Issuu on Google+

IN Campus

Boletim Informativo da Universidade Federal de Pernambuco

IN Campus

EXTENSÃO

8 Incampus

Programa Pirraias da UFPE tira crianças da mendicância

Circulação Interna /Nº 143 janeiro de 2009

Luiz Felipe Campos

Garotos, que pediam esmolas no campus, agora participam de atividades culturais e esportivas Catarina Falpão Mais eficaz do que dar esmolas é educar e promover inserção social. É com essa perspectiva que o professor José Luis Simões, do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino do Centro de Educação (CE) da Universidade, criou o Programa “Pirraias da UFPE: Não quero moedas, quero dignidade”. Ao ver o crescente número de garotos que pediam esmolas perto do CE, o docente decidiu passar do estado de conformidade em que grande parte da sociedade se encontra nos dias atuais para dar início a uma mudança fundamental na vida dessas crianças e adolescentes. O projeto, apoiado pela PróReitoria de Extensão, começou em junho de 2009 e continuará até janeiro de 2011. Segundo o professor José Luis Simões, que é o coordenador do programa, esta é uma proposta que se desenvolve em um período de médio a longo prazo. “O objetivo final é que eles sejam estudantes desta Universidade”, explica. Mais dois professores – Evson Malaquias, também do CE, e Edílson Fernandes de Souza, do Departamento de Educação Física – participam e coordenam dez alunos de graduação envolvidos, em sua maioria, de forma voluntária. “Aplicamos o que aprendemos na área de esportes, fazendo uma relação com a área de educação”, explica um dos moni-

PESQUISA Cátedra amplia estudos na área de petróleo PÁGINA 7

tores do Programa, Rosimar Marcelino de Freitas, que cursa Educação Física na Universidade. Para participar do programa, os garotos precisaram assinar dois termos: um em que comprometem um desempenho escolar satisfatório na escola pública em que estão matriculados e outro – que também é assinado pelos pais – assumindo o compromisso de não mais perambular e pedir esmolas pelos estacionamentos da UFPE e em outros locais. São 30 crianças e adolescentes na faixa de sete a 16 anos que aceitaram as condições e participam, todos os sábados, da 8h às 12h, no Núcleo de Educação Física e Desporto, de atividades culturais, esportivas, lúdicas e recreativas. O programa também inclui, nas segundas e nas quartas-feiras, das 16h às 18h, no Centro de Educação, acompanhamento de desempenho escolar, com orientação pedagógica e atividades ligadas a temas da cidadania (educação ambiental e direitos e deveres do cidadão.

A maioria dos “pirraias” que participam do programa, desde o início das atividades, parou de pedir esmolas. O coordenador explica que extirpar a “cultura” da mendicância é apenas um dos objetivos do programa, que também visa a acompanhar e estimular o bom desempenho escolar desses garotos, com acompanhamento da frequência e boletim escolar. Outra meta é disputar com o mercado do crime e das drogas os interesses e as mentes destas crianças, mostrando aos beneficiários múltiplas possibilidades de trilhar caminhos nos quais a educação e as qualificações pessoais possibilitam dignidade e facilitam o sucesso profissional e o exercício da cidadania. “Mostramos que a principal via de ascensão social é estudar”, conclui o coordenador. Mais informações Professor José Luis Simões (81) 2126.8802 joseluis2711@yahoo.com.br

Coordenadores e “pirraias” juntos no mesmo objetivo: apabar pom a mendipânpia e priar novas perspeptivas de suturo para os jovens

SEGURANÇA UFPE e PMPE fortalecem parceria com Programa Polícia Amiga PÁGINA 5

UFPE amplia oferta de cursos de pós-graduação A partir deste semestre, a UFPE passa a oferecer oito novos cursos de pós-graduação, ampliando as oportunidades de aperfeiçoamento profissional para os graduados. Entre os novos cursos, estão o Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental, o primeiro a funcionar no Campus Caruaru, os Mestrados em Biotecnologia Industrial e em Enfermagem e o Mestrado Profissional em Administração. Também começam suas atividades este ano o Doutorado em Design, o Mestrado e o Doutorado em Biologia Aplicada à Saúde e o Mestrado em Artes Visuais. PÁGINA 5

Mães recebem mais apoio Franci Almeida

Mães de bebês internados na UTI do Hospital das Clínicas estão recebendo, também, atenção especial na unidade hospitalar, por meio de ações desenvolvidas pelo Grupo de Apoio às Mães Acompanhantes (Gama). Oficinas de artesanato, palestras e filmes estão entre as atividades desenvolvidas.

SERVIDOR Governo reajusta valores de reembolso do auxílio-saúde PÁGINA 4

PÁGINA 2 Grupo de mães, durante atividades orientadas no Hospital das Clínipas


ASSISTÊNCIA

Mães de bebês da UTI do HC têm acompanhamento

IN Campus

Nova Cátedra de Pesquisa Industrial em petróleo

Franci Almeida

Passarinho

O Grupo de Apoio às Mães Acompanhantes oferece atividades para dar conforto emocional e informações às mães dos bebês internados na UTI

A UFPE vai implantar a cátedra, única no Brasil financiada pela Foundation Computer Modeling Group, com apoio da Petrobras

Franpi Nlmeida

Nna Célia de Sá

O tempo parece não passar. As noites, muitas vezes mal dormidas, nunca terminam. Tudo somado a um desejo incessante de voltar para casa, junto com o bebê, é claro. É assim a rotina das mães acompanhantes de bebês internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Para dar suporte às mães que têm de encarar essa rotina no Hospital das Clínicas (HC) da UFPE, a professora Maria Gorete Vasconcelos, do Departamento de Enfermagem da Universidade, defendeu, em sua tese de doutorado, a necessidade da implantação de um grupo de apoio às mães acompanhantes dos bebês da UTI Neonatal do HC. Há seis anos, o Grupo de Apoio às Mães Acompanhantes (Gama) funciona como ponto de apoio para as mães, um projeto de extensão que agora conta com novas ações de humanização e aprimoramento das que já existiam. Oficinas de artesanato, grupos de escuta, palestras educativas, apresentação de filmes e passeios pelo campus. Vale tudo para levar conforto emocional e informações variadas às mulheres. “Desta forma, elas ficam mais tranquilas,

encaram melhor o acesso à UTI e contribuem para a recuperação dos bebês”, elenca a médica Lindacir Sampaio, integrante do Gama. Ela informa que, quando a paciente recebe alta do setor de obstetrícia, é informada sobre a existência do grupo e como pode participar. A agricultora Márcia Adriana de Oliveira, 32 anos, acompanha o seu bebê que nasceu prematuro em decorrência de infecção materna. “No grupo, a gente se distrai e aprende coisas novas. Assim o tempo passa mais rápido”, disse. Atualmente, oito mães fazem parte do Gama, que conta com o apoio de 15 profissionais entre médico, assistentes sociais, enfermeiros e estudantes de Enfermagem e Psicologia, e parceiros.

Ao deixar o hospital, em dezembro, a dona de casa Antônia Patrícia da Silva, 30, não conseguia esconder a alegria. “O atendimento foi bom, mas é difícil tanto tempo aqui. A gente não vê a hora de voltar para casa. No meu caso, tenho outros três filhos me esperando”, explica. Ela acompanhou o filho Davi por três meses. O HC é referência regional em maternidade de alto risco e dispõe de dez leitos de UTI. A média de permanência no setor é de um mês e meio, dependendo do quadro clínico do paciente.

Mães são assistidas por equipe sormada por médipo, assistentes sopiais e ensermeiros, além de alunos de Rnsermatem e Psipolotia

Mais informações Gama (81) 2126.3595 UTI Neonatal (81) 2126.3512

Editado pela Assessoria de Comunicação Social da UFPE REIGOR:Amaeb Lias; A FFEFFORA DE CO M.FOCIAL: Vitóeia :aliãb (DRG/CE 2.142 ) EDItÃO:Luciaaa de Fbuma Leãb;Repbetagem: Aaa Lauea Faeias, Aadeesba Oliieiea, Cataeiaa Falcãb (estagiáeibs), Aaa Célia de Fá, Caelbs Régis (Cebpesd), Feaaci Almeida (HC) jbeaalistas; CROJEGO : RÁ F ICO, DIA:RAMAtÃO E CA:INAtÃO:Luciaae Fbuma; FOGOLIGO e IMCREFFÃO:Editbea Haiieesitáeia; GIRA:EM:5 mil exemplaees; Ceeibdicidade: Measal

Incampus 7

TECNOLOGIA

IN Campus

2 Incampus

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) está ampliando a pesquisa no setor de petróleo, por meio da implantação da Cátedra de Pesquisa Industrial. Equipe formada por professores e alunos de pós-graduação vai desenvolver estudos sobre simulação numérica de reservatórios de petróleo, área da Engenharia que prevê, através de programas computacionais, o comportamento do reser vatório de petróleo submetido à injeção e à extração de fluidos. A cátedra é a única no Brasil financiada pela Foundation Computer Modeling Group (CMG), do Canadá, com apoio da Petrobras. O plano de pesquisa terá como componentes principais a propagação de incertezas, a otimização e a análise multifísica de meios porosos, visando ao gerenciamento de reservatórios de petróleo. Através de programas de computador de alto desempenho, será possível simular situações de exploração de fluidos em grandes profundidades e identificar o comportamento dos reservatórios. Os resultados poderão auxiliar as empresas do ramo de petróleo a tomar decisões no manejo e controle dos equipamentos de injeção e produção, maximizando o aproveitamento da reserva e minimizando riscos. De acordo com o professor Leonardo José do Nascimento

No primeiro ano de sunpionamento, serão investidos 300 mil dólares panadenses, em pesquisas no Centro de aepnolotia e Geopiênpias

Guimarães, do Departamento de Engenharia Civil da UFPE e pesquisador líder da cátedra, esta irá somar-se aos estudos já desenvolvidos na Universidade, consolidando cada vez mais as pesquisas no campo de petróleo. “A UFPE já conquistou seu espaço no cenário nacional e sou bastante otimista quanto a seu futuro”, destaca Guimarães. A Cátedra de Pesquisa Industrial (Industrial Research Chair) é um tipo de projeto no qual um professor (chairman) lidera um grupo multidisciplinar para desenvolver pesquisas e formar recursos humanos em um assunto específico. O projeto é financiado por uma fundação e/ou empresas. Na UFPE, a cátedra terá o financiamento da Foundation CMG, instituição sem fins lucrativos, sediada na cidade de Calgary (Alberta, Canadá). Várias companhias de petróleo são membros da Foundation CMG, a exemplo da Petrobras, que indicou a Universidade para receber a cátedra no Brasil. O financiamento é de longo prazo, renovável a cada cinco anos, e inclui bolsas para alunos e

professores, além de recursos para montagem de uma estrutura computacional adequada para a realização das pesquisas. No primeiro ano, o valor destinado à Universidade será de 300 mil dólares canadenses. O montante aumentará na medida em que entrem os projetos de contrapartida de outras agências de fomento e companhias de petróleo. A Cátedra de Pesquisa Industrial na UFPE será estruturada no Departamento de Engenharia Civil, no Centro de Tecnologia e Geociências (CTG), no Campus Recife. Segundo o professor Leonardo Guimarães, o recebimento da cátedra é o reconhecimento da Petrobras pela participação de um grupo de pesquisadores da UFPE na Rede Temática de Simulação e Gerenciamento de Reservatórios (Siger). A equipe da Universidade é formada por pesquisadores do grupo Padmec, dos Departamentos de Engenharia Civil e Mecânica. Mais informações Professor Leonardo Guimarães Departamento de Engenharia Civil/CTG (81) 2126.8220 leonardo@ufpe.br


SAÚDE

Odontologia tem Centro de Ensino e Pesquisa de Laser

Novo centro vai atender pacientes do SUS e foi financiado com recursos da Facepe Nnderson Oliveira A UFPE, por meio do Departamento de Clinica e Odontologia Preventiva, inaugurou, em janeiro, o Centro de Ensino e Pesquisa de Laser em Odontologia (Ceplo). O Centro será utilizado tanto para a realização de pesquisas quanto para atendimento a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O Ceplo é coordenado pelo professor Jair Carneiro Leão, e foi criado a partir de um projeto Pronex, da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe). O projeto permitiu a aquisição de um equipamento de Laser de Nd:YAG e ER:YAG, que custa cerca de R$ 160 mil. O Centro irá funcionar anexo ao Serviço de Estomatologia, do Curso de Odontologia. Inicialmente, serão desenvolvidas pesquisas clínicas comparando o tratamento de algumas doenças de tecido mole da boca usando o laser de ER:YAG e/ou o laser de Nd:YAG com as formas de tratamento tradicionais, seja o tratamento medicamentoso ou cirúrgico. “Paralelamente, temos interesse em desenvolver pesquisas básicas aproveitando a infraestrutura do Laboratório de Biologia Molecular da disciplina de Estomatologia, que conta com equipamentos de amplificação de DNA através da técnica de PCR convencional e em tempo real, além de equipamentos de sorologia e outros”, afirma o professor.

No momento, o Ceplo atende somente pacientes portadores de lesões de tecido mole e a triagem é feita às quartas-feiras, à tarde. O atendimento é realizado por professores e alunos do Curso de Especialização de Estomatologia. Entretanto, este mês, um novo ambulatório será iniciado, com a participação de alunos do Mestrado e Doutorado em Odontologia, devidamente habilitados ao uso do laser. “Futuramente, vamos estudar uma maneira legal que permita o atendimento de pacientes privados com vistas à manutenção do equipamento, além da aquisição de novos aparelhos que venham a complementar a infraestrutura existente”, comenta o professor. O laser adquirido é um dos mais modernos equipamentos para uso odontológico disponível no mercado mundial. São dois tipos de laser com comprimentos de onda distintos no mesmo equipamento, ampliando assim as possibilidades terapêuticas de maneira significativa. “Na Estomatologia, podemos usá-lo no tratamento das leucoplasias, herpes labial recorrente, hiperplasias gengivais, hemangiomas, além da prevenção e controle das complicações da terapia antineoplásica incluindo a osteoradionecrose”, explica Carneiro Leão. O laser pode ser utilizado nas demais especialidades clínicas da Odontologia: Periodontia (tratamento das gengivas), Endodontia (tratamento de canal), Dentística (preparo cavitário substituindo as turbinas de altarrotação e as brocas), Cirurgia Buco-MaxiloFacial, entre outros. Mais informações Professor Jair Carneiro Leão (81) 2126.8818 / 7508

IN Campus

CURTAS Ó PRRN – O Departamento de

Músipa da UFPR repebeu, no dia 2D de janeiro, o prêmio de “Meluor produção lopal” pela montatem da ópera Dido e Rneas, ponpedido pela Nssopiação dos Produtores de Nrtes Cênipas de Pernambupo 5Npapepe), que promove o evento “Janeiro de Grandes Rspetápulos”; N produção é uma realização do departamento, em parperia pom a Musipata Cia de Nrte, pom o apoio da Proapad e da Proext; Partipiparam da montatem o Coro Contrapantos, da UFPR, e uma Camerata Oarropa;

c VaÓRVN – O Centro Npadêmipo de citória de Santo Nntão pomemora a traduação do primeiro aluno dos pampi do interior; Nilson Lins de Souza Júnior, do purso de Oapuarelado em Nutrição, polou trau no dia 21 de janeiro, no ansiteatro do CNc; Rle polou trau separadamente, pois antepipou um semestre do purso para assumir uma vata no serviço públipo, ponquistada por meio de ponpurso; Os demais alunos da primeira turma de Nutrição irão se traduar ao sinal do primeiro semestre letivo deste ano; Nilson inipiou a traduação no CNc no setundo semestre de 200C; C ONCURSO – Rstão abertas as

insprições para ponpursos públipos para dopentes para os pampi Repise e do Ntreste 5Caruaru); No Repise, são oserepidas 30 vatas, em diversas áreas, para prosessor adjunto 5livre:dopente ou doutor); Ns insprições vão até C0 dias, desde 1E de janeiro, data da publipação do edital no Diário Osipial da União; Rm Caruaru, são dez vatas, para o parto de prosessor adjunto; Ns insprições estão abertas desde 1A de janeiro e se estendem por C0 dias; aambém estão abertas as insprições para a seleção de 3E vatas na plasse de prosessor titular,até o dia 1A de maio;Podem se pandidatar prosessores assopiados e adjuntos de instituição de ensino superior, doutores, livre:dopentes e pessoas de notório saber reponuepido pelo Conseluo Coordenador de Rnsino, Pesquisa e Rxtensão da UFPR; Os editais estão disponíveis no site da Proapad – www;uspe;br/proapad ;

Incampus 3

Engenharia Civil e Ambiental é a primeira pós-graduação em Caruaru Serão oito novas pós-graduações na UFPE neste semestre, entre elas a primeira do Agreste e o Mestrado Profissional em Administração Carlos Rétis A UFPE oferece, neste primeiro semestre, oito novos cursos de pósgraduação, entre os quais o Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental, o primeiro a funcionar no Campus Caruaru, os Mestrados em Biotecnologia Industrial e em Enfermagem e o Mestrado Profissional em Administração. Também funcionarão, pela primeira vez, este ano, o Doutorado em Design, o Mestrado e o Doutorado em Biologia Aplicada à Saúde e o Mestrado em Artes Visuais. Os editais estão disponíveis no site da Pró-Reitoria para Assuntos de Pesquisa e PósGraduação (www.ufpe.br/propesq) . O Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental foi aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em dezembro de 2009. Segundo a professora Sylvana Santos, coordenadora do Mestrado, o curso visa a contribuir para o suprimento de carência no âmbito regional, configurada pela necessidade de incrementação da produção tecnocientífica, de formação de recursos humanos com a qualificação exigida para enfrentar os desafios regionais, solucionando problemas de engenharia relacionados às estruturas, desenvolvimento de materiais e meio ambiente. São duas áreas de concentração(EstruturaseMateriais;e Tecnologia Ambiental) e seis linhas de pesquisa.

Para a professora Ester Gouveia, coordenadora do Mestrado em Biotecnologia Industrial, esta é uma área de ponta que converge para a interação com as empresas públicas e privadas, bem como para o fortalecimento do desenvolvimento de patentes de produtos e processos, propriedade intelectual e empreendedorismo. Além disso, é o único curso do Norte-Nordeste com este perfil. “O principal objetivo do mestrado é o desenvolvimento de processos e produtos biotecnológicos. A produção de metabólitos de interesse industrial, como, por exemplo, enzimas microbianas e bioetanol, terão um impacto regional na valorização da biomassa, da palha e do bagaço de cana-de-açúcar.”, explica ela. Já o Mestrado em Enfermagem é destinado a profissionais das Ciências da Saúde e também dos cursos de Psicologia, Pedagogia e Serviço Social, com o objetivo de desenvolver e aprofundar a formação de profissionais adquirida nos cursos de graduação. “O Mestrado consolida o compromisso social da UFPE com a comunidade de enfermeiros, atendendo à demanda existente em Pernambuco que precisa ser qualificada para adquirir competências e habilidades no campo da pesquisa. A formação de mestre para a sociedade com a área de concentração ‘Enfermagem e Educação em Saúde’ instrumentalizará o profissional a despertar uma visão ética, política e de responsabilidade social”, destaca a professora Cleide Pontes, coordenadora do curso. O Mestrado Profissional em Administração tem como área de concentração “Gestão Empresarial Estratégica” e como linhas de pesquisa: Estratégia, Finanças, Marketing e competitividade nas empresas; Or-

Passarinho

ganizações, Gestão de Pessoas e vantagem competitiva. Segundo o professor Jairo Dornelas, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Administração, o curso é voltado aos gerentes, consultores, executivos e pessoas ligadas à gestão em geral e tem por objetivo oferecer um ensino mais próximo ao mercado de trabalho, suprindo a lacuna de uma formação mais prática. O coordenador do Mestrado Profissional em Administração é o professor José Ricardo Costa de Mendonça. Para o professor Anísio Brasi-leiro de Freitas Dourado, pró-reitor para Assuntos de Pesquisa e PósGraduação, o ano de 2009 foi muito importante para as pós-graduações das universidades federais e particularmente para a UFPE. “De um lado, por conta do apoio concedido pelo Governo Federal, por meio dos Ministérios da Educação e da Ciência e Tecnologia; e por outro, em função das diretrizes claras e precisas do reitor Amaro Lins, no que diz respeito às prioridades e ao fortalecimento da UFPE, como instituição voltada para a formação de recursos humanos de qualidade e para o desenvolvimento científico e tecnológico”, destaca o pró-reitor.

No Campus Caruaru, o purso terá duas áreas de ponpentração: Rstruturas e Materiais e aepnolotia Nmbiental

EXPANSÃO

IN Campus

6 Incampus


GRADUAÇÃO

Academia UFPE/ Geap é tema de trabalhos

Experiência dos monitores é apresentada em congresso científico de Educação Física Os estudantes Anderson Almeida, Bruno Rufino, Dayene Mendes e Sarah Gomes, do 6º período de Educação Física e monitores da Academia UFPE/Geap, apresentaram trabalhos científicos no VII Congresso Científico da Fiep (Federation Internationale D’ Education Physique) na União Dinâmica das Faculdades Cataratas, no Paraná. As apresentações ocorreram no dia 18 de janeiro. Todos os trabalhos foram baseados na experiência deles como monitores na Academia UFPE, cujo início aconteceu em outubro do ano passado. Anderson Almeida expôs o trabalho “A Influência da Prática de Atividade Física na Qualidade de

Eficiência do Sono de Idosos”. Sarah Gomes realizou apresentação de “Influência da Prática de Atividade Física Sistematizada na Autopercepção do Idoso em Relação à Capacidade Funcional na Academia UFPE”. Os trabalhos de Anderson e Sarah foram orientados pelo professor Cláudio Castro. Bruno Rufino e Dayene Mendes abordaram a temática “Academia UFPE: Novas Perspectivas em Relação à Qualidade de Vida dos Funcionários, Alunos e Comunidade em Geral da Universidade Federal de Pernambuco”. A estudante Camila Pereira de Souza participou da parte teórica deste trabalho, mas não realizou apresentação. Bruno, Camila e Dayene tiveram orientação do professores Edilson Fernandes e Márcio Eustáquio. Mais informações http://www.congressofiep.com/ Progepe / Diretoria de Qualidade de Vida (DQV) (81) 2126.8190

Reembolso do auxíliosaúde é reajustado O ressarcimento referente aos planos de saúde privados dos servidores do Poder Executivo foi reajustado pelo Governo Federal, em janeiro. Os novos valores variam conforme a faixa salarial e a idade do titular e dos dependentes, indo de R$ 72,00 a R$ 129,00. A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas e Qualidade de Vida (Progepe) da UFPE, por meio da Diretoria de Gestão de Pessoas (DGP), está trabalhando para operacionalização destas mudanças. A portaria conjunta das Secretarias de Recursos Humanos e de

Orçamento Federal estabelece a participação da União no custeio da assistência à saúde do servidor, determinando o menor e o maior valor do benefício. Pelas novas regras, o servidor com menor salário e mais idoso receberá valor per capita superior àquele com maior salário e mais jovem. Segundo a pró-reitora de Gestão de Pessoas e Qualidade de Vida, Lenita Almeida, devido ao grande número de servidores da UFPE e ao novo formato do pagamento, o reajuste ainda está em fase de implantação na folha de pagamento e será liberado assim que o trabalho for finalizado.

Pró-reitor no Conselho da Capes Com o objetivo de representar o Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação das Instituições de Ensino Superior Brasileiras (Foprop), o professor Anísio Brasileiro de Freitas Dourado, pró-reitor para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPE e presidente do Fórum, foi designado, no dia 15 de janeiro, membro do Conselho Superior da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A indicação foi publicada no dia 18 de janeiro, no Diário Oficial da União. O professor, que tem mandato até 10 de janeiro de 2011, substitui o professor Jorge Luis Nicolas Audy, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). O Conselho Superior da Capes tem a competência de estabelecer prioridades e linhas gerais orientadoras das atividades da entidade, a partir de proposta apresentada pelo presidente da Capes e apreciar a proposta do Plano Nacional de Pós-Graduação, para, em seguida, ser encaminhada ao ministro da Educação. Também tem a responsabilidade de apreciar critérios, prioridades e procedimentos para a concessão de bolsas de estudos e auxílios; aprovar o relatório anual das atividades da Capes e a respectiva execução orçamentária; definir o processo de indicação dos Coordenadores das Comissões de Consultores Científicos; e apreciar propostas referentes a alterações do Estatuto e do Regimento Interno da Capes. “Espero aproveitar essa oportunidade, como membro do Conselho Superior da Capes, para representar, com dedicação e trabalho, aos interesses da pesquisa e da pós-graduação brasileira, de forma que sejam melhores atendidos. É uma honra fazer parte deste Conselho, que tem a legitimidade para representar os pesquisadores brasileiros, fortalecendo através de suas ações a própria Capes, enquanto instituição fundamental para a formação de recursos humanos para o País”, destaca Anísio Brasileiro.

IN Campus

Incampus 5

Policiamento ostensivo no entorno da Universidade DSI

Programa Polícia Amiga, da PMPE, possibilita o reforço da segurança na área da cidade ao redor do campus universitário Nna Célia de Sá A segurança dentro e no entorno do Campus Recife da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) está reforçada, desde o início de janeiro, pelo Programa Polícia Amiga, da Polícia Militar de Pernambuco. Através do programa, a PM realiza um policiamento comunitário, focado no enfrentamento das causas da violência na região e no respeito ao cidadão. As ações são planejadas e desenvolvidas em parceria com a Diretoria de Segurança Institucional (DSI) da UFPE. Com o início das aulas, em março, haverá reforço no número de policiais atuantes na área. O Programa Polícia Amiga tem como meta aproximar a PM da comunidade, possibilitando a interação entre a corporação e os moradores dos bairros onde o prog rama é desenvolvido. Segundo o comandante-geral da PM, coronel José Lopes de Souza, o trabalho promove uma mudança cultural, renovando o conceito da polícia diante da população, numa relação baseada no respeito mútuo e na confiança. As atividades do programa já estão sendo vivenciadas na UFPE e ao redor do campus. Para o coronel José Lopes de Souza, o Polícia Amiga irá “mostrar à comunidade estudantil uma nova visão da Polícia Militar, uma polícia mais cidadã”. As ações são

realizadas por policiais destacados especialmente para a área. De acordo com o soldado João Paulo Cazele, aluno do curso de Direito da UFPE e escalado para atuar no entorno da Universidade, o trabalho será muito gratificante, permitindo a integração com a comunidade. No início do semestre letivo na UFPE, em março, novos agentes deverão ser destacados para atuar no programa. O quantitativo ainda está em análise. O Programa Polícia Amiga foi apresentado à comunidade acadêmica, no dia 30 de dezembro, pelo coronel José Lopes de Souza, durante sessão conjunta dos Conselhos Administrativo e de Curadores da UFPE, no auditório João Alfredo, no prédio da Reitoria. Na ocasião, o reitor Amaro Lins comemorou a parceria entre a Universidade e a PM. “A parceria vai permitir a promoção de maior segurança para o campus e seu entorno”, disse.

O diretor de Segurança Institucional da UFPE, Armando Nascimento, também destacou a importância do trabalho conjunto com a PM. “A UFPE vai contribuir com o aparato de segurança tecnológico e de recursos humanos”, afirmou. A parceria também permitirá o combate ao crime através da interação entre os agentes de Segurança Interna e a PM e do monitoramento do campus com as câmeras de segurança da Universidade. Mais de 145 mil pessoas serão beneficiadas, em um universo composto pela comunidade acadêmica e pela população ao redor da Universidade. PORTARIAS – Como parte das ações de segurança da UFPE, porteiros terceirizados atuam, desde o último mês de dezembro, nas entradas do campus e dos centros acadêmicos. Eles realizam um trabalho educativo de abordagem e controle ao acesso dos frequentadores.

Ntentes de Seturança Vnstitupional apompanuam ronda dos polipiais

SEGURANÇA

IN Campus

4 Incampus


teste