Issuu on Google+

Panamericana

Art’s Collection

Panamericana Escola de Arte e Design


Panamericana Escola de Arte e Design

Acervo de Obras de Arte da Panamericana Escola de Arte e Desisgn


Panamericana Escola de Arte e Design

Panamericana Art’s Collection Curadoria e Textos Jacob Klintowitz


Panamericana Art’s Collection

Um pacto com a arte e a cultura.

O

que pode haver em comum entre artistas tão díspares quanto Hugo Pratt e Caciporé Torres? Ou entre Mira Schendel e Rubens Gerchman? Parecem habitantes de planetas diferentes. E, no entanto, os quatro, como muitos outros artistas, fazem parte do mesmo acervo e foram escolhidos pelos mesmos olhos. O encanto e o enigma do acervo de arte da Panamericana Escola de Arte e Design reside exatamente neste falso e aparente paradoxo. Objetivamente os mais variados artistas, tendências e obras, convivem numa única coleção e este encontro é um laço concreto de união. Existe outra questão e esta é a mais importante de todas. E ela consiste em que os artistas foram escolhidos pelo seu nível de qualidade e por sua capacidade de inovar e ser criativo. Não se conhece melhor critério do que este para selecionar e formar um acervo. As coleções de arte tiveram e tem importância fundamental na preservação das obras de arte. E, além disto, têm se constituído, no mundo inteiro, em base iconográfica para a formação dos museus. Existe um dado que enobrece e torna fundamental a formação de coleções particulares. É o único espaço em que é possível formar um acervo, uma coleção, um conjunto artístico, a partir de um olhar não convencional. Os museus, pinacotecas, fundações, obedecem a critérios históricos. Selecionam os artistas por participação em correntes culturais, favorecem grupos temáticos, estudam o engajamento dos artistas em movimentos culturais, discutem a ideologia da sua época e de que maneira reagiram a determinadas circunstâncias históricas. Ou seja, o artista e a obra de arte não podem ser escolhidos ao acaso ou simplesmente segundo o gosto de quem escolhe. É necessária uma justificativa estética, cultural e histórica. A coleção particular é o espaço da intuição, do impulso, do


gosto pessoal, do desejo e da paixão. É a arte vista com o paroxismo da paixão. Ou a arte observada com o amor de perdição. No caso desta seleção Panamericana Art’s Collection a escolha de uma obra e de um artista é, também, um aval de reconhecimento e de qualidade, pois quem escolhe é uma instituição destinada ao ensino de arte e que fez um trajeto vitorioso no nosso país. Esta coleção é feita de artistas notáveis e de gêneros e realidades diferentes. Existem nela pintores tradicionais, artistas contestadores do status da arte, artistas de comunicação e histórias em quadrinhos. Escultores, pintores, desenhistas da banda, gravadores, abstratos, figurativos, nova figuração, realistas, fantásticos, surreais, expressionistas, líricos, popartistas. O que os une é que, em algum momento na sua trajetória, no seu percurso, deram uma contribuição única para humanidade e a sua obra é um tesouro artístico, faz parte do patrimônio espiritual e sensível da humanidade. O que une estes artistas da Panamericana Art’s Collecttion? A qualidade intrínseca do trabalho, a criatividade, a capacidade de expressarem um momento da dúvida e do prazer da humanidade e, especialmente, por terem sido selecionados por uma escola de arte preocupada unicamente com a inovação e a criatividade do artista e da obra. Observem-se os nomes destes artistas, todos eles hoje parte da história cultural, e que na época da aquisição de sua obra, em muitos casos, eram apenas expectativas de um futuro: Antonio Henrique do Amaral, José Roberto Aguilar, Oswald de Andrade, Luiz Áquila, Maciej Babinski, César Baldaccini, Luiz Paulo Baravelli, Ricardo Barreto, Artur Barrio, Jagoda Büic, Sergio de Camargo, Lothar Charoux, Bernardo Cid, Mario Cravo Jr., Wesley Duke Lee, Siron Franco, Jadir Freire, Rubens Gerchman, Karl Gerstner, Ivald Granato, Mário Gruber, Marcello Grassmann, Jorge Guinle, Gottried Honegger, Tomoshige Kusuno, Fernando Lemos, Manabu Mabe, Roberto Magalhães, Amedeo Modigliani, Fernando Odriozola, Antonio Peticov, Hugo Pratt, Nuno Ramos, Paolo Rissone, Hector Sapia, Mira Schendel, Francisco Stockinger, Antoni Tapies, Caciporé Torres, Claudio Tozzi, Victor Vasarely, Humberto Vellame, Henrique Vieytes e Nicolas Vlavianos. Por estes nomes, idades e percursos, podemos dizer que este é um dos possíveis registros da nossa época. Aqui temos quase um século de arte, manifestações e conceitos culturais. Nesta Panamericana Art’s Collection há um pacto absoluto em favor da inovação, da criatividade, da liberdade expressiva e da arte. Jacob Klintowitz


César Baldaccini César foi um artista francês de grande importância no panorama da arte francesa e mundial. Ele nasceu em 1921 e morreu em 1998 e esteve presente na eclosão de novos conceitos artísticos. Ele ajudou a dar à escultura contemporânea o seu caráter atual, trabalhando com grandes formas, com matéria evidente e forte, com o uso de modelos escultóricos não convencionais, como, por exemplo, o dedo. Também é responsável pela aproximação da arte e da tecnologia utilizando em seus trabalhos experimentais formulas químicas de expansão de compostos plásticos.

Jagoda Buic Artista nascida em 1930, na Croacia, Iugoslávia, teve uma influência decisiva no renascimento das formas têxteis contemporâneas, das tapeçarias modernas, influenciando com o seu trabalho o desenvolvimento da arte da tapeçaria no mundo inteiro. Adepta dos formatos grandes, a sua obra teve importante inserção na arquitetura atual e no uso da arte nos espaços públicos.

Amedeo Modigliani

Textos sobre alguns artistas

por Jacob Klintowitz

É um artista decisivo na criação da arte moderna e na ampliação do conceito da arte e da liberdade de criação. Pintor e escultor, nascido na Itália em 1884, morreu em 1920, deixando uma obra de crescente valorização estética. Ficou conhecido como uma figura icônica devido às suas pinturas de mulheres de longos pescoços. Como muitos dos principais artistas desta época, o seu trabalho desenvolveu-se em Paris, França. Modigliani é um dos maiores pintores de seu período e a sua obra tem alta qualidade pictórica e é focado na figura do ser humano. O seu desenho é simplificado e há um foco permanente na figura, sempre registrada com uma atitude reflexiva e de certa melancolia.

Hugo Pratt É um dos mais conhecidos artistas italianos do século vinte, escritor e


desenhista, autor de bandas desenhadas de divulgação mundial e é o criador do famoso Corto Maltese. Pratt teve uma vida aventurosa, participando da Segunda Guerra Mundial, preso em campo de concentração, membro da resistência, aliado e tradutor dos aliados na sua ofensiva contra o nazismo. Hugo Pratt é um dos desenhistas mais expressivos de sua época e a sua trajetória foi em direção à simplificação do desenho e ao prazer de fabular e inventar histórias. Nasceu em 1927 e morreu em 1995.

Antoni Tapies É um artista de grande projeção no cenário mundial do século vinte. Catalão, nasceu em 1923 e morreu em 2012. A sua obra tem uma manifesta liberdade de criação com o uso de colagens, instalações experimentais, pinturas, gravuras. No seu início, há, também, uma forte vivência no universo surreal o que, de maneira subjacente, permanece ao longo de sua vida expressiva.

de “república de bananas”. Também esta série serviu de critica à ditadura militar brasileira e à morte do jornalista Vlado Herzog, torturado e morto e, cuja morte foi apresentada como um suicídio. Ficou famoso a sua pintura “Morte no sábado” tratando do assunto.

Artur Alipio Barrio Artista português, residente no Brasil desde 1955, é um dos mais célebres artistas da vanguarda do país. Experimentalista, é autor de intervenções, happenings, instalações, pinturas e desenhos. É autor de “trouxas de sangue”, pacotes amarrados que continham carne crua, e que foram jogados em rios e na rua, provocando um impacto imenso. Na linha deste trabalho criou o Livro Carne que exposto, tem um período de deterioração rápido.

Sérgio de Camargo

É um artista húngaro, nascido em 1908 e morreu em 1997. Escultor, pintor e gráfico, tornou-se um dos mais conhecidos artistas do mundo, e especialmente pelo seu trabalho relacionado à geometria, às ilusões do olhar, ao jogo de permutações de formas, as transformações possíveis da sensação tridimensional no plano bidimensional. Vasarely foi um dos maiores artistas cinéticos do século vinte e a sua obra liderou a implantação de um novo conceito visual.

É um dos artistas brasileiros mais conhecidos no país e no exterior. Nasceu em 1930 e morreu em 1990. Estudou arte em Buenos Aires e foi aluno de Fontana. Estudou filosofia na Sorbonne e na França teve profundo contato com a obra do escultor Constantin Brancusi cuja influência foi duradoura. O seu trabalho é de caráter construtivo, extremamente simples na aparência, extremamente complexo na concepção e no conceito. Sérgio de Camargo trabalhou principalmente com madeira e mármore e a sua obra explora as relações geométricas entre as formas e os ritmos da repetição de módulos.

Antonio Henrique do Amaral

Wesley Duke Lee

É um dos mais importantes artistas brasileiros vivos. Autor de uma obra polêmica, Antonio Henrique do Amaral retoma os temas da brasilidade, recuperando e transformando, de maneira subjacente, a proposta da pintora Tarsila do Amaral e utilizando com extremos vigor as cores verde e amarela. É autor da série célebre com o assunto “bananas”, na qual revisa ironicamente o conceito pejorativo

Wesley Duke Lee atribuía modestamente a sua importância detonadora ao fato de ter a informação antes dos outros, devido às suas estadias nos Estados Unidos e Europa. Na verdade, como artista, Wesley foi não só pioneiro, mas de alta qualidade. Um dos desenhistas mais delicados da nossa história. Fez o primeiro happening do país e foi um dos líderes do que podemos chamar de Nova Figuração.

Victor Vasarely


Duke Lee nasceu em 1930 e morreu em 2010. Foi o criador do “Grupo Rex”, um coletivo de artistas que tinham pouca penetração no universo de galerias. A sua série “Ligas” ficou conhecida pelo seu insinuante e expressivo erotismo e qualidade do desenho e se tornou uma série clássica da história da arte brasileira.

Mira Schendel É uma artista suíça nascida em 1919 e radicada no Brasil desde 1949. É uma mulher de biografia intensa, perseguida pelo nazismo, teve uma longa peregrinação até conseguir se instalar no Brasil, inicialmente em Porto Alegre onde estudou cerâmica e publicou a sua poesia. Mira Schendel tornou-se uma das mais significativas artistas brasileiras e a sua obra de extraordinária sensibilidade gráfica é um ponto de inflexão da arte nacional. Atualmente a sua obra está na coleção de importantes museus brasileiros e do exterior.

Nuno Ramos É um dos mais importantes artistas de sua geração, tendo trazido para as artes plásticas brasileiras uma obra de caráter eminentemente indagativa. Poeta, formado em filosofia, é mais conhecido como artista plástico por sua incisiva atuação na construção de obras matéricas de grande densidade. Pintor e escultor, Nuno Ramos tem colocado indagações sobre o limite da arte, do suporte e do assunto. A sua obra, caracterizada pela tridimensionalidade se impõe pelo sua presença forte e densidade matérica e, igualmente, por deixar em aberto a discussão sobre a natureza do fazer artístico.

Claudio Tozzi Tozzi participou dos principais movimentos artísticos de sua época. Artista dotado de permanente atitude reflexiva, a sua obra inicial tinha uma acentuada proximidade com o movimento da Pop Art. Posteriormente a sua obra avançou para a discussão do espaço, e o estudo das relações geométricas de

planos e volumes e , finalmente, em sua plena maturidade, o trabalho de Claudio Tozzi coloca em discussão o plano da pintura, o seu suporte e, principalmente, a estrutura cada matéria e a sua conotação metafisica. A estrutura como um sistema de ordenamento universal.

Caciporé Torres É um caso de vocação precoce: Caciporé Torres foi o mais jovem artista premiado na Bienal Internacional de são Paulo, aos 16 anos. Escultor e desenhista, Caciporé torres é um dos líderes, no em nosso país, do uso da tecnologia na criação da obra de arte, utilizando, até hoje, aço, ferro, sucata e solda na elaboração de seu trabalho. Atento ao caráter de comunicação da escultura, Caciporé Torres é o escultor, no Brasil, com o maior número de peças em espaços abertos e públicos. Extremamente pessoal, a sua escultura tem um marcado estilo e elementos de linguagem que a torna de fácil reconhecimento. Deve se notar que a usa escultura é densa, matéria e de forte originalidade.

Ivald Granato Este é um artista símbolo da vanguarda brasileira, um dos criadores da performance no país e atuante na criação de eventos simbólicos como a mostra paralela “Mitos Vadios”, em contraposição ao tema da Bienal “Mitos e Magia”. Granato é pintor, gravador, performático, escultor. Como alguns de outros artistas no mundo inteiro, Ivald Granato organiza exposições, promove atividades coletivas, exposições intenracionais, e, à sua maneira, gera energia e reflexão no meio cultural. Artista de natureza expressionista, a sua obra é dotada de grande dinamismo e de um marcado desenho de alta expressividade.

Manabu Mabe Manabu Mabe foi um dos mais significativos artistas abstratos do mundo. Imigrante japonês, nasceu em 1924 e morreu em 1997, e deu uma contribuição definitiva à arte brasileira. O


abstracionismo de sua pintura diferenciouse do abstracionismo lírico ou do expressionista por sua carga poética e pela extraordinária leveza de seu cromatismo. A sua pintura foi de uma precisão emocional rara e os seus elementos constitutivos pareciam ter surgidos no seu exato lugar no espaço. Esta precisão do elemento no seu único lugar disponível remete à tradição da criação do jardim japonês onde cada elemento tem o seu exato e único lugar.

Rubens Gerchman Foi um dos mais importantes artistas brasileiros da segunda metade do século vinte. Nasceu no Rio de Janeiro em 1942 e morreu em 2008. Rubens Gerchman é um símbolo e um representante das novas ideias estéticas no país. Era gravador, pintor, escultor, cineasta, poeta. O seu assunto básico era a vida urbana e a sua técnica expressiva tinha origem na Pop Art e a sua intepretação era extremamente original. Ele foi o cantor da vida brasileira e, em especial, da vida carioca e tornou definitiva a criação de tipos populares e de assuntos que lembravam as manchetes dos jornais de crimes. Um de seus mais conhecidos personagens, a “Bela Lindonéia”, entrou definitivamente para o imaginário nacional.

Mario Cravo Jr. Escultor, gravador, pintor, desenhista, poeta, escritor, o baiano Mario Cravo Jr. é um dos artistas que marcam o Brasil pela sua modernidade e liberdade criativa. A sua escultura é uma das mais inventivas do século vinte e os seus assuntos tem um largo espectro, pois foi capaz de registrar os mitos afro-brasileiros, como a figura do Exú e a invenção de máquinas inúteis e esculturas eólicas. Em todo este trabalho destaca-se uma vitalidade pulsante e uma alegria lúdica raramente encontrada. Mario Cravo Jr. Também enveredou pelo uso da informática criando centenas de imagens a partir dos programas e arquivos de cores e desenhos. Também nesta incursão na informática destaca-se a sua alegria criativa, o que o diferencia de boa parte da modernidade.

Tomoshige Kusuno É um artista da permanente discussão sobre a realidade visual. Pintor, desenhista, professor, Tomoshige Kusuno nasceu no Japão, em 1935, imigrou para o Brasil em 1960, e desde então participa ativamente da arte brasileira integrando-se no grupo dos experimentalistas, dos artistas que discutem a natureza da arte e da percepção. O seu trabalho é figurativo, mas ele está longe de retratar uma cena comum e já conhecida, pois sempre indaga sobre as aparências das coisas e propõe novas formas de olhar e perceber. O seu trabalho é embasado na alta qualidade do seu desneho e do conhecimento do ofício do arista visual.

Roberto Magalhães Os assuntos e os temas de Roberto Magalhães nos remetem imediatamente para uma realidade particular. Na verdade, não há qualquer diferença entre assunto e tema, pois o que o artista oferece é uma visão integrada da realidade visual onde se destaca a sua afinidade com o universo do fantástico e da invenção poética. Gravador, pintor, desenhista, adepto do uso de técnicas variadas como lápis de cor, aquarela, óleo, xilogravura, litografia, em tudo que fez o artista marcou profundamente a arte brasileira, devido à sua individualidade conceptiva, à sua iconografia renovadora e ao seu olhar original. É um artista do realismo fantástico e é, ao mesmo tempo, um clássico.

Nicolas Vlavianos A presença de Nicolas Vlavianos na arte brasileira é seminal. Artista grego de excelente formação imigrou para o Brasil em 1961 e se tornou um dos nossos mais importantes escultores e dedicado professor de arte. Desenhista, escultor, professor, a sua é uma escultura de forte estrutura que, ao longo dos anos, manteve o seu caráter sóbrio e planejado. Mudam as formas, mas o método permanece. O tema central do seu trabalho é a figura humana e, principalmente, o diálogo entre formas plenas e linhas filiformes. O seu desenho é típico de escultor e nele predomina a meditação dos volumes e dos contrastes de massas.


Pág. 8

A

Amaral, Antonio H.

Autor: Amaral, Antonio H. Título, Data: Sem Título, 1971 Técnica: Óleo Sobre Tela Dimensão: A 1,01m x L 0,66cm


Aguillar, José Roberto

A

Pág. 9

Autor: Aguilar, José Roberto Título, Data: Até o Fim do Mundo, 1985 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 2,00m x L 2,05cm


Pág. 10

A

Andrade, Oswald de

Autor: Andrade, Oswald de Título, Data: Família Caipira, 1965 Técnica: Óleo Sobre Tela Dimensão: A 0,86m x L 0,70cm


Aquila, Luiz

Autor: Aquila, Luiz Título, Data: Bom dia Pintura, 1986 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 1,40m x L 1,90cm

A

Pág. 11


Pág. 12

B

Babinski, Maciej

Autor: Babinski, Maciej Título, Data: Noite, 1981 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 1,28m x L 1,87cm


Baldaccini, César

Autor: Baldaccini, César Título, Data: Compressão, 1974 Técnica: Metal Dimensão: A 0,34m x L 0,45cm

B

Pág. 13


Pág. 14

Autor: Baravelli, Luiz Paulo Título, Data: Lá Fora, 1977 Técnica: Tinta Acrílica e

Esmalte Sobre Tela

Dimensão: A 1,44m x L 1,04cm

B

Baravelli, Luiz Paulo


Barreto, Ricardo

B

Pág. 15

Autor: Barreto, Ricardo Título, Data: Homem com Chapéu, 1985 Técnica: Óleo Sobre Tela Dimensão: A 1,10m x L 0,96cm

Autor: Baldaccini, César Título, Data: Compressão, 1974 Técnica: Metal Dimensão: A 0,34m x L 0,45cm

Autor: Barrio, Artur Título, Data: Sem Título, 1985 Técnica: Acrílica Dimensão: A 1,28m x L 0,96cm

Barrio, Artur


Pág. 16

B

Büic, Jagoda

Autor: Büic, Jagoda Título, Data: Dubrovnik II, 1969 Técnica: Tapeçaria Dimensão: A 1,10m x L 0,90cm


Büic, Jagoda

B

Pág. 17

Autor: Büic, Jagoda Título, Data: Dubrovnik I, 1969 Técnica: Tapeçaria Dimensão: A 0,60m x L 0,99cm


Pág. 18

C

Camargo, Sérgio

Autor: Camargo, Sérgio Título, Data: 373, 1972 Técnica: Relevo em Madeira Dimensão: A 1,00m x L 1,00cm

Autor: Charoux, Lothar Título, Data: Ritmo em 5 faixas I, 1976 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 1,04m x L 0,38cm Autor: Charoux, Lothar Título, Data: Ritmo em 5 faixas II, 1976 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 1,01m x L 0,36cm

Charoux, Lothar


Cid de Souza Pinto, Bernardo

C

Autor: Cid de Souza Pinto, Bernardo Título, Data: Poema Concreto de Pedro Xisto, 1967 Técnica: Mista Sobre Tela Dimensão: A 1,50m x L 1,16cm

Pág. 19


Pág. 20

C

Autor: Cravo, Mario Título, Data: Emblema, 1967 Técnica: Ferro Dimensão: A 2,40m x L 0,55m

Autor: Cravo, Mario Título, Data: Painel, 1965 Técnica: Ferro Dimensão: A 2,05m x L 2,08m

Cravo, Mario


Cravo, Mario

C

Pág. 21

Autor: Cravo, Mario Título, Data: Cachão, 1969 Técnica: Ferro Dimensão: A 3,00m

Autor: Cravo, Mario Título, Data: Máscara, 1967 Técnica: Ferro Dimensão: A 1,77m x L 2,08m

Autor: Cravo, Mario Título, Data: A Porta Omulum, 1959 Técnica: Madeira Dimensão: A 3,00m x L 1,89m


Pág. 22

D

Duque Lee, Wesley

Autor: Duke Lee, Wesley Título, Data: Transporte, 1969 Técnica: Desenhos, Colagem,

Frotagem, Liquitex

Dimensão: A 0,73m x L 1,02m

Autor: Duke Lee, Wesley Título, Data: Visão Sentidos, 1970 Técnica: Mista Dimensão: A 1,35m x L 1,08m


Franco, Siron

F

Pág. 23

Autor: Franco, Siron Título, Data: Sem Título, Sem Data Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 1,84m x L 1,76m

Autor: Freire, Jadir Título, Data: Bom Dia Sr.

Jadir III, 1986

Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 2,06m x L 1,75m

Freire, Jadir


Pág. 24

G

Gerchman, Rubens Autor: Gerchman, Rubens Título, Data: Ela pode ser muitas, 1987 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 2,28m x L 1,44m

Autor: Gerchman, Rubens Título, Data: Casal Verão, 1988 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 1,41m x L 1,26m


Gerstner, Karl

G

Pág. 25

Autor: Gerstner, Karl Título, Data: Composição Cromáitca I, 1971 Técnica: Serigrafia Dimensão: A 080m x L 0,80m


Pág. 26

G

Granato, Ivald

Autor: Granato, Ivald Título, Data: Rosto, 1985 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 1,63m x L 1,46m


Grassmann, Marcello

G

Pág. 27

Autor: Grassmann, Marcello Título, Data: Sem Título, 1988 Técnica: Mista Dimensão: A 0,85m x L 1,15m

Autor: Granato, Ivald Título, Data: Duo, 1985 Técnica: Madeira, Acrílico e Colagem Dimensão: A 1,70m x L 0,90m

Granato, Ivald


Pág. 28

G

Autor: Guinle, Jorge Título, Data: O Imaginário, 1986 Técnica: Óleo Sobre Tela Dimensão: A 1,30m x L 1,08m

Guinle, Jorge


Gruber, Mario

G,H

Pág. 29

Autor: Gruber, Mario Título, Data: Figura, 1985 Técnica: Colagem Dimensão: A 2,11m x L 1,43m

Autor: Honegger, Gottfried Título, Data: Relevo I, 1990 Técnica: Plástico Moldado Dimensão: A 0,71m x L 0,71m

Honegger, Gottfried


Pág. 30

K,L

Kusuno, Tomoshige

Autor: Kusuno, Tomoshige Título, Data: Auto Retrato, 1974 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 0,74m x L 0,94m

Autor: Lemos, Fernando Título, Data: Séries Sintomas, 1973 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 0,80m x L 0,60m

Lemos, Fernando


Mabe, Manabu

M

Pág. 31

Autor: Mabe, Manabu Título, Data: 2001 Odisseia

no Espaço, 1969

Técnica: Óleo Sobre Tela Dimensão: A 2,00m x L 2,45m


Pรกg. 32

M

Magalhรฃes, Roberto


Magalhães, Roberto

M

Pág. 33

Autor: Magalhães, Roberto Título, Data: Equilíbrio, 1967 Técnica: Aquarela Dimensão: A 0,44m x L 0,55m Autor: Magalhães, Roberto Título, Data: Figura, 1966 Técnica: Aquarela Dimensão: A 0,28m x L 0,20m

Autor: Modigliani, Amedeo Título, Data: Rosto, 1915 Técnica: Gravura Dimensão: A 0,90m x L 0,70m

Modigliani, Amedeo


Pág. 34

O

Odriozola, Fernando

Autor: Odriozola, Fernando Título, Data: Engrenagem I, 1963 Técnica: Colagem Materiais Dimensão: A 0,33m x L 0,48m


Odriozola, Fernando

Autor: Odriozola, Fernando Título, Data: Engrenagem II, 1963 Técnica: Colagem Materiais Dimensão: A 0,67m x L 0,59m

O

Pág. 35


Pág. 36

P

Peticov, Antonio

Autor: Peticov, Antonio Título, Data: A Compreensão, 1972 Técnica: Tinta Acrílica Sobre Tela Dimensão: A 1,80m x L 1,80m

Autor: Pratt, Hugo Título, Data: Corto Maltese, 1966 Técnica: Acrílico Sobre Tela Dimensão: A 1,00m x L 1,00m

Pratt, Hugo


Ramos, Nuno

R

Pág. 37

Autor: Ramos, Nuno Título, Data: Sem Título, 1990 Técnica: Colagem Dimensão: A 2,20m x L 3,50m


Pág. 38

R,S

Rissone, Paolo

Autor: Rissone, Paolo Título, Data: Projeto I, 1969 Técnica: Óleo Dimensão: A 0,55m x L 0,40m

Autor: Sapia, Hector Título, Data: Figuras, 1964 Técnica: Óleo Sobre Tela Dimensão: A 0,41m x L 0,62m

Sapia, Hector


Schendel, Mira

S

Pág. 39

Autor: Schendel, Mira Título, Data: Sem Título, 1980 Técnica: Desenho, Aquarela Dimensão: A 0,46m x L 0,23m

Autor: Schendel, Mira Título, Data: Sem Título, 1975 Técnica: Desenho, Colagem Dimensão: A 0,54m x L 0,32m


Pág. 40

S,T

Tapies, Antoni

Autor: Tapies, Antoni Título, Data: Procedimento

para Gravado, 1988

Técnica: Gravura Dimensão: A 1,21m x L 1,50m

Autor: Stockinger, Francisco Título, Data: Guerreiro, 1983 Técnica: Madeira, Metal Dimensão: A 1,76m x L 0,32m

Stockinger, Francisco


T

Pág. 41

Autor: Torres, Caciporé Título, Data: Dom Quixote, 2005 Técnica: Aço Inox Dimensão: A 3,55m x L 1,47m

Torres, Caciporé


Pág. 42

Autor: Tozzi, Claudio Título, Data: Parafuso, 1972 Técnica: Acrílica Sobre Tela

Colada em Madeira

Dimensão: A 0,90m x L 1,50m

T

Tozzi, Claudio


Tozzi, Claudio

T

Pág. 43

Autor: Tozzi, Claudio Título, Data: Chuva, 2000 Técnica: Acrílica Sobre Tela Dimensão: A 2,00m x L 2,00m

Autor: Tozzi, Claudio Título, Data: Parafuso, 1971 Técnica: Acrílica Sobre Papel Schöeler,

Colado em Madeira

Dimensão: A 0,80m x L 0,60m


Pág. 44

V

Vasarely, Victor

Autor: Vasarely, Victor Título, Data: Wega 4, 1971 Técnica: Acrílico Dimensão: A 0,81m x L 0,81m


Vellame, Humberto

V

Autor: Vellame, Humberto Título, Data: Composição Preta, 1967 Técnica: Colagem, Técnica Mista Dimensão: A 0,59m x L 0,59m

Pág. 45


Pág. 46

V

Vieytes, Enrique

Autor: Vieytes, Enrique Título, Data: Composição, 1960 Técnica: Guache Dimensão: A 0,65m x L 0,90m


Vlavianos, Nicolas

V

Pág. 47

Autor: Vlavianos, Nicolas Título, Data: Sem Título, 1988 Técnica: Aço Inox Dimensão: A 1,87m x L 1,34m

Autor: Vlavianos, Nicolas Título, Data: Sem Título, 1983 Técnica: Aço Inox Dimensão: A 0,55m x L 0,40m


Amaral, Antonio H. Aguilar, José Roberto Andrade, Oswald de Aquila, Luiz Babinski, Maciej Baldaccini, César Baravelli, Luiz Paulo Barreto, Ricardo Barrio, Artur Büic, Jagoda Camargo, Sérgio Charoux, Lothar Cid de Souza Pinto, Bernardo Cravo, Mario Duke Lee, Wesley Franco, Siron Freire, Jadir Gerchman, Rubens Gerstner, Karl Granato, Ivald Grassmann, Marcello Gruber, Mario

Ramos, Nuno Rissone, Paolo Sapia, Hector Schendel, Mira Stockinger, Francisco Tapies, Antoni Torres, Caciporé Tozzi, Claudio Vasarely, Victor Vellame, Humberto Vieytes, Enrique Vlavianos, Nicolas

Guinle, Jorge Honegger, Gottfried Kusuno, Tomoshige Lemos, Fernando Mabe, Manabu Magalhães, Roberto Modigliani, Amedeo Odriozola, Fernando Peticov, Antonio Pratt, Hugo


Panamericana Art’s Collection

Rua Groelândia, 77 Jardim Paulista São Paulo, SP


Artscollection