou. “Sequer sei como posso lhe agradecer.” Seus olhos pareciam dizer que ele conhecia algumas maneiras, mas não ia mencioná-las em voz alta. “Você deveria esperar até voltar ao trabalho antes de começar a tomar decisões,” ela disse. “Uma boa reunião não significa que sua empresa não perdeu dinheiro quando você esteve fora. Houve muitas coisas que deram errado e tenho certeza que há algumas que somente você pode consertar.” Ela balançou a cabeça. “Honestamente, pensei que tudo ia desmoronar enquanto você estava fora. Você pensaria que isto poderia funcionar de alguma maneira quando o chefe está longe.” “Não vejo por que iria,” Alex disse, seu olhar olhando para o seu colo. “Afinal, raramente estou longe do escritório.” Jamie ergueu uma sobrancelha. “Você nunca tira férias?” Seu rosto aqueceu enquanto seus olhos criavam uma queimaçao na sua barriga muito melhor do que o uísque. Ele balançou a cabeça lentamente. “Nunca senti necessidade. Amo meu trabalho.” “Claro, mas você deve ficar cansado.” Ela engoliu em seco. Alex balançou a cabeça. “Em absoluto.” Jamie impediu-se de lembrar-lhe que ele teve de contratar uma assistente pessoal porque ele não poderia mais lidar com tudo isto sozinho. “Bem, isto é impressionante.” Ela contornou a bancada. “Desculpe-me por um momento.” Ela correu para o quarto e pegou a calça do seu pijama de algodão


ao pé da cama. Ela não poderia continuar esta conversa sem uma calça. Fale sobre ser pouco profissional! Ela retornou. “Sinto muito.” Ela sabia que estava corando algo feroz, todo seu rosto, até mesmo as orelhas, pareciam que estava queimando. Ela correu ao redor do sofá e seu pé ficou preso na barra da calça do seu pijama. Ela tropeçou outro passo antes de bater no chão. Seu braço ficou preso na quina da mesa de canto, imediatamente doendo. Merda! Ele vai achar que estou caindo por ele. “Você está bem?” Alex estendeu a mão para ajudá-la a levantar. “Sim. Apenas tropecei. Pés idiotas.” Enquanto ele a puxava para cima, o pé de Jamie ficou enroscado novamente na sua calça e muito para a sua mortificação ela a sentiu escorregar para baixo ao redor da parte superior das suas coxas. Simplesmente perfeito! Ela afastou-se dele e rapidamente puxou sua calça para cima. “Sinto muito sobre isto.” Ela riu nervosa. “Realmente estou desastrada hoje à noite por algum motivo.” Provavelmente porque eu diminui dois números e ainda não fui fazer compras. Não tem nada a ver com dois copos e meio de uísque. Não muito acima do meu limite realmente. “Você não precisa se desculpar, Jamie,” a voz de Alex estava grossa com desejo. Ele pigarreou. “Como está seu braço?” Jamie olhou para o seu antebraço e percebeu que ela o tinha cortado e ele estava sangrando. Doeu quando ela percebeu que tinha feito isto, mas iria morrer antes de admiti-lo para Alex. “Está tudo bem,” ela disse. “Quase não dói.” “Parece bastante ruim.” Ele levantou e estendeu a mão para ela. “Sente-se no sofá. É melhor limpá-lo antes de colocarmos um curativo sobre ele.” “Não tenho um kit de primeiros socorros,” Jamie murmurou. “Estou bem, realmente. Apenas me jogue um pano de prato.” “Esta é a vantagem de sermos vizinhos.” Alex sorriu, irônico. “Eu tenho.” Ele tirou o celular do bolso e digitou algumas coisas rapidamente antes de guardá-lo novamente. “Murray está a caminho com ele agora.” “Está tudo bem, sério.” Jamie se perguntou se suas palavras foram pronunciadas de maneira indistinta. “Você não deveria ter perturbado Murray.” “Bem, já mandei uma mensagem de texto para ele.” Alex serviu mais uísque no seu copo meio vazio. “Você não quer que eu mande uma mensagem para ele e diga-lhe que ele se deu ao trabalho de encontrar o kit para nada, não é?” Jamie mordeu o lábio, isto dóia como um filho de uma boa senhora. Ela realmente odiou incomodar Murray. “Eu lhe disse que estava tudo bem,” ela repetiu. “Jamie, você está com dor. Isto é óbvio. E eu não quero isto.” Sua fachada profissional desapareceu para mostrar a fome embaixo. Contudo, no piscar de um olho, ela estava de volta no lugar. “Preciso de você realmente bem durante o trabalho.” “É claro.” Jamie desejou que ela pudesse controlar a sua própria expressão facial tão bem quanto Alex controlava a dele. Ela tinha certeza que sua atração por ele estava tão clara quanto o dia neste momento. Idiota, ele saiu com outra mulher. Ele já superou você, se ele ainda tinha quaisquer sentimentos por você me primeiro lugar. Ele sequer precisava superá-la, não havia nada para superar. Quando você vai aprender? Jamie cerrou sua mandíbula. Ela deveria saber melhor do que se apaixonar pelo chefe quando as coisas estavam oficialmente terminadas entre os dois. Alex entregou-lhe um copo e um pano de prato antes de sentar na frente dela. “Não quero me intrometer em nada, mas posso lhe perguntar algo pessoal?”


Ela assentiu e tomou um gole rápido da sua bebida para tentar acalmar as súbitas borboletas golpeando a sua barriga. “É possível que você esteja um pouco mais desastrada porque perdeu peso e agora está usando um manequim grande demais?” Jamie corou. Esta era a sua pergunta pessoal? Isto era tão óbvio? Ela deveria se ofender com ele por lhe perguntar uma coisa como esta, mas ele não parecia estar zombando ou provocando de qualquer maneira. Ele apenas parecia preocupado. O que a fez se sentir mal sobre si mesma, sem a capacidade de ficar zangada com ele. “Apenas não tenho tido tempo para ir fazer compras. Foi uma semana um pouco movimentada.” Ela estremeceu, odiando que ela estivesse tentando fazer isto soar como se fosse culpa dele que ela não tivesse ido. “Que tal amanhã eu levá-la para fazer compras?” Alex sorriu, como se ele estivesse satisfeito consigo mesmo. “Durante o almoço. Você pode comprar qualquer coisa que quiser e irei pagar por tudo isto.” “Esta é uma oferta muito generosa, mas dificilmente apropriada para um chefe e uma assistente pessoal,” Jamie disse. “Além disso, sua nova namorada não ficaria irritada com você levando outra mulher para fazer compras?” Embora tudo que ele tem de fazer é mostrar-lhe uma foto minha e garantir para sua bunda magra manequim 38 que ele não namora por piedade. Merda! Estou bêbada. Ela colocou a mão sobre a boca, recusando-se a deixar mais qualquer coisa idiota sair dela. “Estava nos Hamptons com uma amiga íntima,” Alex disse. “Na verdade, você encontrou com ela rapidamente quando esbarrei com você no seu aniversário. Você se lembra de Annette?” Oh menino, eu me lembro. “Este batom no seu colarinho diz mais do que amigos.” Jamie bateu a mão sobre a boca. Alex riu. “Touché.” “Acredite em mim: ela iria se importar se você me levasse para fazer compras. Além disso, nós não precisamos de mais boatos sendo espalhados pelo escritório sobre quão íntimos nós somos.” Um brilho perigoso cintilou nos olhos de Alex. “Acredite-me, não haverá mais nenhum boato espalhado sobre o nosso relacionamento. Quanto a Annette, sei que ela não irá se importar. Ela já voltou para Nova Jersey e em um encontro com outro amigo com benefícios neste momento.” Ele ergueu uma sobrancelha para ela e em seguida recostou-se na sua cadeira e sorriu para ela, triunfante. “É completamente apropriado levar sua assistente pessoal para fazer compras quando é relacionado ao trabalho.” Seu sorriso ampliou. “Afinal, você vai precisar de roupas adequadas para combinar com as novas responsabilidades que você tem na empresa.” “Novas responsibilidades?” “Sim,” ele assentiu. “Acredito que eu a tenha subestimado e planejo corrigir isto o mais rápido possível. Não se preocupa, Srta. Connors, você irá receber um aumento de salário também. Um muito justo. Depois do brunch de negócios que estou oferecendo em alguns dias, começaremos a planejar. Acho que sua agenda mostrava que você tem planos com a sua irmã.” Ele checou seu iPhone. “Sim. Você está ocupada, mas ainda há um aumento de salário no seu futuro.” Jamie sorriu e recostou-se no sofá. Ela estremeceu quando seu corte pressionou contra o pano de prato. Por mais que ela gostasse do som de um aumento de salário, foi o elogio que ela realmente gostou. Ela falou quando uma batida na porta avisou-lhes que Murray tinha trazido o kit de primeiros socorros. “Parece bom, Sr. Reid. Acredito que você possa me levar para fazer compras então.” Ele fez um gesto para ela permanecer sentada enquanto ele levantava para atender a porta. “Não vamos tê-la caindo de novo.” Ela assentiu e apreciou a visão enquanto ele se afastava.


Ele falou baixinho na porta com Murray e em seguida agradeceu-lhe antes de fechar a porta. Ele voltou um momento depois e ajoelhou-se na frente de Jamie. Ela sorriu e percebeu que estava bêbada. Havia dois chefes maravilhosamente sensuais na frente dela. Não seria divertido levar os dois para a cama? Um para a sua boca, um para sua ... ela deu uma risadinha com a imagem na sua cabeça. “Algo engraçado?” Alex perguntou enquanto estendia a mão para o pano de prato. Ela moveu seu braço um pouco para a direita e, dando risadinhas novamente, ela o levantou para longe dele, fazendo círculos bobos ao redor da mão dele. “Pegue-me, se puder,” ela cantarolou. Ele pegou facilmente seu pulso e inclinou-se para frente, trazendo sua boca para a parte sensível da sua pele onde seu coração batia. Seu hálito quente provocou seu antebraço enquanto seus lábios se entreabriam e sua língua movia-se rapidamente sobre a sua veia. Sua respiração ficou presa. Foi simplesmente a ação mais sensual que ela já tinha experimentado. Se ele olhasse para ela uma vez com aqueles olhos sensuais, ela estava frita. Ela estava disposta a lidar com as repercussões na parte da manhã. Alex virou seu pulso e Jamie o imaginou fazendo isto com ela sobre o sofá. Seu pulso acelerou e um gemido suave e vaporoso escapou. Ela observou seu pomo de Adão enquanto ele engolia em seco e depois inclinava a cabeça para cuidar do seu corte. “Não é tão profundo. Apenas comprido,” ele sussurrou e abriu o kit de primeiros socorros com a mão esquerda. Ele colocou a mão dela sobre o seu joelho assim ele poderia tirar os itens do kit. Jamie o observava, incapaz de falar. Tudo que ela conseguiu fazer foi acenar com a cabeça, sua boca ligeiramente aberta. Alex abriu um pacote de gaze e deu batidinhas em cima do corte e em seguida limpou o sangue. Ele pegou outro pedaço e acrescentou Neosporin nele. “Assim não irá infectar,” ele murmurou. Examinando os Band-Aids, ele encontrou dois mais compridos e colocou-os com cuidado sobre a sua pele. Nem uma vez ele olhou no seu rosto. Ela não se importava; isto lhe deu a coragem para olhar descaradamente para ele. “Obrigada.” Ela foi mover a mão, mas ele a agarrou. “Mais uma coisa,” ele disse enquanto enfiava a mão no copo e tirava um cubo de gelo. Ele o passou ao longo da sua pele antes de usar a toalha para limpar a água derretida. Jamie tremeu e estremeceu de prazer. Ela jurou que se ele passasse o cubo na sua carne mais uma vez ela teria um orgasmo sem ele sequer estender a mão para a sua calcinha, que provavelmente estava mais molhada do que o cubo de gelo sobre a sua pele. Alex limpou gentilmente mais uma vez e jogou o pano na direção do banheiro, ele aterrissou perfeitamente no lado de dentro da porta. Jamie observava e lentamente trouxe seu olhar de volta para ele. Pareceu que o tempo parou, apenas por um momento. Ela era apenas uma garota e ele era, bem, definitivamente não era apenas um menino, mas um homem. Não havia cargos, nenhuma insegurança, nenhuma restrição, nenhuma pressão, nada, apenas eles. Os olhos azuis de Alex moviam-se para frente e para trás enquanto ele olhava para os seus olhos. Havia manchas minúsculas de castanho dentro do azul, difícil de ver a não ser que você estivesse tão perto. Ele não se moveu. As coxas de Jamie tremeram. Toque-me, por favor! Ela ia explodir se ele não tocasse ou iria se ele tocasse. Os segundos passavam. Ela se recusava a deixar seu olhar cair e nem ele deixou, mesmo quando ela passou a língua ao longo do seu lábio inferior e em seguida seus dentes o morderam. Ela engoliu em seco e autoomaticamente pressionou os lábios juntos.


A cabeça de Alex inclinou para frente e seus cílios abaixaram lentamente. Mesmo assim ele a observava através da espessura e seus lábios tocaram os dela. Quase. Poderia ter sido o vento. Ela jurou que sentiu a ligeira aspereza da barba em crescimento sobre o seu lábio, mas ela poderia ter imaginado isto. Ela podia sentir o cheiro da sua colônia misturado com o perfume das senhoras profundo nas suas narinas, ela podia quase saboreá-lo. Ela fechou os olhos e esperou que seus labios exigissem e consumissem os dela. Só que eles não fizeram isto. O clique do kit de primeiros socorros fechando a fez piscar enquanto ela abria os olhos. “Eu deveria voltar para a minha casa,” Alex disse enquanto pigarreava. “Estou precisando desesperadamente de um banho.” Irei me juntar a você. O momento tinha passado. Nunca para ser sentido novamente. Jamie levantou com um salto e afastou-se dele. “Sim, provavelmente isto é uma boa ideia.” Ela levantou o braço. “Obrigado pelo reparo, chefe.” Ele assentiu e levantou. “Sem problema. Obrigado por, uh, me cobrir esta semana. Não acontecerá novamente.” Qual parte? O ir embora ou deixá-la quente e ofegante? “Parece como um plano.” Alex caminhou até a porta e hesitou pouco antes de abri-la. “Estamos bem?” ele perguntou, a incerteza na sua voz nítida. Ele precisava dela como sua assistente pessoal, não como um caso de uma noite ou uma namorada. Ela compreendia isto nitidamente agora. “Estamos bem.” Ela forçou um sorriso. “Vejo você de manhã no escritório.” “Definitivamente.” Ele saiu, somente para enfiar a cabeça para dentro uma fração de segundo depois. “Não se esqueça que vamos fazer compras.” Ele olhou para baixo. “Sinto muito, pijamas não estarão incluídos.” Ele riu e fechou rapidamente a porta antes que o travesseiro que ela arremessou o atingisse. A ideia de comprar roupas para dormir com Alex era um sonho que a deixou agitada e ofegando muito tempo depois que ela foi para a cama.


Capítulo 5 Jamie suspirou de maneira contemplativa enquanto olhava para as roupas novas que Alex tinha comprado para ela. Ela não fazia ideia do quanto ele tinha gasto. Ele não iria permitir que ela olhasse as etiquetas de preço enquanto eles faziam compras. Em troca, ela se recusou a permitir que ele comprasse para ela roupas que não fossem relacionadas ao trabalho, contudo ele tentou uma vez durante a maratona de compars. Ela acabou com ternos novos, blusas de seda e alguns vestidos próprios para o trabalho que a fizeram parecer como se ela mesma fosse uma CEO e não apenas uma assistente pessoal. Ele lhe disse que queria que ela parecesse como se tivesse poder e parecesse bem ao mesmo tempo. Ele ia tê-la participando em mais reuniões de negócios e talvez até mesmo entretendo algumas das esposas dos clientes, se ela estivesse interessada, enquanto seus maridos estavam em reuniões de negociações. “Minha única condição é que eu peço para aprovar as roupas que você usa,” ele disse. “A última coisa que eu preciso é você parecendo tão sexy que os homens estarão mais concentrados em você do que nas negociações ou que as esposas fiquem com ciúmes.” Como se houvesse alguma roupa que poderia fazê-la parecer sexy. Contudo, ela apreciou o elogio. Ele tinha sido completamente formal na manhã seguinte depois do beijo imaginário e ela apreciou isto. Ele tinha perguntado sobre o corte e foi isto. Como ela conseguiu acordar sem uma ressaca... Ela imaginou que fosse os hormônios correndo através do seu corpo, que provavelmente absorveu o álcool, já que eles não conseguiram o que queriam. Ela olhou para as horas e praguejou. Ela deveria encontrar Christine para examinar o plano de mesas do casamento e ela estava atrasada. Ela pegou um jeans velho e uma camiseta e vestiu, apertando o cinto até o último orifício para fazer sua calça ficar no lugar. Ela calçou uns chinelos e jogou o cabelo em um rabo de cavalo antes de fazer um shake de proteína para o café da manhã. Era uma coisa boa que ela tinha pensado em escolher alguns no dia anterior porque de maneira nenhuma ela tinha tempo, naquela manhã, para um café da manhã de verdade. Alex tinha insistido que ela tirasse o dia de folga e então Christine tinha insistido que elas se encontrassem ao romper do dia para um dia inteiro de organização do casamento. Honestamente ela não tinha certeza o que havia mais para fazer. Parecia que planejar um casamento simplesmente continuava para sempre. Graças a Deus pelo café. Jamie colocou seu shake de café da manhã em um copo plástico transparente para viagem e pegou algum dinheiro para uma corrida rápida para café no caminho para a casa da sua irmã. Ela preparouse para um dia longo e terrível enquanto entrava no carro. Embora elas fossem apenas ficar no apartamento de Christine e Stephen o dia inteiro, Christine cumprimentou Jamie com uma blusa de grife e uma calça preta elegante, firmemente prensada. Seu cabelo estava em um coque perfeito e ela usava um toque de batom também. Jamie quase revirou os olhos. Cinderela tinha vindo mal-vestida para o baile, de novo. “Você está atrasada,” Christine reclamou, deixando-a entrar. “Mas acho que irei administrar.” Ela suspirou de maneira dramatica e em seguida olhou para Jamie com um olhar critíco, olhando para o shake de café da manhã com desgosto. “Honestamente, Jamie, você poderia pelo menos tentar seguir uma dieta,” Christine disse, arrebatando o shake das mãos de Jamie. “Milkshakes na parte da manhã? O que você está pensando?” “É um shake de proteína,” Jamie disse, mas Christine já estava caminhando para a cozinha e derramando o líquido na pia. Ela olhou ao redor, aliviada por não ver Stephen.


“Oh, por favor,” Christine disse, colocando o copo vazio sobre o aparador. “Conheço você, Jamie. Você não beberia algo saudável se sua vida dependesse disto. O que ela depende, se você pensar sobre isto.” O estômago de Jamie roncou. Ela só tinha bebido alguns goles do shake no caminho até lá e ela sabia que não iria demorar muito antes que ela estivesse faminta. Ela tomou seu café lentamente, esperando que ele iria saciá-la. Sua irmã tinha o seu melhor interesse em essência e estava mais do que nervosa por um casamento que não deveria acontecer. Seu futuro marido era um idiota. “O que você quer fazer primeiro?” ela perguntou, sentando no sofá de couro preto e examinando o seu antigo apartamento. Ao contrário do estilo vibrante que ela tinha tomado com o apartamento, com sofás de brechos e obras de arte de artistas locais, Christine e Stephen o tinham decorado em um estilo pseudo intelectual. A TV estava escondida em um armário de madeira escura e estantes revestiam as paredes com livros encadernados em couro. Impressões de pinturas famosas penduradas nas paredes e havia uma lareira falsa em um lado da sala onde as chamas estavam dançando e projetando padrões sobre a mesa de centro de mogno no meio da sala. Isto faria qualquer um parecer inteligente e educado até que você olhasse para os livros e percebesse que nenhuma das encadernações jamais tinha sido tricadas. Christine passava mais do seu tempo ruminando através de porcaria de revistas do que qualquer outra coisa e Stephen assistia esportes no seu tempo livre. A decoração deles parecia tão falsa quanto as suas personalidades. Jamie repreendeu-se por pensar assim. Não era sua vida ou seu lugar julgar. “Acho que deveríamos examinar o plano de mesas,” Christine disse, colocando uma pasta sobre a mesa de centro como se isto fosse uma reunião de negócios. “Não sei quem sentar com quem. Além disso, vai parecer engraçado na mesa principal com apenas um padrinho. Então, imaginei que iria colocar a maior parte do grupo do casamento junto. Todo mundo que se adequar.” Ela esperou um momento, propositalmente lembrando Jamie que ela não ia fazer sua parte como dama de honra, e portanto, tinha sido obrigada a renunciar. “Não vamos nos concentrar em mim, que tal apenas nos concentrar no plano das mesas?” Jamie obrigou-se a sorrir, sabendo exatametne o que sua irmã estava pensando. “O que você disser, garota milkshake.” Christine deu um sorriso afetado e em seguida puxou o diagrama do plano das mesas. Ela tinha escrito à lápis o nome de Jamie em uma mesa bem no canto, não na mesa principal onde o grupo do casamento ia comer. Ela escreveu grande o suficiente para que o nome de Jamie ocupasse dois assentos. Jamie reprimiu sua raiva. A mesa das crianças? Sério? Neste momento Stephen saiu do quarto no corredor, parecendo tão impecável e rigidamente vestido quanto Christine. Ele usava um terno de mil dólares com o paletó, gravata. “Você fez café, Christine?” “Está no bule, querido, tudo fresco e pronto.” Christine deu-lhe o seu sorriso mais doce. “Obrigada, querida.” Ele olhou para cima com um sorriso para as duas, mas seu sorriso desapareceu quando a atenção de Christine voltou para a lista de convidados. Ele olhou para Jamie. “Estarei no meu quarto se você precisar de mim, Christine.” “Ok, querido,” ela disse. Tão logo ele foi embora ela virou para Jamie com um olhar penetrante. “Que diabos você fez com ele?” ela sibilou. “Eu nunca o vi parecer tão desconfortável na minha vida.” “Não fiz nada!” Jamie disse de maneira defensiva. E ela não tinha. Além de estar no lugar errado, na hora errada, ela era a vítima. Ela endireitou-se. Não sou uma maldita vítima! Ele poderia ter a


decência de desculpar-se ou agir humilhado pelas suas ações. Com certeza, ele não tinha estado envergonhado quando começou a transar com sua irmã. Ela não tinha certeza porque ele estava diferente agora. “Bem, seja o que for, você tem de se desculpar com ele,” Christine disse. “Não posso ter minha dama de honra irritando meu noivo agora, não é?” “Eu não fiz nada, eu juro!” Ela era a dama de honra de Christine novamente? Ela achava que tinha sido rebaixada. Ela quase deu uma risadinha, só que a ideia de Christine lhe dizendo para desculparse com Stephen a irritava muito. Christine sorriu de maneira indulgente. “Tenho certeza que seja qual for a coisa vulgar ou não civilizada que você fez, você achou que era perfeitamente normal, Jamie. Mas isto não significa que o resto de nós, que tem bom gosto, pensa que agir como um bárbaro é aceitável em qualquer ocasião.” Jamie fechou os olhos e contou até dez. “Eu não fiz nada,” ela disse, cerrando os dentes. “Não tenho nada que me desculpar. E não fale comigo assim. Sou sua irmã” “Não me importa o que você acha que tem feito,” Christine disse. “Obviamente você fez algo e eu não posso tê-la bagunçando meu casamento. Então desculpe-se com meu noivo... ou...ou...” “Ou o que? Você vai me derrubar da estimada posição novamente?” Jamie cobriu a boca em surpresa. Ela sabia melhor do que zombar da sua irmã. Presas e garras saiam quando você fazia isto. Christine franziu o cenho enquanto seu rosto queimava em vermelho. “Sua cadela gorda idiota! Você acha que é melhor do que todo mundo, não é? Se você ferrou as coisas, você se desculpa.” De repente, meses de raiva e ressentimento ferveram em Jamie e ela não conseguiu forçá-los permanecer para baixo. “Sou idiota?!” ela gritou.. “Não quero ser a sua dama de honra idiota, de qualquer maneira! Seu futuro marido é um imbecil! Você é muito imprudente para vê-lo! Deixe Scarlet apreciar seus telefonemas mal-humorados constantes e ataques de nervos idiotas porque eu cansei! Cansei!” Ela queria vociferar sobre Stephen e seus modos imbecis também, mas conseguiu morder a língua. Ela precisava de comida. Ela precisava de uma irmã ao seu lado. Bem, fodam-se todos eles! “Bom! Eu disse para mãe que você não iria conseguir!” Christine disse bruscamente. “Você tem sorte que estou realmente deixando você ao meu casamento, sua cadela ciumenta ingrata!” “Ciumenta?” Jamie cuspiu de volta, sem acreditar que sua irmã achava que ela estava com ciúmes. “Do meu marido!” Christine cutucou o próprio peito. “Você gostaria que ainda estivesse com ele!” “Não, eu não gostaria.” Ela balançou a cabeça. “Nunca em um milhão de anos.” Christine já não estava mais ouvindo. “Eu nunca quis que você estivesse na festa de casamento para começar, especialmente quando está tão claro que você sequer me ama o suficiente para corrigir este seu problema idiota de peso. É realmente demais pedir que você pare de acumular para o apocalipse no seu maldito corpo? Honestamente, Jamie, porque eu iria querer uma baleia gorda como você arruinando as minhas fotos de casamento?" “Você é uma cadela!” As lágrimas ardiam nos olhos de Jamie enquanto ela levantava. “Vá embora!” Christine gritou. “Estou contente que não tenho de lidar com o seu casamento de merda mais, Christine,” Jamie disse baixinho. “Você e Stephen realmente se merecem. Você não faz ideia.” Ela marchou até a porta e fechou-a com violência com Christine gritando mais obscenidades para ela.


Capítulo 6 Jamie esperou até que ela entrasse no carro antes que ela permitisse as lágrimas caírem. Ela não tinha tido a intenção de gritar com a sua irmã assim. Tudo tinha simplesmente fervido e fervido e finalmente transbordado. Era como a missão na vida de Christine fazer a sua irmã mais velha sentir como se ela fosse nada. Ela tinha estado tentando perder peso e isto estava funcionando. Ela tinha todo um guarda-roupa novo para prová-lo! De maneira nenhuma ela estava com ciúmes de Christine casando com Stephen. Ou talvez ela estivesse. Não de Stephen, mas o fato que sua irmã mais nova ia se casar antes dela. “O casamento não irá durar, de qualquer maneira,” ela disse para si mesma e em seguida sentiu-se um lixo por tentar condená-lo antes que eles sequer tivessem dito ‘Sim’. Contudo, por mais que os comentários de Christine doessem, ela tinha de admitir que a sensação de alívio levantando do seu peito não poderia ser ignorada. Ela estava cansada de ser extenuada além do limite pelas crises de Christine e o trabalho e os comentários passivo-agressivos sobre seu peso. Ela sequer queria pensar sobre a ira que era teria de enfrentar da sua mãe, mas de repente Jamie finalmente sentiu como se ela pudesse respirar pela primeira vez desde que Christine e Stephen anunciaram seu noivado. Ela enxugou as lágrimas com a costa da mão e ligou o carro. De repente, ela tinha o dia livre e se ela ficasse sentada chorando no seu carro, ela era provável que ela esbarraria com sua mãe ou Stephen. Ela não queria lidar com nenhum deles agora. A caminho de casa ela ouviu o telefone tocar e verificou o identificador de chamadas. Já era a sua mãe. Ela rapidamente pressionou ignorar. Sem dúvida Christine já tinha lhe contado tudo por agora e Jamie não ia ouvir sua mãe vociferar sobre como Jamie era tal decepção ou como ela deveria ter simplesmente conseguido um aborto naquela primeira vez, mas o pai de Jamie tinha convencido sua mãe a manter o bebê. Ela não era um erro e ninguém ia lhe dizer o contrário hoje. Ela jogou o telefone no banco de trás do carro e fez uma fez uma meia volta rápida para longe de casa. A choradeira caindo dos seus olhos não ira parar. Ela não poderia ir para casa. Alex estaria lá e ela não queria esbarrar com ele quando ela estava tão chateada. Ele iria julgá-la como a sua própria família maldita julgava Abrindo a janela do carro, ela deixou o ventou secar suas lágrimas. Ela tinha planejado ajudar Christine o dia todo e não tinha nenhum trabalho para fazer para Alex no momento. Ela tinha tempo livre e maldição se ela ia usá-lo chorando por causa de alguém — muito menos por si mesma. Ela foi para um minúsculo café escondido que tinha decorações pitorescas e exposições de bonitos produtos assados. Ela pediu uma omelete de legumes e um café antes de sentar em uma mesa marrom claro na parte de trás do restaurante. Ela era a única cliente lá, o que estava bem por ela. Ela queria um pouco de paz e tranquilidade enquanto ela refletia sobre as coisas. A primeira coisa que ela avisou para seu cérebro era que ele não estava autorizado a pensar sobre Christine, sentir-se mal e em seguida telefonar e desculpar-se. Ela tinha de desenvolver uma determinação em algum momento. Ela não iria implorar pela sua posição como dama de honra e Jamie sorriu para si mesma, agora ela não teria de usar Christine como sua dama de honra quando ela se cassasse. Ela pensou sobre Stephen e como ele tinha agido de maneira tão estranha. Ele realmente pareceu irritado quando ele percebeu que ela estava lá, mas Stephen não tinha uma consciência. Mesmo se ele


realmente se lembrasse do seu ataque embriagado, ele não se importaria. Inferno, provavelmente ele diria que a culpa era de Jamie e que ela foi atrás dele. Então, por que tanta raiva? Ele estava preocupado que ela iria contar para Christine? Não, ele não estaria porque quando Christine já tinha ficado do seu lado ao invés do dele? Jamie tinha a sensação que Alex tinha dito ou feito algo. Ela balançou a cabeça. Ela estava apenas sendo paranoica. Alex era do tipo superprotetor, mas de maneira nenhuma ele realmente iria tão longe quanto ameaçar Stephen, ou qualquer coisa, para deixá-la em paz. Jamie sorriu quando pensou sobre seu chefe sexy e rico. Era legal pensar que ele estava cuidando dela. A expressão no seu rosto na outra noite passada surgiu na sua lembrança e como seu toque tinha aquecido um fogo nela que ainda implorava para ser liberado. Ela nunca tinha sido do tipo fogosa, bem, ela sorriu ironicamente, não realmente. Pare! Alex era um chefe ótimo, mas ele tinha deixado bastante claro que somente se importava sobre ela profissionalmente. Ela balançou a cabeça. Ela lhe disse que não estava interessada. Não importava. Não era como se algo poderia acontecer entre eles de qualquer maneira. Não iria funcionar. Ela não era material para um cara quente. Christine tinha deixado isto descaradamente óbvio. Ela tomou seu tempo terminando sua omelete e obrigou-se a apreciar a paz e tranquilidade no pequeno café. Ela não precisava do seu telefone, laptop ou qualquer outra coisa durante aqueles trinta minutos. No momento em que ela terminou, ela já tinha começado a se sentir melhor. Não muito, mas um pouco. Ela dirigiu por aí por uma hora e então sem mais nenhum lugar para ir, ela imaginou que iria para casa e deitaria enroscada na cama com um livro e talvez uma malhação também. Quando ela parou na entrada da garagem, centenas de carros estavam bloqueando-a. Ela tinha esquecido que Alex tinha dito que ia oferecer um brunch com parceiros de negócios. Ela não tinha percebido que era na sua casa. Ela gemeu discretamente. Tudo que ela queria fazer era esconder-se no momento, mas parecia quer era muito mais fácil dizer do que fazer. Felizmente ninguém ia notá-la esgueirando-se para a sua suite. Ela dispensou o manobrista que tentou abrir a porta para ela. “Sou eu, apenas,” ela disse antes de perceber que os manobristas que Alex contratou da empresa de manobrista não faziam ideia quem ela era. “Sou a assistente pessoal do Sr. Reid. Eu moro aqui. Vou apenas me esgueirar e ir para o meu apartamento.” “Eu poderia ver alguma identificação, por favor?” o manobrista disse, uma prancheta surgindo da pequena plataforma onde ele estava. Ela entregou-lhe sua carteira e ele olhou para o seu nome, franzindo o cenho. “Sinto muito, Sra. Connors, mas não posso deixar ninguém passar que não esteja na lista.” É claro que Alex não teria pensado em informar aos manobristas sobre ela. Além disso, ela deveria ficar fora o dia inteiro. “Olhe, se você apenas perguntar ao Sr. Reid, ele irá lhe dizer e me permitir entrar.” Ela olhou para trás para o banco, mas não conseguiu ver seu telefone. Ela estendeu a mão para a maçaneta, mas o manobrista permaneceu perto, evitando que ela abrisse a porta. “Minhas desculpas, senhora, mas estou sob ordens rigorosas para não deixar ninguém entrar que não esteja na lista. Se você pudesse apenas virar seu carro...” “Ouça, garoto, esta é a minha casa. Pergunte para Murray, o cozinheiro.” “Quem?”


Ela jogou as mãos no ar. “Pergunte para, eu não sei, o jardineiro! Quem você quiser. Apenas me deixe passar pelos portões e afaste-se da minha maldita porta!” “Jamie?” surgiu uma voz muito familiar. Ela suspirou. É claro que ela iria perdê-lo na frente do seu chefé. Porque ele já não achava que ela era louca. Jamie e o manobrista olharam para Alex, que estava parado com um casal de meiaidade em trajes de grife caros, no entanto casual, com mimosas na mão. Todos eles olhavam para o espetáculo com curiosidade. O manobrista correu para abrir o portão e Alex saiu caminhando. “S-sinto muito, Sr. R-Reid,” ele gaguejou, corando da mesma cor que a sua jaqueta. “Ela se recusa a ir embora, mas foi-me dito para não...” “Sei o que foi dito para você,” Alex disse. “Fui eu quem imitiu as instruções afinal.” O rosto do manobrista ficou ainda mais vermelho e ele lançou um olhar obsceno para Jamie, como se fosse sua culpa que ele estivesse sendo repreendido. “Jamie Connors é minha assistente pessoal. Por favor, permita que ela entre.” “É claro,” o manobrista disse de maneira rígida, fazendo um gesto para ela arrancar com o carro. “Jamie, por que você não se junta a nós para o brunch?” Alex disse, como se isto fosse a coisa mais natural do mundo. “Nós adoraríamos tê-la.” O homem e a mulher, que tinham estado aparentemente dando um passeio pelo gramado da frente com Alex acenaram com a cabeça, sorrindo de maneira gentil. Jamie sorriu para eles fracamente. Ela não tinha escolha. “Eu adoraria,” ela disse finalmente, “Estarei lá logo, depois que eu me trocar.” Alex sorriu. “Excelente,” ele disse. “Mal posso esperar que você se junte a nós.” Jamie colocou seu óculos e dirigiu lentamente para a casa, evitando as filas de carros estacionados e as pessoas caminhando ao redor da propriedade. Ninguém prestou muita atenção nela quando ela estacionou perto da casa e correu ao redor da parte de trás para o seu apartamento. Qualquer um que a notou provavelmente achou que ela era uma ajudante contratada. Ela manteve a cabeça baixa até que entrou na sua casa. Ela correu até o seu quarto e para o closet, despindo-se enquanto corria. Por que eu não deixei que ele comprasse para mim roupas casuais elegantes? Jamie examinou suas roupas novas por algo adequado para usar. A última coisa que ela precisava era sua calça caindo no meio do brunch e em seguida tropeçar sobre algo. Foi ruim o suficiente quando isto aconteceu na frente de Alex e a última coisa que ela queria era que isto acontecesse na frente de pessoas que não a tinham visto nua e não tinham nenhum desejo de ver. Ela decidiu por uma calça canela e uma blusa vermelho escuro. Ela ainda parecia como se estivesse pronta para o escritório, mas pelo menos ela parecia confortável e não rígida nas roupas. Ela examinou o resto das suas roupas de maneira crítica. Ela deveria ter comprado um vestido ou dois. Ela correu até o banheiro para acrescentar uma maquiagem e soltar seu cabelo do coque. “Isto terá de servir,” ela disse para o seu reflexo no espelho. Calçando suas sandálias Mary Jane, em seguida ela saiu com cautela e guardou a chave no bolso. Ela caminhou até a frente da casa e casualmente fez o seu caminho para dentro da casa de Alex. Havia cerca de uma centena, talvez mais, convidados conversando e misturando-se na sala de estar e transbordando para o quintal. Eles caminhavam para o lado de fora em pequenos grupos, comendo mini massas assadas e bebendo cidra de maçã e mimosas. Havia um gotejar de pessoas voltando para a sala de estar pelo extenso buffet de comida.


Jamie serviu-se de uma pequena taça de mimosa, muito nervosa para realmente querer comida. Talvez se eu estivesse em muitas situações estressantes como esta, eu seria um manequim 36 na hora do casamento. Eu poderia usar qualquer vestido que eu quisesse se isto acontecesse. Ela sorriu e em seguida deu um pulo quando uma mão tocou a parte inferior das suas costas. Ela virou, pensando que seria Alex, mas em vez disto, ela encontrou um homem bonito que ela nunca tinha visto antes. Ele sorriu enquanto seus olhos a percorriam para baixo e depois para cima. Foi um olhar grosseiro, mas mais um apreciando a companhia. “Não tive a intenção de assustá-la.” “Está tudo bem,” Jamie deu uma risadinha. Ele era realmente bonito. “Não acredito que fomos apresentados,” ele disse. “Sou Nicholas. Sou o fundador e o CEO da Sunrise Applications.” “Oh, já ouvi sobre você,” Jamie estalou o dedo enquanto ela falava. “Nicholas Wright. Sou Jamie Connors, a assistente do Sr. Reid.” Ele estendeu a mão. “É um prazer conhecê-la, Jamie.” Ele sorriu novamente. “Tenho ouvido coisas maravilhosas sobre você.” Jamie foi apertar sua mão e Nicholas a apertou gentilmente antes de levá-la até os lábios para beijar. Borboletas vibraram no estômago de Jamie, que não foi completamente desagradável. Neste momento, Alex entrou com outros dois convidados. Ele chamou a atenção de Jamie justo quando Nicholas beijava sua mão. Ela achou que o viu franzir o cenho e seu rosto ficar sombrio, mas ele o sufocou rapidamente ou isto nunca aconteceu. Ele virou para falar com a mulher ao seu lado. Jamie tomou um gole da sua mimosa e sorriu para Nicholas, voltando sua atenção para ele enquanto ele continuava a conversa. “Então, conte-me, como uma mulher incrível como você acabou trabalhando para o malhumorado Alex Reid?” Jamie mordeu o lábio para evitar dar uma risadinha. Era definitivamente uma cantada, mas isto era algo tão raro que quando ela as recebia, ela não podia deixar de se sentir incrivelmente lisonjeada. “Um currículo excelente e a necessidade de um emprego. Como você acabou criando a Applications?” O rosto de Nicholas iluminou-se. Uma pergunta perfeita para perguntar para um cara como ele. “Bem, eu e um colega da faculdade queríamos entrar no negócio juntos. Ele era o cara nerd inteligente, eu era o aventureiro. Ele sabia muito sobre tecnologia, incluindo o desenvolvimento de aplicativos bastante complicados para celular. Eu me formei em negócios com especialização em marketing. Fez sentido para nós começar uma empresa de aplicativos para celular. Trabalho duro nos bastidores, clique fácil para os clientes.” Jamie amava ouvir as histórias das pessoas sobre como elas chegaram onde elas estavam hoje. Era fascinante. “Começo muito humilde, para uma empresa com um patrimônio líquido de cinco milhões de dólares hoje.” Jamie sorriu e ignorou o olhar óbvio de Alex atrás do ombro de Nicholas. Ele queria que ela interagisse e se misturasse. Ela estava fazendo isto. “Ainda mais humilde do que você pensa.” Nicholas riu. “Nós não tinhamos nada e uma enorme dívida da faculdade. Não poderíamos sequer nos dar ao luxo de comprar mantimentos quando começamos. Estávamos sobrevivendo de macarrão lámen e pacotes de ajuda dos nossos pais.” Pelo menos você recebeu pacotes de ajuda. Jamie afastou o pensamento amargo. Ela tinha terminado com a negatividade na sua vida. Qual era o ponto de seguir em frente quando você não poderia deixar o passado? Ela poderia ser uma história como Nicholas um dia. Nunca se sabe. “Eu adoraria ouvir mais.” Ela observava Alex com o canto do olho enquanto ele conversava com a


esposa de outro investidor. Seu marido tinha ido buscar um pouco mais de comida e Jamie o reconheceu da reunião que ela tinha assumido por Alex. Ele a viu e acenou para que ela se aproximasse. “Sinto muito, Nicholas. Você se importa se eu pegar algo para comer?” “É claro! Não tive a intenção de falar excessivamente.” Ele sorriu, desculpando-se. “Você está aqui para trabalhar, não para ouvir meus farrapos de histórias de riqueza.” “Gosto da sua história.” Ela sorriu genuinamente. “Mas você está certa, provavelmente eu deveria me misturar com as outras pessoas aqui. O Sr. Reid provavelmente apreciaria isto.” Nicholas riu. “Tenho certeza que Alex aprecia você. Se ele não aprecia, certifique-se em me avisar. Posso encontrar um trabalho na minha empresa assim.” Ele estalou os dedos e piscou para ele. Jamie riu com ele. Era agradável apreciar a atenção de um homem que não era complicado ou seu chefe, para variar. “Não prenda o fôlego. Tenho um ótimo acordo com o Sr. Reid.” Ela observou Alex pedir outra bebida no bar. “Irei encontrá-lo novamente em breve, gostaria de ouvir o resto da sua história.” “Irei cobrá-la disto.” Nicholas sorriu calorosamente e levantou sua taça enquanto se afastava para unir-se a outro grupo de homens conversando. Jamie caminhou até o buffet e colocou algumas coisas no seu prato. Ela não estava com fome depois da omelete algumas horas atrás, mas era a maneira mais fácil de manter uma conversa com o cavalheiro da reunião de sexta-feira. Alex estava parado de maneira desajeitada perto da esposa do homem e ela não queria que o investidor tivesse a ideia errada com Alex. Não que ela mesma soubesse, ela apenas pressumiu que ele não era o tipo de empresário que se metesse naquela parte do negócio. Contudo, ela realmente sabia? “Olá, Sr. Watkins?” Ela odiou que fizesse o nome dele soar como uma pergunta. Ela apenas não estava cem por cento segura que tinha o sobrenome do homem certo. “Olá, Srta. Connors!” Ele deslizou o prato para a mão esquerda e estendeu a direita. Jamie a apertou e sorriu. “É bom vê-lo aqui.” “É bom vê-la aqui também. Excelente trabalho na sexta-feira, aliás. Acho que você poderia vender um submarino a um pastor de camelos.” Ela riu de maneira educada. “Obrigado. Eu estava um pouco exausta na reunião, mas fico feliz que ela transcorreu sem problemas.” Ele encheu seu prato um pouco mais. “Você fez um ótimo trabalho. O Sr. Reid é um homem inteligente por tê-la contrado.” Ele olhou para cima e franziu o cenho quando notou a mão de Alex descansando acima do cotovelo da sua esposa enquanto ele inclinava-se mais perto para sussurar no seu ouvido. “Aquela é a sua esposa? Adoraria conhecê-la.” Jamie colocou seu prato para baixo e passou o braço pelo braço do Sr. Watkins. Ela carregava sua mimosa na outra mão e pigarreou quando se aproximou de Alex. “Sr. Reid! Sr. Watkins estava acabando de falar sobre a reunião no outro dia.” Ela observou Alex afastar-se abruptamente para trás e olhar para ela e em seguida para o homem de braços dado com ela. “Você tem alguma pergunta, Sr. Watkins?” Nenhuma que tenha a ver com Alex aparentemente dando em cima da sua esposa e sua esposa apreciando a atenção. “Não. Você fez um ótimo trabalho, Srta. Connors. Ainda não estou cem por cento seguro sobre investir.” Sr. Watkins olhou para Alex e em seguida disparou seu olhar para sua esposa. “Você deve ser a Sra. Watkins!” Jamie estendeu a mão e sorriu para a mulher de cabelo escuro, miúda e no entanto de seios fartos ao lado do seu chefe. “Sou Jamie, a assistente do Sr. Reid.”


“Olá.” Os olhos da mulher percorreram a figura de Jamie para baixo e em seguida de volta para cima. Ela sorriu de maneira convencida, obviamente segura que Jamie não era o tipo de Alex. “Sou Tara Watkins.” Isto irritou Jamie, mas ela manteve a sua boca fechada. Ela estava aqui para fazer um trabalho. Era isto. Alex deu a volta ao redor dela e colocou o braço sobre o ombro do Sr. Watkins. “Vamos pegar uma bebida para as senhoras e deixe-me ver se posso responder quaisquer preocupações que você poderia ter sobre o empreendimento.” Ele não disse uma palavra para Jamie enquanto se afastava. Jamie conversou educadamente com Tara antes de desculpar-se para conversar com Nicholas, que estava parado sozinho olhando pelos grandes vitrais com vista para a piscina e floresta na parte de trás. “Srta. Connors! Que gentil da sua parte juntar-se a mim novamente.” Ele sorriu para ela. “É uma vista bonita, hein?” Ela sorriu. “É.” “Como estava a Sra. Watkins?” Jamie continuou a olhar pela janela e admirar a paisagem. “Ela está bem.” “Acredito que ela ainda tenha suas garras para fora.” “Como?” Jamie virou a cabeça e em seguida sorriu. “Oh, sim. Ela parece agradável.” Nicholas riu. “Ela tem estado atrás do seu chefe por vários anos agora. Não parece saber muito bem como pegar o rato, se você sabe o que eu quero dizer.” Ele acenou com a mão. “Não importa. Alex sempre tem sido educado e consegue conter seus avanços. O Sr. Watkins, por outro lado, não tem tido tanta sorte em manter seu animal de estimação longe da propriedade de outras pessoas.” Jamie pressionou os lábios juntos, sem ter muita certeza como responder aos seus comentários. Ela tinha presumido que era Alex dando em cima de Tara, mas parecia aparente agora que era Tara que era criadora de problemas. Meio que fazia sentido. Contudo, não era seu trabalho fofocar com os investidores. “Peço desculpas,” Nicholas disse. “Não tive a intenção de ofendê-la. É uma piada comum sobre Tara. Presumi que você sabia ou tinha sido avisada.” Ele encolheu os ombros. “Não sou o tipo de fofocar ou comentar. Posso lhe garantir isto. Achei que você sabia porque você lidou com o Sr. Watkins de maneira perfeita.” “Você estava me observando?” Nicholas sorriu novamente. “Acredito que praticamente todo homem nesta sala está. Você é difícil de não notar.” Ela corou, completamente deslumbrada pelo elogio. “O-Obrigada.” Ela olhou para as suas mãos, envergonhada e sem acreditar que os outros a estavam observando. Ela ergueu os olhos lentamente e olhou para redor da sala. Ela notou Alex no bar novamente. “Dê-me outro,” Alex rosnou com a voz baixa para o bartender. Jamie enrijeceu quando ela ouviu sua voz, mas ela tentou ignorá-la. “Sinto muito, o que você disse?” Ela virou para Nicholas e aproximou-se um pouco mais. “Estava me perguntando se você gostaria de juntar-se a mim para jantar algum dia.” Nicholas a observava, confuso. “Compreendo se você não quiser. Você deve estar incrivelmente ocupada com trabalho.” “Ocupada, mas não tão ocupada,” Jamie disse. “Eu ficaria feliz.” O rosto de Nicholas iluminou-se. “Excelente! Posso terminar meus farrapos de histórias ricas e você pode me contar a sua. Eu adoraria ouvi-la.” Ele enfiou a mão no bolso da camisa, bem sobre o


seu peito firme. Jamie observava, apreciando o puxão da camisa pela parte superior do seu corpo. “Aqui está o meu cartão. Meu número pessoal está no verso. Por que você não me manda uma mensagem de texto quando estiver disponível e irei fazer os arranjos?” Jamie pegou o cartão e apreciou o calor dos seus dedos se tocando, mas ficou desapontada ao não sentir o tremor que ela sentiu quando Alex e ela se tocaram. Ela obrigou a comparação para fora da sua mente. Não é profissional, Jamie. Houve um estrondo abafado perto do bar e Jamie estremeceu com o som. Jamie olhou ao redor para encontrar Alex tentando rir de uma bandeja de bebidas derramada por todo o chão. “Sinto muito, Nicholas, você me daria licença novamente?” “Claro.” Nicholas agarrou sua mão e apertou. “Certique-se de me avisar sobre aquele jantar. Estarei aguardando.” “Eu irei.” Ela retribuiu o aperto suave rapidamente e sem seguida soltou. “Contudo, temo que o trabalho me chame no momento.” “Boa sorte,” Nicholas disse. Irei precisar. Jamie passou pelos outros para ajudar Alex. A maior parte não tinha notado o estrondo ou tinha voltado a conversar, já entediado. “Tudo bem?” Alex olhou para ela com os olhos vermelhos e um sorriso um pouco amplo demais. “Apenas uma droga de bandeja que derrubou champanhe. Tenho os fornecedores vindo para limpá-la.” Ele encolheu os ombros. “Merda acontece.” Ele olhou para Nicholas, que parecia estar indo embora. “Você estás se divertindo?” Ele estava bêbado, poderia ser muito pior. Não era tão ruim. Ele estava coerente o suficiente para sair daqui com a sua dignidade intacta e ninguém notar. “Sr. Reid, Murray me pediu para encontrá-lo,” Jamie disse. “Algo sobre a cozinha.” Jamie engoliu em seco. “Por favor,” ela disse, tentando manter sua voz cordial. “Parecia importante.” Ela ergueu as sobrancelhas para ele e de alguma maneira a situação processou na cabeça ligeiramente intoxicada de Alex. Ele acenou com a cabeça e seguiu Jamie para a cozinha. Murray limpando os aparadores. “Ele precisa de água.” Jamie fez Alex sentar na cadeira mais próxima. “Quuual o problema, Murray?” As palavras de Alex arrastaram-se ligeiramente. Murray entregou-lhe uma garrafa de água e olhou para ele com desconfiança. “Nada, senhor.” “Não,” Jamie disse, entrando na frente de Alex. “Você precisa ficar sóbrio e parar de beber bebida álcoolica antes que você faça algo idiota. São apenas duas das tarde, pelo amor de Pete.” Alex a ignorou. “Estou bem,” ele rosnou. “Não preciso da sua ajuda.” “Sugiro que você a ouça,” Murray disse. “Posso sentir o cheiro em você. Se sua assistente pessoal sugere que você vá devagar. Então sugiro que você a ouça.” “Sério?” Alex olhou para ambos com as sobrancelhas erguidas. “Não é para isto que você a contratou?” “Não para avaliar minha bebida álcoolica e me repreender como se ela fosse a minha mãe.” Jamie empurrou a garrafa de água nas mãos de Alex. “Não sou sua mãe. Mas gosto do meu trabalho e se você faz uma cena, na sua própria casa, isto vai ficar mal para mim.” Alex olhou para ela. “É tudo sobre você, não é?” Ela tinha acabado de usar a frase como uma desculpa. “Não, é meu trabalho garantir que o bilionário Alex Reid mantenha os investidores acreditando que ele é sólido como uma rocha. Ele não atrapalha nada.” Alex suspirou. “Ótimo. Não irei beber mais.” Ele levantou e deu goladas na garrafa de água. “Pronto. Feliz?”


“Por enquanto.” “Se você não se importa, tenho convidados aguardando para falar comigo.” Alex marchou para fora da cozinha e voltou para a festa. Jamie o observou ir. “Estou preocupada sobre ele. Ele não parece como ele mesmo ultimamente.” Ela não percebeu que tinha dito as palavras em voz alta até que Murray acenou com a cabeça e falou. “Eu não a culpo.” Murray voltou a limpar a bancada. “Você não é a única preocupada sobre ele.” O que ela deveria fazer? Jamie virava o cartão de Nicholas várias vezes na sua mão. O brunch tinha acabado há muito tempo. Ela não tinha retornado depois de falar com Alex na cozinha. Em vez disto, tinha ido para o seu próprio quarto e deixou que ele lidasse com seus convidados. Ele não a tinha chamado de volta, então ela imaginou que estava tudo bem. Ela olhava para o cartão caro girando entre as pontas dos seus dois dedos. Ela já tinha programado o número no seu telefone, mas ainda não tinha lhe enviado uma mensagem de texto. Ela não sabia o que dizer. Ele parecia um cara ótimo, que era engraçado e bonito. Ela sabia que ele iria tornar o jantar em um encontro incrível, mas todas as vezes que ela pensava sobre lhe enviar uma mensagem de texto, o rosto de Alex aparecia na sua cabeça. Ele não está interessado em você. Você é apenas a sua AP. Não finja que há algo lá que não há. Ele não a contratou para namorá-la. Faça seu trabalho, entre e saia. É simples assim. Mas de alguma maneira não era. Talvez sair em um encontro ajudaria. Uma batida na porta a distraiu de tomar uma decisão. “Jamie? Sou eu. Alex.” Jamie suspirou. “Você pode entrar, Sr. Reid.” Ela ouviu a porta abrir e os passos de Alex enquanto ele dava a volta para sentar na frente dela no outro sofá. Ele olhou para ela com uma expressão envergonhada. “Sinto muito,” ele disse, “por hoje.” Então, qual era a maneira correta de lidar com isto? Mimá-lo? Perdoá-lo? Ou dizer-lhe para não ser um idiota e ainda manter seu emprego? “Você pode beber na sua própria festa, Sr. Reid,” Jamie disse com cuidado. “É perfeitamente aceitável e tenho certeza que seus convidados concordariam.” “Quer parar de dirigir-se a mim de maneira tão formal, Jamie?” Alex disse bruscamente. “Estou tentando me desculpar por agir como um idiota! Sei que você pode conversar com quem você bem entender, mas isto me deixa louco.” Ela piscou surpresa. “Como?” Ele acabou de admitir estar com ciúmes? Ele olhou para ela, seu peito arfando. “Olhe! Sei que eu lhe disse para vir e misturar-se. Isto não queria dizer que você tem de ir morar com o primeiro cara que lhe entrega o seu cartão de visita.” Ele apontou para o cartão na sua mão. “Isto,” ela levantou o cartão e enfiou no seu bolso, “não é da sua maldita conta. Achei que você veio até aqui para se desculpar por beber.” Ela levantou, a raiva assumindo o controle da sua boca. “E se eu decidir sair com Nicholas, então isto não é da sua conta.” “É, se isto o impede de investir ou ele tentar contratá-la e tirar você e meu negócio.” Alex a ignorou, balançando a cabeça. “Sequer sei por que você iria querer namorar com aquele idiota de fundo fiduciário, de qualquer maneira.” “Para falar a verdade, ele não tem um fundo fiduciário,” Jamie respondeu. “Ele sequer poderia pagar pela comida quando começou a Sunrise Applications. Ele sobrevivia de macarrão lámen e de pacotes de ajuda dos seus pais.” “Oh, pacotes de ajuda,” Alex disse de maneira sarcástica e revirou os olhos. “Fundos fiduciários vêm em diferentes maneiras. É um inferno de muito melhor do que ser mandado embora e ignorado


por toda a sua vida.” Jamie congelou, ela percebeu que Alex dever continuado bebendo quando a festa terminou. Ele estava bêbado. “É isto que aconteceu com você?” ela perguntou baixinho, sua irritação desaparecendo imediatamente. Alex engoliu em seco. “Não importa. Eu vim aqui para me desculpar e ao invés disto estou gritando com você.” Ele passou as mãos sobre o rosto. “Não tenho nenhum direito de estar com ciúmes, mas às vezes você me deixa louco, Jamie.” Ela balançou a cabeça. “Não deixo, Alex. Foi sua escolha beber hoje, apenas sugeri, como sua AP, que você fosse devagar. Isto é tudo que aconteceu hoje. Eu trabalho para você, você é meu chefe. Puro e simples. Não farei nada que comprometa isto, eu prometo.” Ela levantou. “Acho que você deveria ir embora.” Alex levantou também, mas ao invés de ir para a porta, ele agarrou Jamie e puxou-a na direção dele. A respiração de Jamie ficou presa e um arrepio percorreu sua coluna. Se foi de medo ou tesão, ela não fazia ideia. Diferente de quando Stephen a tinha agarrado, Jamie agora sentia-se completamente no controle. Alex iria soltá-la no segundo que ela se afastasse, ela tinha certeza disto. Só, que ela não queria se afastar. Ainda não. Imagens de Tara flertando com ele, a ideia dele bebendo porque estava com ciúmes que outro homem estava flertando com ela, quão incrivelmente sexy ele parecia com uma camisa branca de abotoar e calça social preta ... tudo isto passou pela sua cabeça e ela meio que gostou disto. Seus lábios encontraram os dela, duros e suaves ao mesmo tempo. Ele continha o mesmo desejo que tinha estado lá duas noites atrás quando ela tinha desejado tanto que ele iria beijá-la. Ela queria isto e no entanto... Jamie engoliu em seco e deixou que ele a beijasse novamente. Ela merecia algo incrível, certo? Ela apenas não estava bastante segura o que aquele incrível era. Lentamente ela afastou-se dele e olhou para o seu peito. Ele tinha desabotoado alguns botões da camisa e sua pele bronzeada cremosa a provocou. Ela imaginou correr seus lábios e língua sobre ela. “Acho que você deveria ir,” ela sussurrou, dividida entre querer que ele ficasse e pedir-lhe para ir embora. Alex assentiu e recuou. “Vejo você no trabalho na segunda-feira, Srta. Connors.” Ele soou tão resignado que o coração de Jamie quaser partiu. Quase. “Boa noite, Sr. Reid.” Ela caminhou e segurou a porta aberta para ele e esperou até que ele fosse embora antes de suspirar e cair contra a porta fechada. Ele nunca viria até o seu apartamento novamente e iria beijá-la. Ela percebia isto agora. Aquela oportunidade nunca se apresentaria novamente. Ela não tinha certeza quanto tempo ela permaneceu apoiada na porta, sentada no chão, até que ela ouviu um mergulho na piscina no lado de fora. Tinha escurecido. Ela caminhou até a janela para ver Alex na piscina, nadando voltas. A água fazia seus braços e torso esculpidos brilharem na luz que iluminava a piscina como uma exibição. A visão dele lembrou-lhe do poder que ele sempre emanava, até mesmo na cama e isto fez seu sangue correr quente. Ela tinha desistido disto. Pelo quê?


Capítulo 7 Jamie rastejou na cama. Ela não conseguia tirar da cabeça a imagem de Alex na piscina. Só de pensar sobre o seu corpo a deixava molhada. “Controle-se,” ela murmurou para si mesma enquanto puxava as cobertas sobre si. “Ele é seu maldito chefe. Esquece!” Mas a imagem dele dando voltas imprimiu-se no fundo da sua pálpebra quando ela adormeceu. Não demorou muito tempo para cair em um sono agitado onde sonhar era a sua única escapatória. Ela estava deitada bronzeando-se ao lado da piscina, apreciando o dia excepcionalmente quente e ensolarado de primavera. Ela sorriu, feliz que poderia agora sentir-se confortável deitada ao lado da piscina em um biquini. Parecia que a dieta e os exercícios tinham realmente funcionado. Sua barriga estava completamente plana e nem mesmo um pingo de excesso poderia ser visto, uma barriga de tanquinho poderia ser vista através das sombras da loção bronzeadora. Ela tirou o óculos de sol do rosto e fechou os olhos, apreciando o calor do sol contra a sua pele. “Divertindo-se?” A voz profunda de Alex retumbou acima dela no que pareceu segundos depois. Ela abriu os olhos e sentou, sorrindo. “É o primeiro dia que posso estar ao ar livre sem tremer. Imaginei que deveria tirar proveito dele enquanto eu pudesse.” Seus olhos azuis brilhantes, cheios de tesão deslizaram para baixo e absorveram todo o seu corpo, fazendo Jamie ficar mais quente. “Estou feliz,” ele disse com a voz rouca e sorriu. Jamie corou e em seguida observou seus olhos escurecerem. “Você não faz ideia quão sexy você fica quando cora assim.” Sua voz saiu com se ele estivesse lhe implorando para parar, embora ela não estivesse fazendo nada. Jamie mordeu o lábio e sentiu a necessidade de esfregar as coxas juntas. Ela contorceu-se sob seu olhar penetrante, incapaz de respirar de maneira adequada. Alex olhou para a visão atrás deles e tirou a camisa. “Estava prestes a ir dar um mergulho,” ele disse, jogando a camisa, descuidadamente, perto de Jamie. Ela pegou um sopro do seu cheiro quando ela aterrissou somente alguns centímetros de distância. Ela sentiu seu olhar sobre ela novamente, queimando-a. “Quer juntar-se a mim?” Sua voz tinha aquele tom excitado implorando novamente. Jamie ofegou em silêncio, ficando ela mesma mais excitada. Mais do que apenas dar algumas voltas ia acontecer na piscina. “I-Irei pensar sobre isto,” ela murmurou. Sua barriga vibrou com a ideia de como seria fazer sexo na piscina. Ela colocou os óculos de sol e deixou seus olhos viajarem pelos seus abdominais e ao longo do seu


biceps que ondulavam enquanto ele abria o zíper do seu jeans para revelar um calção de banho azul escuro que o abraçava perfeitamente. “Sei que você está me observando.” Ele sorriu para ela e virou assim ela poderia vê-lo melhor, realmente sem se importar que ela queria olhar para ele. “Você é sexy como o inferno,” ela disse, realmente não constrangida por admiti-lo. Alex ajoelhou-se e pegou sua mão e a puxou contra ele. Suas mãos abaixaram e agarraram os quadris dela, seus dedos roçando nas suas nádegas. A respiração de Jamie ficou presa quando seu olhar pousou nos lábios dele. Ele levantou a mão, tirou seus óculos e segurou gentilmente seu rosto enquanto inclinava o rosto dela para cima. Seus lábios encontrando os dela avidamente. Ela suspirou e derreteu no beijo, passando os braços ao redor dos seus ombros antes de finalmente afastar-se. Ela precisava ter certeza. “Alex,” ela suspirou, tentando lembrar-se da sua mente novamente. “Você tem certeza sobre isto? Quero dizer, sou sua assistente.” Ele sorriu para ela, seus dedos entrelaçando no seu cabelo comprido que caia perfeitamente sobre ombros. “E eu sei que não deveríamos, mas não consigo me conter perto de você, Jamie. Como eu poderia quando você é assim?” Sua mão viajou para baixo e circulou ao redor da sua cintura magra. Ele beijou sua têmpora. “Você é bonita. E doce e perfeita.” Seus lábios viajaram para baixo para encontrar com os dela. “A única coisa que poderia me impedir agora é você dizendo não. Por favor, não?” A súplica retornou e era incrivelmente sexy que ele não conseguisse resisti-la. Alguém como ele precisando dela? Quem no seu juízo perfeito diria não para ele? Jamie suspirou. “Não pare.” Um sorriso sensual cruzou seus lábios. “Bom,” ele sussurrou. “Não sei o que eu faria se você dissesse não.” Ele inclinou-se para engatar as pernas dela atrás dos joelhos e em seguida a levantou nos braços sem esforço. Ela passou os braços ao redor do seu pescoço. Ela se sentiu tão minúscula nos seus braços. “Eu poderia carregá-la por ai assim para sempre,” ele sussurrou, beijando sua têmpora novamente. “Você se sente segura agora?” Jamie assentiu. A ideia de que ele poderia deixá-la cair jamais lhe ocorreu. Ela apoiou-se no seu peito e fechou os olhos. Ela o sentiu caminhar gentilmente e em seguida ouviu o barulho suave da água. Ela estremeceu ligeiramente quando uma brisa suave passou por ela e abraçou-o com força. “Tenho você,” ele disse enquanto caminhava com dificuldade até que a água estivesse nos seus quadris, em seguida ele a abaixou gentilmente. A água estava na temperatura perfeita e lambeu sua pele, como a língua de Alex quando eles dormiram juntos na última vez. Ela moveu as mãos para o seu peito, acariciando os contornos dos seus músculos.


Ele gemeu. “Você vai me matar, Jamie.” Ela deu uma risadinha e roçou os dedos sobre seu abdômen nu, sentindo seus músculos contraírem debaixo deles. “Com certeza, espero que não,” ela provocou. “Ainda não, de qualquer maneira.” Ele assobiou e imobilizou sua mão com a dele. “Continue me provocando e não irei durar o tanto que eu quero.” Ele a apoiou contra a parede. Sua voz estava rouca com excitação. “É minha vez de provocá-la.” Ele acariciou a coluna de Jamie suavemente, deixando riachos de água por toda a sua costa. Ela ofegou e estremeceu de prazer com o toque e ele abaixou os lábios até os dela. “Amo quando você ofega assim,” ele disse nos seus lábios antes de reivindicar sua boca como dele. Ela suspirou e em seguida ofegou quando a mão dele viajou mais para baixo e deslizou para dentro da parte de trás do seu maiô. Ele a apertou rudemente enquanto a empurrava na direção dele, esfregando os quadris contra os dela. Ela choramingou e beijou sua clavícula, mordendo-a gentilmente até que ele gemeu. “Nada disto,” ele disse bruscamente. “Você não faz ideia quão perto eu estou de perdê-lo.” A mão dele deslizou para a frente da parte inferior do seu biquini e pressionou um dedo dentro dela, fazendo-a ofegar. Ele a esfregou gentilmente com o polegar enquanto sua outra mão desamarrava as tiras do seu top. “Vou fazê-la implorar por mim.” Jamie corou quando ele caiu. Ele olhou para os seus seios enquanto segurava um na sua mão livre. “Tão sexy,” ele suspirou antes que sua boca capturasse seu mamilo brotando e chupou-o com força. Sua língua acariciou seu mamilo em círculos até que ele florescesse completamente excitado. Ela ofegou e deixou a cabeça cair para trás, o cabelo roçando nos ombros e as pontas provocando a beirada da água. Ela se contorceu sob seu toque, implorando por mais dele. A pressão construiu rapidamente dentro dela. Alex sorriu sabiamente para ela enquanto trazia sua cabeça para cima e obrigava-a a observá-lo. Ele puxou a parte inferior do seu biquini para baixo. Ele deslizou um dedo dentro dela novamente e ela gritou quando seu polegar encontrou seu centro e começou a esfregá-la. Sua estimulação, o movimento sensual da água ao redor deles, revelou-se como impossível de ser parado. Ela gritou enquanto seu corpo explodia e gozou nos seus dedos. Ela agarrou-se a ele enquanto as ondulações da sensação diminuíam. “Estou apenas começando.” Seu hálito quente provocou seu ouvido. “Dispa-me,” ele ordenou.


Ela era massa de vidraçeiro nas suas mãos. Ela abaixou a mão e puxou seu calção de banho para baixo. Ele estava imediatamente nos degraus da piscina, sua bunda nua pressionada contra o revestimento enquanto um dos jatos provocava sua coxa. “Possua-me já,” ela implorou, acariciando-o até que ele estivesse cada vez maior e mais duro. Mais duro do que ela jamais o tinha sentido antes. “Com prazer,” ele disse e agarrou seus quadris, empurrando para dentro dela com um único movimento. Jamie gritou novamente, prazer explodindo dentro dela imediatamente. Ela queria mais dele... mais profundo... de novo... e de novo... Jamie sentou, ofegante. Ela estava coberta de suor e os lençóis estavam todos emaranhados ao redor dela. E ela estava molhada. Tão, tão molhada. Ela roçou os dedos na sua calcinha encharcada e a retirou, esperando que isto a ajudaria a acalmarse. Ela chutou os lençóis e olhou para o teto acima dela, perguntando-se se Alex já teve este tipo de sonhos. Provavelmente não. De alguma maneira, ela tinha conseguido ter um orgasmo no seu sono – duas vezes! Seu corpo tremia das sensações sensuais correndo através dela. “Controle-se, Jamie!” ela sibilou na escuridão. “Ele está fora dos limites.” Ela conseguiu cair de volta em um sono agitado e em seguida acordou não muito mais tarde, ainda suada e molhada. Ela saiu da cama e passou os dedos pelo cabelo enquanto caminhava para a cozinha para pegar um copo de água. Ela não tinha se dado ao trabalho de fechar as persianas na sala de estar na noite passada e observava enquanto o vapor saia da piscina na névoa das primeiras horas da manhã. Alex sempre mantinha a temperatura perfeita, como no seu sonho atrevido. Ela correu de volta para o quarto e colocou um dos trajes de banho. Era uma peça preta de corpo inteiro, não como o biquini quente que ela tinha estado usando no seu sonho. Ignorando as sensações provocantes ondulando pelo seu corpo enquanto ela pensava sobre o que Alex tinha feito com ela na piscina, ela arrebatou zangada uma toalha e correu para fora descalça. O ar frio estava muito mais frio do que ela esperava. Seus mamilos cutucavam através do revestimento fino do seu traje de nylon enquanto ela corria para a extremidade mais distante da piscina. Ela tentou ignorá-los e a dor da liberação que eles imploravam. Ela jogou a toalha sobre uma cadeira e mergulhou na piscina, somente vindo à tona para respirar quando seus pulmões ameaçaram explodir por falta de ar. Ela nadou volta após volta, tentando extenuar os desejos que seu corpo tanto queria. Ela sempre tinha apreciado sexo e seu corpo respondia facilmente ao toque de um homem, mas um sonho? Sério? Tinha de ser da culpa por estar perto de Alex. Sua mente estava em um carrosel de emoções, mas seu corpo apenas queria estar saciado com sexo duro... apenas o suficiente para parar o desejo um pouco. Ela riu enquanto mergulhava a cabeça debaixo da água e virou para nadar de volta para o outro lado da piscina novamente. Ela era como uma viciada em drogas, mas com sexo e passando por uma abstinência. Nem mesmo a masturbação poderia curar esta entusiasta. Ela sabia o que ela precisava, mas isto não ia acontecer. Uma hora mais tarde, ela finalmente saiu da piscina e jogou a toalha ao redor dos ombros enquanto espremia a água do cabelo. Ela olhou para o sol nascente e estremeceu do frio na sua pele.


Ela girou ao redor e praguejou quando viu um lampejo ao lado da janela no andar superior, mas depois descobriu que era apenas alguém abrindo as persianas. Tremendo de frio, ela correu de volta para o seu apartamento. A primavera estava no ar e logo o verão daria lugar a manhãs tépidas e dias quentes. Ela não poderia chegar rápido o suficiente. Um banho quente e um pouco de café da manhã depois, ela pegou seu celular e mandou uma mensagem de texto para Nicholas para ver se ele queria jantar uma noite desta semana. Durante o banho, ela tomou a decisão que precisava seguir em frente e para longe de Alex. Eles não iam ter um relacionamento e quanto mais cedo ela seguisse em frente, melhor ela iria se sentir... e mais sono ela conseguiria sem sonhos ridiculamente quente. Ela olhou para o closet. Ela tinha um guarda-roupa novo fantástico, mas nada para usar em um encontro. Alex tinha lhe dado um bônus de trabalho e ela decidiu que era hora de gastá-lo consigo mesma. Ela ia comprar algumas roupas que realmente serviriam nela que não estavam relacionadas ao trabalho. Fazia anos desde que ela tinha saido para comprar roupas, mas com suas roupas antigas grandes, esticadas e sem graça, de repente ela tinha o desejo de fazer compras. Ela iria precisar de algo agradável para usar quando saísse com Nicholas. Esta era toda a desculpa que ela precisava. Ela foi para o novo shopping de ponta de estoque que Alex a tinha levado e comprou com os olhos enquanto procurava por algo que a impressionasse como bonito. Ela nunca possuiu roupas bonitas ou sensuais. Ela sorriu, talvez ela precisasse ir até a Victoria’s Secret e comprar algumas outras coisas bonitas. Ela sorriu. Ela faria isto primeiro. Enquanto comprava sutiã e calcinhas, ela escolheu um conjunto preto, um branco, um de renda incrivelmente sexy que ela sabia que nunca usaria e um conjunto delicado de seda rosa. Quando ela os experimentou, eles a fizeram se sentir bonita e até mesmo um pouco sexy no reflexo do espelho. Ela tinha a sensação que a loja colocou os espelhos para lhe dar uma aparência magra. Ela não estava reclamando, ela realmente não se importava. Ela também comprou um par de camisolas de seda e um robe para usar dentro do apartamento. Feliz, ela saiu com suas compras e caminhou ao redor das lojas novamente. Nicholas enviou-lhe uma mensagem de texto para dizer que adoraria jantar e quando ela estivesse disponível ele certificaria-se que ele estivesse também. Ela sorriu. Ele parecia quase perfeito. Ele era charmoso e bonito, o lado do dinheiro dele era também ligeiramente atraente. Ela tentou fingir que não era, mas o pensamento de nunca ter de se preocupar sobre pagar uma conta ou fazer compras sempre que ela sentisse vontade, como isto não poderia ser tentador. Não havia nada falso sobre ele, ao contrário do seu último namorado, Stephen e ele parecia querer um relacionamento de verdade com ela, diferente de Alex. Contudo, ela parecia não conseguir despertar mais do quem uma sensação ligeiramente agradável todas as vezes que pensava sobre ele. É como Nicholas a fazia se sentir. Agradável. Relaxada. Não completamente quente e ardente, cheia de paixão. Como Alex faz. Jamie amaldiçoou a si mesma. Lá estava ela, pensando sobre Alex novamente, mesmo depois que ela jurou não pensar. Isto tinha de parar ali e agora. Sem Alex hoje. Sem mais pensar sobre homens em geral. Este ia ser um dia de Jamie. Ela revirou os olhos. Ela nunca tinha tido um dia pessoal na sua vida. Então novamente, com ela na berlinda com o casamento da sua irmã, ela poderia muito bem apreciar o dia antes que tudo se torne um escandâlo. Jamie estava realmente surpresa que ela não tinha tido notícias da sua mãe ou irmã. Talvez elas estivessem muito zangadas para falar. Provavelmente ela deveria telefonar para elas.


Ela sorriu, a indiferença delas era meio agradável. Talvez ela deveria deixá-las cozinhar por mais alguns dias. Ela navegou através de algumas das suas lojas favoritas e encontrou uma blusa bonita e coquete para acompanhar a calça social preta. O estilo das roupas era lisonjeiro sobre ela e ela quase parecia magra nelas. Ela começou a assobiar quando saiu da loja. Ia ser um ótimo dia apesar de tudo. Ela continuou a comprar com os olhos enquanto caminhava. Em um capricho, ela entrou no seu carro e dirigiu até o centro da cidade para caminhar pelas pequenas butiques e fazer um lanche. Com o sol brilhando, o concreto aqueceu e os pássaros estavam ocupados construindo ninhos e tagarelando nas árvores acima dela. Ela fez uma pausa no lado de fora de uma loja e olhou para as roupas elegantes no interior. Um vestido vermelho incrível chamou sua atenção. Ele era além de bonito, além de sexy. Ele abraçava o formato do manequim perfeitamente, exibindo todas as curvas esculpidas sem apertá-las ou entregar demais. O decote coração tinha uma pequena quantidade sutil de enfeites de contas que chamava a atenção para os seios sem ser muito óbvio. Uma sugestão indireta que poderia ser acentuada com um colar deslumbrante. A única coisa evitando que o vestido caísse do manequim era um par de alças finas vermelhas. Até mesmo elas eram sexy sobre os ombros. O vestido dançava na linha tênue entre conservador e provocativo de maneira perfeita. O par errado de sapatos, muita maquiagem ou algo sem tato, poderia colocar o vestido completamente errado. Contudo, com os acessórios certos, ele era além de bonito. Um sonho lindo de cair morto. Jamie estava apaixonada com ele. Infelizmente, de maneira nenhuma ela algum dia iria usar algo parecido ou ter um lugar para usálo também. Ela pensou no vestido de dama de honra que ela deveria usar. Ele era vermelho, mas não tão bonito quanto este. Este poderia dar as caras como um vestido de noiva. Ela suspirou enquanto continuava a olhar para a vitrine. Seja realista, Jamie. Aquele vestido parece como um manequim 40. De maneira nenhuma você vai caber em algo parecido com isto. Mesmo com sua malhação regular na academia, natação e uma nova dieta rigorosa, isto não aconteceria. Ela estava perdendo peso rápido, mas não para um manequim 40. Ela sorriu, melancólica. Se ela conseguissse perder o peso, então ela seria um arraso naquele vestido, ela simplesmente sabia disto. O que a sua mãe ou irmã diriam se elas a vissem naquele vestido? Elas teriam um ataque cardíaco ou suas bocas iriam literalmente atingir o chão. Até mesmo Stephen odiaria a si mesmo por deixá-lá. Jamie balançou a cabeça. Se ela ia perder peso, ela tinha de fazê-lo por causa dela, não por causa de algum problema mesquinho que ela tinha com sua irmã, seu futuro cunhado ou tentar gabarse para sua mãe. Ela deveria fazê-lo somente por si mesma. O vestido seria ridiculamente caro. Mais de um cheque de pagamento no seu antigo emprego. De repente, ela sorriu. E se ela comprasse o vestido e o pendurasse no closet para lembrar a si mesma de onde ela queria estar? Poderia ser um incentivo e se ela definisse metas atingíveis, ela iria sair para algum lugar naquele vestido. Provavelmente para um cinema sozinha, mas que diabos? O que era a vida se ela não tentasse vivê-la um pouco? Ela deu uma risadinha enquanto estendia a mão para a porta da loja. Isto era loucura! Ela não era um tipo de pessoa de impulso do momento. Ela não usava vestidos. Especialmente um tão sexy e bonito quanto este.


Foda-se! Aquele vestido era dela.


Capítulo 8 Na segunda-feira, Jamie passou a maior parte da manhã no seu próprio escritório. Gina telefonou avisando que estava doente e Alex enviou-lhe uma mensagem para dizer que ele estava se reunindo com clientes fora do escritório. Quando ela lhe mandou uma mensagem de volta para confirmar que ele estaria de volta assim ela poderia avisar os outros investidores e empresas de comércio, ele não respondeu. Atender ambos os telefones, o dela e o da recepção, a tinha correndo para diante e para trás entre as duas salas e incapaz de conseguir fazer qualquer outra coisa. Ela tinha um contrato que precisava ser redigido e um milhão de outras coisas para ser feitas. Estar ocupada era uma coisa boa, evitava que ela se preocupasse se Alex tinha levado as reuniões para fora do escritório como uma maneira para evitá-la depois do último encontro deles no seu apartamento. Ela tinha estado esperando que as coisas voltariam ao normal, como quando eles tinham dormido juntos. Levou semanas para encontrar o fluxo e agir de maneira normal e mesmo assim eles ainda tiveram olhares prolongados e palavras não ditas. Ou talvez fosse apenas ela. Talvez ela estivesse imaginando todaa esta merda porque ela estava com tesão por ele. Era apenas uma louca atração física. Tinha de ser. Por que outro motivo ela estava tendo sonhos molhados sobre ele? Ela preparou para si um shake de proteína e permaneceu na recepção atrás da mesa de Gina, seu notebook Mac a reboque. Após tentar telefonar para Alex uma terceira vez, ela desistiu, quase arremessando o celular no outro lado da sala em frustração. “Atenda seu maldito telefone, idiota!” ela sibilou enquanto jogava o telefone sobre a mesa. “Lembre-me de não irritá-la.” Jamie deu um pulo ao som de uma voz masculina. Mark estava parado do lado de fora do elevador, um sorriso brincando nos seus lábios, os braços cruzados. Ele conduzia a si mesmo com a mesma confiança que seu irmão. Ela congelou quando o viu. “Um, Alex não está, agora,” ela murmurou, seu rosto aquecendo. “Eu sei,” Mark disse e caminhou até ela. “Certifiquei-me que ele não estava. Não queria colocála em apuros por me ver.” Ele sorriu. “Além disso, tudo que ele teria feito é me expulsar daqui novamente.” “Você queria me ver?” Jamie ergueu as sobrancelhas. Isto não poderia ser bom. “Sim.” Mark pigarreou e mudou de posição, desconfortável. O que ela deveria fazer? Expulsá-lo ou ouvir o que ele tinha a dizer? Alex não estava aqui para tomar a decisão executiva. “Que tal irmos até o meu escritório para conversarmos?” Ela verificou o relógio e em seguida programou o telefone de Gina para atender as ligações como Gina fazia quando ela fazia sua pausa para o almoço. Mark assentiu e acompanhou-a até o seu escritório. Ele caminhou até a cadeira em frente à mesa de Jamie. “Posso sentar? Prometo tomar somente alguns minutos do seu tempo. Não quero colocá-la em apuros, mas isto é muito importante.” “Sim, claro.” Jamie fez um gesto na direção da cadeira e em seguida acomodou-se atrás da mesa na sua. Ela o observou, tomando um momento para realmente estudá-lo. Ele era parecido com Alex, mas embora ele parecesse mais velho do que Alex, Jamie sabia que ele era mais jovem. Havia círculos escuros sob seus olhos e os calos nas suas mãos eram perceptíveis, mesmo à distância e


embora ele estivesse vestido de maneira agradável, não era o mesmo gosto caro que Alex tinha. Como Alex, mas completamente diferente. Jamie não era muito de uma especialista no que dizia respeito a roupas, mas Mark vestia-se como ela — classe média — pelo menos antes que Alex lhe comprasse roupas de trabalho novas. Mark a observava ao mesmo tempo. Provavelmente se perguntando por que Alex contrataria uma pessoa como ela. Ou talvez por que ela trabalhava para uma pessoa como Alex. Havia definitivamente algo pesando intensamente na mente de Mark. “Sobre o que você quer falar?” “Nosso pai.” Mark pigarreou. “Meu pai.” Ele hesitou e Jamie notou sua mandíbula contrair enquanto ele tentava descobrir como explicar as coisas para ela. “Alex e meu pai. Ele está doente. Ele tem câncer. Alex não sabe. Ou talvez ele sabe e decidiu não reconhecê-lo.” Mark encolheu os ombros e suspirou. “Pelos últimos três meses Pai tem estado fazendo quimio e radioterapia. Mas não está funcionando. Ele não tem certeza quanto tempo lhe resta.” A linha da sua mandíbula contraiu novamente enquanto ele lutava para controlar suas emoções. Ele endireitou-se e pigarreou novamente. “Ele realmente quer fazer as pazes com todo mundo e corrigir seus erros. Ele tem tentado entrar em contato com Alex por muito tempo agora, mas ele não irá atender os telefonemas ou e-mails de Pai.” Mark passou os dedos pelo cabelo, um gesto que lembrou Jamie muito de Alex. “Tem havido muitos erros. Todos de nossa parte, mas Alex precisa vir ver Pai. Preciso convencê-lo disto.” O pai de Alex tinha câncer e ele não sabia? Isto era horrível e tão terrivelmente triste. Ela queria chorar pelo homem na frente dela e seu irmão. Ela não os conhecia, exceto por uma foto em uma parede e seu coração partiu-se pela dor que eles devem estar passando. Ela se sentiu mal por Mark, mas também por Alex. O que poderia ser tão ruim que você não queria ter nada a ver com a sua própria família? Ela tinha uma família louca e controladora e no entanto ela ainda os amava. Não o suficiente para querer o estresse de ser uma dama de honra em uma festa de casamento, mas ela não iria perder o casamento da sua irmã não importa o quão zangada ela estivesse com Christine. Alex não era um cara cruel, ele era um homem de negócios impiedoso, mas como pessoa ele era gentil e atencioso. Ela nunca o ouvi depreciar alguém bem, exceto Nicholas e Stephen, mas isto não contava realmente. Aqueles instantes foram circunstanciais. “O que faz você achar que eu posso convencê-lo?” Jamie perguntou. “Sou sua assistente. Sequer tenho estado trabalhando aqui por tanto tempo. Eu o conheço há menos de um ano.” Um fantasma de sorriso enfeitou os lábios de Mark por um breve segundo. “Isto pode ser verdade, mas eu vi a maneira como meu irmão olha para você. Nós poderíamos estar afastados, mas eu ainda consigo ler meu irmão. Posso dizer que ele a respeita.” Ele abriu a boca para dizer mais, mas Jamie o interrompeu. “Trabalho duro por este respeito. Ele tinha me pedido para ficar fora da sua vida pessoal e o que você está me pedindo não é algo que eu me sinto confortável em fazer.” Ela olhou para as suas mãos, sentindo-se envergonhada por acovardar-se e não estar disposta a ajudar. “Nunca vi Alex olhar para uma mulher da maneira que ele olha para você.” A cabeça de Jamie disparou para cima. “Acho que você está tentando um passe Hail Mary aqui, Mark. Você só nos viu na mesma sala por uma fração de segundo e naquele segundo ele gritou com nós dois e ameaçou me despedir.” Mark não fazia ideia do que Alex pensava sobre ela. “Oh, eu me lembro,” Mark disse e riu. “A última vez que Alex e eu nos vimos, cerca de uma década atrás, não foi muito bonito. Então, ele estava muito zangado em me ver novamente. Mas nada daquela raiva era dirigida para você. Ele a teria contratado de volta mais tarde naquele dia se você


não tivesse chamado a segurança.” Ele ergueu as sobrancelhas e sorriu, parecendo muito com seu irmão. “Provavelmente. Provavelmente ele a teria contratado de volta.” “Duvido muito disto.” Jamie revirou os olhos e riu. “Não posso fazer quaisquer promessas, mas irei tentar falar com ele. Se eu perco meu emprego, provavelmente ele não irá me contratar de volta novamente.” Mark sorriu, alívio nitido no seu rosto enquanto ele ria. “Obrigado,” ele disse. “Da minha parte e da minha família.” “Sem promessas,” Jamie repetiu e levantou. “Mas você leu Alex completamente errado. Tenho pouca ou nenhuma habilidade de persuassão no que diz respeito a ele, provavelmente até menos se isto diz respeito a sua família. Mas tentarei, pelo bem do seu pai.” “Isto é bom o suficiente para mim.” Mark levantou e caminhou na direção do escritório principal. “Meu voo parte em duas horas. Se ele decidir voltar, diga-lhe que o endereço não mudou, ok?” Ele apertou o botão do elevador. Jamie assentiu e engoliu em seco. Ela não fazia nenhuma ideia se sequer ia ver Alex hoje ou se eles teriam uma oportunidade para conversar. “Eu direi.” Ela sentiu-se mal por fazer uma promessa que provavelmente era incapaz de manter. Ela estendeu a mão quando a porta do elevador aabriu. “Foi um prazer conhecê-lo, Mark. Tudo de bom para o seu pai. Espero que nos encontremos novamente sob melhores circunstâncias.” “Você e eu,” ele disse e apertou sua mão. Depois que ele foi embora, Jamie afundou na mesa de Gina e gemeu. Em que diabos ela se meteu?


Capítulo 9 Alex não voltou para o escritório até depois das seis. Jamie tinha voltado para o seu próprio escritório por então e estava trabalhando na impressão de um contrato. Alex enfiou a cabeça no seu escritório. “Você ainda está aqui, Srta. Connors?” ele disse. “Por que você não vai para casa?” “Apenas terminando. Gina estava ausente doente, então tive de cobrir ambas as mesas.” Ela deu as costas para ele enquanto girava na cadeira para pegar o contrato da impressora. Quando ele não respondeu ela olhou para trás. Ele assentiu e foi fechar a porta. “Na verdade,” ela gritou, “Tenho algo para falar com você.” Ela levantou da mesa e acompanhou-o até o seu escritório antes que ele pudesse impedi-la. Alex olhou para ela, uma rajada de emoções brincando no seu rosto antes que sua máscara ilegível deslizasse de volta no lugar. “Se é sobre sexta-feira, então...” “Não é sobre sexta-feira,” Jamie disse rapidamente, pegando a cadeira no outro lado da mesa de Alex e puxando-a ao redor da mesa, assim não havia nada entre eles, exceto ar. “Não é sobre nós ou trabalho, na verdade.” “Então o que há com o arranjo dos movéis?” Alex perguntou, as sobrancelhas levantadas. Felizmente, ele não se afastou. “Isto definitivamente parece um pouco pessoal demais para assuntos de negócio e você tem certeza que não é pessoal?” Mesmo agora, Jamie podia ver um vestigio da fome nos seus olhos. Mas ela não se permitiu ficar quente com a visão disto. Ela sabia que isso teria desaparecido em um segundo e não fazia sentido entregar-se às suas fantasias tolas. “É pessoal, mas não sobre nós,” ela confirmou. “Mark veio me ver.” “Mark? Aqui?” ele rosnou. “Maldição! Eu o expulsei deste escritório. Por que diabos ele voltaria?” “Ele veio me ver.” “Por que diabos ele iria querer vê-la?” Suas sobrancelhas subiram e ele puxou sua cadeira para trás um centímetro. “Você não tem...” Ela percebeu a que ele estava se referindo e rapidamente o interrompeu. “Não! Não. Não, realmente não.” Ela revirou os olhos. “Ele veio porque você se recusou a vê-lo.” Jamie torceu as mãos juntas, de repente sem ter certeza como esta conversa ia transcorrer. Alex não ia gostar dela se intrometendo nos assuntos da sua família. Ela estava caminhando por uma linha tênue. Ela engoliu em seco. “Ele está esperando que eu poderia colocar algum juízo em você.” “Ele está errado. Seja o que for que ele quer, não vou dar.” Ele cruzou os braços sobre o peito e olhou para ela. “Dinheiro?” “Não.” “Aposto que é dinheiro. Eu lhe disse...” “Alex, seu pai tem câncer.” Ele congelou. Sua boca abriu, mas nenhuma palavra saiu. Ele a fechou novamente e olhou para Jamie, atordoado. “O que?” ele sussurrou finalmente. Jamie assentiu e sorriu com simpatia. “É por isto que ele veio. Seu pai quer vê-lo novamente.” Alex olhava para ela como se ela tivesse crescido uma segunda cabeça. Desconfortável com tentar fingir que seu chefe era apenas seu chefe, ela estendeu a mão na direção da dele e descansou levemente os dedos sobre o braço da cadeira, muito insegura para estender a mão e tocá-lo. “Mark disse algo sobre seu pai querer fazer as pazes... consertar as


coisas.” Sério? Eu tinha de dizer, ‘consertar as coisas’? Não faço nenhuma ideia qual é o problema e estou fazendo parecer como se o problema deles fosse uma colcha. “Sinto muito.” “Há quanto tempo ele tem câncer?” Jamie encolheu os ombros, impotente. Ela não fazia ideia. “Ele tem estado recebendo tratamento de quimio pelos últimos três meses. Foi o que Mark disse.” Alex balançou a cabeça. Ele olhou para a mão dela no braço da sua cadeira antes que ele se endireitasse e pressionasse os lábios juntos em uma linha apertada. Uma respiração brusca empurrou através do seu nariz. “Não importa. Não irá mudar nada. Aquele bastardo pode apodrecer no inferno pelo que me diz respeito.” Jamie recuou como se Alex tivesse batido na sua mão. Ela não conseguia acreditar que ele quis dizer isto. “Você não quis dizer isto.” Mark queria que ela tentasse falar com ele, ela teria de fazer uma tentativa. Droga, ela tinha chegado tão longe agora e conhecia as emoções que tinham atravessado seu rosto antes que ele tentasse enterrá-las atrás da raiva. “Seja o que for que aconteceu, não é importante. Não deixe sua raiva ou seu orgulho impedi-lo de vê-lo. Você irá se arrepender disto, confie em mim.” “Confiar em você?” Alex zombou. “Deixe-me dizer-lhe isto: reconciliação é impossível e meu orgulho não tem nada a ver com isto,” ele rosnou. “Você não sabe o que ele fez, o que eles fizeram. O que eles me fizeram passar. Você não faz nenhuma maldita ideia.” “Então por que você não me conta?” Jamie perguntou baixinho. “Por favor. Quero ajudar. Seu pai está morrendo e quer vê-lo novamente. Seu irmão está tentando fazer as pazes também.” Ela moveuse para frente na sua cadeira de modo que seus joelhos pressionavam os dele. “Sei que você não está feliz com as coisas como elas estão. Talvez possa ajudar a resolver isto, mas não posso fazer nada a não ser que você me conte.” Alex olhou para ela por um longo momento. Foi preciso tudo nela para não dizer nada e apenas deixá-lo em paz. Ele olhou para a parede então, os músculos na sua mandíbula trabalhando enquanto ele conseguia ses pensamentos e emoções sob controle. “É uma longa história,” ele disse finalmente. “Não estou com pressa,” ela ofereceu. Alex levantou e estendeu a mão para ajudar Jamie levantar. “Vamos dar o fora daqui. Preciso de uma bebida.” “Claro.” Ela estava apavorada que uma vez que eles entrassem em um carro ele iria mudar de ideia. “Você quer voltar para a sua casa?” Ele balançou a cabeça. “Há um bar não muito longe daqui.”

Eles acabaram em um bar na metade do caminho entre o trabalho e a casa. Um lugar distante da estrada que Jamie jamais teria imaginado Alex entrando. Era uma espécie de taberna com cabeças de veados e outros animais empalhados olhando descaradamente para você da parede. Alex apontou para uma mesa debaixo da cabeça de um alce com chifres enormes e caminhou até o bar para pegar as bebidas. Com cautela, Jamie deslizou no banco debaixo do alce, olhando para ele com desconfiança. Havia um motivo por que ninguém estava sentado perto desta área, tomara que não fosse por causa do animal acima deles. Alex aproximou-se dela alguns instantes depois, carregando duas canecas. “Eu não ...” Suas palavras pararam quando ele olhou para cima dela e em seguida de volta para o seu rosto. Ele sorriu, mas não disse nada enquanto inclinava-se com cautela e colocava uma caneca amarelo-âmbar de


aparência borbulhante na frente dela antes de sentar na cadeira no outro lado da mesa. Ele olhou para o alce mais uma vez. “É cidra. Não tinha certeza se você gostava de cerveja. Na verdade, eu realmente não sei o que você bebe, exceto uísque caro.” Ele sorriu. “E se a memória não me falha, você não bebe muito dele.” Ela corou enquanto pegava sua caneca e experimentava um gole tímido. Era borbulhante, mas leve, quase frutado. “Cidra? Uma versão de cerveja para garotas?” Ela meio que gostou do gosto e deu outro gole. Ele riu. “Mais ou menos.” Ele tomou um gole longo da sua caneca âmbar escuro. Eles ficaram sentados em silêncio por alguns instantes, ambos inclinados de maneira que eles poderiam ver os outros clientes conversando e rindo de onde eles estavam sentados. “Meu pai sempre preferiu Mark ao invés de mim,” Alex começou enquanto Jamie bebia sua bebida e em seguida colocava-a para baixo para inclinar-se mais perto assim ela poderia ouvi-lo. “Mark é alguns anos mais novo do que eu. Pai estava na Marinha e adminstrava nossa casa como ele administrava seu navio. Mark era o menino dourado. O capitão do time de futebol e beisebol. Somente notas A. Presidente do corpo estudantil. Tudo.” Jamie o observava, sem ter certeza sobre o que dizer quando ele parou de falar. Ela decidiu que esperar era a sua melhor opção. Alex falaria quando estivesse pronto. Ele brincava com o porta-copos de publicidade de cerveja debaixo da sua caneca, olhando atentamente para ele enquanto ele o girava. “Eu me sai bem academicamente, mas apenas fiz o que eu precisava me virar. As aulas não me interessavam e as atividades extracurriculares na escola com certeza não me interessavam. Eu gostava de esportes, mas não do tipo que eles jogam na escola.” Ele encolheu os ombros. “Pai odiava que eu não iria me esforçar. Ele estava sempre me dizendo que eu deveria ser mais como Mark. Que eu acabaria em lugar nenhum se eu não melhorasse a minha performance.” Ele olhou para ela rapidamente antes de olhar para baixo novamente, perdido ans suas próprias lembranças. “Suas palavras apenas me irritaram. Eu tentava cada vez menos na escola, saia com os garotos que eu sabia que ele odiaria. Fumava, fumei maconha. Qualquer coisa para irritá-lo. Funcionou, eu acho. Ele começou a telefonar para a minha escola semanalmente para verificar minhas notas, se eu estava matando aula, ver se eu tinha me metido em confusão. Eu juro, ele telefonava para cada um dos meus professores todas as sextas-feiras para ver se havia algum dever de casa perdido e se houvesse, eu não estava autorizado a deixar o meu quarto até que ele fosse feito.” Alex engoliu em seco. “E se ele achava que eu estava mentindo, ele iria se certificar que eu fizesse um trabalho extra.” “Isto parece agressivo,” Jamie aventurou-se. “Talvez ele estivesse fazendo isto porque amava você. Queria que você empurrasse a si mesmo ao invés de se meter em confusão.” “Sim, foi exatamente o que o meu eu de dezesseis anos de idade pensou,” ele zombou. “Fiz o meu melhor para manter meu ressentimento por Mark sob controle. Afinal, não era sua culpa que ele fosse tão perfeito, certo? Eu poderia lidar com meu pai me chamando de vagabundo e me obrigando fazer as tarefas de Mark sempre que Mark tinha um jogo, mas eu me ressentia disto. Ele tinha de ser tão perfeito e não tinha nenhum problema em me lembrar quão incrível ele era. Ele era arrogante, como qualquer garoto adolescente que tinha tudo, junto com a garota mais popular da escola.” Ele revirou os olhos e Jamie teve a sensação, sem perguntar, que Mark pegou a garota de Alex. Ou talvez a garota trocou de irmãos por causa da popularidade. “Comecei a entrar em confusão na escola com mais frequência. Brigas, colando nas provas, tanto faz. Então eu fui expulso e meu pai surtou. Claro, isto apenas tornou minha vida doméstica ainda pior, dando me mais raiva com a qual eu não sabia lidar. Então um dia, foi demais.” Alex fez uma pausa novamente e olhou para a sua caneca vazia.


Jamie o observava, sentindo pena do adolescente que nunca foi aceito pelo seu pai por quem ele era. Tinha seu pai apenas... o que? Ficado sentado silenciosamente atrás de um telefone enquanto a mãe gabava-se continuamente sobre quão perfeita uma filha era e quão gorda a outra era? Ela balançou a cabeça, compreendendo seus sentimentos de adolescente mais do que ele sabia. Ela tinha visto Alex zangado e com remorso antes, mas isto era diferente. Isto era ... vergonha. Muita. Ela tomou outro gole da sua cidra e esperou que ele continuasse quando estivesse pronto. “Entrei em uma briga feia com um garoto na escola,” Alex disse finalmente. “Ele tinha estado brincando com seus amigos sobre como sua namorada tinha finalmente deixado que ele transasse. E eu uso a palavra ‘deixado’ de maneira incrivelmente vaga. Eu podia dizer pela maneira como ele estava descrevendo isto que as coisas não foram completamente consensuais e eu sabia que sua namorada estava chorando no banheiro feminino enquanto ele descrevia para todo mundo, no meio do corredor, os atos sexuais que ela tinha lhe implorado para fazer. Isto me abalou, merda como esta em particular. Então, eu esperei depois da escola que ele viesse até o seu carro e em seguida comecei a socá-lo o mais duro que eu conseguiria. Descontei dezesseis anos de raiva naquele pobre garoto e deixei-o quase inconsciente ao lado do seu carro. Eu lhe disse que se ele sequer tocasse aquela garota novamente, eu ia voltar e terminar o serviço.” “Oh meu deus,” Jamie sussurrou. Alex não conseguia sequer olhar para ela e Jamie podia ver suas mãos tremerem quando ele pegou sua bebida e a engoliu. “Sou muito diferente agora,” ele disse fracamente. “Não perco meu temperamento mais assim.” Jamie percebeu que ele estava realmente suplicando-lhe para concordar. Ele precisava da sua aprovação e ele estava apavorado que ela não iria dá-la agora que ela sabia o que ele tinha feito. Ela estendeu a mão e tocou a mão dele. “Eu compreendo por que você fez isto,” ela disse simplesmente. “Não vou dizer que estava tudo bem você se perder assim, mas suas intenções são completamente admiráveis.” Alex olhou para ela, surpreso. “Você realmente acha isto?” “Acho. Quero dizer, mal posso dizer que foi errado de você. Mais ninguém se levantou por aquela pobre garota. Você fez o mesmo por mim.” Alex deu um suspiro de alívio e apertou seus dedos. “Obrigado,” ele disse. “Tinha certeza que você iria achar que sou um monstro.” “Você nem chega perto de ser um monstro,” ela riu. “Talvez um demônio de empresário, mas isto não o torna um monstro.” Ele sorriu fracamente. “Meu pai discordaria. Ele ficou furioso quando descobriu. Só que, em vez de apoiar seu filho ou até mesmo tomar a porra do tempo para perguntar porquê eu tinha feito isto, ele simplesmente presumiu que eu era culpado. Quando o ordinário chamou os tiras e prestou queixa, meu pai o apoiou. O idiota estuprou sua namorada e então eu era o cara malvado por agir! Você teria pensado que meu pai teria ficado orgulhoso. Ele poderia estar irritado comigo por bater no idiota, mas ele deveria ter ficado orgulhoso que eu defendi outra pessao que era mais fraca e incapaz de se defender. Este não era todo o maldito motivo pelo qual ele estava na Marinha. Para servir a justiça e toda aquela merda?” Alex olhava para ela, seus olhos brilhantes e zangados. “Não sei.” Jamie tentou sorriu e sentiu seus olhos ardendo com as lágrimas que ela não queria que caíssem. “Você me defendeu e me protegeu quando Stephen apareceu bêbado.” “Bem, passei três meses no reformatório. Sem agradecimentos ao Capitão Reid da Marinha.” Alex brincava com os dedos de Jamie, não querendo deixar o conforto da sua mão. “Fiquei lá por três meses e nenhuma vez meu pai ou até mesmo o maldito Mark vieram me visitar. Era como se


todos eles estivessem constrangidos! Minha própria família não suportava olhar para mim. Quando vim para casa, meu pai não falou ou até mesmo fez contato visutal comigo. Ele me enviou para um internato tão logo eu sai do reformatório e em seguida me matriculou em um campo de treinamento de recrutas para o verão.” Jamie olhava para ele, horrorizada com o que ele tinha passado. Por que eles fariam isto com ele? “Eu estava com dezessete — quase dezoito anos — quando fui embora. Eu me formei cedo somente porque fui capaz de me qualificar ao passar no teste. Eu me mudei para o mais longe que eu poderia conseguir de onde eu vim. Consegui um emprego servindo mesas para passar pela faculdade. Quando estava com dezenove anos fiz o meu primeiro investimento e comecei a pesquisar o mercado de ações e Wall Street. No momento em que me graduei como bacharel em administração, eu já estava fazendo o suficiente dos meus investimentos para sobreviver, muito bem, na verdade. Comecei a minha própria empresa de consultoria financeira na semana em que eu me formei.” “Isto é incrível.” “Eu estava determinado a fazer algo de mim mesmo e provar para aquele bastardo que ele estava errado todas as vezes que ele me chamou de vagabundo preguiçoso.” “É por isto que você trabalha tão duro?” Jamie perguntou. “Porque você está zangado com seu pai?” Ele balançou a cabeça e soltou sua mão para que ele pudesse caminhar até o bar para pegar outra bebida para eles. “Começou assim,” ele admitiu. “Em seguida isto se tornou uma obsessão. Quanto mais dinheiro eu fazia, mais fácil era fingir que eu era outra pessoa. Alguém que não tinha um passado ferrado e um pai idiota. Ou um irmão que nunca tentou me apoiar.” Ele fez uma pausa quando o bartender colocou duas canecas novas sobre a mesa. Alex tomou um gole e em seguida pigarreou. “Não me interprete mal, eu tentei manter um relacionamento com meu irmão e minha mãe. Afinal, eles eles eram inocentes nisto. Contudo, eles permitiram que ele ficasse zangado comigo e nunca tentaram me defender. Eu me recusava a ir para casa no Natal, nunca telefonava nos aniversários, nada. Permaneci em contato brevemente com Mark, mas quando ele começou a me pressionar para fazer as pazes com Pai, eu o afastei. Ele tomou o lado do meu pai, é claro e me disse para me desculpar. A última vez que vi Mark, isto acabou em uma briga com ele quebrando o nariz e eu com um olho roxo. Isto foi dez anos atrás. A próxima vez que eu o vi foi quando ele entrou no meu escritório.” “Sinto muito,” Jamie disse. “Eu não fazia ideia.” Ele encolheu os ombros. “Agora você faz. Então não me peça para ser simpático com a minha família. Eles estão melhor sem mim e eu estou melhor sem eles.” Ele pegou sua caneca e apontou a borda na sua direção. “É parecido com a sua família, de certa maneira. Sua irmã é uma cadelinha mimada que sua mãe não consegue parar de tentar polir e lustrar. A única diferença é que você lida com isto muito melhor do que eu.” “Dificilmente,” Jamie disse e traçou os grãos de madeira sobre a mesa com o dedo. “Eu praticamente tenho sido uma desmancha-prazeres a minha vida toda. Tentei me curvar aos desejos e caprichos da minha família. Droga, fui até mesmo demitida da posição de dama de honra da minha irmã. Não rebaixada, mas praticamente expulsa do casamento.” A cabeça de Alex levantou rapidamente. “O que?” ele disse. “Por que você não me contou?” “Aconteceu na sexta-feira, não exatamente uma notícia para compartilhar em um brunch de trabalho.” “Oh merda!” Alex passou os dedos pelo cabelo. “Sinto muito, Jamie. Isto é tudo minha culpa.”


“Não, não é. Não fiz o que elas queriam e minha irmã surtou. Finalmente estou conseguindo um pouco de determinação. Isto por causa do meu trabalho. Eu deveria estar lhe agradecendo.” Ela tentou sorrir, mas a decepção de não atender as expectativas da sua irmã doeu mais do que ela achou que que iria. “Estava tentando melhorar as coisas e em vez disto estraguei tudo novamente.” “O que você quer dizer?” Jamie não fazia ideia sobre o que Alex estava falando. “Não consegui superar como Stephen tinha lhe agredido no estacionamento e fiquei preocupado que ele faria isto novamente. Já que ele está casando com sua irmã, ele sempre estará na sua vida e a última coisa que eu quero é que algo como aquilo aconteça novamente quando eu não estiver por perto para protegê-la.” “O que você fez?” Jamie sussurrou. Sua frequência cardíaca gaguejou e cantou com entusiasmo em um ritmo rápido. “Ameacei Stephen.” Alex olhou para ela, raiva brilhando nos seus olhos com a lembrança. “Eu lhe disse que se ele não ficasse longe de você ou se ele a deixasse desconfortável de qualquer maneira, eu ia destruir a empresa do pai dele. Eu poderia comprá-la bem abaixo do seu valor real e em seguida destruí-la e certificar que ninguém jamais iria saber que ela existiu. Não somente isto destruiria a vida de trabalho do seu pai, mas iria ia expulsar Stephen do seu estilo de vida fácil e confortável de maneira eficaz. Acho que ele disse para sua irmã expulsá-la do casamento.” Ele balançou a cabeça. “Sinto muito, Jamie. Eu estava tentando ajudar. Irei consertar isto, ok? Irei explicar tudo para Christine e...” “Não.” Jamie balançou a cabeça, sorrindo de repente. Ela não podia deixar de se sentir orgulhosa e estranhamente animada com a ideia de Alex ameaçando Stephen para protegê-la. Ela sabia que um movimento insensível como este poderia arruinar sua reputação se a imprensa conseguisse o giro certo sobre isto. Mas ele estava disposto a fazê-lo para protegê-la? “Não queria o trabalho de dama de honra de qualquer maneira. Era um trabalho exaustivo e eu tinha de lidar com reclamação de Christine e para que? Um vestido de sereia feio, manequim 40? Definitivamente não vale a pena.” Ela riu de novo. “Você realmente ameaçou Stephen?” Quando ele assentiu, ela continuou, “Foi realmente doce que você fez isto em meu nome.” Alex sorriu, hesitante. “Realmente doce? Eu estava meio que pensando que isto foi bárbaro e viril.” “Sim,” ela riu. “Muito bárbaro e valentão e como um monstro. Provavelmente você não deveria ter, mas aprecio você arriscar sua reputação pela sua assistente.” Alex pegou a sua mão e pressionou os lábios nos nós dos seus dedos, o que fez o coração de Jamie gaguejar novamente. “Eu finalizaria a ação em um piscar de olhos,” ele disse. “Você é mais importante para mim do que qualquer outra coisa.” Jamie engoliu em seco. Eles estavam cruzando uma linha que ela não tinha certeza se eles deveriam cruzar ou até mesmo certeza se eles já teriam cruzado. Alex pareceu percebê-lo ao mesmo tempo. Ele endireitou-se de repente e largou sua mão. “Quero dizer, eu estaria perdido sem você como minha assistente. Ninguém pode fazer o que você faz. Eu jamais seria capaz de contratar outra pessoa porque ela não existe. Você é uma parte super-mulher ou algo assim.” Ele sorriu, mas isto pareceu forçado Talvez Mark tivesse estado certo sobre os sentimentos do seu irmão afinal. Mas pensar sobre Mark lembrou-lhe por que eles estavam ali. “O que você está planejando fazer sobre a sua família?” Ele suspirou e apertou a ponte do seu nariz como se de repente, ele tivesse uma dor de cabeça terrível. “Irei vê-los,” ele disse finalmente.


“Você irá?” Ela não conseguiu esconder o alívio na sua voz. “Mas somente se você vier comigo.” Ele a chocou com as suas palavras. “Você é a única pessoa em quem eu confio com esta informação. Podemos continuar a trabalhar e garantir que a empresa funcione sem problemas.” De alguma maneira ele tinha conseguido transformar esta viagem pessoal em algo relacionado aos negócios. Ela compreendia o seu raciocinio, mas não tinha certeza se conseguiria manter seus sentimentos apenas como negócios. Contudo, ele precisava dela. Isto a apavorava e alegrava ao mesmo tempo. Ela jamais iria compreender por que ele tinha tanta fé nela. “Tudo bem.” Jamie assentiu lentamente. “Eu irei. Mark disse que eles ainda estavam no mesmo endereço...” “Conheço o lugar.” Alex pegou sua cerveja e a liquidou.


Capítulo 10 Eles dirigiram para casa em silêncio. Enquanto puxavam para a extensa entrada para a casa de Alex, ele começou a falar. “Se você está desconfortável em vir...” “Eu ficarei bem. Posso resolver as coisas no escritório amanhã, limpar sua agenda e garantir que haja um substituto temporário para cobrir Gina se ela ainda estiver doente.” Ela tirou seu telefone e viu que tinha perdido uma chamada de Nicholas e uma mensagem de Gina. “Parece que Gina está de volta aos negócios.” “Bom.” Ele estacionou o carro na garagem. “Tem certeza que você está bem em vir?” Ele desligou a ignição e virou-se para olhar para ela. Ela hesitou, sem ter certeza se ele estava tendo dúvidas sobre convidá-lara para ir junto. Talvez isto tivesse sido no calor do momento e agora, tendo uma oportunidade para pensar sobre isto, provavelmente ele não tinha certeza se a queria perto da sua família. Ele poderia estar constrangido. “Cabe a você, Alex. Posso ir com você ou posso ficar aqui e gerenciar o escritório.” Ela mordeu o lábio, esperando que sua resposta iria deixá-lo decidir o que ele queria e não forçá-la a tomar a decisão. Alex abriu a porta do carro e saiu. “Tudo bem. Irei avisá-la de manhã.” Ele caminhou na direção da porta que conduzia para a sua casa enquanto Jamie saia do carro. “Vejo você de manhã, Jamie. Obrigado.” Ele desapareceu atrás da porta, deixando-a fechar automaticamente atrás dele. Jamie ficou parada na garagem sozinha e finalmente se moveu quando a luz do dispositivo automático para abrir a porta da garagem apagou. Ela moveu-se rapidamente então, sentindo-se constrangida. Ela saiu pela porta lateral e deu a volta até a sua suíte. O sol tinha se posto e as luzes automáticas piscavam quando ela passava por elas. O céu noturno já tinha estrelas cintilando através dele como uma poeira cintilante. Ela não sabia o que pensar ou como impedir seu cérebro de pensar sobre Alex. Talvez seria melhor se ela não fosse. Ela estava se esforçando tanto para manter seu coração fora do seu trabalho, mas seus sentimentos continuavam saltando de volta. Ela queria que Alex visse sua família, fosse capaz de se despedir do seu pai, contudo, ela realmente precisava estar lá? Às vezes parecia que Alex estava puxando-a na direção dele e em seguida parecia que ele estava empurrandoa para longe. Ele deixou claro que ele precisava dela como sua AP, mais nada. Ele tinha acabado de ir embora com alguma mulher, pelo amor de Deus! Ele não a queria na sua cama. Ela iria manter tudo profissional. Se ele queria que ela viesse — para onde eles estavam indo, de qualquer maneira? Ela chutou uma pequena pedra no passeio. Se ele precisava que ela fosse junto, seria completamente relacionado a negócios. Mais nada. Não haveria nenhuma interrupção pessoal da parte dela. Ela poderia manter tudo isto profissional. De novo. Ela destrancou a porta do seu apartamento e bateu na testa quando entrou. Merda! Ela ia ter de pedir uma carona para o trabalho amanhã. Ela tinha saído com ele e seu carro ainda estava no estacionamento no trabalho. De novo. Seu telefone vibrou no bolso da sua jaqueta. Ela o tirou para fora e viu o nome de Nicholas na tela. “Agora não,” ela murmurou, tentada a enviar seu telefone para o atendimento automático. Em vez disto, ela tirou a jaqueta enquanto atendeu o telefone. “Ei, Nicholas.” Ela precisava dizer-lhe que não estava interessada em namorar. Pelo menos não agora.


“Olá, Jamie,” Nicholas respondeu, soando animado. O estômago de Jamie agitou-se. Ou ela iria iludi-lo ou estragar totalmente o seu bom humor. Então Nicholas a surpreendeu. Ele pigarreou. “Provavelmente você acha que estou prestes a convidá-la para jantar, mas na verdade estou lhe telefonando para lhe dar um fora.” “Um fora?” “Sim, você veja, a caminho de casa do trabalho, fui parar no meu bar favorito para uma bebida. É um antro local. Ótimas asas de frango.” Ele hesitou, como se esperando que ela dissesse algo. Jamie não sabia o que dizer. “Notei o Sr. Alex Reid no canto, perto do alce. Você estava lá. Pareceu uma conversa bastante intensa, você sequer me notou.” Jamie gemeu. “Não é o que você acha,” ela disse. “Ele é o meu chefe. Estávamos apenas tendo uma reunião rápida de negócios. Mais nada.” Fraco. Realmente fraco, Jamie. “Você não tem de se explicar, Jamie,” Nicholas disse. “Realmente não é da minha conta. Seja sobre o que fosse a reunião, eu vi a maneira como você olhava para ele e eu sei que você não está disponível para jantar.” Jamie ficou em silêncio, muito constrangida para dizer qualquer coisa. Nicholas riu gentilmente. “Ouça, sem ressentimentos, ok? Ainda estou feliz em encontrá-la para jantar, se você quiser.” Ele não ia deixá-la escapar tão fácil, não é? Ela estava deixando escapar um cara realmente doce. Alex tinha mencionado que Nicholas não era pobre e ele não confiava no cara. Ele não poderia ter estado mais errado. “Alex e eu não estamos namorando.” “Ainda.” Ele riu. “Não permita que ele seja um idiota e estrague tudo. Olhe, tenho de ir. Mantenha meu número, se as coisas mudam.” “Eu irei. Claro. Obrigado. Uh, vejo você?” Ela sabia que soava como uma idiota, mas ela não sabia o que mais dizer. Após desligar, Jamie jogou-se na sua cama. Nicholas estava certo. Ela não poderia negar que tinha sentimentos por Alex que estavam longe de ser profissionais, independentemente de quais eram os seus próprios sentimentos. Ela estava enganando a si mesma se achava que poderia mantê-lo profissional. Isto não ia acontecer. Ela queria gritar no travesseiro. Maldição! Primeiro, ela se apaixonou pelo filho do chefe e deixou isto falhar espetacularmente. E agora ela estava apaixonada pelo seu chefe. Seu telefone vibrou na sua mão. Ela o levantou para verificar quem estava chamando. Era uma mensagem de texto de Alex: Voo reservado. Partimos ao meio-dia. **** Mesmo sob as circunstâncias, Jamie não pode deixar de ficar excitada sobre viajar de primeira classe. Os assentos eram enormes! As pessoas olhavam para você com inveja enquanto se dirigiam para a lata de sardinha atrás deles. Eles eram os únicos na primeira classe. A aeromoça continuava vindo oferecendo uma bebida e Alex, parecendo que ele poderia realmente precisar de uma, educadamente disse não. Eles mal tinham conversado no escritório. Jamie tinha acordado cedo, ido para um treino na esteira e em seguida feito as malas. Ela tinha estado prestes a chamar um táxi quando Alex bateu na sua porta e disse que estava indo para o escritório, se ela queria uma carona. Ela não tinha argumentado e esta foi a última vez que eles falaram, até que ele lhe disse que era hora de ir para o aeroporto. Incrivelmente constrangedor. Ela o odiou.


“Você ainda está planejando ir ao casamento?” Alex perguntou subitamente. Jamie olhou para ele a partir do livro que ela segurava, mas não tinha estado lendo. “Não sei.” Ela encolheu os ombros. “Eu meio que estava esperando para ver se ela iria telefonar para mim.” Ela colocou o livro para baixo. “Ela tinha estado telefonando e me mandando mensagem cinco a vinte vezes por dia. Agora isto parou completamente. Parece estranho.” “Você deveria ir. Poderia ser bom lhe dar uma boa dose de sentir-se pequena,” Alex disse, seu rosto não revelando nada. “Você está bem. Você perdeu peso. Você está confiante. Você tem um inferno de emprego para se gabar.” Ele piscou para ela. “Você deveria aparecer parecendo incrivelmente maravilhosa e ela irá desejar que você ainda fosse sua dama de honra, em vez de qualquer amiga ossuda e amarga que ela escolheu.” Jamie riu. “Está tudo bem. Não estou em vingança.” Ela sorriu, feliz que ele estava falando com ela novamente. “Não acho que eu irei me divertir. Além disso, ela acha que ossudo é ótimo.” “Talvez exista outra maneira de se vingar dela, então.” Ele bateu o dedo no braço de couro da sua cadeira. “Você precisa de um acompanhante. Alguém para surpreendê-la e todos os outros. Eu deveria levá-la! Stephen me disse, depois que contratei você, que Christine falou continuamente sobre como você ia sentir tesão por mim e jamais teria uma oportunidade. Eu nunca estaria interessada em uma garota como você.” Jamie corou. “Ele lhe disse isto?” “Várias vezes. Tenho tido muitos desentendimentos com a sua família para me dar ao trabalho de contar. Não consigo suportar a minha, mas a sua... eles são loucos.” Ele riu. “Ela odiaria se nós aparecêssemos juntos, tenho certeza.” Ele levantou a mão. “Você está vindo junto nesta viagem por mim. Permita-me igualar as coisas e ajudá-la com isto.” Seu estômago caiu. Ele não estava se oferecendo para ir porque ele queria, ele estava fazendo isto para manter as coisas justas. “Você não iria querer ir a este casamento. Você sequer gosta da noiva e do noivo.” “Não, mas isto são negócios.” Alex sorriu de maneira sombria. “E quero fazer Stephen perceber que ele escolheu a irmã errada para mexer.” Jamie estremeceu. Somente Alex iria considerar uma ameaça um acordo de negócios. “Tentar me vingar de Christine parece esforço demais. Prefiro apenas deixar tudo ir e seguir em frente com a minha vida.” “A decisão é sua para tomar. Apenas saiba que a oferta está lá, se você quiser.” Ele endireitou-se no seu assento quando o sinal para apertar os cintos de segurança acendeu. “Não gosto de dever favores às pessoas, mas eu sempre pago.” Ela olhou para ele por um momento e em seguida suspirou. “Está tudo bem. Você não me deve nada. Estou feliz em ajudá-lo com isto.” Como uma amiga. “Sinto muito que eu fiz você perder seu encontro com Nicholas.” Ele pigarreou. “Eu vi isto na sua agenda... nossos calendários estão conectados.” Ele desviou o olhar de repente. Jamie arqueou a sobrancelha. “Está tudo bem,” ela disse. “O encontro foi cancelado, de qualquer maneira. Nick nos viu naquele bar na noite passada. Tentei explicar, mas ele ...” Ela balançou a cabeça. “Não importa, eu acho.” Alex fez uma careta e um olhar de arrependimento passou pelo seu rosto. “Sinto muito. Irei falar com ele quando voltarmos e explicar.” “Está tudo bem.” Jamie descansou a cabeça na almofada de couro. “Após pensar sobre isto, realmente não queria ir no encontro afinal. Não estou atraída por ele.” Tinha ela dito a última parte em voz alta? Merda!


“Sério?” “Sério.” Maldição! Alex sorriu. “Bom.” Imediatamente ele se recompôs. “Quero dizer, bom saber. Não tenho de me sentir mal por arruinar seus planos.” Jamie lutou contra o desejo de rir. Ela quase nunca via Alex perder a sua fachada como ele perdeu neste momento. Ela seria uma idiota por não apreciar o momento. Ela acomodou-se para esperar o avião aterrissar.

O destino deles era a Filadélfia. Alex tinha crescido nos subúrbios fora da cidade em um bairro de classe média. “Não consigo acreditar que eles não se mudaram,” Alex murmurou enquanto uma limusine os levava para o hotel. “Sou um bilionário, pelo amor de Deus. Só porque eu não quero passar um tempo com eles, isto não significa que eu não lhes daria dinheiro.” Jamie não disse nada. Ela se perguntou, se ele já tinha oferecido ou estava constrangido que eles não tinham se mudado. Antes que ela começasse a trabalhar para ele, ela tinha pesquisado no Google seu nome e não descobriu nada na internet sobre a sua família. Ela tinha presumido na época que seu dinheiro comprou a privacidade. Ele poderia comprar todo o resto, então por que não? Alex tinha reservas em uma suíte na cobertura no Rittenhouse Hotel. Havia dois quartos, mas a ideia de dormir tão perto de Alex enviou um arrepio através de Jamie. Ela colocou suas malas no chão no seu quarto e desfez as malas. A lugar era ridiculamente extravagante. Ela caminhou ao redor, olhando os detalhes caros e a mobília. Quando ela entrou no salão conectando os quartos, ela encontrou Alex no sofá, a cabeça entre as mãos. “Não sei se deveríamos fazer isto.” Ele olhou para cima, o medo evidente nos seus olhos. Ele parecia como um adolescente, perdido e com medo. “Você chegou até aqui,” Jamie murmurou baixinho, desejando estender a mão e passar os braços ao redor dele. Ela abraçou a si mesma ao invés disto. “Você pode fazer isto.” “Não sei.” “Ele é seu pai e ele está morrendo. Se você não fizer isto, você vai se arrepender disto pelo resto da sua vida.” Alex assentiu e levantou. “Vamos acabar com isto então.” Ele endireitou a gravata e enquanto vestia o paletó, seu rosto ficou ilegível novamente. Isto rasgou Jamie aos pedaços. Ela sabia o que ele estava sentindo por dentro e desejou que pudesse tirá-lo. Ela também sabia que não deveria estar aqui. Isto ia arruinar qualquer oportunidade dela, algum dia, ter um relacionamento com qualquer outra pessoa novamente. Você não se apaixonou por Alex Reid e pegou os pedaços para seguir em frente. Você os deixou espalhados ao vento, seu coração estilhaçado e quebrado pelo resto da sua vida.


Capítulo 11 A limusine estava esperando no lado de fora quando eles saíram da Rittenhouse. Alex orientou o motorista para levá-los diretamente para o hospital. A viagem ficou longa e silenciosa. Alex manteve a cabeça baixa, enviando mensagens de texto no seu telefone e examinando suas mensagens. Jamie, por outro lado, olhava pela janela ficando cada vez mais nervosa enquanto os segundos passavam. Imagens de Alex gritando com Mark ou surtando ao lado do leito do seu pai passavam pela sua mente. E se isto fosse um erro enorme? Ele iria culpá-la se as coisas azedassem. Ela não o culparia, foi ela quem o pressionou para abrir a porta para o passado e ir ver sua família. Ela cruzou os dedos e esperou pelo melhor. Lá no fundo ela sabia que isto era a coisa certa a fazer e Alex precisava disto tanto quanto a sua família. O nervosismo a estava deixando preocupada. Ela mordeu o lábio e continuou a olhar pela janela enquanto eles puxavam até uma das entradas do hospital de concreto, de pedras cinzas. Ironicamente, as nuvens tinham preenchido o céu e parecia pronto para chover. Alex foi até a recepção e perguntou pelo quarto do seu pai. No elevador, Alex pegou sua mão e deslizou os dedos entre os dela. Ele não disse nada e nem ela. A porta do elevador abriu e Jamie viu Mark caminhando na sala de espera no andar do seu pai. Ele congelou quando os viu. Alex hesitou no elevador, apertando a mão de Jamie com tanta força que doeu. Ela não fez nenhuma tentativa para se afastar. Os dois irmãos olhavam um para o outro, sem falar ou se mover. Jamie finalmente deu um passo para frente, com medo que a porta do elevador iria fechar e levá-los de volta para o andar principal. “Ei, irmão.” Mark falou primeiro e pigarreou. Ele acenou com a cabeça para Jamie. “Oi Jamie. É bom vê-la.” “Mark.” Aquela única palavra, cheia de emoção e no entanto dura como uma pedra. “Pai está esperando por você.” Mark enfiou as mãos nos bolsos de trás do seu. “Ele só pode ter um visitante por vez. É o 203.” “Eu sei o quarto.” A voz de Alex estava dura, dura como aço. Ele largou a mão de Jamie como se ela o queimasse e caminhou pelo corredor, deixando Jamie sozinha com Mark. Jamie sentou-se em um dos assentos na sala de espera. Ela deu um longo suspiro pela boca. A tensão na sala poderia ser cortada com uma faca, tão densa ela estava. Ela tinha ouvido este termo antes, mas nunca o compreendeu completamente até aquele momento. “Obrigado por consegui-lo aqui,” Mark disse quando sentou ao lado dela. Jamie assentiu. Ela não sabia o que dizer. Parte dela estava zangada com o adolescente Mark por não apoiar seu irmão. Ele a observou atentamente por um momento. “Então, ele lhe contou sobre tudo?” “Sim,” ela disse finalmente. “É uma história e tanto.” “Estou contente que ele engoliu seu orgulho e veio. Não era certo da parte dele ignorar Pai todos estes anos, mas finalmente ele está se recuperando no fim.” Jamie franziu o cenho. “Isto é o que você acha? Que isto é culpa de Alex?” Mark olhou para ela, surpreso. Jamie ignorou o olhar. “Se seu pai realmente o queria por perto, então por que ele não veio e se desculpou? Para um pai que passou um tempo nas forças armadas, por que diabos ele tem favoritos? Você é o filho bom, certo? Não pode fazer nada errado?”


As sobrancelhas de Mark franziram. “Sobre que diabos você está falando? Não houve qualquer favoritismo!” Jamie olhou para ele. É claro que ele não veria isto como favoritismo. Sua irmã iria reagir da mesma maneira. Eles estavam cegos para os maus-tratos. “Alex me contou tudo. Honestamente eu não o culpo por ficar longe quando seu pai foi tão terrível com ele.” Ela balançou a cabeça, desgostosa. “Seu próprio pai! Testemunhando contra o seu filho no julgamento.” “Porque Alex mereceu!” A voz de Mark levantou. “Ele quase matou um garoto!” “Ele lutou com alguém da sua própria idade para proteger uma garota inocente! Independentemente, seu pai não deveria ter ficado contra ele. Você acha que ele teria feito o mesmo se fosse você?” “Sim!” Mark gritou e em seguida abaixou a voz. “Porque o que Alex fez foi errado! Não foi nobre como ele quer que você acredite!” Mark balançou a cabeça, olhando para ela com olhos zangados e escuros. “Quer saber? Você deveria ficar fora dos nossos assuntos de família.” “Por que? Porque você e seu pai passaram tantos anos acreditando na história que vocês têm contado que você não consegue vê-la de outra maneira? Você não consegue admitir que talvez você estava errado? Muito orgulhoso para se desculpar super-menino?” Ela levantou, irritada que ela tinha pensado que ele era uma pessoa doce. Ele desempenhou o papel para usá-la para conseguir Alex aqui. “Cale a boca!” Ele agarrou seu braço e o apertou dolorosamente. De repente, Alex apareceu do nada. Ele agarrou Mark pelo colarinho, seus olhos brilhando enquanto ele o jogava contra a parede. Ele estava na cara de Mark imediatamente. “Jamais a toque novamente,” ele sibilou, sua voz mortalmente tranquila. “Ou eu irei matá-lo, eu juro.” Jamie olhou para cima para ver as enfermeiras no posto de enfermagem levantarem. Uma levantou um telefone, provavelmente para chamar a segurança. “Alex, Mark, vocês dois, acalmemse.” Ela estendeu a mão para o braço deles e tentou separá-los. Mark a afastou com um rosnado, o que enfureceu Alex ainda mais. “Alex? Mark?” “O que?” ambos os homens gritaram para uma enfermeira mis velha, de rosto pálido. “O pai de vocês não tem muito tempo,” ela disse. “Ele pediu para ver vocês dois.” Ela olhou para eles, de maneira severa. “Sugiro que vocês se comportem por alguns minutos.” Mark respirou fundo e afastou-se do seu irmão para seguir a enfermeira. Alex agarrou a mão de Jamie e a puxou com ele. Jamie deixou escapar uma respiração trêmula. Os ânimos estavam elevados e isto não parecia que ia ser a reunião de família feliz que ela tinha esperado. O pai de Alex parecia incrivelmente frágil, mas seus olhos, o mesmo azul brilhante que os olhos de Alex e Mark, ainda estavam alertas, assim como os olhos dos seus filhos. Ele olhou cansado para os seus dois filhos e em seguida lentamente desviou para Jamie. Ele conseguiu um sorriso, mas até mesmo este movimento simples pareceu cansá-lo. “Você deve ser Jamie,” ele chiou. “Tenho ouvido muito sobre você...de ambos.” “Pai, descanse,” Mark disse. “Não se esforce.” Ele deu um passo para frente e pegou a mão do seu pai. “É muito tarde para isto, filho.” Ele acenou a mão para longe. “Não tenho muito tempo agora. Mas precisava de vocês dois aqui.” Ele respirou superficialmente enquanto reunia suas forças. “Eu fiz as pazes com Alex. Mas preciso que vocês dois me prometam agora, que quaisquer problemas comigo, não irão impedir vocês dois de ter um relacionamento no futuro.”


Os irmãos se entreolharam e por um segundo Jamie teve certeza que eles iam começar a discutir. “Prometam.” A voz do pai deles estava tão fraca que era quase inaudível. “Por favor.” “Tudo bem,” Alex disse. Ao mesmo tempo que Mark disse, “Irei tentar.” “Bom.” O homem fechou os olhos, sua respiração errática. “Estou cansado agora.” “Pai...” Mark sussurrou. “Espere.” A enfermeira deu um passo para frente. “Que tal deixarmos seu pai descansar agora?” Mark assentiu e saiu do quarto com a enfermeira. “Pai?” Alex inclinou-se mais perto do ouvido do seu pai. “Eu...eu sinto muito. Por tudo.” Seu pai sorriu fracamente, os efeitos das drogas e do câncer cobrando seu pedágio. “Você não tem nada que se desculpar. Você se saiu melhor do que eu jamais poderia ter imaginado.” Alex inalou bruscamente e uma lágrima escorreu pelo seu rosto. Jamie tocou seu braço e ele a puxou para perto dele, seus ombros tremendo. Eles ficaram sentados no quarto do hospital com seu pai, sem falar, mas de mãos dadas e observando o monitor e a respiração superficial do seu pai. O médico tinha explicado que seu pai iria entrar em coma agora e provavelmente não acordaria novamente. Alex assentiu e fez algumas perguntas. Ele tinha ido até o posto de enfermagem para garantir que as contas médicas e tudo estivesse coberto também. Mark entrou esporadicamente e voltou mais tarde, à noite, com a sua esposa. Eles fizeram apresentações breves e ficaram sentados em silêncio. Alex puxou Jamie para o corredor para dar uma caminhada enquanto Mark e sua esposa ficavam com seu pai. “Meu pai me deu uma carta,” ele disse enquanto eles desciam a escada para o andar principal para pegar um café. Ele parou no antepenúltimo degrau. Eles estavam sozinhos na escada. “Minha mãe faleceu pouco mais de dez anos atrás,” sua voz quebrou quando ele falou. “Esta foi a última vez que eu os vi. Jurei que nunca voltaria.” Ele cobriu o rosto com as mãos. “Meda! Merda! Merda!” Ela passou os braços ao redor dos seus ombros e o abraçou enquanto ele chorava. Ela deixou as suas próprias lágrimas caírem silenciosamente pelo seu rosto. Ela desejou que pudesse tirar a sua dor. Finalmente, Alex inalou profundamente e deu um passo para trás. Ele limpou o rosto e sorriu triste para ela. “Sinto muito.” “Está tudo bem.” Ela usou o dorso da mão para apagar as suas próprias lágrimas. “É uma droga. Eu compreendo.” “Sim. É uma droga.” Ele franziu o cenho e pegou o telefone no bolso. Ele verificou as mensagens. “Acabou.” Ele virou e voltou a subir as escadas para o quarto do seu pai.

“Você tem certeza que quer ficar aqui hoje à noite?” Jamie perguntou. Eles estavam de volta na suíte do hotel apesar do convite meio esforçado de Mark para juntar-se a ele na sua casa de infância. “Tenho certeza.” Alex sentou no sofá, sua voz rouca de chorar. Ele estava virando o envelope do seu pai várias vezes nas mãos. “Você quer beber algo?” O bar no quarto estava abastecido. Alex balançou a cabeça e fez um gesto para ela sentar-se ao seu lado. Ele a puxou para perto quando ela sentou e descansou a cabeça no seu ombro. “Tudo que eu preciso neste momento é você.” Jamie acariciou seu cabelo. “O que a carta dizia?” ela perguntou gentilmente. “Tudo.” Ele deixou escapar um suspiro trêmulo. “Ele tentou se desculpar e explicar tudo. Ele estava arrependido que as coisas tinham saído como elas tinham. Ele me empurrou muito duro e


desejou que não tivesse, mas ele também disse que estava contente que ele tinha. Ele se preocupava que eu tinha seguido por um caminho sombrio que eu não poderia deixar. Ele achou que me empurrando duro iria motivar mais. Ele disse que seu pai tinha feito o mesmo com ele. É por isto que ele se alistou na Marinha e em seguida ascendeu as fileiras tão rápido.” Sua respiração ficou presa, mas ele continuou. “Ele concordou em testemunhar contra mim assim eles não iriam me julgar como adulto. Se eles me julgassem como um menor, então meus registros seriam selados quando eu completasse dezoito anos e eu poderia ter um novo começo. Tudo que ele fez, ele fez por mim e eu não fazia nenhuma ideia. E eu o ignorei.” Lágrimas novas queimavam o ombro de Jamie. “Você não tinha como saber,” Jamie disse. “Você fez as pazes com ele. Está tudo bem.” Alex balançou a cabeça. “Não está tudo bem,” ele gemeu. “Eu poderia ter tido mais tempo com ele se eu realmente tentasse, mas eu...” Ele gemeu e sentou, enterrando o rosto entre as mãos. “De novo, isto é tudo minha culpa.” Ela levantou seu queixo e o obrigou a olhar para ela. “Você não pode mudar o passado, Alex. Tudo que você pode fazer é ajudar o presente e o futuro. E a melhor maneira de fazer isto é entrar novamente em contato com a sua família. Restabelecer seu relacionamento com seu irmão.” “Vou tentar. Pelo meu pai.” Alex pressionou os lábios com força. “Você pode ter certeza disto.” Passava das três horas. Nenhum deles foi para a cama. Eles ficaram sentados no sofá, esperando o sol se levantar. Alex colocou o braço sobre o encosto do sofá e Jamie acomodou-se contra o seu ombro. Lentamente ela adormeceu, ouvindo o batimento forte e constante do coração de Alex.


Capítulo 12 “Já fiz os arranjos com o crematório,” Mark disse com teimosia. “Tudo já foi cuidado.” “Há algo que eu possa fazer para ajudar?” “Não. Há uma breve cerimônia em alguns dias na Casa Funerária de Spurr. Pai queria um caixão fechado. Ele vai ser enterrado ao lado de Mãe.” Alex assentiu. Ele usava uma camisa de golfe e jeans azul escuro. Ele parecia como um empresário rico mesmo sem um terno. Mark, por outro lado, usava jeans e uma camiseta antiga do Queen. Eles pareciam o mesmo e tão diferentes ao mesmo tempo. O rosto bonito de Alex estava pálido e os círculos escuros ainda estavam no lugar da noite agitada de sono mínimo. Jamie resistiu ao desejo de colocar uma mão reconfortadora no seu braço e ao invés disto tentou parecer ocupada em reorganizar seu horário de trabalho assim ele poderia ficar por mais alguns dias. Contudo, ela tinha na verdade resolvido as coisas uma hora atrás e realmente não tinha mais nada para fazer além de escutar e dar conta das mensagens zangadas da sua família. Elas tinham magicamente aparecido de maneira súbita e inesperada reclamando que ela não estava ajudando Christine mais. Principalmente sua mãe ... e Christine. Jamie escolheu ignorá-las por enquanto. “Eu gostaria de pagar pelo funeral e sepultamento,” Alex ofereceu. “É o mínimo que posso fazer.” “Ele nunca quis um centavo do seu dinheiro antes,” Mark disse bruscamente. “O que faz você achar que eu iria querê-lo agora?” “Nunca disse que você queria,” Alex disse. Não havia nenhuma raiva na sua voz, apenas resignação. Ia levar um longo tempo antes que os dois irmãos reconciliassem suas diferenças, mas pelo menos Alex estava tentando ser civilizado. “É apenas justo que você fez todos os arranjos.” Mark hesitou e quando sua esposa tossiu alto propositalmente, ele revirou os olhos. “Tudo bem. Você pode pagar pela metade. Pai já tinha a maior parte disto cuidado quando Mãe morreu. Não que você iria se lembrar,” ele murmurou. Ele pegou uma cerveja da geladeira. “Oh e Pai queria que você fizesse o discurso fúnebre no funeral.” A cabeça de Jamie levantou bruscamente ao mesmo tempo que Alex disse, “O que?!” “Suas palavras, não minha.” Mark sorriu e deu um tapinha nas costas de Alex. “É todo seu, cara.” “Não falei com ele em...que diabos eu devo dizer?” “Tenho certeza que você irá pensar em algo.” O tom de Mark soou rouco, como se ele não conseguisse reunir muita simpatia. Contudo, Jamie sabia que ele estava tentando permanecer civilizado também. Ele os tinha cumprimentado gentilmente quando eles chegaram naquela manhã e ofereceu-lhes café e café da manhã. Nitidamente, ele teve uma noite difícil também e a tensão das últimas vinte e quatro horas estava aparecendo. Alex esfregou a testa. “Tudo bem.” Ele suspirou. “Eu farei o discurso fúnebre.” “Bom.” Mark moveu-se ao redor da pequena cozinha na direção da porta dos fundos. “Não sei sobre você, mas eu preciso de uma pausa. Estou indo tirar uma soneca rápida e em seguida dar o resto dos telefonemas.” Alex assentiu. “Se há algo que você precisa que eu faça...” “Eu mesmo cuidarei disto. Se você ficar entediado, há uma TV na sala de estar e há uma estante de livros no estúdio de Pai. Sinta-se à vontade para se servir de qualquer coisa na cozinha.


Estaremos colocando este lugar à venda nas próximas semanas, após a leitura do testamento.” “Tudo bem,” Alex disse, forçando um sorriso. “Podemos ficar aqui, se alguém telefona ou aparece.” As flores já tinham sido entregues várias vezes das floriculturas locais. “Jamie e eu seremos capazes de nos manter ocupados por algum tempo.” Mark assentiu antes de ir embora com a sua esposa. Alex esperou até que ele fosse embora antes de virar para Jamie. “Vou dar um passeio.” “Você não tem um carro aqui.” Jamie não tinha certeza se isto era uma boa ideia. Ele parecia que estava prestes a cair. Alex abriu uma pequena caixa de madeira pendurada ao lado da porta e tirou um molho de chaves. “Nada jamais muda aqui,” ele murmurou. “Você quer que eu vá?” “Você faça o que quiser.” Ele saiu e em seguida praguejou em voz alta. Sua cabeça apareceu através da porta de tela um segundo depois. “Sinto muito. Não quis dizer isto.” “Está tudo bem.” Ela se sentiu mal por ele e sabia que seja qual fosse a raiva ou frustração que surgisse, não era por causa de algo que ela tinha feito. Ela seria tão paciente quanto ele precisasse. “Quer vir?” Ela assentiu e acompanhou-o até a garagem. Dentro havia um antiga caminhonete F150. Ela tinha envelhecido, mas a coisa estava em uma condição impecável. Assim como a limpeza dentro da casa. Organização da Marinha. Soldado perfeito. Alex ficou sentado por um momento e olhou direto para frente antes de suspirar profundamente e ligar a caminhonete. Ela veio para a vida imediatamente e ele a tirou da garagem. Jamie olhou para o céu, que estava coberto com uma cobertura pesada de nuvens escuras. “Você tem certeza que quer ir dar um passeio?” “Sim.” Ele bateu com violência no dispositivo para abrir a porta da garagem com mais força do que ele precisava para fechar a porta. “Preciso sair e clarear minha cabeça. Não posso ficar naquela casa olhando para aquelas mesmas malditas parede. Eu me sinto como se estivesse no colegial novamente.” “Parece que vai haver uma tempestade.” Ele olhou para as nuvens e encolheu os ombros. “É apenas chuva.” Jamie afivelou o cinto de segurança e permaneceu em silêncio. As nuvens pareciam escuras e cruéis. Ia fazer mais do que chover. Pelo menos ela estava com ele, se ele tivesse de parar. Eles dirigiram por quinze minutos sem falar. Quanto mais longe eles chegavam da casa da sua família, mais Alex relaxava. Sua expressão não mudou e ele não disse nada, mas Jamie podia ver algumas das linhas de expressão relaxando e seus ombros caíram para uma posição mais confortável. A chuva começou a cair e enquanto eles seguiam em frente, ela ficou mais pesada. Trovões ressoavam alto acima e os relâmpagos ao longe pareciam estar tentando apontar um dedo para eles. A chuva transformou-se em um aguaceiro torrencial. Jamie não conseguia ver se eles ainda estavam nos subúrbios através da chuva, muito menos três metros na sua frente. “Encoste,” ela disse. Alex bufou, mas obedeceu. Ele puxou para o acostamento logo sob um viaduto. O vento que tinha surgido jogava chuva na direção deles, mas pelo menos não estava batendo tão intensamente como se eles estivessem estacionados diretamente nela. Nem um carro ou animal estava em qualquer lugar à vista. Todos eles sabiam melhor do que aventurar-se em um tempo como este. Ele deixou o carro parar e estacionou antes de virar para olhar para ela. Sem dizer nada, ele estendeu a mão e a puxou para ele. Ela abriu o cinto e aproximou-se. Ela odiava vê-lo parecer tão perdido. Ela apertou sua mão. “O que posso fazer para ajudar?”


“Isto.” Ele a puxou para o seu colo e a beijou com força. Calor instantâneo correu através dela com o seu toque. Ela o beijou de volta e passou os braços ao redor do seu pescoço. Sua camisa deslizou para cima enquanto ela o montava. A caminhonte tinha o espaço perfeito entre Alex e o volante. Ele estendeu a mão para segurar sua bunda, suas mãos puxando sua saia mais para cima. Jamie esfregou os quadris nas coxas dele, seu corpo tendo uma mente própria. “Apenas evite que eu pense por um tempo,” ele murmurou enquanto os lábios viajavam para o seu pescoço. Ela poderia fazer isto. Jamie abaixou a mão e começou a desabotoar sua camisa. Ela arqueou as costas ligeiramente assim ela poderia ver seu corpo. Ele gemeu quando sua mão tocou seu peito nu. “Você é tão sexy,” ele sussurrou. Jamie ofegou quando a mão dele deslizou ao longo do seu osso ilíaco, sobre a sua saia e em seguida deslizou para dentro dela e esfregou os dedos sobre a sua calcinha fina. Ela respondeu ao esfregar um dos mamilos dele entre o polegar e o indicador enquanto desabotoava sua calça com a outra mão. O tesão tomou conta enquanto o calor percorria seu corpo e ela ficava molhada pelo seu toque. Seu cabelo caiu sobre o rosto quando ela inclinou-se para frente para saborear a deliciosa parte macia do lóbulo da sua orelha. Ela o mordiscou gentilmente, sua respiração saindo quente contra a sua pele e aquecendo seu rosto. Alex ofegou. “Como você é tão boa nisto?” Jamie não respondeu. Ela não poderia. Uma, porque ela não sabia. Duas, porque ela não dava a mínima porquê neste momento. Ela poderia somente pensar em uma coisa. Nele dentro dela. Em vez disto, ela agarrou seu pênis e o esfregou enquanto ela ia beijá-lo e saborear sua língua contra a dela. Ele gemeu novamente e esfregou seus seios antes de desabotoar a camisa dela e em um único movimento abrir o fecho do seu sutiã e pegando seus seios com ambas as mãos quando eles caíram livre. Jamie gritou quando a mão dele parou seu movimento de esfregar contra a sua calcinha molhada para tocar seu seio. Alex piscou, saindo parcialmente do seu atordoamento excitado. Ele olhou para ela com uma fome mal controlada. “Machuquei você?” ele perguntou, sua voz rouca. “Quer que eu pare?” Jamie sorriu para ele com uma confiança que ela não sabia que possuía. “Inferno não!” Ela mordeu o lábio enquanto levantava os quadris e tentava forçar seu pênis contra a sua calcinha. “Não pare. Por favor.” Seus olhos fecharam quando a ponta pressionou contra ela, enviando um tremor através dela que quase a enviou sobre a borda. Sua boca esmagou a dela e ele abaixou a mão para mover o assento para trás. “De costa,” ele sibilou e em um único movimento ele girou e a empurrou para baixo sobre o assento da caminhonete. Sua mão ainda segurava um dos seus seios quando ela caiu para trás, os dedos beliscando seu mamilo duro. A dor trouxe uma nova onda de paixão e ela gemeu de prazer. Alex estava em cima dela, beijando sua mandíbula, seu pescoço e em seguida seus seios. Tremores correram para cima e para baixo pela coluna de Jamie quando ele tomou um dos seus mamilos na boca. Ele o lambeu e o prazer disparou através do seu corpo inteiro. Alex gemeu e mordeu o mamilo enquanto a palma da sua mão arrastava pela sua barriga. Ele empurrou sua saia mais para cima e alcançou sua calcinha para tocar sua boceta nua. Jamie cerrou os dentes juntos para impedir-se de gritar quando a mão dele fez contato. Alex sorriu contra o seu seio enquanto ele continuava a chupá-lo e esfregar seu clitóris. Os quadris de Jamie empurraram quando o prazer espalhou-se através dela como eletricidade. Ela mal conseguia pensar que dirá fazer qualquer outra coisa. Ela agarrou seu ombro quando ele afundou dois dedos nas


suas dobras e começou a empurrar gentilmente. “Não consigo suportar por mais tempo,” ela disse bruscamente. “Por favor. Foda-me, Alex. Foda-me.” Ele rosnou e em seguida retirou a mão de dentro da sua calcinha. O prazer construindo nela lentamente murchou. Sua boca deixou o seio dela e ele olhou para ela com seus olhos azuis ardente. “Ainda não,” ele provocou. “Você irá precisar implorar mais duro do que isto.” “Por favor,” ela sussurrou. Ele agarrou sua calcinha e o som dela rasgando enviou outra onda de prazer e desejo através dela. Seus olhos percorreram seu corpo enquanto ele rasgava o outro lado e puxava os restos esfarrapados para fora dela. Suas mãos agarraram os lados dos seus quadris e ele a levantou de maneira que sua cabeça descansasse contra a porta do passageiro. Jamie suspirou em antecipação quando ela percebeu o que ele planejava fazer. Alex abaixou a cabeça até sua boceta e a lambeu. Ela quase gritou quando sua língua começou a explorá-la. Seus quadris levantaram e ele os segurou com mais força para mantê-los imóveis. “Não se mova.” Ele arrastou beijos pela parte interna de uma das suas coxas e em seguida moveu-se para cima para atormentar a outra. Ele pareceu apreciar seus suspiros e corpo trêmulo porque ele continuou a doce tortura ao mover-se de volta para cima até a sua boceta. “Alex,” ela gemeu. “Por favor.” “Por favor o que?” Alex disse, mordendo seu quadril. “Por favor, foda-me.” Ele sorriu, arrogante e seguro de si mesmo. “Não. Ainda não. Quero saboreá-la.” Ele abaixou a cabeça e sua língua encontrou seu clitóris e começou a acariciá-lo. As costas de Jamie arquearam enquanto ela tentava consegui-lo dentro dela. Ele deslizou dois dedos nela enquanto sua língua continuava sua tortura sensual. Ela gozou, explodindo na sua boca e gritando enquanto todos os músculos contraíam e enviavam ondas de prazer através dela. Isto não a saciou da maneira que sua mente tinha desejado. “Por favor, Alex.” Ela levantou a cabeça e observou-o continuar a lambê-la. “Se você não me foder agora, vou matá-lo!” Alex levantou a cabeça, uma sobrancelha erguida em surpresa. Ele deslizou contra ela lentamente então sua camisa, cinto e calça, todos roçaram contra sua protuberância e a provocaram. Ele puxou sua calça e cueca para baixo em um único movimento rápido, liberando seu pênis duro como rocha. Ele o esfregou na parte interna da sua coxa. Jamie tremeu, amando quão exposta ela se sentia. Ela observava fascinada enquanto ele deslizava para dentro dela e em seguida lentamente para fora. Ela queria fechar os olhos e tomá-lo completamente, mas a expressão no seu rosto a impediu. Era completo desejo, tesão e alguma outra coisa que ela estava com muito medo e não familiarizada para identificar. Alex abaixou-se, então sua testa descansou na de Jamie e ele apoiou-se nos braços, prendendo Jamie debaixo dele. Ele enterrou-se nela novamente em um único golpe suave. Ele abafou seus gritos com os lábios, beijando-a tão impiedosamente enquanto empurrava. Pressão construiu-se dentro dela e finalmente ela não conseguiu segurar mais. Seus quadris arquearam e ela gozou duro. Novamente. A força disto a deixou tremendo e gemendo nos braços de Alex, que o empurrou sobre a borda. Seus próprios quadris balançavam enquanto ele gozava com ela. Ele desmoronou em cima dela, a cabeça enterrada no seu pescoço. A tempestade furiosa no lado de fora não tinha nada contra aquela dentro da cabine da caminhonete.


Lentamente, Alex saiu dela, tremendo e gemendo enquanto fazia isto. “Você é incrível.” Ele estremeceu novamente enquanto descansava seu peso sobre os joelhos e vestia sua cueca e calça novamente. Ele pegou as mãos dela e a puxou para uma posição sentada. Sua bunda nua moveu-se contra o assento de couro. Ele os organizou novamente de maneira que ele estava de costas e Jamie descansando a cabeça no seu peito. Jamie puxou sua saia para baixo sobre sua nudez, sentindo-se modesta por uma fração de segundo. Não em relação a Alex, mas caso alguém aparecesse para bater na janela embaciada da caminhonete para garantir que eles estavam bem lá dentro. Alex acariciou seu cabelo gentilmente. Ele riu, o som vibrando contra seu peito. “Você tem habilidades, garota.” Jamie sorriu e beijou seu peito. “Você não é nada mal.” Ele riu novamente. “Você é incrível, Jamie. Você não faz ideia quão incrível você é.” Ela estremeceu e seus braços apertaram ao redor dela. “Você está com frio?” “Um pouco,” ela mentiu. Mas não foi por isto que ela estremeceu. Ela estremceu por causa da onda de prazer que ela sentiu quando ele a elogiou. Alex se contorceu para fora da sua camisa e a colocou ao redor dos seus ombros. “Pronto,” ele disse. “Está melhor?” “Muito,” Jamie disse. Especialmente já que agora ela poderia passar as mãos pelos seus braços e peito. Ela arrastou os dedos sobre o seu biceps lentamente e com cuidado, apreciando o obstáculo na sua respiração quando ela fez isto. Alex beijou sua testa. “Você é tão bonita, Jamie. Completa e totalmente bonita. Você tem um maldito corpo quente. Muito quente!” Ele segurou seu rospo com as mãos. “Quero dizer isto.” Eu não. Jamie suspirou no seu sonho sensual e quão perfeito seu corpo tinha sido nele. “Gostaria que eu pudesse acreditar em você.” “Você deveria,” ele disse. “É verdade.” Ele passou os dedos pelo seu cabelo, a aparência despenteada somente o fazendo parecer incrivelmente mais sexy. Isto não duraria. Ela tinha se apaixonado irremediavelmente por ele, mas ele estava somente procurando por uma válvula de escape de distração. Eles voltariam para o trabalho e ela seria apenas sua AP novamente e ele seu chefe. Ela suspirou. “Quer saber algo?” Ela entrelaçou os dedos juntos e descansou o queixo sobre as mãos assim ele poderia observar sua expressão. Ela virou para que sua barriga pressionasse contra a sua plana e dura. “O que?” ele sussurrou. “Eu tive um sonho sensual sobre você na outra noite.” Seu pênis endureceu na sua coxa enquanto suas sobrancelhas erguiam. Ele sorriu de maneira sexy para ela. “Sério?” “Gozei no meu sono,” ela lhe disse em um sussuro ofegante. “Duas vezes.” “C-Como?” Seu pênis compreendeu o que ela tinha dito, ele apenas queria ouvir as palavras novamente. “Você tem habilidades, menino,” ela provocou e piscou para ele. Ele gemeu e segurou suas nádegas. “O eu do sonho é melhor do que a coisa real?” Ela inclinou a cabeça e fingiu pensar sobre isto. “Não tenho certeza... Você acha que poderia me mostrar novamente para que eu possa comparar?” “Inferno, sim,” ele gemeu antes que seus lábios sufocassem os dela e ele a possuísse novamente.


Capítulo 13 A tempestade tinha passado há muito tempo quando eles voltaram para a casa do pai de Alex. Eles dirigiram com o som de uma estação de rádio tocando country music baixinho em segundo plano. Jamie cochilava no banco do passageiro, agradavelmente exausta e esgotada. Quando Alex parou o carro Jamie percebeu que eles estavam de volta na casa. Ela sentou e piscou enquanto olhava ao redor. “Jamie...” Alex olhava para frente, suas mãos brincando com as chaves. Ele tinha aberto a porta da garagem, mas não tinha conduzido a caminhonete para dentro. “Quero me desculpar pelo que aconteceu.” “Você não tem que se desculpar.” Jamie estendeu a mão para tocar a mão dele. “Eu fui nitidamente uma participante aquiescente.” Ela sorriu feliz. “Ambas as vezes.” Ele moveu as mãos para o volante, evitando as dela. “Isto não pode acontecer novamente.” Alex balançou a cabeça. “Isto não significou nada. Com tudo acontecendo, eu precisava de uma distração. Foi tudo que isto foi. Sinto muito. Não deveria tê-lo feito em primeiro lugar.” Ele se recusava a olhar nos olhos dela. Sua confissão atingiu como um soco no estômago. Ela praguejou baixinho. Ela deveria ter sabido! Tudo que ela sempre seria para ele era uma boa diversão extra, uma distração agradável do trabalho. Ele não era capaz de se importar com alguém além disso. Provavelmente ele tinha se aberto para ela mais do que qualquer outra pessoa, então ela deveria sentir um sentimento de realização ao conseguir isto dele. Ela tinha pensado que tinha havido mais nisto do que sexo quando ele a tinha possuído sob a ponte. É apenas uma ilusão. Pensamento idiota. “É claro.” Ela engoliu em seco. “Eu-eu estou contente que você me disse. Não estou procurando por algo. Não irá acontecer novamente.” E ela tinha lhe contado sobre seu sonho! Ela queria morrer de vergonha. Ele olhou para ela com o que ela somente poderia ver como pena. “Jamie...” “Não. Está tudo bem.” Ela abriu a porta da caminhonete “Os vizinhos vão começar a se perguntar por que estamos apenas sentados na entrada da garagem.” Ela forçou um meio sorriso antes de sair, deixando Alex sentado na cabine, olhando para ela com saudade e arrependimento. A expressão no rosto dele a magoou mais do que as suas palavras. Ela sabia que ele nunca tinha estado interessado nela. Ela era apenas uma distração. Ninguém mais estava disponível e ela foi uma participante mais do que disposta. Ela tinha agido como uma maldita cadela no cio. E em seguida pedido por mais! Que diabos ela estava pensando? Como ela ia superar os próximos dias? Jamie correu para dentro da casa, grata que a porta estava destrancada. Ela subiu correndo as escadas até o banheiro. Quando ela saiu, ela podia ouvir Alex se movendo pela cozinha e o tilintar de um copo sobre o balcão. Ela permaneceu no corredor, não ansiosa para voltar lá para baixo para tentar fazer uma conversa trivial com Alex. Ela notou que somente uma das portas no patamar estava completamente fechada. Curiosa, ela caminhou até ela e experimentou a porta. Não estava trancada, então ela a abriu e olhou dentro. Estava coberto com fotos de família e pôsteres de estrelas do rock e jogadores de beisebol. Jamie reconheceu um jovem Alex e Mark com seus pais. Mark parecia cada parte o menino dourado, enquanto Alex sempre tinha um olhar malicioso nele. Quando as crianças ficaram mais velhas, o


temperamento mais sombrio em Alex tornou-se muito mais evidente. Não havia nenhuma foto de família após a metade da adolescência de Alex, mas havia mais algumas com apenas seus pais e Mark enquanto eles envelheciam. Jamie engoliu em seco. Embora tudo isto tivesse sido para o próprio bem de Alex, ela podia compreender bem a sua amargura. As fotos a lembravam das suas próprias fotos de família. Depois que ela começou a ganhar peso, sua mãe e irmã tinham lhe encorajado a tirar a foto muito mais do que estar na foto, de maneira que a primogênita deles desapareceu após o seu décimo-segundo aniversário no album de fotos da família. Ela sabia que este era o antigo quarto de Alex. O quarto de Mark ficava no outro lado do corredor e ao lado do banheiro havia malas espalhadas por todo o chão com roupas cuidadosamente empilhadas e arrumadas nelas das suas muitas estadias para cuidar do seu pai. Todos os outros quartos na casa tinham sido atualizados para o século XXI, mas o quarto de Alex era como uma cápsula do tempo. Não havia nenhum sinal do poderoso empresário que ela conhecia. Tudo que ela via era apenas um adolescente comum que gostava de rock, esportes e vídeo games. A mesa estava uma bagunça e abarrotada e parecia que nunca foi usada para sua finalidade destinada. As gavetas do seu armário estavam fechadas ao acaso com a parte de uma camisa pendurada para fora de uma e uma meia para fora de outra, como se o Alex adolescente fosse entrar de volta e pegálos para uma troca rápida de roupas. Jamie sentou-se na cama e recostou-se. Algo enrugou-se debaixo e ela puxou duas revistas de debaixo do travesseiro. Uma era uma cópia bem gasta da Playboy e a outra uma cópia desgastada da Business Insider, que parecia como se tivesse sido roubada da biblioteca local vinte anos atrás. Ela sorriu. Aquele era o Alex Reid que ela conhecia. “Jamie?” Ela saltou para fora da cama como se ela tivesse estado fazendo algo errado quando ouviu Alex chamar seu nome enquanto ele subia a escadas. A porta ligeiramente aberta, abriu bruscamente. Alex olhou lentamente ao redor do quarto antes que seus olhos pousassem sobre ela. O rosto dele não lhe disse nada. Ele tinha conseguido mascarar toda emoção e vulnerabilidade. “Por que você está aqui?” Não havia nenhuma acusação na sua voz e nenhuma emoção. Se ele agisse como louco, ela poderia retaliar, mas isto... isto ela não sabia como responder. “Eu não... Eu pensei...” Ela suspirou. “Estava apenas curiosa.” “Não é da sua conta.” Ela corou com a sua aspereza. “Você está certo. Sinto muito.” Ela caminhou para voltar para o corredor, mas Alex não se afastou da porta. “Eu me desculpei pelo que aconteceu. O que mais você quer que eu diga?” Que você me queria! Que eu sou a melhor coisa que já lhe aconteceu? “Nada. Está tudo bem. Não leia muito nisto. Apenas queria ver por que a porta estava fechada.” “Isto importa?” Ele balançou a cabeça e fechou os olhos por um momento, a tensão de mais cedo retornando. Ele moveu rapidamente a mão. “Esquece que eu perguntei. Não importa. Olhe, acabei de receber um telefonema de um dos investidores sobre o novo acordo de negócios. Ele vai cair fora.” Jamie ouvia Alex falar, mas no fundo da sua mente ela já sabia o que ele estava fazendo. Ele queria empurrá-la para longe, tirá-la de cogitação assim ele não tinha de se sentir culpado ou incomodado todas as vezes que ele olhase para ela enquanto enterrava seu pai. “... Preciso que você volte e cuide das coisas. Eu obviamente não posso. Não quero perder este cara. Ele é um dos motivos que o acordo vai decolar. Você precisa convencê-lo a ficar conosco.” Ele


verificou o relógio. “Irei colocá-la no próximo voo. Isto irá lhe dar tempo suficiente para voltar para o hotel e arrumar suas coisas e em seguida voar para o aeroporto. Gina já reservou seu voo e organizou uma limusine para ir buscá-la no aeroporto.” Ele enfiou as mãos nos bolsos. “Sintou muito por mandá-la embora, após... bem, você compreende quão importante isto é. E é por isto que eu a contratei afinal. Para que você possa cuidar das coisas quando eu não for capaz. Tenho o funeral. Preciso escrever o discurso fúnebre. Não posso voltar.” “Está tudo bem.” Ela não perdeu o alívio que transpareceu no seu rosto quando ela concordou. “Deixe-me apenas pegar minha bolsa e então você pode me levar de volta para o hotel.” Ela precisaria tomar um banho e fazer as malas, contudo, parte dela estava mais do que ansiosa pela oportunidade de escapar dele e evitar lidar com o que aconteceu na cabine da caminhonete. “Mark está a caminho de volta para cá. Então não posso ir embora.” Ele verificou seu Rolex. “Chamei um táxi para você. Ele deverá estar aqui a qualquer minuto.” Como se em uma deixa, uma buzina soou no lado de fora da casa. “Deve ser ele.” “Você ficará bem, com o funeral e tudo?” Ela fechou os olhos. Por que ela deveria sequer se importar? “Eu ficarei bem. Obrigado.” Ele se moveu para o lado para deixá-la se dirigir para a escada. “Obrigado novamente por vir. Foi imensamente apreciado.” “Feliz que pude estar aqui para você.” Ela passou por ele e pressionou os lábios com firmeza juntos. O nó na sua garganta matava, mas ela ela se recusou a deixar qualquer lágrima cair. Pelo menos, não até que ela estivesse de volta em casa na sua própria cama. Ela estava furiosa com Alex por basicamente jogá-la porta afora. Contudo, ela não poderia discutir porque ela estava fugindo freneticamente também.


Capítulo 14 Jamie chegou de volta ao seu apartamento sob a casa de Alex tarde da noite. Exausta, ela rastejou para a cama com vestida com as suas roupas e certificou-se de programar o alarme assim ela acordaria na hora certa. Ela precisava sair da montanha russa emocional que ela tinha estado. Muito cansada para sequer pensar mais, ela adormeceu e decidiu lidar com a vida de manhã. Alex, sua família, as confusões da sua vida pessoal, tudo poderia esperar. Nada ia mudar durante a noite, então se preocupar não iria consertar nada. Sono iria. A manhã não trouxe nenhum acréscimo de conforto, mas ela se sentia melhor. Ela se vestiu e foi para o escritório cedo. Pronta para atacar o trabalho e se perder nele. Se Alex precisasse dela, seria somente relacionado ao trabalho de agora em diante. Ela zombou. Quantas vezes ela já tinha dito isto para si mesma? Gina entrou e lhe disse que o investidor estava no escritório de Alex. Ela assentiu e pegou sua pasta sobre a mesa. “Obrigada, Gina.” Ela dirigiu-se para o escritório de Alex e olhou para cima surpresa. “Nicholas?” “Ei, Jamie,” Nicholas disse, tão surpreso quanto ela estava. “O que você está fazendo aqui?” “Alex... o Sr. Reid me pediu para conversar com um investidor que não tinha certeza se estava interessado no projeto. Eu estava apenas indo examinar o arquivo.” Ela olhou para baixo novamente. “Não percebi que era você.” Ele pigarreou. “Onde está Alex?” “Em...” Ela hesitou, sem ter certeza se deveria mencionar o pai de Alex. “O Sr. Reid está fora. Ele me pediu para falar com você. O que está acontecendo?” Ele sorriu para ela enquanto ela caminhava e apoiava-se na mesa grande de Alex. “Estou tendo dúvidas... sobre as minhas dúvidas agora.” Ela sorriu. “Fale comigo.” “Durante o almoço?” Ele olhou ao redor. “As coisas não estão funcionando entre você e Sr. Reid?” Ela sentiu o rosto arder, mas ignorou. “Eu lhe disse Nicholas, eu trabalho para o Sr. Reid. É isto.” Ele sorriu. “Uma mulher bonita como você e Alex não tentou seduzi-la? Isto parece impossível.” Jamie olhou para ele, se perguntando se ele sabia. Ela duvidava que Alex iria dizer algo. Talvez fosse óbvio sobre ela. Ela sustentou seu olhar, recusando-se a entregar qualquer coisa. “Maldição! Você deve ser realmente muito boa no seu trabalho para ele não correr o risco de perdê-la.” Jamie escolheu ignorar seu comentário. “Achei que você queria conversar sobre o investimento, não sobre os assuntos pessoais do Sr. Reid ou meus.” Ela manteve a voz agradável, mas não havia nenhuma dúvida no seu tom. Nicholas puxou o lóbulo da orelha. “Minhas desculpas. Não tive a intenção...” “Que tal conversarmos sobre por que você está tendo dúvidas. Por que a hesitação em investir o dinheiro?” A conversa continuou e Jamie a manteve completamente profissional. Nicholas comentou sobre o seu conhecimento e desculpou-se novamente e novamente pelo seu comentário sobre Alex e ela. Enquanto eles encerravam, ele tentou novamente, “Jamie, quero me desculpar de novo pelo meu


comentário mais cedo. Foi completamente não profissional e eu não sou o tipo ciumento. Não sei por que eu disse o que eu disse e espero que você possa esquecê-lo ou deixá-lo ir.” “Esta à beira do assédio sexual, Nicholas.” Ela levou um momento para se regojizar quando os olhos dele arregalaram. “Eu sei. Eu sei. Foi idiota. Não quis dizê-lo contra você. Alex apenas tem uma história...” Ela ergueu as sobrancelhas e ele parou. “Eu vou lhe dar um ‘perto’ sobre isto Nicholas. Uma única vez. Você mantenha seu nome no contrato e quando o acordo lhe fizer alguns milhões a mais, lembre-se que eu lhe dei uma segunda chance.” Ela não tinha certeza por que ela estava dizendo isto, mas ela estava usando seu erro como uma maneira para obrigá-lo a não quebrar o seu contrato. Negócios a este nível era letal e por quaisquer meios necessários, ela imaginou. Nicholas riu e entregou-lhe um cheque. “Você conseguiu. Não por causa do que eu disse para cobrir a minha bunda, mas por que você é uma mulh...pessoa de negócios inteligente. Alex é um idiota, mas não estou reclamando.” Ele apertou a mão dela. “A oferta para jantar ainda permanece, se você estiver interessada em conversar sobre negócios ou se decidir que quer dar uma olhada para administrar a sua própria empresa um dia. Posso fazer isto acontecer.” Ele sorriu e saiu do escritório assobiando.

Alex voou de volta para Nova York uma semana depois do funeral do seu pai. Ele parecia exausto e parecia não ser necessário muito para irritá-lo, mas ele também parecia mais leve agora, como se um peso enorme tivesse sido tirado do seus ombros. Ele pediu para Jamie para agendar os planos para ver Mark para jantar em Nova York em cerca de um mês e para reservar alguns dias de folga durante o final de semana do quatro de julho para voltar para casa. Ele não lhe disse mais nada, manteve isto profissional e Jamie decidiu que ela precisava fazer o mesmo. Seu coração discordava, mas ela tentou fazer o seu melhor para ignorá-lo. O incidente na caminhonete nunca foi trazido à tona e o constrangimento entre ela e Alex foi menos aparente enquanto os dias progrediam. Em particular, eles dirigiam-se um ao outro de maneira casual e eram cordiais. Jamie odiava que ela não conseguia rejeitar o sentimento de saudade que ela sentia por ele. Ninguém a fez se sentir tão bem quando ele. Nunca. “Você está bem?” Gina perguntou para Jamie um dia após o trabalho. “Huh? Oh, sim, estou.” Jamie sorriu para ela fracamente. “Sinto muito, eu fui para o espaço por um segundo. O que você estava dizendo?” Gina balançou a cabeça. “Você foi para o espaço por muito mais do que um segundo. Você mal tocou a sua bebida.” Jamie olhou para a margarita sobre o balcão do bar e percebeu que enquanto Gina já tinha bebido a maior parte do dela, Jamie tinha tomado somente alguns goles. “O que está acontecendo?”A testa de Gina franziu. “Isto é sobre o casamento da sua irmã? Christine e sua mãe continuam telefonando para a recepção e eu apenas pego as mensagens e em seguida jogo na lixeira.” Ela sorriu e em seguida ficou séria e inclinou a cabeça enquanto olhava para Jamie. “Algo aconteceu com Alex na Filadélfia? Você tem parecido distante desde que vocês voltaram.” “Nós não devemos nos dirigir ao nosso chefe pelo seu primeiro nome,” Jamie disse de maneira automática. Gina revirou os olhos. “Oh, por favor. É depois do trabalho, estamos em um bar, não no escritório e não estou falando sobre nosso chefe. Estou falando sobre o homem que você tem tido


uma tensão sexual escaldante desde que começou a trabalhar lá.” Jamie corou. “Eu não diria que algo foi escaldante entre nós dois.” “Então você está enganando a si mesma. E Alex também.” Ela terminou rapidamente sua bebida e olhou ao redor do bar. “Olhe, mesmo se houvesse qualquer coisa entre nós, ele é meu chefe. Amo muito meu trabalho para arriscar qualquer coisa.” Ela levantou a mão para parar Gina. “Nada aconteceu entre nós. E não, nada está me incomodando.” “Você está iludida se acha que não há nada entre vocês dois.” Jamie suspirou. “Não é Alex, ok? As coisas estão realmente bem entre nós. É sobre o casamento da minha irmã que estou preocupada.” Ela realmente se sentia preocupada sobreo casamento e tinha falado com sua mãe. Ela prometeu a sua mãe que estaria lá e não iria causar uma cena. “Não quero ir. Mas ao mesmo tempo, ela é minha irmã, sabe?” Gina assentiu com simpatia. “Normalmente, eu diria que você deveria ir porque é muito bom ter um relacionamento com a família. Mas no seu caso, não sei. Sua família não tem feito nada para apoiá-la... inferno, eles têm até mesmo tentado sabotá-la... então por que você deveria apoiá-los? Você tem uma decisão difícil. Contudo, realmente acho que você tem de ir se quer continuar a ter um relacionamento com eles. Mostre-lhes que você é melhor do que eles acham que você é.” Jamie conseguia imaginar sua vida sem sua família. Eles não iriam mais fazê-la se sentir mal sobre o seu corpo. Christine não poderia insultá-la mais e ela não teria mais de ver Stephen. Ela não teria de testemunhar constantemente sua mãe favorecendo Christine ao invés dela ou seu pai favorecendo o trabalho ao invés dela. Mas ela iria sentir falta dos outros momentos também. As vezes que ela e Christine costumavam fofocar sobre os meninos e assistir comédias românticas. Tentar uma receita nova com a mãe delas, somente para elas perceberem na metade do caminho que elas esqueceram um passo realmente importante e tivessem de começar tudo de novo. Comparecer as peças da Broadway com seu pai. Coisas que tinham ficado realmente bagunçadas com o casamento e o conflito sobre Stephen, mas nem sempre tinha sido tão ruim. Pelo menos, ela achava que não. “Não sei,” ela disse finalmente. Ela suspirou. Esconder-se não ia consertar nada. Nem ia não falar com a sua família. Olha o que isto tinha feito com a família de Alex. “É tão complicado.” Gina assentiu. “Família sempre é,” ela disse e pegou a bebida de Jamie para tomar um gole. “Só que a sua família é mais complicada do que a maioria.”


Capítulo 15 Jamie ainda estava pensando sobre a situação da sua família quando chegou em casa. Para tentar clarear a cabeça, ela colocou um maiô e mergulhou na água. Ela nadou algumas voltas na água fria e em seguida virou de costas para flutuar e olhou por alguns momentos para as últimas cores do céu enquanto o sol se punha. Ela fechou os olhos enquanto gentilmente se conduzia na água. Ela deixou os pensamentos flutuarem através da sua mente, sem sequer tentar classificá-los. Ela ainda não tinha nenhuma ideia do que ia fazer e estava muito cansada para sequer tentar resolver tudo. Em vez disto, ela apenas precisava relaxar. “Cuidado. Você poderia nadar contra a parede.” Os olhos de Jamie abriram para ver Alex em pé à beira da piscina. Ele também estava no seu traje de banho e segurando sem jeito uma toalha. Alex parado ali lembrou-lhe do sonho sensual que ela tinha tido um tempo atrás. Ela corou e virou para manter a cabeça fora da água. “Obrigado,” ela murmurou. “Não sabia que você ia usar a piscina.” Ela se moveu em direção à borda. Ele sorriu de volta, embora isto pareceu ligeiramente forçado. Desde o seu retorno as coisas tinha sido tensas fora do trabalho. Eles tendiam a se evitar em casa, a não ser que fosse relacionado a trabalho. “Você não tem de ir embora. Está tudo bem.” “Tem certeza?” Ela hesitou, sem saber o que fazer. Se ela fosse embora iria parecer que estava fugindo e se ela ficasse, ela teria de falar. Ele colocou a toalha sobre o encosto de uma das espreguiçadeiras e mergulhou. Mergulho perfeito, nenhum respingo, entrada excelente. Ele ofegou quando sua cabeça surgiu. “Está frio,” ele disse. Jamie deu uma risadinha. Estava como 26ºC, não tão frio. “Apenas mova-se um pouco. Você ficará bem.” Ele começou a nadar em um círculo ao redor dela e Jamie não pôde deixar de notar quão bonito seu corpo era. A água brilhava sobre a sua pele, refletindo os últimos reflexos do sol e as luzes que tinham chegado lentamente. Ela apenas exibia seus músculos ainda mais, fazendo-o parecer como um deus grego. Era impossível não admirar seu físico. Ela nunca o tinha visto tão de perto quando ele estava nadando e ela teve de resistir ao impulso de esquadrinhá-lo agora. Seu sonho idiota continuava enviando mensagens para o seu cérebro que eram pornográficas. “Você não vai ficar com frio ao ficar parada aí?” ele perguntou, sorrindo de maneira afetada. Jamie corou, sabendo que tinha sido pega. Ela começou a nadar, cortando-o antes de virar de costas. “Apenas pensando,” ela murmurou, fazendo um nado de costas até o outro lado da piscina. Ela roubou um olhar de volta para ele e ficou muito satisfeita ao vê-lo estudando-a de uma maneira semelhante que ela o tinha estudado. Ela virou na extremidade da piscina e nadou de volta na direção dele. “Agora olhe quem vai ficar frio.” Ele sorriu. “Apenas pensando.” Ele nadou até ela e seu sorriso lentamente desapareceu. “Está tudo bem? Você parecia distraída hoje durante o trabalho.” “Sinto muito. Tentarei estar mais atenta.” Sua resposta foi automática. Ela se recusava a discutir seus sentimentos por ele. “Não foi isto que eu quis dizer,” ele disse e pigarreou. “Sei que as coisas têm estado um pouco complicadas desde...o falecimento do meu pai. Apenas quero me certificar que estamos na mesma página.”


Jamie suspirou. Havia prós e contras sobre estar perto do seu chefe e sentir tesão por ele o tempo todo era definitivametne um dos contras. Também era quase impossível mentir para ele. “Apenas as coisas de sempre,” ela disse. “Coisas de família.” Ele assentiu, seu rosto ilegível. Ele nadou para longe dela e deu algumas voltas. Ela observou e em seguida prendeu a respiração quando ele parou e nadou de volta até ela. “Você tem falado com eles ultimamente?” Ela balançou a cabeça. “Não desde a minha briga com Christine. Tenho estado recebendo e respondendo seus telefonemas e eles apenas deixam mensagens de voz me dizendo quão horrível eu sou.” Ela zombou. “No entanto, de alguma maneira, ainda sinto saudades deles.” “Eu compreendo,” ele disse. “Você sabe que eu compreendo isto.” Ela encolheu os ombros. “Minha família não é realmente tão ruim. Quero dizer, sei que é constrangedor meu ex estar casando com a minha irmã, mas isto não é a coisa mais incomum no mundo. É apenas,” ela suspirou e continuou, “complicado.” Ele assentiu. “Acho que sei o que você quer dizer. Eu percebi que as coisas em casa não eram tão ruins quanto pareciam. Teimosia meio que estragou as coisas para a minha família, não apenas a minha teimosia, de todos nós.” Ele balançou a cabeça, gotas de água atingiram o braço de Jamie e enviaram um arrepio através dela. “Você está planejando ir ao casamento? Isto poderia ajudar a fazer as pazes, talvez não da maneira que eu sugeri para você no avião...” Ele hesitou, como se lembrando o que aconteceu na Filadélfia. Ele engoliu em seco e desviou os olhos. “Eu n-não sei,” Jamie disse, empurrando seus sentimentos e obrigando-se a manter a conversa centrada nas suas famílias, não neles dois. “Parte de mim quer ir. Mas ao mesmo tempo, estou cansada de ser subestimada e maltratada... mesmo se isto não é feito de maneira intencional. Se eu apareço, parece como derrota, eu acho. E então elas irão simplesmente continuar me subestimando.” Alex assentiu, pensativo. “Não tenho certeza se elas irão. Você mudou muito desde que começou a trabalhar para mim. Não apenas fisicamente, mas você foi e ficou na frente de um grupo de investidores esnobes, obstinados e manteve a sua posição. Você já provou várias vezes para mim que você é um trunfo para esta empresa. Eu não iria irritá-la, nem iria querer você trabalhando contra mim.” Ele sorriu. “Você não é cruel, mas é incrivelmente inteligente. Você sabe como trabalhar com as pessoas e sabe como não aceitar um não como resposta.” Ele pigarreou. “Obrigado por conseguir Nick de volta a bordo, aliás. Aprecio isto.” Jamie sorriu. “De nada.” Ela pensou sobre a oferta de emprego de Nicholas e o que Alex tinha acabado de dizer sobre não a querer trabalhando contra ele. Isto a fez se sentir bem. “Irei pensar sobre o casamento. Não posso evitá-las para sempre. Isto não irá consertar nada.” “Você acertou.” Ela percebeu que ele deve ter pensado que ela estava insinuando que ele tinha feito isto. Ela estremeceu, em parte de frio, em parte de constrangimento. Ela começou a caminhar na água novamente. Mas quando começou a se mover, sua perna deu câimbra e ela escorregou. Os braços de Alex estavam ao redor dela dentro de instantes, esmagando-a no seu peito. Desejo espalhou-se através dela enquanto ela era forçada a abraçá-lo. “Você está bem?” ele perguntou com a voz rouca. Ela olhou para ele e viu desejo acender nos seus olhos pouco antes que ele o esmagasse. Ela tentou controlar seu próprio desejo também. “Sim,” ela disse, empurrando para longe dele. “Apenas escorreguei.” Ela obrigou suas pernas a começar caminhar na água por conta própria, embora sua panturrilha esquerda ameaçasse a ter câimbras novamente. “Acho que apenas estou ficando com frio. Vou entrar.” Ela caminhou até a escada e saiu, sentindo os olhos de Alex acompanhando cada


movimento seu. Ela pegou sua toalha e a envolveu com força ao redor dela. “Obrigado por me deixar falar.” Alex engoliu em seco e assentiu. O desejo nos seus olhos e a maneira que sua língua disparou pelo seu lábio superior rasgou através dela como um incêndio. Ela virou e saiu correndo. Embora ela não conseguisse negar a tensão sexual, ela desejou que ele não olhasse para ela assim. Isto a fazia se sentir além de sexy. Algo com o qual ela nunca tinha se sentido autorizada e isto a tornou incapaz de pensar sobre qualquer coisa exceto a maneira como isto se sentiu quando ele a tocou, deslizou para dentro dela e a fez implorar-lhe para fazê-lo novamente. Ela fechou os olhos enquanto se apoiava na porta depois que entrou no seu apartamento. Tê-lo perto durante o dia de trabalho mal era manejável, mas dormir sob ele na sua casa e estar em constante proximidade estava conduzindo seus desejos sexuais em sobrecarga. Talvez seria melhor se ela se mudasse. Ugh. Ela balançou a cabeça, fazendo com que seu cabelo molhado grudasse nos lados do seu rosto. Ela fez uma careta enquanto soltava os fios e em seguida entrou no banheiro para se secar. Ela não estava se movendo. Ela não queria. Ela iria superar Alex eventualmente. Certo?

No dia seguinte, ela recebeu uma mensagem de voz do seu pai. Ela realmente não tinha tido notícias dele, embora ela tivesse tido muitas notícias da sua mãe e irmã. Ela imaginou que ia ser ele implorando-lhe para fazer as pazes com elas, porque ele não conseguia tolerar ficar perto da sua esposa quando ela estava zangada sobre algo. Ela decidiu ouvir o correio de voz de qualquer maneira. “Oi, querida,” seu pai disse bruscamente. Ele soava estranho. “Eu uh, estava me perguntando se você gostaria de me encontrar para almoçar em algum momento esta semana. Por minha conta, é claro. Não se preocupe, não quero aborrecê-la sobre quaisquer problemas que você poderia estar tendo com Christine. Apenas acho que seria bom para colocar as notícias em dia. Me ligue de volta. Amo você.” Jamie ouviu mais três vezes, atordoada. Seu pai queria vê-la? Por que? Ele não a tinha levado para almoçar sem nenhum motivo aparente desde que ela ainda estava no ensino médio. Ele sempre reservava o almoço para reuniões de negócios, não para algo tão frívolo e improdutivo quanto uma reunião de família. Ela ficou sentada e olhou para seu telefone e decidiu telefonar de volta para ele, mais ou menos aliviada quando isto foi para o correio de voz. Ela listou os dias que estava disponível para almoço antes de voltar para a sua tela de computador e enterrar-se profundamente no trabalho.

Eles acabaram almoçando na sexta-feira. Eles se encontraram em um restaurante italiano no final da rua do trabalho de Jamie. Seu pai já estava lá, parecendo constrangido e desconfortável quando ele levantou para lhe dar um abraço. Ela percebeu que ele não tinha seu celular com ele. Ele sorriu para ela. “Olá, querida. Você está ótima.” Ela olhou para baixo. Ela estava usando uma blusa nova e uma calça preta. Ela tinha perdido ainda mais peso desde a vez que Alex lhe comprou roupas e teve de escolher mais algumas roupas assim como um kit de costura para reduzir as roupas que ela já tinha. Roupas manequim 42 estavam


começando a ter um ajuste frouxo. “Você parece bem, também.” Ela inclinou-se para um abraço rápido. “Você está pronto para pedir?” Ele assentiu. “Não tem muito tempo?” “Não tanto quanto eu gostaria.” Ela sorriu e pediu frango Marsala, um dos pratos mais engordativos no menu. Seu pai pediu a mesma coisa. Ela não se importava em pedir comidas com alto teor calórico com seu pai porque ele era o único membro da família que realmente não tinha lhe dado nenhum pesar sobre o seu peso. Além disso, ele estava quebrando sua dieta também. “Como você tem passado?” ele perguntou. “Tenho passado bem.” Jamie olhou para ele com desconfiança. “O que está acontecendo, Pai? Nós nunca almoçamos juntos, então não podemos exatamente fingir que isto é uma coisa normal.” “Eu sei, eu sei.” Ele suspirou. “Senti saudades sua, Jamie. Sei que não sou tão orientado para a família e não tenho sido o melhor pai, mas eu realmente a amo e quero tentar fazer as coisas certas.” Ele forçou um sorriso. “Além disso, às vezes acho que você é o único relacionamento são que eu tenho.” Ele fez uma ligeira careta. Jamie sorriu. “Obrigada, Pai, isto realmente significa muito para mim.” “Você é uma boa filha. Não deixe que ninguém lhe diga o contrário.” Ele sorriu. “Agora, conteme como você tem passado? Como está o trabalho? Tão orgulhoso de você com o seu novo emprego.” “Tem sido bom. O Sr. Reid me deu um aumento de salário. Aparentemente, estou fazendo um ótimo trabalho.” Ela riu, adorando que ela pudesse se gabar para ele e ele não ia tomar isto como se ela estivesse sendo convencida. Ela estava orgulhosa. Ele ergueu uma sobrancelha. “Sério?” “Sim, é incrível! Eu assumi a responsabilidade de uma reunião quando ele teve de se ausentar do trabalho e eu fui capaz de conseguir o dobro da quantia de dinheiro dos investidores do que ele pediu. Desde então tenho sido responsável por mais algumas coisas e ele me deu um aumento de salário.” “Isto é incrível,” ele disse, nitidamente impressionado. “Conte-me mais.” Eles conversaram sobre o seu trabalho e o trabalho do seu pai. Eles evitaram o assunto da mãe e irmã de Jamie completamente, muito para o alívio de Jamie. Ao final do almoço, Jamie acompanhou seu pai até o carro dele e o abraçou. “Obrigada pelo almoço,” ela disse. “Estou contente que você telefonou.” “Meu prazer,” ele disse e ele soou muito sincero, o que deu a Jamie esperança para o futuro. “Deveríamos fazer isto novamente. Talvez na próxima semana?” Jamie assentiu, incapaz de conter sua alegria. “Eu adoraria.” Ela sorriu. “Definitivamente.” Ele sorriu. “Bom. Agora, sei que nenhum de nós dois realmente quer falar sobre os dissabores em casa, mas... Você sabe que eu ainda irei gostar muito de você mesmo se você não for ao casamento da sua irmã amanhã?” Ele balançou a cabeça. “Ela está completamente estressada, mas isto não significa que ela deveria estar descontando isto em você. Sem mencionar a história entre você e Stephen...” Ele levantou a mão. “Não quero dizer sobre você, quero dizer sobre aquele idiota.” Ele fez uma careta. “Pessoalmente, eu gostaria que ela iria simplesmente cancelar a coisa toda. Stephen é um idiota, mas aparentemente sou o único na família, além de você, que consegue ver além da sua aparência e pouco dinheiro.” Jamie riu. “Honestamente, a aparência dele não é tão boa.” Ele riu e em seguida ficou sério novamente. “Quero que você saiba que estou orgulhoso de você, Jamie. Muito orgulhoso. Você é tudo que eu poderia ter desejado em uma filha e mais.”


Jamie engoliu em seco, mas ela podia sentir as lágrimas surgindo de qualquer maneira. Por favor, não se descontrole. Ela passou os braços ao redor dele em um abraço para esconder as lágrimas e se recompor. “Amo você, Pai,” ela sussurrou. “Amo você também,” ele disse quando eles se separaram. “Não se case com um idiota como Stephen. Por favor, não me faça levá-la até o altar para um idiota como este. Não irei fazê-lo.” Ela deu uma gargalhada e levantou a mão. “Eu prometo.” Ele olhou seu relógio e estremeceu. “Você precisa voltar ao trabalho,” Jamie disse. “Antes que se atrase.” “Na verdade, eu estava atrasado vinte minuto atrás.” Ele sorriu timidamente. “Pai! Por que você não me disse? Poderíamos ter abreviado isto.” Ele balançou a cabeça. “Tenho estado muito envolvido no trabalho. Já era hora de arranjar um tempo para a minha família. Eles podem lidar comigo estando atrasado de vez em quando.” Jamie balançou a cabeça e em seguida sorriu. “Obrigada por me convidar. Verei você na próxima semana. Por minha conta na próxima vez.” Seu pai riu. “Então vou definitivamente pedir sobremesa.” Depois que eles se separaram, Jamie conseguiu se controlar até que ela entrou no elevador do seu prédio de escritórios. Então ela começou a chorar. Ela amava sua família. Ela chorou mais duro do que ela já tinha em muito tempo. Ela sequer soube que as portas do elevador tinham aberto até que sentiu braços fortes ao redor dela, confortando-a, esfregando suas costas e segurando-a perto. Ela enterrou a cabeça no peito do estranho, apenas agradecida que alguém estava disposto a abraçá-la. Foi uma sensação boa, embora ela soubesse que estaria envergonhada muito em breve. “Conte-me qual é o problema,” Alex murmurou. Sua cabeça disparou para cima em surpresa. Ela deu um passo para trás rapidamente. “Sinto muito, não percebi...” Alex pressionou o botão de parada de emergência. “Conte-me o que está errado para que eu possa consertá-lo. É Stephen?” Ela enxugou os olhos. “Nada está errado,” ela disse. “Tudo está perfeitamente certo.” “Então por que você está chorando?” Ele lhe entregou um lenço do bolso do seu paletó. Ela o aceitou e assoou o nariz. “Meu pai está orgulhoso de mim,” ela disse e em seguida começou a chorar novamente. Ele a puxou ainda mais apertada ao seu corpo e ela inalou o seu cheiro. Ele cheirava como pinheiro. “Na verdade, ele disse que estava orgulhoso de mim hoje. Nós saímos para almoçar. Ele realmente não está zangado comigo.” Ele sorriu e descansou o queixo no alto da sua cabeça. “Bom,” ele murmurou. “Estou contente.” Ela soluçou. “Foi tão de repente que ele me convidou para almoçar. Ainda não consigo acreditar que ele fez isto. E ele disse que estava orgulhoso de mim.” Ela sentiu as lágrimas brotando novamente. “Como ele poderia não estar?” Ele sorriu para ela. Ela respirou fundo e olhou para as mãos. “Obrigada. Sinto muito sobre o choro. Normalmente não faço isto.” Ela foi lhe devolver o lenço caro. “Fique com ele.” Ele riu e franziu o nariz. Isto fez seu rosto parecer adoravelmente bonito. Jamie deu uma risadinha e o enfiou no seu bolso. “Irei lhe comprar um novo.” “Acho que posso me dar ao luxo de perder um.” Ele riu, provavelmente feliz ao ver que ela não estava chorando mais e em seguida pressionou o botão de parada de emergência novamente para eles subirem.


Jamie mordeu o lábio quando percebeu que eles tinham ficado parado por mais de vinte minutos. “Oh não,” ela disse. “Nós paramos o elevador por tanto tempo?” “Está tudo bem,” Alex disse. “É o meu elevador privativo até o meu escritório. Somente você e eu usamos, lembra?” Ela assentiu e sorriu. “Certo,” ela disse. “Mesmo assim, as pessoas não iriam notar?” “Talvez, mas isto não importa,” Alex disse. “Nós não estávamos fazendo nada indecente e mesmo se estivêssemos, não seria da conta de ninguém.” Ele hesitou por um momento quando disse indecente. Jamie sentiu seu rosto aquecer. “Não posso exatamente culpá-los por pensar que estamos dormindo juntos. Quero dizer, nós dormimos no passado.” “Sim. Mas isto não é da conta deles.” Alex franziu o cenho. “Qualquer coisa que eu ou você fazemos fora do escritório não afeta nossas vidas profissionais. Ainda trabalhamos bem juntos.” “Então por que você não quer ter um relacionamento de verdade comigo?” Jamie disse sem pensar. Em seguida corou. “Sinto muito,” ela disse. “Você não precisa responder isto.” As bochechas dele avermelharam. “Não, está tudo bem,” ele disse. “Não tenho sido justo com você, Jamie. Sei disto. Você merece uma explicação.” Jamie olhava para o chão. Ela realmente desejou que não tivesse dito nada. Ela não achava que queria saber. Ela não queria ouvi-lo dizer que ela não era digna do seu tempo. “Não mereço você,” ele disse. “Realmente. Jamie, eu nunca estive em um relacionamento de verdade. Não um que fosse igual ou comprometido. Vínculos emocionais são complicados para mim...” Ele balançou a cabeça. “Você merece melhor do que isto, Jamie. Você merece muito mais do que um viciado em trabalho que não pode fazer muito mais do que fornecer bens materiais. E tem sido incrivelmente errado da minha parte brincar com seu coração como eu tenho estado e realmente não há nenhuma desculpa para isto.” Ela viu o arrependimento nos seus olhos assim como o desejo e a angústia. “Você merece alguém que possa realmente cuidar de você.” O elevador abriu e Alex virou rapidamente e saiu antes que ela sequer pudesse dizer qualquer coisa. Ela queria dizer que ele estava errado. Ele tinha feito muito mais por ela do que qualquer outra pessoa tinha e com certeza ele não era um cara mau. Ela foi para a sua mesa, indecisa. Estava tão óbvio para ela que tudo que ele tinha acabado de dizer simplesmente não era verdade. Ele estava dando desculpas. Iria matá-lo ser direto comigo e me dizer que ele simplesmente não gostava de mim assim? Ela virou-se para o seu trabalho, ligeiramente irritada. Mais do que qualquer coisa, ela queria acreditar na história de Alex, mas ela sabia que era besteira. De maneira nenhuma Alex Reid era inseguro sobre si mesmo. E de maneira nenhuma ele não poderia ser um bom parceiro para alguém com quem ele realmente se importasse.


Capítulo 16 No momento em que ela encerrou o dia, Jamie tinha trabalhado para uma fúria pensando sobre Alex. Por que diabos ele estava lhe dando desculpas mentirosas? Ele achava que ela era muito delicada para lidar com a verdade? Ele que se foda! Ela merecia ter algo ótimo e se ele não podia ver que ela era algo incrível para ele, ele podia beijar sua bunda! Ela se dirigiu para o estacionamento e marchou na direção do seu carro. Alex estava lá, prestes a entrar no dele. Ele olhou para cima e seus olhos arregalaram quando ele a viu marchando na direção dele. Antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, ela lhe deu um tapa no rosto. “Seu filho da puta!” Ela sacudiu a mão da ardência vibrando para fora dela. “Como você se atreve a inventar uma desculpa mentirosa como aquela! Se você não me quer, ótimo! Então diga isto! Não diga que eu mereço algo melhor e você não é capaz de amar porque nós dois sabemos que isto não é verdade. Você realmente é um maldito idiota, você sabe disto? Você não é melhor do que Stephen.” Ela virou para se afastar e girou novamente. “Você estava certo sobre uma coisa: você nunca deveria ter brincado com o meu coração porque agora estou apaixonada por você e não há nada que eu possa fazer sobre isto! Qual é o problema com você? Você tem algum prazer em arrancar os corações das mulheres e pisar sobre eles? Droga, Alex. Odeio você!” Ele não disse nada, o que apenas a enfureceu mais. Alex levantou a mão até a bochecha que ela bateu. Vermelhidão formou-se no formato de dedos zangados na pele dele. Ele a esfregou com ternura. “Então, o que é isto, Jamie? Você me ama? Ou você me odeia? Decida-se.” Jamie bufou em desgosto. Ela cruzou os braços, recusando-se a responder-lhe. “Nunca neguei o fato que sou um idiota,” Alex disse. “Mas não sou tão ruim quanto Stephen. Eu nunca a expulsei da sua casa ou menosprezei seu corpo como ele fez e com certeza eu não a ataquei.” “Você me menosprezou de uma maneira diferente, você me deixou implorar-lhe para me tocar e em segudia disse que isto era errado após o fato.” Sua voz falhou, e muito para a sua mortificação, uma lágrima escorreu pelo seu rosto. Alex deu um passo para frente como se para confortá-la, mas Jamie recuou e ele parou de repente, uma dor crua nos seus olhos. “Nunca tive a intenção de machucá-la,” ele disse com a voz rouca. “Nunca tive. Inferno, Jamie, eu a desejo mais do que já desejei alguém em toda a minha vida.” Ele passou os dedos pelo cabelo. “Mas eu quis dizer isto, quando disse que eu não a mereço. Jamais poderia merecer alguém tão generosa e tão doce quanto você.” “Pare de mentir!” ela gritou. Ele balançou a cabeça lentamente, nunca tirando os olhos do seu rosto. “Não estou,” ele sussurrou. “Não sei como ter um relacionamento. Nunca estive apaixonado. Eu me impedi de amar há muito tempo atrás assim eu não me machucaria. Não sei se sequer sou capaz de começar novamente depois de todos estes anos e a última coisa que eu quero fazer é machucá-la, Jamie. Tentei tão duro,” sua voz falhou. “Você tem de acreditar em mim.” Ela balançou a cabeça. “Como eu poderia? Tudo que você já fez é me machucar.” “Isto nunca foi a mminha intenção.” Ela balançou a cabeça, lágrimas escorrendo pelo seu rosto agora. “Não importa, não me importo com o que você diz,” ela disse. “Não mais. É tudo mentira, de qualquer maneira.” Ela virou para ir, mas ele agarrou seu braço, puxando-a de volta. “Não,” ele disse bruscamente. “Isto não é verdade. Nunca menti para você sobre qualquer coisa. Eu me importo com você mais do


que qualquer outra coisa. Como posso provar isto para você?” “Você não pode. Não mais.” Antes que ela pudesse resistir, ele a puxou para perto dele e enxugou gentilmente suas lágrimas. Ele mal tocou sua pele quando fez isto e descansou seu outro braço no carro ao invés de segurá-la com firmeza como ele normalmente fazia, com se ele estivesse lhe dando toda a oportunidade para escapar. “Deve haver alguma maneira,” ele disse, implorando. “Eu gostaria mais do que qualquer coisa que eu pudesse lhe prometer o mundo, mas não posso. Não quero você pensando que eu a usei e não senti nada por você porque isto não é verdade. Por favor, Jamie. Diga-me como posso compensá-la.” Ela balançou a cabeça, tentando evitar chorar ou estender a mão para ele. Se ela o tocasse ou se movesse ligeiramente, seus lábios estariam nos dele e seu corpo iria fazer sua mente porque ele estava doendo. Contudo, ela não poderia fazer isto. Ela apenas estaria torturando a si mesma mais. “Não posso fazer isto, Alex.” Ela virou para ir embora e em seguida congelou quando ouviu vozes ao virar a esquina. Um grupo de funcionários estava conversando e rindo. Ela reconheceu a voz de Gina entre eles. Alex ouviu isto também. Ele abriu a porta de trás do seu carro. “Entre. Minhas janelas são matizadas. Eles sequer saberão que estamos aqui.” Jamie arrastou-se para dentro antes que ela pudesse pensar melhor e Alex deslizou para dentro ao lado dela. Eles escorregaram para baixo assim ninguém poderia vê-los através do para-brisa traseiro e ambos prenderam a respiração quando o grupo se aproximou. Alex pegou sua mão e começou a acariciar a parte de trás dos seus dedos com o polegar. Ela odiou o fato que isto a confortou. O grupo de pessoas passou e ambos sentaram lentamente de novo. Alex não soltou sua mão. Ele olhou para o assento entre eles, parecendo mais envergonhado do que ela jamais o tinha visto antes. “Não vou deixá-la ir embora assim,” ele sussurrou. “Preciso mostrar-lhe o quanto você me afeta. O quanto você significa para mim.” Ele levantou a mão dela aos lábios e a beijou gentilmente e com toda a ternura do mundo. Não havia nada confiante ou suave sobre as ações dele. Ele parecia mais vulnerável do que Jamie já o tinha visto antes. Ele parecia completamente genuíno. Ela já sentia sua raiva e determinação desmoronando e ela sabia que já estava se colocando em uma situação para se machucar novamente. Alex virou na direção dela e inclinou-se para beijá-la gentilmente nos lábios. Seus próprios lábios tremiam contra os dela. Ele não a puxou para perto ou sequer a tocou, dando-lhe completa liberdade para afastar-se ou ir embora. Jamie estava enraizada no seu lugar. Congelada. Cada molécula do seu corpo queria permanecer onde ela estava, beijando-o simplesmente assim. Ela sentia como se iria morrer se ela se afastasse. Então ela não se afastou. Alex afastou-se primeiro, de maneira relutante. “Se continuo beijando você, então ficarei tentado a possuí-la agora. Mas você merece muito mais do que uma transa em um carro, Jamie. Você merece alguém que irá amá-la e cuidar de você. Alguém que sempre estará lá para você de todas as maneiras que você precise que eles estejam. Alguém que possa fazer amor com você com toda a paciência e ternura do mundo. Eu gostaria mais do que qualquer coisa que eu pudesse merecê-la, mas a verdade é, eu não mereço. Não sou este cara. Não sei como realmente amar, Jamie. E você merece um especialista nisto.” Jamie balançou a cabeça. “Todo mundo sabe como amar se eles estão com a pessoa certa, Alex.” Ela engoliu em seco. “Acho que apenas não sou o tipo de garota que pode inspirar amor em alguém.”


“Não diga isto,” ele sussurrou com a voz rouca. “Tenho estado tentando lhe dizer que a culpa é minha, não sua. Qualquer homem que não esteja apaixonado por você é um tolo.” “Incluindo você?” “Pior,” ele cuspiu e cobriu os olhos enquanto pressionava os dedos contra a testa. “Porque você me deu seu coração e eu não sou digno dele.” Jamie engoliu em seco, tentando limpar a dor na sua garganta. Que pena que ela não poderia pegar seu coração de volta. “Então não vai funcionar, Alex. Não posso continuar trabalhando para você com meu coração despedaçado. Vou ter de entregar minha demissão. Sinto muito.”


Capítulo 17 Houve uma batida na porta de Jamie. Ela gemeu e colocou um travesseiro sobre a cabeça. Talvez se ela apenas virasse e fingisse que ela não estava lá eles iriam embora. Quem diabos iria visitá-la as sete da manhã? Então ela se lembrou de que dia era. Por favor, não deixe ser Mãe. Seu pai poderia estar calmo com ela não indo ao casamento da sua irmã, mas sua mãe seria outra história e já que a sua irmã estava se casando em cerca de cinco horas, então era completamente plausível que sua mãe tivesse aparecido na sua porta para exigir que ela fosse lá. Se fosse Alex batendo, então ele iria quebrar a porta se ela não respondesse. Ela tinha passado metade da noite chorando, então, quando ela teve o suficiente das suas lágrimas, ela deixou a raiva ferver lentamente através dela. Pelo menos, ficar zangada era mais fácil do que ficar zangada e com o coração partido. Ela iria conversar com Alex na segunda-feira sobre o seu emprego. Ela não queria desistir dele e quanto mais ela pensava sobre as coisas, mais confusa ela ficava. Ela finalmente decidiu que se Alex quisesse mantê-la, ele teria de encontrar-lhe um lugar que não fosse na sua casa. Ela não estaria à sua disposição e quando o trabalho terminasse no final do dia, isto seria o fim até a manhã seguinte. Ela acreditava que se eles estabelecessem limites, eles ficariam bem. O único problema era que ela não tinha certeza se era Alex que ela precisava convencer ou a si mesma. Ela gemeu e sentou quando a batida na porta continuou. “Estou indo!” ela gritou. Ela levantou, gemendo e pegou um roupão leve para colocar sobre a camisola, que mostrava muito mais pele do que ela estava confortável na frente de outras pessoas. Ela cingiu o cinto apertado e em seguida passou por cima da pilha de livros aos pés da sua cama, somente para tropeçar no tapete. A batida continuava. Seja você quem for, você está morto para mim! “Pare de bater!” ela gritou enquanto tentava recuperar o equilibrio. “Eu disse que estou indo!” A batida parou prontamente. Ok, não é a minha mãe. Ela não teria parado de bater. Se qualquer coisa ela teria começado a gritar para ela através da porta. Isto significava que era Alex ou Murray. Por favor, deixe ser Murray. Ela abriu a porta para encontrar Alex parado no outro lado usando calça preta, uma camisa de abotoar branca translúcida e segurando duas canecas de viagem de café. Ele sorriu desculpando-se para ela. “Ei,” ele disse, entregando-lhe uma. “Parece que você precisa disto.” Jamie o pegou, ela não estava em uma posição para dispensar um café grátis. Ela o bebeu. Latte com especiarias e abobora, seu favorito. Ele deve ter tido Murray fazendo-o especial porque estava fora de época. “O que você quer?” ela perguntou, suspirando enquanto se movia para o lado para que ele pudesse entrar. “Tenho estado pensando,” ele disse, sentando-se no sofá dela, todo confiante e destilando sex appeal. “Acho que você deveria ir ao casamento da sua irmã.” “Alex, eu não vou.” Ela se moveu para ficar na frente dele depois de fechar a porta. “Não quero vê-los. E além disso, não tenho nada para usar.” Contudo, isto não era exatamente verdade. O vestido vermelho no fundo do seu armario a tentava todos os dias. Ela tinha certeza que poderia caber nele agora. “Sei que você não quer ir neste momento,” Alex disse. “Mas, algumas coisas, você apenas tem de ir. Sei que você irá se arrepender disto pelo resto da sua vida se você não for. Exatamente como eu teria me arrependido se não fosse ver meu pai durante aqueles últimos dias. Você me ajudou então e,


apesar dos meus erros e você querendo se demitir, vou ajudá-la agora.” A determinação no seu rosto lhe disse que ele não ia aceitar um não. Ela sorriu. Ele estava jogando o seu jogo. E ela sabia, bem lá no fundo, que ele estava certo. “Você não tinha de me acordar tão cedo, sabe,” ela murmurou. “Não é por várias horas e de maneira nenhuma vou aparecer cedo para ajudar.” “Não, claro que não!” Alex sorriu. “Você quer restabelecer o relacionamento com a sua família, não retomar seu papel como escrava deles, Cinderela. Que tal o condutor da sua carruagem levá-la para tomar um ótimo café da manhã antes de irmos para o casamento?” Condutor? “Você está vindo?” Ele hesitou antes de responder. “Eu lhe devo. Muito. Além disso, você precisa de alguém no seu canto que não tenha medo da sua mãe.” Ela sorriu. “Obrigado, Alex.” Ele a observou e por um momento, ele abaixou sua guarda completamente, mostrando todo o desejo e felicidade na sua expressao assim como mais alguma coisa que Jamie não se permitiria reconhecer. “Não sou perfeito. Sinto muito se desapontei você tantas vezes, mas vou estar lá para você como você esteve por mim.” Ela corou e bebeu seu café, sem saber o que dizer. Alex não pareceu se importar. Ele bebeu o seu próprio café também, observando-a. Estudando-a. Ela sentiu seu corpo aquecer com o olhar dele. Ela ainda tinha sentimentos por ele. Era impossível não ter. E de repente, o casamento não pareceu a pior coisa no mundo se ele ia com ela. Ela tinha o final de semana, na segunda-feira eles poderiam conversar sobre negócios e ela se mudando ou seguindo em frente. “Então, quando saimos para o café da manhã?” Jamie perguntou. “Agora? Quando você quiser,” Alex disse. “Não fiz uma reserva de propósito assim você tem muito tempo para se preparar a seu bel prazer.” Ela deu uma risadinha. “Você não precisa de reservas para o café da manhã. Você vai a um bar local e ataca a comida.” “Ok,” ele disse. “Você escolhe o lugar.” O estômago dela roncou, como se controlado por ele. Ela ignorou seu sorriso convencido. “Dême cinco minuto.” “Jamie?” “Sim?” “Talvez você deveria tomar seu tempo se preparando e trocando de roupa para o casamento. Posso simplesmente esperar aqui por você.” Ela pressionou as sobrancelhas juntas. “Por que?” Ela imaginou a gordura do bacon pingando no seu vestido ou a gema do ovo. Ele pigarreou e remexeu o primeiro botão da sua camisa. “Eu poderia ter feito reservas. Não tenha pressa.” Ela hesitou e o observou. Alex estava aprontando alguma coisa. Instinto lhe disse para fazer como ele pediu. Ela acenou lentamente com a cabeça. “Ok.” Ela o deixou na sala de estar e pulou para o banheiro para um banho. Ela levou seu tempo, depilando as pernas e apreciando a água quente para acordá-la. Ela secou o cabelo e fez um penteado, debatendo se ela deveria usar o vestido vermelho ou apenas ir com uma roupa de trabalho. Enquanto fazia a maquiagem, ela decidiu ir com o vermelho. Em seguida decidiu que usaria um amarelo simples que ela tinha comprado como um substituto. A toalha ao redor dela, ela espiou a


sala de estar e viu a parte de trás da cabeça de Alex. Ela caminhou até o guarda-roupa e pegou o vestido de verão amarelo de algodão antes de olhar para aquele vestido vermelho. Pendurado lá, incrivelmente sexy e perfeito para o casamento e o clima quente. O que ela tinha a perder ao usá-lo? O diabinho no seu ombro lhe disse para fazer isto. Até mesmo o anjinho no outro lado a encorajou. Foda-se! Eu vou usá-lo! Ela o tirou do cabide e recortou as etiquetas antes de vesti-lo. Ela prendeu a barriga e fechou o zíper. Ela virou para o espelho de corpo inteiro e sorriu. O vestido não estava muito apertado. Ele coube nela perfeitamente. Ela olhou-se no espelho e rodopiou. Ela parecia como uma princesa sexy e selvagem. Tudo que ela precisava era a cinta-liga e uma pequena arma. Maldição, Jamie, você pode fazer a limpa muito bem! Mostre para Alex o que ele está perdendo! Faça isto! Antes de perder a coragem, ela saiu para a sala de estar para Alex. “Estou pronta.” Os olhos dele arregalaram quando ele levantou e virou para ela. Seu olhar escureceu imediatamente com luxúria. Seus lábios se entreabriram enquanto ele absorvia o ar bruscamente. “Jamie! Você. Está. Inacreditável.” “Obrigada,” ela disse, olhando para o chão enquanto o calor se espalhava por todo seu corpo a partir do seu olhar. Ela se perguntou se o seu próprio desejo era tão óbvio quanto o dele. Ela tinha certeza que era. Provavelmente pior. “Você está pronta para ir?” Alex perguntou, sua voz grossa com desejo. Ela assentiu. “Sim, vamos antes que eu mude de ideia. Acho que vou precisar de uma mimosa.” Ele riu. “Eu renunciei a estas coisas. Elas deixam você com uma maldita ressaca terrível.” Eles saíram para uma limusine preta comprida, aguardando com um motorista. Seu queixo caiu. “Para nós? Para o café da manhã?” “Eu sabia que você ia odiar ir ao casamento da sua irmã, então eu quis tornar isto tão agradável para você quanto eu poderia.” Ele sorriu, feliz em tê-la surpreendido. “Imaginei que uma limusine e um café da manhã seriam um bom começo. Meu plano é tentar fazê-la esquecer que você sequer está indo ao casamento.” “Ou nós poderíamos simplesmente ignorá-lo.” Ele riu. “Boa tentativa.” “E sobre o café?” “Isto foi para me fazer passar pela porta.” Ele sorriu para ela e Jamie não pode deixar de sorrir de volta. Ele desviou o olhar do dela, somente para abrir a porta da limusine para ela. Ele a ajudou a entrar ao segurar sua mão como se ele precisasse de qualquer desculpa para tocá-la. Ela entrou e relaxou contra os assentos felpudos. Era o assento de carro mais confortável em que ela já tinha sentado. Ele deslizou para dentro ao lado dela e pegou sua mão novamente. Tão logo a porta fechou, a limusine arrancou para a longa viagem. “Alex, posso lhe perguntar algo?” “Qualquer coisa,” ele disse, mas seu rosto ficou cauteloso. “Você está fazendo isto apenas porque eu o ajudei durante o funeral do seu pai?” Ele hesitou, engoliu em seco e em seguida balançou a cabeça. “Não,” ele disse finalmente. “Tenho muitos motivos egoístas também. Alguns incluem o que você disse para mim naquele dia que nós...” Ele apertou a mão dela, mas não terminou a frase. “Tem também a ver com o que você disse na noite passada. Não quero que você desista do seu emprego. Posso ter fodido a chance de estar com você, mas você é a melhor assistente pessoal que eu já tive e eu sou um homem de negócios. Não vou deixá-la ir tão facilmente. Farei o que for preciso.”


Ele estava falando sobre seu coração ou o emprego dela? Ela parecia não conseguir ver a linha entre os dois. Sua frequência cardíaca gaguejou quando ela esqueceu de respirar. Ela não queria ter esperanças, mas ela não conseguiu se conter.

Eles tomaram o café da manhã em um restaurante luxuoso de uma pousada local exclusiva na região. Enquanto eles comiam, eles gracejavam e faziam uma conversa mais leve, nenhum dos dois mencionando relacionamentos, romances ou negócios. Alex mantinha a conversa girando ao redor de tudo, do tempo às tendências de estilo e esportes. Ele desempenhou seu papel de maneira perfeita, mantendo Jamie distraída com pensamentos do casamento. Contudo, seus olhos viajando pelo corpo dela, hesitando sobre seu decote, ficou desconcertante e apesar de manter a conversa estritamente platônica, Jamie não conseguia ignorar a tensão sexual entre eles. Ela ficou tão densa que ela tinha certeza que se alguém tentasse cortá-la com uma faca, a lâmina iria quebrar. Ela tinha certeza que ele se sentia da mesma maneira pelo modo que sua mão demorava sempre que ela acidentalmente roçava na dela e a maneira como ele sustentava seu olhar com o seu próprio olhar intenso. Quando ele abriu a porta do carro para ela, o estômago de Jamie contraiu apertado com nervosismo, não apenas por causa do casamento, mas também porque Alex estava tão perto dela. Sem querer que ele soubesse o que ele estava fazendo com ela, ela balbuciou nervosa, “Minha mãe vai ter um ataque cardíaco quando ela ver este vestido. Não tenho certeza se ir ao casamento é uma ideia inteligente. É o dia da Christine.” “E ela iria querer você lá.” Ele abriu a porta da limusine e pegou a mão dela novamente. “Relaxe,” Alex apertou sua mão suavemente, “vai ficar tudo bem. Vou estar ao seu lado o tempo todo. Você também sabe que o seu pai está ao seu lado, embora ele possa não demonstrá-lo.” Ela assentiu. Ela não poderia culpar seu pai. Ele tinha de viver com a sua esposa todos os dias. “Minha mãe é assustadora.” Quando as sobrancelhas de Alex subiram, ela riu. “Você conhece a madrasta malvada na Cinderela?” “Jamie!!” Ele tentou parecer horrorizado, mas os cantos da sua boca curvaram para cima. Ele brincou, “Ela não é tão má.” “Não.” Ela apertou a mão de Alex com força. “Acho que ela é pior.” Ela riu e piscou para ele. Ela endireitou os ombros e olhou para a frente, a diversão do momento desaparecendo. “Ok. Vamos acabar com isto.”


Capítulo 18 A limusine atraiu muitos olhares quando estacionou na frente da pequena igreja. Quase imediatamente, os convidados do lado de dentro começaram a serpentear para fora para ver se era a noiva. Jamie localizou seu pai na multidão e respirou fundo. Em vez de deixar Alex abrir a porta, o motorista deu a volta para deixá-los sair. “Se vamos dar um show, poderíamos muito bem fazê-lo direito,” Alex murmurou no seu ouvido. Ela deu uma risadinha nervosa. “Nós não deveríamos constranger a noiva.” Ele beijou o alto da sua cabeça. “Relaxe. Você está incrível. Inacreditavelmente, inegavelmente, explicitamente sexy.” A porta abriu e ele deslizou para fora primeiro, sorrindo educadamente para a multidão com toda a confiança de alguém que já tinha feito isto um milhão de vezes ou era dono de milhões de dólares. Ele estendeu a mão e a ajudou a sair da limusine. Jamie manteve os olhos no chão e concentrou-se em não fazer algo humilhante, como tropeçar ou acidentalmente dar a multidão uma espiada da sua roupa intíma. Merda! Não estou usando nenhuma. Murmúrios ondularam através da pequena multidão enquanto eles olhava para Jamie e seu acompanhante rico. Isto mesmo. A filha pródiga retorna... sem calcinha. Ela sorriu desafiadora de volta para todos os amigos de Christine e Stephen. Eles poderiam julgá-la o quanto eles quisessem. Ela não ia se importar com o que eles pensavam. Seus olhos descansaram sobre seu pai, que tinha um sorriso no rosto, mas não estava olhando para ela no momento. Ele estava olhando para Alex. Ela olhou para o seu acompanhante, que estava sorrindo de volta para o seu pai e ela imediatamente ficou desconfiada. Que diabos eles sabiam que ela não? Alex manteve um aperto firme sobre a sua mão enquanto eles se aproximavam da igreja. Os espectadores se afastaram, sussurrando atrás das mãos como alunos do ensino médio. “Ela realmente teve a coragem de constranger a irmã.” “Ouvi dizer que ela tentou seduzir Stephen. Parece que a pobre coitada não consegue se conter.” “É tão triste que ela teve de contratar um acompanhante assim ela teria um a mais. Aquilo é um acompanhante? Ele é incrivelmente sexy.” “Idiota, aquele é o chefe dela,” algum cara disse em voz alta para a sua esposa. “Por que você não usa um vestido assim?” “Ignore-os,” Alex sussurrou no seu ouvido. “Todos eles são idiotas. Exceto o cara resmungando sobre o vestido vermelho. Ele está certo sobre isto.” Jamie riu e relaxou ligeiramente. Seu pai juntou-se a eles, no outro lado de Jamie, agindo como um escudo entre ela e os outros convidados. “Você está bonita, Jamie,” ele disse, sorrindo para ela. “Estou contente que Alex conseguiu vir também.” “O que vocês dois estão aprontando?” Jamie sussurrou. “Vocês estão planejando um roubo? Vocês são tão obtusos quanto ladrões.” “Seu pai e eu chegamos a um acordo,” Alex disse, um sorriso óbvio na sua voz. Jamie olhou duro para ele. Uma coisa com certeza: ela não ia parar até que ela descobrisse o que eles estavam aprontando. Quando seu pai e Alex tinham começado a conversar? E quando seu pai


tinha começado a gostar de Alex? Se seu pai notou o conflito interno de Jamie, ele não deixou transparecer. “O casamento está praticamente todo organizado. A organizadora do casamento foi muito eficiente com tudo.” “Filha da puta,” Jamie disse. “Elas contrataram uma organizadora de casamento.” “Sim,” o homem mais velho revirou os olhos, “aparentemente Christine achou que seria menos estressante para Scarlet, a nova dama de honra, se uma organizadora de casamento cuidasse de tudo.” Seria menos estressante para Scarlet, que tinha estado planejando festas desde que ela tinha doze anos e não tinha um emprego e todo o tempo do mundo com seu marido viciado em trabalho voando constantemente pelo país para evitá-la, mas Deus perdoe Christine pensar em contratar uma organizadora quando sua irmã, com um emprego em horário integral, era a dama de honra. Ela respirou fundo. “Foi gentil da parte de Christine ajudar Scarlet.” Ela tentou soar sincera e esperou que isto não saísse sarcástico. Ela não tinha vindo aqui para ficar zangada. Jamie e Christine nunca seriam capazes de chegar a um acordo sobre a maioria das coisas, mas este não era o dia para discutir sobre isto. Para o melhor ou para o pior, ela iria apoiar sua irmã hoje e não arruinar nada. Isto não era sobre ela. “Onde está Christine?” Jamie perguntou. “Ela ainda está se aprontando?” Seu pai sorriu. “Sua mãe está lá com ela agora. Pessoalmente, eu me alistaria no Corpo de Fuzileiros da Marinha antes de entrar naquela sala.” Ele estremeceu. Jamie sorriu. “Eu sei,” ela disse, beijando-o no rosto. “Mas vou enfrentar isto. Quero desejar-lhe boa sorte no dia do seu casamento.” Ela deixou ambos os homens olhando para ela enquanto ela caminhava até a sala lateral da igreja destinada para o grupo nupcial. “Nunca irei compreendê-la completamente,” ela ouviu seu pai dizer para Alex. “Irei passar o resto da minha vida tentando.” As palavras de Alex a aqueceram, mas ela colocou isto de lado e concentrou-se no som dos soluços vindo do outro lado da porta. “O dia do meu casamento arruinado!” Christine lamentou. “Completamente arruinado! Como isto pode acontecer?” “Shh, está tudo bem, querida,” sua mãe disse suavemente. “Nada está arruindo. É apenas um pequeno rasgo.” Jamie bateu na porta. “Agora não, Scarlet!” Christine sibilou. “Sou eu, Jamie.” Silêncio. Jamie esperou por alguns segundos e em seguida suspirou. “Posso entrar?” “É um país livre,” Christine rosnou. “Entre, Jamie,” sua mãe gritou. Jamie abriu a porta com cautela, meio esperando que um buquê de flores viesse voando na sua direção. Christine estava sentada no chão no seu vestido de casamento enorme que parecia como um cupcake no momento. Sua maquiagem ainda estava perfeita, mesmo com as lágrimas escorrendo pelo seu rosto. No lado do seu vestido havia uma costura aberta que expunha parte do quadril de Christine. Parece que sua irmã tinha sucumbido à coisa pela qual ela sempre tinha criticado Jamie: comer por estresse. Jamie podia ver o arredondamento no rosto da sua irmã pelo ganho de peso. Sua irmã e mãe olhavam para ela. Ela não fazia ideia se era porque ela estava lá ou por causa do que ela estava usando. Sua mãe avançou lentamente e jogou os braços ao redor da sua filha. “É bom vê-la,” ela sussurrou.


Jamie sorriu e saboreou o abraço. Ela tentou engolir o nó na garganta enquanto olhava para a sua mãe com os olhos à beira das lágrimas. “É bom vê-la também, Mãe,” ela disse. “Você está adorável.” “Olá! Sou eu subindo ao altar em quinze minutos e estou prestes a cancelar o maldito casamento,” Christine fez beicinho para elas, os braços cruzados sobre o peito. Ela parecia como um pirralho mimado. “Posso consertá-lo,” Jamie ofereceu. “Não deverá levar mais do que alguns minutos para costurá-lo e ninguém irá sequer notar. Mas irei precisar de um kit de costura.” “Irei conseguir um,” sua mãe disse. “Há uma loja de artesanato no final da rua. Estarei de volta em cinco minutos.” Jamie poderia ter jurado que viu sua mãe suspirar aliviada enquanto saia correndo da sala. Ela respirou fundo e virou para sua irmã. Jamie pegou o kit de maquiagem da mesa do camarim. “Vamos limpá-la,” ela murmurou e começou cuidadosamente retocar alguns pontos no rosto de Christine. “É incrível como eles fazem as máscaras hoje em dia. Seus olhos estão perfeito.” Ela começou a dar batidinhas no rosto da sua irmã. Christine não dizia nada, apenas observava Jamie com olhos acusatórios. “Seu vestido é muito bonito, Christine. Stephen somente vai ter olhos para você.” Sua irmã zombrou quando as lágrimas encheram seus olhos, mas não caíram. “Stephen me contou tudo,” ela disse. “Sobre como ele ficou bêbado e em seguida como Alex o ameaçou para protegê-la.” Jamie sorriu alguns instantes depois. “Eu aceito seu pedido de desculpas.” “Eu não disse que sentia muito.” “Não, mas isto é o mais perto que você vai chegar de se desculpar.” Ela revirou os olhos. “Não contei para ninguém,” ela disse. “Quero dizer, quão embaraçoso isto seria? Meu noivo foi atrás da minha irmã.” “Oh caramba, nem consigo imaginar,” Jamie disse secamente. “Mas tenho certeza que seria muito embaraçoso.” Christine encolheu-se. “Nunca tive a intenção de roubá-lo, sabe,” ela disse. “Apenas achei-o incrivelmente atraente desde a primeira vez que você o trouxe em casa. E ele sempre foi tão agradável comigo, sabe? Como, ele tolera minhas besteiras. E quando descobri que era de mim que ele realmente gostava... bem, apenas não consegui resistir, eu acho. Foi uma merda da minha parte e eu sinto muito que eu a magoei. Eu deveria ter lhe contado.” “Está tudo bem. Às vezes as coisas acontecem e não percebemos o que está acontecendo até que é tarde demais. Ou tentamos negá-lo e então estamos enganando apenas a nós mesmos.” Christine olhou duro para sua irmã. “Você está falando sobre Alex?” Jamie corou. “Hum...” “Ele está aqui com você agora, não é? Eu estava definitivamente errada sobre ele nunca gostar de você, com certeza.” “O que você quer dizer? Porque ele ameaçou Stephen?” “Não apenas isto,” Christine disse. Seus olhos arregalaram. “Você não faz ideia, não é?” “O que?” “Nada, é só que... mãe me contou, ok? E acho que provavelmente você deveria saber.” O estômago de Jamie começou a contrair lentamente de novo. “Diga-me o que, Christine?” “No dia antes que Pai telefonasse para você, Alex apareceu no escritório dele. Pai não queria vêlo, é claro, mas ele também sabia que Alex Reid não é alguém que você ignora. Então ele fez Alex aguardar na sala de espera por algumas horas enquanto ele lidava com um ‘trabalho urgente’.


Aparentemente, ele sequer foi ao banheiro naquele tempo. Quando Pai finalmente não conseguiu evitá-lo, ele deixou Alex entrar no seu escritório. Ele não estava planejando realmente ouviu seja o que fosse que Alex queria conversar com ele, mas Alex o obrigou. Acho que eles conversaram até tarde sobre como Pai precisava reconectar com você e ele se recusou a ir embora até que Pai concordasse em telefonar e convidá-la para almoçar.” “Isto foi gentil da parte dele.” Ela sorriu, não completamente segura sobre o que fazer da situação. “O Sr. Reid passou por algumas coisas pessoais, de família e provavelmente não quis que nós passássemos pela mesma coisa.” “Tanto faz,” Christine zombou. “Não há dúvida que Alex gosta de você. Não, eu retiro isto. Aposto que ele está completamente apaixonado por você.” Jamie corou e mordeu o lábio. “Tenho certeza que Alex não foi ver Pai. Provavelmente, ele esbarrou com Pai na rua e lhe disse para me telefonar.” Christine assentiu. “Não foi como Mãe me contou. Conversamos sobre isto por horas uma noite.” “Sério?” Jamie sorriu. “Você tinha um casamento para planejar e não tinha nada melhor do que conversar sobre mim?” “Mãe e eu ainda gostamos de um pedaço quente de fofoca, mesmo se for sobre a sua vida amorosa.” Ela sorriu para sua irmã. “Ele realmente, realmente gosta de você. Não é?” Jamie pressionou as mãos frias no seu rosto ardente. “Ei, este dia é para ser sobre você, lembra?” Ela entregou um batom para sua irmã. “Conserte a última parte do seu rosto. Tão logo Mãe volte, irei consertar o seu vestido.” “Estou contente que você está aqui, Jamie.” “Eu também.”

“Então, você conseguiu,” Alex disse, servindo para ambos uma taça de champanhe. “Como você se sente?” “Aliviada,” Jamie disse honestamente. “Mas isto não acabou ainda.” Ela olhou ao redor para todo mundo apreciando suas refeições e fazendo uma conversa educada sobre a cerimônia do casamento. Na mesa dos pombinhos, Christine estava apoiada em um Stephen muito desconfortável, que continuava olhando com medo para Alex e Jamie. Christine, contudo, parecia mais contente do que Jamie a tinha visto em muito tempo. “Não se preocupe,” Alex sussurrou para ela. “Christine irá chicoteá-lo em material de marido muito em breve.” “Acho que eles parecem adoráveis juntos,” a mãe de Jamie interrompeu. Ela e o pai de Jamie eram os seus únicos dois companheiros de jantar, muito para o alívio de Jamie. A última coisa que ela queria era conversar com qualquer um dos amigos superficiais de Stephen ou Christine. O pai de Jamie revirou os olhos. “Espero que ele saiba que posso fazer isto parecer com um acidente se ele a machucar.” Ele olhou diretamente para Alex quando disse isto. Alex deu um aceno de cabeça tão pequeno que Jamie mal o pegou. “Ok,” ela disse. “Christine me contou tudo sobre o que aconteceu entre vocês dois.” Ela apontou para ambos os homens na mesa, que gemeram simultaneamente. “Não posso acreditar que você contou para Christine!” Alex apontou um garfo para o pai de Jamie e riu. “Eu lhe disse que não queria que Jamie soubesse e você conta para a irmã dela!” “Não contei para Christine, contei para a minha esposa!” O homem mais velho virou um olhar acusador para a sua esposa. “Eu não sabia que ela iria dar com a língua no dentes.”


A mãe de Jamie levantou a mão em defesa. “Olhe,” ela disse. “Ninguém disse nada sobre guardar segredo disto de Christine. Eu não sou a culpada aqui.” “Chega crianças!” Jamie riu. “São águas passadas. Que tal todos concordarmos em esquecer isto?” Ela deu uma cotovelada em Alex. “Chato atrevido.” “Jamie!” Seu pai pigarreou. “Pretendo continuar com estes encontros de almoço e por favor diga para sua mãe que não estou tendo um caso. Este é todo o motivo pelo qual eu tinha de contar para ela.” Jamie sorriu e ela sentiu a tensão na sua barriga ir embora. “Mãe, estou vendo seu marido.” Ela sorriu radiante para o seu pai. “Isto é tudo que eu queria ouvir, Pai.” A banda começou a tocar quando a refeição terminou. A primeira dança obrigatória e em seguida a dança pai-filha, seguida por outra música lenta para os casais se juntarem aos noivos. “Dance comigo, Jamie,” seu pai pediu e a afastou de Alex antes que ele pudesse convidá-la. “É claro,” Jamie disse, lançando um sorriso de desculpas para Alex, que acenou com a cabeça e foi sentar novamente. “Estou feliz que você veio,” seu pai disse. “E estou feliz que você e Christine fizeram as pazes. Realmente.” “Eu também,” ela disse quando seu pai a rodopiou. “É bom ser parte da família novamente.” “Você sempre foi, Jamie,” ele disse sorrindo. “Podemos apenas ser idiotas às vezes.” Seu rosto ficou sério depois que eles dançaram um pouco. “O que está acontecendo entre você e Alex? Vocês dois estão namorando?” Jamie corou. Não importava quão velha ela ficasse. Seu pai perguntando sobre a sua vida amorosa sempre seria embaraçoso. “Pai.” “Estou falando sério,” ele disse. “Vocês estão namorando?” “É complicado,” Jamie disse. “Eu diria a você para não deixá-lo ir, mas dúvido que ele iria deixá-la mesmo se você tentasse libertá-lo.” Jamie ergueu uma sobrancelha. “O que você está dizendo?” Ele sorriu. “Estou dizendo que ele ama você, Jamie. Mais do que qualquer coisa. Ele provou ser um bom rapaz e ele merece uma chance com você.” Ele pigarreou. “E você sabe que não digo isto sem um bom motivo.” Ele inclinou a cabeça. “Você não está apaixonada por ele?” Jamie encolheu os ombros. “Não sei,” ela mentiu. “Acho que o coração de Alex está no lugar certo, mas apenas não tenho certeza se isto irá funcionar. Quero dizer, ele é o meu chefe e ele realmente não tem relacionamentos comprometidos.” Seu rosto ardeu com constrangimento. Ela precisava descobrir uma maneira de impedir o rubor constante, estava ficando ridículo. “Ele já está comprometido com você, Jamie,” seu pai disse. “Ele apenas não lhe disse ainda por que não quer afugentá-la.” Jamie olhou para o seu pai. “Quantas vezes vocês conversaram exatamente?” Ele sorriu. “Apenas uma. Depois que ele me disse para levá-la para almoçar. Ele me perguntou o que deveria fazer para conquistá-la. É dever de um pai vasculhar por besteiras e sei que ele está sendo completamente genuíno. Não somos perfeitos, Jamie. Todos cometemos erros. Dê-lhe uma chance para tentar consertar o dele.” “Não posso acreditar que ele foi até você por conselhos sobre namoro,” Jamie resmungou. Não somente seu pai era um exemplo terrível no que dizia respeito a relacionamentos românticos, mas isto era tão embaraçoso.


“Você irá superar isto,” ele disse sem rodeios. “Estou lhe dizendo, Jamie, ele é um bom rapaz e não acho que haja alguém mais digno para você lá fora.” “Veremos.” Ela ainda não estava convencida que as coisas iriam funcionar. Poderia ser necessário que ela deixasse seu emprego para eles terem um relacionamento. Talvez conversar com Nicholas não seria uma má ideia. Ela amava seu emprego, mas tinha certeza que estava apaixonada por Alex mais. A música terminou e Alex aproximou-se dela. “Posso ter a próxima dança?” Seu pai sorriu e recuou. “Pense sobre isto, Jamie,” ele disse enquanto ia se juntar à sua esposa na mesa. Alex ergueu uma sobrancelha. “O que foi isto?” Jamie corou. “Nada.” A banda começou a tocar uma música lenta e Alex sorriu para ela enquanto deslizava o braço ao redor da sua cintura. “Você está incrível. Este vestido é incrível. Lembre-me de não deixá-la usar algo assim em uma festa do escritório. Eu poderia começar uma briga.” Ela sorriu de volta para ele. Ela sabia ela estava corando mais do que qualquer coisa e olhou para baixo, desejando que ela pudesse escondê-lo. “Ei, por que você está olhando para o chão?” Alex disse. “Acredite ou não, eu realmente sei como dançar. Não irei pisar nos seus pés.” “O pensamento nunca passou passou pela minha mente.” Ela sorriu, agradecida pelo seu. “Eu apenas... Eu apenas não consigo acreditar o quanto você fez por mim hoje. Obrigada.” Ela engoliu em seco. “Quero agradecê-lo por tudo. Não apenas hoje. Pelo emprego, por me ajudar a encontrar a minha confiança, por tudo isto. Eu...” “Você merece cada parte disto,” ele disse, interrompendo-a, como se com medo que ela poderia lhe dizer que iria sentir sua falta quando fosse embora. “Eu faria tudo isto novamente,” ele sussurrou, a voz rouca com desejo. “E mais. Eu estraguei tudo mais vezes do que consigo contar e, no entanto, por algum motivo, você continua me dando chances.” Ele a rodopiou pela pista, suas habilidades de dança de salão tornando fácil para Jamie acompanhar. Vários outros casais pararam para observá-los se moverem. “Prometo que não irei estragar tudo desta vez, Jamie.” A mão dele pressionou a parte inferior das suas costas, enviando arrepios de desejo em todas as direções a partir do seu toque. “Sou eu que não a mereço, Jamie. Mas quero passar o resto da minha vida tentando.” Ele segurou seu rosto com a mão livre enquanto os pés dela esqueciam de continuar se movendo. Ele parou com ela. “Estou apaixonado por você, Jamie. Mais do que trabalho, mais do que dinheiro, inferno, até mais do que eu mesmo. Se você decidir me dar uma última chance, prometo que irei lhe dar tudo que eu puder. Farei tudo que eu puder para fazê-la feliz. Nunca irei dispensá-la ou tratá-la como merda porque você merece muito mais do que isto.” Ela mordeu o lábio. “Você realmente quer dizer isto?” “Quero.” Ela ficou na ponta dos pés e o beijou. Alex suspirou e a puxou para perto, a mão deslizando para cima pelas suas costas para segurar o seu pescoço e passar os dedos no seu cabeço. Ele a beijou gentilmente. Ela sorriu e aprofundou o beijo, tentando expressar todos os seus sentimentos e todo o seu amor com aquele simples contato. Eles se separaram quando a música terminou. Alex descansou a testa na dela. “Sou seu,” ele disse. “Para sempre.”


Jamie sorriu. “O que você diz de darmos o fora deste lugar e brincarmos naquela sua limusine grande?” Um sorriso sexy surgiu na boca de Alex. “Inferno, sim. Você não tem de pedir duas vezes.” Ela agarrou a mão dele e puxou-o para longe da pista de dança. “Bom. Eu estou morrendo aqui.” “Você está?” Ele acompanhava de perto atrás dela, sua mão livre estendendo para acariciar suas nádegas. “E eu não estou usando nenhuma calcinha!” O rosnado que saiu da sua garganta tinha ambos correndo para a saída. ~ O FIM ~ Quem é o chefe agora Em breve!


Nota da Autora: Obrigada por ler a série Lidando com os chefes! Sempre gosto de ter notícias dos leitores e ver o que eles estão achando dos personagens. Se eles gostariam de saber mais ou ver mais dos outros personagens. Espero que você esteja apreciando a série até agora! Minhas informações de contato estão na próxima página! Sinceramente, Lexy xx


Encontre Lexy Timms: Lexy Timms Boletim de NotĂ­cias: http://eepurl.com/9i0vD Lexy Timms Facebook: https://www.facebook.com/SavingForever Lexy Timms Website: http://lexytimms.wix.com/savingforever


Série Lidando com os chefes O Chefe O Chefe Também Quem é o Chefe Agora Ame o Chefe Eu aceito, Chefe Uma esposa para o Chefe

PRESENTE PARA O CHEFE Romance de Natal (3.5)


Nova Série!

Sexy & bonito, Rico & Solteiro... Até onde você está disposta a ir? Conheça Alex Reid, CEO da Reid Enterprise. Bilionário extraordinário, esculpido à perfeição, extremamente sexy e atualmente solteiro. Saiba mais sobre Alex Reid antes que ele começasse a série Lidando com os Chefes. Alex Reid senta para uma entrevista com a R&S. Seu estilo de vida é como sua aparência bonita: duro, rápido, de tirar o fôlego e disposto a jogar bola. Ele é perigoso, charmoso e determinado. Quão perto do limite Alex está disposto a ir? Ele não irá parar em nada para conseguir o que quer? Alex Reid é o livro1 na Série R&S – Rico & Solteiro. Apaixone-se por estes homens quentes e sensuais; todos solteiros, bem-sucedidos e à procura do amor.

Mais por Lexy Timms:

Às vezes o coração precisa de um tipo diferente de salvação... Descubra se Charity Thompson irá encontrar uma maneira de salvar o para sempre neste romance best seller de ambiente hospitalar de Lexy Timms. Charity Thompson quer salvar o mundo, um hospital de cada vez. Em vez de terminar a escola de medicina para se tornar uma médica, ela escolhe um caminho


diferente e levanta fundos para os hospitais – novas alas, equipamentos, seja o que for que eles precisem. Só que há um hospital que ela ficaria feliz em nunca colocar os pés novamente - o do pai dela. Então, claro que ele a contrata para criar o baile de gala para o seu sexagésimo-sexto aniversário. Charity não pode dizer não. Agora ela está trabalhando no único lugar que ela não quer estar. Só que ela está atraída pelo Dr. Elijah Bennet, o bonito chefe playboy. Algum dia ela provará para o seu pai que ela é mais do que uma aluna evadida da escola de medicina? Ou irá sua atração por Elijah evitar que ela repare a única coisa que ela quer desesperadamente consertar? ** Isto NÃO é Erótica. É um romance e uma história de amor** * Esta é a parte 1 de uma série romântica de oito livros. Ela realmente termina em suspense*


Série Heart of the Battle Celtic Viking Livro 1 Celtic Rune Livro 2 Celtic Mann Livro 3 Em um mundo atormentado pela escuridão, ela seria sua salvação. Ninguém deu a Erik uma escolha quanto a se ele lutaria ou não. O dever para com a coroa pertencia a ele, o legado do seu pai permanecendo além da sepultura. Tomada pela beleza do campo cercando-a, Linzi faria qualquer coisa para proteger a terra do seu pai. A Grã-Bretanha está sob ataque e a Escócia é a próxima. Em uma época que ela deveria estar concentrada em pretendentes, os homens do seu país foram para a guerra e ela é deixada sozinha. O amor estará disponível, mas irá a paixão pelo toque do inimigo desfazer a sua forte impressão primeiro? Apaixone-se com este romance viking celta histórico. *Existem três livros nesta série. O livro 1 irá terminar em suspense. *Nota: isto NÃO é erótica. É um romance e uma história de amor.


Knox Township, August 1863. Little Love Affair, Livro 1 na série de Romance Sulista, da autora best seller Lexy Timms Os sentimentos estão intensos após a batalha de Gettysburg e embora o recrutamento ainda não tenha chegado em Knox, “Bloody Knox” irá reivindicar vidas no próximo ano enquanto os cidadãos tentam evitar o recrutamento da União. O irmão de Clara, Solomon, está desaparecido e Clara foi deixada para administrar a fazenda da família, cuidando da sua mãe e da sua irmã mais nova, Cecelia. Enquanto isto, feridos na batalha de Monterey Pass, mas ainda capazes de escapar das forças da União, Jasper e seu amigo Horace estão perdidos e morrendo de fome. Jasper quer encontrar seu caminho de volta para a Confederação, mas sente-se obrigado pela honra a levar Horace de volta para a sua família, embora o homem pareça relutante. NOTA: Esta é uma série de romance, livro 1 de 3. Todas as suas perguntas não serão respondidas no primeiro livro.


A Viagem de Recrutamento Descrição do livro: A atleta universitária aspirante Aileen Nessa está achando o processo de recrutamento além de assustador. Ser classificada como a número 10 do mundo nos 100m com obstáculos aos dezoito anos não é um golpe de sorte, embora ela acredite que aquela corrida única, onde tudo encaixou-se de maneira mágica, poderia ser. As universidades americanas não parecem pensar assim. As cartas estão chegando de todo o país. Enquanto encara o desafio de diferenciar entre o compromisso genuíno de uma universidade com ela ou apenas promessas vazias de treinadores em busca de talentos, Aileen dirige-se para a Universidade de Gatica, uma universidade Divisão Um, em uma viagem de recrutamento. Sua melhor amiga se atreve a ir apenas para ver os rapazes bonitos no panfleto da universidade. O programa de atletismo da universidade vangloria-se de possuir um dos melhores corredores com obstáculos do país. Tyler Jensen é o campeão NCAA da universidade na corrida com obstáculos e vencedor do prêmio Jim Thorpe como o melhor defensive back no futebol. Seus incríveis olhos azul-esverdeados, sorriso confiante e barriga de tanquinho dura como rocha mexe com a concentração de Aileen. Sua oferta para tomá-la sob sua asa, caso ela decida vir para Gatica, é uma proposta tentadora que a tem se perguntando se poderia estar com um anjo ou fazendo um acordo com o próprio diabo.


AQUELA QUE VOCÊ NÃO PODE ESQUECER! Da autora best seller Lexy Timms, chega um romance de clube de motoqueiros que irá fazer com que você queira comprar uma Harley e apaixonar-se novamente. Emily Rose Dougherty é uma boa garota católica da mítica Walkerville, CT. Ela tinha, de alguma maneira, conseguido se meter em um punhado de problemas com a lei, tudo por que um ex-namorado decidiu dificultar as coisas. Luke “Spade” Wade é dono de uma loja de consertos de motos e é o Capitão da Estrada para o MC Hades' Spawn. Ele fica chocado quando lê no jornal que sua antiga paixão do ensino médio foi presa. Ela sempre foi aquela que ele não poderia esquecer. Irá o destino permitir que eles se encontrem novamente? Ou o que acontece no passado, é melhor deixar para os livros de história? ** Este é o livro 1 da Série Hades' Spawn MC. Todas as suas perguntas podem não ser respondidas no primeiro livro. Por favor, observe, que ele realmente acaba em suspense **


Sua classificação e suas recomendações diretas farão a diferença Classificações e recomendações diretas são fundamentais para o sucesso de todo autor. Se você gostou deste livro, deixe uma classificação, mesmo que somente uma linha ou duas, e fale sobre o livro com seus amigos. Isso ajudará o autor a trazer novos livros para você e permitirá que outras pessoas também apreciem o livro.

Seu apoio é muito importante!


Procurando outras ótimas leituras?

Seus livros, seu idioma

A Babelcube Books ajuda os leitores a encontrar ótimas leituras. Ela tem o papel de mediadora, aproximando você e seu próximo livro. Nossa coleção é alimentada por livros produzidos no Babelcube, um mercado que aproxima autores de livros independentes e tradutores e distribui seus livros em vários idiomas no mundo todo. Os livros que você encontrará foram traduzidos, para que você possa descobrir leituras incríveis em seu idioma. Temos a satisfação de trazer livros do mundo todo até você. Caso queira saber mais sobre nossos livros, acesse nosso catálogo e solicite nossa newsletter. Para conhecer nossos lançamentos mais recentes, visite nosso site:

www.babelcubebooks.com


Lexy Timms - Lidano com os Chefes #2 - O Chefe Também [oficial]