Page 1

P2 / DICAS DE MECÂNICO

P5 / ENTREVISTA

P11 / IMPORTANTE SABER

P12 / CRÔNICAS DE BICICLETA

Conheça mais sobre os rescursos

Saiba mais sobre o atleta

O gerente fiscal da LM Bike,

História baseada nos relatos da infância de

das suspensões RST

Marcelo Cândido da Equipe LM

Fernando André Silva, esclarece

Valdeci José da Silva, proprietário da Bikeci de

Bike/Shimano de MTB

sobre a não autorização da NF-e

Formiga- MG

Tudo o que você precisa saber sobre a distribuidora que tem tudo o que você precisa

Ano 01

Edição 01

Publicação Bimestral

Produzidos com equipamentos de última geração e feitos por engenheiros altamente qualificados. Os quadros Mosso trazem a renovação do conceito de beleza e eficiência ao mercado brasileiro de bicicletas.

O lojista Antônio e o representante da LM Bike, Leonardo, mostram um dos produtos mais vendidos na loja

A tecnologia é taiwanesa e o design é brasileiro.

salmente, Antônio Marcos destaca os modelos

A fabricante dos quadros Mosso foi fundada

Talvez este tenha sido o segredo do sucesso

de maior venda. “Odyssey, Minerva e Challenger

em 1986, como uma empresa especializada na

dos quadros Mosso no mercado brasileiro. Os

são os mais vendidos. Dificilmente ficam quadros

tecnologia da confecção de quadros em ligas de

primeiros quadros da marca foram distribuídos

Mosso parados na loja. A procura tem sido muito

alumínio. Neste período, a empresa já fornecia

pela LM Bike em 2008. De lá para cá, as vendas

grande”, conta o lojista que está no mercado há

quadros para as principais marcas de bicicleta do

só tem crescido, o que reflete a boa aceitação que

8 anos.

mundo.

o produto teve pelos clientes. “Em questão de qualidade, a Mosso bate recorde”, brinca Antônio Marcos da Silva, proprietário da Loja Sport Bike em Vitória da Conquista -BA. Com média de 15 quadros vendidos men-

>> Continua na página 03

“ Em questão de qualidade, a Mosso bate recorde ”


EDITORIAL A primeira edição do informativo bimensal GIRO LM BIKE é consequência de um planejamento que vem sendo feito há anos pela empresa, em que o foco de todas as ações são os nossos clientes.

Dicas de Mecânico Suspensão RST

Quando pensamos em criar um veículo de comunicação para levar informação aos nossos parceiros de todo o país, logo percebemos que o caminho mais seguro seria ouvir e dar voz aos milhares de lojistas espalhados pelo Brasil que hoje compram e consomem nossos produtos e serviços. O que você poderá conferir nas páginas a seguir é o resultado de um trabalho de pesquisa de mercado, ouvindo clientes de regiões diversas e buscando entender o que move essa paixão pela bicicleta. E acabamos por descobrir uma coisa. Adoramos ouvir histórias! Elas que enriquecem e fazem desse informativo pioneiro ao levar conhecimento de forma clara e direta a você, caro leitor. A matéria de capa desta primeira edição traz um breve panorama do fortalecimento que a marca de quadros Mosso vem ganhando no mercado. Nas páginas seguintes, você poderá conferir uma entrevista exclusiva com um dos atletas mais comentados do momento, Marcelo Cândido da Equipe LM Bike/Shimano. Também, alguns esclarecimentos sobre o setor financeiro e fiscal da empresa poderão ser vistos na página 11. Mas, certamente, as páginas que você não poderá deixar de ler são as 10 e 12. Na página 10, a coluna História de Sucesso traz um relato interessante da trajetória de uma loja de bicicleta, desde a sua criação o crescimento e expansão de seus negócios nos dias atuais, contada através das lembranças de seu proprietário. Já na página 12, temos uma crônica baseada nas memórias de “Cici”, um verdadeiro “professor pardal”, figura já conhecida em algumas reportagens de televisão, que hoje tem um empreendimento de sucesso em sua cidade no interiro de Minas. Fica aqui o convite para você também contar sua história de sucesso ou relatar alguma lembranças engraçadas, curiosas... para a próxima edição deste informativo. Os interessados poderão encaminhar seu material para o e-mail marketing@lmbike.com. br. Sugestões e apreciações também podem ser encaminhadas para este mesmo endereço. Desejamos a você uma ótima leitura e até a próxima edição.

EXPEDIENTE LM COMERCIAL E DISTRIBUIDORA CNPJ: 70.963.418/0001-80 Rua Maria Guimarães, n. 1020, B. Maria Fernanda I Lagoa da Prata - Minas Gerais - CEP: 35590-000 Tel.: 0800 970 4044 - email: faleconosco@lmbike.com.br Redação, arte, diagramação: Equipe Marketing LM Bike Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição: Gratuita e dirigida Impresso em papel reciclato

Modelo de Controle de Carga RST

Modelo de Trava RST

Como aproveitar melhor os recursos de sua RST As suspensões para bicicletas foram criadas para trazer mais performance, estabilidade e conforto ao usuário. Porém, para se usufruir melhor destes recursos, é necessário se fazer alguns ajustes e isso vale tanto os modelos iniciantes quanto os de competição. Basicamente, pode-se dizer que as suspensões da RST voltadas para o público iniciante (aquele que usa a bicicleta como meio de transporte ou apenas para lazer, por exemplo) trazem 2 tecnologias: a trava e o ajuste de carga (preload). O modelo RST Capa é um bom exemplo deste tipo de suspensão. A seguir, apresentaremos algumas dicas para você utilizar melhor esses 2 recursos (trava e ajuste de carga) em sua suspensão RST ou para pode explicar melhor aos seus clientes.

Dicas de utilização da trava A trava foi desenvolvida para estabilizar a bicicleta em subidas. Neste caso, não se torna necessário o efeito de mola, já que o esforço está sendo feito de cima para baixo. Caso o usuário não trave sua suspensão durante uma escalada, ele pode chegar a perder até 30% de seu esforço.

Dicas de utilização do ajuste de carga Um ciclista que vai pedalar em um terreno que chamamos de estradão (muito comum em sítios, fazendas, etc), deve ajustar a carga da suspensão RST na posição do meio. Para fazer isso, basta que conte as voltas completas que o ajuste suporta do começo até o fim. A metade será a quantidade ideal para este tipo de solo. Caso você utilize a suspensão em estradas pavimentadas (asfalto), coloque o ajuste de carga na posição final. Isso fará com que a suspensão fique bem rígida. Ela só amortecerá em casos extremos. De maneira geral, para usuários com peso abaixo de 65 kg, indicamos que deixe o ajuste de carga todo aberto. Já para os que pesam até 75 Kg, utilize o ajuste pela metade. Aqueles com mais de 85 Kg devem manter o ajuste totalmente fechado. Esta configuração básica pode ser usada em qualquer tipo de terreno.

Outro detalhe importante: naqueles modelos em que o ajuste de carga está presente nos dois lados da supensão, é importante que ambos estejam posicionados iguais. Todas as informações descritas nesta coluna, além de muitas outras, podem ser consultadas no manual que acompanha sua suspensão RST. Leia-o regularmente com atenção Equipe Técnica LM Bike Página 2


evento aconteceu em fevereiro deste ano e foi

Quadros Mosso

caem no gosto do mercado brasileiro

organizado pelo representante de vendas da LM Bike, Leonardo Bruno, que atua na Bahia e pela Loja Arara Bike. “Após a Copa Mosso, pudemos perceber um crescimento nas vendas do quadro na Bahia. Muitos atletas até chegaram a me perguntar se a competição seria apenas para bicicletas com quadro Mosso, porque se assim fosse, eles iriam comprar um para poder participar”, revele ele que conseguiu reunir no evento mais de 190 competidores. “Cada vez mais, o quadro Mosso é citado pelo cliente como o primeiro produto no momento de fazer o pedido”, conta o representante. A Copa Mosso de MTB 2012 foi realizada em Feira de Santana – BA e é o reflexo da boa aceitação que o quadro tem pelos usuários de diversos estados do Brasil. “Todos comentam da geometria do quadro, que realmente é algo diferenciado e de muito bom gosto. O nível de satisfação dos meus clientes é

Cláudio Oliveira mostra bicicleta em loja de seu cliente

de 100%”, afirma Leonardo.

Em 1996, foi criada a marca Mosso, que acabou

vender”, completa Paulo que está a frente da

se tornando a mais conhecida da fabricante. E

loja há 15 anos.

logo se tornou sinônimo de agilidade e estilo para ciclistas do mundo todo.

São produzidos em média 180.000 unidades de quadros Mosso anualmente. “O número parece

Desde 2008, quando os primeiros modelos

ser pequeno em relação aos grandes fabricantes

começaram a ser distribuídos pela LM Bike,

do mundo, mas o diferencial da marca está

os ciclistas do Brasil puderam experimentar a

em produzir pouco para focar sua produção na

qualidade que o mundo já conhecia. “Graças a

qualidade”, afirma Juliano Mol Xavier, Gerente

LM Bike, os quadros Mosso tem se tornado cada

de Produtos da LM Bike. Hoje, a marca Mosso

vez mais conhecidos. Antes da LM, ninguém

é distribuída em 18 países diferentes e está a

sabia muito sobre a marca”, afirma Paula Viana

cada dia se tornando sinônimo de qualidade.

Coelho, de Belo Horizonte-MG, proprietário da

“Estamos sempre trazendo novidades para o

Casa Viana, loja especializada em bicicletas.

mercado e abastecendo nossos estoques com os

Paulo comenta que os quadros Mosso são

principais modelos da marca. Além disso, temos

sempre indicados para os seus clientes devido

empenhado nossas ações de marketing como

o design moderno e a beleza do grafismo.

anúncios em revistas, destaque no nosso site,

“Vendemos em média 20 quadros da marca por

competições de Moutain Bike, etc, para que mais

mês. Nós temos aqui os modelos Challenger

pessoas possam conhecer o produto”, lembra

e Phanter, mas acredito que o Odyssey seja

Juliano.

o modelo mais vendido. Ele é realmente um quadro bonito e o diferencial dele está no

Uma das grandes ações de marketing apoiadas

grafismo. Além do custo-benefício ser muito

pela LM Bike na divulgação da marca Mosso no

bom. Enfim, é um quadro que gostamos de

Brasil foi a PRIMEIRA ETAPA DA COPA MOSSO. O

Página 3

Largada Copa Mosso em Feira de Santana

Outro fator importante da marca é a oportunidade que ela deu ao consumidor de adquirir um produto que fosse ao mesmo tempo de qualidade e com um preço acessível. “O custobenefício do quadro é excelente, o que o torna um quadro fantástico, tanto para a linha passeio quanto para a linha esportiva”, diz Cláudio Oliveira representante da LM Bike na região metropolitana de Belo Horizonte-MG. “O design do quadro atende muito bem as exigências do mercado. Por exemplo, o que eu ouço sobre o modelo Odyssey são só elogios”, alega ele. Para conhecer mais sobre os modelos da linha Mosso, basta acessar o site www.lmbike.com.br ou www.mossobike.com.tw.


para os radicais

para os fins de semana

para os iniciantes para você

para o futuro

Distribuição Exclusiva para lojistas - 0800 970 4044

e todos d o t i e r i de é um d a d i l a u q orque a p o s s o Quadros M

Conheça a linha completa no site www.lmbike.com.br


Entrevista

Marcelo Cândido Ele é uma das principais contratações da Equipe LM Bike/Shimano para 2012. Após 4 anos fora das pistas e carregando um título de campeão brasileiro, Marcelo é a grande promessa do MTB nacional. Confira abaixo uma entrevista exclusiva com o atleta. Você esteve fora das pistas por 4 anos e agora volta como uma das promessas do MTB para 2012. Conte-nos como sua história no esporte começou. – Comecei a pedalar com 16 anos e a competir com 17 anos de idade. Desde a primeira vez gostei muito do esporte e resolvi dar continuidade nas competições. Como os resultados foram aparecendo imediatamente, os meus amigos me incentivaram cada vez mais. Assim fui evoluindo, mas como eu não tinha apoios, não conseguia correr as provas mais importantes da categoria júnior naquela época, participando, sobretudo das provas regionais. Você se lembra da sensação de ter conquistado seu primeiro pódio? Como foi? – Meu primeiro pódio ocorreu em minha primeira corrida de MTB em 1999, na cidade de Nova Serrana. Eu corri com uma bicicleta de 21 marchas que tinha acabado de comprar. A sensação foi de missão cumprida, por saber que estava superando meus próprios limites e que eu poderia ir mais além. Hoje você é um atleta de uma das mais importantes equipes de MTB de Minas Gerais (a Equipe LM Bike/Shimano). Como está sendo essa experiência? – Estou muito satisfeito por estar vestindo a camisa da LM / SHIMANO de MTB. É uma honra estar com empresas como a LM Bike e a SHIMANO e outros patrocinadores, que investem pesado no apoio ao nosso esporte, que além de muito bonito de se ver é também muito saudável. Tenho muito a agradecer a LM Bike por acreditar que seria possível meu retorno com alta performance mesmo depois de 4 anos fora das pistas. Como você avalia seu desempenho desde sua volta até hoje? Página 5

Marcelo salta na descida Dona Beija em Araxá - Primeira Etapa Copa Internacional

muito a agradecer a LM Bike por acreditar que seria possível meu “ Tenho retorno com alta performance mesmo depois de 4 anos fora das pistas. ”

– Estou treinando há aproximadamente 6 meses. Nesse pouco tempo senti uma grande evolução. Estou sendo orientado por um grande profissional (Thiago Faria) que é um dos melhores treinadores do país. Ainda estamos no início do trabalho, pois, para andar entre os 5 primeiros é necessário mais tempo de treinamento e competições. Porém, nesses 6 meses conquistei alguns resultados muito expressivos, o que mostra que estamos no caminho certo. Você foi o sétimo melhor brasileiro na primeira etapa da Copa Internacional. O que você achou desse grande resultado?

– Como disse, ainda estamos no início de todo um trabalho, mas fiquei muito feliz por poder estar entre os primeiros atletas do país na Copa Internacional, uma vez que o nível do MTB Brasileiro está muito forte e evoluindo rapidamente. Gostaria de frisar que a LM Bike e a SHIMANO me proporcionaram um equipamento de ponta, o que certamente tem significado uma melhor performance e resultados. Uma das grandes parcerias deste ano foi firmada entre LM Bike e Shimano para apoiar a equipe da qual você faz parte. O que você achou desta união

e quais as vantagens ela trouxe para você e sua equipe?

– Trata-se de uma união entre dois gigantes do mercado de bike. A LM tem marcas de muita qualidade que, inclusive, estão em nossa equipe, como High One, CST e RST. E a SHIMANO que é o maior fabricante de componentes do planeta, uma multinacional que dispensa apresentações. Para nós é um orgulho ter nossas bicicletas montadas com os grupos SHIMANO XTR que são de qualidade e tecnologia incomparáveis, o que dá mais segurança para nós atletas e propicia melhora de rendimento e resultados. Quais serão suas principais provas ainda este ano? E qual sua expectativa para elas? – Temos um vasto calendário para esse ano. Minhas principais provas a Copa Internacional, a Inconfidentes e os Campeonatos Brasileiros de XCO e Marathon. Minha expectativa é estar bem em todas essas provas, mas meu foco principal está nos dois Campeonatos Brasileiros, onde tenho como objetivo estar entre os primeiros.


Distribuição Exclusiva para Lojistas 0 8 0 0 9 7 0 4 0 4 4

Página 6


Pรกgina 7


Teste RST

Suspensão RST First 32 - 2012*

outras. A grande vantagem é ter a comodidade de não precisar lembrar de travar e destravar a suspensão, ficando também com a mão livre para mudança de marchas. De qualquer maneira, é possível desativar o sistema por completo, liberando o funcionamento normal, porém não é possível deixar a suspensão toda travada. Quanto ao amortecimento, a RST caprichou e o funcionamento é muito consistente em todos os modos do 4 step air. A suspensão também já é macia desde o primeiro rolé, sem a sensação borrachuda das antigas suspensões de ar. Nas subidas mais íngremes, onde o peso do ciclista se mantem por mais tempo na frente da bike, o sistema OCR ativado manteve o funcionamento mais firme, diferente de trechos com mudanças repentina de inclinação. Nas descidas, o funcionamento também agradou, atropelando os obstáculos sem problemas e mostrando bastante rigidez, justificando seu peso acima da média. Opinião de Marcelo Carvalho: “A suspensão conta com um grande número de regulagens para agradar quem gosta de flexibilidade de ajustes em qualquer situação. Porém o sistema OCR liberou o funcionamento um pouco mais do que eu esperava”. CONCLUSÃO

RST First 32 2012 - Testada em vários tipos de terreno

Para testar a suspensão First 32 da RST, foi convidado o piloto Marcelo Carvalho, que já compete desde 1998 anos e tem alguns títulos regionais. O teste foi feito em algumas trilhas de Belo Horizonte. A grande quantidade de ajustes da suspensão é o diferencial desse modelo e o que mais tentamos focar para o teste. O sistema de compressão 4 Step Air funcionou perfeitamente, deixando a compressão claramente mais rígida em cada uma das 4 regulagens. Uma função rápida e útil que agradou bastante. Essa regulagem é muito útil para adaptar a suspensão a terrenos diferentes. O controle de retorno também cumpriu o esperado, sendo possível perceber a diferença com

apenas alguns cliques de mudança. O sistema OCR de plataforma de pedal foi uma das funções mais esperadas no teste. Esse sistema promete deixar a suspensão rígida enquanto não encontra obstáculos e liberar o funcionamento ao atingí-los. O botão Flow Gate permite regular a sensibilidade do sistema. Poucas suspensões do mercado usam esse mecanismo e a opinião de pilotos é dividida: há quem goste e há quem prefira um sistema tradicional de trava. O que os pilotos reclamam é que esse sistema não é sempre tão “inteligente”, não funcionando como deveria 100% do tempo. No caso da RST, há uma tendência de funcionar um pouco mais que o necessário, ficando realmente rígida em diversas situações, mas funcionando mais que o necessário em

A RST First 32 é uma das suspensões que tem o maior número de ajustes do mercado. O sistema de plataforma inteligente é o grande diferencial da suspensão, que só está presente em pouquíssimos modelos de outras marcas. O ajuste rápido de compressão também é um sistema interessante e útil em situações reais. O preço muito atrativo, sendo muito menor que outras suspensões com essas tecnologias. Porém, o peso entra como o ponto negativo para quem quer estar com a frente da bike leve e não faz questão de tantos ajustes.

*Este teste acima foi realizado por Pedro Cury, editor do site pedal.com, um dos mais conhecidos e respeitados pelo segmento de bicicleta do país. Página 8


Lançamentos LM Bike

Quadros Venzo

A marca Venzo, uma das mais respeitadas e conhecidas do segmento de bicicleta, lança no mercado brasileiro quatro novos modelos de quadros. Dois deles em carbono: X-Blaze e X-Force e dois deles em alumínio: Viper e Valencia. Com distribuição exclusiva da LM Bike, esses quadros trazem o que há de mais moderno em tecnologia e design, aliado ao mais alto padrão de qualidade da marca. O modelo X-Force foi produzido em Fibra de Carbono 12k e pesa pouco mais de 1,25 kgs. Já o modelo X-Blaze, produzido em fibra de Carbono 3k, chega ao mercado trazendo o tamanho 29, uma das maiores tendências do Moutain Bike dos últimos anos. Aliado a isso, o ciclista desfrutará de toda essa qualidade em apenas 1,1 Kgs, o peso aproximado do produto. O quadro Viper foi confeccionado em alumínio 6061 e pesa aproximadamente 1,8 kg e está disponível nas cores preto/laranja e preto/verde. Enquanto o Valencia é feito em alumínio 7005, pesa também 1,6 kg aproximadamente e posde ser encontrado nas cores preto/vermelho e branco/preto.

O primeiro quadro da linha urbana da High One chega ao mercado trazendo

Quadro High One

todo o conforto e a segurança que sua citybike precisa. O quadro Cytizen foi desenhado a partir dos traços que remetem aos mais clássicos e elegantes modelos de bicicletas para cidade. Feito em alumínio em 6061 e disponível na cor preta, esse belíssimo quadro vem para cair de vez no gosto dos consumidores de todo país. O quadro Cytizen proporciona o encaixe perfeito para o sistema Shimano Nexus, que é a mais nova sensaçào do mercado brasileiro para bicicletas urbanas.

Kit Ultegra Di2 O recém lançado novo grupo Ultegra Di2, utiliza a mesma tecnologia de troca de marcha eletrônica do sistema Dura-Ace Di2. Trocas de marchas suaves, sem esforço físico, com apenas um toque no botão localizado nos trocadores “STI”, tanto o traseiro quanto o dianteiro. Uma vantagem deste grupo é que ele pode ser usado para componentes de bicicletas de triatlo. Esse kit já está disponível para vendas na LM Bike.

Página 9


História de Sucesso Sporte Bike - Paracatu - MG Há 25 anos, quando as portas da Sporte Bike, em Paracatu-MG, se abriram pela primeira vez, talvez o seu proprietário, o senhor Geogimar Alves Rosa, mas conhecido por George, não imaginava o futuro de sucesso que o esperava. “A paixão vem desde pequeno, de quando eu praticava bicicross e ajudava meu pai na loja dele”, conta George. Mas nem tudo foi um “mar de rosas”. Os primeiros anos da loja foram de muito trabalho e poucas vendas. “O movimento era muito fraco. Éramos somente eu e um ajudante. Dava para tirar no máximo uns dois salários mínimos por mês”, revela. Mas a pior fase ainda estava por vir. A instabilidade econômica decorrente das trocas de moedas que o Brasil passava, agravou ainda mais a situação da loja. “Em 1993, na época do URV, foram tempos difíceis. Os juros eram muito altos e se tornava difícil manter a reposição do estoque”, explica.

nos negócios, George diz ter uma fórmula do sucesso. “A Sporte Bike incentiva o uso da bicicleta como uma forma de se garantir qualidade de vida. Nós fazemos ações que aproximam a loja dos ciclistas. Três vezes por semana, nós promovemos passeios ciclísticos noturnos com carro de som, água, frutas e suporte mecânico para os participantes. Nos finais de semana, ainda promovemos trilhas nas redondezas de Paracatu”, conclui.

Fachada d a

loja em 19

87

icleta verde, nos George sentado na bic porte Bike primeiros anos da Es

A partir de 1994, com a implantação do plano real, a Sporte Bike começou a dar os primeiros sinais de um vertiginoso crescimento. “Nesta época, as coisas se estabilizaram e a inflação já não atrapalhava mais os negócios”. Em 1996, George adquire uma sede própria para a loja. A opção de se transferir para o centro de Paracatu veio para se aproximar ainda mais do seu mercado consumidor. Sobre isso, ele ainda conta: “Para acompanhar a clientela, que a cada dia estava mais exigente, optamos por nos especializarmos apenas em peças e acessórios para bicicleta”. Além de uma nova loja que será inaugurada ainda este ano, a Sporte Bike tem como meta inaugurar uma site virtual de vendas na internet em 2013. “Temos que aproveitar esta ótima fase de expansão do mercado. Minha expectativa é que as vendas de bicicleta no Brasil cresçam por no mínimo 15 anos”. Para que sua loja acompanhe esse bom momento

paixão vem desde pequeno, de “ Aquando eu praticava bicicross e ajudava meu pai na loja dele ”

Interior da

loja - com

eço difícil

de atual

udou-se para a se Em 1994, a loja m

Nova fachada - inauguração prevista para junho de 2012

Página 10


Muito clientes já devem ter se perguntado “QUAL É O CAMINHO DO MEU PEDIDO DENTRO DA LM BIKE?” Pois bem, ao desligar o telefone ou se despedir de um representante da empresa, se inicia um rigoroso e controlado processo para atendê-lo de forma eficiente, respeitando todos os prazos e buscando ter a menor margem de erro possível. E essa coluna foi criada para isso. A cada edição você saberá um pouco

COLUNA IMPORTANTE SABER

mais sobre o que acontece com o seu pedido na LM Bike.

O que acontece com seu pedido? 1 ° Passo: Análise de Crédito

Vamos discutir um assunto que poderá trazer alguns transtornos a todos, que é a questão da não autorização da NF-e para contribuintes que contem algum tipo de irregularidades junto ao estado. É extremamente importante que as empresas estejam atentas a essa questão, já que caso sejam identificadas irregularidades cadastrais, a autorização de uso da NF-e poderá ser recusada, desta forma impedindo tanto a compra de mercadorias, quanto sua venda futura.

Maria Elisa, encarregada do setor de análise de crédito da LM Bike

Depois que o pedido é finalizado por algum de nossos vendedores, ele é encaminhado a um servidor interno que recebe informações vindas de todas as regiões do Brasil. Após isso, ele é encaminhado ao setor de análise de crédito da LM Bike. E para nos explicar melhor sobre esta etapa, convidamos a analista de Crédito, Maria Elisa de Araújo Costa, para falar nos mais sobre esse procedimento. Maria Elisa é a encarregada do setor e é também a responsável pela aprovação dos pedidos e pela avaliação de crédito para os clientes. Ela explica que “assim que o pedido chega ao financeiro, é feita uma análise para a liberação do mesmo.” Esta etapa segue uma rotina cuidadosa para que os critérios de avaliação dos pedidos sejam muito precisos. “A rotina de liberação é feita seguindo alguns requisitos. Para a liberação do pedido o cliente deve estar ativo (ter efetuado um compra dentro dos últimos seis meses); o valor do pedido deve estar dentro do limite de crédito que cada cliente já tem pré aprovado (para compras à prazo) e suas obrigações financeiras devem estar em dia com a empresa. Estando tudo isto dentro dos parâmetros, o pedido terá liberação imediata. Caso contrário, Página 11

o pedido será retido e encaminhado aos setores responsáveis (cobrança, verificação de inadimplência e cadastro), até a resolução da pendência existente”, explica. Como Maria Elisa esclareceu, os pedidos que se enquadram no perfil já descrito, tem liberação imediata. Os demais, aqueles que ficam aguardando alguma resolução de pendência, podem esperar por até 48 horas para a criação de um novo cadastro ou até 24 horas para a alteração do limite de compra. Certamente, Maria Elisa não faz tudo sozinha. Para auxiliá-la a empresa conta com uma equipe com mais 3 colaboradoras, cada uma responsável por uma parte deste procedimento. “Trabalhando comigo temos a Ana Paula que é responsável pela liberação dos pedidos, a Jaene que cuida dos cadastros de novos clientes ou de clientes inativos e a Fabiana, que nos ajuda na análise de crédito”, finaliza. Na próxima edição deste informativo, veremos o que acontece com seu pedido após a liberação. Esta etapa é chamada de Conferência de preço e prazos.

Todas as Secretarias da Fazenda estão encaminhando para esta nova prática de denegar a autorização de uso da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) aos contribuintes que apresentarem irregularidades no Cadastro de Contribuintes do ICMS. Desta forma o Fisco está verificando, além da situação cadastral do emissor do documento fiscal responsável pela venda (o que já ocorre atualmente), também a do destinatário da mercadoria e não autorizará a emissão do documento fiscal se identificar irregularidades no cadastro das empresas envolvidas na operação. A NF-e da empresa emissora será autorizada somente nos casos em que o destinatário for uma empresa ativa, apresentar outra situação cadastral compatível com a aquisição de mercadorias (caso de alguns prestadores de serviços) ou estiver desobrigado de inscrição, como hospitais e bancos, por exemplo. A emissão da nota fiscal eletrônica pode ser denegada pela Fazenda com base no Ajuste Sinief 10/11 do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), e estendeu a verificação da regularidade também ao comprador dos produtos. Lembre-se que é de suma importância que estejam em dia com o Fisco de seu estado, pois caso contrário será impedido de efetuar compras e revenda. Fernando André Silva - Gerente Fiscal LM Bike


CRÔNICAS DE BICICLETA

Um travesseiro, um abacate, palhas de arroz e uma bicicleta* Desde pequeno, o garoto já sabia do que gostava. Gostava de brincar, gostava de correr, gostava de se sujar e gostava de bicicletas. Era apaixonado por elas. E ficava sonhando um dia por ter uma. Uma que fosse somente dele. No final de uma tarde, destas em que o sol pinta tudo de vermelho e que parece ser ainda mais linda nos recantos de Minas Gerais, o pai deu a grande notícia ao garoto. “Filho, corre lá e veja o que seu padrinho trouxe para você!”. Era uma bicicleta. Aliás, era muito mais que isso, era a materialização de todos os sonhos que o garoto teve desde que viu uma pela primeira vez. Não se importou com o fato dela ser velha e até um pouco enferrujada. Pelo contrário, daquele momento em diante, a paixão por bicicletas só aumentou. Não pensava em mais nada. Seu melhor amigo tinha duas rodas. Por dias e dias, o garoto ficava empurrando o presente o tempo todo pelo quintal, segurando-o pelo bagageiro e imaginando como seria pedalá-lo. “Cria tipo menino, deixa de ser bobo, você precisa de tamanho para andar nisso!”, gritava a mãe. Ele não se importava. Não tinha altura para subir na bicicleta, isso todo mundo percebia. Mas nem por isso, deixava de passar horas se divertindo com ela, imaginando o dia em que poderia dar os primeiros giros. Alguns meses passaram e o garoto teve uma ideia. Não alcanço os pedais

sentado no selim, mas alcanço os pedais sentado no quadro, pensou ele. Pronto! Essa era a solução. Correu. Pegou o primeiro travesseiro que viu pela frente e, sem fazer muito alarde para a mãe não perceber, amarrou-o no cano da bicicleta com dois pedaços de cordas que estavam ali perto. Estava feito o selim. Subiu no barranco de terra vermelha perto do riacho que cortava o quintal da velha casa e aqueles pequenos pés, sujos de chão, agora podiam deslizar pelos pedais. Certamente, levou muitos tombos, mas quase que sozinho, aprendeu a dar as primeiras pedalas. O tempo foi passando e a falta de manutenção fez com que os rolamentos ficassem duros. Faltava algo. Faltava graxa! Onde poderia arrumar isso? Morava longe de tudo, não tinha essas coisas por lá e mesmo se tivesse, não tinha dinheiro para comprar isso. Pensa garoto, pensa garoto. E, foi debaixo de um pé de abacate que sombreava o quintal há muitos anos que veio a inspiração! O garoto abriu a fruta e percebeu que tinha uma consistência oleosa. “Aqui minha graxa!”, falou consigo mesmo. Garoto esperto. Foi logo lambuzando as esferas de abacate e o ranger do rolamento seco já não o incomodava mais. Resolveu experimentar sua nova descoberta. Decidiu descer o morro mais íngreme que conhecia. Queria sentir a liberdade de um pássaro. Queria voar. Fechou os olhos e sentiu a adrenalina percorrer pelo corpo e se imaginou um campeão nos instantes finais de uma corrida. O problema é que ele fechou tanto os olhos que não viu a porteira que o aguardava no fim da descida. Consequência? Muitos arranhões pelo corpo e os dois pneus furados. Por Deus, nenhum osso quebrado. Pneu furado era o maior medo que o garoto tinha naquela época. Sua família era muito humilde e comprar um remendo era algo impensável. Precisava de uma solução, pois sabia que não iria aguentar esperar ter dinheiro para consertar. Foi para o paiol. Chorou baixinho para ninguém perceber. Deitou num amontoado de palha de arroz que o pai havia juntado e, como se fosse um sinal divino, teve outra grande ideia. Foi logo pegando a palha e encheu os pneus com ela. E não é que funcionou! Subiu na bicicleta e pedalou por uma tarde inteira, até as pernas cansarem e o corpo pedir para descansar um pouco. Naquela noite, a bicicleta do garoto tinha um travesseiro como selim, abacate como graxa e palha de arroz como câmara. Naquela casa humilde, no interior de Minas Gerais, dormia a pior bicicleta do mundo, mas ninguém duvidava que ali também dormia um pequeno gênio. * Crônica baseada nas memórias de Valdeci José da Silva, mais conhecido por Cici, proprietário da Bikeci de Formiga- MG. Cici se tornou famoso pelas sua invenções que já foram temas de reportagem em diversos canais de Página 12

Giro LM Bike Primeira Edição  

Informativo Bimestral da LM Bike

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you