Issuu on Google+

Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

03


04

Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

05


06

Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

03


Palavra do Presidente

Prezados guzeratistas,

Antonio P. Salvo Presidente da ACGB

O sucesso da raça é fruto da qualidade fantástica do Guzerá em produzir muita carne e muito leite no mundo tropical.

Estamos completando um ano à frente da nossa ACGB. Muita coisa foi feita. Acertamos o Ranking, construímos um regulamento para pista de aptidão leiteira, visitamos vários Estados da federação para darmos suporte ao nosso associado. Na Expozebu 2013 somos a terceira raça em número de animais, com mais de 400 cabeças expostas em Uberaba. Teremos também a Nacional, no final de maio começo de junho, quando faremos a maior e melhor mostra do Guzerá que o Brasil já viu. Ela será realizada em Belo Horizonte, com ampla divulgação feita pelo Canal Terraviva, contratado pela ACGB e que, além da cobertura total do evento, transmitirá parte dele ao vivo. Na Nacional ocorrerão três leilões, além de um organizado shopping para viabilizarmos ainda mais o nosso evento, com a participação de animais dos criadores interessados em fazer venda fora dos leilões. Estamos saindo de um momento delicado na pecuária de corte, com preços baixos tanto de bezerro quanto de boi gordo. Mas o mercado já sinaliza uma recuperação e certamente isso irá nos beneficiar na venda dos produtos Guzerá. Já a pecuária de leite vive um momento especial, com a recuperação de preços nos produtos lácteos. E mais uma vez a nossa raça, única entre os zebuínos que atende aos dois mercados, tem ótimas perspectivas de venda. Outra boa notícia é que, além das chuvas que voltaram a cair no Nordeste, a liberação junto ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com região livre de aftosa, deve ser anunciada ainda neo segundo semestre de 2013. Temos ainda muito o que fazer. Mas com união, trabalho e planejamento estamos alcançando um definitivo lugar de destaque no concorrido cenário da pecuária brasileira. O sucesso da raça é fruto da qualidade fantástica do Guzerá em produzir muita carne e muito leite no mundo tropical. E agora, mais do que nunca, nossos criadores estão trabalhando e mostrando muito bem essas qualidades. Você sabe, mas não custa lembrar: a ACGB é do associado! Sua presença, participação e convívio nas diversas discussões relativas ao Guzerá certamente serão mais bem resolvidas com a atuação efetiva de cada um de nós! Vamos, com força, para os nosso evento nacional que acontece em Belo Horizonte. E vamos aumentar a nossa representatividade em outros eventos importantes, nas várias regiões do País, como por exemplo, Feicorte e Megaleite, que serão realizadas no mês de junho. O ditado sempre vale: “Quem não é visto não é lembrado!”. O momento é de crescimento do Guzerá e as coisas só acontecerão com a visibilidade necessária, através do seu apoio. ACGB forte, Guzerá forte! Um abraço.

04 04

Revista Guzerá | Nº 05 06 | 2012 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

05


Editorial

A

seca que vem assolando o Nordeste e parte do Sudeste do Brasil está deixando um grande rastro de prejuízo para os pecuaristas dessas regiões. Conversando com o criador de Guzerá Alexandre de Medeiros Wanderley, que é da cidade de Angicos, no Rio Grande do Norte, ficou evidente que esse problema climático está confirmando sua escolha acertada pela raça Guzerá. Alimentado com bagaço de cana e xique-xique, o gado mantém uma produção leiteira, dentro do possível, graças à sua rusticidade. Não há o que comemorar, mas o fato pode ser visto como uma prova intensa de seleção. Diretor da Emparn (Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte), Alexandre de Medeiros Wanderley participa do Teste de Progênie da raça há 10 anos. Em 2013, ele colheu frutos dessa iniciativa com a vitória na pista e no concurso leiteiro da ExpoZebu. A nova recordista mundial em torneio leiteiro Guzerá, Aurora WM, descende de touro do Teste de Progênie. A vaca pertence a Alexandre Wanderley e Gilson Carlos Bargieri. Se em regiões de seca a raça apresenta eficiência alimentar, no pasto com fartura de capim essa produtividade se mostra ainda mais forte. Várias pesquisas estão sendo realizadas com a raça para garantir o melhoramento genético do rebanho. Uma delas é a de boa conversão alimentar. A Guzerá será a primeira raça zebuína a ter o Consumo Alimentar Residual (CAR) avaliado pela CRV Lagoa. Outra frente de pesquisa vem da Associação Nacional dos Criadores e Pesquisadores (ANCP). Segundo o pesquisador Raysildo Lôbo, o Guzerá apresentou uma evolução interessante nos últimos 10 anos, como, por exemplo, para crescimento pós-desmame. Houve aumento no valor genético de 13,8kg em 10 anos, quase uma arroba. Para habilidade materna, o valor genético aumentou 1,3kg no período, valor um pouco acima da raça Nelore. “O Guzerá tem apresentado resultados interessantes quanto ao rendimento de carcaça e cobertura de gordura, mostrando bastante potencial e destaque nessas características importantes para qualidade da carne e lucratividade do pecuarista. O melhoramento genético é algo continuo e, no caso de bovinos, o resultado será em longo prazo”, argumenta Raysildo. No Sumário ANCP 2013 da raça, houve crescimento no banco de dados, o que gera maior consistência nas avaliações genéticas. Existe a possibilidade de gerar DEPs para Probabilidade de Parto Precoce (3P) e para Estrutura, Precocidade e Musculosidade ao sobreano, porém isso depende da quantidade de dados disponíveis para uma avaliação confiável. Para viabilizar a avaliação dessas características, os criadores devem investir no desafio precoce de novilhas e nas avaliações morfológicas de biótipo. O Sumário de Touros do CBMG, lançado durante a ExpoZebu, teve a inclusão de avaliação de características de crescimento, carcaça e reprodução de grande parte dos touros leiteiros e também genótipos para diversos marcadores moleculares de importância econômica de vários touros (kappa caseína, betalactoglobulina,DGAT1, tireoglobulina e prolactina). Segundo a diretora técnica do Centro Brasileiro de Melhoramento Genético da raça Guzerá, Vânia Penna, a integração de esforços das diversas instituições (ABCZ, Embrapa, ANCP, e Universidades), capitaneada pelo CBMG, tem sido cada dia mais intensa e harmônica, produzindo excelentes resultados em prol do benefício comum. Nesta edição, você vai conferir todo esse melhoramento da raça e muito mais. Sucesso a todos na seleção dessa raça que tem tanto a contribuir com a pecuária mundial!

06

Expediente ACGB Associação dos Criadores de Guzerá do Brasil Praça Vicentino Rodrigues da Cunha, 110, São Benedito CEP 38022-330 Bloco 1, 2º andar. Uberaba - MG e-mail: guzerabr@terra.com.br ou sede@guzera.org.br www.guzera.org.br Fone e FAX: (34) 3336 1995 Diretoria: Presidente Antônio Pitangui de Salvo 1º Vice Presidente Paulo Roberto Menicucci 2º Vice Presidente Virgílio Vilefort Martins 3º Vice Presidente Luiz Guilherme Soares Rodrigues Diretor Financeiro Adriano Varela Galvão Diretor de Marketing Roberto Neszlinger Diretor Técnico Geraldo José da Câmara Ferreira de Melo Filho Diretor de Guzolando Marcelo Palmério Conselho Fiscal Efetivos Benício Cunha Cavalcante Camillo Collier Neto Silvely Maria Janota Antunes Suplentes Ana Cláudia Mendes de Souza Carlito de Lima Felisberto Marco Aurélio Grillo de Brito Editora e jornalista responsável Larissa Vieira - MG 09513P Departamento Comercial Mundo Rural - guzera@mundorural.org Capa: Foto: Jadir Bison Diagramação e projeto gráfico Jamilton Souza - dep.artes@mundorural.org Impressão - CTP Gráfica 3 Pinti - (34) 3326-8000 As opiniões expressas nos artigos são de inteira responsabilidade de seus autores.

Revista Guzerá | Nº 05 06 | 2012 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

07


Índice

África: próxima parada para a genética Guzerá

Pag. 10

Guzerá inicia testes de eficiência alimentar

Teste de Progênie chega à 14ª bateria

Pag. 26

Palavra do Presidente Editorial Mercado de receptoras aposta do Guzonel Registro dá credibilidade ao Guzolando PGPs apontam novos rumos para a raça Porque devemos nos atentar para a longevidade das vacas leiteiras O Guzerá na pesquisa: 2012, 2013 e além Expozebu 2013: recorde mundial e estreia da pista leiteira Social Nacional abre ranking 2013/2014 Calendário de Exposições da Raça Guzerá Circuito 2013/2014 Sócios 08

Pag. 20

04 06 12 14 22 34 40 44 50 56 62 66 Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

09


Mercado

D

epois de conquistar o mercado latino, a genética Guzerá pode encontrar na África novas possibilidades de negócios. Com uma pecuária ainda em formação, muitos países africanos estão interessados em importar o zebu e as tecnologias brasileiras para melhorar a produção de carne e leite do continente. “O Guzerá se adaptaria muito bem na África. É uma região que precisa de animais rústicos e capazes de produzir bem mesmo em pastagens mais pobres. Por lá, há muitas áreas de savana, a mesma vegetação que existe na região de origem do Guzerá, na Índia”, explica Icce Garbellini, gerente de Relações Internacionais da ABCZ e coordenadora do projeto Brazilian Cattle. O Brasil mantém com diversos países africanos protocolos sanitários permitindo a exportação de sêmen, embri-

10

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Divulgação CRV Lagoa

rebanhos de Brahman, também têm interesse na raça Guzerá. Nesses países, a raça é usada para cruzamento com Brahman com o intuito de aumentar a heterose dos rebanhos de corte. Este também é o caso da África do Sul. Segundo relatório de vendas de sêmen em 2012, divulgado pela Associação Brasileira de Inseminação Artificial, foram exportadas doses de sêmen de Guzerá para Canadá, Colômbia, Equador e Panamá. Divulgação ABCZ

ões ou animais vivos, variando o tipo de produto conforme o país. A expectativa é de levar não apenas genética, mas também todo o pacote tecnológico pecuário, pois o continente ainda carece de infraestrutura para o desenvolvimento de uma pecuária de ponta. “Ao longo dos últimos dez anos, o Brazilian Cattle articulou junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil a revisão de protocolos sanitários entre o Brasil e diversos países. Recentemente foi aberto protocolo para exportação de sêmen bovino para a África do Sul. Estes protocolos são o primeiro instrumento necessário para possibilitar a exportação de animais vivos, sêmen ou embriões a determinado país”, diz Icce. Em 2003, na estreia do Brazilian Cattle, o faturamento do grupo foi de US$ 5 milhões. Ano passado, o volume negociado superou a marca de US$400 milhões, registrando um crescimento expressivo de mais de 8.000%. Este número engloba as negociações realizadas por todos os associados do projeto, que inclui 28 empresas que atuam no segmento de genética, sementes para pastagens, nutrição animal, produtos veterinários, educação, fazendas, associações de raça e equipamentos. A Associação dos Criadores de Guzerá do Brasil é uma das entidades integrantes do Brazilian Cattle, que ainda conta com os criatórios Seleção Guzerá, Guzerá Amar e Guzerá da Capital como membros. Outros mercados – Se a África é um mercado ainda pouco explorado para a raça Guzerá, o continente americano já é cliente da genética brasileira. A Colômbia é um dos maiores importadores e conta com um rebanho de qualidade de Guzerá, com foco maior em animais de corte. México, Panamá e Venezuela também são mercados consolidados. Estados Unidos e Austrália, que contam com grandes

Equipe do Brazilian Cattle em viagem de prospecção à África em 2012

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

11


Cruzamentos

Mercado de receptoras aposta no

Guzonel

D

raças zebuínas. Segundo estatística da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), 241.709 embriões de FIV foram transferidos em 2012, além de outros 8.208 embriões de TE. Esses números confirmam o grande mercado que existe para as receptoras zebuínas. A Farofa usa receptoras Guzonel desde 2010. A maior parte delas é adquirida em propriedades especializadas na produção de receptoras. É o caso da Guzerá El Giza, em Porto Feliz (SP), pertencente a Douglas Brandão Costa. Há quatro anos o criador começou a criar Guzerá e, a partir do rebanho PO, iniciou a produção de Guzonel e Guzolando. “O mercado está muito bom. Vendo as fêmeas Guzonel como receptoras e os machos para cria. Como têm carcaça maior e bom desenvolvimento, há uma demanda grande de machos por parte dos confinamentos”, explica Costa. Segundo ele, na apartação os machos Guzonel atingem uma arroba a mais que outros bovinos de corte.

Foto: Jadir Bison

esde que começou a utilizar fêmeas Guzonel como receptoras, a criadora Rosana Guitti Gamba viu as despesas diminuírem enquanto os índices de parição tiveram aumento significativo. “Antes, tínhamos um índice de absorção muito grande e a perda da receptora e do bezerro também era alta. Com as fêmeas Guzonel, conseguimos ter um maior número de parições. Ainda reduzimos os custos com mão de obra, pois a maioria delas pare, sem precisar da assistência de um médico veterinário. Além de parir bem, elas amamentam e criam bem o bezerro”, diz Rosana Gamba, que produz na Fazenda Farofa, localizada em Uberaba (MG), touros nelore para a pecuária comercial. Outro ponto que tem reduzido os custos da propriedade é a conversão alimentar do Guzonel. Na área que antes era destinada a 120 receptoras de sangue taurino, hoje suporta 200 Guzonel. Aliado ao menor custo de manutenção, a docilidade e a rusticidade contribuem para que o manejo seja o mesmo adotado para o rebanho Nelore. O Brasil é líder mundial de FIV (Fecundação in Vitro), sendo que 90% dos procedimentos realizados no país são de

12

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

13


Cruzamentos

Registro dá credibilidade ao

Guzolando

N

icho de mercado em franca expansão dentro da pecuária leiteira comercial, a venda de Guzolando tem garantido bom retorno econômico para quem investe neste tipo de cruzamento. Seja porteira adentro ou em leilões, os criadores têm conseguido comercializar a produção rapidamente e com boas médias de preço. No 14º Leilão Guzolando, promovido no mês de abril pelos criatórios Taboquinha e Ygarapés, o valor por lote de novilhas variou entre R$7.440,00 e R$11.880,00, enquanto o preço das vacas ficou entre R$5.280,00 e R$13.680,00. Na Fazenda do Pinheiro, no município mineiro de Ibituruna, toda a produção de Guzolando é comercializada para o leste de Minas

14

Gerais, Espírito Santo e Bahia. “A demanda é maior que a oferta, tornando o mercado muito bom para os criadores de Guzerá puro. Optamos por registrar o rebanho, pois o comprador hoje quer garantia de que está adquirindo um produto de qualidade. O registro dá maior credibilidade ao rebanho”, garante Paulo Menicucci, que comanda a marca Guzerá Ibituruna. Em parceria com outros criadores, ele pretende realizar a primeira mostra de Guzolando na Megaleite 2013, uma das maiores exposições de raças leiteiras do país que ocorrerá entre os dias 30 de junho a 7 de julho, em Uberaba (MG). A cargo da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) há quase quatro anos, o registro de Guzolando é fundamental

Foto: Marcelo Cordeiro

Apontado como excelente opção para produção tanto de leite quanto de machos para corte nas regiões tropicais, o cruzamento precisa ter sua genealogia controlada para ser reconhecida como raça futuramente.

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

15


brasileira e o Guzolando produz muito bem neste ambiente”, diz Winkler, que coordena os trabalhos com o cruzamento na ABCZ. O técnico ressalta que o Guzolando é uma excelente opção para a pecuária leiteira comercial. “Os produtos do cruzamento de Guzerá com Holandês são muito rústicos e bons produtores de leite, concorrentes diretos da raça Girolando. O grau de sangue que existe em maior abundância é o 1/2 Guzerá x 1/2 Holandês (também denominado F1), e que é produzido pela maioria dos rebanhos Guzerá do Brasil”, informa. Foto: Marcelo Cordeiro

para que o cruzamento seja futuramente reconhecido como raça pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Segundo informações da ABCZ, existem 46 criadores ativos que registram Guzolando no Brasil, cujas propriedades estão localizadas nos estados de Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Tocantins, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Ceará, Campina Grande e Goiás. No caso de raças em formação, o registro recebe o nome de Certificado de Controle de Genealogia (CCG) – Veja abaixo “Passo a passo do CCG”. O técnico da ABCZ, Roberto Winkler, destaca que o caminho mais indicado para a criação dessa nova raça é utilizar na fêmea F1 touros Guzerá Leiteiros, produzindo uma fêmea 3/4 Guzerá x 1/4 Holandês, que deve ser inseminada com Holandês para produção de animais 3/8 Guzerá x 5/8 Holandês. Para formar a raça Guzolando, é necessário fazer a bi-mestiçagem, cruzando os indivíduos 5/8 entre si, o que resultará no Puro Sintético (PS). “O Guzolando é bom produtor de leite, muito rústico e os machos bons ganhadores de peso. Em regiões de clima tropical, onde as temperaturas são mais elevadas, que é o caso da maior parte do Brasil, o Guzolando é uma excelente opção para pecuária leiteira extensiva. A pecuária extensiva para corte e para leite é a vocação natural da pecuária

Passo a passo do CCG O registro genealógico do Guzolando é de responsabilidade da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) desde agosto de 2009 e segue as regras do Regulamento do Serviço de Registro Genealógico das Raças Zebuínas. Acompanha abaixo o passo a passo para obtenção do CCG: Como solicitar o registro dos animais no CCG? O criador deverá enviar por escrito a qualquer unidade da ABCZ o pedido de inscrição dos animais no CCG. Existe modelo da carta de inscrição no CCG no site da ABCZ: http: //www.abcz.org.br/AreaTecnica/RegistroGenealogico/FormulariosSRGRZ O documento deve conter: - Raças utilizadas no cruzamento; - Número de matrizes utilizadas; - Qual a finalidade do CCG; Devo fazer as comunicações de cobrição e de nascimento (CDC e CDN)? Sim. As regras e prazos para a comunicação de cobertura e de nascimento dos animais oriundos de cruzamento

16

são as mesmas adotadas para os zebuínos da categorias PO e LA. Para a utilização de animais holandeses não cadastrados no banco de dados da ABCZ, o criador deverá enviar uma cópia da nota fiscal ou uma cópia do certificado desse produto, emitido pela Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa. Qual o prazo para solicitar o registro? Até 12 meses de idade do animal. Produtos oriundos de cruzamentos que atendam as exigências do Regulamento do Serviço de Registro Genealógico das Raças Zebuínas serão inspecionados e marcados a fogo na perna direita por um técnico credenciado pela ABCZ. Após esse procedimento, é emitido o Certificado de Controle de Genealogia, contendo a identificação do animal, a determinação de sua composição genética ou grau de sangue. Só poderão receber o CCG com base no fenótipo, as fêmeas Guzolando com grau de sangue 1/2, 1/4 e 3/4. Para as demais situações, a CDC e CDN deverão ser enviadas à ABCZ. Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

17


Matéria de Capa

Guzerá inicia testes de

eficiência alimentar

A

alimentação do rebanho é um dos itens que mais pesa no bolso do criador. Em sistemas de confinamento, os custos com comida podem chegar a 70% das despesas gerais da propriedade. Uma alternativa para reduzir ao máximo esse índice é ter um rebanho composto por bovinos capazes de ter um excelente desempenho, mesmo consumindo uma quantidade menor de alimento. Em países como Austrália, Estados Unidos e Canadá, muitos criadores já incorporaram esse tipo de informação aos critérios de seleção de seus criatórios. No mundo, as primeiras pesquisas começaram na década de 60. A Austrália, onde esse tipo de pesquisa ocorre há quase 20 anos, a seleção por Conversão Alimentar Residual (CAR) está mais avançada. Desde 2002, o CAR foi incorporado ao programa ofi-

Foto: Jadir Bison

A raça será a primeira zebuína a ter a Conversão Alimentar Residual (CAR) testada pelo CP Lagoa. Rebanhos de maior eficiência alimentar poderão reduzir a necessidade de novas áreas de pastagem e aumentar a lucratividade do rebanho

18

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Sistema GrowSafe será usada para avaliar a eficiência alimentar da raça Guzerá

cial de melhoramento genético do rebanho de corte australiano. No Brasil, os estudos ainda são recentes, mas a expectativa é de que os resultados auxiliem na seleção de animais economicamente viáveis, tanto pelo menor consumo de alimentos quanto pela maior produtividade e qualidade de carcaça. Os estudos com a raça Guzerá começam a ser colocados em prática. No segundo semestre de 2013, 50 touros terão a eficiência alimentar testada pelo Centro de Performance (CP) da CRV Lagoa. Será a primeira raça zebuína com avaliação para CAR feita pela central. A iniciativa é fruto da parceria entre a Associação dos Criadores de Guzerá do Brasil e a CRV Lagoa.

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

As inscrições vão até o dia 7 de junho. Podem participar animais nascidos de 1º de agosto a 30 de novembro de 2012. No período de 1º a 14 de junho, será realizada a recepção dos animais. O período de adaptação será de até 42 dias e a duração completa da prova será de 180 dias. “Além de eficiência alimentar, serão avaliados peso, ganho médio diário, perímetro escrotal, Área de Olho de Lombo, Espessura de Gordura Subcutânea, Marmoreio, avaliação por escores visuais (conformação, precocidade, musculosidade, umbigo e temperamento) e morfologia”, explica Ricardo Abreu, gerente de Zebu Corte da CRV Lagoa. De herdabilidade moderada e sem interferência em ca-

19


racterísticas produtivas, o CAR é considerado um caminho importante para a pecuária sustentável. Animais classificados com CAR negativo (os mais eficientes) podem consumir 20% menos que aqueles de índice positivo (menos eficientes). Como os bovinos classificados como negativos têm maior digestibilidade, essa redução, que pode ser de até 40% em alguns casos, significa 25% menos emissão de gás metano por animal, em média. Esses dados foram gerados a partir de estudos com taurinos. Rebanhos de maior eficiência alimentar também poderão reduzir a necessidade de novas áreas de pastagem. Como há uma redução considerável na quantidade de alimento dada aos animais, o criador poderá aumentar a taxa de lotação animal no pasto. Esta é uma vantagem que tem agradado os produtores, pois permite o desenvolvimento de uma Gerente Zebu Corte da CRV Lagoa, Ricardo Abreu pecuária sustentável. Uma seleção que leva em conta o CAR fixados em uma base metálica com barras de pesagem. Esse deixa de ser focada apenas nos outputs produtivos (ganho sistema é totalmente automatizado, detectando a presença do em peso, qualidade de carcaça, musculatura, etc.) e passa a animal no cocho no momento de sua entrada através de uma dar ênfase também aos inputs produtivos (alimentos forneciantena, a detecção é feita pelo brinco fixado em sua orelha. O dos aos animais). Utilizando o CAR na seleção, o tamanho do aparelho monitora o consumo de alimento ingerido diariamenanimal adulto fica inalterado e as exigências nutricionais são te por cada animal. A capacidade desse sistema é para oito reduzidas. Já quando o criador utiliza a razão Consumo: Ganho animais adultos por cocho, podendo ser ampliado de acordo como padrão de seleção, eleva-se o tamanho adulto do animal com necessidade, pois é um sistema modulado. “O controle ao longo dos anos, provocando aumento das exigências nutrida dieta é rigoroso para que o potencial produtivo seja evidencionais e custo de mantença. Desta forma, a seleção resulta ciado, considerando-se a integridade fisiológica e funcional dos em animais de pouca eficiência econômica. animais avaliados, uma vez que eles representam a elite de Os pesquisadores alertam que o CAR não pode ser o cada um dos rebanhos participantes”, explica Abreu. carro-chefe do melhoramento genético, pois ainda não se sabe O cálculo do CAR é efetuado através da diferença entre todos os reais efeitos de uma seleção focada nessa caracteo consumo de alimento esperado e real, considerando o ganho rística. Na raça angus, foi identificada uma pequena redução de peso diário (GPD) e o peso metabólico. Animais estruturalda espessura de gordura na décima geração selecionada para mente semelhantes podem apresentar os mesmos GPD, mas CAR, mas não há comprovações científicas de que essa dimicom CAR completamente distintos. As DEPs do CP Lagoa senuição tenha sido em decorrência da seleção direcionada para rão geradas pela Gensys. o consumo alimentar residual. O ideal é focar a seleção nos critérios que a propriedade Experiência no campo já trabalha, como ganho de peso, fertilidade, precocidade, etc. A Fazenda Perfeita União, titular da marca Guzerá IT, Só depois de serem avaliados dentro do programa de melhorajá incorporou o CAR ao sistema de seleção do criatório. No mento é que a seleção para CAR deve ser feita, pois é preciso ano passado, foi iniciado o Projeto ITTR-CAR em parceria com garantir que a qualidade da carne ou a parte reprodutiva dos as marcas Guzerá Tiatã, Guzerá Rosalito, Guzerá OJA, HE, animais não seja afetada. Dordeti e a Aval Serviços Tecnológicos. Os animais são avaliados durante 90 dias, sendo 20 deles destinados ao período de Coleta de dados do CAR adaptação, e têm idade média no início da prova de 15 meses. Para calcular o consumo alimentar residual, é preciso A dieta fornecida é composta de silagem e grãos, sendo 15% medir durante um período de 70 dias quanto de alimento o zede proteína e 70% de NDT. Na primeira medição de dados, a dibuíno ingere diariamente. O cálculo é efetuado pela diferença ferença de consumo entre os zebuínos mais eficientes e os de entre consumo de alimento real e esperado, considerando o pior desempenho foi de 2,66 kg/MS/dia. Outras características Peso vivo e Ganho de Peso Diário do animal. também estão em estudo, como espessura de gordura, média No CP Lagoa, a medição será feita através de sistema na carcaça, circunferência escrotal, área de olho de lombo, etc. eletrônico, o GrowSafe, que conta com cochos de polietileno

20

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

21


Genética

PGPs apontam novos rumos para a raça

O

mercado de touros vem ganhando a cada ano novos animais avaliados. Este ano, 34 animais de 14 criatórios participaram da 1ª Prova de Ganho em Peso (PGP) Guzerá a Pasto da Estância Orestes Prata Tibery Júnior, cujo resultado foi divulgado na ExpoZebu 2013. “A prova retratou bem a realidade de recria da raça no Brasil. Mesmo com a seca prolongada que afetou Uberaba até outubro do ano passado, os animais conseguiram ter excelente ganho de peso logo que iniciou o período chuvoso, confirmando sua capacidade de adaptar de forma muito rápida às condições climáticas”, diz Lauro Fraga, gerente de Fomento do Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos (PMGZ). A PGP foi realizada pela ABCZ em parceria com a ACGB. Os animais entraram na Estância no dia 26 de junho de 2012, passando pela primeira pesagem no dia 4 de setembro do mesmo ano e pela última no dia 16 de abril de 2013. Concluíram a PGP 28 animais. Além do ganho de peso, outras 11 características foram avaliadas: Ganho Médio Diário (GMD), Peso Calculado à idade de 550 dias (PC550), Perímetro Escrotal (PE), Área de Olho de Lombo (AOL), Espessura de Gordura Subcutânea (EGS), Estrutura Corporal, Precocidade, Musculosidade, Umbigo, Caracterização Racial, Aprumos e Sexualidade. A ultrassonografia de carcaça avaliou em cada tourinho a AOL, demonstrando o potencial genético para ganho de peso, musculosidade, rendimento de carcaça, além de mensurar a EGS. Apesar de ainda ser incipiente neste tipo de prova, a tecnologia é considerada fundamental para determinar com maior precisão animais que produzem precocemente carne de melhor qualidade. Indivíduos que depositam gordura de acabamento mais cedo produzem filhos que vão ao abate antecipadamente, além de filhas mais precoces à reprodução. As medidas de AOL e EGS coletadas

22

na PGP da ABCZ foram incorporadas ao Banco de Dados do PMGZ, para que futuramente possam gerar DEPs de AOL e EGS de cada animal, dentro do rebanho nacional. Outro ponto avaliado na PGP foi o temperamento, que pode interferir no ganho de peso do animal. Rebanhos formados com grande número de bovinos mais reativos resultam em lotes heterogêneos e queda na produtividade. Em geral, o bovino estressado tem maior probabilidade de sofrer lesões. A perda de massa da carcaça em cada hematoma é de 400g, em média. Segundo o professor da FAZU Alexandre Bizinoto, o temperamento dócil deve integrar os critérios de seleção de todo criatório, para que futuramente essa característica seja comum na maior parte dos animais. Para garantir que fossem alcançadas as metas de taxa de lotação previstas na área de pastagem, foi feita amostragem de solos nas áreas de pastejo, medição do crescimento e da produção de forragem e análise para definir a composição química da pastagem. Os trabalhos foram conduzidos pelo Grupo de Estudos e Trabalho (GET), formado por alunos dos cursos de Agronomia e Zootecnia da FAZU e coordenado pelo professor Adilson de Paula Almeida Aguiar. O gerente de Fomento do PMGZ, Lauro Fraga, ressalta que os criadores de guzerá devem continuar promovendo PGPs em suas propriedades, para aumentar a oferta de touros com bom ganho de peso no mercado. “Nas PGPs oficializadas pela ABCZ, aliamos o olho humano, com mensurações e tecnologia científica para identificação de reprodutores mais eficientes e lucrativos para a pecuária. As PGPs, complementando o Controle de Desenvolvimento Ponderal, vêm se mostrando um eficiente meio para identificação de reprodutores, pois não aumenta o custo de manejo”, avalia Fraga. Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

23


24

Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

25


Foto: Marcelo Cordeiro

Genética

chega à 14ª bateria Desafio é ampliar o número de rebanhos colaboradores em todo o Brasil para garantir que cada vez mais touros possam ser testados

S

em o Teste de Progênie seria impossível fazer a seleção de Guzerá leiteiro”. A afirmação do criador Marcelo Lack resume a importância desta ferramen“ ta para o melhoramento genético da raça em todo o país. Desde que foi criado, em 1994, o Teste de Progênie contabiliza mais de 300 touros provados para leite. A genética de muitos desses reprodutores foi testada no plantel de Marcelo Lack, que desde o início do programa participa como rebanho colaborador. “Percebo que, a cada ano, a qualidade dos filhos dos touros é superior. Além de bonitos e dentro do padrão racial, eles produzem mais”, atesta Lack, que também tem touros do próprio plantel participando do Teste de Progênie (TP). Como os rebanhos colaboradores podem escolher sêmen de quais touros utilizará, é possível fazer um acasalamento dirigido que contemple a seleção da propriedade. É necessário usar, no mínimo, seis touros da prova a cada bateria. A escolha é feita pelo próprio participante, com base nas informações genealógicas e fotos apresentadas no catálogo do Teste. “Este é o método mais preciso para

26

avaliar o real potencial genético de um touro para a produção de leite, embora demorado. Para que um touro seja avaliado e disponibilizado ao mercado é necessário que tenha produzido várias filhas e que estas tenham encerrado a primeira lactação. Para isto, usualmente são gastos em torno de seis anos. O ponto forte desta ferramenta é que, ao testar os touros e publicar suas avaliações, ela indica animais melhoradores para a seleção da aptidão leiteira e permite aos criadores escolher com segurança que touro ele vai utilizar para assegurar o êxito na consecução dos seus objetivos”, explica Ariane Maria Figueiredo Menicucci, presidente do Centro Brasileiro de Melhoramento Genético do Guzerá (CBMG). O programa vem mostrando que está no caminho certo. Os campeões da pista de aptidão leiteira da ExpoZebu 2013 fazem parte de alguma bateria do Teste de Progênie. A única exceção foi na categoria Júnior Menor, vencida por Peniel Ibituruna, que, por ser ainda muito jovem, não tem idade para participar do teste, mas é filho do touro Uriel Ibituruna, participante da 12ª bateria. Entre as camRevista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

27


Touros selecionados Em maio, os touros selecionados para a 14ª bateria foram anunciados pelo CBMG.

28

Dos 38 animais inscritos, 34 foram pré-selecionados pela comissão técnica (formada por pesquisadores da Embrapa e pela diretoria técnica do CBMG), que, em conjunto com a comissão de cinco criadores, selecionou 12 reprodutores para compor a bateria. “A escolha dos touros para uma bateria do Teste de Progênie é um processo que busca otimizar a produção de leite, variabilidade genética, características funcionais e beleza racial”, explica Vânia Penna. Também foram escolhidos três touros para a lista de reserva, que podem ser convocados caso algum dos 12 animais da lista principal não consiga produzir sêmen dentro do prazo previsto. Os proprietários dos touros têm até outubro para entregar as doses de sêmen (entre 400 e 500 doses). O prazo para entrada dos animais na central é até o dia 20 de junho. Confira a lista dos selecionados: Cid 4 Meninos - Propr.: Marcelo Lack Fabuloso Villefort - Propr.: Virgílio Villefort Xaxim FIV Taboquinha - Propr.: Taboquinha Ópio FIV JF - Propr.: Ygarapés Hum Sonho Falatório - Propr.: Guzerá Hum Sonho Hamal NF - Propr.: Guzerá NF Pacto Santa Cecília - Propr.: Marcelo Palmério Escolhido FIV Camarão - Propr.: Guzerá Camarão Cambuci Ibituruna - Propr.: Guzerá Ibituruna Escoteiro FIV Uniube - Propr.: Uniube Oásis JF - Propr.: Ygarapés Montenegro FIV JA - Propr.: Marcelo Lack Reservas: 1 - Gladiador AW - Propr.: Alexandre Wanderley 2 - Canjerê FIV JF - Propr.: Ygarapés 3 - Gangão S - Prop.: Seleção Guzerá Foto: Rúbio Marra

peãs também há genética oriunda do Teste de Progênie. “A vaca campeã é Moet, filha de touro TP e a reservada, que também foi campeã do concurso leiteiro é melhor úbere, e neta de reprodutor do TP. Enfim, a pista em perfeita harmonia com o trabalho técnico-científico para leite. Identidade e harmonia de objetivos”, diz Vânia Maldini Penna, diretora técnica do CBMG. Ampliação dos rebanhos colaboradores - O Programa Nacional de Melhoramento do Guzerá para Leite (PNMGul) tem o desafio de ampliar o número de fazendas cadastradas para receber o sêmen dos reprodutores em teste. Os criadores que participam do Controle Leiteiro Oficial da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) estão sendo incentivados a atuar como rebanho colaborador. “Como a característica de leite não é aferida nos machos, e sim nas fêmeas, é necessário que os touros tenham, em um intervalo de tempo mais breve possível, um maior número de filhas em lactação controlada zootecnicamente. Isso gerará informações confiáveis dos reprodutores em teste”, explica Mariana Alencar, gerente do PMGZ Leite. Quando as filhas do touro são aferidas é estimado seu valor genético (DEP), o qual é publicado anualmente no Sumário de Touros Guzerá do PNMGul. Para participar como rebanho colaborador, o criador precisa disponibilizar, no mínimo, 30 fêmeas puras ou mestiças. Em contrapartida, o participante deve conservar no rebanho as filhas dos touros em teste até o encerramento da primeira lactação, fazendo o controle leiteiro da mesma e das companheiras de rebanho com idade e data de parição semelhantes. O controle leiteiro deve ser feito com a supervisão de técnico credenciado. Outra exigência é preencher criteriosamente as informações zootécnicas nas tabelas entregues no início da participação no programa. Todas as doses são distribuídas gratuitamente, garantindo ao criador (independente do tamanho do rebanho) acesso à genética superior. Os interessados em participar do Teste de Progênie como rebanho colaborador devem entrar em contato com o técnico do CBMG Jonatas Caldi pelo número (32) 8457-6102 ou por e-mail jonatascaldi@cbmgguzera.com.br. Já os proprietários de touros que queiram inscrever seus animais no próximo ano é preciso ficar atento ao prazo final de inscrição: 15 de abril. O CBMG conta com a parceria da ACGB, Embrapa Gado de Leite e ABCZ na realização do Teste de Progênie.

Vânia Penna apresenta touros inscritos para a 14ª bateria do Teste Progênie durante assembleia do CBMG ocorrida na ExpoZebu 2013

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

29


30

Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

31


32

Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

33


Genética Frank Ângelo Tomita Bruneli

Pesquisador A – Melhoramento Animal – Embrapa Gado de Leite

Glaucyana Gouvêa dos Santos

Pesquisadora A – Melhoramento Animal – Embrapa Gado de Leite

João Cláudio do Carmo Panetto

Pesquisador A – Melhoramento Animal – Embrapa Gado de Leite

Maria de Fátima Ávila Pires

Pesquisadora A – Ambiência e Comportamento Animal – Embrapa Gado de Leite

Maria Gabriela Campolina Diniz Peixoto

Pesquisadora A – Melhoramento Animal – Embrapa Gado de Leite

Porque devemos nos atentar para a longevidade de vacas leiteiras

E

descarte por motivos outros que não os aspectos de produção/ produtividade. Alguns estudos sobre aspectos da longevidade Nos rebanhos da raça Holandesa nos EUA, por exemplo, a média anual de lactações por vaca decresceu a partir dos anos 70, em decorrência de uma elevada taxa de reposição/ descarte, correspondendo atualmente a 3,5, com impacto sobre a longevidade (Knaus, 2009). Madalena (2007) afirma que, de modo geral, em todas as raças, a tendência de declínio na longevidade diminuiu ou estabilizou nos anos 1990. Mesmo havendo estabilização, a longevidade foi fortemente prejudicada pela

Foto: Marcelo Cordeiro

ntre os aspectos de importância e determinantes da eficiência econômica dos sistemas de produção está a taxa de reposição de animais no rebanho. Esse aspecto está relacionado ao tempo de permanência do animal ou à duração da vida produtiva do animal no rebanho, definida como o número de dias decorridos do primeiro parto até a morte ou descarte do animal e que afeta sobremaneira a rentabilidade do sistema de produção (Ducrocq et al., 1998). Essa característica, conhecida também por longevidade, tem sido abordada de maneiras distintas, dentre essas, como verdadeira, quando considera principalmente a produção/produtividade animal, e como funcional, quando diz respeito à habilidade do animal em adiar seu

34 34

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

Foto: Marcelo Cordeiro

seleção direta e intensa para a produção de leite, com prejuízo aos indicadores econômicos da atividade, principalmente devido a aspectos relacionados à saúde animal, que estão também intimamente ligados ao bem-estar animal (Sandøe et al.,1999). A diminuição da taxa de descarte por causas não relacionadas à produção reduz significativamente os custos de reposição do rebanho, permitindo a máxima expressão da capacidade produtiva da vaca quando esta atinge a completa maturidade. Problemas reprodutivos, de saúde e morfológicos ocorrem durante a vida produtiva do animal e podem influenciar a tomada de decisão do produtor, estando entre as fontes que impactam negativamente os custos e constituindo fatores que concorrem para a permanência da vaca no rebanho. Essas ocorrências, ao se repetirem em diferentes épocas da vida do animal, de acordo com o sistema de produção, representam riscos parciais que vão se acumulando, podendo resultar em maior chance de descarte. Segundo Vaccaro (1990), as raças taurinas para leite apresentam problemas de sobrevivência nos trópicos, fazendo com que seus índices produtivos não sejam mantidos nessas condições. Dessa forma, a autora indica que a sobrevivência de animais com composição europeia nos trópicos é viabilizada pelo seu cruzamento com raças zebuínas. É compreensível, portanto, que os animais mestiços representem cerca de 80% do rebanho leiteiro brasileiro e que esses animais sejam usualmente obtidos a partir do cruzamento da raça Holandesa com a Gir e a Guzerá, raças mais adaptadas e melhoradas para leite, por expressarem maior capacidade produtiva em ambiente tropical. Outros aspectos do sistema de produção também são importantes fatores associados à longevidade e serão apresentados a seguir. A mastite, doença infecciosa mais comum e principal causa de prejuízos econômicos no gado leiteiro, representa a mais importante causa de descarte precoce de vacas em rebanhos de leite (Müller, 2000). A manutenção da boa saúde da glândula mamária é, portanto, essencial para a alta produção e longevidade em vacas de leite, sendo importante considerar sua inclusão em programas de melhoramento genético. Segundo diversos autores, a contagem de células somáticas (CCS) apresenta correlação genética positiva com a mastite (Coffey et al., 1986; Pösö e Mantysaari, 1996; Rupp & Boichard, 2000). Assim, a longevidade de vacas de leite está relacionada indiretamente à contagem de células somáticas (CCS). Vacas com mastite subclínica podem ser eliminadas devido às altas CCS, podendo essa informação ser utilizada como informação indireta para predição da longevidade do animal (Caraviello et al., 2005). Problemas reprodutivos, tais como: idade avançada ao primeiro cio/cobrição, baixa taxa de fertilidade pós-parto e elevado intervalo de partos provocam aumento da taxa de descarte involuntário e, consequentemente, maior taxa de reposição do rebanho, refletindo diretamente sobre o retorno econômico da propriedade. Portanto, a baixa eficiência reprodutiva é considerada uma das principais razões de descarte em rebanhos de leite. No entanto, existem poucos estudos que buscaram melhor entendimento sobre a associação de características reprodutivas com a longevidade. No cenário mundial, a longevidade está bem descrita e

analisada em animais taurinos, tendo sido incorporada a índices de seleção em diversos programas de melhoramento (Beaudeau et al. 1995, Neerhof et al. 2000, Sewalem et al. 2008). O levantamento e monitoramento de dados, bem como a correta identificação dos parâmetros relacionados à longevidade, são, portanto, relevantes para a manutenção e o futuro melhoramento dessa característica em rebanhos puros ou mestiços. De modo geral, esses estudos constataram que as alterações de saúde, principalmente, reprodutivas e da glândula mamária, estão relacionadas a menores índices de longevidade nos rebanhos de gado europeu (Ahlman et al., 2011; Bascom e Young,1998; Seegers et al., 1998; Pinedo et al., 2010). Parâmetros genéticos e o melhoramento da longevidade Em raças taurinas, muitos trabalhos têm avaliado relação de diversas características com a longevidade de vacas leiteiras e estimado os parâmetros genéticos para esta característica. Dentre elas, as características morfológicas apresentam maiores valores de herdabilidade (0,15 - 0,40) se comparados aos de longevidade (0,05 - 0,20), tendo sido obtidos diferentes valores para as correlações genéticas entre longevidade e tais características (Larroque and Ducrocq, 1999; Rogers et al., 1999; Vollema et al., 2000; Cruickshank et al., 2002; Caraviello et al., 2003; Zwald et al., 2004). Esses resultados indicam a possibilidade da seleção indireta para longevidade, através da seleção para algumas características de tipo. Porém, deve-se ressaltar que características como conformação de pernas e pés podem ser decorrentes do tipo de instalação e manejo, constituindo efeitos do ambiente que concorrem para a expressão dessas características, podendo se confundir com os efeitos genéticos.

35


a utilização de touros com baixos valores de PTA para escore de células somáticas (ECS) poderá resultar em filhas com menores valores de ECS à primeira lactação, vida produtiva mais longa e menor frequência de descartes devido à mastite. Como resultado do amplo objetivo de seleção (produção, saúde e fertilidade) em animais “Norwegian Red” houve redução constante da probabilidade de descarte em primíparas, de acordo com o ano de nascimento do touro, até o ano 2000, aproximadamente (Heringstad et al., 2003). Nesse estudo, 66% da variação genética da característica descarte foram explicadas pela variação genética na produção de proteína, na mastite clínica, no intervalo do parto à primeira inseminação e na taxa de não-retorno aos 56 dias em novilhas. Forabosco et al. (2009) estimaram os valores genéticos internacionais para longevidade direta, nos países do Interbull, para as seguintes raças: Pardo-Suíço, Guernsey, Holandês, Jersey, “Simmental breeds” e “Red Dairy Cattle”. Associado aos preditores de diferentes características relacionadas à longevidade, como: conformação, CCS, reprodução e fertilidade, foi possível obter a longevidade combinada, sendo que na maioria dos países do Interbull essa característica é publicada como um índice de seleção. Perspectivas da inclusão da longevidade nos programas nacionais de melhoramento No Brasil, a inexistência de informações suficientes sobre as causas de descarte de vacas nos rebanhos constitui impedimento à condução de estudos mais aprofundados. Experimentalmente, Lemos et al. (1996) avaliaram caracte-

Foto: Marcelo Cordeiro

Estudos envolvendo diferentes raças taurinas têm mostrado a existência de correlação genética positiva e moderada entre risco de descarte, problemas de saúde, mastite clínica, CCS, intervalo parto-primeira inseminação e número de inseminações (Roxström e Strandberg, 2002; Heringstad et al., 2003; Holtsmark et al., 2008). No entanto, alguns autores encontraram correlações genéticas negativas entre sobrevivência nas primeiras lactações, intervalo de partos, CCS e intervalo do parto ao primeiro serviço, e correlações genéticas positivas entre a taxa de não-retorno após a primeira inseminação e taxa de prenhez a seis semanas. Os autores concluíram que as doenças, em especial as da glândula mamária, são bons preditores da sobrevivência dos animais. Nos últimos anos, vários países incluíram a longevidade direta em suas avaliações genéticas, muitos deles utilizando a análise de sobrevivência (Interbull, 2009). Dessa forma, existem trabalhos disponíveis na literatura sobre a inclusão da longevidade na avaliação genética e índices de seleção em bovinos de leite. Vukasinovic et al. (2002) propuseram um índice para vida no rebanho, em vacas “Swiss Simental” e “Red and White”, incluindo valores genéticos de touros com base na expressão dessa característica em suas filhas, além da inclusão de valores genéticos indiretos, ou seja, correlacionados, a partir das características de conformação. A confiabilidade do índice foi maior que aquela obtida apenas na avaliação genética para vida de rebanho. Miller et al. (2009) realizaram estudo retrospectivo avaliando o impacto do mérito genético de touros sobre a CCS, em vacas das raças Holandês e Jersey. Os resultados sugerem que

36 36

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

37


rísticas de sobrevivência em vacas Holandês-Guzerá com diferentes composições genéticas e concluíram que as F1 tiveram vida útil mais longa, maior número de lactações e menores taxas de mortalidade, seguidas das vacas 1/4. Aspectos produtivos e econômicos da longevidade foram avaliados por Teodoro e Madalena (2005) em fêmeas obtidas a partir do cruzamento delineado entre touros Holandês, Jersey e Pardo-Suíço com matrizes de composição genética 1/2 ou 3/4 Holandês-Gir. As fêmeas obtidas a partir do cruzamento com Jersey e Holandês apresentaram, respectivamente, vida de rebanho mais longa e maior produção de leite por tempo de vida no rebanho. Para as raças zebuínas, apesar de as mesmas se destacarem como gado de grande rusticidade, adaptabilidade e longevidade em condições tropicais, os estudos a respeito das causas de descarte e longevidade são, todavia, escassos (Lemos et al., 1996; Silva et al., 2004). Entretanto, nos últimos anos, a longevidade vem sendo considerada característica altamente desejável nos rebanhos zebuínos e mestiços leiteiros nacionais, pois o tempo de permanência do animal no rebanho afeta a rentabilidade do sistema de produção. Os programas de melhoramento da raça Guzerá no Brasil têm focado, até então, as características produtivas, permitindo a obtenção de animais com níveis satisfatórios de

produção. Porém, o fato de animais zebuínos tenderem a ser mais tardios e apresentarem maior intervalo de partos constitui aspecto que responde pela baixa produção na vida útil e influencia diretamente sobre a decisão de descarte do animal (Bruneli et al. 2011; Santos et al. 2011). Acredita-se, desta forma, que, apesar do bom desempenho das raças zebuínas em características produtivas e adaptativas, a melhoria no desempenho de outros fatores também poderá contribuir ainda mais para o aumento da longevidade dos animais e o estabelecimento de sistemas sustentáveis de produção. Considerações finais O melhoramento de animais da raça Guzerá com foco na longevidade terá impacto sobre a diminuição dos custos de reposição do rebanho, beneficiando também a rentabilidade do sistema de produção. Através dos cruzamentos com animais zebuínos mais longevos, os rebanhos mestiços também seriam beneficiados pela melhoria no desempenho produtivo, pelo aumento da longevidade e, consequentemente, pela maior rentabilidade. Além da diminuição dos custos e da produtividade, os criadores favoreciam também aspectos do bem-estar de seus animais, oferecendo produtos de melhor qualidade e agregando valor econômico aos produtos destinados ao consumo humano a partir das certificações.

Referências bibliográficas Ahlman, T., Berglund, B., Rydhmer, L., Strandberg, E. Culling reasons in organic and conventional dairy herds and genotype by environment interaction for longevity. J. Dairy Sci., v.94, p. 1.568–1.575, 2011. Bascom, S.S., Young, A.J. A summary of the reasons why farmers cull cows. J. Dairy Sci., 81: 2.299-2.305, 1998. Beaudeau, F., Ducrocq, V., Fourchon, C., et al. Effect of disease on productive life of French Holstein dairy cows assessed by survival analysis. J. Dairy Sci., v.78, p.103–117, 1995. Bruneli, F.A.T. , Peixoto, M. G. C. D. , Panetto, J.C.C. et al. Efeito da idade ao primeiro parto na produção leiteira de vacas puras da raça Gir (Bos indicus). In: 48ª Reunião da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 2011, Belém. Anais da 48ª Reunião da SBZ, 2011. Caraviello, D.Z., Weigel, K.A., Gianola, D. Analysis of the relations hip between type traits, inbreeding, and functional survival in Jersey cattle using a weibull proportional hazards model. J. Dairy Sci., v.86, p. 2.984-2.989, 2003. Caraviello, D. Z., Weigel, K. A., Shook, G. E. et al. Assessment of the Impact of Somatic Cell Count on Functional Longevity in Holstein and Jersey Cattle Using Survival Analysis Methodology. J. Dairy Sci., v.88, p.804–811, 2005. Coffey E.M., Vinson W.E., Pearson R.E. Somatic cell counts and infection rates for cows of varying somatic cell count in initial test of first lactation. J. Dairy Sci., v. 69, p. 552–555, 1986. Cruickshank, J., Weigel, K.A., Dentine, M.R. et al. Indirect prediction of herd life in Guernsey dairy cattle. J. Dairy Sci., v.85, p.1.307-1.313, 2002. Ducrocq, V., J. Sölkner.The Survival Kit — V3.0: A package for large analyses of survival data. Proc. 6th World Congr. Genet. Appl. Livest. Prod., Armidale, Australia, v.22, p.51–52, 1998. Forabosco, F., Jakobsen, J.H., Fikse, W.F. International genetic evaluation for direct longevity in dairy bulls. J. Dairy Sci., v.92, p. 2.338-2.347, 2009. Heringstad, B., Chang, Y.M., Gianola, D., Klemetsdal, G. Genetic analysis of longitudinal trajectory of clinical mastitis in first-lactation Norwegian cattle. J. Dairy Sci., v.86, p. 2.676-2.683, 2003. Holtsmark, M., Heringstad, B., Madsen, P., et al. Genetic relationship between culling, milk production, fertility, and health traits in Norwegian red Cows. J. Dairy Sci., v.91, p. 4.006-4.012, 2008. Interbull, 1999. In: Proc. Intern. Workshop Genetic Improvement of Functional Traits in Cattle-Breeding Goals and Selection Schemes, Wageningen, The Netherlands. Interbull Bulletin no. 23, p. 221–223. Knaus, W.. Dairy cows trapped between performance demands and adaptability. Society of Chemical Industry, J. Sci. Food Agric., 2009, 89: 1.107-1.114. Larroque, H., Ducrocq, V. An indirect approach for the estimation of genetic correlations between longevity and other traits. Interbull Bulletin, 1999. Lemos, A.M., Teodoro, R.L., Madalena, F.E. Comparative performance of six Holstein-friesian X Guzera grades in Brazil. 9. Stayability, herd life and reason for disposal. Braz. J. Genet., v.19, p. 259-264, 1996. Madalena, F.E. A esquecida metade Bos Taurus do F1. In: Encontro de Produtores de Gado Leiteiro F1, 6, 2007. Anais..., Belo Horizonte: Pucminas, 2007. Miller, R. H., Norman, H. D., Wright, J. R. et al. Impact of genetic merit for milk somatic cell score of sires and maternal grandsires on herd life of their daughters. J. Dairy Sci., v.92, p .2.224–2.228, 2009. Müller, E.E. Profilaxia e controle da mastite. In: WORKSHOP SOBRE PRODUÇÃO E QUALIDADE DO LEITE, 2., 2000, Maringá. Anais... Maringá: 2000. p. 10-13. Neerhof, H. J., Madsen, P., Ducrocq, V. P. et al. Relationships between mastitis and functional longevity in Danish Black and White dairy cattle using survival analysis. J. Dairy Sci., v.83, p. 1.064–1.071, 2000. Pinedo, P. J., De Vries, A., Webb, D. W. et al. Dynamics of culling risk with disposal codes reported by Dairy Herd Improvement dairy herds. J. Dairy Sci., v.93, p. 2.250–2.261, 2010. Pösö J., Mäntysaari A.E., Relationship between clinical mastitis, somatic cell score, and production for first three lactations of Finnish Ayrshire, J. Dairy Sci. v. 79, p. 1.284–1.291, 1996. Rogers, G.W., Banos, G., Sander-Nielsen, U. Genetic correlations among protein yield, productive life, and type traits from the United States and diseases other than mastitis from Denmark and Sweden. J. Dairy Sci., v.82, p. 1.331-1.338, 1999. Roxström, A., Strandberg, E.. Genetic analysis of functional, fertility-, mastitis-, and production-determined length of productive life in Swedish dairy cattle. Liv. Prod. Sci., 2002, 74:25–135. Rupp R., Boichard D., Relationship of Early First Lactation Somatic Cell Count with Risk of Subsequent Clinical Mastitis, Livest. Prod. Sci. v. 62, p.169–180, 2000. Sandøe, P., Nielsen, B.L., Christensen, L.G., et al. Staying good while playing God: the ethics of breeding farm animals. An. Welf., v.8, p. 313-328, 1999. Santos, G. G., Panetto, J. C. C., Peixoto, M. G. C. D. et al . Efeito da idade ao primeiro parto sobre a produção de leite em 305 dias e intervalo de partos em vacas da raça guzerá. In: 48ª Reunião da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 2011, Belém. Anais da 48ª Reunião da SBZ, 2011. p. 1.534. Seegers, H., Beaudeau, F., Fourichon, C. et al.. Reasons for culling in French Holstein cows. Prev. Vet. Med., 1998, 36:257-271. Sewalem, A., Miglior, F., Kistemaker, G.J. et al. Relationship between reproduction traits and functional longevity in Canadian dairy cattle. J. Dairy Sci., v. 91:1.660-1.668, 2008. Sharma, N., Singh, N. K., Bhadwal, M. S. Relationship of Somatic Cell Count and Mastitis: An Overview. Asian-Aust. J. Anim. Sci., v.24, p.429 – 438, 2011. Silva, L.A.F., Silva, E.B., Silva, L.M. et al. Causas de descarte de fêmeas bovinas leiteiras adultas. Rev. Brasil. Saúde Prod. Anim., v.5, p.9-17, 2004. Teodoro, R.L., Madalena, F.E. Evaluation of crosses of Holstein, Jersey or Brown Swiss sires x Holstein-Friesian/Gir dams. Genet. Molec. Res., v.4, p.84-93, 2005. Vaccaro, L.P. de. Survival of European dairy breeds and their crosses with zebus in the tropics. An. Breed. Abs., 1990 Vol. 58: 475-494, 1990. Vollema, A.R., van Der Beek, S., Harbers, A.G.F., et al. Genetic evaluation for longevity of Dutch Dairy Bulls. J. Dairy Sci., v.83, p.2.629-2.639, 2000. Vukasinovic, N., Schleppi, Y., Künzi, N..Using Conformation Traits to Improve Reliability of Genetic Evaluation for Herd Life Based on Survival Analysis. J. Dairy Sci., 2002, 85:1.556–1.562. Zwald, N.R., Weigel, K.A., Chang, Y.M. et al.. Genetic Selection for Health Traits Using Producer-Recorded Data. II. Genetic Correlations, Disease Probabilities, and Relationships with Existing Traits. J. Dairy Sci., 2004, 87:4.295–4.302.

38

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

39


Genética Maria Raquel Carvalho Pesquisadora da UFMG

O Guzerá na pesquisa: 2012, 2013 e além

N

Foto: Marcelo Cordeiro

os últimos anos temos observado aumento expressivo de pesquisa referente à raça Guzerá. Neste momento estão em desenvolvimento, ou já em fase de publicação, pesquisas sobre diversidade genética, temperamento, habilidade materna, metabolismo de lipídios, nutrição, entre outras. Ou seja, definitivamente o Guzerá saiu da fase do melhoramento formal e entrou na era pósgenômica. E isto é muito bom! Além do Projeto Genoma dos Zebuínos Leiteiros de Minas Gerais, propriamente dito, outras linhas de pesquisa nas quais o Guzerá participa estão em andamento ou sendo estabelecidas. Elas incluem estudos de diversidade e de associação baseados em genotipagem de SNPs, estabelecimento do mapa genético do Guzerá, estudos sobre a evolução das raças brasileiras e internacionais, etc.

40 40

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Este crescimento qualitativo da pesquisa reflete o que está acontecendo com as raças mais importantes no cenário internacional e, com certeza, agrega um valor inestimável à raça. Estas pesquisas levarão, em curto prazo, à avaliação da eficiência e ao desenvolvimento de ferramentas de seleção genômica. Além disso, permitirão entender como está distribuída a diversidade genética na raça, quais medidas podem ser adotadas para preservação dessa diversidade e quais permitem maximizar a diversidade genética individual e, consequentemente, a heterose. Neste cenário, um projeto fundamental é o do Genoma do Guzerá. Esse projeto, financiado majoritariamente pela Fapemig, conta com recursos de mais de um milhão de reais. O valor, liberado há cerca dois anos foi fundamental, pois aumentou a infraestrutura para geração de dados genômicos e para análise de dados no Estado, não só em termos de equipamentos e insumos, mas também com a formação de recursos humanos em Bioinformática. No âmbito do projeto Genoma dos Zebuínos Leiteiros de Minas Gerais, estão sendo sequenciados um representante da raça Guzerá e outro da Gir. Os dois genomas estão sendo gerados e analisados simultaneamente. A previsão inicial era gerarmos uma cobertura de 20 vezes cada genoma. Já alcançamos, após aplicação dos filtros de qualidade, uma cobertura superior a 30 vezes. São mais de 30 bilhões de sequências geradas por raça. Isto é importante, pois algumas regiões são fáceis de sequenciar, mas outras são muito difíceis (aqui vale lembrar que em 2012 foi disparado o esforço internacional para a conlusão dos cerca de 1-2% do genoma humano, para os quais até hoje não se conseguiu obter a sequência). Com esta cobertura, conseguimos obter cerca de 70% de cada genoma sequenciado. Para completá-los, estamos fazendo mais dois rounds de geração de sequências, um deles visando maior cobertura e o outro visando obtenção de sequências mais longas, para termos melhor montagem do genoma. Esta é uma área de grande efervescência e, assim, ao longo do desenvolvimento do projeto, tivemos oportunidade de agre-

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

gar novas metodologias, recém desenvolvidas, de estudos genômicos. Um genoma é um projeto de longo prazo, que se constrói em etapas. Embora ainda não estejam prontos, a fração concluída dos dois genomas já foi suficiente para iniciarmos a segunda etapa proposta no âmbito do projeto, que é a caracterização de genes de interesse econômico, particularmente os de metabolismo de lipídios na glândula mamária e os das proteínas do leite. Esta etapa prevê a análise detalhada de um grupo de 50 genes, buscando a identificação de variantes genéticas dentro ou no entorno desses genes. Esta etapa é importante, pois nos estudos que estamos desenvolvendo, focados em genes específicos e iniciados antes mesmo do projeto genoma, temos descoberto muitas variantes genéticas no Guzerá, e a maioria delas são novas, ou seja, não foram descritas em raças taurinas. Assim, essas novas variantes podem ser específicas da raça Guzerá ou de zebuínos (ver boxe abaixo). Nesta etapa, cada variante genética descoberta é investigada por análises bioinformacionais, para sabermos se a variante tem repercussão funcional na regulação desses genes (ou seja, quanto, onde e em que momento a proteína é produzida) ou na própria sequência de cada proteína. As variantes com provável repercussão funcional serão selecionadas para estudos in vitro. Vamos tomar como exemplo o gene da oxitocina. Tratase de um gene pequeno, com cerca de 1.300 pares de bases. Pois neste pequeno território encontramos 11 variantes, sendo 10 delas novas. Em outros genes do metabolismo de lipídio da glândula mamária, estudados no Guzerá, obtivemos resultados semelhantes. Alguns genes, entretanto, não apresentam variantes, ou seja, são completamente conservados do ponto de vista evolutivo. Das variáveis descobertas, cinco têm potencial para afetar o funcionamento do gene e, portanto, devem ser estudadas em maior profundidade.

41


O que vem por aí? A próxima etapa do Projeto Genoma dos Zebuínos Leiteiros de Minas Gerais será a dos estudos funcionais. Para tanto, concorrem dois métodos que se desenvolveram muito nos últimos dois anos: o sequenciamento completo de genomas individuais e o sequenciamento dos RNAs produzidos de tecidos específicos. O sequenciamento completo de outros indivíduos de cada raça (também chamado ressequenciamento) depende de um genoma bem montado, mas também ajuda a confirmar e melhorar a qualidade dessa montagem. Esse projeto permitirá descobrir um maior número de variantes genéticas e ter uma ideia de quais são as mais comuns, para compor baterias de SNPs específicas das raças. Além disso, permitirá que se entenda a organização e o funcionamento de grandes territórios genômicos, área de pesquisa que mais se desenvolve atualmente em humanos. Ou seja, como a orquestra funciona. O sequenciamento de RNAs de tecidos específicos (também chamado RNAseq) permite identificar de que maneira cada tecido está usando o genoma da raça. Isto é importante, pois cada gene pode ser usado de diversas maneiras. No genoma humano, por exemplo, descobriu-se que cada gene produz em média três proteínas. Por isso os projetos de RNAseq e, em breve os estudos de proteoma do Guzerá, são fundamentais. Entretanto, as descobertas dessas etapas devem ser validadas por estudos in vivo e in vitro. Estudos in vivo são impraticáveis em animais de custo alto e tempo de geração longo. Portanto, temos que implementar ferramentas para avaliação funcional in vitro. Entre elas se destacam os métodos de cultura celular, onde é possível testar o efeito das diferentes variantes ou inativar/hiperativar genes e avaliar as consequências. Considerando tudo o que foi exposto acima, neste momento temos um boom de pesquisa básica impactando positivamente na pesquisa aplicada e na básica, ou seja, estamos vivendo um ciclo virtuoso. Isto tudo gera um momento muito feliz, para a raça e para todos aqueles engajados em seu melhoramento e preservação. Portanto, é

42

momento de agradecermos aos nossos muitos colaboradores. Os projetos citados nesta matéria contam com a participação de muitos pesquisadores. Estão envolvidos UFMG, Embrapa, Fiocruz, Epamig e outros. O Polo de Excelência em Genética Bovina, o Polo de Excelência do Leite, a Sectes do governo do Estado de Minas Gerais e a Fapemig têm sido um apoio essencial no desenvolvimento de todos esses projetos. Além disso, os pesquisadores envolvidos têm captado recursos junto ao CNPq, Capes, Finep, Embrapa, UFMG, Fiocruz e outros. Esses projetos não seriam possíveis sem o engajamento dos criadores de Guzerá, que participam muito ativamente na geração dos dados fenotípicos. Neste processo todo, os apoios do CBMG2 e da ABCG têm sido fundamentais, desde o delineamento dos projetos, passando pela liberação dos recursos, e durante seu desenvolvimento. Sem falar na confiança depositada! A pesquisa em Minas Gerais agradece! Foto: Marcelo Cordeiro

Outro componente fundamental da proposta do Genoma dos Zebuínos Leiteiros de Minas Gerais é a identificação de SNPs. Já são mais de 1.200.000 variantes identificadas em cada raça. Como escolhemos para o sequenciamento animais que são padreadores importantes das raças Guzerá e Gir, essas variantes estarão, com certeza, bem distribuídas em ambas as populações. Em sua maioria essas variantes são novas, ou seja, não foram descritas em raças taurinas. Essas variantes poderão ser usadas na construção de ferramentas para a seleção genômica e para monitoramento da diversidade genética na raça.

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Guzerá

da

Há mais de 20 anos ajudando a fazer do Guzerá uma

avanticom

Fotos: Rubens Ferreira

RAÇA FORTE & COMPLETA

Imigrante

da Suaçuí

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

Imperatriz da J Natal

Fazenda Suaçuí - Unidade 1 - Avaré - SP F: (14) 3731 .7412 - www.suacui.com.br 43


Exposições e Eventos

ExpoZebu 2013:

recorde mundial e estreia da pista leiteira

A

maior mostra de zebuínos do mundo teve pela primeira vez julgamento separado das linhagens leiteira e de corte de Guzerá. A raça teve 344 animais concorrendo na pista do Parque Fernando Costa, aumento de mais de 18% em comparação a 2012. Comandada pelos jurados Célio Arantes Heim, José Pankowski e Murilo Miranda Melo, a disputa de corte contou com 208 animais. O recorde de peso ficou com o touro Jato, o primeiro a ultrapassar os 1.200 kg na ExpoZebu. Já a aptidão leiteira teve a participação de 127 exemplares, sob o julgamento de Roberto Winkler. No concurso Matriz Modelo, concorreram nove fêmeas. Adir do Carmo Leonel, juntamente com Vânia Maldini Penna e Murilo Bueno Kammer, julgou o campeonato e destacou que a raça está no caminho certo “Todas as fêmeas que concorreram poderiam ser consideradas matrizes modelos, pois apresentaram uma grande qualidade genética. A raça está no caminho certo: sem

44

exageros ou gigantismo. Desta forma, o Guzerá é capaz de atender o que a pecuária precisa: animais resistentes, produtivos e capazes de dar lucro”, afirmou Adir. A ExpoZebu 2013 encerra o Ranking 2012/2013 da ACGB. A premiação dos vencedores do ano será entregue na SuperAgro, na primeira semana de junho, em Belo Horizonte (MG), quando ocorrerá a Nacional do Guzerá. No Concurso Leiteiro, houve quebra do recode mundial da raça Guzerá. A fêmea Aurora WM obteve produção média de 45,50 quilos de leite. A fêmea pertence aos criadores Gilson Carlos Bargieri e Alexandre Wanderley. Concorreram 22 exemplares. Durante a entrega da premiação, o diretor da ABCZ, José de Castro, destacou a qualidade da campeã e o melhoramento que a linhagem leiteira da raça vem obtendo. As fêmeas Guzerá apresentou o melhor percentual de proteína e gordura da competição.

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

45


Confira os vencedores da ExpoZebu 2013: Campeonato Bezerra - Harmonia FIV da ORIG. Expositor: Marcos Aurélio Coelho Sampaio Campeonato Novilha Menor - Barcelona FIV de AMA Expositora: Ana Cláudia Mendes Souza Campeonato Novilha Maior - Águia Zinato Expositor: Agropecuária S. Marcos-Paulo de Faria LT Campeonato Fêmea Jovem - Ganda S Expositor: Antônio P. Salvo e outros Campeonato Vaca Adulta - Mega FIV da DHMF Expositora: Ana Cláudia Mendes Souza Grande Campeã - Ganda S Expositor: Antônio P. Salvo e outros Campeonato Bezerro - Marreco PEAC Expositor: Palestina Agropast. Ltda. Campeonato Júnior Menor - Degelo FIV da El Giz Expositor: Douglas Brandão Costa El Giza Campeonato Júnior Maior - Guru PEAC Expositor: Palestina Agropast. Ltda. Campeonato Touro Jovem - Havaiano X FIV MF Expositor: Org. Mário de Almeida Franco Ltda. Campeonato Touro Sênior - Jato da Capital Expositor: Adriano Varela Galvão/out.cond. Grande Campeão - Jato da Capital Expositor: Adriano Varela Galvão/out.cond. Aptidão leiteira Campeonato Bezerra - Davina 4 Meninos Expositor: Ana Vera Marquez Palmerio Cunha Campeonato Novilha Menor - Galista Villefort Expositor: Virgílio Villefort Martins Júnior Campeonato Novilha Maior - Flava Villefort Expositor: Agroville - Agric e Empreend. Ltda. Campeonato Fêmea Jovem - Eclética Villefort Expositor: Virgílio Villefort Martins Campeonato Vaca Jovem - Mais FIV da S. Luiz Expositor: Sociedade Educacional Uberabense Campeonato Vaca Adulta - Taiga TE Taboquinha Expositor: Elysio José Ferreira Campeonato Melhor Novilha - Davina 4 Meninos Expositora: Ana Vera Marquez Palmério Cunha Grande Campeã - Taiga TE Taboquinha Expositor: Elysio José Ferreira Campeonato Bezerro - Dante 4 Meninos Expositora: Ana Vera Marquez Palmério Cunha Campeonato Júnior Menor - Peniel Ibituruna Expositor: Paulo R. Menicucci e out.cond. Campeonato Júnior Maior - Pacto FIV Santa Ceci Expositor: Marcelo Palmério Campeonato Macho Jovem - Escoteiro FIV Uniube Expositor: Sociedade Educacional Uberabense Campeonato Touro Jovem - Cabo FIV JF Expositor: José Transfiguração Figueiredo Campeonato Touro Adulto - Uriel Ibituruna Expositor: Paulo R. Menicucci e out.cond. Grande Campeão - Cabo FIV JF Expositor: José Transfiguração Figueiredo Matriz Modelo Guz Barra Hortência Expositor: Marcus do Nascimento Cury Daisy FIV GEO

46

Grande Campeã - Ganda S

Grande Campeão - Jato da Capital

Grande Campeã (Aptidão Leiteira) - Taiga TE Taboquinha

Grande Campeão (Aptidão Leiteira) - Cabo FIV JF

Grande Campeã do Concurso Leiteiro - Aurora WM

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Bonita de Amar

Barcelona de Amar

Res. Campeã Bezerra

Campeã Novilha Menor

Balboa de Amar

Mega FIV da DHMF

Res. Campeão Junior Menor

Campeã Vaca Adulta e Res. Grande Campeã

Fotos: Jadir Bison

expozebu 2013

Esse é o resultado de ter tanto amor pela raça!

VENDA PERMANENTE DE TOUROS NA FAZENDA BR 050 Km 183 • Entrada em frente ao Hotel/Pousada São Francisco • Uberaba-MG guzeraamar@gmail.com (34) 7811.4081 // (31) 9167.6953 Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

47


Concurso Leiteiro Grande Campeã Vaca Adulta – Aurora WM - Produção média de 45,50 quilos Expositor: Gilson Carlos Bargieri Grande Campeã Vaca Jovem – Gabiroba FIV - Produção média de 33,74 quilos Expositor: Marcelo Garcia Lack/outros condomínios Grande Campeã Fêmea Jovem – Jacuma FIV Boa Lembrança Produção média de 23,24 quilos Expositor: Marcelo Garcia Lack/outros condomínios Melhor Úbere Adulto: Favorita FIV 5B Expositor: Sociedade Educacional Uberabense Melhor Úbere Jovem: Naka FIV da S Luiz Expositor: Sociedade Educacional Uberabense Melhor Úbere Sênior: Aurora WM Expositor: Gilson Carlos Bargieri

48

Fotos: Rubio Marra

Expositor: Marcos Aurélio Coelho Imensa da J. Natal Expositor: Lincoln Dias Janota Antunes Mantua EG Expositor: Adriano Varela Galvão/out.cond. Inflação da J. Natal Expositor: Geraldo José da C.F. Melo Filho

Divulgação do Sumário de Touros Guzerá aconteceu durante a ExpoZebu 2013

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

49


Exposições e Eventos

ExpoZebu 2013 reúne criadores de Guzerá de várias regiões do Brasil

50

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

51


52

Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

53


54

Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

55


Foto: Marcelo Cordeiro

Exposições

Nacional abre

Ranking 2013/2014 D epois de encerrar o calendário 2012/2013 na concorrida pista da ExpoZebu, os criadores de Guzerá preparam-se para mais uma edição do Ranking Nacional. As disputas terão início na 11ª Nacional da Raça, que será realizada durante a SuperAgro, em Belo Horizonte (MG), a partir do dia 27 de maio. A expectativa da Associação dos Criadores de Guzerá do Brasil (ACGB) é que 400 animais participem dos julgamentos e torneio leiteiro, sendo 160 de aptidão leiteira e 240 de dupla aptidão. Os jurados escolhidos pela Comissão Conjunta (ACGB/ABCZ/Colégio de Jurados das Raças Zebuínas) para atuarem na 1ª Nacional de Guzerá foram: Carlos Alberto Celestino, João Marcos Machado Borges e Willian Koury Filho, para a pista tradicional; Alisson Sampaio, Lilian Jacinto e Rodrigo Madruga, para a pista leiteira. Mais que abrir a disputa do Ranking 2013/2014, a Nacional marcará a estreia do Ranking Leiteiro. “O Guzerá é uma raça de dupla aptidão, mas o julgamento tradicional de pista tinha um regulamento voltado para aptidão corte. Os criadores que selecionam Guzerá para leite de certa forma ficavam excluídos das pistas de julgamento. Com o julgamento separado, será possível apresentar em pista animais selecionados para leite e para corte separadamente. Os animais de aptidão leiteira, que normalmente ficavam apenas nos Concursos Leiteiros, poderão agora ser vistos e apreciados também nas pistas. Acredito que os criadores que trabalham a aptidão leiteira da raça Guzerá ganharam um espaço muito importante para mostrar seus animais”, declara Roberto Winkler, jurado que comandou julgamento

56

leiteiro na ExpoZebu 2013. O regulamento do Ranking Leiteiro foi aperfeiçoado em feiras anteriores à ExpoZebu, ocorridas em 2011 e 2012, em caráter experimental. As exposições Megaleite, Feileite e Muriaé contaram com essa nova modalidade. Na época, os criadores e a ACGB estavam construindo um regulamento para Guzerá Aptidão Leiteira e os julgamentos que aconteceram nessas feiras foram decisivos para aperfeiçoar o regulamento. “Para participar de uma pista de Guzerá Leiteiro, os animais precisam ter informações sobre produção de leite e avaliação genética para leite comprovadas. Cumprindo estes pré-requisitos, são avaliadas as características raciais e valorizadas características relacionadas à produção de leite, mas sem perder o foco da dupla aptidão da raça Guzerá. Vencerá o animal mais equilibrado. É preciso deixar claro que, apesar do julgamento separado para corte e para leite, a raça Guzerá é uma só”, explica Winkler. Durante a Nacional do Guzerá, a ACGB definirá qual será a próxima sede da feira, que a partir de 2013 passa a ser anual. Outro evento que integra a programação da Nacional é a premiação dos vencedores do Ranking 2012/2013, encerrado em maio, na ExpoZebu 2013. “Para que os associados tenham mais um espaço para ofertar a genética Guzerá, a ACGB realizará um shopping de animais durante a SuperAgro”, diz o diretor Técnico da associação, Geraldo Melo Filho. A comercialização de animais ocorrerá ainda em dois leilões: Leilão Guzerá Villefort (dia 4 de junho) e 20º Leilão Guzerá Brasil - Princesas BH (dia 5 de junho). Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

57


Agenda da 11ª Nacional da Raça 27 e 28/05/2013 Todo o dia - Entrada dos animais – Aptidão Leiteira/Torneio 29/05/2013 14h - Início do Concurso Leiteiro - Esgota 01/06/2013 14h - Encerramento do Concurso Leiteiro 02 a 04/06/2013 Todo o dia - Julgamento – Guzerá Aptidão Leiteira 03/06/2013 Todo o dia - Entrada dos animais da pista tradicional 7h às 18h - Pesagem

06/06/2013 19h – Coquetel – Local: Casa do Guzerá 7h30 às 12h30 - Julgamento 07/06/2013 19h - Entrega dos Troféus Melhores do Ranking 2012/2013 – Local: Casa do Guzerá 08/06/2013 7h30 às 12h30 - Encerramento do Julgamento 09/06/2013 17h - Saída dos animais

Foto: Marcelo Cordeiro

04/06/2013 20h30 - Leilão Guzerá Villefort – Transmissão: Canal do Boi 7h30 às 12h30 - Julgamento Pista Aptidão Leiteira - Encerramento

05/06/2013 14h às 17h - Início do Julgamento – Pista tradicional 21h - 20º Leilão Guzerá Brasil - Princesas BH – Transmissão: Terraviva 7h30 às 18h - Julgamento

58

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

59


Agenda

Calendário de Exposições da Raça Guzerá Circuito 2013/2014 13 a 19/05/2013 29 a 09/06/2013 05 a 08/06/13 12 a 30/06/2013 17 a 21/06/2013 28 a 07/07/2013 30 a 07/07/2013 04 a 14/07/2013 05 a 07/07/2013

60

ANO 2013 MAIO 70ª EXPOSIÇÃO AGROPECUARIA DE CURVELO Parque de Exposições Antônio Ernesto de Salvo - Informações: (38) 3721-5222 ou amcz@veloxmail.com Curvelo – MG JUNHO 11ª EXPOSIÇÃO NACIONAL DO GUZERÁ - SUPERAGRO Parque de Exposições Gameleira - Informações: (34) 3336-1995 ou patrícia@guzera.org.br e sayonara@guzera.org.br. Belo Horizonte – MG 11º ENEL – ENCONTRO NORDESTINO DE LEITE E DERIVADOS Parque de Exposições Aristófanes Fernandes - Informações: (84) 3272-2430 anorc@anorc.com.br Parnamirim - RN 36ª EXPOSIÇÃO AGROPEC. E IND. DE TRES LAGOAS Parque de Exposições Joaquim Marques de Souza - Informações: (67) 3521-4049 ou srtreslagoas@terra.com.br Três Lagoas – MS FEICORTE - 19ª FEIRA INTERNACIONAL DA CADEIA PRODUTIVA DA CARNE Centro de Exposições Imigrantes - Informações: (11) 5593-5337 ou secretaria@hospitalarsc.com.br São Paulo – SP 38ª EXPOMONTES Parque de Exposições João Alencar Athayde - Informações: (38) 3215-1399 ou socrural@veloxmail.com.br Montes Claros – MG JULHO 10ª MEGALEITE Parque de Exposições Fernando Costa - Informações: (34)3336-1995 ou guzerabr@terra.com.br Uberaba – MG 44ª EXPOAGRO GV Parque de Exposições José Tavares Pereira - Informações: (33)3275-6500 / 33-9908-9021 ou comercial@expoagrogv.com.br/ rafael@urrdgv.com.br Governador Valadares – MG 16º EXPONOVOS Informações: (84) 3272-2430 ou anorc@anorc.com.br Currais Novos - RN Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

61


24 a 28/07/2013 28 a 04/08/2013 31 a 04/08/2013 08 a 18/08/2013 07 a 11/08/2013 11 a 18/08/2013 17 a 25/08/2013 24 a 01/09/2013 08 a 15/09/2013 08 a 15/09/2013 22 a 29/09/2013 01 a 10/10/2013 05 a 13/10/2013 12 a 19/10/2013

62

31ª EXPORONDON Associação Agropecuária Rondonense - Informações: (94) 3326-1800 ou exporondon@hotmail.com e jhonny-_expo@hotmail.com Rondon do Pará – PA 28ª EXPOAAVA Associação Agropecuária Vale do Acará - Informações: (91) 3238-0259 ou ivanaplantel@hotmail.com Tomé Açu – PA 43ª CASSILÂNDIA EXPO CENTER Informações: (67) 3596 1391 ou srcassilandia@hotmail.com Cassilândia - MS AGOSTO 40ª GRAND EXPO BAURU 2013 Recinto Mello Moraes - Informações: (14) 3236 1040 (14) 3572-3629 ou associacao@guzeracentrosul.com.br Bauru – SP 36ª GRANEXPO ES Centro de Eventos Floriano Varejão - Informações: (27) 3281-8006 ou www.granexpoes.com.br secretaria@extremaeventos.com.br Serra – ES 48ª AGROPEC – EXPOSIÇÃO AGROPEC. DE PARAGOMINAS Parque de Exposições Amilcar Tocantins - Informações: (91) 8111-5930 ou paragenetica@bol.com.br Paragominas – PA 6ª EXPOGENÉTICA Parque de Exposições Fernando Costa - Informações: (34) 3319-3900 lauro@abcz.org.br Uberaba – MG 35ª EXPOINTER Parque Assis Brasil - Informações: (51) 3288-6379 ou expointer@seapa.rs.gov.br Esteio – RS SETEMBRO 45ª EXPOFAC – EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA DE CASTANHAL Sindicato Rural de Castanhal - Informações: (91) 3721-7107 ou (91)8165-8449 ou spr-cast@linknet.com.br Castanhal – PA EXPOFEIRA – FEIRA AGROPEC. DE FEIRA DE SANTANA Informações: (75) 9111-7234 ou nucleocriadoresguzera@hotmail.com Feira de Santana – BA 47ª EXPOPARÁ – EXPOSIÇÃO AGROPECUARIA DO PARÁ Parque de Exposições Amílcar Tocantins Associação Rural da Pecuária do Pará - Informações: (91) 3243-3373 ou (91) 3231-0339 ou arpp@amazonline.com.br Belém – PA OUTUBRO EXPOSIÇÃO AGROPECUARIA DE BRASÍLIA Parque de Exposições da Granja do Torto - Informações: (61) 3386-0025 ou adriano.galvao@uol.com.br Brasília – DF 52ª EXPO RIO PRETO Parque de Exposições Alberto Bertelli Lucatto Informações: (17) 8123-3269 ou lrseventos@hotmail.com São José do Rio Preto – SP 51ª FESTA DO BOI Parque de Exposições Aristófanes Fernandes Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

63


19 a 27/10/2013 11 a 20/10/2013 20 a 27/10/13

Informações: (84) 3272-2430 ou anorc@anorc.com.br Parnamirim – RN EXPOSIÇÃO AGROPECUARIA DE GO Parque Agropecuário Dr. Pedro Ludovico - Informações: (62) 9979-4489 ou luciano_paineiras@hotmail.com Goiânia – GO 30 ª FAPIJA Parque Fapija - Informações: (12) 3953-5100 ou fapija@fapija.com.br Jacareí – SP 63ª EXPOAGRO DE MACEIÓ EXPOSIÇÃO AGROPEC. DE PRODUTOS E DERIVADOS DE ALAGOAS Parque de Exposições José da Silva Nogueira - Informações: (82) 3346-1386 ou acalagoas2007@hotmail.com www.aca-al.com.br/historico.asp Maceió – AL NOVEMBRO 11 a 17/11/13 FAEPIRA 2013 Informações: (14) 3572-3629 ou associacao@guzeracentrosul.com.br Pirajuí – SP 17 a 25/11/2013 72ª EXPO NORDESTINA DE ANIMAIS E PRODUTOS DERIVADOS Parque de Exposições Professor Antônio Coelho - Associação dos Criadores de Pernambuco Informações: (81) 3228-4332 ou snc@uol.com.br Recife - PE 18 a 22/11/2013 FEILEITE – 7ª Feira Internacional da Cadeia Produtiva do Leite Centro de Exposições Imigrantes - Informações: (11) 5593-5337 ou secretaria@hospitalarsc.com.br São Paulo - SP 30 a 08/12/2013 26ª FENAGRO 2013 Parque de Exposições de Salvador - Informações: (71) 9918-2968 ou nucleocriadoresguzera@hotmail.com Salvador – BA ANO 2014 FEVEREIRO/MARÇO 24/02 a 02/03/2014 FAESE – FEIRA AGROPEC. DO ESTADO DE SERGIPE Informações: (75) 9111-7234 ou nucleocriadoresguzera@hotmail.com Aracaju - SE 24 a 02/03/2014 50ª EMAPA – EXPOSIÇÃO AGROPEC. DE AVARÉ Parque de Exposições Fernando Cruz Pimentel - Informações: (14) 3731-9113 ou guzerasuacui@uol.com.br Avaré - SP ABRIL 12 a 22/04/2014 76ª EXPOGRANDE Parque de Exposições Laucídio Coelho - Informações: (67) 3345-4200 ou acrissul@terra.com.br Campo Grande – MS 17 a 27/04/2014 45ª EXPO AGRO DE ITAPETININGA Parque de Exposições Acácio de Moraes Terra - Sindicato Rural de Itapetininga Informações: (15) 3271 0811 ou sritape@terra.com.br Itapetininga – SP 27 a 30/04/2014 EXPOLEILÃO 2014 Parque de Exposições Aristófanes Fernandes - Informações: (84) 3272-2430 anorc@anorc.com.br Parnamirim – RN 28 a 10/05/2014 80ª EXPOZEBU Parque de Exposições Fernando Costa - Informações: (34) 3319-3900 Uberaba – MG

64

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

65


Sócios

ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DE GUZERÁ DO BRASIL Sócios Contribuintes ADRIANO VARELA GALVÃO/OUT COND. SQS 116, BLOCO I - APTO 106 - ASA SUL 70386-090 - BRASILIA - DF (61) 3346-1689 / 3321-3570 FAZ. ENTRE RIOS Planaltina - DF adriano.galvao@uol.com.br AGOSTINHO ALCÂNTARA AGUIAR ALAMEDA JOSÉ MARIA ALKIMIM, 1500 SERRA VERDE 31630-060 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3455-6111 / 9952-2934 FAZ. ILHA FUNDA - ALPERCATA - MG agostinhanaves@uol.com.br AGROPECUÁRIA PONTE NOVA R. RAINHA GUILHERMINA, 75 3º ANDAR - LEBLON 22441-120 - RIO DE JANEIRO - RJ (21) 2239-5010 / 2239-5670 FAZ. AGROPEC. PONTE NOVA PEQUERI - MG ajcarneiro@multiplic.com.br AGROPECUARIA SÃO MARCOS PAULO DE FARIA LTDA RUA JULIO DE MESQUITA, 1200 VILA PAULICÉIA - 09693-100 SÃO BERNARDO DO CAMPO - SP (11) 4361-4950 - (17) 9709-762 acaetano@otnacer.com.br AGROVILLE AGRICULTURA E EMPR. LTDA ROD BR 040 KM 515 , Nº 750 BAIRRO VEREDA 33805-470 - RIBEIRÃO DAS NEVES - MG (31)2191-7800 / 9242-0849 FAZ. CURRALINHO - GUZERA VILLEFORT RIBEIRÃO DAS NEVES - MG denilson@villefort.com.br

(38) 3721-1823 / 3721-5558 RANCHO MAIA - INIMUTABA - MG ranchomaia@rznet.com.br ALCEBIADES PAES GARCIA ESTRADA DE MORSING, 1570 27175-000 - PIRAÍ - RJ (24) 2431-1060 / 2431-1727 FAZ. SÃO LUIZ - PIRAI - RJ fazendasaoluiz.bid@gmail.com ALEXANDRE AUGUSTO DE SOUZA CAIXA POSTAL 83 76270-000 - JUSSARA - GO (62) 8191-7718 / 9971-6612 GUZERÁ ARRAIA alexandrearraia@bol.com.br ALEXANDRE DE MEDEIROS WANDERLEY RUA TEM. LOPES VIEGAS, 80 ALTO DO TRIANGULO 59515-000 - ANGICOS - RN (84) 3531-2111 / 9965-0364 FAZ. BARRA DA CRUZ - ANGICOS - RN barradacruz@gmail.com ALTEVIR MENDONÇA SILVA AV. LEONARDO F. M. SILVA, 1973 - CX.P. 2 65218-000 - MATINHA - MA (98) 3232 3311 / 3357 1133 FAZ. SANTO ANTÔNIO - MATINHA - MA gmagropecuaria@terra.com.br AMERICO CARDOSO DOS SANTOS JUNIOR CAIXA POSTAL 119 06730-970 - VARGEM GRANDE PTA. - SP (11) 4158-3457 / (63) 9996 1518 FAZ. MORRO ALTO SANTA RITA DO TOCANTINS - TO clamvg@sti.com.br

ALBERTO FRANCISCO GONÇALVES DE FREITAS AV. SOARES DOS SANTOS, 124 35790-000 - CURVELO - MG (38) 3722 2403 / 9987 0360 FAZ. POÇO AZUL - CURVELO - MG guzeraclaramar@gmail.com

AMILCAR FARID YAMIM ROD. PRES. DUTRA, KM 209 TREVO BOM SUCESSO 07210-900 - GUARULHOS - SP (11) 2131-7755 / (15) 3262-6050 AGROPECUÁRIA CORONA PORTO FELIZ - SP agrocorona@corona.com.br

ALBERTO MARQUES DA SILVA MAIA R. Inhô Luiz, 250 35790-000 - CURVELO - MG

ANA VERA M. PALMÉRIO CUNHA E FAUSTO VILELA CUNHA AV. NENÊ SABINO, 1801 - BLOCO REITORIA

66 66

38055-550 - UBERABA - MG (34) 3319-8834 / 3313-8229 FAZ. ESCOLA ALEXANDRE BARBOSA faustovcunha@uol.com.br ANDRE DE MATTOS COUTO R. JUVENAL MELO SENRA - 175/201 BELVEDERE 30320-660 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3264-0708 / 3344-0279 FAZ. BREJAUBA - ALTO RIO DOCE - MG guzeradased@yahoo.com.br ANDRE NUNES LAMOUNIER AV. ALVARES CABRAL, 982 10º ANDAR - B. LOURDES 30170-001 - BELO HORIZONTE - MG (31) 2126 8007 / 9167 7000 FAZ. ZOO - CORINTO - MG rmagalhaes@verdehobby.com.br ANTONIO AUGUSTO DE SOUZA COELHO AV. BRIGADEIRO FARIA LIMA, 1478 CONJ. 1201 - JD. PAULISTANO 01451-001 - SÃO PAULO - SP (11) 3815-9475 / 96227-1717 FAZ. INVERNADINHA - CAMPO GRANDE - MS homobulla@mac.com ANTONIO BALBINO DE CARVALHO NETO RUA BARÃO DO COTEGIPE, 17 47805-020 - BARREIRAS - BA (77) 3611 -1455 / 3611 -2141 FAZ. REUNIDAS ANTONIO BALBINO JOÃO PINHEIRO antoniobalbino@terra.com.br ANTONIO PITANGUI SALVO E OUTROS CAIXA POSTAL N.º 13 35790-000 - CURVELO - MG (38) 3722-1133 / 9968-1134 FAZ. CANOAS - CURVELO - MG fazendacanoas@uol.com.br ANTONIO PLACIDO PEIXOTO DO AMARANTE NETO RUA JOÃO MONTEIRO DE MELLO , 202 APTO 2201 - JARDIM DO LAGO 86050-430 - LONDRINA - PR (43) 3328-8998 / 9994-0051 ESTÂNCIA NOVA RECREIO ORTIGUEIRO - PR estancianovarecreio@zipmail.com.br

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


ANTONIO RANNIELLHE DO Ó AV. CARLOS CRUZ, 1270 63020-181 - JUAZEIRO DO NORTE - CE (88) 9961-4338 FAZ. LAGOA DA CAIÇARA CAMPOS SALES - CE rannielhe@yahoo.com.br ARTHUR SOUTO MAIOR FILIZZOLA R. FERNANDO TOURINHO, 487 - S/901 30112-000 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3281-1800 / 3281-1800 FAZ. DOS POÇÕES - JEQUITIBÁ - MG souto@acesso.com.br AUGUSTO CEZAR TAVARES BAIÃO RUA JARDIM BOTANICO, 518 - 4º ANDAR JARDIM BOTANICO 22461-000 - RIO DE JANEIRO - RJ (21) 2126-4112 / 9988-9092 FAZ. SANTA LUZIA - NATIVIDADE - RJ cezar.baiao@wilsonsons.com.br BENEDITO DE LIRA AV. DESPORTISTA HUMBERTO GUIMARÃES, 505 - PONTA VERDE 57035-030 - MACEIO - AL (82) 9932-0037 / (61) 9616-5592 FAZ. ESTRELA - QUIPAPÁ - PE florianoamelo@gmail.com BENÍCIO CUNHA CAVALCANTI R. JURACI MAGALHÃES, 406 - APT.º 203 44052-010 - FEIRA DE SANTANA - BA (75) 3625-9243 / 9132-7887 FAZ. LUA NOVA - LAJEDINHO - BA benicioccavalcanti@bol.com.br BERNARDO DE VASCONCELLOS MOREIRA RUA SÃO ROMÃO, 302 BAIRRO SANTO ANTONIO 30330-120 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3213-4143 - 3273-9860 FAZ. FORTUNA cristina@bernardosantana.com.br BERNARDO MELGAÇO DINIZ DA COSTA RUA DOUTOR ZACARIAS, 340 CAIXA POSTAL 04 - CENTRO 35610-000 - DORES DO INDAIÁ - MG (37) 9157-0244 / 3551-1042 FAZ. LAGOA PRETA SERRA DA SAUDADE - MG lagoapreta@yahoo.com.br CAMILLO COLLIER NETO AV. RODRIGUES ALVES, 410 - 17º ANDAR ED. MARIA JOSÉ GURGEL 59020-200 - NATAL - RN (84) 8130-9913 - 9955-0272 FAZ. VALE FELIZ - MACAÍBA - RN ccollier2011@hotmail.com CARLITO DE LIMA FELISBERTO

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

CAIXA POSTAL 44 - JARDIM GUARICANGA 16670-000 - PRESIDENTE ALVES - SP (14) 3587-1283 / (11) 4066-1709 FAZ. CONQUISTA SÃO BERNARDO DO CAMPO - SP guzeradaconquista@uol.com.br CARLOS ALBERTO DE ANDRADE SILVA AV. MAL. CASTELO BRANCO, 298 45995-041 - TEIXEIRA DE FREITAS - BA (73) 3291-3112 / 9987-7091 FAZ. SANTA MARIA TEIXEIRA DE FREITAS - BA Labclin-clin@uol.com.br CARLOS FERNANDO FALCÃO PONTUAL AV. MARQUES DE OLINDA, 302 - 6º ANDAR 50030-000 - RECIFE - PE (81) 3224-6189 / (84)9952-9645 FAZ. DA ROSILHA - RECIFE - PE tereza@pontualarquitetos.com.br CARLOS FERNANDO FONTENELLE DUMANS RUA GENERAL TASSO FRAGOSO 24/804 LAGOA 22470-170 - RIO DE JANEIRO - RJ (21) 2535 4545 / 9804 0352 FAZ. FONTENELLE - BAIXO GUANDU - ES contato@guzeranf.com.br CARLOS HENRIQUE ALVES RODRIGUES QE 32 CONJ Q CASA 05 GUARA II 71065-171 - BRASILIA - DF (61) 3568-1037 / 8524-0318 FAZ. ANDALUZ - ALEXANIA - GO carlosrick.andaluz@hotmail.com CARLOS MAGALHAES DA SILVEIRA SQS 302 - BLOCO B - APTO 304 70338-020 - BRASILIA - DF (61) 9986-3431 FAZ. CANDEIAS - CARAVELAS - BA carlos.magalhaes@terra.com.br CARLOS MAGNO CHAVES BRANDÃO AV DO CONTORNO , 8000 - SALA 511 SANTO AGOSTINHO 30110-932 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3292-5153 / 9129 8013 FAZ. SERRA NEGRA SANTANA DO RIACHO - MG guzeracipo@terra.com.br CARLOS OSCAR NIEMEYER MAGALHÃES RUA REI ALBERTO, 43 - APTO 501 36016-300 - JUIZ DE FORA - MG (21) 2523-4890 / 8245-0077 FAZ. NOVA ERA - RIO NOVO - MG carlos.o.niemeyer@terra.com.br CÉLIO MARCOS MURTA LIMA RUA BARÃO DO RIO BRANCO, 149/1201 35010-030 - GOVERNADOR VALADARES CENTRO - MG

(33) 3277-8641 / 9989-8060 FAZ. SANTA TEREZINHA celiomml@hotmail.com CIA. AGROP. MONTE ALEGRE CAIXA POSTAL 62 37140-000 - AREADO - MG (35) 3573-2700 / 3573-2714 FAZ. TAQUARINHA - MONTE BELO - MG armando@montealegrecoffees.com CLAUDIO FERNANDO GARCIA DE SOUZA RUA BRUNO GARCIA, 73 79600-050 - TRÊS LAGOAS - MS (67) 3521-2347 / 3521-2107 FAZ. LAGUNA - TRÊS LAGOAS - MS ledacs@terra.com.br CLAUDIO SABINO CARVALHO AGROPEC.NAVIRAÍ LTDA R. MAJOR EUSTAQUIO, 76 - S 607 38010-270 - UBERABA - MG (34) 3333-1622 / 9194-1381 CHÁCARA NAVIRAÍ - UBERABA - MG navirai@chacaranavirai.com.br CRISTIANA GUTIERREZ HARAS MORADA NOVA AV. DO CONTORNO, 8000 SALA 1013 30110-932 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3047-4313 / 3290-6686 empresascg@gmail.com DALTON VAZ PORTO ROCHA RUA COMENDADOR ELIAS JAFET, 600 MORUMBI 05653-000 - SÃO PAULO - SP (11) 2436-3606 / 3744-8989 FAZ. VELHA - SÃO PAULO - SP guzerafazendavelha@terra.com.br DANIEL BOTELHO ULHOA CSA 03 LOTE 07 APTO. 502 TAGUATINGA SUL 72015-035 - BRASÍLIA - DF (61) 3468-8313 / 3352-4226 danielulhoa@terra.com.br DANIEL FONSECA DE ARAÚJO RUA DOS MODURUCUS, 2904 APTO 902 ED TAMASIA 66025-660 - BELÉM - PA (91) 255-2113 / 230-2798 FAZ. ABARÉ - SÃO MIGUEL DO GUAMÁ - PA dfadandan@hotmail.com DENISE DE ABREU RIBEIRO E OUTRAS COND. R. CORONEL CUSTODIO MARQUES, SN 28525-000 - BOA SORTE 5º DIST. CANTA GALO - RJ (34) 3312-9788 / 9174-0724 FAZ. CANAÃ - UBERABA - MG zebus@zebus.com.br

67 67


DIOMARIO SOARES TEIXEIRA RUA OSWALDO CRUZ, 283/Apto 401 ESPLANADA 35010-210 - GOV. VALADARES - MG (33) 3271-3547 / 3271-3547 BARRA DO PEIXE BRANCO guzerapeixebranco@bol.com.br DOUGLAS BRANDAO COSTA RUA ARCHINTO FERRARI, 118 - APTO 92 09530-430 - SÃO CAETANO DO SUL - SP (15) 8139-4435 FAZ. EL GIZA - PORTO FELIZ - SP fazendaelgiza@hotmail.com EDMO DIAS PINHEIRO RUA 87, Nº 598 - SETOR SUL 74093-300 - GOIÂNIA - GO (62) 3226-0200 / 9223-4181 valcirene@ingoh.com.br FELLIPE MOREIRA DE PAULA GOMES R. DESPORTISTA HUMBERTO GUIMARÃES, 849/602 - PONTA VERDE 57035-030 - MACEIO - AL (82) 9921-9191 FAZ. GRAVATÁ - GUZERÁ ALAGOAS CAPELA-AL guzeraalagoas@hotmail.com FRANCISCO DAS CHAGAS Q. PORDEUS RUA DOM PEDRO II, 584 BAIRRO PRIMAVERA 47803-020 - BARREIRAS - BA (77) 3613-2526 / 3611-0949 FAZ. PARAIBA - BARRACAO DE BAIXO - BA franciscopordeus@oi.com.br FRANCISCO HUMBERTO CAPPARELLI VIRGILIO R. CORONEL MANOEL ALVES, 321/400 CENTRO 38400-226 - UBERLÂNDIA - MG (34) 3292-9970 / 9991-3451 ESTÂNCIA ESPERANÇA fcapparelli@netsite.com.br FRANCISCO JOSÉ DE ALBUQUERQUE MAIA COSTA RUA RONCADOR, 194 79021-270 - CAMPO GRANDE - MS (67) 3322-7400 / 3322-7411 RANCHO CAIAMÃ - CAMPO GRANDE - MS zoompublicidade@terra.com.br FREDERICO FABIANO GONTIJO MAIA RUA RAJA GABAGLIA, 3079 - SANTA LUCIA 30350-563 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3298-5151 / 3526-5199 FAZ. CAPÃO DO ROCHA - CORINTO - MG fred@emive.com.br GABRIEL DE PAULA MARINHO RUA CAPITÃO VALDIR, 89 - CENTRO

68 68

29560-000 - GUAÇUI - ES (28) 3553-2013 / 9925-6120 FAZ. MONTE AZUL I gabrieldepaulamarinho@gmail.com GABRIEL DONATO DE ANDRADE CAIXA POSTAL 87 35588-970 - ARCOS - MG (31) 3290-6601 / (37) 3359-7400 FAZ. CALCIOLANDIA - ARCOS - MG santiago@colonialagropecuaria.com.br GENIS CARLOS DEPRA RODOVIA BR 10 KM 81 - CENTRO CAIXA POSTAL 9 68632-000 - ULIANOPOLIS - PA (91) 3726-1106 / 3726-1151 FAZ. AROEIRA - ULIANOPOLIS - PA fazendaaroeira@uol.com.br GEO PARTICIPAÇÕES LTDA RUA TRIFANA 287 - B. SERRA 30210-570 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3287-3226 / 9976-1633 FAZ. CACHOEIRINHA - ESMERALDAS - MG geoparticipacoes@acesso.com.br GERALDO ALVES DA SILVA R. SEGUNDO WANDERLEY, 1.162 B. BARRO VERMELHO 59030-050 - NATAL - RN (84) 3222-6095 / 8802-0655 FAZ. SÃO GERALDO - NATAL - RN geraldocandil@hotmail.com GERALDO FONSECA SIQUEIRA - ESPOLIO PRAÇA RAUL SOARES, 288 - CENTRO CAIXA POSTAL 17 36955-000 - MUTUM - MG (33) 3312-1414 / 9907-5774 FAZENDAS REUNIDAS “JOÃO PEDRO” frjp@mutumnet.com.br GERALDO JOSÉ DA CÂMARA F. DE MELO FILHO Cond. Estância Jardim Botânico, Conjunto l Casa 73 - Lago Sul 71680-365 - BRASILIA - DF (61) 3364-4888 SELEÇÃO GUZERÁ SÃO DESIDÉRIO - BA | CURVELO – MG guzera@uol.com.br GILSON CARLOS BARGIERI AV. PADRE ANCHIETA, 1474 - CENTRO 11750-000 - PERUÍBE - SP (13) 3455-2795 / 9712-6304 FAZ. NOSSA SENHORA APARECIDA CAÇAPARA - MG bargieri.gilson@gmail.com GONÇALO DE ALMEIDA BOTELHO COND. RURAL IMP. DO NOBRES, Q4 CJ A - CS 2

73251-901 - BRASÍLIA - DF (61) 8162 -0917 / 3244 -1232 FAZ. MONTE ALEGRE COCALZINHO - GO goncaloeb@hotmail.com GUSTAVO PITANGUI DE SALVO CAIXA POSTAL 13 35790-000 - CURVELO - MG (38) 3721-4450 / 3722-1133 FAZ. CANOAS - CURVELO - MG fazcanoas@uol.com.br GUZERA AKBAR PECUARIA LTDA CAIXA POSTAL 22 28820-000 - SILVA JARDIM - RJ (21) 3282-5344 / 3150-2777 FAZ. AKBAR / CELSO MENDONÇA SILVA ARARUANA - RJ fazendariomar@bol.com.br HAROLDO B. FONTENELLE DA SILVEIRA CAIXA POSTAL 64 29730-000 - BAIXO GUANDU - ES (27) 3731-1135 / 9977 4550 FAZ. FONTENELLE BAIXO GUANDU - ES contato@guzeranf.com.br HAROLDO DE SA QUARTIM BARBOSA RUA JOSÉ LOREMCEPE, 550 JARDIM BOM GEOVANE 19050-350 - PRESIDENTE PRUDENTE - SP (18) 3221-1477 / 3528-1425 FAZ. NEGRINHA - OSWALDO CRUZ - SP guzera@marcasol.com.br HELIO DE ARAUJO MELLO SHIS QI 05 CHACARA 65 - LAGO SUL 71600-590 - BRASILIA - DF (61) 3248-1036 / 9966-4949 FAZ. BERRO D’AGUA - LUZIANIA - GO helioamello@gmail.com HERCULES ANTONIO MIGLIO DO ROSARIO CAIXA POSTAL 99 39864-000 - CARLOS CHAGAS - MG (33) 3624-1554 / 3521-6713 FAZ. DO ROSÁRIO - CARLOS CHAGAS - MG fazendadorosario@uol.com.br HUGO LUIS FRANCO E SILVA RUA PRUDENTE DE MORAIS, 1713 - APT 52 ED COIMBRA - CENTRO 14015-100 - RIBEIRÃO PRETO - SP (16) 8156-4039 / 3635-4912 FAZ. SÃO LUIS - JUSSARA - SP marciapjes@yahoo.com.br ICIL INDUSTRIA E COMÉRCIO ITACARAMBI S/A AV. ALAMEDA DA SERRA, 1033 4º ANDAR - CJ405 34000-000 - NOVA LIMA - MG

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

69


(31) 3491-6499 / 9165-9395 FAZ. DO SERTÃO - ITACARAMBI - MG icilsa@uol.com.br ISNALDO FIGUEIREDO DE ALMEIDA RUA HERMÍLIO ALVES, 385 APTO 902 - SANTA TEREZA 31010-070 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3274-7999 / 3461-2639 FAZ. RIO PANDEIROS - JANUARIA - MG iedb@uai.com.br JAIR ORTIZ RUA CAMARGO PAES, 425 - GUANABARA 13073-350 - CAMPINAS - SP (19) 3242-1322 / 3869-1383 FAZ. ILHA DO LOBO - ALTEROSA - MG drjairortiz@yahoo.com.br JAMIL NAME RUA CORONEL MANOEL CECILIO, 44 B. JARDIM SÃO BENTO 79004-610 - CAMPO GRANDE - MS (67) 3026-1000 RANCHO SÃO PAULO CAMPO GRANDE/CUIABÁ - MS cinthya@gruponame.com.br JOÃO CAETANO RIBEIRO AV. ASSIS CHATEUBRIAND, 1059 SETOR OESTE 74130-011 - GOIÂNIA - GO (62) 3572-9000 / 9971-4257 STUDIO SÃO CAETANO SÃO LUIZ MONTE BELO - GO joaocribeiro@oi.com.br JOÃO DE AZEVEDO CAVALCANTI NETO R. VALDEMAR FALCAO, Nº 2106 - APT 2002 40295-700 - SALVADOR - BA (75) 3221-7292 / 9111-7234 FAZ. OLHOS D’AGUA - LAJEDINHO - BA cavalcantineto_ssa@hotmail.com JOÃO DINARTE PATRIOTA RUA DOS CAICOS, 1614 - ALECRIM 59037-700 - NATAL - RN (84) 4008-4517 / 4008-4521 salete@droguistas.com.br

jrnobrega@digizap.com.br JOAQUIM AUGUSTO BRAVO CALDEIRA FILHOS E NETOS USINA AÇUCAREIRA PASSOS S.A. 37900-970 - PASSOS - MG (35) 3521-8249 / 9964 9142 FAZ. CAMBAUBA - PASSOS - MG TAPIRATIBA - SP fazendacambauba@uol.com.br JOSAPHAT PARANHOS DE AZEVEDO NETO RUA TRAVESSA CURUZU, 2303 APTO 1103 - APTO MARES DO SUL 66085-823 - BELÉM - PA (91) 8119-7907 / 3246-3008 FAZ. GRANADA - IRITUIA - PA josaphat_neto@hotmail.com JOSÉ AUGUSTO SOARES DA SILVEIRA AV. MOREIRA GUIMARÃES, 700 SOBRELOJA 04074-020 - SÃO PAULO - SP (11) 5055-7223 / 8434-4999 FAZ. BARRA jasilveira@terra.com.br JOSÉ BRILHANTE NETO SCS QUADRA 03 - ED. PARANOÁ SALAS 201/204 70303-912 - BRASILIA - DF (61) 3321-3570 / 3367-6232 FAZ. ENTRE RIOS - PLANALTINA - DF neto@construtorabrilhante.com.br JOSÉ DE VASCONCELOS E SILVA PAULA MIRANDA AV. VIEIRA SOUTO, 158/501 22420-000 - IPANEMA - RJ (21) 2221-1717 / 3813 1881 FAZ. SÃO JOSÉ DO BONIRAR - CHIADOR - MG josedevasconcellos@hotmail.com JOSÉ MANOEL F. DIOGO JÚNIOR ROD. CORNELIO PIRES, KM 73,5 S/N CAIXA POSTAL 161 18530-000 - TIETE - SP (15) 3285-8000 / 8116-0174 FAZ. CRUZ ALTA - SÃO PAULO - SP junior@capuani.com.br

JOÃO NATAL CERQUEIRA R. JOAQUIM JOSÉ, 1555 B. BERNARDO MONTEIRO 32013-390 - CONTAGEM - MG (31) 9206-4121 / 3799-5034 FAZ. SANTO ANTONIO - JEQUITEBA - MG guzeradojoaonatal@gmail.com

JOSÉ NUNES FILHO R. DOUTOR EDUARDO BAIANA, 47/2301 41810-600 - SALVADOR - BA (71) 9192-7522 - 9118-9409 JN AGROPECUARIA jnfi@ig.com.br

JOÃO RONALDO DA NOBREGA FILHO RUA MINISTRO MIRABEAU DA CUNHA MELO, 1925 - APTO 601 59064-490 - NATAL - RN (84) 3234-6617 / 9921-9982 FAZ. SANTA LUZIA - CEARÁ MIRIM - RN

JOSÉ PIQUEIRA DA NOBREGA RIBEIRO AV. BRAZ DE AGUIAR, 835 - BL C - APTO 501 66035-080 - BELÉM - PA (91) 3259-1144 / 9988-3560 RANCHO SANTA TEREZINHA jose-piqueira@hotmail.com

70 70

JOSÉ RICARDO BRANDÃO MARTINS AVENIDA DR. JOSÉ MARIANO, 401/601 PALMEIRAS 35430-228 - PONTE NOVA - MG (31) 3871-5112 / 9989-1668 FAZ. PARAÍSO - PIEDADE PONTE NOVA - MG jr@granjaparaiso.agr.br JOSÉ ROBERTO SALGADO PRAÇA JOSÉ JULHO MASCARENHAS, 111 SALA 02 - CENTRO 35790-000 - CURVELO - MG (38) 9924-4277 / 9924-5277 FAZ. ACONCHEGO fazenda.aconchego@hotmail.com JOSÉ SANTANA DE VASCONCELLOS MOREIRA AV. ALVARES CABRAL 344 SALA 906 - B. LOURDES 30170-911 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3273-3838 / 3296-7556 FAZ. SANTA TEREZINHA cristina@deputadojosesantana.com.br JOSÉ TRANSFIGURAÇÃO FIGUEIREDO R. DUARTE COELHO, 632/202 B. MORADA DO VALE 35057-150 - GOVERNADOR VALADARES - MG (33) 3276-1283 / 3799-3454 FAZ. YGARAPÉS - JAMBRUCA - MG guzerajf@hotmail.com JOSÉLIO DE BARROS CARNEIRO CAIXA POSTAL 48 - BR 22 KM 100 FAZ. SERRA MORENA 68638-000 - RONDON DO PARÁ - PA (94) 9149-6055 eloynetto@hotmail.com JULIANA PISTORE RAGAZZI RUA DON PEDRO I, 609 14500-000 - ITUVERAVA - SP (16) 9998-3966 / 3839-1031 FAZ. SÃO SEBASTIÃO guzeradajuzz@hotmail.com KLEBER CARVALHO DE BEZERRA RUA MIRABEAU DA CUNHA MELO, 1988 APTO 501 59064-490 - NATAL - RN (84) 3234 -5135 / 9981-0528 FAZ. SERRA CAIADA - NATAL - RN kcb@digi.com.br LEIZER DIVINO DE CASTRO VALADÃO SHIS QI 15 CHACARA 08 CASA C - LAGO SUL 71600-720 - BRASILIA - DF (61) 3326 -8452 / 3326 -4734 FAZ. MORUMBI - LUZIÂNIA - GO oftalmoclinicaleizer@bol.com.br LIDIO MIRANDA ARAUJO R. ANTONIO DE ALBUQUERQUE, 1303/1001

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerรก | Nยบ 06 | 2013

71


30112-001 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3337-8310 FAZ. SERRA VERDE - JOAÍMA - MG ladaserra@ladaserra.com.br LINCOLN DIAS JANOTA ANTUNES AV. PAULICÉIA, 1893 - LARANJEIRAS 07743-130 - CAIEIRAS - SP (11) 4446-4444 / 4441-4747 FAZ. TRÊS IRMÃOS BRASILÂNDIA - MS lincoln@maispolimeros.com.br LUCAM AGROPASTORIL LTDA. CAIXA POSTAL 06 14815-000 - IBATÉ - SP (16) 3343-1501 / 3343-2449 FAZ. FENIX - IBATÉ - SP lucam@sunrise.com.br LUCIANO LUCHESI GRASSI RUA DOUTOR CANDIDO CRUZ, 470 APTO 62 - CENTRO 13465-350 - AMERICANA - SP (19) 3469-4411 guzera.capelinha@gmail.com LUIS ARTUR SUTIC DA SILVA PAES RUA CARLOS SAMPAIO, 219-51 01333-021 - SÃO PAULO - SP (11) 3262-1214 / 8473-5723 FAZ. BELA VISTA suticpaes@hotmail.com LUIZ ARMANDO CHAMBRONE GUZERÁ CHAMBRONE RUA CRISTIANOPOLIS, 220 B. ALTO DA MOOCA 03120-030 - SÃO PAULO - SP (11) 2693-6063 - 2965-3590 SITIO RAMALHETE - ARTUR NOGUEIRA - SP chambrone.jr@bol.com.br LUIZ GUILHERME SOARES RODRIGUES AV. GOVERNADOR JOSÉ MALCHER, 168 SALA 212 - B. NAZARE 66050-230 - BELÉM - PA (91) 3222-9548 / 3241-0820 FAZ. ENCARNAÇÃO - SANTARÉM NOVO - PA lguilhermerodrigues@yahoo.com.br LUIZ MARCELINO DA SILVA RUA DOUTOR JOSÉ DE MELO, 102 PLANALTO VERDE 14056-540 - RIBEIRÃO PRETO - SP (16) 3975-7984 / 8841-4418 FAZ. SANTA IZABEL I mineirosilva2010@hotmail.com LUIZ OTAVIO B. ALVARES CORREA RUA 15, Nº 108 APTO 600 / SETOR OESTE 74140-035 - GOIÂNIA - GO (11) 2577-0098 / 3251-6489 FAZ. SANTA CELINA

72 72

luizotavio.correa@gmail.com LUIZ PEDRO G SILVA RUA ROMEU ZANETTE 491 13780-000 - DIVINOLANDIA - SP (19) 3663-1348 / 3663-1561 clinicamedicalp@autocenter.com.br

COM. PARQUE PALACE 22793-080 - BARRA DA TIJUCA RIO DE JANEIRO - RJ (21) 3325-8872 / 9159-1616 FAZ. TERRA NOVA denise.grillo@terra.com.br

LUIZ REGIS GALVAO FILHO RUA SERGIPE, 625 15800-100 - CATANDUVA - SP (17) 3522-8272 / 9747-2113 FAZ. SANTO ANTÔNIO - CALDAS NOVAS - GO lrgf@terra.com.br

MARCOS AURÉLIO COELHO SAMPAIO AV. CONTORNO, 7747 - CIDADE JARDIM 30110-051 - BELO HORIZONTE - MG (31) 2102 6363 / 9129 4455 FAZENDA LAGOINHA - GUZERÁ ORIGEN CORDISBURGO - MG marcossampaio@origen.com.br

LUIZ RICARDO DE MATTOS DELGALLO AV. PEIXOTO DE CASTRO, 875 - VILA ZÉLIA 12600-000 - LORENA - SP (12) 9785-1851 - 3153-4475 FAZ. SÃO JUDAS TADEU - LORENA - SP dachimarrita@uol.com.br

MARCOS MARTINS DA COSTA SANTOS R. PRESIDENTE VARGAS, 347 17501-550 - MARÍLIA - SP (14) 3413-2223 / 9757-0904 FAZ. CAMPO SANTO - VERA CRUZ - SP lucasac@amorimdacosta.com.br

MARCELO GARCIA LACK RUA MANOEL COELHO, 119 - BL 03 APTO 302 38055-600 - UBERABA - MG (34) 9971-5706 FAZ. BOA LEMBRANÇA marcelolack@gmail.com

MARCUS DO NASCIMENTO CURY AV. TORINO 597 B. BANDEIRANTE (RESID.) 31340-700 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3391-9500 / 3443-1450 FAZ. SANTO ANTONIO DE ROÇA GRANDE CAETANÓPOLIS - MG marcuscury@oi.com.br

MARCELO MENDO G. SOUZA E ANA CLAUDIA M. SOUZA RUA CARDIAL 700 COND ESTANCIA SERRANA 34000-000 - NOVA LIMA - MG (31) 3286-3012 / 3581-1084 FAZ. SANTA CECILIA - GUZERÁ AMAR UBERABA - MG guzeraamar@gmail.com MARCELO MILITÃO ABRANTES RUA RIO GRANDE DO NORTE, 63 SALA 30 - STA. EFIGÊNIA 30130-130 - BELO HORIZONTE - MG (31) 9975-3025 / 3245-4025 FAZ. EUROPA - MG militao@grupometa.med.br MARCIO AUGUSTO FONTOURA VASCONCELLOS DINIZ RUA 24, 1.140 14780-090 - BARRETOS - SP (17) 3322-3611 / 3323-7347 FAZ. AMÉRICA - ANAPU - PA fazendaamerica@fazendaamerica.com.br MARCO ANTONIO ANDRADE BARBOSA PÇ. RUI BARBOSA, 300 - SALA 904 38010-240 - UBERABA - MG (34) 3333 -7788 / 9972-1555 FAZ. UNIÃO 2000 - UBERABA - MG maab@maab.com.br MARCO AURELIO GRILLO DE BRITO AV. DAS AMERICAS, 5777 - SL 201

MARCUS JACINTO ESPIRITO SANTO BRITO RUA WALDEMAR FALCAO, 913 - APTO 301 40296-710 - SALVADOR - BA (75) 3421-9957 / 3421-9957 FAZ. JOÃO MACHADO | FAZ. SÃO FRANCISCO marcusbrito@guzeradafasf.com.br MARIA ANTONIETA QUEIROZ LINDENBERG CAIXA POSTAL 160 - FAZ. TRES MARIAS 29900-970 - LINHARES - ES (27) 3264-0293 / 9984 2289 FAZ. TRÊS MARIAS - LINHARES - ES guzera3marias@ig.com.br MARIA VICTÓRIA BOLIVAR GOMES RUA BERNARDO GUIMARÃES, 2.172/ 601 30140-082 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3337-6150 / 3337-5805 FAZ. SANTA VITÓRIA - CURVELO - MG guzeradavic@waymail.com.br MÁRIO ERMÍRIO DE MORAES - ESPOLIO CAIXA POSTAL, 12 18700-970 - AVARÉ - SP (14) 3731-9113 / 3731-7412 GUZERÁ SUAÇUÍ - AVARÉ - SP marcia@suacui.com.br MARX ALEXANDRE CORRÊA GABRIEL AV. CONSTANTINO NERY, 2789 SALA 1006 - CHAPADA 69050-002 - MANAUS - AM (92) 3642 -3191 / 3656-2752

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


FAZ. DOIS AMIGOS - PORTO VELHO - RO marcia@netmb.com.br MATEUS FERRAZ SOUZA 1599 Coventry Lane 55379 Shakopee – MN / EUA (94) 3344-1216 / 9143-9902 GUZERÁ MAKADY - JACUNDÁ - PA guzeramakady@hotmail.com MURILO BUENO KAMMER AV. CAPITÃO ARTHUR DOS SANTOS, 476 13600-569 - ARARAS - SP (19) 3541-2174 / 8128-3858 AGROPEC. MATA NEGRA - ARARAS - SP mkammer@terra.com.br MURILO DINIZ AV. XAVIER DA SILVEIRA, 1781 - APTO 101 LAGOA NOVA 59075-450 - NATAL - RN (84) 3211-3026 / 9991-1221 FAZ. SANTA ROSA mdinizrn@gmail.com NICOLE S. M. H. CLOUPRAN MEDAETS AV. PROF. JONAS BANK LEITE, 456 - CENTRO 11900-000 - REGISTRO - SP (13) 3821-1082 / (11) 5044-5804 FAZ. TIATÃ medaets@uol.com.br ORGANIZAÇÃO MARIO DE ALMEIDA FRANCO LTDA. AV. LEOPOLDINO DE OLIVEIRA, 3.490 - CJ. 103 38010-000 - UBERABA - MG (34) 3336-1833 / 3312-1832 FAZ. SÃO GERALDO - UBERABA - MG mariofranco@mednet.com.br OTAVIO ALBERTO CANTO ALVARES CORRÊA Av. Indianópolis, 3356 - Planalto Paulista 04062-003 - SÃO PAULO - SP (11) 5593-5300 / (15) 3457 8849 FAZ. E HARAS SANTA CELINA PORANGABA - SP secretaria@hospitalarsc.com.br OTAVIO CORREA DA SILVA OMETTO AV. BRAZ OLAIA ACOSTA, 727 1º ANDAR - SL 107 14026-040 - RIBEIRÃO PRETO - SP (11) 8152-5886 / 3329-6900 FAZ. RAINHA DA PAZ - ARAXÁ - MG rainha.paz@uol.com.br OTAVIO DE AVELAR ESTEVES RUA LUZ, 220/601 30220-080 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3284-0499 / 3319-4119 RECANTO DO JABURU ENCANTADO RITÁPOLIS - MG otavio@pucminas.br

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

OTÁVIO DE PAULA ALVARES CORREA RUA 15, Nº 108 APTO 600 / SETOR OESTE 74140-035 - GOIÂNIA - GO (11) 5593-5337 / 5593-5322 FAZ. SANTA CELINA secretaria@hospitalarsc.com.br

ROBERTO MARTINS FRANCO CAIXA POSTAL 41 14660-000 - SALES OLIVEIRA - SP (16) 3852-1499 / 9995-9282 FAZ. LAGEADO - SALES OLIVEIRA - SP lageado@lageado.com.br

PAULO EMILIO DE ALMEIDA CARNEIRO RUA ALUMINIO, 138 / 903 30220-090 - BELO HORIZONTE - MG (11) 4159-2907 / (38) 3505-6091 FAZ. PALESTINA - UNAÍ - MG contato@fazendapalestina.com.br

ROBERTO NESZLINGER AV T 4, 636 - APTO 2000 - Setor Bueno 74230-030 - GOIÂNIA - GO (14) 3642-1456 / 3604-1400 SITIO ESQUINA - SÃO MANUEL - SP beto@guzeradabarra.com.br

PAULO ROBERTO BRASILEIRO DE MIRANDA AV. ENGENHEIRO DOMINGOS FERREIRA, 2200 - BOA VIAGEM 51011-050 - RECIFE - PE (81) 2125-3666 / 9609-9982 FAZ. BERRA BOI - GLÓRIA DO GOITA - PE paulo@paulomiranda.com.br

RODRIGO DINIZ DE MELLO R. ALDO RAMALHO PEREIRA, 1005/1001-TIROL 59014-600 - NATAL - RN (84) 2010-0202 / 9406-7230 rodrigomello1@uol.com.br

PAULO ROBERTO DOS SANTOS RUA JOAQUIM MURTINHO, 50 - BAIRRO PARÁ 35900-037 - ITABIRA - MG (31) 3831-2098 / 3831-2098 FAZ. BOM SUCESSO - ITABIRA - MG pauloroberto@fazendabomsucesso.com.br PAULO ROBERTO MENICUCCI E OUTROS COND. R. SANTA MARIA DO ITABIRA, 211 - APT. 400 30310-600 - BELO HORIZONTE - MG (35) 3844-1184 FAZ. PINHEIRO - IBITURUNA - MG guzeraibituruna@yahoo.com.br PEDRAS DO REINO COMÉRCIO AGROPEC. LTDA. ROD. BR 135 - KM 223 - CAIXA POSTAL 1878 39492-000 - PEDRAS DE MARIA DA CRUZ - MG (38) 3621-1535 / 3621-1535 janaina.pinheiro@pedrasdoreino.com.br PEDRO BAGGIO NETO CAIXA POSTAL 50 86300-000 - CORNELIO PROCOPIO - PR (43) 3524-2061 - 3524-2413 FAZ. FLÓRIDA - CORNELIO PROCOPIO - PR wbaggio@onda.com.br/hbojr@uol.com.br RENATO EGIDIO OLIVÉ ESTEVES RUA ALVARO BOSCO, 95 - APTO 151-A 13087-723 -- CAMPINAS - SP (19) 3808-2019 / 9604-4796 HARAS HABI - JAGUARIUNA - SP renato.esteves@uol.com.br RENATO JOSÉ PINTO DA ROCHA RUA TEOTONIO MACIEL, 37 - ALTO CAIÇARA 30770-440 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3462-7365 / 9999 5422 FAZ. LAGOA fazenda.lagoa@gmail.com

RODRIGO PINTO CANABRAVA RUA DAS CANÁRIAS, 667 -SANTA AMÉLIA 31560-050 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3491-6002 / (38) 3799 8342 FAZ. PEQUIZEIROS - CURVELO - MG rc@rcagropecuaria.com.br RODRIGO SILVEIRA DINIZ MACHADO AV. CORONEL JOSÉ DIAS BICALHO, 559 B. SÃO JOSÉ 31275-050 - BELO HORIZONTE - MG (31) 2102-3711 / 3261 3711 FAZ. PONTAL DO BURITI - FELIZLÂNDIA - MG rodrigo@adpmnet.com.br ROSARIO PEGORER CAIXA POSTAL 134 - ROD JOÃO BATISTA CABRAL RENO - KM 319 18900-000 - SANTA CRUZ DO RIO PARDO - SP (14) 3332-1615 / 9741-5377 ESTANCIA ROSALITO SANTA CRUZ DO RIO PARDO - SP guzera@rosalito.com.br SÃO MIGUEL AGROPECUÁRIA LTDA AV. LEOPOLDINO DE OLIVEIRA, 3.490 CONJ.103 38010-000 - UBERABA - MG (34) 3316-7005 / 3336 1833 FAZ. SÃO GERALDO - UBERABA - MG dulcehelenaf@terra.com.br SAVIO COSTA GONÇALVES RUA RIO DE JANEIRO, 2535/101 - LOURDES 30160-042 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3275-1716 / 8887-1716 SÍTIO SANTA HELENA BELO HORIZONTE - MG sadere@seven.com.br SERDILEI ALVES DA SILVA RUA PROFª. MARIA CAROLINA CAMPOS 61/405 - B. NOVA SUISSA

73 73


30421-330 - BELO HORIZONTE - MG (31) 9188-0880 / 9188-1008 FAZ. GAZZEN - MARTINHO CAMPOS - MG fazendagazzen@gmail.com SEVERO DE ARAUJO DIAS CSE 06 LOTE 30 LOTE 03 - TAGUATINGA 72025-065 - BRASILIA - DF (61) 3356-1212 / 9654-2055 FAZ. AROEIRA harasomega@gmail.com SIARA AGROPECUARIA LTDA. RUA TUPIS, 38 - CENTRO - SALA 2308 30190-061 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3422-9395 / (37) 3353-2272 FAZ. LAGOA PRETA midisa@uai.com.br SILVELY MARIA JANOTA ANTUNES AV. PAULICÉIA, 1893 - BAIRRO LARANJEIRA 07700-000 - CAIEIRAS - SP (11) 4441- 1444 / 3644- 7503 FAZ. TRÊS IRMÃOS - BRASILÂNDIA - MS rose@polyplasticsa.com.br SINVAL MARTINS DE MELO CAIXA POSTAL 95 35001-970 - GOVERNADOR VALADARES - MG (31) 3324-4679 / (33) 3799-3023 FAZ. TABOQUINHA ITAMBACURI - MG guzerataboquinha@terra.com.br

30320-630 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3286-5089 / 9764-9769 cm.escrituracaozootecnica@yahoo.com.br VANIA MALDINI PENNA - BENEMÉRITA RUA NOVA ERA, 180 SION 30315-380 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3225-2129 / 9974-4883 FAZ. URUGUAY - CORINTO - MG vaniapenna@gmail.com VIRGILIO VILLEFORT MARTINS RODOVIA BR 04 KM 515, 750 BAIRRO VEREDA 33805-470 - RIBEIRÃO DAS NEVES - MG (21) 2191-7895 FAZ. CURRALINHO RIBEIRÃO DAS NEVES - MG eleide@villefort.com.br VIRGILIO VILLEFORT MARTINS JUNIOR ROD. BR 040 / KM 515, 750 - VEREDA 33805-470 - RIBEIRÃO DAS NEVES - MG (31) 2191-7868 FAZ. CURRALINHO RIBEIRÃO DAS NEVES - MG financeiroagropecuaria@villefort.com.br VIVALDO AFFONSO DO REGO CAIXA POSTAL, 01 45850-000 - ITAGIMIRIM - BA (73) 3289-2171 / 9985-4710 FAZ. ESMERALDA - ITAGIMIRIM - BA fazesmeralda@guzeravar.com.br

SOC. EDUCACIONAL UBERABENSE - UNIUBE AV. NENÊ SABINO, 1801- BLOCO R B. UNIVERSITÁRIO 38055-500 - UBERABA - MG (34) 3319-8818 / 3319-8810 FAZ. ESCOLA ALEXANDRE BARBOSA zebu@uniube.br

WALLACE RENATO ALMEIDA DA SILVA RUA Ó DE ALMEIDA, 1230 A - REDUTO 66053-190 - BELÉM - PA (91) 3266-6217 / 3230-2547 FAZ. JEJUÍ - BRAGANÇA - PA fazendajejui@hotmail.com

TULIO COSTA MARTINO FERREIRA RUA ELZA BRANDÃO RODARTE, 340/1400 B. BELVEDERE

WALTER FRANCISCO DE MOURA FAZENDA SUCURIÚ 35628-000 - MORADA NOVA DE MINAS - MG

74 74

(38) 9941-5349 / 9921-6620 FAZ. CIRNE MORADA NOVA DE MINAS - MG helena_walter@hotmail.com WALTER GUIMARAES PINTO RUA BRAS CUBAS, 06 - APTO 501 CRUZEIRO 30220-310 - BELO HORIZONTE - MG (31) 8436-4877 / 3524-6403 walterluiz.vet@gmail.com WALTER ROCHA PEREIRA RUA GABI ANDRADE, 20 MORADA DAS GARÇAS 27920-410 - MACAÉ - RJ (22) 2773-4705 / 2762-1553 FAZ. CINCO BARRAS LAGE DO MURIAÉ - RJ walterrpereira@hotmail.com WALTER SANTANA ARANTES AV CONTORNO, 6888 - BL B - SALA 201 B. SANTO ANTONIO 30110-044 - BELO HORIZONTE - MG (31) 3225-4030 / 2127-3444 GUZERÁ MINEIRÃO BELO HORIZONTE - MG walter.arantes@terra.com.br WEMERSON AMARO COURA RUA SÃO PEDRO, 231 APTO 101 36880-000 - MURIAÉ - MG (32) 8886-9366 / 3721-0713 GUZERA DE BOA FAMILIA MURIAÉ - MG wacoura@uai.com.br WISLEN CARVALHO DA SILVA AV. AFONSO JOSÉ AIELLO, 6-160 C. VILLAGIO II - CASA C 28/29 17018-520 - BAURU - SP (14) 3245-5447 / 3243-3948 FAZ. SÃO JOÃO - PRESIDENTE ALVES - SP fazendasaojoao-@hotmail.com

Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


maxiddea

O Guzerá é uma raça de muita história.

O capítulo mais recente foi escrito no Cenatte.

Com quase 30 anos de atuação em reprodução bovina, o Cenatte realizou, em 1 de agosto de 2011, o primeiro procedimento bem sucedido de clonagem da raça Guzerá no mundo. Um marco para a raça, um marco para o Cenatte e também para a pecuária brasileira, que agora exporta genética e tecnologia nacionais para todo o planeta.

A evolução da genética.

TE - FIV - Clonagem 31 . 3665 1090 www.cenatte.com.br - comercial@cenatte.com.br Revista Guzerá | Nº 06 | 2013

75


Candeeiro D Sacado D

Legação D

x

Pampa da Emparn Nobre JF

Memoria da Emparn

• Grande Campeã e Melhor Úbere Sênior do Torneio Leiteiro Guzerá, Expozebu 2013

• Atual Recordista Mundial de Produção de Leite da Raça Guzerá

76

• 50% Guzerá Villefort • 25% Gilson Bargieri • 25% Alexandre Wanderlei Revista Guzerá | Nº 06 | 2013


Revista Guzerá