Issuu on Google+


Local/Guará

1a quinzena/janeiro de 2017 - 2

Pontos da Boa Forma estão abandonados e viram ‘taperas’

Sucesso nos primeiros anos após a instalação, duas estruturas construídas às margens do calçadão do Guará 2 para servir de pontos de apoio para praticanrtes de atividades físicas atualmente não servem para nada, exceto para quem gosta de pichar parceria não vingou. Enquanto isso, moradores que fazem prática de atividades físicas no calçadão não entendem como os postos passaram a serem equipamentos tão inúteis. “É algo errado manter isso fechado assim, quando funcionava era muito bom, era um apoio à comunidade”, diz Cristino Pereira, de 73 anos. “Vejo isso aí fechado há vários anos, quando funcionava o atendimento era bom, mas desse jeito aí, não dá” diz a dona de casa Helena Ferreira de Oliveira, de 68 anos.

Texto e fotos: Amarildo Castro

Construídos há mais de dez anos na orla do Guará II para servir de ponto de apoio aos praticantes de atividades físicas, os dois Pontos da Boa Forma, um fica em frente à Administração Regional do Guará e outro na região da QE 32 estão sem funcionar direto há vários anos. Nas ultimas gestões locais, que inclui vários administradores, como Deverson Lettieri, Joel Rodrigues, Carlos Nogueira, Edberto Silva, Carlos Santana e mais recentemente o atual administrador André Brandão, várias tentativas para colocar em funcionamento os dois postos foram feitas. Os pontos até funcionaram durante um período curto, mas por falta de pessoal, e até de equipamentos, os locais sempre voltam ao abandono, servindo apenas de paisagem para quem caminha pelo calçadão, ou ponto de pichação para quem gosta de depredar o patrimônio público. No grupo de WhatsApp Parceiros do Jornal GuaráHOJE, a direção do jornal chegou a cogitar uma campanha para a solução do problema, e caso não haja, sugerir a demolição das duas construções, que hoje não passam de ‘taperas’ abandonadas. Mas maioria dos integrantes acredita que ainda há solução, e falta apenas boa vontade política e empenho das autoridades locais. Em 2016, a Administração do Guará tentou uma parceria com as faculdades Icesp e o Corpo de Bombeiros para colocar em funcionamento os dois postos, mas o tempo passou e a

EXPEDIENTE

Unidada da QE 32 fica perto do Corpo de Bombeiros, e mesmo assim não é ‘aproveitada’

A construção que fica em frente à Administração Regional do Guará virou uma ‘tapera’

Sugestão Para o ex-administrador do Guará, Joel Rodrigues, é possível a retivação dos Pontos da Boa forma buscando parcerias, em especial com laboratórios da cidade. Outra alternativa, sugere, é escala intercalada de profissionais como bombeiros para prestar o serviço à comunidade. “Ali tem ponto de água e luz, o que facilita as atividades, além disso, poderiam, e horários especiais ou dias, instalar tendas e promover algum tipo de evento”, comenta o ex-administrador. Ainda de acordo com Joel, em sua época como administrador, há várias histórias comoventes de pessoas que usavam os serviços dos Pontos da Boa Forma, em especial gente aposentada. Em resposta à reportagem, a Assessoria de Comunicação da Administração do Guará informou que busca novas parcerias para reativação dos dois postos da Boa Forma, e que assim que tiver novidades, informa à reportagem do Jornal GuaráHOJE/Cidades e à comunidade.

Diretor Executivo/jornalista responsável: Amarildo Castro/Registro profissional 9765-DF. Revisão: Álvaro Pereira (colaboração) Jornalismo: Amarildo Castro (colaboração/Zuleika Lopes) e Álvaro Pereira (colaboração) Auxiliar Administrativo: Lília Maria - Artigos assinados e colunas: são de responsabilidades de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal E-mail: guarahoje@hotmail.com ou jornalcidadeshoje@gmail.com Endereço: AE 04, Ed. 03 irmãos, sala 305 - Guará II Telefone: 3382-0532 Tiragem: 5.000 exemplares impressos e PDFs enviados para 3.500 pessoas via redes sociais (online). Este veículo é um produto da A&M Comunicação e Editora LTDA.


Núcleo Bandeirante

Primeira quinzena/janeiro de 2017 - 4

Comunidade se mobiliza para reabertura do SPA em posto de saúde Serviço 24h foi fechado sem aviso prévio ou consulta à comunidade, que agora protesta pela falta do atendimento emergencial no período noturno. Lideranças cobram do governo a volta do SPA Por Amarildo Castro Lideranças do Núcleo Bandeirante se movimentam para reestabelecer atendimento do posto de saúde 24 horas (SPA) após o fechamento da unidade, localizada na Terceira Avenida. A comunidade organizada, comandada por membros do conselho de saúde local, se movimentou, na terça-feira (3), para reativar os serviços o mais rápido possível. Durante a reunião, convocada pelo conselho, e realizada nas dependências do Sindicato das Indústrias Mecânicas e Reparadoras de Automóveis, Caminhões, Tratores, Motos e Autopeças do DF, cujo presidente é Eudaldo Nunes Alencar, marcou o início das cobranças para que a população volte a ser atendida pela unidade de saúde. “Temos um conselho de saúde atuante e em momento algum fomos comunicados dessa paralisação dos serviços”, disse Alencar. Entre as lideranças comunitárias presentes e que aderiram à causa estavam o conselheiro tutelar, Walter Marques, o ex-administrador da Candangolândia João Hermeto, que forte ligação com o Bandeirante, além de dezenas de lideranças locais. O administrador regional Cleudimar Sardinha, que não pôde comparecer, mandou representan-

Reunião com lideranças locais pede volta do serviço 24h no posto de saúde

te para acompanhar a reunião. Durante o encontro, a representante do posto de saúde, Patrícia da Silva, disse que o SPA (Serviço de Pronto Atendimento) foi fechado para ampliar a atenção primária por meio da estratégia Saúde da Família e alegou que em breve teriam mais equipes no posto atendendo até às 22 horas, mas sem o SPA. No entanto, boa parte da população não concorda com o fechamento. Um abaixo assinado reunindo 5 mil assinaturas será entregue ao senador Cristovam Buarque, que está bastante receptivo à causa. Além disso, uma audiência pública também está sendo proposta

para debater o tema. Enquanto isso, as lideranças continuam sendo mobilizadas para a busca de uma solução para o problema. De acordo com Valdemir Hass, presidente da Associação Comercial e Industrial do Núcleo Bandeirante, não é aceitável o fechamento da unidade, visto que a UPA da cidade não atende à demanda. “A falta desse serviço é um desrespeito à população”, criticou Hass. Ele garante que a Associação Comercial, assim como várias lideranças e entidades está empenhada para cobrar a volta do serviço. “Vamos onde tiver que, se necessário até o governador para reativar esse importante serviço”, comenta.


Parque do Guará

Primeira quinzena/janeiro de 2017 - 6

Justiça freia derrubadas, mas governo quer continuar Depois de décadas de ‘guerra’ judicial entre chacareiros e Executivo, governo dá início a maior derrubada em reserva ecológica no Guará, mas Justiça manda parar, dando início a nova queda de braço Por Zuleika Lopes

O início da operação de retirada dos ocupantes ilegais do Parque Ecológico Ezechias Heringer pela Agencia de Fiscalização do Distrito Federal, Agefis, na segunda-feira (9/1) pela manhã, foi uma grata surpresa para a comunidade do Guará, que há 30 anos luta pela implantação definitiva da unidade de conservação ambiental. O Governo de Brasília acredita que a operação acontecerá no prazo de 30 dias e a presidente da Agefis, Bruna Pinheiro, informou que todos foram notificados e as medidas jurídicas para cercar a operação de toda legalidade possível foram elencadas pelo governo. Serão devolvidos 5 milhões e meio de metros quadrados de áreas públicas ao Guará. Mesmo assim, o entusiasmo agora é cercado de mais mistérios e desafios. Depois do sucesso inicial, na última quinta-feira (12/1), a Justiça mandou parar as derrubadas. O pedido partiu da Defensoria Pública do DF à Vara do Meio Ambiente e foi deferido pelo juiz Carlos Frederico Maroja de Medeiros. A Procuradoria-Geral foi notificada da decisão. Com isso, todo o sucesso da operação pode ficar comprometido. Não há informações divulgadas se o pedido de embargo das derrubadas partiu de ação dos chacareiros ou não. O governo diz que vai recorrer da decisão, e quer continuar a desafetar o parque. Na manhã da mesma quinta, a reportagem do Jornal GuaráHOJE/Cidades flagrou uma equipe do governo fazendo manutenção na cerca do parque. A promessa do governo é refazer toda a cerca da reserva e implementar melhorias no local assim que conseguir retirar os chamados irregulares que ali se encontram. O chamado Biólogos, ambientalistas, agentes ambientais, líderes históricos da luta pelo parque ecológico, jornalistas e lideranças comunitárias foram convocados para receberem à boa nova por parte dos órgãos ambientais diretamente envolvidos no processo de desocupação e implementação do Ezechias. A coletiva de imprensa aconteceu no Setor de Indústrias e, logo a seguir, a reunião com o movimento ambientalista da cidade, no parque ecológico, como forma de respeito e compensação pela luta constante dos moradores com o intuito de resgatar a área para o acesso de todos. Na ocasião, Jane Vilas Boas, presidente do Ibram, convocou a todos para que realizem um mutirão de limpeza no parque

Ação teve início nos fundos do SOF Sul, mas Justiça deve ‘travar’ trabalhos e nas margens do Córrego Guará, como forma de conhecer, também, as áreas mais degradadas por anos e anos de ocupações irregulares. “O SLU irá recolher tudo o que conseguirmos juntar em montinhos”, disse Jane. A retirada foi iniciada pela área localizada atrás do shopping Casa Park e irá adentrando ao parque. Para que a população do Guará usufrua do parque com total conforto, o mirante será reformado e recuperado; uma passarela de acesso ao ParkShopping será construída por dentro do Ezechias, logo após a revisão do Plano de Manejo; construção de um amplo orquidário e do museu Ezechias Heringer, biólogo que dá nome à unidade de conservação por seu trabalho intenso de descoberta das orquídeas raras no local; após o cerceamento pela Terracap serão instaladas 30 placas de identificação, doadas pela Novacap. Duas empresas já foram elencadas para fazer a destinação de compensação ambiental com verbas para serem implantados novos equipamentos e na reconstrução da área degradada no parque ecológico. O deputado Rodrigo Delmasso (Podemos) relatou aos presentes sua determinação em atender o pedido dos

moradores pela retomada do Parque do Guará. “Sou um deputado de primeiro mandato e assim que assumi já fui questionado pela imprensa local sobre o porquê da demora da retirada dos ocupantes ilegais. Hoje é um dia histórico. Sabemos que haverá traumas. Felizmente, nós ainda temos pessoas que cumprem as leis. Não pode haver ocupação em área ambiental. É o que o Governo de Brasília está fazendo. No parlamento, lutei pelo aumento da área do parque e pelo seu cercamento. As unidades de conservação do Guará, tanto o Ezechias, o Denner, o JK e a Rebio precisam de recursos para serem socializadas, por isto coloquei emendas para tal. Precisamos de uma passarela digna para que o Ezechias não fique isolado da população e que os frequentadores cheguem a pé ou pedalando. Outra grande novidade a ser implementada através de emenda parlamentar de minha autoria é 54 mil m2 de calçadas de acessibilidade em toda a cidade”, esclareceu o deputado. Estiveram no Guará a presidente da Agefis, Bruna Pinheiro, a presidente do Ibram, Jane Vilas Boa, o secretário-adjunto da Secretaria de Meio Ambiente, Cássio Azevedo, o administrador do Guará, André Brandão, e o deputado Rodrigo Delmasso.

O QUE DIZEM OS AMBIENTALISTAS Adholpo Fuíca Estamos como crianças que ganhamos os primeiros brinquedos. Sabemos como a retomada deste espaço é importante para as futuras gerações. Nunca largamos esta briga. Só tenho duas preocupações: com as fossas negras, precisamos tomar muito cuidado ao adentrar quando a área for desocupada, e com os animais de pequeno porte que sempre ficam sem abrigos quando há uma remoção em ocupações ilegal. São gatos, cachorros, papagaios, porcos, galinhas etc que precisam de um abrigo. Não tínhamos acesso à área mais bonita da flora local, com raras e ricas orquídeas No mais, o Governo de Brasília e os órgãos envolvidos estão de parabéns. Professor Klecius Vamos acreditar que a retirada realmente se concretize. Foram anos de luta que concretizou com a formação do Fórum em Defesa do Parque do Guará e Rebio o que motivou o governo criar uma comissão com membros da comunidade e representantes de órgãos ambientais para debater a melhor forma de retomada. Esperamos que não seja esquecido o trabalho da comissão que está tudo documentado no Ibram. Inclusive, reiteramos que a perda da área 28 A, ao lado do Parkshopping, deverá ser compensada com a construção de um hospital de grande porte no Guará. A população está envelhecida. Severino Marques Meu coração está em festa. Anos de luta recompensada. Vamos de fato poder utilizar o Parque Ezechias com mais trilhas ecológicas. Recuperar o Córrego Guará e cuidar da nossa Reserva Biológica tão degradada pelas invasões. Já fizemos de tudo para ter nosso parque de volta. Realmente é uma grata surpresa para nós moradores pioneiros. André Brandão- Assumi a administração regional em 2015 e sempre recebi pessoas da comunidade nos cobrando uma atitude com relação à retirada dos ocupantes ilegais. Então, hoje, é um dia de resgate para nossa comunidade. Trabalhando junto com os órgãos de governo para que este dia chegasse. Está aí a resposta a todos que eu pedi um pouco de calma e paciência.


Entrevista/Márcia de Alencar

Primeira quinzena/janeiro de 2017 - 7

“Nossos presídios estão sob controle e há vários avanços” Arquivo pessoal

Depois da onda de mortes em prisões pelo país, a secretária de Segurança Pública do DF afirma que situação local é mais tranquila. Ela ainda anuncia a chegada de tornozeleiras eletrônicas para monitoramento

ria com 400 vagas; Inauguração do Bloco da Penitenciária Feminina do Distrito Federal com 400 vagas - sistema com vagas excedentes; Criação do CED 01 (Centro de Ensino do Sistema Penitenciário) pela Secretaria de Educação responsável pelas políticas de educação dos custodiados; aprovação, pela Vara de Execuções Penais, da Portaria n° 010/2016 que regulamenta a remissão de pena pela Leitura no sistema penitenciário do Distrito Federal

des penitenciárias concursados aguardando apenas o curso de formação. Aquisição de solução de biometria para fiscalizar a entrada e saída de internos que têm benefício de saída para trabalho no Centro de Progressão Penitenciária. Aquisição de cadeiras de rodas para adultos, obesos e banho, visando atender à saúde dos internos e visitantes, portadores de deficiência de locomoção, a serem utilizadas dentro das Unidades Prisionais do Distrito Federal.

Com relação às estruturas físicas das unidades prisionais? Inauguramos em 2016 um novo bloco no Presidio Feminino da Colméia que ampliou o número de vagas e propiciou melhores acomodações às detentas. Inauguração de ala de berçário na Penitenciária Feminina do Distrito Federal. Atualização de Portarias disciplinando a Operação Guardiã (em caso de greve) e a Operação Dragão (em caso de fuga e rebelião); Para 2017, está prevista a Reforma das Unidades Prisionais (Centro de Detenção Provisória – CDP – Bloco I, CPP, CIR, ATP e acessibilidade das unidades), bem como a Abertura da Fábrica de Chinelos; Ampliação e reforma do banheiro feminino de visitantes do Centro de Internamento e Reeducação – CIR. Em 2018, estão previstas a construção da PDF III (Regime Fechado da Papuda), com 800 novas vagas e a construção de Centro Integrado de Atenção Psicossocial ao Paciente Judiciário.

Para 2017, o que haver�� de novidade no sistema prisional do DF? A grande novidade é a Central Integrada de Monitoramento das Alternativas Penais a ser implantada com a aquisição de seis mil tornozeleiras, que possibilitará o monitoramento eletrônico dos apenados. Já temos 900 agentes de ativida-

Como são tratadas atualmente as famílias dos detentos? Implantação do projeto “senha on-line” que melhorou a comodidade de acesso de visitantes nas unidades prisionais; Implantação de posto de atendimento no “Na Hora” do Riacho Fundo para cadastro de visitantes; Implantação do Projeto “Mãos dadas” que tem

Os agentes de atividades penitenciárias já obtiveram melhores condições de trabalho? Sim. Não poderíamos deixar de contemplar os agentes de atividades penitenciárias que estão no dia a dia dentro dos presídios. Uma atividade essencial para a paz e a ordem dentro das unidades prisio-

Por Zuleika Lopes

Sempre relegados nas políticas públicas governamentais em todo país, a massa carcerária começou o ano de 2017 com uma série de rebeliões que chamaram a atenção da imprensa nacional e internacional. Para mostrar que não estão de brincadeira e querem ser ouvidos, optaram por sacrificar detentos à pena de morte para serem atendidos em suas reivindicações por melhorias como a diminuição da superlotação nos presídios, que a cada ano aumenta mais, e as condições insalubres, que a grande maioria sobrevive na cadeia. A reportagem do GuaráHOJE/Cidades foi ouvir a secretária de Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar, para saber se, no Distrito Federal, que possui cerca de 15 mil apenados, a um custo de R$ 450 milhões em 2016 e com déficit de vagas no Complexo da Papuda (cerca de sete mil) e da Colmeia (com lotação de 708 e vagas 942), pode ocorrer uma rebelião das proporções que ocorreram nos estados do Amazonas e Roraima, com centenas de mortes. GuaráHOJE/CidadesQuais são as metas alcançadas para prevenir os motins e rebeliões? Márcia de Alencar-Desde que assumimos a Secretaria de Segurança Pública, em 2015, optamos por implementar medidas que façam com que os custodiados e suas famílias tenham o tratamento mais digno possível na atual condição em que se encontram. Hoje, temos cerca de 15 mil sob custódia do Estado e dois grandes presídios. O Complexo da Papuda, no Jardim Botânico e o Presídio Feminino da Colmeia, localizado no Gama. Em 2017, serão geradas mais de três mil vagas com os apenados entrando através do regime de Sistema de Prisão Provisória e de Regime Semiaberto. Inauguração do Bloco 6 do Centro de Detenção Provisó-

como finalidade o aproveitamento de custodiados do Centro de Progressão Penitenciária que ainda não estejam com emprego formal, na execução de obras públicas no Distrito Federal; Criação de linha de ônibus exclusiva para o Complexo da Papuda, saindo de Ceilândia e Samambaia, permitindo maior locomoção de visitantes ao sistema penitenciário.

“No DF, comunidade carcerária e familiares têm tratamento mais digno”

nais: Publicação do Decreto que regulamentou a nova identidade funcional da carreira de atividades penitenciarias; aprovação da Lei Distrital n° 5783/2016 que ampliou as atribuições da carreira de atividades penitenciárias e corrigiu problema voltado para a dedicação exclusiva. Com relação à comunicação externa dos presos? Há revistas permanentes nas unidades prisionais realizadas pela Diretoria Penitenciária de Operações Especiais. Na semana passada foram apreendidos 60 celulares no Centro de Progressão de Penas, localizado no Setor de indústrias, onde os apenados cumprem o regime semiaberto, além de drogas e armas brancas. É um trabalho contínuo de vigilância. Qual o balanço que faz em relação a sua gestão à frente da Secretaria e os possíveis novos desafios? Avalio que, neste primeiro ano de gestão, consolidamos o diálogo como ferramenta de gestão do Pacto pela Vida, seja com a criação do Comitê de Pacificação focado nas 151 manifestações que ocorreram na Esplanada e seja com a criação do Conselho Distrital de Segurança Pública, formado por 40% de agentes do estado 60% de representantes da sociedade civil. Iniciativas inéditas, ampliando o conceito de segurança pública como ações articuladas entre as polícias, órgãos públicos e comunidade. Para 2017, o desafio é a implantação dos projetos estruturadores do Programa Integrado de Segurança Inteligente e dos projetos sociais do Programa Cultura de Paz para materializar os acordos firmados nestes dois anos do Governo de Brasília.


Lágrimas por uma cidade melhor Posse do novo prefeito da cidade do Entorno mais próxima do Plano Piloto, Valparaíso de Goiás, é marcada por emoção, presença de deputados de Goiás e da capital federal e promessa de mudanças para uma população carente de quase tudo Fotos e texto: Amarildo Castro

Em salão lotado, no clube esportivo Celefa, no bairro Jardim Céu Azul, o novo prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró, tomou posse no último dia 1o, ao lado de vários secretários, lideranças locais, além dos deputados que representam o Distrito Federal, Rodrigo Delmasso (Podemos), Izalci Lucas (PSDB) e da secretária de Cidadania de Goiás, Lêda Borges, além de uma multidão de moradores. A posse foi marcada por muita emoção por parte do novo prefeito, que foi às lágri-

mas durante dois momentos, ao lembrar dos pais já falecidos, José Bezerra Lopes e Maria Marluce Correia Lopes. Também se emocionou ao abraçar os avós, Dona Alzira Lopes e senhor Luiz Bezerra, que foram ao evento como convidados vip, recebidos com flores por Mossoró e pela organização. O evento serviu ainda para a posse dos 13 vereadores eleitos para o mandato de 2017 a 2020 na Câmara Municipal de Valparaíso de Goiás. A solenidade foi comandada vereador reeleito Elvis Santos (SD). Ao discursar, Mossoró mais uma vez evocou a pre-

sença de Deus em seu trabalho como político destacou a importância de sua equipe para a campanha vitoriosa no último mês de outubro, além da companhia inseparável da deputada licenciada Lêda Borges, uma das responsáveis direta pela sua vitória. Agradeceu ainda os mais de 27 mil votos que recebeu da população. Na prefeitura, Mossoró garantiu que seu governo tem pelo menos três prioridade de emergência, que são a segurança, a limpeza da cidade e a área de saúde, comandada pelo médico Leonardo Esteves Ramos, de 37 anos. Em depoimento ainda durante o evento, Leo-

nardo, que mora no DF, mas foi cedido à Secretaria de Saúde de Valparaíso com 50% dos vencimentos de um secretário, disse que pretende sua principal proposta, já em caráter emergencial é organizar a Casa o mais rápido possível e regularizar a documentação do Hospital do Jardim Céu Azul junto ao Cadastro Nacional dos Serviços de Saúde e informatizar todo o sistema de saúde em 150 dias. Desafios dos primeiros dias Atendendo a uma média de quase 100 pessoas por dia nesse primeiro momento do novo governo, o prefeito já começou

a se deparar com o tamanho do desafio que tem pela frente. Na pasta da Saúde, por exemplo, já foram dectadas fala de medicamentos e até atraso nos salários de médicos, além de computadores que não funcionam. Por isso, Mossoró já elaborou um documento para a compra emergencial dos medcamentos que estão em falta. Além disso, já destacou uma equipe para a realização da limpeza da cidade. Mas o desafio só aumenta porque a em época de chuvas o mato cresce diariamente e nesse quesito a gestão anterior em nada colaborou, deixando a cidade suja.


1a quinzena/janeiro de 2017 - 10/11

Com ficou a Mesa Diretora da Câmara Muncipal de Valparaíso de Goiás

Ao lado de vereadores e convidados Mossoró exibe mais uma vez a diplomação antes da posse

O novo prefeito ao lado de sua aliada Lêda Borges, braço direito na campanha e assim deve ser durante todo o seu mandato

Mossoró com a vice, Dra Zeli, deputado Izalci e Lêda Borges

O deputado distrital Rodrigo Delmasso também marcou presença na posse

O presidente da Associação Comercial de Valparaíso, Joaquim Barbosa e Vanderli Fernandes também marcaram presença

Mossoró recebe o carinho dos avós, homenageados durante a posse por ele e sua equipe

Prefeito reservou pelo menos meia hora para atender pedidos dos fãs para uma foto

Se depender da base na Câmara Municipal, o novo prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró tem tudo para fazer um bom governo. Em uma disputa sem susto, ainda no dia 1º de janeiro, o vereador Alceu do Alternativo (PSDC) venceu com nove votos a eleição para a presidência da Casa no último domingo (1/1). Ele concorreu com o vereador Professor Silvano (PT), que obteve quatro votos. Segundo algumas lideranças experientes da cidade, que preferiram o anonimato, o cargo para a presidência foi definido antes mesmo da votação, pois entre os vereadores já havia um consenso de que oito apoiariam a eleição de Alceu. Silvano ainda tentou, em vão, convencer os colegas, exigindo tempo para explicar suas propostas e pedir o voto dos parlamentares, mas no fim, somente Elvis (SD), Paulo Galego (PPL) e Nerivaldo Agiliza (PR) escolheram o nome de Silvano. Morador da cidade há 21 anos, Alceu tem 37 anos, atualmente vive no bairro Cruzeiro do Sul, é casado, tem uma filha e uma longa história na cidade. Foi um dos fundadores do transporte alternativo em Valparaíso, além de formar um grupo político forte. Alceu promete dar continuidade ao trabalho da antiga gestãop e instalar um elevador na Casa.

Vereadores base ou tendem a colaborar com Pábio Mossoró

Prefeito faz boa base na câmara

Presidente Alceu do Alternativo (PSDC)

Vice-presidente Ferreira (PP)

Primeiro secretário Brandão (PTB)

Segunda secretária Prof. Elenir (Pros)

Terceiro secretário Flávio Lopes (PP)

Quarta secretária Maria Neide (PSDB)

Zé Antônio (PMDB)

Zeca (Solidariedade)

Maria do Monte (PSDB) ganhou vaga de secretária no Governo Mossoró

Vereadores de oposição declarada

Paulo Galego (PPL)

Prof. Silvano (PT)

Elvis Santos (Solidariedade)

Nerivaldo Agiliza (PR)

O secretariado do Governo Mossoró

Em discurso muito bem afinado, o novo presidente da Acivalgo prometeu empenho junto ao comércio

PLÁCIDO CUNHA Secretário de Governo

ANTÔNIO REIS Secretário de Infraestrutura

Nascido em Buriti dos Lopes - Piauí, Plácido migrou para o então “Distrito de Valparaizo” em 1985. Já foi vereador e apoiou a campanha de Pábio Mossoró.

Trabalhou na antiga gestão, mas saiu por descordar da forma de trabalho. Desistiu da campanha para prefeito para apoiar Pábio Mossoró. É conhecedor da cidadade.

RAFAEL VIANA Secretário de Meio Ambiente e Agricultura Promete descentralizar as licenças ambientais e implantar na cidade a coleta seletiva, além de recuperar as nascentes.

JIORDAME BARBOSA Secretário de Desenvolvimento Econômico (interino) Ligado à ala mais jovem da cidade, quer trazer um novo conceito, valorizando o comércio local.

RICARDO VIANA Secretário de Cultura Morador da cidade desde 1992, faz questão de destacar seu casamento com Vanessa Dutra, com quem tem três filhos. Viana promete uma revitalização completa na sua área.

MARIA DO MONTE Vereadora, está à frente da Secretária de Desenv. Social É do mesmo partido de Mossoró e está muito bem alinhada com o atual governo.

DR. LEONARDO Secretário de Saúde Jovem, mas experiente, já trabalhou na Saúde no Governo Lêda Borges. Ele promete revitalizar a basta, colocar salários em dia e informatizar unidades de saúde.

ROSÂNGELA PALÁCIO Secretária de Administração Moradora da cidade há 20 anos, diz que ainda continua fazendo trabalho de transição, e depois organizar sua pasta.

RUDILENE ALVES Secretária de Educação

MILTON DOS REIS Secretário de Finanças

Professora há 27 anos, e moradora da cidade há 30, quer dar mais treinamento aos professores.

Aos 45 anos, diz que o desafio é recuperar a credibilidade da prefeitura. Promete organização para sua pasta.

No controle do Ipasval está Patrícia da Silva Estevão, a qual a reportagem não teve acesso.


Região Metropolitana

Primeira quinzena/janeiro de 2017 - 12

Fotos: Amarildo Castro

O prefeito Pábio Mossoró ao lado do sócio-diretor da Crédito Brasileiro, Gilson: “precisamos de gente assim”

Os diretores com a equipe: unidade planeja triplicar número de funcionarários até o fim do ano

Loja tem parceria com vários órgãos e programas, como o Goiás Fomento, do Governo de Goiás

Crédito Brasileiro chega a Valparaíso de Goiás Proposta de nova loja de crédito na cidade visa fomentar comércio e colaborar no seu desenvolvimento Por Álvaro Pereira

“Ganha eu, ganha você”. Com esta frase o sócio-diretor da Crédito Brasileiro, Gilson Anderson De Carli, abriu o seu discurso de inauguração da mais nova loja desse segmento de fomento ao crédito em Valparaíso de Goiás. Na inauguração da empresa, localizada na quadra 10, lote 5, na Etapa A da cidade, que contou com a presença do prefeito Pábio Mossoró (PSDB), De Carli disse que no total as lojas da Crédito Brasileiro já somam mais de 100 em todo o país. Em Valparaíso, esta é a primeira do grupo, que conta com outras unidades em Santa Maria e entorno. O diretor adianta ainda que tem intenções em expandir com mais unidades no DF e cidades vizinhas. Com cinco funcionários, além dos diretores, a empresa inicia suas atividades agregando mais de 300 produtos financeiros para a comunidade. “Aqui temos crédito pessoal tanto para pessoas adimplentes quanto para as negativadas”, anuncia. Gilson explica também que há uma gama de serviços para consignados, sejam do setor público, sejam do privado. O que inclui servidores municipais, estaduais, federais e até para quem trabalha na iniciativa privada. Para o setor empresarial, o diretor comunica que há disponibilidade para capital de giro, seguros de vida, casa, carro, seguro de responsabi-

lidade civil, consórcios para carro, terreno e financiamentos e refinanciamentos de imóvel. “Temos todos os produtos necessários para quem precisa de apoio na área de fomento e empréstimo”, diz acrescentando que a meta do grupo em curto e médio prazo é triplicar sua equipe, já que passará a trabalhar com parceria do governo estadual em programas como FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) e a Goiás Fomento, ambos voltado ao empresariado. Prefeito elogia iniciativa Presente no evento, o prefeito Pábio Mossoró, disse que a vinda da Crédito Brasileiro representa um grande ganho para a cidade, que será beneficiada com os serviços da empresa, que, além de gerar, inicialmente, cinco empregos diretos, trará outros benefícios para o município. Já o presidente da Associação Comercial e Industrial de Valparaíso (Acivalgo), Joaquim Barbosa, presente na ocasião, lembrou que a instituição que preside está à disposição do comércio local para apoiar as iniciativas que tragam benefícios para a cidade. O ato de inauguração da mais nova unidade do grupo contou ainda com as presenças de secretários do governo local, do vereador Ferreira, vice-presidente Câmara Municipal de Valparaíso de Goiás, além de diretores da empresa, lideranças municipais e populares.

Diretores da Acivalgo e o vereador Ferreira, vice-presidente da Câmara Muncipal de Valparaíso: discursos

Quer ganhar um dinheiro extra. Venha vender Crédito? Saiba como participar do Ganha, Ganha, Ganha. 61-3612-1652 valparaiso.go@creditobrasileiro.com.br

61-98164-5848. 61-99341-9333 WhatsApp.

A inauguração ocorreu com muitas expectativas

Temos todos os produtos necessários para quem precisa de apoio na área de fomento e empréstimo” O secretário de Governo, Plácido Cunha (D), prestigiou evento, na foto acompanhado pelos sócios da Crédito Brasileiro, Maico Weiss (C), diretor de operações e Gilson De Carli

Gilson Anderson De Carli

sócio-diretor da Crédito Brasileiro, unidade Valparaíso de Goiás


Coluna da Zu

1a quinzena/janeiro de 2017 - 13

Por Zuleika Lopes (Colaboração: Amarildo Castro)

NÚCLEO BANDEIRANTE Senador cria grupo de Zap na cidade O mais novo grupo de whatsapp criado no Núcleo Bandeirante pelo senador Hélio José (PMDB) tem movimentado a rede social das cidades adjacentes como Candangolândia, Núcleo Bandeirante, ParKWay e Riacho Fundo I. Estão no grupo personalidades históricas e pioneiras das cidades, como Danúbio Martins, ex-administrador do Ban Ban e um dos organizadores do DIZ AÍ Núcleo Bandeirante, que ocorrerá dia 18 de fevereiro, um sábado pela manhã, onde os moradores terão a oportunidade de reivindicar suas demandas por infraestrutura urbana, educação, saúde, segurança e cultura.

Estrela que brilha O Guará tem entre seus filhos diversas pessoas que se destacam no cenário artístico e musical tanto no Distrito Federal como no país. A atriz Gabriela Correa, criada na cidade ao lado de seus pais Eunice Sousa e Carlos Correa Filho, será uma das protagonistas, a partir de abril, do musical, Eu Vou Tirar Você Deste Lugar, com músicas que foram sucesso na voz do cantor Odair José, ao lado da cantora Watuse, em todas as cidades que possuam teatro do Sesc-DF. O ano passado foi indicada ao prêmio de melhor atriz pela peça Otello. Um orgulho para sua família e para nós, guaraenses.

Igreja em festa Passar na primeira tentativa de vestibular na Universidade de Brasília é o sonho de dez entre dez jovens do DF. Com apenas 18 anos, Greyce Kelly Araújo conseguiu este feito ao ser aprovada para Comunicação Social em 2017. Ela é membro da Igreja Assembleia de Deus na QE 40 e sempre estudou na Rede Pública de Ensino do Guará. Sua última unidade escolar foi o CED 01. Exemplo de tenacidade e da educação familiar e religiosa que recebeu de seus pais.

Psicoterapia grátis Estão abertas inscrições para psicoterapia pela Oscip Inasp para as seguintes temáticas: obesidade, depressão, prevenção ao suicídio, vítimas de assédio moral no local de trabalho, de casal. Mais informações no telefone: 61 984424209, com Dalzi Neres.

Endereçamento precário

Já fez tempo que as autoridades locais não falam mais sobre a precariedade das placas de endereçamento no Guará. E aí, não seria uma boa demanda para os deputados?

O ‘não’ encabeçado pela oposição ganhou coro da base governista e até Juarezão fovou contra o aumento

Câmara ‘desaprova’ aumento das passagens A Câmara Legislativa derrubou, na tarde da última quinta-feira (12), o Decreto nº 37.940 do Executivo, que possibilitou o aumento das passagens no transporte público do Distrito Federal. Com 18 votos favoráveis e seis ausências, os parlamentares impuseram mais uma derrota ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB), que antes da votação, já tinha sinalizado que entraria na Justiça contra a decisão do Legislativo. De acordo com o deputado Raimundo Ribeiro, que foi relator da CPI dos Transportes, comissão que apontou inúmeras falhas no processo licitatório do transporte público na capital federal, caso o governador tivesse acatado as sugestões propostas pelo relatório da comissão, que sugeriu – entre as melhorias na eficiência do transporte – o equilíbrio econômico, Brasília teria, hoje, condições de ter as tarifas reduzidas ao invés de reajustadas. Agora o governo promete recorrer na Justiça para manter o aumento. É mais uma queda de braço...


Negócios Fotos: Amarildo Castro

Antes tradicional no Guará I, banca de jornal da QI 14 agora está fechada há mais de um ano

Banca da QI 07 mudou radicalmente de atividade e agora ‘dispensa’ qualquer tipo de impresso

Bancas de jornais e revistas estão desaparecendo do Guará Pontos movimentados em outros tempos, especialmente aos finais de semana, os locais exclusivos de vendas de jornais impressos e revistas são um tipo de negócio quase extinto no Guará. Para sobreviverem, gastronomia passou a ser prioridade Por Álvaro Pereira “É difícil, né? Com essa crise, não é fácil para ninguém”. Esse é o comentário comum entre donos de bancas de jornais e revistas no Guará. A extinção desse tipo de comércio é hoje uma realidade no Guará. Se nas décadas anteriores esses pontos ‘reinavam’ com pelo menos um ponto em cada quadra, agora o cenário é de desolação, e maioria já fechou. A diminuição da atividade econômica é mais um item no cardápio dos problemas que o setor enfrenta. É comum ainda os donos desse tipo de negócio culparem a internet e as redes sociais pela retração nas vendas dos impressos.

A aposentada Maria Bentes vê com pesar a mudança de cenário

Fernando Costa, da Banca Santa Bárbara: “Tive que diversificar”

De dezenas de bancas de jornal e revistas que povoavam o Guará não muito tempo atrás, hoje pouquíssimas se dedicam ao comércio dessas

publicações. Antes, na cidade, muitas delas vendiam ainda exemplares de jornais de fora da DF, mas agora, restam apenas duas com esse perfil: uma

na QE 7 e outra na QE 28. No cenário geral, mesmo as poucas que resistem, dividem seu espaço com a venda de outros produtos, acabando por se tornarem lojas de conveniência. A da QE 30 virou tapiocaria, cafeteria e pastelaria. Para não dizer que seja uma banca de jornais e revistas, estão lá alguns poucos exemplares, como vestígio de que ainda seja. E a razão de encontrá-los é simples de explicar: para não sofrer multa por parte da fiscalização, pois segundo a Administração Regional do Guará, o local ainda possui alvará de uma banca de jornal e revista, agregando outros produtos, e caso seja desvirtuado por completo, pode sofrer punição.

Maria Bentes, 60 anos, moradora da QE 32, vê com tristeza essa realidade. A aposentada ainda cultiva o hábito de pelo menos comprar jornal nos finais de semana, mas diz que a tarefa não é das mais fáceis. Ela tem que ir até às proximidades do Edifício Consei ou ir à QE 34 para satisfazer seu hábito. “Sinto falta dos jornais, principalmente dos comunitários que a gente pegava em bancas. Acho que eles têm seu espaço. Os mais jovens preferem as redes sociais, mas os mais velhos ainda não abrem mão do velho e bom jornal”, diz pesarosa. Outra banca, a da QE 32, é uma das poucas que resistem e mantém seu formato tradicional. Maior parte dela dedica


Primeira quinzena/janeiro de 2016 - 14/15 seu espaço ainda aos jornais e revistas. Apenas um pequeno local fica um freezer para venda de sorvetes. Fabrício Leite, 30 anos, morador no Guará I desde 1992, está no local desde 2012, mas diz que nos últimos tempos as vendas despencaram e os clientes fiéis que tinha já não aparecem com frequência, conta o Personal Trainer, que hoje já está prestes a concluir o seu segundo curso universitário, Direito, no qual cursa o 7º semestre. “Este ano vai ficar difícil conciliar com a banca, pois vou começar a estagiar. Antes, já dividia o meu tempo com a atividade de personal. A tendência é me despedir do comércio, pois não dá para sobreviver com as vendas lá embaixo”, diz anunciando sua despedida. Seu horário de funcionamento é de 8 às 17h, de 2ª a 6ª feira e sábado só até meio-dia. Domingo? Ele só quer folga, descansar, pois, afirma, as vendas não compensam. Diversificar para sobreviver Se os tempos são difíceis e a concorrência é feroz, o jeito é ampliar o leque de produtos. Foi o que fez a banca da QE 7, a Santa Bárbara, no Guará I. Seu dono, Fernando Costa Lopes mantém seus jornais, acrescidos com os de fora do DF. Sua banca e uma da QE 28 são as únicas que ainda vendem jornais de outros estados. Fernando está estabelecido na quadra desde 2006 e conta que de três anos para cá, com a concorrência da internet e a baixa atividade econômica, decidiu diversificar a venda de produtos. Lá o consumidor encontra sandálias de dedo, brinquedos, cosméticos, vasilhas de plástico, livros, acessórios para celular e até lâmpadas

Na banca da QE 32, dono mantém padrão tradicional, mas não abre diariamente

Led. “Tinha que diversificar para não falir”, resume. Já a da QI 7, também no Guará I, sua proprietária de nome Daniela (sobrenome não informado), que não estava no comércio, a funcionária que atendeu à reportagem disse que a dona quase não fica ali, e só vem para trazer o produto que vende: açaí. É isso mesmo. De banca virou lanchonete especializada no comércio de açaí. Depois de muito tempo fechado, esse quiosque, que servia de abrigo para moradores de rua, há dez meses tornou-se loja de açaí. Segundo a funcionária, as vendas vão muito bem. Não há qualquer vestígio de que tenha sido uma banca de jornal algum dia. Lá, não havia durante a visita da reportagem qualquer exemplar de jornal ou revista. A reportagem ainda tentou falar com a dona, mas a funcionária não quis dar o número dela. A equipe insistiu e ainda deixou um cartão para contato, mais uma vez sem sucesso.

No entanto, Administração Regional do Guará, por meio de sua assessoria de imprensa, esclarece que tem conhecimento sobre a situação da banca da QI 07 que vende açaí. O órgão já solicitou aos proprietários a complementação de jornais e revistas. “A banca possui autorização conjugada, isto é, onde é permitida, além da venda de jornais, outros tipos de produtos. A Administração se encontra em fase de conclusão do Plano de Ocupação para trailers, quiosques e bancas de jornais da região administrativa. Após a sua finalização, será encaminhado à Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação (Segeth) para a emissão de novos termos e licenças com as atividades específicas. Ao todo, vinte e uma bancas no Guará possuem atividades conjuntas. Alterações ou novas inclusões só poderão ser realizadas após o Plano de Ocupação”, informa a assessoria através de e-mail ao Jornal GuaráHOJE/Cidades.



Pdf ed 188