Page 1

EDIÇÃO01

PAG89 Fontes de energia para o transporte: você conhece todas elas?

Saiba as diferenças e os melhores combustíveis para usar. PG-04

Táxis e lotações: o que diz a lei Conheça as regras que regem esses serviços PG-06

Bicicletas e o trânsito na cidade O ciclista também deve respeitar a sinalização.PG-10


HOJE PODEM SER ELES AMANHÃ PODE SER VO


S, OCÊ!


Cuidados com o veículo: A manutenção veicular é fundamental quando o assunto é segurança no trânsito. A manutenção veicular é fundamental quando o assunto é segurança no trânsito. De nada adiante ser um bom motorista, se o veículo não atende às solicitações exigidas em cada situação. Assim, manter o veículo em perfeitas condições é um fator importante para a prevenção de acidentes. E isso vale para todos os tipos de veículos! É importante manter em dia itens como suspensão, direção e freios, estar atento aos amortecedores, pneus e balanceamento das rodas,

molas, bandejas, sistemas de direção (alinhamento), iluminação entre outros. O Manual do Proprietário (todo veículo tem!) dá orientações importantes de como cuidar do veículo e informa quando fazer as manutenções das partes do veículo, a função e localização correta dos instrumentos do painel do veículo etc. Qualquer que seja o seu veículo ele merece cuidados especiais.


As principais dicas para veículos automotores são: 1.

Verifique o nível do óleo do motor alguns minutos após tê-lo desligado e não ultrapasse a marca máxima da vareta de medição;

2.Troque o óleo do motor pelo tipo e no período recomendados pela fábrica; 3.Vazamentos de óleo precisam ser corrigidos sempre que detectados, pois podem deteriorar outras peças do

motor;

4.Se seu veículo realiza reboque de carreta ou trafega muito pesado, antecipe sempre as trocas de óleo; 5.Use somente filtros de ar, óleo e combustível de boa qualidade; 6.A correia dentada que aciona o comando de válvulas deve ser trocada periodicamente, pois sua quebra pode danificar partes do cabeçote do motor;

7.A correia que aciona o alternador deve ser trocada dentro do especificado pelo fabricante ou quando estiver desfiando e ressecada. Se estiver frouxa, é importante ajustar;

8.Falhas e engasgos do motor, falta de força, fraco desempenho, são alguns sinais de que os sistemas de carburação e de ignição não estão funcionando normalmente e necessitam manutenção;

9.Dificuldade na partida do motor indica necessidade de um check-up no alternador, bateria, motor de arranque ou mesmo regulagem do motor;

10.

Confira periodicamente as condições da chave de roda, macaco, extintor de incêndio (carga e validade), triângulo de emergência e estepe;


Táxis e Lotações: o que diz a lei

Conheça as regras que regem esses serviços Condutor Táxis e lotações: o que diz a lei No ano de 2011, foi sancionada a Lei nº 12.468 que regulamenta a profissão de taxistas. Ela define os direitos e deveres destes profissionais com o objetivo de promover maior estabilidade profissional aos taxistas e segurança aos funcionários. Além da habilitação para conduzir veículo automotor, em uma das categorias B, C, D ou E, eles deverão fazer cursos de relações humanas, direção defensiva, primeiros socorros, mecânica e elétrica básica de veículos e ter certificação específica para exercer a profissão, emitida pelo órgão competente da localidade da prestação do serviço. Essa lei também garante aos profissionais, inscrição como segurado do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), ainda que exerça a profissão na condição de taxista autônomo, taxista auxiliar de condutor autônomo ou taxista locatário; e Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), para o profissional taxista empregado. Os veículos deverão contar com as características exigidas pelas autoridades de trânsito. A lei também garante que o taxista deve atender ao cliente com presteza e polidez, trajar-se adequadamente para a função, manter

o veículo em boas condições de funcionamento e higiene e manter em dia a documentação do veículo exigida pelas autoridades competentes. Quanto ao taxímetro, ele é obrigatório em municípios com mais de 50 mil habitantes e deve ser anualmente auferido pelo órgão metrológico competente.

mostrando que não houve adulteração, e o selo do Inmetro; - Bigurrilho: os veículos devem ter a sinalização no teto. Se estiver acesa, o táxi está vazio. Se estiver piscando, ele não está disponível, mesmo que esteja sem passageiro. Táxis alternativos: opções em nome da acessibilidade e do meio ambiente Você sabia que Campinas (SP), o terPara fugir dos táxis piratas, os pas- ceiro maior polo de pesquisa e desensageiros devem estar atentos a al- volvimento do Brasil, implantou em gumas características do veículo. 2012 um projeto de táxis acessíveis? A São elas: ideia é projetar a cidade como uma das - Placa: tem que ser vermelha, com mais inclusivas e acessíveis do País. as letras e os números em branco; Boas condutas para ciclistas - Selo do Ipem (Instituto de Pesos Fontes de energia para o transporte: e Medidas): fica colado no vidro você conhece todas elas? dianteiro, com o ano da aferição e Cargas perigosas o número de identificação; Fique ligado nos tipos de bicicletas e - Selo do órgão local (geralmente, a ganhe em qualidade de vida Secretaria Municipal de Transportes Lei nº 12.468 - inciso IV do artigo 3°): colado no vidro dianteiro, mostra que o táxi está regular na prefeitura; - Identificação: o cartão de identificação deve ficar em local de fácil visualização, com a foto e os dados do motorista; - Taxímetro: tem que ter um lacre do órgão local competente,


Como transportar pranchas, bikes e outras cargas do lado de fora do veículo Táxis e lotações: o que diz a lei Transporte rodoviário de cargas Respeito: o trânsito também é a sua vida Capacete: ele só protege se você souber usar Campanhas sobre trânsito [vídeos] Campanhas sobre trânsito [material gráfico] Acessibilidade nas edificações e no transporte Resultados da fiscalização eletrônica de velocidade Direção Segura Medicamentos que podem afetar a capacidade de dirigir Ver Todos os Artigos Condutor Táxis e lotações: o que diz a lei No ano de 2011, foi sancionada a Lei nº 12.468 que regulamenta a profissão de taxistas. Ela define os direitos e deveres destes profissionais com o objetivo de promover maior estabilidade profissional aos taxistas e segurança aos funcioná-

rios. Táxis alternativos: opções em nome da acessibilidade e do meio ambiente Você sabia que Campinas (SP), o terceiro maior polo de pesquisa e desenvolvimento do Brasil, implantou em 2012 um projeto de táxis acessíveis? A ideia é projetar a cidade como uma das mais inclusivas e acessíveis do País. Para identificar se uma van ou Kombi tem permissão da prefeitura, basta prestar atenção em algumas características. Esses automóveis têm placas vermelhas, selo referente à última vistoria afixado no para-brisa dianteiro e número de ordem pintado na traseira. No município do Rio de Janeiro, por exemplo, esse transporte é regulamentado. De acordo com a Lei municipal nº 3.360, os condutores devem ser habilitados na categoria D, obedecer os itens citados acima e reservar um lugar para as gratuidades, por viagem, nos veículos com capacidade de nove passageiros a onze passageiros, e dois lugares, por viagem, nos veículos com capacidade de doze a dezesseis passageiros. O Código de Trânsito Brasileiro define “lotação” como a

“carga útil máxima, incluindo condutor e passageiros, que o veículo transporta, expressa em quilogramas para os veículos de carga, ou número de pessoas, para os veículos de passageiros”. No entanto, a lotação a que nos referimos aqui é na verdade o nome popular para transporte alternativo aos táxis, ônibus e veículos particulares. É uma modalidade de transporte que se enquadra, onde é implantado, como um transporte coletivo, geralmente realizado por vans, diferenciando-se assim dos táxis. Como o transporte é alternativo, as administrações municipais que consideraram necessário lançar mão desta modalidade trouxeram as únicas regulamentações do setor em vigor, o que não há em nível nacional. Para favorecer que seja criada essa regulamentação, por meio da união dos trabalhadores do setor em nível nacional, foi criada em abril de 2007 a Federação Nacional dos Permissionários, Concessionários, Autorizatários e Trabalhadores do Transporte Público Alternativo Opcional, Complementar e Suplementar (Fenatral).


Você acredita em acidentes inevitáveis? Acidentes evitáveis e inevitáveis… você já ouviu falar destes termos? Segundo uma pesquisa que fiz, acidente evitável é aquele que só ocorreu porque alguém entre os envolvidos (ou todos) não agiu corretamente ou deixou de tomar alguma medida de segurança. Já o acidente “inevitável” seria aquele que, teoricamente, os envolvidos tomaram todas as medidas de segurança possíveis e mesmo assim o acidente aconteceu. Considerando que um acidente de trânsito seja resultado da combinação de diversos fatores e que, comprovadamente, em quase 90% dos acidentes a falha

humana é a principal causa, eu não acredito que existam acidentes inevitáveis. A meu ver, todos os acidentes de trânsito são evitáveis e eles só ocorrem porque alguém, de uma forma ou de outra, foi negligente em algum momento, seja circulando em alta velocidade, com os pneus carecas, não guardando distância de segurança, atravessando fora da faixa, entre inúmeras outras situações. Levando tudo o que foi falado, todo acidente pode ser evitado, e muitas vezes pela displicência de um, todos pagam, até mesmo com a propria vida! Precisamos urgentemente de uma educação no trânsito. FREIRE, Gustavo


Bicicletas e o trânsito na cidade O ciclista também deve respeitar a sinalização. O ciclista também deve respeitar a sinalização. Quando estiver pedalando, nunca circule pelas calçadas e,especialmente, respeite os pedestres. Lembre-se sempre que a bicicleta é um veículo com pouca estabilidade. Pedale atento às condições da via para evitar derrapagens, movimentos bruscos e quedas. Sinalize suas manobras com o braço esquerdo, indicando conversões à direita, esquerda ou parada. E vale à pena conferir se o motorista viu e entendeu o seu sinal. Na dúvida, não execute a manobra. Sempre que possível, planeje uma rota por vias calmas e de pouco trânsito, trafegue sempre pelo canto direito da pista, no mesmo sentido dos demais veículos. Muito cuidado ao pedalar em avenidas, ruas e estradas com grande fluxo de veículos e pedestres, especialmente em vias onde circulam caminhões e ônibus, que vão disputar a faixa da direita com você. Para ciclistas, nem sempre o caminho mais curto é o mais prático ou seguro. TORNE SEU PASSEIO MAIS SEGURO No trânsito é muito importante aplicar a regra do VER E SER VISTO para a segurança de todos que circulam nas vias e passeios. Seja mais visível no trânsito e evite acidentes: roupas escuras dificultam a visibilidade, use roupas claras e capacete colorido. Além dos refletores na traseira, diantei-

ra e laterais da bicicleta, que são obrigatórios, instale uma lanterna com luz branca na dianteira e vermelha na traseira para passeios noturnos. Ainda que não ilumine satisfatoriamente a rua, torna você muito mais visível evitando que pedestres ou carros cruzem seu caminho. Use sempre o capacete, ao se deslocar de casa para o trabalho, ao praticar esportes, treinos, passeios ou simplesmente para uma volta no bairro. Além de torná-lo mais visível, ele protege sua cabeça em caso de quedas e acidentes. Compre o seu próprio capacete e escolha o tamanho ideal para você: ele não pode ficar muito folgado e mover-se em sua cabeça, nem muito apertado e fazer pressão na sua testa. O capacete não foi feito para usar inclinado para trás como se fosse um boné. Deixando sua testa à mostra ela estará exposta a pancadas em caso de queda. Use também luvas e óculos. As luvas dão firmeza, mantêm as mãos secas, evitam calos e protegem em caso de quedas. Os óculos protegem de insetos, chuva, vento e areia. Mas lembre-se: use óculos de lente amarela somente em condições de baixa luminosidade, quando em dias ensolarados ele ofusca os olhos e dificulta a visão. Para os pés prefira tênis de cadarços curtos ou velcro para não enroscar nas rodas. Lembre-se: - Quando não estiver sinalizando,

mantenha as duas mãos sobre o guidão; - Não faça ziguezagues com sua bicicleta, mantenha-a em linha reta e em trajetórias seguras na via pública; - Não circule por ruas com aparelhos eletrônicos plugados aos seus ouvidos, você estará perdendo um dos sentidos fundamentais à sua atenção; - Circulando por vias com semáforos, comporte-se como os demais veículos, parando quando o sinal estiver vermelho e seguindo em frente no verde; - Nas zonas com muitos estacionamentos de automóveis reduza a velocidade e procure observar veículos saindo e entrando nas vagas.


Kak  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you