Issuu on Google+

A utilização de mídias na educação: o rádio como uma alternativa viável

No momento atual da educação, vem se tornando algo tão comum lidarmos com tecnologias de informação e comunicação, sejam elas mais modernas ou mais tradicionais. Não podemos simplesmente esquecermos, ignorarmos ou acharmos desnecessário o uso destas novas tecnologias em nossas aulas, considerando qualquer disciplina. Porém, tão importante quanto o professor dominar a utilização dessas mídias, são os alunos também terem um bom conhecimento das mesmas, mas, este mesmo conhecimento deve transcender o simples usufruto de um aparelho eletrônico. Deve ser aproveitado de uma tal maneira que os educandos enxergue novas possibilidades, explorando diversas funções, dando novas “caras” a trabalhos de escola, por exemplo, no aproveitamento de vídeos, músicas, dentre outras formas. Uma alternativa interessante no âmbito escolar é o trabalho de elaboração de uma rádio na escola. Antes de tudo, sempre é bom contextualizarmos sobre o início do rádio em nossas vidas. Segundo a Wikipedia, o rádio é um recurso midiático das telecomunicações utilizado para propiciar comunicação por intermédio da transcepção de informações previamente codificadas em sinal eletromagnético que se propaga através do espaço. A transmissão se dá por uma estação de radiocomunicação. A estação de radiocomunicação é o sistema utilizado para executar contatos à distância entre duas estações, ela é composta basicamente de um transceptor (transmissor-receptor) de radiocomunicação de uma linha de transmissão e da antena propriamente dita. A este sistema se dá o nome de sistema de irradiante. O termo radiodifusão é uma emissão comercial que ocorre apenas por transmissão de sinais sem sua transcepção. Ainda o próprio site cita que o rádio foi oficialmente inaugurado no Brasil em 7 de setembro de 1922. Com um transmissor de 500 watts, da Westinghouse, no alto do Corcovado, no Rio de Janeiro/RJ, para 80 receptores. O primeiro programa foi o discurso do Presidente Epitácio Pessoa. A Instalação de fato aconteceu aos 20 de Abril de 1923 com Roquete Pinto e


Henry Morize com a "Rádio Sociedade do Rio de Janeiro". Sua programação era para a elite, não para a massa: com ópera, recitais de poesia, concertos, palestras culturais e outros. Os receptores eram caros, importados. Sua finalidade cultural, educativa e altruísta. Mensalidades pagas para quem tinha os receptores, doações. Anúncios pagos eram proibidos. O trabalho com rádio na escola tem se tornado algo eficiente e instruidor, tanto para docentes quanto para discentes. Em São Roque vemos um exemplo interessante, onde a Rádio Coluna FM, do mesmo município, vai até as escolas, onde os alunos irradiam um programa com conteúdos sobre a história do bairro onde moram, a história da escola em que estudam, além de outras apresentações com grande criatividade por parte dos alunos. Existe também em São Roque o “Ponto de Cultura”, uma rádio local realizada pelo Joaquim Carlassara. Ele coloca a rádio no ar diretamente das escolas. Ele foi na EMEF Barão de PIratininga no dia 13 de agosto. Fizemos o estudo do nome e origem do bairro, da escola e a biografia do Barão. Os alunos amaram desenvolver esse trabalho. Foram tantas as contribuições que tivemos que selecionar as melhores. Pude perceber o quanto se envolvem nas atividades, quando são contextualizadas e relacionadas ao seu cotidiano. Ainda há um exemplo de um belo projeto com rádio numa escola estadual

do

Paraná.

No

link

http://www.ebtgetuliovargas.seed.pr.gov.br/redeescola/escolas/5/750/57/arquiv os/File/projeto_radio.pdf veremos bons trabalhos destes alunos. O rádio, sendo um suporte de mídia, cuja a linguagem preponderante é a oral, é de extrema importância para o contexto de ensino aprendizagem por estar afunilado em três aspectos preponderantes: 1) linguístico; 2) históricosocial e 3) cultural (pensando-se em sua importância como mídia - meio de difusão de pensamentos, cultura em sentido amplo e formação de opinião). É um meio de comunicação “do povão”, visto que até os mais carentes Anjos (2009) cita que: “Os aspectos radiofônicos são compostos por sons e palavras que dão asas a imaginação. Ademais, ele pode ter um diferencial, que é o âmbito do sentido. Esse diferencial seria


uma mistura de teorias e sensações que torna o rádio um ótimo instrumento para professores e pesquisadores interessados no ato de comunicar com fins educativos. Nessa linha de pensamento, como inicio, é necessário questionar sobre a razão para educar, já que “a questão não é só do quanto podemos fazer, mas também de como podemos fazê-lo”, e para isso é preciso conciliar a prática e a teoria, sempre se preocupando com o caráter educativo da função comunicativa e o seu caráter político. “ (ANJOS, 2009, p. 1)

Os meios podem ser utilizados também como instrução, informação, formas

de

passar

conteúdos

organizados,

claros

e

seqüênciados.

Principalmente o vídeo instrucional, educativo, é útil para o professor, porque lhe dá chance de completar as informações, reforçar os dador passador pelo vídeo. Eles não eliminam o papel do professor. Antes ajudam-no a desenvolver sua tarefa principal que é a de educar para uma visão mais crítica da sociedade". Moran

Beatriz do Carmo, Cláudia Aparecida H. D. Bom, Damares G. de Oliveira, Elza de F. S. de Camargo, Gualberto Rodrigues de Araujo, Ivone Lopes D'Amico, Mônica Nunes Sayão de Castro, Mariéli P. de O. Cardoso, Miria E. Perpétuo, Nadir F. da Silveira, Rita de Cássia S. Campos e Rodolfo S. Ferreira. PROINFO – Módulo 2 São Roque, 18 de setembro de 2010

Referências ANJOS, Leila dos. O rádio dentro da sala de aula. Disponível em: <http://www.gostodeler.com.br/materia/10006/o_radio_dentro_da_sala_de_aula .html >. Acesso em 14 set 2010.

Disponível em <http://www.radiocolunafm.com.br/>. Acesso em 17 set 2010.


DisponĂ­vel em:<http://www.ebtgetuliovargas.seed.pr.gov.br/redeescola/escolas/5/750/57/ar quivos/File/projeto_radio.pdf > Acesso em 17 set 2010.

DisponĂ­vel em <http://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A1gina_principal >. Acesso em 17 set 2010.


A História do Rádio - Prof. Gualberto