Page 33

As duas principais fontes de macronutrientes que fornecem energia para a ressíntese de ATP são: (1) glicogênio muscular e hepático; e (2) triglicerídios dentro do tecido adiposo e do músculo ativo. Em um grau menor, os aminoácidos dentro do músculo esquelético doam esqueletos de carbono (desaminados) para serem processados no metabolismo energético. A Figura 5.2 mostra um esquema generalizado da contribuição relativa de carboidratos, gorduras e proteínas para o metabolismo energético em indivíduos adequadamente nutridos durante o repouso e em várias intensidades de exercício. Essa ilustração não mostra as alterações consideráveis que ocorrem na mistura

2 a 5%

5 a 8%

90 80

35% 40%

70 60 95%

70%

50 40 60%

30

55%

20 10

15%

ou

so

0

Proteína

le E ve x -m erc od íc er io ad o Ex e ve r al lo cíc ta ci io in da de te de ns d id e ad Ex e en erc al du íc ta r io in an de te ce ns d id e ad e

3%

ep

os íons hidrogênio (H+) que se dissociam do ácido láctico, e não o lactato dissociado (La–), representam o principal problema para o corpo. Em níveis normais de pH, o ácido láctico é dissociado completamente quase de imediato em H+ e La– (c3H5o3–). não ocorrem muitos problemas se a quantidade de H+ livre não exceder a capacidade corporal de tam_ ponamento e de manter o pH em um nível relativamente estável. o pH diminui quando a produção excessiva de ácido láctico (H+) excede a capacidade corporal de tamponamento imediato. ocorre desconforto e o desempenho diminui quando o sangue se torna mais ácido.

2 a 5%

R

Ácido láctico e pH

2%

100

Percentual de contribuição

maior parte das atividades físicas é abastecida por mais de um sistema energético, dependendo de suas intensidades e durações. Atividades com intensidades mais elevadas e durações mais curtas contam mais com a transferência energética anaeróbica.

Glicose + Glicogênio

Gorduras

Figura 5.2 ilustração generalizada da contribuição dos macronutrientes carboidrato (verde), gordura (laranja) e proteína (amarelo) para o metabolismo de energia no repouso e durante exercícios de intensidades variadas.

metabólica (aumento da degradação de proteínas e gorduras) durante o exercício prolongado e intenso com depleção concomitante das reservas de glicogênio hepático e muscular. As seções a seguir discutem a contribuição energética específica de cada macronutriente durante o exercício e as adaptações no uso desses substratos que ocorrem com o treinamento.

MoBiLizAção E uso dE cArBoidrATos durAnTE o ExErcício O fígado aumenta marcantemente a liberação de glicose para uso pelos músculos ativos conforme o exercício progride de baixa para alta intensidade.9,58 Simultaneamente, o glicogênio armazenado dentro do músculo age como a principal fonte energética de carboidratos durante os estágios iniciais do exercício e durante o aumento da intensidade do exercício.21,43,50,53 Em comparação com o catabolismo de gorduras e proteínas, os carboidratos permanecem como a fonte energética preferencial no exercício aeróbico intenso, porque ele fornece ATP prontamente durante os processos oxidativos. Nos esforços anaeróbicos (reações de glicólise) os carboidratos são os únicos fornecedores de ATP. A disponibilidade de carboidratos na mistura metabólica durante o exercício ajuda a regular a mobilização das gorduras e seu uso para a geração de energia.14,15 Por exemplo,

McArdle - CAP 05.indd 157

o aumento da oxidação de carboidratos pela ingestão de carboidratos prontamente absorvidos (com alto índice glicêmico) antes do exercício (com hiperglicemia e hiperinsulinemia associadas) reduz a oxidação dos ácidos graxos de cadeia longa pelo músculo esquelético e a liberação de ácidos graxos livres (AGL) pelo tecido adiposo durante o exercício. Talvez o aumento da disponibilidade de carboidratos (e o aumento consequente de seu catabolismo) iniba o transporte de ácidos graxos de cadeia longa para a mitocôndria, controlando assim a mistura metabólica durante o exercício. Também parece que a concentração de glicose sanguínea constitui um mecanismo de regulação por retroalimentação para a liberação hepática de glicose; aumento na glicose sanguínea inibe a liberação hepática de glicose durante o exercício.24

McArdle | Nutrição para o Esporte e o Exercício. Amostras de páginas não sequenciais e em baixa resolução. Copyright© 2016 Editora Guanabara Koogan Ltda.

157

Capítulo 5 Metabolismo dos Macronutrientes no Exercício e no Treinamento

24/05/2016 16:56:18

Mcardle I Nutrição para o Esporte e o Exercício  

Nutrição para o Esporte e o Exercício foi elaborado com o objetivo de reunir nutrição e exercício, tendo como foco o efeito dessa integração...