__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

RELATÓRIO

SOCIAL GRUPO MARISTA

2014-2015


Conselho Provincial Ir. Joaquim Sperandio Superior Provincial Ir. Antônio Benedito de Oliveira - Vice Provincial Ir. Délcio Afonso Balestrin - Conselheiro Ir. Jorge Gaio - Conselheiro Ir. Rogério Renato Mateucci - Conselheiro Ir. Tercílio Sevegnani - Conselheiro Ir. Vanderlei Siqueira dos Santos - Conselheiro Ir. Cezar Cavanus Secretário do Conselho

Edição de arte Solange Freitas de Melo Eschipio (PUCPRess) Capa, projeto gráfico e diagramação Rafael Matta Carnasciali (PUCPRess) Infográficos Rafael Matta Carnasciali (PUCPRess)

Superintendente Executivo de Educação, Saúde, Solidariedade e Negócios Suplementares Paulo Serino de Souza

Fotos Cedidas pelas Áreas Corporativas e de Negócio. Banco de imagens do Grupo Marista. Michele Bravos (Programa Ciência e Transcendência – Projeto Tudo de Cor ‘Antes e Depois’). www.champagnat.org

Superintendente da FTD Educação Antonio Luis Rios da Silva

Impressão Gráfica Capital

Setor de Vida Consagrada e Laicato Ir. Antônio Benedito de Oliveira

Apoio Assessoria de Comunicação Institucional Áreas Corporativas e de Negócio

Setor de Pastoral Ir. João Batista Pereira Setor de Economato Ir. Jorge Gaio Setor de Solidariedade Ir. Jorge Gaio Jimena Djauara N. C. Grignani Lilian Juliana Kuwano Buhrer Gerência de Gratuidade Carla Franciele Marcondes Elaine Cristine Brukoski Bestwina Josenice Perrout Trevisani Nuria Aparecida Dias Mendonça Coordenação Editorial Gerência de Gratuidade (Setor de Solidariedade) Preparação dos Textos e Revisão Gerência de Gratuidade (Setor de Solidariedade) Grão Social (Larissa Portes) Revisão Ortográfica Grão Social


AGRADECIMENTOS

Às Áreas Corporativas e de Negócio, que contribuíram com o envio dos programas, projetos e ações desenvolvidos em suas áreas. Às crianças, adolescentes e jovens, famílias e comunidades, protagonistas da trajetória de solidariedade Marista. Aos colaboradores, que exercem a reflexão e a prática social e educativa, na perspectiva de que seus esforços irão contribuir para melhorar a condição dos sujeitos de direitos e para a construção de um mundo mais justo e digno. Aos Irmãos, Leigos e Leigas, em manter vivo o sonho de Champagnat, empenhados a continuar a trajetória Marista e alcançar pessoas dispostas a transformar o mundo por meio do amor inspirado em Jesus Cristo e Maria, a Boa Mãe.


LISTA DE SIGLAS

ABEC AMECIM APC CEDAC CEDCA-PR CEFURIA CMAS CMDCA CMJ CMS CNJ CNPq COMDEC CONANDA CPES CPV DAPS DCA DDHO DEPEN EF EI EM FAO FMSI GIFE GSU GTAUNE HMAM HSCC HUC IC ISCMC ISP

Associação Brasileira de Educação e Cultura Associação de Moradores e Empresários do Centro Industrial Mauá Associação Paranaense de Cultura Comunidade Educativa Conselho Estadual dos Direitos da Criança e Adolescente do Paraná Centro de Formação Urbano-Rural Irmã Araújo Conselho Municipal de Assistência Social Conselho Municipal de Direitos da Criança e Adolescente Conselho Municipal de Juventudes Centro Marista de Serviços Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Coordenadoria Municipal de Defesa Civil Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente Centro Público de Economia Solidária Circuito Projeto de Vida Desenvolvimento Acadêmico, Pessoal e Social Direitos das Crianças e Adolescentes Diretoria de Desenvolvimento Humano e Organizacional Departamento de Execução Penal Ensino Fundamental Educação Infantil Ensino Médio Organização das Nações Unidas Para Alimentação e Agricultura Fundação Marista de Solidariedade Internacional Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Governors State University Grupo de Trabalho de Apoio ao Universitário com Necessidades Especiais Hospital Maternidade Alto Maracanã Hospital Santa Casa de Curitiba Hospital Universitário Cajuru Iniciação Científica Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba Investimento Social Privado


LGBT LOAS MChFM MEC MJ MSM NDH OAB OCA ODH OMS ONG’s ONU PcD PEM PFP PFVM PIBIC PIBIC Jr PIBID PjBL PJM PMBCS PNE PNUD PPGDH ProUni PUCPR RMC RMS SAREH SEEDS´ Game Jam SEJU SENAD SMI SNJ SUS SVCL TECPUC TICs TJ UCE UFPR UFSC UMBRASIL UNESCO UNICEF UNIICA

Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros Lei Orgânica da Assistência Social Movimento Champagnat da Família Marista Ministério da Educação Ministério da Justiça Missão Solidária Marista Núcleo de Direitos Humanos Ordem dos Advogados do Brasil Orçamento Criança e Adolescente Observatório de Direitos Humanos Organização Mundial de Saúde Organizações não governamentais Organização das Nações Unidas Pessoas com Deficiência Patrimônio Espiritual Marista Penitenciária Feminina do Paraná Programa de Formação e Vivencia Marista Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Programa de Iniciação Científica Júnior Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência Project Based Learning Pastoral Juvenil Marista Província Marista Brasil Centro-Sul Plano Nacional de Educação Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas públicas Programa Universidade para Todos Pontifícia Universidade Católica do Paraná Região Metropolitana de Curitiba Rede Marista de Solidariedade Serviço de Atendimento à Rede de Escolarização Hospitalar Simpósio de Estudantes de Engenharia para o Desenvolvimento Sustentável Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas Sistema de Monitoramento de Indicadores Secretaria Nacional de Juventude Sistema Único de Saúde Setor de Vida Consagrada e Laicato Escola Técnica da PUCPR Tecnologias da Informação e Comunicação Tribunal de Justiça União Catarinense de Educação Universidade Federal do Paraná Universidade Federal de Santa Catarina União Marista do Brasil Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Fundo das Nações Unidas para a Infância Unidade Intermediária de Crise e Apoio à Vida


SUMÁRIO Palavra institucional

9

Perfil institucional

13

Mapa de atuação

20

Linha do tempo

22

Apresentação

25

Áreas de atuação

28

Educação Superior

31

Educação Profissional

73

Educação Básica

79

Solidariedade

91

Saúde

123

Comunicação

135

Editorial

143

Ações Transversais

150

Setores Provinciais

153

Pessoas

169

Referências

177

Apêndices

179


PALAVRA INSTITUCIONAL

No dia 2 de janeiro de 2017, o Instituto Marista completa 200 anos de existência. Nesta ocasião, celebraremos dois séculos de continuidade da obra iniciada por Marcelino Champagnat. É um momento propício para a reflexão de tudo que passou e de agradecimento por todo o bem que o Espírito Santo realizou na Igreja e no mundo por meio da atuação contínua dos Maristas de Champagnat. Muitas gerações de crianças, adolescentes e jovens foram beneficiados pela educação Marista realizada em mais de 80 países, nos cinco continentes. O Brasil se destaca neste cenário trazendo resultados expressivos. O Grupo Marista, que atua nas áreas da Educação, Saúde, Comunicação e Solidariedade, tem realizado projetos e ações que impactam diretamente na vida de muitas pessoas, sobretudo as que se encontram em situação de vulnerabilidade. É com muito orgulho que entregamos para você este Relatório Social, um documento que compila dados, informações e projetos de destaque que são resultado do trabalho conjunto realizado com imensa dedicação e comprometimento. Podemos dizer que estes projetos que desenvolvemos são sementes que semeamos juntos e que geraram muitos frutos, sobretudo no que se refere à promoção e à defesa de direitos de crianças, adolescentes e jovens.


A seleção de conteúdos foi realizada de maneira cuidadosa para contemplar todas as áreas e ressaltar boas práticas na continuidade do sonho de Champagnat. Acreditamos que este documento possui a capacidade de influenciar na tomada de decisões estratégicas da organização, que certamente irão fortalecer os nossos vínculos e propiciar a construção sustentável do nosso futuro na missão. Sabemos que os próximos anos trazem muitos desafios, mas certamente conseguiremos enfrentá-los se tivermos consciência de que as nossas atitudes estão fundamentadas no amor. Se mantivermos o nosso carisma atualizado, estreitaremos os nossos laços para formarmos efetivamente uma rede articulada e sólida na busca pela formação de bons cristãos e virtuosos cidadãos. Devemos agir a exemplo de Champagnat, potencializando a presença, a partilha de vida, o profetismo e a espiritualidade Marista em todos os espaços. Convidamos todos vocês para reviver a audácia do nosso fundador, na busca pela melhoria dos nossos processos, na qualificação dos nossos profissionais e na continuidade de nossos projetos. Inspirados pelo “novo começo” que se aproxima, devemos continuar incansáveis na busca pela promoção da educação emancipadora e da transformação da sociedade. Que a Boa Mãe permaneça entre nós, nos guiando para que tenhamos mais motivos para nos orgulhar do resultado do nosso trabalho. Muito obrigado!

Ir. Délcio Afonso Balestrin Presidente do Grupo Marista Ir. Jorge Gaio Diretor do Setor de Solidariedade


PERFIL INSTITUCIONAL

Maristas no Mundo Fundado em 1817 por Marcelino Champagnat no vilarejo de La Valla, na França, o Instituto dos Irmãos Maristas se dedica à educação de crianças e jovens com a missão declarada de “formar bons cristãos e virtuosos cidadãos”. Os primeiros discípulos receberam diretamente de Champagnat a orientação humana, intelectual, pedagógica, gerencial e espiritual que caracteriza o modo Marista de ser e atuar. Hábeis educadores, espalharam-se rapidamente pela França, estendendo o conhecimento e o direito à educação a dezenas de crianças e jovens nos lugarejos mais empobrecidos. Desde então, sua missão prossegue em diferentes partes do mundo. Os Irmãos Maristas são religiosos consagrados, em vida comunitária, de confissão católica. Dedicam suas vidas a Deus, esforçam-se por tornar Jesus Cristo conhecido e amado e vivem uma espiritualidade baseada nas virtudes de Maria – daí o nome “Marista”. Na prática, empreendem ações educacionais e solidárias de cunho social emancipatório, voltadas sobretudo a crianças e jovens, com especial atenção aos mais empobrecidos.


A presença Marista no mundo está organizada por meio de unidades administrativas, denominadas Províncias e Distritos. Todos dispõem de órgãos próprios de animação e governo. O Irmão Superior Geral e seu Conselho representam a unidade do Instituto e dispõem de meios e serviços para realizar, por sua vez, a animação e o governo do Instituto. Atualmente presentes em 80 países nos cinco continentes, os Maristas partilham sua missão, beneficiando crianças, adolescentes e jovens.

Maristas no Brasil No Brasil, os Maristas estão em 23 estados e no Distrito Federal. São 98 cidades brasileiras, cerca de 27 mil Irmãos, Leigos, Leigas e colaboradores que beneficiam 1,3 milhão de crianças, adolescentes e jovens em unidades sociais, educacionais, hospitais e clínicas. Organizado em quatro unidades administrativas, três Províncias (Província Marista Brasil Centro-Norte, Província Marista Brasil Centro-Sul – Grupo Marista – e Província Marista Brasil Sul-Amazônia), o Brasil Marista tem como missão formar cidadãos com base em valores humanos e cristãos para a transformação da sociedade. Fundado sob a égide do humanismo cristão, posiciona-se na vanguarda da defesa e da promoção dos direitos das infâncias e juventudes. Para apoiá-lo administrativamente, o Instituto Marista no Brasil conta com dez associadas, estruturas responsáveis pelo gerenciamento das unidades Maristas em suas diversas frentes de atuação. Além disso, há a União Marista do Brasil (UMBRASIL). A UMBRASIL, criada em 2005 e sediada em Brasília, é a associação das mantenedoras, representando o universo Marista no país. É uma organização que mobiliza, articula e potencializa ações integradas.

16

Perfil Institucional


Organizada em comissões, subcomissões, comitês e grupos de trabalho, empreende ações e projetos comuns, que geram conectividade e possibilitam resultados compartilhados.

Grupo Marista O Grupo Marista está presente nos estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul, no Distrito Federal e na cidade de Goiânia e atua nas áreas de educação – da escola à universidade –, solidariedade, saúde e comunicação. A organização tem como objetivo contribuir, do jeito Marista, para a educação de crianças e jovens, sobretudo aqueles que estão em situação de vulnerabilidade social.

Missão, visão e valores (Grupo Marista) Missão Formar cidadãos éticos, justos e solidários para a transformação da sociedade, por meio de processos educacionais fundamentados nos valores do Evangelho, do jeito Marista.

Visão O Grupo Marista até 2022 será reconhecido na Igreja e na sociedade pela excelência nas suas áreas de atuação, fidelidade ao carisma Marista, vitalidade, viabilidade, e impacto de sua missão junto a crianças e jovens.

Valores Amor ao Trabalho | Realizamos o trabalho com disposição, excelência, perseverança, generosidade e espírito cooperativo, desenvolvendo os talentos a serviço do bem comum.

Relatório Social Marista | 2014-2015

17


Espiritualidade | Vivemos a espiritualidade mariana e apostólica, encarnada, relacional e afetiva, fundamentada em Jesus Cristo e no seu Evangelho, legada por São Marcelino Champagnat. Por meio dela, orientamos nossa compreensão do mundo e o nosso relacionamento com Deus, com nós mesmos, com as pessoas e com a natureza. Interculturalidade | Buscamos a unidade na diversidade, por meio do respeito, do diálogo, da acolhida e da sinergia resultante das relações entre as diferentes identidades e culturas, seus agentes e suas respectivas expressões e contextos. Simplicidade | Vivemos a simplicidade em nossas ações, relacionamentos e processos, com autenticidade e humildade, disponibilizando nossas potencialidades em favor da missão, em um esforço contínuo de reconhecimento e superação de nossas limitações. Presença | Somos presença significativa e acolhedora junto às pessoas, com disponibilidade, transparência, confiança, justiça, vivendo relações que testemunhem o cuidado e o respeito. Espírito de Família | Afirmamos nosso espírito de família compreendendo-nos como diferentes e complementares ao vivenciar o acolhimento, o amor, o diálogo e a esperança, na ação constante para construir comunidades como espaços de vida. Solidariedade | Somos comprometidos e perseverantes na busca do bem comum, na promoção e defesa dos direitos, preferencialmente com os pobres e excluídos que vivem em situação de fronteira, criando laços de responsabilidade recíproca e equânime na construção da paz, da justiça socioambiental, como sinal de esperança no mundo.

18

Perfil Institucional


Relatรณrio Social Marista | 2014-2015

19


A Promessa de Fourvière Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Tudo para a maior glória de Deus, e para a honra de Maria, Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo! Nós, abaixo assinados, queremos trabalhar para a maior glória de Deus e de Maria, mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, afirmamos que temos a sincera intenção e a firme vontade de nos consagrar, logo que surgir oportunidade, à instituição da piedosíssima Congregação dos Maristas. Eis porque, pelo presente ato, que leva nossas assinaturas, dedicamo-nos irrevogavelmente, nós e tudo o que temos, tanto quanto possível, à Sociedade da Bem-aventurada Virgem Maria. Este compromisso nós o assumimos, não levianamente como crianças, nem por razões humanas ou por algum interesse temporal, mas com toda a sinceridade, após o termo refletido seriamente, tomado conselho e pesado tudo diante de Deus, unicamente para a glória de Deus e honra de Maria, mãe de nosso Senhor Jesus Cristo. Para atingirmos este objetivo, dispomo-nos a assumir quaisquer contrariedades, trabalhos, sofrimentos e, se preciso, todos os tormentos; tudo podendo naquele que nos dá forças, nosso Senhor Jesus Cristo, a quem, por isso mesmo, prometemos fidelidade, no seio de nossa Mãe, a santa Igreja Católica e Romana; unindo-nos com todas as nossas energias, ao chefe santíssimo desta mesma Igreja, o romano pontífice, e também ao nosso reverendíssimo bispo, para, deste modo, sermos bons ministros de Jesus Cristo, nutridos pelas palavras da fé e da sã doutrina que recebemos por sua graça; confiamos que, sob o governo pacífico e religioso de nosso rei cristianíssimo, esta maravilhosa instituição será fundada.

20

Perfil Institucional


Prometemos solenemente nos doar, nós e tudo que temos, para salvarmos as almas por todos os meios, sob o nome augustíssimo de Virgem Maria e sob seus auspícios. Respeitamos, entretanto, em tudo, o parecer dos superiores. “Louvada seja a santa e imaculada Conceição da Bem-aventurada Virgem Maria! Assim seja!” FOURVIÈRE, 23 de julho de 1816.

Saiba mais sobre a Promessa de Fourvière em www.champagnat.org

Relatório Social Marista | 2014-2015

21


MAPA DE ATUAÇÃO Campus Campus Curitiba Curitiba (PR) (PR) Campus Campus São José São José dos Pinhais dos Pinhais (PR) (PR) Campus Campus Londrina Londrina (PR) (PR) Campus Campus Toledo Toledo (PR) (PR) Campus Campus Maringá Maringá (PR) (PR) Instituto Instituto Católico Católico de Santa de Santa Catarina Catarina (SC) (SC) Centro Centro de Educação de Educação Profissional Profissional Católica Católica de Jaraguá de Jaraguá do Sul do(SC) Sul (SC)

Centro de Educação Profissional Mários Cristóvão Centro de Educação Profissional IrmãoIrmão Mários Cristóvão (PR) (PR)

Estados: Estados: MatoMato Grosso Grosso do Sul do(MS) Sul (MS) GoiásGoiás (GO) (GO) Distrito Distrito Federal Federal (DF) (DF) São Paulo São Paulo (SP) (SP) Paraná Paraná (PR) (PR) SantaSanta Catarina Catarina (SC) (SC)

APC APC Católica Católica

APC APC

Educação Educação Superior Superior Educação Educação Profissional Profissional

Colégio Marista Arquidiocesano Colégio Marista Arquidiocesano (SP) (SP) Colégio Marista NsaGlória da Glória Colégio Marista Nsa da (SP) (SP) Colégio Marista de Ribeirão Colégio Marista de Ribeirão PretoPreto (SP) (SP) Colégio Marista Colégio Marista SantaSanta MariaMaria (PR) (PR) Colégio Marista de Londrina Colégio Marista de Londrina (PR) (PR) Colégio Marista de Maringá Colégio Marista de Maringá (PR) (PR) Colégio Marista de Brasília Colégio Marista de Brasília (DF) (DF) Colégio Marista PIO(PR) XII (PR) Colégio Marista PIO XII Colégio Marista de Cascavel Colégio Marista de Cascavel (PR) (PR) Colégio Marista de Brasília Colégio Marista de Brasília (DF) (DF) Colégio Marista de Goiânia Colégio Marista de Goiânia (GO) (GO) Colégio Marista PIOde XIIBrasília de Brasília Colégio Marista PIO XII (DF) (DF) Colégio Marista Champagnat Colégio Marista Champagnat (SP) (SP) Colégio Marista São (SC) Luís (SC) Colégio Marista São Luís Colégio Marista Paranaense Colégio Marista Paranaense (PR) (PR) Colégio Marista Frei Rogério Colégio Marista Frei Rogério (SC) (SC) Colégio Marista São Francisco Colégio Marista São Francisco (SC) (SC) Colégio Marista de Criciúma Colégio Marista de Criciúma (SC) (SC)

Educação Educação Básica Básica

ABECABEC

UCE UCE


ABEC

APC

UCE

Solidariedade Comunicação Saúde Editorial

LUMEN

APC

FTD

APC

ISCMC

Centro Social Marista de Curitiba (PR) Centro Social Marista Ir. Rui (SP) Centro Social Marista Santa Mônica (PR) Centro Social Marista Lar Feliz (SP) Escola Ecológica Marcelino Champagnat (PR) Centro Educacional Marista Ir. Acácio (PR) Centro Social Marista Ir. Lourenço (SP) Centro Social Marista Itaquera (SP) Centro Social e Escola Marista Ir. Francisco Rivat (DF) Centro Social Marista Caçador (SC) Centro Social Marista Marcelino Champagnat (PR) Centro Social Marista Robru (SP) Centro Social Marista Pouso Redondo (PR) Centro Social Marista Ir. Justino (SP) Centro Social Marista Ir. Walmir (SC) Centro Educacional Marista Lúcia Mayvorne (SC) Centro Educacional Marista Enfermeira Anita Cordeiro (PR) Centro Social Champagnat (Proação Eunice Benato) (PR) Proação Guaraqueçaba (Centro Social Marista Ir. Panini) (PR) Proação Fazenda Rio Grande (Centro Social Marista Ir. Henri) (PR) Centro Social Marista Itapejara (PR) Centro Social Marista Propulsão (PR) Centro Social Marista Estação Casa (PR) Centro de Defesa da Infância (PR) Centro Social Marista Dourados (MS) Centro Social Marista Ir. Egídio (PR) Centro Social Marista São José (SC) Clube FM (PR) Lumen FM (PR) Web Lumen Clássica (PR) Imago Produções Educativas PUCPRESS - Editora Champagnat (PR) FTD Educação (SP) Matriz (1) (SP) Editorial (1) (SP) Parque Gráfico (1) (SP) Filiais (9) Distribuidores (14) Casas de Atendimento ao Professor (16) Hospital Universitário Cajuru (PR) Hospital Marcelino Champagnat (PR) Hospital da Santa Casa de Curitiba (PR) Hospital Maternidade Alto Maracanã (PR) UNIICA - Unidade Intermediária de Crise e Apoio a Vida (PR)


LINHA DO TEMPO1 - Forte ampliação da oferta de serviços socioeducacionais com a implantação de unidades em Brasília (DF); Cascavel, Ponta Grossa e Tijucas do Sul (PR); São Paulo (SP); Florianópolis, Joaçaba e São José (SC) (Década de 1990)

- Fundação do Serviço Social em Santos, nas dependências do Colégio Marista, origem do atual Centro Social Marista Lar Feliz (1959)

- Aliança PUCPR/ISCMC (1999) - HUC é incorporado à Associação Paranaense de Cultura (1977)

1970

1950 1960 - A Instituição Marista assume a direção do Ginásio Agrícola em Itapejara d’Oeste, no interior do Paraná (1968)

1

- Início das atividades do Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão – TECPUC com a oferta do curso de Auxiliar de Enfermagem (1991). Em 2010, instalou-se em sede própria. Antes disso, compartilhava a infraestrutura da PUCPR

1990 1980 - Fundação da Escola Ecológica Marcelino Champagnat, em Almirante Tamandaré (1989)

Foram incluídos alguns destaques a partir da década de 50, período da constituição jurídica das mantenedoras ABEC, APC e UCE.


- Implantação do Advocacy voltado à Educação Infantil e ao Acesso e à Formação no Ensino Superior (2010) - Implantação do Setor de Investimento Social Privado na FTD Educação (2011) - Publicação das Diretrizes e Direcionamentos da RMS (2012) - Implantação do Programa Ciência e Transcendência (2012) - Publicação do livro Fontes sobre a Infância - RMS (2012) - Inserção da programação da Lumen FM na Lei Rouanet (2012) - Inauguração do Núcleo de Direitos Humanos da PUCPR (2013)

2000

- Implantação do Projeto Comunitário (2002) - Adesão ao Prouni (2004) - Atuação Internacional FMSI (2007) - Publicação do Projeto Marista para a Educação Infantil (2007) - Centro de Defesa e Garantia de Direitos (2008) - HMAM recebe o título de Hospital Amigo da Criança (2009)

2010

- Início das atividades do Observatório das Juventudes da PUCPR (2013) - HUC passou a ofertar seus serviços de saúde exclusivamente ao SUS (2013) - Implantação do Projeto Trilhas - Incubadora Social Marista (2014) - Implantação do Projeto Estação Casa (2014) - Ampliação da oferta de Ensino Médio na Unidade Social Ir. Rui (2015) - HMAM alcança a marca de 35 mil partos realizados (2015) - Início das atividades no Centro Educacional Marista Enfermeira Anita Cordeiro (2015)


APRESENTAÇÃO

DIRETRIZES E DIRECIONAMENTOS PARA A DIRETRIZES E DIRECIONAMENTOS PARA A REDE MARISTA DE SOLIDARIEDAD

REDE MARISTA DE SOLIDARIEDAD

O que é a Rede Marista de Solidariedade (RMS) A Rede Marista de Solidariedade (RMS) é um conjunto de iniciativas, programas, projetos e ações desenvolvido em todas as áreas de atuação e corporativas do Grupo Marista, voltado para três focos: a promoção e a defesa dos direitos das crianças e dos jovens e a educação para a solidariedade. A partir desse posicionamento, a RMS potencializa e viabiliza o capital humano, os recursos financeiros e materiais, a excelência e a presença Marista direcionando-os, em especial, aos economicamente empobrecidos, com o intuito de contribuir para uma sociedade mais justa e fraterna. A promoção do direito faz referência ao atendimento direto, ao acesso ao direito, com qualidade e continuado, por meio das diversas modalidades socioeducativas ofertadas pela RMS. A defesa de direitos é realizada por meio do anúncio dos direitos, que se traduz em ações educativas, informativas ou de incidência política. O terceiro foco, a educação para a solidariedade, desenvolve junto aos públicos internos processos e práticas que oportunizam a sensibilização e a vivência solidária, possibilitando a interação e o engajamento com pessoas e realidades diversas, com vistas à formação de sujeitos críticos, defensores de interesses coletivos.


O posicionamento estratégico da RMS A Rede Marista de Solidariedade, em consonância com a Doutrina Social da Igreja e os documentos do Instituto Marista, considera a Solidariedade para além de sua compreensão como princípio moral e virtude, expressando-se também enquanto posicionamento no e com o mundo, evidenciando o compromisso com as pessoas, desdobrando-se em ações compartilhadas que possibilitam aprendizagens mútuas e profundas, bem como o desenvolvimento de todos, enquanto comunidade. A vida ameaçada não pode ser vista com indiferença; pelo contrário, solicita-nos reações de indignação, engajamento e corresponsabilidade. A Solidariedade em resposta a isso, gera vínculos de cooperação e comprometimento que tendem a ser duradouros e transformadores, sobretudo em relação à dignidade, condição e direitos de todos. Tais vínculos são fomentados a partir de todas as frentes de atuação do Grupo Marista, de maneira transversal, respeitando todas suas particularidades e especificidades em prol da promoção e defesa dos direitos de crianças e jovens e de uma educação para a solidariedade.

As diretrizes e os direcionamentos para a RMS e o Relatório Social Marista É com grande satisfação que compartilhamos o Relatório Social do Grupo Marista 2014-2015, instrumento que expressa um esforço coletivo na busca da potencialização da missão marista, a partir de um entendimento integrado dos focos da RMS, de forma comprometida com os sujeitos e com a justiça social. O Relatório Social 2014-2015 apresenta iniciativas de todas as áreas de atuação do Grupo Marista (Educação, Saúde, Solidariedade e Comunicação) e áreas corporativas, alinhadas às Diretrizes e Direcionamentos para a Rede Marista de Solidariedade, documento sistematizado e divulgado em 2012.

28

Apresentação


Este documento institucional foi elaborado por Irmãos, Leigas, Leigos e colaboradores que compartilham da missão Marista, bem como por outros atores que dialogam com o jeito e a proposta de ser Marista. O trabalho reúne os principais conceitos acerca do posicionamento da RMS com relação a seus focos de atuação, e estabelece uma agenda de trabalho para cada Frente Apostólica e Área Corporativa alinhadas às suas realidades peculiares (PROVINCIA MARISTA BRASIL CENTRO-SUL, 2010).

DIRETRIZES E DIRECIONAMENTOS PARA A

REDE MARISTA DE SOLIDARIEDADE

Desta forma, os princípios e o escopo deste Relatório Social estão pautados nas Diretrizes e Direcionamentos para a Rede Marista de Solidariedade, desdobrados em programas, projetos e ações voltados à promoção e à defesa dos direitos das crianças e dos jovens e à educação para a solidariedade. Também são relatadas as ações da Pastoral e da Vida Consagrada e Laicato alinhadas às Diretrizes da Ação Evangelizadora (PMBCS, 2011), que convergem e fomentam o posicionamento da RMS. As iniciativas da RMS são apresentadas por áreas de atuação do Grupo Marista. O relatório demonstra também os dados da atuação assistencial da instituição, em consonância com as políticas públicas da Educação (por meio da concessão de bolsas), da Saúde (por meio da prestação de serviços ao Sistema Único de Saúde) e da Assistência Social (por meio de projetos sociais).

Relatório Social Marista | 2014-2015

29


ÁREAS DE ATUAÇÃO


EDUCAÇÃO SUPERIOR No Grupo Marista, o Ensino Superior tem o compromisso de ofertar à sociedade, por meio do ensino, da pesquisa e da extensão, cidadãos profissionalmente capacitados que sejam comprometidos com o desenvolvimento econômico e social do país e possuam como valor a ética fundamentada no cristianismo e nos princípios Maristas. A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), inspirada na missão educativa Marista e em seu fundador, promove uma educação para a solidariedade em seus cinco câmpus (Curitiba, São José dos Pinhais, Londrina, Toledo e Maringá). Um dos pontos fortes da instituição é o incentivo à pesquisa científica. Com cerca de dois mil projetos de pesquisa e 80% de seu corpo docente composto por mestres e doutores, a PUCPR é responsável por 20% da publicação científica do Paraná. A universidade busca, ainda, parceria com instituições internacionais que garantam a atualização constante e o alinhamento com a produção científica mundial. O Centro Universitário – Católica de Santa Catarina iniciou as atividades na cidade de Jaraguá do Sul (SC) visando atender à demanda e ao sonho da população local de ter uma instituição de Ensino Superior na região. Em 2009, expandiu sua atuação para a cidade de Joinville e hoje oferta mais de 20 cursos de graduação. As instituições de Ensino Superior do Grupo Marista integram a Rede Marista de Solidariedade na promoção do acesso ao Ensino Superior por meio da concessão de bolsas de estudo integrais e parciais, especialmente no caso da PUCPR, por meio de sua adesão ao Programa Universidade para Todos (ProUni), além de desenvolver projetos que contribuem para formação integral de seus alunos.


Acesso à Educação Superior Oferta de bolsas de Educação Superior na PUCPR

2014

Todos os Câmpus

Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

24.620

6.500

917 ProUni 5.625

604

4.708

IES 875

271

Bolsas de 100% (integrais) Bolsas de 50% (parciais)

Recursos aplicados em gratuidade

Aumento de

19,51% de 2014 para 2015

Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 1 Quantidade de alunos matriculados em cursos de graduação e tecnólogos (1° e 2° semestres).

34

Educação Superior


2015

Todos os Câmpus Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

25.748

7.516 1º semestre

1.174 ProUni 6.914

5.740 Total de alunos matriculados1

361

IES 602

241

Total de bolsas ProUni + IES

23.714

6.703 2º semestre

1.053 ProUni 6.176

316

IES 527

211

5.123 Bolsas de 100% (integrais) Bolsas de 50% (parciais) Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 1 Quantidade de alunos matriculados em cursos de graduação e tecnólogos (1° e 2° semestres). Relatório Social Marista | 2014-2015

35


2015

Câmpus Curitiba

Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

20.350

5.973 1º semestre

961 ProUni 5.548

225

IES 425

200

4.587 Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

18.703

856

5.312 2º semestre

ProUni 4.955

186

IES 357

171

4.099

36

Bolsas de 100% (integrais) Bolsas de 50% (parciais) Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 1 Quantidade de alunos matriculados em cursos de graduação e tecnólogos (1° e 2° semestres). Educação Superior


2015

Câmpus Londrina

Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

1.976

450 1º semestre

31

IES 37

ProUni 413

382 Total de alunos matriculados1

26 Total de bolsas ProUni + IES

1.924

30

11

399 2º semestre

ProUni 365

335

11 23

IES 34

Bolsas de 100% (integrais) Bolsas de 50% (parciais) Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 1 Quantidade de alunos matriculados em cursos de graduação e tecnólogos (1° e 2° semestres). Relatório Social Marista | 2014-2015

37


2015

Câmpus Maringá

Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

1.126

351 1º semestre

56

5 IES 19

ProUni 332

276

14

Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

992

300

46

2º semestre

ProUni 282

5 IES 18

236

13

Bolsas de 100% (integrais) Bolsas de 50% (parciais)

38

Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 1 Quantidade de alunos matriculados em cursos de graduação e tecnólogos (1° e 2° semestres). Educação Superior


2015

Câmpus São José dos Pinhais

Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

118

576 1º semestre

39

ProUni 109

IES 9

70

Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

494

104 2º semestre

35

ProUni 97

62

IES 7

Bolsas de 100% (integrais) Bolsas de 50% (parciais) Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 1 Quantidade de alunos matriculados em cursos de graduação e tecnólogos (1° e 2° semestres). Relatório Social Marista | 2014-2015

39


2015

Câmpus Toledo

Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

1.720

624 1º semestre

87

25 IES 112

ProUni 512

87

425 Total de alunos matriculados1

Total de bolsas ProUni + IES

1.601

588 2º semestre

86

24

ProUni 477

IES 111

391

87

Bolsas de 100% (integrais) Bolsas de 50% (parciais)

40

Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 1 Quantidade de alunos matriculados em cursos de graduação e tecnólogos (1° e 2° semestres). Educação Superior


Direcionamentos da Rede Marista de Solidariedade (RMS) para o Ensino Superior. Destaques 1. Produzir conhecimento com enfoque nos direitos de crianças e jovens; 2. Incluir enfoque dos direitos humanos e direito de crianças e jovens nos possíveis espaços da academia, como conteúdos curriculares, linhas de pesquisa e autores recomendados; 3. Fomentar e viabilizar a perspectiva de aplicabilidade do conhecimento construído nas diversas áreas da academia, com vistas a contribuir para a resolução de problemáticas sociais, prioritariamente no que diz respeito a comunidades economicamente vulnerabilizadas; 4. Intensificar a indução e o financiamento de pesquisas voltadas a contribuir para a resolução da problemática social, prioritariamente no que diz respeito a comunidades economicamente vulnerabilizadas; 5. Ampliar possibilidades e alternativas de acesso ao conhecimento e às tecnologias, bem como de seu compartilhamento; 6. Garantir a transparência no processo de concessão de bolsas, seguindo os critérios estabelecidos pela legislação e por organismos internos; 7. Fortalecer a humanização na relação entre colaboradores, professores e alunos. 8. Apropriar-se do uso do advocacy2 - acesso e formação no Ensino Superior - como subsídio na tomada de decisões diante das demandas específicas, bem como implementar projetos gerados com base em suas reflexões e seus apontamentos. 2

“Luta por uma causa, por meio da conscientização da sociedade, da capacitação de agentes transformadores, da mobilização da população e do acompanhamento da atuação do poder público. O exercício do Advocacy no Grupo Marista é centrado na defesa dos direitos das crianças, dos adolescentes e das juventudes. Tem como objetivo a construção de interlocução de qualificada com os diversos atores da sociedade civil e do governo [...].” (PROVÍNCIA MARISTA BRASIL CENTRO-SUL, 2010, p.14).

Relatório Social Marista | 2014-2015

41


9. Aprimorar ações que possibilitem o acesso ao estudo de qualidade e à permanência de alunos em situação de vulnerabilidade; 10. Desenvolver projetos de educação para a solidariedade que envolvam as diversas áreas da universidade, como projetos de imersão, intercâmbio e voluntariado; 11. Desenvolver projetos de educação para a solidariedade; 12. Incluir crianças e jovens em situação de vulnerabilidade nos projetos desenvolvidos; 13. Estabelecer conexão com as unidades sociais da RMS por meio de projetos compartilhados entre centro e periferia. 14. Contribuir para a mobilização de recursos voltados à melhoria, ampliação e inovação dos projetos socioeducativos.

Dignidade para mulheres em situação de privação de liberdade Em parceria com a Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná (SEJU), o Programa Ciência e Transcendência da PUCPR desenvolve um conjunto de iniciativas para oportunizar a educação, profissionalização e inserção social de mulheres em situação de privação de liberdade como um caminho possível para a superação das vulnerabilidades e o alcance de uma vida digna. As atividades são realizadas com as mulheres do prédio central na Penitenciária Feminina do Paraná, em Piraquara. Diante do complexo contexto prisional, a PUCPR imprimiu seus esforços para uma ação sistemática, conjunta e integrada com diversos interlocutores.

42

O programa é gerido pela Diretoria de Identidade Institucional da universidade e ofereceu formação a cerca de 800 mulheres, bem como fomentou e fortaleceu o aprendizado da comunidade acadêmica em torno das realidades sociais.

Educação Superior


Depoimento “Esse projeto planta uma semente em nós e nossos estudantes. Ele nos modifica muito mais do que às apenadas. Agradeço a todos os presentes por viabilizarem esse projeto. Lembro de uma história muito emocionante, que uma detenta me contou certa vez: que ela ficava em seu beliche, tentando ouvir o barulho do ônibus da PUC chegar. Quando o ônibus chegava, ela se sentia feliz, pois a Universidade traz coisas boas a ela. Isso me emociona e nos torna melhores.” Ir. Rogério Renato Mateucci – Diretor da Diretoria de Identidade e Missão da PUCPR.

Com a participação de alunos, professores, colaboradores e parceiros externos, o programa desenvolveu diferentes modalidades de trabalho na Penitenciária Feminina do Paraná, como cursos profissionalizantes, projetos e pesquisas: • Curso profissionalizante: Manipulador de Alimentos; • Projetos: Canto Coral, Teatro, Espiritualidade e Vida; • Projeto de Vida e Empregabilidade: formação pessoal focada na transição do cárcere para o mundo externo; • Projeto Help Portrait: resgate da autoestima por meio da fotografia; • Pesquisas de Mestrado e PIBIC nas áreas de Arquitetura, Psicologia, Nutrição, Sociologia, Odontologia, Educação, Administração e Teologia; • Projeto de Revitalização Cromática: Tudo de Cor para a Penitenciária Feminina do Paraná. O projeto foi desenvolvido pela Escola de Arquitetura e Design da PUCPR em parceria com as Tintas Coral e DEPEN.

Relatório Social Marista | 2014-2015

43


• Projeto A gente como agente: formação dos agentes penitenciários por meio de um curso de extensão, em parceria com o curso de Psicologia da PUCPR, nos temas gestão de equipes; liderança e humanização nas relações inter e intrapessoais.

Formação contínua O Programa Ciência e Transcendência abrange a formação obrigatória para toda a comunidade acadêmica envolvida, incluindo alunos, professores, colaboradores, parceiros e voluntários, e realiza formações específicas de acordo com as características de cada projeto.

Escolas da PUCPR integradas ao Programa Ciência e Transcendência • Escola de Arquitetura e Design • Escola de Comunicação e Artes • Escola de Direito • Escola de Humanidades • Escola de Negócios • Escola Politécnica • Escola de Ciências da Vida

44

Educação Superior


Projeto Tudo de Cor Desenvolvido na Penitenciária Feminina do Paraná (PFP), em Piraquara (PR), o Projeto Tudo de Cor é uma parceria entre a PUCPR, a empresa AKZONOBEL e o Departamento de Execução Penal (DEPEN–PR) que faz parte do Programa Ciência e Transcendência. Representada no Brasil pelas Tintas Coral, a AKZONOBEL realizou uma formação técnica e profissionalizante de pintor para 30 detentas da PFP. Todo o trabalho de rearranjo cromático foi realizado por estudantes e professores no curso de especialização em Arquitetura de Interiores. Por meio do projeto, dois pátios internos e a galeria “A” foram totalmente revitalizados, ganhando cores vivas, que contribuíram para melhorar o cotidiano das mulheres que lá vivem, bem como dos bebês que lá estão.

Antes

Depois

45

Relatório Social Marista | 2014-2015


Antes

Depois

Depoimento “A missão do ‘Tudo de cor para você’ é levar cor para a vida das pessoas e criar oportunidades de profissionalização. Além de melhorar as instalações da instituição, o projeto realizado na Penitenciária Feminina do Paraná é um exemplo de como podemos trazer novas perspectivas de trabalho para as pessoas que fizeram o curso técnico de Pintura.” Marcelo Abreu - Gerente de Marketing Institucional da Tintas Coral e líder do projeto.

46

Educação Superior


Depoimento “Um projeto transversal, que dialoga com várias áreas do conhecimento, provoca uma reflexão profunda e oferta a tangibilidade de conexões subjetivas e sutis a favor da espiritualidade, tendo como suporte a arquitetura: corpo material cromático e simbólico com potencial de cura e de transformação social. Valores, Missão e Identidade Institucional, na prática comunitária.” Carlos Nigro – Decano da Escola de Arquitetura e Design, idealizador do projeto.

“Sou suspeita ao falar da ideia. O conceito do programa é o espírito de família, com isso nos colocamos no lugar dos familiares e das detentas para entender um pouco essa situação. O projeto nos proporcionou a oportunidade de amenizar a realidade em que essas mulheres se encontram. Pudemos tornar esse ambiente cinzento mais colorido!” Michelle Vilaça – aluna da Especialização em Arquitetura e Design de Interiores, integrante da equipe selecionada no concurso de reestruturação cromática da PFP. O trabalho de rearranjo cromático foi realizado pela Michelle e pelas estudantes Caroline Bistrot Picolotto, Cindy Maia Bordin, Graziele Erzinger e Katrine Cerutti.

Relatório Social Marista | 2014-2015

47


Educação para a Solidariedade: alunos em ação Implantado na PUCPR em 2002 como uma atividade curricular comum a todos os cursos de graduação, o Projeto Comunitário viabiliza a participação de alunos em ações sociais voltadas para adolescentes, crianças, dependentes químicos, idosos, pacientes hospitalares, pessoas com deficiência e comunidades. O projeto contribui com a formação profissional e humana dos alunos ao estimular o aprendizado e a convivência, o respeito às diferenças, a valorização da vida, a ampliação da visão de mundo por meio das trocas de experiências e a reflexão sobre o papel de cada cidadão na sociedade. Em 2015, cerca de 6,6 mil inscrições foram realizadas e os alunos puderam escolher entre 1,5 mil atividades sociais e/ou ambientais em 164 locais, abrangendo 35 municípios do estado do Paraná.

As ações do Projeto Comunitário foram agrupadas em 38 programas nas áreas de: • Cidadania e Valores Humanos; • Cultura; • Educação; • Geração de renda; • Inclusão Digital; • Esportes e Entretenimento; • Meio Ambiente; e • Saúde.

48

Educação Superior


Uma das atividades realizadas ocorreu no Hospital Universitário Cajuru: lá os acadêmicos realizaram ações de promoção ao bem-estar, à orientação e ao acolhimento aos pacientes que se encontravam hospitalizados. O contato se deu por meio de atividades de entretenimento e visitas com abertura para diálogo e atenção diferenciada, somando-se, assim, ao processo de humanização na área hospitalar.

Depoimento “Sou testemunha do quanto o trabalho do Projeto Comunitário é importante na recuperação de nossos pacientes. Por vezes, eu mesma solicitei o acompanhamento deles para auxiliar no processo terapêutico dos pacientes. Agradeço por todo o trabalho competência, carinho e dedicação.” Luciana Távora Mira – Psicóloga da área da Saúde, Curitiba (PR).

Ano

Instituições atendidas

Atividades ofertadas

Número de beneficiários

Alunos envolvidos

2015

117

3.489

8.424

6.619

Educação para a Solidariedade Além das atividades em sala de aula e do Projeto Comunitário, o Eixo Humanístico da PUCPR também realiza atividades de caráter acadêmico e extensionista que procuram desenvolver nos estudantes a sensibilidade para as realidades sociais que os cercam, tratando-se, dessa forma, de ações de Educação para a Solidariedade.

Relatório Social Marista | 2014-2015

49


Em 2015, com a escolha do tema Juventude e Direitos Humanos: democracia e participação popular, o eixo contou com uma massiva participação dos estudantes, tanto na produção dos curta-documentários, como nos debates realizados durante a realização da Semana de Ética. Neste mesmo ano, duas alterações foram feitas no projeto original: em primeiro lugar, os trabalhos passaram a ser desenvolvidos pelos estudantes a partir de adaptações da metodologia Project Based Learning (PjBL), ou Aprendizado Baseado em Projetos; em segundo lugar, o próprio evento assumiu uma dinâmica mais efetiva como um festival de curtas, para o qual foram convidados debatedores da comunidade acadêmica e pessoas com reconhecido destaque na atuação social em áreas relativas ao tema abordado em cada edição. Em relação aos números, as duas edições de 2015 (11ª e 12ª edição) também superaram as expectativas: foram cerca de 630 trabalhos produzidos, que somaram, em média, 3.150 minutos de registro audiovisual. Destes vídeos, foram escolhidos em torno de 110 curtas para serem apresentados durante as duas edições da semana, além de sete intervenções teatrais durante a realização da 11ª edição. Os melhores vídeos podem ser conferidos no perfil do Eixo Humanístico no Facebook: www.facebook.com/eixo.pucpr.

As juventudes em debate Desde 2013, o Observatório das Juventudes existe vinculado ao Instituto de Ciência e Fé da PUCPR e desenvolve projetos e programas de investigação, levantamento e disseminação de informações sobre a situação dos jovens na área de abrangência do Grupo Marista, principalmente aqueles na Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

50

Coordenado pelo Instituto Ciência e Fé, o grupo produziu estudos e discussões sobre a condição juvenil, as práticas culturais e religiosas, as políticas

Educação Superior


públicas para as juventudes, o diálogo geracional e a construção de metodologias de trabalho com os jovens. Lançado em 2015, o portal do Observatório das Juventudes da PUCPR é um espaço de divulgação de informações pertinentes à temática das Juventudes. Sua intenção é despertar nos jovens o interesse em pesquisar e atuar dentro de uma área tão importante, que é a proteção, defesa e garantia de direitos de adolescentes e jovens.

Saiba mais em www.observatoriodasjuventudes.pucpr.br

Destaque: Alguns dos projetos desenvolvidos pelo observatório das juventudes da PUCPR: • Advocacy ProUni: o projeto “Advocacy ProUni” consiste em uma ação de pesquisa, incidência política e boas práticas sobre o acesso e permanência de estudantes bolsistas na PUCPR. O Observatório das Juventudes vem desenvolvendo um conjunto de pesquisas quantitativas e qualitativas que têm como objetivo buscar conhecer quem são os estudantes bolsistas, como ocorre o processo de inserção desses estudantes no ensino superior e as dificuldades en-

Relatório Social Marista | 2014-2015

51


frentadas por esses sujeitos. No ano de 2015 foi constituído um grupo interdisciplinar de professores pesquisadores que, por meio de projetos PIBIC, estão investigando a situação de jovens estudantes bolsistas nas diferentes escolas da universidade. Essas pesquisas, somadas ao trabalho de monitoramento institucional, vêm sendo debatidas em diferentes instâncias da universidade no intuito de se pensar ações que contribuam com a formação desses jovens bolsistas na perspectiva do direito à educação superior. • Lançamento do Caderno de Entrevistas Redução da Maioridade Penal. O caderno reúne uma série de entrevistas e depoimentos de pensadores, artistas e dos próprios jovens de dentro e de fora da PUCPR. De forma geral, e por motivos diversos, a publicação traz argumentos e reflexões que não ganham a devida atenção nas manchetes diárias dos grandes veículos de comunicação nacional. • Campanha Redução da maioridade penal

52

Educação Superior


Alunos e professores em experiências solidárias e missionárias

Os alunos da PUCPR aderiram a diversos projetos organizados pela Pastoral Universitária, com enfoque na Educação para a Solidariedade, possibilitando reflexões e ações desenvolvidas em diversas comunidades em situação de vulnerabilidade social. O Programa de Espiritualidade; Programa de Identidade e Liderança; e Programa de Voluntariado constituem uma opção metodológica integrada que contempla aspectos centrais no processo de evangelização do aluno na universidade, como: espiritualidade, projeto de vida, solidariedade e identidade institucional e pessoal.

Programa de Voluntariado O objetivo deste programa é elaborar propostas que vão ao encontro do dinamismo inerente ao jovem universitário, oferecendo-lhe oportunidades de atuação em projetos que visam promover a dignidade humana, a educação para os valores humanos e a formação para uma cultura de solidariedade.

Programa de Identidade e Liderança Este programa busca contribuir para a formação integral dos alunos, tornando-os profissionais comprometidos com a vida e com o bem comum. Assim, a formação em identidade fundamenta-se sob aspectos da dimensão humana

Relatório Social Marista | 2014-2015

53


com o objetivo de torná-los agentes protagonistas e multiplicadores em todos os espaços de atuação, sejam eles pessoais ou comunitários.

Programa de Espiritualidade A prioridade deste programa é promover diálogo entre a mensagem evangélica e a profundidade, diversidade e abrangência do conhecimento na universidade. Como conteúdos fundamentais para as ações, são considerados a tradição eclesial, os princípios do evangelho e os valores do Instituto Marista, contemplando as transformações e necessidades do mundo contemporâneo.

Depoimento

54

Educação Superior


Depoimento “Ver a realidade de um hospital, conhecer e conversar com pacientes me faz perceber como a vida é valiosa. Em todo esse mês de voluntariado, já me sinto uma pessoa diferente, com uma visão diferente. Vendo a força de vontade, e a alegria do rosto nos pacientes, apenas com uma simples visita, já faz o dia ter valido a pena. São momentos como esse que vou levar para sempre comigo, tanto em minha vida pessoal, como também na profissional. É preciso espalhar o amor e, principalmente, fazer o que se gosta com vontade, deixando todos em sua volta com esse sentimento. A cada dia que passa, vejo que fiz a escolha certa ao decidir começar o voluntariado. Jamais pensei que aprenderia tantas coisas em tão pouco tempo.” Júnia Lara – estudante do curso de Direito na PUCPR, em Curitiba, e voluntária no projeto Vivência Solidária no Hospital Santa Casa de Curitiba.

Educação Básica de qualidade como espaço de garantia de direitos O Projeto Institucional Pibid/PUCPR tem como tema articulador a educação em direitos humanos, considerando a escola de educação básica de qualidade social como espaço de garantia e proteção de direitos, conforme normatizam as recentes políticas educacionais para a educação básica. Seu propósito foi promover a qualificação de estudantes de licenciatura para a docência, incentivando a inserção em escolas públicas de educação básica desde o início da formação acadêmica, por meio de concessão de bolsas e de recursos de custeio, no âmbito do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid).

55

Relatório Social Marista | 2014-2015


O projeto estabeleceu a relação entre PUCPR e as escolas públicas municipais e estaduais de educação básica por meio do desenvolvimento de 14 subprojetos, que articulam as licenciaturas com a participação de 440 bolsistas de iniciação à docência (estudantes de graduação), 27 coordenadores de área (professores dos cursos de licenciaturas da PUCPR), 88 supervisores (professores das escolas de educação básica), 3 coordenadores de gestão e 1 coordenador institucional (professores de cursos de licenciaturas).

São objetivos específicos do Pibid: • Incentivar a formação de docentes em nível superior para a educação básica; • Contribuir para a valorização do magistério; • Elevar a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de licenciatura, promovendo a integração entre educação superior e educação básica; • Inserir os licenciandos no cotidiano de escolas da rede pública de educação, proporcionando-lhes oportunidades de criação e participação em experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar, que busquem a superação de problemas identificados no processo de ensino-aprendizagem; • Incentivar escolas públicas de educação básica, mobilizando seus professores como coformadores dos futuros docentes e tornando-os protagonistas nos processos de formação inicial para o magistério; • Contribuir para a articulação entre teoria e prática, necessária à formação dos docentes, elevando a qualidade das ações acadêmicas nos cursos de licenciatura;

56

• Contribuir para que os estudantes de licenciatura se insiram na cultura escolar do magistério, por meio da apropriação e da reflexão sobre instrumentos, saberes e peculiaridades do trabalho docente.

Educação Superior


Promoção dos direitos humanos Com o objetivo de contribuir para o enfrentamento de toda forma de desigualdade, discriminação e violência contra pessoas e grupos vulneráveis, a PUCPR, por meio de pesquisa, do ensino e da extensão – e na perspectiva do fortalecimento da cultura dos direitos humanos e qualificação das políticas públicas e dos mecanismos de participação social – vem legitimando a relevância pública no apoio às iniciativas de movimentos sociais e organizações da sociedade civil, governos, sistema de justiça e empresas; e na realização de diversas atividades.

Núcleo de Estudos e Defesa de Direitos Humanos Organizado como um espaço permanente de diálogo sobre direitos humanos e políticas públicas, o Núcleo de Estudos e Defesa de Direitos Humanos da PUCPR desenvolve diversos projetos e atividades com o objetivo de fortalecer práticas sociais que contribuam na expansão de direitos como construção de uma nova cultura, com valorização da diversidade, de pactos e de ações coletivas que fortaleçam processos democráticos e emancipatórios. As iniciativas do núcleo oportunizaram vivências acadêmicas e práticas educativas que permitiram a atuação comprometida com a expansão e garantia de direitos, especialmente de grupos discriminados e vulnerabilizados socialmente. Além disso, buscou formar uma ampla rede em direitos humanos, agregando estudos e pesquisas interdisciplinares, agentes, organizações e movimentos sociais, órgãos públicos e governamentais.

57

Relatório Social Marista | 2014-2015


Alguns dos projetos desenvolvidos pelo Núcleo de Direitos Humanos: • Observatório de Direitos Humanos; • Revista Eletrônica; • Grupos de Estudos: Diálogos em Direitos Humanos; • Direitos Humanos em Movimento: atuação em escolas para fomentar, integrar e fortalecer as agendas em direitos humanos; • Comunidade Ativa: atuação em territórios para o desenvolvimento de novas tecnologias, metodologias e conhecimentos; • Biblioteca e videoteca em direitos humanos; • Ciclo de Cinema; • Cursos, congressos e fóruns; • Assessoria em Direitos Humanos.

Observatório de Direitos Humanos O Observatório de Direitos Humanos (ODH) tem o objetivo de monitorar as violações de direitos humanos e suas formas de enfrentamento na construção democrática dos direitos e da participação social no Brasil e América Latina. Em 2015, desenvolveu ações como a produção de análises quinzenais a partir de reportagens, debates e conhecimentos produzidos em direitos humanos. O ODH também articulou demais observatórios temáticos em defesa dos direitos e da qualificação legal e técnica de políticas públicas. No observatório, também são relacionados artigos, reportagens e documentos. Em 2016, será lançado o site do Núcleo de Direitos Humanos (NDH), um importante espaço de comunicação das atividades do núcleo.

58

Educação Superior


Revista Eletrônica A Revista da Rede Brasileira de Estudos Avançados em Direitos Humanos e Políticas Públicas reúne pesquisadores da PUCPR e diversas universidades brasileiras, que abordam e produzem conhecimentos, de modo sistemático e permanente, em direitos humanos e políticas públicas, principalmente no Brasil e na América Latina. Em 2015, esteve em fase de planejamento e criação a revista própria que integra o Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas Públicas (PPGDH) e o Núcleo de Direitos Humanos (NDH).

Diálogos em Direitos Humanos Os Diálogos em Direitos Humanos são realizados mensalmente e ocorrem de modo interativo nas escolas da PUCPR e em espaços dos movimentos sociais e outras formas de defesa de direitos. Compõem o “Café Filosófico”, que deverá ser realizado nas escolas públicas e cuja temática será “Filosofia e Direitos Humanos”. Os grupos realizaram reuniões de estudo semanais e mensais com os temas: Direitos Humanos; Alteridade e Constituição; Educação em Direitos Humanos; e Metodologias Participativas: Gênero e Desigualdades; Violações e Políticas Públicas. As atividades com destaque em 2015 foram: Encontro sobre a violência de gênero em Cuba, com as professoras cubanas da Universidade de Hogin – uma parceria entre os Núcleos de Gênero da PUCPR e da UFPR; e Debate sobre a violência de gênero.

59

Relatório Social Marista | 2014-2015


Fórum Permanente em Direitos Humanos e eventos na área O Fórum Permanente em Direitos Humanos é um espaço de debates sobre temas transversais e específicos em direitos humanos. Seu objetivo é estabelecer um diálogo entre a produção acadêmica e as atuações institucionais e políticas na área. Em 2015, foram priorizados os seguintes temas: “Redução da maioridade penal”; “Situação da mulher no sistema penal”; “Violência contra os professores”; e “Formação em direitos humanos”. Além das atividades externas e internas realizadas, o NDH também participou de conferências em direitos humanos; criança e adolescente; mulher; pessoa com deficiência; assistência social; LGBT e pessoa idosa.

Educação em Direitos Humanos Em 2014, a PUCPR iniciou a implementação do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas Públicas (PPGDH). A iniciativa proposta está vinculada a um contexto institucional de ampla experiência em ensino, pesquisa e extensão em áreas relativas aos direitos humanos. O programa visa a formação de docentes e a realização de pesquisas que superem barreiras disciplinares e, desta forma, possam apreender a complexidade e os desafios do contexto local e regional. Ele se alinha às políticas nacionais, como as Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos, e busca ser um indutor de pesquisas interdisciplinares nesta área.

60

Em 2015, foram realizadas ações que fortalecem a educação em direitos humanos, como: Formação de professores – Diversidade e Gênero; Formação em direitos humanos para os estudantes e professores do Pibic; aula de direitos

Educação Superior


humanos para estudantes de Pedagogia do projeto piloto da disciplina de Educação Marista; e a primeira etapa da Formação em direitos humanos para os estudantes do projeto Escola Transformadora.

Comunidade Ativa O projeto Comunidade Ativa visa promover direitos e intervir nos territórios com a aplicação de novas tecnologias, metodologias e conhecimentos. A iniciativa se dá a partir do interesse e das necessidades diagnosticadas e ressignificadas pelos sujeitos e atores institucionais implicados, em espaços territoriais que expressam maior condição de desigualdade, violência e outros fatores de vulnerabilidade. Neste projeto iniciou-se um acompanhamento das ações do Fórum de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes da Vila Torres, a formação em direitos humanos dos participantes do projeto Escola Transformadora e do Curso de Português para Haitianos, além da participação em atividades externas, como o Dia da Bandeira do Haiti, a realização de audiência pública e diversas reuniões para o trabalho em rede. Realizado em parceria com o Instituto Ciência e Fé, o curso de Português e o apoio individualizado aos imigrantes haitianos têm sido projetos centrais no NDH.

Direitos Humanos atuando em Rede: • Cooperações e Apoios: Organizações em fase de articulação: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); Organização das Nações Unidas Para Alimentação e Agricultura (FAO); UNICEF; UNESCO; Centro Rio+; Centro de Excelência para Alimentação; Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República; Instituto Interamericano em Direitos Humanos; Instituto de Estudos LatinoAmericanos (UFSC); Centro de Apoio às Promotorias de Direitos Cons-

Relatório Social Marista | 2014-2015

61


titucionais; Centro de Referência em Direitos Humanos (Cáritas); e Programa Eurosocial; • Organizações e movimentos vinculados: Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome; Comissão Municipal de Direitos Humanos de Curitiba; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR); Conselho Regional de Serviço Social; Conselho Regional de Psicologia; Observatório do Trabalho de Curitiba; Observatório da Juventude; Centro Marista de Defesa da Infância; Instituto Ciência e Fé; Centro de Formação Urbano-Rural Irmã Araújo – (Cefuria); Associação Inter-religiosa de Educação; Movimento Nacional da População em Situação de Rua; Mulheres Negras; Terra de Direitos; Movimento dos Trabalhadores sem Terra; Marcha das Mulheres; União Brasileira de Mulheres; Movimento LGBT; Movimento Negro; Centro dos Movimentos Sociais; Coletivo de Lutas Antimanicomial.

Assessoria em Direitos Humanos – Escola de Gestão Social Desde 2015, o Núcleo de Direitos Humanos (NDH) presta serviços de assessoria e consultoria a órgãos públicos, entidades e movimentos sociais visando à qualificação de competências em gestão social, trabalho social e mecanismos de controle democrático e participação social. Em 2015, o NDH promoveu: capacitação em Justiça Restaurativa para profissionais que atendem adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto; assessoria para a Pastoral Universitária no Tema: Fé e Política; assessoria na formação em gênero para professores e professoras da Escola Manoel Ribas; assessoria na Conferência Municipal de Direitos Humanos em Pinhais (PR); assessoria na Conferência Municipal de Direitos

62

Educação Superior


Humanos, em União da Vitória (PR); assessoria em gênero e direitos humanos no Centro Educacional Marista Ecológica, em Almirante Tamandaré (PR); e capacitações individuais em direitos humanos e trabalho social (Serviço Social e Psicologia).

Destaque Durante o ano de 2015, também foram realizados projetos para captação de parcerias na área, com destaque para: • Formação de equipe especializada em atendimento a pessoas em uso abusivo de álcool e outras drogas (em fase de implantação);
 • Formação de polo de referência em mediação e justiça restaurativa. (CNJ e MJ); • Consultoria em Justiça Restaurativa e medidas socioeducativas (Prefeitura/TJ/MP/Governors State University – GSU); • Captação de recursos e projetos visando o desenvolvimento social em territórios mais vulneráveis, especialmente na Vila Torres; • Capacitação em Direitos Humanos e Trabalho Social (600 participantes, com envolvimento de professoras do Serviço Social e Psicologia – publicação em elaboração).

Direitos Humanos no ensino da Matemática O projeto Direitos Humanos no ensino da Matemática consiste na oferta de aulas de reforço de Matemática para estudantes da comunidade da Vila Torres, na cidade de Curitiba (PR), desenvolvidas pelos próprios acadêmicos da

63

Relatório Social Marista | 2014-2015


universidade como projeto comunitário. Estima-se que 50 crianças e jovens foram atendidos desde que o projeto teve início em 2015. As aulas acontecem na biblioteca comunitária do bairro e as famílias já começam a perceber os resultados no rendimento escolar de seus filhos e filhas.

A Pesquisa Científica: contribuição para uma sociedade mais justa e solidária Dentro do ensino, pesquisa e extensão, processos indissociáveis de uma universidade, as atividades de pesquisa constituem um importante componente para a relevância dos impactos econômico, social, organizacional e cultural gerados pela instituição. A Iniciação Científica (IC) na PUCPR é uma linha de atuação prioritária da universidade, sendo a forma institucionalizada de desenvolver atividades de pesquisa, sob orientação docente, enquanto o aluno cursa graduação ou Ensino Médio. Outro importante incentivo na área da pesquisa é o Programa de Iniciação Científica Júnior (PIBIC Jr). Alunos do Ensino Médio de escolas públicas e universitários são incentivados a questionar, pesquisar e criar. Em parceria com mais de 50 colégios desde 2007 até 2015, a PUCPR acolheu, nos seus câmpus, mais de 600 estudantes do Ensino Médio. Bolsas PIBIC Jr.

64

Ano

Bolsa PUCPR

Fundação Araucária

CNPq

Total

2013

30

16

35

81

2014

50

-

35

85

2015

50

-

35

85

FONTE: Coordenação de Iniciação Científica – PIBIC PUCPR

Educação Superior


Atendimento a novas demandas da sociedade Com o objetivo de atender as novas demandas da sociedade, e considerando os critérios de alinhamento institucional, sintonia social, sustentabilidade, transdisciplinaridade, potencial de inovação e internacionalização, a PUCPR definiu suas áreas prioritárias, norteadoras e balizadoras de políticas institucionais para incentivar o ensino, a pesquisa e a extensão. Foram definidas seis áreas estratégicas: Uso de ferramentas moleculares e terapia celular para melhorar a saúde, reprodução e produção de animais.

Como consumir menos energia e reduzir o impacto ambiental das cidades.

Urbanização e tecnologias inteligentes.

Como determinar e diagnosticar fatores de risco de suscetibilidade a doenças crônicas e tropicais.

Pesquisa interdisciplinar em políticas públicas e resolução de conflitos.

Uso de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) em business intelligence, políticas públicas, tecnologia em saúde e cidades inteligentes.

Ações de inclusão de alunos deficientes desenvolvidas na PUCPR O Grupo de Trabalho de Apoio ao Universitário com Necessidades Especiais (GTAUNE) teve, como objetivo, proceder à identificação e às orientações ao

Relatório Social Marista | 2014-2015

65


universitário com deficiência permanente ou transitória ou síndromes específicas, para promoção de seu desenvolvimento acadêmico. Dentre as ações desenvolvidas a partir do Programa de Apoio ao Universitário com Necessidades Especiais, o GTAUNE apresentou à Pró-Reitoria de Graduação uma proposta de política de inclusão da PUCPR. Os objetivos da política incluíram: • Definir políticas de atendimento e acompanhamento de alunos com deficiências em cursos de graduação da PUCPR; • Estabelecer processos de atendimento e acompanhamento de alunos com deficiência; • Nortear e amparar decisões relativas a procedimentos a serem adotados frente às diferentes necessidades de alunos com deficiência.

Monitoria Acadêmica A Monitoria Acadêmica é uma importante ferramenta no processo de ensino e aprendizagem, pois tem o compromisso de desenvolver a autonomia e a formação integral dos estudantes, incentivar a interação entre os discentes, bem como propiciar apoio aos estudantes que necessitam de maior atenção, seja por déficit de aprendizagem ou outros fatores. A principal atividade do estudante monitor é ajudar seus pares com os conteúdos das disciplinas, identificando a causa dos problemas de aprendizagem, como, por exemplo, a aplicação e compreensão de conceitos, interpretação de texto e redação, levando os colegas a entenderem o raciocínio, ajudando-os na construção da autonomia acadêmica e chamando a atenção para a necessidade de disciplina e dedicação.

66

Em 2015, foram recebidos 98 projetos de monitoria e os estudantes monitores permaneceram à disposição dos colegas durante todo o semestre, inclusive nos exames finais.

Educação Superior


Detecção de aliciamento de crianças e adolescentes na Internet Desenvolvido por um grupo de pesquisadores da PUCPR, o projeto Detecção de aliciamento de crianças e adolescentes na Internet buscou estabelecer um método de detecção de aliciamento sexual de menores em salas de bate-papo (chat) baseado na identificação dos estágios do diálogo entre um agressor e sua possível vítima, considerando uma abordagem de aprendizado de máquina para a referida identificação. O projeto trabalhou com uma abordagem de autoproteção da criança e do adolescente de modo a desenvolver um sistema computacional que atuasse preventivamente e não após a ocorrência do abuso sexual. Para estabelecer os níveis de suscetibilidade, foi aplicada a combinação dos resultados probabilísticos dos métodos implementados no sistema computacional proposto. Assim, criou-se a figura de um semáforo que fica visível para a criança ou adolescente, de modo a permitir o conhecimento do risco em uma conversa com um suposto “amigo”. Para 2016, os professores/pesquisadores já elaboraram um plano de ação organizando as etapas e novos desenvolvimentos.

Acesso a formação no Ensino Superior A Aliança Educativa é o Programa de Relacionamento da PUCPR com alunos e colégios do Ensino Médio de ensino. Seu objetivo é levar o conhecimento das profissões e esclarecer dúvidas sobre a possibilidade de ingresso no Ensino Superior para os jovens que, até então, acreditavam que não poderiam ingressar em uma instituição de ensino superior privada. Por meio do programa, alunos e professores do Ensino Médio podem interagir com a universidade e esclarecer dúvidas sobre os diferentes cursos de graduação, bolsas e financiamentos e serviços ofertados pela instituição.

Relatório Social Marista | 2014-2015

67


Em 2015, foram realizadas as seguintes ações com instituições sociais: • 4 PUCTOURs com 258 alunos de 8º ano do Ensino Fundamental II ao 3º ano do Ensino Médio da ONG ABC VIDA; • 1 PUCTOUR com 56 alunos do 3º ano do Ensino Médio que fazem curso preparatório para o vestibular no curso Formação Solidária; • 1 PUCTOUR com 20 alunos de 8º ano do Ensino Fundamental II ao 3º ano do Ensino Médio que frequentam o Centro de Referência de Assistência Social em Pinhais (PR); • Montagem de 1 estande itinerante na sede da Guarda Mirim de São José dos Pinhais, que atendeu 225 alunos de 8º ano do Ensino Fundamental II ao 3º ano do Ensino Médio que frequentam a Guarda Mirim de São José dos Pinhais no contraturno; • 4 palestras para 150 alunos entre 1º e 3º ano do Ensino Médio da Guarda Mirim de São José dos Pinhais. As palestras foram sobre os cursos de Medicina, Engenharia Mecânica, Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo.

68

Educação Superior


Desenvolvimento Social e Sustentável A PUCPR utiliza em seus eventos e ações uma grande quantidade de materiais de comunicação, como banners de lona e tecido. Preocupada em promover um destino adequado a estes materiais, buscou parceiros para reciclagem e conheceu a Associação Borda Viva, que é uma organização sem fins lucrativos cujo objetivo é o resgate social da família, dando uma atenção especial à criança e promovendo a mulher para o mercado de trabalho. O objetivo da parceria é destinar todos os materiais de comunicação usados em eventos e comunicações da PUCPR para o ateliê de costura da associação, que desenvolve produtos para, posteriormente, serem adquiridos pela universidade para distribuição em eventos, como brindes para palestrantes e convidados. Visando ter produtos exclusivos, com design diferenciado, buscou-se uma parceria interna com o curso de Design de Moda da PUCPR. A parceria resultou na contribuição da universidade para o desenvolvimento social e sustentável, com impactos positivos na redução de materiais descartáveis, na inserção social da mulher e na geração de renda para diversas famílias da Associação Borda Viva.

69

Relatório Social Marista | 2014-2015


Capacitação para Prevenção de Desastres: o uso de novas tecnologias como apoio ao trabalho da Defesa Civil Este projeto contribui na capacitação de crianças e jovens para a prevenção de desastres utilizando-se da tecnologia de Jogos Digitais. Sua intenção é promover o aprendizado deste tema de grande relevância de uma forma lúdica e divertida. Os jogos foram desenvolvidos durante o 1º SEEDS´ Game Jam, realizado em julho de 2015 pela Escola Politécnica da PUCPR. Após a avaliação dos jogos, os três melhores classificados foram disponibilizados à defesa civil de forma gratuita, a fim de serem utilizadas por alunos de escolas municipais de Curitiba, podendo, inclusive, ser disponibilizados para download nos respectivos sites dos órgãos municipais de interesse. Para 2016, será realizado o teste da aplicabilidade dos games em escolas, com a participação dos alunos e professores da Rede Municipal de Ensino, além da divulgação a toda população do município de Curitiba, por meio dos canais da Prefeitura Municipal de Curitiba (COMPDEC).

Atendimentos jurídicos e de saúde para a comunidade A PUCPR desenvolve serviços, programas e ações de inclusão social em seus câmpus nos municípios de Curitiba, Londrina, Toledo e Maringá. Em 2015, a universidade prestou, de forma contínua, serviços nas áreas jurídica e de saúde à comunidade para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

70

Educação Superior


Clínicas de Saúde

Clínica de Nutrição, Câmpus Curitiba.

Clínica de Odontologia, Câmpus Curitiba.

Pronto-Socorro Odontológico, Câmpus Curitiba. Núcleo de Prática em Psicologia, Câmpus Curitiba.

Núcleo de Prática em Psicologia, Câmpus Toledo

Clínica de Fisioterapia, Câmpus Curitiba.

Principais atividades

Nº pessoas atendidas em 2015 Atendimento individual e coletivo da população, incluindo 864 crianças com excesso de peso, candidatos à cirurgia bariátrica, pacientes com diabetes e hipertensão, gestantes e atletas, todos encaminhados pelos sistemas públicos de saúde. Atendimento clínico nas seguintes áreas: cirurgia, dentística, 10.882 endodontia, periodontia, estomatologia, pacientes com deficiência, saúde coletiva, odontopediatria, traumatismo dentário, serviço de radiologia. Pronto atendimento de urgência/emergência 24 horas. 12.637

Atendimento prioritário à população em situação de vulnerabilidade social nos campos de processos clínicos e psicologia institucional. O público atendido são crianças, adolescentes, adultos, idosos, famílias e colaboradores da instituição de estágio. Atendimento prioritário à população em situação de vulnerabilidade social nos campos de processos clínicos e psicologia institucional. O público atendido são crianças, adolescentes, adultos, idosos, famílias e colaboradores da instituição de estágio. Atendimento às pessoas com distúrbios relacionados à vida cotidiana e ao ambiente de trabalho, em diversos ambulatórios.

Núcleos de Práticas Jurídicas

Principais atividades

Núcleo de Prática Jurídica da PUCPR, Câmpus Curitiba. Núcleo de Prática Jurídica da PUCPR, Câmpus Maringá.

Atendimento jurídico e orientações à comunidade nas diversas áreas do Direito.

754

770

832

Nº pessoas atendidas em 2015 607

227

71

Relatório Social Marista | 2014-2015


Núcleos de Práticas Jurídicas

Principais atividades

Nº pessoas atendidas em 2015

Núcleo de Prática Jurídica da PUCPR, Câmpus São José dos Pinhais. Núcleo de Prática Jurídica, Câmpus Londrina.

Atendimento jurídico e orientações à comunidade nas diversas áreas do Direito.

191

127

72

Educação Superior


Lutar pela Vida Desenvolvido pelo Centro Universitário – Católica de Santa Catarina em parceria com a Associação Diocesana de Promoção Social, o projeto Lutar pela vida promove a inclusão social com o objetivo de oportunizar a garantia da convivência social e comunitária às crianças e adolescentes por meio do esporte. São ofertadas aulas gratuitas de karatê e cidadania. O projeto é realizado em bairros de alta vulnerabilidade social dos municípios de Jaraguá do Sul e Joinville, em Santa Catarina. Em 2015, foram atendidas 130 crianças entre 7 e 14 anos, proporcionando o fortalecimento de valores e despertando o desejo para a continuidade dos estudos e da prática esportiva.

73

Relatório Social Marista | 2014-2015


EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

O Grupo Marista oferta Educação Profissional de Nível Médio por meio do TECPUC uma instituição de ensino técnico com experiência de 20 anos na área educacional. Temos o maior portfólio nesse segmento e nossos cursos são motivados por um conteúdo dinâmico e atual e por um corpo docente altamente qualificado. Com sede em Curitiba, localizado no Câmpus da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em 2011 expandiu as atividades para o interior do Paraná e para Santa Catarina. O TECPUC oferta mais de 20 opções de cursos técnicos de nível médio, concomitante e subsequente e técnicos integrados ao Ensino Médio, oferece cursos InCompanny para empresas com a propostas de atender a qualificação técnica dos seus colaboradores e o programa de desenvolvimento de Jovem Aprendiz, assistente em serviços administrativos. O TECPUC integra a Rede Marista de Solidariedade promovendo o acesso à Educação Profissional com a oferta de bolsas de estudo integrais e parciais a alunos com perfil socioeconômico compatível para concessão. Dessa forma, demonstra contribuir para o atingimento das metas estabelecidas no Plano Nacional de Educação (PNE) relativas a oferta de matrículas gratuitas na Educação Profissional Técnica de Nível Médio no Brasil.


Acesso à Educação Profissional Oferta de bolsas de Educação Profissional nas unidades do TECPUC

2014

TECPUC

2015

TECPUC

Total de alunos matriculados1

3.843

3.308

2.758

Total de bolsas

1.215

579

514

1º semestre

20

50

156 1.215 bolsas

579 bolsas

529

1.059 Recursos aplicados em gratuidade 76

Redução de

2º semestre

514 bolsas

494

19,07% de 2014 para 2015

Bolsas de 100% (integrais) Bolsas de 50% (parciais) 1

Considera a Educação Profissional Técnica de Nível Médio ofertada pelas unidades do TECPUC nas modalidades: integrado, concomitante e subsequente.

Educação Profissional


Direcionamentos da Rede Marista de Solidariedade (RMS) para a Educação Profissional Destaques 1. Desenvolver projetos de Educação para a Solidariedade na perspectiva de fomentar a reflexão e as práticas de solidariedade, segundo as diretrizes institucionais; 2. Mobilizar os públicos diretos e indiretos em prol das temáticas sociais desenvolvidas pela Rede Marista de Solidariedade.

77

Relatório Social Marista | 2014-2015


Alunos e professores em interação e ação com e nas comunidades As ações de solidariedade do TECPUC buscam promover a troca de experiências e de conhecimento científico e tecnológico, somados aos valores institucionais, por meio da interação com comunidades em situação de vulnerabilidade social. Organizado pela equipe de Pastoral, o projeto atendeu, em 2015, moradores da Vila Mauá, em Colombo (PR). As ações contribuem para a formação dos alunos a partir de projetos e experiências concretas em comunidades e organizações sociais, promovendo a educação para a solidariedade. O projeto também possibilitou, às pessoas da comunidade, o aprendizado de técnicas por meio das oficinas, além da construção coletiva de uma horta que abastece algumas famílias mais vulneráveis A partir de 2016, a comunidade também terá atendimento psicológico gratuito, feito pela PUCPR.

Destaque As ações desenvolvidas foram: • Momento Formativo: Contextualização da real conjuntura da comunidade; • Oficinas: Customização de roupas e artesanato; EPIs e Segurança doméstica; Sal de Ervas; e Iogurte Kefir;

78

• Lazer: Recreação com as crianças; Pintura de rosto; e Oficina de balões (PJM); • Convivência: visita dos envolvidos no projeto às residências das famílias da comunidade.

Educação Profissional


Depoimento “O projeto desenvolvido pela Pastoral do TECPUC, em 2015, foi realizado em parceria com a AMECIM e trouxe informações importantes à comunidade por meio das oficinas: de Design de Moda, que mostrou como dar uma sobrevida às roupas e acessórios usados; de Segurança do Trabalho, sobre os cuidados no trabalho e em casa; de Nutrição e Biotecnologia, que apresentou como enriquecer e aproveitar bem os alimentos; além da construção de uma Horta Comunitária, entre outros. Nestas oficinas, algumas mulheres da comunidade viram um potencial de melhoria financeira na utilização de conhecimentos de costura, bordado e tricô quando se articularam e começaram a produzir peças para venda, desde caixinhas de utilidades, aplicação de bordados, pinturas e outras técnicas para transformar roupas e bolsas até a criação de outras peças.” José Osmair Possebam e César Staudt Missel – Presidente e Secretário da AMECIM – Colombo (PR).

79

Relatório Social Marista | 2014-2015


EDUCAÇÃO BÁSICA A Educação Básica é ofertada pela Rede Marista de Colégios e Centros Educacionais e Sociais Maristas, que se constituem em espaços de aprendizagem, vida e evangelização, cujo projeto educativo tem por objetivo oferecer ao aluno/educando possibilidades de se desenvolver em todas as suas dimensões por meio de uma educação integral de qualidade. Os Colégios Maristas, distribuídos nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, na cidade de Goiânia e no Distrito Federal, acreditam no sonho de transformar o mundo por meio da excelência na educação. Ao reunirem todos os elementos necessários para o desenvolvimento de uma educação construtora, todos os anos eles preparam seus alunos para além dos bons resultados em sala de aula, têm o compromisso de inspirar valores sólidos e acompanhar as mudanças da sociedade nas questões sociais, culturais e ambientais. Da Educação Infantil aos Ensinos Fundamental e Médio, a rede de 18 colégios dispõe de ampla infraestrutura e formação pedagógica que contribuem para o desenvolvimento de gerações de profissionais, líderes sociais, expoentes na política, nas ciências e nas artes. Uma combinação única de bons valores com excelência para formar cidadãos éticos, justos e solidários. A Rede Marista de Colégios integra-se, de forma complementar, à área de Solidariedade e à Rede Marista de Solidariedade, promovendo o acesso à Educação Básica com a oferta de bolsas de estudo integrais e parciais e por meio de projetos em Educação para a Solidariedade.


Direcionamentos da Rede Marista de Solidariedade (RMS) para a Educação Básica Destaques 1. Desenvolver projetos específicos – pedagógicos, pastorais e sociais – com os alunos da Rede de Colégios, que contemplem a temática dos direitos de crianças e jovens na perspectiva da formação de sujeitos cidadãos. 2. Desenvolver projetos de educação para a solidariedade, na perspectiva de fomentar a reflexão e as práticas de solidariedade, segundo as diretrizes apresentadas neste documento. 3. Estabelecer conexão com as unidades sociais da RMS por meio de projetos compartilhados. 4. Mobilizar os públicos diretos e indiretos em prol das temáticas sociais desenvolvidas pela RMS.

Projeto de formação continuada em direitos humanos 82

Realizado nos colégios Maristas da cidade de São Paulo, o projeto de formação em direitos humanos consistiu em fomentar o desenvolvimento de uma cultura de convivência a partir das discussões e da formação continuada em direitos humanos. Educar para a convivência implica em educar para o respeito às diferenças, sejam elas de ordem cultural, social, econômica, política e, até mesmo, física. O projeto capacitou os educadores para atuarem nos seus espaços educacionais de modo a não promover ou reproduzir automaticamente indiferenças, discriminações, desigualdades ou invisibilidades.

Educação Básica


Além de discutir as normativas legais na área de direitos humanos: Estatuto da Criança e Adolescente; Lei 10.639/0 – História e Cultura Africana e Indígena; Lei Bullying etc., o projeto de formação em direitos humanos também proporcionou a articulação com outros sujeitos do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente na cidade de São Paulo.

Depoimento “A série de encontros ofereceu subsídios que permitiram aos educadores a reflexão, o debate e o diálogo acerca de suas práticas a partir de temas que, inseridos no currículo escolar, valorizam, garantem e significam os princípios da democracia, da cidadania e da dignidade humana.” Adilson Passetti - Professor e coordenador de Geografia do Colégio Marista Arquidiocesano, de São Paulo (SP).

83

Relatório Social Marista | 2014-2015


84

Educação Básica


Participação e Cidadania: alunos debatem orçamento e controle social O Projeto Orçamento Criança e Adolescente (OCA) tem como objetivo promover a interação da criança e do adolescente na construção do orçamento público e no acompanhamento de sua aplicação, bem como despertar o interesse, a conscientização e a participação ativa na gestão financeira de gastos no âmbito familiar, municipal, estadual e nacional, além de estimular o protagonismo na defesa dos direitos e interesses de crianças e adolescentes, na perspectiva da cidadania e da solidariedade. O projeto OCA proporcionou a conscientização dos estudantes acerca da importância de participar dos orçamentos públicos, no sentido de indicar necessidades e acompanhar as ações dele decorrentes; da participação ativa nos debates relativos à cidadania e à solidariedade; do fortalecimento da competência política articulada ao cotidiano dos estudantes dentro e fora do ambiente escolar, além da abertura para novos olhares e possibilidades de participação cidadã na promoção e defesa dos direitos das infâncias e juventudes. Em 2015, além dos alunos do Colégio Marista Pio XII, em Ponta Grossa (PR), alunos do 8o e 9o ano do Colégio Maristinha, em Brasília (DF), também fizeram parte do projeto.

85

Tecendo Redes: Participação na construção do Conselho Municipal de Juventudes (CMJ) O projeto Tecendo Redes é uma iniciativa do Colégio Marista de Criciúma (SC) que consiste na construção de parcerias, ideias e ações concretas com órgãos

Relatório Social Marista | 2014-2015


governamentais e não governamentais, entidades beneficentes, igreja e afins para reeditar a revogação da Lei nº 1.185/2001, que regulamenta o Conselho Municipal de Juventudes (CMJ). Seu objetivo foi criar uma comissão municipal de juventude para acompanhar as políticas públicas inerentes às juventudes no município de Criciúma (SC). A iniciativa buscou garantir a efetivação dos direitos das juventudes por meio de políticas públicas, reconhecendo o jovem como sujeito de direitos universais e singulares; promovendo seminários, cursos, congressos e eventos correlatos às temáticas pertinentes às juventudes; examinando propostas, denúncias e queixas relacionadas às ações voltadas a área das juventudes, principalmente no que tange à violação dos direitos assegurados pelo estatuto da juventude; e elegendo um representante do Colégio Marista Criciúma como membro do CMJ. Resultados atingidos: desenvolvimento pleno do protagonismo juvenil; discernimento acerca dos ritos processuais necessários para a construção de políticas e direitos; e apropriação dos direitos e deveres referentes às juventudes, presentes no estatuto.

Depoimento

86

“Para mim, o Fórum proporcionou debates e momentos de aprendizagens que foram essenciais para a minha formação como cidadã. O jovem de hoje que nasceu em meio às tecnologias convive diariamente com distintas opiniões que o ajudam a concretizar a sua. Ser atuante na sociedade e participar atentamente dos acontecimentos sociais como nos fóruns fazem de mim uma pessoa mais crítica, reflexiva e participativa.” Maria Laura Reis Remor – Aluna do Ensino Médio/Terceirão, do Colégio Marista de Criciúma, (SC).

Educação Básica


87

Relatรณrio Social Marista | 2014-2015


Ações voluntárias unem protagonismo juvenil e solidariedade Com a participação de alunos do 2º ano do Ensino Médio do Colégio Marista Paranaense, em Curitiba (PR), o Projeto Geração de Valores buscou, por meio de atividades periódicas, coletivas e sequenciais, promover o protagonismo juvenil e a solidariedade. Suas ações voltaram-se às crianças e adolescentes em tratamento de saúde no Hospital Pequeno Príncipe, localizado na capital paranaense. Os alunos participaram de atividades recreativas e educativas com as crianças no ambulatório do hospital e contaram com o acompanhamento da equipe de Pastoral do Colégio Paranaense. Ações voluntárias também foram realizadas em regiões em situação de vulnerabilidade social por um grupo de alunos do colégio. Em instituições sociais, o grupo realizou diversas atividades, como contação de histórias e aulas de pintura e desenho, e participaram das atividades oferecidas pela instituição parceira.

88

Educação Básica


Educação Básica 2015

Rede Marista de Colégios

Educação Infantil 0 a 3 anos (Creche) 3 18

Bolsa de 100% Bolsa de 50%

Educação Infantil 4 a 5 anos (Pré-escola) 8 40

Bolsa de 100% Bolsa de 50%

Total de alunos

Ensino Fundamental 163 803

Bolsa de 100% Bolsa de 50%

26.318

Total de bolsas

1.685

Ensino Médio 90

Bolsa de 100% Bolsa de 50%

Total de bolsas

217 433

1.685

Educação Básica


Centros Educacionais e Sociais Maristas

Educação Infantil 0 a 3 anos (Creche) 699

Bolsa de 100%

Educação Infantil 4 a 5 anos (Pré-escola) 964

Total de bolsas

5.095

Total de alunos

Bolsa de 100%

Ensino Fundamental

5.095

2.689

Bolsa de 100%

Ensino Médio

Bolsa de 100%

743 Abertura das bolsas da creche e pré-escola (Educação Infantil) por tempo integral Creche e pré-escola em tempo integral

1.449

Creche e pré-escola

214

Ensino Médio Integrado à Educação Profissional Bolsa de 100%

Total de bolsas Relatório Social Marista | 2014-2015

5.095

91


SOLIDARIEDADE Os Centros Educacionais e Sociais Maristas que compõem a Rede Marista de Solidariedade (RMS) estão distribuídos em territórios de vulnerabilidade social nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. O princípio orientador da proposta socioeducativa da RMS é a promoção e defesa dos direitos das infâncias e juventudes. Destaca-se aqui o direito à aprendizagem na perspectiva da formação integral, da participação e do diálogo intercultural. A Educação Integral, que tem como horizonte a formação integral, demanda um currículo que seja vinculado à cultura, aos saberes e à realidade dos educandos; com suas vozes, necessidades, linguagens e vivências; e com a vida que pulsa dentro e fora dos muros escolares. Ao conhecer e se reconhecer no território, ao perceber as aprendizagens decorrentes dessa imersão e ao identificar potencialidades e necessidades nesses espaços, transformações podem ser impressas. As unidades sociais contribuem para transformações no território ao conectar o processo de ensino e aprendizagem à vida do educando, possibilitando que ele se beneficie dos recursos educativos de sua comunidade e que produza conhecimentos relevantes para sua transformação. Em cada uma das unidades educacionais, busca-se criar tempos e espaços nos quais as crianças e os jovens tenham o direito a ter suas culturas reconhecidas, valorizadas e potencializadas. Nesse processo dialógico e intercultural, procura-se compreender as dimensões do ser criança/adolescente/jovem e viver a infância/adolescência/juventude nos contextos culturais, simbólicos, históricos, sociais, econômicos e outros onde a RMS atua, bem como conhecer


a forma como as crianças/adolescentes/jovens produzem e manifestam suas culturas e conhecimentos. Acredita-se na escuta atenta e sensível das vozes e linguagens dos educandos, favorecendo sua participação genuína nos projetos e práticas pedagógicas. Conheça os serviços prestados em cada uma das unidades sociais no Apêndice C na página 190.

Direcionamentos da Rede Marista de Solidariedade (RMS) para Área de Solidariedade Destaques 1. Garantir o atendimento a crianças, jovens e famílias, na perspectiva da emancipação dos sujeitos e da transformação pessoal e comunitária.

94

2. Desenvolver e aprimorar novos conhecimentos, em consonância com os cenários e as tendências nacionais e internacionais, nas áreas de Educação, Assistência Social e DCA. 3. Qualificar a presença Marista nos territórios, junto aos diversos públicos atendidos, a fim de contribuir para a adequação das modalidades e dos projetos desenvolvidos às demandas das comunidades atendidas; 4. Incidir nos diversos setores da sociedade de forma a consolidar uma proposta socioeducativa com foco em direitos. 5. Garantir a participação de crianças a jovens nos âmbitos possíveis, no que se refere à reflexão, elaboração e execução da proposta socioeducativa. 6. Desenvolver processos de avaliação (diagnóstico, processo e impacto) das modalidades de atendimento oferecidas; 7. Inovar as propostas socioeducativas na perspectiva da qualificação das ações e do impacto dos resultados.

Solidariedade


8. Sistematizar as práticas socioeducativas para oportunizar a construção e disseminação de conhecimento, avaliação e melhoria dessas práticas. 9. Elaborar projetos que ampliem e inovem o atendimento, contemplando a parceria com outras organizações. 10. Fortalecer o trabalho em rede e a conectividade com a comunidade. 11. Desenvolver o advocacy nas temáticas de direitos de crianças a jovens.

Algumas considerações acerca da Educação Infantil (EI) Considerando o atendimento direto da Educação Infantil, falamos na perspectiva de quem defende e atua com e para as crianças por meio do: • Atendimento e atuação nos territórios com alto índice de vulnerabilidade; • Desenvolvimento de projetos alinhados aos estudos e olhares para as potencialidades do território; • Formação contínua dos educadores e gestores que atuam diretamente com as crianças; • Diálogos e debates com o Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente; • Participação e incidência na formulação de políticas públicas para e com as infâncias; • Contribuição na formação e qualificação de profissionais do território local que atuam na promoção e defesa de direitos da criança e do adolescente, por meio de “itinerários formativos” que fomentem novas reflexões e práticas socioeducativas.

Relatório Social Marista | 2014-2015

95


Algumas considerações acerca do Ensino Fundamental (EF) A proposta educativa do Ensino Fundamental tem como solo epistemológico o Projeto Marista para o Ensino Fundamental. Essa proposta se consolida na medida em que a solidariedade é incorporada ao currículo e às práticas educativas, possibilitando aos educandos e educadores conviverem de maneira qualitativa com a diversidade e a diferença. São objetivos da proposta: • Propiciar condições para que os estudantes assumam seu ofício de forma autônoma, reflexiva e solidária, favorecendo a sensibilidade, a criatividade, a cidadania planetária, os diálogos culturais e os valores humanos e cristãos; • Favorecer a formação do docente para que se estabeleçam relações por meio da investigação e ampliação dos saberes historicamente construídos entre as diversas culturas e a formação acadêmica, de modo a uma atuação de forma crítica, ética e responsável;

96

• Contribuir para a constante reflexão fundamentada nos princípios da Missão Marista, de forma que os diferentes sujeitos da comunidade escolar elaborem ações que priorizem a qualificação das relações humanas, tanto na esfera pública quanto na privada.

Algumas considerações acerca do Ensino Médio (EM) Proposta inovadora, que considere os seguintes pressupostos conceituais: • Deslocamento, de uma visão abstrata, iluminista e racionalista, para uma compreensão histórica e social;

Solidariedade


• Integração de espaçotempos, conhecimentos e saberes – integrar componentes curriculares e áreas do conhecimento; • Superação do caráter enciclopédico (aprender por repetição), dualista (mercado de trabalho para os pobres em contraponto a uma sólida formação para os futuros líderes) e fragmentado (fracionado em disciplinas e com isolamento entre elas, sacrificando o caráter pesquisatório do EM); • Respeito às identidades, culturas e necessidades juvenis; • Ausência hierárquica entre saberes e áreas do conhecimento; • Respeito aos aspectos legais e institucionais; • Uma proposta híbrida (projetos integrados e aprofundamentos específicos de conceitos nas áreas do conhecimento); • Planejamento curricular fundamentado no diagnóstico (perfil de entrada), com vistas à construção de itinerário para um perfil de saída; • Garantia de acesso a um conjunto de conhecimentos e saberes científicos, éticos e estéticos a partir da diversidade dos sujeitos; • Clareza política na adoção dos critérios que orientam o processo de seleção de conteúdos; • Solidez na fundamentação teórica e metodológica.

Conviver Marista O projeto Conviver Marista foi desenvolvido durante o ano de 2014 e implantado em 2015 nas unidades educacionais e sociais da Rede Marista de Solidariedade (RMS). Seu objetivo tem sido reformular a proposta curricular do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, previsto na Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), Lei nº 8.742/93. O desafio do Conviver Marista é tornar o serviço mais flexível frente às demandas específicas dos territórios onde as unidades estão situadas.

Relatório Social Marista | 2014-2015

97


Este trabalho foi desenvolvido coletivamente para atender cerca de três mil educandos com idades entre 6 a 17 anos, que participam de projetos/oficinas contemplando as linguagens de artes cênicas, artes visuais, educomunicação, musicalização, robótica (lego educativo), circo, dentre outras. Propõe, dessa forma, a construção de um currículo pautado em valores Maristas e na apresentação de eixos significativos para os diferentes territórios onde estão inseridas as 13 unidades de Conviver Marista. Maior participação das crianças e adolescentes, autonomia e liberdade, respeito às individualidades, possibilidade de escolha dos projetos e oficinas, valorização de diferentes formas de aprendizagem, educação para a investigação e um currículo articulado com a vida foram elementos construtores do Conviver Marista.

Com o projeto Conviver Marista, o Centro Marista Ir. Justino recebeu os seguintes prêmios:

98

• Mapa da Inovação e Criatividade na Educação Básica. Uma iniciativa do Ministério da Educação e Cultura (MEC) cujo objetivo é fortalecer instituições públicas e particulares, além de organizações não governamentais, que possuem propostas arrojadas na Educação Básica; • Desafio Criativos da Escola, com o projeto “Nordestiando”, desenvolvido pelos educandos do Centro Social. O Desafio Criativos da Escola é uma iniciativa do Instituto Alana.

Solidariedade


Depoimento “Aqui no Centro Social temos a possibilidade de escolha de projetos. Quando começa o semestre são apresentados os projetos e dialogamos com os colegas qual o projeto que iremos escolher. Esse ano eu estou no projeto Sawabona. Nesse projeto aprendemos sobre o racismo e igualdade, conversando sobre os direitos humanos. Outras ações foram os ensaios fotográficos mostrando que o negro deve ser valorizado e tem uma beleza própria; também pesquisamos sobre o negro na mídia, entrevistas na comunidade, as religiões que vêm da África e o teatro que representou a sociedade racista que infelizmente envolve o nosso país.” Mariane Lima dos Santos, de 13 Anos – Educanda do Centro Social Marista Ir. Justino, São Paulo (SP).

99

Relatório Social Marista | 2014-2015


Assessoramento sobre o direito ao brincar e ambientes educativos Em parceria com diversas instituições, o Centro Marista de Defesa da Infância realizou a formação de educadores, gestores públicos e agentes do Sistema de Garantia de Direitos na temática direito ao brincar. O projeto Brincadiquê? Pelo direito ao Brincar buscou o fortalecimento do direito ao brincar na infância em escolas, organizações não governamentais, ruas, parques e demais espaços de convivência. O projeto foi realizado nos municípios de Apiaí e Itaoca, estado de São Paulo; e em Santana do Paraíso, Minas Gerais. Em 2015, após 8 (oito) seminários, 168 horas de formação; avaliação de impacto do projeto e entrega de cartas de recomendação referente à garantia do direito ao brincar nas políticas locais, o projeto foi finalizado.

100

Ainda em 2015 foi desenvolvido o projeto Brincadiquê? Pelo direito ao Brincar – ACONCHEGO, com o objetivo de fortalecer o vínculo familiar e comunitário por meio de formações aos atores do Sistema de Garantia de Direitos, com atenção especial aos profissionais de saúde. Com foco na primeiríssima infância (0 a 3 anos), o projeto foi realizado no município de Cajati, em São Paulo. As ações abrangeram a análise dos dados relativos ao município e escolas selecionadas para o projeto e a elaboração da proposta executiva do projeto.

Pelo direito ao Brincar na escola O projeto Brincadiquê? Pelo direito ao Brincar na escola foi desenvolvido com o objetivo de incidir na qualidade da Educação Infantil e do primeiro ano do Ensino Fundamental da escola pública – especialmente na alfabetização, letramento e linguagem matemática – por meio de formações a educadores da rede pública.

Solidariedade


As ações de 2015 abrangeram a finalização do projeto em 13 municípios, sistematização de relatórios e recomendações referentes à garantia do direito ao brincar para a política de educação básica de cada município; e a realização do 2o seminário, aberto nos 13 municípios.

Municípios capacitados: • Almirante Tamandaré, Araucária, Colombo, Contenda, Pinhais, São José dos Pinhais e Paranaguá, no Paraná; • São José, em Santa Catarina; • Caixas do Sul, no Rio Grande do Sul; • Campo Grande, no Mato Grosso do Sul; • Cuiabá e Várzea Grande, no Mato Grosso.

Ainda em 2015, também foi desenvolvido O projeto Brincadiquê? Pelo Direito ao Brincar na comunidade – AQUARELA, com o objetivo de fortalecer a Educação Infantil por meio da formação de profissionais que atuam com crianças de até 5 anos. Realizado no município de Cezarina, em Goiânia, o projeto teve foco na primeiríssima infância (0 a 3 anos). Voltadas para a análise dos dados relativos ao município e às áreas do Sistema de Garantia de Direitos selecionadas para o projeto, as ações consistiram na elaboração da proposta executiva e na realização do 1o Seminário Aberto para o lançamento do projeto, com participação de 60 profissionais das áreas da educação, promoção social e da sociedade civil.

Pelo Direito ao Brincar na comunidade O projeto Brincadiquê? Pelo Direito ao Brincar na comunidade – CATAVENTO foi desenvolvido com o objetivo de fortalecer o vínculo familiar e comunitário

Relatório Social Marista | 2014-2015

101


por meio de formações aos atores do Sistema de Garantia de Direitos, com atenção especial aos profissionais da Educação Infantil. Realizado no município de Ijaci, em Minas Gerais, seu foco está na primeira infância (0 a 6 anos). As ações abrangeram, em 2015, a realização de 5 (cinco) seminários com 41 agentes do sistema de garantia de direitos, que participaram de 96 horas de formação; 41 oficinas para famílias após os encontros formativos; participação de crianças em 41 oficinas realizadas pelas famílias e profissionais; participação de 200 famílias em palestras e oficinas; incorporação de oficinas para fortalecimento familiar e comunitário; envolvimento e aproximação entre 10 organizações dos diferentes setores e organizações; contribuições sistemáticas nos planos de trabalho; projetos político-pedagógicos e a incorporação de materiais lúdicos. Dados - Projetos Brincadiquê Dados Gerais

102

Na escola

Brincadiquê? CATAVENTO

Total

Participantes

122

126

68

316

Quantidade de escolas participantes

267

26

2

295

Projeto Político Pedagógico (PPPs) reformulados

267

25

2

294

8.276

3.850

1.530

13.656

11.444

2.732

908

15.084

173.727

5.411

1.838

180.976

11

3

1

15

198

12

10

220

Brinquedos confeccionados Crianças atendidas diretamente pelos participantes Crianças atendidas indiretamente pelos participantes Quantidade de municípios atendidos Quantidade de práticas lúdicas realizadas com os Grupos de Trabalhos (GTs)

Solidariedade


Diagnósticos Quantidade de unidades que receberam a equipe para diagnóstico

487

8

4

499

Quantidade de crianças atendidas diretamente

4.357

440

83

4.880

Quantidade de brinquedos confeccionados

1.826

200

0

2.026

11

4

2

17

Quantidade de participantes

2.150

360

290

2.800

Quantidade de brinquedos confeccionados

6.450

120

120

6.690

Seminários abertos Quantidade de seminários abertos

Referente ao projeto CATAVENTO Oficinas realizadas com famílias e comunidade

26

Quantidade de participantes nas oficinas com família e comunidade

392

Quantidade de brinquedos confeccionados nas oficinas com famílias e comunidade

410

103

Relatório Social Marista | 2014-2015


Defenda-se: enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes Realizada pelo Centro de Defesa da Infância, a campanha “Defenda-se” contribuiu com as políticas e a mobilização da sociedade no enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes, com foco na prevenção e promoção da autoproteção de meninos e meninas contra o abuso e a exploração sexual. Em 2015, foram lançados quatro vídeos educativos sobre o carnaval e o período de férias; canais de denúncia; carinhos saudáveis e abusivos; e desigualdade de gênero. Produzidos com linguagem amigável e divulgados nas redes sociais, os vídeos retratam situações cotidianas em que a criança pode se defender ao relatar a violência para alguém de confiança ou fazer uma denúncia para o Disque 100. A campanha também foi direcionada para educadores e profissionais do Sistema de Garantia de Direitos.

104

Solidariedade


VÍDEOS Acesse os vídeos da campanha nos endereços: Defenda-se 7 – Carnaval: bit.ly/defendase-carnaval Defenda-se 8 – Canais de denúncia: bit.ly/defendase-denuncia Defenda-se 9 – Carinhos: bit.ly/defendase-carinho Defenda-se 10 – Direitos: bit.ly/defendase-direitos

O Centro Marista de Defesa da Infância apoiou tecnicamente e politicamente um grupo de pesquisadores da PUCPR responsáveis pelo projeto Detecção de aliciamento de crianças e adolescentes na Internet. O projeto foi desenvolvido por um grupo de pesquisadores da PUCPR.

A Campanha Defenda-se foi reconhecida pela 5ª edição do Prêmio Neide Castanha 2015, na categoria “Protagonismo de Crianças e Adolescentes”. O prêmio elege as iniciativas que se destacaram na defesa dos direitos de crianças e adolescentes, especialmente as que colaboram para o enfrentamento da violência sexual de meninos e meninas no país. Além da série inicial, foram produzidos, em parceria com a !MAGO Produções Educativas, materiais para a Campanha de Carnaval, além de versões legendadas em espanhol e inglês, versões em libras e audiodescrição.

Relatório Social Marista | 2014-2015

105


Fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos O Centro Marista de Defesa da infância integra a coordenação do Fórum Estadual de Defesa de Direitos da Criança e do Adolescente (Fórum DCA/PR) com o objetivo de contribuir para o fortalecimento da atuação da sociedade civil no controle social das políticas de direito da criança e do adolescente no Paraná. Em 2015, realizou articulação e mobilização da sociedade civil para reeleição ao Conselho Estadual dos Direitos da Criança e Adolescente do Paraná (CEDCA-PR), participando como membro da Câmara Setorial Permanente de Gerenciamento do Fundo Estadual da Infância e da Adolescência, cuja finalidade é analisar a destinação e aplicação dos recursos do fundo estadual. Participou também como membro do Comitê Interinstitucional de Elaboração, implantação e Acompanhamento do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado do Paraná, com a finalidade de monitoramento da política DCA e seu constante aperfeiçoamento.

106

Estação Casa: promoção dos direitos de crianças que vivem em contexto prisional O Estação Casa é um centro social da Rede Marista de Solidariedade que atua na promoção e defesa de direitos de crianças, filhos e filhas de mulheres privadas de liberdade que vivem na Penitenciária Feminina do Paraná, em Piraquara. É um espaço de atendimento que funciona dentro da própria penitenciária, mas as instalações são independentes da estrutura carcerária.

Solidariedade


As ações voltadas para as crianças e suas mães respeitam a maternagem e as culturas infantis com dinâmicas e processos que garantam a dignidade e promovam a efetivação de direitos. O Estação Casa conta com uma equipe multidisciplinar composta por uma coordenadora, uma assistente social, uma psicóloga e educadoras sociais, que atenderam cerca de 95 mulheres e 95 crianças em 2015. As ações são desenvolvidas em parceria com o Governo do Estado do Paraná.

Ações coletivas O atendimento realizado no Estação Casa somou-se à articulação junto ao Poder Público e à sociedade para a efetivação dos direitos destas crianças, que estão na fronteira da invisibilidade. Nesse sentido, foi possível alcançar alguns resultados, como a melhoria do acesso à saúde de mães e crianças e a viabilização de vagas na rede pública de Educação Infantil do município de Piraquara. Iniciativas como esta se efetivaram a partir da escuta das mães e crianças, da formulação de diagnósticos e do planejamento de ações coletivas.

Estação Casa Situacional

Conceitual

107 Operatório

Defesa

Promoção

Gestão Administrava

Incidência

Direito

Arculação – Políca de Atendimento e Garana de Direitos

Formação

Pedagógica

Plano de Incidência

Plano de Formação

Relatório Social Marista | 2014-2015

P.P.A.


Diretrizes do Estação Casa Não se Deseja

Deseja-se

Enfrentamentos

Instucionalizar o atendimento engessar a rona;

Que haja respeito às culturas infans;

Desatrelar os tempos do presídio com os tempos das crianças;

Que as crianças e mães parcipem das dinâmicas da casa;

Construir outra cultura, outros olhares para as crianças, para o espaço e para as mulheres;

Que mães e crianças sejam privadas da convivência codiana; Que haja privação da convivência familiar; Que o convívio seja mecanizado; Que o casgo e a punição prevaleçam; Que a alimentação seja inadequada; Que a casa se configure como uma “Ilha da Fantasia”.

Que o direito ao brincar se efeve; Que o espaço seja acolhedor; Que a dimensão do cuidar seja garanda; Que se proporcione um processo formavo para as mães e outros atores; Que as crianças conheçam sua história e tenham registros dessa passagem;

Mudar a cultura puniva – mulheres perdem o direito de ir e vir, mas não perdem o direito de serem mães; Humanizar as relações e o espaço – violência é efeito do poder; Contradições entre o posicionamento da RMS, Polícas de Garana de Direitos e o sistema prisional.

Que todos tenham tratamento digno; Que as rupturas sejam minimizadas por meio de processos humanizados de despedida e acolhida; Que as crianças frequentem outros espaços; Que as mães sejam protagonistas das “maternagem ”;

108

Que se construa uma metodologia que subsidie a implantação de políca pública específica.

(Re)inserção social de média complexidade Uma das 27 unidades sociais que compõem a Rede Marista de Solidariedade, o Centro Social Marista Propulsão presta atendimento gratuito a adolescentes com histórico abusivo de álcool e outras drogas, posicionando-se como um dispositivo de (re)inserção social de média complexidade, de acordo com o que é estabelecido na Política Nacional de Atenção Integral ao Usuário de Álcool e Drogas, e de acordo com a Política Nacional de Assistência Social.

Solidariedade


O Centro Social Marista Propulsão traça seu Plano Singular de Atendimento em parceria com o adolescente, sua família e as instituições por onde ele transita. Em 2015, o Propulsão atendeu 76 encaminhamentos originários da Secretaria de Segurança Pública, Secretaria de Educação, Secretaria de Assistência Social e Secretaria de Saúde. Foram realizadas 1880 mil ações dentro dos Planos Singulares de Atendimento. Também foram realizadas palestras, seminários e encontros, tendo como tema principal o “Cuidado em Liberdade e Saúde Mental Infantojuvenil”.

Prêmio: O Centro Social Marista Propulsão foi contemplado como entidade que, em 2015, realizou ações efetivas de valorização à vida e cuidados para pessoas com uso abusivo de álcool e outras drogas. A solenidade de entrega foi realizada na Secretaria Estadual de Segurança Pública, e o prêmio foi concedido pelo Ministério da Justiça, via Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad).

Economia Solidária: assessoramento, fomento e pesquisa Realizado em parceria com a PUCPR, a Trilhas – Incubadora Social Marista é um projeto da Rede Marista de Solidariedade que desenvolve e acompanha projetos de incubação de Economia Solidária em Curitiba e nos municípios da Região Metropolitana.

Relatório Social Marista | 2014-2015

109


Focos do projeto: • Realizar fomento, assessoramento técnico e incidência política com o intuito de oferecer subsídios para que os empreendimentos incubados alcancem condições sociais, econômicas e políticas favoráveis à sua existência; • Articular os eixos de ensino, pesquisa e extensão com vistas à produção de conhecimento e desenvolvimento de tecnologias sociais inovadoras e replicáveis, a fim de dar suporte científico e tecnológico aos empreendimentos econômicos solidários que desejam trabalhar de forma associada, cooperativa e solidária.

110

Em 2015, atuou em diversos projetos nos 41 empreendimentos acompanhados. O trabalho aconteceu prioritariamente a partir do assessoramento político, técnico, administrativo e financeiro; do desenvolvimento integral sustentável das comunidades; da formação de cadeias organizativas, redes de empreendimentos e geração de renda; e da promoção e defesa de direitos já estabelecidos através de distintas formas de ação e reinvindicação na esfera política e no contexto da sociedade, inclusive por meio da articulação com órgãos públicos e privados, por meio dos seguintes projetos:

Centro Público de Economia Solidária O Centro Público de Economia Solidária (CPES) de São José dos Pinhais (PR) é um espaço destinado à comercialização dos produtos dos grupos que integram o programa de Economia Solidária do Município. Desde 2012, a RMS é responsável pela gestão do presente espaço. Em 2015, a Trilhas iniciou um processo de gestão compartilhada do espaço, que envol-

Solidariedade


veu trabalhadores(as) em todos os processos de gestão do CPES, inclusive no atendimento ao público. Cerca de 20 trabalhadores(as) organizados(as) em grupos informais trabalham de forma cooperativa, solidária e autogestionária, um exemplo de que é possível trabalhar de forma coletiva e associada. O CPES integra a rede nacional de pontos fixos de comercialização e está se estruturando para receber novos grupos.

Formiguinhas da Arte O Empreendimento Formiguinhas da Arte é formado por 12 mulheres residentes no município de Fazenda Rio Grande (PR). O grupo se organizou com o objetivo de promover uma feira de artesanato e trabalhos manuais no centro da cidade, no entanto, não conseguiu a estrutura necessária para realizar a feira. Ao acompanhar o empreendimento, a Trilhas identificou a necessidade da formação para a prática da autogestão e do apoio à comercialização. A partir daí, iniciou um processo de incidência pública e de intercâmbio de experiências. Como resultados do trabalho realizado, destaca-se a conquista de uma loja dentro do terminal de Fazenda Rio Grande. Dentre as ações desenvolvidas no município, está o resgate da cultura em cerâmica e o planejamento para desenvolvimento de linhas diferentes de produtos.

Participação ativa nas políticas públicas A participação da sociedade civil nos espaços de formulação, implementação e acompanhamento de políticas públicas é essencial para a garantia de ações governamentais que efetivem direitos, com vistas à uma sociedade mais digna e justa. A Rede Marista de Solidariedade tem uma atuação ativa nestes espa-

Relatório Social Marista | 2014-2015

111


ços de discussão e deliberação sobre os direitos de crianças e adolescentes, juventudes, educação, assistência social, economia solidária e áreas afins. Os representantes Maristas participaram de conselhos municipais, estaduais e nacionais, fóruns, associações, redes da sociedade civil e conferências públicas. Para tanto, recebem formação continuada, voltada a uma atuação com qualidade na defesa dos interesses coletivos e respeito às diversidades. Em 2015, os representantes Maristas atuaram em mais de 90 espaços, como conselhos, fóruns, associações e redes, especialmente nas áreas de Direitos da Criança e Adolescentes, Educação e Assistência Social. Percentual de Representação em Fóruns e Conselhos Outros *

112

37%

Fórum Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (PR)

1%

Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA-PR)

1%

Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA)

1% 5%

Fórum (Direitos)

8%

Fóruns (Educação) Política de Drogas e Saúde Mental

7%

Conselho Municipal da Juventude

7%

Conselho Municipal de Educação

6% 5%

Políticas de Economia Solidária Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS)

9%

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA)

16% 0%

10%

20%

30%

* A Rede Marista de Solidariedade também está presente em outros conselhos, comissões, comitês e conferências não discriminados acima.

Solidariedade


Representações estaduais e nacional Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do adolescente (CONANDA) Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente e Fórum Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, no estado do Paraná.

O Grupo Marista atua em sinergia com a Missão Solidária Marista das Américas e com a Fundação Marista de Solidariedade Internacional (FMSI), que possui status de organização consultiva na Comissão de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), com especial atenção aos direitos da criança e do adolescente.

Trabalhando em rede e compartilhando o conhecimento 113 Avaliação “Da” e “Na” Educação Infantil: Significando Conceitos e Práticas A publicação Avaliação “Da” e “Na” Educação Infantil: Significando Conceitos e Práticas traz experiências da Rede Marista de Solidariedade na construção e implementação de uma Matriz de Avaliação para a oferta de Educação Infantil nas unidades educacionais vinculadas à rede. Demonstra as concepções e práticas que viabilizam o levantamento de indicadores e desenvolvimento de uma proposta avaliativa da/na Educação Infantil centrada no direito da criança.

Relatório Social Marista | 2014-2015


A obra convida diversos atores, como educadores, pesquisadores, gestores e outros agentes da rede de proteção à criança, para refletir a avaliação “da” e “na” Educação Infantil, fortalecendo assim o direito das crianças a uma educação de qualidade.

114

A proposta é contribuir com a formação de profissionais da Educação que atuem sob a perspectiva da promoção e defesa de direitos de crianças e jovens, proporcionando reflexões para quem trabalha junto às crianças. A publicação é caracterizada pelo esforço de discutir, política e, pedagogicamente, a construção de indicadores e de processos avaliativos sob o ponto de vista da oferta e do percurso formativo na Educação Infantil. Ao reconhecer a importância da reflexão sobre a avaliação “da” (indicadores de contexto em que são realizadas as práticas educativas) e “na” (indicadores do processo educativo no interior das instituições) Educação Infantil, os autores deste livro buscam a mobilização e o comprometimento de educadores e demais agentes que definem políticas educacionais na concepção de uma avaliação participativa, potencializando o debate sobre a qualidade da oferta. Dessa forma, a intencionalidade é demarcada pelo desejo de indicar a possibilidade de construir espaços de oferta de Educação Infantil de qualidade social como direito das crianças, consequentemente, pela construção de processos avaliativos igualmente centrados na perspectiva do direito.

Solidariedade


Prêmios • Prêmio concedido pelo Ministério da Justiça, via Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas – SENAD. O Centro Social Marista Propulsão foi contemplado como entidade que, em 2015, realizou ações efetivas de valorização à vida e cuidados para pessoas com uso abusivo de álcool e outras drogas; • O Centro Social Marista Ir. Justino foi incluído no Mapa da Inovação e Criatividade na Educação Básica pelo conjunto da sua atuação. O mapa é uma iniciativa do Ministério da Educação e Cultura (MEC) cujo objetivo é fortalecer instituições públicas e particulares, além de organizações não governamentais, que possuem propostas arrojadas na Educação Básica; • O Centro Social Marista Ir. Justino também foi finalista do Desafio Criativos da Escola, com o projeto “Nordestiando”, desenvolvido pelos educandos do Centro Social que realizaram pesquisas sobre o processo migratório e de formação do bairro União de Vila Nova. Foram realizadas entrevistas com moradores do bairro e também um resgate da importância do brincar na periferia de São Paulo. Com esse material foram produzidos dois documentários: “Migra Ação!” e “Que brincadeira é essa?”. O Desafio Criativos da Escola é uma iniciativa do Instituto Alana.

Relatório Social Marista | 2014-2015

115


Depoimento “Para nós do Centro Social, este reconhecimento ilustra os frutos que temos colhido no cotidiano com as crianças e adolescentes. Tudo isso é resultado de um processo inovador que buscou a participação efetiva dos educandos e educandas no processo educativo. Todos são responsáveis por esses resultados, sejam eles colaboradores, educadores, educandos, famílias e a comunidade.” Aline Paes de Barros – Coordenadora educacional do Centro Social Marista Ir. Justino.

Conviver, Brincar e Aprender

116

O Projeto Ciranda da Cultura: conviver, brincar e aprender é realizado pelo Centro Social Marista Lar Feliz, em Santos (SP), em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e adolescente (CMDCA). Desde março de 2015, as crianças acessaram diversos lugares da cidade utilizando transporte particular e público, participaram de atividades culturais dentro e fora do centro social, conviveram com seus familiares e com a comunidade; e descobriram o universo cultural das cores, dos ritmos, da natureza, dos aromas e dos sabores da primeira infância. Entre passeios a pontos históricos e turísticos e visitas ao território no entorno do centro social, foram mais de 30 atividades, além de diversas participações em apresentações teatrais e sessões de cinema. Uma centena de composições poéticas recheiam o cotidiano das crianças do Lar Feliz. Todos os anos, os cerca de dez portfólios construídos revelam a construção dos saberes das crianças, a trajetória de cada turma, seus interesses, suas descobertas, suas criações, suas múltiplas linguagens, falas e fotos de uma infância feliz, ética e reconhecida. Uma construção que se dá com a mediação de educadores em parceria com a família e comunidade.

Solidariedade


Esta parceria fortaleceu concepções de uma Educação Infantil de qualidade, que prioriza a voz e a vez das crianças pequenas.

Formação em Rede – Itinerários Formativos Em parceria com as unidades sociais Maristas, a RMS realiza, anualmente, eventos formativos externos com o objetivo de contribuir para a formação de profissionais que atuam na promoção e defesa de direitos da criança e do adolescente. Deste modo, os congressos ou seminários focados a um público externo contribuem para que temas considerados importantes pela RMS sejam refletidos por diversas esferas da sociedade, mobilizando o poder público, os educadores e a comunidade. Os Itinerários Formativos contribuem para a formação de profissionais que levem esses temas de incidência aos espaços onde atuam. Em 2015, cerca de 3,7 mil profissionais participaram dos Itinerários Formativos da RMS.

Seminários 2015

117

1400 1200

1300

1000 800

972

600 400 200 0

586

484 201 Educação Educação Infanl Infantojuvenil

Educação Integral

Relatório Social Marista | 2014-2015

152 Serviço Social

Saúde Mental

Congressos e outros


Gestão participativa e foco na qualidade da educação Desde 2014, a Rede Marista de Solidariedade vem desenvolvendo o Sistema Marista de Indicadores (SMI). O SMI coleta, organiza e sistematiza painéis para acompanhamento de indicadores analíticos de qualidade de modo a contribuir para a identificação e compreensão dos pontos de atenção, delineando o foco de investimento e subsidiando a gestão participativa e o projeto político pedagógico das unidades da RMS. Em 2015, desenvolveu mais uma ação de avaliação: as Matrizes Avaliativas Educacionais, compostas pela avaliação da aprendizagem externa da rede, a autoavaliação da gestão e aluno/qualidade/investimento.

118

A avaliação educacional por meio das matrizes é um sistema de informações que tem como objetivos fornecer o diagnóstico e subsídios para a implementação ou manutenção de políticas educacionais para a RMS. É concebida também para prover um contínuo monitoramento do sistema educacional com vistas a detectar os efeitos positivos ou negativos de políticas adotadas pela Instituição, bem como na elaboração de estratégias para melhorias da qualidade e dos processos e do desempenho das unidades da RMS.

Voluntariado e missão: presença junto aos empobrecidos O Programa de Voluntariado Marista busca o fortalecimento da espiritualidade Marista, sendo presença significativa junto aos empobrecidos, em territórios nacionais e internacionais, com enfoque na emancipação dos sujeitos e desenvolvimento das comunidades.

Solidariedade


Por meio do Programa de Voluntariado, os diversos públicos envolvidos: Irmãos, Leigos e Leigas, colaboradores e jovens têm a oportunidade de imergir em outras comunidades, dispondo de suas habilidades, vocação, competências e talentos para o serviço daqueles que estão em situação de vulnerabilidade, numa perspectiva solidária e humana. O Programa de Voluntariado Marista reúne um conjunto de políticas, processos e projetos que viabilizam a identificação dos voluntários, o acompanhamento no discernimento da vocação missionária, a formação teórica e prática e o engajamento desses voluntários nos diferentes projetos do Instituto Marista e organizações parceiras.

Ser voluntário é responder a um chamado para viver a solidariedade, partilhando talentos humanos e recursos materiais. É, assim, uma ação Marista que contribui para a construção de uma nova sociedade, pautada em relações fraternas, justas e comprometidas com o bem comum (Orientações para o voluntariado do Brasil Marista)

119

Relatório Social Marista | 2014-2015


Conheรงa o itinerรกrio do Programa de Voluntariado Marista:

120

Solidariedade


121

Relatรณrio Social Marista | 2014-2015


Depoimento “Conheci pessoas maravilhosas que me enriqueceram, com quem partilhei experiências de vida e diferentes atividades. A experiêcia no Brasil me ajudou a ampliar minha visão das formas concretas de trabalho na Missão Marista, especialmente no encontro com as crianças e o olhar para elas a partir de atividades de promoção e defensa de seus direitos. Ajudou a aprofundar minha espiritualidade com novas formas de orar e com momentos de encontro com Deus no encontro com a comunidade de irmãos e outras pessoas. Foi muito rico para mim a partilha em diferentes momentos, encontros, atividades com outros irmãos Maristas, me senti Marista com eles e com outros colaboradores. Os irmãos da Comunidade Ir. Henri Vergés que me hospedaram foram muito acolhedores e generosos comigo, providenciaram para mim diferentes experiências de encontro com outras comunidades de irmãos, pessoas próximas e eles, experiências de Igreja e conhecimento de lugares. A convivência com eles foi muito alegre e próxima. O mundo Marista, com suas particularidades culturais, tem um núcleo forte de unidade em sua mística e valores; há tanta gente maravilhosa Marista, com um coração que bate com amor pelas crianças e jovens como bateu o de Marcelino.”

122

Peggy Jhoksanna Vivas Rodrigues - Leiga Marista natural da Venezuela. Atuou por um ano como voluntária no Grupo Marista no Núcleo de Pastoral da PUCPR em Curitiba (PR), e no Centro Social Marista Ir. Henri, e na Fazenda Rio Grande (PR). Foi hospedada pela comunidade Ir. Henri Vergès.

Solidariedade


123

Relatรณrio Social Marista | 2014-2015


SAÚDE

Os hospitais do Grupo Marista desenvolvem suas ações de assistência, ensino e pesquisa de maneira articulada e pautada pela Missão Marista. Desse modo, representam um espaço para a realização de práticas acadêmicas e pesquisas que permitem a construção de novos conhecimentos na área de saúde, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da comunidade. Essa sinergia entre a comunidade, a academia e o hospital garante a formação de alunos capazes de atuar com as mais variadas demandas sociais e eleva a contribuição do Grupo Marista para a sociedade. As unidades de saúde que compõem o Grupo Marista são: • Hospital Universitário Cajuru: hospital geral, com ênfase em alta complexidade nas especialidades voltadas ao atendimento de emergências e traumas com atendimento direcionado a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). • Hospital Santa Casa de Curitiba hospital geral, com clínicas médicas e cirúrgicas e serviços de referência em cardiologia, cirurgia cardíaca, nefrologia, pesquisas com células-tronco, transplantes de órgãos e cirurgia bariátrica, com uma ala de internamento exclusiva para pacientes com obesidade mórbida. Seu atendimento é destinado a pacientes do SUS e saúde suplementar.


• Hospital Maternidade Alto Maracanã: hospital especializado em obstetrícia, voltado ao atendimento pré-natal e ao parto, com cerca de 98% do seu atendimento destinado aos usuários ao SUS. • Unidade Intermediária de Crise e Apoio à Vida (UNIICA): atendimento psiquiátrico especializado à saúde suplementar em situações de urgência, tendo como foco o tratamento de patologias provocadas pelo uso de álcool e outras drogas. • Hospital Marcelino Champagnat: presta serviços à saúde suplementar com atendimentos clínico e cirúrgico de média e alta complexidade. Os hospitais integram a Rede Marista de Solidariedade por meio da oferta da prestação de serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS) e do desenvolvimento de projetos de promoção à saúde que contribuam com a qualidade e o cuidado com a vida.

126

Saúde


2014

Saúde APC

10%

2014

3%

Saúde ISCMC

10%

6% Total de serviços prestados ao SUS

Total de serviços prestados ao SUS

87,34%

87,17%

74,34% 2015

Saúde APC

10%

71,17% 2015

3%

10%

Total de serviços prestados ao SUS

81,59%

68,59% Percentual de paciente-dia1

Saúde ISCMC

Atendimentos/procedimentos ambulatoriais2

127

6% Total de serviços prestados ao SUS

91,16%

75,16% Percentual referente às ações prioritárias3

Percentual de paciente-dia corresponde ao total de permanências de um paciente em internações hospitalares. Os atendimentos/procedimentos ambulatoriais são incorporados na prestação de serviços ao SUS no percentual máximo de 10%. 3 Ao percentual total da prestação de serviços para o SUS é adicionado o índice percentual de 1,5% para cada ação prioritária: APC: Atenção às urgências e emergências e Hospitais de ensino. ISCMC: Atenção obstétrica e neonatal; Atenção oncológica; Atenção às urgências e emergências; e Hospitais de ensino. 1 2

Relatório Social Marista | 2014-2015


Direcionamentos da Rede Marista de Solidariedade (RMS) para Área de Saúde. Destaques 1. Fomentar boas práticas de humanização e Educação em Saúde, com enfoque nos direitos humanos; 2. Desenvolver projetos de Educação em Saúde, com enfoque no fortalecimento, na prevenção e na disseminação da informação; 3. Fortalecer a humanização na relação entre o paciente e o cuidador; 4. Estreitar e aprimorar a relação do hospital com a comunidade; 5. Fortalecer a Educação para a Solidariedade por meio de programas e projetos de voluntariado.

128

Atendimento Escolar Hospitalar O Serviço de Atendimento à Rede de Escolarização Hospitalar (SAREH) atende crianças e adolescentes de 3 a 17 anos internados nas unidades de saúde do Grupo Marista. As atividades abrangem desde a motivação à aprendizagem e o acompanhamento do retorno à escola, ao diagnóstico das necessidades e preferências por conteúdos curriculares, ludicidade, socialização e interação. Em 2015, o projeto atendeu 680 pacientes do Hospital Universitário Cajuru e fez 1.883 atendimentos pedagógicos a alunos impossibilitados de frequentar a escola por causa do internamento ou do tratamento de saúde. O projeto foi viabilizado por meio de um convênio entre o Hospital Cajuru e a Secretaria Estadual de Educação do Paraná. Esta iniciativa permitiu a garantia da continuidade do processo de escolarização, mesmo em virtude da situação de internamento no hospital para tratamento de saúde.

Saúde


Campanha de Prevenção do Desaparecimento de Crianças e Adolescentes Dentre as urgências sociais, o desaparecimento de crianças e jovens é um assunto pungente, na maioria dos casos provocado por violência doméstica, negligência, maus tratos, tráfico de drogas, tráfico humano, tráfico de órgãos, exploração sexual, trabalho escravo e adoções ilegais, entre outros. Diante dessa realidade, que ameaça os direitos fundamentais, o Núcleo de Promoção à Saúde do Grupo Marista realizou campanhas com o tema “Prevenção do Desaparecimento de Crianças e Adolescentes”, com dicas sobre prevenção e segurança. A campanha buscou sensibilizar colaboradores, voluntários e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), por meio de ações de divulgação interna, palestras e capacitações.

Relatório Social Marista | 2014-2015

129


Em 2015, foram realizadas ações de divulgação interna, palestra, capacitação dos voluntários e sensibilização para colaboradores, atingindo 1.900 pessoas.

Projeto Nascendo Cidadão Nascendo Cidadão é um projeto desenvolvido pelo Hospital Maternidade Alto Maracanã por meio do Núcleo de Serviço Social, em parceria com a Vara de Infância e Juventude do município de Colombo (PR), que realizou o registro de nascimento de todas as crianças nascidas no hospital. Desde 2003, a iniciativa disponibiliza, em suas dependências, espaço físico para que o Cartório de Registro Civil formalize, de forma gratuita, o registro de nascimento de todas as crianças nascidas no hospital. Tal medida busca assegurar o direito à cidadania das crianças, além de prevenir adoções ilegais.

130 Em novembro de 2015, o projeto Nascendo Cidadão foi condecorado com um dos mais respeitáveis prêmios da área de desenvolvimento humano: o Prêmio Sociedade Civil e Identidade Legal, do Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Juventude e Trânsito #desafiodesolidariedade Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2013 o Brasil foi o país com o maior número de mortes de trânsito por habitantes da América do Sul: mais de 41 mil pessoas perderam a vida nas estradas e ruas brasileiras. Em seus últimos levantamentos, a Organização das Nações Unidas (ONU) demonstra que acidentes no trânsito são a principal causa de morte dos jovens entre 18 e 25 anos.

Saúde


Com o objetivo de contribuir para a prevenção de acidentes com crianças, adolescentes e jovens, o Núcleo de Promoção à Saúde do Grupo Marista promoveu ações no âmbito da Campanha do Movimento Maio Amarelo, com a realização de palestras e debates multidisciplinares sobre um trânsito mais seguro e solidário, com a participação da população acadêmica e de profissionais que atuam junto a este público. Participaram das ações estudantes de graduação e pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e de outras universidades e faculdades de Curitiba, médicos e profissionais da saúde de diversas áreas, além de representantes da sociedade civil organizada, atuantes na defesa de um trânsito seguro e solidário.

O II Seminário Interdisciplinar de Promoção à Saúde ocorreu no dia 20 de maio de 2015 no espaço FTD Digital Arena da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), câmpus Curitiba. Com a presença de 62 participantes, entre estudantes, representantes da sociedade civil e gestores municipais e estaduais, o evento promoveu palestras sobre “Saúde e Segurança Viária”, e “Comportamento de Risco no Trânsito.”

Relatório Social Marista | 2014-2015

131


Promoção da Saúde das Crianças no Sistema Prisional Em meados de 2014, a área de Solidariedade, com o objetivo de promover e defender os direitos de crianças em situação de vulnerabilidade social, implementou o Centro Social Marista Estação Casa. Seu foco está no atendimento às crianças que vivem na Penitenciária Feminina do Paraná, em Piraquara, filhos e filhas de mulheres em situação de privação de liberdade. Em parceria com esse projeto, o Núcleo de Promoção à Saúde do Grupo Marista iniciou a oferta de saúde integral às crianças que são atendidas pelo Estação Casa. A iniciativa abrangeu a assistência de enfermagem, educação em saúde, além da articulação junto ao sistema público de saúde, com vistas à garantia do direito à saúde das crianças.

132

O projeto teve início em outubro de 2015, propiciando a regularização e manutenção do calendário vacinal, a redução de surtos de doenças, além da realização de projetos de prevenção em saúde voltados às mães e agentes penitenciárias, bem como a articulação junto ao sistema público de saúde para viabilização o atendimento.

Depoimento “Atuo na perspectiva de promoção à saúde da criança, organizando uma rotina de atendimentos de forma integralizada, envolvendo ações de puericultura como consultas de monitorização do crescimento e desenvolvimento, acompanhamento da situação vacinal e processos educativos que ocorrem de forma individual acolhendo a busca espontânea e coletiva através de oficinas com

Saúde


temas como amamentação, cuidados com o bebê e saúde da criança respeitando a vivência de maternagem no contexto prisional. Vejo a oportunidade de integrar a equipe do projeto social destinado à defesa de direitos da criança como uma conquista de espaço de atuação enquanto profissional de saúde, considerando a significativa invisibilidade desse público e a falta de um planejamento de atuação que considere a situação de vulnerabilidade da criança nesse contexto pelos órgãos gestores de saúde pública.” Aline Cristina Pienegonda Kohler, enfermeira do Núcleo de Promoção à Saúde da área de Saúde do Grupo Marista que atua em projeto de Promoção à Saúde da Criança, complementando os projetos existentes no Centro Social Marista Estação Casa.

133

Relatório Social Marista | 2014-2015


Voluntários fomentam a cultura da solidariedade O Programa de Voluntariado nas unidades hospitalares do Grupo Marista teve como principal objetivo fomentar a cultura de solidariedade por meio de atividades de bem-estar e melhoria da qualidade de vida dos pacientes, familiares e colaboradores. Para atingir este propósito, o projeto Acolher Novos Voluntários atuou na ambientação do novo voluntário nas unidades hospitalares e na formação inicial para as atividades a serem realizadas, além de alinhar as rotinas diárias de atendimento.

134

Entre as atividades desenvolvidas, estão: apresentação do histórico e a estrutura da unidade hospitalar, noções básicas de segurança, de comunicação em saúde, de infectologia e de processos de higiene e cuidados no hospital. Também foram realizadas palestras práticas a respeito das questões de higienização e cuidado no ambiente hospitalar.

Em 2015, o Voluntariado Hospitalar atuou com 157 voluntários no Hospital Santa Casa de Curitiba (HSCC) e 131 voluntários no Hospital Universitário Cajuru (HUC), totalizando 288 voluntários. Além disso, foram realizados 20.953 acolhimentos nos hospitais. Entre os principais impactos está a melhoria na qualidade de vida e melhor atendimento ao paciente.

Humanizando as relações Os projetos Acompanhamento Solidário e Sentindo na Pele fortaleceram o processo de humanização no acolhimento e na condução do usuário/paciente dentro das unidades hospitalares do Grupo Marista. As iniciativas tiveram o objetivo de assegurar que o paciente fosse acolhido com qualidade e conduzido ao seu destino com agilidade, segurança e conforto.

Saúde


Estas ações envolveram uma equipe multidisciplinar nas orientações e treinamentos práticos para os voluntários sobre o auxílio ao usuário/paciente no processo de comunicação e condução para realização de procedimentos e exames, sejam eles por meio de maca, cadeira de rodas ou deambulando dentro da unidade hospitalar. Os projetos proporcionaram a criação de novas abordagens e ações de acolhida que contribuíram diretamente no processo de humanização e acolhimento de todos os usuários/pacientes, melhorando a atenção, a qualidade e o cuidado nos serviços oferecidos. Em 2015, foram realizados 27 treinamentos nos hospitais Cajuru e Santa Casa, totalizando 80 horas e 207 participantes.

135

Relatório Social Marista | 2014-2015


COMUNICAÇÃO

Os veículos de comunicação do Grupo Marista prezam pela promoção de conhecimento, cultura e cidadania, a fim de formar cidadãos éticos, justos e solidários por meio de processos comunicacionais educativos e culturais de excelência, fundamentados nos valores do Evangelho. A Lumen Comunicação reúne as rádios Lumen FM, a Clube FM e a web radio Lumen Clássica. Os veículos de comunicação levam informação, conhecimento e cidadania a mais de 1 milhão de ouvintes. A !mago Produções Educativas é uma produtora de conteúdos educacionais multimídia do Grupo Marista que se dedica à elaboração de projetos educativos inovadores e criativos. Os vídeos e objetos educacionais digitais contribuem para despertar o interesse pelo conhecimento. A Lumen Comunicação e a !mago Produções Educativas integram a Rede Marista de Solidariedade com a construção de novas linguagens e diferentes formatos de comunicação com crianças e jovens, além de mobilizar a sociedade para os direitos de crianças e jovens.


Direcionamentos da Rede Marista de Solidariedade para a Comunicação Destaques 1. Desenvolver conteúdos com enfoque nos direitos de crianças e jovens e utilizar todos os meios disponíveis para sua disseminação. 2. Considerar a participação direta de crianças e jovens na produção dos conteúdos, quando possível.

138

3. Divulgar e apoiar, nos meios disponíveis, as boas práticas relativas aos direitos de crianças e jovens promovidas pela RMS com parceiros como organizações da sociedade civil, governos, redes temáticas e iniciativa privada.

Comunicação


Clube com a Boca no Trombone O Clube com a Boca no Trombone consiste em uma programação diária na Rádio Clube FM, das 6h às 8h, com oferta de conteúdo e possibilidade de interação com o público interessado por meio dos seguintes programas: • Se beber, não perca a noção: campanha de conscientização sobre os riscos da ingestão de bebida alcoólica; • Clube Saúde: Dra. Karina Grassi, do Hospital Cajuru, promove debates sobre o grande número de acidentes causados pelo excesso do uso do álcool, além de orientações para evitar acidentes; • Seu bolso: orientações de especialistas na área de economia para ajudar os ouvintes a enfrentar a crise financeira atual no Brasil; • Carteira de Trabalho: respostas às dúvidas da população e esclarecimentos de especialistas sobre legislação trabalhista e comportamento no ambiente de trabalho, bem como orientações com vistas a aumentar as chances de conquistar um novo emprego.

Informação e mobilização para incentivar a leitura Veiculada na rádio Lumen FM, a Campanha Se Liga no Livro busca incentivar a leitura por meio de boletins informativos sobre projetos e ações que facilitam o contato com a literatura. Realizado com o apoio da Rede Marista de Solidariedade, o projeto cresceu e desenvolveu novas iniciativas, como o Papo Se liga no Livro, uma série de debates sobre leitura; e a campanha Se Liga no Livro, que une as linguagens da música e da literatura com a arrecadação de livros para serem doados às Tubotecas de Curitiba e organizações sociais.

Relatório Social Marista | 2014-2015

139


A campanha pretende informar e mobilizar a população para um maior engajamento no mundo da leitura, fomentando não só o surgimento de novos leitores, mas também de agentes de incentivo à leitura em Curitiba e nas regiões atingidas pelos veículos de comunicação do Grupo Marista. Cerca de 5 mil livros foram arrecadados nas campanhas promovidas pela Lumen FM. As obras foram direcionadas para a Fundação Cultural de Curitiba e várias organizações sociais.

140

Produção de documentários e vídeos fortalecem o projeto educativo Com objetivo de promover o direito de crianças e jovens, a !mago Produções Educativas desenvolveu produtos audiovisuais que contribuíram para a divulgação de projetos sociais e educativos promovidos por outras áreas do Grupo Marista.

Comunicação


Projeto Tudo de Cor O objetivo do documentário sobre o projeto Tudo de cor para você, realizado na Penitenciária Feminina do Paraná (PFP), foi documentar todo o processo de revitalização da fachada dos blocos externos da unidade e de engajamento das mulheres privadas de liberdade. O documentário também demonstrou que a revitalização da fachada proporcionou um bem-estar maior, relacionado às diferentes sensações que uma revitalização predial pode oferecer.

Campanha Defenda-se A !mago produziu vídeos em formato de animação para a websérie “Defenda-se”. Voltada para crianças de 5 a 11 anos, a Campanha Defenda-se é composta por uma série de dez vídeos com o objetivo de reduzir os índices alarmantes de abuso e exploração sexual de crianças. Além da série inicial, foram produzidos materiais para a Campanha de Carnaval, além de versões legendadas em espanhol e inglês, versões em libras e audiodescrição.

Direito ao Brincar O objetivo do Programa Direito ao Brincar é contribuir para a mobilização da sociedade e do poder público na importância da garantia do direito ao brincar. A !mago contribuiu na produção dos materiais audiovisuais das campanhas “Direito ao Brincar”; “Desafio do Brincar”; e “Jogos, brinquedos e brincadeiras”.

Circuito Projeto de Vida A !mago foi parceira na produção do vídeo explicativo “Como a ferramenta funciona”. O vídeo está localizado dentro do site do projeto, no menu “como funciona”.

Relatório Social Marista | 2014-2015

141


A !mago também foi a parceira responsável pela produção de um vídeo teaser sobre o projeto e um vídeo mais detalhado chamando para conhecer o site do Circuito Projeto de Vida, além de produzir um vídeo do Superior Provincial do Grupo Marista. Dedicado aos professores, educadores, diretores e pastoralistas de todos os colégios e unidades sociais e educacionais do Grupo Marista, o vídeo do Superior Provincial tem o objetivo de deixá-los atentos às informações do Setor de Vida Consagrada e Laicato (SVCL) para uso do Circuito Projeto de Vida.

142

Comunicação


EDITORIAL

A atuação do Grupo Marista no segmento editorial é uma consolidação de seu trabalho no Brasil desde 1897. Fazem parte do Grupo Marista duas editoras: a FTD Educação e a Editora Universitária Champagnat. A FTD Educação tem como missão contribuir na transformação da sociedade por meio de soluções educacionais conectadas com o futuro. É referência pela produção e oferta de conteúdo educacional e cultural adequado e inovador; e se destaca na produção e impressão de livros didáticos e de literatura infantil e juvenil. Além disso, oferece um Sistema de Ensino que integra tradição e modernidade, conteúdos sólidos, recursos impressos e digitais. A Editora Universitária Champagnat atua nos segmentos científico, didático e institucional. Tem como premissa a relevância científica, didática, artística e cultural, visando atender aos interesses de ensino, pesquisa e extensão da comunidade acadêmica da PUCPR, da preservação da memória regional e da sociedade como um todo.


Direcionamentos da Rede Marista de Solidariedade (RMS) para a FTD Educação 1. Fortalecer a imagem e o posicionamento institucional da editora diante do desenvolvimento social por meio dos negócios. 2. Enfatizar estratégias ligadas ao Marketing Social Corporativo. 3. Promover a Operacionalização de Investimento Social Privado por meio de programa e projetos.

146

4. Estabelecer sinergia com a RMS. 5. Fortalecer redes afins, como o Grupo de Instituições, Fundações e Empresas (GIFE), e delas participar. 6. Fomentar, com clientes e fornecedores, possibilidades de investimentos

financeiros com a RMS.

7. Promover, com seus colaboradores, o fortalecimento da RMS por meio de projetos e ações voltados à promoção e à defesa de direitos de crianças e jovens e à educação para a solidariedade. 8. Desenvolver propostas inovadoras para o desenvolvimento da educação para a cultura da solidariedade entre seus colaboradores. 9. Promover a disseminação da RMS entre os colaboradores. 10. Garantir o alinhamento dos projetos de voluntariado corporativo com as diretrizes da RMS. 11. Desenvolver e/ou fomentar um processo de avaliação dos projetos e das ações desenvolvidas, para promover a melhoria de forma continuada e o alinhamento institucional. 12. Desenvolver conteúdos com enfoque nos direitos de crianças e jovens e utilizar todos os meios disponíveis para sua disseminação.

Editorial


Formação de leitores nas escolas públicas busca contribuir no desenvolvimento infantil Desenvolvido pela área de Investimento Social Privado (ISP) da FTD Educação, o projeto Pequenos Leitores capacitou professores, coordenadores e diretores escolares com a intenção de melhorar a formação de leitores nas escolas públicas na faixa etária entre 3 e 5 anos. Para cumprir o objetivo, foram organizados encontros e cursos formativos em parceria com a Comunidade Educativa (CEDAC), em municípios de São Paulo, para incentivar a realização de ações de fomento à leitura nas escolas e para a compreensão da contribuição da leitura e da literatura no desenvolvimento infantil. O programa apresentou resultados como a ampliação da compreensão da informação escrita; maior autonomia dos alunos; melhora na concentração e atenção dos estudantes em sala de aula; desenvolvimento do gosto e hábito de leitura; e maior utilização da biblioteca escolar. Em 2015, teve início a terceira edição do projeto no município de Ferraz de Vasconcelos, em SP, que foi selecionado dentre 20 municípios inscritos. Esta edição terá a duração de dois anos (2015/2016). A ação atenderá cerca de 250 profissionais de educação – entre professores, coordenadores pedagógicos e diretores de Educação Infantil – em 30 escolas públicas da região, além de beneficiar mais de mil alunos entre 3 e 5 anos.

Relatório Social Marista | 2014-2015

147


Os agentes que participam do projeto Pequenos Leitores buscam, de forma coletiva, alcançar as seguintes metas: - Gestão escolar e educacional: contribuir para a implementação da Proposta Pedagógica da rede de ensino e para o Projeto Político Pedagógico das escolas no que se refere ao conteúdo de leitura para as crianças de 3 a 5 anos;

148

- Ensino e aprendizagem de leitura: espera-se que as crianças de 3 a 5 anos atendidas ingressem na cultura escrita de forma significativa e interessante; tenham acesso a um repertório de livros de qualidade; e façam parte de uma comunidade de leitores.

Bibliotecas da primeira infância Em parceria com o Instituto Brasil Leitor, a FTD Educação instalou, em 2015, duas bibliotecas da primeira infância em Vargem e Mongaguá, em SP. As cidades foram selecionadas em segundo e terceiro lugares na edição mais recente do Projeto Pequenos Leitores. As bibliotecas da primeira infância atendem crianças de zero a seis anos. Além de livros, elas também possuem brinquedos, fantasias, jogos, aparelhos de televisão, CDs, DVDs, móveis projetados e até estantes que se transformam em castelos. Os colaboradores das escolas foram capacitados para usar todo o potencial dos equipamentos e para manter e preservar o espaço em conjunto com as crianças.

Editorial


Depoimento

“O Projeto Pequenos Leitores é de grande importância para a FTD, pois coloca em prática nossa missão de transformar a sociedade por meio de soluções educacionais conectadas com o futuro. Estas ações garantem o preparo e o prazer no ensino e na aprendizagem de crianças e jovens, propiciando um diferencial na vida das pessoas.” Izabel Toro – Coordenadora de Investimento Social Privado da FTD Educação.

Relatório Social Marista | 2014-2015

149


Rede da sociedade civil discute garantia de direitos

150

A Rede Temática de Garantia de Direitos é uma iniciativa da União Marista do Brasil (Umbrasil) e do Grupo de Instituições, Fundações e Empresas (GIFE) para o compartilhamento de práticas visando o aperfeiçoamento de ações sociais. Por meio do Programa de Investimento Social Privado, a FTD Educação participa desta rede com o intuito de trocar experiências no campo dos direitos e promover o debate sobre o direito à leitura com outras organizações da sociedade civil. As redes podem sugerir o aprofundamento de temáticas específicas de investimento social, criar oportunidades para a geração e circulação de informações e conhecimento, além de compartilhar práticas e produzir documentos conjuntos, em áreas como políticas públicas, garantia de direitos, desenvolvimento local e saúde.

Editorial


ÁREAS TRANSVERSAIS


SETORES PROVINCIAIS

No Grupo Marista, pastoral é o termo que designa o conjunto de estratégias e ações de evangelização desenvolvidas segundo a especificidade de cada uma das frentes de atuação da instituição: educação, solidariedade, saúde e comunicação. Por evangelização, compreende-se todas as iniciativas que promovem a inculturação dos valores cristãos — a mensagem central de Jesus Cristo — em pessoas e processos. As diretrizes de solidariedade e de pastoral (PROVÍNCIA MARISTA BRASIL CENTRO-SUL, 2011) se conectam na perspectiva de efetivação dos valores cristãos e Maristas, por meio da educação para a solidariedade, do diálogo inter-religioso e multicultural, da comunhão eclesial, da vivência solidária, do desenvolvimento da dimensão espiritual, entre outras iniciativas desenvolvidas no âmbito da promoção e defesa dos direitos das infâncias e juventudes. As equipes responsáveis pela pastoral no Grupo Marista empenham-se, ainda, em promover a sinergia entre parceiros da sociedade civil, do governo e da Igreja, com o propósito de fortalecer redes para a construção de um projeto de sociedade mais justa e solidária.


O Setor de Vida Consagrada e Laicato (SVCL) tem como missão promover a identidade e a perenidade do Carisma de Champagnat e o desenvolvimento das vocações Maristas entre Irmãos, Leigas e Leigos.

156

Participação e protagonismo juvenil A Pastoral do Grupo Marista buscou promover a participação e o protagonismo juvenil no âmbito de seus processos. Exemplo disso são as Comissões de Juventudes, formadas por jovens, com o objetivo de contribuir com a ação evangelizadora Marista e a missão pastoral nas dimensões eclesial, social, política, cultural e institucional. As comissões foram organizadas em torno de quatro atribuições essenciais: foram consultivas, colaborativas, propositivas e representativas, atuando nos níveis local e junto às instâncias do Grupo Marista. Outro destaque foi a participação Marista na III Conferência Nacional da Juventude – amplo processo de debate e de participação sobre o que a juventude quer para o Brasil. A conferência foi estabelecida por meio de Decreto Presidencial e aconteceu em três etapas: municipal, estadual e nacional. Em 2015, a novidade foi a instauração da etapa virtual, o que possibilitou uma maior participação das juventudes. Segundo dados da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), mais de 300 mil jovens participaram do processo da conferência. Houve participação Marista em todas as etapas, com a contribuição e reflexão sobre políticas de juventude e a participação dos jovens das unidades da instituição. Na etapa nacional, realizada em dezembro de 2015 em Brasília, jovens Maristas se uniram a outros dois mil jovens, de diversas realidades do Brasil, para pensar, discutir e propor uma nova agenda política para as juventudes. O projeto Fóruns de Juventudes consiste na promoção de discussão e diálogo entre entidades, instituições e organismos eclesiais e sociais a partir de uma

Pastoral


temática relacionada à promoção e defesa de direitos das crianças, adolescentes e jovens. Os fóruns podem ser realizados em uma ou várias etapas em nível local ou, até mesmo, com a articulação entre unidades de uma mesma cidade. Os Fóruns de Juventudes contribuem para o fortalecimento do trabalho em rede nos espaços decisórios de políticas públicas, bem como o aprofundamento da articulação Marista com outros organismos que atuam com o segmento das infâncias, adolescências e juventudes.

Um passo a mais no Itinerário de Educação para a Solidariedade A experiência vivencial de aprendizado recíproco e dialógico é a proposta da Missão Solidária Marista (MSM) para a promoção da Educação para a Solidariedade. Jovens com mais de 16 anos e com vínculos com a Pastoral de suas unidades (colégios, centros educacionais e sociais, educação profissional e universidades) se inserem em comunidades com diferentes contextos de vulnerabilidade social. O objetivo é permitir aos jovens um olhar mais próximo da realidade, contribuindo para que reflitam sobre seu papel como agentes de mudanças e para que busquem ser promotores de um mundo mais fraterno, justo e solidário. Entre as ações da Missão Solidária Marista, estão a visita às famílias da comunidade, as atividades socioeducativas com crianças, as ações concretas de revitalização de espaços comunitários e as formações para a comunidade. Em 2015, a MSM Ir. Lourenço aconteceu em julho, em Guaraqueçaba (PR). As atividades missionárias aconteceram em duas ilhas (Superagui e Ilha das Peças), nas quais os jovens foram organizados em dois grupos (um para cada ilha) e, durante a semana, foram imersos na realidade dos moradores locais. A missão contou com o apoio do Centro Social Marista Ir. Panini, de Guaraqueçaba.

Relatório Social Marista | 2014-2015

157


Cerca de 20 pessoas, entre jovens, colaboradores e Irmãos Maristas, participaram das ações em Guaraqueçaba.

158

Depoimento “A imersão na família que os hospedou foi um dos grandes focos desta missão. E foi atingido. Uma transformação na forma de ver e concretizar a Missão Solidária Marista. Mais que isso, uma transformação na forma de ver e vivenciar a sociedade.” Andressa Picioli – Andressa foi aluna do Colégio Marista de Maringá, formando-se no ano de 2007. Desde então ela atua como voluntária nas atividades pastorais, além de ser coordenadora da Pastoral Juvenil Marista (PJM) de Maringá.

Pastoral


Formação de líderes engloba autoconhecimento e relações com a sociedade A formação de gestores no Grupo Marista foi ampliada além do conhecimento técnico, passando a englobar o autoconhecimento e as relações com a organização e com a sociedade. Dessa forma, o Programa Liderança Transformadora realizou formações para gestores de diferentes áreas de atuação, de forma a oportunizar: • a busca de novos entendimentos, alternativas e opções capazes de fazer com que os participantes ampliem suas realizações e conquistas; • a troca de experiências e a sinergia entre as diferentes áreas de atuação; • o desenvolvimento de comportamentos conscientes, sustentáveis e alinhados às competências de liderança e gestão do Grupo Marista; • o “aprender a ser” e a interação consigo mesmo e com os outros. Indo além dos encontros presenciais, o programa propôs aos gestores o desafio de, coletivamente, em conjunto com suas equipes, pensarem e criarem proposições de valor. A partir dessas abordagens, a iniciativa pretendeu ampliar a percepção do papel do líder; integrar lideranças; convidar ao autoconhecimento e à reflexão acerca de seu papel em sua própria vida, na organização e na sociedade; e enriquecer as habilidades intra e interpessoais. Em março de 2015, houve uma formação em Curitiba (PR) com a presença do Superior Geral do Instituto Marista; e, em outubro, um encontro em Florianópolis no qual os líderes tiveram a oportunidade de fazer uma imersão na comunidade, inclusive subindo os Morros do Mocotó e do Mont Serrat. Neste segundo, foi oportunizada uma convivência com adolescentes que participam do Centro Educacional Marista Lucia Mayvorne.

Relatório Social Marista | 2014-2015

159


160

Pastoral


Contribuição na construção de projeto de vida de adolescentes e jovens A elaboração de um projeto de vida faz parte da essência da adolescência e da juventude. Com o propósito de contribuir nesse processo de reflexão e construção, o Programa Vida Feliz desenvolveu, em parceria com escolas públicas, projetos que visam oportunizar espaços de escuta, diálogo, formação e acompanhamento de adolescentes e jovens em seu projeto de vida. Em 2015, o programa ofereceu sete projetos: • Pontes: aconteceu em sala de aula, por meio do diálogo sobre diversos temas de interesse dos adolescentes e jovens, com o intuito de despertar para o processo de construção de pessoal do projeto de vida. A iniciativa abrangeu mais de 36 mil estudantes; • Liderança juvenil: desenvolveu encontros que tiveram como foco a formação de líderes e a produção de conhecimento sobre o universo juvenil e suas relações. Participaram mais de 550 jovens; • Abraço solidário: participaram mais de 180 jovens em ações socioeducativas de sustentabilidade ambiental, melhoria de vida da população, entre outras; • Família e educadores: este projeto desenvolveu ações para orientar pais/responsáveis e educadores sobre os processos de discernimento dos adolescentes e jovens: comportamentos, atitudes, tendências, conflitos e projetos de vida. Participaram, aproximadamente, 1,4 mil famílias e educadores; • Conexão Mais Feliz: proporcionou, para mais de 1,5 mil adolescentes e jovens, espaços de reflexão e construção de seu projeto de vida;

Relatório Social Marista | 2014-2015

161


• Conexão Marista: oportunizou partilha e reflexão das vocações pessoais para 96 jovens. O Programa Vida Feliz contou também com uma modalidade eclesial, que realizou com a Igreja local a formação cristã e humana para 7,8 mil adolescentes e jovens, por meio de grupos de reflexão,

162

formação, palestras e evento. Em 2015, foram atendidos, no total, mais de 47 mil jovens nos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e São Paulo.

Depoimento “O Liderança Juvenil, além de proporcionar conhecimento sobre questões que intrigam adolescentes nesta fase complexa da vida, dá a oportunidade de aprender a trabalhar em equipe, desenvolver espírito de liderança e conhecer outros jovens com os mesmos objetivos, criando laços e grandes amizades. A experiência que os educadores dão aos jovens constrói futuros adultos, que pensam diferente da maioria, se tornam protagonistas da sociedade, fazendo assim um mundo melhor, com mais amor e misericórdia, como exemplo do próprio Cristo, fazendo parte de um sonho lindo de Champagnat, que se concretiza graças ao esforço de pessoas que acreditam na juventude, no brilho do seu olhar e na força da sua missão.” Stéfanie Lazzretti – Educanda do projeto liderança juvenil, Chapecó (SC).


Depoimento “O liderança juvenil me ajudou muito a melhorar em vários fatores. Agora sou mais participativo e também sei lidar com os problemas do dia a dia. Além do curso em si, os(as) educadores(as) e os novos amigos que fiz durante esse ano de curso me ajudaram muito a continuar e, principalmente, evoluir.” Allison Boita – Educando do projeto liderança juvenil, Chapecó (SC).

Relatório Social Marista | 2014-2015

163


Circuito de Projeto de Vida (CPV)

164

O Circuito Projeto de Vida (CPV) é um aplicativo para celular, tablet e computador destinado a adolescentes e jovens e quer estabelecer entre eles um pensar sobre projeto de vida e vocação. O aplicativo propõe, de maneira interativa, a construção de reflexões sobre 16 temáticas, chamadas de inspirações, distribuídas em quatro para cada série, do 9 ano a 3ª do ensino médio. Estas “inspirações” instigam a reflexão dos jovens sobre afeto, amizade, carreira, consumo, família, futuro, protagonismo, solidariedade, sonhos e muitos outros. Visa, além disso, desenvolver entre os diferentes atores que interagem e intervêm nesse processo a cultura vocacional nos espaços socioeducativos Maristas. Em sala de aula, o educador de cada turma apresenta os conteúdos de acordo com a série em curso e, através do aplicativo, que pode ser acessado pelo link www.circuitoprojetodevida.com.br, os jovens refletem sobre caminhos e projetos que têm em sua vida. Além do aplicativo, compõe o CPV a Revista Mais Feliz e o Almanaque Vocacional, os quais os educadores também usam no desenvolvimento das atividades. Em 2015, quase 2 mil alunos utilizaram o aplicativo para pensar mais profundamente sobre seus projetos de vida.

Pastoral


Depoimento “O Circuito Projeto de Vida ajudou-nos a visualizar as possibilidades para um futuro por meio de ideias, relatos, testes, projetos e dicas através de temas cotidianos. Nesta fase da vida, onde as decisões vêm à tona, o CPV foi bom para compreender que devo priorizar minha felicidade e ir em busca dos meus sonhos.” Ana Luiza Leite da Silva – aluna da 3ª série do Ensino Médio, Colégio Pio XII, Ponta Grossa (PR).

“O Circuito Projeto de Vida foi importante para os alunos porque refletiu com eles possibilidades, portas que se abrem no dia a dia, para a vida. Os alunos puderam perceber que a escola não é somente um lugar de buscar conteúdos para passar no vestibular. Ela é um espaço dinâmico que favorece o crescimento de todas as dimensões da vida. O circuito serve para apontar caminhos.” Rogério Gabriel dos Santos – Professor de Filosofia, Ensino Religioso e DAPS, Colégio Pio XII, Ponta Grossa (PR).

Relatório Social Marista | 2014-2015

165


166

Itinerários de Formação: adesão ao Carisma Marista Leigas e leigos reconhecem a própria vocação laical Marista e se empenham em um caminho de crescimento pessoal e comunitário e de maior vinculação ao carisma de Champagnat, segundo diferentes modalidades. Para o discernimento da vocação laical Marista é oferecido o Programa de Formação e Vivencia Marista (PFVM), que propõe a cada colaborador a possibilidade de fazer o próprio itinerário de formação conforme sua identificação com a missão e a espiritualidade de Champagnat. Este processo de formação está organizado em quatro etapas: Integração, Imersão, Aprofundamento e Adesão. Integração e Imersão, que são obrigatórias, são desenvolvidas pelo Setor de Pastoral. Aprofundamento e Adesão são opcionais, dependem de uma adesão pessoal e são desenvolvidas pelo Setor de Vida Consagrada e Laicato.

Pastoral


Na etapa de Aprofundamento são oferecidos possíveis itinerários: Vivemar, Retiros, Hermitage Marista, Violetas Maristas, Oficina do Patrimônio Espiritual Marista (PEM), entre outros. Na etapa de Adesão, são oferecidos possíveis itinerários pessoais e comunitários: Afiliados, Movimento Champagnat da Família Marista (MChFM), Grupos Laicais, Pastoral Juvenil Marista (PJM) e Voluntariado. O Instituto entende que o carisma Marista não é apenas dos Irmãos, mas se abre a todos os leigos e leigas que queiram aderir a esta herança deixada por Champagnat. Cursos ofertados em 2015

Nº Participantes

Vivemar

73

Hermitage Marista

38

Oficina Temática de Aprofundamento do PHEM

-

Violetas Maristas

21

Oficinas de Espiritualidade

-

Formação Conjunta

-

28 Fraternidades do MChFM

600

6 Grupos laicais

45

Afiliados

14

Peregrinação a Hermitage

36

Relatório Social Marista | 2014-2015

167


168

Saiba mais em: bit.ly/conceitos-da-missao

Pastoral


171

PESSOAS “O temperamento que mais favorece o apostolado é aquele que, simultaneamente, é alegre, afável e sereno. Isso exige um coração humilde e caridoso.” (São Marcelino Champagnat)

O Grupo Marista é feito por e para as pessoas. Por essa razão, estamos diariamente pensando em estratégias, programas e formas de desenvolver nossos colaboradores para que sejam multiplicadores da excelência com bons valores para a perenidade da missão. Os programas de formação e desenvolvimento são baseados em premissas fundamentais da nossa Instituição: missão, visão e valores. A formação integral do colaborador Marista é prioridade para as áreas que atuam no desenvolvimento humano, aproveitando todo o celeiro educacional da nossa Organização, que une desde a Educação Infantil até o Ensino Superior. Assim como nosso fundador, Marcelino Champagnat, exemplo de formador, educador e ser humano, fazer-se presente no desenvolvimento de uma pessoa é zelar pelo lado técnico e ter um olhar sensível para despertar no colaborador a essência de seu projeto de vida, exercendo seu trabalho inflamado por um ideal e movido pela missão Marista. Contribuindo com as aspirações da Rede Marista de Solidariedade, a área de Desenvolvimento Humano e Organizacional disponibiliza iniciativas e ações que favorecem a educação para a solidariedade e o desenvolvimento integral da pessoa humana.

Relatório Social Marista | 2014-2015


172

Direcionamentos da Rede Marista de Solidariedade (RMS) para a área de Desenvolvimento Pessoal e Profissional Destaques 1. Incluir os conceitos e as práticas de solidariedade, promoção e defesa dos direitos de crianças e jovens na formação/capacitação de gestores e de colaboradores. 2. Fomentar a formação integral dos colaboradores e dos públicos que utilizam nossos serviços. 3. Promover espaços de discussão e formação que sejam propícios à reflexão e à busca de diálogos mais equânimes em relação à sociedade e suas diferenças. 4. Realizar avaliação (diagnóstico, processo, impacto) dos programas de desenvolvimento pessoal e profissional. 5. Fomentar a qualificação profissional dos colaboradores atuantes na promoção e defesa dos direitos das crianças e dos jovens, visando à eficiência e à eficácia dos programas e projetos.

Inclusão e valorização das pessoas na prática organizacional O Programa Incluir foi desenvolvido com o objetivo de promover direitos por meio da consolidação de uma cultura organizacional baseada na inclusão social. Nesse sentido, foram desenvolvidas práticas para incluir, no mundo do trabalho, pessoas com deficiência (PcD), jovens aprendizes, egressos do sistema penal, bem como ações voltadas para as mulheres. As ações enfocam temas transversais, como idade, etnia, gênero e primeiro emprego. Em 2015, o Programa de Inclusão de Pessoas com Deficiência focou na promoção da política de diversidade por meio de debates em relação à temática de convi-

Pessoas


vência, possibilitando a aproximação das equipes de diversas instâncias do Grupo Marista. Foram promovidos dois grandes fóruns sobre a inclusão de profissionais com deficiência, sendo um deles no Hospital Santa Casa, voltado para a inclusão de profissionais com deficiência na área da saúde. O segundo, realizado na PUCPR com gestores e professores, teve o objetivo de compartilhar experiências. Um dos resultados alcançados pelo programa foi o crescimento de 114% quanto na contratação de profissionais com deficiência em todo o Grupo Marista, no período de um ano. Em maio de 2015, quando se iniciou o projeto de inclusão, havia, em todo o grupo, 121 colaboradores com deficiência, número que saltou para 259 em maio de 2016.

Depoimento “A experiência de estar à frente do programa, para mim, particularmente foi e ainda é extremamente enriquecedora. Enquanto pessoa com deficiência, ter a chance de promover esse movimento junto com outras tantas pessoas, tendo contato com tantos talentos e tantos pontos de vista diferentes e existentes aqui no Grupo Marista é um privilégio e uma grande honra para mim! Então, é algo que dá, inclusive, muito sentido ao meu trabalho diário, é algo que faz muita diferença no meu dia a dia. Poder, de fato, construir uma cultura de inclusão de pessoas com deficiência, poder promover a empregabilidade de tantas pessoas e contar com o apoio de tanta gente talentosa aqui no grupo faz com que meu trabalho diário se torne algo com um propósito, com sentido, é algo que me preenche, é algo que me dá prazer em vir trabalhar. Eu tenho prazer em trabalhar e me sinto completamente realizado participando desse grande movimento.” Rafael Goulart De Andrade Sartori Bonfim, colaborador da DDHO, atual responsável pelo Projeto Incluir.

173


174

O Programa de Inclusão busca contribuir para: • A promoção de direitos; • O respeito à diversidade; • O reconhecimento e a valorização da competência profissional das pessoas; • Ações pautadas no princípio da equidade; • A construção de uma relação de parceria ativa entre as pessoas, acolhendo-as e compreendendo-as como diferentes e complementares; • A disseminação dos valores da organização.

Jovem Aprendiz O Jovem Aprendiz, que também faz parte do Programa Incluir, tem o objetivo de ampliar as possibilidades de inserção do jovem no mercado de trabalho. Desenvolvido principalmente com jovens em situação de vulnerabilidade social, a iniciativa oferece uma educação integral, humana e cidadã por meio da aprendizagem através da prática. O Jovem Aprendiz baseia-se na inclusão social, trabalhando a diversidade de forma a contribuir para a promoção dos direitos. Principais ações realizadas em 2015: • Criação do “Diálogo de Desempenho”, uma escuta dos aprendizes e gestores sobre sua percepção a respeito do: sentimento de pertença,

Pessoas


desempenho, aprendizado profissional, abertura para expressão e alinhamento às expetativas profissionais; • Análise de perfil, realizado em parceria com o Centro Social Marista; • Desenho de trilha de desenvolvimento com acolhida, integração com gestores para alinhamento de expectativas, acompanhamento dos três primeiros meses e formações para aprendizes e orientadores; • Criação do pool de talentos: orientação profissional (em parceria com a PUCPR); preparação para o mundo do trabalho (em parceria com o CMS); e acompanhamento das efetivações.

Depoimento “...Quando olho para trás e lembro da minha pequena grande trajetória me sinto orgulhosa pois sei que não foi fácil e ainda não é, pois, trabalhar e estudar é somente para pessoas realmente corajosas. Foi graças ao programa jovem aprendiz que conheci pessoas maravilhosas que me inspiram até hoje e foi aqui também que encontrei a minha profissão. Já me vejo daqui alguns anos trabalhando com desenvolvimento de pessoas dentro do grupo, muitas pessoas me falam que sempre que conto do meu trabalho meus olhos brilham. Pois descobri com amor como trabalhar com amor. E ainda só estou começando pois quando você sonha alto todos os passos parecem ser o primeiro, então esse é só o primeiro passo mais uma vez e a gente tem muito para aprender.” Bruna Natana de Souza – Adolescente que participou do Programa Jovem Aprendiz.

Relatório Social Marista | 2014-2015

175


176

N. de mulheres e homens

(Continua)

2015

2014 Mulheres Homens

4.422

Mulheres Homens

3.998

Total 13.029

Total 11.997

8.607

7.999

N. de mulheres e homens em cargos de chefia

2014

2015 Mulheres Homens

285

Mulheres Homens

Total

661

274 376

Total

627

353 Pessoas


Número total de docentes

2014

(Continua)

2015

Pós-graduados Graduados Graduandos Não graduados

1.802

Pós-graduados Graduados Graduandos Não graduados

100 14

141 15

Total

Total

3.929

2.013

1.820

3.956

1.980

Número total de docentes pós-graduados

2014

657

2015 Doutores(as)

Doutores(as)

Mestres(as)

Mestres(as)

Especialistas

Especialistas

Total

593

639

Total

2.013

1.980

763

748

Relatório Social Marista | 2014-2015

593

177


178

Número total de educadores(as) sociais

(Conclusão)

Pós-graduados Graduados Graduandos Ensino Médio Ensino Fundamental 0

20

40

60

80

100

2014

120

140

160

180

2015

N. de colaboradores(as) no corpo técnico/administrativo Pós-graduados Graduados Graduandos Ensino Médio Ensino Fundamental Ensino Fundamental incompleto Não alfabetizadas

0

500

1000

1500

2014

2000

2500

3000

3500

2015

Pessoas

4.000


REFERÊNCIAS

PROVÍNCIA MARISTA BRASIL CENTRO-SUL - PMBCS. Termos, expressões e valores institucionais, São Paulo: FTD, 2010. PROVÍNCIA MARISTA BRASIL CENTRO-SUL - PMBCS. Diretrizes da Ação Evangelizadora. São Paulo: FTD, 2011. REDE MARISTA DE SOLIDARIEDADE - RMS. Diretrizes e Direcionamentos para a Rede Marista de Solidariedade. São Paulo: FTD, 2012.


APÊNDICES

Apêndice A Educação Superior PUCPR e Católica de Santa Catarina APC Câmpus Curitiba APC Câmpus São José dos Pinhais APC Câmpus Londrina APC Câmpus Toledo APC Câmpus Maringá Católica Instituto Católico de Santa Catarina Católica Centro de Educação Profissional Católica de Jaraguá do Sul

Localização Curitiba / PR São José dos Pinhais / PR Londrina / PR Toledo / PR Maringá / PR Joinville / SC Jaraguá do Sul / PR

Educação Profissional TECPUC APC Centro de Educação Profissional Irmão Mários Cristóvão

Localização Curitiba / PR (Continua)

Educação Básica Rede Marista de Colégios ABEC Colégio Marista Arquidiocesano ABEC Colégio Marista Nsa da Glória ABEC Colégio Marista de Ribeirão Preto ABEC Colégio Marista Santa Maria ABEC Colégio Marista de Londrina

Localização São Paulo / SP São Paulo / SP Ribeirão Preto / SP Curitiba / PR Londrina / PR


182 (Conclusão) Educação Básica Rede Marista de Colégios ABEC Colégio Marista de Maringá ABEC Colégio Marista de Brasília (EI) ABEC Colégio Marista PIO XII ABEC Colégio Marista de Cascavel ABEC Colégio Marista de Brasília (EM) ABEC Colégio Marista de Goiânia ABEC Colégio Marista PIO XII de Brasília ABEC Colégio Marista Champagnat UCE Colégio Marista São Luís UCE Colégio Marista Paranaense UCE Colégio Marista Frei Rogério UCE Colégio Marista São Francisco UCE Colégio Marista de Criciúma

Localização Maringá / PR Brasília / DF Ponta Grossa / PR Cascavel / PR Brasília / DF Goiânia / GO Brasília / DF Ribeirão Preto / SP Jaraguá do Sul / SC Curitiba / PR Joaçaba / SC Chapecó / SC Criciúma / SC (Continua)

Solidariedade Centros Educacionais Maristas ABEC Centro Social Marista de Curitiba ABEC Centro Social Marista Ir. Rui ABEC Centro Social Marista Santa Mônica ABEC Centro Social Marista Lar Feliz ABEC Escola Ecológica Marcelino Champagnat ABEC Centro Educacional Marista Ir. Acácio ABEC Centro Social Marista Ir. Lourenço ABEC Centro Social Marista Itaquera ABEC Centro Social e Escola Marista Ir. Francisco Rivat ABEC Centro Social Marista Caçador ABEC Centro Social Marista Marcelino Champagnat ABEC Centro Social Marista Robru ABEC Centro Social Marista Pouso Redondo ABEC Centro Social Marista Ir. Justino ABEC Centro Social Marista Ir. Walmir ABEC Centro Educacional Marista Lúcia Mayvorne ABEC Centro Educacional Marista Enfermeira Anita Cordeiro APC Centro Social Champagnat (Proação Eunice Benato)

Localização Curitiba / PR Ribeirão Preto / SP Ponta Grossa / PR Santos / SP Almirante Tamandaré / PR Londrina / PR São Paulo / SP São Paulo / SP Brasília / DF Caçador / SC Cascavel / PR São Paulo / SP Pouso Redondo / PR São Paulo / SP Criciúma / SC Florianópolis / SC Paiçandu / PR Curitiba / PR

Apêndices


183 (Conclusão) Solidariedade Centros Educacionais Maristas APC Proação Guaraqueçaba (Centro Social Marista Ir. Panini) APC Proação Fazenda Rio Grande (Centro Social Marista Ir. Henri) APC Centro Social Marista Itapejara APC Centro Social Marista Propulsão APC Centro Social Marista Estação Casa APC Centro de Defesa da Infância UCE Centro Social Marista Dourados UCE Centro Social Marista Ir. Egídio UCE Centro Social Marista São José

Localização Guaraqueçaba / PR Fazenda Rio Grande / PR Itapejara d'Oeste / PR Curitiba / PR Curitiba / PR Curitiba / PR Dourados / MS São José dos Pinhais / PR São José / SC

Saúde Hospitais APC APC ISCMC ISCMC ISCMC

Localização Curitiba / PR Curitiba / PR Curitiba / PR Colombo / PR Curitiba / PR

Hospital Universitário Cajuru Hospital Marcelino Champagnat Hospital da Santa Casa de Curitiba Hospital Maternidade Alto Maracanã UNIICA - Unidade Intermediária de Crise e Apoio a Vida

Comunicação Rádios LUMEN LUMEN LUMEN LUMEN

Clube FM Lumen FM Web Lumen Clássica !mago Produções Educativas

Editorial APC FTD FTD FTD FTD FTD FTD FTD

PUCPRESS - Editora Champagnat FTD Educação Matriz Editorial Parque Gráfico Filiais (10) Distribuidores (14) Casas de Atendimento ao Professor (14)

Relatório Social Marista | 2014-2015

Localização Curitiba / PR Curitiba / PR Curitiba / PR Curitiba / PR

Curitiba / PR São Paulo / SP São Paulo / SP São Paulo / SP Guarulhos / SP


184

Apêndice B Educação Superior (PUCPR)¹ Todos os câmpus Alunos² Bolsas Bolsas ProUni³ Bolsas ProUni³ Subtotal Bolsas IES4 Bolsas IES4 Subtotal Total

2014 24.620 100% 50% 100% 50%

N.5 4.708 917 5.625 271 604 875 6.500

R$6 61.062.795 5.455.635 66.518.430 3.226.086 3.588.268 6.814.354 73.332.784

Considera a Educação Superior ofertada na PUCPR (APC). Considera os alunos matriculados (média: 1° e 2° semestres) em cursos de graduação e tecnólogos. 3 Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). 4 Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 5 Quantidade de alunos bolsistas. 6 Recursos financeiros aplicados em gratuidade. 1

2

Educação Superior (PUCPR)¹ 2015 (1º Semestre) Alunos² 25.748 R$6 Bolsas N.5 Bolsas ProUni³ 100% 5.740 39.057.431 Bolsas ProUni³ 50% 1.174 3.226.203 Subtotal 6.914 42.283.634 100% 241 1.609.651 Bolsas IES4 4 50% 361 1.342.559 Bolsas IES Subtotal 602 2.952.209 Total 7.516 45.235.843 Total de recursos aplicados no ano (R$) Todos os câmpus

2015 (2º Semestre) 23.714 N.5 R$6 5.123 36.735.269 1.053 3.071.303 6.176 39.806.572 211 1.418.851 316 1.175.292 527 2.594.143 6.703 42.400.716 87.636.559

Considera a Educação Superior ofertada na PUCPR (APC). A partir do ano 2015, a instituição irá demonstrar os dados de acordo com regime didático semestral adotado, ou seja, 1º e 2º semestre. 2 Considera os alunos matriculados no 1° e 2° semestres, em cursos de graduação e tecnólogos. 3 Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). 4 Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 5 Quantidade de alunos bolsistas. 6 Recursos financeiros aplicados em gratuidade. 1

Apêndices


185 Educação Superior (PUCPR)¹ 2015 (1º Semestre) Alunos² 20.350 R$6 Bolsas N.5 Bolsas ProUni³ 100% 4.587 32.491.851 Bolsas ProUni³ 50% 961 2.658.603 Subtotal 5.548 35.150.453 100% 200 1.336.128 Bolsas IES4 4 50% 225 887.866 Bolsas IES Subtotal 425 2.223.994 Total 5.973 37.374.447 Total de recursos aplicados no ano (R$) Câmpus Curitiba

2015 (2º Semestre) 18.703 N.5 R$6 4.099 30.260.084 856 2.493.123 4.955 32.753.207 171 1.159.094 186 743.433 357 1.902.528 5.312 34.655.735 72.030.182

Considera a Educação Superior ofertada na PUCPR (APC). A partir do ano 2015, a instituição irá demonstrar os dados de acordo com regime didático semestral adotado, ou seja, 1º e 2º semestre. 2 Considera os alunos matriculados no 1° e 2° semestres, em cursos de graduação e tecnólogos. 3 Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). 4 Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 5 Quantidade de alunos bolsistas. 6 Recursos financeiros aplicados em gratuidade. 1

Educação Superior (PUCPR)¹ 2015 (1º Semestre) Alunos² 1.976 5 R$6 Bolsas N. Bolsas ProUni³ 100% 382 2.360.618 Bolsas ProUni³ 50% 31 80.414 Subtotal 413 2.441.031 100% 11 67.537 Bolsas IES4 50% 26 60.936 Bolsas IES4 Subtotal 37 128.473 Total 450 2.569.504 Total de recursos aplicados no ano (R$) Câmpus Londrina

2015 (2º Semestre) 1.924 5 N. R$6 335 2.352.115 30 82.721 365 2.434.836 11 70.294 23 56.804 34 127.097 399 2.561.934 5.131.438

Considera a Educação Superior ofertada na PUCPR (APC). A partir do ano 2015, a instituição irá demonstrar os dados de acordo com regime didático semestral adotado, ou seja, 1º e 2º semestre. 2 Considera os alunos matriculados no 1° e 2° semestres, em cursos de graduação e tecnólogos. 3 Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). 4 Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 5 Quantidade de alunos bolsistas. 6 Recursos financeiros aplicados em gratuidade. 1

Relatório Social Marista | 2014-2015


186 Educação Superior (PUCPR)¹ 2015 (1º Semestre) Alunos² 1.126 5 R$6 Bolsas N. Bolsas ProUni³ 100% 276 1.018.260 Bolsas ProUni³ 50% 56 93.149 Subtotal 332 1.111.409 100% 5 25.470 Bolsas IES4 50% 14 32.102 Bolsas IES4 Subtotal 19 57.571 Total 351 1.168.980 Total de recursos aplicados no ano (R$) Câmpus Maringá

2015 (2º Semestre) 992 5 N. R$6 236 1.094.366 46 106.622 282 1.200.988 5 23.997 13 34.823 18 58.819 300 1.259.807 2.428.787

Considera a Educação Superior ofertada na PUCPR (APC). A partir do ano 2015, a instituição irá demonstrar os dados de acordo com regime didático semestral adotado, ou seja, 1º e 2º semestre. 2 Considera os alunos matriculados no 1° e 2° semestres, em cursos de graduação e tecnólogos. 3 Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). 4 Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 5 Quantidade de alunos bolsistas. 6 Recursos financeiros aplicados em gratuidade. 1

Educação Superior (PUCPR)¹ Câmpus São 2015 José dos Pinhais (1º Semestre) Alunos² 576 R$6 Bolsas N.5 Bolsas ProUni³ 100% 70 581.742 Bolsas ProUni³ 50% 39 147.047 Subtotal 109 728.789 100% 0 0 Bolsas IES4 50% 9 53.132 Bolsas IES4 Subtotal 9 53.132 Total 118 781.921 Total de recursos aplicados no ano (R$)

2015 (2º Semestre) 494 N.5 R$6 62 545.988 35 144.049 97 690.036 0 0 7 35.784 7 35.784 104 725.820 1.507.742

Considera a Educação Superior ofertada na PUCPR (APC). A partir do ano 2015, a instituição irá demonstrar os dados de acordo com regime didático semestral adotado, ou seja, 1º e 2º semestre. 2 Considera os alunos matriculados no 1° e 2° semestres, em cursos de graduação e tecnólogos. 3 Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). 4 Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 5 Quantidade de alunos bolsistas. 6 Recursos financeiros aplicados em gratuidade. 1

Apêndices


187 Educação Superior (PUCPR)¹ 2015 (1º Semestre) Alunos² 1.720 5 R$6 Bolsas N. Bolsas ProUni³ 100% 425 2.604.961 Bolsas ProUni³ 50% 87 246.990 Subtotal 512 2.851.952 100% 25 180.516 Bolsas IES4 50% 87 308.523 Bolsas IES4 Subtotal 112 489.039 Total 624 3.340.991 Total de recursos aplicados no ano (R$) Toledo

2015 (2º Semestre) 1.601 5 N. R$6 391 2.482.717 86 244.788 477 2.727.505 24 165.467 87 304.448 111 469.915 588 3.197.420 6.538.410

Considera a Educação Superior ofertada na PUCPR (APC). A partir do ano 2015, a instituição irá demonstrar os dados de acordo com regime didático semestral adotado, ou seja, 1º e 2º semestre. 2 Considera os alunos matriculados no 1° e 2° semestres, em cursos de graduação e tecnólogos. 3 Bolsas ProUni: concessão de bolsas por meio da adesão ao Programa Universidade Para Todos (ProUni). 4 Bolsas IES: concessão de bolsas a candidatos com o mesmo perfil dos bolsistas ProUni. 5 Quantidade de alunos bolsistas. 6 Recursos financeiros aplicados em gratuidade. 1

Educação Superior (CATÓLICA SC)¹ Todos os 2014 câmpus Alunos² 4.024 N.4 Bolsas3 Bolsas 236 Subtotal 236 Total 236 ¹ Considera a Educação Superior ofertada na Católica de Santa Catarina. ² Considera os alunos matriculados (média: 1° e 2° semestre) em cursos de graduação. 3 Bolsas - concessão de bolsas de até 50% 4 Quantidade de alunos bolsistas.

Educação Superior (CATÓLICA SC)¹ Todos os 2015 2015 câmpus (1º Semestre) (2º Semestre) Alunos² 4.435 4.172 N.4 N.4 Bolsas3 Bolsas 237 219 Subtotal 237 219 Total 237 219 ¹ Considera a Educação Superior ofertada na Católica de Santa Catarina. A partir do ano 2015, a instituição irá demonstrar os dados de acordo com regime didático semestral adotado, ou seja, 1º e 2º semestre. ² Considera os alunos matriculados no 1° e 2° semestre em cursos de graduação. 3 Bolsas - concessão de bolsas de até 50% 4 Quantidade de alunos bolsistas.

Relatório Social Marista | 2014-2015


188 Educação Profissional¹ 2014 3.843

Alunos2 Bolsas Bolsas integrais Bolsas parciais Total

100% 50%

N.3 1.059 156 1.215

R$4 3.522.803 752.339 4.275.142

¹ Considera a Educação Profissional Técnica de Nível Médio ofertada nas unidades do TECPUC, nas modalidades integrado, concomitante e subsequente. ² Considera os alunos matriculados no ano. ³ Quantidade de alunos bolsistas. 4 Recursos financeiros aplicados em gratuidade.

Educação Profissional¹

Alunos ² Bolsas Bolsas integrais Bolsas parciais Total

100% 50%

2015 (1º Semestre) 3.308 N.³ 529 50 579

2015 (2º Semestre) 2.758 N.³ 494 20 514

2015

R$4 3.345.881 113.873 3.459.754

¹ Considera a Educação Profissional Técnica de Nível Médio ofertada nas unidades do TECPUC, nas modalidades integrado, concomitante e subsequente. A partir do ano 2015, a instituição irá demonstrar os dados de acordo com regime didático semestral adotado, ou seja, 1º e 2º semestre. ² Considera os alunos matriculados no 1° e 2° semestre. ³ Quantidade de alunos bolsistas. 4 Recursos financeiros aplicados em gratuidade.

Apêndices


189 Educação Básica¹ 2014 Etapas Creche Pré-escola Ensino Fundamental Ensino Médio Total

Bolsas (%) Alunos² 100% 50% 100% 50% 100% 50% 100% 50%

1.543 2.531 16.222 5.391 25.687

Bolsas

3

2015 Bolsas (R$) 4

2 21 9 45 193 823 214 436 1.743

Alunos

29.664 73.265 99.196 156.842 2.247.644 3.811.040 2.743.895 2.453.232 11.614.778

1.584 2.709 16.763 5.262 26.318

Bolsas3 3 18 8 40 163 803 217 433 1.685

Bolsas4 (R$) 50.112 63.733 85.058 179.915 2.089.020 4.007.129 3.285.382 2.799.701 12.560.050

¹ Considera a Educação Básica ofertada na Rede Marista de Colégios, bolsas integrais e parciais. ² Considera os alunos matriculados no ano. ³ Quantidade de alunos bolsistas. 4 Recursos financeiros aplicados em gratuidade.

Educação Básica/Solidariedade¹ 2014 Etapas Creche Pré-escola Ensino Fundamental Ensino Médio Total

2015

Bolsas (%)

Bolsas²

Bolsas³

Bolsas²

Integrais 100% Integrais 100%

565 777

5.975.850 10.034.481

699 964

7.282.483 9.176.573

Integrais 100%

2.804

18.466.944

2.689

19.519.021

Integrais 100%

523 4.669

2.777.969 37.255.243

743 5.095

5.548.671 41.526.748

¹ Considera a Educação Básica ofertada nos Centros Educacionais e Sociais Maristas, bolsas integrais. ² Quantidade de pessoas atendidas. ³ Recursos financeiros aplicados em gratuidade.

Abertura das bolsas da creche e pré-escola (Educação Infantil) por tempo integral, nos Centros Educacionais e Sociais Maristas 2014 Creche e pré-escola em tempo integral (Grupo Marista) Creche e pré-escola

1.107

2015 Creche e pré-escola em tempo integral (Grupo Marista) Creche e pré-escola

1.449

Relatório Social Marista | 2014-2015

235 214

Bolsas³ (R$)


190 Assistência Social/Solidariedade¹ 2014

2015

Assistência Social

N.²

R$³

N.²

R$³

Grupo Marista

3.988

16.699.339

3.370

19.519.943

Total

3.988

16.699.339

3.370

19.519.943

Considera a Assistência Social ofertada nos Centros Educacionais e Sociais Maristas. Quantidade de pessoas atendidas. 3 Recursos financeiros aplicados em gratuidade. 1 2

Saúde APC Saúde

APC

2014 2015 Quantidade % Quantidade Percentual correspondente ao total de internações hospitalares - paciente-dia Diárias - SUS

60.234

74,34%

58.972

68,59%

Diárias - C&P (Saúde Suplementar)

20.786

25,66%

27.004

31,41%

Total pac.dia C&P e SUS

81.020

100%

85.976

100%

Ambulatorial - Atendimento/Procedimentos Atendimentos - SUS

354.572

64,58%

384.724

71,21%

Atendimentos - C&P (Saúde Suplementar)

194.465

35,42%

155.567

28,79%

Total Atendimento/Procedimentos Ambulatorial C&P e SUS¹

549.037

10%

540.291

10%

Totalização do percentual de serviços prestados ao SUS Competência Mês/Ano Percentual de paciente-dia APC

%

Atendimentos/procedimentos ambulatoriais (máximo de 10%) Percentual referente às ações prioritárias² Total de serviços prestados ao SUS

2014 74,34%

2015 68,59%

10,00%

10,00%

3,00%

3,00%

87,34%

81,59%

¹ O atendimento/procedimentos ambulatorial pode ser incorporado à prestação de serviços ao SUS no percentual máximo de 10%. ² Ao percentual total da prestação de serviços para o SUS poderá ser adicionado o índice percentual de 1,5% (um e meio ponto percentual), para cada ação prioritária. III - Atenção às urgências e emergências; e, V - Hospitais de ensino.

Apêndices


191 Saúde ISCMC Saúde

2014 2015 Quantidade % Quantidade Percentual correspondente ao total de internações hospitalares - paciente-dia

%

Diárias - SUS

55.409 71,17%

51.795

75,16%

Diárias - C&P (Saúde Suplementar)

22.449 28,83%

17.121

24,84%

Total pac.dia C&P e SUS

77.858

68.916

100%

381.272 87,96%

425.127

94,36%

52.178 12,04%

25.400

5,64%

450.527

10%

100%

ISCMC Ambulatorial - Atendimento/Procedimentos Atendimentos - SUS Atendimentos - C&P (Saúde Suplementar) Total Atendimento/Procedimentos Ambulatorial C&P e SUS¹ Totalização do percentual de serviços prestados ao SUS Competência Mês/Ano Percentual de paciente-dia ISCMC Atendimentos/procedimentos ambulatoriais (máximo de 10%) Percentual referente às ações prioritárias² Total de serviços prestados ao SUS

433.450

10%

2014

2015 71,17%

75,16%

10,00%

10,00%

6,00%

6,00%

87,17%

91,16%

¹ O atendimento/procedimentos ambulatorial pode ser incorporado à prestação de serviços ao SUS no percentual máximo de 10%. ² Ao percentual total da prestação de serviços para o SUS poderá ser adicionado o índice percentual de 1,5% (um e meio ponto percentual), para cada ação prioritária. I - Atenção obstétrica e neonatal; II - Atenção oncológica; III - Atenção às urgências e emergências; V - Hospitais de ensino.

Relatório Social Marista | 2014-2015


192

Apêndice C MATRIZ UNIDADE

ABEC

Cem Curitiba

ABEC

Irmão Rui

ABEC

Santa Mônica

ABEC

Lar Feliz

ABEC

Ecológica

ABEC

Irmão Acácio

ABEC

Itaquera

ABEC

Francisco Rivat

ABEC

Marcelino Champagnat

ABEC

Cem Robru

ABEC

Irmão Justino

ABEC

Irmão Walmir

ABEC

Lucia Mayvorne

ABEC

Anita Cordeiro

ABEC

Ir. Lourenço

ABEC

Caçador

ABEC

Pouso Redondo

APC

Eunice Benato

APC

Panini

APC

Henri

APC

Itapejara

APC

Propulsão

APC

Estação Casa

APC UCE

Centro De Defesa São José

UCE

Dourados

UCE

Ir. Egídio

E.I.

E.F.I

E.F.II

E.M. / E.M.TC

Conviver Marista

Assessoramento

Média complexidade

Apêndices

Sistema Prisional


193

Apêndice D Relatório Social 2014 e 2015 - Grupo Marista 2014 9 - Indicadores sobre o corpo funcional N. total de empregados(as) ao final do período Educação Básica Educação Superior Saúde Assistência Social Serviços Terceiros Cultural Ambiental Veículos de Comunicação Atividades de Apoio

Empregados por faixa etária (N. e %) Menores de 18 anos 18 anos a 35 anos 36 anos a 60 anos Acima de 60 anos

N. de mulheres que trabalham na Instituição N. de homens que trabalham na Instituição N. de cargos de chefia ocupados por mulheres N. de cargos de chefia ocupados por homens Salário médio das mulheres Salário médio dos homens N. de negros(as) que trabalham na Instituição N. de brancos(as) que trabalham na Instituição Salário médio dos(as) negros(as) Salário médio dos(as) brancos(as) N. de pessoas com deficiência Salário médio de pessoas com deficiência N. de estagiários(as) N. de jovens aprendizes Tempo médio de permanência do profissional na Instituição N. de licenças N. de afastados N. de acidentes de trabalho

Relatório Social Marista | 2014-2015

2015 Quantidade

13.029

11.997

3.843 2.857 3.126 1.166 0 0 0 24 2.013

3.958 2.883 2.808 1.162 0 0 0 14 1.172

13.029

11.997

173 5.700 6.738 418 8.607 4.422 376 285 2.835 3.350 2.175 10.854 1.814 2.709 125 1.588 387 269

215 5.603 5.835 344 7.999 3.998 353 274 2.498 2.968 974 11.023 2.198 2.644 173 1.982 430 249

5

5

138 347 22

605 470 25


194 Relatório Social 2014 e 2015 - Grupo Marista 2014

2015

3.929

3.956

N. de doutores(as)

593

593

N. de mestres(as)

763

748

N. de especialistas

657

639

1.802

1.820

100

141

14

15

179

194

12

11

N. de graduados(as)

126

143

N. de graduandos(as)

27

31

N. de pessoas com Ensino Médio

11

9

N. de pessoas com Ensino Fundamental

3

0

N. de pessoas com Ensino Fundamental incompleto

0

0

8.921

7.847

609

633

1.951

1.922

841

920

3.472

3.035

882

1.208

1.151

120

15

9

10 - Qualificação do corpo funcional N. total de docentes

N. de graduados(as) N. de graduandos(as) N. de docentes não graduados(as)

N. total de educadores(as) sociais N. de pós-graduados (especialistas, mestres e doutores)

N. total de funcionários(as) no corpo técnico e administrativo N. de pós-graduados (especialistas, mestres e doutores)

N. de graduados(as) N. de graduandos(as) N. de pessoas com Ensino Médio N. de pessoas com Ensino Fundamental N. de pessoas com Ensino Fundamental incompleto

N. de pessoas não alfabetizadas

Apêndices


Para dĂşvidas e sugestĂľes, entre em contato com a GerĂŞncia de Gratuidade gerencia.gratuidade@grupomarista.org.br


Impresso na Gráfica Capital Rua Imaculada Conceição, 247 - Rebouças | Curitiba - PR Telefone: (41) 3333-7733 | e-mail: sac@graficacapital.com.br

Esta edição foi composta pela PUCPRess e impressa na Gráfica Capital, em sistema offset, papel couche fosco 115g/m² (miolo) e Cartão Duo Design 300g/m² (capa).


Profile for Grupo Marista

Relatório Social Grupo Marista | 2014 - 2015  

A publicação reúne projetos de destaque da REDE MARISTA DE SOLIDARIEDADE - RMS e apresenta iniciativas com foco em solidariedade desenvolvid...

Relatório Social Grupo Marista | 2014 - 2015  

A publicação reúne projetos de destaque da REDE MARISTA DE SOLIDARIEDADE - RMS e apresenta iniciativas com foco em solidariedade desenvolvid...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded