Page 1

Coreshorizontepoetico

Cores de um Horizonte em Poesia Por Hernando Chagal


As Cores Assim como damos sentimentos próprios às cores, elas também são capazes de nos proporcionar novos sentimentos. Cada pessoa visualiza as cores de maneiras diferentes, a cada iluminação essas mesmas cores se moldam , a cada papel o pigmento muda, nas telas a configuração nos faz enxergar cores distintas umas das outras. Toda essa abrangência faz com que o trabalho com cores torne-se indispensável, no livro Cores de um Horizonte em Poesia, elas revelam para cada leitor um eu-lírico diferente.


O Design Simplicidade e elegância pode definir o estilo de design empregado em Cores de um Horizonte em Poesia, o Flat Design que é tendência mundial em Design, a escolha minuciosa das cores e a tipologia que reforça toda a delicadeza de cada peça, unidas aos traços simples e fortes reforçam o caráter único da essência do Horizonte poético.


A Poesia As muitas palavras induzem, conduzem e muitas vezes confundem mais do que explicam; por isso reverencio os orientais, pois falam pouco; riem muito e quando ĂŠ preciso revelam a ancestral sabedoria dos samurais.


O Livro Chagal

Covardia Cada vez que troco A timidez pela arrogância Mato em mim a criança.

Com a junção das três artes citadas, nasceu o projeto Cores de um Horizonte em Poesia, que visa o ápice do sentimento e torna-se objeto de refúgio para a agitação da vida moderna. Com seus versos regados de harmonia e sentimentalidade, é uma fonte de inspiração para os admiradores da poesia em forma de arte.


O Livro Chagal

O verso deve ser enxuto; Ter uma elegância Bundchen Num corpo Juliana Paes. Hernando Chagal

Plebeu Que nobre que nada! Felicidade é caminhar anônimo Livre e solto pelas calçadas.

Elegantes, rápidos e ecenssiais, os versos encontrados nesse livro revelam o poder que a poesia tem, no mundo contemporâneo ela tem cada vez mais espaço, estando mais presentes em mostras e simpósios e tendo um maior número de sarau na capital paulista.


O Livro Chagal

Poetastro Falo o que penso Escrevo o que sinto Num engano noutro minto.

Na categoria Pocket Book, o livro possui tamanho de 14x15 cm. Em seu conteúdo consta os poesias do escritor paulistano Hernando Chagal seguido das ilustrações do designer Guilherme Gimenes. São atribuídas referências de Arte, Música, Design e tendências ao decorrer do livro, além da citação da origem da cor utilizada em cada página.


Hernando Chagal Hernando é funcionário público desde 1985 e professor de Língua Estrangeira (inglês) na rede pública Municipal de São Paulo desde 1995. Como poeta, adota o pseudônimo Chagal em homenagem ao pintor russo surrealista Mark Chagall, participou de dezenas de antologias no Brasil sendo a primeira, e mais especial, Poetas Brasileiros de Hoje (1982) pela editora Shogun Arte – RJ. As antologias mais recentes são: Revista Literária Plural – RJ (2010), Antologia Valeu Professor 2010 'Eu me Lembro' pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, Agenda Poética 2011 pela editora All Print – SP, Agenda Poética 2011 pela Oficina Editores – RJ.


Guilherme Gimenes Guilherme nascido em 31 de Agosto de 1992, é técnico em Marketing formado em 2013 na Etec de Sapopemba e estuda há mais de 5 anos diferentes áreas de design, tais como web design e design de produtos, assim como e-commerce, atualmente estuda Publicidade e Propagando na Universidade Anhembi morumbi, ele desenvolve um trabalho para aguçar os sentidos em todos os poemas do livro Cores de um Horizonte em Poesia.


Coreshorizontepoetico

Hernando Chagal chagal@uol.com.br

Guilherme Gimenes gimenesh@hotmail.com assessoriabeyond@gmail.com

Cores de um Horizonte em Poesia  

Na categoria Pocket Book, o livro possui tamanho de 14x15 cm. Em seu conteúdo consta os poesias do escritor paulistano Hernando Chagal segui...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you