Issuu on Google+

R E V I S T A

FARMA in F O R M A

Revista Oficial do Conselho Regional de Farmácia do DF

Edição 01 - Dezembro de 2016 | Ano 01

UM ANO DE CONQUISTAS PARA OS FARMACÊUTICOS DO DISTRITO FEDERAL


SU MÁ RIO

Carta da Presidente // 4

Prestação de Contas | Tesouraria // 10

CRF/DF e Defensoria Pública // 18

Prestação de Contas Vice- Presidência // 6

Prestação de Contas Conselheiro Federal // 11

Processo ganhos // 19

Deliberação 4/2016 // 7

Radiofármacos // 14

CRF e OK Fm // 20

Deliberação 5/2016 // 8

Selo de Assistência Farmacêutica // 15

CPI da Saúde // 21

Prestação de Contas Secretaria-geral // 9

I Congresso // 16

CRF na mídia // 22

Capacitação: esse é o caminho! // 17

Jornalista responsável (CRF/DF) Marcos Linhares- MTb 2406-DF Fotos | Foto da Capa Camila Moura (CRF/DF) Tiragem 6 mil Esta revista é uma produção do CRF/DF. As matérias constantes nesse número podem ser reproduzidas em sua íntegra desde que citada a fonte e a data de publicação original.

Distribuição: Drogarias, Dirigida e Correios

DIRETORIA EXECUTIVA DO CRF/DF PRESIDENTE Gilcilene Maria dos Santos El Chaer VICE-PRESIDENTE Margô Gomes de Oliveira Karnikowski

LFC Eventos e Comunicação Eireli Planejamento Gráfico | Diagramação e Ilustração Gueldon Brito Revisão Maurício Apolinário Cácia Leal Tratamento de imagens | Revisão editorial e Coordenação Vitor Fernandes A Farmácia in Forma Revista é a publicação oficial do Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF/DF) e possui periodicidade quadrimestral

Margo Gomes de Oliveira Karnikowski José Carlos Valença Correa Fernanda Pereira de Almeida Nazário William Khalil El Chaer Hélio José de Araújo (suplente) CONSELHEIROS REGIONAIS EFETIVOS

SECRETÁRIO GERAL Humberto de Oliveira Lopes

Mandato: janeiro de 2015 a dezembro de 2018

TESOUREIRA Elaine Faria Morelo

Mauro Sérgio Soares Rego Carlos Alberto Pinto de Oliveira Josiane Tavares da Silva

CONSELHEIROS FEDERAIS DO DF TITULAR: Forland Oliveira Silva SUPLENTE: Viviany Nicolau de Paula Dias Coelho CONSELHEIROS REGIONAIS EFETIVOS Mandato: janeiro de 2014 a dezembro de 2017

Ozório Paiva Filho

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

Dicas de Saúde na OK FM // 20

CONSELHEIROS REGIONAIS EFETIVOS

Humberto de Oliveira Lopes Ataíde Donisete Martins Anacleide F. Gonçalves de Almeida (suplente) SEDE SIG Qd 4 - lt 25 - Ed. Barão de Mauá - Cobertura 01 Brasília, DF, 70610-440 Telefone:(61) 3030-2800 WhatsApp: (61) 99975-6283 Contato: secretaria@crfdf.org.br http://www.crfdf.org.br/

Mandato: janeiro de 2016 a dezembro de 2019

Gilcilene Maria dos Santos El Chaer Elaine Faria Morelo Jorge Luiz Pereira de Araújo Flavio da Silva Borges Carmem Solange Alves de Araújo

3


Carta da presidente

UM ANO DE #SOMOSTODOSGIL C

Na nossa gestão, a radiofarmácia foi para as mãos do profissional qualificado a exercê-la: o farmacêutico!

hega ao fim nosso primeiro ano de gestão com a graça de Deus. Foi um ano de muitas batalhas, realizações e aprendizado. Gerir o Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal é desafiador, principalmente se os gestores pretenderem elevar a profissão farmacêutica ao patamar que ela merece. Neste primeiro ano, realizamos mudanças internas importantes no CRF/DF. Hoje o farmacêutico encontra um Conselho menos burocrático, mais ágil e efetivo. Cabe destacar que além dos avanços alcançados a Certidão de Regularidade (CR) será emitida on-line em 2017. Reestruturamos as Comissões Assessoras do Conselho, realizamos mais de 80 eventos de capacitação profissional e fiscalizamos efetivamente tanto as farmácias públicas quanto as privadas. Na nossa gestão, a radiofarmácia foi para as mãos do profissional qualificado a exercê-la: o farmacêutico!

lançado em janeiro e, dessa forma, esperamos profissionalizar ainda mais a autarquia, além de termos uma fiscalização que atenda os interesses da categoria. Foi um ano intenso, em meio à crise moral, ética e econômica as quais o país enfrenta, conseguimos encerrar com saldo bastante positivo. Nossa equipe está unida, capacitada e pronta para atender às demandas da categoria. Espero de coração, que Deus os abençoe grandemente e que vocês tenham um ano de 2017 mais tranquilo, com grandes realizações e muita paz e saúde. Que nunca percamos a esperança de dias sempre melhores. Avante! #SOMOSTODOSGIL CAMILA MOURA

Nosso plenário está mais maduro e responsável, composto por conselheiros de todas as áreas de atuação do farmacêutico. Implantamos o Plano de Cargos e Salários e regularizamos toda a situação dos funcionários da autarquia, que antes nem plano de saúde possuíam.

Reestruturamos as Comissões Assessoras do Conselho

4

Fechamos parcerias importantes em prol da valorização profissional. Destaco aqui a parceria com a Defensoria Pública do DF, cujo fruto será a realização de concurso específico para farmacêutico. O concurso do CRF/DF também terá seu edital

Dr.ª Gilcilene Chaer Presidente do CRF/DF

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


Carta da presidente

Foi um ano de muito trabalho e dedicação, em que conseguimos cumprir quase todas as propostas de campanha. Podemos citar, dentre outras: »»

»»

»»

»»

»»

a criação de comissões assessoras e câmaras técnicas compostas por farmacêuticos atuantes, visando à valorização e o aperfeiçoamento profissional. Muitas dessas comissões participaram efetivamente de mais de 30 eventos realizados pelo CRF/DF; as parcerias firmadas e em andamento com instituições de ensino superior, associações e sociedades farmacêuticas para a promoção de cursos gratuitos, visando a capacitação profissional (institutos, SBAC, SBRAFH, SBFC, SBCC, SESI, SENAC, SEBRAE e outras). Criamos a regional da SBRAFH e da SBFC em Brasília, além de outros institutos, que promoveram cursos de qualificação profissional; a assinatura de convênios, visando à obtenção de descontos e benefícios para os farmacêuticos e seus familiares, como IFAR, ALUB, MERCANTE SEGUROS, QUALICORP, SUL AMÉRICA e INCURSOS. São escolas, cursos de capacitação, seguradoras de saúde e corretoras de seguros. Queremos aumentar ainda mais as parcerias para o próximo ano, incluindo cursos de idiomas, clubes, cinemas, academias e outros que ofereçam vantagens para o farmacêutico; o fechamento de parceria com a Defensoria Pública do DF, que teve enorme repercussão nacional e nos renderá um CONCURSO PÚBLICO PARA FARMACÊUTICOS – ANALISTAS em 2017; a promoção de campanhas em mídias e redes sociais de valorização do profissional farmacêutico. A proposta é que essas campa-

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

nhas se tornem permanentes e a população reconheça de fato o farmacêutico como um profissional da saúde; »»

»»

»»

»»

o “Simplifica CRF/DF”, que está em fase de finalização, com a implantação de ferramentas que facilitem e desburocratizem os atos e processos junto ao CRF/DF. Hoje o Conselho está praticamente todo automatizado, a Certidão de Regularidade (CR) será emitida on-line em 2017, tornando o atendimento cada vez mais ágil;

e Instagram. Em destaque, nosso site está com nova plataforma, muito mais interativa e atualizada, permitindo um acesso mais rápido. Nosso WhatsApp institucional está sempre disponível para tentar dirimir eventuais dúvidas (pelo número 61 99975-6283); »»

a implantação do Banco de Currículos de Farmacêuticos no site do CRF/DF, que está em fase acelerada de construção e fornecerá informações aos profissionais interessados nas oportunidades de trabalho em diversas áreas de atuação. É importante lembrar que realizamos o I Salão do Emprego em setembro e já está disponível, em nosso site, o Banco de Empregos, com oportunidades disponibilizadas pelas empresas;

a promoção de ações de coleta de medicamentos no FARMARRAIÁ e na sede do CRF/DF, permitindo que a população leve medicamentos vencidos para a destinação adequada. Com isso, integramos, também, o universo farmacêutico do DF às práticas sustentáveis de meio ambiente e justiça social. Atualmente, a nossa Comissão Assessora de Gestão Ambiental fechou uma parceria com a empresa Globo Ambiental, visando à orientação e ao descarte adequado de resíduos e medicamentos. É o nosso CRF/DF, agindo de forma sustentável, no devido respeito ao meio ambiente;

»»

mais de 80 eventos foram realizados somente em 2016, dentre cursos e palestras, como o Programa de Qualificação do Farmacêutico (PQF), projeto que oferece cursos gratuitos semanais para orientação e qualificação dos farmacêutico. Em 2017, iremos investir ainda mais para que a população possa ser atendida por um profissional cada vez mais preparado;

o aperfeiçoamento do portal da transparência, com disponibilização, na íntegra, das despesas e receitas do CRF/DF, atualizados rotineiramente. Em nosso portal da transparência, todos têm acesso a todas as receitas e despesas da autarquia, como por exemplo, as contas de luz e telefone. É o CRF/ DF agindo de forma responsável no cumprimento das legislações;

»»

a estruturação do RH do Conselho, com o cumprimento de todas as obrigações trabalhistas, além da instituição do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), possibilitando o preenchimento do quadro de funcionários com a realização de CONCURSO PÚBLICO em 2017.

a implantação de um novo serviço de ouvidoria do CRF/DF, muito mais moderno e participativo. Criamos um canal de comunicação com os farmacêuticos do DF, por meio de redes sociais e aplicativos, como WhatsApp, Facebook

5


Prestação de Contas – Vice-presidência 2016

DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO UM ALIADO DO PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O

termo fiscalização foi, por muitos anos, fonte de temor nas farmácias nacionais. A realidade do brasileiro tem sido, muitas vezes, inimiga do significado real dessa palavra, por se tratar de um termo que, geralmente, tem imposto medo e desconforto por ter sido erroneamente associado à punição. O exercício de fiscalizar não tem caráter punitivo, mas, sim, formador; é uma ferramenta social de garantia dos direitos e deveres adquiridos. Considerada uma prática de vigilância sobre determinada atividade que tenha seu procedimento regulado por lei específica, a fiscalização da atividade profissional farmacêutica é um dos principais motivos da existência dos Conselhos Regionais e Federal de Farmácia. Aliada à defesa do exercício da profissão e na luta pela quebra de paradigmas ultrapassados, o CRF/DF vem buscando mudanças no aspecto fiscalizador de suas ações, na perspectiva de trabalhar a aproximação positiva entre farmacêutico, fiscal, profissional e sociedade. “Desafiador é, e muito. A fiscalização em benefício do farmacêutico exige que o profissional seja conscientizado de que o estabelecimento é de saúde e de que é

6

indispensável a presença dele”, afirma a vice-presidente do CRF/DF, Dr.ª Margô Karnikowski. O momento da fiscalização é propício para reafirmar a necessidade de se cumprir a legislação e tornar proeminente a essencial presença e o desempenho da atividade do farmacêutico feita “pelo farmacêutico”. Dessa forma, a valorização profissional torna-se consequência de uma ação fiscalizadora eficiente e efetiva, confirmando, ainda, a autonomia do profissional como detentor do conhecimento que passa a ser compartilhado com a população. O Departamento de Fiscalização do CRF/DF está em processo de adaptação às novas perspectivas de fiscalizar que têm sido implementadas desde que a atual vice-presidente assumiu o cargo. Com a fiscalização dada por perfis de assistência, instituída em agosto de 2016, garante-se que seja mantida a equidade na hora de planejar a rota dos fiscais, além de garantir uma melhoria nos dados que vêm para o sistema, otimizando, assim, a rotina de trabalho do Conselho. Mais de 540 farmácias irregulares e ilegais fo-

ram regularizadas no sistema, após a intensiva ação dos fiscais nesses estabelecimentos, que fizeram parte das quatro mil fiscalizações realizadas no ano de 2016. Para o ano de 2017, a perspectiva é de intensificar a fiscalização por perfis e, principalmente, efetivar a aproximação entre fiscais e farmacêuticos, para que sejam cumpridas as medidas estabelecidas pela Lei 13.021/14. O farmacêutico deve ver no fiscal um aliado para a manutenção de seus direitos. CAMILA MOURA

Dr.ª Margô Karnikowski Vice Presidente do CRF/DF

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


Você precisa estar atento

DELIBERAÇÃO CRF/DF Nº 04/2016

P

Deliberação que dispõe sobre as justificativas de ausência de Responsabilidade técnica no âmbito do CRF/DF.

ara servir como possível fonte de consulta, compartilhamos abaixo, todos os artigos dessa importante Deliberação. A íntegra você encontra em nosso site: http://www.crfdf.org.br/site/orientacao-tecnica/legislacao-crfdf/

DELIBERAÇÃO CRF/DF Nº 04/2016 O CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO DISTRITO FEDERAL, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 10, alínea “d”; CONSIDERANDO que a Lei Federal nº 3.820/60 em seu artigo 10 define as atribuições dos Conselhos Regionais de Farmácia; CONSIDERANDO que a Lei Federal nº 3.820/60 em seu artigo 24 que define que as empresas e estabelecimentos que exploram serviços para os quais são necessárias atividades de profissional farmacêutico deverão provar, perante aos Conselhos Regionais, que essas atividades são exercidas por profissionais habilitados e registrados; (...) RESOLVE: Art. 1º - O representante legal da empresa tem o prazo de 5 (cinco) dias úteis, a contar do primeiro dia útil subsequente ao da autuação, para apresentar justificativa à constatação de ausência de assistência farmacêutica no estabelecimento autuado. Art. 2º - A justificativa deve ser apresentada por escrito, devidamente acompanhada dos documentos originais que comprovem o alegado, e ser protocolizada junto à sede do CRF/DF.

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

Parágrafo único – Também será aceito o protocolo de defesa enviada via correio, desde que o recebimento da correspondência pelo CRF/DF ocorra dentro do prazo previsto no artigo primeiro desta deliberação. Art. 3º - No caso de justificativas fundadas em questões de saúde, serão aceitos atestados médicos ou odontológicos, de unidades públicas e privadas de saúde, que caracterizem situações de emergência, devidamente preenchidos e emitidos em nome do farmacêutico. Art. 4º - Atestado ou declaração de comparecimento à consulta com profissionais habilitados só serão aceitos como justificativa de ausência se o profissional comunicar, mediante protocolo, ao departamento de fiscalização, com antecedência mínima de 48 horas úteis, e comprovar a posteriori o comparecimento; Art. 5º - Serão considerados, ainda, para fins de justificativas de ausência, o atestado que comprove o acompanhamento de cônjuge ou qualquer parente do farmacêutico, consanguíneo ou afim, até o primeiro grau.

c) ser apresentado em via original ou cópia autenticada, d) não possuir qualquer rasura, e) nome completo, número de inscrição no conselho de classe profissional, especialidade, carimbo e assinatura do profissional responsável pelo atendimento; f) data e horário do atendimento, g) período de afastamento, Art. 7º - As justificativas apresentadas fora do prazo fixado ou que não atendam aos requisitos acima elencados não serão aceitas, mantendo-se, assim, as constatações de ausência. Art. 8º - As penalidades a serem aplicadas ao infrator obedecerão às sanções definidas na Resolução CFF nº 596, de 21 de fevereiro de 2014. Art. 9º - Esta deliberação entra em vigor a partir de sua publicação, revogando- se a deliberação 07/2014 e demais disposições em contrário. ----Sessão Plenária

Art. 6º - Para fins de aceite como justificativa de ausência, o atestado deverá conter: a) o nome completo do farmacêutico; b) o nome do acompanhado no caso de atestado de acompanhamento;

Dr.ª Gilcilene Maria dos Santos El Chaer Presidente

7


Você precisa estar atento

DELIBERAÇÃO CRF/DF Nº 05/2016

Deliberação que dispõe sobre a interdição do exercício profissional farmacêutico nos estabelecimentos que desrespeitem a honra, dignidade e princípios éticos do profissional farmacêutico, bem como aqueles que não disponham de condições adequadas ao bom desempenho da assistência farmacêutica.

P

ara servir como possível fonte de consulta, compartilhamos abaixo, alguns dos artigos dessa importante Deliberação. A íntegra você encontra em nosso site: http://www.crfdf.org.br/site/orientacao-tecnica/legislacao-crfdf/

DELIBERAÇÃO CRF/DF Nº 05/2016 O CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO DISTRITO FEDERAL – CRF/DF, no uso de suas atribuições que lhe são conferidas pela Lei nº 3.820 de 11 de novembro de 1960, CONSIDERANDO a Lei nº 3.820/60 que cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Farmácia destinados a zelar pela fiel observância dos princípios da ética e da disciplina da classe dos que exercem atividades profissionais farmacêuticas no País; CONSIDERANDO que é atribuição do CRF/DF dirimir dúvidas relativas à competência e âmbito das atividades profissionais farmacêuticas, com recurso suspensivo para o Conselho Federal de Farmácia; ( ...) Art. 1º - As atribuições do farmacêutico são aquelas descritas no Decreto 85.878/91 e resolução nº 585/13 do CFF, sem prejuízo dos demais dispositivos editados pelo Conselho Federal de Farmácia que versem sobre o tema. Art. 2º - Em seu trabalho, o farmacêutico deverá comunicar ao CRF/ DF eventual exploração por parte de seus superiores hierárquicos, que tenham a finalidade exclusiva de obtenção de lucro. Art. 3º - O farmacêutico deve recusar o acúmulo exacerbado de funções, com o fito de evitar-se a todo custo eventual prejuízo à qualidade da ativi-

8

dade farmacêutica prestada. Art. 4º - É direito do farmacêutico recusar-se a exercer a profissão em estabelecimento privado onde inexistam condições dignas de trabalho e/ ou que possam prejudicar os serviços prestado ao usuário, devendo o fato ser comunicado ao CRF/DF para a adoção das medidas cabíveis. Art. 5º - O farmacêutico deve assegurar ao usuário o direito à informação e orientação quanto ao uso de medicamentos, a ênfase no cumprimento da posologia, a influência dos alimentos, a interação com outros medicamentos, o reconhecimento de reações adversas potenciais, com o fim de contribuir para o uso racional dos medicamentos e a melhoria da qualidade de vida dos usuários. Art. 6º - É dever do responsável legal do estabelecimento assegurar as condições necessárias à promoção do uso racional de medicamentos no estabelecimento. Art. 7º - Sem o prejuízo de outras funções não mencionadas no presente artigo não assemelhadas às atividades comezinhas das drogarias e farmácias, é considerado desvio função do farmacêutico responsável técnico empregado o exercício de tarefas rotineiras de limpeza das dependências, prateleiras e gôndolas do estabelecimento. Art. 8º - Para o exercício profissional do farmacêutico é imprescindível que as áreas do estabelecimento estejam

em boas condições físicas e estruturais. As instalações devem possuir estrutura resistente aos agentes sanitizantes e ser facilmente lavável. O ambiente deve ser mantido limpo, protegido da ação direta da luz solar, umidade e calor. Art. 9º – É dever do profissional farmacêutico comunicar à Comissão de Ética do CRF/DF, com a descrição e fundamentação dos fatos, que caracterizem infringência aos termos da presente deliberação, ao Código de Ética e às normas que regulam o exercício das atividades farmacêuticas. Art. 10º - Será interditado pelo CRF/ DF, após o regular trâmite do processo administrativo específico, o exercício profissional farmacêutico em empresas ou estabelecimentos que, comprovadamente, desrespeite a honra, dignidade e princípios éticos do profissional farmacêutico, bem como aqueles que não disponham de condições adequadas ao desempenho da assistência farmacêutica à população. (...) Art. 17º - Esta deliberação entrará em vigor 30 (trinta) dias após sua publicação.

Dr.ª Gilcilene Maria dos Santos El Chaer Presidente

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


Prestação de Contas | Secretaria-geral 2016

A SECRETARIA-GERAL POTENCIALIZOU OS RECURSOS HUMANOS D

e acordo com o Diretor Secretário-Geral, Dr. Humberto de Oliveira Lopes, o primeiro ano de gestão foi de bastante trabalho, além de muito aprendizado, quando se buscou corrigir falhas, em especial na área de Recursos Humanos (RH). “Há dois anos, os colaboradores desta autarquia estavam sem plano de saúde, em descumprimento ao acordo coletivo, o que poderia gerar penalidades, como multa de R$ 1 mil por dia, e possíveis processos judiciais. Também corrigimos distorções salariais injustificadas que ocorriam, nas quais funcionários com o mesmo tempo de trabalho e enquadrados no mesmo cargo recebiam salários diferentes, o que fere a isonomia salarial”, revela Lopes. Ainda segundo ele, foi contratada uma empresa por intermédio de processo licitatório, na qual a vencedora foi o Insight (Instituto de Integração Homem-Trabalho), para prestar consultoria de reestruturação do departamento de RH com o objetivo de estabelecer políticas de gestão de pessoal, fluxograma organizacional, bem como a construção do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS). O CRF/DF nunca teve um PCCS, o que inviabilizava a contratação por meio de concurso público. “Foram quatro meses de árduo trabalho, em que tivemos um comprometimento incansável das assessoras, Dr.ª Lívia Furtado e Dr.ª Adriana

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

Carrijo, que deram suporte à empresa de consultoria para refazer o mapeamento dos processos de trabalho na autarquia e, junto com a Diretoria, planejar um novo conselho, de forma a profissionalizar a instituição. Assim, quando deixarmos a gestão do CRF/DF, os farmacêuticos terão um conselho com estrutura profissionalizada, garantindo qualidade e celeridade nos serviços prestados”, revela o Diretor Secretário-Geral, que adianta que o resultado desse trabalho é a implantação do PCCS, obrigatório ao preenchimento do quadro de servidores do CRF/DF. “Estamos em fase de finalização para, na segunda quinzena de janeiro de 2017, publicarmos o edital, que já tem banca examinadora escolhida: IADES. O certame oferecerá cargos para o cumprimento da proposta das ações de trabalho previstas na missão, visão e valores do CRF/DF. Teremos vagas para os níveis fundamental, médio e superior, dentre eles: farmacêutico-fiscal, advogado, contador, administrador, webdesigner, técnico administrativo e serviços gerais. Serão ofertadas vagas de contratação imediata e cadastro reserva, caso seja de necessidade da autarquia. As provas de cada nível serão realizadas em dias e horários diferentes, para aumentar a oportunidade dos concorrentes. O conteúdo programático será publicado juntamente com o edital, porém podemos adiantar que Gramática

e o Regimento Interno do CRF/DF serão matérias básicas para todos os cargos”, detalha Lopes. Ele lembra que a autarquia não realizava concurso público desde 2006, o que vinha dificultando as ações de trabalho e impossibilitando o exercício de um bom serviço nos atendimentos, uma vez que, nos últimos anos, houve um aumento significativo de farmacêuticos e empresas registradas no DF. “É com muita satisfação que relato este breve resumo de algumas das ações que realizei à frente da Secretaria-Geral no ano 2016. Aproveito para desejar a todos um ano novo repleto de realizações e grandes conquistas”, finalizou Humberto Lopes. CAMILA MOURA

Dr. Humberto de Oliveira Lopes Diretor Secretário-Geral do CRF/DF

9


Prestação de Contas | Tesouraria 2016

EM 11 MESES, A GESTÃO DO SETOR DA TESOURARIA FOI DE EXCELÊNCIA E

m 11 meses, a Tesouraria do CRF/ DF teve uma gestão de excelência, transparente e antenada aos novos tempos: eficiente, sem gastos excessivos e desnecessários e sempre com pagamentos em dia, tudo de forma condizente com a legalidade, a ética e a moralidade. A Diretora Tesoureira do Conselho, Dr.ª Elaine Faria Morelo, reafirma o respeito dessa nova gestão pelo profissional farmacêutico e de “mostrar que o compromisso é com o farmacêutico, sempre!”, diz. COMPARATIVO 2014/2015 Morelo explica que, na gestão 2014/2015, os pagamentos eram efetuados por meio de dois bancos: Caixa Econômica Federal (CEF) e Banco do Brasil (BB). Em 2016, com a nova diretoria, centralizou-se apenas no aplicativo do BB, facilitando assim o controle dos mesmos e reduzindo as tarifas bancárias. Ela também revela que, no exercício de 2015, o CRF/DF efetuou um repasse para o Conselho Federal de Farmácia (CFF) referente à cota parte, no valor de R$ 626.006,30, até o dia 31/12/2015, deixando de repassar em torno de R$ 400 mil, devido à falta de identificação na carteira de repasse automática junto ao Banco, fato que foi regularizado nesta gestão. Em 2016, esse repasse alcançou o valor de R$ 1.057.988,00 até o dia 31/10/2016, sem pendências de repasse. Além disso, a autarquia teve que reintegrar

10

uma funcionária que tinha sido demitida na gestão 2014/2015, gerando uma despesa com encargos trabalhistas e aumento na folha de pagamento e ainda teve que arcar com o valor de R$ 108.234,60, referente a rescisões contratuais de Assessores da Gestão 2014/2015. REDUÇÃO DO NÚMERO DE INADIMPLENTES RESPEITANDO O TCU A Tesouraria também adotou mecanismo de ação de cobrança via mala direta para os inadimplentes, evitando prescrição da dívida, conforme recomendação do TCU, e ainda redução das correções monetárias (taxas) sobre os autos de infração de 20%, passando a ser 2% de multa, diminuindo a inadimplência, o que também beneficiou quem está com pendência financeira de autos. Morelo apontou que foi realizado um levantamento dos farmacêuticos que já efetuaram baixas de inscrição no CRF/DF, que ainda constavam no sistema como ativos (evitando, dessa forma, gastos desnecessários com correspondências, boletos bancários e cobranças posteriores), assim como um controle de acordos de autos de infração feitos pelo escritório de cobrança Paraíso & Barros (que deverão ser inseridos na dívida ativa, conforme recomendação do TCU). Ainda se encontra em levantamento autos de infração que deixaram de ser cobrados pelas gestões anteriores

e que prescreveram, causando um prejuízo aos cofres do CRF/DF. A Diretora Tesoureira da autarquia ressalta, em sua prestação de contas, a importância da extinção da taxa de segunda via da AAPF/CR para quem adquiriu o documento com data provisória, devido à anuidade estar parcelada, visto que na gestão anterior era cobrado o valor de R$ 87,12 pela emissão da segunda via: “O que mostra que estamos trabalhando em prol de soluções para nossos colegas. Todo esse excelente trabalho do setor de contabilidade/financeiro só foi possível graças ao comprometimento e dedicação dos assessores, Keyla Cosme e Edna Bahia, e dos funcionários Elci de Sousa e Paulo Silva”, finaliza. CAMILA MOURA

Dr.ª Elaine Morelo Diretora Tesoureira do CRF/DF

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


Prestação de Contas 2016 | Conselheiros Federais

“QUALIFICAÇÃO” É A PALAVRA DA VEZ O

Conselheiro Federal do DF, Dr. Forland Oliveira Silva e sua suplente, Dr.ª Viviany Nicolau, desenvolveram diversas ações relacionadas em prol da qualificação do profissional farmacêutico durante o ano 2016.

modalidade EAD, sem custo algum para os farmacêuticos e acadêmicos concluintes, ofertado para 70 mil farmacêuticos e estudantes. Quem realizou o curso ainda recebeu todo o material em sua residência.

Entre os destaques, estão o curso de Excelência Farmacêutica, patrocinado pelo CFF, e promovido pela Fundação Brasileira de Ciências Farmacêuticas (FBCF) em parceria com o CRF/DF. Também, junto ao CRF/DF, desenvolveu o curso de Prescrição Farmacêutica, com mais de 500 inscritos. A capacitação em Farmácia Hospitalar também foi muito elogiada pelos Farmacêuticos, patrocinada pelo CFF, e promovida pela FBCF em parceria com o CRF/ DF; além de contar com o apoio da Diretoria Regional da SBRAFH, da Diretoria de Assistência Farmacêutica da SES-DF (DIASF) e das comissões de ensino, farmácia clínica e farmácia hospitalar do CRF/DF. Ainda no CRF/DF apoiou a Comissão de Análises Clínicas na realização do curso de capacitação em Hematologia e Hemoterapia. Eles também apoiaram a criação de um grande Programa de Capacitação de Farmacêuticos (PROFAR), que é oferecido na

Outras ações tiveram a participação dos Conselheiros, como: regulamentação da atividade farmacêutica de perfusão sanguínea (RES n.º 624/2016); a criação do curso de capacitação em Análises Clínicas (FBCF em parceria com o CFF); a Resolução que define, como função privativa do farmacêutico, a supervisão das atividades de estágio dos acadêmicos; a construção das novas diretrizes curriculares do curso de Farmácia; a solicitação de alteração nas diretrizes curriculares do curso de Farmácia encaminhada ao MEC; e a defesa da revisão da RDC n.º 44/2009, da ANVISA, na contemplação e a ampliação do número de exames laboratoriais que poderão ser realizados nas Farmácias Comunitárias.

Participamos da aprovação de Resoluções importantes para a profissão

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

“Além disso, uma importante ação nossa foi apoiar a comissão de Análises Clínicas na realização do curso de capacitação em Hematologia e Hemoterapia (CRF/DF e CFF). Neste ano, em conjunto com os demais Conselheiros Federais, ainda participamos ativamente da aprovação de Resoluções importantes para a profissão. Por isso, podemos dizer que graças a todas essas diversas parcerias com o Conselho Federal, o CRF/DF bateu recorde em oferta de cursos, palestras e workshops, afinal #JuntosSomosMuitoMaisFortes”, finaliza o Dr. Forland Oliveira.

#Juntos Somos Muito MaisFortes

CAMILA MOURA CAMILA MOURA

Dr.ª Viviany Nicolau (Suplente) e Dr. Forland Oliveira

11


Amplamed Venda e locação de camas hospitalares Cough Assist Oxigenoterapia CPAP Umidificadores Equipamentos para ventilação Mascaras BIPAP Acessórios

QE 40 Conjunto B Lote 03 - Guará II Brasília/DF CEP: 71070-022 www.amplamedsaude.com.br contato@amplamedsaude.com Fone: (61) 3274-3007


MEDICAMENTOS VENCIDOS AGORA TEM SEU LUGAR! A gestão ambiental tornou-se palavra de ordem nas instituições contemporâneas, nós somos sensíveis ao tema e buscamos uma iniciativa prática relacionada à realidade farmacêutica, que vai além do discurso. Como solucionar o mau gerenciamento do descarte de medicamentos vencidos, por exemplo. Para tal, o Conselho Regional de Farmácia do DF (CRF/DF) firmou acordo em novembro de 2016, de parceria bilateral com as empresas Globo Ambiental e MultTec Engenharia para vários projetos na área ambiental, dentre eles a destinação consciente de medicamentos vencidos. COLETA Uma caixa coletora de medicamentos vencidos está disponível para descarte de Medicamentos pessoais dos Farmacêuticos no CRF/DF. Tal programa visa conscientizar o profissional Farmacêutico a ser o primeiro a descartar medicamentos corretamente. O Conselho também desenvolverá ações de coleta móvel em vários locais do DF, visando estender o projeto e o tema para toda a sociedade. Para tratar do tema foi organizada uma Comissão Assessora de Gestão Ambiental, criada para procurar promover um melhor entendimento dos farmacêuticos com as responsabilidades ambientais. Com o desenvolvimento de ações que visam aprimorar a relação com práticas sustentáveis aplicadas as atividades dos farmacêuticos nos setores: laboratórios clínicos, farmácias e drogarias, indústrias, distribuidoras, transportadoras, unidades de incineração, serviços de perícia e vigilância, bem como na pesquisa científica. Outro papel fundamental da Comissão é aproximar o farmacêutico dos órgãos governamentais, levando à formulação de políticas ambientais que favoreçam a presença do farmacêutico na sociedade.. Contate-nos pelo e-mail:cgacrfdf@gmail.com e deixe sua mensagem.

Fellipe M. Carneiro Presidente da Comissão de Gestão Ambiental CRF/DF

cgacrfdf@gmail.com ou (61) 981311839


Radiofármacos

RADIOFÁRMACIA É PRIVATIVA DO FARMACÊUTICO Da Redação

“A

manipulação de fórmulas, bem como a atividade de radiofarmácia são atribuições privativas dos profissionais da área de farmácia”, assim sentenciou a Juíza Titular, Dr.ª Daniele Maranhão Costa, no Processo N° 003861236.2014.4.01.3400, da 5ª VARA FEDERAL, em Brasília/DF. Ela confirmou uma liminar anterior em ação proposta pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), anulando dispositivo de resolução do Conselho Federal de Biomedicina (CFBM), que propunha permitir a biomédicos atuarem em Radiofarmácia. Na sentença, o CFBM também foi proibido de editar novos atos normativos que exorbitem a esfera de competência do biomédico e invadam a do farmacêutico. Porém, parece que a decisão da magistrada não é suficiente para impedir a continuidade do problema na prática. “A falta de uma resolução clara da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) fragiliza, na prática, a garantia estabelecida pela justiça. Enquanto a ANVISA não colocar em sua norma (RDC 38/2008), de forma precisa, que somente farmacêuticos podem atuar em radiofarmácia, é possível continuar encontrando brechas na lei, o que põe em risco os usuários de serviços de saúde”, explica o presidente da Comissão Assessora de Radiofarmácia do CRF/DF, João Paulo Gonçalves Felipe. Ele aponta que o risco à população é alto, pois os profissionais que não são formados na área

14

sequer dispõem de conhecimentos básicos sobre legislação sanitária ou possuem embasamento farmacotécnico para desenvolver atividades de marcação; de controle de qualidade químico, radionuclídico, físico e radioquímico; de fracionamento e de dispensação desses medicamentos. “Essa bagagem é necessária para dar segurança aos pacientes. A manipulação sem esses conhecimentos pode gerar erros de diagnóstico e de tratamento”, adverte Felipe. FISCALIZAÇÃO A presidente do CRF/DF, Gilcilene Chaer, ressalta que, na atual gestão, a fiscalização nesses estabelecimentos começou a ser realizada. Até o ano de 2016, a área dos radiofármacos estava esquecida no DF. O resultado da fiscalização mostrou que existiam muitos estabelecimentos irregulares e, hoje,

muitos já se regularizaram e outros se encontram em processo de regularização. “Nós que abrimos essa questão e acreditamos que, a partir da fiscalização extensiva nas unidades que trabalham com radiofarmácia, esse campo de atuação será aberto para os farmacêuticos, porque essa área é privativa desse profissional”, defende a presidente da autarquia. “Estamos observando, por intermédio da fiscalização, que muitos estabelecimentos de radiofarmácia estão infringindo a lei, mantendo outros profissionais não farmacêuticos atuando nesses locais e colocando a população em risco. Por isso agiremos ainda com maior rigor, sem também esquecermos de investir em formação. A Comissão, por exemplo, realizou um curso de aperfeiçoamento em Radiofarmácia, e não pretendemos parar por aí”, finalizou Gilcilene Chaer. CAMILA MOURA

Os membros da Comissão de Radiofármacos está atenta ao fiel cumprimento da lei. Na foto, Albiano de Araújo, o presidente, João Paulo Gonçalves Felipe, Sarah Silva, Caiubi Santos e Rafael de Morais

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


Iniciativas

ESFORÇO RECOMPENSADO

CRITÉRIOS PARA O SELO DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA 1. Cumprimento da Lei n.º 13021/14, em especial na assistência farmacêutica em todo o horário de funcionamento do estabelecimento;

O Selo de Assistência Farmacêutica oferece diferencial para o estabelecimento Da redação

Todo estabelecimento que atende aos critérios estabelecidos pelo CRF/DF pode solicitar o Selo. Receber o Selo só traz benefícios para o farmacêutico, pois comprova a sua presença e atuação em tempo integral, transformando-se em um diferencial que confere credibilidade e competitividade para o estabelecimento.

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

3. Estar em dia com a documentação perante o CRF/DF, dados cadastrais e financeiros; 4. Não possuir irregularidades em sua licença sanitária;

de 2017 –, na sede do CRF/DF. Nesta data, as farmácias escolhidas com rigor por cumprirem, com mérito, todos os itens, serão os primeiros estabelecimentos a receber o Selo de Assistência Farmacêutica do DF.

5. Não possuir irregularidades na manipulação dos produtos da Portaria n.º 344/2009, da Vigilância sanitária.

MAURÍCIO COELHO

ÊNCIA FAR IS T

ACÊUTICA

ENTREGA A cerimônia que marcará o início da entrega do Selo será realizada no Dia do Farmacêutico – 20 de janeiro

Quem quiser, pode solicitar o Selo de Assistência Farmacêutica no site do CRF/DF

M

“Para a população, a presença do Selo representa uma forma prática de conferir se o estabelecimento é seguro, garantindo que ali há, efetivamente, assistência farmacêutica. A lista dos estabelecimentos que adquirirem o Selo será amplamente divulgada nas mídias sociais. Quem quiser, pode solicitar o Selo de Assistência Farmacêutica no site do CRF/ DF”, explica a presidente da autarquia, Dr.ª Gilcilene Chaer.

2. Não possuir dois autos de infração consecutivos num período de 24 meses;

LO DE ASS SE

C

riado em novembro de 2016, o Selo de Assistência Farmacêutica será concedido às farmácias do Distrito Federal que cumprem a legislação profissional e sanitária vigente, principalmente no que trata a Lei n.º 13021/14, quanto à exigência da presença do farmacêutico durante todo horário de funcionamento.

AQUI TEM

FARMACÊUTICO(A) CRF/DF

Gilcilene Maria dos S. El Chaer Presidente do CRF-DF Diretoria: Mandato 2016/2017

15


I Congresso

I CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Farmacêuticos, gestores, professores e estudantes de Farmácia, o CFF espera por vocês de 16 a 18 de novembro de 2017, em Foz do Iguaçu (PR)

N

esta data, ocorrerá o I Congresso Brasileiro de Ciências Farmacêuticas, do Conselho Federal de Farmácia (CFF). O evento foi planejado para ser o maior da história da profissão farmacêutica no país: “Será o primeiro congresso com a marca do conselho, feito pela nossa entidade para os farmacêuticos e estudantes de Farmácia”, anuncia o presidente do CFF, Walter da Silva Jorge João. Trata-se de um projeto da maior relevância porque congregará, em um só fórum de debates todas as áreas da profissão farmacêutica... E como ela cresceu e se diversificou de 2012 para cá!  Entre as ​m​ais de cem especialidades farmacêuticas​, estarão representadas aquelas mais recentemente regulamentadas – e porque não dizer, nunca antes imaginadas – ​, como a Perfusão Sanguínea e ​a ​Saúde Estética. Isso, claro, sem esquecer as áreas que se constituem na base histórica da profissão, como Farmácia Magistral, Farmácia Hospitalar; Indústria de Medicamentos, Análises Clínicas e Alimento; e outras tão importantes quanto, como a Cosmetologia, Radiofarmácia e Farmácia Clínica. Falta cerca de um ano. Venha participar deste amplo e representativo​​

16

evento sobre a profissão farmacêutica. Reuniremos em um dos cenários mais bonitos do planeta, 4 mil participantes do Brasil e de vários países das Américas.​

cussão político-profissional e da inovação tecnológica. Marque em sua agenda! MAEDA

Conosco, teremos farmacêuticos de toda a América Latina e do Norte, no I Congresso Pan-Americano de Ciências Farmacêuticas. Também estarão presentes, estudantes de Farmácia do Brasil e outros países das Américas do Sul e Central, no I Congresso Latino-Americano de Estudantes de Farmácia.  Simultaneamente ao congresso ainda ocorrerá o III Encontro Nacional de Educadores em Farmácia Clínica. Será um grande evento em prol do conhecimento, do aprimoramento técnico-científico, da dis-

Walter da Silva Jorge João Presidente do CFF

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


Qualificação

CAPACITAÇÃO É O CAMINHO E

ste aano, o CRF/DF bateu o recorde na realização de cursos para os farmacêuticos: mais de 80 oportunidades de formação, dentre cursos presenciais,

webcursos, palestras e eventos. Na abertura de uma das atividades, a presidente da instituição, Dr.ª Gilcilene Chaer, ressaltou que, “depois de arrumar a casa,

CURSO DE PRESCRIÇÃO FARMACÊUTICA

O

estamos empenhados em trazer capacitação e oferecer o melhor para os farmacêuticos do DF”. Destacamos, então, aqui, dois cursos importantes:

Auditório do CRF/DF alcançou a capacidade máxima nos dias 14 e 15 de dezembro, com os cerca de 150 participantes, por dia, no “Curso de Prescrição Farmacêutica – Serviços farmacêuticos e situações comuns nas farmácias: raciocínio clínico, processo semiológico e documentação. Como fazer?”. O curso foi ministrado pela Docente da Universidade Federal de São João Del-Rei, Prof.ª Angelita Cristine de Melo. Uma das participantes, Adriana Silva (26), valorizou a ação. “Essas iniciativas são dignas de todos os elogios”, enfatizou. Já Lorena Santos (31), farmacêutica da Drogaria Ampla (Taguatinga), afirmou ser “Super bacana investir em formação, pois contribui demais com nosso trabalho”. CAMILA MOURA

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM FARMÁCIA HOSPITALAR

A

pós seis módulos, sendo um por semana, o curso de Capacitação em Farmácia Hospitalar foi encerrado em 10 de dezembro. O clima era de festa e mostrou o alto índice de satisfação dos participantes. A Farmacêutica Brenda Souza (23) elogiou a iniciativa por ter “muito boa organização, excelentes professores e boas trocas de experiências”, pontuou. Para Solange Maria dos Santos (41), que trabalha como farmacêutica de uma transportadora, “o curso foi sensacional. Eu me senti entrosada e acolhida e consegui tirar as dúvidas. Gostei muito!”, finalizou. KEYLA COSME

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

17


Abrindo caminhos

OPORTUNIZANDO VAGAS PARA CONCURSO PÚBLICO

Da Redação

A Diretora Tesoureira (CRF/DF), Dr.a Elaine Morelo, o Defensor Público-Geral do DF, Dr. Ricardo Batista Sousa, a presidente (CRF/ DF), Dr.a Gilcilene Chaer e o Secretário-geral (CRF/DF), Dr. Humberto Lopes (Da esquerda para a direita)

E

dite, 54 anos, está há dois meses sem a medicação que controla as suas crises cardiorrespiratórias, o estado não dispõe da medicação indicada pelo médico, apesar de ter disponível um medicamento padrão similar em estoque. O caso fictício apresentado já foi a realidade de muitas “Edites”, mas hoje o cenário é outro, graças a uma parceria de sucesso entre o Conselho Regional de Farmácia do DF (CRF/DF) e a Defensoria Pública do DIstrito Federal, que inseriu a presença do farmacêutico logo no primeiro contato do cidadão. “Agora, quando a demanda chega pela primeira vez, ela já é passada diretamente para a farmacêutica, que avalia e trabalha para solucionar o problema do medicamento. Antes, nós tentávamos a substituição diretamente com o Distrito Federal. Quando não era possível trocar por um medicamento padronizado, entrávamos com uma ação para poder discutir com mais qualidade, diretamente com um profissional de saúde”, contou Celestino Chupel, Coordenador do Núcleo de Saúde da Defensoria Pública do DF. Por meio da parceria oficializada entre o CRF/DF e a Defensoria, o volume de ações que eram deman-

18

dadas ao judiciário, por conta de simples alterações de medicamentos diminuiu significativamente. Quando não havia um similar padronizado, os casos travavam pela falta de comunicação especializada com o médico que receitou a medicação. Na nova realidade, esse contato é feito pelo farmacêutico, que verifica, junto ao médico que prescreveu o medicamento, a possibilidade de substituição por outro padronizado existente na rede. “Esta parceria está conseguindo êxito em vários aspectos, quando não havia a possibilidade de substituição aí nos éramos obrigados a judicializar. O farmacêutico é um profissional muito importante nesta demanda da busca do atendimento médico e da assistência ao assistido que não tem condições de adquirir o medicamento na farmácia. Este trabalho realmente está fazendo a diferença e evitando muitas ações”, afirma Chupel. BONS FRUTOS A experiência positiva fez a Defensoria considerar a inclusão do profissional de Farmácia no próximo concurso público. A boa-nova foi revelada em reunião no dia 03/11, em

que os defensores apresentaram ao CRF/DF os resultados dos últimos seis meses com a presença da Farmacêutica, Aline Gregório, disponibilizada pelo Conselho ao Núcleo de Saúde da Defensoria para atuar nos processos relacionados à aquisição e uso de medicamentos; evitando, dessa forma, a judicialização de medicamentos, conforme o Termo de Cooperação fechado em abril de 2016. Para Gregório “o nosso papel perante a sociedade é de minimizar o uso irracional de medicamentos, tornando mais acessível e rápida a adesão ao tratamento para os pacientes”, avalia. “Eu sou um dos defensores da inclusão do farmacêutico no próximo concurso para a Defensoria, principalmente por termos que trabalhar com mais qualidade e maior credibilidade. Com a presença de um profissional competente, lutaremos para evitar a judicialização e buscar, de toda forma, a solução de um conflito sem a necessidade de uma provocação judicial. Agradeço aos profissionais que foram trabalhar comigo pela disponibilidade, garra e vontade de resolver os problemas, de forma fantástica. Assim, também nos espelhamos neles, o que nos incentiva a trabalhar ainda mais”, finalizou o defensor Celestino Chupel.

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

CAMILA MOURA

CRF/DF E DEFENSORIA PÚBLICA


Iniciativas

[FARMACeUTICO]

REGULAMENTAÇÕES GARANTEM VITÓRIAS IMPORTANTES Da redação

N

este ano, em conjunto com os demais Conselheiros Federais, o Dr. Forland Oliveira Silva e a Dr.ª Viviany Nicolau participaram da aprovação de diversas resoluções importantes, como a da prescrição farmacêutica, que representa um grande avanço para a profissão, e mais ainda para a população brasileira. “Devido ao fácil acesso às Farmácias Comunitárias, o cliente poderá realizar uma consulta com seu farmacêutico(a), que poderá prescrever medicamentos para o tratamento de transtornos menores de Saúde. É claro que os medicamentos sujeitos à prescrição médica somente poderão ser prescritos pelo médico e, caso o farmacêutico entenda necessário, deve encaminhar o paciente para um serviço de saúde”, contou Dr. Forland.

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

Outra grande vitória foi a atuação na estética, que traz ao profissional mais uma vertente de trabalho. O Dr. Forland explica que “nessa área não privativa da Farmácia, a regulamentação quanto à atuação do farmacêutico amplia a possibilidade de escolha das pessoas. O farmacêutico tem se destacado nessa área,devido aos conhecimentos que normalmente acumula sobre estética”, disse. Essas regulamentações acompanham uma realidade da Farmácia em alguns países. O conselheiro enfatiza que são frutos do trabalho árduo das comissões assessoras do CFF, em conjunto com os CRFs, “e tenho que destacar o trabalho do CRF/DF para garantir o cumprimento dessas normas”, enaltece.

Outras resoluções foram importantes em 2016, visto que foi um ano de muitos embates nos Três Poderes, em especial no Legislativo e no Judiciário. “Sem dúvida alguma, destaco a intensa atuação clínica do farmacêutico, não apenas nesses dois campos, como também na farmácia clínica, no ambiente hospitalar, nas análises clínicas, na radiofarmácia, na homeopatia e em tantas outras áreas de atuação”, finaliza Forland.

Destaque na área de estética

19


Posse | Iniciativas

PRESIDENTE DO CRF/DF TOMA POSSE NA DIRETORIA DA ABEF P

ara o Biênio 2016-2019, foram empossados, em Brasília, como titulares, na Diretoria de Administração e Finanças da Associação Brasileira de Educação Farmacêutica (ABEF), a presidente do CRF/ DF Gilcilene Chaer, e Paulo Sérgio Arrais; além do suplente, Paulo Roberto Boff. Dr.ª Gilcilene Chaer enfatizou que o grupo está disposto a trabalhar para que a ABEF seja o fórum adequado para se discutir a educação

farmacêutica no Brasil. “Nosso maior desafio é fazer um debate e pensar numa matriz curricular, respeitando, lógico, as regionalidades, que ofereça a esse farmacêutico as competências para ele, realmente, ser um profissional de saúde”, afirmou a presidente da autarquia. Algum tempo depois da posse, a presidente também falou da importância da união da ABEF com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)

para debater novas diretrizes curriculares para o curso de farmácia. Ela lembrou que desde julho deste ano, a vice-presidente do CRF/DF, Margô Karnikowski, assumiu o cargo diretora de Avaliação da Educação Superior (DAES) do INEP. “É fundamental contar com um farmacêutico atuando na formação superior da categoria, já que dessa forma, estaremos junto à Câmara Nacional de Educação (CNE) na formulação das diretrizes curriculares nacionais para o curso de farmácia”, finalizou Chaer.

PARTICIPE COM DICAS DE SAÚDE! O

CRF/DF costuma promover campanhas nas mídias e redes sociais de valorização do profissional farmacêutico. A proposta é que essas campanhas se tornem permanentes e a população reconheça de fato o farmacêutico como profissional da saúde.

Pensando nisso, explica a presidente do CRF/DF, Dr.ª Gilcilene Chaer, “a autarquia fez parceria com a rádio OK FM (104,1 FM): teremos a partir de janeiro, orientações do Conselho em forma de dois BOLETINS DIÁRIOS na programação, que serão transmitidos de segunda à sexta, entre os horários 07h ás 08h e

20

ás 16h ás 17h, totalizando 44 programetes/ mês”, diz. “A ideia é de que os farmacêuticos do DF possam usar o espaço para dar ‘Dicas de Saúde’ e, dessa forma, orientar a população em geral”, ressalta a presidente. E, ainda de acordo com ela, sempre que for necessário, serão divulgadas algumas ações do Conselho,

Serão dois boletins diários, de segunda à sexta, entre os horários 07h ás 08h e das 16h às 17h visando resultar na melhoria da qualidade de vida ao nosso redor e na valorização do profissional farmacêutico.

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


CRF/DF Presente

CRF/DF NA CPI DA SAÚDE Dr.ª Gilcilene Chaer fez denúncias graves na Câmara Legislativa Da redação ADRIANA CARRIJO

Dr.ª Gilcilene Chaer, presidente do CRF/DF | É inadmissível que o Distrito Federal passe por situações críticas na Saúde Pública, como as relatadas durante toda a CPI

N

Pacientes com suspeita de infarto esperavam até seis horas pelo resultado de exames

o mês de junho de 2016, o CRF/ DF se destacou. A presidente, Dr.ª Gilcilene Chaer, fez denúncias contundentes na CPI da Saúde na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). A que surtiu maior repercussão foi a de que pacientes com suspeita de infarto esperavam até seis horas pelo resultado de exames, que deveria ser de, no máximo, 30 minutos. Também relatou irregularidades graves no Hospital Regional do Gama (HRG), como o mau acondicionamento dos medicamentos (caixas de medicamentos sem acondicionamento adequado e expostas à luminosidade); a ausência de farmacêuticos, no horário noturno, na farmácia do Hospital; e ainda cobrou a contratação imediata de farmacêuticos bioquímicos aprovados no concurso de 2014. De acordo com matéria publicada pelo portal oficial da CLDF, em 16/06/2016, o presidente da CPI da Saúde, Wellington Luiz (PMDB), con-

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016

siderou “gravíssimas e relevantes” as denúncias levadas à comissão pela farmacêutica e presidente da autarquia. “Essa demora de seis horas na realização do exame para detectar infarto pode significar a diferença entre a vida e o enterro de milhares de pessoas”, exortou, garantindo que eles irão apurar todos os fatos relatados pela depoente. Outros deputados presentes também destacaram a importância das denúncias levantadas pela presidente do CRF/DF. A CPI tratava da má gestão de recursos da Saúde do DF, no período do governo de Agnelo Queiroz e no início da gestão Rollemberg – janeiro de 2011 a março de 2016. Para a Dr.ª Gilcilene Chaer, “é inadmissível que o Distrito Federal passe por situações críticas na Saúde Pública, como as relatadas durante toda a CPI. Nossa participação cumpre com o propósito de existência do Conselho”, declarou a presidente.

21


Meios de Comunicação

CRF/DF NA MÍDIA MARCOS LINHARES

E

m 2016, o Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF/ DF) ocupou diversos espaços nos meios de comunicação de Brasília.

o de 2016 • , 11 de dezembr • Brasília, domingo

SE

CORREIO BRAZILIEN

ÃO

rtunidades Não faltam opo GUIA DA PROFISS

TELEVISÃO Em 24/10, o CRF/DF participou do Outubro Rosa. Nesse sentido, a presidente da autarquia, Dr.ª Gilcilene Chaer, foi entrevistada pela repórter Lívia Veiga (foto), no telejornal Bom Dia DF e falou sobre o assunto.

Além do impresso, o veículo também disponibilizou a matéria em seu site no endereço: http:// www.correiobraziliense.com.br/app/ noticia/cidades/2016/11/22/interna_cidadesdf,558098/simposio-em-brasilia-discute-como-manter-se-ativo-apos-os-60-anos.shtml

No dia seguinte (25/10), a presidente da autarquia foi entrevistada novamente pela Rede Globo, dessa vez, pelo repórter Fred Ferreira para o telejornal DF TV 2ª Edição. O tema: assaltos a drogarias. Assunto no qual a presidente do CRF/DF tem cobrado mais segurança para as autoridades competentes

Depois, sob o tema “Carreira de Farmacêutico no Brasil e no DF”, o CRF/DF saiu em duas páginas com os títulos “Não faltam oportunidades” e “Radiografia da área”, publicadas no domingo, 11 de dezembro de 2016, no CORREIO BRAZILIENSE, só que dessa vez no Caderno Trabalho & Emprego, às páginas 4 e 5.

IMPRESSO Falando sobre o I Simpósio Internacional do Envelhecimento e I Encontro de Gerontologia do CRF/DF, a instituição alcançou a matéria “Plenitude na Velhice”, publicada no jornal CORREIO BRAZILIENSE, no Caderno

Além do impresso, o veículo também disponibilizou a matéria em seu site no endereço: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ eu-estudante/tf_carreira/2016/12/11/ tf_carreira_interna,560888/nao-faltam-oportunidades.shtml

ação por causa de legisl de ser mais requisitado e outras instituições tais a farmácias: além e não se restringe as, laboratórios, hospi cêuticos é promissor em indústrias, clínic O mercado para farmaanos, esse profissional pode atuar a carreira dois is da área sobre há a siona onad profis sanci s de Conheça relato

CMYK

NO DF: Experiência / . CB/D.A Press PISO SALARIAL Gabriela Studart/Esp E* » ANA LUIZA VINHOT is: 44 horas semana Emprego em passar cinuem escolheu faculdade laboratório co anos numa tem do 24 • Cidades • Brasília, terça-feira, 22 de novembro de 2016 • CORREIO BRAZILIENSE de farmác ia não boas e foris: , 23 anos, se há 40 horas semana Stela Carvalho que reclam ar: e não só a no primeiro ses— mou em farmáci fartas oportunidade profissional Ela sempre teve Esse mestre de 2015. r na em farmácias! 70 queria trabalha entre mais de Manter-se ativo depois dos 60 anos é uma realidade cada vez mais presente na sociedade atual. Até amanhã, um certeza de que de pode escolher como análises is: “Um professo r , 20 horas semana área da saúde. a prosimpósio internacional discute essa nova perspectiva e como é possível colher os melhores frutos dessa fase da vida áreas de atuação investigativas, sobre s cursinho me explicou mercado de clínicas, prática que o , docência, ramos fissão, e percebi saúde pública área é bem amplo”, lar e industrial. trabalho nessa pasestético, hospita 2 agosto do ano Regional de Farmácia l varia entre R$ lembra. Desde O piso salaria da Fonte: Conselho a como farmanas unidad es sado, ela trabalh empresa que mil e R$ 6 mil o , com ntes Nutrifica acordo cêutica na Dica para inicia Federa ção, de l de Farmá cia s de nutriçã o manipu la soluçõe Consel ho Federa órgão mostra o primeiro seja, prepara soludo “Em qualquer área, parenteral, ou mais difícil de (CFF). Relatório de R$ 2.001 a s com probleemprego é um pouco ções para paciente al. que a faixa salarial em todas as em Brasília, o gastroi ntestin ina conseguir, mas, ma no trato praças. tiR$ 3.000 predom Já as regiões rico, principalmente e que o de outras o curso, ela não mercado é muito uti- versidad Quando iniciou áreas disponía presidente do regiões do Brasil. ntrabalharia num de ramos nos quais um farmacê temos todas as -Oeste aprese em drogarias”, afirma nha ideia de que que o “Não Norte e Centro de El Chaer. Ela cita idade surtuais oportun Gilcilene atuar, ela percebe “A aqui”, afirma. percen rio. s CRF-DF, laborató e co pode menos di- veis tam os maiore res e de que me formei de Brasília tem rendimentos farmácias hospitala de estética e giu logo depois e mercado profissionais comR$ 5.001. variedad clínicas da manipulações, de topei”, conta. Apesar rios de análises na faixa acima Press há 195.02 2 acupuntura, laborató as Studart/Esp. CB/D.A entre Gabriela Segun do o CFF, no públicos clínicas e órgãos s registr ados farmac êutico contratam Federal, são instituições que Brasil. No Distritono Conse lho DF. Farmacêutico farmacêuticos no os 6.473 inscrit cia (CRFe empresário Region al de Farmá estão em 4.785 Hogivaldo de DF), dos quais o sexto O pernambucano ativos, 50% atu- farmacêutico brasileiro é a começou a trabaatividade. Dos Araújo, 39 anos, ias e farmác ias. maior do mundo e pode chegar na década de Ela am em drogar a o de Pesquis em 2018”, conta. lhar numa farmácia boy, fazendo serviPesquisa do Institut da (Ipea) de ser o terceiro com nível superior 1980 como office só Aplica que Fotos: Breno Fortes/CB/D.A Press mica ressalta o.“É Econô foi subindo de cargo. social e político do envelheciços bancários e » PRISCILA BOTELHO indicativos de que já é possível conseguir empreg no 2013 é um dos ista: na famento humano. São orientados e disso, decidiu investir 10 s: far» ROBERTA PINHEIRO causa general nidade Por ão podem voltar ao mercado de trafarmácia quase e um não faltam oportu 10 profissões uma formaç ESPECIAIS PARA O CORREIO curso superior de as estudante aprend balho.Emsaladeaula,elesaprena graduação, carga mácia está entre trabalhadores culdade, o Durante tem depois. curso O anos de dem sobre direito e cidadania, s mãos enrugadas. Os capouco de tudo.” de 4 mil horas, hospitais. “Decom maior taxa de 94,30%. A Lei nº 13.021/ envelhecimento e saúde, qualibelos ralos. Nas costas, a fez estágio em quatro entregador 2014 autofui boy, ocupados, no nívelpossibilidades horária mínimdevem ser de estádade de vida, políticas públicas e riza que as farmác algumas dores. Um peso pois de ser office ias deixem sendo que 20% saúde, além de atividade física, de ser apenas de quem carrega expeestabelecimen“São várias as estabel ecimen mercadorias do as perspectidas rio. vastas e dança, arte, artesanato, entre ou- tos comerc balcoriências, conhecimentos e vivênobrigató de gio de atuação um curso iais e passem farmac ologia to e após fazer tros. “Todos vamos envelhecer. presta cias. Os anos passam e a velhice é a ser ”, observa o presiProfess ora de vas de sucesso Medeiessa função. Quando ForSe não começarmos a cuidar dosassistê doras de ser viços de a fase da vida mais próxima da fiexerci Silva. Patrícia da nista, UnB, dencia à saúde, clínica na da do a faculdade, dente do CFF, Walter outros, como vão nos tratar? Eles nitude. Mas por que negar as posaptas a estava terminan ia bioquímica, ros ressalt a a impor tância a chegam como anônimos e pas-a f e r i r p re s s ã o e g l sibilidades desta etapa? É preciso farmácia”, lemmado em farmác 20% da uma de ic ância total comprar cidi import sam a ter voz e fala. É um proces-aplicar soro e vacina e m i a , empoderar-se e aprender a enprofiss ão. “Um Silva destac a a acredita que o mers, entre ções de pacien so de aprendizado. Um processooutras ativida xergar as belezas nas rugas. Trabra. Hogivaldo que peritos em em dia des. hoje o diA profissão. “Mais lógica, os far- 30% das interna parte de empoderamento, para quen o r m a zer ao idoso essa nova perspectida as pela autome cado é mais valorizad conselho, o que ma do eles pertençam à sociedade, sinva é a proposta do I Simpósio Interapêutica farmaco uem para a tes são causad ional da farmámercad o foi a i s a f e t o u o por causa das lutas a mais recoprofiss determ inação tam-se respeitados e sejam atoternacional do Envelhecimento e macêuticos contrib e a preven- cação. O de popula ção para que tornou a categori res do próprio envelhecimento”, que o farmac êutico do I Encontro de Gerontologia do deu mais cia orient a a deve pensand o até em promoção da saúde estar presen te O investimenexplica a gestora do projeto, a enConselho Regional de Farmácia 1/2014 também nhecida . “Estou exalta. nas farmác ias evitar incidentes. filias”, conta. “A A Lei nº 13.02 ção de doenças”, fermeira Silvana Funghetto. d u ra n t e t o d o o do DF (CRF-DF), que ocorre, até presidente ador pode evitar abrir uma ou duas categoria” funcion amento h o r á r i o d e quarta-feira, no Auditório CenGilcilene El Chaer,que há mui- to nesse trabalh ento nos atentambém deu mais bilidade a nossa farmácia . a Lei nº 13.021/2014 tionam Produtivos tral do Centro Universitário Iesb, categoria, cuja credi A legisla ção diz. do CRF-DF, concordgraduados na o conges de uma anterio r (Lei credibilidade a nossa da Asa Sul. de Araújo, dono os básicos de saúde”, ldo diz. 5.991/1 diment Hogiva cliente”, o 973) tas chances para exigia apenas Para Margô de Oliveira, viceAos 77 anos, o barbeiro Antôfunção é orientar tivas são de cresa presen ça de um área, e as perspec com levantade presidente do Conselho Regional nio Barbosa segue firme e forte no técnico sob supervisão ponsáve l, mas não especifi resde Farmácia do DF (CRF/DF), a seu posto de trabalho de segunda cimento. “De acordo Brasileira de * Estagiária cava ção Lisboa sociedade está acostumada aqual as- deveria ser a a sábado. Com ele, não tem temmento da Associa o Ana Paula formação desociar tudo o que é velho aole. im-“Os estabel po ruim. Antônio passa o dia todo (ABF), o mercad ecimen tos que Farmacêuticos produtivo.“Não é essa a ideia. Preem pé. A tal velhice, para ele, não

CORREIO BRAZILIENS

E • Brasília, domingo,

R$ 4.985,54

Q

R$ 4.659,78

R$ 2.332,09

Plenitude na velhice

A

22

é sinônimo de problema. Na verdade, é a fase das realizações na vida e o momento em que se conquista tudo o que foi plantado ao longo dos anos. “Chegar até aqui é uma dádiva de Deus. Não tive nenhuma crise, aceitei esse novo momento de peito aberto. Já realizei os meus sonhos, agora, quero aproveitar ao máximo a vida e continuar fazendo o que amo”, afirma. Antônio se aposentou aos 53 anos, mas não quis deixar a profissão de lado. Ele aproveitou o tempo livre e abriu o próprio negócio, no qual trabalha até hoje, no Setor de Rádio e TV Sul. A barbearia é a maior terapia para o corpo e a mente. Eu me sinto muito feliz”, comenta. E, para aguentar o ritmo e as muitas horas em pé, Antônio preza por um bom estado de saúde e por uma boa qualidade de vida. Caminhadas, abdominais e o cuidado com a alimentação são essenciais. Energia é algo que não falta para José Muniz de Sousa, 70 anos. Vindo do Maranhão, em 1972, ele trabalhou em hotel, restaurante, bar, colégio agrícola e tocou sino em seminário. “Mas ainda não morri. Quero construir um teatro e deixar uma chácara com todo o tipo de planta para a minha família”, acrescenta. José é aluno da Universidade do Envelhecer, programa da Universidade de Brasília (UnB) que busca trazer ao idoso uma nova perspectiva do envelhecimento. Nas palestras, não se deu muito bem com o inglês e com a internet. Contudo, apesar da visão gasta e dos problemas de artrite, realizou-se no teatro, na música e na homeopatia. “Aprendemos a cui-

Maria de Jesus e Francisco Calista são colegas de trabalho em um restaurante: trabalho duro e sem fazer corpo mole

PARA SABER MAIS

Cidades amigas do idoso

27,8 MILHÕES

Total de brasileiros com mais de 60 anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2014.

Trabalho • 5

Opções de pós-grad uação na área em

» Universidade de Brasília (UnB): www.unb Brasília: » Centro Universitá rio do Distrito Federal .br » Faculdade Mauá (UDF): www.udf. edu.br de Brasília (MAUADF » Faculdade de Ciências ): www.mauadf.com.b r » Instituto de Ciências Gerenciais da Bahia (Unicenid): www.fcgb.edu.br Sociais e Humanas » Faculdade Centro (ICSH): 3627-2515 Sul do Paraná (Facspar): » Faculdade Venda facinepe.edu.br Nova do Imigrante (Faveni): faveni.edu .br

Dicas para obter

Mudança positiva

em à cisamos reeditar a velhice e vê-la dos pelo conselh lei são multacomo ela é. A melhor idade, por derados ilegais”, o e são consiexemplo, varia para cada um. Preinforma a presidente cisa haver uma desmistificação da do Conselho Region al Farmácia do Distrito velhice. Tem que ser bonito de enrugado”, argumenta. A terceiraral, idade Gilcilene El Chaer. FedeA multa é uma fase da vida com perdas fi- é inicial de um salário mínimo siológicas, mas ganhos depode expee riências e vivências. Uma etapa chegar a seis. De acordo com com limitações, porém com pos-a presidente, depois da lei, o mercad sibilidades e é preciso aprender a o para quem é farmaaproveitar as vantagens. cêutico “O em- cresceu , pois até para poderamento da maturidade é fazer enxergar as possibilidades da velhice. A educação ajuda nisso”, acrescenta. Voltar ao mercado de trabalho foi uma surpresa agradável para a aposentada Maria de Jesus Moreira, 73. Desde os 58 anos, ela estava em casa com o tempo ocioso. O incentivo para se candidatar a uma vaga em um restaurante partiu da filha. “Pensei que não fosse conseguir, mas, no dia seguinte, fui chamada para trabalhar. O que me deixa mais feliz é ter minha independência”, comemora. Para trabalhar, ela não faz corpo mole, dispensa a carona da filha e usa o transporte público sem problemas. Outro funcionário do estabelecimento, Francisco Calista, 56, também demonstra prazer em trabalhar. Anteriormente, ele atuava na área da construção civil, mas nunca chegou a se aposentar. “Chega uma certa idade e fica difícil conseguir um emprego. Enquanto tiver saúde, vou continuar trabalhando”, afirma. Outra prática que tem dado certo em Brasília é a inserção dos idosos em farmácias. De acordo com a presidente do CRF/DF, Gilcilene Maria dos Santos El Chaer,

de 2016 •

autorizados pelo

Universidade de Brasília MEC no DF: » Universidade Paulista (UnB): www.unb.br » Universidade Católica (Unip): www.unip.br » Faculdades Integrada de Brasília (UCB): www.ucb.br s (Upis): www.upis » Centro Universitá .br rio do Distrito Federal » Centro Universitá (UDF): www.udf. edu.br rio Euro-Americano » Faculdade Anhaguer (Unieuro): www.unie uro.edu.br a de Brasília (FAB): » Centro Universitá anhanguera.com rio Planalto (Uniplan) » Centro Universitá : rio Estácio de Brasília: www.uniplandf.edu.br » Faculdade LS (Facels): estacio.br » Faculdade Evangélic www.ls.edu.br a (FE): www.fe.e du.br » Faculdade Icesp (Icesp): » Faculdades Integrada www.icesp.br s da União Educacion www.faciplac.edu.br al do Planalto Central (Faciplac):

sucesso na profissã o:

» Saber liderar pessoas, » Sempre se atualizar trabalhar em equipe e ter postura ética sobre a área e as » Fazer estágios, normas do ramo trainees e residência s para aprender

Fonte: Walter da ainda mais abrir uma farmác Silva, Gilcilene El Chaer e Patrícia contar com esse ia é preciso da Silva, a Medeiros lei reafirmou a profissional. autori- mentos Para o preside dade técnica , na medida em lho Federal de nte do Conse- so possibil do trabalhador. “Is- põe um que pro- de ita à sociedade saúde”, Farmácia, Walter maior cia, quenovo modelo de farmá- increme explica. Segundo ele, o seguran ça no passa uso dos medica nto em chances - porta de entradaa ser mais uma pregabi lidade é apenas de empara o sistema uma consequência dessa transformação.

EM MOMENT OS INVESTIMENT DIFÍCEIS, ALGUNS OS SÃO

INDISPENSÁ VEIS. Aposte nos e impulsionenovos talentos do CIEE sua empresa .

não obedec

Antônio Barbosa se aposentou ainda jovem, mas não parou de trabalhar: aos 77 anos comanda uma barbearia com muita dedicação

11 de dezembro

Estude Cursos de graduaç ão em farmácia »

CIEE/Brasília: SHC/SW, EQSW 304/504 Lote 2 - Ed. Atrium Brasília/DF - CEP - Setor Sudoeste 70673-450 Tel.: (61) 3252-4 850

Abrir vagas para que estagiários e aprendizes possam dar primeiros passo seus s no merca de trabalho do é produtivo que um investimento traz excele resultados. ntes Essa além de benefi oportunidade, vorece a empreciar o jovem, fasa, que contar no futuro á com um profis qualificado sional para supera r os fios do merca do de trabal desaho. O estágio não cria vínculo gatício de qualqu empreer natureza. Empresário : conte com para o preen chimento daso CIEE de estágio vagas e das pela legislaaprendizagem exigição.

RINO COM

4 • Trabalho

Cidades, na página 24, com direito a chamada de capa, na terça-feira, 22 de novembro de 2016.

TODOS OS SERVIÇOS DO GRATUITOS CIEE SÃO PARA OS ESTUD ANTES. Sede CIEE: Rua Tabapuã, 540 - Itaim Bibi São Paulo/SP - CEP Telefone do Estudan04533-001 te: (11) 3046-8 Atendimento 211 às Empresas: (11) 3046-8222

ESTAGIÁRIOS

e APRENDIZE

www.ciee.org.br

S

/oficial.ciee

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


Peça uma cotação preenchendo o formulário pelo site: http://sulamericapacotedevantagem.com.br/leads/crfdf

*A partir de R$ 216,14

*A partir de R$ 197,14

*A partir de R$ 432,48

*A partir de R$ 288,92

*A partir de R$ 157,63

* Aceitação, custo e compra de carência ficam sujeitas às regras e condições contratuais de cada operadora.


20 OU 24?

24

FARMA IN FORMA | DEZEMBRO | 2016


Revista Farma in Forma