Page 1

ano 1 - edição 2 - jun/jul 2013

COMEMORAÇÕES À VISTA

Região recebe quatro novos shoppings centers e inaugura nova fase no varejo local. Outros empreendimentos estão previstos para os próximos anos Vai um pedaço de bolo? Sodiê Doces sai de Salto e conquista o Brasil com produtos de alta qualidade e atendimento diferenciado

Adapte-se, camaleoa! Varejo precisa se adequar às mudanças dos tempos para fidelizar clientes e reduzir perdas com rotatividade

Layout em evidência Mais que melhorar a exposição dos produtos, disposição da loja pode contribuir para o sucesso do seu negócio

Investimento seguro - Franchising permite atuar em outros mercados, alavancando resultados e garantindo o sucesso da marca


ação

om

u n ic

ação

EXP ED I E NTE

om

u nic

c

c

Muito a comemorar O interior de São Paulo está vivendo uma momento único. O crescimento acima da média nacional tem promovido o desenvolvimento do varejo de forma exponencial o que, aos poucos, modifica até o comportamento da população. Um bom exemplo disso é a inauguração do shopping Porto Miller Boulevard, em Porto Feliz, prevista para outubro. Numa cidade cujo comércio é de rua, as pessoas precisam se adaptar ao horário

A REVISTA FRANQUIA REGIONAL & VAREJO É UMA PUBLICAÇÃO BIMESTRAL DA CS COMUNICAÇÃO E-MAIL: FRANQUIAREGIONAL@CSCOMUNICACAO.COM WWW.FACEBOOK.COM/PAGES/REVISTA-FRANQUIA-REGIONAL-SOROCABA/506680386036201

ANO I – EDIÇÃO 2 – JUNHO/JULHO 2013 A REVISTA FRANQUIA REGIONAL & VAREJO NÃO SE RESPONSABILIZA POR CONCEITOS EMITIDOS EM ARTIGOS ASSINADOS OU POR QUALQUER CONTEÚDO PUBLICITÁRIO E COMERCIAL, SENDO ESSE ÚLTIMO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DOS ANUNCIANTES. CS COMUNICAÇÃO RUA FERNANDES CAMACHO 174, CASA 33, JD. ALVORADA, SOROCABA|SP, CEP 18080-430 TELS: 15-3211-0967 | 15-99157-0976

EDITORIAL D IR E TO R GE R A L : FE R N A N D O S A NT ’ A NNA B O R BA S KYP E : FS B O R BA ( 11) 992 4 1 -0 2 0 1 | ( 1 5 ) 9 9 1 5 7 -0 9 7 6 | ( 1 5 ) 3 2 1 1 -0 9 6 7

dos lojistas. Com a vinda do novo centro comercial, a cidade ganhará cinema, boliche, lojas de alcance nacional e a tranquilidade de usufruir de tudo isso inclusive nos finais de semana e feriados. Um be-

E D ITO R A R E S PO NS Á V E L : J U L I A N A TAVA R E S ( MT B . 3 0 6 4 0 ) G E R E N T E C O ME R C I A L - S Ã O PAU LO LU IZ AR NA L D O D E MO U R A LO PE S ( 11) 363 7 -7 2 3 5 | ( 1 1 ) 9 9 2 5 9 -4 9 9 2 | S KY PE : LU I ZA R N A L D O 1

nefício que também deverá se estender às cidades vizinhas, como Boituva, Capivari, Cerquilho e Tietê. Sorocaba, que possui um cenário mais consolidado em matéria de varejo, inaugura, até o final do ano, três novos shoppings. Mais que um presente para a popu-

R E P R E S E N TA N T E R I O D E J A N E I R O - T R I U NV I R AT O E MPR E S A R I A L M IL L A D E S O U ZA PI NT O T E L .: ( 21 ) 2 6 1 1 -7 9 9 6 | C E L . : ( 2 1 ) 9 6 0 7 -7 9 1 0 R E P R E S E N TA N T E BR A S Í L I A - U LY S S E S C . B . C AVA E- M AIL : U LY S S E S C AVA @ GMA I L . C O M T E L .: ( 6 1 ) 3 3 6 7 -0 1 8 0 | ( 6 1 ) 9 9 7 5 -6 6 6 0 | ( 6 1 ) 8 1 2 9 -6 3 8 3

lação, os novos empreendimentos trazem uma série de novas franquias à cidade. Sem contar empresas interioranas que viraram franquias e que já conquistam clientes de todo o Brasil. É o caso da So-

R E AL IZ A Ç Ã O : J 2 CO M U NI C A Ç Ã O WWW.J 2 C O MU N I C A C A O. C O M. B R R E DACA O @ J 2 C O MU N I C A C A O. C O M. B R M O B ILE : ( 1 1 ) 9 8 1 5 2 -3 9 7 6

diê Doces, que nasceu em Salto, se consolidou e, hoje, possui mais de 126 lojas em 5 estados. Diante de tantas novidades, a Franquia Regional & Varejo tinha mesmo de fazer uma edição especial de comemoração

CO O R D E N A Ç Ã O D E PR O J E T O S E E D I Ç Ã O : J U L I A N A TAVA R E S P R O J E T O GR Á FI C O E C O O R D. D E A R T E : GU T O L E I R I Ã O IM AG E N S : S H U T T E R S T O C K - FO T O C A PA : D I V U L GA Ç Ã O S O D I Ê O CONSELHO EDITORIAL E A REDAÇÃO NÃO SE RESPONSABILIZAM PELOS ARTIGOS E COLUNAS ASSINADOS POR ESPECIALISTAS E SUAS OPINIÕES NELES EXPRESSAS

por esse desempenho da nossa região. Que venham outras realizações!

COBERTURA: SOROCABA E REGIÃO - ARAÇOIABA DA SERRA, BOITUVA, CERQUILHO, INDAIATUBA, ITU, ITUPEVA, *JUNDIAÍ, PORTO FELIZ, SALTO, SÃO ROQUE, SOROCABA, TATUÍ, TIETÊ, VOTORANTIM

Boa leitura. Juliana Tavares Editora

* EXEPCIONALMENTE NESTA EDIÇÃO A REVISTA NÃO SERÁ DISTRIBUIDA EM JUNDIAÍ


FRANQUIAS REGIONAIS EM EXPANSÃO

ÍNDICE

FRANQUIAS CHEGANDO NA REGIÃO

junho/julho 2013 - edição 1

Entrevista - Doce negócio

Fique por Dentro - Ginástica laboral e benefícios

Fora da Caixa - O impacto do franchising

Parceria - Passarela Calçados inova em layout da loja

Franquia em Destaque - Inaugurações trazem novas franquias para a região

Varejo - O varejo precisa de pilotos bons e treinados

Por Aqui - Pote de ouro

Notas - Crescimento acima da média

Olhar Jurídico - A responsabilidade trabalhista do franqueador

06 10 12 14 16 22 24 26 28


Rede especializada em bolos artesanais, Sodiê Doces conta o segredo do seu sucesso

ENTREVISTA

DOCE NEGÓCIO

jun/jul 2013 - edição 2

Q

uando decidiu abreviar o nome dos filhos Sofia e Diego para criar a sua franquia, a Sodiê Doces, a empresária Cleusa Maria da Silva não imaginava que, em 13 anos, a marca teria mais de 100 lojas espalhadas pelo país. Mas ela acreditava que, uma vez decidida a expandir o negócio, o sucesso seria apenas uma questão de tempo. E assim foi. De boia fria e empregada doméstica a uma das empresárias mais bem sucedidas do setor de bolos do país, Cleusa Maria é, também, uma referência nacional quando o assunto é franquia. A conquista não pode, contudo, ser atribuída à sorte. A executiva uniu traquejo empreendedor, adquirido com anos de luta e dedicação em sua primeira loja de bolos, fundada em Salto, no interior de São Paulo, a uma vontade incomensurável de vencer.

Ao se decidir por franquear a marca, se reuniu com uma série de especialistas e profissionalizou a gestão. O resultado disso pode ser apreciado em 5 estados brasileiros. Os bolos da Sodiê Doces trazem consigo o carinho de uma profissional preocupada com a qualidade de seus produtos. A preocupação se estendeu, inclusive, para um setor que, geralmente, recebe quase nenhuma atenção das marcas concorrentes: a Sodiê foi uma das primeiras docerias a desenvolver uma linha de produtos voltados exclusivamente para diabéticos. É essa consideração pelos clientes e o amor pelo trabalho o que diferenciam a empresa das demais do setor. Nesta segunda edição da revista Franquia Regional, a empresária fala sobre o início da sua carreira e suas expectativas para o próximo ano. Leia, a seguir:

6 - RE V I S TA F R A NQ U I A REG I ON A L & VA REJ O

Os bolos da Sodiê Doces trazem consigo o carinho de uma profissional preocupada com a qualidade de seus produtos.


E NTR E VISTA

foto: Cristiano Carniel

Franquia Regional & Varejo: Como

foi que começou a sua carreira? Cleusa Maria: Minha história é de muito trabalho, mas também de muitas alegrias e superações. Vim de uma família muito humilde, de 10 irmãos e órfã de pai aos 9 anos. Trabalhei como boia fria e empregada doméstica antes de ter a minha primeira oportunidade como boleira. Aproveitei essa chance e hoje estou aqui para contar a minha trajetória. FR&V: Como surgiu a Sodiê Doces? Cleusa Maria: A Sodiê surgiu da neces-

sidade que eu tinha de dar uma vida melhor para a minha família. Recebi a oportunidade de trabalhar como boleira em Sobral, interior de São Paulo e, durante 5 anos trabalhei de domingo a domingo, sem folga, para conquistar o meu lugar. A primeira loja franqueada foi ideia de um antigo cliente e amigo que apostou na marca, e a trouxe para a capital. Aos poucos vieram outras propostas e, hoje, depois de 16 anos de muito trabalho e dedicação, esperamos atingir a marca de 140 lojas até o final de 2013. FR&V: Quais os principais desafios

enfrentados para a consolidação da marca? Cleusa Maria: O Brasil ainda é um país que está se ajustando economicamente e socialmente. Temos um negócio que atende à classe média que, hoje, é o grande foco do mercado brasileiro. Mas estamos sempre nos atualizando e buscando aprimorar nossos conhecimentos, ampliar parcerias e conhecer novas praças para, desta forma, sempre estarmos junto do nosso público consumidor. Esses desafios fazem parte da história de qualquer marca que pretende se consolidar no mercado brasileiro.

Cleusa Maria: O Brasil ainda é um país que está se ajustando econômica e socialmente

FR&V: Como empresa familiar, que

tipo de desafios foi preciso enfrentar para que a marca se transformasse em franquia? Cleusa Maria: O meu maior desafio foi transformar o que eu tinha em mãos, que era a oportunidade, em marca. Quando eu consegui isso, as coisas

foram acontecendo gradativamente. Com um bom produto, uma boa oportunidade e perseverança, foco, vontade de vencer, o sucesso acontece. FR&V: Quando isso aconteceu? Cleusa Maria: Um velho cliente e amigo me perguntou por que eu não abria uma loja em São Paulo. Na ocasião,

REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VAR E J O - 7


EN TRE V I S TA

eu morava em Salto e foi lá que tudo começou. Conversamos bastante sobre o assunto e ele acabou se transformando no meu primeiro franqueado. Essa loja existe até hoje, fica em Santana, zona norte, e ele é um grande parceiro. FR&V: Para que isso acontecesse,

FR&V: Ao quê você atribuiu o su-

cesso da sua marca? Cleusa Maria: São vários pontos. Mas, o principal é que se eu não tivesse um bom produto, a outras coisas não teriam funcionado. FR&V: Quais são, a seu ver, as

principais características e diferenciais da franquia Sodiê quando comparadas a lojas semelhantes? Cleusa Maria: Tenho um diferencial, sim. Quem quer investir na Sodiê pode

fazer uma espécie de “test drive”. A rede permite que o futuro empreendedor acompanhe de perto o funcionamento de uma loja antes de fechar negócio e, posteriormente, é feito um treinamento de 30 dias na matriz. Temos um bom produto, com preço justo. Faço questão de conhecer pessoalmente todos os franqueados, temos uma relação próxima, olho como está o movimento e ajudo no que for preciso. Aliás, todos os franqueados têm fácil acesso a mim. Embora, confesso, com mais de 126 lojas em 5 estados diferentes, essa relação ficou menos estreita. Mas procuro levar o meu negócio com olhar atento aos

foto: Divulgação

o que foi necessário fazer (procurou por ajuda externa, realizou adaptações para o processo de franchising)? Cleusa Maria: Não fiz nada disso! (rs). Foi tudo pouco a pouco. Juntei dinheiro por 5 anos e foi das minhas economias que veio o primeiro investimento.

Depois é claro, busquei muita informação e me capacitei para transformar a Sodiê em Franquia.

8 - RE V I S TA F R A NQ U I A REG I ON A L & VA REJ O


foto: Divulgação

E NTR E VISTA

FR&V: Que tipo de suporte os fran-

queados recebem quando aderem à marca? Cleusa Maria: Para que sua franquia Sodiê Doces tenha muito sucesso, nossa equipe está presente em todas as etapas do processo, que inclui desde a escolha e aprovação do ponto comercial, até gerenciamento da unidade. Com todo know how de quem já instalou mais de 126 lojas, oferecemos todo respaldo necessário para que o franqueado tome suas decisões de negócio com segurança, e gerencie sua loja visando sempre o sucesso. Hoje, contamos com uma série de serviços de apoio às lojas franqueadas, entre eles: assessoria a escolha do ponto comercial; assessoria nos projetos de construção/ e ou reforma, decoração e montagem da loja; apoio durante a execução da obra; asses-

soria na compra de equipamentos, móveis e utensílios; marketing promocional para a inauguração da loja; treinamento dos franqueados e funcionários; auxílio da equipe na inauguração da loja; visitas periódicas para supervisionar e dar todo apoio operacional necessário ao franqueado e propaganda cooperada. FR&V: Quais as especificações da

franquia (investimento, faturamento, retorno...)? Cleusa Maria: Para abrir uma franquia da Sodiê é preciso um aporte de R$ 314 mil e uma loja de pelo menos 150 metros quadrados. Esse valor inclui capital de giro, investimento inicial, taxa de franquia (de

R$ 60 mil), mas não incluiu eventual “compra de ponto”. O retorno previsto para o investimento é de 24 a 36 meses. O pagamento de royalties (valor pago pelo uso da marca) fica em 6% e o fundo de propaganda em 1% (ambos sobre o faturamento bruto). FR&V: Quais são as suas principais expectativas com relação à marca? Cleusa Maria: Principalmente, entrar nos shoppings e abrir franquias em todo o país, sempre mantendo a qualidade no atendimento e nos produtos.

REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VAR E J O - 9

foto: Divulgação

anseios e desejos dos meus clientes e dos meus parceiros. Sempre ouço o que eles têm a me dizer.


Ideal para diminuir, acidente e lesões

A

Ginástica Laboral compreende sessões de exercícios físicos educativos de alongamento, respiração, reeducação postural, controle corporal, percepção corporal, fortalecimento das estruturas não trabalhadas e compensação dos grupos musculares envolvidos nas tarefas operacionais, respeitando o limite fisiológico e a vestimenta de cada colaborador. A duração ideal das sessões para se ter um resultado significante na musculatura (flexibilidade e força) é entre 10 a 15 minutos diários.

Principais Benefícios

• Combate e prevenção das doenças profissionais; • Combate e prevenção do sedentarismo, estresse, depressão, ansiedade etc.; • Melhora da flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade e a resistência, promovendo maior mobilidade e melhora da postura; • Promove a sensação de disposição e bem estar para a jornada de trabalho; • Reduz a sensação de fadiga no final da jornada; • Melhora da autoestima e da autoimagem; • Combate às tensões; • Melhora da atenção e concentração as atividades desempenhadas; • Favorece o relacionamento social e trabalho em equipe; • Reduz os gastos com afastamento e substituição de pessoal; • Diminui afastamentos médicos, acidente e lesões; • Melhora da imagem da instituição junto aos empregados e a sociedade.

Para quem trabalha em pé Quem trabalha muito tempo em pé pode sofrer de dores provenientes de má circulação sanguínea, câimbras, aparecimento de varizes, fascite plantar, calo10 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O

FIQUE POR DENTRO

GINÁSTICA LABORAL E BENEFÍCIOS

jun/jul 2013 - edição 2

MARCOS MORENO é fisioterapeuta, proprietário do RM Studio Pilates e Studio Pilates Contato: (15) 9125-9553

Além de prevenir doenças profissionais e combater o sedentarismo, a Ginástica Laboral promove melhoria das relações interpessoais e reduz gastos com afastamento e substituição de pessoal


F IQ U E POR DE NTR O

Fontes: http://www.copacabanarunners.net/ginastica-laboral.html http://www.cdof.com.br/gl5.htm http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_frame.asp?cod_noticia=815 http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_frame.asp?cod_noticia=849

sidade nos pés, entre outras. A escolha de sapatos adequados, macios e um pouco folgados ajudam a prevenir esses desconfortos. Mas também é fundamental realizar alongamentos (como os sugeridos abaixo) antes e depois do trabalho: • Pare alguns minutos para fazer movimentos circulares nos pés; • Dê caminhadas, mesmo que curtas ou em círculos, para contribuir com a circulação do sangue. • Exercícios, como andar de bicicleta, caminhada e corrida, também são ótimos para circulação. • Na academia, realize atividades voltadas para o fortalecimento da musculatura das pernas, como a cadeira extensora e a flexora.

• Ao se deitar, procure deixar os pés apoiados em uma posição em que eles fiquem mais altos do que o corpo para aliviar dores e ajudar na circulação, evitando o aparecimento de varizes.

Para quem trabalha sentado Quem trabalha sentado em frente ao computador o dia inteiro, o ideal é realizar exercícios, como os sugeridos ao lado, para evitar problemas nas mãos, braços, costas e nas pernas antes, durante e ao final do trabalho:

• Em pé em frente à mesa, apoie as mãos com os dedos voltados para si, mantendo os braços retos. Fique nessa posição por 30 segundos para esticar os antebraços. • Estique os braços para a frente. Deixe a mão direita com os dedos para cima e, com a outra mão, faça força contra si para trazer os dedos para a frente, por 30 segundos em cada braço. Esse exercício funciona para alongar os antebraços. • Sente-se com a coluna reta. Coloque a mão direita na orelha esquerda, passando o braço por cima. Puxe a cabeça para o lado direito e mantenha essa posição por 30 segundos. Repita para o outro lado. Esse exercício ajuda a combater a tensão. • Para alongar todo o corpo, permaneça com as costas eretas. Cruze os dedos das mãos na sua frente. Levante os braços, levando as palmas das mãos para cima, fazendo força. Permaneça assim por 30 segundos. Essa postura ajuda a aliviar as tensões. Obs: Todo e qualquer atividade física laboral deve ser orientada e elaborada por um profissional da sáude (fisioterapeuta ou educador físico) habilitados, sob o risco de causar danos à sua saúde

REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VARE J O - 1 1


Os gestores precisam estar abertos a novas ideias

N

unca o franchising foi tão relevante no desenvolvimento das economias de todos os Países como nos últimos cinco anos. A evolução dessa forma de expandir os negócios vem contribuindo significativamente com o desenvolvimento das empresas em todos os continentes, com a internacionalização dos negócios, e a ocupação do mercado interno – criando barreiras para novos competidores –, além de aumentar, e muito, a eficácia e sucesso dos empreendedores iniciantes. Com a crise que se instalou nos mercados europeu e americano, muitas empresas tiveram dificuldade de competir com os players que se sustentaram na crise – e que se tornaram mais competitivos ainda – uma vez que o momento exigiu excelência no atendimento, na qualidade dos produtos e no marketing. As empresas já capitalizadas conseguiram se manter e superar as que não tiveram tempo, ou não se estruturaram para momentos difíceis. O franchising, neste particular, tem sido um dos fatores alavancadores de resultados e de sucesso de muitos negócios em todo o mundo, uma vez que, para estar presente em vários mercados com operação própria, exigem-se investimentos elevados. Muitas empresas não se prepararam ou optaram por não fazer todo esse investimento e buscaram no sistema de franquias a opção mais rápida, mais segura e com investimentos menores para expandir seus negócios em mercados até então não explorados. Na realidade, o franchising vem contribuindo para que os empresários de países onde a crise foi mais forte possam atuar em outros mercados, amenizando os impactos negativos da recessão sobre seus negócios. Entrar em um país desconhecido é um risco e, para minimizá-lo, a melhor solução é entrar via um máster franqueado – um empresário ou profissional do país de destino com capacidade financeira e operacional para cumprir um plano de expansão previamente estudado. 12 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O

FORA DA CAIXA

O IMPACTO DAS FRANQUIAS

jun/jul 2013 - edição 2

CLAUDIA BITTENCOURT é diretora geral do Grupo Bittencourt

As empresas já capitalizadas conseguiram se manter e superar as que não tiveram tempo, ou não se estruturaram para momentos difíceis.


foto: Divulgação

F O RA DA CAIX A

Outro impacto interessante que o franchising vem causando nas economias, em especial no Brasil, é a organização de alguns setores ou atividades que até então não estavam dentro de um grupo com atuação formal. O resultado é a estruturação de atividades muitas vezes realizadas por profissionais autônomos, sem nenhum critério, metodologia ou organização. Devido a isso, estamos vendo novas subcategorias de setores surgindo com atuação no sistema de franquias, desde serviços de limpeza de piscina, cuidados com jardins, serviços domésticos, cuidados com idosos, reforço escolar etc. No Brasil, essa tendência vem crescendo via as microfranquias, nas quais empresários estão organizando novos negócios para expansão estruturada no modelo de franquias e oferecendo oportunidades para empreendedores iniciantes e com capital reduzido, total apoio e menor risco de perderem seu capital, como mostram as estatísticas de mortalidades de negócios no Brasil. Para a economia, estes negócios começam a contribuir com o aumento da arrecadação de impostos, o que significa mais recursos para o Governo, mais melhorias para a população, mais renda e consumo, resultando em um ciclo virtuoso. O franchising permite aos empresários ditarem as re-

gras antes, capacitarem seus parceiros, fazerem test drive, enfim, tudo que for necessário para não colocar a marca em risco. Neste particular, a escolha do franqueado ou do master franqueado é o ponto crítico. Essa seleção exige cuidados na análise de todos os aspectos e características necessárias para operar com sucesso o negócio de franquia.

Escolha do franqueado Hoje, já se aplicam ferramentas sofisticadas para análise de perfil de franqueados, o que garante uma margem de erro menor no processo de seleção e definição do parceiro ideal. Engana-se o empresário que seleciona o franqueado apenas pelo capital que ele tem. Essa condição é básica, basta exigir a comprovação do capital, porém, existem fatores que são intangíveis como caráter e conduta, e que podem levar o negócio a total insucesso ou a um litígio futuro, ou ainda, a um desgaste na marca muito grande. A percepção dessas características dificilmente acontece num primeiro contato ou entrevista. Ao contrário, exige que se apliquem ferramentas de análise de perfil – da mais simples até a mais sofisticada – que

Claudia Bittencourt : diretora geral do Grupo Bittencourt

possam dar indícios de comportamentos inadequados. Enfim, a expansão de negócios com franquias é uma forma já consolidada, testada e os empresários que buscam essa alternativa não podem pensar de forma simplista. A gestão de uma rede de franquias é complexa, mas, se bem estruturada – utilizando o conceito de relação ganha/ ganha, a tecnologia, as ferramentas e recursos humanos adequados –, é um fator impulsionador de resultados e de perpetuidade dos negócios. Portanto, bem-vindo ao franchising!

REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VARE J O - 1 3


PARCERIA

PASSARELA INOVA EM LAYOUT Disposição da loja pode aumentar negócios

M

estudos mostram que um layout de lojas bem estruturado não só atrai clientes como valoriza os produtos. O amplo espaço das lojas permite, por exemplo, a exposição de uma grande variedade de produtos. No caso específico da Passarela Calça-

O amplo espaço das lojas permite, por exemplo, a exposição de uma grande variedade de produtos

foto: divulgação

odernidade, conforto e tecnologia. As três palavras definem bem o conceito que a Passarela Calçados, uma rede tradicional de lojas do interior do Estado de São Paulo, pretende atingir ao definir o layout de suas unidades. Tanto cuidado tem uma razão de ser:

jun/jul 2013 - edição 2

14 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O


foto: divulgação

PAR CE R IA

dos, embora 90% das lojas sejam voltadas para calçados, as confecções estão entrando aos poucos no market share da empresa, de forma que o cliente possa sair da loja vestido “dos pés à cabeça”. Por isso, o cliente que entrar em qualquer unidade da rede perceberá como uma característica da loja ter espaços amplos e arejados. Gôndolas, expositores e prateleiras bem definidos possibilitam, por exemplo, que o próprio cliente circule pela loja decidindo o que experimen-

aromatizadas, com o objetivo de oferecer ao consumidor uma experiência positiva de compra. Os projetos de cada unidade são idealizados pela Falzoni Alves Lima, empresa especializada em design estratégico para o varejo que, hoje, tem parceria com a Little, um dos escritórios de arquitetura mais influentes nos EUA. E uma das características da empresa é utilizar o visual merchandising como forma de promover a interação da marca com o público e, assim, aumentar as vendas e fortalecer a marca.

As lojas da Passarela Calçados são, também, ambientadas – o que aumenta a sensação de conforto do cliente. E, em breve, deverão contar com uma novidade: todas serão REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VARE J O - 1 5

foto: divulgação

tar e o que levar para casa. Considerado uma tendência no varejo, o autoatendimento permite incremento nas ações de merchandising – o que estimula a compra por impulso – além de reduzir custos para o lojista.


Inaugurações trazem novas franquias para a região

FRANQUIA EM DESTAQUE

NOVIDADES

jun/jul 2013 - edição 2

S

orocaba é o terceiro município mais populoso do interior paulista e o quarto mercado consumidor do Estado, fora da região metropolitana de São Paulo. Ao longo dos últimos 12 anos, a cidade vem crescendo, expressivamente, em diversas áreas, passando por uma série de projetos de urbanização que acabaram por deixá-la entre as 10 mais bonitas do interior. Berço de uma das maiores multinacionais estabelecidas no país, a cidade já comporta um forte comércio local e possui um setor dinâmico de serviços. Estava mesmo na hora da cidade receber grandes empreendimentos comerciais. Além de aumentar o conforto e as opções de lazer na cidade, os novos shoppings trazem marcas conceituadas que unem modernidade e status, transformando, definitivamente, o perfil do consumo local. Saiba um pouco mais sobre os novos points locais e quais as franquias que chegam por aqui com as inaugurações:

Shopping Cidade Sorocaba Considerado um dos cinco maiores empreendimentos em ancoragem do país, o Shopping Cidade Sorocaba contou com um investimento de R$ 300 milhões. Previsto para ser aberto ao grande público em 27 de setembro, é uma realização dos grupos Comask, Factual, Tacla Empreendimentos, AD Shopping, W3R e AG Empreendimentos. “Escolhemos a cidade de Sorocaba em função de pesquisas qualitativas e quantitativas que permitiram analisar detalhadamente as oportunidades, o potencial de consumo da cidade, bem como o próprio desenvolvimento urbano da região”, explica Robson Santos, diretor da AD Shopping, administradora do Shopping. Ao todo, o empreendimento terá 11 lojas âncoras, 21 megalojas, 330 lojas médias, restaurantes fast food, além de seis salas de cinema e uma área exclusiva para o entretenimento

16 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O

A região foi escolhida como sede dos novos empreendimentos graças ao seu potencial de consumo e desenvolvimento urbano


FRA NQ UI A E M D E S TA QU E

foto: divulgação

Shopping Cidade Sorocaba

de crianças e suas famílias, o espaço Criança Mania. O estacionamento possui dez mil vagas rotativas, sendo 80% delas cobertas. “Com o Shopping Cidade Sorocaba em operação, serão gerados 1.500 empregos diretos e 10 mil indiretos”, revela Santos. Anexo à construção, haverá um complexo multiuso integrado, com opções de lazer e comodidade. O novo espaço, um power center ou centro de varejo, terá 20 mil m² e abrigará um hotel de bandeira internacional, uma rede de supermercado regional e uma megaloja nacional.

O novo complexo soma um investimento de R$ 60 milhões e, depois de concluído, vai gerar 300 empregos diretos e mais mil indiretos.

Iguatemi Esplanada Shopping Com investimentos da ordem de R$ 360,9 milhões, o Iguatemi Esplanada Shopping terá 39.5 mil m² em sua primeira fase e uma expansão programada em mais 13.7 mil m² na segunda fase. “Vamos trazer a Votorantim o melhor e mais completo shopping da região”, afirma Rodolpho Freitas, vice-

-presidente comercial da Iguatemi Empresa de Shopping Centers. Com inauguração prevista para 29 de outubro, o novo shopping contará com 20 grandes lojas, cinema, área de lazer infantil, quatro restaurantes, 25 operações de alimentação e estacionamento com mais 2.200 vagas, sendo 2.000 cobertas. As novas operações se juntam ao já existente Esplanada Shopping, que será interligado ao novo Iguatemi Esplanada por passarelas. No complexo, os clientes terão à sua disposição mais de 400 operações. foto: divulgação

Iguatemi Esplanada Shopping

18 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O


F RAN Q U IA EM DE STAQUE

Pátio Cianê Shopping

foto: divulgação

Pátio Cianê Shopping Com inauguração marcada para 5 de novembro, o Pátio Cianê Shopping será implantado na antiga Tecelagem Cianê. Ao todo, o empreendimento custou R$ 360 milhões. “Ao restaurar o complexo fabril Cianê, tivemos o compromisso de resgatar a história da cidade, devolvendo aos sorocabanos um ícone de conexão com um passado histórico do qual tanto se orgulham”, afirma Paulo Stewart, presidente do grupo Saphyr, empresa empreendedora do shopping em Anuncio meia com pagina-select-final copiar.pdf parceria a empresa, também1

responsável pela comercialização e administração do Pátio Cianê. Para alcançar este objetivo, as instalações passaram por um criterioso processo de “retrofit”, que consiste na revitalização de imóvel sem mudar a estrutura principal, com adequações na estrutura e instalações, sistemas hidráulico, elétrico, ar condicionado etc. O minucioso processo de restauração das antigas fachadas deverá se alinhar à modernidade arquitetônica e ao conforto interno. Outro diferencial do novo shopping é sua localização pri28/08/13 17:05

vilegiada, na região central da cidade, onde circulam aproximadamente 94 mil pedestres. Esta área concentra 49% da classe AB da região, com alto potencial de consumo, e representa excelente oportunidade de negócios para os lojistas. Ao todo, o Patio Cianê possui 207 lojas, sendo 7 âncoras, 12 megalojas, além de modernos cinemas, boliche e um espaço lifestyle com bares e restaurantes ao ar livre. O empreendimento prevê a geração de aproximadamente 10 mil empregos, entre diretos e indiretos.

F&L MÓVEIS

E INSTALAÇÕES COMERCIAIS

EXCELÊNCIA EM QUALIDADE E PREÇOS BAIXOS

Projetos de adequação de espaços Mobiliário de altíssima qualidade Móveis personalizados para franqueados e franqueadores

visite nosso site

www.flinstalacoes.com.br

(19) 3534-1366

REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VARE J O - 1 9


FRA NQ UI A E M D E S TA QU E

Shopping Cidade Sorocaba Serviço: Shopping Cidade Sorocaba Av. Itavuvu, 3.365 - Jd. Santa Cecília Novas franquias: Big x Picanha Bob’s Casa das Alianças Casa das Calcinhas Código Girls

Mania Games Deny’s Sports Di Gaspi Dunes Calçados Exata Presentes

Fabrica Di Chocolate Kate Biju Khelf Livraria Curitiba

Linda Luz Calçados Spasso Cosméticos Tiara Bolsas Tip Top

Inauguração: 27 de setembro

Pátio Cianê Shopping Serviço: Pátio Cianê Shopping R. Francisco Scarpa, 100 Centro – Sorocaba, SP Novas franquias: Zelo Bob’s Ula Lá Spedini Le Biscuit Smart Fit

Uva & Verde AD Enzo Toscani Big X Picanha Código Girls Café Moinho

Inauguração: 5 de novembro

IGUATEMI ESPLANADA

Iguatemi Esplanada Shopping Serviço: Av. Gisele Constantino, 1.800 Pq. Bela Vista - Votorantin – SP Novas franquias: Accesorize Any Artex Backed Potato Besni Brooksfield Calvin Klein Jeans Camicado Canal Cinépolis Chicco Dudalina

El Tranvia Empório Body Store Etna Farm Fast Shop Fórmula IPlace Jogê John John Johnny Rockets Le Biscuit

Mac Mega Paquetá Esportes Noir Le Lis Osklen Outback PB Kids Preçolandia Rery Richards Rock & Ribs Dumond

Salinas Spedini Trattoria Sunglass Hut Swarovski Tommy Track & Field Via Veneto VR Zara

Inauguração: 29 de outubro

Outros Shoppings na região: Shopping Porto Miller - Inauguração: abril de 2014 Tangará Shopping - Inauguração: 2015 Iguatemi Jundiaí - Inauguração: ainda sem data definida

20 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O


de pilotos bons e treinados

VAREJO

O VAREJO PRECISA

jun/jul 2013 - edição 2

O

s gestores do varejo, se indagados a respeito dos principais problemas enfrentados, por certo relacionarão em posição destacada o problema da rotatividade da mão-de-obra Não há dúvida que se vive agora um cenário delineado pelas preocupações urgentes. O crescimento das vendas no varejo, embora continue, se dá agora de modo muitíssimo menos intenso que nos saudosos passados recentes. De fato, todos os índices são unanimes apontando na direção de um nível bem menor de confiança das famílias no horizonte próximo. Tais expectativas, por óbvio, desembocam sempre em uma atitude mais cautelosa dos antes arrojados compradores. Nessa situação o varejo precisa rapidamente se adaptar nesse novo e razoavelmente turbulento cenário. Portanto, as questões ligadas aos níveis de estoque e as ações pontuais visando a reduzi-los tomam a agenda dos profissionais e executivos responsáveis pelas operações varejistas. Não há dúvida de que essas preocupações precisam ser encaradas com muita seriedade. Afinal, como ensinou John Mayard Keynes, economista responsável por um dos maiores avanços da ciência econômica: “no longo prazo todos estarão mortos”. De outro modo, se não houver cuidado com os aspectos imediatos não haverá futuro. Porém, diz também o dito popular que os pés devem estar firmes no solo ao mesmo tempo em que os olhos divisam o caminho que está por vir. Se a cabeça estiver abaixada na direção dos pés, perde-se a perspectiva do novo e das inesgotáveis oportunidades suscitadas pela complexa realidade. Quando o mar é turbulento, deve-se procurar a posição mais favorável para que a água, com movimentos por vezes caóticos, não afogue as chances do futuro. Os solavancos da economia e seus reflexos no mercado de consumo são absolutamente naturais. 22 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O

PROF. DR. CLAUDIO FELISONI DE ANGELO é Presidente do IBEVAR

“toma-se café com alguém que trabalha em uma determinada empresa. Não se pode tomar um café com uma empresa.”


VAR E J O

Informação a todo custo Se esse é realmente o quadro, as empresas varejistas, ao mesmo tempo em que cuidam de manter a cabeça fora d´água, precisam continuar preparando-se para esse futuro. Muitos são os problemas associados a esse preparo. Entretanto, um deles merece destaque. O custo da informação, isto é, os custos para obter dados sobre processos e situações, vem decrescendo ao longo dos anos. O advento, por exemplo do rádio, da tv e da internet, principalmente, vem mudando a configuração de todas as relações. Os aspectos materiais, tais como produtos,

vem se tornando cada vez mais coisas comuns. As diferenças passam a depender, essencialmente, do talento e da criatividade humana. Nesse ponto é que se coloca um grande desafio para as operações varejistas: a rotatividade da mão de obra. Há várias formas de medir essa dimensão. Tomando-se o número de funcionários substituídos em um determinado período pelo quadro médio de pessoas empregadas no referido período observa-se que esse percentual situa-se em uma média aterrorizante de 30%. Se for imaginado, apenas como exercício, que as pessoas trocadas permanecem, ao final de três anos, com essa taxa, praticamente todos terão sido trocados! Uma empresa só é real na expressão das pessoas. Como ensina a filosofia, um ser coletivo só existe virtualmente: “toma-se café com alguém que trabalha em uma determinada empresa. Não se pode tomar um café com uma empresa.” Portanto, CIC, CNPJ só existem virtualmente. Ora, qual é a capacidade competitiva de uma organização que muda embalada pelo tic tac do ponteiro dos minutos? Os gestores do varejo, se inda-

gados a respeito dos principais problemas enfrentados, por certo relacionarão em posição destacada o problema da rotatividade da mão-de-obra. Entretanto, da constatação a atitude existe um abismo. Por exemplo, pouco se faz para estudar as causas específicas dos desligamentos no varejo. Em outras palavras é possível examinar estatisticamente os dados no sentido de identificar os principais elementos desestabilizadores a uma maior permanência das pessoas no quadro funcional. Elementos como esses podem orientar o processo de contratação. É claro que se a contratação foi mal feita, as possibilidades da saída ampliam-se enormemente. Um carro disputando a Fórmula 1 tem, necessariamente, alguns componentes que precisam ser contemplados para ser efetivamente um verdadeiro competidor: o motor, o câmbio e os pneus, apenas para citar alguns. Se uma empresa tem de fato a intenção de se posicionar na primeira fila, os componentes são: o processo de contratação, treinamento, plano de carreira, sistema de avaliação de desempenho e uma política atrativa de salários e benefícios. O problema é que a largada já foi dada!

foto: Stock.XCHNG

É verdade, que a maneira como se reage a essas condições ampliam ou minoram os redemoinhos. Lamentavelmente, a política econômica, frequentemente inconsistente, tem aumentado a velocidade dos ventos e a força avassaladora das águas. De qualquer modo não se pode deixar de registrar que há um grande potencial a ser explorado no mercado interno de consumo e, portanto, há, sem dúvida, uma situação auspiciosa para o varejo a médio e longo prazo.

REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VARE J O - 2 3


Novo shopping em Porto Feliz deve mudar comportamento da população local

POR AQUI

POTE DE OURO

jun/jul 2013 - edição 2

P

revisto para ser inaugurado em outubro, o Shopping Porto Miller Boulevard será um marco para a cidade de Porto Feliz. Primeiro shopping center local, o Porto Miller Boulevard atenderá a uma população que, até então, era obrigada a recorrer às cidades vizinhas, como Sorocaba e Itu, para visitar um centro de compras. Com 14 mil m² de área, 80 lojas, ampla área de lazer, estacionamento próprio, salas de cinema, hipermercado, entre outras atrações, o empreendimento vem coroar um momento significativo da cidade. “Antes mesmo do anúncio da ida da fábrica de motores da Toyota para Porto Feliz, identificamos uma série de oportunidades na cidade”, diz Marcelo Shioda, sócio-diretor da ABLSAN Planejamento e Comercialização de Shopping Centers, empreendedora do Porto Miller Boulevard. “Além da logística favorecida, a região tem mão de obra qualificada e boa infraestrutura. Sem contar que ela

está passando por um boom imobiliário que é muito favorável. Com este cenário, a vinda do shopping Porto Miller Boulevard é um fato gerador de novos negócios e favorecerá o crescimento da região.” A inauguração do shopping também deve estimular a mudança de comportamento da população. “A cidade possui cerca de 50 mil habitantes que sempre se viram obrigados a percorrer, no mínimo, 20 quilômetros para ir ao cinema ou tomar um chopp de qualidade. Além disso, estavam limitados aos horários estabelecidos do comércio de rua, que trabalha somente até às 18h e fecha as portas no sábado logo após o almoço. Com o shopping, a população de Porto Feliz e das cidades vizinhas poderão desfrutar de todo o conforto e segurança oferecidos por um centro de compras deste tipo, além de poderem aproveitar o tempo de lazer de uma forma mais tranquila”, afirma André Pinto Dias, sócio-diretor da Demark Admi-

24 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O

Com 14 mil m² de área, 80 lojas, ampla área de lazer, estacionamento próprio, salas de cinema, hipermercado, entre outras atrações, o empreendimento vem coroar um momento significativo da cidade


foto: divulgação

P OR AQUI

nistração de Shopping Centers, administradora do empreendimento. “Estamos muito otimistas.” Para investidores, o Shopping Porto Miller Boulevard também traz outro atrativo: o empreendimento terá um custo de 30 a 40% mais baixo na cessão de direito de uso, no custo mensal de aluguel, condomínio e fundo de promoção. “Quanto menor o custo, menor o risco”, garante o diretor da Demark. “Deste jeito, acreditamos que conseguiremos estimular a vinda de marcas fortes para o local.”

+ Novidades Outro shopping deve chegar à região, em breve. O Parque Mall Indaiatuba está previsto para ser inaugurado em fevereiro de 2013. REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VARE J O - 2 5


FIQUE POR DENTRO NOTAS

Franquias em expansão

Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) apontam que só este ano foram lançadas 45 empresas – o que representa 15% de crescimento do setor em relação a 2012. As áreas de alimentação, negócios e serviços são as mais consolidadas e ainda as grandes vedetes do franchising brasileiro — juntas, respondem por quase 50% do faturamento total das redes. No entanto, outros segmentos despontam vigorosamente, como hotelaria e turismo, com alta de 97,8% no faturamento, e a área de limpeza e conservação, com alta de 44,5%. Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise mostrou que mais de mil pessoas aderiram ao setor de Fast Food nas franquias no ano de 2012. Ao todo, as franquias geraram mais de 9 mil empregos diretos.

Interior cresce acima da média

ago/set jun/jul 2013 - edição 2

Estudo da Consumer Book 2013, da Kantar Worldpanel, traçou um perfil multifacetado com um panorama detalhado de cada uma das regiões monitoradas pela instituição. Um dos destaques é o crescimento das regiões do interior acima da média nacional. Segundo a pesquisa, o valor desembolsado para aquisição de bens não duráveis pelos consumidores das cidades do interior cresceu 6% em 2012, em comparação com o ano anterior, enquanto a média nacional de crescimento foi de 5,4%. Além disso, um importante destaque da região foi o desenvolvimento do varejo local que, aproveitando as condições favoráveis da região, tem crescido mais do que as grandes redes. 26 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O


F IQ U E PO R DENOTAS NTR O

Divulgapão chega a Sorocaba

Anunciantes de todos os portes de Sorocaba, no interior de São Paulo, já podem divulgar as suas ações no saco de pão. A rede Divulgapão conta com 169 franquias em 24 estados do país mais o Distrito Federal, e chegou à cidade graças ao publicitário Paulo Grohmann que, com 19 anos de experiência em agências de propaganda, resolveu apostar em uma franquia da DivulgaPão. “As panificadoras aceitaram a parceria principalmente por conta da economia gerada para o negócio deles”, afirma Grohmann. Segundo o franqueado, as padarias que se tornam parceiras da DivulgaPão passam a receber as embalagens, gratuitamente. A iniciativa também beneficia o meio ambiente, já que os sacos de pão da DivulgaPão são biodegradáveis. Mais barata em relação a outros tipos de campanhas de publicidade, o saco de pão como mídia atende desde pequenos e médios comerciantes de bairro que querem anunciar uma promoção em sua loja, por exemplo, até grandes empresas que desejam divulgar uma ação para o público local. DivulgaPão Sorocaba Telefone: (15) 3327-1975 Email: sorocaba.r1@divulgapao.com.br

Mais uma no interior

A rede de franquias VestCasa, especializada em produtos de cama, mesa, banho e decoração, está focando sua expansão no interior de São Paulo. O objetivo, segundo a rede, é atuar em lugares em que grandes magazines não chegam, como cidades pequenas, com cerca de 50 mil habitantes. Atualmente, a rede VestCasa possui mais de 100 lojas espalhadas pelos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Para o futuro, a rede pretende abrir 160 unidades até o final de 2013 e 400 até 2015, em todo o Brasil, em cidades como Sorocaba e São José do Rio Preto.

REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VARE J O - 2 7


trabalhista do franqueador

OLHAR JURÍDICO

A RESPONSABILIDADE

jun/jul 2013 - edição 2

E

m recente decisão proferida pelo Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul (RS), a justiça do trabalho responsabilizou solidariamente uma determinada franqueadora pelo pagamento de créditos trabalhistas de ex-empregado de sua franqueada. Consta da decisão proferida pela 11ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul, que via de regra, nos contratos de franquia não há a responsabilidade trabalhista por parte do franqueador, já que o franqueado tem autonomia na gestão do negócio e contrata diretamente seus trabalhadores. Todavia, no caso em discussão, o franqueador foi responsabilizado pelo pagamento das verbas trabalhistas deferidas ao antigo empregado da empresa franqueada simplesmente porque no contrato firmado existia disposição permitindo a influência do franqueador na gestão do empreendimento, ainda que o ajuste, do ponto de vista do Direito Comercial, permanecesse válido. Com base no entendimento do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul, ficou comprovado que a relação franqueador e franqueado, não era regida pela autonomia empresarial da franqueada em relação a empresa franqueadora, notadamente porque o estabelecimento da franqueada funcionava em prédio de propriedade da franqueadora, demonstrando que a franqueada não pôde nem mesmo escolher livremente seu local de atuação, mesmo que dentro de sua área de permissão. Além do mais, ficou comprovado que, quando da concretização dos negócios objeto do contrato de franquia, as notas ficais eram emitidas em nome da empresa franqueadora, o que, na visão do desembargadores que julgaram a questão, dentre outros, na prática, era a franqueadora quem realizava os negócios com poder, inclusive, de negociar casos de inadimplentes. 28 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O

MUNIR EL CHIHIMI é advogado, especialista em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas e sócio do escritório Chihimi & Brandão Advogados. Site: www.chihimibrandao.adv.br

Na grande maioria dos contratos de franquia, não há a influência do franqueador na condução dos negócios


ESPECIALIZADA NA FORMATAÇÃO E EXPANSÃO DE FRANQUIAS. Rua Benjamin Constant, 185 - Centro - Salto/SP | Tel.: 11| 4021 5452 alessandra@pravattarezende.com.br - www.pravattarezende.com.br

ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA ESPECIALIZADO EM FORMATAÇÃO DE FRANQUIAS. Nossos projetos englobam todo o processo necessário para o desenvolvimento de conceitos únicos para cada segmento. O resultado é um projeto exclusivo, eficiente e capaz de atingir os objetivos da marca.

ENTRE EM CONTATO CONOSCO: Sorocaba _ 15 3033 3058 São Paulo_ 11 9 6631 2656 contato@martinhaoneves.com.br www.martinhaoneves.com.br

Assessoria em comunicação na implantação de franquias. Avenida São Francisco, 353 Santa Rosália Sorocaba SP (15) 3411 8140 www.vtpublicidade.com.br


O L HA R JU R Í D I CO

Ficou comprovado ainda que a empresa franqueadora exigia da franqueada a lista de quem lhe prestava serviços como empregado, o que caracterizava a existência de fiscalização não somente em relação ao objeto da cessão de uso, como também da própria atividade da empresa. Importante destacar que a decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul é uma das poucas proferida em processo na qual se pretendeu também a responsabilização do franqueador por direitos trabalhistas em tese devidos pela franqueada porque ficou absolutamente evidente que embora houvesse contrato dispondo sobre as relações entre franqueador e franqueado, na verdade era o franqueador quem ditava as regras.

Influência do franqueador

Foto arquivo: Marcello Casal Jr/ABr

Nem é necessário dizer que, na grande maioria dos contratos de franquia, não há a influência do franqueador na condução dos negócios, sob pena de caracterização da situação descrita no parágrafo 2º do artigo 2º da CLT que dispõe o seguinte: Art. 2º - Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviços. § 2º - Sempre que uma ou mais empresas, tendo, embora, cada uma delas, personalidade jurídica própria, estiverem sob a direção, controle ou administração de outra, constituindo grupo industrial, comercial ou de qualquer outra atividade econômica, serão, para os efeitos da relação de emprego, solidariamente responsáveis a empresa principal e cada uma das subordinadas. Aliás, quando o Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul apreciou a situação acima exposta, entendeu que a relação franqueador x franqueado, da forma como vinha sendo desenvolvida estaria enquadrada no que dispõe o parágrafo 2º do artigo 2º da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), razão pela qual decidiu pela responsabilização solidária do franqueador em relação a créditos trabalhistas devidos a ex-empregado do franqueado. Nesse contexto, em razão da recente decisão judicial acima exposta, visa o presente trabalho apenas, e tão somente, reforçar o que já vem praticando a quase totalidade das empresas de franquias que, seguindo às risca os preceitos da lei 8.955 de 15/12/94 que dispõe sobre o contrato de franquia empresarial (franchising) e dá outras provi30 - R E V I S TA F R A N QU I A REG I ON A L & VA REJ O

dências, procuram manter uma relação pautada na total autonomia, do franqueado, na gestão do negócio. Uma outra questão que não raramente gera alguma espécie de dúvida é a possibilidade da existência da relação de emprego entre o franqueador e o franqueado, situação um pouco diferente daquela objeto do julgado acima referido. Nesse referente é importante informar que a própria lei 8.955 de 15/12/94 dispõe em seu artigo 1º o seguinte: Art. 2º Franquia empresarial é o sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semiexclusiva de produtos ou serviços e, eventualmente, também ao direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvidos ou detidos pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem que, no entanto, fique caracterizado vínculo empregatício. A interpretação do dispositivo acima leva a conclusão de que a relação entre o franqueador e o franqueado não caracteriza vínculo de emprego porque a mão de obra necessária para que o objetivo do negócio seja alcançado, é contratada diretamente pelo franqueado, sem qualquer ingerência do franqueador. Na prática, quando a legislação que trata da matéria e o contrato celebrado entre as partes são respeitados, não existe o mínimo risco de responsabilização do franqueador por débitos trabalhistas do franqueado, notadamente porque ao franqueador, na verdade, não interessa nem mesmo saber quem serão os colaboradores do franqueado.


Razão Social: M & Rabaneda Ltda Franquia: Sodiê Doces Fundação: 1997 Início do Franchising: 2007 Unidades Próprias: 4 Unidades Franqueadas: 126       Faturamento: R$ 70 mil Retorno: de 24 a 36 meses Taxa Propaganda: 1% Royalties: 6% sobre faturamento bruto Capital para Instalação: de R$ 300 mil a R$ 350 mil Taxa de franquia: R$ 60 mil Capital de giro: R$ 20.000,00

FICHA DE NEGÓCIO

Sodiê Doces

Shopping Cidade Sorocaba Serviço:

Av. Itavuvu, 3.365 Jd. Santa Cecília Inauguração: 27 de setembro

Iguatemi Esplanada Shopping Serviço:

Av. Gisele Constantino, 1.800 Pq. Bela Vista - Votorantin – SP Inauguração: 29 de outubro

Pátio Cianê Shopping Serviço: Rua Francisco Scarpa, 100 - Centro – Sorocaba, SP Inauguração: 5 de novembro

om

u n ic

ação

jun/jul 2013 - edição 2

c

J2 e CS Comunicação - uma equipe pronta para comunicar o seu negócio

design conteúdo

Deptº comercial:

15 9 9157.0976

REVIS TA F RAN Q U IA REG IO N AL & VARE J O - 3 1 www.j2comunicacao.com.br


Fr&varejo 2ª edição  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you