Issuu on Google+

Educação de Surdos e Língua de sinais Texto 2 Libras e seus Parâmetros Muitas pessoas acreditam que a Língua Brasileira de Sinais é a Língua Portuguesa feita com as mãos, na qual os sinais substituem as palavras desta língua (ISTO É ERRADO ). Outras pensam que ela é uma linguagem como a linguagem das abelhas ou do corpo, como a mímica. Muitas pensam, ainda, que ela é somente um conjunto de gestos que interpretam as línguas orais. Entre as pessoasque acreditam que Libras é realmente uma língua, há algumas que pensam que ela é limitada e expressa apenas informações concretas, e que não é capaz de transmitir idéias abstratas. Pesquisas sobre as Línguas de Sinais vêm mostrando que estas línguas são comparáveis em complexidade e expressividade a quaisquer línguas orais. Estas línguas expressam idéias sutis, complexas e abstratas. Os seus usuários podem discutir filosofia, literatura ou política, além de esportes, trabalho, moda e utilizá-la com função estética para fazer poesias, estórias, teatro e humor. Possuem nível fonético, fonológico, semântico e morfológico. Como toda língua, as Línguas de Sinais aumentam seus vocabulários com novos sinais introduzidos pelas Comunidades Surdas em resposta às mudanças culturais e tecnológicas. A Libras é a Língua de Sinais utilizada pelos Surdos que vivem em cidades do Brasil onde existem Comunidades Surdas, mas além dela, há registros de outra Língua de Sinais que é utilizada pelos índios Urubus-Kaapor, na Floresta Amazônica. Como toda Língua de Sinais, é uma língua de modalidade gestual-visual porque utiliza como canal ou meio de comunicação, movimentos gestuais e expressões faciais que são percebidos pela visão; portanto, diferencia da Língua Portuguesa, que é uma língua de modalidade oral- auditiva por utilizar, como canal ou meio de comunicação, sons articulados que são percebidos pelos ouvidos. Mas, as diferenças não estão somente na utilização de canais diferentes, estão também nas estruturas gramaticais de cada língua. Ao se atribuir às Línguas de Sinais o status de língua é porque elas, embora sendo de modalidade diferente, possuem também estas características em relação às diferenças regionais, socioculturais, entre outras, e em relação às suas estruturas que também são compostas pelos níveis descritos acima. O que é denominado de palavra ou item lexical nas línguas orais-auditivas é denominado sinais nas Línguas de Sinais. SINAIS Um sinal pode ser articulado com uma ou duas mãos. Um mesmo sinal pode ser articulado tanto com a mão direita quanto com a mão esquerda; tal mudança, portanto, não é distintiva. Pois eles são produzidos pela mão dominante, sendo que sinais articulados com duas mãos também ocorrem e apresentam restrições em relação em relação ao tipo de interação entre as mãos. Os sinais são formados a partir da combinação do movimento das mãos com um determinado formato em um deter- minado lugar, podendo este lugar ser uma parte do corpo ou um espaço em frente ao corpo. Estas articulações das mãos, que podem ser comparadas aos fonemas e às vezes aos morfemas, são chamadas de parâmetros, portanto, nas Línguas de Sinais podem ser encontrados os seguintes parâmetros: 1. Configuração das mãos: são formas das mãos, que podem ser da datilologia (alfabeto manual) ou outras formas feitas pela mão predominante (mão direita para os destros), ou pelas duas mãos do emissor ou sinalizador. Ossinais APRENDER,LARANJAe ADORARtêm a mesma configuração de mão; 2. Ponto de articulação: é o lugar onde incide a mão predominante configurada, podendo esta tocar alguma parte do corpo ou estar em um espaço neutro vertical (do meio do corpo até à cabeça) e horizontal


(à frente do emissor). Ossinais TRABALHAR,BRINCAR,CONSERTARsão feitos no espaço neutro e os sinais ESQUECER,APRENDERe PENSARsão feitos na testa; 3. Movimento: os sinais podem ter um movimento ou não. Ossinais citados acima tem movimento, com exceção de PENSARque, como os sinais AJOELHAR,EM-PÉ,não tem movimento; 4. Orientação: os sinais podem ter uma direção e a inversão desta pode significar idéia de oposição, contrário ou concordância número-pessoal, como os sinais QUERERE QUERER-NAO;IR e VIR; 5. Expressão facial e/ou corporal: muitos sinais, além dos quatro parâmetros mencionados acima, em sua configuração tem como traço diferenciador também a expressão facial e/ou corporal, como os sinais ALEGREe TRISTE.Há sinais feitos somente com a bochecha como LADRAO,ATO-SEXUAL. Na combinação destes quatro parâmetros, ou cinco, tem- se o sinal. Falar com as mãos é, portanto, combinar estes elementos que formam as palavras e estas formam as frases em um contexto. O que é Datilologia, Sinal Soletrado e Soletração Rítmica? Datilologia: É o ato de soletrar qualquer palavra usando o alfabeto manual ou os números em Libras com o objetivo de expressar nomes de pessoas, nomes de lugares e outros nomes de coisas que não possuem um sinal definido em Libras. Ex.: Bruno Rua Rodrigues Alves Micro ondas Sinal Soletrado e Soletração Rítmica: É muitas vezes confundido como sendo a mesma coisa que datilologia. Bem, em parte sim, pois , afinal, envolve expressar algumas palavras que foi emprestada do Português e incorporada na Libras. Normalmente eles são soletrados com uma velocidade diferenciada. Uma soletração rítmica, devido à constância com que são usados. A Soletração rítmica é identificada quando certa palavra é incorporada a Libras, passando a ser considerado sinal soletrado. Ele ganha naturalmente um ritmo e uma forma própria. Ex.: Bar Mal Nunca Pizza Quem Português Sinalizado É a utilização dos sinais extraídos da Libras, inseridos à estrutura da Língua portuguesa. Como não existem na língua de sinais certos componentes da estrutura frasal do Português (preposição, conjunção etc), são criados sinais para expressá-los. Além disso, utilizam-se marcadores de tempo, número e gênero, para descrever a língua portuguesaatravés de sinais. Português sinalizado é o uso simultâneo de fala e de sinais, como se sabe. Entretanto, é concebido erroneamente por muitos educadores como o uso de fala e de língua de sinais. Um exemplo rápido para ilustrar a diferença. A enunciação em língua de sinais da frase "Como o auditório está cheio!...", é completamente diferente da enunciação através do português sinalizado, que forja uma artificialidade e simula a coexistência de dois sistemas lingüísticos, ao mesmo tempo em que não possibilita o entendimento do surdo, ou apenaso faz em grau mínimo. É a transcrição exata do Português para Libras.


VARIAÇÕES LINGÜ ÍST ICAS A LIBRAS É A MESMA EM TODO O PAÍS? Na maioria do mundo, há, pelo menos, uma língua de sinais usada amplamente na comunidade surda de cada país, diferente daquela da língua falada utilizada na mesma área geográfica. Isto se dá porque essaslínguas são independentes das línguas orais, pois foram produzidas dentro das comunidades surdas. A Língua de Sinais Americana (ASL) é diferente da Língua de Sinais Britânica (BSL), que difere, por sua vez, a Língua de Sinais Francesa(LSF).Além disso, dentro de um mesmo país há as variações regionais. A LIBRASapresenta dialetos regionais, salientando assim, uma vez mais, o seu caráter de língua natural. • VARIAÇÃOREGIONAL:representa as variações de sinais de uma região para outra, no mesmo país. MAS Rio de Janeiro SãoPaulo Curitiba

• VARIAÇÃO SOCIAL: refere-se às variações na configuração das mãos e/ou no movimento, não modificando o sentido do sinal. AJUDAR

• MUDANÇASHISTÓRICAS:com o passar do tempo, um sinal pode sofrer alterações decorrentes dos costumes da geração que o utiliza. AZUL

CONFIGURAÇÃODOSSINAIS ICONICIDADEE ARBITRARIEDADE A modalidade gestual-visual-espacial pela qual a LIBRASé produzida e percebida pelos surdos leva, muitas vezes, as pessoas a pensarem que todos os sinais são o desenho no ar do referente que representam. É claro que, por decorrência de sua natureza lingüística, a realização de um sinal pode ser motivada pelas características do dado da realidade a que se refere, mas isso não é uma regra. A grande maioria dos sinais da LIBRASsão arbitrários, não mantendo relação de semelhança alguma com seu referente. Vejamos alguns exemplos entre os sinais icônicos e arbitrários. SINAISICÔNICOS


Uma foto é icônica porque reproduz a imagem do referente, isto é, a pessoa ou coisa fotografada. Assim também são alguns sinais da LIBRAS, gestos que fazem alusão à imagem do seu significado.Isso não significa que os sinais icônicos são iguais em todas as línguas. Cada sociedade capta facetas diferentes do mesmo referente, representadas através de seus próprios sinais, convencionalmente, (FERREIRA BRITO, 1993) conforme os exemplos abaixo : TELEFONE BORBOLETA

SINAISARBITRÁRIOS Sãoaqueles que não mantêm nenhuma semelhança com o dado da realidade que representam. Uma das propriedades básicas de uma língua é a arbitrariedade existente entre significante e referente. Durante muito tempo afirmou-se que as línguas de sinais não eram línguas por serem icônicas, não representando, portanto, conceitos abstratos. Isto não é verdade, pois em língua de sinais tais conceitos também podem ser representados, em toda sua complexidade. CONVERSAR

DEPRESSA

Bibliografia: CAPOVILLA, F. C., & RAPHAEL, W. D. (2001). Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngüe da Língua de Sinais Brasileira. SãoPaulo, SP:Edusp. Castro, Alberto Rainha de; Carvalho, Ilza Silva de.Comunicação por Língua Brasileira de Sinais: Livro Básico Brasília: Editora SENAC-DF, 2005. STROBEL,Karin L. & Fernandes , Sueli (Orgs.). Aspectos Lingüísticos da Libras. WWW.libraslegal.com.br WWW.vezdavoz.com.br


Texto 2 Libras e seus Parâmetros