Page 1

DIAGNÓSTICO FINANCEIRO PARTE I - Instruções 1.1 O que é? O Diagnóstico Financeiro é uma “radiografia” da sua situação financeira e patrimonial atual. Esta importantíssima ferramenta de controle orçamentário pessoal é o primeiro passo para que você possa organizar suas finanças e definir metas, como por exemplo: comprar imóveis para moradia e investimento, comprar veículos de passeio e para uso comercial, abrir ou expandir seu negócio, investir em produtos financeiros, planejar seus estudos, cuidar da saúde, formar reservas emergenciais e previdenciárias, viajar e tudo mais que você desejar. 1.2 Para que serve? O Diagnóstico Financeiro serve para que você possa conhecer o seu perfil de consumo e o seu comportamento enquanto investidor, especificamente em relação à tolerância ao risco. Além disso, este estudo informa com precisão os tipos de renda disponíveis, os grupos de despesa e a representatividade dos mesmos no orçamento doméstico, o valor de mercado dos seus bens, suas economias, o total das dívidas e obrigações assumidas, a capacidade atual de poupança, a expectativa de durabilidade das suas reservas (cobertura), a rentabilidade e o perfil de risco das suas aplicações, dentre outros itens que irão auxiliar no seu planejamento financeiro pessoal. 1.3 Para quem é indicado? Este estudo é indicado para todas as pessoas que querem desenvolver uma estratégia de investimentos personalizada, técnica, independente e capaz de contribuir para a melhoria da qualidade de vida através do uso racional do dinheiro. 1.4 Qual o principal objetivo? O objetivo principal do Diagnóstico Financeiro é auxiliar na tomada de decisões que auxiliem no alcance da Independência Financeira, demonstrando a importância e as vantagens do inventário contínuo de receitas e despesas e a relação direta do planejamento estratégico para a evolução patrimonial pessoal e diminuição da dependência da renda ativa (salário). 1.5 Qual a metodologia adotada no estudo? A metodologia empregada na elaboração do Diagnóstico Financeiro obedece a critérios de natureza gerencial, ou seja, aquela onde os conceitos não seguem a escola tradicional de Economia e Contabilidade. Em razão disso, eventualmente, os resultados do estudo poderão diferir de outros fundamentados em análises exclusivamente contábeis e atuariais. 1.6 Quais são as etapas do trabalho? Na fase inicial, o estudo consiste em analisar o fluxo de caixa do cliente - a partir do inventário de receitas e despesas médias mensais - no intuito de apurar a representatividade das mesmas e a expectativa mensal e anual de capitalização. Em seguida, é processada a análise paramétrica dos valores, quando então são calculados os principais índices financeiros pessoais, tais como: índice de liquidez, índice de cobertura, índice de endividamento e de endividamento efetivo, índice de poupança, além dos parâmetros de medida do comprometimento e do retorno do capital sobre o patrimônio existente, como por exemplo: retorno das aplicações, investimentos, falsos ativos, dentre outros. A isso chamamos de “GPS” financeiro. Na fase conclusiva, os valores encontrados são submetidos ao enquadramento de tolerância (limites mínimos e máximos admissíveis) cujo objetivo é fundamentar as medidas necessárias para o aumento da eficiência da gestão financeira pessoal.

www.g9investimentos.com.br

1


1.7 Qual o prazo de validade das informações e conclusões apresentadas? Na versão completa, em média, os valores, índices, parâmetros e conclusões apresentados no Diagnóstico Financeiro são válidos por 1 (um) ano. Entretanto, se durante este período ocorrer algum evento atípico relevante capaz de influenciar na situação financeira e patrimonial do cliente, como por exemplo: perda do emprego, recebimento de um prêmio, doação ou herança, separação conjugal, dissolução societária, execução fiscal, venda de bens, etc – é recomendável que o estudo seja refeito para que novos valores sejam apurados e para que a estratégia seja ajustada. Na versão simplificada, é recomendado que o diagnóstico seja refeito com mais frequência, pelo menos de seis em seis meses. 1.8 Se durante os próximos 12 meses nenhuma mudança financeira significativa ocorrer é preciso refazer o estudo? A decisão de refazer o Diagnóstico Financeiro sempre caberá ao cliente. Contudo, é preciso lembrar que a gestão financeira pessoal ou familiar não é um conceito rígido e inflexível e que - certas alterações - por mais imperceptíveis que pareçam, podem interferir no plano de metas adotado como um todo, principalmente em relação aos prazos. 1.9 Ocorrendo apenas pequenas alterações é preciso refazer o estudo por completo? Se de um ano para outro não ocorrer nenhuma mudança patrimonial ou financeira significativa não é preciso refazer o Diagnóstico Financeiro por completo. Neste caso, é recomendável que se faça ao menos um ajuste de índices (Diagnóstico Simplificado – “GPS” Financeiro), que consiste na atualização dos resultados do estudo anterior para – eventual - revalidação das recomendações. 1.10 O resultado do estudo é sempre igual ou varia de pessoa para pessoa? Por ser um estudo individual e personalizado, cada pessoa terá um Diagnóstico Financeiro diferente e os valores e indicadores apurados serão válidos apenas para quem forneceu as informações. Entretanto, quando o estudo envolver a análise de orçamentos unificados (casais, famílias, grupos, etc), sempre que houver uma mudança na composição das receitas ou na divisão das despesas é recomendável que um novo estudo seja elaborado. Importante: Em nenhuma hipótese as medidas corretivas e as estratégias financeiras propostas a partir do Diagnóstico Financeiro deverão ser estendidas à pessoas que não integrem o fluxo de caixa e a situação patrimonial analisada devido às especificidades envolvidas, sob pena de ocorrer severo prejuízo financeiro. 1.11 Qual a diferença entre o Diagnóstico Financeiro e a Estratégia de Investimentos? O Diagnóstico Financeiro é o estudo que serve de base para a elaboração da Estratégia de Investimentos. É a partir das conclusões obtidas na análise diagnóstica que é possível desenvolver uma estratégia personalizada, voltada para o alcance de metas de curto, médio e longo prazo e que respeite o perfil de tolerância ao risco financeiro do cliente, além de atender seus principais objetivos pessoais. 1.12 Se ficar comprovado que a melhoria da minha situação financeira depende da adoção de medidas corretivas (diminuição do custo fixo, aumento de receitas, pagamento de dívidas, venda de bens, mudança de emprego, manobra de liquidez, etc) quando e por quem as mesmas deverão ser tomadas? Caberá exclusivamente ao cliente a tomada de toda e qualquer decisão em relação à adoção de medidas e atitudes que possam beneficiar ou contribuir para a melhoria da sua situação financeira, podendo para isso, contar com a assessoria dos consultores da G9. Vale lembrar que o quanto antes as mudanças forem adotadas, maiores serão as chances de sucesso, pois o Ativo Tempo associado à disciplina orçamentária são partes fundamentais no processo de Independência Financeira.

www.g9investimentos.com.br

2


DIAGNÓSTICO FINANCEIRO SIMPLIFICADO PARTE II – Condições Gerais:

2.1 Devido à característica confidencial do trabalho, informamos que nenhuma cópia deste estudo ou dos documentos utilizados para sua elaboração ficará em poder do Grupo G9, ficando o cliente único responsável pela posse e guarda dos mesmos; 2.2 Por medida de segurança, recomendamos que o presente estudo seja mantido em local reservado e de difícil acesso, no sentido de evitar exposições indesejadas; 2.3 O Grupo G9 destaca que o cliente é o único destinatário do presente trabalho e que o mesmo – seja no todo ou em parte - não será disponibilizado a terceiros sem a autorização prévia e formal do contratante através de instrumento público oficial; 2.4 As análises elaboradas pela G9 são personalizadas. A metodologia empregada na prestação dos serviços é própria e possui direitos de uso, divulgação e publicação reservados. Os estudos seguem critérios de natureza administrativa e gerencial, diferindo, eventualmente, de conceitos formais exclusivamente contábeis, econômicos e atuariais, não estando, portanto, subordinada à aprovação de terceiros. Temos como premissas a disciplina orçamentária voltada para o alcance de objetivos de curto, médio e longo prazo sempre de acordo com a realidade financeira de cada cliente, independente de tendências mercadológicas momentâneas; 2.5 O diagnóstico é uma análise da situação financeira do cliente num dado período de apuração não cabendo à G9 a responsabilidade de revertê-la, no todo ou em parte, independente de prazo. Ressaltamos que a precisão do estudo depende diretamente da qualidade das informações apresentadas, ficando a G9 isenta de responsabilidade sobre eventuais erros de apuração, interpretação, imprecisões ou quaisquer inconsistências existentes nas mesmas; 2.6 Os serviços de consultoria e planejamento financeiro desenvolvidos pelo Grupo G9 têm como principais premissas a disciplina financeira, foco no longo prazo e a tolerância do(a) cliente ao risco financeiro conforme estudo de perfil. Caberá exclusivamente ao cliente tomar decisões de investimento, fixar prazos, escolher produtos, negociar dívidas e compromissos, contratar intermediários, agentes de custódia, selecionar instituições financeiras (bancos, corretoras e seguradoras), dentre outros; e 2.7 A G9 ressalta que em nenhuma hipótese ficará responsável pela obtenção de resultado financeiro ou quaisquer ônus decorrentes da incapacidade de gestão do cliente ou de prepostos por ele indicados, cabendo exclusivamente a estes assumir todo e qualquer risco decorrente das decisões orçamentárias e de investimento adotadas independente do prazo.

www.g9investimentos.com.br

3


DIAGNÓSTICO FINANCEIRO PARTE III - Análise Comentada: Cliente: Código Identificador XXX XXX XXX 3.1 Análise do Fluxo de Caixa: O fluxo de caixa apurado está negativo (*) e apresenta déficit mensal de R$XXXX,XX – resultante da diferença entre a média mensal de receitas líquidas e a média mensal de despesas brutas, donde se extrai que a expectativa anual de capitalização é da ordem de YYYYY,YY (sem a incidência de juros e desconto de impostos). Nota (*): A presente análise considera o endividamento pessoal corrente devido aos compromissos financeiros de curto e longo prazo vigentes (financiamentos de veículos, de imóvel e contribuição previdenciária). Caso desconsiderados, o fluxo mensal ficaria positivo, sendo da ordem de R$XXXX,XX. 3.2 Análise das Receitas Médias Mensais: As receitas disponíveis foram analisadas quanto à formação, categoria, origem e representatividade no Orçamento Doméstico. Foi constatada total dependência da Renda Ativa (atividade empresarial), considerando que as receitas de portfólio representam apenas 5% do total das disponibilidades financeiras mensais. Comentário(s): A dependência da Renda Ativa significa vulnerabilidade financeira, tendo em vista que a geração deste tipo de receita depende do esforço direto do trabalho (salários / pró-labore), do caráter temporário da empregabilidade e da elevada tributação a qual a mesma está sujeita (IR retido na fonte), o que pode retardar o alcance da Independência Financeira, ou seja: o momento em que o custo fixo médio mensal passa a ser suportado integralmente pela soma das rendas passiva e de portfólio de forma vitalícia. 3.3 Análise das Despesas Médias Mensais: Os grupos de despesas foram analisados quanto à categoria, origem e representatividade no Orçamento Doméstico. As despesas fixas mais relevantes e cuja média está fora de padrão foram observadas nos grupos: - Moradia = xx,xx (limite máximo recomendado: 20%) - Alimentação Externa = xx,xx (limite máximo recomendado: 15%) e -Educação. As demais ficaram dentro da normalidade. Comentário(s): Em relação ao grupo Moradia é possível prever um aumento razoável de despesas para o médio prazo, considerando que - nesta ocasião - não foram observados alguns custos fixos tradicionais deste grupo, tais como: aluguel, telefones fixos, manutenção, seguro do imóvel, empregados domésticos (regime CLT), dentre outros.

www.g9investimentos.com.br

4


3.4 Análise do Ciclo de Renda: Com base no fluxo de caixa e na situação patrimonial presente, foi concluído que – atualmente – o(a) cliente pertence ao Ciclo de Custos, ou seja, a manutenção do custo fixo médio mensal e a formação de patrimônio dependem exclusivamente do esforço direto do trabalho (renda ativa), considerando que – quando somados - os percentuais de receita gerados pela renda passiva e de portfólio, representam apenas 5% do total de mensal de disponibilidades. 3.5 Análise do Exigível de Curto Prazo Foram apuradas dívidas e obrigações de curto prazo (vencimento em até 12 meses) que juntas somam R$XXX,XX (soma das parcelas dos financiamentos contratados), distribuídas em compromissos financeiros mensais de três categorias:   

Parcelamento de artigos no cartão de crédito e/ou crediários Financiamento imobiliário Financiamento de veículos.

Comentário(s): O valor total apurado revela que o endividamento corrente é elevado e, portanto, não atende o percentual máximo admissível para comprometimento das disponibilidades financeiras de liquidez imediata, da ordem de 20%. 3.6 Análise do Exigível de Longo Prazo O Índice de Endividamento representa o percentual do Ativo Total comprometido com o pagamento de dívidas e obrigações de qualquer prazo. Nesta ocasião, foram apuradas dívidas e obrigações financeiras de médio e longo prazo (vencimento maior que 12 meses), além dos valores válidos para o curto prazo descritos no item 3.5 que juntas somam R$YYYYY,YY.

3.7 Análise da Alocação Ativa Presente (Bens e Direitos) A alocação ativa presente foi analisada quanto à categoria e representatividade na relação patrimonial. Foram observados bens e direitos em diversas categorias perfazendo um total de R$148.230,00. São elas: 3.7.1) imóvel para moradia; 3.7.2) automóveis de passeio; 3.7.3) saldo em aplicações de Previdência; 3.7.4) saldo em aplicações financeiras e reservas imediatas; e 3.7.5) negócios próprios, bens, direitos e participações. 3.8 Análise da Situação Patrimonial (característica dominante) A situação patrimonial apurada é negativa e apresenta PL gerencial igual a – R$125.000,00 – resultante da diferença entre o valor total dos bens e direitos em carteira e o total de dívidas e obrigações assumidas, donde se conclui que a característica patrimonial dominante é PASSIVA, ainda que integrem o patrimônio avaliado bens de caráter essencialmente ativo. 3.9 ANÁLISE DOS ÍNDICES E PARÂMETROS FINANCEIROS PESSOAIS - GPS FINANCEIRO Foram calculados os índices e parâmetros financeiros pessoais com base nas informações fornecidas pelo cliente, nos termos comentados a seguir:

www.g9investimentos.com.br

5


3.9.1 – Índice de Liquidez: O Índice de Liquidez apurado é da ordem de XX,XX sendo que este representa a facilidade de transformação do Ativo Imediato em dinheiro vivo. O resultado apurado revela que o total de reservas financeiras (aplicações financeiras de risco variado) para saque imediato é menor que o total de dívidas e obrigações de curto prazo, ou seja, incapaz de manter o custo fixo médio mensal em caso de suspensão da Renda Ativa (salário / pró labore). Recomenda-se a manutenção do IL em trajetória altista. (Meta IL>50) 3.9.2 – Índice de Cobertura (anos): O Índice de Cobertura representa o tempo em anos que o Ativo Imediato é capaz de manter o custo fixo médio mensal. A cobertura financeira apurada (reservas de curto prazo) é de apenas YYY anos. Após esse período a manutenção do Orçamento Doméstico dependeria da liquidação patrimonial por ordem de liquidez, ou seja, venda imediata de bens, provavelmente, por valores abaixo do preço de mercado. Recomenda-se que o IC seja mantido acima de 03 (três) anos. 3.9.3 – Índice de Endividamento: O Índice de Endividamento representa o percentual do Ativo Imediato comprometido com o pagamento de dívidas e obrigações de curto prazo. O resultado apurado revela que o endividamento corrente é muito elevado XXX, fruto de financiamentos diversos. Recomenda-se que o IE seja mantido próximo a 0% e abaixo de 20%. 3.9.4 – Índice de Endividamento Efetivo: O Índice de Endividamento Efetivo representa o percentual do Ativo Total comprometido com o pagamento de dívidas e obrigações de qualquer prazo. O resultado apurado revela que o endividamento efetivo muito elevado YYY, refletindo a influência das obrigações de curto prazo. Recomenda-se que o IEef seja mantido próximo a 0% e abaixo de 40%. 3.9.5 – Índice de Poupança: O Índice de Poupança representa a capacidade mensal de capitalização (formação de reservas) do(a) cliente. O percentual apurado é nulo e, portanto, não atende o mínimo recomendado - que é da ordem de 10% da média mensal de receitas. Cabe destacar que quanto mais elevado for o IP maiores serão os benefícios ao poupador.

www.g9investimentos.com.br

6


G9 Investimentos - Consultores Associados ANÁLISE GRÁFICA (DF - DESIGNER 32 - OUT 2010)

RECEITA MÉDIA MENSAL

GRÁFICOS

R$

4.236,59

R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$

1.632,34 1.615,67 16,67 1.761,00 761,00 1.000,00 843,25 843,25 -

PARTICIPAÇÃO DAS RECEITAS

19,90% 38,53% 41,57% RENDA ATIVA - total RENDA PASSIVA - total RENDA DE PORTFÓLIO - total

DESPESA MÉDIA MENSAL

2%

R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$

2.381,47 460,22 114,80 696,18 1.750,20 450,84 127,95 5.981,66 (1.745,07)

SALDO EM CONTA(S) CORRENTE(S) SALDO EM RENDA FIXA SALDO EM FUNDOS SALDO EM FUNDOS DE AÇÕES PREVIDÊNCIA IMÓVEIS FGTS - OUTROS

R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$

(604,49) 138.237,94 21.370,35 821,56 100.584,17 100.000,00 -

subtotal de ativos

R$

360.409,53

R$ R$ R$ R$

47.000,00 30.000,00 77.000,00

PARTICIPAÇÃO DAS DESPESAS

7%

DESPESAS COM MORARIA

DESPESAS COM MOTOCICLETA 01

29%

DESPESAS COM SAÚDE DESPESAS DIVERSAS

12%

DESPESAS COM INVESTIMENTOS

8%

DESPESAS INSTITUCIONAIS

2%

ATIVOS

ATIVOS - ANO BASE 2010

" falsos ativos " AUTOMÓVEL 01 MOTOCICLETA 01 OUTROS subtotal de "falsos ativos"

DESPESAS COM AUTOMÓVEL 01

40%

IMÓVEIS

PREVIDÊNCIA

SALDO EM FUNDOS DE AÇÕES

SALDO EM CONTA(S) CORRENTE(S)

R$ 140.000,00 R$ 105.000,00 R$ 70.000,00 R$ 35.000,00 R$ SALDO EM FUNDOS

DESPESAS COM MORARIA DESPESAS COM AUTOMÓVEL 01 DESPESAS COM MOTOCICLETA 01 DESPESAS COM SAÚDE DESPESAS DIVERSAS DESPESAS COM INVESTIMENTOS DESPESAS INSTITUCIONAIS DESPESAS MENSAIS TOTAIS FLUXO DE CAIXA MENSAL LÍQ.

SALDO EM RENDA FIXA

RECEITA TOTAL R$ RENDA ATIVA - total Salário 01 Salário 02 RENDA PASSIVA - total Aluguéis Pensão alimentícia RENDA DE PORTFÓLIO - total Juros - Renda Fixa Juros - Fundos Renda variável - dividendos / JCP / bonificações

PASSIVO ALOCAÇÃO PASSIVA - ANO BASE 2010 PASSIVO DE BANCÁRIO; LONGO R$ 604,49 ; PRAZO; 24% R$ - ; 0%

PASSIVOS E COMPRAS FATURADAS PASSIVO BANCÁRIO PASSIVO DE CURTO PRAZO PASSIVO DE LONGO PRAZO TOTAL DE PASSIVOS

R$ R$ R$ R$

ATIVO TOTAL ( subtotal de ativos + " falsos ativos " ) TOTAL DE ATIVOS REAIS ( apenas o subtotal de ativos reais)

R$

ÍNDICES E PARÂMETROS Índice de Liquidez (adimensional) Índice de Cobertura (anos) Índice de Endividamento (%) Índice de Endividamento Efetivo (%) Índice de Poupança (%) % da renda líquida gasto em moradia % da renda líquida gasto em investimentos % retorno sobre o Ativo Financeiro % de retorno sobre o Ativo Imobiliário % de patrimônio Ativo

604,49 1.928,53 2.533,02

PASSIVO DE CURTO PRAZO; R$ 1.928,53 ; 76%

437.409,53 PATRIMÔNIO LÍQUIDO ( total de ativos - total de passivos ) 360.409,53 PATRIMÔNIO LÍQUIDO REAL ( total de ativos reais - total de passivos)

RESULTADO 43,64 3,64 0,97% 0,58% -41,19% 56,21% 10,64% 0,32% 0,76% 82,40%

________________________________ GUSTAVO DE CARVALHO CHAVES Consultor Financeiro - Grupo G9 Investimentos Curitiba, Paraná 20/10/10 18:43

434.876,51 357.876,51

G9 Investimentos - Exemplo de Diagnóstico Financeiro  

Exemplo de Diagnóstico Financeiro G9 Investimentos. www.g9investimentos.com.br