Page 1

1


IMPORTÂNCIA, APLICAÇÕES E O FUTURO DA INDÚSTRIA 4.0

Resumo Este trabalho apresenta uma análise dos impactos da indústria 4.0 no futuro da automação industrial, bem como as causas e consequências da quarta revolução em países como o Brasil e a Alemanha além de analisar os principais elementos presentes no ambiente que caracterizam esse novo marco na indústria. A indústria 4.0 ou quarta revolução industrial está ligada a integração da indústria com seus equipamentos, fornecedores, sistema logístico e cliente final, e tem como objetivo reduzir desperdícios e maximizar o potencial das atividades que realmente agregam valor ao produto por meio da automação e comunicação dessas partes. O trabalho também apresenta a história das revoluções industrias, como a revolução da máquina a vapor, revolução técnico científica e a revolução automatizada. Palavras chaves: Indústria 4.0, Quarta revolução industrial, Integração, Automação.

Abstract This paper presents an analysis of the impacts of industry 4.0 on the future of industrial automation, as well as the causes and consequences of the fourth revolution in countries such as Brazil and Germany, as well as analyzing the main environmental elements that characterize this new industry milestone. Industry 4.0 or the fourth industrial revolution is linked to the integration of industry with its equipment, suppliers, logistics system and end customer, and aims to reduce waste and maximize the potential of activities that truly add value to the product through the automation and communication of these Parties. The paper also presents the history of industrial revolutions, such as the steam engine revolution, technical scientific revolution, and the automated revolution. Keywords: Industry 4.0, Fourth Industrial Revolution, Integration, Automation.

2


1 Introdução Industria 4.0 ou quarta revolução industrial é um termo que engloba as tecnologias para a automação. A industria viva ou industria autônoma é um conceito de industria que engloba os campos de manufatura industrial a partir de sistemas Cyber-físicos , internet das coisas e demais meios de independência da linha produtiva. As revoluções de maquinário acompanham a história da humanidade, desde a revolução à vapor com a criação do tear mecânico a atual situação de maquinários independentes e

praticamente autônomos.

Todavia nenhuma das revoluções anteriores se demostrou tão promissora e com potencial para alternar as relações de empregado com patrão quanto a que se estabelece, onde uma linha de produção se torna, rápida, eficiente, interrupta, econômica, convidável e padronizada com uma intervenção mínima ou ate mesmo nula de seres humanos esta é a face da indústria 4.0 a qual estará sendo melhor apresentada neste artigo, visando mostrar os benefícios da implementação com enfoque no mercado brasileiro e fazendo um paralelismo com a industria alemã Além de apresentar a formação e alguns dos principais componentes deste modelo industrial. 2 Fundamentação Teórica O estudo deste artigo fundamenta-se nos seguintes tópicos: (i) Históricos da evolução da indústria, (ii) Indústria 4.0, (iii) O que motivou o surgimento da indústria 4.0, (iv) Principais tecnologias da indústria (v) Industria 4.0 no mundo, (vi) Industria 4.0 no Brasil, (vii) Impactos esperados, (viii) Estudo de caso, (ix) Conclusão. 3 Metodologia Este trabalho apresenta um estudo sobre a importância, às aplicações e o futuro da indústria 4.0, em que, as causas e consequências trazidas afetam não só a indústria, mas também a logística, cadeia de suprimentos e cliente final. O objetivo é destacar a importância do desenvolvimento de novas tecnologias não só para o aumento de produtividade, mas também para o favorecimento no ambiente de trabalho, além das

3


perspectivas futuras. Para isso foi necessário um estudo do panorama da indústria 4.0 em diversos países e setores da sociedade. No final deste estudo observou-se que os resultados mais satisfatórios se encontram na implementação da Indústria 4.0, tanto dentro dos processos de manufatura e quanto nas relações entre fornecedores e clientes. 4 História das revoluções industriais A primeira Revolução Industrial teve duração de aproximadamente 200 anos (1712-1913), iniciando na Inglaterra, a partir de vários inventos e melhorias, como por exemplo as melhorias feitas por James Watt nas máquinas a vapor e o desenvolvimento

da

locomotiva

a

vapor

por

George

Stephenson,

que

revolucionaram principalmente a indústria têxtil e o sistema de transporte. Essas evoluções permitiram a mecanização dos processos de fabricação (transformando o processo de produção até então artesanal para manufatureiro) e o transporte de mercadorias em grande escala de forma bem mais rápida e com maior alcance através das locomotivas e estradas de ferro. Com isso, a indústria deixou de ser regional, permitindo que produtos produzidos em uma certa região pudessem chegar a regiões mais afastadas com preços competitivos. E a indústria têxtil se tornou referência na produção excedente, gerando a riqueza da época e criando um novo modelo econômico (capitalismo industrial). A Segunda Revolução Industrial começou por volta de 1870, mas a transparência de um novo ciclo só se deu nas primeiras décadas do século XX, durando cerca de 60 anos, e se definiu quando Henry Ford criou a linha de produção em massa, fazendo a produção empurrada, criando o conceito de produção em escala, padronizando os produtos e reduzindo os custos. Outro conceito dessa época (que está na base do fordismo) é o taylorismo, que é um sistema de organização do trabalho, o qual quebra e dissocia o trabalho em aspectos até então organicamente integrados, a partir da separação entre o trabalho intelectual e o trabalho manual (operários). Esse período marcou-se também com a descoberta e implantação da energia elétrica e dos combutíveis fósseis (petróleo) nos processos

4


produtivos, além da evolução na área de telecomunicações como, por exemplo, telefone e rádio. A terceira Revolução Industrial tem duração de aproximadamente 40 anos (1970-2010) definindo-se a partir do desenvolvimento da eletrônica que gerou controles eletrônicos, sensores e dispositivos capazes de gerenciar uma grande quantidade de variáveis de produção, os quais foram introduzidos nos sistemas computacionais no chão das fábricas. Isso permitiu a tomada de decisões de controle de dispositivos de forma autônoma e imediata, o que acarretou na elevação da qualidade dos produtos, no aumento da produção, na redução dos custos e na melhoria nos níveis da segurança na produção. Dessa forma o domínio da informação e a substituição da mão-de-obra humana pelas máquinas foi cada vez mais estimulada, fazendo esse período ser conhecido como Era da Automação. A quarta revolução industrial ainda está em fase de transição, com início em 2010 a internet é sua maior protagonista, visto que já é uma ferramenta consolidada na comunicação e troca de informações entre as pessoas e que agora é desenvolvida na área industrial através da indústria 4.0. A indústria 4.0 consiste em um novo conceito produtivo criado com uma preocupação para com as necessidades do consumidor e consequentemente sua satisfação. Dessa forma, busca integrar as pessoas e as informações com as máquinas/equipamentos das fábricas de forma que as necessidades particulares de cada consumidor estejam em harmonia com os componentes da cadeia produtiva, possibilitando linhas de produção que serão ajustáveis de maneira contínua, com o objetivo de produzir produtos melhores e mais aceitáveis pelos consumidores. São diversos os impactos que a indústria 4.0 agrega. É importante ressaltar que a preocupação com o meio ambiente leva a busca por tecnologias que não agridam tanto o meio ambiente. A mudança de comportamento dos seres humanos, também é um fator importante quando se trata da nova era tecnológica, pois é cada vez mais escassa a presença de funcionários nas indústrias automatizadas. É esperada uma tendência futura sempre de aperfeiçoamento das tecnologias, principalmente quando fazemos a comparação entre países desenvolvidos e subdesenvolvidos.

5


Conclusão

Desde máquinas a vapor até robôs com inteligência artificial, a indústria está em um processo constante de metamorfose em que cada nova mudança acontece em um ritmo mais acelerado, uma vez que a tecnologia evolui de forma exponencial, gerando conforto e melhorias na rotina humana. Sendo assim, precisamos sempre desenvolver novas máquinas que facilitem o trabalho do homem, reduzindo o esforço braçal para focar os funcionários em tarefas que agreguem valor e que não possam ser feitas por robôs. Já passamos por 3 estágios industriais bem definidos e hoje vivemos uma época de transição. Estamos nos aproximando de uma produção quase que exclusivamente feita por robôs, eles se comunicam em tempo real e compartilham todo tipo de informação. Podem trabalhar continuamente sem pausas para descanso e padronizam quase perfeitamente os produtos. A industria 4.0 veio para suprir a necessidade de flexibilização da produção, podendo produzir perfis exclusivos de produtos sem que houvesse um aumento significativo no seu tempo de setup, fabricação no geral e pricipalmente sem uma elevação excessiva no preço final. Infelizmente, como toda inovação, o custo da implementação é um fator limitante. O auxílio do governo é fundamental para financiar os custos de instalação e capacitação de funcionários. O Brasil ainda tem muito o que crescer para poder se equipar as grandes potencias, levando em consideração que muitas fábricas nacionais ainda estão estagnadas com tecnologia de um século atrás. Porém, já estão sendo realizados estudos para que a transição para a próxima revolução industrial seja feita mais rápida do que nos países pioneiros. É o que construiu o mundo como conhecemos hoje e moldará o de amanhã.

6


Referências

DEUTSCHE BANK (2014). Deutsche Bank, Upgranding of Germany’s Industrial capabilities on the horizon. Deutsche Bank Research, Germany, Abril de 2014. BARROS, JOSÉ ROBERTO MENDONÇA DE. A indústria 4.0 no Brasil. Site Exame Disponível em: <http://exame.abril.com.br/publicidade/siemens/conteudo-patrocinado/o-brasil-estapronto-para-a-industria-4-0> Acesso em 08 ago. 2016. ISMÁLIA AFONSO. Pesquisa inédita da CNI mostra cenário da indústria 4.0 no Brasil. Site Portal da Industria Disponível em: < http://www.portaldaindustria.com.br/cni/imprensa/2016/05/1,88711/pesquisainedita-da-cni-mostra-cenario-da-industria-4-0-no-brasil.html> Acesso em 08 ago. 2016.

YOUTUBE - Industria 4.0 um resumo 201-? <https://www.youtube.com/watch? v=Z2DK6QJX1rs/>. Acesso em 8 de Agosto de 2016 VRSYS- A internet das coisas 2015 < http://www.vrsys.com.br/blog/15tecnologia/60-o-que-e-a-internet-das-coisas-internet-of-things-iot/>. Acesso em 8 de Agosto de 2016 TEC MUNDO - Machine to machine 2016< http://www.techtudo.com.br/dicas-etutoriais/noticia/2013/12/o-que-e-m2m-veja-o-que-significa-o-conceito-dacomunicacao-das-maquinas.html\>. Acesso em 8 de Agosto de 2016 SAS - Big data -2016 < http://www.sas.com/pt_br/insights/big-data/what-is-bigdata.html http://br.ccm.net/contents/270-o-protocolo-ipv6\>. Acesso em 8 de Agosto de 2016 TADEU, Hugo Ferreira Braga; SANTOS, Eduardo Stock. Fundação Dom Cabral. Boletim de Fevereiro. O que seria a Indústria 4.0? 2016. Disponível em

7


<http://www.fdc.org.br/professoresepesquisa/nucleos/Documents/inovacao/digitalizac ao/boletim_digitalizacao_fevereiro2016.pdf>. Acesso em <05 de agosto de 2016> Nasser Jazdi. Cyber physical systems in the context of industry 4.0. In Automation, Quality and Testing, Robotics, 2014 IEEE International Conference on, pages 1â&#x20AC;&#x201C;4. IEEE, 2014.

8

Industria 4 0 (resumo, introdução, histórico, conclusão)  
Industria 4 0 (resumo, introdução, histórico, conclusão)  
Advertisement