Issuu on Google+

ARTISTAS OS ARTISTAS OS ARTISTAS OS ARTISTAS Henrique César

Em 30 dias Henrique percorreu todos os cantos da Casa e foi do sótão ao porão para encontrar seus fantasmas. Agora está aberta a temporada de caça.

O Estranho

Não sejamos ingênuos em achar que a ideia de casa é sempre conectada a conforto, bem-estar e segurança. Se por um lado ela nos isola com suas paredes dos possíveis perigos do mundo externo, por outro, possui dentro de si ameaças. Tema inesgotável de suspense e terror, os armários, a madeira rugindo, os quartinhos do fundo causam medo. São os fantasmas. O artista Henrique César quando entrou na Casa Tomada resolveu investigar o seu lado oculto. Seu interesse se voltou para a ideia de que o caos reina e não há como apartá-lo, não existe edificação que dê conta disso. Na época estava lendo o texto Unheimlich, de Freud. Dessas investigações começou a elaborar estratégias para trazer ao público esses lugares. Primeiro pensou num estetoscópio para ouvir as duas caixas d’água da casa, a esquerda e a direita, que bombeiam o líquido que abastece o lugar. O barulho do cano, do ralo, do que escorre, do que se expele e do que se ingere. Mas os canos estavam


S OS ARTISTAS OS ARTISTAS OS ARTISTAS OS ART “É incrível saber que o heimlich, ou doméstico, é algo que para um emerge como situação segura e familiar, e que para outro ocorre como um espaço desconhecido, impossível de ser frequentado, estranho.”


ARTISTAS Henrique OS ARTISTAS César OS ARTISTAS OS ARTISTAS muito ocultos, difíceis de trazer à superfície. Partiu então para os escombros e restos, amontoados de coisas jogadas em cantos e espaços inutilizados, pouco habitados e visitados pela memória. Surgiu então a ideia de construir uma máquina que detectasse os fantasmas desses lugares. A Máquina para Ver Fantasma foi projetada com a finalidade de localizar e apontar indícios de situações invisíveis a olho nu. O invisível quando visível, assusta, para isso, basta pendurar a máquina no pescoço e andar pela Casa.


S OS ARTISTAS OS ARTISTAS OS ARTISTAS OS ART Dentro do quarto seguro, vive o armário que há de ser fechado. E coberto na cama, há o vento que invade a orelha descoberta.

o estranho vol. 17 obras psicológicas ele é estranho pra casa e a casa é estranha pra ele como encontrar um fantasma travestido em trauma guardar tralha é guardar trauma

entropia não dar conta de algo que é maior que você

Embora usado com frequência para descrever qualquer coisa estranha ou inusual, o sentido estrito da palavra se refere a algo além do nosso conhecimento, além do nosso alcance, portanto não é necessariamente algo sobrenatural é que ele está fora do nosso entendimento, costuma trazer consigo conotações óbvias de medo, e por isto o termo é frequentemente usado tanto em relação ao horror quanto ao sobrenatural Unheimlich/Uncanny não deriva seu terror de alguma coisa externa, estranha ou desconhecida, mas, pelo contrário, de algo estranhamente familiar, que tentamos afastar de nós, mas que resiste aos nossos esforços.


34-37