Issuu on Google+

JORNAL MENSAL DO CREA-RJ - ANO I - MARÇO DE 2011

Rua Buenos Aires nº 40 Centro - Rio (RJ) - 20.070-022 Telecrea: (21) 2179-2000 www.crea-rj.org.br crea-rj@crea-rj.org.br

CREA-RJ é o primeiro do país a conquistar o Selo Pró-Equidade de Gênero em todos os seus documentos

Agostinho coordena o Colégio de Presidentes Mais quatro representantes do CREA-RJ ganham destaque e projeção no cenário nacional Páginas 8 e 9

Foto: Divulgação/Confea

Mais espaço e conforto em Campos

Inaugurada nova sede do CREA-RJ no Interior

Instalações da Regional Norte e Inspetoria de Campos oferecem mais conforto, eficiência e qualidade no atendimento a todos os profissionais Páginas 6 e 7

Sai o edital do concurso do CREA-RJ: 60 vagas imediatas Página 5

CREA-RJ faz vistorias no Sambódromo Página 5 Agostinho Guerreiro, no Colégio de Presidentes, falando já como coordenador: “Nossa tradição de trabalho em equipe fará o colegiado forte e nos levará aonde precisamos chegar”

Implantado o novo PCCS (Plano de Cargos, Carreiras e Salários) do CREA-RJ Página 11

Senge debate soluções para o setor energético Página 3

Álvaro Cabrini, presidente do Crea-PR, e Luís Pinguelli, da Coppe/UFRJ, foram convidados para o evento.


Cursos

2

Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) oferece cursos de atualização profissional (www.abes-dn.org.br).

Ouvidoria do CREA-RJ completa 12 anos Transparência e respeito: marcas da atual gestão

N

o mesmo mês em que se comemora o Dia do Consumidor (15 de março) e 21 anos de Código de Defesa do Consumidor (11 de março), a Ouvidoria do CREA-RJ completa 12 anos apoiada pelo respeito da instituição com os cidadãos e pela transparência das ações e processos. Pioneira no Sistema Confea/Crea, a Ouvidoria do Conselho do Rio foi criada no dia 8 de março de 1999 para ouvir cidadãos, funcionários e empresas. Ligada diretamente à Presidência, a Ouvidoria tem como atribuições buscar soluções para problemas apontados, apurar – de forma imparcial – as queixas que chegam ao CREA-RJ, propor melhorias visando aumentar a eficiência dos serviços prestados e ser um canal de comunicação eficaz para que sejam geradas ações destinadas à plena satisfação dos públicos atendidos. ATENDIMENTOS Ao longo de 12 anos, a Ouvidoria já realizou cerca de 40 mil atendimentos – é a última instância de atendimento com média de 400 por mês. Esses números retratam o compromisso com a transparência que o CREA-RJ tem com os cidadãos, tornando-os protagonistas da história da instituição, como explica a ouvidora Sandra Fernandino: “Aqui temos que receber de forma diferenciada. Ouvir, dar retorno e contribuir para melhorar os processos”, informa Sandra. “A Ouvidoria é um grande instrumento de controle social e tentamos traduzir anseios de quem nos procura, já que a visão externa ajuda muito para nossa melhoria”, acrescenta a ouvidora. “Como aderimos ao Gespública (Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização), é importante seguir com novos meios de controle dos processos para que possamos aperfeiçoar o nosso trabalho e contribuir com o trabalho de todos”, conclui.

Foto: Marcela Prior

Qualidade de Vida volta com novidade

Espaço oferece agora sessões de massoterapia

Um espaço para chamar de seu. Visando a saúde e o bem-estar de servidores e colaboradores, o Espaço CREA-RJ de Qualidade de Vida reabriu as atividades de 2011 em março e conta agora com uma novidade: sessões de massoterapia, com massagem relaxante e drenagem linfática. Todas as atividades já estão com inscrições abertas e têm desconto. Somente o coral é gratuito (veja os horários abaixo). SAÚDE É O QUE INTERESSA Os primeiros passos do Espaço CREA-RJ de Qualidade de Vida começaram com as aulas de dança no Conselho, segundo Tania Castro, responsável pelo Espaço. A demanda por saúde e bem-estar foi crescendo e, com isso, o Espaço foi inaugurado.

A ouvidora Sandra (ao centro) posa com sua equipe: Carlos (E), Dorcas e Robson

Pelo cidadão A Ouvidoria tem atendimento pessoal, por telefone ou pelo portal www. crea-rj.org.br. Para garantir retorno ao cidadão, foram desenvolvidas rotinas e implementados novos meios de controle. Quem busca a comunicação pelo site, recebe em 48 horas resposta inicial com número de registro para acompanhamento. Todo material enviado pela Ouvidoria às outras áreas é registrado e tem prazo de controle de resposta. A Ouvidoria faz relatórios mensais e estatísticos – detalhando as principais questões levantadas. “Com isso, podemos identificar procedimentos, rotinas ou condutas passíveis de atenção ou revisão”, afirma Sandra.

Como começou Criada na Suécia em 1809, a Ouvidoria precisa ter autonomia e independência para identificar e apontar melhorias nos processos de instituições e empresas. O ouvidor – também conhecido como ombudsman – tem contato direto com a diretoria ou presidência para garantir que o cidadão seja ouvido. No CREA-RJ, em 1999, havia necessidade de aprimorar os serviços. O engenheiro eletricista Antônio Martins, primeiro ouvidor do Conselho, defendeu a criação da área em uma época em que o país e o mundo discutiam essas questões. Ele conta que toda sua vida militou pelo coletivo e lutou para defender a implantação. “Sugeri a ideia ao então presidente. Era uma proposta avançada e importante para a imagem do CREA-RJ. A Ouvidoria é o ponto de vista dos usuários perante a alta administração, agrega no relacionamento e valoriza a cidadania. Como fiscalizamos em defesa da sociedade, temos sempre que melhorar”, conclui Antônio Martins.

A preocupação com a saúde na instituição vai além do Espaço. Todo ano, eventos são realizados e programas são implantados, como o de ginástica laboral, CREA-RJ Livre do Tabaco (que atraiu 16 dos 23 funcionários fumantes) e o descanso para os agentes de atendimento. BRIGADA DE EMERGÊNCIA Já na área de segurança do trabalho, o CREA-RJ montou uma Brigada de Emergência com 30 brigadistas socorristas voluntários e dois bombeiros profissionais, que realizam, também, atendimento pré-hospitalar e de primeiros socorros. Para prevenir os funcionários e colaboradores contra o vírus da gripe Influenza, em abril, o CREA-RJ realiza nova campanha de vacinação.

ATIVIDADES ABERTAS A FUNCIONÁRIOS E PROFISSIONAIS Nova turma de dança de salão – Todas as sextas de 13h às 14h Ensaios do coral – Terças e quintas de 13h às 14h Aulas de canto – Terças de 14h às 15h e quintas de 12h às 13h Aulas de teclado – Terças de 12h às 13h e quintas de 14h às 15h Massoterapia (massagem relaxante e drenagem linfática) – Todas as terças e sextas de 10h às 18h Foto: Marcela Prior

A equipe de ginastica laboral vai a todos os andares terças e quintas pela manhã

Agostinho Guerreiro Presidente

Diretoria 2011

Rockfeller Maciel Peçanha

Clayton Guimarães do Vabo

Francisca Maria Alves Pinheiro

1º Diretor-Administrativo

Antonio Claudio Santa Rosa Miranda 1º Diretor-Financeiro

1º Vice-Presidente

2ª Diretora-Administrativa

Ricardo Nascimento

Sergio Niskier

Sirney Braga

José Amaro Barcelos Lima

2º Vice-Presidente

3º Diretora-Administrativa

2º Diretor-Financeiro 3º Diretor-Financeiro

Jornal do CREA-RJ Assessoria de Marketing e Comunicação (ASMC) • Assessor Chefe: Alex Campos • Projeto Gráfico: Uallace Lima Target Assessoria de Comunicação (coordenação editorial) • Jornalista responsável: Marcela Prior - MTB: 30.240/RJ Tiragem 140 mil exemplares pranchadenoticias@crea-rj.org.br


CREA-RJ, Dieese e Senge estão realizando pesquisa sobre os profissionais da Engenharia. http://www.sengerj.org.br.

Pesquisa

3

A mesa do evento reuniu (da esquerda para a direita) Roberto D’Araújo, do Instituto Ilumina; Agostinho Guerreiro, presidente do CREA-RJ; Olímpio dos Santos, do Senge; Álvaro Cabrini, do CREA-PR; e Luiz Pinguelli, da Coppe/UFRJ

Senge debate o setor energético

Palestrantes apontam caminhos e soluções para enfrentar os desafios

O

Fórum de Engenharia, promovido pelo Sindicato dos Engenheiros (Senge) do Rio de Janeiro, no dia 16 de março, debateu a expansão do setor energético brasileiro, resultando em uma série de propostas. Foi o primeiro de quatro eventos planejados para este ano em comemoração aos 80 anos do sindicato. O tema da primeira edição foi abordado pelo diretor da Coppe/UFRJ, Luiz Pinguelli Rosa, e pelo representante do Instituto Ilumina, Roberto D’Araújo. Além do presidente do Senge, Olímpio dos Santos, compuseram a mesa de abertura os presidentes do CREA-RJ, Agostinho Guerreiro, e do CREA-PR, Álvaro Cabrini. Cabrini ressaltou a importância da engenharia no planejamento estratégico. “O que está ocorrendo no Brasil é falta de engenheiros. Temos

que correr para reduzir esse prejuízo e mostrar competência técnica para isso. Temos que assegurar o nosso mercado”. Segundo Álvaro Cabrini, presidente do CREA-PR ele, apesar dessa escassez, a classe tem exercido papel fundamental no cenário brasileiro. nha rapidamente em direção de ser a “Tenho certeza de que, se depender quinta potência mundial. Mas isso só dos engenheiros, o Brasil será uma vai acontecer com energia suficiente das maiores nações do planeta daqui para movimentar a economia e criar a alguns anos”, afirmou Cabrini. condições de distribuição e geração Agostinho ressaltou a importân- de renda”, acrescentou Agostinho. cia das discussões, tendo em vista a O Brasil investe bastante na explorecente tragédia no Japão. “A produ- ração da energia hidrelétrica. Apesar ção energética é um desafio planetá- do longo tempo para a construção de rio. Esse cenário atinge o nosso país. uma usina, ela é a fonte energética Estamos vivendo uma expansão do mais vantajosa no custo-benefício, setor nuclear. São temas vitais para segundo D’Araújo. “Nenhum país tem a sociedade”, disse. “O Brasil cami- capacidade de reservar água para

consumo energético como o Brasil”, afirmou, citando também as tarifas. “A comparação entre Canadá e Brasil é vergonhosa. A Light, sem impostos, é mais cara que empresas de qualquer província canadense”, disse. Pinguelli fez críticas à gestão do setor energético. Reconheceu os investimentos nas usinas de Tucuruí e Itaipu, mas observou que a participação da Eletrobras no setor é muito inferior em comparação com a Petrobras na área petrolífera. Ele defende maior dinamismo no Grupo Eletrobras e que as estatais estejam mais voltadas para o serviço público. Para Pinguelli, o problema do setor energético é político. “Não tem

“Temos que correr para reduzir a falta de engenheiros no país”

sentido manter usinas ligadas a Eletrobrás se não tiverem dinamismo de mercado. É preciso ser cobrada postura mais coerente. O setor elétrico merece atenção maior”, disse. Para D’Araújo, a energia hidrelétrica é mais vantajosa porque tem tempo de vida que pode chegar a mais de 100 anos. O Brasil é o único país do mundo com capacidade de armazenar água para o consumo energético em até seis meses. Pinguelli Rosa chamou a atenção para a crise do setor em 2001. Segundo o especialista, ela ajudou no rompimento do processo de privatização, que gerava falta de investimentos. Porém, ainda de acordo com ele, a política econômica adotada pelo novo governo foi, em grande parte, uma continuação da anterior. “A lei de privatizações não foi modificada. Ficou a descontratação”, disse.

Clube de Engenharia envia Carta à Presidenta da República em defesa do Pré-Sal Com longa trajetória de lutas em defesa da soberania e o orgulho de ter participado ativamente dos debates sobre o Pré-Sal – com significativas vitórias no Congresso Nacional – o Clube de Engenharia enviou no dia 15 de março à presidenta da República, Dilma Rousseff, carta na qual reafirma sua posição de assegurar pré-sal para os brasileiros. Aprovado pelo Conselho Diretor, o documento alerta contra pressões externas e pede que o governo reafirme a diretriz de produzir o Pré-Sal sob orientação do planejamento energético brasileiro visando atender prioritariamente a demanda interna.

Leia a seguir trechos da carta: O Clube de Engenharia se orgulha de ter participado ativamente dos debates sobre o Pré-Sal e visto consagradas muitas das suas teses, aprovadas que foram pelo Congresso Nacional. Não obstante, considera que a aplicação deste texto legal sob a égide do interesse nacional não se fará sem esforços do Governo Federal e da sociedade brasileira para superar uma vez mais as pressões internacionais e dos seus porta-vozes internos no país, quando recrudescem os conflitos pelo domínio do petróleo por potências estrangeiras.

“Importante é a expansão das empresas de engenharia e das indústrias genuinamente brasileiras”

(...) Sabemos o quanto a descoberta desta gigantesca jazida reorientou estratégias de países com pretensões hegemônicas, inclusive com reativação da quarta frota norte-americana, a pretexto de “proteger o Atlântico Sul”. (...) Importante é a expansão plena e soberana das empresas de engenharia e serviços e das indústrias genuinamente nacionais pari passu à produção do Pré-Sal. Estas posições são coerentes com as posições diplomáticas assumidas pelo Brasil nas Rodadas de Doha em defesa do mercado brasileiro as quais apoiamos.

(...) Excelentíssima Senhora Presidenta, saiba que tem nesse Clube de Engenharia, e certamente em milhares de outras entidades da sociedade brasileira, o apoio necessário para pavimentar os caminhos do desenvolvimento nacional com aceleração do crescimento, que somente se darão em bases soberanas com o fim do subconsumo e da miséria. Rio, 15 de março de 2011. Cordialmente,

Francis Bogossian

Presidente do Clube de Engenharia


Eventos

4

Sob nova direção

Sobes-Rio e Sobes-Nacional elegem seus novos presidentes Foto: WebTV CREA-RJ / Reprodução

O portal do CREA-RJ (www.crea-rj.org.br) disponibiliza cursos e atividades da área em eventos. Acompanhe as novidades.

Copa 2014: CREA-RJ entra em campo Fiscalização acompanha a reforma do Maracanã

G

ol de placa do CREA-RJ. Antes mesmo de se inciarem as obras de reforma do Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, o trabalho da Fiscalização do Conselho do Rio já havia começado. Para atender às exigências da Federação Internacional de Futebol (Fifa) para a Copa do Mundo de 2014, o estádio está sendo todo reformado desde o final do ano passado, mas o time do CREA-RJ está em campo desde julho de 2009, quando o Rio foi escolhido como uma das sedes e palco da partida final.

A mesa do evento de posse, realizado na Seaerj (da esquerda para a direita): Benoliel, Carmem, Agostinho, Marlise, Valadão, Pereira

T

omou posse no dia 25 de março, na Seaerj, o novo presidente da Sobes-Rio, engenheiro Evaldo Valadão. A engenheira Marlise de Matosinhos Vasconcellos assumiu a presidência da Sobes-Nacional. Ao lado do presidente do CREA-RJ, Agostinho Guerreiro, Marlise relembrou sua trajetória na Engenharia de Segurança do Trabalho e também o Encontro Nacional de Segurança do Trabalho realizado no ano passado, que teve total apoio do CREA-RJ, com a presença de Agostinho na mesa de debates. “Agostinho é o presidente que tem aberto todas as portas possíveis dentro do Sistema Confea/Crea não só para mim e Marlise, mas para toda a Sobes-Nacional e a SobesRio”, disse Valadão. O presidente do CREA-RJ demonstrou seu reconhecimento pela importância da Engenharia de Segurança do Trabalho ao dizer que a Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho (Ceest) possui todo

o apoio no CREA-RJ para trabalhar com a Sobes-Nacional e a Sobes-Rio. Agostinho falou também sobre algumas iniciativas do CREA-RJ voltadas para segurança, como a instalação da Cipa — que recebeu da Sobes-Rio colaboração no treinamento dos cipeiros — a primeira do Conselho e também sobre o trabalho dos brigadistas. ENTIDADES DE CLASSE “Hoje a Cipa funciona de fato no CREA-RJ. Os servidores escolhem seus representantes. Na última semana assinamos o PCCS (Plano de Cargos, Carreiras e Salários) que, mesmo não estando interligado diretamente com a questão da Segurança do Trabalho, revela a nossa preocupação com os servidores. Estamos avançando sempre na defesa das entidades de classe, dos profissionais e empresas. O reconhecimento da engenharia de segurança do trabalho é dever de cada um de nós. Todos temos que nos sentir um pouco engenheiros de segurança. Quando

estava na presidência do Clube de Engenharia, eu me recordo de Antonio Carlos Barbosa Teixeira,o patrono da Engenharia de Segurança do Trabalho. Ele era um pessoa difícil de se definir, tinha um meio sorriso nos lábios, uma pessoa que se foi deixando muita saudades, um legado maravilhoso e uma grande lição para todos nós”, disse Agostinho. PARTICIPANTES Participaram da mesa a presidente da Seaerj, Carmem Lúcia Petraglia, a nova presidente da Sobes-Nacional, Marlise de Matosinhos Vasconcellos, o presidente do CREA-RJ, Agostinho Guerreiro, o representante do Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, seu assessor, Francisco Assunção Álvares Pereira — que deu posse aos presidentes da Sobes-Nacional e Sobes-Rio, o presidente da Associação Latino Americana de Engenharia de Segurança do Trabalho (Alaest), Cezar Benoliel, e o novo presidente da Sobes-Rio, Evaldo Valadão.

Programa Crea-Jr é reformulado Um projeto apresentado pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea) vai regulamentar e uniformizar o Crea-Jr em todo o país (27 regionais) com o objetivo de incentivar os jovens a debater e participar de questões sobre políticas públicas, além de envolvê-los ativamente nas organizações. Já criado no Rio, o Programa Crea-Jr permite que estudantes conheçam melhor o poder normativo da profissão e os benefícios individuais e coletivos que podem ser gerados pelos Conselhos Profissionais regionais e federal do Sistema.

ENTENDA O PROGRAMA Conhecido anteriormente como Crea Estudante, uma das missões do Crea-Jr é estreitar os laços entre os estudantes da área tecnológica e o Conselho. O objetivo é acompanhar a trajetória destes futuros profissionais, mostrando as vantagens que existem para os profissionais registrados e preparando-os de forma mais adequada e qualificada para o exercício legal da profissão. COMO SE CADASTRAR Para fazer sua carteira, o estudante deve se cadastrar no site do CREA-RJ (www.crea-rj.

org.br), na seção chamada Cadastro Progredir. Com a carteira, ele tem direito a descontos e a usufruir de vantagens nos cursos do Programa Progredir e no Clube de Vantagens. Depois de se cadastrar no portal, o estudante deve procurar qualquer posto de atendimento do CREA-RJ para providenciar a carteira. É preciso levar os seguintes itens: 1) Cópia impressa do cadastro realizado no site do CREA-RJ. 2) Declaração de matrícula atualizada da sua instituição de ensino. 3) Foto 3x4 recente.

ORIENTAÇÃO Celso Sant’anna, supervisor de Fiscalização do CREA-RJ, enfatiza que esse planejamento, essa ação antecipada, permite informar às empresas sobre o exercício legal da profissão e lembra que a tônica da Fiscalização atualmente é a orientação. “Começamos acompanhando as licitações. Hoje, verificamos a regularidade do exercício profissional das empresas que estão prestando serviços e as Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs). Também checamos os projetos e o trabalho que é realizado. Certificamo-nos de que todos os serviços sejam feitos por um profissional habilitado. Orientamos

para que as empresas fiquem em situação regular com o Sistema”, explica o supervisor do CREA-RJ. CONSTRUÇÃO Previsto para ser entregue em dezembro de 2012, o estádio está atualmente em fase de demolição. Vencedor da licitação, o Consórcio Maracanã Rio 2014, formado por Andrade Gutierrez, Odebrecht e Delta, está em situação regular junto ao Conselho, bem como a Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Emop). Já foram emitidas ARTs de serviços de sondagem, demolição, auxiliares (de fundação), fiscalização e execução da obra. Orçada em R$ 705 milhões, a obra transformará o estádio em um dos mais modernos do mundo. O conforto é palavra de ordem do Novo Maracanã: as novas cadeiras serão mais largas, numeradas e terão assentos rebatíveis, permitindo melhor circulação do público – e garantindo mais segurança. No entanto, a capacidade do estádio diminuiu de 86 mil para 76.525 lugares. Mesmo com as obras, o Maracanã está aberto a visitações. Quem vai ao estádio pode conferir o andamento da reforma através de um vidro (o acesso fica perto do portão 18). Foto: Eduardo Mateus

Em fase de demolição, o estádio é visitado frequentemente pelos fiscais do CREA-RJ


O edital do concurso público do CREA-RJ já está disponível e pode ser acessado pelo site www.consulplan.net.

Vagas

5

Carnaval 2011: Fiscais na Avenida

CREA-RJ fez vistorias no Sambódromo e em postes de rua do Rio de Janeiro

P

ara alertar a população e garantir um Carnaval mais seguro, o presidente do CREA-RJ, Agostinho Guerreiro, visitou o Sambódromo e verificou instalações elétricas pela cidade. No dia 11 de fevereiro, o presidente e o conselheiro Antonio Eulálio Pedrosa, engenheiro civil especialista em patologia das estruturas, estiveram na passarela do samba. Além de garantir que todos os serviços em execução tenham responsáveis técnicos, atribuição do Conselho seguida à risca todos os anos no Sambódromo, o CREA-RJ também faz relatórios com observações sobre a estrutura do local. No ano passado, algumas mudanças foram feitas a pedido da Fiscalização do Conselho, como a melhoria do espaço desti-

Concurso Público: Conselho do Rio divulga edital com 60 vagas

Foto: Reprodução Jornal O Globo

nado às emissoras de televisão, que apresentava infiltrações, e a recuperação de áreas com vergalhões de ferro que estavam expostos e de escadas sem proteção. POSTES A pedido do jornal O Globo, Agostinho e o engenheiro elétrico Luiz Antônio Cosenza, coordenador da Câmara de Engenharia Elétrica do Conselho, também vistoriaram postes de energia elétrica em várias localidades. O cenário foi entristecedor, com irregularidades em ruas, praças e praias. Na Avenida Atlântica, em Copacabana, eles encontraram um poste com cabos expostos, menos de duas semanas após uma jovem ter morrido ao cair de um trio elétrico para desviar de um fio.

Agostinho Guerreiro esteve na Sapucaí inspecionando a infraestrutura antes dos desfiles

CREA-RJ assina convênio com Aenfer

Foto: Divulgação/Aenfer

“É lamentável, um verdadeiro absurdo deixarem por aí esses fios soltos, principalmente na praia, de onde as pessoas saem molhadas. Dependendo da descarga elétrica, um choque pode matar”, afirmou o presidente do CREA-RJ em entrevista ao jornal carioca. TRAGÉDIA Já na pracinha do Largo do Machado, Agostinho encontrou fios à mostra a cerca de 1,5m do chão, altura que uma criança alcança sem dificuldade. Ali perto, na Rua Gago Coutinho, em Laranjeiras, foi encontrado outro fio exposto que, de acordo com o presidente do CREA-RJ, poderia “causar uma tragédia para os foliões que por ali passariam, principalmente se chovesse”.

CREA-RJ divulga perfil institucional de diversidade de gênero e etnia

Além de áreas técnicas e de nível médio, há cadastro de reserva para nível superior

Relatório construído coletivamente está à disposição de todos

O CREA-RJ abriu concurso público para preenchimento dos cargos de seu quadro pessoal e formação de seu cadastro de reserva. Ao todo, são 60 vagas divididas entre as áreas ténicas e administrativas. As inscrições devem ser realizadas no período de 31 de março a 28 de abril pelo site www.consulplan.net – onde está disponível também o edital. Para os cargos de nível superior, a taxa de inscrição é de R$ 36,00. Todas as vagas são para cadastro de reserva - com salários entre R$ 3.450,00 e R$ 5.000,00 por mês.

O CREA-RJ está divulgando o perfil institucional de diversidade de gênero e etnia. A ação de “Transparência, Mediação e Relatórios” atende a um dos Sete Princípios de Empoderamento das Mulheres - proposta pelo Unifem em parceria com o Pacto Global das Nações Unidas - por sociedades mais estáveis e justas. O relatório, construído a partir da ficha perfil dos funcionários, apontou desafios como o baixo percentual de pessoas negras na instituição (26,2%), o que reflete aspecto atual da sociedade; o equilíbrio no número de homens e mulheres; e na taxa de mulheres em chefia, cujo índice (31,2%) supera a proposta dos Princípios das Mulheres (30%).

NÍVEL MÉDIO E TÉCNICAS Já para as áreas técnicas, a taxa de inscrição é de R$ 18,00, com salário de R$ 1.475,00. Para técnico em contabilidade ou administração, há um total de 5 vagas e para profissões no âmbito do Sistema Confea/Crea, somam-se 35 vagas. Para a área administrativa, as 20 vagas são para pessoas com ensino médio completo. A taxa também é de R$ 18,00, com salário de R$ 1.280,00. Todos os cargos têm jornada de trabalho de 40 horas semanais. A seleção será dividida em duas etapas. A primeira terá provas escritas de múltipla escolha para todos os cargos, de caráter eliminatório e classificatório, e poderá ser realizada nos municípios de Campos dos Goytacazes, Petrópolis, Rio de Janeiro e Volta Redonda. A segunda é a comprovação de requisitos - realizada apenas na Cidade do Rio.

Agostinho (E), ao lado de Luiz Lourenço de Oliveira, presidente da Aenfer: repasse torna o planejamento possível

O presidente do CREA-RJ, Agostinho Guerreiro, recebeu no dia 3 de março representantes da Associação de Engenheiros Ferroviários (Aenfer) para formalizar o convênio sobre as Anotações de Responsabilidades Técnicas (ARTs). À frente da Aenfer desde setembro de 2010, Luiz Lourenço de Oliveira disse que a parceria permitirá melhorar a estrutura da entidade - com 1.450 associados. “Já iniciamos palestras técnicas mensais. Em 2012, prevemos seminários, inclusive, fora do Rio. Em agosto, mês de entrega da Medalha Paulo de Frontin, teremos seminário de uma semana. Também está nos planos voltar a realizar o Salão da Ferrovia”, contou Lourenço,

lembrando que investimentos também serão feitos no site e no jornal da entidade. REPASSE Atento ao compromisso de transparência em sua gestão, Agostinho reiterou que o convênio mostra que o trabalho junto às entidades de classe no Estado está em plena evolução. “Se, por um lado, trabalhamos com mais transparência, a partir de critérios apresentados a todos, e seguimos fortalecidos, à altura das instituições modernas, do outro lado, com a certeza do repasse, o planejamento passa a ser possível para as entidades”, disse. “Hoje é um dia importante, pois temos aqui uma entidade que há

muito tempo estava ausente dos convênios com o CREA-RJ. O nosso Conselho tem, atualmente, grande respeito no Estado e no Brasil porque está trilhando o caminho da transparência”, destacou Agostinho. Também participaram da reunião a vice-presidente da Aenfer, Isabel Cristina Junqueira de Andréa; os diretores João Carnevale (Financeiro) e Carlos Roberto Rommes (Técnico); e o conselheiro representante da Aenfer junto ao CREA-RJ, Pedro Paulo Thobias Ferreira dos Santos — além dos representantes do CREA-RJ Renato Csaszar (assessor Jurídico), Luíza Araújo (assessora de Planejamento e Desenvolvimento) e Arciley Pinheiro (chefe de Gabinete).

CONQUISTA O CREA-RJ conquistou o Selo Pró-Equidade de Gênero (da Secretaria de Políticas para as Mulheres) e mantém uma Comissão Pró-Equidade de Gênero, que cuida diretamente de ações do programa na instituição.

Diretora e Conselheira do CREA-RJ, Francisca Alves Pinheiro, na mesa da Reunião Plenária, no dia 14 de março


CREA-RJ Digital

6

Já está no ar, no nosso portal (www.crea-rj.org.br) o seu site totalmente interativo, personalizado e gratuito!

Inaugurada nova sede do CREA-RJ no Interior Instalações da Regional Norte e Inspetoria de Campos oferecem mais conforto, eficiência e qualidade no atendimento a todos os profissionais

tendendo a reivindicação de mais de 10 anos, a gestão do presidente do CREA-RJ, Agostinho Guerreiro, entregou aos profissionais e à sociedade do Norte Fluminense uma sede ampla e confortável que abriga agora a Coordenação Regional Norte e a Inspetoria de Campos dos Goytacazes. Agostinho, que já foi morador de Campos, falou sobre o crescimento do Interior. “Esta região tem crescido bastante nas atividades de construção civil e de petróleo. Fizemos reformas nesta sede com rapidez, pois Campos precisava agilizar o atendimento e ir para um lugar que desse mais comodidade aos profissionais. Já avançamos bastante, mas nossa meta é prosseguir inaugurando novas instalações no Interior que possam melhorar a qualidade de atendimento ao profissional”, afirmou o presidente do CREA-RJ.

Atendendo a antiga reivindicação, que levou mais de 10 anos para ser concretizada, a atual gestão do CREA-RJ abriu

Agostinho disse estar realizando um sonho: “Desde que assumi, percebi que o Interior precisava de mais atenção. Hoje, apresentamos uma sede com toda infraestrutura para atender os profissionais do ramo. Esse é um trabalho ao qual foi somado tempo e responsabilidade e que pôde ser concluído graças à parceria da sede com a regional”. Ele ressaltou que o espaço oferece, além de tudo, dignidade: “Aqui os profissionais têm lugar no Sistema Confea/ Crea”, disse Agostinho.

Foto: Renata Idalgo

A

Evento foi concorrido e teve presença de vários profissionais e funcionários.

SEMPRE PRESENTE

Em seu discurso na solenidade de inauguração, o presidente do CREA-RJ, Agostinho Guerreiro, também lamentou as enchentes na Região Serrana e o incêndio na Cidade do Samba às vésperas do Carnaval, e lembrou que o Conselho do Rio tem participado sempre desses momentos mais críticos do estado.

“É nosso compromisso melhorar sempre o atendimento a profissionais, às empresas e aos cidadãos” Agostinho Guerreiro, Presidente do CREA-RJ

Agostinho: “Aqui os profissionais têm lugar no Sistema Confea/Crea”


A Caixa liberou o saque do FGTS para vítimas atingidas pelas chuvas na Região Serrana. Mais informações: 0800 7260101

FGTS

7

Foto: Letícia Reitberger

Valorização do Interior A determinação de valorizar a atuação do CREA-RJ no Interior ampliou a agenda de compromissos do presidente Agostinho Guerreiro. No dia 22 de outubro, Agostinho, o então vice Luiz Antonio Cosenza e o gerente das Regionais, José Roberto Fonteles, visitaram as novas instalações da Regional Leste e da Inspetoria do CREA-RJ em Macaé. PINHEIRAL Outra empreitada foi a inauguração do Posto de Atendimento do CREA-RJ no município de Pinheiral no dia 29 de dezembro. Agostinho descerrou a placa ao lado do prefeito Antonio Carlos Leite Franco e do coordenador da Regional Sul, Gil Portugal. O presidente destacou a importância do trabalho no Interior: “Este posto é uma garantia de obras regulares na região, facilitando ao profissional o recolhimento de sua ART, além de ser mecanismo de defesa da sociedade”, disse o presidente. O prefeito Antonio Carlos agradeceu a presença do presidente e sua comitiva. Ele afirmou que o posto do CREA-RJ vai ajudar bastante a cidade. “A presença do CREA-RJ vai melhorar a qualidade de vida da população e ajudar no desenvolvimento de uma cidade em construção”.

REGIÃO DOS LAGOS Em Cabo Frio, a comitiva do Conselho prestigiou o I Fórum Nacional de Tecnologia da Construção Sustentável, no Iate Clube Costa Azul. GUAPIMIRIM Antes das visitas a Macaé, Campos e Cabo Frio, o CREA-RJ participou de debates sobre a melhoria do transporte ferroviário em Guapirimirim. Agostinho esteve no lançamento da cartilha “Projeto Central – Aceleração do Transporte Ferroviário”. “Neste momento, o CREA-RJ está envolvido nessa luta pela expansão do transporte ferroviário no nosso Estado, principalmente pela expansão do VLT e, no nosso caso aqui, de Guapimirim ao Rio de Janeiro”, disse Agostinho. REUNIÃO DE INSPETORES Os inspetores do CREA-RJ se reuniram nos dias 13 e 14 de dezembro no Hotel Guanabara para o Seminário de Alinhamento do Planejamento Estratégico do CREA-RJ. Visando a integração e o alinhamento de ideias, os profissionais presentes foram divididos em três Grupos de Trabalho e ratificaram ou acrescentaram ações às estratégias previamente estabelecidas na Revisão do Planejamento Estratégico.

“Agora teremos mais facilidades de atendimento no CREA-RJ” Sebastião Petrucci Rangel, Engenheiro para profissionais do Norte Fluminense uma sede ampla e confortável, onde receberão atendimento cada vez mais ágil

O coordenador da Regional Norte, George Marinho, disse que a inspetoria de Campos realiza 70 atendimentos por dia. “Valorizar os profissionais do Interior e contribuir para a melhoria do atendimento é nossa maior vitória. Teremos mais conforto para os servidores e profissionais”, afirmou George. A inauguração contou com a presença da presidente da Anfea, Marta Mignot; do coordenador da Câmara Elétrica do CREA-RJ, Luiz Antonio Cosenza; do chefe de gabinete do CREA-RJ, Arciley Pinheiro; do gerente das regionais, José Roberto Fonteles; e dos inspetores de Campos, Gustavo Manhães, Milton Vilela e Marcos Macedo; do ex-presidente da Anfea, Fabrício Alvarenga; e do coordenador da Regional Leste, Otávio José.

Conforto e eficiência A nova sede fica em uma casa de dois andares, na Rua Salvador Correa 68, no Centro de Campos. As instalações contam com estacionamento para doze carros e salas com refrigeradores de ar. Além de oferecer todos os serviços essenciais, a nova casa também proporciona conforto: ”O profissional, às vezes, não encontrava meios para frequentar a sede do CREA-RJ. Agora, se Deus quiser, teremos isso com mais facilidades”, disse o engenheiro Sebastião Petrucci Rangel.

No ano passado já foram inauguradas nossas novas instalações em Macaé e Pinheiral. Mas o compromisso assumido pela atual gestão do CREA-RJ não pára por aí. Estão nos planos a nova sede em Petrópolis e de outras em cidades do Interior do Estado do Rio de Janeiro. Inspetor mais antigo de Campos, Marcos Macedo agradeceu, em nome de todos os inspetores da região, a iniciativa do presidente Agostinho Guerreiro de valorizar o trabalho no Interior.

Parceria entre Conselho e universidade de Campos Além de trazer inúmeros benefícios para os profissionais de engenharia, arquitetura e agronomia, a nova sede do CREA-RJ também irá proporcionar especialização de estudantes. O diretor geral das Faculdades Redentor, Heitor Antonio da Silva, enfatizou que seu grupo de ensino quer estar cada vez mais próximo do Conselho para a realização de eventos que auxiliem os profissionais de engenharia da região. Na ocasião, ele assinou convênio entre o CREA-RJ e a universidade. “Quando pensamos em termos de faculdade é muito importante ter um local como esse, que vai dinami-

zar a profissão e o profissional. Ter o Conselho bem perto dos engenheiros significa a melhoria da formação continuada, e isso será muito bom para Campos e para as outras cidades do entorno”, enfatizou o reitor.

O diretor Heitor Antonio da Silva


Digital

8

No portal http://www.creadigital.com.br, além de inserir currículo e informações, o profissional publica notícias.

RIO COM FORÇA Foto: Divulgação/Confea

O presidente do CREA-RJ, Agostinho Guerreiro, entre João Araújo (E) e Ricardo Nascimento (D), dois dos outros quatro representantes do Conselho do Rio escolhidos para atuar em importantes cargos do Sistema no cenário nacional

U

m marco na história do CREA-RJ como resultado do trabalho em equipe iniciado há dois anos. Este foi o balanço que o presidente do Conselho, Agostinho Guerreiro, eleito coordenador do Colégio de Presidentes, fez após o 6º Encontro de Lideranças, em Brasília, onde outros quatro representantes do Rio foram eleitos para outros cargos importantes no cenário nacional. “Nosso trabalho foi reconhecido e materializado”, disse Agostinho, em entrevista ao CREA-RJ em Debate. Além dele, foram eleitos Ricardo Nascimento (presidente do Colégio de Entidades Nacionais - Ceden), João Araújo (coordenador da Coor-

denadoria Nacional de Câmaras de Agronomia), Antônio Soares (coordenador adjunto da Coordenadoria de Comissões de Ética dos Creas) e Maria Luiza Poci (Diretoria do Confea).

UM ANO DE DESAFIOS

Agostinho, cujo adjunto na coordenação do Colégio será o presidente do Crea-SC, Raul Zucatto, lembrou que as eleições para o Confea; a constituição do Conselho dos Arquitetos e Urbanistas (CAU); a criação e administração do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Crea e Mútua (Prodesu); e as eleições de todos os Creas, farão de 2011 um ano de grandes desafios. “Nossa coordenação vai passar

por grandes testes, mas estamos preparados, eu e Zucatto. Nossa tradição de trabalho em equipe fará o colegiado forte e nos levará aonde precisamos chegar”, disse Agostinho que, da última gestão (de Jonas Dantas, presidente do Crea-BA), disse ter herdado avanço em relevantes debates. “O colegiado não pode legislar, mas pode interferir naquilo que os conselheiros federais decidem. Como instrumento de união dos Creas, é fundamental para o desenvolvimento das ações do Sistema”, ressaltou Agostinho. O presidente disse ainda que o foco de sua gestão também no colegiado deverá permanecer nas demandas dos profissionais, das empresas e da sociedade.

Grandes testes pela frente Importante fórum consultivo do Sistema Confea/Crea, o Colégio de Presidentes é composto pelos presidentes do Confea, da Mútua e dos Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia - totalizando 27 conselheiros. As reuniões são periódicas, e as pautas variam entre temas relacionados à área tecnológica e assuntos institucionais e políticos de abrangência tanto nacional quanto internacional. “O Sistema é o maior do Bra-

sil e um dos maiores do mundo. Mas há muito o que fazer, ser corrigido. Reclamações e reivindicações são fundamentais nesse processo”, disse Agostinho. “Cada gestão acompanha a etapa da história em que está inserida. Vivemos um momento de grandes obras, investimentos, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Copa e as Olimpíadas. Bom período e bom aprendizado”, acrescentou o presidente do CREA-RJ e novo coordenador do colegiado.


O programa CREA-RJ em Debate promove uma conversa com grandes nomes da engenharia e arquitetura. Confira no portal.

TOTAL Colégio de Presidentes elege Agostinho Guerreiro. Mais quatro representantes do CREA-RJ ganham destaque e projeção no cenário nacional

Webtv Trabalho e muito desafio pela frente •

Além do presidente Agostinho Guerreiro, o Rio emplacou mais quatro nomes no sistema nacional. O engenheiro agrônomo João Araújo, coordenador da Graduação em Agronomia, Pesquisador e Professor Associado da UFRRJ, foi eleito coordenador nacional de Câmaras Especializadas de Agronomia (CCEAGRO). Segundo ele, os desafios demandarão esforços conjuntos com coordenadores regionais, assessores e conselheiros federais. “O plano de trabalho é extenso e prevê 17 ações para o aperfeiçoamento do Sistema, que promoverão diversas conquistas para a Agronomia, colocando-a na liderança e destaque nos debates de grandes temas”, destacou João. Ricardo Nascimento foi eleito coordenador titular do Colégio de Entidades Nacionais (CDEN). Técnico industrial em eletrônica e engenheiro de segurança do trabalho, além de engenheiro eletricista, ênfase em computação, ele tem pós-graduação em análise de sistemas, informações gerenciais e engenharia econômica e administração industrial. “A responsabilidade fica ainda maior diante de um colegiado tão representativo: o CDEN é composto por 28 entidades nacionais”, lembrou Ricardo. Engenheiro ferroviário, Antônio Carlos, o Tonhão, atuou na Rede Ferroviária, CBTU, Flumitrens e Central. Foi eleito coordenador nacional adjunto das Comissões de Ética dos Creas. “Somando a minha experiência na Comissão de Ética do CREA-RJ em 2010 e 2011, e participação em reuniões da Nacional, desde 2006, quando coordenei a Comissão de Meio Ambiente, os dois colegas concorrentes concordaram em abrir mão das candidaturas”, contou Tonhão. Técnica em meteorologia, Maria Luiza Poci foi eleita diretora do Confea (2011). Após trabalhar por 31 anos no Ministério da Agricultura, em 2002, foi a primeira técnica eleita conselheira no Sistema Confea/Crea. Integrou a Câmara de Agronomia do CREA-RJ e foi coordenadora-adjunta da Comissão de Ética. “Esse é um ano especial, como, por exemplo, de eleições nos Creas e instituição do Conselho de Arquitetura e Urbanismo, além das atividades inerentes ao nosso colegiado. Minha motivação para manter uma boa representatividade pelo Rio de Janeiro é grande e nos esforçaremos para manter um desempenho de excelência”, garantiu Maria Luiza.

Maria Luiza e Tonhão: mais dois nomes somando experiência para todo o Sistema

Motivo de orgulho e aperfeiçoamento Ao contrário das décadas de 80 e 90, quando profissionais do Sistema Confea/Crea tinham mercado de trabalho restrito, Agostinho Guerreiro acredita que, hoje, engenheiros, arquitetos e agrônomos estão colaborando e muito para o desenvolvimento nacional. “O Brasil precisa, mais do que nunca, dos profissionais da área tecnológica. Essa valorização vem com o aumento da demanda e deve ser para nós motivo de orgulho e do aperfeiçoamento do Sistema”, disse Agostinho, reafirmando que todos os problemas devem ser sinalizados. “Também precisamos, e vamos

melhorar, junto a cada profissional. Vamos ser uma quinta potência que não esquece do lado econômico, mas que também não esquece do lado social”, acrescentou Agostinho. Cerca de 500 pessoas se reuniram no 6º Encontro de Lideranças para definir as prioridades em 2011 e concretizar as ações do Planejamento Estratégico até 2022. Também fez parte do programa a ida ao Congresso Nacional e a participação de delegações de profissionais de Portugal, Cuba, Costa Rica, Uruguai e Bolívia, além de ministros de Estado, secretários executivos, senadores e deputados.

9

Banco de Empregos gratuito volta a ser ativado no portal O CREA-RJ disponibiliza em seu portal um banco de empregos totalmente gratuito para profissionais, estagiários e empresas. Após o cadastro no site do Conselho do Rio (www.crea-rj.org.br), o usuário acessa seus dados por login e senha e disponibiliza currículo ou vagas. Reativado desde outubro de 2010, o site contou, desde então, com 453 novas adesões de profissionais, 192 de estagiários, 80 de empresas e oferecimento de 64 vagas. Para utilizar o Banco de Empregos, o usuário deve acessar o menu lateral à esquerda do portal, na aba

intitulada Projetos CREA-RJ. Aparecerá a tela de entrada (acima), onde o usuário já cadastrado insere o login e a senha. Caso ainda não tenha feito o cadastro, o usuário deverá preencher CPF e data de nascimento (caso seja estudante ou profissional) ou CNPJ (caso seja cadastro de empresa). Na tela seguinte, deverão ser preenchidos os dados pessoais do profissional (ou da empresa). Por fim, profissionais e estagiários inserem suas experiências e dados profissionais. Empresas devem inserir o dado da pessoa de contato.

T MÚLTIPLA DESCONTINUIDADE DE AR 2011, A partir de 1º de maio de rmulários não serão mais aceitos fo la. em papel de ART múltip ser feito via O preenchimento deverá a-rj.org.br. web pelo portal www.cre

Alex Lobo, da CTCI, assume como presidente da Cipa Alex Lobo, da área de Tecnologia da Informação, é o presidente da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes). Há 11 anos na instituição, Alex já conhecia o trabalho da Cipa e em fevereiro de 2011 foi nomeado pelo CREA-RJ. A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes conta com oito representantes (dois escolhidos pelo CREA-RJ, dois pelos funcionários e um de cada regional do CREA) e acolhe – e implementa – sugestões para melhorar a segurança e a saúde dos trabalhadores.

Atualmente, além de realizar Sipat (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho) anualmente, o órgão tem como atividades cuidar de ergonometria, equipamentos usados pelo trabalhador, manutenção de condicionadores de ar e estrutura física do Conselho. Além disso, a Comissão de Prevenção de Acidentes atua em conjunto com o Espaço CREA Qualidade de Vida, onde são desenvolvidas políticas de manutenção da integridade do trabalhador, como atividades de lazer e de bem-estar.


Agilidade

Comodidade

Confiabilidade

Modernidade

UM DOS MAIS MODERNOS DO PAÍS! As funcionalidades do Novo Sistema Corporativo agilizam e facilitam todas as rotinas e serviços, proporcionando benefícios e vantagens para todos os usuários internos e externos. Milhares de novos profissionais e centenas de novas empresas já aderiram ao novo sistema! Esse salto de qualidade foi dado para que profissionais, empresas e a sociedade possam trabalhar com uma ferramenta moderna que representa um avanço digital inédito. www.crea-rj.org.br UTILIZE O NAVEGADOR MOZILLA FIREFOX E ATUALIZE O ADOBE READER PARA A VERSÃO 9.0 OU SUPERIOR. Atenção: Se mesmo assim houver problema, envie e-mail para: portal@crea-rj.org.br


O CREA-RJ abriu Concurso Público para vagas em diferentes níveis. Veja como se inscrever em www.consulplan.net.

Concurso

11

Agostinho assina portaria do novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários Presidente declara que PCCS consagra “nosso método coletivo de trabalho”

O

O CREA-RJ está vivendo um momento histórico: a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS). No dia 22 de março, o presidente Agostinho Guerreiro assinou a portaria que estabelece a estrutura de cargos, o enquadramento salarial e a nova tabela salarial. A assinatura contou com a presença do professor Jorge Pinho, da J. Pinho Consultores Associados, de integrantes da Comissão do PCCS - representantes dos funcionários, do Sinsafispro, Ascrea e do Senge-RJ - e do corpo gerencial do Conselho. “Esta é uma vitória histórica após uma luta antiga, que precisava encontrar interlocutores para transformar o sonho em ação concreta. Hoje, assinando o PCCS, consagramos o nosso método coletivo de trabalho”, disse o presidente. Agostinho ressaltou mais uma vez que sem a ajuda dos servidores nada seria possível.

Foto: Beatriz Pimentel

Agostinho Guerreiro, entre Adjarba e Cleude (E), Pinho, Márcia e Alcebíades (D): “Essa é uma vitória histórica após uma luta antiga, um sonho, que precisava se tornar realidade” Foto: Beatriz Pimentel

“O PCCS vem reconhecer pelo mérito e permitir a justa ascensão” Agostinho Guerreiro, Presidente do CREA-RJ Na assinatura da portaria do PCCS, o presidente agradeceu a dedicação de todos

“O CREA-RJ tem surpreendido pela materialização da capacidade destes personagens que compõem o Conselho de fazer com que as coisas aconteçam”, acrescentou. “O PCCS é um mecanismo que vem reconhecer pelo mérito e permitir a justa ascensão administrativa. Agradeço a dedicação de todos que trabalharam na elaboração deste plano e também de todos os que fazem parte da vida do nosso CREA-RJ”, concluiu Agostinho. De acordo com Jorge Pinho, “foram quatro meses de trabalho árduo para ordenar e estruturar cada função, além de enquadrá-las dentro do processo do PCCS, que vai permitir que o servidor avance e faça carreira dentro do Conselho.”

ER PRÊMIO OSCAR NIEMEY rrado na Após dois meses, foi ence o de inscriquinta-feira (31/3), o praz Niemeyer ções para o Prêmio Oscar e Tecnológicos de Trabalhos Científicos ima edição do do CREA-RJ. Veja na próx especial com PRANCHA a reportagem o balanço da premiação.

“Uma gestão que sabe ouvir” Diretor do Sinsafispro, da Ascrea e servidor do CREA-RJ, Adjarba Dias Oliveira elogiou, em nome do sindicato, a atitude da atual presidência. “A gestão do presidente Agostinho Guerreiro à frente do nosso CREA-RJ está demonstrando mais uma vez que sabe ouvir, respeitar e trabalhar em conjunto com os servidores. É uma gestão que pratica a democracia”, disse o dirigente sindical. A engenheira Cleude Pereira da Silva, representante do Senge-RJ na comissão de servidores que partici-

pou do PCCS, falou da esperança que os servidores terão com as carreiras. “Antes não sabíamos para onde íamos. Hoje, com o PCCS, temos um caminho a traçar, pelo qual sabemos aonde podemos chegar. Parabéns, presidente, pela decisão histórica”. Márcia Tavares, representando os servidores do CREA-RJ na Comissão, afirmou que pela primeira vez na história do Conselho, os servidores puderam participar da elaboração de um instrumento, que é o PCCS, que envolve a vida do servidor.

Nova etapa para o Gespública O consultor Luiz Carlos Dias Garcia e o Comitê Gestor do Gespública — Glaucia Yunes, Marcia Tavares, Rosiane Moulin, Ricardo Rios e Ricardo Rovo — se reuniram com gerentes, assessores e coordenadores do CREA-RJ para discutir os próximos passos do Programa Nacional de Gestão Pública. A reunião, no dia 31 de março, também teve a presença do presidente Agostinho Guerreiro. Ele ressaltou a importância do Gespública entre as recentes conquistas do CREA-RJ.

“A Gespública tem papel de destaque no CREA-RJ. A casa se fortaleceu e ganhou agilidade. Essas pessoas trabalharam e o Conselho deu grande salto de qualidade. Esse é um trabalho coletivo com visão de time que vai nos levar aonde queremos. Precisamos da colaboração de todos para construir esse legado, construtores e construtoras do futuro”, disse. O programa Gespública foi adotado no CREA-RJ em outubro de 2010 e visa a excelência da gestão do Sistema.



Jornal Crea-RJ