Page 1

ano XX • nº 249 agosto de 2013

Pesquisa do ICTQ/Datafolha apresenta os laboratórios mais confiáveis pelos consumidores. Medley, Johnson & Johnson e Neoquímica aparecem em primeiro, segundo e terceiro lugares respectivamente

RANKING ano XX • nº 249 agosto 2013 capa 249-lombada.indd 1

DETERMINANTE

22/07/13 15:09


EDITORIAL

Realidade moderna A escolha de um medicamento envolve uma série de questões que precisam estar bem resolvidas na mente do consumidor. Mais do que bom preço, a população almeja segurança para sua saúde, já que o produto pode significar a cura de um problema de maior ou menor gravidade. Dessa forma, o fabricante precisa ser de extrema confiança. Ganhar a credibilidade dos usuários não é uma tarefa fácil. O que se nota é que as percepções do consumidor são muito pessoais e individualizadas, entretanto, a preferência pela empresa x ou y deve-se à consolidação da marca e seu comportamento no mercado em constante evolução. Uma pesquisa inédita do Datafolha/ICTQ – Pós-Graduação para Farmacêuticos, apresenta, com exclusividade ao Guia da Farmácia, os laboratórios tidos como mais confiáveis na opinião do público. Hoje em dia, o consumidor segue uma tendência ao apontar as marcas de laboratórios em que mais confia ou das quais efetua a compra de medicamentos podendo ser observada nos rankings obtidos, onde se ressalta que as

DIRETORIA Gustavo Godoy, Marcial Guimarães e Vinícius Dall’Ovo EDITORA-CHEFE Lígia Favoretto (ligia@contento.com.br) ASSISTENTE DE REDAÇÃO Flávia Corbó EDITORAS DE ARTE Mariana Sobral e Larissa Lapa ASSISTENTE DE ARTE Junior B. Santos DEPARTAMENTO COMERCIAL EXECUTIVAS DE CONTAS Jucélia Rezende (jucelia@contento.com.br) Luciana Bataglia (luciana@contento.com.br) 4

indústrias de medicamentos que se sobressaem não tendem as grandes mudanças de uma pergunta para outra. O estudo apresenta Medley, Johnson & Johnson e Neoquímica em primeiro, segundo e terceiro lugares respectivamente. De olho nessa tendência, tanto varejo quanto indústria precisam estar preparados para atender às necessidade de um público que está cada vez mais, bem informado e em busca de soluções completas para o seu bem-estar e, consequentemente, para sua longevidade. É inegável que o atendimento de qualidade e personalizado, em farmácias e drogarias, deve ser primordial. Por isso, esta edição traz um guia completo sobre tudo o que envolve o bom funcionamento do ponto de venda. Além disso, o repórter Marcelo de Valécio ouviu as principais entidades e associações do setor, para apurar os resultados do primeiro semestre deste ano, que começou bem e tende a continuar ainda melhor.

Lígia Favoretto Editora-chefe

ASSISTENTES DO COMERCIAL Juliana Guimarães e Mariana Batista Pereira DEPARTAMENTO DE ASSINATURAS Morgana Rodrigues COORDENADOR DE CIRCULAÇÃO Cláudio Ricieri DEPARTAMENTO FINANCEIRO Fabíola Rocha e Cláudia Simplício ASSESSORIA TÉCNICA E LISTA DE PREÇOS Kátia Garcia e Antônio Gambeta MARKETING E PROJETOS Luciana Bandeira

COLABORADORES DA EDIÇÃO Revisão Maria Stella Valli e Iolanda Nascimento Textos Egle Leonardi, Kathlen Ramos, Marcelo de Valécio e Raquel Sena Colunistas Camila Crispim Pinheiro, Edimilson Migowsk, Gustavo Semblano e Silvia Osso

> www.guiadafarmacia.com.br

IMPRESSÃO Abril Gráfica

Guia da Farmácia é uma publicação mensal da Contento. Rua Leonardo Nunes, 198, Vila Clementino, São Paulo (SP), CEP 04039-010. Tel.: (11) 5082 2200. E-mail: contento@contento.com.br

CAPA Shutterstock

Os artigos publicados e assinados não refletem necessariamente a opinião da editora. O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade única e exclusiva das empresas anunciantes.

ANALISTA DE MARKETING Lyvia Peixoto

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

EDITORIAL 249.indd 4

Boa leitura.

Ganhar a credibilidade dos usuários não é uma tarefa fácil. O que se nota é que as percepções do consumidor são muito pessoais e individualizadas

FOTO: SHUTTERSTOCK

22/07/13 08:02


SUMÁRIO #249 AGOSTO 2013

128 42 > PESQUISA CAPA

Estudo inédito realizado pelo Datafolha/ICTQ – PósGraduação para Farmacêuticos, revela quais são os laboratórios fabricantes de medicamentos em que os consumidores brasileiros mais confiam

50 > PANORAMA O Brasil é um dos mercados mais atrativos do mundo, mas pesquisa da Deloitte mostra que o caminho do crescimento está em transformar processos de inovação e modelos de vendas

58 > EMPREENDEDORISMO Consultores apontam quais as etapas essenciais a serem seguidas pelos empresários no momento de investir em uma filial

68 > NEGÓCIOS Além de bom atendimento e mix adequado, o sucesso de uma farmácia começa pela escolha do ponto comercial. Especialistas indicam quais fatores devem ser percebidos no momento da decisão

88 > COMUNICAÇÃO Estar em constante contato com o consumidor é uma das estratégias para se obter sucesso. Aprenda a utilizar as ferramentas de comunicação corretas, no momento adequado

6

sumario 249.indd 6

E MAIS 08 12 18 26 30 34 76 82 92 98 103

> GUIA ON-LINE > ENTREVISTA > ANTENA LIGADA > ATUALIZANDO > GUIA DA FARMÁCIA RESPONDE > CENÁRIO > GESTÃO > CONJUNTURA > DIGITAL > PONTO DE VENDA > MERCADO

CADERNO SAÚDE 109 110 120 126 130 134

> ARTIGO > TABAGISMO > COLESTEROL > DIARREIA > TORCICOLO > DISFUNÇÃO ERÉTIL

140 148 154 162 168 174 182 186

> COMPORTAMENTO > BELEZA > SORTIMENTO > CATEGORIA > PELE > CUIDADOS > SEMPRE EM DIA > SERVIÇOS

COLUNAS 48 67 96

> CONSULTOR JURÍDICO Gustavo Semblano > LOGÍSTICA Camila Crispim Pinheiro > VAREJO Silvia Osso

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

22/07/13 14:18


GU IA ON- L I NE WWW.GUIADAFARMACIA.COM.BR INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS NA INTERNET

NTEÚDO

E

XT

AL

CO

ESTE SELO NOS ARTIGOS DA REVISTA INDICA CONTEÚDO EXTRA. ACESSE O PORTAL E CONFIRA

RA N O POR

T

Acesse o Portal e confira as informações complementares do conteúdo editorial da revista, além de textos exclusivos a cada edição.

CONTEÚDO EXTRA NO PORTAL (A PARTIR DO DIA 15 DE CADA MÊS) ESTOQUE SOB CONTROLE Além de trazer inovações para os consumidores, a tecnologia auxilia o controle dentro da loja. Conheça os benefícios do RFID

NEGOCIAÇÃO SEGURA Antes de fechar o contrato de aluguel de imóvel saiba a quais pontos você deve estar atento para evitar dores de cabeça futuras

8

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

online 249.indd 8

DE OLHO NA TELA Passar o dia de trabalho em frente a uma tela de computador é muito comum hoje em dia, mas a prática pode trazer malefícios à saúde. Saiba mais

FOTOS: SHUTTERSTOCK

18/07/13 11:25


O QUE ROLA NAS REDES SOCIAIS

Acompanhe o Facebook do Guia da Farmácia

Siga-nos no Twitter @guiada_farmacia

CFF PÕE PRESCRIÇÃO FARMACÊUTICA EM CONSULTA PÚBLICA

LOTES DE MEDICAMENTOS ANTIGASES SÃO RECOLHIDOS

MEDICAMENTO TRADICIONAL PARA CÓLICA DE BEBÊ VOLTA AO MERCADO

VENDAS DE GENÉRICOS CRESCEM 13,23% EM MAIO

SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE PARA NÓS Para fazer elogios, críticas ou dar sugestões ao Guia da Farmácia, escreva para a redação: Rua Leonardo Nunes, 198, Vila Clementino, São Paulo (SP), CEP 04039-010 ou ligia@contento.com.br. Queremos saber o que você pensa!

AMPLIANDO FUNÇÕES

Uma coisa é indicar um Medicamento Isento de Prescrição (MIP), outra coisa é assegurar que o paciente/cliente faça o uso de algo que realmente trará beneficio. O que quero dizer com isso? Que uma coisa é você dispensar o medicamento analisando apenas a dor, a febre do paciente, outra coisa completamente diferente é você prestar Atenção Farmacêutica Plena, levando em consideração os aspectos fisiológicos, patológicos, bioquímicos, psicológicos, sociais, econômicos, entre outros. Ou seja, com a prescrição farmacêutica, além de perder o status de balconista, coadjuvante, menos importante, vendedor de medicamento, subprofissional, você ajudará de fato a população e será peça fundamental. Então não veja a prescrição farmacêutica hoje, veja amanhã, pois agora não é regulamentada (apesar de não ser proibida), mas, com a regulamentação, os farmacêuticos que possuem a competência e querem tal responsabilidade o farão com mais tranquilidade amparados pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF). Fernando Caneiro, em resposta à nota CFF põe prescrição farmacêutica em consulta, publicada no Portal do Guia da Farmácia, no dia 1º de julho

REIVINDICANDO

Tem-se um profissional que se dedica a cinco difíceis anos de estudo na faculdade para ficar refém de leis? Não podemos nem indicar uma pomada, nem um colírio, quando estes têm um antibiótico qualquer. Quantos casos de resistência bacteriana já foram relatados por uso excessivo de pomadas que contêm neomicina? E mesmo que houvesse resistência bacteriana nesses casos, o farmacêutico tem condição de ter qualificação para avaliar o risco/benefício. O impedimento chega a ser absurdo. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cria uma resolução que mais atrapalha do que ajuda e o Conselho Federal de Farmácia (CFF) luta para prescrever Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs). Faça-me o favor! Eliel Lima, em resposta à nota CFF põe prescrição farmacêutica em consulta, publicada no Portal do Guia da Farmácia, no dia 1º de julho

2013

online 249.indd 9

AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

9

18/07/13 11:25


ENTREVISTA - JONY TAVARES, ABRADILAN

12

entrevista249.indd 12

GUIA DA FARMÁCIA A F EGVOESRT EOI R2O0 1230 1 3

FOTOS: DIVULGAÇÃO

18/07/13 11:27


Gestão

atualizada

EXECUTIVO DO RIO DE JANEIRO É O NOVO PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DISTRIBUIDORES DE LABORATÓRIOS NACIONAIS POR LÍGIA FAVORETTO

O

O executivo da Emefarma (RJ), Jony Anderson Tavares de Sousa, assume a presidência da Associação Brasileira dos Distribuidores de Laboratórios Nacionais (Abradilan) para a gestão 2013-2015. Formado em administração de empresas e pós-graduado em gestão empresarial pela Fundação Getulio Vargas (FGV-RJ), Tavares atua no setor farmacêutico há mais de 25 anos e terá como vice-presidente Francisco das Chagas Almeida Gomes, executivo da Total Comércio (CE). Constituída em 1998, a Abradilan é formada por empresas distribuidoras de medicamentos, produtos para a saúde, artigos de higiene pessoal e cosméticos no mercado brasileiro. Com 127 associa-

dos, tem como missão contribuir para o desenvolvimento e fortalecimento do mercado e de seus associados, promovendo a melhoria contínua e eficaz de seus serviços. A entidade realiza todos os anos a Abradilan Farma & HPC, única feira nacional do setor com representantes de indústrias de todos os estados brasileiros. Em 2013, a 9ª edição do evento ocorreu no Rio de Janeiro entre os dias 20 e 22 de março e com 200 marcas expostas. O evento atraiu cerca de 19.300 visitantes.  O executivo conversou com o Guia da Farmácia sobre a expectativa da distribuição em relação ao mercado farmacêutico como um todo e revelou os principais desafios do setor. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

entrevista249.indd 13

13

18/07/13 11:28


ENTREVISTA - JONY TAVARES, ABRADILAN

Executivos do Conselho Diretivo da Abradilan

Guia da Farmácia • Os associados à Abradilan arrecadaram R$ 5,92 bilhões em 2012, movimentando 444 milhões em unidades. As empresas associadas registraram um crescimento de 39% em faturamento e 29% em unidades, em relação ao ano anterior. O que estes resultados significam para o setor de distribuição especificamente e para o canal farma como um todo? JONY TAVARES • Mostram que estamos alinhados com as indústrias e próximos dos  clientes. Esses resultados revelam também a importância e a força dos distribuidores regionais filiados à Abradilan, para o setor farmacêutico. Guia • Quais as expectativas de crescimento para este ano ainda? Tavares • 55% dos associados acreditam em um crescimento de 21%. Guia • Estimativas do setor revelam que o mercado tende a dobrar de tamanho até 2017. Como a distribuição se prepara para isso? 14

entrevista249.indd 14

Tavares • Investindo  na ampliação dos Centros de Distribuição (CDs), na melhoria dos processos, na qualificação das equipes e nas parcerias com a indústria e os clientes. Guia • Quem é o principal responsável pela evolução do setor? Medicamentos ou produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPC)? Por quê? Tavares • Medicamentos, pois, quando falamos do crescimento do mercado, estamos falando dos números do IMS Health, principal consultoria que audita o setor, e nesse caso falamos de medicamento. Além disso, hoje esse é o core business dos associados da Abradilan, mas estamos avançando em HPC e produtos para a saúde e bem-estar, um segmento que também está em franco crescimento. Guia • Quem distribuía só medicamentos passou a se especializar em HPC? Por que e de que forma? Tavares • Para aqueles que começaram a distribuir HPC acredito que enxergaram alguma oportunidade, e no canal farma existe um potencial enorme para as vendas desses produtos, já que o cliente não vai mais à farmácia

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

22/07/13 07:55


ENTREVISTA - JONY TAVARES, ABRADILAN

e/ou drogaria só para comprar medicamentos, vai também para comprar higiene e beleza e outros correlatos.

do e de consumo, as regiões Sul e Sudeste predominam em volume de negócios.

Guia • Quais os principais desafios hoje da distribuição de medicamentos no Brasil? Tavares • O principal desafio da distribuição de medicamentos é operar em um ambiente de alta carga tributária, além de uma complexa legislação, onde cada estado tem sua regra estabelecida. Temos também as questões regulatórias, sendo preciso observar as exigências por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e dos órgãos sanitários regionais. A competição no setor também tem aumentado bastante, fazendo com que cada distribuidor tenha de se esforçar cada vez mais para oferecer diferenciais aos seus clientes.

Guia • De que forma a alta carga tributária dos medicamentos prejudica o canal? Tavares • Além da alta carga tributária que gira na casa dos 33,9%%, nós temos que lidar com o excesso de burocracias, obrigações acessórias, e o emaranhado de leis e normas, que dificultam o dia a dia das empresas, fazendo com que se aumente o seu custo operacional, haja vista que é preciso manter um exército de pessoas somente para cuidar da área tributária da empresa, além de advogados, contadores, etc.

Guia • Algumas distribuidoras têm terceirizado os serviços de logística, fato que, de acordo com varejistas, tem gerado atrasos no prazo de entrega. Por que isso acontece? Tavares • Quase todas as distribuidoras terceirizaram os serviços de entrega, e não entendemos que esse seja o motivo dos atrasos na entrega dos produtos, pois, tenha frota própria ou não, o risco de atraso pode existir de qualquer forma. Hoje o trânsito é um fator que dificulta demais o nosso trabalho. No entanto, cabe ao gestor de cada empresa definir os critérios para contratação do parceiro que irá lhe prestar os serviços de logística. Guia • Hoje o Brasil tem distribuidores suficientes para a demanda nacional? Tavares • Acreditamos que sim. Não temos o número exato, mas pelo que conhecemos do mercado entendemos que o número de distribuidores que estão em operação consegue dar conta de atender o mercado total.  Guia • Quais os principais investimentos das distribuidoras hoje? Tavares • A previsão é de que 14% dos associados investirão na ampliação de CDs, 29,8% na qualificação da equipe, 47,4% na ampliação de CDs e na qualificação da equipe, 8,8% não realizarão investimentos. Guia • Quais as regiões mais bem abastecidas e as mais prejudicadas? Por quê? Tavares • Todas as regiões do Brasil são abastecidas de medicamentos, no entanto, pelo tamanho do merca16

entrevista249.indd 16

Guia • Como se dá a atuação nas grandes redes e no pequeno varejo? Qual a principal diferença operacional? Tavares • As redes, além do grande poder de negociação, fazem negócios diretamente com os laboratórios e têm uma gestão mais profissionalizada, enquanto que as farmácias e drogarias de menor estrutura ou independentes dependem fundamentalmente da compra dos distribuidores e do seu fundamental apoio para competir no mercado, pois dispõem de pouco capital e têm mais dificuldades gerenciais na operação do negócio. Guia • Hoje, os distribuidores devem oferecer mais que produto e boas condições de negociação, mas serviços. De que forma isso pode ser feito e o que o varejo espera? Tavares • Oferecer serviço de boa qualidade. Qualidade significa garantia de prazos com ênfase em planejamento, integridade do transporte obtida através de padronização dos processos de logística e qualificação dos profissionais, além de custos competitivos, obtidos pela eliminação de desperdícios e redução de riscos etc. Guia • O que significa assumir a presidência da Abradilan em um período de plena expansão? Tavares • Assumir a presidência do Conselho Diretivo da Abradilan é uma honra e um grande desafio. Honra porque se trata de uma das mais importantes entidades de nosso segmento e desafio porque represento, aqui, um pouco de cada um dos associados. Nesse sentido, tenho como compromisso moral e estatutário a defesa dos interesses de todos os associados. Além disso, dar continuidade ao trabalho realizado pelas pessoas que passaram por esta cadeira e pelas quais tenho grande respeito e admiração.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 11:28


ANTENA LIGADA

SOBE E DESCE

O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 FOI MARCADO POR MUITAS MUDANÇAS NO ALTO COMANDO DE GRANDES MULTINACIONAIS, INSTITUIÇÕES FARMACÊUTICAS E REDES VAREJISTAS INSTALADAS NO BRASIL. QUEBRA DE IMPORTANTES PATENTES E O SURGIMENTO DE TRATAMENTOS INOVADORES TAMBÉM AGITARAM O MERCADO

C

C M

M Y

Y CM

GENÉRICOS EM ALTA

As vendas de medicamentos genéricos no Brasil chegaram a 67,2 milhões de unidades, alta de 13,23% em maio deste ano ante o mesmo período do ano passado, de acordo com dados do IMS Health divulgados pela Associação Brasileira dos Distribuidores dos Laboratórios Nacionais (Abradilan). Na comparação com abril de 2013, o crescimento foi de 2,88%. O desempenho do mercado de genéricos foi melhor que o de medicamentos como um todo. Em maio, medicamentos em geral tiveram alta de 6,79% nas vendas ante o mesmo mês de 2012 e de 2,49% ante abril. • www.imshealth.com • www.abradilan.com.br 18

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Antena Ligada_249.indd 18

PRESENÇA FORTE

CM MY

Os produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, enquadrados na categoria de não medicamentos, ganham espaço nas gôndolas das maiores redes do País. Um comparativo da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) entre o primeiro quadrimestre de 2012 e 2013 revela que a comercialização de não medicamentos nas drogarias teve incremento de 16,2%, um acumulado de R$ 2,83 bilhões de janeiro a abril. O crescimento é maior do que a média geral de alta nas vendas, que chegou a 12,2%. • www.abrafarma.com.br

MY CY

CY CMY

CMY K

K

*Ó R *Ó R

FOTOS: SHUTTERSTOCK

22/07/13 07:59


SEM RECEITA

Mais de um terço da população de Fortaleza, aproximadamente 38%, consome medicamento controlado, tarja preta ou vermelha, sem prescrição médica, segundo pesquisa realizada pelo Datafolha/ ICTQ – Pós-Graduação para Farmacêuticos. O estudo foi realizado em novembro e dezembro de 2012 em 12 capitais brasileiras. O percentual apresentado em Fortaleza é o maior do Brasil. Atrás da capital cearense estão Goiânia (GO), com 33%, Salvador (BA) e Rio de Janeiro (RJ), com 25%, e Belém (PA), com 24%. • www.ict .com.br • htt datafolha.folha. ol.com.br Guia de Guia Farmácia.pdf de Farmácia.pdf 1 27/05/2013 1 27/05/2013 10:15:54 10:15:54

DE VOLTA AO MERCADO A Funchicórea – droga tradicional contra cólicas de bebês usada por mais de sete décadas no Brasil, mas fora do mercado há mais de um ano – deverá voltar em breve às prateleiras. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reverteu decisão adotada em 2005, que indeferiu o registro do produto. Segundo o diretor-presidente da Agência, Dirceu Barbano, havia receios sobre as variações na quantidade do princípio ativo no produto porque um dos componentes, a planta ruibarbo, estava na forma de um pó. • htt ortal.an isa. o .br

Guia de Farmácia.pdf 1 27/05/2013 10:15:54

Leve Leve esta esta novidade novidade Leve esta novidade para para sua sua farmácia. farmácia. para sua farmácia. C

C

C M

M

M Y

Y

Y CM

CM

CM MY

MY

MY CY

CY

CY CMY

CMY

CMY K

K

K

NOVA NOVA TAMPA TAMPA NOVA TAMPA

ABRE/FECHA ABRE/FECHA FÁCIL FÁCIL ABRE/FECHA FÁCIL

SUPLEMENTOS SUPLEMENTOS SUPLEMENTOS

VITGOLD VITGOLD VITGOLD

Os produtos Os produtos da linha da Vitgold, linha Vitgold, de acordo de acordo com acom determinação a determinação PREFIXO PRODUTOS PRODUTOS PREFIXO ANVISAANVISA da ANVISA da ANVISA (RDC-44/2009), (RDC-44/2009), são registrados são registrados na classe na classe de de Os produtos da linha Vitgold, de acordo com a determinação 1 1 Medicamentos MedicamentosPREFIXO alimentos alimentos começando começando com com os numerais os numerais 4, 5 4,e/ou 5 e/ou 6, 6, PRODUTOS ANVISA 2 2 Cosméticos Cosméticos da ANVISA (RDC-44/2009), são registrados na classe de portanto, portanto, podem podem ficar ficar expostos expostos no autoatendimento no autoatendimento das das Saneantes Medicamentos 31 3 Saneantes alimentos começando com os numerais 4, 5 e/ou 6, Cosméticos 4,5 2ou 4,5 6 ou 6 Alimentos farmácias farmácias e drogarias e drogarias ao alcance ao alcance do consumidor, do consumidor, ao ao Alimentos portanto, podem ficar expostos no autoatendimento das 3 8 1 ou 8 Saneantes 1 ou Produtos Produtos para Saúde para Saúde contrário contrário dos medicamentos. dos medicamentos. 4,5 ou 6 Alimentos farmácias e drogarias ao alcance do consumidor, ao 1 ou 8 Produtos para Saúde contrário dos medicamentos.

DISPONÍVEIS DISPONÍVEIS NAS PRINCIPAIS NAS PRINCIPAIS REDESREDES DE FARMÁCIAS, DE FARMÁCIAS, DROGARIAS DROGARIAS E LOJAS E LOJAS DE PRODUTOS DE PRODUTOS NATURAIS. NATURAIS. DISPONÍVEIS NAS PRINCIPAIS REDES DE FARMÁCIAS, Gestantes,Gestantes, nutrizes enutrizes criançase crianças até 3 (três) até anos, 3 (três)somente anos, somente devem consumir devem consumir DROGARIAS E LOJAS DE PRODUTOS NATURAIS. estes produtos estes produtos sob orientação sob orientação do nutricionista do nutricionista ou médico. ou médico. ConsumirConsumir os os produtos produtos conforme conforme a ingestão diária constante diáriasomente constante na embalagem. na embalagem. Gestantes, nutrizes e crianças até a3 ingestão (três) anos, devem consumir NÃO CONTÉM NÃO CONTÉM GLÚTEN GLÚTEN estes produtos sob orientação do nutricionista ou médico. Consumir os produtos conforme a ingestão diária constante na embalagem. * Óleo de*Prímula Óleo deReg. Prímula M.S.Reg. Nº 6.2002.0009.001-7; M.S. Nº 6.2002.0009.001-7; Ômega 3Ômega Reg. M.S. 3 Reg. Nº 6.2002.0005.001-5; M.S. Nº 6.2002.0005.001-5; Óleo de Alho Óleo1500mg, de Alho 1500mg, Alho OdorAlho LessOdor 1000mg Less 1000mg e 500mge 500mg GLÚTEN Reg. M.S.Reg. Nº 6.2002.0007.001-6; M.S. Nº 6.2002.0007.001-6; Gelatina Reg. Gelatina M.S.Reg. Nº 6.2002.0006.001-0; M.S. Nº 6.2002.0006.001-0; Licopeno Reg. Licopeno M.S.Reg. NºNÃO 6.2002.0016.001-5. M.S.CONTÉM Nº 6.2002.0016.001-5. Todos os outros Todos os produtos outros são produtos são isentos da isentos obrigatoriedade da obrigatoriedade de registro de conforme registro conforme (RDC nº 27/2010). (RDC nº 27/2010). * Óleo de Prímula Reg. M.S. Nº 6.2002.0009.001-7; Ômega 3 Reg. M.S. Nº 6.2002.0005.001-5; Óleo de Alho 1500mg, Alho Odor Less 1000mg e 500mg Reg. M.S. Nº 6.2002.0007.001-6; Gelatina Reg. M.S. Nº 6.2002.0006.001-0; Licopeno Reg. M.S. Nº 6.2002.0016.001-5. Todos os outros produtos são isentos da obrigatoriedade de registro conforme (RDC nº 27/2010).

Antena Ligada_249.indd 19

NOVA NOVA EMBALAGEM EMBALAGEM NOVA EMBALAGEM MAIS MAIS MODERNA MODERNA MAIS MODERNA

2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

19

22/07/13 18:46


ANTENA LIGADA

NOVO COMANDO O executivo Marcílio Pousada, que esteve no comando da Livraria Saraiva por oito anos, é o novo presidente da Raia Drogasil, maior rede de farmácias do País. Pousada assume o lugar de Cláudio Roberto Ely, de 64 anos, principal executivo da Drogasil antes da fusão e com 15 anos de atuação nesse segmento do varejo. Questionada sobre as razões da renúncia, a empresa não menciona a existência de desentendimentos. • www.raiadro asil.com.br

DIRETO DA FRANÇA Chega ao Brasil a Isis Pharma, empresa francesa que apresenta uma gama diversificada de produtos dermatológicos para auxílio no tratamento e prevenção de diversos problemas da pele. O portfólio inclui medicamentos para o tratamento de vitiligo e rosácea e baseia-se na busca de um diagnóstico clínico individual realizado por um médico dermatologista, e o uso de produtos específicos que ajudem a prever, tratar e manter a pele sempre saudável e bonita. • www.isis harm.com

EXPANSÃO AGRESSIVA

A Aspen Pharmacare, farmacêutica da África do Sul, adquiriu um negócio de medicamentos e fabricação da farmacêutica norte-americana Merck & Co., para reforçar a sua presença na Europa, América Latina e Ásia. A companhia ainda afirmou que estava em negociações para comprar medicamentos para tratamento da trombose e uma fábrica francesa da GlaxoSmithKline. Os analistas não esperam que o negócio com a MSD inviabilize a venda da GlaxoSmithKline. • www.as en harma.com.br • www.msdonline.com.br • www. s .com.br 20

SEM HORMÔNIO

O órgão regulador da indústria farmacêutica nos Estados Unidos aprovou o primeiro medicamento não hormonal para tratar dos males da menopausa, oferecendo uma nova alternativa de tratamento para milhões de mulheres. O medicamento desenvolvido pela empresa farmacêutica Noven será comercializado com o nome Brisdellee e poderá estar no mercado até novembro. Ele contém doses baixas de um antidepressivo composto de paroxetina – inibidor seletivo da serotonina. • www.no en.com

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Antena Ligada_249.indd 20

22/07/13 08:03


VACINA LIBERADA A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou para os adultos acima de 50 anos a indicação da vacina pneumocócica conjugada 13 valente, que previne as infecções causadas pelo pneumococo (nome popular da bactéria tre tococc s ne monia). A vacina já era indicada no Brasil para a proteção de lactentes e crianças de seis semanas até seis anos de idade incompletos. • htt ortal.an isa. o .br

NOVA EXIGÊNCIA

O Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) passou a exigir que todas as seringas hipodérmicas, seringas de insulina, agulhas hipodérmicas e agulhas gengivais contenham o selo de identificação do Instituto. Este novo selo do Inmetro será obrigatório para todos os produtos comercializados no Brasil, nacionais e importados. • www.inmetro. o .br

DISCUSSÃO POLÊMICA

O Conselho Federal de Farmácia (CFF), órgão responsável por regulamentar o exercício da profissão farmacêutica, colocou em consulta pública a nova proposta de resolução para regulamentar a prática profissional. Em debate estava nova prescrição farmacêutica, que prevê a seleção de terapias farmacológicas e não farmacológicas, além de outras intervenções relativas ao cuidado do paciente, As terapias farmacológicas incluem os medicamentos isentos de prescrição médica, as plantas medicinais, as drogas vegetais e os fitoterápicos também isentos de prescrição. • www.cff.or .br

PRODUCÃO NACIONAL

O Brasil quer produzir a partir de 2015 toda a vacina contra o vírus da gripe H1N1, também conhecido como influenza A, necessária para suprir a demanda nacional. Ao todo, serão 44 milhões de doses – para a campanha de vacinação de 2013, o Instituto Butantan, fabricante das vacinas brasileiras, já produziu 15% do total. Outros 14 medicamentos biológicos terão fabricação 100% nacional. A prioridade é que misturas que combatem diferentes tipo de câncer, como o de mama e a leucemia, saiam primeiro. • www.b tantan. o .br 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Antena Ligada_249.indd 21

21

18/07/13 11:34


ANTENA LIGADA

QUEBRA DE PATENTE A companhia farmacêutica americana Mylan lançou uma versão genérica do Viagra em onze países europeus, depois que a patente do medicamento contra problemas de ereção, da empresa Pfizer, começou a vencer em vários países. O laboratório Mylan diz ter obtido as autorizações necessárias para venda imediata na Espanha, França, Bélgica, Itália, Alemanha, Holanda, República Tcheca, Eslováquia, Grã-Bretanha e Irlanda. Nos Estados Unidos, a Pfizer obteve uma prorrogação da patente até 2020 após recorrer à justiça. • www.m lan.com • www. fi er.com.br

COMBATE À OBESIDADE

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou um novo medicamento antiobesidade para a importação e comercialização, a Lorcaserina. A droga foi aprovada pela Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, em inglês) em maio de 2012. Há treze anos o FDA não aprovava nenhum medicamento com essa finalidade. A lorcaserina tem ação no sistema nervoso central, atuando nos receptores de serotonina, regulando o apetite e a sensação de saciedade. • htt ortal.an isa. o .br • www.fda. o

GERÊNCIA NOVA

INVESTIMENTO PESADO

As Farmácias Pague Menos anunciaram um investimento de R$ 800 milhões em 400 novas lojas até 2017. O objetivo é atingir a marca de mil estabelecimentos nos próximos quatro anos, com pelo menos um ponto de venda em cada cidade com mais de 80 mil habitantes. A rede é a única varejista presente nos 26 estados da Federação e no Distrito Federal e mantém um crescimento médio anual (CAGR) de 25% nos últimos 10 anos. • www. a emenos.com.br 22

Christian Schneider acaba de assumir a gerência geral do Zambon Laboratórios Farmacêuticos no Brasil, quarta maior operação da companhia no mundo. Com mais de 20 anos de experiência profissional na indústria farmacêutica, o executivo iniciou sua carreira como representante de vendas e já atuou em empresas como Janssen-Cilag, Medley e AstraZeneca. Nos últimos quatro anos, esteve à frente da Diretoria da Unidade de Negócios de Especialidades e da Diretoria Comercial da AstraZeneca do Brasil. • www. ambon.com.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Antena Ligada_249.indd 22

18/07/13 11:34


ANTENA LIGADA

AUTORIZAÇÃO CONCEDIDA

A Advocacia-Geral da União (AGU) comprovou, na Justiça, que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pode revogar autorização para o comércio de medicamentos, mesmo após revalidação automática de registro. Os procuradores federais explicaram que a autarquia pode dar continuidade à análise do pedido de revalidação, caso encontre alguma inconsistência ou necessite de mais informações no procedimento, quando estiver sob risco a saúde pública. • htt ortal.an isa. o .br • www.a . o .br

TRATAMENTO INOVADOR A incidência de câncer de tireoide tem aumentado nos últimos anos e, em alguns casos, pode se tornar resistente ao tratamento com iodo. Para esses casos, foram apresentados os resultados do Estudo Fase III de Nexavar, da Bayer HealthCare Pharmaceuticals em parceria com a Onyx Pharmaceuticals Inc, que atingiu o objetivo primário de melhorar significativamente a sobrevida livre de progressão. Em comparação com placebo, o uso de Nexavar apresentou redução de 41% no risco de progressão ou morte. A média de sobrevida foi de 10,8 meses. • htt healthcare.ba er.com • www.on .com

E-COMMERCE PREMIADO

O site da Droga Raia foi um dos ganhadores do troféu Melhores Lojas Diamante, concedido às empresas com melhor desempenho na pesquisa de satisfação realizada pela E-bit – empresa especializada em informações sobre o comércio eletrônico. Entre os quesitos avaliados estão: facilidade ao comprar; seleção e informação sobre os produtos; preços; facilidade de navegação; entrega; qualidade dos produtos; atendimento; política de privacidade; manuseio, e envio das mercadorias. • www.dro araia.com.br • www.ebit.com.br 24

NEGÓCIO FECHADO

A americana Abbott adquiriu a distribuidora brasileira de produtos oftalmológicos Vistatek, expandindo seus negócios no setor de cuidados para visão na América Latina. A aquisição permite que a Abbott expanda sua base de clientes locais, oferecendo um portfólio de opções de tratamentos oftalmológicos. Com sede em São Paulo, a Vistatek atuou como distribuidora de produtos para catarata e tecnologia de correção da visão a laser. • www.abbottbrasil.com.br • www. istate .com.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Antena Ligada_249.indd 24

22/07/13 08:05


ATUALIZANDO

MEDICAMENTOS DEMOCRÁTICOS LANÇAMENTOS DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA NO BRASIL ATENDEM DIVERSAS CAMADAS DA POPULAÇÃO. CRIANÇAS, GESTANTES E IDOSOS PODEM CONTAR COM PRODUTOS DE MARCA, SIMILARES E GENÉRICOS PARA ALCANÇAR MAIOR BEM-ESTAR E SAÚDE

OXIMETAZOLINA NEOQUÍMICA

ESPINHEIRA SANTA NATURELIFE

O produto é indicado para má digestão, mas também pode atuar como coadjuvante no tratamento de úlceras e gastrites. Age como regulador das funções estomacais e promove a proteção da mucosa gástrica. É vendido na apresentação de 45 cápsulas de gelatina dura. MS Produto isento de registro conforme RDC 27/10 www.naturelife.ind.br 26

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Atualizando 249_anuncio.indd 26

A Neoquímica lança o descongestionante nasal cloridrato de oximetazolina (0,5 mg/ ml solução nasal fr c/30 ml), que pomove alívio da congestão nasal e nasofaríngea decorrentes do resfriado comum, sinusite e processos alérgicos das vias aéreas superiores. MS 1.5584.0385 www.neoquimica.com.br FOTOS: DIVULGAÇÃO

22/07/13 08:06


NACTALI

LIBBS FARMACÊUTICA

A Sandoz lança no mercado a Rivastigmina genérica ou o hidrogenotartarato de rivastigmina, medicamento da linha de Sistema Nervoso Central. É voltado para o tratamento de pacientes com demência leve a moderada do tipo Alzheimer e/ou associada à doença de Parkinson. As embalagens com 28 cápsulas têm apresentações de 1,5 mg, 3 mg, 4,5 mg e 6 mg.

Durante o período de amamentação, a mulher pode fazer uso de uma pílula específica se quiser evitar uma gestação em curto prazo. Para garantir maior segurança para ela, a Libbs Farmacêutica acaba de lançar o Nactali, anticoncepcional com progestagênio (hormônio que inibe a ovulação) isolado, desenvolvido especialmente para mulheres em fase de lactação.

MS 1.0047.0489 www.sandoz.com

MS 1.0033.0171 www.libbs.com.br

RIVASTIGMINA SANDOZ

2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Atualizando 249_anuncio.indd 27

27

22/07/13 14:14


ATUALIZANDO

MALEATO DE TRIMEBUTINA ALTHAIA

ALPRAZOLAN NEOQUÍMICA

O Alprazolam é indicado no tratamento de transtornos de ansiedade, dentro das mais variadas manifestações, como a abstinência ao álcool, no tratamento da síndrome do pânico, com ou sem agorafobia (medo de estar em espaços abertos ou no meio da multidão). A ação de Alprazolam no alívio dos sintomas é rápida. Uma dose administrada pela manhã pode trazer o efeito dentro de 1 a 2 horas. MS 1.5584.0375 www.neoquimica.com.br

CLARIDERM PROFESSIONAL STIEFEL

O inverno chega e, com ele, a preocupação em clarear as hiperpigmentações na pele do rosto, em sua maioria, causadas pela exposição solar sem fotoproteção ou no período pós-gravidez. Para isso, foi lançado Clariderm® Professional, um dermocosmético clareador. A fórmula exclusiva de Clariderm Professional possui três ativos clareadores, com eficácia comprovada, que clareiam e uniformizam o tom da pele. MS 2.0190.0130 www.clariderm.com.br 28

Acaba de chegar ao mercado o Maleato de Trimebutina, primeiro genérico desenvolvido especialmente para o tratamento de alterações que envolvem o funcionamento da coordenação da contração do aparelho digestivo, também conhecido como síndrome do intestino irritável. Composto por Maleato de Trimebutina (200 mg), o medicamento é indicado no tratamento de dores abdominais, resultantes de gases, estufamento, diarreia, intestino preso, entre outros sintomas decorrentes da síndrome. MS 1.3517.0004.002-0 www.althaia.com.br

CONFIRME GLICOSE + CORPOS CETÔNICOS CONFIRME

A linha Confirme de autotestes lança o Confirme Glicose+Corpos Cetônicos com o objetivo de oferecer mais uma alternativa de monitoramento aos diabéticos e aos adeptos de dieta com restrição de carboidratos, com a vantagem de medir dois parâmetros ao mesmo tempo. O Confirme Glicose+Corpos Cetônicos consiste em tiras com membranas reagentes para glicose e cetonas afixadas numa das extremidades. A amostra e os resultados são obtidos através da urina, comparando as cores desenvolvidas nas membranas com a tabela de cores no rótulo da embalagem.   MS 80049120090 www.analitic.com.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Atualizando 249_anuncio.indd 28

22/07/13 18:58


“COMO ESCOLHER O MELHOR SOFTWARE DE GESTÃO PARA MINHA FARMÁCIA?” 30

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Guia Responde 248.indd 30

FOTOS: SHUTTERSTOCK/DIVULGAÇÃO

18/07/13 11:41


M A R C E L O C R I S T I A N R IB EIR O

Sócio-diretor da Desenvolva Consultoria e Treinamento www.desenvolvaconsultoria.com.br contato@desenvolvaconsultoria.com.br

Benefícios da

tecnologia

O

TODO E QUALQUER TIPO DE VAREJO FARMACÊUTICO, GRANDE OU PEQUENO, DEVE FAZER USO DA FERRAMENTA QUE PROPORCIONA DECISÕES ESTRATÉGICAS

Os empresários reconhecem que a informatização dentro de uma farmácia é indispensável. Basta imaginar as exigências do governo (SNGPC, Nota Fiscal Eletrônica...). Mais do que uma exigência, uma necessidade de se atualizar, a tecnologia é uma fonte de informação para as pequenas empresas. Uma bússola que permite a tomada de decisão para as estratégias a serem utilizadas. Como decidir pelo melhor software disponível no mercado? Quais os critérios a serem pensados e levados em consideração? 1) Treinamento nas implantações, adaptando os processos da farmácia às ferramentas. 2) Software house especializada em farmácias e drogarias. 3) Boa assistência técnica, com suporte especializado. 4) Apta para fazer atualizações e atender às necessidades.

5) Relatórios que medem o resultado da farmácia em todas as áreas: a. Demonstrações financeiras; b. Previsões orçamentárias; c. Análises eficazes de investimentos e de custos; d. Gerenciamento por categorias; e. Controle de compras; 6) Software que permita à farmácia obter relatórios: • Que diminua os retrabalhos; • Que esteja alinhado com as exigências fiscais (SPED); • Que permita a comunicação com programas, PBMs, parcerias com a indústria, programas de fidelidade, parcerias estratégicas; • Que faça com que a farmácia seja mais estratégica nas decisões com o uso de relatórios precisos de acordo com a necessidade do negócio, otimizando o tempo na tomada de decisões.

2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Guia Responde 248.indd 31

31

18/07/13 11:41


CENÁRIO

Farmácias se descolam do resultado do comércio

VAREJO FARMACÊUTICO SE DISTANCIA DO SEGMENTO, QUE PERDEU FÔLEGO NOS ÚLTIMOS MESES, E MANTÉM BONS ÍNDICES DE CRESCIMENTO, FECHANDO PRIMEIRO QUADRIMESTRE COM ALTA SUPERIOR A 12% P O R M A R C ELO DE V A LÉC I O

34

cenario 249OK.indd 34

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

D

Depois de um período de grande expansão nos últimos anos, com índices na casa dos dois dígitos, o comércio varejista passa por um período de arrefecimento. Segundo levantamento da Confederação Nacional do Comércio (CNC), as vendas do comércio registrarão crescimento não superior a 4,5% este ano, resultado bem abaixo dos 8,4% registrados em 2012. Em contrapartida, o varejo farmacêutico se mantém em rota de expansão. Segundo dados da Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA/ FOTOS: SHUTTERSTOCK

18/07/13 12:03


CENÁRIO

VENDAS DAS GRANDES REDES – 1º QUADRIMESTRE 2013 2012 (R$)

2013 (R$)

VARIAÇÃO (%)

Vendas

7.806.692.125

8.762.073.366

12,24%

Vendas de medicamentos

5.367.152.925

5.927.450.696

10,44%

Vendas de não medicamentos

2.439.539.200

2.834.622.669

16,20%

Vendas de genéricos

953.663.145

1.087.488.794

14,03%

Vendas – Farmácia Popular

138.097.744

160.087.654

15,92%

Unidades vendidas

623.591.627

649.041.551

4,08%

Clientes atendidos

236.934.854

248.441.788

4,86%

Clientes atendidos – Farmácia Popular

5.825.145

6.652.752

14,21%

Unidades vendidas – Farmácia Popular

14.421.740

16.626.373

15,29%

Total de lojas

4.380

4.806

9,73%

Total de colaboradores – farmacêuticos

11.194

12.642

12,94%

Fonte: Abrafarma - Banco de Dados FIA/USP

USP), divulgados pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), o volume de vendas registrado no primeiro quadrimestre do ano atingiu R$ 8,76 bilhões, resultado 12,24% superior ao aferido no mesmo período de 2012. Os dados referentes a maio e junho ainda não estão consolidados, mas, segundo analistas, devem manter o ritmo dos primeiros meses do ano. O varejo farmacêutico vem sendo um dos poucos segmentos dentro do comércio a apresentar índice de crescimento mensal acima de 1%. O destaque do resultado dos primeiros quatro meses do ano deve ser creditado para a comercialização de não medicamentos, que superou R$ 2,83 bilhões, contra R$ 2,43 bilhões de janeiro a abril do ano passado – um crescimento de 16,2%. A participação dessa categoria no movimento geral é de 32,3%. “Esse cenário reflete o anseio da população por uma farmácia que funcione como uma autêntica loja de saúde, com um amplo mix de produtos de conveniência e bem-estar”, analisa o presidente-execu36

cenario 249OK.indd 36

tivo da entidade, Sérgio Mena Barreto. As vendas de genéricos também avançaram no período, atingindo R$ 1,087 bilhão, o que representa alta de 14,03%. Já a comercialização de medicamentos inseridos no programa do governo federal Aqui tem Farmácia Popular registrou evolução de 15,92%, com movimento de R$ 160,08 milhões. O número de lojas também apresentou aumento significativo. No âmbito da Abrafarma, onde estão as grandes redes e hoje soma 4.806 drogarias, houve aumento de 9,73% na comparação entre os meses de abril em 2012 e 2013. Segundo levantamento realizado da Brasilpar, assessoria financeira especialista em fusões e aquisições, o faturamento total do varejo farmacêutico chegou a R$ 49,6 bilhões no Brasil em 2012, e a previsão é que esse valor ultrapasse os R$ 100 bilhões nos próximos cinco anos. Além do aumento da renda dos consumi-

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 12:03


CENÁRIO

MIL FARMÁCIAS NOVAS NO ÚLTIMO ANO – A PARTICIPAÇÃO ENTRE REDES E INDEPENDENTES SE ACOMODA Share de Redes e Independentes (R$ Bi PPP)

MERCADO TOTAL R$ PPP

LOJAS (MIL)

65,8 7,9 (12%)

57,9 (88%)

67,2

68,2

8,8 (13%)

9,5 (14%)

58,4 (87%)

58,7 (86%)

28,7

2012

2013

29,5

33,9

GENÉRICOS

4,0

3,7

4,3

54,4% 55,3% 55,4%

58,7% 55,9% 53,2%

45,6% 44,7% 44,6%

41,3% 44,1% 46,8%

2011

2012

2013

2011

REFERÊNCIA

12,5

2011

Independentes

Redes

12,6

2012

2013

MARCA

13,9 12,2

13,2

15,7

56,7% 58,2% 58,9%

50,6% 52,3% 52,8%

43,3% 41,8% 41,1%

49,4% 47,7% 47,2%

2011

2012

2013

2011

2012

2013

Nota: PPP = preço lista menos descontos em nota fiscal fornecidos pelos distribuidores as farmácias Fonte: Estudos de Distribuição IMS Health, abril 2013

dores, do envelhecimento da população e da ampliação do acesso a planos privados de saúde, programas oficiais como o Farmácia Popular são apontados por analistas econômicos como responsáveis pelo impulso que o setor tem apresentado e continuará a ter nos próximos anos. De acordo com a Brasilpar, as cinco maiores redes de drogarias (RaiaDrogasil, Drogaria SP/Pacheco, Pague Menos, Brazil Pharma e Araújo) representam 29% da receita bruta de vendas do mercado brasileiro, uma fatia equivalente a R$ 14,4 bilhões.

CONCORRÊNCIA CRESCE Entre abril de 2012 e o mesmo mês deste ano, cerca de mil novas farmácias foram criadas, segundo levantamento da IMS Health. De acordo com o estudo, houve uma acomodação da participação entre redes e farmácias independentes. Das 68,2 mil lojas registradas, 58,7 mil estabelecimentos (86%) são independentes, 38

cenario 249OK.indd 38

contra 9,5 mil (14%) ligadas às grandes redes. Em 2011, as independentes representavam 88% do total, passando para 87% no ano passado. Já 55,4% do faturamento fica com as grandes redes, também em um patamar estabilizado nos últimos três anos – em 2011 representava 54,4% e atingindo 55,3% em 2012. As farmácias independentes têm obtido melhores resultados nas vendas de genéricos. Em 2011, a participação delas no faturamento desse tipo de medicamento representava 41,3%, saltando para 44,1% em 2012 e chegando a 46,8% neste ano. De acordo com o IMS Health, as farmácias independentes ou pequenas redes buscam diferentes tipos de modelos para ganhar poder de barganha e eficiência no negócio, como o associativismo e a incorporação em franquias existentes, além de promoverem a especialização como forma de capturar clientela segmentada.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 12:03


O DESTAQUE DO RESULTADO DOS PRIMEIROS QUATRO MESES DO ANO DEVE SER CREDITADO PARA A COMERCIALIZAÇÃO DE NÃO MEDICAMENTOS, QUE SUPEROU R$ 2,83 BILHÕES, CONTRA R$ 2,43 BILHÕES DE JANEIRO A ABRIL DO ANO PASSADO – UM CRESCIMENTO DE 16,2% O MERCADO HOJE É MAIS PULVERIZADO QUE HÁ 5 ANOS, PORÉM A CONCENTRAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DE FARMÁCIAS EM CATEGORIAS PERMANECE Número de PDVs que perfazem 75% das vendas de cada mercado

2007/2008 INSULINAS

2012/2013 3.069

2.400

DPP4

3.519

FRALDAS ADULTAS

3.731

GLICOSÍMETROS

4.523

FÓRMULAS INFANTIS

5.206

PROTEÇÃO SOLAR

5.391

ANTI-IDADE

7.380

CURATIVOS DISFUNÇÃO ERÉTIL

9.681 10.152

5.302

MULTIVITAMÍNICOS

8.100

TIREOIDE

8.364

GENÉRICOS

10.480 10.948 12.462

6.200

REFERÊNCIA ANTICONCEPCIONAIS

14.123

ANALGÉSICOS MIP MERCADO TOTAL

15.027

12.700

17.602

15.800

19.232

11.600 16.541

10.800

Nota: Análise busca ser direcional e não exata uma vez que a definição de mercados em 2007/08 vs 2012/13 nem sempre é idêntica para o mesmo mercado nos diferentes períodos Fonte: Estudos de Distribuição IMS Health, realizados entre 2012 e 2013

2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

cenario 249OK.indd 39

39

18/07/13 15:28


CENÁRIO

A EXPECTATIVA É DE UM CRESCIMENTO DE 10% EM VOLUMES, COM CONTÍNUA EXPANSÃO DE GENÉRICOS E MARCA Previsão de evolução do mercado brasileiro

BILHÕES DE DOSES

R$ BILHÕES A PREÇO LISTA

+9,4%

+13,3%

99

167 153

94

84 50%

49%

87

140

+12,4% 106 49%

117 49%

128

49%

48%

15% 16% 13% 14%

48%

17%

18%

11

12 Histórico

13

14

15

16

10%

9%

17

18

Projeção

Nota: Todos os valores referentes à MAT maio Fontes: PBM; Análise IMS Health

cenario 249OK.indd 40

46

39

29%

53 29%

60 29% 22%

23%

MIP

29%

29%

29%

29% 24%

25%

26%

24% 21% 19% 24% 24% 24% 16% 24% 24% 24% 24% 22% 21% 31% 29% 26% 25% 24% 23% 11

12

13

14

15

Histórico

As vendas on-line também têm contribuído para o bom resultado de vendas do varejo farmacêutico, como atesta o diretor-presidente da Ultrafarma, Hermínio Tavares. “As vendas da empresa comportaram-se de forma muito positiva no primeiro semestre deste ano. O crescimento foi bem expressivo, acima dos 20%, contra o período homólogo de 2012, em linha com o esperado”, diz o executivo. Segundo Tavares, os medicamentos representaram a grande fatia das vendas da Ultrafarma tendo, em valor, um share próximo aos 75%. Dentro desses produtos, a categoria que mais cresceu foi a de genéricos e a que menos cresceu foi a de marcas. Já os produtos que mais vêm ganhando espaço no mix da empresa, apesar de ainda terem menor representatividade, são as categorias de perfumaria, dermocosmética e nutrição, principalmente as marcas próprias, revela Tavares, que se mostra otimista para o fechamento de 2013. A rede Pague Menos estima fechar o ano com crescimen40

77 68

29%

11% 13% 25% 25% 24% 24% 24% 22% 22% 23% 17% 16% 14% 13% 12% 11%

+16,6%

48%

RX GENÉRICO

16

17

18

Projeção

RX MARCA

RX REFERÊNCIA

to em torno de 20%. Além disso, a empresa mantém o plano de abrir 100 lojas por ano no País, até alcançar a marca de mil unidades em 2017. A rede, que atua em todos os Estados e no Distrito Federal, tem hoje 607 lojas e até o final do ano pretende chegar a 685. Enquanto algumas redes foram incorporadas por multinacionais estrangeiras – caso da Drogaria Onofre, que foi adquirida pela norte-americana CVS Caremark –, a Pague Menos quer se internacionalizar com a mão invertida: levando a marca ao exterior. O presidente da companhia, Deusmar Queirós, divulgou recentemente ousado plano de abrir lojas nos EUA (onde estão as maiores redes de farmácias do planeta) nos próximos cinco anos. O anúncio pode ser um recado ao mercado de que a Pague Menos não está à venda, uma vez que ela e outras redes regionais como a Araújo (de Minas Gerais, quinta no ranking de faturamento) e a Panvel (do Rio Grande do Sul, sexta em faturamento) são constantemente assediadas por grupos nacionais e estrangeiros.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 12:03


PESQUISA

Desempenho de marcas

CONFIANÇA NO LABORATÓRIO FABRICANTE DO MEDICAMENTO É O QUE OS CONSUMIDORES MAIS PRECISAM. MEDLEY APARECE EM PRIMEIRO LUGAR NO RANKING DO DATAFOLHA/ ICTQ – PÓS-GRADUAÇÃO PARA FARMACÊUTICOS P O R L Í G I A FAV O R ETTO 42

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Pesquisa249_4pag.indd 42

A

A escolha de um medicamento envolve uma série de questões que precisam estar bem resolvidas na mente do consumidor. Mais do que bom preço, a população almeja segurança para sua saúde e para a saúde de toda a família, já que o produto pode significar a cura de um problema de maior ou menor gravidade. Dessa forma, o fabricante precisa ser de extrema confiança. Ganhar a credibilidade dos usuários não é uma tarefa fácil, muito pelo contrário. Trata-se de um trabalho árduo, de anos e anos de dedicação, e FOTOS: SHUTTERSTOCK

22/07/13 18:48


PESQUISA

LABORATÓRIOS FARMACÊUTICOS QUE O CONSUMIDOR CONSIDERA COMO MAIS CONFIÁVEIS EM 1º E EM 1º + 2º + 3º LUGARES

1º lugar

1º +

MEDLEY 18% JOHNSON & JOHNSON 10% NEOQUÍMICA 8% BAYER 7% ACHÉ 6% EUROFARMA 6% ROCHE 4% EMS 4% TEUTO 3%

PFIZER SCHERING CIMED MERCK NOVARTIS

2% 1% 1% 1% 1%

2º +

3º lugares

MEDLEY 34% JOHNSON & JOHNSON 25% NEOQUÍMICA 19% BAYER 19% ACHÉ 17% EUROFARMA 18% ROCHE 16% EMS 10% TEUTO 9%

PFIZER SCHERING CIMED MERCK NOVARTIS

6% 4% 3% 4% 3%

Fonte: Datafolha/ICTQ – Pós-Graduação para Farmacêuticos

44

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Pesquisa249_4pag.indd 44

18/07/13 15:46


10%

3% MERCK

3% SCHERING

3%

3% NOVARTIS

CIMED

4% PFIZER

BAYER

10% ROCHE

11% TEUTO

EMS

11%

13% EUROFARMA

ACHÉ

13%

14% NEOQUÍMICA

JOHNSON & JOHNSON

16%

MEDLEY

29%

LABORATÓRIOS FARMACÊUTICOS ESCOLHIDOS PELO CONSUMIDOR PARA COMPRA DE MEDICAMENTOS NOS ÚLTIMOS 12 MESES

Fonte: Datafolha/ICTQ – Pós-Graduação para Farmacêuticos

primeiro é preciso convencer o médico, que indicará ou não determinada marca. De olho nessa movimentação, o ICTQ – Pós-Graduação para Farmacêuticos apurou, através do Datafolha, quais são os laboratórios farmacêuticos mais confiáveis na opinião dos consumidores. O que se nota é que as percepções são pessoais e individualizadas, entretanto, os números apurados levam a crer que a preferência pela empresa x ou y deve-se à consolidação da marca e seu comportamento no mercado em constante evolução. A pergunta feita aos entrevistados foi: “Das marcas que você conhece qual considera mais confiável?”, tendo sido aplicada de forma espontânea, segundo explica a diretora de pesquisa do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade Industrial (ICTQ), Thaís Bueno. “Já as respostas que foram es-

timuladas por meio de cartões e marcas registradas são as que obtiveram uma porcentagem mínima de apontamentos, que girou em torno de 2% ou mais.” O estudo aponta que o consumidor segue uma tendência ao apontar as marcas de laboratórios em que mais confia ou dos quais efetua a compra de medicamentos. Isso pode ser observado nos rankings obtidos, onde se ressalta que as indústrias de medicamentos que sobressaem não tendem a grandes mudanças de uma pergunta para outra. Entretanto, esses números são representativos da realidade contemporânea do mercado de consumidores de medicamento no Brasil, podendo mostrar-se diferentes se a pesquisa for realizada em breve intervalo. “Com relação às mudanças nas escolhas por parte do consumidor, os apontamentos nos sugerem que os la2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Pesquisa249_4pag.indd 45

45

18/07/13 15:46


PESQUISA

OS CONSUMIDORES APONTAM QUE PARA CONQUISTAR SUA CONFIANÇA É NECESSÁRIO MUITO MAIS QUE UMA SIMPLES DISPENSAÇÃO. HOJE ELES EXIGEM QUE OS LABORATÓRIOS TENHAM UMA PERCEPÇÃO MAIS APURADA DE SUAS NECESSIDADES boratórios que não detiverem conhecimento adequado do perfil dos consumidores, suas necessidades e percepções, poderão perder mercado, pois a população vem se mostrando cada vez mais informada e atenta às transformações constantes de nossa sociedade de maneira global.” Ela enfatiza que o consumidor brasileiro não se comporta mais de maneira passiva como no passado, sendo hoje um cidadão de opinião formada, que busca por atendimento de excelência, medicamentos de qualidade e a preço justo.

COMPORTAMENTO DECISIVO Os consumidores apontam que para conquistar sua confiança é necessário muito mais que uma simples dispensação de medicamentos realizada ao bel-prazer do estabelecimento de saúde. Hoje eles exigem que os laboratórios tenham uma percepção mais apurada de suas necessidades, que o canal distribuidor consiga preços mais acessíveis e que o farmacêutico realize uma dispensação de maneira humanizada, com conhecimentos amplos sobre sua área de atuação, mostrando-se o todo de maneira convergente. Thaís ressalta que não é possível olvidar os números e adquirir a confiança do consumidor no momento da compra de maneira isolada ou apenas porque alguém disse que determinado medicamento é bom. “O consumidor procura algo que vai além para defini-lo como de sua confiança. A aposta no momento é a atuação de maneira global, detentora de conhecimentos e de forma humanizada.” O Primeiro Levantamento Nacional do Perfil dos Consumidores de Medicamentos no Brasil revela dentre os laboratórios farmacêuticos que o consumidor brasileiro comprou medicamentos nos últimos 12 meses. A Medley aparece em primeiro lugar, com 29% das respostas. Johnson & Johnson é a segundo colocada, com 16%; Neoquímica em terceiro, com 14%. Na sequência, Aché e Eurofarma empatados com 13%; EMS e Teuto com 11%; Roche e Bayer com 10%; Pfizer com 4%; e Novartis, Cimed, Schering e Merck, com 3%. 46

Dessa forma, seguindo a tendência de conhecimento, Medley é o laboratório com maior percentual de compra nos últimos 12 meses e se destaca em compras entre mulheres das classes A (33%) e B (40%), com ensino médio (30%) e superior (45%). O público consumidor da Johnson & Johnson, segundo colocado no ranking, é mais jovem, entre 18 e 25 anos. Já o destaque para o terceiro colocado, Neoquímica, fica por conta do consumo um pouco maior do público masculino (15%), contra 13% do feminino. “O consumo de medicamentos por mulheres jovens das classes A e B é visto como uma tendência aparente quando se observam dados do estudo de maneira superficial, entretanto, faz-se necessária a análise mais detalhada para que possamos afirmar com exatidão qual o público-alvo de cada laboratório, os perfis de todos os segmentos, dentre outros’, comenta Thaís. A pesquisadora do ICTQ acredita que o conhecimento do perfil e do comportamento do consumidor de medicamentos nos tempos atuais e o fato de não se manter em uma zona de conforto, acreditando que já possui conhecimento suficiente ou marca consolidada, é o que confere dinamismo ao mercado. ‘‘Quem se mantiver de maneira estática fatalmente verá seu volume de vendas ser apresentado de maneira descendente.” Quando questionados sobre a confiança em primeiro lugar, como os laboratórios mais confiáveis, o ranking sofre algumas alterações. A ordem fica da seguinte forma: Medley, Johnson & Johnson, Neoquímica, Bayer, Aché, Eurofarma, Roche, EMS, Teuto, Pfizer, Schering, Cimed, Merck e Novartis.

O QUE MUDA PARA O MERCADO Não são só os laboratórios que precisam de mobilidade e inovação; o varejo precisa acompanhar o mesmo ritmo. Esta mudança está associada a múltiplos fatores. Thaís afirma ser de suma importância a confluência da forma como os medicamentos devem ser dispensados, na Atenção farmacêutica, na qualificação técnico-profissional de quem o atende, na localização e atratividade do estabelecimento. “É necessária uma mudança de postura que deve ser iniciada na indústria, percorrida até a dispensação, por parte de quem busca consolidar-se como líder de mercado”, finaliza.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Pesquisa249_4pag.indd 46

18/07/13 15:46


CONSULTOR JURÍDICO

Indeferimento de

renovação da AFE/AE DE QUE FORMA PROCEDER DIANTE DE ETAPAS TÃO BUROCRÁTICAS, QUE DEMANDAM TEMPO E BOA ADMINISTRAÇÃO?

A

Atualmente é a Resolução RDC 17/13 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a norma que trata dos critérios para peticionamento de Autorização de Funcionamento (AFE) e de Autorização Especial (AE) de farmácias e drogarias, elencando diversos motivos de indeferimento dos pedidos de renovação da AFE/ AE, como por exemplo: • A não apresentação da licença sanitária emitida pela vigilância sanitária local do ano corrente ou do relatório de inspeção emitido pela vigilância sanitária local do ano corrente; • O protocolo da petição antes de 180 (cento e oitenta) dias ou depois de 60 (sessenta) dias anteriores à data de vencimento da AFE/AE, bem como o não pagamento da taxa da Anvisa em até 30 dias da emissão da GRU (Guia de Recolhimento da União).

UMA VEZ INDEFERIDO, O QUE PODE A FARMÁCIA OU DROGARIA FAZER?

GUSTAVO S E M BLANO Advogado e consultor jurídico da Associação do Comércio Farmacêutico do Estado do Rio de Janeiro (Ascoferj) e da Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (regional Estado do Rio de Janeiro) – Anfarmag. Atualmente cursa a pósgraduação em Direito da Farmácia e do Medicamento na Faculdade de Direito de Coimbra (Portugal) 48

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO

Artigo Consultor juridico 249.indd 48

A resposta se encontra na própria Resolução RDC 17/13, que apresenta três condutas a serem tomadas pelo agente regulado: o pedido de retificação de publicação, o pedido de reconsideração e o recurso administrativo. I – Pedido de retificação e pedido de reconsideração O pedido de retificação de publicação (art. 16) pode ser apresentado em dois casos: quando o erro na publicação do Diário Oficial foi causado pela Anvisa ou quando o erro se deu pela própria empresa; neste caso haverá a incidência da 2013

cobrança de taxa. Já o pedido de reconsideração do indeferimento (art. 16) pode ser apresentado para tentar reverter a situação, solicitando que o próprio setor que indeferiu o pedido reanalise os fundamentos de tal rejeição. Deve-se apresentar uma justificativa objetiva e comprovar as alegações juntando virtualmente documentos. II – Recurso administrativo O recurso administrativo, em minha opinião, o melhor a ser feito, possui fundamento no artigo 11 da Resolução RDC 17/13 e remete à Resolução 25/08. Deve ser interposto no prazo de 10 dias das decisões oriundas de análises técnicas da Anvisa e será decidido não pelo próprio setor que proferiu a decisão de indeferimento (como ocorre com o pedido de reconsideração), mas pela Diretoria Colegiada da Anvisa, embora o setor responsável pelo indeferimento possa reconsiderar sua decisão no prazo de cinco dias. Ao contrário do que ocorre com os pedidos de retificação de publicação e de reconsideração, em relação ao recurso administrativo, a situação é mais confortável à empresa, na medida em que a Lei Federal nº 9.782/99 diz claramente no parágrafo 2º de seu artigo 15 que “dos atos praticados pela Agência caberá recurso à Diretoria Colegiada, com efeito suspensivo, como última instância administrativa”. Assim, enquanto pendente o julgamento do recurso administrativo, deve-se considerar o indeferimento da renovação da AFE/AE como inexistente, situação esta favorável ao estabelecimento farmacêutico. FOTO: DIVULGAÇÃO

18/07/13 12:05


PANORAMA

PESQUISA DA DELOITTE INDICA QUE TRANSFORMAR OS PROCESSOS DE INOVAÇÃO E OS MODELOS DE VENDAS É O PRINCIPAL DESAFIO COMPETITIVO DAS EMPRESAS DO SETOR. BRASIL É UM DOS MERCADOS MAIS ATRATIVOS DO PLANETA E DEVE CRESCER 5,3% ATÉ 2016

O futuro do POR MARCELO DE VAL É CI O

mercado de saúde

A

Apesar dos reveses na economia, principalmente no último ano, o Brasil se mantém como um dos principais centros de atração de investimento na área de saúde no mundo. A expectativa de crescimento anual do mercado de saúde no País é de 5,3% até 2016. E o gasto per capita de produtos farmacêuticos é quase quatro vezes maior do que na China, que é o quinto mercado do mundo. A conclusão faz parte do estudo Healthcare reform and life sciences: threat, opportunity or both?, pesquisa internacional realizada pela Deloitte divulgada recentemente. O estudo analisa a nova onda de mudanças ocasionadas pelas reformas no setor e a reação das empresas aos movimentos, além de trazer cases sobre Brasil, China e Ale-

50

Panorama_5pag.indd 50

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

manha, os três mercados que devem crescer e se reestruturar nos próximos anos. Entre as conclusões do levantamento, fomentar a inovação, reduzir custos, ampliar o acesso ao mercado e redefinir os modelos de vendas são alguns dos fatores de transformação do mercado de saúde em termos globais para os quais as organizações devem estar atentas. Segundo os analistas da consultoria, em todas as áreas a compreensão sobre o andamento das mudanças, em âmbito nacional e global, e como as empresas estão ou vão responder a elas é um dos grandes desafios atuais. De acordo com o levantamento, 77% dos executivos ouvidos dizem ser prioridade a adaptação às transformações atuais FOTO: SHUTTERSTOCK

18/07/13 12:10


PANORAMA do setor (entre os entrevistados de empresas farmacêuticas, este número chega a 88%). Entretanto, boa parte ainda tem se manifestado reativamente. Mais de 60% afirmam que as mudanças no setor representam alto risco para os negócios, enquanto apenas 8% acreditam num risco pequeno. Como primeiro desafio apontado está o fato de ter de lidar com o governo e agências regulatórias, com 42% das respostas, seguido do ajuste do modelo comercial das organizações para a nova realidade (41%). Assim, a maior parte dos recursos gastos é com aspectos regulatórios (43%), além de estratégias globais, relações governamentais, marketing e vendas. O estudo ouviu 295 executivos do setor de saúde do mundo todo. Destes, 33% são de origem europeia, 33% são da América do Norte, 26% da Ásia e 3% da América Latina, além de África e Oriente Médio. A indústria farmacêutica teve 36% dos executivos consultados, 20% são da área de dispositivos médicos e diagnósticos, 20% são fornecedores de serviços e 13% são da área de biotecnologia. Inovação continua sendo um dos principais planos para as em-

presas que participaram do levantamento. Ao longo dos próximos três anos, 75% das companhias dizem que mudarão seus processos nesse quesito. Segundo o estudo, enquanto a redução de custos e maior acesso ao mercado são pontos importantes nas mudanças do mercado, o governo tem incentivado a inovação de produtos, o que oferece oportunidades para as empresas de saúde. Nesse aspecto, a China tem ampliado a área de biotecnologia (uma das sete indústrias estratégicas do país). Enquanto isso, o governo brasileiro investiu US$ 3 bilhões no desenvolvimento de biotecnologia. Já a Alemanha, desde 2010, teve os preços dos medicamentos congelados e os descontos de vendas de produtos para o governo aumentaram de 6% para 16%. Apesar dos desafios, 47% dos entrevistados dizem que as transformações no setor despertam uma grande oportunidade para a indústria de saúde. Parte desse potencial está no desenvolvimento de produtos que atendam, por exemplo, cuidados com foco no paciente –

DURANTE A DÉCADA PASSADA, 50 MILHÕES DE PESSOAS INGRESSARAM NA CLASSE MÉDIA - O POTENCIAL DE EXPANSÃO AINDA É GRANDE População por classe social América Latina e Caribe 50 45 40 35

Impacto da melhoria de renda no consumo de medicamentos Consumo de medicamentos por família no Brasil (US$/ano)

Pobres

1.001

Vulneráveis

30 25

50 milhões de pessoas

Classe média

20 15 10

Essa migração tem determinado o crescimento do consumo de medicamentos.

5

O novo consumidor é mais sensível a preço.

0 1995

2000

2005

2010

458

242

Pobres (US$ 0 a US$ 4 por dia) Vulneráveis (US$ 4 a US$ 10 por dia) Clásse média (US$ 10 a US$ 50 por dia)

Classe DE

Classe C

Classe AB

65% DA POPULAÇÃO, OU 350 MILHÕES DE PESSOAS EM SITUAÇÃO ‘‘VULNERÁVEL’’ OU ‘‘POBRE’’ Nota: Definição de classes sociais entre Banco Mundial e Pyxis Consumo não é 100% comparável Fontes: Mobilidade econômica e a ascensão da classe média latino-americana, Banco Mundial, Consumo por classe social da Pyxis Consumo/IMS Health

52

Panorama_5pag.indd 52

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 12:10


EM 2050 O PERFIL ETÁRIO DA AMÉRICA LATINA SE ASSEMELHARÁ AO PERFIL DE MERCADOS MADUROS

30

América Latina e Caribe – 2012

América Latina e Caribe – 2050

Homens

Homens

20 10 População (milhões)

Mulheres

100+ 95-99 90-94 85-89 80-84 75-79 70-74 65-69 60-64 55-59 50-54 45-49 40-44 35-39 30-34 25-29 20-24 15-19 10-14 5-9 0-4 0

0 Faixa etária

10 20 30 População (milhões)

25 20 15 10 5 População (milhões)

2012: 18% da população > 50 anos

0

100+ 95-99 90-94 85-89 80-84 75-79 70-74 65-69 60-64 55-59 50-54 45-49 40-44 35-39 30-34 25-29 20-24 15-19 10-14 5-9 0-4 Faixa etária

Mulheres

0

5 10 15 20 25 População (milhões)

2012: 35% da população > 50 anos

+ 150 MILHÕES DE PESSOAS ACIMA DE 50 ANOS Fonte: United States Census Bureau data and projections (2012)/IMS Health

39% apontam esse aspecto como seu principal objetivo, enquanto 36% citam a ampliação de acesso ao mercado. O estudo revelou também que 53% esperam mudar inovação e processos e 44% pretendem modificar seus modelos de venda. O Brasil é uma economia emergente com alguns pontos em comum com a China: em ambos os países o mercado e os marcos regulatórios ainda estão em desenvolvimento, a renda per capita é mais baixa do que nos mercados consolidados e existem grandes áreas inexploradas. A expectativa entre analistas do setor farmacêutico é de que o País não perca desta vez o bonde da economia mundial, como fez nas décadas de 1970 e 1980, quando, com o mercado fechado, deixou de investir em inovação. Executivos do setor acreditam que o Brasil, apesar dos problemas burocráticos e tributários ainda não solucionados, está mais maduro. “Após passar por grandes e significativas transformações na última década, a indústria brasileira está preparada para as mudanças que se avizinham”, revela a presidente-executiva da

Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró Genéricos), Telma Salles. “Mais precisamente, desde o início do programa brasileiro de medicamentos genéricos, e em decorrência de uma política cuja ampliação do acesso é o alvo, nossas indústrias experimentam uma evolução sem precedentes na historia do setor. Os genéricos trouxeram investimentos em novas tecnologias, ampliações fabris, qualificação de mão de obra, aumento na produtividade e foco na inovação”, diz a executiva. Segundo ela, entre as cinco maiores indústrias farmacêuticas do País, três são fabricantes de genéricos, produzindo localmente. “Essa expertise adquirida com os genéricos vem alimentando a expectativa de se atingir novos patamares. Obviamente que toda a cadeia acompanhará essas mudanças. A ampliação do acesso é consequência natural de uma indústria forte, capaz de oferecer produtos mais acessíveis.” 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Panorama_5pag.indd 53

53

18/07/13 12:11


PANORAMA

O MERCADO DE MEDICAMENTOS BIOLÓGICOS, ALÉM DE SER DE ALTO VALOR AGREGADO, É O CAMINHO QUE O PAÍS PRECISA DESENVOLVER PARA PODER GARANTIR SEU ESPAÇO NO CENÁRIO INTERNACIONAL FARMACÊUTICO PAÍS DE RENDIMENTOS Para 74% dos entrevistados na pesquisa da Deloitte, o Brasil é muito atrativo para a conquista de novos consumidores e, para 57%, muito atraente também para vendas – na China essa proporção é de 69% e 50% e na Alemanha é de 27% e 28%, respectivamente. O incentivo em processos de fabricação e em pesquisa e desenvolvimento vem logo em seguida, com 49% e 46% das respostas, respectivamente. De forma geral, 20% dos entrevistados dizem que suas organizações são mais ativas no mercado brasileiro contra 35% na China e 31% na Alemanha. Ao serem perguntados sobre as áreas em que as organizações pretendem se desenvolver nos próximos três anos, 81% dos executivos apontam vendas e atividades comerciais. Mas a ampliação do número de produtos a serem regulamentados está nos planos de 64%, enquanto 57% apontam as melhorias nas atividades manufatureiras. Apenas 7% dos empresários do setor acreditam que haverá uma reforma ampla no setor de saúde para os próximos cinco anos no Brasil, que contemple questões regulatórias mais estáveis. Para 39% estas mudanças serão moderadas, enquanto 36% acreditam em mudanças pequenas. Apesar desses dados, a expectativa é de que o País desta vez esteja no jogo da inovação e atraia cada vez mais investidores. “Os biossimilares, que são produtos de rota biológica cujas patentes já venceram, serão a porta para as empresas brasileiras entrarem de forma definitiva no mercado de biotecnologia farmacêutica”, afirma Telma Salles, comentando sobre a nova fronteira dos medicamentos de base biológica. “Estamos ainda dando nossos primeiros passos nesse sentido. Mas da mesma forma que no campo da síntese química, que colaborou para que nossas indústrias se fortalecessem, o mesmo deve acontecer com os biossimilares. Temos que dominar essa tecnologia e também investir mais em inovação radical”, sustenta a presidente da Pró Genéricos. O mercado de medicamentos biológicos, além de ser de alto valor agregado, é o caminho que o País precisa desenvolver, segundo Telma Salles, para poder garantir seu espaço no cenário internacional farmacêutico. Medicamentos biossimilares e biológicos são indicados para tratamento de doenças de alta comple56

Panorama_5pag.indd 56

xidade, como câncer, artrite reumatoide, doenças autoimunes, que vão aumentar sua incidência com o envelhecimento da população. No estágio atual, o impacto maior em termos monetários se localiza no governo, que adquire produtos com custo extremamente elevado. “O interesse do governo se une ao desenvolvimento da indústria, numa assertiva e frutífera parceria, em que a população será a maior beneficiada”, revela Telma. Segundo ela, boas oportunidades podem ser encontradas também no campo da síntese química, em produtos para o tratamento de doenças crônicas e complexas. Paralelamente, o País deve seguir investindo no desenvolvimento dos biológicos. “Contudo, temos ainda que discutir de forma mais madura a lei de acesso à biodiversidade, viabilizando a utilização de nosso patrimônio ambiental que é um dos mais ricos do planeta”, pondera a executiva. Embora as reformas na China e na Alemanha estejam ocorrendo de forma mais acelerada, o sistema de saúde no Brasil vem desenvolvendo políticas públicas que priorizam o acesso ao sistema médico-hospitalar, às novas tecnologias e à criação de novas drogas. O programa Mais Saúde e a Farmácia Popular são exemplos desse movimento no País, destaca a pesquisa da Deloitte. “O Brasil sabe que precisa reduzir seus gastos com medicamentos e uma grande parte desse custo vem de medicamentos de alto custo, como biossimilares e biológicos”, acentua Telma Salles. “Os genéricos foram em seu início e são, por consequência, um aprendizado de sucesso para empresários, governo e população. O Brasil soube provar que é capaz de dar respostas positivas. Temos um conjunto importante de competências e saberemos responder às demandas de biossimiliares e biológicos. Cada um fazendo a sua parte: governo contribuindo com a formação de políticas adequadas ao investimento nas plataformas de inovação, e as empresas redirecionando foco e esforços. Dessa forma, será possível colocar o Brasil na rota das novas tecnologias”, finaliza a presidente da Pró Genéricos.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 12:11


EMPREENDEDORISMO

Investir em filial:

qual o momento certo? A RESPOSTA TEM MUITAS VARIÁVEIS, QUE VÃO DO FEELING DO EMPREENDEDOR ÀS OPORTUNIDADES DE MERCADO. ESPECIALISTAS APONTAM, CONTUDO, UMA REGRA GERAL: PLANEJAMENTO P O R M A R C ELO DE V A LÉC I O 58

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

empreendedorismo249.indd 58

C

Consultores de empreendedorismo são unânimes em afirmar que investimento em uma nova loja, seja ela uma filial ou até mesmo um novo negócio, somente deve ocorrer se a empresa estiver amparada em dados concretos que demonstrem viabilidade para o ponto de venda adicional. Isso inclui desde avaliação macroeconômica até as opções diretas do mercado em que se vai atuar, considerando também os impactos cotidianos que a decisão implica. “Em primeiro lugar, o empresário deve avaliar se tem FOTOS: SHUTTERSTOCK

22/07/13 14:08


EMPREENDEDORISMO

O MOMENTO IDEAL PARA ABERTURA DE UMA NOVA LOJA É QUANDO SE TEM UMA VISÃO SISTÊMICA DO RAMO DE ATIVIDADE EM QUE SE PRETENDE ATUAR, A PARTIR DE UM PLANEJAMENTO QUE CONSIDERE FATORES INTERNOS E EXTERNOS. ALÉM DISSO, DEVE-SE LEMBRAR QUE FILIAL É SEMPRE UM NOVO NEGÓCIO E ESTÁ SUJEITA ÀS PRESSÕES E OPORTUNIDADES DO MERCADO LOCAL vontade e vocação efetiva para o crescimento, pois crescer significa ter muito mais trabalho, sair da zona de conforto, se ‘incomodar’”, observa o diretor da Mixxer Desenvolvimento Empresarial, consultoria especializada em bens de consumo e varejo, Eugênio Foganholo. Na definição do consultor, esse é um dos três principais pilares para definição do novo ponto comercial. Os outros dois envolvem o efetivo potencial de mercado para mais um PDV e a condição financeira do empresário. “Para isso é importante refletir e agir sobre as efetivas razões pelas quais um consumidor passaria a comprar na loja. E se repetiria a compra”, diz Foganholo. Além disso, um novo PDV significa a necessidade de capital para investimento (ponto, reforma, instalações, equipamentos) e capital de giro para estoque. “Dar o passo maior que a perna pode colocar tudo a perder”, adverte o consultor.

TEMPO ADEQUADO O consultor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-SP), Fabiano Nagamatsu, avalia que o momento ideal para abertura de uma nova loja é quando se tem uma visão sistêmica do ramo de atividade em que se pretende atuar, a partir de um planejamento que considere fatores internos e externos. Além disso, deve-se lembrar que filial é sempre um novo negócio e está sujeita às pressões e oportunidades do mercado local. “Para abertura de uma farmácia, o empresário deve elaborar um plano de negócio, acompanhado de controles e rotinas administrativas e financeiras. Com isso, ele pode prever a situação e agir antes que aconteça um possível problema. Em outras palavras, antes de investir, o empresário pode simular o investimento e analisar se o resultado será satisfatório ou não para a empresa” diz Nagamatsu. De acordo com o professor e coordenador do curso de Administração da Fesp-SP, Silvio José Moura e Silva, antes de tudo, o empreendedor precisa definir se vai empreender por necessidade ou por vocação. “Se for por vocação, ele tem alguma ideia do mercado e tino para concorrência. Basta aprofundar seus conhecimentos. Já os que empreendem por necessidade precisam estar mais atentos ainda às informações disponíveis e cuidadosos nas atitudes”, diz. 60

DEFINIÇÃO IMPORTANTE O melhor momento para abrir uma filial é quando o empresário tem informações precisas acerca das tendências do mercado em que está inserido, da capacidade financeira, estrutural e de pessoal da empresa e das concorrências diretas e indiretas. Alguns sinais podem ajudar nisso. Por exemplo, se a economia vai bem e as perspectivas são boas, a chance de sucesso se amplifica. ‘‘Na área de farmácia, é preciso avaliar como anda o mercado de saúde. Ele está aquecido? Tem novidades surgindo?”, indaga Moura e Silva. “Hoje o mercado está bom para saúde, o acesso tem melhorado, estamos vivendo mais. Inclusive, esta é uma boa oportunidade de negócio: serviços especializados para terceira idade. Uma farmácia que enxergar isso pode se dar bem. Também é preciso definir se o foco será uma farmácia de bairro ou de um grande centro”, sugere o professor. Outro aspecto destacado por ele diz respeito às dificuldades que as farmácias independentes precisam superar. “As grandes redes têm informações generosas sobre mercado, localidades mapeadas para novos pontos de venda, pesquisas.”

CONHECIMENTO CONSTANTE O novo empreendedor, dentro de suas condições, deve se cercar da maior quantidade de informações disponíveis. Somente assim ele poderá decidir com mais segurança a abertura de um novo PDV. O presidente do Instituto MVC, consultoria especializada em gestão corporativa, JB Vilhena, faz coro às observações de Moura e Silva e acrescenta que o mais importante é avaliar o potencial do mercado e a atratividade da região em que se pretende iniciar o negócio. “Uma consulta bem feita às informações disponíveis no site do Sebrae darão uma importante pista sobre densidade demográfica, renda per capita e outros indicadores econômico-financeiros”, ensina Vilhena. “Um aspecto bem prático é avaliar a proximidade com hospitais, a concentração de consultórios médicos e a existência ou não de gran-

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

empreendedorismo249.indd 60

18/07/13 12:16


EMPREENDEDORISMO

ERROS MAIS COMUNS E O QUE FAZER ANTES DE ABRIR UM NOVO PONTO ERROS MAIS COMUNS PREVENÇÃO Não conhecer a realidade da Realizar uma pesquisa região – fluxo de pessoas, de mercado. classes sociais, costumes locais. Calcular a necessidade de Falta de capital para manter a capital de giro – programar empresa em funcionamento – para o mínimo de seis meses, caixa mínino e estoque. dependendo do segmento. Treinar funcionários ou recrutar Funcionários desqualificados. profissionais qualificados antes da abertura do novo ponto. Realizar controles separados. Cada empresa deve ter sua Confusão financeira e própria estrutura financeira operacional entre matriz e filial. e administativa (controles de estoque, fluxo de caixa, programação de contas). Realizar um plano de trabalho Disfunção e retrabalho. com divisão de tarefas e padronização da comunicação. Fonte: Sebrae

de número de concorrentes na região, o que pode ajudar a tornar a decisão mais acertada.” Uma vez que o mercado externo é analisado, por meio da concorrência, dos fornecedores e do público-alvo, o empresário deve reunir as informações pesquisadas no plano de negócio, que determinará o momento exato de quando as estratégias serão executadas, qual será o investimento necessário, além de verificar o retorno financeiro e a programação das metas. Pesquisa de mercado é, sem dúvida, uma ferramenta importante nesse momento, mas ela não resolve todos os problemas. Não basta saber somente o que acontece fora da empresa; o empresário deve criar estratégias condizentes com sua realidade, colocá-las em prática e monitorar os resultados. “A pesquisa obviamente ajuda, mas

O empresário há perguntas que têm de ser resdeve criar pondidas: será que o custo da estratégias pesquisa excede o valor do risco condizentes com sua realidade do empreendimento? Em outras palavras, se para fazer uma pesquisa de forma correta (contratando gente especializada e de reputação ilibada) vamos gastar 100 e o custo de montagem da farmácia é 90, me parece melhor correr o risco. A atitude certa a ser tomada é avaliar a relação custo/benefício”, salienta JB Vilhena.

ITENS IMPRESCINDÍVEIS Entre as variáveis básicas para abrir um negócio ou nova filial estão localização, investimento inicial, capital de giro, aluguel e reforma física das instalações, mobiliário, formação de estoque, propaganda e contratação e treinamento de funcionários. “Um dos maiores desafios atuais diz respeito a pessoas. O empresário deve refletir se tem condições de atrair e manter um quadro de pessoas minimamente competente e comprometido”, sustenta Eugênio Foganholo. “Capital de giro é crucial”, adiciona Silvio José Moura e Silva. “Sem ele o empresário não compra e não vende, o que pode ser fatal. Se o cliente não encontrar o que procura, ele não volta”, diz o professor. Todos esses fatores são importantes e devem estar detalhados no planejamento. Porém, há outro aspecto também relevante, mas que nem sempre é levado em conta com a devida atenção pelos empresários, na opinião de Fabiano Nagamatsu: são os controles financeiros e administrativos. “A falta de disciplina ou a correria do dia a dia contribui para que os controles da empresa fiquem de lado. Dessa maneira, muitas vezes, o empresário dispõe de um estoque altíssimo por não saber exatamente quanto comprar, imobilizando o seu capital ou não tendo lucro por precificar os produtos sem analisar o controle de custos da empresa.” Partindo do planejamento, que direcionará todas as ações da empresa, o empresário deve, segundo o consultor do Sebrae, nivelar os controles (fluxo de caixa, controle de estoque, divisão de tarefas, divul-

ENTRE AS VARIÁVEIS BÁSICAS PARA ABRIR UM NEGÓCIO OU NOVA FILIAL ESTÃO LOCALIZAÇÃO, INVESTIMENTO INICIAL, CAPITAL DE GIRO, ALUGUEL E REFORMA FÍSICA DAS INSTALAÇÕES, MOBILIÁRIO, FORMAÇÃO DE ESTOQUE, PROPAGANDA E CONTRATAÇÃO E TREINAMENTO DE FUNCIONÁRIOS 62

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

empreendedorismo249.indd 62

18/07/13 12:16


EMPREENDEDORISMO

PROCEDIMENTOS PARA REGISTRAR UMA NOVA FARMÁCIA NA ANVISA No que cabe às exigências legais de vigilância sanitária, para exercer suas atividades as farmácias devem possuir Autorização de Funcionamento de Empresa, emitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e Licença Sanitária, expedida pelo órgão de vigilância sanitária local, que é onde se inicia o processo. A Licença é a responsável pela realização da inspeção sanitária no estabelecimento e pela emissão da documentação necessária ao pedido de autorização junto à Anvisa. Na inspeção, além das normas federais, será também considerada a legislação local aplicável ao licenciamento. Para funcionar, os estabelecimentos dependem ainda da efetiva assistência de profissional farmacêutico, devidamente inscrito no respectivo conselho de classe. O prazo médio de análise dos pedidos na Anvisa é de 30 a 60 dias, contados a partir da data da solicitação. A esse prazo deve-se somar o tempo gasto pela vigilância local, que varia de acordo com o município. As informações são do especialista em Regulação e Vigilância Sanitária e chefe da Unidade de Autorização de Funcionamento de Empresas da Anvisa, Fábio Pereira Quintino. Mais informações podem ser obtidas no site da Agência: www.anvisa.gov.br.

gações) com o que foi previsto, sempre ajustando com as novas tendências do mercado para o segmento. Na verdade, todos os custos devem ser analisados em detalhes. É claro que os custos variáveis são decorrentes do volume comercializado, isto é, quanto mais vender, mais pagará impostos. Já os custos fixos podem ser diluídos ao passo que aumenta o volume de vendas. “Nesse caso, o empreendedor deve sempre aumentar o volume de vendas para que o custo fixo seja diluído, ou seja, se vender um produto terá o mesmo custo fixo (aluguel, salários, energia, condomínios) se vendesse mil produtos. O desafio é reduzir ou diluir o máximo dos custos fixos mensalmente nas vendas, contribuindo para o aumento da margem de lucro”, revela Fabiano Nagamatsu. Em termos financeiros, para evitar riscos desnecessários, o empresário dever realizar um planejamento que possibilite analisar a viabilidade de cada investimento, a rentabilidade, a lucratividade, o 64

payback e as metas alcançáveis. “Na análise de viabilidade, o empresário realiza uma simulação do possível investimento, programa as metas mensais de faturamento e prevê o retorno financeiro. A partir do resultado apresentado na simulação pode-se iniciar a tomada de decisão com mais segurança”, diz o consultor do Sebrae, que faz outra advertência: “além de analisar a viabilidade por meio da simulação, o empresário deve se atentar à taxa de juro de cada empréstimo ou financiamento, sempre analisando questões financeiras e econômicas do mercado para o segmento em questão”. Eugênio Foganholo, da Mixxer, resume a questão em uma receita simples: jamais investir mais do que o potencial de retorno do negócio. “Para isso é preciso ter um planejamento bem feito, que permita estimar com precisão as receitas possíveis e os custos corresponden-

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

empreendedorismo249.indd 64

18/07/13 12:16


EMPREENDEDORISMO

PASSOS CORRETOS PARA ABRIR UMA FILIAL OU NOVA LOJA

1

Conhecer ou estudar o ramo pretendido

2

Sempre estar atento ao mercado

3

Realizar planejamento de médio e longo prazos

4

Controlar baseando-se nas estratégias do planejamento

talização da empresa e o uso do crédito bancário. É sensato não abusar dessas fontes já que os juros no Brasil são altos e podem comprometer a saúde da empresa em situações adversas e inesperadas. O ideal é estabelecer um limite ou porcentagem razoável do lucro da empresa para o pagamento de juros e principal, mantendo o olho na geração de caixa para evitar que recursos bancários tornem-se tapa-buracos. Eugênio Foganholo enfatiza o cuidado com o caixa. “Sempre o caixa é rei. Isso significa que preservá-lo pode oferecer as condições de sobrevivência para a empresa.” O planejamento é a tentativa de antecipar ao máximo as variáveis que podem comprometer o negócio. Mas nem sempre a prática se apresenta como o planejado. Para isso, o empresário deve ter uma visão mais ampla e ser flexível quando necessário. “Ao mesmo tempo que é importante planejar também é relevante o acompanhamento do previsto em relação ao realizado. Se as coisas estiverem acontecendo como havíamos imaginado, ótimo. Caso o resultado esteja se distanciando do que pretendíamos, é preciso reavaliar e promover as correções necessárias”, diz JB Vilhena, do Instituto MVC. É comum acontecerem reveses, o começo é sempre difícil, diz a maioria dos empresários.

ESFORÇO CONTÍNUO

5

Divulgar a marca

Atentar para as tecnologias e inovações para o segmento

6

Fonte: Sebrae

tes. Não adianta desejar, sonhar, torcer para acontecer. É preciso fazer as contas certas.”

BENEFÍCIOS BEM-VINDOS Existem linhas de crédito para novos negócios disponíveis para o varejo fornecidas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, como o Cartão BNDES, e operadas pelos bancos públicos (Banco do Brasil e Caixa) e instituições privadas. Os consultores recomendam, contudo, cautela com a descapi66

É preciso persistência e isso vale tanto para um novo empreendimento quanto para a abertura de uma filial. Porém, em alguns casos, é preferível desistir. “Para se tomar a decisão de persistir ou desistir do empreendimento o empresário deve, em primeiro lugar, conhecer e gostar do ramo em que atua, depois ter um planejamento bem elaborado, acompanhar as tendências e ser criativo. Esses pontos são características de um empreendedor. Portanto, não basta somente ter o capital e o planejamento, é necessário antes de tudo dispor do espírito empreendedor, do contrário, é melhor que sempre seja um colaborador, pois ‘se aventurar’ no mundo dos negócios pode comprometer, além da própria família, outras também”, alerta Fabiano Nagamatsu, do Sebrae. “É preciso uma análise bem embasada da viabilidade econômica do novo ponto de venda, com projeções bem realistas. Otimismo é sempre bem-vindo, mas em excesso pode mascarar a realidade. Deve-se questionar o tempo de retorno do investimento. Quanto a minha filial pode absorver do mercado e em quanto tempo isso deve ocorrer? Até lá terei fôlego para manter o negócio ativo, reinvestindo?”, questiona Silvio José Moura e Silva, da Fesp.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

empreendedorismo249.indd 66

18/07/13 15:30


LOGÍSTICA

Diferenciais do armazenamento de medicamentos

E

Em função do aumento da produtividade e o foco cada vez mais dirigido para a produção, o operador logístico tem se evidenciado como uma alternativa importante para a indústria farmacêutica. O manual de Boas Práticas de Armazenagem (BPA) é o processo realizado pelo departamento de garantia da qualidade para assegurar que os serviços prestados sejam feitos de modo apropriado para o cumprimento de todas as etapas de armazenagem dos produtos. O armazenamento ou estocagem se faz necessário para melhoria na demanda da produção até a entrega ao consumidor final. Porém, para que todo processo ocorra de maneira eficaz, é essencial um gerenciamento correto de estoque (entradas, saídas, controles através do código de barras, lote e validade), assegurando a rastreabilidade do produto. Já os medicamentos que exigem condições de armazenagem especiais devem ser imediatamente identificados e alocados de acordo com as instruções específicas do fabricante e com as exigências das normas vigentes (Anexo II Art. 10 da Portaria 802/1998). A mão de obra qualificada faz toda a diferença em uma empresa prestadora de serviços, por isso, é importante que o farmacêutico em conjunto com os gestores das áreas invistam em treinamentos específicos a todos os colaboradores para que se torne uma rotina diária e uma prática adotada por todos para o aumento da qualidade dos serviços da empresa. A infraestrutura destinada à guarda FOTO: DIVULGAÇÃO

Artigo Logistica 249.indd 67

dos produtos também deve ter área e construção adequadas, viabilizando os processos de higiene e limpeza operacionais, pois estes fatores estão diretamente relacionados à qualidade e à conservação dos medicamentos. O operador logístico oferece alternativas de armazenagem que atendam às especificações de conservação do produto, ou seja, ambientes monitorados, controlados, resfriados, refrigerados e até congelados. A temperatura deve ser controlada para oferecer as mesmas condições das utilizadas em um estoque mantido na indústria, pois, dependendo da forma farmacêutica do medicamento (por exemplo: cápsulas, drágeas e xarope), a temperatura elevada pode desencadear o aparecimento de fungos e alterações da consistência, sabor, odor e até mesmo a desintegração, influenciando na eficácia do medicamento. O trabalho do operador logístico farmacêutico e da saúde deve estar alinhado com seu cliente. Sendo assim, o papel do farmacêutico é de extrema importância em toda a cadeia logística, para que se assegure a conservação do produto de acordo com as recomendações de conservação do fabricante de modo a contribuir para a salvaguarda da saúde da população. Destacando sempre que a conservação da mercadoria é imprescindível em todas as etapas desse processo, ou seja, armazenagem, transporte e distribuição. Obs.: Para saber ainda mais sobre o assunto, adquira já o livro: Logística Farmacêutica Geral: Da Teoria à Prática no site www.lojacontento.com.br

A CONSERVAÇÃO DO PRODUTO É IMPRESCINDÍVEL EM TODAS AS ETAPAS DESSE PROCESSO, OU SEJA, ARMAZENAGEM, TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO

C A M I L A C R ISPIM PINH EIR O Farmacêutica responsável pela unidade de Itapevi (SP) da Ativa Logística

2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

67

18/07/13 12:18


NEGÓCIOS

Localização

certeira

ATENDIMENTO ATENCIOSO, LOJA MODERNA E PREÇOS ATRATIVOS PODEM NÃO RESULTAR NO SUCESSO DE UMA FARMÁCIA, SE O PONTO DO ESTABELECIMENTO NÃO FOR ADEQUADO POR FLÁVIA CORBÓ 68

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Layout_249_4pags.indd 68

Q

Quais são os itens primordiais para garantir o sucesso de um empreendimento comercial? Preços atrativos? Bom atendimento? Sortimento adequado? Em meio às teorias de especialistas e estudiosos de mercado, há uma máxima popular que diz: ponto, ponto e ponto. Ou seja, sem uma boa localização a meta de alavancar um negócio torna-se uma missão quase impossível. Por isso, antes de tomar qualquer FOTOS: SHUTTERSTOCK

18/07/13 12:20


CHECKLIST Confira quais aspectos devem ser avaliados antes da escolha do ponto comercial ideal: Perfil do público: defina o perfil da sua loja e procure regiões que possuam o tipo de público adequado. O layout e o sortimento devem visar atrair os consumidores que ali circulam; Viabilidade financeira: avalie o preço do aluguel e os investimentos que serão necessários para adequar o ambiente; Vizinhança: estude a concorrência e crie maneiras de superá-la. O tipo de comércio do entorno também deve ser avaliado, pois pode ajudar ou prejudicar o fluxo do público-alvo; Visibilidade e acesso ao local: para fazer frente à concorrência é preciso oferecer vagas de estacionamento, ou estar próximo a pontos de tranporte público. Boa visilibidade e possibilidade de explorar a fachada também são outros atrativos relevantes; Aspectos legais: antes de alugar ou comprar um imóvel avalie a documentação e o contrato. Cheque se não há impedimento para o estabelecimento comercial do tipo pretendido. Fontes: Ibevar e Sebrae

providência, o varejista deve focar a escolha do ponto comercial mais adequado aos seus objetivos. Em primeiro lugar, é preciso definir o público-alvo da farmácia e drogaria. Para isso existem dois caminhos: estudar o mercado local e, a partir disso, montar as diretrizes da loja, ou definir o público almejado e buscar a região onde ele se encontra. O mix da sua loja será focado apenas em medicamentos ou também em higiene, perfumaria e cosméticos? Os preços

serão populares ou a intenção é investir em produtos de alto valor agregado? Idosos serão os clientes prioritários de seu sortimento e da política de descontos? “É preciso definir e estudar o público previamente. Não dá para descobrir, depois que abriu a loja, qual é o tipo de cliente que tem na região. Feito deste modo corre-se o risco de montar a farmácia com layout, produtos e marcas inadequados”, aconselha o consultor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Gustavo Carrer. Ainda em relação ao consumidor-alvo, a escolha do ponto comercial pode seguir por três diretrizes. A primeira é optar por um imóvel localizado próximo do local de residência do consumidor. Outra opção é se instalar em uma região frequentada por ele, seja pela proximidade com hospital, escola ou região comercial. A terceira situação ideal seria fixar o negócio no caminho entre essas duas situações anteriores, em uma área de fluxo intenso. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Layout_249_4pags.indd 69

69

18/07/13 12:20


NEGÓCIOS

DENSIDADE DE CONCORRENTES X FLUXO DE PESSOAS

10 minutos

5 minutos

1) É preciso analisar a região, dentro de um raio de cinco minutos de distância da farmácia – seja a pé ou de carro, e em todas as direções – pois nela está concentrado o público de maior incidência e os concorrentes mais diretos.

“Em regiões verticalizadas ou com muitas residências, você vai atingir o público pela questão da conveniência. Ou vai estar em uma região com muitos escritórios e fábricas, em uma via de movimentação, em que as pessoas parariam quando estivessem se deslocando entre a casa e o trabalho”, detalha Carrer. A escolha do local também deve considerar não somente a quantidade, mas a qualidade e adequação do público aos objetivos do empreendimento. “Um fluxo grande por si só não é garantia de vendas. É preciso ter uma circulação de pessoas dispostas a consumir o sortimento oferecido”, ressalta o coordenador de pesquisas do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar), professor Nuno Fouto.

CONCORRÊNCIA PODE ESTAR AO LADO Outro ponto a ser considerado durante a escolha da localização é a densidade de concorrentes versus o fluxo de pessoas. Para isso é preciso analisar a região, dentro de um raio de cinco minutos de distância da farmácia – 70

2) Em seguida, é preciso fazer uma análise secundária, desta vez considerando a distância de dez minutos, onde ainda há uma zona de influência.

seja a pé ou de carro, e em todas as direções – pois nela está concentrado o público de maior incidência e os concorrentes mais diretos. Em seguida, é preciso fazer uma análise secundária, desta vez considerando a distância de dez minutos, onde ainda há uma zona de influência. E como deve ser realizada tal análise? De acordo com o consultor do Sebrae, o estudo deve ser feito de maneira bem prática, com o uso de um mapa impresso, normalmente vendido em bancas de jornal, ou de ferramentas disponíveis na internet, como o Google Maps. “Assinale onde estão seus concorrentes e vá conhecê-los. Saiba quais são suas características, o que oferecem, quais são os pontos negativos e positivos, se têm estacionamento ou não, por exemplo”, indica. A partir dessa investigação, deve-se escolher um ponto comercial que tenha características que tornem a concorrência possível. Caso a farmácia ao lado ofereça dez vagas de estacionamento, é in-

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Layout_249_4pags.indd 70

18/07/13 12:21


NEGÓCIOS

ESTRUTURA FÍSICA PARA FARMÁCIAS E DROGARIAS Seção I Da Infraestrutura Física Das Condições Gerais Art. 5º As farmácias e drogarias devem ser localizadas, projetadas, dimensionadas, construídas ou adaptadas com infra-estrutura compatível com as atividades a serem desenvolvidas, possuindo, no mínimo, ambientes para atividades administrativas, recebimento e armazenamento dos produtos, dispensação de medicamentos, depósito de material de limpeza e sanitário. Art. 6º As áreas internas e externas devem permanecer em boas condições físicas e estruturais, de modo a permitir a higiene e a não oferecer risco ao usuário e aos funcionários. §1º As instalações devem possuir superfícies internas (piso, paredes e teto) lisas e impermeáveis, em perfeitas condições, resistentes aos agentes sanitizantes e facilmente laváveis. §2º Os ambientes devem ser mantidos em boas condições de higiene e protegidos contra a entrada de insetos, roedores ou outros animais. §3º As condições de ventilação e iluminação devem ser compatíveis com as atividades desenvolvidas em cada ambiente. §4º O estabelecimento deve possuir equipamentos de combate a incêndio em quantidade suficiente, conforme legislação específica. Art. 7º O programa de sanitização, incluindo desratização e desinsetização, deve ser executado por empresa licenciada para este fim perante os órgãos competentes. Parágrafo único. Devem ser mantidos, no estabelecimento, os registros da execução das atividades relativas ao programa de que trata este artigo. Art. 8º Os materiais de limpeza e germicidas em estoque devem estar regularizados junto à Anvisa e serem armaze nados em área ou local especificamente designado e identificado. Art. 9º O sanitário deve ser de fácil acesso, possuir pia com água corrente e dispor de toalha de uso individual e descartável, sabonete líquido, lixeira com pedal e tampa. Parágrafo único. O local deve permanecer em boas condições de higiene e limpeza. Art. 10. Deve ser definido local específico para guarda dos pertences dos funcionários no ambiente destinado às atividades administrativas. Art. 11. As salas de descanso e refeitório, quando existentes, devem estar separadas dos demais ambientes. Art. 12. O estabelecimento deve ser abastecido com água potável e, quando possuir caixa d’água própria, ela deve estar devidamente protegida para evitar a entrada de animais de qualquer porte, sujidades ou quaisquer outros contaminantes, devendo definir procedimentos escritos para

72

a limpeza da caixa d’água e manter os registros que comprovem sua realização. Art. 13. O acesso às instalações das farmácias e drogarias deve ser independente de forma a não permitir a comunicação com residências ou qualquer outro local distinto do estabelecimento. §1º Tal comunicação somente é permitida quando a farmácia ou drogaria estiverem localizadas no interior de galerias de shoppings e supermercados. §2º As farmácias e drogarias localizadas no interior de galerias de shoppings e supermercados podem compartilhar as áreas comuns destes estabelecimentos destinadas para sanitário, depósito de material de limpeza e local para guarda dos pertences dos funcionários. Seção II Do Ambiente Destinado aos Serviços Art. 15. O ambiente destinado aos serviços farmacêuticos deve ser diverso daquele destinado à dispensação e à circulação de pessoas em geral, devendo o estabelecimento dispor de espaço específico para esse fim. §1º O ambiente para prestação dos serviços que demandam atendimento individualizado deve garantir a privacidade e o conforto dos usuários, possuindo dimensões, mobiliário e infra-estrutura compatíveis com as atividades e serviços a serem oferecidos. §2º O ambiente deve ser provido de lavatório contendo água corrente e dispor de toalha de uso individual e descartável, sabonete líquido, gel bactericida e lixeira com pedal e tampa. §3º O acesso ao sanitário, caso exista, não deve se dar através do ambiente destinado aos serviços farmacêuticos. §4º O conjunto de materiais para primeirossocorros deve estar identificado e de fácil acesso nesse ambiente. Art. 16. O procedimento de limpeza do espaço para a prestação de serviços farmacêuticos deve ser registrado e realizado diariamente no início e ao término do horário de funcionamento. §1º O ambiente deve estar limpo antes de todos os atendimentos nele realizados, a fim de minimizar riscos à saúde dos usuários e dos funcionários do estabelecimento. §2º Após a prestação de cada serviço deve ser verificada a necessidade de realizar novo procedimento de limpeza, a fim de garantir o cumprimento ao parágrafo anterior.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Layout_249_4pags.indd 72

18/07/13 12:21


NEGÓCIOS

O GASTO NECESSÁRIO COM REFORMAS DE ADEQUAÇÃO AO AMBIENTE DE FARMÁCIA E O PREÇO DO ALUGUEL SÃO ITENS FUNDAMENTAIS PARA ESCOLHER ENTRE UM ESTABELECIMENTO E OUTRO. QUANDO O PONTO É MUITO BOM, GARANTE UM ADICIONAL DE FATURAMENTO DEVIDO AO FLUXO DE PESSOAS, MAS QUASE SEMPRE ESSE BENEFÍCIO É PERCEBIDO PELO MERCADO IMOBILIÁRIO E SERÁ COBRADO UM ALUGUEL MAIS ALTO. ISSO EXIGE QUE O PONTO SEJA BEM EXPLORADO

VISIBILIDADE ESTRATÉGICA Além da concorrência, é preciso estudar a vizinhança de um imóvel para analisar se há uma sinergia positiva entre as atividades exercidas nos arredores com a proposta da sua farmácia. Os comércios ao redor atraem um público de interesse? “Uma loja de roupa, uma loteria e um banco, possivelmente, vão trazer consumidores mais interessantes do que um mercado atacadista ou uma oficina mecânica, por exemplo”, explica o consultor do Sebrae. Outra característica que deve ser avaliada é quanto determinado imóvel oferece de possibilidade de aproveitamento e exploração de fachada. Segundo as leis de cada município e Estado, é possível trabalhar com vitrines, testeiras e paredes? Há algum obstáculo prejudicando a visualização da loja? “No ponto comercial ideal é preciso garantir a exposicão mínima necessária para atingir o cliente. O estabelecimento também é comunicação. A loja pode não ser preferencial em volume de pessoas, mas tem fácil acesso e boa visilidade”, destaca Nuno Fouto.

CUSTO BENEFÍCIO

NTEÚDO

XT

E

74

O contrato de aluguel deve ser negociado e bem analisado. Saiba como!

CO

Definidos os passos anteriores, é hora de avaliar os custos referentes ao imóvel escolhido. O gasto necessário com reformas de adequação ao ambiente de farmácia e o preço do aluguel são itens fundamentais para escolher entre um estabelecimento e outro. “Quando o ponto é muito bom, garante um adicional de faturamento devido ao fluxo de pessoas, mas quase sempre esse benefício é percebido pelo mercado imobiliário e será cobrado

um aluguel mais alto. Isso exige que o ponto seja bem explorado. Vale a pena pagar a mais por um ponto bem localizado desde que o varejista tenha a competência de explorar esse potencial”, alerta o especialista do Ibevar. Vale lembrar ainda que a adequação às exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) muitas vezes exige a contratação de arquitetos e engenheiros para a criação de um projeto, o que demanda altos investimentos por parte dos empresários. “Entre dois imóveis similares, vale ficar atento ao que está mais perto de se adequar às necessidades de uma farmácia. Pode ser que a atividade comercial exercida ali, anteriorente, já tenha preparado o local”, diz Gustavo Carrer, do Sebrae. E quando o preço do aluguel do imóvel desejado mostra-se impraticável, há outras saídas. Melhor que endividar-se e comprometer o capital do empreendimento é optar por um ponto comercial de menor destaque, portanto mais barato, e investir em diferentes formas de divulgação, atraindo seu público e tornando o empreendimento um ponto de destino. “Às vezes vale mais economizar no local e comunicar bem. É possível chegar ao público-alvo por meio de anúncios de jornal, internet, redes sociais e mailing direto, para grupos específicos. Neste caso você gasta menos com o ponto e pode investir em um atendimento melhor, uma decoração mais agradável”, afirma Nuno Fouto, do Ibevar.

AL

viável optar por um imóvel sem espaço para carros. Principalmente em grandes cidades, vagas de estacionamento são um grande diferencial atrativo. Apenas quando situada próximo a pontos de transporte público, como estações de metrô ou trem, além de terminais de ônibus, seria possível considerar a aquisição de um estabelecimento sem esta facilidade.

RA N O POR

T

www.guiadafarmacia.com.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Layout_249_4pags.indd 74

18/07/13 12:21


GESTÃO

Passando

o bastão

O PROCESSO DE SUCESSÃO DENTRO DE UMA EMPRESA FAMILIAR PODE TORNAR-SE UM TEMA DELICADO. ESPECIALISTAS ENSINAM A MELHOR FORMA DE CONDUZIR A SITUAÇÃO POR FLÁVIA CORBÓ

H

Histórias de um empreendedor que abriu um pequeno negócio sozinho, enfrentou dificuldades financeiras e superou crises econômicas até conseguir construir uma empresa sólida no mercado não são raras. Durante o amadurecimento do negócio, a família cresce em torno do pa-

76

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

gestao-empresas familiares.indd 76

triarca, acompanha seu sucesso e passa a ganhar interesse e participar da gestão dos negócios. Depois de anos de dedicação e trabalho duro, inevitavelmente, a idade chega e o fundador se vê obrigado a entregar a administração a essa nova geração. Há, ainda, casos em que a substituição se faz necessária de repente, FOTOS: SHUTTERSTOCK

18/07/13 12:23


80

Quase % das empresas no Brasil e no mundo são consideradas familiares por algum problema de saúde ou acidente inesperado. Em todos os cenários, a sucessão em uma empresa familiar mostra-se um tema complicado, que deve ser conduzido de maneira mais isenta possível para evitar atritos, principalmente, fora dos limites da empresa. No entanto, na maioria das vezes, o processo ocorre de maneira desastrosa. Quase 80% das empresas no Brasil e no mundo são consideradas familiares, ou seja, têm origem ou gerência com pessoas da mesma família. Mas apenas 25% delas conseguem passar o negócio para outra geração e menos de 10% para a quarta geração, de acordo com informações do Portal do Governo Federal. Empresas familiares possuem muitos pontos fortes como a proximidade com o fundador, que permite aos colaboradores e clientes se sentirem próximos do dono e dos principais gestores, conferindo reputação e maior credibilidade. “A confiança é um dos elementos mais importantes dentro de uma gestão familiar. Isso traz uma cultura muito forte, o estilo de gestão é facilmente reconhecido”, afirma o sócio-diretor do Instituto Pieron, William Bull. Além disso, uma gestão familiar reforça aspectos de tradição e excelência, colaborando para que se consolide a reputação da empresa. “É o nome da família que certifica o serviço ou produto. Do ponto de vista da gestão, isso colabora para que os interesses da família e da empresa sejam seguidos mais fielmente”, acrescenta o coordenador de pesquisas do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar), Nuno Fouto. Mas, paralelamente a isso, uma série de entraves prejudicam o desenvolvimento dessas empresas, a começar pelo próprio fundador. Em um processo de sucessão, o patriarca, na maioria das vezes, ainda está muito apegado à empresa. Por ter investido a vida inteira no negócio, a decisão de deixá-la requer um exercício muito difícil. A implantação de novos processos e medidas inovadoras pode encontrar barreiras e retardar o crescimento da empresa. A falta de profissionalismo é outro erro grave e fatal. É comum que dentro de uma gestão familiar não se trace uma linha clara divisória de papéis, entre gestores e mem-

bros de família. “A falta de uma hierarquia muito clara pode gerar problemas. Um começa a interferir muito no trabalho de outro sem respeitar a autoridade de quem exerce aquela função. Manter cada um na sua função é muito importante”, ressalta William Bull. O problema aumenta à medida que outras gerações vão assumindo os negócios. “São muitas famílias envolvidas, com interesses diferentes. Fica mais difícil manter o alinhamento e perpetuar uma convergência de objetivos”, avalia Fouto.

CAMINHO DAS PEDRAS Diante desses desafios, como fazer dar certo? Segundo especialistas, o primeiro passo é lidar com a gestão e, consequentemente, com o processo de sucessão, de maneira profissional e não emocional. Essa maturidade deve ser conquistada aos poucos, à medida que o empreendimento vai ganhando forma e adquirindo complexidade. “É preciso mudar a mentalidade. Deixar de ser uma empresa familiar, para se tornar uma família empresária. São comportamentos completamente diferentes. As relações passam a ser mais executivas, porque valorizam-se mais os comportamentos fundamentados no executivo”, opina o sócio-fundador da Alliance Coaching, Alexandre Rangel. Uma das maneiras de profissionalizar a gestão e a tomada de decisões é montar uma política de governança, que privilegia a meritocracia. “Deve-se deixar claro que a empresa é profissional e, a partir disso, criar processos em que as responsabilidades, as autoridades, as tomadas de ações e a aprovação de estratégias fiquem bem definidas. A empresa deve ser tratada com resultados e números bem transparentes”, ressalta Nuno Fouto, do Ibevar. Em organizações maiores, uma política importante a ser adotada é a formação de um conselho em que a família possa se expressar e discutir os caminhos mais benéficos para o negócio. Também dentro de uma administração profissionalizada e com meritocracia estabelecida, parentes e profissionais de mercado devem ser tratados de maneira igual e receber as mesmas oportunidades de ascensão, desde que atendam aos resultados almejados pela empresa. “Todos são tratados como executivos. Então, se fulano não está entregando resultados previstos em um plano de negócio, a família tem todo o direito de substituí-lo por um profissional de mercado que 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

gestao-empresas familiares.indd 77

77

18/07/13 12:23


GESTÃO

QUAIS AS VANTAGENS E AS DESVANTAGENS DE SE COMEÇAR UM NEGÓCIO EM FAMÍLIA? Vantagens • ra al ar diretamente com uem cu o caráter se con ece desde o in cio • O sistema de decis es tende a ser muito rápido • omunicação mais acilitada e direta • etas e o etivos mais acilmente compartil ados • o reviv ncia do ne cio é responsa ilidade de todos. Desvantagens • on itos de interesses entre am lia e empresa • lane amento nanceiro eito priorizando a am lia e depois a empresa • O etivo de enri uecimento amiliar é anterior ao plano de crescimento da empresa • onsan uinidade é ator impeditivo de pro ssionalização e mel oria de compet ncias • iderança não pode ser contestada em unção de respeito amiliar. Quais os principais problemas e dificuldades? • Falta de determinação clara de metas responsa ilidades e o etivos • Rivalidades pessoais podem virar con itos de relacionamento pessoal entre departamentos • Falta de disciplina administrativa • xcesso de comunicaç es in ormais. Como superar essas dificuldades? • er ci ncia e consci ncia de ue am lia e empresa são entes com personalidades pr prias • Os s cios e amiliares devem estar comprometidos com a continuidade da empresa • nteresses pessoais cam em se undo plano se comparados aos da empresa • Di erenças pessoais devem ser respeitadas e até mesmo valorizadas • elar pela armonia das relaç es interpessoais • Os s cios e seus amiliares precisam comprometer se com a excel ncia da empresa • Desco rir e re orçar os valores da am lia em cada um dos seus uturos erdeiros • aver pleno comprometimento com a pro ssionalização • Os s cios devem a ir com evidenciação e transpar ncia de seus atos. Fonte: Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae)

78

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

gestao-empresas familiares.indd 78

18/07/13 12:24


GESTÃO

É PRECISO DEIXAR DE SER UMA EMPRESA FAMILIAR, PARA SE TORNAR UMA FAMÍLIA EMPRESÁRIA. SÃO COMPORTAMENTOS COMPLETAMENTE DIFERENTES. AS RELAÇÕES PASSAM A SER MAIS EXECUTIVAS, PORQUE VALORIZAM-SE MAIS OS COMPORTAMENTOS FUNDAMENTADOS NO EXECUTIVO possa alcançar as metas estabelecidas”, reforça Alexandre Rangel, da Alliance Coaching. Neste momento, não pode haver receios de ferir egos ou abalar relações, já que o objetivo é um bem comum. “O que empobrece uma empresa familiar? Quando o diretor comercial não cumpre as metas e ninguém toma uma providência por-

25

Apenas % das empresas conseguem passar o negócio para outra geração e menos de % para a quarta geração

10

que irá magoá-lo”, complementa. Uma maneira de controlar e mensurar essa entrega de resultados, para que possa ser feita uma cobrança efetiva e isenta, é por meio de um acordo assinado entre os familiares gestores da empresa. Esse trato deve prever as obrigações de cada sócio, traçar o planejamento estratégico, metas, integrantes de conselho e outras regras que se julgarem necessárias. “Já tive clientes que colocavam nos contratos inclusive o horário de entrada dos gestores, porque antes um entrava às 10 horas, outro às 11 horas e o trabalho não rendia”, relembra Rangel.

PRÓXIMA GERAÇÃO Além de estabelecer a governança corporativa de uma empresa, é preciso preparar a próxima geração da família para assumir a gestão com competência de modo que o sucesso da organização se perpetue. A sucessão é inevitável e deve ser vista como prioridade pelo fundador. Quanto mais cedo essa for uma preocupação, melhor para a saúde do negócio. Os especialistas garantem que a melhor maneira é envolver os possíveis sucessores desde pequenos nos 80

negócios. Desta maneira, é fundamental perceber aqueles que possuem gosto e jeito, e os que têm outros interesses e habilidades. “Não é garantia que seus familiares vão querer trabalhar no seu negócio. Cada vez é menos comum que todos os filhos e descendentes se interessem, pois escolhem outros caminhos. É preciso observar se entre os familiares existe alguém com vocação para tocar a empresa, porque quanto mais cedo isso for definido, mais imune a empresa fica a problemas de sucessão”, acredita William Bull, do Instituto Pieron. Uma das maneiras de despertar esse interesse é valorizar o empreendedorismo. “Não se deve transmitir a ideia de que gerir aquele negócio é um fardo, algo que precisa ser arrastado. Chegar em casa todos os dias reclamando, inevitavelmente, afastará um possível interesse em relação a ele”, alerta Alexandre Rangel. E quando percebidos aqueles que podem levar adiante o empreendimento familiar, é fundamental que se incentive a vivência em outros ambientes externos, para que tenham contato com outros sistemas de trabalho e gestão, de preferência em empresas maiores. “Muitos gestores acabam recorrendo à ajuda de consultorias porque não conhecem outro mundo. É preciso aprender a relação de chefe e subordinados. Porque pai não é chefe. Pai é pai”, lembra Alexandre Rangel. Além disso, ao ocupar uma função em uma companhia de gestão profissional, é possível aprender a ser cobrado por resultados, com base na razão. Aprender a ser avaliado, promovido ou demitido. Assim, crescerá a valorização da importância de ter próprio negócio e o desejo de perpetuá-lo. Mas, caso não se identifique dentro da família alguém com o perfil adequado ou gosto por assumir o empreendimento, não se deve desanimar, muito menos, forçar um interesse. Deve-se respeitar o perfil dos possíveis sucessores e não obrigar aqueles que não têm vontade de empreender ou habilidade para tal. “Não é porque pertence à família que a pessoa vai ser o diretor; é preciso mostrar competência. O mercado está cheio de bons profissionais. Não se pode ter medo de buscá-los”, alerta Nuno Fouto.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

gestao-empresas familiares.indd 80

18/07/13 12:24


CONJUNTURA

Boa administração

do negócio AS ATIVIDADES MODERNAS DE GESTÃO ESTÃO CADA VEZ MAIS ALINHADAS COM O PLANEJAMENTO DA LOJA. O VAREJISTA DEVE IMPLEMENTAR AÇÕES POR MEIO DE FERRAMENTAS ADEQUADAS P O R E G L E LEONA R DI

82

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

conjuntura 248OK.indd 82

A

A gestão do ponto de venda (PDV) exige cada vez mais conhecimento, empenho e, basicamente, atitude para conseguir implementar ações por meio das ferramentas adequadas. De acordo com a consultora de varejo especializada no setor farmacêutico Silvia Osso, não há um item especial na gestão, mas alguns que precisam ser levados em consideração: é preciso cuidar muito bem do estoque, do layout, da exibição das mercadorias, do comercial, das finanças, do RH e dos aspectos administrativos e legais. FOTOS: VICTOR ALMEIDA

18/07/13 12:28


A farmacêutica responsável pela Farmácia Escola da Universidade de São Paulo (USP) e professora titular do curso de Farmácia da Universidade Guarulhos (UnG), Maria Aparecida Nicoletti, explica que a organização é um fator vital para o gerenciamento de todas as atividades da farmácia. Por meio dela podem-se identificar pontos fortes e falhos e, assim, atuar na resolução dos problemas identificados. “É necessário o mapeamento do público que é atendido para poder dispor serviços e produtos que vão ao encontro das necessidades daquela coletividade atendida ou, pelo menos, de grande parte da coletividade para que os usuários se sintam acolhidos em suas buscas”, destaca ela. Para conhecer seu público deve-se pesquisar o nível de escolaridade, poder de compra e esclarecimentos quanto a questões vinculadas à saúde do consumidor, além de avaliar se o estabelecimento está localizado próximo a hospitais ou centros de saúde e outras características que permitam fazer um delineamento real das necessidades apresentadas e, como consequência, desenvolver serviços que permitam suprir as deficiências identificadas. Para o diretor do Grupo Triunfo, Scher Soares, dois fatores são essenciais para um bom desempenho da gestão e, consequentemente, para bons resultados. O primeiro deles é a capacidade de geração, extração e análise dos indicadores de resultado, pois eles funcionam como uma espécie de painel de controle que permite ao empresário um diagnóstico apurado do seu negócio em tempo real. O segundo fator é gestão de pessoas, pois elas é que são as responsáveis pela execução da estratégia. O varejo em geral sofre com o problema de ruptura. O ponto principal é evitar que isso aconteça. Combinar práticas modernas de execução com exposição e atendimento diferenciados possibilita um retorno maior. A professora de comunicação no ponto de venda da ESPM, Heloísa Omine, ressalta que é fundamental a farmácia descobrir qual é a sua vocação e, baseada nisso, desenvolver suas atividades, avaliando quais são seus principais pontos positivos, seu atendimento, suas principais deficiências, o que pode agregar ao negócio, que oportunidades poderá implementar e como estabelecer também parceria com os seus fornecedores.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A farmácia deverá ter disciplina e estabelecer seu planejamento de forma cíclica, garantindo que a execução do projeto esteja em curso. Scher Soares acredita que, mais do que um planejamento estratégico, é essencial ter uma administração estratégica. Um planejamento deve refletir um posicionamento e um objetivo. “Uma boa dica para o farmacista é fazer um plano de operações que reflita a estratégia necessária ao cumprimento do objetivo anual.” Ele recomenda estabelecer: 1. A visão da empresa (quem ela quer ser). 2. Os objetivos da empresa (crescimento, manutenção, expansão, rentabilidade, receitas, market share, rentabilidade, abertura de lojas etc.). 4. As prioridades estratégicas. São aquelas necessárias para o cumprimento dos objetivos. 5. As metas associadas (um conjunto de três a cinco metas para cada prioridade estratégica). 6. As iniciativas-chave (um conjunto de três a cinco iniciativas para cada meta associada).

PRODUTIVIDADE A farmácia precisa dedicar a devida importância ao tema da produtividade. Nesse sentido, é essencial a análise de alguns elementos: “Há de se considerar que o papel do gestor é tridimensional, pois ele contempla as dimensões da operação, das vendas e da gestão propriamente dita”, diz Soares. Assim, todo gestor precisa saber responder questões como: Quais as principais rotinas de gestão do gestor da farmácia? Qual sua agenda de gestão? Quais os rituais que o gestor desempenha para cobrir com eficiência as dimensões da operação, de vendas e de gestão? Quais os principais instrumentos de gestão que esse gestor utiliza? Quais os indicadores que ele utiliza para analisar seu negócio? A especialista em varejo do Instituto de Estudos em Varejo (IEV), Regina Blessa, é um pouco mais prática. “É fundamental conhecer o seu consumidor, observar suas preferências, adequar sua linha e marcas e saber expor todo o seu estoque de maneira a melhorar o merchandising nas gôndolas. Os preços vêm depois disso.” Regina destaca que a farmácia deve ser um ambiente aberto, agradável e amplo para que as pessoas queiram entrar mesmo quando não estão doentes.

A FARMÁCIA DEVERÁ TER DISCIPLINA E ESTABELECER SEU PLANEJAMENTO DE FORMA CÍCLICA, GARANTINDO QUE A EXECUÇÃO DO PROJETO ESTEJA EM CURSO

2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

conjuntura 248OK.indd 83

83

18/07/13 12:28


CONJUNTURA

Em termos de layoutização, dentro de cada categoria, é preciso dar prioridade aos produtos conhecidos e procurados espontaneamente pelo consumidor. A especialista explica que eles devem estar nas prateleiras mais altas (na altura dos olhos) e ao alcance das mãos. Os produtos com marca de referência são escolhidos rapidamente e levados ao caixa, dando menos trabalho aos balconistas. Abaixo destes campeões de venda devem ficar expostos outros menos importantes e abaixo destes, os genéricos. Já o CEO LATAN da consultoria Smollan Group, Jefferson Cheriegate, aconselha ao varejo buscar o equilíbrio do espaço e abrangência do mix de produtos: “É importante ressaltar que acertar o mix é essencial. É por meio dessa assertividade que o equilíbrio chega ao ponto de venda, e isso é possível se o varejista conhecer o perfil do shopper”. Ele exemplifica citando uma farmácia que mantém um mix de produtos com diversas marcas de xampus e muitas opções para cabelos secos. O shopper que está acostumado a comprar naquele PDV busca a marca de preferência e, em geral, a compara com outras duas. Por isso, não adianta ter dez marcas de xampus para cabelo seco. “Mais importante que a diversidade de produto é ter o produto que o shopper está acostumado a comprar. Acertar o mix ajuda a racionalizar o espaço”, coloca ele.

PROMOÇÕES SAZONAIS Ações sazonais são essenciais para o resultado anual da empresa. Uma boa forma de o gestor analisar sua gestão sob o aspecto da sazonalidade é elaborar um forecast anual considerando todos os ciclos sazonais e antevendo o impacto das promoções no aumento do resultado de vendas da empresa. “Vale observar todas as datas que permitem explorar a sazonalidade para criar um bom calendário promocional com a devida antecipação e o adequado planejamento”, explica Soares. A professora Heloisa Omine preconiza que essas ações geram atratividade na loja e aumentam o fluxo de pessoas. “É preciso aproveitar a oportunidade para fazer outras propostas, expor outros produtos e marcas diversificados 84

A farmácia deve ser um ambiente aberto, agradável e amplo para que as pessoas queiram entrar mesmo quando não estão doentes para o consumidor e trabalhar o cross merchandising”, aconselha ela. Para Cheriegate, as promoções sazonais também oferecem uma dinâmica muito interessante ao PDV. O shopper que entra na farmácia está extremamente aberto a descobrir coisas novas e o ponto de venda deve preocupar-se em oferecer uma experiência de compra positiva e agradável. Assim, as promoções sazonais trazem inovação ao PDV e não deixam que o consumidor se acostume a ver sempre a mesma disposição de layout. Isso torna-se atrativo. O shopper vai até o ponto de venda com a proposta de ver o que há de novo. As datas comemorativas, tais como Dia das Mães, Dia dos Namorados e também o Natal, são excelentes oportunidades de explorar o ponto de venda com novidades e surpreender o consumidor com essas ações. “Disponibilizar consultoras para orientar o shopper no ponto de venda, principalmente com cosméticos e produtos de beleza, traz sempre um retorno positivo para o varejista”, dispara o especialista.

ATENDIMENTO Investir em treinamento dos colaboradores e equipe é muito importante. “Ensinar, orientar, motivar, acompanhar são atitudes fundamentais, pois a mão de obra está cada vez pior, e na farmácia

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

conjuntura 248OK.indd 84

18/07/13 12:28


CONJUNTURA

VOCÊ SABE O QUE É FIELDMARKETING? O CEO LATAM da consultoria Smollan Group, Jefferson Cheriegate, defende que o atendimento prestado pelo varejista é um diferencial para o consumidor. Por isso, ele deve entender a necessidade do consumidor, identificar o perfil do shopper e propor ações e mix de produtos coerentes com sua expectativa e anseio. Para tanto, é preciso garantir que os processos de execução dentro da loja estejam de acordo com o planejamento de vendas e de atendimento idealizado pela gestão do ponto de venda. “O fieldmarketing é uma ferramenta que auxilia neste processo de gestão, execução e entrega de resultados junto ao consumidor”, ressalta ele. As práticas modernas de gestão estão cada vez mais alinhadas com o planejamento da loja. O varejista deve se atentar à reposição imediata do mix de produtos, exposição, promoção, atendimento, layout e ambientação, atração e retenção do shopper no PDV. “O fieldmarketing é um conceito novo, que está chegando ao Brasil e vem justamente com esta proposta de aplicar a estratégia do planejamento, no ponto de venda. A ferramenta une gestão à execução e garante a operacionalização do PDV de acordo com a proposta e metas traçadas pelo varejista e pela indústria”, explica o especialista.

não é possível errar, e menos ainda tratar mal o cliente. As empresas que têm no atendimento o seu foco principal e onde os gestores são modelos positivos têm sua produtividade aumentada”, defende Silvia Osso. Os profissionais precisam estar alertas ao fato de que é fundamental incluir no dia a dia também as vendas adicionais. Isso significa adicionar ao que o cliente já teria a intenção de comprar, itens dos quais ele pode precisar, e que completam a venda. Por exemplo: ao vender um antitérmico lembrar que ele pode ter esquecido o termômetro, ao levar uma fralda lembrar que ele pode precisar de lenços umedecidos ou pomadas para assaduras. Por fim, devem-se considerar as vendas extras promocionais.

MIPS E A ORIENTAÇÃO Para Maria Aparecida Nicoletti, os Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs) podem ser um fator de diferenciação considerando a atenção dos profissionais em relação ao uso seguro de medicamentos. “As farmácias po86

derão utilizar esse mercado para uma orientação correta, e passar para o usuário do medicamento a necessidade do entendimento de que, apesar de ser isento de prescrição, o medicamento não poderá estar isento de uma orientação correta para a sua eficácia e o seu uso seguro”, evidencia ela. A RDC 44/09 traz vários aspectos importantes para o uso racional de medicamentos: “Os serviços farmacêuticos foram contemplados, o que foi um grande avanço na legalização dessa atividade. Os serviços vão ao encontro das necessidades de orientação ao usuário de medicamento e, particularmente, permitem um atendimento mais específico aos portadores de doenças crônicas”. Dentre as orientações que o consumidor tem direito a receber no momento da dispensação estão a posologia, possibilidade de interações com alimentos e outros medicamentos, reações adversas e condições de armazenamento.

GERENCIAMENTO POR CATEGORIAS Para a farmácia aplicar o Gerenciamento por Categorias primeiramente deve separar de forma física a loja pelos grupos maiores, o que pode ser feito por gôndolas, dependendo do tamanho do ponto de venda. As categorias podem ser: feminina, masculina, infantil, pele, cabelo, comprimidos, vitaminas, fitoterápicos, etc. “Depois disso deve ir agrupando por similaridade as outras categorias que sobram. Quando as categorias estão bem claras na visão do consumidor, ele compra mais por impulso. Se elas estiverem misturadas serão pouco percebidas e pouco vendidas”, revela Regina Blessa.

ATENÇÃO FARMACÊUTICA O segmento farmacoterapêutico é o ponto de maior importância considerando a segurança do paciente e a efetividade do medicamento. Uma prática que poderá colaborar imensamente com a aderência ao tratamento medicamentoso visando ao sucesso do desfecho terapêutico, além de identificar e impedir possíveis problemas relacionados a medicamentos (PRMs), que possam vir a ocorrer. É uma oportunidade valiosa para o entendimento das necessidades e a prática de humanização em saúde, colaborando com a melhoria da qualidade de vida do paciente e sua fidelização ao estabelecimento.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

conjuntura 248OK.indd 86

18/07/13 12:27


COMUNICAÇÃO

Qual a relevância

dos fatos? ESTAR EM CONSTANTE CONTATO COM O CONSUMIDOR É ESSENCIAL PARA MANTÊ-LO INFORMADO SOBRE LANÇAMENTOS, PROMOÇÕES E NOVIDADES. MAS HÁ DIFERENTES FORMAS DE FAZER ISSO E É PRECISO SABER COMO ESCOLHER A IDEAL POR FLÁVIA CORBÓ 88

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

comunicacao 249.indd 88

O

Os conceitos de comunicação dentro da loja, criados com o objetivo de cativar os consumidores que circulam pelos corredores, é um tema bastante debatido e difundido entre especialistas de mercado e publicações voltadas ao varejo. Mas existe outro tipo de comunicação, que visa atingir um público maior e menos restrito, que pode trazer iguais benefícios, mas ainda é pouco explorado pelos pequenos e médios empresários. As principais ferramentas utilizadas para este conFOTO: SHUTTERSTOCK

18/07/13 12:30


CONCEITO As funções de uma agência de publicidade são mais difundidas, mas você sabe o que faz uma assessoria de imprensa? Serviço prestado a instituições públicas e privadas, que se concentra no envio frequente de informações jornalísticas, dessas organizações, para os veículos de comunicação em geral. Esses veículos são os jornais diários; revistas semanais, revistas mensais, revistas especializadas, emissoras de rádio, agências de notícias, sites, portais de notícias e emissoras de TV. Um trabalho continuado de assessoria de imprensa permitirá à empresa criar um vínculo de confiança com os veículos de comunicação e sedimentar sua imagem de forma positiva na sociedade. Nesse sentido, no Brasil, quem costuma coordenar esse tipo de serviço são profissionais formados em jornalismo. Eles é que determinam o que é ou não notícia para ser enviado para a imprensa. Caso algum veículo de comunicação se interesse pelo assunto divulgado pela assessoria de imprensa, utilizará o texto para publicar notas ou agendar entrevistas. Tanto a publicação de notas, como o agendamento de entrevistas e a publicação posterior de informações, são gratuitas. Chamamos de mídia espontânea. Não se paga por essa publicação. Paga-se para a assessoria trabalhar de forma a conseguir esse resultado. Fonte: Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj)

tato com o público externo são: publicidade e assessoria de imprensa. Para tirar o melhor proveito dos benefícios que as opções oferecem, é preciso conhecer as funções de cada uma e saber usá-las nas ocasiões adequadas. Em primeiro lugar, deve-se avaliar se o seu tipo de negócio comporta o uso das duas ferramentas ou se seria o caso de optar por uma delas. Para o sócio-diretor da agência DIA Comunicação, especializada em shopper marketing e branding, Gilberto Strunck, ambos os tipos de comunicação são válidos dentro de qualquer empresa, independentemente do porte, mas, como envolvem custos, devem ser bem avaliados. “Se a farmácia for muito pequena, talvez não consiga arcar com todos os gastos. Mas são duas ferramentas importantes, que se complementam no momento em que uma empresa começa a pensar na sua marca e a planejar como irá falar com o seu público”, afirma Strunck. Já o professor do curso “O Marketing na Era do Hiperconsumo” da ESPM, Marcos Bedendo, tem uma visão diferenciada da necessidade de adotar as duas comunicações simultaneamente. Para

A PUBLICIDADE CRIA ANÚNCIOS QUE MOSTRAM O DIFERENCIAL DE UM PRODUTO, SERVIÇO, IDEIA OU AÇÃO PROMOCIONAL. ESTAS PEÇAS SÃO VEICULADAS EM JORNAIS, REVISTAS, SITES, RÁDIO, TV, DESDE QUE SE PAGUE PELA DIVULGAÇÃO DO ANÚNCIO. JÁ A ASSESSORIA DE IMPRENSA BUSCA ENCONTRAR DIFERENCIAIS DENTRO DA INSTITUIÇÃO QUE POSSAM SE TORNAR NOTÍCIAS RELEVANTES AOS VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO. CASO A PAUTA APRESENTADA SEJA DE INTERESSE JORNALÍSTICO, É PUBLICADA SEM NENHUM CUSTO ele, não é em todos os casos que a contratação de assessoria de imprensa é justificável. “Uma assessoria de imprensa é importante quando você tem um conceito diferente a comunicar, caso contrário não vira pauta. Não importa tanto o seu porte, só vale a pena quando você tem algo interessante a mostrar, de forma que a assessoria tenha elementos para trabalhar”, acredita o especialista. Já para a contratação de uma agência de publicidade, Marcos Bedendo acredita que é necessário ter um empreendimento com atuação representativa em determinada região, para que valha a pena anunciar. “Se você for de uma cidade do interior e possuir uma rede de três ou quarto farmácias, que tenha uma presença significativa, pode fazer anúncios no jornal local para comunicar ofertas ou produtos novos”, opina. Além disso, é necessário ter maturidade financeira para poder dispor de um percentual do orçamento voltado à propaganda.

ENTENDA AS DIFERENÇAS A publicidade cria anúncios que mostram o diferencial de um produto, serviço, ideia ou ação promocional. Estas peças são veiculadas em jornais, revistas, sites, rádio, TV, desde que se pague pela divulgação do anúncio. Já a assessoria de imprensa busca encontrar diferenciais dentro da instituição que possam se tornar notícias relevantes aos veículos de comunicação. Caso a pauta apresentada seja de interesse jornalístico, é publicada sem nenhum custo. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

comunicacao 249.indd 89

89

18/07/13 12:30


COMUNICAÇÃO

FUNÇÕES DETERMINADAS ASSESSORIA DE IMPRENSA

AGÊNCIA DE PROPAGANDA E MARKETING

Detectar o que numa organização é de interesse público e o que pode ser aproveitado como material jornalístico.

A propaganda é a técnica de criar opinião pública favorável a um determinado produto, serviço, instituição ou ideia, visando a orientar o comportamento humano das massas num determinado sentido.

Desenvolver uma relação de confiança com os veículos de comunicação.

O anunciante, também chamado cliente, é a entidade, firma, sociedade ou indivíduo que utiliza a propaganda.

Elaboração de press-releases (textos de divulgação de uma notícia da organização), sugestões de pauta e press-kits (material preparado para imprensa, pode conter texto, fotos, amostra do produto ou brinde).

A agência de propaganda realiza a propaganda para o cliente e promove negócios para os veículos de propaganda, que a reconhecem como tal e a ela pagam comissão.

Acompanhamento de entrevistas de suas fontes.

Veículos de propaganda são os jornais, revistas, estações de rádio, TV, exibidores de cartazes e outras entidades que recebem autorizações e divulgam a propaganda, aos preços fixados em suas tabelas.

Organização de coletivas.

A tabela de preços é pública e igual para todos os compradores, dentro de iguais condições.

Preparação de textos de apoio, sinopses, súmulas e artigos.

Nos textos que usa, exalta as vantagens dos seus temas, sem que isso envolva críticas ou ataques diretos ao competidor.

Organização do mailing de jornalistas.

Clipping de notícias (impressos, internet e eletrônicos). Participação na definição de estratégias de comunicação. Fontes: Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap)

“Na publicidade, é a marca que fala e ela pode dizer o que quiser. ‘Tenho a melhor qualidade, o melhor preço’ e uma série de outras coisas bacanas sobre a loja. É uma mensagem mais precisa e diferente para cada mídia”, explica Gilberto Strunck. Na assessoria de imprensa, o objetivo é comunicar um fato de relevância para a mídia, definindo qual o foco ideal para determinado veículo. “Vou abrir uma loja. Para as revistas de negócio, talvez seja mais interessante falar sobre os investimentos e previsão de retorno, enquanto para uma publicação voltada ao varejo seja relevante citar os diferenciais de layout e de atendimento”, complementa o o sócio-diretor da agência DIA Comunicação. A respeito de garantia de publicação e prazos, os mecanismos das duas ferramentas também são diferentes. Quando se trata de anúncios publicitários, esses aspectos são mais controláveis, pois há um acordo comercial e valores envolvidos. Já o trabalho da assessoria de imprensa funciona sempre em função do interesse dos veículos e comunicação. “Não há garantia de publicação. É muito comum jornais, revistas e televisão terem a necessidade de ‘derrubar’ um ma90

terial por falta de espaço na edição. Mas em compensação, uma notícia divulgada pela mídia tem muito mais credibilidade que um anúncio publicitário.

OPÇÃO ALTERNATIVA Mais barata e democrática, a internet também pode ser utilizada pelos varejistas no momento de comunicar ofertas, lançamentos e diferenciais. A geração e a publicação das informações nas redes sociais podem ser feitas por uma agência especializada em internet ou até mesmo por um funcionário da farmácia, que apresente familiaridade e interesse. “Isso já vai ajudar a na comunicação com o público-alvo. Ao invés de mandar um e-mail ou criar um panfleto, você pode fazer isso pelas redes sociais. Também é possível montar uma ação dentro da loja, estimulando o acesso à pagina virtual em troca de algum benefício e, assim, aumentar a visualização do seu perfil”, sugere Marcos Bedendo.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

comunicacao 249.indd 90

18/07/13 12:31


DIGITAL

Solução

à mão

O USO DE SMARTPHONES E REDES SOCIAIS JÁ FAZ PARTE DO COTIDIANO DA MAIORIA DOS BRASILEIROS, MAS AS FERRAMENTAS DE LAZER TAMBÉM PODEM SER APROVEITADAS PELOS VAREJISTAS POR FLÁVIA CORBÓ

A

A percepção de que a tecnologia é uma grande aliada do varejo não é recente. Já em meados de 2001, a Target – uma das maiores redes varejistas do mundo, com 1.800 lojas espalhadas pelos Estados Unidos – criou um cartão fidelidade e atribuiu um número a cada um dos seus milhões de clientes. Em seguida, passou a registrar em um banco de dados todas as informações relacionadas a cada um deles – sexo, idade, profissão, endereço, estimativa de renda, hábitos de consumo, etc.

92

Digital 249.indd 92

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

A partir dessas informações, a empresa adotou uma forma de comunicação personalizada e passou a oferecer promoções específicas para cada cliente. Com essa estratégia, a Target teve um aumento significativo das vendas e ampliou sua participação no mercado. O modelo adotado pela rede se tornou referência e foi replicado ao redor do mundo, mas, no Brasil, ainda é mal aproveitado por muitos varejistas, inclusive dentro do varejo farmacêutico. Para especialistas, essa falha não tem justificativa, mesmo entre pequenos e médios empreendimenFOTOS: SHUTTERSTOCK/DIVULGAÇÃO

18/07/13 12:32


COMO CRIAR UM QR CODE? O termo parece difícil, mas o procedimento é bem simples. Veja:

OS APARELHOS DE CELULAR COM ACESSO À INTERNET JÁ SÃO UMA REALIDADE CONSOLIDADA NO PAÍS. SOMENTE EM 2012 FORAM VENDIDOS 16 MILHÕES DE CELULARES INTELIGENTES EVOLUÇÃO

1 – Acesse o serviço encurtador de URLs do Google, o Goo.gl. Em seguida, digite a URL (endereço de site ou link) que deseja transformar num QR Code e aperte o botão ‘Shorten’.

2 – Feito isso, clique no link ‘Details’ que aparece ao lado do endereço encurtado. Automaticamente, você terá um QR Code que levará para a sua URL original.

3 – Salve o arquivo dessa imagem. Pronto! Fonte: Blog Info

Já em 2001 o sistema da Target mostrou-se viável e rentável, mas, hoje, com a evolução da tecnologia, a comunicação personalizada tornou-se ainda mais prática e menos custosa de ser adotada. De acordo com o professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP), Maurício Morgado, agora é possível levar essas informações personalizadas direto à mão do consumidor, por meio da integração da loja com os smartphones. Os aparelhos de celular com acesso à internet já são uma realidade consolidada no País. De acordo com um estudo realizado pela International Data Corporation (IDC), multinacional especializada em inteligência de mercado, os smartphones estão entre os bens mais adquiridos pelos brasileiros. Somente em 2012 foram vendidos 16 milhões de celulares inteligentes no País. O montante representa um crescimento de 78% em relação a 2011, quando foram comercializados aproximadamente 9 milhões de aparelhos. O cenário positivo para os smartphones é mundial. De acordo com o estudo da IDC, o Brasil será o quinto maior mercado de smartphones este ano, ficando atrás apenas da China, Estados Unidos, Reino Unido e Japão. E a tendência é de que o Brasil galgue novas posições, já que, devido a incetivos fiscais à produção dos smartphones, o preço dos aparelhos tende a cair no País.

COMO APROVEITAR A TENDÊNCIA? tos. “O custo de um software de armazenagem de dados não é elevado. A maioria das farmácias já dispõe dessa ferramenta. Falta apenas usar ou querer usar”, garante o diretor de pesquisa do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Educação Continuada (Cpdec), Rodnei Domingues. Em 1990, para armazenar 01 gigabyte era necessário pagar mil dólares. Hoje, custa apenas seis centavos de dólar. Com custos cada vez menores e o aumento da velocidade de processamento e ganho da capacidade de armazenamento dos dados, as possibilidades de gerar novas formas de relacionamento com os clientes e de gestão do negócio só tendem a crescer.

Primeiro, é preciso abandonar a crença de que investir em tecnologia exige gastar enormes quantias. “A tecnologia está bem mais barata e acessível. O varejista deveria ser mais ousado e inovar mais. É preciso muito mais ter ideias do que dinheiro. É se colocar no lugar do cliente e imaginar o que ele deseja. A maioria das respostas é obtida por meio do conhecimento do consumidor e suas necessidades e não de um caminhão de dinheiro”, afirma Morgado. Um dos caminhos para se conectar ao consumidor de maneira simples e com baixo custo é a utilização do QR 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Digital 249.indd 93

93

18/07/13 12:33


DIGITAL

PREVISÕES O varejo em um futuro não muito distante: • Os produtos serão totalmente rastreados da á rica até a farmácia e em seguida até o consumidor. • Os médicos prescreverão os medicamentos em receitas com certificação digital e todo o controle da venda será informatizado. • As armácias terão in ormaç es detal adas so re os seus clientes, suas doenças e medicamentos consumidos e irá propor condições comerciais e ofertas específicas para cada um. • O checkout wireless. A caixa registradora será substituída por tablets. Cada vendedor carregará um aparelho e concluirá a compra do cliente com o uso da tecnologia. Para pagar, o consumidor utilizará o celular. • are o multicanal tra al ará todos os canais de venda de maneira integrada, com linguagem única.

Para aqueles que não têm familiaridade ou tempo para dedicar-se às redes sociais, a tarefa pode parecer bastante desafiadora a princípio, mas depois de criada a familiaridade com o novo terreno, torna-se um processo intuitivo e simples. “Se você tiver a ajuda de uma agência de comunicação, poderá fazer coisas mais bonitas. Mas nem sempre é preciso algo elaborado, e sim eficiente, dirigido. Não há dificuldades de se fazer sozinho”, opina. O grande trunfo das redes sociais é poder fazer comunicação com o cliente fora da loja, mesmo quando ele estiver em casa. “Além de colocar a loja na mão dele, você cria facilidade para o consumidor entrar em contato com você e com as novidades da sua loja. Essa sem dúvida é a grande tendência”, aposta o professor da FGV. Mas, como toda a tecnologia, é preciso ficar atento à velocidade das mudanças para não perder o timing do negócio. As ferramentas de relacionamento estarão cada vez mais presentes em nosso dia a dia, mas os modelos são suscetíveis a substituições frequentes. “Os usuários já trocaram o ICQ pelo MSN. O MSN pelo Orkut e o Orkut pelo Facebook. Em breve trocarão o Facebook por algum outro aplicativo”, alerta Rodnei Domingues.

MANTENHA-SE ATUALIZADO!

REDES SOCIAIS

XT

E

Digital 249.indd 94

NTEÚDO

94

A tecnologia também é aliada no controle interno da loja. Conheça os benefícios do RFID!

CO

Outra maneira de criar uma conexão com o consumidor é a utilização das redes sociais. Quando foram esgotadas todas as possibilidades dentro das mídias tradicionais, é hora de dedicar tempo para mergulhar no universo on-line. O Facebook, por exemplo, permite criar anúncios com verbas muito pequenas e voltadas ao público de interesse. Além disso, é uma ferramenta democrática, que pode ser explorada tanto por grandes redes quanto por pequenos varejistas.

Estar atento aos movimentos do setor farmacêutico é essencial para captar tendências e manter uma loja atualizada e sintonizada com os desejos e anseios do consumidor. Um dos caminhos é viajar, conhecer outros modelos de negócios e frequentar feiras internacionais de varejo. Dentro do País também é possível manter-se ligado. “Frequente congressos, fóruns de varejo, faça cursos. Alguma ideia sempre vai surgir. É preciso abrir a mente, inspirar-se”, acredita Morgado. A loja também precisa estar antenada com a clientela. Manter o banco de dados com informações detalhadas dos clientes é o primeiro passo. “Mas essa ferramenta só será útil se estiver abastecida com informações atualizadas dos clientes e se essas informações forem utilizadas para estabelecer uma comunicação personalizada que incentive a venda”, destaca Rodnei.

AL

code. O código de barras em 2D pode ser escaneado pela maioria dos aparelhos celulares que têm câmera fotográfica. Esse código, após a decodificação, redireciona o acesso ao conteúdo publicado em algum site. Ou seja, é possível inserir o código em banners e outros materiais promocionais produzidos pela farmácia, para que o consumidor ao escaneá-lo tenha acesso a informações diferenciadas. As possibilidades são várias: É possível criar um site ou um vídeo que explique as propriedades e o uso de determinado produto. Ou que tal dar acesso a uma lista de compras para produtos essenciais para o inverno? O código pode também apresentar tratamentos de beleza, levando em conta o tipo de pele do cliente e, a partir disso, sugerir um pacote de compras.

RA N O POR

T

www.guiadafarmacia.com.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 12:33


VAREJO

Ações

necessárias

PARA FAZER PARTE DA REDE É PRECISO QUE A ATUAÇÃO NAS MÍDIAS SOCIAIS SIGA CRITÉRIOS E TENHA OBJETIVOS SÓLIDOS

C

SILVIA OS S O Palestrante e consultora especializada em treinamento, desenvolvimento e marketing de varejo. É autora dos livros Atender Bem Dá Lucro, Programa Prático de Marketing para Farmácias e Administração de Recursos Humanos para Farmácias E-mail siosso@uol.com.br 96

Conforme dito em artigos anteriores, é imprescindível que farmácias e drogarias estejam inseridas nas mídias sociais. Veja a seguir aspectos que farão com que suas ações on-line tenham sucesso. Informe seus clientes que você está nas mídias sociais. No site ou blog, adicione os botões para os internautas compartilharem os conteúdos no Twitter e no Facebook. Suas páginas nas mídias sociais não terão importância se você não produzir bom conteúdo. O ideal é que, ao menos uma vez a cada três dias, você poste informações nesses espaços. No Twitter, o mesmo conteúdo pode ser lançado diariamente de manhã e à tarde. Cuidado para não cair no lugar-comum. Se, por exemplo, é dono de uma drogaria, seus clientes devem ter interesse em saber sobre seus produtos: lançamentos, promoções e não a que horas você abriu a loja. Uma drogaria pode dar muitas informações sobre doenças da época; calendário de vacinação; campanhas de saúde. São esses posts (recados) que vão tornar suas páginas interessantes e farão com que seus clientes passem a segui-las. A interação nas redes sociais não se dá somente por meio da postagem de conteúdo na sua página. É preciso identificar oportunidades de participar de conversas que não foram iniciadas por você. Compartilhe informações postadas por seus clientes, “retuíte” algo ligado à sua drogaria dita por eles. Os farmacistas não devem temer contatos comerciais pelas redes sociais, afinal, essa interação tem vários objetivos: aumentar o número de clientes; divulgar a

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Artigo Varejo 249.indd 96

marca e aumentar as vendas. Faça ofertas específicas para esses espaços. Os especialistas aconselham dividir o conteúdo entre 40% de informações interessantes ligadas à empresa e 60% ligado a vendas. Lembre-se: redes sociais não costumam dar retorno financeiro rapidamente. Em geral, são necessários, pelo menos, seis meses para começar a fechar negócios por meio delas. Atenção: muitas vezes, os clientes usam as redes sociais como SAC. Eles podem postar reclamações, sugestões, pedidos de informações. Nessas horas, é preciso agir rápido e responder o quanto antes. Usuários de mídias sociais exigem imediatismo, e quanto antes você atender as solicitações, mais chances tem de estabelecer um vínculo positivo com aquele consumidor. Depois de iniciado o trabalho e trilhada a sequência é possível ter um termômetro de quais iniciativas dão melhor resultado e, em média, quantos seguidores ou fãs conseguiu angariar por meio de cada uma delas. Aí então é a hora de rever seus objetivos e ajustar suas metas de números de seguidores, fãs e comentários por post. Se sua presença estiver indo bem, vale também reservar um pequeno investimento para impulsionar o sucesso. No Facebook, por exemplo, há anúncios que são cobrados por número de cliques e custam entre R$ 0,20 e R$ 0,40. Com R$ 200,00, você já terá uma visibilidade significativa, pois esse dinheiro vai pagar pela atenção de pessoas que, efetivamente, clicaram e foram direcionadas para seu site ou blog. O trabalho é contínuo, requer dedicação e atualização constante. FOTO: DIVULGAÇÃO

18/07/13 12:34


PONTO DE VENDA

Segurança no trabalho

em primeiro lugar

MESMO AMBIENTES PEQUENOS E LIVRES DE MAQUINÁRIOS, COMO AS FARMÁCIAS, APRESENTAM RISCOS DE ACIDENTES. PREVINA-SE PARA MINIMIZAR AS OCORRÊNCIAS E EVITAR PREJUÍZOS POR FLÁVIA CORBÓ 98

PDV249.indd 98

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

S

Segundo o balanço do Anuário Estatístico dos Ministérios da Previdência Social e do Trabalho e Emprego, todos os anos são registrados mais de 700 mil acidentes de trabalho no Brasil. O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) desembolsa uma cifra milionária para pagar funcionários licenciados por causa dessas ocorrências anualmente. Entretanto, nos acidentes ocasionados por falhas na estrutura de segurança, as companhias são cobradas judicialmente a devolver o valor ao governo federal. Empresas acusadas de descumprir normas de seFOTO: SHUTTERSTOCK

22/07/13 08:13


gurança do trabalho terão que ressarcir os cofres públicos em R$ 411 milhões, de acordo com levantamento feito pela Advocacia-Geral da União (AGU) em relação aos últimos três anos. E engana-se quem atribui acidente de trabalho somente a ambientes de chão de fábrica. Dados oficiais da Previdência Social sinalizam que o setor de Serviços, onde se inserem farmácias e drogarias, está em segundo lugar no número de acidentes e doenças do trabalho, com 47,6%, perdendo apenas para o setor da Indústria, que ocupa a primeira posição, com 48,0% do total de registros.

centual referente a esse registro. “Agora, todo ramo de negócio que tiver um aumento de acidentes de trabalho na Previdência devará pagar um valor a mais em relação ao CAT. Caso o registro de acidentes caia, o valor é diminuído. Ou seja, uns pagam pelo erros ou acertos de outros que atuam no mesmo setor”, explica Kamilla. A redução pode chegar a até 50% para aquelas empresas que investirem em prevenção e apresentarem resultados. Vale ressaltar que esse critério não trouxe alteração na contribuição das pequenas e microempresas, já que elas recolhem os tributos pelo sistema simplificado – o Simples Nacional. Apesar de os pequenos estabelecimentos não estarem incluídos nesse cálculo, eles também são obrigados a seguir a legislação referente à segurança do trabalho. Basta ter apenas um vínculo empregatício para se enquadrar nas exigências.

TODAS AS RECOMENDAÇÕES PARA CADA RAMO DE ATIVIDADE ESTÃO ESPECIFICADAS NA NR17, DISPONÍVEL NO SITE DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, MAS ALGUMAS ORIENTAÇÕES BÁSICAS DEVEM SER LEVADAS EM CONSIDERAÇÃO POR TODOS OS EMPRESÁRIOS DO RAMO FARMACÊUTICO Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), uma das explicações para o crescimento de ocorrências no setor de serviços é o acréscimo de 21.154 novos postos de trabalho formais no último ano. “Isso pode indicar não um aumento no número de acidentes ou doenças, mas sim um crescimento proporcional à população do setor”, pondera o coordenador do curso de pós-graduação em Ergonomia do Centro Universitário Senac, Ronildo Pavani. Já para a diretora da LiveMax, empresa especializada no desenvolvimento de segurança do trabalho, Kamilla Sartore, os acidentes sempre aconteceram, mas agora ganharam mais relevância diante de algumas mudanças nas leis, por isso parecem ocorrer em maior número. Um dos fatores que deu evidência à discussão foi a criação do Nexo Técnico Epidemiológico (NTEP). Antes dessa implementação, um trabalhador que adoecia tinha que provar que a doença teve origem no trabalho. Hoje, é a empresa que precisa mostrar que o problema de saúde não foi provocado pelo ofício. “Isso é definido de acordo com uma lista feita pela Previdência Social, que relaciona o tipo de doenca à função. Portanto, a preocupaçao ficou muito maior por parte das empresas”, afirma Kamilla. Outro fator relevante é que todo incidente deve ser registrado por meio de uma Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT) e o governo cobra das empresas um per-

COMO SE ADEQUAR? A regra de ouro para qualquer empresa, independentemente do tamanho ou ramo de atuação, é: prevenção é o melhor remédio. O primeiro passo é elaborar o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), documento que levanta os riscos a que seus trabalhadores estão expostos. A etapa seguinte é providenciar o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), em que são identificados quais exames são necessários para determinada função e aponta se esse colaborador está apto ou não a exercer aquele tipo de trabalho. Também existe a Norma Regulamentadora (NR) 17 que determina a execução de um laudo ergonômico para identificar os riscos de cada estabelecimento. Esse documento avalia os fatores organizacionais e identifica quais as ações mais adequadas para prevenir acidentes e doenças naquele ambiente. Todas as recomendações para cada ramo de atividade estão especificadas na NR17, disponível no site da Previdência Social, mas algumas orientações básicas devem ser levadas em consideração por todos os empresários do ramo farmacêutico. É recomendável, por exemplo, que os empregados não fiquem por longas horas de pé em balcão de atendimento ou de manipulação. O funcionário deve ter 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

PDV249.indd 99

99

18/07/13 12:36


PONTO DE VENDA

• atidas do corpo contra m veis e ancadas em função de pouco espaço de circulação. • Doenças relacionadas à coluna cervical e às pernas, por causa do longo período em pé ou cadeira mal regulada;. • esão por s orço Repetitivo ( R) principalmente para quem atua no checkout. Fontes: Livemax e Senac

GASTO X INVESTIMENTO oa parte dos empresários ainda enxer am a prevenção de acidentes como um custo e não como um benefício futuro. Mas especialistas garantem que se trata de um investimento com retorno garantido, através da redução de despesas com afastamentos do trabalho, tratamentos dos acidentados e indenizações trabalhistas. Além disso, ao seguir as normas vigentes, o estabelecimento estará preparado para receber eventuais fiscalizações do governo. Na maioria, as vistorias são feitas mediante o recebimento de uma denúncia nas Delegacias Regionais do Trabalho, mas também podem ser aleatórias. “Há épocas em que se decide fiscalizar um determinado setor”, alerta Kamilla. Por meio da Secretaria de Inspeção do Trabalho, o governo tem intensificado a fiscalização nas empresas. Somente no ano de 2012 foram lavrados 143.025 autos de infração e nos três primeiros meses de 2013 já somam 34.093. Os autos de infração obrigam as empresas a melhorarem as condições de trabalho que refletem na prevenção de acidentes e doenças.

XT

E

PDV249.indd 100

• ortes com vidros de medicamentos ue rados.

NTEÚDO

100

• uedas de escadas ao acesso em prateleiras.

O contato direto com o computador é um mal da atualidade. Veja os riscos desse hábito.

CO

à disposição uma cadeira com regulagem de altura para que o trabalho possa ser executado sentado, ou um assento para descanso nos intervalos de atendimento entre um cliente e outro. “São medidas simples e baratas que contribuem para a prevenção de fadiga e doenças, assim como a organização do estoque de forma que materiais mais pesados fiquem em altura intermediária nas prateleiras e os mais leves nas partes altas e baixas”, recomenda Ronildo Pavani. A utilização dos equipamentos de proteção individual (EPIs) e a instalação de sapatas de borracha antiderrapante nas escadas evitam quedas e garantem a prevenção de diversas doenças e acidentes de trabalho. Outra recomendação é procurar alternar, ao longo da jornada de trabalho, as atividades de atendimento de clientes no balcão com outras atividades de retaguarda, assim reduzindo o estresse e as atividades repetitivas ao mesmo tempo. Dentro de uma farmácia, também deve ser levada em consideração a parte psicológica, que pode trazer doenças. O funcionário é maltratado pelo cliente? Sofre pressão de produtividade e vendas? Está exposto aos ruídos do trânsito na rua e a risco de assaltos? Quando identificados os problemas por meio do laudo ergonômico, é possível estudar a melhor maneira de atenuar esses problemas. Entre as alternativas mais comuns e que podem ser aplicadas em farmácias estão programas de ginástica laboral, atividades de psicologia em grupo ou intervalos em salas reservadas.

ACIDENTES E DOENÇAS MAIS COMUNS NAS FARMÁCIAS:

AL

BOA PARTE DOS EMPRESÁRIOS AINDA ENXERGAM A PREVENÇÃO DE ACIDENTES COMO UM CUSTO E NÃO COMO BENEFÍCIO. TRATA-SE DE UM INVESTIMENTO COM RETORNO GARANTIDO, ATRAVÉS DA REDUÇÃO DE DESPESAS COM AFASTAMENTOS, TRATAMENTOS DOS ACIDENTADOS E INDENIZAÇÕES

RA N O POR

T

www.guiadafarmacia.com.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 12:37


MERCADO

Momento de

impacto

P

MESMO TENDO REGISTRADO O MENOR CRESCIMENTO DESDE 2003, SEGMENTO DOS GENÉRICOS ATINGE PARTICIPAÇÃO RECORDE DE MERCADO E MIRA 30% PARA 2015, JÁ QUE OS GENÉRICOS CONTINUAM SENDO A OPÇÃO MAIS VIÁVEL AOS CONSUMIDORES P O R M A RC ELO DE V A LÉC I O FOTO: SHUTTERSTOCK

mercado_249_3pag.indd 103

Por mais de uma década, os medicamentos genéricos têm tido crescimento bem acima da média do canal farmacêutico. Salvo durante a crise de 2008-2009, o setor sempre cresceu acima dos 25% ao ano, em alguns exercícios excedendo os 30%, como ocorreu em 2010 (32,6%, o melhor resultado da série histórica). Em 2011, o mercado de genéricos registrou elevação de 32,3% no volume de unidades vendidas na comparação com o ano anterior, com 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

103

18/07/13 12:38


MERCADO

avanço de 41% em valor. No início do ano passado, a expectativa no setor era de que o ritmo fosse mantido e se chegasse a uma elevação de 35% no volume de unidade comercializadas. Contudo, em 2012 o mercado de medicamentos genéricos registrou crescimento muito abaixo disso, atingindo 17% no volume de unidades vendidas na comparação com 2011. Foram comercializados 679,6 milhões de unidades perante os 580,8 milhões registrados no ano anterior, segundo levantamento da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró Genéricos). Embora vigoroso, esse foi o menor crescimento em volume da história dos genéricos desde que a categoria chegou ao mercado brasileiro no começo dos anos 2000. Segundo a associação, a redução do ritmo da economia brasileira como um todo refletiu no resultado do setor em 2012. “Estamos apreensivos com isso. O segmento cresceu acima dos 30% em volume em 2012 e 2011 e perdeu ritmo em 2012”, diz a presidente-executiva da Pró Genéricos, Telma Salles. Outros fatores que influenciaram nesse resultado, segundo a executiva, incluem o menor número de paten-

na participação de mercado em unidades. O mercado fechou 2012 com média recorde de 26,3% no acumulado do ano, contra 24,9% em 2011. Em valores, a participação atingiu 22,4%, contra 20,5% em 2011. “Apesar de o resultado não ter sido tão bom em 2012, estamos otimistas com o futuro do segmento. Esperamos atingir 30% de participação de mercado até 2015”, afirma a executiva.

ECONOMIA AOS BRASILEIROS Desde a criação dos medicamentos genéricos, pouco mais de uma década atrás, o consumidor economizou R$ 34 bilhões em gastos com medicamentos, segundo levantamento realizado pela Pró Genéricos. Isso se deve, de acordo com a entidade, aos preços praticados no mercado ao longo desse período – por lei, os genéricos devem custar, no mínimo, 35% menos do que os medicamentos de marca. Mas essa economia pode ter sido bem maior, tendo em vista que os descontos praticados sobre os genéricos no varejo atingem, em média, 50%, podendo ir além disso, em alguns casos. Deve-se contabilizar também a pressão sobre os medicamentos de marca provocada pelos genéricos, pressionando as indústrias a concederem descontos mais generosos. “O cálculo que fazemos para mensurar a economia proporcionada pelos genéricos é teórico, levando-se em consideração somente a diferença legal de 35% entre o medicamento genérico e o de referência”, observa Telma Salles. “Portanto, podemos imaginar que a economia pode ir muito além, principalmente devido aos altos descontos que as indústrias oferecem ao varejo.” Combinando qualidade, confiabilidade e preço, os genéricos se tornaram em pouco tempo uma alternativa vantajosa ao consumidor, que passou a ter mais opções de escolha, e permitiu o acesso a tratamentos medicamentosos a uma camada maior da população. Para o Ministério da Saúde, é inquestionável a

OS GENÉRICOS TROUXERAM UM NOVO DINAMISMO AO MERCADO, PRINCIPALMENTE POR POSSIBILITAR MAIS ESCOLHAS AO CONSUMIDOR. O PREÇO CAIU, A CONCORRÊNCIA AUMENTOU E HOUVE ELEVAÇÃO DE VENDAS EM UNIDADES SUPERIOR A 50% tes expiradas em 2012, um acentuado aumento nos custos de produção e fortes pressões por descontos no varejo. Com tudo isso, a performance dos genéricos do ano passado manteve o segmento acima do conjunto da indústria farmacêutica brasileira, que cresceu 10,8%. Ao se excluir a participação dos genéricos nas vendas do setor farmacêutico, o crescimento geral é ainda menor, atingindo a marca de 8,8%. Além disso, a diminuição no ritmo de crescimento dos genéricos não impediu um salto 104

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

mercado_249_3pag.indd 104

18/07/13 12:38


MERCADO

importância dos medicamentos geO ponto de venda tem a néricos para a saúde brasileira, missão de investir pois representam alternativa conem ações de creta e indispensável diante da siconscientização tuação econômico-social do País. Os medicamentos constituem um dos itens de maior gasto na renda familiar e investimento público, e um dos mais importantes instrumentos no suporte às ações de saúde, sem os quais os sistemas se tornariam inviáveis. Criados com o objetivo de reduzir o preço final ao consumidor, presentes com sucesso em diversos países, os genéricos foram introduzidos no Brasil a partir da Lei 9.787 de 1999. No começo houve certo preconceito em relação a esse tipo de medicamento, mas que foi dissipado, sobretudo nos grandes centros. “Ainda há alguma desconfiança do profissional de saúde em prescrever o medicamento genérico em determinadas regiões do País, sobretudo em cidades menores”, revela o diretor-executivo do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade Industrial (ICTQ), Marcus Vinícius de Andrade. “Mas, com o crescimento do nível de informação da classe médica e da população, a tendência é que essas localidades sigam o que ocorreu no restante do País, onde a maioria das pessoas diz preferir o medicamento genérico.”

NOVA ESTRUTURA Os genéricos trouxeram um novo dinamismo ao mercado, principalmente por possibilitar mais escolhas ao consumidor. Algumas moléculas para tratamento de uso contínuo, por exemplo, tiveram penetração muito maior depois do advento do genérico, caso dos medicamentos para tratamento de hipertensão, que estava estagnado. Com os genéricos, o preço caiu, a concorrência aumentou e houve elevação de vendas em unidades superior a 50%. A partir do programa do governo que fornece medicamentos gratuitos para o controle da hipertensão, os medicamentos para essa enfermidade tiveram crescimento ainda maior, o mesmo acontecendo com as drogas para diabetes e asma, também constantes na política da gratuidade. O genérico ganhou mercado rapidamente ao atender à necessidade da sociedade brasileira de gastar menos com a compra de medicamentos. Além de permitir aos consumidores a aquisição de produtos mais baratos, os genéricos também funcionam como reguladores do mercado, uma vez que vêm forçando, sistemati106

PRODUÇÃO ATIVA As indústrias fabricantes de genéricos planejam investimentos em novas plantas e ampliação de unidades fabris, além de lançamentos de produtos e novas linhas de medicamentos e nos respectivos testes de equivalência farmacêutica e bioequivalência e biodisponibilidade relativa. O segmento caminha para um novo estágio de produção e consumo, incluindo a produção de medicamentos inovadores, como os biotecnológicos, e voltados para enfermidades e tratamentos mais complexos, como drogas contra rejeição de transplantes e para tratar o câncer. Analgésicos e antibióticos, tradicionais campeões de vendas, devem continuar liderando, mas começam a ceder espaço para produtos voltados para tratamentos de outras doenças. Apesar dos resultados mais fracos registrados em 2012, a indústria de genéricos não pretende pisar no freio. De acordo com a Pró Genéricos, o segmento deverá receber investimentos estimados em US$ 1,5 bilhão até 2014.

camente, a queda dos preços dos medicamentos de referência, por conta do aumento da concorrência.

PAPEL DAS FARMÁCIAS Farmácias e drogarias brasileiras devem buscar programas do governo, que aumentam a assiduidade nos tratamentos. Sendo assim, farmacêuticos e demais funcionários dos estabelecimentos devem estar preparados para atender os pacientes. Vale lembrar que o ponto de venda tem a missão de investir em ações de conscientização sobre o uso correto de medicamentos. É possível contribuir com orientações na forma e nos horários corretos e possíveis interações medicamentosas. Ações de atenção farmacêutica, além de contribuir para o uso responsável de medicamentos, trazem incremento à imagem da farmácia que se traduz em resultados de vendas, com a fidelização da clientela. Tal atenção ao consumidor pode incluir desde utilização de folhetos explicativos sobre os genéricos, que podem ser fornecidos pelos laboratórios, até contratação de especialistas para dar palestra sobre o tema à população do entorno da loja, por exemplo.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

mercado_249_3pag.indd 106

18/07/13 12:39


ARTIGO

O uso de antibióticos

e o desequilíbrio intestinal

E

Em nosso organismo, principalmente no intestino grosso, existem centenas de espécies de bactérias. Muitas delas são importantes para a saúde, como por exemplo, na produção da vitamina K, fundamental para a coagulação sanguínea. No entanto, algumas bactérias são nocivas, e competem por espaço com as outras, “do bem”. O antibiótico utilizado para tratar uma infecção respiratória não atua de forma seletiva no pulmão, ele atinge também os microrganismos que vivem no intestino. Ao destruir as bactérias mais sensíveis a determinado medicamento, algum pode favorecer a proliferação de agentes patogênicos.  A consequência pode ser uma diarreia aguda, com o risco de desidratação, caso não tratada. Estima-se que a diarreia ocorra entre 11% e 40% dos casos em que há utilização de antibióticos contra infecções pulmonares, urinárias ou na garganta, por exemplo. Nos casos mais graves, o problema é a infecção pela bactéria Clostridium difficile, causadora da colite pseudomembranosa. Muitas vezes, se inicia o tratamento com um antibiótico contra infecção respiratória e, posteriormente, há necessidade de migrar para outro ainda mais forte, para combater a infecção pelo Clostridium. A prevalência da colite é de 10% a 20% dos casos em que há diarreia associada ao uso de antibióticos.  

COMO PREVENIR? O especialista afirma que a prevenção é simples, e pode ser feita com a prescrição de probióticos – medicamentos fabricados a partir de organismos vivos, cuja atuação favorece a defesa do intestino contra agentes nocivos. Muitos proFOTO: DIVULGAÇÃO

Artigo saude 24.indd 109

fissionais ainda não adotaram a prática em seus procedimentos clínicos. Antigamente, no intuito de prevenir diarreias associadas a antibióticos, as pessoas recorriam à ingestão da levedura de cevada, solicitando a receita a seus médicos. Porém, não havia bases científicas para a prescrição desta levedura. Já o probiótico Saccharomyces boulardii tem sua eficácia comprovada, conforme estudos publicados na literatura médica internacional. Mas, infelizmente, muitos médicos ainda fazem associação com a levedura de cevada. O Saccharomyces boulardii é um probiótico da classe das leveduras e vem sendo utilizado desde a década de 1950 em países europeus, na prevenção e no tratamento da diarreia. Testes sobre sua eficácia demonstraram uma redução de 80% na ocorrência de diarreia associada ao uso de antibióticos em crianças, em comparação com o uso de placebo (porcentagem dos pacientes com diarreia: 3,4% com S. boulardii; 17,3 % com placebo).  O ideal é a prescrição preventiva, em doses pequenas, simultaneamente à indicação do uso de antibióticos em geral. Desta forma, é possível prevenir complicações como a diarreia aguda e a colite pseudomembranosa. Nos casos em que não houve prevenção e ocorre a diarreia, indicamos uma “dose de ataque” com o Saccharomyces boulardii, e a manutenção de doses menores até a mudança no quadro, além de hidratação por via oral ou até mesmo intravenosa. Ao surgirem sintomas de diarreia ou infecções respiratórias, é necessário que o paciente consulte um especialista.

COM A CHEGADA DO INVERNO, CRESCE O CONSUMO DE ANTIBIÓTICOS CONTRA INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS

E DI M I L S ON M I G O W SK Professor de infectologia pediátrica e diretor do Instituto de Pediatria da UFRJ

2013 JULHO GUIA DA FARMÁCIA

109

18/07/13 12:41


TABAGISMO

Novos

ares

CERCA DE 200 MIL MORTES EM DECORRÊNCIA DE PROBLEMAS RELACIONADOS AO TABACO SÃO REGISTRADAS POR ANO NO BRASIL. SAIBA MAIS SOBRE ESSE VÍCIO QUE AFETA CERCA DE UM TERÇO DA POPULAÇÃO MUNDIAL P O R R A Q U EL SENA 11 0

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude_tabagismo_ok.indd 110

Q

Quando o cigarro industrializado se disseminou, a publicidade associava-o a um hábito elegante e sofisticado de viver e até a uma forma de inserção social. Os anos se passaram e hoje o tabagismo é uma doença que se tornou uma “epidemia mundial”, sendo considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. O total de mortes em decorrência de problemas relacionados ao tabaco atingiu a cifra de 4,9 milhões de ocorrências anuais, o que corresponde a mais de 10 mil óbitos por dia. No Brasil, são aproximadamente 200 mil mortes por FOTOS: SHUTTERSTOCK

18/07/13 12:48


O USO DE MEDICAMENTOS COMO ADESIVOS DE NICOTINA OU INIBIDORES DO DESEJO DE FUMAR PODE SER UMA BOA SAÍDA PARA O PACIENTE QUE QUER SE LIVRAR DO VÍCIO E NÃO TEVE SUCESSO AO TENTAR POR CONTA PRÓPRIA Caso as atuais tendências de expansão de consumo sejam mantidas, esses números aumentarão para 10 milhões de mortes anuais por volta de 2030, sendo metade delas em indivíduos em idade produtiva entre 35 e 69 anos.

INÍCIO MOTIVADO

ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). A OMS estima que um terço da população mundial adulta, ou seja, cerca de 1,2 bilhão de pessoas sejam fumantes. Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina e 12% da população feminina no mundo fumam. Enquanto nos países em desenvolvimento os fumantes constituem 48% da população masculina e 7% da população feminina, nos países desenvolvidos a participação das mulheres mais do que triplica: 42% dos homens e 24% das mulheres têm o hábito de fumar.

Segundo o cardiologista do Hospital São Camilo, Dr. Humberto Freitas, uma série de fatores levam um indivíduo a começar a fumar, porém alguns deles são mais relevantes. “Não existe uma doença que possa causar uma alteração que leve ao vício. O simples fato de frequentar ambientes com fumantes e ter contato com pessoas que fumam pode fazer com que qualquer um se torne utilizador crônico e passível de vir a se tornar um fumante também”, garante. O cigarro é uma bomba para o organismo, pois possui mais de 4,7 mil substâncias tóxicas diferentes. O alcatrão, por exemplo, é um composto de mais de 40 substâncias comprovadamente cancerígenas; entre elas, arsênio, níquel, cádmio, resíduos de agrotóxicos, elementos radioativos e até fósforo P4/P6, usado em veneno de rato. Outras 20 substâncias são suspeitas de também causar câncer. Entretanto, a única substância responsável pela dependência é a nicotina. De acordo com a farmacêutica responsável pela Farmácia Escola do departamento de Farmácia da Universidade de São Paulo (USP) e professora titular do curso de Farmácia da Universidade de Guarulhos (UnG), Maria Aparecida Nicoletti, a nicotina é uma droga psicoativa e a que causa dependência, ou seja, altera o sistema nervoso central. “É encontrada em todos os derivados do tabaco. Por ser psicoativa produz a sensação de prazer, levando à dependência; uma vez atingido o cérebro, vários neurotransmissores são liberados e vão atuar na sensação de prazer. Com o uso, o 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

especial saude_tabagismo_ok.indd 111

111

18/07/13 12:48


ESPECIAL SAÚDE

TABAGISMO

OS NÃO FUMANTES PODEM SER TORNAR FUMANTES PASSIVOS QUANDO EXPOSTOS À FUMAÇA Saiba quais os prejuízos causados pelo tabagismo passivo: EFEITOS NA SAÚDE DE ADULTOS CABELO • CHEIRO CÉREBRO E EFEITOS MENTAIS • DERRAMES OLHOS • ARDênCIA, lACRIMEjAMEntO E AuMEntO DO pISCAR DE OlHOS NARIZ • IRRItAçãO RESPIRAÇÃO E PULMÕES • CânCER DE pulMãO • pIORA DE pROblEMAS RESpIRAtóRIOS pREExIStEntES, COMO ASMA E EnfISEMA CRônICA ObStRutIvA CORAÇÃO • pREjuízOS, EntupIMEntO E EnfRAquECIMEntO DAS ARtéRIAS • InfARtO, AngInA ÚTERO • nASCIMEntO COM bAIxO pESO Ou EStAtuRA pARA A IDADE • SínDROME DA MORtE SúbItA InfAntIl

QUEIMADURAS • pOR InCênDIOS CAuSADOS pOR tAbACO

EFEITOS NA SAÚDE DE CRIANÇAS

SANGUE • pOSSívEl ASSOCIAçãO COM lInfOMA QUEIMADURAS • pOR InCênDIOS CAuSADOS pOR tAbACO MODELO • AuMEntA A pRObAbIlIDADE DE SE tORnAR uM fuMAntE nA ADOlESCênCIA CABELO • CHEIRO CÉREBRO • pOSSívEl ASSOCIAçãO COM tuMORES CEREbRAIS E EfEItOS MEntAIS A lOngO pRAzO OLHOS • ARDênCIA, lACRIMEjAMEntO E AuMEntO DO pISCAR DE OlHOS OUVIDOS • InfECçãO DO OuvIDO MéDIO (OtItE CRônICA MéDIA) RESPIRAÇÃO E PULMÕES • InfECçõES RESpIRAtóRIAS (InCluInDO bROnquItE E pnEuMOnIA) • InDuçãO DE CRISE ASMátICA • SIntOMAS RESpIRAtóRIOS CRônICOS (RESpIRAçãO RuIDOSA – SIbIlânCIA, tOSSE, pERDA DE AR) • pREjuízO nA funçãO RESpIRAtóRIA CORAÇÃO • EfEItOS nOCIvOS nO OxIgênIO, ARtéRIAS • AuMEntO DOS RECEptORES DE nICOtInA

Fonte: The Tobacco Atlas – World Health Organization

fumante passa a consumir, cada vez mais, um número maior de cigarros porque com a ingestão contínua da nicotina estabelece-se a tolerância e, como consequência, há necessidade maior da droga para garantir a sensação de satisfação”, explica.

PROBLEMAS ASSOCIADOS De uma maneira geral, o uso do cigarro está relacionado a inúmeras alterações no organismo como: aumento de pressão arterial e dos batimentos cardíacos, constrição dos vasos sanguíneos, problemas cardiovasculares (infarto, angina e doenças coronarianas). 11 2

As doenças relacionadas ao uso do cigarro são: hipertensão arterial, infarto do miocárdio, aterosclerose, bronquite crônica, angina pectoris, tromboangeíte obliterada, enfisema pulmonar, cânceres de pulmão, boca, laringe, esôfago, estômago, pâncreas, bexiga, rim, faringe, colo do útero, mama, reto, intestino e próstata. Além de: acidente vascular cerebral, aborto, aneurisma da aorta, deslocamento precoce da placenta, sinusite, linfoma, etc. O pneumologista e coordenador do Centro de Tratamento do Tabagismo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Ciro Kirchenchtejn, afirma que 30% de to-

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude_tabagismo_ok.indd 112

18/07/13 12:47


ESPECIAL SAÚDE

TABAGISMO

dos os cânceres são relacionados ao cigarro. Além disso, são responsáveis por 25% dos infartos e anginas e 25% das ocorrências de derrame cerebral. “O cigarro ainda está bastante relacionado ao desenvolvimento de úlceras gastroduodenais e infecções respiratórias”, conta o especialista. De acordo com o Inca, o tabaco também tem relação com a impotência sexual e infertilidade masculina, pois, segundo estudos, prejudica a mobilidade do espermatozoide. Os mesmos prejuízos também são atribuídos ao cachimbo e ao charuto. Apesar de não serem tragáveis, possuem uma concentração de nicotina maior, que é absorvida pela mucosa oral. O fumante passivo também corre riscos de saúde frequentando o mesmo ambiente e estando próximo de pessoas fumantes. Sete não fumantes morrem por dia em consequência do fumo passivo. O tabagismo passivo aumenta em 30% o risco para câncer de pulmão e 24% o risco para infarto, revelam dados do Inca.

cos (disponibilizados em várias formas farmacêuticas como adesivos, gomas de mascar, spray nasal, comprimidos sublinguais) e os antidepressivos, que só podem ser utilizados sob prescrição médica. “Entretanto, a utilização desses medicamentos e a indicação da terapia medicamentosa deverão ser realizadas por um médico considerando as condições do in-

MUDANÇA DE HÁBITO O tabagismo é uma doença tratável e curável mas, primeiramente, o fumante tem que desejar e estar convencido dos benefícios de abandonar o cigarro. O uso de medicamentos como adesivos de nicotina ou inibidores do desejo de fumar pode ser uma boa saída para quem quer se livrar do vício e não teve sucesso ao tentar por conta própria. Porém, o cardiologista do Hospital São Camilo alerta: “O tratamento se torna ainda mais eficaz se unir apoio medicamentoso com mudanças de hábitos. Essa combinação é importante, pois o tabaco causa dependência física, psicológica e comportamental”, garante. A farmacêutica Maria Aparecida Nicoletti vai além. “A primeira condição para vencer o vício é a pessoa realmente querer. Sem esta decisão qualquer proposta para superação do vício não terá sucesso. O indivíduo não tem que tentar, tem é sim que parar, porém sabendo de todas as consequências geradas pela síndrome de abstinência.” Os sintomas de abstinência são diversos, mas o Dr. Kirchenchtejn, do Hospital Oswaldo Cruz, destaca: insônia, irritabilidade, variações de humor, perda da concentração, aumento de apetite e ansiedade. Para ajudar no tratamento, o mercado farmacêutico dispõe de dois tipos de medicamentos: os nicotíni11 4

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude_tabagismo_ok.indd 114

2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

11 4

18/07/13 12:48


ESPECIAL SAÚDE

TABAGISMO

O QUE ACONTECE COM O ORGANISMO QUANDO O INDIVÍDUO PARA DE FUMAR Oriente o paciente da farmácia: • Após 20 minutos a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal. • Após 2 horas não há mais nicotina no sangue. • Após 8 horas o nível de oxigênio no sangue se normaliza. • Após 2 dias o olfato já percebe melhor os cheiros e seu paladar já degusta a comida melhor. • Após 3 semanas a respiração fica mais fácil e a circulação sanguínea melhora. • Após 10 anos o risco de sofrer infarto do coração será igual ao de quem nunca fumou, e o risco de desenvolver câncer de pulmão cai à metade. • Após 20 anos o risco de desenvolver câncer de pulmão será quase igual ao de quem nunca fumou. Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca)

O total de mortes em decorrência de problemas relacionados ao tabaco atingiu a cifra de milhões de ocorrências anuais, o que corresponde a mais de mil óbitos por dia. No Brasil, são aproximadamente mil mortes por ano

4,9

10

200

11 6

divíduo para que o tratamento seja seguro e eficaz”, afirma Maria Aparecida Nicoletti. A goma da marca Nicorette, da Johnson & Johnson, é um dos medicamentos para reposição de nicotina. “A terapia foi desenvolvida para auxiliar os fumantes com os sintomas da abstinência por fornecer uma dose controlada de nicotina terapêutica menor do que a que seria recebida normalmente em um cigarro, mas o suficiente para diminuir a necessidade sentida pelas pessoas que estão no processo de abandonar o vício. Fumantes que utilizam as terapias de reposição de nicotina para largar o cigarro têm duas vezes mais chances de sucesso do que os que tentam utilizando apenas a força de vontade”, garante o gerente de marketing de OTC da Johnson & Johnson, Luiz Ruiz.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude_tabagismo_ok.indd 116

18/07/13 12:48


ESPECIAL SAÚDE

TABAGISMO

PARA AJUDAR NO TRATAMENTO, O MERCADO FARMACÊUTICO DISPÕE DE DOIS TIPOS DE MEDICAMENTOS: OS NICOTÍNICOS (DISPONIBILIZADOS EM VÁRIAS FORMAS FARMACÊUTICAS COMO ADESIVOS, GOMAS DE MASCAR, SPRAY NASAL, COMPRIMIDOS SUBLINGUAIS) E OS ANTIDEPRESSIVOS, QUE SÓ PODEM SER UTILIZADOS SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA Para compor a linha, no ano passado a empresa lançou uma nova goma de mascar: Nicorette Icemint. A novidade tem o mesmo princípio dos outros produtos da marca, porém conta com efeito branqueador dos dentes, que ajuda a clarear as manchas causadas pelo hábito de fumar. O laboratório Pfizer comercializa o Champix, primeiro medicamento desenvolvido especificamente para tratar o tabagismo. Lançado em 2007 no Brasil, o produto possui apenas um princípio ativo, a vareniclina, que age nos mesmos receptores em que a nicotina atua no cérebro, estimulando-os parcialmente, de maneira a reduzir a ânsia pelo fumo. “Além de diminuir a vontade de fumar, não deixa o fumante sentir prazer nas possíveis recaídas durante o tratamento antitabagista”, conta o diretor médico da Pfizer Brasil, Eurico Correia. Semelhante, porém com outro princípio ativo, o Zyban, do laboratório GlaxoSmithKline, é um medicamento que contém bupropiona. O produto interage com substâncias químicas no cérebro chamadas de noradrenalina e dopamina que estão relacionadas com dependência e abstinência. O tratamento leva no mínimo sete semanas. Além disso, a GSK comercializa NiQuitin em pastilhas e adesivos repositores de nicotina que ajuda a controlar o desejo de fumar. O tratamento com NiQuitin Adesivos dura até 10 semanas, dependendo do número de cigarros consumidos pelo fumante. Já a versão Pastilhas

A OMS estima que um terço da população mundial adulta, ou seja, cerca de bilhão de pessoas, sejam fumantes

1,2

11 8

é usada por quem deseja parar de fumar aos poucos. Mas é importante ficar alerta quanto às reações adversas. O uso de NiQuitin pode ocasionar irritabilidade, alteração do humor, ansiedade, insônia e distúrbios do sono que podem estar relacionados à sindrome de abstinência associada à interrupção do tabagismo.

O PAPEL DO FARMACÊUTICO Em contato direto com o fumante, o farmacêutico tem um papel importante de conscientização. Ele poderá lançar mão de diversas ferramentas que auxiliem na educação em saúde, bem como na divulgação dos malefícios da utilização de cigarros. Segundo Maria Aparecida, dependendo do local da loja, o farmacêutico poderá estabelecer parcerias com os centros de saúde ou hospitais próximos, e juntos desenvolverem campanhas específicas antitabagistas e com a orientação ao fumante. Já que o dia do combate se aproxima, 29 de agosto. “Em relação à educação da população infantil, o farmacêutico poderá elaborar cartilhas com a representação dos principais problemas ocasionados pelo hábito. As crianças por terem uma frequência respiratória mais elevada são as mais atingidas pela inalação da fumaça nos ambientes onde haja fumantes. As farmácias e drogarias podem dispor de um televisor para que, enquanto o indivíduo aguarda sua vez no caixa, ele possa assistir a algum vídeo relacionado às campanhas antitabagistas. Enfim, as possibilidades são inúmeras e a criatividade poderá desencadear uma enormidade de ações inovadoras no combate ao tabagismo”, garante a farmacêutica. Devem ser mencionados também os malefícios do cigarro para a saúde bucal. Neste contexto podemos citar o câncer bucal, a doença periodontal, a halitose, as manchas nos dentes, língua e mucosas. “Os alertas devem visar a toda a população porque sempre é o momento de parar de fumar”, afirma a professora da UnG.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude_tabagismo.indd 118

22/07/13 14:11


COLESTEROL

O inimigo não

vê idade

NÃO SÃO APENAS OS ADULTOS QUE ESTÃO SUJEITOS ÀS TAXAS ELEVADAS DE COLESTEROL. PELO CONTRÁRIO, CADA VEZ MAIS CRIANÇAS COM MENOR IDADE SÃO ATINGIDAS P O R R A Q U EL SENA

Q

Quando se fala em elevação das taxas de colesterol, parece ser um assunto único e exclusivo de adultos, mas a realidade é outra. A preocupação de gente grande alcança cada vez mais as crianças. O colesterol é uma espécie de lipídio, uma reserva energética que as células do corpo humano produzem. Na quantidade ideal, a molécula protege as

120

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Especial saude-colesterol em criancas249_3Pag.indd 120

células, formando uma espécie de membrana em torno delas, e ainda serve de reserva energética para momentos de metabolismo acelerado. No entanto, o desequilíbrio na produção desse tipo de gordura pode ter sérias implicações no organismo. Existem dois tipos de transportadores de colesterol: LDL (lipoproteína de baixa densidade) e HDL (lipoproteína de alta FOTOS: SHUTTERSTOCK

22/07/13 08:15


ESPECIAL SAÚDE

COLESTEROL

densidade). O LDL é responsável por transportar o colesterol do fígado até as células de vários outros tecidos. Já o HDL absorve os cristais de colesterol que são depositados nas artérias, removendo-o e transportando-o de volta ao fígado para ser eliminado. As alterações dos níveis de colesterol acontecem por dois motivos: genético e alimentar. Em média, 70% do colesterol é fabricado pelo próprio corpo e sintetizados pelo fígado. Somente os outros 30% são provenientes da alimentação. De forma geral, recomenda-se muita atenção com alimentos de origem animal, pois são eles que contêm mais colesterol. Mas, caso seja constatado que o paciente tem histórico familiar, é importante o acompanhamento de um médico que irá indicar o melhor tratamento.

É POSSÍVEL IDENTIFICAR? O colesterol é essencial para o organismo, porém, segundo a cardiologista do Hospital do Coração (HCor), Dra. Patrícia Elias, é preciso atenção em relação aos agressores externos, como má alimentação, obesidade, sedentarismo e tabagismo, pois são fatores de risco que podem desencadear doenças como infarto, acidente vascular cerebral (AVC), diabetes, entre outras. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 17 milhões de pessoas morrem em todo o mundo em decorrência de problemas no coração. No Brasil, cerca de 300 mil pessoas morrem todos os anos em decorrência de infartos e derrames. Os números elevados de certa forma se justificam, afinal é comum que as pessoas esperem os sintomas aparecerem para, depois, combater as causas, porém, no caso do colesterol alto, eles agem silenciosamente e a única forma de descobrir se têm ou não é por meio de exames. A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) recomenda que pessoas acima de 20 anos meçam seus níveis de colesterol a cada cinco anos. A partir dos 30 anos, o controle deve acontecer a cada dois anos e, na terceira idade, a cada ano ou seis meses. Porém, o diretor de Promoção da Saúde Cardiovascular da entidade alerta: “Há casos em que a partir dos três anos a criança já precisa passar por exames”. Se for diagnosticado colesterol alto, dependendo da intensidade das manifestações, é preciso corrigir, primeiramente, os hábitos alimentares e realizar atividade física.

MUDANÇA DE HÁBITO Um dos grandes responsáveis pela elevação da taxa de colesterol nas crianças e adolescentes é a alimentação inadequada, segundo informa a cardiologista do HCor, Dra. Patrícia. De acordo com pesquisa divulgada pelo Instituto 122

PARCERIA EXEMPLAR A Sociedade Brasileira de Cardiologia está desenvolvendo, junto à Secretaria de Educação do Estado de São Paulo o Programa Alimentação Saudável. O objetivo é conscientizar os alunos da rede estadual de ensino sobre a importância de boas práticas alimentares para uma melhor qualidade de vida, diminuindo os riscos de doenças cardiovasculares, obesidade, hipertensão, altos níveis de colesterol, tabagismo e sedentarismo. Nos meses de maio e junho deste ano foram realizadas videoconferências e orientações técnicas junto às equipes multidisciplinares de cada escola sobre os fatores de risco de doenças cardiovasculares. Com essas informações a equipe promoverá atividades a fim de prevenir diabetes, hipertensão, altos níveis de colesterol, obesidade, entre outros problemas de saúde. A parceria também prevê um estudo para detalhar o perfil nutricional dos alunos. A avaliação vai aferir peso e altura e medir a circunferência abdominal de 13 mil jovens dessas escolas. Com os dados, a Secretaria da Educação e a entidade médica conseguirão mensurar como a iniciativa impacta a vida dos jovens, isto é, se houve redução do peso corporal e melhora na saúde após a implantação do programa. O resultado também permitirá conhecer o percentual de fatores de risco detectados nas crianças e nos adolescentes. “No início de agosto o programa terá início em 128 escolas do estado de São Paulo. Até o final do ano pretendemos estender o programa para todas as escolas do estado”, afirma o diretor de Promoção da Saúde Cardiovascular da SBC, Dr. Carlos Alberto Machado.

Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 89% das crianças brasileiras ingerem açúcar acima do nível recomendado. Além disso, consomem gordura além dos padrões considerados saudáveis. Os dados confirmam que a obesidade infantil tornou-se uma epidemia devido às mudanças nos hábitos alimentares das crianças e da população em geral. Tudo

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Especial saude-colesterol em criancas249_3Pag.indd 122

18/07/13 12:51


Co

is

Ev

ita r

ra tu f ri

me

a rm

tais vege e tas fru

Evitar lan como cachoches rápid o sanduíches rro-quent s e gordu roso e s

Não

Incluir peixe assado e m grelhado fritas nas enos carn ou refeiç es ões

s r fuma Limitar os a liment rico o s e m c o lestero s gem l, a d e o v o e fíga do

s ico s fís rc í ci o Praticar exe

COMBATE AO COLESTEROL

eri rd o liza tad Uti esna d

v , io ados gu de rte lei des te po nat bres ado e e so m gordura, leite rvete s light

ra i a o g s s nges a ad ord tur tão d os ura ad e de de as, leit e

Confira 10 dicas para que seus clientes se protejam deste inimigo:

ita ur Limgord m s co eriv rico , d s o t ia n e e v m i a al Priorizar ras, como açãs b m fi em rais e g e t n i pães

Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC)

porque existe um desequilíbrio entre a ingestão de alimentos e os gastos energéticos. O consumo exagerado pode elevar o nível de gordura no sangue. O colesterol alto não traz problemas imediatos para as crianças e adolescentes. Mas quando fica sem tratamento, aumenta o risco de doenças cardíacas na fase adulta. Dados do último censo do IBGE apontou que 34,8% das crianças no País, com idades entre 5 e 9 anos, têm peso maior que o considerado saudável pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ainda segundo o Instituto, cerca de 10% das crianças e adolescentes brasileiros estão acima do peso e 7,3 são considerados obesos.

Para minimizar essas estatísticas especialistas garantem que reeducação alimentar é a melhor saída. O nutrólogo do Hospital do Coração (Hcor), Dr. Daniel Magnoni, orienta a redução do consumo de gorduras saturadas, sal, açúcar, pães, massas e doces. Mas deve-se abusar de frutas, legumes e verduras. “O ideal é consumir cinco porções diárias desses alimentos”, explica. O especialista também alerta quanto aos lanches oferecidos em cantinas de escolas: “Muitos dos alimentos comercializados nesses estabelecimentos influenciam na alteração do colesterol. É importante que se façam escolhas saudáveis, optando, por exemplo, por alimentos com farinha integral”. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Especial saude-colesterol em criancas249_3Pag.indd 123

123

18/07/13 15:24


DIARREIA

Sinalalarmante A ORIGEM DO PROBLEMA PODE SER DIVERSA, O QUE TORNA FUNDAMENTAL O AUXÍLIO PARA O TRATAMENTO. ENTENDA AS CONSEQUÊNCIAS E ORIENTE OS PACIENTES DA FARMÁCIA DE FORMA ADEQUADA P O R K AT L HEN R A M OS 126

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude_diarreia_3pgs.indd 126

O

Os quadros de diarreia podem ser divididos em dois grandes grupos, de acordo com o seu tempo de evolução: os agudos (menos de sete dias) e os crônicos (mais de 30 dias). “Nos quadros agudos, a etiologia infecciosa é a principal (90% dos casos), e as secundárias são vírus, bactérias ou protozoários. Neste grupo estão incluídos também os quadros decorrentes de intoxicação alimentar”, explica a gastroenterologista do núcleo de gastroenterologia do Hospital Samaritano de São Paulo, Dra. Carolina Pimentel. Já a diarreia crônica geralmente envolve doenças da própria mucosa intestinal, congênitas FOTOS: SHUTTERSTOCK

22/07/13 08:22


Entre os principais causadores do problema estão o uso de antibióticos (pela mudança da flora intestinal), antiinflamatórios (causadores de processo inflamatório e lesão de mucosa) e uso abusivo de laxativos ou adquiridas, como a doença celíaca (intolerância ao glúten) e a intolerância à lactose. “Algumas infecções podem ter evolução arrastada, causando diarreia por longo período, como por exemplo a giardíase causada pelo protozoário Giardia lamblia”, lembra. A diarreia também pode estar associada a tumores; problemas psicológicos, como a síndrome do intestino irritável (surge com episódios de diarreia ligados a ansiedade e estresse); ou ao uso de algumas medicações. “Entre os principais causadores estão o uso de antibióticos (pela mudança da flora intestinal), anti-inflamatórios (causadores de processo inflamatório e lesão de mucosa) e uso abusivo de laxativos”, enumera a Dra. Carolina. Como as causas da diarreia podem ser diversas, é fundamental que o farmacêutico indique a procura de um médico, que prescreverá o melhor tratamento para cada caso.

CONHEÇA OS SINAIS DO CORPO DESIDRATADO A desidratação é considerada como a pior complicação que a diarreia pode trazer. “Sede, prostração, indisposição, desânimo para atividades simples, diminuição da quantidade de urina, olhos fundos, secos e sem lágrima, boca seca e com saliva espessa, pressão baixa, taquicardia, extremidades frias e confusão mental são alguns dos sintomas que podem ocorrer”, avisa o gastroenterologista clínico do Centro de Gastroentereologia, Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital 9 de Julho, Dr. Guilherme Andrade. ‘‘Se não tratada, a desidratação pode chegar à hipotensão arterial e choque’’, alerta o gastroentereologista do Hospital São Camilo, Dr. Henrique perobelli Schleinstein.

INVERNO X DESIDRATAÇÃO No inverno, os riscos da desidratação podem ser maiores, já que, nesse período, as pessoas tendem a beber menos água e, consequentemente, podem desidratar-se mais facilmente. As necessidades da pele também fazem com que o organismo exija mais água. “Por conta do frio, o órgão necessita ser um isolante térmico mais eficaz. Também há necessidade de se circular mais o sangue na epiderme. Isto gasta energia e consome água”, avisa o especialista do Hospital São Camilo. A especialista do Hospital Samaritano vê mais alguns motivos para a maior suscetibilidade de desidratação do corpo no inverno. “Com o frio, a tendência do organismo é manter a maior parte da circulação sanguínea nas regiões mais centrais, onde estão os chamados órgãos-alvo (coração, cérebro, pulmões). Com isso, há uma aparente interpretação de que haveria mais ‘volume’ de sangue nesses órgãos, inibindo a busca por mais líquido, logo, menos sede. Outro fato interessante é o consumo de bebidas quentes nesta época do ano, que não são totalmente aproveitadas pelo corpo devido a sua temperatura mais elevada ou pela presença de produtos que atrapalham a hidratação, como a cafeína ou a canela)”, conta. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

especial saude_diarreia_3pgs.indd 127

127

18/07/13 13:00


ESPECIAL SAÚDE

DIARREIA

88 % das mortes por diarreias no mundo

são causadas pelo saneamento inadequado TRATAMENTOS DEPENDEM DAS CAUSAS DO PROBLEMA A diarreia pode ser prevenida pelo consumo de alimentos adequadamente higienizados no que diz respeito aos quadros agudos infecciosos, conforme explica a gastroenterologista do Hospital Samaritano de São Paulo. Segundo ela, com relação à prevenção da desidratação, a melhor alternativa é o consumo de água em quantidade abundante durante o quadro agudo. “Em algumas situações, em casos de desidratação mais grave, onde a via oral ainda pode ser utilizada, a administração de soluções de reidratação oral comerciais pode ser indicada. Tais soluções possuem quantidades proporcionais de sódio e glicose que facilitam a absorção de água, utilizando mecanismos intrínsecos do organismo para absorção dessas substâncias. Essa é a mesma ideia do soro caseiro, em que são utilizados água, sal e açú-

Em 2011, no Brasil,

396.048 pessoas foram internadas

por diarreia; destas, eram crianças menores de cinco anos ( % do total)

138.447 35

car para sua preparação. Não há produtos sabidamente melhores que outros. O princípio básico é o maior consumo de água”, diz. Já o uso de medicamentos para o tratamento da diarreia depende, diretamente, da origem do problema. “Os agentes usados como tratamento específico (antidiarreicos) que sempre devem ser usados com cautela e prescrição médica são Loperamida; Racecadotrila; Di128

ESTATÍSTICAS ALARMANTES Doenças relacionadas a sistemas de água e esgoto inadequados e a deficiências com a higiene, como a diarreia, causam a morte de milhões de pessoas todos os anos, com prevalência nos países de baixa renda (PIB per capita inferior a US$ 825,00). 88% das mortes por diarreias no mundo são causadas pelo saneamento inadequado. Destas mortes, aproximadamente 84% são de crianças (Organização Mundial da Saúde, 2009), sendo, segundo a Unicef (2009), a segunda maior causa de mortes em crianças menores de cinco anos de idade. Estima-se que 1,5 milhão de crianças nesta idade morram a cada ano vítimas de doenças diarreicas, sobretudo em países em desenvolvimento. No Brasil, as doenças de transmissão feco-oral, especialmente as diarreias, representam, em média, mais de 80% das enfermidades relacionadas ao saneamento ambiental inadequado (IBGE, 2012). Em 2011, no Brasil, 396.048 pessoas foram internadas por diarreia; destas, 138.447 eram crianças menores de cinco anos (35% do total). Fonte: Instituto Trata Brasil

fenoxilato; Fibras solúveis (Policarbofila); Subsalicilato de Bismuto; Probióticos (cepas variadas). Outros utilizados na diarreia, dependendo da causa, são enzimas pancreáticas, Colestiramina, Mesalazina, Sulfassalazina, Octreotide, Budesonida e antibióticos”, enumera o Dr. Guilherme Andrade, do Hospital 9 de Julho. “Em casos de diarreias invasivas, a utilização desses agentes pode induzir a complicações graves do quadro infeccioso, como o chamado megacólon tóxico. Tal situação pode predispor a complicações como sepse (infecção generalizada), perfuração intestinal e hemorragias”, alerta a Dra. Carolina. O farmacêutico precisa conhecer a fundo cada um deles para realizar a dispensação da melhor maneira possível. Além disso, o ponto de venda pode oferecer produtos correlatos como isotônicos, chás, energéticos e água de coco. Essa é uma forma de aumentar o tíquete médio do negócio.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude_diarreia_3pgs.indd 128

18/07/13 12:59


TORCICOLO

Dor

repentina O TORCICOLO SURGE QUANDO MENOS SE ESPERA, CAUSANDO SOFRIMENTO E INCÔMODO. AS MULHERES SÃO AS MAIS AFETADAS. SAIBA COMO OCORRE E QUAL O MELHOR TRATAMENTO A SER OFERECIDO P O R R A Q UEL SENA 130

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude - torcicolo_2pag.indd 130

Q

Quem já teve um torcicolo sabe bem a dor e o incômodo que ele ocasiona, além é claro da limitação de movimentos no pescoço. As causas são variadas, porém uma coisa é certa: ele sempre aparece quando menos se espera. A cervicalgia, popularmente conhecida como torcicolo, é uma dor da região cervical (pescoço) gerada por uma contratura ou espasmo dos músculos cervicais. De modo geral, é de caráter transitório e pode manifestar, além da dor, uma incapacidade temporária da movimentação cervical. “A dor cervical e o seu efeito no músculo ocorrem por conta de um processo inflamatório local, que gera a FOTO: SHUTTERSTOCK

18/07/13 13:02


ESPECIAL SAÚDE

TORCICOLO

A PRIMEIRA MEDIDA NO TRATAMENTO DO TORCICOLO COSTUMA SER MEDICAMENTOSA PARA ALIVIAR AS DORES. PODE ENVOLVER ANALGÉSICO, RELAXANTE MUSCULAR OU ANTI-INFLAMATÓRIO. OS SPRAYS, GEL E EMPLASMOS TAMBÉM SÃO ITENS MUITO PROCURADOS EM FARMÁCIAS contração muscular e pode atingir, mais comumente, os músculos esternocleido (face lateral do pescoço) e trapézio. Esta contratura muscular promove a incapacidade de rotação ou flexão cervical, além da mudança da postura cervical com a posição tipicamente circular da cabeça”, explica o ortopedista do Hospital Alvorada, Dr. Paulo Satiro. Segundo estudos da Sociedade Brasileira de Estudos da Dor (SBED), a cervicalgia afeta entre 30% e 50% da população todos os anos, sendo que 15% apresentam alguma dor em região cervical ao longo da vida. Além disso, segundo o ortopedista do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, Dr. Fabiano Nunes, o torcicolo acomete mais comumente pessoas entre 30 e 60 anos de idade, sendo as mulheres as mais afetadas. O torcicolo geralmente acontece de maneira incomum, resultado de um movimento brusco ou rápido do pescoço, mas também pode acontecer devido a mau jeito.

TRATAMENTO IDEAL O indivíduo, quando adquire um torcicolo, muitas vezes se automedica com o uso de relaxantes musculares, porém a visita a um especialista é fundamental para um diagnóstico preciso. A primeira medida no tratamento do torcicolo costuma ser medicamentosa para aliviar as dores. Pode envolver analgésico, relaxante muscular ou anti-inflamatório. “Nesse momento o repouso é muito importante. O paciente não deve tentar forçar ou alongar a região, porque o quadro pode piorar”, adverte o Dr. Nunes. Principalmente na fase inicial, quando a dor é de forte intensidade e qualquer movimento pode cau132

ORIENTAÇÃO AOS PACIENTES DA FARMÁCIA O torcicolo, de um modo geral, pega a pessoa de surpresa. Porém, algumas ações no dia a dia podem evitar o transtorno. Confira as dicas dos especialistas: • ormir de forma adequada com travesseiro na altura do ombro e colchão de uma densidade que não afunde o corpo. • ão usar o telefone entre os ombros e a orelha. e tiver de fazer uma ligação mais longa e precisar das mãos para digitar ou escrever, por exemplo, utilize um fone de ouvido. • er o hábito de manter um bom alongamento da musculatura cervical. • erificar a postura e ergonomia do trabalho, carro ou meio de transporte. A tela do computador, por exemplo, deve ficar na altura dos olhos, para evitar má postura do pescoço e tensão na região cervical. • vitar assistir à televisão e utilizar notebook ou tablet sentado de maneira incorreta. • e possível, reduza o estresse. • ratar e prevenir a evolução dos processos de infecção das vias a reas e ouvidos, principalmente em crianças. • uidar da postura durante a realização de exercícios físicos como o abdominal e at mesmo a corrida, entre outros. Fontes: Fabiano Nunes, do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo; Paulo Satiro, do Hospital Alvorada; e Alexandre Podgaeti, da SBOT

sar intenso desconforto, o uso do colar cervical pode ser útil, pois auxilia a diminuir a movimentação cervical e com isso melhora a dor e ajuda no relaxamento da musculatura. Os sprays, gel e emplastros também são itens muito procurados em farmácias e drogarias e, segundo o coordenador do Comitê de Coluna da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Dr. Alexandre Podgaeti, podem ajudar no tratamento, pois promovem alívio da dor e relaxamento do músculo.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial saude - torcicolo_2pag.indd 132

18/07/13 13:02


DISFUNÇÃO ERÉTIL

Desvendando

um tabu

CERCA DE 10 MILHÕES DE BRASILEIROS APRESENTAM O PROBLEMA DE IMPOTÊNCIA SEXUAL, PORÉM MUITOS SE RECUSAM A ADMITIR QUE SOFREM DO MAL E RECORREM A MEDICAMENTOS QUE PROMETEM SOLUCIONAR O PROBLEMA P O R R A Q U EL SENA

H

Há alguns anos, o sexo era considerado um tabu na sociedade. Quando se fala em impotência sexual – ou disfunção erétil como é definido pela nomenclatura científica – o tabu ainda persiste e é considerado grave para boa parcela da população masculina. A disfunção erétil é a dificuldade persistente de obter ou manter ereção suficiente para permitir uma atividade sexual satisfatória. O fato de o homem eventualmente “falhar na hora H” não implica a disfunção: para ser classificado como tal, o problema deve ser recorrente. Símbolo de abalo da virilidade masculina, muitos homens se recusam a admitir que sofrem do mal. Porém, de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), cerca de 10 milhões de brasileiros

134

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

especial-saude-disfuncao eretil_4pag.indd 134

apresentam o problema de impotência sexual. A avaliação da SBU mostra ainda que aproximadamente 52% dos homens com idade de 40 a 70 anos sofrem atualmente com a doença no Brasil. Nos Estados Unidos, por exemplo, a prevalência é estimada em 20%, enquanto que a incidência (novos casos) varia de dois a 50 para cada mil homens, relacionando-se a indivíduos com menos de 40 anos e acima de 65 anos de idade, respectivamente. As previsões do National Institute of Health (NIH), dos Estados Unidos, afirmam que cerca de 325 milhões de homens passarão pelo problema ao redor do mundo até 2025. A solução para minimizar o impacto da disfunção erétil na vida desses homens, segundo o NIH, é a prevenção e o tratamento correto da doença. Apesar dos alertas das organizações de saúde, o preconceito ainda é o maior obstáculo para o tratamento FOTO: SHUTTERSTOCK

18/07/13 13:05


da doença no Brasil. Se o problema fosse apenas entre quatro paredes não seria tão grave, mas uma vida sexual tumultuada reflete no trabalho, na vida familiar e, principalmente, na autoestima das pessoas.

CONHECENDO A DOENÇA Para entender melhor a disfunção erétil, é importante compreender a anatomia e o funcionamento do órgão reprodutor masculino. Segundo a SBU, há três níveis de disfunção erétil. O nível 1 é quando o homem não consegue ter ereção nenhuma ou tem uma lesão grave. O 2 é a obtenção de uma ereção insuficiente. E o grau 3, quando há ereção completa, porém que não dura muito tempo. “A disfunção erétil pode ser causada por distúrbios psicológicos, orgânicos ou mistos. A causa mais frequente é a psicológica, principalmente em homens com menos de 50 anos, totalizando quase 80% dos casos”, garante o urologista do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, Dr. Celso Heitor Freitas Júnior. Diversas doenças sistêmicas podem contribuir para a disfunção, principalmente por aumentar a incidência de aterosclerose – doença inflamatória crônica caracterizada pela formação de placas compostas especialmente por lípidos e tecido fibroso – dentro dos vasos sanguíneos. “Diabetes mellitus, doenças cardiovasculares e hipertensão arterial sistêmica, obesidade, sedentarismo e tabagismo são exemplos de fatores de causa arterial. Outro fator de risco é representado pelo efeito colateral de alguns tratamentos para o câncer de próstata: cirurgia, radioterapia e bloqueio hormonal”, conta a urologista do Hospital Samaritano de São Paulo, Dra. Ravendra Moniz.

NADA É IMPOSSÍVEL! A impotência sexual tem cura e o primeiro passo é o diagnóstico correto, que é puramente clínico, através das informações que o indivíduo transmite ao médico. “Diante das respostas obtidas podem ser solicitados alguns exames para haver precisão”, explica o membro do Departamento de Sexualidade Humana da SBU, Dr. Valter Javaroni. Caso seja diagnosticada a doença, o tratamento preferencial é com medicações de uso oral: os inibidores da PDE-5. Estas medicações têm elevado índice de sucesso e revolucionaram o tratamento da disfunção erétil. É o caso da sildenafila. Lançado há 15 anos no País, pelo laboratório Pfizer, o medicamento tem como princípio ativo o citrato de sildenafila. O produto é um inibidor seletivo da fosfodiestarase 5 (PDE-5), o que resulta no aumento do fluxo sanguíneo

ANDROPAUSA: O MAL QUE ATINGE OS HOMENS Engana-se quem pensa que apenas as mulheres sofrem alterações hormonais com o passar dos anos. O Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM) – popularmente conhecido como andropausa – é o conjunto de sintomas associados ao envelhecimento masculino, decorrentes da redução da produção de testosterona (hormônio masculino). “A testosterona é o hormônio masculino que age no cérebro estimulando alguns centros que são responsáveis pelo desejo sexual. Quando os níveis ficam baixos, pode ocorrer um tipo de queda da libido que é totalmente revertido com o restabelecimento dos níveis de testosterona. Vale lembrar que o estresse e a depressão também causam queda da libido sem nenhuma participação da testosterona. Portanto, nem todo homem que tem mudanças no apetite sexual tem problemas de testosterona”, garante o Dr. Valter Javaroni, da SBU. Segundo o urologista do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, Dr. Celso Heitor Freitas Júnior, o DAEM ocorre devido à redução dos níveis de testosterona no organismo, abaixo dos valores fisiológicos – normalmente entre 280 e 800 mg/dL. Os sintomas surgem a partir dos 40 anos e são caracterizados pela redução da libido, perda de força muscular, ganho de peso, alterações metabólicas e ósseas, déficit de concentração e memória, alterações de humor, astenia e sonolência. A prevenção é possível. O indivíduo deve buscar o envelhecimento saudável através de hábitos diários. “Hábitos nocivos como o tabagismo e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas devem ser evitados”, conta a Dra. Ravendra, do Hospital Samaritano de São Paulo. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

especial-saude-disfuncao eretil_4pag.indd 135

135

18/07/13 13:05


ESPECIAL SAÚDE

DISFUNÇÃO ERÉTIL

O PROBLEMA EM NÚMEROS

Aproximadamente 52% dos homens com idade de 40 a 70 anos sofrem atualmente com a doença no Brasil.

20% é o valor de prevalência

estimada nos Estados Unidos, enquanto que a incidência (novos casos) varia de 02 a 50 para cada 1.000 homens, relacionando-se a indivíduos com menos de 40 anos e acima de 65 anos de idade, respectivamente.

Cerca de 10 milhões de brasileiros apresentam o problema de impotência sexual.

Fonte: SBU

no pênis, permitindo a ereção e sua manutenção. Assim como os outros medicamentos para disfunção erétil, o laboratório orienta não utilizar o medicamento em conjunto com outros à base de nitratos. Portadores de insuficiência cardíaca, hipertensão arterial e demais enfermidades relacionadas ao coração podem fazer uso do medicamento, se não houver restrição médica. A urologista do Hospital Samaritano de São Paulo afirma que além do sildenafila existem mais três fármacos no mercado: tadalafila, vardenafila e lodenafila. “Não havendo ereção com o uso dos medicamentos orais ou se houver contraindicação, as injeções intracavernosas devem ser utilizadas. O alprostadil, fentolamina e papaverina são drogas utilizadas para estes fins”, garante. Já em casos de disfunção erétil puramente psicogênica deve ser utilizada a psicoterapia. Mas é preciso atenção quanto ao uso inadequado de medicamentos com essa finalidade. “Os inibidores da PDE-5 são vasodilatadores. Em homens portadores de obstrução das artérias cardíacas (coronárias), a vasodilatação produzida pelas drogas para disfunção erétil pode precipitar a ocorrência de infarto do miocárdio. Ou seja, as drogas para disfunção erétil não acarretam outras doenças, mas seu uso

em pacientes de alto risco cardiovascular é contraindicado. Portanto, a prescrição dessas medicações deve ser feita sempre pelo médico especialista”, orienta o Dr. Celso, da Beneficência Portuguesa. Caso o indivíduo não obtenha sucesso com esses tratamentos, a cirurgia se faz necessária. Ela consiste na colocação de próteses penianas no interior dos corpos cavernosos do pênis, garantindo ereção plena para realização do ato sexual. Especialistas afirmam que o índice de satisfação dos pacientes que foram submetidos ao implante de próteses penianas é elevado – da ordem de 92%. Para o Dr. Javaroni, da SBU, apesar de todos os avanços, o melhor tratamento para a disfunção ainda é a prevenção. “Prevenir é cuidar bem da saúde e do relacionamento. O homem deve controlar os fatores de risco e ter hábitos de vida saudáveis. E isso pode começar em qualquer idade, não precisa esperar entrar na faixa de risco para se preocupar com o assunto.” O primeiro passo é seguir uma rotina com hábitos saudáveis: alimentação balanceada, fazer exercícios físicos, não fumar e ingerir bebidas alcoólicas com moderação. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

especial-saude-disfuncao eretil_4pag.indd 139

139

18/07/13 13:05


COMPORTAMENTO

O que eles

desejam? F PRODUTOS PRÉ E PÓS-BARBA, LÂMINAS DE ÚLTIMA GERAÇÃO, TRATAMENTOS PARA A PELE E CABELOS... OS HOMENS PASSARAM A BUSCAR ITENS ESPECÍFICOS PARA SUA HIGIENE E BELEZA E ALMEJAM ATENDIMENTO DE PONTA P O R K AT H LEN RA M OS 140

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

comportamento249.indd 140

Foi-se o tempo em que os cuidados masculinos se restringiam a um bom corte de cabelo e a uma barba bem aparada. Nesta geração, a vaidade deixou de ser assunto estritamente feminino e ganhou novos adeptos. A preocupação com a aparência torna-se parte integrante da rotina masculina e o preconceito, que antes existia entre o próprio gênero, aos poucos vai sendo deixado para trás. O universo de homens que cuidam do visual é tamanho que aqueles que assumidamente se imporFOTOS: SHUTTERSTOCK

18/07/13 13:08


COMPORTAMENTO

NO MESMO RITMO EM QUE OS HOMENS PASSARAM A CUIDAR MAIS DA SUA SAÚDE E BELEZA, A INDÚSTRIA PASSOU A APOSTAR NESSE SEGMENTO E OFERECE PRODUTOS CADA VEZ MAIS EFICAZES E SOFISTICADOS PARA ESSE PÚBLICO

tam com a aparência ganharam o título de metrossexuais. A aceitação de algumas personalidades com esse perfil comprova que, de fato, o preconceito aos homens vaidosos é esquecido dia a dia. “Mesmo sendo considerado por muitos um estereótipo, já é possível notar a aprovação das mulheres diante do novo comportamento masculino, afinal, o que dizer dos metrossexuais David Beckham e Cristiano Ronaldo, considerados ícones deste movimento e que fazem tanto sucesso na ala feminina?”, questiona o sócio-diretor do Viva Spa Tecnológico, Henrique Teixeira. Essa nova tendência faz com que o mercado de produtos destinados à higiene & beleza cresça exponencialmente. Aliás, segundo estimativas da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), a vaidade masculina já movimenta cerca de US$ 12 bilhões ao ano mundialmente. Na mesma proporção em que aumenta a preocupação dos homens com a aparência, cresce também a demanda por produtos destinados exclusivamente para os seus anseios. Diversas pesquisas de mercado mostram que eles estão cada vez mais vaidosos e preocupados com a aparência, além de estarem mais exigentes; eles já não aceitam propostas genéricas, ou seja, apresentam aspirações específicas. “Atualmente o público masculino não quer mais dividir seus cosméticos com as mulheres, escolhendo, assim, linhas especificamente desenvolvidas para atender necessidades típicas do gênero. O principal fator desse comportamento é a segurança que os produtos de linhas masculinas trazem ao homem”, acredita o gerente de trade da categoria de desodorantes da Unilever, Tiago Blanes.

ABORDAGEM DIFERENCIADA Diferentemente das mulheres, que gostam de uma verdadeira consultoria no momento da compra de seus produtos de higiene e beleza, de modo geral, os homens estão menos abertos a abordagens no ponto de venda (PDV). “O público masculino prefere independência na hora da escolha de sua compra. Comumente os homens optam por

O público masculino prefere independência na hora da escolha de sua compra 142

compras rápidas, que duram cerca de cinco minutos, fato contrário ao comportamento feminino, já que as mulheres programam um tempo maior para a escolha de seus produtos”, revela Blanes. Já o diretor de trade marketing da BIC Brasil, Leandro Menezes, acredita que, apesar de apreciarem a praticidade, os homens estão cada vez mais abertos a tirarem suas dúvidas com profissionais no PDV. “Eles se mostram mais dispostos e costumam ouvir as consultoras com atenção sobre os assuntos referentes a cuidados pessoais”, considera. Seja qual for o tipo de abordagem escolhida, a praticidade é fundamental e ela envolve, além de um bom atendimento, uma correta exposição nas gôndolas. E, se possível, vale apostar num espaço que agrupe todo o sortimento que compõe esse universo. “Visto que há objetividade do público masculino na hora da compra, a principal dica é incorporar diversos produtos das categorias mais presentes na lista de compras em um mesmo espaço”, recomenda Tiago Blanes, da Unilever.

MIX VASTO E SOB MEDIDA No mesmo ritmo em que os homens passaram a cuidar mais da sua saúde e beleza, a indústria passou a apostar nesse segmento e oferece produtos cada vez mais eficazes e sofisticados para esse público. A BIC, por exemplo, lançou um novo produto com o objetivo de brigar pela liderança do setor. “Depois de cinco anos de pesquisas e mais de 100 mil horas de trabalho de técnicos e engenheiros, entra no mercado de sistemas um segmento em que anteriormente não atuava, com o lançamento do seu primeiro barbeador recarregável masculino: o BIC Flex 4”, revela a gerente da categoria de barbeadores da BIC Brasil, Carina Narciso. A Gillette também aposta num barbear perfeito ao oferecer o Fusion ProGlide, que incorpora sete avanços:

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

comportamento249.indd 142

22/07/13 08:25


COMPORTAMENTO

RAIO X DO SETOR

O mercado masculino representa 37% das principais categorias de higiene & beleza (H&B).

¾

dos lares brasileiros consomem produtos de H&B voltados ao público masculino.

Apesar da importância e alta penetração nos lares, o tíquete médio dos produtos voltados aos homens representa menos de 10% do tíquete das categorias mais consumidas por eles. Isso demonstra a potencialidade deste mercado, seja aumentando o gasto médio, seja por meio de mais consumidores em categorias menos desenvolvidas.

O supermercado ainda é o canal de maior alcance para o consumidor de desodorantes masculinos (com 56% das compras). Na sequência aparecem os canais porta a porta (37%), farmácias e drogarias (26%) e cash & carry (5%).

Os itens mais procurados por este público são sabonetes, tinturas, condicionadores, xampus, creme para pele e lâminas de barbear.

O Brasil está na viceliderança mundial em produtos de higiene e beleza para homens, com faturamento de R$ 4,1 bilhões em 2012 e crescimento médio de 16,2% nos últimos cinco anos.

Fontes: Nielsen - pesquisa “O Mercado e o Shopper Masculino” (2011); Abihpec; Nivea; e Unilever

144

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

comportamento249.indd 144

18/07/13 13:08


O levantamento U&A For Men também detectou que os homens do estado de São Paulo são os mais abertos para novas experiências de consumo e são os que gastam mais tempo e dinheiro cuidando da aparência.

Pesquisas recentes de mercado apontam que mais de 80% dos homens já compram sozinhos seus próprios produtos de cuidados pessoais.

De acordo com o levantamento U&A For Men, divulgado em 2012 pela TNS, realizado com homens de 18 a 60 anos das classes A/B/C nas cidades de Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, 07 em cada 10 homens consideram que a beleza exterior é extremamente ou muito importante para eles. Além disso, eles também se preocupam com o envelhecimento da pele e não têm preconceito quanto ao uso de produtos faciais. Tanto que 41% usam algum produto da categoria de hidratação facial, porém ainda menos de uma vez por semana. O creme facial é o preferido, embora muitos usem creme para o corpo no rosto.

Segundo dados da Euromonitor, o mercado masculino no Brasil deverá crescer a uma taxa 7% de entre o período 2010-2015, seguindo a taxa similar do mercado de beleza e da indústria de cuidados pessoais previstos para os próximos 05 anos.

Entre os principais interesses dos homens em aparência e estética estão: cuidados com os dentes (temas estéticos e mau hálito), cabelos (queda e caspa) e excesso de transpiração.

2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

comportamento249.indd 145

145

18/07/13 13:08


COMPORTAMENTO

APESAR DE APRECIAREM A PRATICIDADE, OS HOMENS ESTÃO CADA VEZ MAIS ABERTOS A TIRAREM SUAS DÚVIDAS COM PROFISSIONAIS NO PDV. ELES SE MOSTRAM MAIS DISPOSTOS E COSTUMAM OUVIR AS CONSULTORAS COM ATENÇÃO SOBRE OS ASSUNTOS REFERENTES A CUIDADOS PESSOAIS lâminas mais finas; fita lubrificante aprimorada, 25% maior do que na versão anterior; estabilizador das lâminas, que ajuda no ajuste ao contorno do rosto; protetor de excesso de espuma, que previne a aquaplanagem das lâminas; lâmina de precisão utilizada para ajudar no barbear das áreas mais difíceis e realizar ajustes; novo cabo ergonômico; e, para a versão Power, o novo micropente que posiciona o pelo corretamente, guiando-o até a lâmina para um barbear rente e confortável.

Seja qual for o tipo de abordagem escolhida, a praticidade é fundamental A Biotherm sai da tradicionalidade e detém uma linha completa para o universo masculino, denominada Biotherm Homme, com itens que vão além daqueles que compõem a cesta básica de H&B. A marca traz, por exemplo, um produto antifadiga para a região dos olhos, que elimina as bolsas aí existentes, atenua olheiras e hidrata o contorno dos olhos (High Recharge Eye Shot); espuma para limpeza da pele, que a prepara para o barbear (T-Pur Mousse Nettoyante); gel para firmeza do abdômen (Abdosculpt); gel esfoliante para a pele (Desincrustant Visage); gel hidratante transparente (Aquapower Absolut Gel); e eau de toilette (Force). A Nivea também desenvolveu diversos produtos dirigidos aos cuidados com a pele masculina. A marca oferece uma gama completa para o barbear: gel de limpeza facial e barbear 2 em 1, gel de barbear, espuma de barbear, creme de barbear, gel pós-barba 2 em 1 (pós-barba + hidratante facial), bálsamo pós-barba e loção pós-barba. A marca traz, ainda, uma linha de sabonetes líquidos com ação 3 em 1: NIVEA For Men Active 3 – sabonete líquido com ação 3 em 1 para corpo, cabelo e barbear; e NIVEA For Men Sport – sabonete líquido com ação 3 em 1 para corpo, rosto e cabelo. O laboratório MSD, dentro do portfólio de suas marcas Dr. Scholl’s e Coppertone, também dispõe de produtos que podem 146

compor a nécessaire masculina. A Dr. Scholl’s, por exemplo, desenvolveu as Palmilhas Work, para homens que passam longos períodos em pé, absorvendo o impacto durante o caminhar; e o Odor X, pó para pés que elimina o mau cheiro causado pelo suor. Outro produto, ideal para homens esportistas, da MSD, é Coppertone Sport Pro Series em Spray Contínuo, disponível nos FPS 30 e 50. A head&shoulders investiu em novas embalagens para sua linha masculina 2013, constituída pelas versões Menthol Refrescante e Prevenção Contra Queda para Homem. No caso do Menthol Refrescante, a nova embalagem traz elementos da natureza, que destacam a refrescância do mentol, enquanto o Prevenção Contra Queda enfatiza o cuidado com o couro cabeludo. “O propósito da mudança, além de promover uma atualização estética, também foi facilitar a escolha do consumidor – dos homens em especial – no momento da compra. A oferta de produtos de higiene e beleza nunca esteve tão alta e, ainda que os homens estejam acompanhando esse movimento, muitas vezes podem encontrar alguma dificuldade para identificar a linha de produtos dedicada a eles em meio a tanta oferta”, comentou o diretor de marketing de head&shoulders, Tarik Mohallem. Dove também aposta no mercado de produtos para homens com a linha de desodorantes Dove Men+Care. “Essa linha possui um diferencial ante os demais competidores, pois traz ¼ de tecnologia hidratante, que minimiza as irritações causadas na pele pela aplicação do produto. A variante Clean Comfort é a principal da linha”, conta o gerente de trade da categoria de desodorantes da Unilever, Tiago Blanes. Em Rexona, a principal novidade fica para a nova tecnologia aplicada nos desodorantes da marca. “Acabamos de trazer ao mercado, tanto para a linha feminina quanto a masculina, a tecnologia MotionSense, uma fórmula exclusiva ativada pelo movimento: quanto mais você se move, mais ela te protege”, conta Blanes.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

comportamento249.indd 146

18/07/13 13:08


BELEZA

Contra

a queda

A PERDA DE CABELOS PODE SER UM SINAL DE ALERTA DO ORGANISMO DE QUE ALGO NÃO VAI BEM. SAIBA O QUE A INDÚSTRIA OFERECE PARA COMBATER ESSE MAL E PRESTE A MELHOR ORIENTAÇÃO POSSÍVEL AO CLIENTE DA FARMÁCIA P O R R A Q U EL SENA 148

Beleza249_3Pag.indd 148

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

S

São vários os fatores que desencadeiam a queda dos cabelos, situação essa que preocupa os homens, e principalmente as mulheres. Dados da pesquisa Usage & Awareness (U&A) de 2012, encomendados pela L’Oréal ao Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), apontam que 39% das brasileiras – entre 16 e 65 anos – afirmam sofrer deste tipo de problema. Na cabeça existem aproximadamente 150 mil fios FOTO: SHUTTERSTOCK

18/07/13 13:14


BELEZA

de cabelos que exercem a função de proteger o couro cabeludo contra a ação do frio, do calor e do excesso de luz solar. Em média os fios duram um período de dois a quatro anos, crescendo continuamente um centímetro por mês. Depois disso, o crescimento fica estagnado por até quatro meses e os fios caem, dando lugar a outros e à repetição do ciclo. “A fase do ciclo dos cabelos em que eles estão em repouso – fase telógena – varia conforme a estação do ano. Portanto, normalmente ocorre uma queda maior no fim do verão e começo do outono”, garante a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Tatiana Gabbi. Uma perda de 50 até 200 fios por dia é normal, sendo variável de indivíduo para indivíduo. Acima disso, a perda passa a ser considerada excessiva. De acordo com a especialista, diversas doenças tanto do couro cabeludo, como do próprio cabelo, além de doenças orgânicas e algumas medicações, podem produzir este quadro clínico. As principais alterações orgânicas envolvidas com a queda de cabelos são: alimentação inadequada, pobre em proteínas, vitaminas e minerais (principalmente dietas restritivas com perda abrupta e intensa de peso), anemia, febre, gravidez e pós-parto, cirurgias, medicamentos (anticoncepcionais, antidepressivos, emagrecedores), alterações hormonais, doenças metabólicas, inflamatórias e infecciosas e estresse emocional. “Alguns nutrientes são fundamentais para o crescimento e saúde dos fios. Os principais envolvidos são o ferro, cobre, zinco, iodo, ácido fólico, aminoácidos (proteínas), vitaminas (biotina, vitamina D, vitamina B2/B5/B6) e ácidos graxos. As vitaminas, minerais, proteínas e ácidos graxos são algumas das substâncias que devem fazer parte da alimentação para que o cabelo cresça bonito e saudável. Os minerais têm um papel importante no metabolismo das proteínas que são responsáveis pela formação da estrutura dos fios. A falta de certos minerais faz com que o cabelo se torne mais fino e frágil”, explica a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, Carolina Marçon. No caso das mulheres, o uso das diversas técnicas e procedimentos químicos também danifica e muito os fios, potencializando assim o problema. De acordo com especialistas, a queda não é necessariamente uma doença, mas, caso a pessoa desconfie que esteja apresentando sintomas em excesso, é importante pro150

Beleza249_3Pag.indd 150

50

Uma perda de até fios por dia é normal, sendo variável de indivíduo para indivíduo. Acima disso, a perda passa a ser considerada excessiva

200

curar o dermatologista que irá indicar tratamentos locais ou com medicação oral, além de exames de investigação, dependendo de cada caso. Outros cuidados ajudam a evitar a queda, como o uso de produtos específicos para tratar e/ou amenizar este problema.

OPORTUNIDADE De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o Brasil foi vice-líder no segmento “Cuidados para Cabelos”, em 2012 com 12,5% de participação no share mundial. Ao todo foram consumidos 9,2 bilhões de dólares em produtos do gênero no ano passado. Para auxiliar na prevenção de queda dos fios, a indústria disponibiliza no mercado uma extensa gama de produtos. A Dove possui a linha Controle de Queda que, por meio do Trichazole, ingrediente ativo desenvolvido pela Unilever, nutre os fios da raiz à ponta e os fixa por mais tempo no couro cabeludo, reduzindo a queda pela raiz. A linha é composta por xampu, condicionador, creme para pentear, creme de tratamento e loção capilar para a raiz. A fabricante também disponibiliza no mercado produtos específicos para homens. É o caso do Clear Men Queda Control, que age fixando o cabelo mais firmemente no couro cabeludo, devido à presença do Pro Nutrium Ginseng, um complexo com base de ginseng e nutrientes que previnem a perda da “cola folicular” na raiz, que liga o cabelo ao couro cabeludo, ajudando a tratar a queda desde a raiz.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 13:14


BELEZA

PREVENÇÃO Confira alguns cuidados para prevenir a queda de cabelos e oriente o shopper: • uplementos nutricionais podem ser ons aliados na prevenção e reversão da ueda de ca elo. • A alimentação deve ter uma uantidade su iciente de prote nas ácidos raxos vitaminas minerais e água. • Deve se evitar medicamentos e suplementos sem indicação médica. desencadear ou agravar a queda de cabelo.

uitos desses produtos podem

• sar re ularmente xampus e demais produtos para tratamento capilar ade uados ao tipo de ca elo. • raticar atividades sicas re ularmente. • vitar usar á ua muito uente optando por lavar o ca elo com á ua morna ou ria pois isso garantirá vitalidade e brilho aos fios, além de evitar a queda. • anter o couro ca eludo sempre limpo a astando a oleosidade ue di iculta a oxi enação do couro cabeludo e enfraquece os fios. Fonte: Carolina Marçon, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia

Em média os fios duram um período de a anos, crescendo continuamente centímetro por mês

04

02

01

Como opção unissex a marca Elseve, da L’Oréal Paris, oferece produtos da linha Arginina, que conta com xampu, condicionador, creme para pentear, creme de tratamento e loção fortificante. A fórmula tem ainda a tripla ação da Arginina e da Ceramida, que irá reforçar a fibra, nutrir o bulbo e fortalecer o crescimento do cabelo. “O diferencial desta linha está na tecnologia e em como ela atua nas três principais causas que resultam na queda capilar. A decisão de investir em novas tecnologias vem sempre pela necessidade de acompanhar nossas consumidoras e oferecer soluções que se adequem à necessidade e aos hábitos, com objetivo de apoiá-las e permitir que continuem sua busca insaciável na obtenção do cabelo perfeito”, conta o gerente de Grupo Capilar – L’Oréal Paris, Bruno Bettencourt. Já a Capicilin dispõe de produtos com fórmula exclusiva Yoxil B4, que contém D-Pantenol e Hair Active (Proteína do Lúpulo). Eles agem desobstruindo o bulbo capilar e 152

Beleza249_3Pag.indd 152

estimulando a respiração das raízes, sem ressecar os fios. Além dos xampus e condicionadores, há como opção o uso de nutricosmésticos. O Serum Care da Nutricé, por exemplo, associa em sua fórmula óleo de semente de uva e ômega 3, com ação anti-inflamatória e um complexo de vitaminas e zinco que contribuem para a força, volume, brilho e redução da queda dos fios. Segundo a gerente de trade marketing da marca, Paula Gordilho, a função do Serum Care é repor as deficiências nutricionais do organismo, sendo que os resultados são reforçados a partir da combinação de todos os elementos: uma dieta saudável e a prática de exercícios. Seguindo essa linha, a Innéov Nutri-Care, da L’Oréal, associa o ômega 3, óleo de semente de groselha negra e licopeno enriquecido com vitaminas C e U, combatendo a queda, reforçando a microcirculação e limitando os efeitos dos radicais livres na raiz.

EXPOSIÇÃO IDEAL Todos os produtos são indicados para consumidores que querem prevenir e/ou controlar a queda, seja qual for seu tipo de cabelo, sendo contraindicados somente a quem possui hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula. Para facilitar a visualização do cliente no ponto de venda, esses itens devem ser alocados junto às suas categorias específicas (xampus e pós-xampus), alinhados na mesma prateleira como produtos alto valor agregado.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 13:14


SORTIMENTO

Oportunidade

lucrativa

ITENS DE HIGIENE BUCAL GARANTEM BONS RESULTADOS PARA FARMÁCIAS E DROGARIAS. APOSTAR EM PRODUTOS DE MAIOR VALOR AGREGADO E EXPOSIÇÃO CORRETA SÃO AÇÕES QUE ATRAEM O CONSUMIDOR 154

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sortimento249_4pag.indd 154

O

O brasileiro é o povo mais preocupado com a saúde bucal no mundo todo. Os produtos destinados a esse tipo de cuidado vêm ganhando mais espaço e evidência nos pontos de venda e, consequentemente, a cesta de compras da população. A melhoria da renda e a entrada das classes C e D nesse mercado resultam no crescimento do número de domicílios que inseriram esses itens em sua rotina. O faturamento da categoria de higiene bucal apresentou crescimento médio de 6,3%, enFOTOS: SHUTTERSTOCK

18/07/13 13:17


SORTIMENTO

A FARMÁCIA CRESCE ACIMA DA MÉDIA DE MERCADO. EM 2011, O CANAL TEVE 10% A MAIS DE SHOPPERS E GASTANDO 12% A MAIS. DESSE TOTAL DE AUMENTO, 72% SE REFEREM À RECOMPRA, OU SEJA, CLIENTES QUE RETORNARAM AO CANAL, E 28% DE NOVOS CLIENTES

tre outubro de 2011 e outubro de 2012, segundo dados fornecidos pela Nielsen. O momento apresenta tendência de investimento em itens de maior valor agregado, e as escovas, por exemplo, já estão presentes nos lares de todos os brasileiros. Os lançamentos de cremes dentais com propriedades extras, enxaguatórios, fios e produtos branqueadores ganham destaque. “Observamos um crescimento maior do faturamento do que do volume de venda, o que ocorre em função da sofisticação do consumo. Há dois anos a indústria fez um trabalho muito forte de lançamentos e no ano seguinte conseguiu crescer e manter os volumes de venda”, avalia o analista de mercado da Nielsen, Arthur Oliveira. Entre os produtos que vêm chamando maior atenção dos brasileiros estão as escovas antibacterianas e cremes dentais que promovem o clareamento dos dentes. Mas, de acordo com o especialista, a grande oportunidade de crescimento do setor de cuidado bucal está nos antissépticos. “O item ainda não está presente em todos os domicílios. É uma categoria de acesso, em que as classes D e E estão entrando agora. É menor em volume de vendas, mas é a que mais cresce ano a ano”, ressalta. Segundo ele, a indústria tem dois objetivos: trabalhar a sinergia das marcas entre subcategorias e incentivar o consumidor a comprar categorias que não são tão básicas.

TRABALHANDO OS ITENS A farmácia cresce acima da média de mercado. Em 2011, o canal teve 10% a mais de shoppers e gastando 12% a mais. “Desse total de aumento, 72% se referem à recompra, ou seja, clientes que retornaram ao canal, e 28% de novos clientes”, revela o executivo da Nielsen. Praticar o cross merchandising, ofertar novidades e lançamentos e reabastecer sempre a gôndola são atitudes positivas para o negócio. Pontos extras são táticas eficientes para a lembrança de compra da categoria, especialmente para a subcategoria de antisséptico bucal, cuja compra é diretamente relacionada à lembrança gerada por maior visibilidade. “Adotar materiais de ponto de venda que comunicam a solução completa de higiene oral (fios + escovas + antisséptico + creme dental) também serve como estímulo para o incremento da cesta e do tíquete médio da categoria. Para incentivar o consumidor a comprar e repor 156

escova e fio dental, é recomendável a aposta em ofertas com brindes, como porta-escovas e copo medidor. Embalagens promocionais incentivam a compra por oportunidades e/ou a compra de maior quantidade de produtos”, orienta a gerente de gerenciamento por categorias e shopper da Johnson & Johnson, Patrícia Gimenes. Ainda de acordo com a executiva, devido à complexidade da categoria e aos diferentes papéis estratégicos que cada subcategoria apresenta, é recomendado organizar a gôndola conforme o racional de decisão de compra do consumidor. “Esta exposição visa facilitar a compra, aumentar a visibilidade dos diferentes segmentos e produtos de maior valor agregado e intensificar a lucratividade da categoria.” Para a diretora de marketing de Oral-B, Danielle Panissa, a categoria de oral care deve estar organizada dentro da seção de higiene pessoal, na qual as compras são rotineiras. Dessa forma, é possível alavancar as vendas e fazer surgir a necessidade do shopper . Porém, devido à grande variedade de marcas e de linhas e versões, a organização é essencial. “A colocação deve acontecer de maneira que o shopper se sinta seguro em realizar a compra e que compre o produto certo que atenda à sua necessidade.” De acordo com o gerente de marketing da Unidade de Negócios da Consumer Health da Sanofi-Aventis, Mauricio de Oliveira, dentro do segmento de oral care há as categorias destino e impulso. “No ambiente de farmácia, por exemplo, os enxaguatórios e as escovas entram mais como impulso, já que o consumidor não está sempre se lembrando do item.” Especialistas avaliam que é altamente benéfico organizar e dispor os produtos de forma a guiar o

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sortimento249_4pag.indd 156

18/07/13 13:17


SORTIMENTO

NÚMEROS DO SEGMENTO O mercado de higiene oral movimenta no Brasil quase

R$ 3 bilhões

No mundo, o segmento gera

US$ 35 bilhões

Em relação ao mercado mundial de HPC, o Brasil ocupa a 3ª posição em produtos para higiene oral.

Os produtos que integram a categoria proporcionam importante crescimento ao setor. O mais significativo é o de enxaguatórios, que teve acréscimo de 33,13% em 2012 sobre o ano anterior, com faturamento de quase

R$ 425 milhões

O mesmo período percebeu ascensão de 26,51% em cremes dentais (R$ 1.759 bilhão), 15,02% em fios dentais (R$ 126 milhões) e 13,75% em escovas

(quase R$ 650 milhões)

Fontes: Abihpec e Euromonitor

shopper no momento da compra. “Recomendamos organizar, de cima para baixo, enxaguatórios, escovas, com fio dental no meio e cremes dentais nas gôndolas mais baixas. Essa, aliás, é uma formação bem recomendada no ambiente de farmácias”, orienta. Além disso, devem-se separar por blocos creme dental, escova dental, fio dental e antisséptico. “O último (antisséptico) deve ficar mais acima, na altura dos olhos do consumidor, para que a sua compra seja incentivada”, completa Danielle. Outra boa estratégia é organizar de forma a manter num só espaço as linhas completas (antissépticos + fios + escovas + cremes) de uma mesma família ou marcas. “A estratégia é essencial principalmente nas marcas premium. Se expostas juntas em pontos extras da farmácia, a necessidade é criada”, analisa a executiva da Oral-B.

LANÇAMENTOS A Oral-B amplia sua linha com dois novos produtos da família Pro-Saúde Clinical Protection: o creme dental Controle da Placa e a escova Pro-Flex. O Oral-B Pro-Saúde Clinical Protection Controle da Placa oferece tecnologia que ajuda a combater a placa e a prevenir que ela reapareça. Sua fórmula combina dois componentes principais: fluoreto estanoso e fluoreto de sódio, que agem contra os micro-organismos que causam placa, e criam uma barreira que impede a reprodução dos germes. Além disso, o creme auxilia no combate às cáries e ao tártaro, previne contra gengivite, branqueia os dentes, removendo manchas da superfície, refresca o hálito e protege contra hipersensibilidade dentinária. 158

Estudos clínicos demonstraram que o fluoreto estanoso possui propriedades bactericidas que retardam o metabolismo das bactérias, levando a um crescimento mais lento e à consequente diminuição da produção da placa bacteriana, contribuindo ainda para a redução de inflamações e sangramentos da gengiva. Complementando a linha, a marca traz a escova Oral-B Pro-Saúde Clinical Protection Pro-Flex, com dois lados flexíveis, que se ajustam aos dentes e gengivas para a remoção da placa bacteriana. Para a criação da linha de cremes dentais Oral-B Pro-Saúde, a marca empenhou-se no desenvolvimento de tecnologias e na combinação de ingredientes que têm o respaldo de mais de 15 patentes internacionais. “A Oral-B possui um forte patrimônio e é conhecida mundialmente por seu compromisso de oferecer aos consumidores produtos de cuidados bucais da melhor qualidade”, diz a diretora de marketing de Oral-B, Danielle Panissa. Já a Condor repaginou sua escova dental Maxil. “Seguimos as tendências e hábitos dos consumidores para elaboração de um produto completamente renovado, porém mantendo as características que sempre agradaram ao público”, afirma o coordenador da área de Higiene Bucal da Condor, Gerson Grohskopf. A nova Condor Maxil tem cerdas em zigue-zague para limpeza profunda entre os dentes e auxílio no combate da placa bacteriana. Além disso, ganhou

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sortimento249_4pag.indd 158

18/07/13 13:17


SORTIMENTO

O MOMENTO APRESENTA TENDÊNCIA DE INVESTIMENTO EM ITENS DE MAIOR VALOR AGREGADO, E AS ESCOVAS, POR EXEMPLO, JÁ ESTÃO PRESENTES NOS LARES DE TODOS OS BRASILEIROS. OS LANÇAMENTOS DE CREMES DENTAIS COM PROPRIEDADES EXTRAS, ENXAGUATÓRIOS, FIOS E PRODUTOS BRANQUEADORES GANHAM DESTAQUE cabo mais encorpado e emborrachado. O lançamento da Condor conta também com um limpador de língua, que permite uma higienização eficiente da saburra lingual. Além disso, para manter a liderança em escovas dentais para viagem, a Condor Trip acaba de estabelecer um novo conceito de produto. “Após dois anos de desenvolvimento e mais de R$ 2 milhões investidos, a Condor traz para o mercado um produto completamente renovado e com novos atributos, sem alterar a praticidade e conveniência a que os consumidores estão acostumados”, afirma. Uma das principais escovas dentais da Condor e um ícone do segmento de higiene bucal, a Trip ganhou design arrojado e atributos inovadores. Um deles é o sistema de encaixe mais preciso e seguro – o gancho garante o encaixe perfeito e proporciona segurança da montagem durante a escovação. A Condor Trip é a primeira escova dental portátil a oferecer angulação no cabo – característica que facilita a escovação, pois permite alcance maior dos dentes posteriores e traz melhor ergonomia. Outra novidade é o limpador de língua no dorso da escova, que manteve o desenho da cabeça e também a distribuição e corte das cerdas. Além disso, a capa do estojo que se 160

transforma no cabo está maior, o que proporciona uma pega mais ergonômica e confortável. A Hypermarcas aposta em itens do mundo infantil, com a linha Bitufo. A empresa oferece produtos diferenciados, com personagens famosos nas embalagens, como Penélope Charmosa, Cocoricó, Ben 10, estratégia que atrai o público infantil e gera a iniciação de forma divertida. Além de atuar no mercado com as tradicionais fitas, Sanifill aposta em enxaguatórios, limpadores de língua e acessórios para alocar escovas para transporte em viagens e bolsas. O destaque da Colgate fica por conta do creme dental Luminous White. Com embalagem metalizada e superinovadora, a nova fórmula é composta de microcristais branqueadores, semelhante à composição usada por dentistas e que garante aos consumidores dentes um tom mais branco em uma semana. Remove com segurança as manchas e previne o aparecimento e a formação de tártaro. O uso continuado ajuda a manter os dentes mais brancos durante mais tempo.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sortimento249_4pag.indd 160

18/07/13 13:17


CATEGORIA

Expansão

significativa

O MERCADO DE DESODORANTES EVOLUI AO LONGO DOS ANOS. HOJE A INDÚSTRIA INVESTE EM PRODUTOS COM ATIVOS ESPECIAIS. SAIBA COMO FUNCIONAM E APROVEITE AS OPORTUNIDADES PARA ALAVANCAR AS VENDAS P O R R A Q U EL SENA 162

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Categoria_desodorante-3pg.indd 162

D

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o Brasil é o maior mercado de desodorantes do mundo. A categoria obteve, nos últimos cinco anos, um crescimento médio de 6,5% em volume e 15,3% em valor, movimentando R$ 3,2 milhões em 2012, o que representa 21% da participação em vendas no mundo, segundo a Euromonitor Internacional. A categoria é uma das mais influenciadas pelo crescimento do poder aquisitivo da classe C. O consumidor com mais renda e com isso tem disFOTO: SHUTTERSTOCK

18/07/13 13:19


CATEGORIA

A frequência de compra do shopper é de um desodorante a cada dias e o canal farma é a principal via de acesso ao produto, representando % das vendas do mercado

40

28

posição para consumir produtos de maior valor agregado. A frequência de compra do shopper é de um desodorante a cada 40 dias e o canal farma é a principal via de acesso ao produto, representando 28% das vendas do mercado, segundo informa a Nielsen. A versão aerossol é a que mais cresce no Brasil e já representa cerca de 60% do mercado. Diante desse cenário, a indústria busca por inovação a fim de suprir os anseios dos consumidores. As fórmulas estão cada vez mais tecnológicas e específicas, e prometem solucionar demandas como clareamento de manchas, facilidade da depilação, inexistência de marcas brancas nas roupas, além da possibilidade de uma hidratação balanceada da região e proteção reforçada por mais tempo. Segundo o gerente de produto de Garnier Bí-O, Daniel Martins, o consumidor de desodorante aumentou sua exigência, deixando de enxergá-lo apenas como produto de higiene, mas como item de cuidado e embelezamento da pele. Quando se pensa em desodorantes funcionais, a empresa apresenta produtos com tecnologias avançadas. A marca trouxe ao mercado a linha Clarify que clareia e unifica o tom da pele e o Clarify Renov, que suaviza a pele, minimizando os efeitos da depilação. Além disso, lançou neste ano o Protection 5, de fórmula aquosa, com sais solubilizados que garantem proteção antiodor e antiumidade, além de evitar manchas e endurecimento dos tecidos das roupas. A Nivea também aposta nos desodorantes e antitranspirantes com ação clareadora. A marca tem produtos que uniformizam o tom da pele, fórmula 3 em 1, que recuperam o tom natural das axilas, previnem seu escurecimento, protegem a pele e ainda oferecem proteção por 48 horas. “A ação do produto se deve ao sistema clareador, cuja combinação de proteínas de pérolas e licorice permite recuperar gradativamente o tom natural das axilas, 164

deixando-as hidratadas e protegidas. Os benefícios dos ingredientes são significativos, já que a proteína de pérolas confere hidratação, manutenção do tom natural da pele e tem propriedades clareadoras. O licorice, por sua vez, reduz a produção de melanina, contribuindo para o clareamento da região”, explica a diretora de marketing e trade da BDF Nivea Brasil, Tatiana Ponce. De acordo com a empresa, o produto foi testado em uso diário por duas semanas para que os resultados de clareamento das axilas fossem percebidos. A Unilever, detentora das marcas Dove e Rexona, também desenvolve desodorantes com benefícios extras. Uma linha de antitranspirantes de Dove tem propriedades que aceleram a renovação da pele das axilas, fazendo com que fiquem sem manchas em até quatro semanas. Na formulação há calêndula, extrato de semente de girassol (fonte natural de ácido linoleico), vitamina E, além do 1/4 de creme hidratante. Outra opção são os antitranspirantes com ingredientes como o Pro Epil, complexo com extratos naturais que suavizam as axilas, tornando os pelos mais finos, macios e visivelmente reduzidos, o que proporciona sensação de axilas recém-depiladas por mais tempo.

TRABALHANDO O PRODUTO NO PONTO DE VENDA Apesar das campanhas de mídia e ponto de venda realizadas pelas marcas, a fim de esclarecer as diferenças entre os produtos aos consumidores, podem surgir dúvidas e nesse caso a dermoconsultora tem papel fundamental para ajudar na explicação das inovações e auxiliar o shopper na escolha correta, de acordo com o tipo de produto que deseja.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Categoria_desodorante-3pg.indd 164

18/07/13 13:19


CATEGORIA

EXPOSIÇÃO RECOMENDADA

MASCULINO

FEMININO

Premium

Premium

Aerossol

Aerossol

Roll-on

Roll-on

Spray Menor valor agregado

Spray Menor valor agregado

Fonte: Hypermarcas

É preciso entender quais são as necessidades do consumidor, o que ele busca na compra do desodorante. Se tem pele sensível ou se prefere uma fragrância mais suave. É preciso compreender qual é o benefício mais adequado e indicar um produto específico para cada tipo de necessidade. Entre os formatos com maior crescimento, o aerossol se destaca devido a sua praticidade, mas, apesar do seu sucesso, as versões roll-on, creme e spray não podem ser ignoradas, pois têm seu público cativo. Para o caso de roll-on, consumidores declaram ser um formato fácil de carregar na bolsa e que garante boa proteção. “Nota-se também movimento de consumidores migrando para formatos com custo mais elevado, isto é, squeeze para roll-on e de roll-on para aerossol”, lembra o gerente de marketing da Gillete, Wesley Murkin. Diante de tantas opções, uma exposição bem orga166

nizada, separada por formato de aplicação, marca e usuário é importante para ajudar o cliente a se orientar. Segundo a Hypermarcas, por meio de sua assessoria de imprensa, os produtos dessa categoria devem estar bem posicionados nas gôndolas, separados por marca e variante, sempre ao alcance dos olhos do cliente, próximos a produtos de higiene pessoal para ambos os sexos. Para Wesley Murkin, da Gillette, a exposição da categoria deve ser blocada, sendo as mais premium na parte superior da gôndolas e as de menor valor agregado na parte inferior. “Recomenda-se expor a categoria separando primeiramente a gôndola em dois lados: masculino e feminino. Nas primeiras prateleiras, aerossol; prateleiras inferiores; roll-on e na última prateleira, spray”, indica a Hypermarcas. Deve-se também trabalhar pontos próximos ao checkout, a fim de incentivar a compra de produto por impulso.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Categoria_desodorante-3pg.indd 166

18/07/13 13:19


PELE

S.O.S. hidratação D

COM O INVERNO, A PELE TENDE A FICAR MAIS RESSECADA E OS CONSUMIDORES RECORREM AOS HIDRATANTES PARA RECUPERAR SEU ASPECTO NATURAL. CONHEÇA OS MELHORES ATIVOS E O QUE A INDÚSTRIA OFERECE AO MERCADO P O R K AT H LEN RA M OS

168

Pele_3pag.indd 168

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

De acordo com uma pesquisa sobre Cuidados Faciais da Mulher Brasileira, realizada pela Johnson & Johnson (2011), aproximadamente 17% das mulheres no País têm pele seca. E com a chegada dos dias mais frios esse problema pode se agravar. Segundo o cientista da empresa, Nilo Cobeiros, o inverno pede cuidados redobrados com a pele. “Nesta estação, ela é atingida por variações térmicas e sofre com as condições climáticas típicas, como aumento da poluição atmosférica e diminuição da temperatura. Assim, acaba perdendo mais água do FOTOS: SHUTTERSTOCK/DIVULGAÇÃO

18/07/13 13:20


PELE

ABASTEÇA AS GÔNDOLAS Neutrogena oferece a linha Norwegian, com hidratantes para pés, mãos e corpo. “Os principais ativos do produto são a glicerina, que atrai água quando aplicada na pele; o D-Pantenol ou pró-vitamina B5, sofisticado hidratante com propriedades antiinflamatórias que torna a pele mais elástica e lisa; a alantoína, que atua na regeneração de tecidos melhorando a aspereza; o bisabolol, anti-inflamatório e antisséptico suave; a vitamina E, responsável pela nutrição e hidratação; o mentol, que proporciona frescor e ação desodorante; e, finalmente, o dimeticone, um tipo de silicone reconhecido que isola lesões cutâneas do meio ambiente e evita pequenas agressões, permitindo, assim, que a pele se restaure”, descreve o cientista da Johnson & Johnson, Nilo Cobeiros.

Já a marca RoC conta com o hidratante corporal RoC® Hydra + Bio Active, indicado para uso diário. “Ele atua em três frentes: a glicerina, que faz com que a pele atraia a água do ambiente; o ômega 6, que cria um efeito oclusivo na superfície da pele, reconstituindo a função de barreira da epiderme; e o NMF (um conjunto de substâncias hidratantes), que ativa o fator de hidratação natural da pele”, finaliza Cobeiros.

Para o tratamento das peles secas, a Galderma oferece a linha Cetaphil, nas versões creme, loção e Advanced. Para hidratar o corpo e rosto diariamente, a sugestão da empresa é o uso de Cetaphil Loção Hidratante para peles normal a seca, pelo seu alto poder de hidratação e sua formulação leve e não oleosa. “A fórmula é enriquecida com emolientes e umectantes, como glicerina, dimeticona e óleo de macadâmia, que previnem a perda de umidade da pele, proporcionando alto poder de hidratação e efeito prolongado após a aplicação”, descreve a dermatologista consultora da Galderma, Dra. Camila Eduardo. Já Cetaphil Creme Hidratante é um produto de uso diário para áreas extremamente ressecadas do corpo.

A Weleda traz produtos destinados ao tratamento da pele seca e aposta nas formulações à base de óleos. “Há uma linha exclusiva de óleos 100% vegetais que são rapidamente absorvidos pela pele, mantendo-a hidratada e protegida contra as agressões do inverno. Para o rosto, as linhas exclusivas sem adição de parabenos, contendo óleos vegetais que também hidratam e protegem a pele”, conta a farmacêutica da Weleda do Brasil, Ivana Stefanini.

Vichy e La Roche-Posay, igualmente, desenvolvem produtos que reforçam as barreiras e a hidratação do corpo e do rosto. Para o corpo, a La Roche-Posay acabou de desenvolver, especialmente para o Brasil, o hidratante Lipikar Loção, com textura loção gel-fluida, que traz, na formulação, agentes como glicerina, óleo de canola e manteiga de karité. “Ele é rapidamente absorvido na pele, oferece hidratação durante 24 horas, aliado a uma ação calmante para peles que apresentam coceira e desconfortos decorrentes do ressecamento”, destaca Fernanda Melo, da L’Oréal. Já Vichy oferece o leite hidratante corporal Essentielles, produzido com polifenóis de rosa e sem parabenos, que protege e hidrata a pele.

170

Pele_3pag.indd 170

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 13:21


PELE

ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES 1) Tomar banhos rápidos, com água morna. 2) Evitar uso excessivo de sabonetes e buchas. 3) Dar preferência para sabonetes líquidos. 4) Aplicar um hidratante com pH fisiológico no máximo três minutos após o banho, ainda com a pele úmida. 5) Ficar atento ao tipo de hidratante usado. Para o rosto, normalmente os hidratantes têm textura mais leve quando comparados aos hidratantes corporais. As mãos, por exemplo, por estarem mais expostas a agentes irritantes, como detergentes ou desinfetantes, acabam ressecando ainda mais. Por isso, é interessante usar cremes específicos para elas que, dependendo do caso, podem ser aplicados várias vezes ao dia. 6) Lavar o rosto, no máximo, duas vezes ao dia, sempre utilizando sabonete específico para cada tipo de pele. Evitar o uso de sabonetes antissépticos e antibacterianos. 7) Evitar esfoliantes. 8) No caso de mulheres pós-menopausa, avaliar com ginecologista a indicação de reposição hormonal. 9) Usar protetor solar diariamente. 10) Quando se optar por óleos para hidratar o corpo, dar preferência aos 100% vegetais, que são realmente absorvidos pela pele.

que no verão, por causa do baixo nível de umidade relativa do ar”, justifica. A gerente de formação da Divisão de Cosmética Ativa da L’Oréal, Fernanda Melo, explica ainda que “no inverno as glândulas sebáceas ‘hibernam’, fazendo com que a oleosidade natural da pele seja reduzida. Isso faz com que ela se torne acinzentada. Além disso, os poros e vasos da superfície epidérmica se comprimem, deixando-a mais sensível. O clima seco e os banhos quentes – comuns nessa época do ano – também fazem a água evaporar mais rápido, causando ressecamento”, justifica. Alguns grupos se mostram mais suscetíveis a esse problema. “Dentre as pessoas que apresentam pele seca estão as mulheres no período pós-menopausa, idosos e pacientes com hipotireoidismo ou com dermatites, como as tópicas”, descreve a dermatologista do Hospital 9 de Julho, Dra. Caroline Semerdjian Cividanes. Somado ao fato de ficar visualmente prejudicada, já que se torna áspera, descamada e, muitas vezes, com fissuras, a 172

Pele_3pag.indd 172

SÃO DIVERSAS AS LINHAS DE PRODUTOS DESTINADAS A DIMINUIR O EFEITO DO RESSECAMENTO DA PELE QUE ESTÃO DISPONÍVEIS SOB A FORMA DE CREMES, LOÇÕES E POMADAS pele seca pode trazer problemas que vão além dos visuais. “Ela pode levar à coceira, além de facilitar o aparecimento de alergias e infecções”, adverte a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Dra. Ana Maria Costa Pinheiro. Ao contrário do que muitos imaginam, até mesmo os indivíduos com pele oleosa podem sofrer de ressecamento cutâneo. “A maior parte das pessoas têm oleosidade na chamada zona T (testa, nariz e queixo) pelo excesso de glândulas sebáceas nessas regiões. Mas o problema pode ocorrer nas áreas com quantidade menor de glândulas, como no contorno dos olhos, bochechas, lábios, braços e pernas”, adverte a Dra. Caroline, do Hospital 9 de Julho.

A MELHOR ALTERNATIVA De acordo com especialistas da área, a melhor maneira de tratar a pele seca é através de hidratantes, que estão disponíveis sob a forma de cremes, loções e pomadas. “Eles têm como base o uso de óleos vegetais, minerais, ceras e unguentos (forma pastosa)”, descreve a Dra. Ana Pinheiro. Existem ainda dermocosméticos que podem trazer resultados bastante satisfatórios. “As substâncias com maior poder hidratante são a ureia e o lactato de amônia.” Ativos como o óleo de macadâmia e o NMF (Natural Moisturizing Factor), que se transforma em um componente natural que falta nas peles secas, são bons hidratantes e eficazes em casos de ressecamento intenso. Dentre as áreas do corpo que estão mais propensas ao problema estão pés, mãos e lábios. No caso dos lábios, vale um alerta às mulheres. “Quando o lábio está ressecado, deve-se evitar o uso de batons de longa duração, com menos cremes e mais corantes. Nessas situações, o ideal é o uso de hidratantes, que podem ser específicos para essa área”, orienta a dermatologista da SBD.

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 13:21


CUIDADOS

Proteção corriqueira A PELE PRECISA ESTAR LIVRE DOS PERIGOS DA FOTOEXPOSIÇÃO O ANO TODO. FAZER USO DE PRODUTOS ESPECÍFICOS É A ALTERNATIVA ENCONTRADA PELA GRANDE MAIORIA DOS CONSUMIDORES P O R L Í G I A FAV O R ETTO 174

cuidados 249.indd 174

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

O

O fotoenvelhecimento é um conjunto de sinais que ocorrem na pele pela exposição ao sol. Além do envelhecimento, os raios ultravioleta podem causar câncer de pele, ressecamento excessivo, flacidez, alergias, manchas hiperpigmentadas (as marrons), manchas hipopigmentadas (as brancas), rugas finas e aspereza. FOTOS: SHUTTERSTOCK

22/07/13 13:51


DERMOCOSMÉTICO É O COSMÉTICO QUE SE ASSEMELHA A UM MEDICAMENTO. NORMALMENTE É COMPRADO PELA PRIMEIRA VEZ COM PRESCRIÇÃO MÉDICA, POIS É UM PRODUTO DE ALTA TECNOLOGIA E ALTO VALOR AGREGADO Estudos da Escola de Medicina da Universidade de Boston apontam que os raios UV são responsáveis por 2/3 do envelhecimento cutâneo. A Divisão Cosmética Ativa (DCA), da L’Oréal, conta que a radiação ultravioleta está presente durante todo o dia, por isso, a pele deve ser hidratada e protegida independentemente da exposição ao sol. Ela é o único órgão que apresenta dois tipos de envelhecimento: o primeiro relacionado à idade e o segundo, à fotoexposição. Por isso, a empresa afirma que o protetor solar é de extrema importância para proteger e evitar danos celulares à pele. Hoje, sabe-se da importância da proteção como prevenção aos danos causados pela radiação solar. Como são cumulativos, ao longo dos anos, o ideal é que o uso do fotoprotetor comece o mais precoce possível, a partir dos seis meses de idade, informa a consultora médica dermatologista da Galderma, Dra. Danielle Nascimento.

COMO EVITAR Para prevenir e tratar esses males, as mulheres brasileiras passaram a fazer uso dos fotoprotetores, que são produtos mais elaborados, com fórmulas específicas e adequadas a cada tipo de pele, além de passarem por diversos testes que comprovam sua eficácia. O dermocosmético é o cosmético que se assemelha a um medicamento. Normalmente é comprado pela primeira vez com prescrição médica, pois é um produto de alta tecnologia e alto valor agregado. A divisão de produtos de proteção solar cresceu bastante nos últimos anos (24%), seguida da parte de produtos para o rosto (18%) e produtos para o corpo (16%), sendo que esta categoria tende a crescer ainda mais no Brasil, pois o poder de compra dos brasileiros está aumentando, proporcionando-lhes mais acesso aos melhores produtos disponíveis nas farmácias, já que a preocupação dos cuidados com a pele também aumentou. Os benefícios de uso do produto podem ser percebidos por consumidoras que não querem brilho na pele,

nem produtos oleosos. Além disso, podem apresentar outras funções, como antirrugas, hidratantes ou antioxidantes, por exemplo. Para o gerente-geral da Futura Biotech, Wagner Falci, os produtos multifuncionais são ótimos aliados da mulher moderna, pois auxiliam nos cuidados diários necessários para uma pele saudável e economizam tempo por serem mais práticos. Esse tipo de produto é indicado para as pessoas que necessitam de proteção solar e cuidados específicos como equilíbrio para pele oleosa, hidratação ou ação antissinais, por exemplo. Falci lembra que os protetores dermocosméticos oferecem uma relação custo X benefício mais interessante para o consumidor por agregarem funções complementares à proteção solar, além de contarem com tecnologias mais avançadas e proteção solar adequada à pele do rosto. A gerente de produto Eucerin, Thais Mattar Costa, afirma que os fotoprotetores são indicados para pessoas que querem ampla proteção contra os raios UVA/UVB. “Eles complementam os tratamentos dermatológicos e trazem alternativas na prevenção e controle de efeitos nocivos causados na pele”, diz. A executiva lembra que se diferenciam dos cremes comuns por serem produtos compostos de princípios ativos em maiores concentrações e que agem em camadas mais profundas da pele, promovendo modificações fisiológicas, confirmadas por estudos clínicos que trazem maior segurança para o consumidor preocupado com a saúde da pele. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

cuidados 249.indd 175

175

22/07/13 13:51


INSTITUCIONAL – ABRADILAN

Obrigações

legais

www.abradilan.com.br

O PESO DA BUROCRACIA E DA CARGA TRIBUTÁRIA NO BRASIL

O

P O R J O N Y A NDER SO N SO U SA TAV A R ES, P R ESI DEN TE DO CONSELHO DIRETIVO DA A BRADILAN

O Brasil é um país empreendedor, principalmente por ter uma população trabalhadora, criativa e inovadora, que desenvolve uma grande variedade de produtos e serviços, mesmo diante das adversidades. Contudo, o empreendedor brasileiro é muito prejudicado pela elevada carga tributária que beira a casa dos 40% do Produto Interno Bruto (PIB). Atualmente, as empresas vivenciam uma rotina bastante desgastante: além do excesso de carga tributária, têm de cumprir uma enorme quantidade de obrigações acessórias. Com isso, a rotina dos empresários brasileiros e dos profissionais de escritórios contábeis é tomada pelo cumprimento de diversas obrigações junto aos órgãos governamentais. Da abertura de uma empresa até o encerramento são incontáveis declarações e documentos remetidos mensalmente às Receitas Federal, Estadual e Municipal, à Previdência Social entre outras instituições.

A burocracia é uma situação que atinge todas as atividades econômicas, pois representa um aumento injustificado da carga tributária, que já atingiu níveis confiscatórios. O contribuinte não aguenta mais pagar tantos tributos e ainda arcar com o fornecimento das inúmeras informações que o fisco brasileiro tem conseguido inventar. Além de cumprir as obrigações previstas num cipoal de leis complexas, muitas vezes incoerentes e injustas, as empresas e os profissionais de escritórios contábeis têm de assumir as funções de controle de seus próprios recolhimentos e de outros contribuintes. A todo momento o fisco cria mais uma declaração ou demonstrativo para o contribuinte, apenas com a finalidade de ampliar seu controle sobre as atividades econômicas. O custo operacional do atendimento da infernal burocracia fiscal demonstra como o Estado brasileiro é insensível aos

apelos do setor produtivo à redução do peso das exigências. Na ânsia de arrecadar cada vez mais, os governos estão adotando formas de fiscalização eletrônica, cruzando os dados informados para aumentar o cerco contra contribuintes inadimplentes ou buscar evidências de sonegação de tributos. O sistema de cruzamento de informações, criado em 1997, permite que o fisco analise os dados do contribuinte relativos aos cinco anos anteriores. A alta tecnologia empregada na fiscalização, com o objetivo de identificar e coibir os sonegadores, já está se refletindo no crescimento contínuo da arrecadação, provocada, inclusive, pelo aumento de autos de infração emitidos e pela cobrança de multas elevadas. A consequência de tudo isso é a diminuição dos investimentos e do estímulo dos empreendedores em fazer e administrar novos investimentos.

Empresas sócias colaboradoras da Abradilan 176

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Institucional Abradilan 249.indd 176

22/07/13 14:08


INSTITUCIONAL – FQM

Abrilar completa 10 anos e traz nova apresentação

MEDICAMENTO LÍDER EM VENDAS NA CLASSE DE XAROPES ÉTICOS CHEGA NO FORMATO STICK LÍQUIDO, QUE GARANTE MAIS FACILIDADE AOS USUÁRIOS

O

POR KATHLEN R AMOS

O inverno se aproxima e, com ele, aumentam em até 40% as incidências de doenças respiratórias*, principalmente as alérgicas como asma, rinite, resfriados e gripes. E dentre os principais sintomas para essas enfermidades está a tosse, que reduz, sensivelmente, a qualidade de vida dos acometidos. Constituídos como o principal tratamento sintomático para esse problema, os xaropes para controle das crises de tosse crescem em número de prescrições médicas nesse período. Portanto, é fundamental que as farmácias estejam abastecidas com essa categoria de produtos. “No período que vai de abril a setembro, vendemos 70% do que é comercializado em todo o ano com essa categoria”, revela o gerente de grupo do departamento de marketing da FQM, Eduardo Nogueira. E, quando o paciente não encontra o medicamento prescrito pelo médico 178

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

Institucional FQM.indd 178

na farmácia que escolheu, as chances de abandonar todos os outros itens da sua lista de compras são grandes. Dessa forma, torna-se imprescindível estar atento à época de sazonalidade para evitar rupturas. Para abastecer as farmácias com o mix correto, é importante ficar em dia com índices de mercado que mostram os medicamentos mais prescritos. No caso dos xaropes, hoje, o Abrilar lidera esse ranking. “O Abrilar completa dez anos no mercado e crescemos ano a ano, dois dígitos, sempre acima da média da categoria. Hoje, Abrilar é o xarope mais prescrito do País e o xarope ético mais vendido no mercado brasileiro”, afirma Nogueira. Além de manter o sortimento correto, é essencial FOTO: DIVULGAÇÃO

18/07/13 13:23


R: 0 G: 64 B: 119 C: 100% M: 60% Y: 0% K: 40% PANTONE 288

R: 74 G: 142 B: 204 C: 70% M: 35% Y: 0% K: 0% PANTONE 279

www.fqm.com.br

FQM: MAIS DE 70 ANOS NO MERCADO PENSANDO EM SAÚDE A FQM é uma indústria farmacêutica que está há mais de sete décadas no mercado, produzindo e comercializando medicamentos. A empresa investe na melhoria contínua dos processos e na atualização da linha de produtos. A fábrica, localizada no Rio de Janeiro (RJ), produz sólidos, líquidos orais, gotas, pomadas, injetáveis e sólidos hormonais. A linha de produtos conta com mais de 40 medicamentos de marca, que atuam em diversos segmentos terapêuticos, cuidando da saúde desde a infância até a maturidade. Dentre as especialidades da FQM estão clínica médica, ginecologia, ortopedia, reumatologia, pediatria, otorrinolaringologia, cardiologia, dermatologia, urologia e angiologia. “Procuramos oferecer alternativas diferenciadas de saúde tanto para médicos quanto para os pacientes, já que não trabalhamos com cópias”, reforça o gerente de grupo do departamento de marketing da FQM. Dentre os medicamentos de destaque da empresa, além do Abrilar, estão o Annita (antiparasitário), Dolamin Flex (relaxante muscular) e Adoless (anticoncepcional). Atualmente formado pelos laboratórios Farmoquímica e Herbarium, o Grupo FQM continua seu projeto de expansão e anunciou, neste ano, INVICTUS Farmanutrição, nova divisão com foco no segmento de Nutrição Médica. A meta é trazer lançamentos na área de prebióticos, probióticos e também os simbióticos, que unem prebióticos e probióticos em um único produto. que o farmacêutico garanta um bom atendimento ao consumidor. É bastante comum pessoas com crises de tosse chegarem ao ponto de venda pedindo por um medicamento que alivie os sintomas. “Os farmacêuticos devem, sempre, orientar o paciente a consultar um médico. A tosse não é uma doença e, sim, o sintoma de um quadro que pode ser grave. Além disso, existem xaropes que podem trazer diversos efeitos adversos”,

SOBRE O ABRILAR O Abrilar é um xarope fitoterápico à base de folhas de Hedera helix. Esse medicamento possui efeito mucolítico (diminui a viscosidade das secreções e aumenta a atividade de varredura promovida pelos cílios do epitélio brônquico, facilitando a expectoração) e broncodilatador (com ação relaxante sobre o músculo liso brônquico). alerta o especialista da FQM, reforçando que Abrilar, por ser um medicamento de tarja vermelha, deve estar sempre atrás do balcão. *Fonte: Delboni Auriemo

NOVA APRESENTAÇÃO Para o executivo da FQM, os bons resultados do Abrilar na categoria de xaropes se devem ao fato de ser único no mercado. “Pelo fato de ser um medicamento fitoterápico, o Abrilar não possui genéricos ou similares como acontece com os alopáticos. Ele é único tanto no processo de fabricação quanto no de extração”, diz. Outro grande diferencial está no baixíssimo índice de efeitos colaterais, reações adversas e interações, o que traz mais segurança aos médicos e pacientes, já que podem ser usados por crianças ou idosos. “Já vendemos mais de 20 milhões de unidades desse medicamento e o índice de reclamação é próximo de zero. É um produto muito bem tolerado em qualquer idade”, enfatiza Eduardo Nogueira. Sempre atualizado, o Abrilar chega, ainda em julho, com uma nova apresentação, que garantirá mais praticidade aos usuários. “O Abrilar virá no formato stick líquido. Assim, o paciente pode sair já com a sua dose, sem precisar levar consigo toda a embalagem. Nessa apresentação, a caixa conterá 21 sachês”, conta o especialista, salientando que não haverá mudanças na fórmula. 2013 AGOSTO GUIA DA FARMÁCIA

Institucional FQM.indd 179

179

18/07/13 13:23


INSTITUCIONAL – MARJAN

www.marjan.com.br

Eficácia e administração da vitamina D VITERSOL D GOTAS SUPRE A DEFICIÊNCIA DE VITAMINA D, APRESENTA MENOR RISCO DE ALERGIAS ENTRE OS USUÁRIOS, TEM SABOR AGRADÁVEL E PODER ANTIOXIDANTE

A

P O R K AT H L E N RA M OS

A Marjan, empresa que está há 52 anos no mercado focada na Saúde da Mulher, na Melhor Idade e na Qualidade de Vida da população em geral, traz novidades para os consumidores de vitamina D. O ViterSol D, já conhecido na versão em minicápsulas gelatinosas moles, agora traz a nova apresentação em gotas, com frasco de 20 ml. De acordo com a médica responsável pelo Departamento de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação da Marjan, Dra. Rita de Cássia Salhani Ferrari, o grande diferencial deste lançamento está na formulação. “Algumas apresentações desta vitamina trazem, na composição, o óleo de amendoim, que tem grande potencial alergênico. A Marjan se preocupou em eliminar este risco e utilizou o óleo de arroz, rico em vitamina E, o que reduz o risco de alergias e confere um alto poder antioxidante. A nova apresentação em gotas também traz o benefício da maior flexibilidade nas doses”, resume a especialista. Outro diferencial do produto é o sabor mais agradável. “Realizamos um teste cego com todos os produtos do mercado e foi praticamente unânime a escolha de um aroma mais palatável. Para disfarçar o gosto da

180

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

InstitucionalMarjan_1Pag.indd 180

vitamina D, foi utilizada uma essência que lembra a mistura de chocolate branco com avelã. Desta forma, um dos grandes problemas do uso de vitamina D, que era o gosto oleoso, tornou-se uma surpresa agradável para o paciente, facilitando a administração diária”, comprova a médica.

ENTENDA OS BENEFÍCIOS DA VITAMINA D É de conhecimento popular que a falta de vitamina D enfraquece os ossos e dentes. No entanto, sua carência pode trazer outros prejuízos. “A deficiência de vitamina D também está relacionada a doenças inflamatórias autoimunes, diabetes, aumento da gordura corporal, prejuízo cognitivo em idosos, asma grave em crianças, infarto e hipertensão arterial”, alerta a Dra. Rita Ferrari. Também é alarmente o fato de que essa deficiência pode ser assintomática, o que torna indispensável a avaliação médica especialmente em idosos, que produzem 75% menos vitamina D do que os jovens. O organismo pode ser suprido desta vitamina de três maneiras: alimentação, exposição ao sol e suplementos vitamínicos. FOTO: DIVULGAÇÃO

18/07/13 13:24


SEMPRE EM DIA

DE OLHO NA VAIDADE PRESENTE NA MAIORIA DOS BRASILEIROS, OS FABRICANTES DE PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS DESENVOLVEM TECNOLOGIAS E LANÇAMENTOS QUE CUIDAM DOS PÉS À CABEÇA

GARANTIA

DE BELEZA

OUTRAS FRAGRÂNCIAS

A fabricante de cosméticos e produtos farmacêuticos Farmax está ampliando a sua linha de sabonetes, formulada para todos os tipos de pele, pois possui pH fisiológico que auxilia no controle e equilíbrio da oleosidade e na higienização. As novas fragrâncias são: coco, verbena e lichia. Preço médio: R$ 8,00 Na gôndola: sabonetes Site: www.farmax.com.br 182

BANHO PERFUMADO

A Roger&Gallet lança uma linha de Shower Gel para transformar a rotina da higiene pessoal em um agradável ritual de bem-estar. A coleção tem cinco fragrâncias diferentes que se dividem em duas deliciosas texturas: gel e creme. Os produtos têm base de limpeza de origem vegetal, livre de sulfatos, parabenos e corantes, e são enriquecidos em coco betaína, que produz uma generosa, leve e deliciosa espuma. Preço médio: R$ 49,90 Na gôndola: sabonetes Site: www.roger-gallet.com.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sempre em dia 249-2pg.indd 182

22/07/13 13:58


SEMPRE EM DIA

MÃOS COLORIDAS

NOVO TAMANHO

Para reforçar a importância de uma boa higiene oral, Cepacol, enxaguatório bucal da Sanofi, apresenta novas embalagens, de 500 ml, proporcionando mais comodidade e melhor custo x benefício aos consumidores. A linha regular, com as versões Tradicional, Flúor e Menta, e a linha Plus, com Whitening e Advanced, ganham a nova embalagem, ideal para atender às necessidades do consumidor brasileiro, que busca opções econômicas de compra.

A Risqué apresenta os novos efeitos da Edição Especial Risqué COLOR effect, que possibilitam a criação de diversas nail arts. São cinco opções de glitters de diferentes cores, tipos e tamanhos para compor infinitas combinações. Ombrés, filha única, francesinhas e meia lua são algumas das possibilidades de decoração. Os mais criativos e inovadores efeitos, acabamentos e decorações. Preço sugerido: R$ 3,50 Na gôndola: cutelaria/checkout Site: www.risque.com.br

Preço sugerido: Cepacol Plus – R$ 12,90 Cepacol tradicional – R$ 10,75 Na gôndola: higiene bucal/checkout Site: www.cepacol.com.br

SENSAÇÃO DE SEGURANÇA

A SCA lança no Brasil Tena Men, um protetor para incontinência leve especialmente feito para homens. O produto conta com o Dry Fast Core – tecnologia patenteada pela SCA, que absorve imediatamente o líquido e mantém a pele sempre seca. Para resolver a questão do odor da urina foi criada, outra solução exclusiva: Odour Control. Tena Men também é completamente adequado à anatomia masculina. Preço sugerido: R$ 11,00 (Level 1 - 12 tiras) R$ 13,00 (Level 2 – 10 tiras) Na gôndola: fraldas/checkout Site: www.biofral.com.br/empresa

CABELOS TRATADOS

A Vult Cosmética acaba de lançar a Máscara Pós Progressiva para o tratamento dos cabelos que passam por processos com esse tipo de química. O produto possui fórmula exclusiva enriquecida com Quinoa e Tamarindo. Além de hidratar, a máscara suaviza a textura áspera dos fios e fornece brilho reflexivo. Os cabelos ficam mais disciplinados, soltos e macios. Preço sugerido: R$ 28,00 Na gôndola: cabelos Site: www.vult.com.br

Obs.: Os preços sugeridos são informados pela indústria fabricante de cada produto. 184

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sempre em dia 249-2pg.indd 184

22/07/13 13:58


SEMPRE EM DIA

BELEZA PRÁTICA

Sucesso entre as mulheres, por sua praticidade na hora de remover os esmaltes, até os mais escuros, os lenços removedores da Ricca agora podem ser encontrados em em-balagens blister. Desta forma, fica mais fácil a exposição nas prateleiras das farmácias e drogarias. Os lenços não possuem acetona e cada embalagem contém 32 unidades. Preço sugerido: R$ 3,00 Na gôndola: cutelaria/checkout Site: www.belliz.com.br

DE OLHO NAS CRIANÇAS

A Phisalia acaba de lançar a linha Mundo Rosa Trá Lá Lá Kids para as meninas, composta por xampu, condicionador, creme para pentear, spray desembaraçante e gel com glitter – todos dermatologicamente testados para o uso infantil. Com a valorização da linha rosa, a empresa pretende mostrar de maneira mais clara e fácil que a junção desses produtos forma uma linha completa e essencial para qualquer garota que cuida da sua imagem. Preço sugerido: Xampu – R$ 6,00 Condicionador – R$ 7,00 Creme para pentear – R$ 7,00 Spray – R$ 9,00 Gel – R$9,00 Na gôndola: infantil/cantinho do bebê Site: www.phisalia.com.br

VISUAL REPAGINADO RENOVAÇÃO PÓS-QUÍMICA

Baseada em diversas pesquisas realizadas para entender melhor o seu público e os cabelos das mulheres brasileiras, a marca da Colgate Palmolive, Palmolive Naturals, lança sua nova linha Renovação Pós-Química com keratina e o karité, uma fórmula eficaz para cuidar de cabelos quimicamente tratados. Composta por xampu, condicionador e creme para pentear sem enxague, a linha oferece o tratamento ideal para a reconstrução de fios já tingidos ou alisados. Preço sugerido: Xampu – R$ 4,50 Condicionador – R$ 5,60 Creme para pentear – R$ 3,90 Na gôndola: cabelos Site: www.colgate.com.br 188

A escova dental Condor Maxil acaba de receber uma repaginação total. Além de cerdas em zigue-zague para limpeza profunda entre dentes e auxílio no combate da placa bacteriana, o produto ganhou cabo mais encorpado e emborrachado com curvatura que se encaixa perfeitamente na mão, o que transmite mais segurança à escovação. O produto conta ainda com limpador de língua, que permite uma higienização suave, porém eficiente, da saburra lingual. Preço sugerido: R$ 4,99 Na gôndola: higiene bucal Site: www.condor.ind.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sempre em dia 249.indd 188

18/07/13 13:32


SEMPRE EM DIA

UNHAS BEM CUIDADAS

Em tempos de frente fria, Ana Hickmann apresenta a nova coleção de esmaltes “Frente Chique”, inspirada nas baixas temperaturas que permeiam o inverno brasileiro. A coleção conta com seis cores baseadas nas tendências de moda apontadas para a temporada, como nude , berinjela, verde e goiaba. Preço sugerido: R$ 2,82 Na gôndola: cutelaria/checkout Site: www.anahickmann.com.br

ALIADO DA BELEZA

A La Roche-Posay lança o Cicaplast Baume B5, que funciona como lip balm e é eficaz no combate de queimaduras leves, pequenos machucados, assaduras de bebês, picadas de inseto, descamação, rachadura, herpes, além de auxiliar no processo de cicatrização, pós-laser e pós-peeling. Sua fórmula de alta tolerância, hipoalergênica, sem parabeno, sem perfume e lanolina é capaz de cuidar sem desrespeitar a sensibilidade da pele.

CUIDADOS FACIAIS

Dando continuidade ao processo de modernização da marca, iniciado em 2011, a Leite de Colônia, que comemora 65 anos no Brasil, traz aos consumidores uma linha completa de produtos para limpeza da pele do rosto, composta por espumas de limpeza, tônicos faciais e lenços umedecidos. As variantes contam com fórmulas modernas e fragrância suave, mas mantêm as raízes da marca por meio de embalagens com design vintage, característica de toda a linha da marca.

Preço sugerido: Espuma de limpeza – R$ 7,49 Tônico facial – R$ 7,49 Lenços umedecidos – R$ 13,00 Na gôndola: pele/higienização Site: www.leitedecolonia.com.br

190

Preço sugerido: R$ 39,90 Na gôndola: pele/cuidados Site: www.laroche-posay.com.br

LINHA CLÁSSICA

A marca Aquamarine buscou inspiração nas algas marinhas de diferentes regiões do mundo para renovar sua linha de xampus e condicionadores. Os produtos, utilizam algas do Mar Mediterrâneo, Mar do Caribe, Polinésia Francesa e Oceano Atlântico. Preço sugerido: Xampu – R$ 5,80 Condicionador – R$ 7,00 Na gôndola: cabelos Site: www.hypermarcas.com.br

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sempre em dia 249.indd 190

18/07/13 13:32


SEMPRE EM DIA

HIDRATAÇÃO GARANTIDA

CABELO LOURO OU DESCOLORIDO A Nouvelle traz ao mercado o xampu e o condicionador N Essenciale Desamarelador sem sal, unissex, ideal para cabelos louros coloridos, descoloridos, com mechas e grisalhos. Sua formulação inovadora com micropigmentos violeta atua na redução progressiva do indesejável efeito amarelado, mas sem conter os solventes comuns às outras marcas, que causam o ressecamento dos fios. Além disso, conta com pH ácido, que fecha as cutículas dos cabelos, e é enriquecida com silicone, extratos de tamarindo e sândalo, que envolvem os fios, regeneram e hidratam a fibra capilar.

Pensando no clima quente e úmido do Brasil e nas necessidades específicas da pele da consumidora local, La Roche-Posay está expandindo esta gama de hidratação corporal com Lipikar Loção. O produto é rapidamente absorvido na pele, oferece hidratação durante 24 horas, aliado a uma ação nutriente. Lipikar Loção possui Glicerina, Óleo de Canola e Manteiga de Karité – ativos altamente hidratantes. Preço sugerido: R$ 69,90 (200 ml) R$ 99,90 (400 ml) Na gôndola: pele/dermocosméticos Site: www.laroche-posay.com.br

Preço sugerido: Xampu – R$ 12,99 Condicionador – R$ 13,71 Na gôndola: cabelos Site: www.nouvelle.com.br

PELE LIMPA

Para as consumidoras que não abrem mão de uma pele maquiada, a Verídica It desenvolveu produtos pré e pós-maquiagem. Os cuidados incluem loção tônica e demaquilante elaborados com água termal e primer facial com derivados de arroz. A ação conjunta desses três itens vai garantir uma pele impecável. Preço sugerido: Loção tônica e demaquilante – R$ 16,00 Na gôndola: pele/dermocosméticos Site: www.veridicait.com.br

HÁLITO REFRESCANTE

Sensodyne lança o creme dental Extra Fresh, que promove o alívio da sensibilidade dos dentes. A novidade chega ao mercado com o sabor refrescante da menta, que mantém a sensação de limpeza e refrescância após a escovação. Sensodyne Extra Fresh, que é expert no alívio da sensibilidade, conta com fórmula avançada e clinicamente comprovada à base de nitrato de potássio, que atua despolarizando as terminações nervosas. Preço sugerido: R$ 5,30 (50 g) R$ 7,10 (90 g) Na gôndola: oral care/checkout Site: www.sensodyne.com.br

Obs.: Os preços sugeridos são informados pela indústria fabricante de cada produto. 192

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

sempre em dia 249.indd 192

18/07/13 13:32


SERVIÇOS

G

A ABIHPEC www.abihpec.org.br ABRAFARMA www.abrafarma.com.br ACADEMIA AMERICANA DE DERMATOLOGIA www.aad.org AGU www.agu.gov.br ALLIANCE COACHING www.alliancecoaching.com.br ANVISA www.anvisa.gov.br

B BANCO MUNDIAL www.bancomundial.org.br BRASILPAR www.brasilpar.com.br

C CFF www.cff.org.br CNC www.cnc.org.br CRF-SP www.crfsp.org.br

D DATAFOLHA http://datafolha.folha.uol.com.br DELOITTE www.deloitte.com

E ESPM www.espm.br

GLAXOSMITHKLINE www.gsk.com.br GRUPO TRIUNFO www.grupotriunfo.com

H HCOR www.hcor.com.br HOSPITAL ALEMÃO OSWALDO CRUZ www.hospitalalemao.org.br HOSPITAL ALVORADA www.hospitalalvorada.com.br HOSPITAL BENEFICÊNCIA PORTUGUESA www.beneficencia.org.br HOSPITAL SAMARITANO DE SÃO PAULO www.samaritano.org.br HOSPITAL SÃO CAMILO www.saocamilo.com

I IBEVAR www.ibevar.org.br IBGE www.ibge.gov.br IBOPE www.ibope.com.br ICTQ www. ictq.com.br IEV www.blessa.com.br IMS HEALTH www.imshealth.com INCA www.inca.gov.br INSTITUTO PIERON www.pieron.com.br

J JOHNSON & JOHNSON www.jnjbrasil.com.br

L LIVEMAX www.livemax.com.br L’ORÉAL www.loreal.com.br

M MINISTÉRIO DA SAÚDE www.saude.gov.br

N NIH www.nih.gov NUTRICÉ www.nutrice.com.br

O

S SBC www.cardiol.br SBD www.sbd.org.br SBED www.dor.org.br SEBRAE www.sebrae.com.br SENAC www.sp.senac.br SBOT www.sbot.org.br SBU www.sbu.org.br SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO www.educacao.sp.gov.br SMOLLAN GROUP www.smollan.co.za

U UNIVERSIDADE GUARULHOS www.ung.br

OMS www.opas.org.br

P PFIZER www.pfizer.com.br PREVIDÊNCIA SOCIAL www.mpas.gov.br PRÓ GENÉRICOS www.progenericos.org.br

F FARMÁCIA ESCOLA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO www.fcf.usp.br FIA/USP www.fia.com.br

194

servicos 249.indd 194

GUIA DA FARMÁCIA AGOSTO 2013

18/07/13 13:34

Edição 249 - Ranking de laboratórios  
Edição 249 - Ranking de laboratórios  
Advertisement