Issuu on Google+

MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA

1° Seminário Regional de Formação Política e Comunicação Qualidade de formação de comunicadores 30 de outubro a 02 de novembro


BEM-VINDXS À VITÓRIA! Bem Vindxs à Vitória (ou como carinhosamente chamamos Vitorinha). Uma cidade com cara de roça, ou uma roça com cara de cidade, isso porque todos se conhecem. É preciso apenas 3 pessoas para conhecer Vitória por um todo. Aqui você encontra o capixaba, uma mistura de paulistano-mineiro-carioca-baiano, que é isso tudo e nada disso ao mesmo tempo, somos únicos e indefiníveis. Vitória é uma síntese do Estado, reunimos as culturas, etnias, músicas e pessoas de Norte a Sul. Nos finais de semana, nos dividimos entre o Triângulo das Bermudas e a Rua da Lama. O primeiro, vamos para dançar e ver a ‘’high society’’, no segundo para beber da boemia universitária. Se você avisou para sua mãe que estava indo passear numa ilha paradisíaca está muito enganado. Vitória é sim uma ilha, onde a sua maioria já foi aterrada. Apesar de morarmos ao lado da praia não nos arriscamos em suas profundezas. Tirando o ar provinciano de roça de Vitória, não podemos esquecer que estamos numa cidade grande, e todo cuidado é pouco sempre. Enquanto estiver aqui tenha cuidado ao falar com o celular na rua, não ande sozinha/o, passe protetor solar e aqueles outros lembretes maternos.

2

O SFPCom é o Seminário Regional de Formação Política e Comunicação. É uma atividade que pode ser organizada por cada regional da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (ENECOS), que organiza, há mais de 20 anos, os estudantes de comunicação de todo o país em torno de discussões como a Democratização da Comunicação, o Combate às Opressões e a Qualidade de Formação do Comunicador.

o cenário político brasileiro atual, no qual o modelo democrático é constantemente questionado em debates, manifestações e greves, o direito à comunicação e à informação se constituem em elementos fundamentais na construção da agenda pública e no cumprimento da cidadania. O evento se torna ainda mais oportuno devido as habilitações de Jornalismo e Publicidade e Propaganda terem seus processos seletivos suspensos por um ano e meio, o que impediu o ingresso de 156 estudantes à única universidade pública do Espírito Santo, fazendo com que os alunos que desejavam se formar nesta área tivessem apenas as particulares como opção no estado e gerou o esvaziamento dos espaços de militância estudantil na Comunicação Social na UFES.

É um encontro político, social, lúdico para aproximar e articular mais estudantes em torno da Enecos. Durante quatro dias, as/ os encontristas participarão de atividades como palestras, discussões, oficinas, mostras de vídeos e apresentações musicais, com o objetivo de discutir a formação em comunicação social, dialogando, dessa forma, com o potencial de transformação so- Com a volta do vestibular e a cial das/os futuras/os profissio- nova de entrada de alunos se faz nais. necessário retomar as reflexões acerca da qualidade de formação O Encontro ocorre de 30 de outu- de comunicadores, abrangenbro a 02 de novembro na Univer- do também a discussão sobre o sidade Federal do Espírito San- Enade, a tecnificação do curso, to (UFES), em Vitória (ES) com o novas diretrizes curriculares e tema “Qualidade de Formação de permanência estudantil. Comunicadores”, tendo em vista 3


Perfis dos painéis

Espaço autogestionado

Os painéis têm como objetivo ser um espaço de formação e de aprofundamento dos conhecimentos dos participantes. Servem para problematizar em torno do tema proposto e facilitam a troca de experiências entre os encontristas. O espaço ocorre na sala 04 do Cemuni V, com os temas:

Há 20 anos, a Executiva está nas ruas, nas praças e nas universidades de todo o Brasil na luta por uma comunicação verdadeiramente democrática, por uma formação crítica e pensante e por uma sociedade livre de opressões. A Enecos está nas mobilizações pelo passe-livre, nas Marchas da Maconha, na Campanha pelos 10% do PIB para educação pública já, nos atos contra a construção A Enecos funciona como uma de Belo Monte. E por ser toda essa contra-escola, levando para den- luta coletiva e cotidiana nos orgutro da Universidade debates que lhamos de gritar “Somos Enecos”! contribuem para a formação críhttp://www.enecos.org/ tica do Comunicador, e se contrapõe ao sistema meramente tecnicnenecos@gmail.com cista que nos é imposto em sala de aula. É a entidade que representa os estudantes de Comunicação Social. Tem como espaços presenciais de discussão seus encontros, o Encontro Nacional (Enecom), os Encontros Regionais (Erecom) e o Congresso Brasileiro de Comunicação Social (Cobrecos), este último responsável por tirar os posicionamentos e ações da entidade para aquele ano.

4

Os espaços auto-gestionados são propostos e construídos autonomamente pelos diversos movimentos que atuam na sociedade e queiram realizar atividades para propagar suas lutas aos estudantes de comunicação. São espaços com liberdade de escolha de temas e metodologias e têm o objetivo de aglutinar os estudantes de - Panorama da Educação, Greves comunicação nas diversas pautas e Enade; dos movimentos sociais brasilei- Somos Todxs Comunicação So- ros. cial; - Permanência Estudantil e EstáCultural gio; - Outra Comunicação é Possível. A cultura é um momento lúdico. Acontecerá ao fim das atividades do primeiro dia, regada a boa múGrupos de Discussão sica de conteúdo não opressor. É uma ótima oportunidade para Os GDs são uma maneira de amconhecer melhor as/os outras/os pliar as questões debatidas nos encontristas e socializar as expeencontros, além de outros temas riências do dia. que às vezes não estão na grade do encontro. Neste SFPCom, os PS: Na Enecos, temos a tradição da ‘mais GDs serão propostos e facilitados gelada’, o primeiro via estudantes de comunicação gole é do bar. Se te perguntarem, já sabe. que tenham submetido seu tema.

5


Vivências

Plenária Final

Os Núcleos de Vivência serão onde os encontristas vivenciarão diretamente o acúmulo teórico adquirido nos outros espaços do Encontro. Os NV’s têm o objetivo de proporcionar a vivência em outras realidades, o estranhamento e a descoberta do novo, ao mesmo tempo em que gera reflexão sobre os projetos visitados e sua inserção e importância para a comunidade na qual estão inseridos.

A plenária final do SFPCom serve para avaliar o encontro e planejar as próximas ações da Enecos. É sempre a última atividade.

Oficinas As oficinas vão aliar debates com a prática e, assim, darão uma funcionalidade maior para este espaço do encontro. As oficinas estão direcionadas em torno dos três eixos principais do encontro e acontecerão paralelamente em um dia. Portanto, o encontrista poderá escolher apenas uma oficina para participar. O número de vagas é limitado, de acordo com o espaço e proposta feita.

6

PROGRAMAÇÃO

Movimento pró-saia Não estranhe se você se deparar com garotos andando de saia ao longo do Encontro. É um movimento político contra a opressão de gênero. Vista sua saia e venha com a gente.

O que são brigadas? As brigadas são formas de organização e integração das/os estudantes no Encontro. Elas se organizam para discutir os temas propostos nos painéis e realizar determinadas tarefas. É uma forma de todos se sentirem parte da organização e participarem do bom funcionamento do Encontro. Cada brigada tem um nome, que faz referência a bairros capixabas. Elas serão informadas no ato da sua inscrição.

Números de Emergência: Samu - Ambulância: 192 Polícia Civil: 197 Rodoviária: (27) 3222-3366 C.O. local: Gustavo: (27) 9 9623-2380 Luiza: (27) 9 9933-0927 Tereza: (27) 9 9779-1458

7


Manual de sobrevivência sfpcom