Page 1

JORNAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA

Folares no Parque das Águas página 2 9º ano de visita de estudo a Lisboa página 3 A Damião no Instituto Alemão página 4 Projeto Plantago Almogravensis página 5

DIRETOR: DR. ARMANDO ALVES MARTINS

N.º 01 JUNHO DE 2016

GRATUITO

ENTREGA DE DIPLOMAS NO CINETEATRO CAMACHO COSTA A cerimónia de entrega de diplomas do Agrupamento de Escolas de Odemira aos alunos que se destacaram nos diferentes anos de escolaridade, quer pelos excelentes resultados obtidos quer por participação em diferentes atividades, teve lugar no Cineteatro Camacho Costa, Odemira. Esta iniciativa contou com a presença do Diretor do Agrupamento e de alguns professores, para além dos alunos prestigiados, pais e página 7 encarregados de educação.

Encontro Interescolas de EMRC página 6 Núcleo de voluntariado da Secundária página 7 Notícias do Jardim de Infância de Odemira página 8 Alunos da Secundária foram a Espanha página 9 Teatro de luz negra na Damião página 10 Torneio de voleibol 4X4 misto pagina 11 Gala Miss&Mister e Globos de Ouro pagina 12

Campeãs regionais no voleibol feminino

Damião ganha “Prémio Geração Depositarão”

No fim de semana de 6, 7 e 8 de maio em Évora, a equipa de voleibol juvenis femininos da Secundária, constituída pela Beatriz Santos, Jéssica Rodrigues, Else Pronk, Maria Ventura, Rute Cesário, Carolina Serro, Filipa Loução, Maria Costa, Margarida Graça e Madalena Soares, sagrou-se bicampeã regional. página 11

No dia 11 de março de 2016, a Escola E.B. 2,3 Damião de Odemira foi premiada uma vez mais pelo excelente desempenho no âmbito do Programa Eco Escolas. Alcançou o 1º lugar, a nível nacional, na primeira fase de recolha do Programa Geração Depositrão. página 7


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Junho 2016 página 2

Folares no Parque das Águas

Editorial Saudamos o regresso do nosso “Escola Viva”, agora transformado em jornal do Agrupamento, após uma interrupção de alguns anos. Agradecemos, assim, ao nosso colega, Dr. José Coutinho, responsável pela iniciativa, e a todos aqueles que colaboraram neste primeiro número, em especial à Dr.ª Carla Pedro e à Dr.ª Teresa Martins. O jornal mostra algumas das atividades desenvolvidas pelo Agrupamento ao longo do ano letivo em curso. Muitas mais foram realizadas, é preciso dizer-se e saber-se. Ainda não temos enraizadas práticas de divulgar o nosso trabalho, de aproveitar ao máximo as nossas ações, o nosso empenho e dedicação. É, por isso, revelador apenas de parte do muito trabalho realizado com e para os alunos, do pré-escolar ao 12º ano. O jornal dará maior visibilidade ao Agrupamento de Escolas de Odemira e, sobretudo, uma imagem de funcionamento dentro da normalidade organizacional, em rutura absoluta com o passado recente. Temos a responsabilidade de devolver a confiança e a esperança que a comunidade merece. Quase findo um ano de mandato da atual Direção, podemos dizer que começámos a criar um verdadeiro Agrupamento de Escolas. Há, não obstante, um imenso trabalho a realizar, sendo o tempo escasso para fazermos tudo o que queremos e que sabemos que tem de ser construído. Pode a comunidade confiar no nosso esforço e entusiasmo para continuarmos a melhorar. Neste ano, tivemos (e temos) que contar com as mudanças em matéria de Educação. Elas são significativas e fraturantes em relação ao anterior executivo, mas também, a um mesmo tempo, desafiadoras e motivantes, ao colocar a tónica dominante na promoção das aprendizagens como forma de melhorar os resultados dos alunos. O próximo ano escolar será marcado por novas práticas e procedimentos, em que todos juntos nos iremos empenhar para combater o insucesso escolar. Esperemos que o normativo sobre a abertura do ano escolar dê espaço à Escola para conseguir pôr em prática planos de ação estratégica especialmente orientados para a resolução de problemas concretos, dando coerência e consistência ao discurso político. Aproveitando a ocasião, desejamos que os alunos se empenhem no trabalho de preparação para os exames nacionais, começando a construir as suas carreiras que esperamos sejam de sucesso. Aos que concluirão os seus estudos, apelamos para que regressem sempre e que estejam presentes na cerimónia que prepararemos para entrega dos diplomas, como aconteceu no ano em curso. Uma última palavra de apreço por todo o trabalho desenvolvido pelo pessoal docente e não docente, sem o qual não seria possível levar a cabo a difícil tarefa de erguer o Agrupamento. Apesar da distância, desejamos a todos um bom final de ano escolar e umas excelentes e retemperadoras férias. O Diretor Armando Alves Martins

Nós, alunos da turma J do Centro Escolar da Boavista dos Pinheiros, no dia 18 de março, fomos para o Parque das Águas aprender ou aperfeiçoar a arte de fazer folares juntamente com os idosos do Lar de Odemira. Com um avental e uma touca, lançámos mãos à obra de amssar e de fazer um folar pequeno para cada um. Já quase todos fizemos folares com as nossas avós e familiares, mas nunca com pessoas que não conhecíamos. A nossa professora também fez um belo folar. A nossa colega Maria disse que, quando fizesse 10 folares, achava que já conseguia fazer tudo sozinha. O Rafael também faz folares com a mãe e ensinou-nos algumas técnicas. Decorámos os folares de várias formas e as senhoras ensinaram-nos a decorá-los com tranças. Também recordaram com saudade quando eram mais novas e faziam os folares com as avós. Estavam muito contentes por estarem acompanhadas de crianças e sentiram-se úteis. Também estiveram senhoras da Santa Casa da Misericórdia de Odemira para nos ajudar na confeção dos folares. Uma enorme postura, capacidade organizativa e de liderança proporcionou aos idosos um momento de felicidade. Enquanto os folares estavam no forno, fomos todos brincar. Esperámos pacientemente que cozessem e quando saíram do forno…hum! Que delícia! Tivemos de os provar logo. Depois, o que sobrou da nossa obra-prima, oferecemos aos nossos pais.

Boavista solidária

Alunos 2º/4ºJ

Alguns alunos do 3º I do Centro Escolar da Boavista dos Pinheiros tiveram a iniciativa de começar um projeto chamado “Boavista Solidária”, para se colaborar com a Loja Social da Boavista dos Pinheiros – Espaço Logos. Estes alunos explicaram aos outros colegas do Centro Escolar que o projeto Boavista Solidária é um projeto que vai ajudar as famílias mais necessitadas da freguesia. Todos os meses cada aluno contribui com um alimento ou com um produto de higiene e estes bens vão sendo alterados, para se ir variando a oferta. Como os alunos gostam de ser solidários, querem que o projeto continue a ser desenvolvido no Centro Escolar por outros colegas, mesmo quando já tiverem ido embora para a Escola Damião. Luísa Domingos e Maria Sameiro Modesto - 3ºI


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Junho 2016 página 3

9º ano em visita de estudo a Lisboa

Dia 12 de fevereiro, nós, as três turmas do nono ano da escola Damião de Odemira, fomos a uma visita de estudo em Lisboa. A visita decorreu no âmbito das disciplinas de Português, História, Físico-Química e Ciências Naturais, pelo que assistimos à dramatização do Auto da Barca do Inferno, visitamos o Museu da Eletricidade e fomos ainda ao Centro de Ciência Viva, onde assistimos a uma exposição denominada “Espinafres & Desporto”. Saímos da escola bem cedo de manhã, e, apesar das condições meteorológicas não terem estado no seu melhor e termos apanhado bastante trânsito, o que nos atrasou a viagem, correu tudo bem, mesmo com bastante chuva. O primeiro local onde fomos foi o Museu da Eletricidade, onde pudemos conhecer a história da eletrificação e onde nos foi explicado como tudo funcionava. Aprendemos também como os trabalhadores na altura passavam pelas difíceis condições de trabalho. Apesar de termos chegado atrasados e a visita ao museu ter sido feita um bocado à pressa, penso que foi do agrado geral.

Em seguida, dirigimo-nos ao centro comercial Vasco da Gama, onde almoçámos, fora do planeado, porque não pudemos almoçar no sítio previsto devido à instabilidade do tempo. Após o almoço, fomos assistir à peça de teatro Auto da barca do Inferno, que foi representada num colégio, e que foi bastante importante para a disciplina de português, tendo sido a matéria acabada de lecionar. Por último, dirigimo-nos ao Centro de Ciência Viva, onde percorremos a exposição. O objetivo era mostrar o que era preciso para ter um estilo de vida saudável. A exposição estava dividida em três zonas, a cozinha, o parque e a zona fitness, onde interagimos e onde o corpo humano e a atividade física estão em destaque. Após este longo dia, regressámos a Odemira, todos bastante cansados, mas penso que, no geral, todos acharam uma boa experiência e uma óptima visita de estudo, apesar de termos apanhado com bastante chuva. Laura Faneca. 9º B

Secundária em Mafra, Lisboa e Sintra

Nos passados dias 29 de fevereiro e 1 de março, a turma de Ciências Socioeconómicas de 12º ano e os cursos profissionais de Banca e Seguros e de Gestão de 3º ano realizaram uma visita de estudo conjunta a Mafra, Lisboa e Sintra. No primeiro dia, foi feita uma visita guiada pelo Palácio-Convento de Mafra, em que se explicou todo o seu processo de construção e o seu enquadramento histórico, sendo muitas vezes feita a contextualização com a obra Memorial do Convento. Durante a tarde, foi tempo de assistir a uma peça de teatro sobre a mesma obra, no palácio. Terminada a encenação, os alunos e os professores partiram para Lisboa, onde pernoitaram. Dia um foi novamente destinado à descoberta. De manhã ela decorreu na capital. A turma de Ciências Socioeconómicas visitou o ISEG (Instituto Superior de Economia e Gestão), ao passo que os cursos profissionais se deslocaram até ao Museu Nacional de Arte Antiga. Concluídas estas visitas, antes da hora de almoço, continuou-se a viagem até à bela e mítica vila de Sintra. Para além de passear pela vila, foi dada a oportunidade de conhecer a Quinta da Regaleira. Também aqui foi feita uma visita guiada, onde foi explicada a carga simbólica atribuída a todos os seus pormenores. Na imensidão desta quinta é importante destacar a gruta do labirinto, o palácio da Regaleira, o poço iniciático, as paisagens arrebatadoras e toda a harmonia que o monumental contacto com a natureza proporciona. Concluída esta aventura, foi tempo de voltar a casa para descansar e eventualmente recordar todos os momentos passados e os conhecimentos adquiridos. Daniela Ramos, 12º C

Teatro na sala de aula

Parlamento dos Jovens 2016

No passado dia 15 de Março de 2016, decorreu no Auditório do IPDJ, em Beja, a sessão distrital do Parlamento dos Jovens para o Ensino Secundário. Esta sessão contou com a participação de 16 escolas na discussão do tema “Portugal: assimetrias litoral/interior. Que soluções?”. A representar a nossa Escola Secundária estiveram os deputados Bruno Soares (cabeça de lista), António Martins e Jéssica Rodrigues, todos da turma 12ºC e ainda a Mariana Évora do 12ºD. O debate foi vivo, todos os alunos demonstraram enorme empenho e o des-

fecho foi quase o desejado, dado que a nossa escola ficou como uma das duas escolas suplentes para a Sessão Nacional em Lisboa. Em termos individuais, a prestação foi ótima. Prova disso foi a entrevista feita a um dos alunos, Bruno Soares, pela Rádio Voz da Planície, juntamente com dois deputados de Beja. Outro grande destaque foi também a participação da aluna Daniela Ramos (12ºC), que presidiu com sucesso à mesa da sessão distrital, demonstrando uma enorme postura, capacidade organizativa e liderança. Bruno Soares, 12º C

Teatro na sala de aula ou outra maneira de aprender História e Geografia de Portugal. Nós, os alunos das turmas A e C do 5º ano, fizemos uma atividade diferente: organizamo-nos em grupos e preparamos a dramatização de lendas e de acontecimentos da História de Portugal que apresentamos na sala de aula. Depois as duas turmas juntaram-se e mostramos os trabalhos uns aos outros. Adoramos ver como cada um conseguiu interpretar uma personagem e gostamos também de ver como se consegue trabalhar em equipa. Foi uma forma nova de percebermos lendas e acontecimentos da História de Portugal, pois não foram aulas iguais às outras e divertimo-nos bastante. Gostamos dos adereços e das roupas que usamos porque parecia que representávamos de verdade. Os alunos mostraram algum nervosismo pois tentaram fazer tudo na perfeição. O 5ºA e o 5ºC


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

A minha experiência na rádio Sempre tive uma enorme paixão pela comunicação e pela música, e sempre disse que um dia iria trabalhar na rádio. Quando o professor Fernando Almeida mo propôs, nem quis acreditar, e aceitei de imediato a proposta. No início, pareceu-me tudo um pouco estranho: era numa escola diferente, com novas pessoas, não sabia sequer trabalhar em programas de edição de som, nem falar para um microfone sem erros. Estava sempre tensa. Semana após semana, fui-me “libertando”, e tem sido, sem dúvida alguma, uma das melhores experiências da minha vida. Não há nada como fazer o que gostamos, falar de uma forma descontraída sobre assuntos que considero interessantes e, claro, com uma ótima companhia. Entre os meios de comunicação de massa, a rádio é o mais popular e o de maior alcance público, e, muitas vezes, o único a levar informação para populações de vastas regiões que ainda hoje não têm acesso a outros meios. Uma das grandes

vantagens, na minha opinião, é que para além de informar, a rádio também distrai e diverte. Como locutora, tenho de ter especial atenção ao meu tom de voz, aos ruídos e à minha expressividade, o que acaba por ser um pouco difícil. Contudo, espero continuar na rádio por mais tempo, com mais ideias, mais programas, porque de facto é uma coisa incrível, na qual tenho muito orgulho de fazer parte. Margarida Santos, 9º B

Manhã de campo no Cavaleiro

Junho 2016 página 4

Viagem de finalistas do 9º ano

A viagem teve inicio pelas 8 horas e 20 minutos quando fomos deixados pelos nossos pais na Funcheira para apanhar o comboio com destino a Lisboa. Nenhum de nós imaginava o quanto nos íamos divertir. Quando chegamos, tínhamos duas pessoas muito responsáveis à nossa espera, a professora Teresa Nunes e a professora Zélia Delgado, que passaram os 5 dias a aturar-nos. Durante a viagem, andamos imenso e visitamos sítios maravilhosos como a Estufa Fria, o Elevador de Santa Justa, diversos miradouros com vistas fantásticas, Feira da Ladra, as ruas de Alfama e Mouraria, Palácio da Pena, Quinta da Regaleira, Torre de Belém, Mosteiro dos Jerónimos, andamos de elétrico, e vimos muitos mais monumentos e claro, não resistimos a tirar uma foto na brasileira com Fernando Pessoa. É sem dúvida uma viagem para recordar! Quero deixar um agradecimento especial às duas professoras que tiveram imensa paciência, à direção do Agrupamento de Escolas de Odemira e à Câmara Municipal de Odemira, pois sem o seu apoio não teria sido possível realizar esta fantástica viagem. Carolina Gonçalves, 9ºB

A Damião no Instituto Alemão

Decorreu no último dia do mês de abril uma saída de campo do clube Geode para observação de fauna e contacto com a realidade agrícola e natural da região do Cavaleiro. Entre professores e alunos foi uma dúzia de participantes a usufruir de uma excelente manhã de sol primaveril, e a fazer observação e fauna na área do farol e nos terrenos explorados pela GEMÜSERING PORTUGAL. Boa disposição e aprendizagem, conhecimento prático ao lado dos conceitos mais teóricos, atividade física e intelectual… mundos que juntos conseguem os melhores resultados, mas que muitas vezes na escola andam divorciados como de inimigos se tratasse. Ficou o “sabor a pouco”. Para a próxima talvez seja melhor levar o farnel para almoçar por lá. Vamos dando notícias.

Mesas de Natal 2015 Foi no dia 18 de Dezembro de 2015 que se celebrou mais um final de 1º Período com o concurso Mesas e Cabazes de Natal, tal como manda a tradição. A atividade contou com espírito solidário e criativo de 15 turmas para as Mesas e de 17 para os Cabazes. Este ano a Associação de Estudantes decidiu inovar a atividade e propôs a todas as turmas que representassem um país, ou seja, cada turma que decidisse participar teria de escolher um país e, consoante a sua escolha, preparar a sua

mesa com os hábitos natalícios do mesmo. Já os cabazes mantiveram-se iguais, estes podiam incluir bens alimentares não perecíveis (como massas, enlatados, óleo, azeite, leite…). Tal como sempre aconteceu, todos os cabazes, depois da atividade, foram entregues à Caritas que, posteriormente, os distribuiu por famílias carenciadas do nosso concelho. A mesa vencedora pertenceu à turma do 3º ano do Curso de Técnico de Gestão e Banca e Seguros e o Cabaz vencedor foi elaborado pelo 12ºC.

Nos dias 8 e 9 de abril de 2016, as alunas Catarina Santiago da turma A do 9ª ano, Bianca Castro e Cátia Matos da turma B do 9º ano, da EB Damião de Odemira, estiveram presentes no Instituto de Alemão - Goethe Institut - em Lisboa, a fim de participarem num workshop do jornal digital do instituto, onde elaboraram, juntamente com outras escolas, um comentário sobre o tema «Universidade ou Estágio». Após terem redigido, em Alemão, um artigo para o jornal, onde puderam expor as suas opiniões sobre o tema, incorporaram o comentário num vídeo, juntamente com fotos tiradas por uma das alunas. O vídeo já se encontra disponível online, na página do Digitale Klicke, jornal digital, onde participam alunos das escola da rede PEPA (Projeto de Escolas-Piloto de Alemão), e no qual têm cooperado alunos de Alemão do Agrupamento ininterruptamente desde há vários anos a esta parte. No presente ano escolar, este foi o segundo workshop em que os alunos do Agrupamento puderam participar. O workshop terminou no dia 9 de abril de 2016, por volta das 16h, após as alunas presentes terem visto os trabalhos realizados pelos restantes e recebido os respetivos diplomas. Com este workshop, as referidas alunas puderam vivenciar dois dias de comunicação essencialmente em Alemão e tomar contacto com a gastronomia e a cultura-alvo, enriquecendo a sua experiência de aprendizagem desta língua estrangeira.


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Projeto Plantago almogravensis tem nova vida Plantago almogravensis é uma pequena planta das dunas que se encontra em perigo crítico de extinção, existindo apenas 3000 a 4000 indivíduos, numa única população, instalada numa área de menos de 7 hectares, nos arredores de Vila Nova de Milfontes. Esta planta não existe em mais nenhum lugar do mundo. Já tinha sido realizado um projeto nesta escola com o objetivo de aumentar o número de indivíduos desta espécie, a partir de um reduzido número de sementes, utilizando técnicas de propagação in vitro. Os exemplares produzidos foram transferidos para um local próximo do Almograve, onde esta espécie já existiu no passado e de onde se extinguiu. Contudo, esta população, criada pelos alunos em 2009, é pequena e alguns exemplares não sobreviveram à secura da última primavera e verão. O nosso objetivo este ano é fazer em laboratório a propagação de algumas dezenas de espécimes de Plantago almogravensis para reforçar essa população criada em 2009. Já começámos a fazer ensaios de germinação in vitro e de aclimatização gradual das pequenas plantas à vida em vaso. Segue-se a aclimatização ao ambiente exterior. Para já os resultados têm sido bons, embora nas férias do Natal a mortalidade das plantas tenha sido muito grande.

Projeto Medea

Ao longo desta atividade temos aprendido várias técnicas utilizadas em laboratório, que não são utilizadas nas nossas aulas. Nós temos tentado aproveitar ao máximo esta atividade para aprender e enriquecer os nossos conhecimentos a nível da Biologia. Apesar de terem surgido alguns imprevistos, nós tentamos resolver os problemas e, sem dúvida, temo-nos divertido bastante. Têm participado neste projeto: Luzie, Daniel Gregório, Daniel Silva, Angelina, Clara, Nico, Milo, Luís e Sara, alunos da Secundária.

Junho 2016 página 5

Projeto de investigação com a Maravilha Farms

No dia 22 de dezembro (final do 1º período) visitámos a Quinta da Bica, uma das quintas da Maravilha Farms, acompanhados pela Engenheira Lénia, que curiosamente foi aluna da nossa escola e agora é técnica desta empresa. A Maravilha Farms, mais concretamente o seu diretor, Luís Pinheiro, lançou-nos um desafio: investigar o ciclo de vida de uma pequena mosca (Drosophila suzukii) exótica e que se tornou uma praga para a produção de pequenos frutos em Portugal e noutros países. Desenhámos duas experiências para investigar alguns aspetos ainda desconhecidos acerca do comportamento desta espécie na nossa região. Decidimos investigar se estas moscas conseguiam hibernar no solo e até que profundidade conseguiam permanecer quando não houvesse a produção de fruta. Colhemos amostras de solo do local e foram introduzidas num garrafão dispostas por camadas de acordo com a profundidade a que amostra estava. Numa outra experiência, recolhemos bagas de Solanum, uma planta infestante encontrada em abundância em vários campos agrícolas, para se verificar se Drosophila suzukii se poderia encontrar noutros frutos que não os das colheitas dos campos agrícolas, ou seja, se Solanum funciona como hospedeiro alternativo para a mosca. Esta atividade tem sido um pouco difícil, pela dificuldade de transporte para os trabalhos de campo e pela falta de disponibilidade de tempo da nossa parte; não foi possível até à data encontrar soluções para os problemas em estudo. Contudo, o trabalho realizado permitiu-nos aprender algumas técnicas que desconhecíamos e deu-nos a conhecer uma empresa agrícola que trabalha de uma forma muito diferente da agricultura tradicional que conhecíamos. Angelina Petrova, Daniel Silva – 11º B

Doenças neuro-degenerativas

O Projeto Medea, projeto a nível nacional para a medição dos campos electromagnéticos no ambiente, é um concurso para as escolas portuguesas, apoiado pela sociedade Portuguesa de Física e pela Rede Elétrica Nacional. O clube BiGeo inscreveu-se nesta iniciativa, sendo representado pelos alunos Clara Kessler, 11ºA, Angelina Petrova, Daniel Silva, Luzie Fraustein e Sara Durães, do 11ºB. O Projeto Medea é um concurso que consiste na medição de campos eletromagnéticos de baixas frequências em diferentes locais, e na publicação dos resultados obtidos num site do projeto, feito pelos alunos de cada grupo participante. O objetivo é identificar os aparelhos do nosso quotidiano que emitem mais radiação e estudar as possíveis consequências que esta radiação pode ter para a nossa saúde.

Para a realização do projeto é enviado um aparelho de medição de ondas elétricas e de ondas magnéticas (SPECTRAN NF-5010) a cada escola selecionada. Como este ano o número de escolas participantes é muito elevado (28 escolas), estas são divididas em dois grupos para que existam aparelhos disponíveis para cada escola participante. O vencedor será o grupo de alunos com o melhor site, que será premiado. O grupo de Bigeos que assumiu a realização deste trabalho está a concentrar-se essencialmente na medição de campos elétricos e magnéticos de aparelhos no nosso ambiente escolar, como portáteis, quadros de eletricidade, aquecedores, etc., e além disso também irá efetuar algumas medições não associadas a aparelhos, como por exemplo no polivalente da escola. Luzie Fraustein e Clara Kessler

Pessoas com doenças neuro-degenerativas são as que sofrem de doenças progressivas, que vão agravando ao longo do tempo e não têm cura, embora possam estabilizar durante muito tempo. A maior parte das doenças neuro-degenerativas têm origem genética. Estas doenças atacam as células e estruturas do indivíduo, o que consequentemente ocorre na perda das capacidades funcionais. Para ajudar as pessoas que sofrem desta doença no nosso concelho, uma das estruturas de apoio é a APCO (Associação de Paralisia Cerebral de Odemira). Foi lá que conhecemos a Lurdes, cuja história vos queremos contar. A Lurdes é uma senhora de 47 que sofre de uma doença neuro-degenerativa (Ataxia de Friedreich) desde os seus 10 anos de idade. Não se sabe ao certo a causa, mas supõe-se que o fator desencadeante terá sido uma operação ao apêndice, aos 8 anos de idade. A partir da operação, Lurdes começou a manifestar dificuldades a andar e, por palavras da mesma, “parecia que estava sempre bêbada”. Devido ao seu andar incomum, viria a ser vítima de bullying. A falta de conhecimento médico e recursos durante a sua juventude, não permitiram o diagnóstico da doença. Aos 18 anos, teve de recorrer à cadeira de rodas, pois os seus músculos enfraqueciam cada vez mais. Perguntámos à Lurdes como ela se sentia quando começou a manifestar a dificuldade a andar. Ela respondeu, emocionada, que se sentia excluída da sociedade e insuficiente, pois as pessoas tratavam-na de forma diferente. Também acrescentou que se sentia mal consigo própria, como se ela tivesse culpa do que estava a acontecer, quando na realidade o problema não era a condição dela, mas sim a mentalidade das pessoas. Foi comovente ouvir a Lurdes falar por perceber que alguma coisa estranha se estava a passar com ela, e por muitas pessoas fazerem troça dela por ser tão desajeitada. A mensagem que a Lurdes quer transmitir é a seguinte: é necessário dar a conhecer as doenças neuro-degenerativas e mostrar que as pessoas que sofrem deste tipo de doenças necessitam de cuidados e conforto, mas também do calor humano à sua volta. Outra mensagem que é importante passar é que a Lurdes não é a única a sofrer deste tipo de doenças, ao contrário do que ela pensava quando era jovem. Eva Oeverhaus e Sara Durães


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Junho 2016 página 6

Visita à exposição de Arte Moderna

Encontro interescolas de EMRC

Os alunos do 9º ano visitaram a Exposição de Arte Moderna nos dias 2 e 3 de maio, na Igreja da Misericórdia de Odemira. A exposição é composta por uma seleção da coleção particular do crítico de arte Rui-Mário Gonçalves e foi organizada pelos Serviços Culturais da Câmara Municipal de Odemira. Normalmente deslocamo-nos a Lisboa para observarmos obras dos artistas plásticos representados. Desta vez podemos Os alunos do 9º ano dizer que o Modernismo veio a Odemira.

No dia dia 16 de março, reuniram-se em S.Teotónio, concelho de Odemira, cerca de 750 alunos de E.M.R.C. do 3ºciclo, vindos de quase todos os pontos da diocese de Beja, para uma grande celebração do que é ser aluno e ser docente de Educação Moral e Religiosa Católica. A grande temática deste encontro foi “Jesus, Rosto da Misericórdia” e podemos dizer que foi um dia memorável, pleno de encontro, partilha e diversão. Todos foram recebidos junto à E.B. 2, 3 de S.Teotónio e daí partiram em grande grupo para a travessia da vila, parando na Igreja Matriz de S.Teotónio, onde foram acolhidos pelo Padre Júlio Lemos, com um momento de oração e de cânticos de alegria. De seguida, prosseguiu-se para o espaço da Faceco, gentilmente cedido

pela Câmara Municipal de Odemira, onde tiveram lugar variadas atividades. Com animação musical, procedeu-se à apresentação de todas as escolas intervenientes, afixaram-se os cartazes trazidos por todas as escolas acerca da Misericórdia, num recanto um pouco mais propício ao recolhimento. Daí, iniciaram-se as várias atividades: animação musical constante, karaoke, workshop de karaté, mostra de artesanato local, aula de zumba, atividades desportivas e diversão no super escorrega e trampolins. Foi um dia muito bom, animado pelo sol e pela alegria de estarmos juntos.

No passado dia 13 de abril, a nossa turma (4º E) participou nas Jornadas Escolares em Colos. Os cinco deputados eleitos (Rodrigo, Raquel F., Mariana I., Francisco S. e Miguel) apresentaram na Assembleia das Crianças um projeto sobre o Mel. Escolhemos este tema, porque é um produto que a Floresta da nossa região nos oferece. Levantámos a questão ao público: se seria possível a produção de Mel no meio

urbano como é no meio rural. Referimos as diferentes utilidades do Mel: na saúde, na culinária e na higiene pessoal. Propusemos, na Assembleia, a certificação/criação de uma marca para o Mel produzido no concelho de Odemira. No final da nossa apresentação, mostrámos favos de Mel e demos a provar a todos o Mel. De seguida, tivemos uma aula de Zumba bem animada e, depois, fomos almoçar. Foi um dia muito bem passado.

Exposição de Educação Tecnológica

Alunos do 3ºCiclo e Professora de E.M.R.C. da Escola E.B.2,3 Damião de Odemira

Jornadas Escolares em Colos

Realizou-se entre os dias vinte e seis de fevereiro e onze de março, na Escola Básica 2/3 Damião de Odemira, uma exposição de fornos solares e candeeiros elétricos, elaborados pelos alunos dos oitavos e sextos anos, na disciplina de Educação Tecnológica, com reutilização de materiais e em articulação com o Programa Eco-Escolas.

Atividades ambientais na Longueira

No dia 16 de março, os alunos da Escola da Longueira foram plantar árvores na ribeira do Cruzamento do Almograve - Bebedouro do Meio. Esta atividade foi proposta pelo Parque Natural do Sudoeste Alentejo e Costa Vicentina. Fomos plantar carvalhos, salgueiros e outras espécies nas margens da ribeira porque estas estão invadidas por acácias. As árvores que plantámos vão fazer sombra, impedindo que as acácias cresçam. Também servem para abrigo dos animais, contribuem para a limpeza da água da ribeira, purificam o ar e embelezam a paisagem ribeirinha. Mais tarde, na escola, também fizemos plantações. Como não temos terreno para plantar, fizemos uma «horta vertical». Usámos garrafas e garrafões e semeámos e plantámos favas, ervilhas, feijões, abóboras, tomates, alfaces e outros. Tudo nasceu e está muito bonito. De seguida iremos transplantar para a horta da escola da prof. Clara. Nós gostamos muito de tratar das plantas.

Fernando Évora apresentou novo livro

E as vespas chegaram por fim à Escola Secundária. Com elas chegou o mel e o Fernando Évora. Com a ironia a que já nos habituou, apresentou com brilhantismo o seu último livro, "O Mel e as Vespas ". Os alunos colocaram questões sobre a génese do livro e não só. O nosso voluntário de leitura, Ricardo Vilhena, a quem agradeço, foi "picado pelas vespas" e leu um excerto da obra, que com toda a certeza nos "abriu o apetite" para novas leituras. Um gigantesco agradecimento ao autor e a todos os presentes. Natércia Rocha


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Junho 2016 página 7

Entrega de diplomas no Cineteatro Camacho Costa

A cerimónia de entrega de diplomas do Agrupamento de Escolas de Odemira aos alunos que se destacaram nos diferentes anos de escolaridade, quer pelos excelentes resultados obtidos, quer por participação em diferentes atividades, teve lugar no Cine-teatro Camacho Costa, Odemira. Esta iniciativa contou com a presença do Diretor do Agrupamento e de alguns professores, para além dos alunos prestigiados, pais e encarregados de educação. Na minha opinião, como ex-aluna, esta iniciativa foi uma excelente ideia e uma ótima maneira de relembrar aquilo por

que passamos enquanto alunos. Foi também, de certa forma, emotiva, pois achei muito carinhoso da parte da organização do evento, a divulgação de fotos, dos nomes de todos os alunos que entraram no ensino superior, assim como os nomes dos cursos e das respetivas universidades. A meu ver, atividades deste género são importantes e devem continuar a realizar-se, pois acho que a valorização e o reconhecimento de um bom trabalho são aspetos essenciais na vida de um estudante.

No dia 11 de março de 2016, a Escola E.B. 2,3 Damião de Odemira foi premiada uma vez mais pelo excelente desempenho no âmbito do Programa Eco Escolas. Alcançou o 1º lugar, a nível nacional, na primeira fase de recolha do Programa Geração Depositrão. O prémio, constituído por 250 euros em livros da Porto Editora para a Biblioteca Escolar, um monitor, um projetor e um tablet, foi recebido por alguns dos elementos do Conselho Eco Escolas, das mãos da senhora representante da LG, da Drª Filipa Moita, da ERP – European Recycling Platform - e do senhor representante da Porto Editora. O Subdiretor do Agrupamento, professor José Mário Mil Homens, agradeceu a

toda a comunidade educativa e a todos os que se associaram a este projeto, o empenho e a participação que têm sido a tónica constante desde que a Escola Damião integra o Programa Eco Escolas. Fica aqui um agradecimento muito especial à loja Soares & Filhos, parceira da Escola Damião neste Programa. Fica também a promessa de continuarmos a trabalhar com o mesmo empenho e garra, pois é muito bom ver o nosso esforço distinguido, e os prémios recebidos são uma grande ajuda no trabalho desenvolvido na Escola Damião e nas outras escolas do Agrupamento. Para isso, contamos com o envolvimento de todos.

Carolina Gonçalves, ex-aluna

Damião ganha “Prémio Geração Depositarão”

Os alunos do Conselho Eco Escolas

Núcleo de voluntariado da Secundária

Existimos na Escola Secundária desde 2013. Iniciámos a nossa atividade após o convite da equipa nacional do Programa Nacional de Voluntariado YoungVolunTeam, promovido pela Caixa Geral de Depósitos, em parceria com a Sair da Casca, a ENTRAJUDA e com o apoio da DGE e do Programa Juventude em Ação. Este programa visa a promoção do Voluntariado nas escolas do Ensino Secundário. Somos um grupo de alunos, professores e funcionários da Secundária, da Damião e da Básica de Odemira que desenvolve atividades/acções solidárias e de formação na área do voluntariado.

O nosso objetivo principal é doar o nosso tempo (e querem algo mais valioso? Tão valioso que não é possível recuperar) aos outros esperando como retribuição um sorriso e enriquecimento pessoal. Nada mais. O que fazemos então? Durante este ano letivo: - frequentámos uma ação de formação de voluntariado com formadores da ENTRAJUDA e da Sair da Casca; - demos formação a duas turmas de alunos do 1º ciclo; - recolhemos roupas, livros e brinquedos, em colaboração com a Associação de Estudantes, para Instituições de Solida-

riedade, em pareceria com os CTT; - participámos nas recolhas de alimentos do Banco Alimentar Contra a Fome junto dos supermercados locais; - organizámos e distribuímos cabazes de alimentos para famílias necessitadas do concelho na Campanha Aliados do Natal, da responsabilidade da TAIPA; - colaboramos com o Professor Gonçalo Condeixa nas atividades desenvolvidas com os nossos colegas da APCO; - desenvolvemos um projeto de interacção com os idosos do Lar e do Centro de Dia da Santa Casa da Misericórdia; - recolhemos tampinhas para doar a diversas organizações de apoio a cidadãos com problemas de saúde e contribuir para a aquisição de equipamentos de apoio; - deslocamo-nos ao Canil Municipal regularmente, para ajudar na manutenção das instalações e passearmos os cães; - colaboramos com a Associação de Estudantes na entrega dos Cabazes de Natal à Caritas local; - organizamos atividades de jogos tradicionais com os alunos do 1º ciclo. E com tudo isto fica tanto para fazer. Tantos projetos para concretizar! Mas, queremos seguir em frente com a colaboração de toda a comunidade e a nossa determinação. Tudo porque gostamos do que fazemos. Fernanda Almeida

EB1 de Odemira de visita à Biblioteca Municipal

Para assinalar o mês da Prevenção dos Maus tratos na infância, os alunos do 1º ano da EB de Odemira deslocaram-se à Biblioteca Municipal de Odemira. Aqui ouviram uma história sobre essa temática. Como estávamos no mês de abril, também aproveitamos para falar um bocadinho sobre como era Portugal antes da Revolução de 25 de abril e como é agora. Para terminar, os animadores da Biblioteca ensinaram-nos algumas músicas que ficaram na história e cantámos todos juntos.

EB1 de Odemira de visita a Lisboa

No passado dia 7 de abril, as duas turmas do 1º ano da EB de Odemira foram numa visita de estudo a Lisboa. A primeira paragem foi no Teatro Politeama onde assistimos ao musical "O Tarzan". Foi muito divertido! Depois do almoço nos jardins perto do Mosteiro dos Jerónimos, fomos até ao Planetário onde aprendemos muito sobre planetas, estrelas, constelações... Foi um dia muito divertido e diferente!


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

CLUBE DE GEOGRAFIA

Junho 2016 página 8

Controlo de roedores em espaço agrícola

Atividades no Jardim de Infância de Odemira

Inúmeras atividades marcam o dia a dia do nosso Jardim de Infância, com o envolvimento das nossas crianças e de todos os intervenientes. Aqui ficam algumas imagens como testemunho do trabalho desenvolvido e dos momentos vividos com capacidade de realização, com alegria e interesse, o que contribuiu para o desenvolvimento global da criança e do grupo. O Natal teve sempre presente o espírito solidário, a alegria e surpresas.

O cuidado com o ambiente e com a Natureza são importantes e por isso a visita aos Bombeiros foi significativa para todos. As explicações dos bombeiros Pedro e Diogo foram muito importantes, e andar no camião dos bombeiros foi inesquecível com direito a sirene e tudo.

As experiências da germinação do feijão e as sementes de agrião e de alface despertaram a curiosidade e foram observadas por todos e registadas.

A atividade agrícola, interferindo na ocupação vegetal do meio natural, cria frequentemente condições favoráveis à proliferação de algumas espécies animais que passam a constituir verdadeiras pragas. Esta situação é por certo tão antiga como a própria agricultura, e ao longo do tempo o Homem tem utilizado estratégias diversas para lidar com os problemas que as pragas agrícolas lhe colocam. Durante os últimos decénios, essa resposta passou muitas vezes pela utilização de produtos tóxicos fornecidos pela indústria química que foram vistos inicialmente como bênção da tecnologia moderna, mas que são hoje de questionável vantagem sobretudo pelos impactos indiretos que têm sobre o ambiente e sobre os seres humanos. Mas é hoje sabido que a utilização de produtos tóxicos acabará inevitavelmente por, mais cedo ou mais tarde, nos causar danos… Para além de muitas outras pragas que o agricultor tem de enfrentar nos seus campos, a proliferação de roedores afeta com frequência tanto os espaços de produção, como instalações de apoio (armazéns, depósitos de sementes, de fenos, de máquinas, etc.). Os roedores causam prejuízo nos campos e armazéns, mas, por outro lado, a utilização de raticidas para os combater é indesejável. Face a

este problema assumem cada vez maior importância as técnicas que utilizam outras espécies para promover o controlo de roedores. É assim que surge a ideia de tentar o controlo natural dos roedores nos campos explorados pela empresa GEMÜSERING PORTUGAL, que vê no Ge0de um parceiro interessante para levar por diante um trabalho experimental aplicado de controlo de roedores na sua área de implantação. Este projeto de “Controlo de Roedores em Espaço Agrícola” será desenvolvido no mínimo ao longo de dois anos letivos e terá como atividade mais imediata a construção e montagem de ninhos artificiais para aves e rapina. Serão participantes nesta atividade o professor Fernando Almeida e a professora Dulce Raposo, na qualidade de coordenadores e responsáveis pelas atividades e no corrente ano letivo esses estudantes serão provenientes sobretudo das turmas A e B do 9.º ano, podendo alunos provenientes de outros anos e turmas participar igualmente nas atividades. No decurso da execução do projeto voltaremos a dar notícias. Para já foi iniciada a construção de ninhos artificiais e o trabalho de campo com visita à área onde decorre o trabalho. Fernando Almeida

Visita de estudo a Sines

Os alunos da turma 10ºC de economia e do primeiro ano do curso profissional de gestão da Secundária, acompanhados pelas professoras Idalina Simão, Luísa Branquinho, e Célia Portela e pelo professor José Seno Luís, visitaram o porto de Sines e a refinaria da Galp no dia 25 de Fevereiro de 2016. Partimos de Odemira às 9h30 da manhã e chegamos por volta das 10h ao porto de Sines. Visitamos o seu interior dentro do autocarro e um guia foi-nos dando indicações sobre o que nos rodeava para percebermos um pouco melhor como funciona um porto tão importante como o de Sines. Depois da visita ao porto, por volta das

12h, fomos almoçar à zona comercial de Sines. Por fim, quando terminamos o almoço, fomos visitar a refinaria da Galp. Primeiramente, assistimos a uma palestra sobre a história e o funcionamento do local e depois fizemos uma visita guiada pelas instalações, onde ficamos a saber melhor como funciona o interior de uma refinaria. Teresa e Vânia

No âmbito da educação ambiental, a separação dos lixos é uma prática diária na sala. A preocupação ambiental levou a um olhar mais crítico e a uma ação de limpeza no espaço exterior de recreio da escola e a uma sensibilização junto dos alunos de todas as turmas do 1º ciclo, para que mantenham os espaços limpos e a importância das atitudes ecológicas.

O dia do Pijama viveu-se com a alegria de reunir os donativos, os jogos e a catarse do escuro, com música, histórias e atividades lúdicas, e com os nossos pijaminhas vestidos. No final fez-se uma oferta de trabalhos ilustrativos de um dos direitos das crianças às turmas do 1º ano.

Atividades na EB1 da Longueira Comemoração do 25 de abril e do Dia do Otimismo No dia 22 de abril, os alunos da Escola da Longueira comemoraram o Dia do Otimismo e o 25 de abril. Escreveram algumas frases sobre o dia do Otimismo de forma a motivar as pessoas para uma vida melhor e cheia de esperança. Depois copiaram-nas no computador. Com papel crepe verde e vermelho, fizeram um cravo, a flor que simboliza a liberdade conquistada na revolução do 25 de abril. Depois, as frases que anteriormente tinham sido escritas, foram colocadas nos cravos. No fim do dia, os alunos levaram os cravos com as mensagens para oferecer. Também foi feito um cartaz com o desenho de um grande cravo e com as ideias dos alunos acerca da liberdade.


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Junho 2016 página 9

Alunos da Secundária foram a Espanha Realizou-se uma visita de estudo a Espanha, entre os dias 11 e 15 de abril, onde participaram os alunos do 11º e 12º anos das áreas de Humanidades e de Artes. Durante uma semana, os alunos visitaram cidades consideradas como Património Cultural da Humanidade. A visita iniciou-se em Mérida, onde visitámos as grandiosas ruínas romanas que incluem um teatro, ainda hoje utilizado para representações teatrais durante o Verão. Depois, seguiram-se Cáceres e Toledo, duas cidades históricas com belas partes antigas, do tempo dos reis e dos cavaleiros. Também com uma bonita zona histórica, é a cidade de Segóvia, com o seu enorme aqueduto romano e o seu Alcazar (castelo/palácio da Idade Média, que parecia o castelo da Bela Adormecida). Finalmente Madrid, onde ficámos aloja-

dos três noites no Mad Hostel, que até tinha uma cozinha onde alguns alunos fizeram os jantares. Em Madrid, passeamos pela cidade e visitamos o Museu do Prado e o Museu Rainha Sofia. Aqui, muitos alunos ficaram espantados com um quadro enorme de Picasso, chamado Guernica, sobre a guerra civil de Espanha. Ainda tivemos tempo de visitar dois palácios grandiosos: o de Aranjuez (perto de Madrid) e o da Granja de San Ildefonso (perto de Segóvia), onde pudemos assistir ao funcionamento das espetaculares e maravilhosas fontes dos seus jardins, que apenas funcionam poucas vezes por ano, mas que nós tivemos a sorte de ver, filmar e fotografar. Eu sou aluna do 6º ano da Escola Damião de Odemira e pude ir na visita porque sou filha de um dos professores que a orga-

Atividade “Curte iogurte”

No dia 22 de abril, foi fealizada a atividade “Curte iogurte” na EB1 de Odemira. A atividade tinha como objetivo sensibilizar as crianças para o consumo de, pelo menos, um iogurte por dia. A atividade consistiu no seguinte: fazer um iogurte adicionando um ingrediente escolhido por nós. Ao início foi difícil, mas acabou por ser muito divertido. Começamos por derreter folhas de gelatina e misturamo-las com iogurte natural não açucarado. Depois, a professora Isabel deitou essa mistura para o frasco e adicionamos os nossos ingredientes. A seguir, um a um, fomos levar o iogurte para o frigorífico. Ficaram no frigorífico durante algum tempo e mais tarde fomos buscá-los e comemo-los, acrescentando-lhes um pouco de açúcar. Ficaram deliciosos! Nesse mesmo dia, os pais foram à escola assistir a uma pequena palestra sobre alimentação saudável. 4º F

nizou. Posso dizer que foi uma semana muito agradável e alegre e o ambiente entre todos foi ótimo. Já que somos um Agrupamento de Escolas, acho que os alunos da escola Damião

de Odemira deviam participar nas visitas da escola Secundária, para ficarem a conhecer os seus colegas mais velhos e se prepararem para quando para ela transiÉrica Silva,6º A tarem.

Visita de estudo ao ZooMarine

No dia 6 de maio de 2016, os alunos de E.M.R.C. da Escola Damião de Odemira foram a uma visita de estudo ao ZooMarine de Albufeira. A opinião geral sobre a visita foi bastante positiva e todos gostaram imenso, independentemente da temperatura. Os espetáculos das aves, dos golfinhos e dos leões marinhos foram muito interessantes e a interação entre animais e treinadores é fantástica, parecem uma família muito unida. A visita de estudo foi fantástica e tem de ser repetida! Marisa Dias 8ºA

Atividades no Jardim de Infância do Almograve

Atividades na EB1 de Odemira Trabalho realizado pela turma do 3º D no âmbito das comemorações do 25 de abril.

Trabalho do Martim Guerreiro do 3ºD, após ter participado no workshop de Banda Desenhada promovido pelo Município

Dia do pai - bolinhos de aveia para adoçar o dia dos pais.

Dia da árvore - painel coletivo elaborado com restos de papel de revista e palhas e com frases ditas pelas crianças sobre a importância das árvores no nosso planeta.


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Teatro de luz negra na Damião

Lemos a obra “O Rapaz de Bronze” de Sophia de Mello Breyner Andersen e elaborámos o guião de um teatro de luz negra que foi apresentado aos pais e outros familiares, no dia 15 de março. Ao princípio pensámos que não ia sair nada, mas depois começámos a fazer os desenhos e a pintar e a perceber que afinal ia sair qualquer coisa. Foi um pouco difícil de ensaiar, mas trabalhámos muito e em equipa e foi bastante divertido fazer um teatro no meio daquela escuridão. Quando o apresentámos às pessoas, foi ainda mais divertido porque elas adoraram e nós também, pois foi algo que nunca tínhamos feito. 5ºD

Bem-vindos a Esta Noite Branca

na biblioteca da Secundária

Junho 2016 página 10

Exposição de artes plásticas

Pois é, mais um ano, mais uma exposição no espaço O JOVEM. E posso dizer, com bastante orgulho, que a mostra de Arte dos nossos alunos está bem representada, dando, deste modo, a conhecer à comunidade o trabalho diversificado que se faz na República Independente do Bloco C, Bloco das Artes, da Escola Secundara. A exposição inclui pintura, desenho, escultura, objectos artísticos, etc. Estes últimos, que estão em maioria e resultam de trabalhos de casa, são os meus preferidos, pois testam a criatividade máxima dos nossos alunos. O ponto de partida para estes projetos pode ser algo simples, como uma chave, uma garrafa, uma rolha, uma pedra, um pionés, que se transforma num objeto artístico. Aqui o aluno percebe que comunicar não passa necessariamente só pela realização de desenhos bonitos, mas sim pela capacidade de criar com liberdade na procura e descoberta de novas formas, novas imagens e novos materiais. Gonçalo Condeixa

“El Quijote, da ilustração à arte”

Gonçalo Naves, 19 anos, ex-jogador de basquetebol, estudante de Direito na FDUL e jovem escritor. Escreveu recentemente Bem-vindos a Esta Noite Branca e tivemos o prazer de o ter à conversa connosco, na nossa Biblioteca Escolar, na passada sexta-feira, dia 13 de maio. Gonçalo fez duas sessões (uma primeira das 11h15 às 12h45 e a última das 14h05 às 15h35) e partilhou connosco, sempre de um modo muito simpático, a sua enorme paixão pela leitura e o grande amor pela escrita. Falou-nos com grande entusiasmo, entre outras coisas, do trilho que tem feito pela vida fora, dos novos projetos literários e confessou-nos as suas enormes admirações por José Saramago, António Lobo Antunes e até Nick Cave. Bem-vindos a Esta Noite Branca é um livro que retrata uma realidade que nos é tão próxima e por vezes nem damos conta. Conta-nos a história duma família que tem um filho com a infelicidade de nascer com um problema de saúde raro, por sinal. Com isto os pais sofrem, os avós sofrem, não escapando a restante família. Podemos dizer que o Gonçalo arranjou-nos uma história fortíssima no que requer a sentimentos. Fala-nos de temas muito fortes - a morte e a doença – de um modo muito simplista, sem receios nem “papas na língua”. Encontramos também, em Bem-vindos a Esta Noite Branca, a frase indicada para terminar este artigo: “ninguém terá o direito de falar se não tiver nada para dizer”. Sem dúvida que Gonçalo tinha algo para nos dizer mas, se o disse bem ou mal, cabe a cada um de vós perceber, depois duma (breve) reflexão – coisa que fazemos quase a cada página virada. A nós parece-nos que o fez impecavelmente e acreditamos que a vocês também! Por fim, a Associação de Estudantes dá, ao jovem sinense, os mais sinceros parabéns por todo o caminho percorrido até aqui e muita sorte e sucesso para o futuro! Felicidades Gonçalo! Joana Gonçalves

Em comemoração do IV centenário da morte de Miguel de Cervantes (15471616), entre os dias 2 e 12 de maio, esteve patente no Espaço Polivalente da Escola Secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves, a exposição intitulada “El Quijote, da ilustração à arte”, realizada em parceria com o Departamento de Educação da Embaixada de Espanha. Aberta a toda a comunidade escolar, a exposição integrou um conjunto de 87 imagens alusivas a diversas formas como as aventuras e desventuras do “engenhoso fidalgo” e “cavaleiro da triste figura” têm sido representadas através de ilustrações, pinturas, cartazes de espetáculos ou mensagens publicitárias. Perante tão variados e curiosos testemunhos daquela que é considerada uma das mais importantes e significativas obras li-

terárias de todos os tempos, a exposição mereceu especial interesse por parte dos alunos e de toda a restante comunidade. Joel Louro

XII torneio de Badminton José Nogueira CAMPEÃO

CAMPEÃ


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Junho 2016 página 11

Campeãs regionais no voleibol feminino em juvenis

Campeãs regionais no voleibol feminino em iniciados

No fim de semana de 6, 7 e 8 de maio em Évora, a equipa de voleibol juvenis femininos da Escola Secundária de Odemira sagrou-se bicampeã regional. A equipa, constituída pela Beatriz Santos, Jéssica Rodrigues, Else Pronk, Maria Ventura, Rute Cesário, Carolina Serro, Filipa Loução, Maria Costa, Margarida Graça e Madalena Soares, defrontou as equipas de Évora e de Elvas e ganhou ambos os jogos por 3-1. Com este resultado, a equipa da nossa escola, além de manter o título de campeã regional, ganhou o passe para as nacionais que irão ter lugar na cidade de Aveiro. Antes, em 13 de Abril e em Beja, depois de ter ganho à equipa de Moura por 3-1, foi à final, derrotou Santiago do Caém também por 3-1 e sagrou-se campeão distrital.

Tal como no escalão de juvenis, a equipa de voleibol feminina do escalão de iniciados sagrou-se campeã regional em Évora, no fim de semana de 6, 7 e 8 de maio. Esta equipa, constituída pelas alunas Beatriz Grego, Matilde Gonçalves e Sandra Duarte (9º A), Mariana Aparício, Ema Falcão, Carolina Gonçalves e Matilde Ingham (9º B), Madalena Luís (7º B), Alice Ramos (6º B) e Patrícia Silva (Escola Básica de S. Teotónio), já se tinha sagrada campeão regional em Beja no dia 13 de Abril, depois de vencer por 3-0 a Escola Secundária D. Manuel I e de, na final, ter derrotado a equipa de Santo André por 2-1. Resta esperar pelo que vai acontecer nos campeonatos nacionais.

Torneio de voleibol 4X4 misto

Um honroso segundo lugar em basquetebol

No passado dia 4 de maio, a Secundária participou, mais uma vez, com uma equipa de basquetebol nos regionais decorridos em Évora. A equipa, inicialmente composta por Beatriz Silva, Inês Mendes, Joana Gonçalves e Micaela Silva, alunas do 12º ano de Humanidades, viu-se desfalcada em cima da hora por desistência da Joana. Ainda assim, não desistiu e foi competir a Évora, trazendo de lá um honroso segundo lugar. Perdeu o primeiro jogo, mas isso não desanimou a equipa, pelo contrário, foi um incentivo em busca de melhores resultados. Infelizmente, a equipa não conseguir apurar-se para os nacionais, porque apenas passavam à próxima fase os primeiros lugares. Este honroso segundo lugar é, por elas, dedicado à Escola Secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves, esperando que, para o ano, mais uma equipa atinja consecutivamente este patamar nas competições! Micaela Silva

No dia 13 de maio, decorreu, no Pavilhão Municipal Dr. Justino Santos, um torneio de vóleibol 4x4. Este torneio foi organizado pelos professores do Departamento de Educação Física da Escola Secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves. O torneio contou com a participação de 12 equipas mistas. Pudemos assistir a prestações de grande qualidade por parte de todas as equipas participantes, que demonstraram enorme empenho durante a competição. Em 3º e 4º lugar ficaram, respetivamente, as equipas “100 nome“ e “Aperto”. Após 19 jogos, teve lugar uma emocionante final entre as equipas “Vardy’s Party” e “Bolo π”. A equipa vencedora foi a “Vardy’s Party”. Gil Vilela


ESCOLA VIVA (AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ODEMIRA)

Junho 2016 página 12

Opinião

Gala Miss&Mister ESMCG e Globos d’Ouro

“Portugal: passado e presente”… Termos tão antagónicos como “frio” e “quente”, “belo” e “feio”, “claro” e “escuro”. Como é que (em tão pouco tempo) tudo muda do dia para a noite? Onde antes reinava a coragem, hoje reina o medo e a cobardia. Quem culpabilizar? A excessiva informação? As novas tecnologias? A facilidade de acesso a tudo?

Realizou-se no passado dia 22 de Abril de 2016 a Gala Miss&Mister ESMCG que este ano contou com a participação de todas as turmas, à exceção dos 11ºC, 2º ano TG e 3º ano TG/BS (estes últimos porque infelizmente estão em período de estágio). A atividade foi comandada pelos alunos Maria Ourives e Luís Gabriel que vestiram o papel de apresentadores, pela Juliana Dias e Paulo Salvador que entregaram todos os prémios e pelo aluno Adriano de Almeida, que foi responsável por todo o sistema sonoro. À semelhança do ano letivo anterior, a Associação de Estudantes decidiu realizar mais uma vez os Cromos da Escola, que foram este ano chamados de Globos D’Ouro. Podemos dizer que foi uma atividade realizada para toda a comunidade escolar porque, apesar de serem só alunos a desfilar, nos Globos D’Ouro existiam categorias para alunos, funcionários e professores. De um modo cronológico, assistimos primeiramente ao desfile de todos os alunos em roupa casual, de seguida à entrega de prémios do torneio de voleibol e Globos D’Ouro para as categorias dos funcionários e professores. Posteriormente os alunos desfilaram, mais uma vez, em roupa formal, e para finalizar entregaram-se os Globos D’Ouro a todos os alunos e prémios dos torneios de futsal masculino. A primeira equipa a ser chamada ao palco no ramo do voleibol feminino foi As Malinas que ocuparam o 3º lugar, de seguida as Já Foste que ficaram em 2º e por último as 100 Graça que levaram a medalha de ouro para casa. Já no lado masculino tivemos os J.A.P.T, os Bolo Pi e os Oi Porc S.A a ocupar os 3º, 2º e 1º lugares respetivamente. Premearam-se ainda os melhores jogadores do torneio: a melhor jogadora de voleibol feminino, Jéssica Rodrigues, e melhor jogador, António Martins. A Melhor Funcionária coube à D. Helena, a Mais Crítica e Mais “Cortes” à D. Ana e a Mais Fixe à D. Mila. Relativamente a professores, tivemos o professor Fernando Almeida a vencer o Mais Cool e Mais Fixe, a professora Leopoldina Camilo o mais Rezingão e Stressado. A professora Paula Canha foi eleita a Melhor Professora, o professor Jorge Nogueira o Mais Engraçado, a professora Odete Rodrigues o Mais Dedicado e por último tivemos o professor Miguel Simões como Mais Exigente. O aluno Mais Engraçado coube ao João Amélio, o Baldas ao Bernardo Santana, o Cromo, ao Miguel Viana e o Melhor Colega foi a Joana Gonçalves. No Melhor Aluno venceu a Lisa Bunge, no Mérito Desportivo, o Bruno Soares, no Social a Susana Lomba, no Refilão a Joana Gonçalves e o Estudioso coube à Diana Nogueira. O Melhor Casal foi para o Tiago Caixeirinho e a Jéssica Amorim e, quanto ao Festivaleiro, ganhou a Marta Algarvio. Continuando a onda da entrega de prémios, o torneio de futsal masculino foi liderado pela equipa Bolo Pi que conquistou as medalhas de primeiro lugar. Não ficando ainda por aqui, foram também premiados o melhor jogador que coube ao Guilherme Pereira da equipa Remédio Santo, o melhor marcador que foi o Hugo Canelas da equipa vencedora com 11 golos marcados, o Francisco Pacheco levou o prémio de melhor guarda-redes e a equipa A.L.D Celorico de Bastos foi destacada com o prémio Fair Play. Por último e não menos importante, o nosso júri, que foi este ano composto pela professora Maria João, professora Ana Paula Freitas, D. Manuela e os nossos presidentes da Associação de Estudantes – Bruno Soares e Joana Gonçalves (devido à impossibilidade de comparência dos vencedores anteriores) elegeram como Miss&Mister ESMCG 2016 os alunos Mariana Alexandre e Alexandre Portela, ficando em segundo lugar os alunos Else Pronk e João Alfeirão e em terceiro o casal Jéssica Amorim e Tiago Caixeirinho. A Associação de Estudantes agradece mais uma vez a todos os participantes na atividade e a todos os professores que dispensaram os seus alunos para que contássemos com a presença de todas as turmas na audiência. Aproveita também para felicitar, novamente, não só os vencedores do desfile mas também todos os vencedores de Globos D’Ouro!

Os Portugueses foram protagonistas das maiores conquistas do mundo, desde o Brasil à Índia, enfrentando o temido Cabo das Tormentas. Para quê? Para que hoje nos possamos dar ao luxo de fazer uma viagem que duraria largos meses em poucas horas. E o agradecimento onde fica? Esperemos que na memória de muitos. Hoje em dia, são poucos os portugueses que não têm medo de arriscar. Que não se restringem ao dito como “seguro”. Obrigada de coração àqueles que ainda arriscam e elevam o nome de Portugal. Obrigada Bartolomeu Dias pela coragem de dobrares o Cabo das Tormentas. Obrigada Gil Eanes por passares além do Cabo Bojador. Obrigada Pedro Álvares Cabral pela descoberta do Brasil. Obrigada Vasco da Gama pela “conquista” daa Índia. Poderia agradecer a uma infinidade de nomes que fizeram de Portugal o que ele é hoje. E agora? Restrinjo-me ao desporto. Melhor do mundo no futebol, ténis de mesa… Bem, bons atletas, isso não posso negar. Obrigada, por, mesmo que poucos, ainda elevarem o nome de Portugal. Obrigada Fernando Pessoa, obrigada Camões por acreditarem na glória de Portugal e a retratarem tão bem. Desculpa Fernando Pessoa, desculpa Camões, se as gerações futuras vos desiludiram. Partilhamos essa desilusão. Maria Ourives

Joana Gonçalves

Secundária em Roquetas de Mar Na primeira semana das férias da Páscoa, um grupo de 18 alunos da Escola Secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves (do qual eu fiz parte, com muito orgulho) entrou na maior aventura das suas vidas: 7 dias em Roquetas de Mar, Espanha. Tentámos não criar expectativas, apenas nos deixámos levar. Foram meses e meses à espera da dita viagem, aquela que todos os que por lá já tinham passado, afirmavam ser “a melhor semana das nossas vidas”. E a verdade é que foi mesmo. Ainda me lembro do quão dolorosas foram aquelas 13 horas de viagem e o quanto custaram a passar, assim como me lembro da alegria e do aperto no peito que senti quando vi a primeira placa a dizer "Roquetas". Foi uma semana repleta de diversão, de risos, de alegria e, principalmente, de imensas histórias que

ficarão gravadas na nossa memória para sempre. Tenho a certeza de que daqui a vinte, trinta ou até mesmo quarenta anos, relembrarei estes momentos com uma enorme saudade, mas com um sorriso ainda maior.

Agora, que já passou um mês, só me apetece é voltar, nem que seja por um dia. Voltar àquela que foi a melhor viagem da minha vida. Apenas agradecer a todas as pessoas incríveis que tornaram esta semana única. Raquel Cabrita

Jornal Escola Viva - junho 2016  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Odemira - junho 2016

Jornal Escola Viva - junho 2016  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Odemira - junho 2016

Advertisement