Page 1

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE

2013


SICOOB CREDIADAG

A força do

atacado em

Goiás

“Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos”. Pensar assim é o que nos faz viver em plena harmonia com nossos associados. Trabalhamos juntos, geramos força para atingir propósitos que, isoladamente, jamais poderiam ser alcançados. Quando compartilhamos valores e interesses, estamos outorgando crédito e serviços financeiros de modo mais simples e vantajoso. O Sicoob Crediadag chega aos 5 anos com vitalidade, com gosto pelo trabalho e a nítida certeza de que estamos no caminho certo para um mundo cada vez mais sustentável e melhor para as pessoas.


5 ANOS DE SICOOB CREDIADAG PERFIL DA COPERATIVA

6 RESULTADOS

8

7 CENÁRIO ECONÔMICO

10


19 26 PARECERES

40

ÍNDICE

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS

RESPONSABILIDADE SOCIAL

42


PERFIL DA COOPERATIVA HISTÓRIA Fundado em 23 de outubro de 2008, em Goiânia (GO), o Sicoob Crediadag é a primeira Cooperativa de Crédito Mútuo dos Distribuidores e Atacadistas do Brasil.

VISÃO Ser reconhecida como a principal instituição financeira propulsora do desenvolvimento econômico e social dos associados.

MISSÃO Gerar soluções financeiras adequadas e sustentáveis, por meio do cooperativismo, aos associados e suas comunidades.

VALORES Transparência Comprometimento Solidariedade Respeito Ética Responsabilidade

PRINCÍPIOS Adesão voluntária e livre Autonomia e independência Gestão democrática Educação, formação e informação Participação econômica dos membros Intercooperação Interesse pela comunidade

6


SICOOB CREDIADAG CHEGA AOS

5 ANOS

O ano de 2013 foi mais um período de progresso para o Sicoob Crediadag, que completou 5 anos de existência no dia 23 de outubro. Durante esses cinco anos, o Sicoob Crediadag sempre trabalhou em busca de um melhor desempenho operacional, econômico e financeiro, construindo um alicerce vigoroso para que continue crescendo. O conjunto de dados positivos faz com que o Sicoob Crediadag tenha uma trajetória crescente, evidenciada pelos resultados que apresentamos neste relatório. A sede passou por reformas estruturais, física e pessoal, para proporcionar um ambiente ainda melhor para os nossos cooperados. Fizemos investimentos em capacitação, treinamento, qualificação e informação, acreditando na importância de uma sólida cultura de exigências dos associados. Participamos da comitiva que visitou a Alemanha para aprimorar o conhecimento sobre o cooperativismo financeiro. Patrocinamos e participamos de eventos, como a Convenção de Vendas da Adag, 18º Covendas; a Super Agos 2013; e cursos e workshops voltados ao aprimoramento. O Sicoob Crediadag, consciente das questões sociais, promoveu campanha entre seus associados, parceiros de negócios, clientes varejistas e indústrias, e arrecadou três toneladas de alimentos, além de brinquedos e calçados, os quais foram doados à uma entidade carente na região noroeste de Goiânia.

7


RESULTADOS

POSITIVOS Os indicadores de desempenho do Sicoob Crediadag em 2013 ficaram mais uma vez acima da média das cooperativas financeiras, com ênfase para a expansão de 36% dos depósitos à vista e a prazo. Ao mesmo tempo que o número de associados cresceu 39%, foi registrado um aumento significativo do total de ativos e das operações de crédito, 60% e 29%, respectivamente. Os resultados consolidados do Sicoob Crediadag ao longo de 2013 se constituem na nossa principal meta de atender a necessidade financeira de nossos associados. Outro fator relevante que demonstra a crescente confiança é o visível sucesso do sistema cooperativista de crédito brasileiro, que detém o sexto lugar no Sistema Financeiro Nacional, além de ter a quarta maior rede de atendimento. O nosso Patrimônio Líquido atingiu a marca de R$ 5.265 milhões, 24% acima do valor de 2012. A subscrição de novas cotas de capital pelos cooperados foi decisiva para o crescimento. Temos uma visão otimista do futuro do Sicoob Crediadag, já que depende apenas de nós a construção de uma cooperativa que faça jus aos seus associados e aos anseios de desenvolvimento sustentável. Não poderia deixar de agradecer aos nossos associados, aos nossos dirigentes, aos parceiros de negócios e aos colaboradores do Sicoob Crediadag por todas as contribuições dadas em 2013. Neste momento, ao elevar o nosso pensamento a Deus, quero pedir a Ele que continue iluminando nossos passos, guiando-nos por caminhos seguros e, ajudando-nos a encarar os desafios de 2014.

8


O SUCESSO DO SEU NEGÓCIO ONDE QUER QUE VOCÊ VÁ


CENÁRIO ECONÔMICO

10

No segundo semestre de 2013, a atividade econômica perdeu o fôlego, reduziu o crescimento por conta da desaceleração dos investimentos e da manutenção de um aumento apenas moderado no consumo das famílias brasileiras. O alto nível de endividamento das famílias está restringindo a capacidade de avanço do consumo. Nos últimos 12 meses, encerrados em outubro de 2013, a pesquisa do Banco Central mostrou que 45,4% das famílias possuíam algum tipo de dívida, ou seja, quase 2 vezes maior que há oito anos.

A expectativa de alta para o PIB, Produto Interno Bruto, é de 2,52% em 2013, conforme o boletim Focus, do Banco Central.

O resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, indicador oficial para aferição das metas inflacionárias, foi de 5,91% em 2013. O centro da meta de inflação, alvo do Banco Central, é de 4,5%. O governo teve que controlar os chamados preços administrados, que inclui a gasolina e as tarifas de energia elétrica e transportes públicos, subindo apenas 0,95%. Já a cesta básica subiu mais de 10% em nove capitais brasileiras. Como consequência, o Banco Central aumentou a taxa básica de juros da economia brasileira, SELIC, que era de 7,25%, no período de outubro/12 a abril/13, até atingir 10% em novembro/13, no intuito de controlar a inflação.

Câmbio

A Balança Comercial, relação entre o total das exportações e importações de bens e serviços, apresentou um saldo positivo de 2,6 bilhões de dólares, o pior resultado dos últimos treze anos.

Já o setor atacadista distribuidor brasileiro fechou 2013 com um crescimento de 4,2%, descontada a inflação. Em valores nominais, o faturamento chegou a R$ 197,6 bilhões no ano passado.

O Superávit Primário, economia feita pelo governo federal para pagar juros da dívida pública, apresentou um resultado de 75 bilhões de reais em 2013, excluindo o pagamento de juros. O resultado é um dos principais indicadores observados pelo mercado internacional, pois mostra a capacidade de um país de pagar os seus credores em dia.

No cenário internacional, as principais dúvidas têm se dissipado nos últimos meses. Os países desenvolvidos emitem sinais de saída da recessão, mas com inflação global em nível ainda baixo. A desaceleração chinesa, bem como a valorização do dólar, deverão sustentar preços de commodities.

O IBOVESPA, principal índice de ações do mercado brasileiro, encerrou o exercício de 2013 com uma desvalorização de 15,5%. O resultado ruim foi influenciado pelas empresas de Eike e pela queda de 17% nos papeis da Petrobras, além da queda nas ações das empresas de energia, em função da diminuição no valor das tarifas.

Nos últimos 12 meses, a moeda norte americana oscilou entre R$ 1,9584 na mínima de fechamento, atingida em 8 de março, e R$ 2,4512 na máxima, em 21 de agosto. No último pregão do ano, o dólar encerrou 2013 em R$ 2,3570, acumulando, assim, alta de 15,37%. A surpresa positiva em 2013 ficou por conta dos dados de mercado de trabalho. A taxa de desemprego permaneceu no nível mais baixo na história – em novembro ficou em 4,6%. Os patamares atuais são explicados pela desaceleração do crescimento da População Economicamente Ativa.

Nos Estados Unidos, os sinais de recuperação


da economia se fortaleceram em dezembro, com as estatísticas do mercado de trabalho confirmando a recuperação já percebida nos dados de outubro. O banco central norte-americano, o Fed, anunciou o início do programa de redução de compra de ativos para janeiro. Porém, a normalização da política monetária via alta dos juros ainda está distante. Em relação à atividade econômica norte-americana, a projeção para o PIB de 2013 é de 2,3% . Na Europa, a melhora cíclica recente aponta para saída da recessão, mas acreditamos ser insustentável sem estímulos monetários adicionais. Dependerá basicamente da evolução da inflação, a qual tende a retomar a trajetória de baixa. A economia da China cresceu 7,7% em 2013. A taxa anual é a mesma registrada em 2012 e a mais baixa do país desde 1999, o que confirma um esfriamento gradual da economia chinesa, a segunda maior do mundo, atrás apenas dos EUA. Esse processo tem ocorrido por um esgotamento do modelo de desenvolvimento baseado em exportações, estas debilitadas diante da queda na demanda após a crise financeira global, que começou em 2008.


CENÁRIO ECONÔMICO

QUADRO SOCIAL ( + 38,89 % ) 375 270 180 O Sicoob Crediadag admitiu 105 novos associados. Apresenta uma forte propensão de continuar crescendo, comprovando o interesse que o cooperativismo de crédito tem despertado no setor atacadista distribuidor da região metropolitana de Goiânia.

Todos os valores em R$1.000,00

12


CAPITAL SOCIAL ( + 25,97% ) 5.083 4.036 2.393 O capital social é o valor, em moeda corrente, que cada pessoa ao ingressar na cooperativa aporta, tornando-se, legitimamente, associada. O capital é imprescindível para o fortalecimento da cooperativa, principal mecanismo de alavancagem das operações de crédito que são concedidas aos próprios sócios. Em 2013, alcançou R$ 5.083 milhões, com crescimento de 25,97% sobre o ano anterior.

Todos os valores em R$1.000,00

13


CENÁRIO ECONÔMICO

DEPÓSITOS À VISTA E A PRAZO ( + 35,87 % )

7.439

5.477 2.530 O Depósito Total no Sicoob Crediadag também cresceu acima da média do mercado em 2013, registrando um crescimento de 35,87% sobre o valor alcançado em 2012. Esse indicador tem um significado muito importante e fundamental, o nível de confiança dos nossos associados. Em apenas dois anos, o total de depósitos atingiu um aumento acumulado de 194%.

Todos os valores em R$1.000,00

14


OPERAÇÕES DE CRÉDITO ( + 29,05 % )

8.267 6.406

4.717 O volume das operações de crédito do Sicoob Crediadag cresceu 29,05% em relação ao ano de 2012. O contínuo crescimento do crédito demonstra um importante papel no desenvolvimento econômico dos nossos associados, por meio de fácil acesso às diversas modalidades de crédito com taxas acessíveis.

Todos os valores em R$1.000,00

15


CENÁRIO ECONÔMICO

PATRIMÔNIO LÍQUIDO ( + 23,51 % ) 5.265 4.253 2.540 O Patrimônio líquido demonstra a solidez do Sicoob Crediadag. Em 2013, atingiu R$ 5.265 milhões, com crescimento de 23,51% sobre o ano anterior. Nos dois últimos anos, registrou uma expressiva expansão, crescendo 107%. Esse acréscimo foi decorrente do processo de capitalização implantado pela cooperativa, financiados com recursos do Bancoob e do BNDES.

Todos os valores em R$1.000,00

16


ATIVOS TOTAIS ( + 60,39 % )

13.912 8.674

6.413 O volume de recursos administrados pelo Sicoob Crediadag em 2013 atingiu R$ 13.912 milhões em ativos. A boa gestão das operações de crédito e a evolução dos depósitos à vista e a prazo tiveram reflexos sobre os ativos totais, demonstrando o seu contínuo fortalecimento.

Todos os valores em R$1.000,00

17


CENÁRIO ECONÔMICO

SOBRAS DO EXERCÍCIO ( + 31,19 % )

265 202

150

O Sicoob Crediadag apresentou um crescimento nas sobras líquidas de 31,19% em relação a 2012. O desempenho econômico financeiro saudável constituem as economias da cooperativa para os associados, que serão distribuídas de acordo com o valor das operações realizadas por cada cooperado.

Todos os valores em R$1.000,00

18


DEMONSTRAÇÕES

CONTÁBEIS


D E M O N S T R A Ç Õ E S C O N TÁ B E I S

BALANÇO PATRIMONIAL Exercício Findo em 31/12/2013 E 31/12/2012 valores em unidades de real (R$)

ATIVO 2013

2012

11.971.774

7.416.097

DISPONIBILIDADES RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS CENTRALIZAÇÃO FINANCEIRA - COOPERATIVAS OPERAÇÕES DE CRÉDITOS OPERAÇÕES DE CRÉDITOS: SETOR PRIVADO (-) PROV. P/ OPER. DE CRÉD. DE LIQ. DUVIDOSA OUTROS DE CRÉDITOS RENDAS A RECEBER DIVERSOS

126.808 4.643.425 4.643.425 7.182.236 7.280.605 (98.369) 19.305 10.538 8.767

130.043 1.563.488 1.563.488 5.652.927 5.703.453 (50.526) 69.639 53.226 16.413

NÃO CIRCULANTE

1.940.657

1.258.273

ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO OPERAÇÕES DE CRÉDITOS OPERAÇÕES DE CRÉDITOS: SETOR PRIVADO (-) PROV. P/ OPER. DE CRÉD. DE LIQ. DUVIDOSA

1.084.521 1.084.521 1.099.375 (14.854)

752.741 752.741 759.469 (6.728)

552.225 552.225

334.822 334.822

267.302 368.255 (100.953)

128.926 201.804 (72.878)

36.609 54.665 (18.056)

41.784 53.420 (11.636)

13.912.431

8.674.370

ATIVO CIRCULANTE

INVESTIMENTOS AÇÕES E COTAS IMOBILIZADO DE USO OUTRAS IMOBILIZAÇÕES (-) DEPRECIAÇÕES ACUMULADAS INTANGÍVEL GASTOS DE ORGANIZAÇÃO E EXPANSÃO (-) AMORTIZAÇÕES ACUMULADAS

TOTAL DO ATIVO

20


PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2013

2012

PASSIVO CIRCULANTE

8.647.150

4.421.389

DEPÓSITOS DEPÓSITOS À VISTA DEPÓSITOS A PRAZO OUTROS DEPÓSITOS RELAÇÕES INTERDEPENDÊNCIAS RELAÇOES INTERDEPENDÊNCIAS OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS EMPRÉSTIMOS NO PAÍS - OUTRAS INSTITUIÇÕES OUTRAS OBRIGAÇÕES COBRANÇA E ARRECADAÇÃO DE TRIBUTOS E ASSEMELHADOS SOCIAIS E ESTATUTÁRIAS FISCAIS E PREVIDENCIÁRIAS DIVERSAS

7.439.236 2.417.670 5.021.566 0 0 0 0 0 1.207.914 1.589 7.183 54.888 1.144.254

4.294.805 1.392.170 2.902.635 0 0 0 0 0 126.584 1.657 10.211 23.051 91.665

0

0

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

5.265.281

4.252.981

CAPITAL DE DOMICILIADOS NO PAÍS CAPITAL A REALIZAR

5.082.733 5.083.483 (750)

4.031.060 4.035.610 (4.550)

126.881 64.255 62.626

141.363 50.338 91.025

55.667 55.667

80.558 80.558

13.912.431

8.674.370

NÃO CIRCULANTE

RESERVA DE SOBRAS RESERVA LEGAL RESERVAS ESTATUTÁRIAS SOBRAS OU PERDAS ACUMULADAS SOBRAS OU PERDAS ACUMULADAS DE EXER. ENCERRADOS

TOTAL DO PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO

21


D E M O N S T R A Ç Õ E S C O N TÁ B E I S

SOBRAS E PERDAS Exercício Findo em 31/12/2013 E 31/12/2012 (Em R$)

DISCRIMINAÇÃO RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA OPERAÇÕES DE CRÉDITO DESPESAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA OPERAÇÕES DE CAPTAÇÃO DO MERCADO OPERAÇÕES DE EMPRÉSTIMOS E REPASSES PROVISÃO PARA CRÉDITOS DE LIQ. DUVIDOSA

(158.496) (132.187) 0 (26.309)

(428.994) (364.871) 0 (64.123)

(366.546) (299.703) (823) (66.020)

510.269

994.814

725.382

(498.706) 73.785 153.179 (358.321) (362.657) (5.943) 147.122 (20.021) (125.850)

(853.871) 163.870 305.438 (798.757) (730.297) (11.489) 397.322 (54.108) (125.850)

(522.909) 138.627 229.727 (628.814) (590.208) (7.356) 378.436 (43.322) 0

11.563

140.943

202.473

0

0

0

11.563

140.943

202.473

(547)

(1.775)

(196)

JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO (Reversão)

125.850

125.850

0

RESULTADO LÍQUIDO DO SEMESTRE/ EXERCÍCIO

136.866

265.018

202.277

RESULTADO BRUTO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA OUTRAS RECEITAS / DESPESAS OPERACIONAIS RECEITAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS RENDAS DE TARIFAS BANCÁRIAS DESPESAS DE PESSOAL OUTRAS DESPESAS ADMINISTRATIVAS DESPESAS TRIBUTÁRIAS OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS OUTRAS DESPESAS OPERACIONAIS DESPESAS DE JUROS AO CAPITAL RESULTADO OPERACIONAL RESULTADO DAS OPERAÇÕES DESCONTINUADAS RESULTADO ANTES DA TRIBUTAÇÃO IMPOSTO DE RENDA - IRPJ E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL - CSLL

22

2° SEMESTRE EXERCÍCIO EXERCÍCIO 2013 2013 2012 668.765 1.423.808 1.091.927 668.765 1.423.808 1.091.927


MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Exercício Findo em 31/12/2013 E 31/12/2012 (Em R$) EVENTOS

CAPITAL SOCIAL

SOBRAS OU PERDAS ESTATUTÁRIAS ACUMULADAS FUNDO PARA

RESERVAS DE LUCROS RESERVA LEGAL FUNDO DE RESERVA

AUMENTO DE CAPITAL

SALDOS NO INÍCIO DO PERÍODO: 2.390.933 30.111 67.584 EM 01.01.2012 1.672.784 1 - INTEGRALIZAÇÕES DE CAPITAL 2 - OUTROS EVENTOS (32.657) RESTITUIÇÕES DE CAPITAL INCORPORAÇÃO DE RESERVAS: FUNDO DE RESERVA INCORPORAÇÃO DE RESERVAS: (67.584) FUNDO PARA AUMENTO DE CAPITAL INCORPORAÇÃO DE RESERVAS: SOBRAS DISTRIBUÍDAS RECUPERAÇÃO PARCIAL DE RATEIO DE PERDAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES 3 - SOBRAS LÍQUIDAS 1º SEMESTRE DE 2012 4 - SOBRAS LÍQUIDAS 2º SEMESTRE DE 2012 5 - DESPESAS DO SEMESTRE COMPENSÁVEIS PELO FATES 6 - REVERSÃO AO FATES: RESULTADO LÍQ. COM NÃO ASSOCIADOS 7 - DESTINAÇÕES 10.114 F.A.T.E.S 20.228 FUNDO DE RESERVA 91.024 FUNDO PARA AUMENTO DE CAPITAL SALDOS NO FIM DO PERÍODO: EM 31.12.2012

4.035.610

50.338

91.024

SALDOS NO INÍCIO DO PERÍODO: 4.040.060 50.338 91.024 EM 01.01.2013 1 - INTEGRALIZAÇÕES DE CAPITAL 1.237.340 2 - OUTROS EVENTOS RESTITUIÇÕES DE CAPITAL (320.518) INCORPORAÇÃO DE RESERVAS: FUNDO DE RESERVA INCORPORAÇÃO DE RESERVAS: FUNDO PARA AUMENTO DE CAPITAL (91.024) INCORPORAÇÃO DE RESERVAS: SOBRAS DISTRIBUÍDAS IRRF A RECOLHER SOBRE JUROSPAGOS AO CAPITAL (18.876) JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO 144.727 4 - SOBRAS LÍQUIDAS EXERCÍCIO 2013 5 - DESPESAS DO SEMESTRE COMPENSÁVEIS PELO FATES 6 - REVERSÃO AO FATES: RESULTADO LÍQ. COM NÃO ASSOCIADOS 7 - DESTINAÇÕES F.A.T.E.S FUNDO DE RESERVA 13.917 FUNDO PARA AUMENTO DE CAPITAL 62.626 SALDOS NO FIM DO PERÍODO: EM 31.12.2013

5.082.733

64.255

TOTAIS

62.626

51.408 2.540.036 (51.408) 1.621.376 (20.228)

(52.885)

(91.024)

(158.608)

7.500

7.500

100.771 101.203 (7.550)

100.771 101.203 (7.550)

(10.114)

(10.114) 20.228 91.024

80.558 80.558 4.252.980 (80.558) 5.490.320 5.169.802

5.078.778

55.667

5.059.902 5.204.629

5.267.255

55.667 5.265.281 23


D E M O N S T R A Ç Õ E S C O N TÁ B E I S

FLUXO DE CAIXA PELO MÉTODO INDIRETO 31/12/2013 E 31/12/2012 (Em R$) FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS

2° SEMESTRE EXERCÍCIO EXERCÍCIO 2013 2013 2012 SOBRAS LÍQ. ANTES DO IMP. DE RENDA E CONTR. SOCIAL 3.530 140.943 202.473 CONTAS DE RESULTADOS CREDORAS 1.322.420 2.451.126 1.967.272 CONTAS DE RESULTADO DEVEDORAS (1.320.118) (2.311.958) (1.764.995) APURAÇÃO DE RESULTADO (IMP. DE RENDA E CONTR. SOCIAL) 1.228 1.775 196

AJUSTES ÀS SOBRAS/PERDAS LÍQ. (NÃO AFETARAM O CAIXA) DESPESAS DE DEPRECIAÇÃO E AMORTIZAÇÃO (DESPESAS DE AMORTIZAÇÃO) (DESPESAS DE DEPRECIAÇÃO) OUTROS AJUSTES VARIAÇÕES PATRIMONIAIS: (AFETARAM O RESULTADO/RECEITAS E DESPESAS) RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS E INTERDEPENDÊNCIAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO OUTROS CRÉDITOS OUTROS VALORES E BENS DEPÓSITOS OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS E REPASSES OUTRAS OBRIGAÇÕES CAIXA LÍQ. PROV. DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO AQUISIÇÃO DE INVESTIMENTOS AQUISIÇÃO DE IMOBILIZADO DE USO APLICAÇÃO NO INTANGÍVEL

1.390.963

32.719 34.494 (6.420) (28.074) (1.775)

30.069 30.265 (6.320) (23.945) (196)

2.264.425 (1.525.481)

(840.383) (1.861.090) (1.688.225) (49.643) 50.335 (14.391) (7.465) 0 (7.600) 1.373.117 3.144.431 794.204 0 0 907.872 930.749 (624.669)

1.412.064

2.438.088 (1.292.940)

(59.501) (158.701) (1.245)

(217.404) (166.450) (1.245)

(93.743)

(93.743)

(313.190)

(478.842)

(89.972)

FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO VARIAÇÕES PATRIMONIAIS AUMENTO/REDUÇÃO DE CAPITAL RESERVAS DE LUCROS DESPESAS DE JUROS AO CAPITAL OUTROS AJUSTES

507.825 13.917 125.850 (661)

1.117.457 922.023 13.917 125.850 55.667

1.889.676 1.687.752 121.366 0 80.558

CAIXA LÍQ. PROV. DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO

646.931

1.117.457

1.889.676

AUMENTO LÍQUIDO DE CAIXA E DE EQUIVALENTES DE CAIXA 1.598.961 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA NO INICIO DO PERÍODO 4.770.233 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA NO FIM DO PERÍODO 3.171.272

3.076.702 1.693.530 4.770.232

506.764 1.186.766 1.693.530

AUMENTO E/OU REDUÇÃO DA EQUIVALÊNCIA DE CAIXA:

3.076.702

506.764

OUTROS AJUSTES

CAIXA LÍQ. PROV. DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO

24

17.571 18.799 (3.247) (15.552) (1.228)

1.598.961

(82.635) (6.807) (530)


COMPARTILHANDO COM VOCÊ UMA HISTÓRIA DE

SUCESSO


NOTAS EXPLICATIVAS

ÀS DEMONSTRAÇÕES

CONTÁBEIS


01 - CONTEXTO OPERACIONAL O SICOOB CREDIADAG – Cooperativa de Crédito dos Distribuidores e Atacadistas da Região Metropolitana de Goiânia Ltda – é uma sociedade cooperativa singular, de responsabilidade limitada, integrante do Sistema Financeiro Nacional, Sistema SICOOB e do Sistema de Crédito Cooperativo de Goiás – Sicoob Goiás Central.

Tem por objetivos: a) proporcionar assistência financeira aos cooperados; b) prestar serviços inerentes às atividades de instituição financeira; c) a formação educacional de seus cooperados no sentido de fomentar o cooperativismo. No desenvolvimento de suas atividades integra o Sistema Sicoob Goiás, constituído por 28 cooperativas de crédito singulares, associadas ao Sicoob Goiás Central – Cooperativa Central de Crédito de Goiás Ltda, tendo direitos e deveres previstos no Estatuto desta cooperativa central.

02 – APRESENTAÇÃO DAS DEMOSTRAÇÕES CONTÁBEIS As demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, considerando as Normas Brasileiras de Contabilidade, especificamente aquelas aplicáveis às entidades cooperativas, a Lei do cooperativismo nº. 5.764/71, incluindo alterações introduzidas pela Lei nº. 11.638/2007 normatizada pelo Bacen e apresentadas conforme o Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – COSIF. b) O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), desde o ano de 2008, emite normas e interpretações contábeis, alinhadas às normas internacionais de contabilidade, aprovadas pela Comissão de Valores Mobiliários. A Central aplicou os seguintes pronunciamentos, já recepcionados pelo Bacen:

CPC Nº

ASSUNTO

01-R1 03-R2 04-R1 05-R1 25 26-R1

REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA ATIVO INTANGÍVEL DIVULGAÇÃO DAS PARTES RELACIONADAS PROVISÃO, PASSIVOS CONTINGENTES E ATIVOS CONTINGENTES APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

DELIBERAÇÃO Nº CVM

RESOLUÇÃO Nº CMN

639/10 641/10 644/10 642/10 594/2009 676/11

3.566/2008 3.604/2008 1.303/2010 3.750/2009 3.823/2009 1.376/2011

Os pronunciamentos acima descritos já foram adotados na elaboração das demonstrações contábeis da Central, sendo que as demais normas emitidas pelo Comitê de Pronunciamento Contábil serão adotadas assim que aprovadas pelo órgão regulador, ou seja, pelo Banco Central. c) Para efeito de comparabilidade as demonstrações contábeis foram demonstradas em reais, desprezando-se os centavos.

03 - PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS a) Apuração do Resultado As receitas e despesas são apropriadas mensalmente segundo o regime de competência.

27


N OTA S E X P L I C AT I VA S

b) Operações Ativas e Passivas As operações Ativas e Passivas são registradas pelo valor principal, com acréscimo das respectivas rendas e encargos incorridos. Observada a periodicidade da capitalização contratual, as operações com encargos pré-fixados são registradas pelo valor futuro, retificadas por conta subtrativa dos rendimentos e encargos a apropriar.

c) Operações de Crédito As operações de créditos estão classificadas de acordo com o risco apresentado, amparadas por informações internas e externas em relação ao devedor e seus garantidores e em relação à operação, levando-se em conta, ainda, as situações de renda e patrimônio bem como outras informações cadastrais do devedor, conforme preconizado pela Resolução CMN/BACEN 2682, de 21.12.1999, e Resolução CMN/BACEN 2697, de 24.02.2000. As operações renegociadas são mantidas, no mínimo, no mesmo nível de risco, sendo que as registradas como prejuízo são classificadas como de risco nível H, cuja provisão para perdas é mantida em 100%, exceto para as operações que possuem consignação em folha de pagamento. Para as operações vencidas, e não pagas, a mais de 60 (sessenta) dias, as receitas oriundas de tais operações somente são reconhecidas como receitas quando efetivamente recebidas. Após 6 (seis) meses da classificação no nível de risco H, as operações são baixadas contra a provisão existente, transferidas para prejuízos, sendo controladas no grupo de contas do compensado, não mais figurando no balanço patrimonial.

d) Provisão para Perdas em Operações de Crédito As provisões para perdas em operações de crédito foram constituídas com base no disposto nas Resoluções CMN/BACEN 2682/1999 e 2697/2000, bem como em critérios internos, sendo seu somatório considerado pela administração suficiente para fazer face a prováveis perdas na realização dos créditos, compreendendo assim: 100% das operações de crédito vencidas a mais de 180 dias 100% dos adiantamentos e excessos sobre limites de cheque especial não cobertos a mais de 30 dias; Percentual variável sobre os créditos de curso normal e anormal, conforme preconizado na Nota 5, letra “e”.

e) Correção Monetária Em cumprimento a determinação contida no Artigo 4º da Lei 9249/95 e Circular 2682/96 do Banco Central do Brasil, não estão reconhecidas nas demonstrações contábeis, os efeitos inflacionários, medidos com base na UFIR (Unidade Fiscal de Referência).

28


04 – RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS Representa valores de aplicações financeiras da CREDIADAG realizadas no mercado aberto através da Cooperativa Central de Crédito de Goiás Ltda – Sicoob Goiás Central. As referidas aplicações têm por finalidade principal, assegurar a liquidez da Cooperativa e do Sistema Sicoob.

05 – OPERAÇÕES DE CRÉDITO a) Resumo

CURTO PRAZO

LONGO PRAZO

b) Composição da Carteira de Crédito por Setor de Atividade

29


N OTA S E X P L I C AT I VA S

c) Composição da Carteira de Crédito por Níveis de Risco CARTEIRA DE CRÉDITO EXERCÍCIO 2013

CARTEIRA DE CRÉDITO EXERCÍCIO 2012

AA A B C D E F G H

3.815.242 3.876.283 644.743 15.342 28.370

3.298.394 2.708.707 455.820 -

TOTAIS

8.379.980

6.462.921

RISCO

d) Provisão para Operações de Crédito de Liquidação Duvidosa CONSTITUIÇÃO DA PROV. PARA OPER. DE CRED. DE LIQ. DUVIDOSA EXERCÍCIO 2013

CARTEIRA DE CRÉDITO

PROVISÃO PERCENTUAL BACEN

VALORES PROVISÃO

AA A B C D E F G H

0 3.815.242 3.876.283 644.743 0 0 15.342 0 28.370

0,0 % 0,5% 1% 3% 10 % 30 % 50 % 70 % 100 %

19.076 38.763 19.342 0 0 7.671 0 28.370

TOTAIS

8.379.980

***

113.222

RISCO

30


EXERCÍCIO 2012

CARTEIRA DE CRÉDITO

PROVISÃO PERCENTUAL BACEN

VALORES PROVISÃO

AA A B C D E F G H

3.298.394 2.708.707 455.820 -

0,0 % 0,5 % 1% 3% 10 % 30 % 50 % 70 % 100 %

16.492 27.087 13.674 -

TOTAIS

6.462.921

***

57.253

RISCO

e) Recuperação e Baixa de Créditos – Situação: Prejuízo MOVIMENTAÇÕES: RECEBIMENTOS RENEGOCIAÇÕES BAIXAS COMO PREJUÍZO

EXERCÍCIO 2013 0 0 45.764

EXERCÍCIO 2012 0 0 45.764

31


N OTA S E X P L I C AT I VA S

06 – ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Representa os valores de parcelas de operações de crédito vencíveis após 360 dias.

07 – Investimentos, Imobilizado, Diferido e Intangível (valores em unidades de Real) CONTAS

SITUAÇÃO LÍQUIDA 2013

SITUAÇÃO LÍQUIDA 2012

INVESTIMENTOS: AÇÕES NO BANCO COOPERATIVO DO BRASIL S/A COTAS DE CAPITAL NO SICOOB GOIÁS CENTRAL

55.012 497.213

0 334.822

TOTAL DE INVESTIMENTOS

552.225

334.822

SITUAÇÃO LÍQUIDA 2013

SITUAÇÃO LÍQUIDA 2012

TAXA DE DEPRECIAÇÃO/ AMORTIZAÇÃO

IMÓVEIS TERRENOS EDIFICAÇÕES INSTALAÇÕES MÓVEIS E EQUIPAMENTO DE USO SISTEMA DE COMUNICAÇÃO SISTEMA DE PROC. DE DADOS SISTEMA DE SEGURANÇA

0 0 0 121.942 128.772 0 13.204 3.384

0 0 0 50.237 62.040 333 10.086 6.230

0% 0% 4% 10% 10% 10 e 20% 20% 20%

TOTAL DO IMOBILIZADO

267.302

146.064

SITUAÇÃO LÍQUIDA 2013

SITUAÇÃO LÍQUIDA 2012

TAXA DE DEPRECIAÇÃO/ AMORTIZAÇÃO

DIREITO DE USO OUTROS ATIVOS INTANGÍVEIS

27.481 9.128

32.537 9.248

10%

TOTAL DO INTANGÍVEL

36.609

47.574

CONTAS IMOBILIZADO DE USO:

CONTAS INTANGÍVEL:

CUSTO CORRIGIDO

TAXA DE DEPRECIAÇÃO/ AMORTIZAÇÃO

a) Investimentos Representado pela aquisição de 497.213 (Quatrocentos e Noventa e Sete Mil e Duzentos e Treze Reais) cotas de capital no valor unitário de R$1,00 (um real), totalizando um valor de R$ 497.213(Quatrocentos e Noventa e Sete Mil e Duzentos e Treze Reais) Cooperativa Central de Crédito de Goiás Ltda – Sicoob Goiás Central.

b) Imobilizado Representa todos os bens móveis adquiridos e registrados em nome da cooperativa.

32


08 – OUTRAS OBRIGAÇÕES a) Fiscais e Previdenciárias Compostas pelos valores abaixo, representando obrigações da CREDIADAG relativas a impostos e contribuições a recolher aos governos federais e municipais.

DESCRIÇÃO PROVISÕES PARA IMPOSTOS E CONTRIB. SOBRE O LUCRO IMPOSTOS E CONTRIB. SOBRE SERVIÇOS DE TERCEIROS IMPOSTOS E CONTRIB. SOBRE SALÁRIOS OUTROS(IRRF S/ APLICAÇÕES FINANCEIRAS; ISSQN; PIS FATURAMENTO, COFINS E IRRF S/ JUROS AO CAPITAL ) TOTAIS

31.12.2013 465 802 27.140

31.12.2012 36 645 22.079

26.482 54.888

291 23.051

b) Diversas Representam obrigações diversas originadas das atividades operacionais e administrativas da Cooperativa, conforme discriminação abaixo.

DESCRIÇÃO CHEQUES ADMISTRATIVOS DESPESAS DE PESSOAL OUTRAS DESPESAS ADMINISTRATIVAS CREDORES DIVERSOS - PAÍS CHEQUES DESCONTADOS OBRIGAÇÕES POR PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO TOTAIS

31.12.2013 724.873 53.849 25.000 31.056 309.476 0

31.12.2012 0 38.973 32.200 4.207 16.285 0

1.144.254

91.665

09 - CAPITAL SOCIAL O Capital Social atingiu em 31.12.2013, a importância de R$ 5.082.732 (Cinco Milhões e Oitenta e Dois Mil e Setecentos e Trinta e Dois Reais) constituído por cotas no valor unitário de R$ 1,00 (um real) e representa a integralização de 375 (Trezentos e Setenta e Cinco) associados. O voto é pessoal e intransferível sendo que, cada associado possui 01 (um) voto, independente da quantidade de cotas que o mesmo detenha.

33


N OTA S E X P L I C AT I VA S

10 - SOBRAS OU PERDAS ACUMULADAS AS SOBRAS OU PERDAS ACUMULADAS ESTÃO ASSIM REPRESENTADAS:

SOBRAS LÍQ. À DISP.DA A.G.O., REF. EXER. SOCIAL ANTERIOR.

EXERCÍCIO EXERCÍCIO 2013 2012 0 0

ADIÇÕES: SOBRAS LÍQUIDAS DO EXERCÍCIO REV. VALORES DESPESAS REG. NO SEMESTRE, COMPENSÁVEIS PELO FATES CRÉD. EM C/CORRENTE NO SICOOB GOIÁS CENTRAL – DEV. VALORES FUNLIQ

138.918 10.000 0

DEDUÇÕES: CAPITALIZAÇÃO VALORES DE SOBRAS DIST. REF. EXERCÍCIO SOCIAL ANTERIOR PARCELA DE SOBRAS LÍQ. DIST. – CREDITADAS EM CONTA CORRENTE REVERSÃO AO FATES, VAL. DE RESUL. APURADO COM RECEITAS DE NÃO ASSOCIADOS

202.277 7.550 0

0 0 68

0 0 68

DESTINAÇÕES ESTATUTÁRIAS (**) FUNDO DE RESERVA FUNDO PARA AUMENTO DE CAPITAL F.A.T.E.S (FUNDO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA EDUCACIONAL E SOCIAL)

13.917 62.926 6.958

50.338 91.024 10.123

SOBRAS LÍQUIDAS À DISPOSIÇÃO DA A.G.O.

55.667

80.558

(**) Destinação conforme Estatuto Social – Atendendo determinação do Banco Central do Brasil, através da circular 3.314, as destinações estatutárias somente serão realizadas ao final do exercício social.

11 – COMPENSADO Os valores registrados em contas de compensação estão assim representados:

DESCRIÇÃO DAS CONTAS DEPOSITÁRIOS DE VALORES EM CUSTÓDIA TÍTULOS EM COBRANÇA DIRETA CONTRATOS AVAIS, FIANÇAS E OUTRAS GARANTIAS RECEBIDAS CRÉDITO BAIXADO COMO PREJUÍZO

34

VALOR R$ 2.656.438 40.336.978 620.000 130.067.304 53.918

VALORES DE CRÉDITOS CONTRATADOS A LIBERAR VALORES DE CAPITAL REALIZADO E PL MÍNIMOS DE PARTICIPADAS PATRIMÔNIO LÍQ. EXIGIDO PARA COBERTURA DO RISCO DE MERCADO OUTRAS CONTAS DE COMPENSAÇÃO ATIVAS CLASSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DE CRÉDITOS

1.184.561 150.000 12.042 4.682.152 8.379.980

TOTAL DAS CONTAS DE COMPENSAÇÃO

1.258.273


12 – MUDANÇAS DE CRITÉRIOS CONTÁBEIS Em face de disposições legais ou exigências técnicas, ocorreram as seguintes mudanças de procedimentos e critérios para elaboração e divulgação das demonstrações contábeis:

a) Terminologia: Tendo em vista ser de competência do Banco Central do Brasil expedir normas gerais de contabilidade e estatística a serem observadas pelas instituições financeiras, em cujo rol as cooperativas de crédito estão inseridas, e, em face do referido BACEN não ter contemplado em seus normativos os critérios definidos na NBC-T 10.8, aprovada pela Resolução CFC 920/2001, deixamos de aplicar o estabelecido na referida norma técnica.

b) Controle de Risco: A Cooperativa apurou e mantém controle em contas de compensação valor inerente a exigibilidade de Patrimônio Líquido para garantia de riscos operacionais

c) Centralização Financeira: Em atendimento a circular 3.228, emitida pelo Banco Central do Brasil em 27.05.2004, os recursos oriundos do ato cooperativo denominado “Centralização Financeira” estão apresentados como “Relações Interfinanceiras – Centralização Financeira – Cooperativas”. As receitas obtidas com tal ato passaram, por força da citada circular, a serem registradas no título “Outras Receitas Operacionais – Ingresso de Depósitos Intercooperativos”.

d) Destinações Estatutárias Legais: ' O SICOOB CREDIADAG realizou as destinações estatutárias do exercício social 2013, com base nas sobras totais apuradas no período, atendendo ao disposto na Circular Bacen 3.314 e Carta Circular 3.224.

13 – DEMOSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA A demonstração do fluxo de caixa - DFC foi elaborada em atendimento à resolução do conselho monetário nacional n° 3.604/2008, pelo método indireto, de acordo com modelo anexo a CA – 696/2008 do Sicoob Confederação.

14 – REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS Embora não tenha sido efetuado teste de recuperabilidade dos ativos, acredita-se que não haveria necessidade de provisão para perda na recuperação de ativos pelas seguintes razões: a) Dos Investimentos não circulantes, avaliados ao custo por não estarem sujeitos ao MEP, não havendo qualquer indicativo de que não sejam integralmente recuperáveis, é 100% de cotas da Cooperativa Central de Crédito de Goiás Ltda. ( Sicoob Goiás Central ), a qual apresenta em suas demonstrações financeiras indicativos de ser uma instituição fortemente sólida e com alta liquidez. Por fim, dado ao fato que o somatório desses ativos representa apenas 1,49% do total de ativos, acredita-se que a provisão para perda com eventual ativo que esteja desvalorizado não impactaria significativamente as demonstrações financeiras da cooperativa;

35


N OTA S E X P L I C AT I VA S

15 – PARTES RELACIONADAS As partes relacionadas existentes são pessoas físicas que têm autoridade e responsabilidade de planejar, dirigir e controlar as atividades da Cooperativa, inclusive diretores, executivos e membros da família de tais pessoas. As operações são realizadas no contexto das atividades operacionais da Cooperativa e de suas atribuições estabelecidas em regulamentação específica. As operações com tais partes relacionadas caracterizam-se basicamente por transação financeira em regime normal de operações, com observância irrestrita das limitações impostas pelas normas do BACEN, tais como: movimentação de conta corrente, depósitos e operação de crédito. As Transações são assim resumidas em 31 de Dezembro 2013.

31/12/2013

31/12/2012

OPERAÇÕES ATIVAS

OPERAÇÕES ATIVAS

DESCRIÇÃO DIRETORES E CONSELHEIROS GERENTE

TOTAL

233.142

DESCRIÇÃO DIRETORES E CONSELHEIROS GERENTE

TOTAL

31/12/2013

31/12/2012

OPERAÇÕES PASSIVAS

OPERAÇÕES PASSIVAS

DESCRIÇÃO DIRETORES E CONSELHEIROS GERENTE

TOTAL

36

VALOR R$ 233.142 0

VALOR R$ 156.213 0

156.213

DESCRIÇÃO DIRETORES E CONSELHEIROS GERENTE

TOTAL

VALOR R$ 323.302 0

323.302

VALOR R$ 14.098 0

14.098


16 - PROVISÕES, PASSIVOS E ATIVOS CONTINGENTES

RELATÓRIO ANUAL 2012

RELATÓRIO ANUAL 2012

RELATÓRIO ANUAL 2012

31

31

31

Este assunto é tratado no Pronunciamento Técnico do CPC Nº. 25 e foi normatizado pela Resolução do CFC nº. 1.180 de 04 de agosto de 2009 (NBC T 19.7), para aplicação a partir de 01 de janeiro de (art. 2º).RELACIONADAS Seção 21 da NBC T 19.41. 152010 – PARTES – PARTES RELACIONADAS 15 – PARTES RELACIONADAS O objetivo desta15 norma é estabelecer que sejam aplicados critérios de reconhecimento e bases de As partes relacionadas existentes são pessoas físicassão quepessoas têm autoridade e responsabilidade partes relacionadas físicas que têm autoridade e responsabilidade mensuração a provisões e aexistentes passivos e ativos e que divulgada inforAs apropriada partesAs relacionadas existentes são pessoas físicascontingentes que têm autoridade e seja responsabilidade de planejar, dirigirdee planejar, controlardirigir as atividades da Cooperativa, inclusive diretores, executivos e e controlar as atividades da aCooperativa, inclusive diretores, executivos e de planejar, para dirigirpermitir e controlar as atividades da Cooperativa, inclusive diretores, executivos e mação suficiente que os usuários entendam sua natureza, oportunidade e valor. membros da família de tais pessoas. membros dadefamília de tais pessoas. membros da família tais pessoas. O Sicoob Crediadag em 31/12/2013 não possui ação que há ada necessidade dee contabilizar conAs operações são As realizadas no são contexto das nenhuma atividades operacionais Cooperativa de operações realizadas no contexto das atividades operacionais da Cooperativa As operações são realizadas no contexto das atividades operacionais daem Cooperativa e deníveise de tingências passivas. As ações ativas de operação de crédito já estão provisionadas seus devidos suas atribuições estabelecidas em regulamentação específica. suas atribuições estabelecidas em regulamentação específica. suas atribuições estabelecidas em regulamentação específica. As operações partes relacionadas caracterizam-se por transação riscos conformecom resolução 2.682 do BACEN. Astais operações com tais partes relacionadas basicamente caracterizam-se basicamente por transação As operações com tais partes relacionadas caracterizam-se basicamente por transação financeira em regime normalem de regime operações, comde observância irrestrita das limitações impostas normal operações, com observância das limitações financeirafinanceira em regime normal de operações, com observância irrestrita irrestrita das limitações impostasimpostas pelas normas do BACEN, tais como: movimentação de conta corrente, depósitos e operação de pelas normas do BACEN, tais como: movimentação de conta corrente, depósitos e operação de pelas normas do BACEN, tais como: movimentação de conta corrente, depósitos e operação de crédito. As transações sãoAs assim resumidas em 31 de dezembro 2011. crédito. transações são assim resumidas em 31 de dezembro 2011. crédito. As transações são assim resumidas em 31 de dezembro 2011.

OPERAÇÕES PASSIVAS OPERAÇÕES OPERAÇÕES PASSIVASPASSIVAS

DESCRIÇÃO 17 - OUTRAS INFORMAÇÕES DESCRIÇÃO DESCRIÇÃO

VALORES % VALORESVALORES

DIRETORIA EXECUTIVA, CONS. ADMINISTRAÇÃO CONS. FISCAL 28 DIRETORIA EXECUTIVA, CONS.E ADMINISTRAÇÃO E 1.372.812 CONS. FISCAL DIRETORIA EXECUTIVA, CONS. ADMINISTRAÇÃO E CONS. FISCAL 1.372.8121.372.812 GERENTE 0 SISTEMA SICOOB GOIÁS GERENTE 0 0 GERENTE 0 TOTAL

1.372.812

%

28 0

%

28 0

28,87

TOTAL 1.372.812 em um 28,87 O Sistema Sicoob Goiás representa a integração de 28 cooperativas de crédito, singulares, sistema TOTAL 1.372.812 28,87 de centralização financeira, sob a coordenação e comando do Sicoob Goiás CENTRAL - Cooperativa Central de Crédito de Goiás Ltda., com sede em Goiânia - Goiás. OPERAÇÕES ATIVAS Para consecução deATIVAS suas atividades OPERAÇÕES ATIVAS operacionais e financeiras, utiliza dos serviços de centralização fiOPERAÇÕES nanceira e compensação de cheques e outros papeis, mediante atuação do Banco Cooperativo do Brasil S/A - BANCOOB, com o qual passou a operar desde 24.11.97. Reconhecemos a exatidão das presentes demonstrações contábeis, cujo Balanço Patrimonial soma em seu Ativo e Passivo a importância de R$ 13.912.431 (Treze Milhões e Novecentos e Doze Mil e Quatrocentos e Trinta e Um Reais).

16 - OUTRAS INFORMAÇÕES 16 - OUTRAS INFORMAÇÕES 16 - OUTRAS INFORMAÇÕES SISTEMA SICOOBSISTEMA GOIÁS SICOOB GOIÁS SISTEMA SICOOB GOIÁS O Sistema Sicoob Goiás representa aGoiás integração de 32acooperativas de crédito, singulares, Goiânia, 31 de dezembro 2013. O Sicoob Sistema Sicoob representa integração de 32 cooperativas desingulares, crédito,de singulares, O Sistema Goiás representa a integração de 32 cooperativas de crédito, em um sistema de centralização financeira, sob a coordenação e comando do Sicoob Goiás em um de sistema de centralização financeira, sob a coordenação e comando Sicoob Goiás em um sistema centralização financeira, sob a coordenação e comando do SicoobdoGoiás CENTRAL - Cooperativa Central de CréditoCentral de Goiás Ltda., com sede em Goiânia -sede Goiás. CENTRAL Cooperativa de Crédito de Goiás Ltda., com em Goiânia CENTRAL - Cooperativa Central de Crédito de Goiás Ltda., com sede em Goiânia - Goiás. - Goiás. Para consecução Para de suas atividadesdeoperacionais e financeiras, utiliza dos serviços de dos serviços de consecução suas atividades operacionais e financeiras, utiliza Para consecução de suas atividades operacionais e financeiras, utiliza dos serviços de centralização financeira e compensação de cheques e outros papéis, mediante atuação do Banco centralização e compensação de echeques e outrosmediante papéis, mediante atuação centralização financeirafinanceira e compensação de cheques outros papéis, atuação do Bancodo Banco Cooperativo do Brasil S/A - BANCOOB, com qual passoucom a operar 24.11.97. Cooperativo S/A o- BANCOOB, o qualdesde a operar desde 24.11.97. Cooperativo do Brasildo S/ABrasil - BANCOOB, com o qual passou a passou operar desde 24.11.97. Reconhecemos a exatidão das presentes demonstrações contábeis, cujo Balanço Patrimonial Reconhecemos a exatidão das presentes demonstrações contábeis, cujoPatrimonial Balanço Patrimonial Reconhecemos a exatidão das presentes demonstrações contábeis, cujo Balanço soma em seu Ativosoma e Passivo a importância de R$ 6.617.256 (Seis Milhões, Seiscentos e dezessete em seu Ativo eaPassivo a importância de R$ 6.617.256 (Seis Seiscentos Milhões, Seiscentos e dezessete soma em seu Ativo e Passivo importância de R$ 6.617.256 (Seis Milhões, e dezessete Mil, Duzentos e Cinquenta e SeiseReais). Mil, Duzentos Cinquenta e Seis Reais). Mil, Duzentos e Cinquenta e Seis Reais).

DALTON S. B. THOMAZ ELISANDRO ALVES ROCHA FÁBIO JOSÉ DE OLIVEIRA FÁBIO JOSÉ DE OLIVEIRA ELISANDRO ALVESELISANDRO ROCHA DALTON S. B. THOMAZ ALVES ROCHA DALTON S. B. THOMAZ FÁBIO JOSÉ DE– OLIVEIRA ELISANDRO ALVES ROCHA DALTON S. B. THOMAZ FÁBIO Contador: JOSÉ DE CRC-GO OLIVEIRA Presidente Vice-Presidente 017475/O-6 Vice-Presidente Presidente Contador: CRC-GO – 017475/O-6 Vice-Presidente Presidente Contador: CRC-GO – 017475/O-6 Vice-Presidente Presidente Contador: CRC-GO – 017475/O-6 042.965.478-28 CPF 387.402.811-91 CPF 994.485.131-00 CPF 387.402.811-91 CPFCPF 042.965.478-28 CPF 994.485.131-00 CPF 387.402.811-91 CPF 042.965.478-28 CPF 994.485.131-00 CPF 387.402.811-91 CPF 042.965.478-28 CPF 994.485.131-00

37


N OTA S E X P L I C AT I VA S

Resumo da Descrição da Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil – Sicoob

Ano 2013 1. RISCO OPERACIONAL

1.1 O gerenciamento do risco operacional do Sicoob Crediadag objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar o risco operacional, por meio da adoção de boas práticas de gestão de riscos, na forma instruída na Resolução CMN 3.380/2006. 1.2 Conforme preceitua o artigo 11 da Resolução CMN 3.721/2009, o Sicoob CREDIADAG aderiu à estrutura única de gestão do risco operacional do Sicoob, centralizada na Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Ltda. (Sicoob Confederação), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. 1.3 O processo de gerenciamento do risco operacional do Sicoob consiste na avaliação qualitativa dos riscos objetivando a melhoria contínua dos processos. 1.4 O uso da Lista de Verificação de Conformidade (LVC) tem por objetivo identificar situações de risco de não conformidade, que após identificadas são cadastradas no Sistema de Controles Internos e Riscos Operacionais (Scir). 1.5 As informações cadastradas no Sistema de Controles Internos e Riscos Operacionais (Scir) são mantidas em banco de dados fornecido pelo Sicoob Confederação. 1.6 A documentação que evidencia a efetividade, a tempestividade e a conformidade das ações para tratamento dos riscos operacionais, bem como as informações referentes às perdas associadas ao risco operacional, são registradas e mantidas em cada entidade do Sicoob, sob a supervisão da respectiva entidade auditora (se cooperativa singular, da cooperativa central; se cooperativa central e Bancoob, do Sicoob Confederação). 1.7 Para as situações de risco identificadas são estabelecidos planos de ação, com a aprovação da Diretoria Executiva, que são registrados em sistema próprio para acompanhamento pelo Agente de Controles Internos e Riscos (ACIR). 1.8 Não obstante a centralização do gerenciamento do risco operacional, o Sicoob CREDIADAG possui estrutura compatível com a natureza das operações e com a complexidade dos produtos e serviços oferecidos, sendo proporcional à dimensão da exposição ao risco operacional.

38


2. RISCOS DE MERCADO E DE LIQUIDEZ 2.1 O gerenciamento dos riscos de mercado e de liquidez do Sicoob CREDIADAG objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar os riscos de mercado e de liquidez, por meio das boas práticas de gestão de riscos, na forma instruída nas Resoluções CMN 3.464/2007. 2.2 Conforme preceitua o artigo 11 da Resolução CMN 3.721/2009, o Sicoob CREDIADAG aderiu à estrutura única de gestão dos riscos de mercado e de liquidez do Sicoob, centralizada no Banco Cooperativo do Brasil S.A (Bancoob), que pode ser evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br.

2.3 No gerenciamento dos riscos de mercado são adotados procedimentos padronizados de identificação de fatores de risco, de classificação da carteira de negociação (trading) e não negociação (banking), de mensuração do risco de mercado, de estabelecimento de limites de risco, de testes de stress e de aderência do modelo de mensuração de risco (backtesting). 2.4 Não obstante a centralização do gerenciamento dos riscos de mercado e de liquidez, o Sicoob CREDIADAG possui estrutura compatível com a natureza das operações e com a complexidade dos produtos e 31 serviços oferecidos, sendo proporcional à dimensão 31 31 da exposição ao risco de mercado da entidade. RELATÓRIO ANUAL 2012

RELATÓRIO ANUAL 2012

RELATÓRIO ANUAL 2012

3. RISCO DE CRÉDITO 15 – PARTES RELACIONADAS 15 – PARTES RELACIONADAS 15 – PARTES RELACIONADAS

As partes relacionadas existentes são pessoas físicassão quepessoas têm autoridade e responsabilidade As partes relacionadas existentes físicas que têm autoridade e responsabilidade As partes relacionadas existentes são pessoas físicas que têm autoridade e responsabilidade 3.1 O gerenciamento dee planejar, risco dedirigir crédito do Sicoob CREDIADAG objetiva garantir às enormas de planejar, dirigirde controlar as atividades da Cooperativa, inclusive diretores, executivos ae aderência e controlar as atividades da Cooperativa, executivos de planejar, dirigir e controlar as atividades da Cooperativa, inclusive inclusive diretores,diretores, executivos e membros da família de tais pessoas. vigentes, maximizar o uso do capital e minimizar os riscos envolvidos nos negócios de crédito por meio membros da família de tais pessoas. membros da família de tais pessoas. As operações são As realizadas no são contexto das atividades operacionais da Cooperativa e de operações realizadas no contexto das atividades operacionais da Cooperativa e de As operações sãoriscos. realizadas no contexto das atividades operacionais da Cooperativa e de das boas práticas de gestão de suas atribuições estabelecidas em regulamentação suas atribuições estabelecidas emespecífica. regulamentação específica. suas atribuições estabelecidas em regulamentação específica. 3.2 Conforme preceitua oAsartigo 10 da Resolução CMN nº 3.721/2009, opor Sicoob CREDIADAG aderiu à esAs operações com tais partes relacionadas caracterizam-se basicamente transação operações taisrelacionadas partes relacionadas caracterizam-se basicamente por transação As operações com tais com partes caracterizam-se basicamente por transação financeira em regime normal de operações, com observância irrestrita das limitações impostas trutura única de gestão risco de crédito do centralizada noirrestrita Banco Cooperativo do Brasil S.A. financeira emnormal regime normal deSicoob, operações, com observância das limitações financeira emdo regime de operações, com observância irrestrita das limitações impostasimpostas pelas normas do BACEN, tais como: movimentação de movimentação conta corrente,de depósitos e operação de pelasdo normas dotais BACEN, tais como: conta corrente, depósitos e operação de pelasencontra-se normas BACEN, como: movimentação de conta corrente, depósitos e operação de (Bancoob), a qual evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. crédito. As transações sãoAs assim resumidas em 31 de dezembro 2011. crédito. transações são assim resumidas em 31 de dezembro 2011. crédito. As transações são assim resumidas em 31 de dezembro 2011. 3.3 Compete ao gestor a padronização de processos, de metodologias de análises de risco de clientes e

OPERAÇÕES PASSIVAS OPERAÇÕES PASSIVAS de operações, de criação e de manutenção de política única de risco de crédito para o Sicoob, além do OPERAÇÕES PASSIVAS DESCRIÇÃO monitoramento das carteiras de crédito das cooperativas. VALORESVALORESVALORES % DESCRIÇÃO % DESCRIÇÃO % DIRETORIA EXECUTIVA, CONS. ADMINISTRAÇÃO CONS. FISCAL 28 DIRETORIA EXECUTIVA, CONS.E ADMINISTRAÇÃO E1.372.812 CONS. FISCAL 1.372.812 28 estru3.4 Não obstante a centralização do gerenciamento risco de crédito, o Sicoob CREDIADAG DIRETORIA EXECUTIVA, CONS. ADMINISTRAÇÃO Ede CONS. FISCAL 1.372.812 28 possui GERENTE 0 0 0 e serviços 0 GERENTE 0 tura compatível com aGERENTE natureza das operações e com a complexidade dos0 produtos oferecidos, TOTAL 1.372.812 28,87 sendo proporcional à dimensão da exposição ao risco de crédito da1.372.812 entidade. TOTAL 1.372.812 28,87 TOTAL 28,87

4. GERENCIAMENTO OPERAÇÕES ATIVAS DE CAPITAL OPERAÇÕES OPERAÇÕES ATIVAS ATIVAS

4.1 A estrutura de gerenciamento de capital do Sicoob te em um processo contínuo de monitoramento do CREDIADAG objetiva garantir a aderência às normas capital, e é realizado pelas entidades do Sicoob com vigentes e minimizar o risco de insuficiência de caobjetivo de: pital para fazer face aos riscos em que a entidade a) avaliar a necessidade de capital para fazer face aos está exposta, por meio das boas práticas de gestão riscos a que as entidades do Sicoob estão sujeitas; de capital, na forma instruída na Resolução CMN b) planejar metas e necessidade de capital, con16 - OUTRAS INFORMAÇÕES 16 - OUTRAS INFORMAÇÕES INFORMAÇÕES 3.988/2011. 16 - OUTRAS siderando os objetivos estratégicos das entidades SISTEMApreceitua SICOOBSISTEMA GOIÁS 4.2 Conforme o artigo 9 da Resolução do Sicoob; SICOOB GOIÁS SISTEMA SICOOB GOIÁS CMN 3.988/2011, o Sicoob CREDIADAG aderiu à c) adotar postura prospectiva, antecipando a necesO Sistema Sicoob Goiás representa aGoiás integração de 32acooperativas de32 crédito, singulares, O Sicoob Sistema Sicoob representa integração de cooperativas desingulares, crédito, singulares, O Sistema Goiás representa a integração de 32de cooperativas de crédito, estrutura única de gerenciamento de capital do sidade capital possíveis mudanças em um sistema de centralização financeira, sob a coordenação e comando dodecorrente Sicoob Goiásdedo em um sistema de centralização financeira, sob a coordenação e comando Sicoob Goiás em um sistema de centralização financeira, sob a coordenação e comando do Sicoob Goiás Sicoob, CENTRAL centralizada na Confederação Nacional das nas condições de mercado. - Cooperativa Central de Crédito de Goiás Ltda., com sede em Goiânia Goiás. - Cooperativa Central dede Crédito Goiás Ltda., em-Goiânia CENTRALCENTRAL - Cooperativa Central de Crédito Goiás de Ltda., com sedecom em sede Goiânia Goiás. - Goiás. Para de(Sicoob suas atividades financeiras, utiliza dos serviços de dos serviços Cooperativas doconsecução Sicoob a e 4.4 Adicionalmente, sãodos realizadas Para consecução deoperacionais suas atividades operacionais e financeiras, utiliza de simuPara Ltda. consecução deConfederação), suas atividades operacionais e financeiras, utiliza serviços detambém centralização financeira e compensação deecheques e outros papéis, mediante atuação do Banco atuação do Banco centralização financeira compensação de e outros papéis, mediante qual encontra-se evidenciada em relatório disponível lações eventos severos em extremas centralização financeira e compensação de cheques echeques outrosde papéis, mediante atuação do condições Banco Cooperativo do Brasil S/A - BANCOOB, com qual passoucom a operar 24.11.97. Cooperativo S/A o- BANCOOB, o qualdesde a operar desde 24.11.97. Cooperativo do Brasildo S/ABrasil - BANCOOB, com o qualde passou a passou operar desde 24.11.97. no sítio www.sicoob.com.br. mercado, com a consequente avaliação de seus Reconhecemos a exatidão das presentes demonstrações contábeis, cujo Balanço Patrimonial Reconhecemos exatidão das presentes demonstrações contábeis, cujoPatrimonial Balanço Patrimonial Reconhecemos acentralizado exatidãoadas presentes demonstrações contábeis, cujodas Balanço 4.3 O gerenciamento capital consisimpactos no capital entidades do Sicoob. soma em seu Ativode e Passivo a importância de R$ 6.617.256 (Seis Milhões, Seiscentos e dezessete soma em seu Ativo e Passivo a importância de R$ 6.617.256 (Seis Milhões, Seiscentos e dezessete soma em seu Ativo e Passivo a importância de R$ 6.617.256 (Seis Milhões, Seiscentos e dezessete Mil, Duzentos e Cinquenta e SeiseReais). Mil, Duzentos Cinquenta e Seis Reais). Mil, Duzentos e Cinquenta e Seis Reais).

DALTON S. B. THOMAZ ELISANDRO ALVES ROCHA FÁBIO JOSÉ DE OLIVEIRA FÁBIO JOSÉ DE OLIVEIRA ELISANDRO ALVESELISANDRO ROCHA DALTON S. B. THOMAZ ALVES ROCHA DALTON S. B. THOMAZ FÁBIO JOSÉ DE– OLIVEIRA ELISANDRO ALVES ROCHA DALTON S. B. THOMAZ FÁBIO Contador: JOSÉ DE CRC-GO OLIVEIRA Presidente Vice-Presidente 017475/O-6 Vice-Presidente Presidente Contador: CRC-GO – 017475/O-6 Vice-PresidenteContador:Contador: Presidente – 017475/O-6 Vice-Presidente Presidente CRC-GO –CRC-GO 017475/O-6 CPF 042.965.478-28 CPF 387.402.811-91 CPF 994.485.131-00 CPF 387.402.811-91 CPF 042.965.478-28 CPF 994.485.131-00 CPF 387.402.811-91 CPF 042.965.478-28 CPF 994.485.131-00 CPF 387.402.811-91 CPF 042.965.478-28 CPF 994.485.131-00 39


PARECER DA AUDITORIA

40


PARECER

DO CONSELHO

FISCAL

O Conselho Fiscal da COOPERATIVA DE CRÉDITO DOS DISTRIBUIDORES E ATACADISTAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA LTDA – SICOOB CREDIADAG, em cumprimento às disposições legais e estatutárias, após analisar o Balanço do Exercício Fiscal findo em 31 de dezembro de 2013 e com base nos exames dos demonstrativos contábeis, nas averiguações periódicas deste Conselho e tendo em vista que estão de acordo com as normas exigidas e que os mesmos espelham e representam integralmente a situação econômica, financeira, contábil e fiscal desta instituição, no ano de 2013, somos de parecer favorável pela sua aprovação.

Goiânia (GO), 31 de janeiro de 2014.

41


RESPONSABILIDADE

SOCIAL

O Sicoob Crediadag, junto a seus funcionários e cooperados, sempre está envolvido em ações que contribuem para uma sociedade mais justa e um ambiente saudável. A Responsabilidade Social é uma forma que a Crediadag encontrou para proporcionar o bem-estar à comunidade na qual está inserida. A partir do momento em que a organização está convencida do seu papel social e se orienta para a melhoria contínua da sociedade, este esforço resulta num constante fortalecimento. Prova disso é a ação social que a cooperativa desenvolve todos os anos em parceria com a ADAG, arrecando alimentos, brinquedos, calçados e itens de limpeza para instituições carentes. Além disso, a cooperativa sempre está envolvida em ações que promovem o conhecimento e incentivam empresários e vendedores a discutir estratégias de crescimento para o setor atacadista distribuidor. Esse é o caso da Covendas, que há 19 anos discute as principais tendências de vendas e atendimento aos clientes; da Convenção Anual da ABAD, que em 2013 aconteceu em Fortaleza; e, também, da Super Agos 2013, a maior feira de supermercados de Goiás, promovida pela AGOS, da qual participamos com um estande. O Sicoob Crediadag, em parceria com a ADAG, concretizou campanha social de arrecadação de alimentos em prol de comunidades carentes. Foram doados três mil quilos de alimentos, além de brinquedos e calçados, para o Complexo Assistencial Espírita São Francisco de Assis, na região noroeste de Goiânia. Cerca de 180 crianças foram beneficiadas com a campanha da Associação.

Caravana à ABAD 2013, em Fortaleza 42

18ª COVENDAS

Super Agos 2013


Relatório sicoob crediadag 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you