Issuu on Google+

Meditação sobre o último Juízo Considera a majestade com que o soberano Juiz vai aparecer em Seu Tribunal, cercado de Anjos e Santos e tendo diante de si, mais brilhante que o sol, a Cruz, como sinal de graça para os bons e de vingança para os maus. À vista deste sinal e por determinação de Jesus Cristo, separar-se-ão os homens em duas partes; uns se acharão à Sua direita e serão os predestinados; outros à Sua esquerda e serão os condenados. Separação eterna! Jamais se encontrarão de novo juntos. Então se abrirão os livros misteriosos das consciências: nada ficará oculto. Clara e distintamente hão de ver-se nos corações duns e doutros tudo o que fizeram de bom e de mau, as afrontas a Deus e a fidelidade às Suas graças, os pecados e a penitência. Ó Deus, que confusão duma parte e que consolação da outra. Escuta atentamente a sentença formidável que o soberano Juiz pronunciará contra os maus: “Ide malditos, para o fogo eterno, que foi preparado para o diabo e seus anjos”. Pondera bem estas palavras, que os hão de esmagar por completo: Ide. Esta palavra já nos está anunciando o abandono completo em que Deus deixará a sua criatura, expulsando-a de Sua presença e não a contando mais no número daqueles que Lhe pertencem. Ide, malditos. Ó minha alma, que maldição esta! Ela é universal, pois encerra todos os males, e ela é irrevogável, porque se estende a todos os tempos, por toda a eternidade. Ide, malditos, para o fogo eterno. Considera, ó minha alma, essa eternidade tremenda. Ó eternidade de penas eternas, quão horrível és tu! Escuta também a sentença que decidirá sobre a sorte feliz dos bons: Vinde, dirá o Juiz. Ah! Esta é a doce palavra de salvação, pela qual o nosso Divino Salvador nos há-de chamar a si, para receber-nos, bondoso, entre Seus braços. Vinde benditos de Meu Pai. Ó bênção preciosa e incomparável, que encerra em si todas as bênçãos! Possuí o Reino que vos está preparado desde a criação do mundo. Ó meu Deus, que graça! Possuir um Reino que nunca terá fim! De São Francisco de Sales Bispo e Príncipe de Genebra


AS SETE PORTAS DO INFERNO AS VISÕES DOS SANTOS SOBRE O CÉU, PURGATÓRIO E O INFERNO

HÁ UM INFERNO

01


A PALAVRA VIVA DE DEUS Editoração Eletrônica: Schaefer Impressos Ltda.

Diagramação: Carlos Rogério Fassbinder

Textos e Matérias: Eugênio Schoma

Copyright Bento da Conceição www.palavravivadedeus.com.br www.ceifadores.com.br E-mail: eugenio@ceifadores.com.br Fone: (47) 3367-7110 / 3360-7167 Todos os direitos reservados

1ª Edição 3050 exemplares

Obs.: Os temas abordados do presente livro, são de total responsabilidade do Autor e Distribuidor, segundo declaração de 28 de Abril de 2004. SCHAEFER IMPRESSOS LTDA. Av. Manaus, 29 - Trevo Leste CEP: 89870-000 - Pinhalzinho - Santa Catarina Fone/Fax: (49) 3366-1121 02

PREFÁCIO Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Salve a Virgem Maria e salve glorioso São José! Demos graças ao nosso Bom Deus pela fé recebida, pela graça de sermos católicos conservadores e lutar pela tradição da Igreja que foi fundada pelo nosso Senhor Jesus Cristo. Que a leitura deste livro desperte no coração do leitor um grande amor a nosso Senhor, a Virgem Maria, a Igreja Católica e a todos que defendem a sua tradição. “Quem perseverar até o fim será salvo” (Mc 13,13). A perseverança é fruto da “ORAÇÃO”, porque é por meio da “ORAÇÃO” que a alma recebe as ajudas indispensáveis para resistir aos assaltos do demônio. Santo Afonso M. de Ligório escreveu: “Quem reza se salva, quem não reza se condena”. Nas aparições da Virgem Maria, Ela tanto insistiu dizendo: “Rezem, rezem o Santo Rosário ou ao menos um Terço por dia, é a arma mais poderosa contra os ataques do satanás”. Hoje a maior parte da humanidade não acredita no inferno e na existência do demônio. A maior vitória do diabo consiste em convencer os homens de que ele não existe! Muitos Padres e Bispos também não acreditam na existência do maligno! Quase nada mais é pecado, tudo é liberado, não se tem mais temor de Deus. Talvez, muitos ao lerem este livro possam mudar de vida e pedir perdão a Deus. Satanás é ambicioso e mentiroso, ele tentou enganar o próprio Filho de Deus dizendo: “Se és o Filho de Deus, transforma esta pedra em pão.” “Se és o Filho de Deus, lança-te daqui para baixo.” “Eu te darei todos os reinos do mundo, se prostrares no chão para me adorar.” Uma solene mentira. O demônio nunca foi dono do mundo. E promete esse mesmo mundo a Deus, seu Criador. Uma mentira e um roubo. Prestem bem atenção no que está escrito sobre a tentação no deserto, no último versículo: “Depois de tê-lO assim tentado de todos os modos, o demônio apartou-se Dele (Jesus) até o 03


momento oportuno” (Lc. 4,13). Essa ocasião, esse momento oportuno é o de agora que nós estamos vivendo, o demônio está agindo, principalmente na Igreja. Ele está tentando os Padres, destruindo os Padres, acaba com a Igreja. É o cumprimento da Sagrada Escritura: “O adversário, aquele que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado, a ponto de tomar o lugar no templo de Deus, apresentar-se como fosse Deus” (II Tes. 2,4). Muitos estão perdendo a Fé, outros estão abusando das leis de Deus e estão fazendo comércio com as coisas de Deus e o restante não acredita mais em Deus, assim completa-se aquela passagem da Sagrada Escritura: “Muitos serão os chamados e poucos serão os escolhidos” (Mt 22,14). A Sagrada Escritura narra no Antigo Testamento: “A fim de que se saiba, do levante ao poente, que nada há fora de “MIM”. Eu Sou o Senhor, sem RIVAL; formei a Luz e criei as trevas, busco a felicidade e suscito a infelicidade. Sou o Senhor que faço todas essas coisas” (Is 45,6-7). Deus não condena ninguém, Ele nos deu o livre arbítrio, Ele nos deu Seu único Filho, e esse Seu Filho Jesus Cristo, Ele nos ensinou o caminho da salvação dizendo: Amai-vos uns aos outros assim como Eu vos amei. Mas os homens não O aceitaram, preferiram crucificar o próprio Filho de Deus. Santa Teresa D'Ávila teve uma visão do inferno que a motivou grandemente a sua conversão e posterior missão de reforma da Ordem Carmelita. Também Santa Faustina teve uma visão do inferno. Nossa Senhora mostrou o inferno aos Pastorinhos de Fátima em Portugal, em 1917. Ao nosso Profeta Pedro II também Deus lhe mostrou o terrível inferno e para tantos outros que tiveram experiência com o Céu, purgatório e o inferno... Muitos estão esperando o grande “SINAL” ou “AVISO”. Para mim, o grande SINAL de DEUS são as MENSAGENS DA PALAVRA VIVA DE DEUS, um livrão com mais de 3.400 mensagens, quase o Céu todo falou com o Profeta. Todos os recados para a nossa conversão e santificação, você encontra neste “GRANDE LIVRO”. Quem o lê e o aceita de coração está a caminho do Céu, e quem despreza esse livro, está perdendo praticamente o caminho do CÉU, e desprezando o caminho do Céu, automaticamente você estará indo para o caminho do inferno, decisão e sua. Deus ama o pecador, mas odeia o pecado. Leia com muita atenção este livro, e ajude a divulgá-lo! Seja um Apóstolo de Cristo! Todos estão observando que a humanidade 04

está caminhando para um grande abismo sem Deus, e poucos querem mudar de vida e seguir o caminho da salvação... Preferem viver numa vida cômoda, sem se importar com a salvação da alma. “Entrai pela porta estreita, porque é largo e espaçoso o caminho que conduz à perdição e numerosos são os que por aí entram” (Mt 7,17). Ass:. Eugênio Schoma SEMPRE! SEMPRE! “Irá o homem para a casa da sua eternidade” (Ecl 12, 5). Sabemos que a eternidade existe! Para os bons é consolador pensar na eternidade, enquanto que para os maus é sempre um tormento. O mundo está sempre querendo afugentar o pensamento sobre a eternidade, para viver mergulhado no seu pecado e na sua vida de prazeres, mas esse esforço é inútil: “O pensamento da eternidade é como o sol, que sempre brilha, ainda quando não queiramos ver” (Pe. Alexandrino Monteiro). Não adianta ninguém fingir ou fugir desta realidade: A eternidade é a casa que nos espera além-túmulo. Cada dia que passa vamos nos aproximando da eternidade, feliz ou infeliz, depende da nossa vida neste mundo. O que é a eternidade? “Já viste, de certo, o mar. Pensa agora que de século em século, se evapora uma gota desse grande repositório d'água, pois bem: quando se começar a descobrir o fundo do oceano, a eternidade estará ainda no seu princípio!” (Pe. Alexandrino Monteiro). A eternidade inicia-se logo após a nossa morte. Eternidade no Céu! Eternidade no inferno! Eternidade com Deus! Eternidade com os demônios! Eternidade feliz ou eternamente infeliz! A decisão é nossa. Que eternidade terrível será a dos condenados, daqueles que jogaram as graças de Deus fora durante o tempo em que viveram aqui na terra, e ainda se gabavam de sábios. Na outra vida sofrerão eternamente naquele mar de fogo. Que eternidade triste! Quanto melhor fora não ter nascido, do que ir para tão horrendo lugar! Eternidade feliz! E eternidade infeliz! ... Qual delas você está 05


escolhendo? Deus aponta para o céu, onde uma felicidade eterna será o prêmio da virtude; e aponta para o inferno, onde o pecado será o pasto de eternas chamas; e deixa à sua escolha uma ou outra!... Feliz do católico que pensa na eternidade todos os dias e trabalha continuamente para conquistá-la feliz. Não podemos perder um minuto de tempo sequer. Devemos escolher e trilhar o caminho do bem enquanto é tempo, para não chorarmos tarde dizendo: se eu soubera! Pe. Divino Antônio Lopes FP. LEIA E MEDITE! “Diligência, meu filho, — diz o Espírito Santo, — em empregar bem o tempo, porque é a coisa mais preciosa, riquíssimo Dom que Deus concede ao homem mortal. Até os próprios gentios tinham conhecimento de seu valor. Sêneca dizia que nada pode equivaler ao valor do tempo. Com maior estimação ainda o apreciaram os Santos. Afirma São Bernardino de Sena que um só momento vale tanto como Deus, porque nesse instante, com um ato de contrição ou de amor perfeito, pode o homem adquirir a graça divina e a glória eterna. O tempo é um tesouro que só se acha nesta vida, mas não na outra, nem no céu, nem no inferno. É este o grito dos condenados: “Oh! Se tivéssemos uma hora!”... Por todo o preço comprariam uma hora a fim de reparar sua ruína; porém, esta hora jamais lhes será dada. No céu não há pranto; mas se os bem-aventurados pudessem sofrer, chorariam o tempo perdido na sua vida mortal, o qual lhes poderia ter servido para alcançar grau mais elevado na glória; porém, já se passou a época de merecer... E tu, meu irmão, em que empregas o tempo?... Por que sempre adias para amanhã o que podes fazer hoje? Reflete que o tempo passado desapareceu e já não te pertence; que o futuro não depende de ti. Só dispões do tempo presente para agir... “Ó infeliz!... — adverte São Bernardo, — por que ousas contar com o vindouro, como se Deus tivesse posto o tempo em seu poder?”. E Santo Agostinho disse: Como te podes prometer o dia de amanhã, se não dispões de uma hora de vida? Daí conclui Santa Teresa: “Se não estiveres preparado hoje para morrer, teme morrer mal...” (Santo Afonso Maria de Ligório, Preparação para a Morte, Consideração XI). 06

Índice Prefácio ............................................................................ 03 Sempre, sempre ................................................................ 05 Leia e medite ..................................................................... 06 As sete portas do inferno ..................................................... 09 Primeira porta do inferno – A impureza.................................. 13 Segunda porta do inferno – O furto ....................................... 15 Terceira porta do inferno – A profanação do Dia do Senhor....... 17 Quarta porta do inferno – A embriaguez ................................ 20 Quinta porta do inferno – A má educação dos filhos ................ 22 Sexta porta do inferno – O protestantismo............................. 26 Sétima porta do inferno – O espiritismo ................................. 30 São João Bosco: Se caíres no inferno, dele jamais saíras! ......... 33 Incêndio na boate gaúcha: O cartaz da banda era uma caveira pegando fogo .................................................................... 35 Artista Coreana vai ao inferno e desenha o que viu.................. 37 Terrível! O inferno: A separação de deus................................ 54 O corpo não se desintegra ................................................... 55 A visão do inferno em vida ................................................... 56 Instrumento da Justiça Divina.............................................. 58 Separação de Deus – O maior tormento ................................ 59 O inferno segundo os Santos – o inferno segundo Santa Teresa D'Ávila .............................................................................. 62 A visão do inferno segundo Santa Faustina ............................ 64 A visão do inferno segundo aparições de Fátima!.................... 65 Lutero no inferno: A visão da Beata Serafina Micheli................ 66 Santo Afonso Maria de Ligório: O pecador não quer obedecer a Deus................................................................................. 68 Porque criou Deus o inferno? ............................................... 70 São Domingos de Gusmão - N. Senhora, pavor dos demônios .. 79 São Luís de Montfort - Maria é a mais terrível inimiga que Deus armou contra o demônio ..................................................... 81 Testemunhas de além-túmulo.............................................. 83 Santa Catarina de Sena - Revelações de Deus Pai ................... 87 Visão do Céu, inferno e purgatório – São João Bosco ............... 93 40 negações do espiritismo ................................................. 95 Tatuagens demoníacas em jovens ........................................ 98 07


O mundo da modificação corporal - “Os alargadores” .............. 99 Sinal dos tempos: Adolescente de 15 anos tatua corpo para marcar assassinatos ..................................................................... 100 Mensagens ao Profeta Pedro II - U 16/07/1995 - Um pouco do inferno [Jesus].................................................................. 101 Y 19/05/1995 - Não deixem de ir à Santa Missa [Maria Santíssima – Rainha da Paz]................................................................ 103 U 31/07/1995 - Viver com satanás [Jesus]............................ 103 U 09/07/1997 - As delícias do Céu [Jesus] ............................ 104 O Céu .............................................................................. 104 U 21/06/1999 - Vida plena [Jesus]....................................... 107 Máximas que ninguém deve esquecer.................................. 108 O segredo de Maria............................................................ 109 A luta contra o mal ............................................................. 110 Orações que o demônio não suporta .................................... 111 Tudo instaurar em Cristo .................................................... 111 O maligno e as defesas dos homens - A inteligência de S. S. Leão XIII ................................................................................. 112 Pequeno exorcismo de S.S. Leão XIII ................................... 119 O terço de S. Miguel ........................................................... 122 Outras invocações aos Anjos............................................... 126 Outras Orações ................................................................. 128 Novena ao Espírito Santo.................................................... 130 A verdadeira história humana – Pe. Rômulo Candido de Souza. 132

As Sete Portas do Inferno Introdução

DESPERTADOR DA ALMA O inferno e as portas do inferno O INFERNO

HÁ UM INFERNO 08

09


1º. A Sagrada Escritura nos diz que há um inferno. Jesus Cristo disse: não temais os que podem matar o corpo, temei os que matam o corpo e a alma e os precipitam no inferno. — Se vosso olho, vossa mão, vosso pé vos escandalizam, — isso é, são para vós ocasião de cometerdes o pecado, — arrancai-os e lançaios longe de vós, para não cairdes no inferno. — O rico avarento foi sepultado no inferno e do meio de seus suplícios bradava: Estou atormentado horrorosamente nas chamas devoradoras, dai-me uma gota de água para refrescar a língua. — No dia do juízo Jesus dirá aos condenados: — Ide malditos, para o fogo eterno. — São claras estas palavras. Ou há um inferno ou o Evangelho é mentira. Há um inferno ou Jesus nos engana. 2º. A razão nos diz que há um inferno. Dois homens que seguem dois caminhos opostos não podem se encontrar no mesmo ponto. Podem encontrar-se e ter a mesma sorte os homens que seguem, uns o caminho do bem, outros o caminho do mal? O justo e o pecador, a vítima e o assassino, a virgem e o sedutor, o mártir e o algoz, a mãe de família honesta e a mulher perdida, podem ir para o mesmo lugar? Suponhamos que São Pedro e Nero tivessem morrido no mesmo dia e que juntos comparecessem perante o tribunal de Deus. Jesus Cristo pergunta a São Pedro: Que Fizeste durante a vida? Senhor, era um pobre pescador. Vós me chamastes para ser pescador de almas. Deixei tudo e vos segui. Desde então sabeis qual foi minha vida: rezar, jejuar, pregar, batizar, converter os pecadores, salvar as almas, até que fui preso, lanhado na cadeia e crucificado por amor de vós. — Eis minha vida e minhas obras. — E tu, Nero, que fizeste? — Eu era imperador de Roma, gozei, e para gozar não recuei diante de mim nenhum crime. Zombei de Deus e da virtude, mandei assassinar minha mãe e meu irmão, queimar vivos milhares de cristãos, queimei a cidade de Roma. Afinal, perseguido pelo povo revoltado por meus crimes, suicidei-me. Eis minha vida e minhas obras. — Notai que são fatos históricos, coisas que realmente se passaram. E agora, quereis que Deus diga: muito bem, Pedro, muito bem, Nero, vão para o céu? Ou então que diga: vão para o inferno? Nossa razão protesta e nos diz que deve haver uma recompensa para São Pedro e um 10

castigo para o monstro que se chamou Nero. Este castigo é o inferno. Há um inferno. 3º. A experiência nos diz que há um inferno. Dizem os libertinos: nunca ninguém voltou do inferno para nos dizer que há um inferno. É precisamente o que o inferno tem de terrível. Dali ninguém volta. Ninguém sai do inferno, diz a Escritura. No entanto, por uma disposição especial da Provi-dência Divina, por exemplo, para nos instruir, isto pode acontecer e de fato tem acontecido. S. Francisco de Girólamo pregava em Nápoles, em frente de uma casa em que morava uma mulher de má vida que perturbava a missão com seus gritos e suas gargalhadas. De repente esta cai morta. O santo, logo que soube o que tinha acontecido, foi à casa dela. “Catarina, disse ele, onde estás?” E duas vezes repetiu as mesmas palavras. Repetiu-as uma terceira vez com mais autoridade; e os olhos do cadáver se abrem, seus lábios se movem e na presença de toda a multidão, uma voz, que parecia sair do abismo, respondeu: “no inferno, no inferno!” Todos fogem, tomados de assombro, e o próprio santo, impressionado, repetia: “no inferno! Deus terrível, no inferno!” É um fato absolutamente certo, a tal ponto que serviu de milagre para a canonização do santo. Há um inferno. Que é o Inferno Todo o inferno está nesta palavra de Jesus Cristo: “Afastaivos de mim, malditos, para o fogo eterno”. 1º. O inferno é a separação, a perda de Deus. “Afasta-te de mim, pecador”. É assim que Deus repele para longe de si a alma pecadora. É a perda de Deus, a perda da suma beleza, da suma bondade, do sumo bem. Enquanto nossa alma estiver presa no cárcere da carne, não poderá nunca compreender a imensidade desta desgraça que, na frase dos santos, constitui o inferno dos infernos. 2º. O inferno é a maldição de Deus. Afasta-te, pecador maldito. A maldição eficaz de um Deus todo-poderoso. Se é terrí11


vel a maldição de um pai, de uma mãe, que será a maldição de Deus? Pecador maldito, maldito no corpo, maldito na alma. Olhos, língua, mãos, pés, inteligência, coração, vontade, tudo é maldito, porque tudo serviu de instrumento ao pecado.

PRIMEIRA PORTA DO INFERNO A Impureza

3º. O inferno é o fogo. Afasta-te de mim, pecador maldito, para o fogo. Quando os profetas falam do inferno, logo se lhes apresenta à imaginação o mar, o mar sem limites e sem fundo, e os condenados, nadando e mergulhando neste abismo de fogo. O fogo os envolve, penetra-os, circula em suas veias, insinua-se até à medula dos ossos. 4º. O inferno é a eternidade. Afasta-te, pecador maldito, para o fogo eterno. A eternidade... Quem pode compreendê-la! É um tempo que não acaba. Mil anos, milhões de anos, mil milhões de anos. Contai as gotas de água do oceano, os grãos de areia das praias, as folhas das árvores... a eternidade tem mais anos, mais séculos. Sempre! Nunca! Sempre queimar, sempre sofrer! Nunca o menor alívio, a menor esperança. Se os condenados que estão no inferno pudessem voltar à terra, que fariam? Procurariam outra vez a ocasião do pecado, as danças, os espetáculos, os butecos, as casas de perdição? Não! Correriam para a Igreja, ao pé do altar do Santíssimo Sacramento, de Nossa Senhora, ao pé do confessor principalmente, para alcançar o perdão de seus pecados. O que os condenados não podem mais, vós o podeis. Não estais no inferno, mas talvez estejais no caminho do inferno. Quanto antes, voltai para trás; talvez amanhã seja tarde. As Portas do Inferno “É larga, disse Jesus Cristo, a porta do inferno”. Pode-se acrescentar, são muitas as portas do inferno. Com efeito, há tantas portas do inferno quantas espécies de pecados mortais; mas há entre elas algumas mais largas e mais perigosas: são as da impureza, da injustiça, da profanação do domingo, da embriaguez, da má educação dos filhos, do protestantismo, do espiritismo, da demora da conversão. 12

Não erreis, disse São Paulo, os impuros não herdarão o céu. A impureza é o amor desregrado dos prazeres da carne. Pensar voluntariamente em coisas desonestas; desejar praticar, ver, ouvir coisas escandalosas; dizer palavras, ter conversas imorais, ler livros obscenos, olhar gravuras, espetáculos, pessoas indecentes; permitir-se consigo ou com outras pessoas liberdades criminosas; praticar no sacramento do matrimônio o que a moral cristã proíbe... são pecados contra a pureza. Dirão alguns: isso é pecado pequenino. Pequenino? Mas é pecado mortal. Diz Santo Antonino que é tal a corrupção que faz lavrar este pecado, que nem os próprios demônios podem sofrêlo, e acrescenta o mesmo santo que, quando se cometem semelhantes torpezas, até o demônio foge de vê-las. Considerai agora o horror que causará a Deus aquela pessoa que, como diz São Pedro, semelhante ao suíno, se revolve no lodaçal deste pecado. Dirão ainda os escravos da impureza: Deus é misericordioso, conhece a fraqueza da carne. Pois ficai sabendo que, conforme o relata a Escritura, os mais terríveis castigos que Deus descarregou sobre o mundo foram a punição deste pecado. Abramos, com efeito, a Escritura. O mundo está ainda no 13


começo e já os homens estão corrompidos, carnais impudicos. Deus se arrepende de ter criado o homem e por isso toma a resolução de o exterminar. Abre as cataratas do céu, a chuva cai durante quarenta dias e quarenta noites, as águas sobem até cobrirem as montanhas mais altas, e a humanidade morre afogada, abismada nas águas do dilúvio. Só escapam oito pessoas, a família de Noé que, sozinho, guardara a castidade. Será pecado leve? Que lemos ainda na Bíblia? Havia na Palestina cinco cidades célebres pelo seu comércio, suas riquezas, mais célebres, ainda, pela sua corrupção espantosa. Naquelas cidades cometiam-se pecados de que nem se pode dizer o nome, pecados sensuais contra a natureza, pecados horrorosos que infelizmente se cometem hoje, depois de dois mil anos de cristianismo. Que fez Deus? Mandou chover sobre aquelas cidades uma chuva, não mais de água, mas de fogo e de enxofre, que reduziu a cinzas as cidades e os habitantes. Não satisfeito, Deus mandou à terra que se abrisse e ao inferno que engolisse os restos infames de Sodoma e Gomorra. Que nos diz ainda a Sagrada Escritura? Que outrora Deus mandava queimar vivo a quem cometia semelhantes pecados e até aos casados que profanavam o matrimônio pelo crime horrendo do adultério. Este pecado de adultério, depois do assassínio, o mais grave de todos os pecados contra o próximo, foi sempre considerado até pelos pagãos como um crime digno de todos os castigos. Os antigos egípcios condenavam a ser queimada viva a mulher casada que tinha cometido este pecado; os saxões igualmente condenavam à fogueira a mulher casada infiel, e à forca o cúmplice de seus crimes. E há cristãos que trazem na lama do pecado o sacramento que São Paulo chama grande. Estes são apenas os castigos para este mundo. Que será no outro mundo! Está escrito, e a palavra de Deus não volta atrás, que os desonestos não entrarão no reino do céu. E este o pecado que arrasta para o inferno o maior número das almas. Diz São Remígio que a maior parte dos condenados estão no inferno por causa deste pecado. O mesmo diz São Bernardo: este pecado precipita no inferno quase todo o mundo. Do mesmo modo fala Santo Isidoro: é a luxúria muito mais que qualquer outro vício que sujeita o gênero humano ao demônio. Em uma palavra, e é a doutrina de todos os santos, de cem condenados no inferno, haverá um 14

ladrão, um assassino, um ímpio, mas noventa e nove desonestos. Pobres pecadores. Longe de mim o infundir-vos o desespero; o que quero dizer é que, se vos achais atolados neste vicio, procurai sair quanto antes deste lodaçal imundo, senão o inferno será vossa sorte eterna. O que deveis fazer é o seguinte: 1º. Rezar. A oração é uma chuva celestial que apaga o pecado da concupiscência. Rezai antes de dormir, de joelhos, ao pé do leito, três Ave-Marias à pureza de Nossa Senhora. 2º. Repelir sem demora todo mau pensamento e desejo, chamando pelos nomes de Jesus e Maria. 3º. Fugir, mas fugir absolutamente, custe o que custar, da ocasião do pecado, da frequentação de tal pessoa, de tal casa, de tal divertimento, de um modo especial destas danças modernas tão imorais e escandalosas. 4º. Enfim o meio mais eficaz é a recepção frequente e piedosa dos sacramentos da confissão e comunhão. Desenganai-vos, se agora não vos emendardes, mais tarde será tarde demais. SEGUNDA PORTA DO INFERNO O Furto

15


Não erreis, diz o mesmo apóstolo, os ladrões não herdarão o reino de Deus. O furto consiste em tomar, sem razão legítima, o alheio, às escondidas do dono. A rapina é um furto praticado à força na presença do dono. A fraude consiste em enganar no comércio, no peso, na medida, na qualidade, no preço, nos contratos. A usura, em cobrar juros excessivos. É pecado intentar processos injustos, recorrer à chicana para apoderar-se dos bens ou dos direitos dos outros, ficar com um objeto achado quando o dono é conhecido ou pode ser conhecido facilmente, comprar cientemente coisas furtadas, causar qualquer prejuízo ao próximo em seus bens, sua lavoura, seus negócios. Enfim, pecam contra a justiça todos os que mandam ou aconselham ou às vezes simplesmente consentem que outros causem qualquer prejuízo ao próximo. Pois este pecado é tão abominável que deveria inspirar horror a todos os cristãos, porque atrai sobre o homem a cólera de Deus e os priva do céu. O alheio é uma isca com que se engole o anzol pelo qual Satanás pega as almas. No entanto os homens são tão levados para os bens perecedores, que seus herdeiros disputarão e arrancarão depois da morte, que obcecados pela cobiça deixam se arrastar. Há certas pessoas que tributam, por assim dizer, honras divinas ao dinheiro e o apreciam como seu fim último. “Seus deuses são o ouro e a prata”, diz o profeta Daniel. Verdade é, há pecados mais graves que o furto, mas nenhum torna mais difícil a eterna salvação. A razão disso é que, para alcançar o perdão dos demais pecados, basta ter deles um verdadeiro arrependimento, e confessá-los; mas não assim quando se trata do furto; o arrependimento com a confissão não é suficiente, além disso, é preciso restituir. Ora, nada mais raro que a restituição. Eis a visão que teve um certo eremita: viu Lúcifer sentado no seu trono. Era a hora em que os demônios voltavam da terra aonde tinham sido mandados para tentar os homens. A um que chegou muito atrasado, Satanás perguntou qual o motivo do seu grande atraso. Respondeu que tinha trabalhado até àquela hora para impedir a um ladrão que fizesse uma restituição que lhe pesava muito na consciência. Lúcifer mandou castigá-lo, dizendo-lhe que não devia ignorar que o ladrão nunca restitui e que tinha perdido 16

seu tempo. Em verdade assim é. Dir-se-ia que o alheio se converte em próprio sangue e a dor de tirar o próprio sangue para dá-lo a outro é coisa dura de se sofrer. Demonstra-o a experiência de todos os dias. Quantos procuram iludir-se sobre a necessidade da restituição. Alega-se a pobreza... a família... Deixa-se aos herdeiros o cuidado de restituir, ou, para tranquilizar a consciência, dá-se alguma esmola aos pobres, mesmo quando se conhece a quem se deve. No entanto, Santo Agostinho disse: “ou restituição ou condenação”. Consideremos com S. Gregório que as riquezas que temos amontoado por meios injustos nos abandonarão um dia, mas que os crimes cometidos nunca nos abandonarão. Lembremo-nos que é uma extrema loucura deixar após si bens de que não teremos sido donos senão uns instantes e de carregar conosco injustiças que nos atormentarão eternamente. Não tenhamos a insensatez de transmitir aos nossos herdeiros o fruto do nosso pecado para nos carregar de toda a pena que lhe é devida e não nos exponhamos à horrorosa desgraça de arder eternamente na outra vida por termos educado e enriquecido filhos talvez ingratos. Lembremo-nos principalmente da palavra de Jesus Cristo: “Que serve ao homem lucrar o mundo inteiro, se depois perder sua alma?”. TERCEIRA PORTA DO INFERNO A Profanação do Dia do Senhor A santificação do domingo comporta duas coisas: a cessação do trabalho e a oração. Aos domingos não se pode trabalhar sem necessidade ou por motivo justo: “Trabalhareis durante seis dias, disse outrora Deus aos israelitas, mas ao sétimo dia não fareis nenhum trabalho, nem vós nem vossos servos”. Trabalhar aos domingos é, pois, uma desobediência formal a Deus. O trabalho do domingo é um desastre para o corpo, para a alma e mesmo para a fortuna. As máquinas de bronze e de aço não podem trabalhar semanas e meses seguidos. Forçosamente, de quando em vez, é pre17


ciso pararem, repousarem, senão arrebentam. Não somos de bronze nem de aço, somos de carne. Sem o repouso de oito em oito dias, dizem os sábios, os homens abreviam consideravelmente sua vida.

Quereis ver um povo sadio, forte, alegre? Vede as nações que respeitam o domingo. Quereis ver um povo doentio, fraco? Considerai os países em que o dia do Senhor é profanado. Quanto à alma, o trabalho ao domingo faz que o homem nem se lembre dela. Quem trabalha sem cessar torna-se material como a terra que cultiva, como as máquinas que maneja, torna-se um animal, um bruto. Notou-se que os revolucionários, os criminosos têm-se recrutado principalmente entre os profanadores do domingo. Afinal nossos interesses temporais pedem que santifiquemos o domingo. Se Deus não constrói a casa, diz o profeta, em vão trabalham os que a edificam. 18

O trabalho ao domingo é como o bem mal adquirido, atrasa. Deus não engana. Ora, disse aos judeus: “Guardareis o dia do Senhor e respeitareis meu santuário: se fizerdes estas coisas, eu vos darei as vossas chuvas a seu tempo e a terra e as árvores darão o seu fruto; comereis o vosso pão a fartar e habitareis seguros em vossa terra. Se, pelo contrário, rejeitardes meus mandamentos, visitar-vos-ei em minha cólera, vossas árvores, vossos campos, não darão seu fruto, farei que o céu seja como ferro e a terra como bronze, plantareis debalde a vossa semente e vossos inimigos a comerão, as feras devorarão vosso gado, mandarei a peste, a guerra, a fome”. Repousemos, pois, ao domingo e santifiquemos este dia pela oração. A oração obrigatória é a Santa Missa, para quem não tem um motivo justo de dispensa. Estes motivos são os seguintes: doenças, cuidados de crianças ou de doentes, grande distância da igreja (mais de uma hora de caminho, a pé), falta de companhia para senhoras, pobreza tal que a gente não possa se apresentar na igreja sem se envergonhar. As mães que têm crianças pequenas, procurem alguém que possa substituí-las, para que, pelo menos de vez em quando, possam ouvir a Santa Missa. Não esqueçamos que faltar à Missa por descuido, por preguiça, é pecado grave. Mau sinal, péssimo sinal, perder a Missa aos domingos. Enquanto o homem aos domingos veste a roupa limpa, toma o caminho da igreja, assiste ao santo sacrifício, ouve a palavra de Deus, há esperança. Embora este homem se tenha desviado de Deus, um dia voltará para ele. Mas, quando o homem chegou a este ponto de embrutecimento que não faz mais distinção entre dia de serviço e dia de domingo, não há mais esperança. Não é mais cristão, não é mais homem, é animal. É a perda da alma, é o inferno. Que dizer agora dos que não só profanam o dia do Senhor pelo trabalho e a perda de Missa, senão pelo pecado propriamente dito. Infelizmente, para muitos, o domingo é o dia do pecado, da embriaguez, do jogo, do escândalo. Que crime! Roubar a Deus o dia que ele reservou para sua glória e para nossa salvação, e consagrá-lo a Satanás pelo pecado! O que digo do domingo, digo-o das festas que, muitas vezes, em lugar de serem festas dos santos, são festas do demônio, 19


pela devassidão. Assim é que outrora os judeus celebravam os domingos e as festas e por isso Deus lhes disse: “Eu tenho horror de vossas festas, lançar-vos-ei em rosto as imundícies de vossas solenidades”. O que Nossa Senhora e os santos esperam de nós nos seus dias de festas não são músicas, foguetes, danças, jogos, orgias, mas orações fervorosas, confissão, comunhão. Só assim nos tornamos merecedores de seus favores. QUARTA PORTA DO INFERNO A Embriaguez

“Não erreis: os bêbados não herdarão o reino de Deus”, diz S. Paulo. A embriaguez é um dos vícios mais vergonhosos e funestos. O seu efeito imediato é privar o homem do uso da razão e até de seus membros. Este pecado ultraja a Deus porque mancha e apaga no homem a imagem de Deus. Pela sua alma o homem é a imagem de Deus. Como Deus, a alma conhece, ama e quer. Vede agora o escravo da bebida. Onde está a imagem de Deus? O embriagado é incapaz de formar uma ideia. Semelhante ao animal, não é capaz de exprimir seu pensamento. Onde estão seus sentimentos? Só tem instinto de bruto. Onde está sua liberdade? Faz o que não quer e não faz o que quer. Chega a ponto de não poder ficar de pé, de não poder dirigir seus passos, de cair. 20

Um dia, um bêbado caiu numa sarjeta. Chega um cão, olha, farejao festejando-o com a cauda. O cachorro parecia satisfeito por encontrar um cole-ga. Mas depois o cachorro foi-se embora, e o bêbado ficou deitado na lama, porque não podia arredar-se do lugar. Deus fez o homem grande, diz a Escritura, mas, pelo vício, o homem nivelou-se ao bruto. O alcoólico é inimigo de sua alma, porque calca aos pés todos os mandamentos da lei de Deus. Amai a Deus sobre todas as coisas, diz o primeiro mandamento. O escravo da embriaguez é do número daqueles que S. Paulo estigmatiza, quando diz: “Seu ventre é seu Deus”. O bêbado blasfema frequentemente, roga pragas, jura falso, profana o dia do Senhor, é mau filho, mau pai, mau esposo, briga, fere, às vezes mata. Como é raro dois embriagados separarem-se sem trocar uns murros e se estragar a cara. Quanto ao sexto mandamento, são obscenidades de toda espécie, pensamentos, desejos, palavras, olhares, ações, brutalidades que os próprios irracionais ignoram. No vinho está a luxúria, diz o Espírito Santo. O alcoólico é inimigo de seu corpo. O álcool é um veneno, acaba sempre por estragar e matar. Exerce um efeito funesto sobre o estômago, o coração, os rins. Os médicos contam até vinte doenças quase todas mortais, causadas pelo álcool. De 120.000 pessoas que morrem cada dia, 20.000 morrem diretamente pelos excessos alcoólicos. O alcoólico é inimigo de sua família. Uma boa moça regozijava-se na doce esperança de em breve achar-se ao lado de um moço, o preferido do seu coração, para levar com ele uma vida cheia de alegria e de felicidade. Por ele deixou pai e mãe, a ele dá sua mocidade, seu coração, suas forças, seu trabalho, sua vida. E o moço lhe promete torná-la feliz, promete-o, jura-o, até, ao pé do altar. E, agora, escravo da embriaguez chega em casa bêbado, envergonha sua esposa, a contrista, a descompõe, a maltrata, e, às vezes, deixa-lhe faltar o estrito necessário. Que ingratidão, que traição! Este pecado levanta contra ele um brado de maldição, arrancado de um coração esmagado. O eco desta maldição subirá até ao trono de Deus, para bradar vingança contra o violador do amor conjugal. Mau esposo, talvez pai pior ainda. Filhos idiotas, raquíticos, epilépticos, eis, geralmente, a descendência do alcoólico. E estas 21


pobres criaturas geralmente nascem predispostas ao vício. O fruto não cai longe da árvore, diziam os antigos. Que educação dará aliás tal pai a seus filhos? Que ouvem os filhos? Palavras obscenas, conversas ímpias. Que veem? brigas, escândalos. Pai miserável, que responderás no dia do juízo, quando Deus te perguntar qual o exemplo que deste a teus filhos? Renunciai ao vício, cristãos, e gozareis as satisfações da virtude e da abundância, os encantos da vida de família, tão puros e tão santos. Que alegria ver-se objeto da afeição de uma esposa, ter filhos sadios e bem educados! Fugi, pois, do maldito vício da embriaguez. Rezai, frequentai os sacramentos, afastai-vos da ocasião, principalmente, lembraivos da palavra de S. Paulo: “Os bebedores não entrarão no céu”. QUINTA PORTA DO INFERNO A Má Educação dos Filhos

Quantos pais se perdem e perdem a seus filhos porque não os educam no temor e amor de Deus, não cumprindo os cinco deveres principais que lhes impõe a paternidade, o amor, a correção, a instrução, a vigilância e o bom exemplo. Maus pais que não amam os filhos como devem amá-los! Certos homens não merecem o belo título de pais. Desperdiçam no jogo, na bebida, na devassidão o dinheiro que ganham, deixando faltar aos filhos o estrito necessário. Pais monstruosos, piores que os irracionais, que sabem passar fome para dar de comer a seus 22

filhos. Há mães que amam aos filhos, mas só a parte material, o corpo. Quanto à alma, pouco ou nada se ocupam dela. Adiam o batismo semanas e meses, deixando o filho entregue a Satanás e em perigo de morrer pagão. Quantas almas perdidas e quantas outras estragadas para sempre. Quanto mais Satanás se demora no coração do filho, mais o estraga. Toda a preocupação, todos os cuidados para com o corpo, até o luxo, até as modas mais indecentes, e quase nada para a alma. Que será daquela filha a quem a mãe procura inspirar só vaidade, a quem fala só de beleza, a quem enfeita como uma divindade? Será uma moça vaidosa, orgulhosa. Ai do moço que a tomar por esposa, porque será uma esposa leviana, exigente, cuja paixão do luxo nada poderá satisfazer. Será daqui a pouco a desavença, a suspeita, a briga, o abandono, a ruína do lar. Quantos pais, quantas mães, mormente perdem a si mesmos porque não cumprem o dever da correção. O homem nasce inclinado ao vício, diz a Escritura. No coração da criança madrugam os maus instintos. Bem cedo é preciso reprimi-los, corrigir os filhos, dai a pouco será tarde, impossível. Como corrigir? A força de gritos e descomposturas? Isso só serve para ensinar tudo quanto há de palavras feias. A força de pancadas? Isso avilta e embrutece. Em primeiro lugar é preciso avisar: — “Meu filho, não faças isso, não andes em tal companhia, não convém, não pode ser, não consinto.” — Às vezes este aviso será suficiente. Em caso de reincidência na mesma falta, é necessário repreender energicamente e ameaçar e, enfim, no caso de nova reincidência, castigar severamente. Até quando os pais têm obrigação de corrigir os filhos? Não se esqueçam que, enquanto filhos, não há grandes, nem velhos, não há filhos de barba branca. O filho, enquanto tiver filho, sempre será pai, e ai do pai que não avisa, repreende e corrige seu filho, e ai do filho que não atende às justas recomendações de seu pai. Cedo também deve começar a instrução, porque tudo depende do começo, tudo depende pois, principalmente, da mãe. Feliz, mil vezes feliz quem teve uma mãe cristã e piedosa. Tal a mãe de S. Luís, rei da França. Tendo nos braços seu filhinho, dizia: “Meu filho, eu te amo muito, mas tu tens no céu um Pai, uma Mãe que te amam ainda mais; cuidado, não faças nada que possa ofendê-los, não cometas pecado. Antes quisera ver-te agora mesmo morrer em meus braços, que ver-te mais tarde, rei da França, 23


cometer um só pecado mortal.” Mãe, o coração dessa criança, vosso filho, é um papel branco em que podeis escrever o que quiserdes. Gravai nele ódio ao pecado, amor a Deus, devoção a Maria Santíssima. Ensinai e mandai ensinar-lhe o catecismo. É uma obrigação gravíssima. A mãe que não manda seu filho ao catecismo, onde é possível, é indigna de absolvição. Meninos e meninas de dez, doze anos, moços e moças que nunca apreenderam uma palavra de catecismo, nada sabem de religião e de suas obrigações, e por isso não se confessam, não comungam, vivem no pecado, é o que encontramos todos os dias. Os culpados são os pais. Quantas moças põem o pé no inferno no dia em que casam, porque assumem uma obrigação que são incapazes de cumprir, ensinar aos filhos a amarem e servirem a Deus. Que responsabilidade e como poderão salvar-se? Perdem a si e a seus filhos. Mandai vossos filhos à escola, para que aprendam pelo menos a ler e escrever. Depois do pecado a coisa mais triste e funesta é a ignorância. Mas, cuidado! Vede bem que escola, que colégio, que mestres. Há escolas e colégios sem religião. Dali sairão vossos filhos sem fé e sem costumes. Não faltam as escolas e os colégios católicos. Vigilância neste ponto. Vigilância em todos os sentidos. O maior bem que os pais possam deixar a seus filhos não são muitas riquezas, terras, dinheiro, mas a inocência e os bons costumes. Por isso seu grande empenho deve ser conservar-lhes este te-souro. Tarefa difícil em um mundo em que tudo é escândalo. Só uma grande vigilância. Os pais devem trazer os filhos presos debaixo de seus olhos. Sem esta sentinela de vista não escapam à corrupção. Vigilância, pais e mães, que vossos filhos não vejam nunca nada, nem em casa nem fora de casa, nem de dia nem de noite, nada capaz de ofender a inocência. Mas quantos pais, diz um santo, têm mais cuidado com seus animais, suas criações, que com seus filhos! Quantos pais deixam seus filhos andarem aonde e com quem querem, quantas mães deixam meninos e meninas brincarem longe de seus olhos. Quantas crianças saem de casa inocentes e voltam culpados; quantos moços e moças acham sua perdição em noites de festas, de volta por estradas escuras e desertas! Quantos desastres! Pais e mães, onde andam vossos filhos e filhas, que casa, que pessoas, que divertimentos frequentam? Examinai vossa consciência, condenai-vos, antes que Deus a examine e vos condene. 24

Se é um grande pecado dos pais não afastarem os filhos do pecado, é um crime enorme levá-los ao pecado pelo mau exemplo. Tal pai, tal filho; tal mãe, tal filha. Filho de peixe sabe nadar, diz o adágio. Nada mais eficazmente funesto que o mau exemplo dos pais. Os pais não rezam, o pai não se confessa, a mãe não vai à Missa aos domingos, os filhos hão de fatalmente imitar seu procedimento. Por que rezar? — disse um dia uma menina à sua professora — eu nunca vejo papai nem mamãe rezarem. Que dizer dos pais que oferecem aos filhos o espetáculo positivo do vício e do pecado, pais que se embriagam, brigam, blasfemam; certas mães cuja vida é o pecado... os filhos o sabem e se envergonham, o que não os impedirá de, mais tarde, trilharem o mesmo caminho. “Ai do homem, disse Jesus Cristo, que dá escândalo, isso é, dá mau exemplo”; por conseguinte, mil vezes ai dos pais que escandalizam seus filhos: “seria melhor lhes amarrar ao pescoço uma pedra e serem lançados ao mar.” “Maldito seja meu pai, disse um condenado à morte, à hora de subir ao cadafalso, a ele é que devo a minha desgraça; nunca me ensinou meus deveres para com Deus e os homens, deixou-me frequentar más companhias, deu-me em tudo o mau exemplo.” Faz horror pensar que no inferno muitos filhos amaldiçoam aos pais e muitos pais aos filhos, porque foram uns para outros causadores de sua condenação. Pais e mães, amai a vossos filhos com amor cristão, educaios no amor e temor de Deus, afastai-os do mal e dai-lhes em tudo o bom exemplo, e vossos filhos vos darão gosto, neste mundo serão vossa consolação e no outro vossa coroa. “Quem poupa a vara odeia seu filho; quem o ama, castiga-o na hora precisa”(Provérbios, 13,24) Deveres dos filhos e dos pais!!! “Filhos, obedecei a vossos pais segundo o Senhor; porque isto é justo. O primeiro mandamento acompanhado de uma promessa é: Honra teu pai e tua mãe, para que sejas feliz e tenhas longa vida sobre a Terra. Pais, não exaspereis vossos filhos. Pelo contrario, criai-os na educação e doutrina do Senhor”(Efe.6,1,4). “Guarda, filho meu, os preceitos de teu pai, não desprezes o ensinamento de tua mãe” (Provérbios. 6,20). 25


SEXTA PORTA DO INFERNO O Protestantismo

O protestantismo é inimigo jurado da nossa Santa Religião. Nega os dogmas mais santos: o Santo Sacrifício da Missa, a Confissão, a Comunhão, a maior parte dos sacramentos, a existência do purgatório, a instituição Divina da Igreja, a autoridade do Papa, a legitimidade do culto dos santos. Neste particular vai até a caluniar aos católicos, dizendo que adoram os santos, as imagens. Não, mil vezes não! Não adoramos os santos. Adoramos só a Deus. Quanto aos santos, nós os honramos, pedimos sua proteção junto de Deus. Honramos as imagens como sendo os retratos dos santos. Que mal haverá nisso? Não podemos honrar o retrato de um pai, de uma mãe, de um benfeitor, colocá-lo em nossa sala, no lugar de honra? Se Deus, outrora, proibiu aos judeus que tivessem imagens, é porque os judeus habitavam no meio de idólatras e estavam expostos a cair na idolatria. Foi uma medida disciplinar e passageira. Aliás, o mesmo Deus deu ordem a Moisés que adornasse a arca com imagens de anjos. Se os protestantes não têm outra coisa que nos exprobrar, calem-se; esta acusação cobre-os de ridículo. É inegável a existência do perigo protestante no Brasil. Não se deve, porém, temer exageradamente o protestantismo porque ele tem contra si a promessa feita por Cristo à sua Igreja e porque de sua natureza tende a se desagregar, dividir e multiplicar-se. Todas as tentativas de união serão sempre uma paródia da verdadeira união de fé. Ademais o Brasil nasceu, cresceu e vive ainda sob o bafejo santo da Igreja Católica e não quer 26

ser ingrato às bênçãos celestes, simbolizadas pela constelação bendita do Cruzeiro do Sul. Não se deve, portanto, exagerar o perigo protestante. Mas, doutra parte, não deve ser desprezado ou descurado. A fé, na verdade, foi prometida à Igreja e não às nações; estas, como os indivíduos, a podem perder; e não padece dúvida que o protestantismo é um sério perigo que poderá ser grave se não se empregarem os remédios aptos e convenientes. Não se devem desprezar os protestantes, porque são nossos irmãos transviados e cegos. Nem é tática bélica desprezar o inimigo, ainda que aparente fraqueza. Se não se deve exagerar nem diminuir o perigo, é preciso considerá-lo em seu justo limite. Daí a necessidade de um estudo leal e ponderado sobre as forças e elementos do protestantismo no Brasil. Quanto maior for o estudo, tanto melhor será o combate. Devemos combater os protestantes: Com grande caridade, muita paciência e ardente zelo pela sua conversão; com constante e sólida instrução, do povo nas verdades reveladas; com a prática das virtudes cristãs e com a frequência dos sacramentos; advertindo os fiéis dos enganos; dando bom exemplo; com o sacrifício e orações fervorosas para que todos sejam uma só coisa (Jo 17, 22). O protestantismo foi fundado por Lutero. Quem era Lutero? Um frade que, depois de passar muitos anos no convento, deixou a vida religiosa, deixou seu hábito e... Casou. Com quem? Com uma freira, chamada Catarina, que ele mesmo tirou do convento. Lutero viveu e morreu na crápula, na orgia, no escândalo. Julgai se Deus pode suscitar semelhante apóstolo para reformar a Igreja ou fundar uma nova religião. Não discutamos com protestantes, não vamos ao seu culto, nem por curiosidade. Não leiamos suas bíblias, seus folhetos. É pecado mortal ter consigo uma bíblia protestante. Tudo isso expõe nossa fé a naufragar. SEITAS PERGUNTA: A Bíblia aprova as seitas, ou as condena? RESPOSTA: Condena! Já no Antigo Testamento (Num 14,1-38) lemos como Moisés tinha enviado 12 príncipes 27


(um de cada tribo) para explorar a Terra Prometida. Dez deles, depois de terem voltado, tinham feito murmurar todo o povo contra Moisés e Aarão, dizendo: Escolhamos um (outro) chefe e voltemos para o Egito. Por castigo, os dez exploradores revoltados morreram feridos por uma praga, diante do Senhor, e todos os adultos Israelitas, (acima de 20 anos), “deixaram seus cadáveres apodrecer no deserto”. Somente os dois exploradores fiéis a Moisés, Josué e Caleb, entraram na Terra Prometida. Semelhante castigo infligiu Deus a Coré, Datan e Abirão e seus 250 sectários, revoltados contra a autoridade de Moisés e Aarão. Os três foram engolidos pela terra, que se abriu na vista de todos, e os demais foram devorados pelo fogo caído do céu (Num 16,1-35). Para o povo da Nova aliança previu Deus o mesmo regime de um só governo, pela profecia de Daniel (Dan 2, 44): “No tempo desses reis (do império Romano), o Deus do céu suscitará um reino que jamais será destruído … e subsistirá para sempre”. Trata-se da Igreja Católica, confiada por Jesus a Pedro, e governada até hoje por seus sucessores, os Papas. Vejamos ainda outras passagens bíblicas do Novo Testamento sobre as seitas: (At 20,28-31): Advertência na despedida de S. Paulo: “Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o Seu próprio sangue. Sei que depois de minha partida se introduzirão entre vós lobos cruéis, que não pouparão o rebanho. Mesmo dentre vós homens que hão de proferir doutrinas perversas, com o intento de arrebatarem após si os discípulos. Por isso, vigiai!” (Gal 1, 7-9): “De fato, não há dois (Evangelhos): há apenas pessoas que semeiam a confusão entre vós e querem perturbar o Evangelho de Cristo. Mas, ainda que alguém, nós ou um anjo baixado do céu, vos anuncias-se um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema”. (maldito . (Rom 16, 17-18): “Rogo-vos, irmãos, que desconfieis daqueles que causam divisões e escândalos, apartando-se da 28

doutrina que recebeste. Evitai-vos! Esses tais não ser-vem a Cristo nosso Senhor, mas ao próprio ventre. E com palavras adocicadas e linguagem lisonjeira enganam os corações simples”. (Tt 3,10-11): “O homem que assim fomenta divisões, depois de advertido uma primeira e uma segunda vez, evita-o, visto que esse tal é um perverso que perseverando no seu pecado, se condena a si próprio”. (II Tim 4,3-6): “Virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajuntarão mestres para si. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas. Tu, porém, (como legítimo bispo da Igreja, por mim ordenado), sê prudente em tudo, paciente nos sofrimentos, cumpre a missão do pregador do Evangelho, consagra-te ao teu ministério”. VENERAÇÃO DE IMAGENS ACUSAÇÃO: Os católicos praticam a idolatria, fazendo e adorando imagens, o que Deus, proíbe na Bíblia, dizendo; “Não farás para ti escultura alguma do que está em cima nos céus, ou abaixo sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra” (Ex 20,4). RESPOSTA: O mesmo Deus, no mesmo livro do Êxodo, manda Moisés fazer dois querubins de ouro e colocá-los por cima da Arca da Aliança (Ex 25,18-20). Manda-lhe, também fazer uma serpente de bronze e colocá-la por cima duma haste, para curar os mordidos pelas serpentes venenosas (Num 21,8-9). Manda, ainda, a Salomão enfeitar o templo de Jerusalém com imagens de querubins, palmas, flores, bois e leões (I Reis 6,23-35 e 7,29), etc. RAZÕES PARA SER CATÓLICO

* A igreja Católica tem como seu fundador o próprio Jesus Cristo (Mt 16, 18-19). * A Igreja Católica é governada segundo a forma bíblica: Bispos: (Atos 20,28, Flp 1,1, Tt 1,8) 29


Presbíteros = Anciãos: (Atos 15, 2-6, 21,18, 1 Pdr 5,1) Diáconos: (Atos 6, 1-6) * A Igreja Católica comprova a sua autoridade com a sucessão apostólica. * A Igreja Católica foi confirmada por Deus e inaugurada para o mundo com a vinda do Espírito Santo em Pentecostes (Atos 2). * A Igreja Católica segue a advertência bíblica contra as divisões, cismas e sectarismo (Mt 12, 25; 16, 18; Jo 10, 16; 17, 20-23; Atos 4,32; Rom 13,13; 1 Cor 1, 10-13; 3,3-4; 10, 17, 11, 18-19; 12, 12-27; 14, 33...) * A Igreja Católica está fundamentada na autoridade da Bíblia (Hbr 4,12-13; 2Tm 3,16-17); da Tradição, isto é, o conteúdo da doutrina cristão vindo desde o começo do cristianismo que garante a continuidade da única e mesma mensagem de Cristo (2 Ts 2,14) e do Magistério, isto é, a palavra do Papa e dos Bispos unidos a ele (Mt 16, 19; Lc 10,16). * A Igreja católica recebeu a missão de ensinar a verdade e cuidar da Sã doutrina (Mt 28,19-20 e Atos 2,42). SÉTIMA PORTA DO INFERNO O Espiritismo

O espiritismo consiste em pretensas ou verdadeiras comunicações com os espíritos do outro mundo, ou as almas dos defuntos, para descobrir coisas secretas relativas a esta ou à outra vida. Digo comunicações pretensas, supostas, porque é sabido 30

que grande número de médiuns, isso é, de pessoas de que se servem os espíritos para receberem as respostas dos espíritos ou das almas, os profissionais Do espiritismo, têm sido convencidos de fraude. Noventa por cento pelo menos dos casos de comunicações espíritas são vergonhosas trapaças. Digo, em segundo lugar, comunicações verdadeiras, porque sábios verdadeiros e conscienciosos têm verificado a verdade de certas comunicações, de sorte que forçoso é admitir que nem tudo é fraude. Por conseguinte, às vezes há espíritos que se comunicam. A questão é esta: a que espíritos devem ser atribuídas estas comunicações? Em outras palavras: quem é o espírito que se manifesta? Não são almas dos defuntos. O dogma católico admite, para as almas que passaram os umbrais da eternidade, dois estados definitivos e um intermediário, mas passageiro. Ou elas estão no inferno, ou no céu, ou no purgatório. Ora, em qualquer estado destes em que elas se achem, não está na possibilidade delas aparecerem a quem as evoca. As do inferno estão presas pela corrente da justiça divina, que fixou a sua desgraçada sorte para a eternidade e deste horrendo calabouço, de que os demônios são guardas, elas não podem sair, senão em caso muito extraordinário, por especial providência de Deus. As que estão no céu, no purgatório, estão em perfeita conformidade à vontade de Deus, e, portanto, nunca elas se manifestam senão por fins altíssimos, dignos da infinita sabedoria de Deus, como auxiliar com preces e santos sacrifícios essas almas, ou converter algum pecador. A regra geral que Deus tem estabelecido para as almas que passam desta para a outra vida é que: “o espírito vai e não volta.” Não são as almas que se manifestam. É o demônio. A prova é que na maioria dos casos estas comunicações tendem ao erro e à falsidade, que é o caráter próprio daquele que tem o título “pai da mentira”. Sem dúvida, há às vezes algumas verdades enunciadas, mas é para mais facilmente induzir ao erro. Assim dirão que há purgatório, mas que não há inferno — que fulano está no inferno, mas que a condenação não é eterna. Outras vezes são respostas ambíguas e contraditórias. Para um católico não pode haver dúvida, é o demônio. Acrescentemos o que em mais de uma circunstância se tem dado; e é que se algum dos circunstantes se acha munido de água benta, um crucifixo, uma medalha, o espírito ou fica mudo ou dá respostas incoerentes. 31


Vejamos, aliás, quais as consequências resultantes do espiritismo, para mais vermos a intervenção diabólica, porque pelos efeitos melhor se conhece a causa. Uma das consequências que mais avultam é a loucura. É um fato notório. O diretor do Hospício dos Alienados Pedro II, no Rio, declarou, há anos passados, que sessenta e cinco por cento dos alienados eram vítimas do espiritismo. Que dizer do suicídio? Quem ignora que os tenha havido e só motivados por esta causa? Quantos desgraçados entre estes cegos a quem Satanás leva pelo cabresto até esta última cegueira! Quanto às imoralidades praticadas muitas vezes em certas reuniões espíritas, delas nem convêm falar. Há outras consequências, doutra ordem mais transcendente e é que o espiritismo impele seus adeptos à heresia e ao erro. É principalmente entre os espíritas que se encontram os que negam a divindade de Jesus Cristo, da confissão, da Igreja; os que ridicularizam as práticas religiosas, aprovam o ensino ateu. Basta! Fica claro e evidente que as pessoas que se entregam a estas práticas cometem pecado mortal não só porque desobedecern à Igreja, que as proíbe, mas também porque procuram põe-se em comunicação com o espírito das trevas, o inimigo de Deus, o que é proibido pela Sagrada Escritura: “Entre ti não se achará... quem pergunte a um espírito divinatório nem aos mortos.” (Deut 18, II). Os espíritas são hereges porque negam verdades reveladas e aderem a erros condenados, renunciando, desta arte, ao título de católicos. Estão fora da Igreja; se não renunciarem a estas práticas não se salvam. A ORAÇÃO Há um inferno, suplícios eternos. É horroroso, mas é certo. A porta do inferno é o pecado mortal. Há também um céu, morada de Deus, mansão dos anjos e santos, uma glória, uma felicidade eterna. A chave de ouro do Céu é a oração. Quereis evitar o inferno, merecer o céu, é absolutamente necessário REZAR... Retirado do livro: O Pequeno Missionário - Manual de Instruções, Orações e Cânticos coordenado pelo Pe. Guilherme Vaessen, Missionário da Congregação da Missão - 6a. Edição, Editora Vozes, 1953 32

SÃO JOÃO BOSCO: SE CAÍRES NO INFERNO, DELE JAMAIS SAÍRAS! 1º) Considera, meu filho, que. Nele se padecem todas as penas, e todas elas para sempre. se caíres no Inferno, dele jamais saíras Passarão cem anos, mil anos, e o Inferno estará apenas começando; passarão cem mil anos, cem milhões de anos, milhões de milhões de anos e de séculos…e o Inferno estará ainda apenas começando. Se um Anjo anunciasse a um condenado que Deus haveria de livrá-lo do Inferno depois de passar tantos milhões de séculos como gotas de água que há no mar, ou folhas de árvores e grãos de areia no mundo, essa notícia lhe causaria logo um consolo indizível.“É certo, exclamaria, que é imenso o número de séculos que sofrerei, afinal, haverá um dia em que eles acabarão”. Mas, ai! passarão esses milhões de séculos e uma infinidade de outros, e o Inferno estará sempre apenas começando. Cada condenado quereria poder dizer a Deus: “Senhor, aumentai quanto quiserdes minhas penas, e fazei-me permanecer aqui o tempo que quiserdes, contanto que me deis a esperança de ver este suplício acabar um dia!” Mas não! Esse término e essa esperança jamais chegarão. 2º) Se ao menos o condenado pudesse iludir-se a si mesmo, pensando consigo: “Quem sabe se Deus algum dia terá piedade de mim e me tirará deste abismo!” Mas, não! Jamais abrigará esta esperança! O condenado terá sempre presente a sentença de sua condenação eterna: “Este tormentos, este fogo, estes horríveis gritos, eu os terei para sempre”. Sempre! verá escrito nas chamas que o devoram. Sempre! na ponta das espadas que o transpassam; Sempre!, nas horríveis fisionomias dos demônios que o atormentam; Sempre!, naquelas portas fechadas que jamais se abrirão para ele! Ó eternidade, ó abismo sem fundo! Ó mar sem limites! Ó caverna sem saída! Quem não tremerá pensando em ti? Ó maldito pecado, que tremendos suplícios preparas para quem te comete! Ah! Basta de pecados, basta de pecados em toda a minha vida! 33


3º) O que deve encher-te de espanto é pensar que essa horrível fornalha está sempre aberta debaixo de teus pés e que basta um único pecado mortal para cair nela. Compreendes, meu filho, isto que lês? Um pecado que cometes com tanta facilidade merece uma pena eterna. Uma blasfêmia, uma profanação dos dias festivos, um furto, um ódio, uma palavra, um ato, um pensamento obsceno, bastam para condenarte às penas do Inferno. Ah! meu filho, ouve atentamente o meu conselho; se a consciência te censura de algum pecado, vai imediatamente confessar-te para principiar logo uma boa vida; põe em prática todos os conselhos do teu confessor e se for necessário faz uma confissão geral; promete fugir das ocasiões perigosas, das más companhias, e se deus te chamar a deixar o mundo, obedece-Lhe com prontidão. Tudo o que se faz para evitar uma eternidade de tormentos é pouco, é nada: “nenhuma segurança é excessiva quando está em jogo a eternidade”, escreveu São Bernardo. Oh! quantos jovens na flor da idade abandonaram o mundo, a pátria, a família e foram sepultar-se nas grutas e desertos, não vivendo senão de pão e água, às vezes só de algumas raízes!…E tudo isso para evitarem o Inferno! E tu, o que fazes, depois de merecer tantas vezes o Inferno pelo pecado? Lança-te aos pés de teu Deus e diz a Ele: “Senhor, vede-me pronto a fazer tudo o que quiserdes; já Vos ofendi demais até agora; de hoje em diante não Vos quero mais ofender; enviai-me, se preciso, todos os males nesta vida, desde que possa salvar minha alma”. Fonte: O Jovem Instruído. (São João Bosco) e http://repor terdecristo.com - Por: Jonathan Oliveira

Diz na Sagrada Escritura: "Mas, ó terra e mar, cuidado! Porque o Demônio desceu para vós, cheio de grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta". (Apocalpse 12, 12) Vejam que interessante, sobre a banda que tocava na Boate, na tragédia na cidade de Santa Maria RS. O cartaz da banda, era uma caveira pegando fogo e no fundo varias caveiras dançando pegando fogo também. Notem que na parte de cima, também tudo pega fogo. Seria apenas uma mera coincidência? Um Blog chamado Libertar ainda faz as seguintes observações sobre o fato: Sabe quem é a pessoa que tirou foto ao lado do cartaz da banda? Foi ele quem jogou o sinalizador que fez começar o "incêndio acidental" A coisa mais estranha, a última musica que foi tocada foi Die Young, que traduzindo significa Morrer Jovem. Além disso tudo que é super estranho, na página da Kiss no facebook foi postado assim "hoje temos a banda gurizada, a kiss VAI PEGAR FOGO" logo depois do incêndio o post foi apagado, estranho não?

Diz na Sagrada Escritura: "Mostrar-vos-ei a quem deveis temer: temei àquele que, depois de matar, tem poder de lançar no inferno; sim, eu vo-lo digo: temei a este". (Lc 12,5) "E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio". (Lc 16,23) “Pois se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os precipitou nos abismos tenebrosos do inferno onde os reserva para o julgamento;" (2Pd 2,4)

Sempre lembrando o seguinte: Diz também na Sagrada Escritura: "Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar". (1Pd 5,8) “Nós sabemos que somos de Deus, ao passo que o mundo inteiro está sob o poder do Maligno” (1Jo 5,19) O perito em satanismo, Carlo Climati, denunciou que "a cada dia aumenta o número de jovens que se declaram seduzidos pelo

34

INCÊNDIO NA BOATE GAÚCHA: O CARTAZ DA BANDA, ERA UMA CAVEIRA PEGANDO FOGO

35


diabo e a magia negra" com a ilusão de viver uma vida sem regras seguindo um "anjo rebelde". Em uma entrevista concedida ao grupo ACI em Roma, Climati explicou que o satanismo "destrói aqueles valores universais que estão escritos no coração de cada ser humano"; cria confusão e "uma espécie de sociedade ao revés, onde o bem vira o mal e o mal vira o bem". Ele considerou que os jovens confundem o diabo com um "anjo rebelde", e se deixam capturar "pela ilusão de uma vida aparentemente livre, sem regras", por uma liberdade enganosa que os leva "a um estado de dependência e de escravidão". Ainda lembrando o seguinte: “Satanás é um ser vivo, espiritual, pervertido e perverso, o inimigo número um, o tentador por excelência; um ser obscuro e perturbador, que existe verdadeiramente e que com traiçoeira astúcia está ainda agindo”. Papa Paulo VI - Audiência Geral de 15/11/1972 Disse Santo Afonso de Ligório: A vida presente é uma guerra contínua com o inferno “O que mais consola uma alma que ama a Deus, ao se lhe anunciar sua morte, é o pensamento de que em breve estará livre de tantos perigos de ofender a Deus, de tantas inquietações de consciência, de tantas tentações do demônio. A vida presente é uma guerra contínua com o inferno, na qual corremos, a cada instante, o perigo de perder a Deus e a nossa alma. S. Ambrósio diz que na terra só caminhamos sobre ciladas armadas por nossos inimigos a fim de nos roubarem a graça divina. (…) Com que ânsia não deseja uma pessoa retirar-se de uma casa, cujas paredes ameaçam desabar, diz S. Cipriano. Pois bem, aqui neste mundo uma desgraça horrível ameaça de todas as partes a nossa alma: o mundo, o inferno, as paixões, nossos sentidos revoltosos, tudo nos quer induzir ao pecado e lançar-nos na morte eterna. Quem me livrará deste corpo de morte? (Rm 7, 24), exclama o Apóstolo. Que alegria, portanto, não sentirá a alma ao ouvir estas palavras: Vem do Líbano, minha esposa… vem do covil dos leões. Vem, que serás coroada (Ct 4, 8). Vem, minha esposa, deixa esse vale de lágrimas, vem desse antro de leões que procuram engolir-te e roubar-te a minha graça.” Fonte: www.rainhamaria.com.br 36

ARTISTA COREANA VAI AO INFERNO E DESENHA O QUE VIU

A jovem artista coreana foi levada para o inferno pelo próprio Senhor Jesus. Essa artista vinha atendendo as reuniões de oração desde Abril de 2009 e continua a faze-lo. Nisso já se há passado um ano. Artista: “Por eu rezar por toda a noite, eu fui capaz de amar a Jesus mais do que nunca” … Um dia … Jesus veio e disse em meu coração: “Eu lhe mostrarei as coisas mais profundas do Céu".

Eu pensei que eu iria visitar o Céu, mas ao contrário disso, eu visitei o inferno. Assim que Jesus falou no meu coração, nós entramos dentro do mundo espiritual. 37


Enquanto eu seguia a Jesus, eu não parava de chorar… Eu então comecei a ouvir gemidos, gritos e sons de lamentações…“Ahhhhh h!!!” Artista: “A maioria das pessoas estão equivocadas e iludidas a respeito do inferno. Muitas delas pensam que só delas acreditarem em Jesus Cristo elas irão ao Céu. Algumas até pensam que quando elas morrerem isso terá sido tudo e que não haverá mais nada depois. Muitos acreditam como pensam e por isso vivem suas vidas da maneira que desejam … “

podemos assistir alguns noticiários de vez em quando mas por favor, não assista Televisão em geral. Amem !! Artista: Enquanto Jesus presenciava os pecados cometidos pelos homens, Ele chorava. Satanás e seus demônios amarram os corpos de pecadores com muita força com correntes de ferro e os controlam, com isso os pecadores se aprofundam mais e mais no pecado. Eu suplico a vocês que não pequem e também não vivam fazendo como desejam. No inferno os sentidos são centenas de vezes mais vividos em comparação ao que vivemos no mundo carnal e por causa disso a dor é mais severa. Drogas com espíritos de serpentes

Satanás da TV

A REALIDADE EM FUMAR E CONSUMIR BEBIDAS ALCOÓLICAS E TODO TIPO DE DROGAS Bebidas alcoólicas e o fumo do cigarro estão cheios de espíritos de serpentes. Satanás da TV: Enquanto as pessoas assistem filmes violentos seculares, demônios atormentam a alma da pessoa sem que a pessoa perceba. Quando a pessoa assiste as cenas na Televisão, a sua alma se encontra em tormento e dor. A alma acaba sendo danificada e machucada. Assistir programas de Televisão seculares, não ajuda de jeito algum que o Cristão progrida em seu amoroso relacionamento com Deus, nosso noivo Jesus. Nós 38

Pessoas caindo no Inferno Jesus levou muitas pessoas e as mostrou o inferno. Jesus: “Eu vejo inúmeras pessoas caindo no eterno mar de fogo do inferno todos os dias… Por favor diga a essas pessoas o que você presenciou no inferno! Você deve dizer a todos a respeito 39


do inferno! Diga as pessoas quão terrível é o inferno. Você deve pintar as cenas do inferno como se Meu coração estivesse em você. Desenhe as cenas com a dor do Meu coração.”

O castigo de quem não come o Pão da Vida (Eucaristia João 6, 54-58). Pessoas que não quiseram comer do pão da vida…

Eles estão caindo no fogo do inferno.

Castigo de quem participa de coisas proibidas

Desenhe com a dor do Meu coração… Pinturas que mostram a dor de Jesus Artista: Enquanto eu pintava as cenas do inferno, Satanás me atacou severamente… mas eu queria, através dessas pinturas, exclamar o coração de Jesus para o mundo… Eu queria entregar a dor do coração de Jesus e como Ele sentia comovido pelas pessoas que estão caindo no inferno todos os dias. 40

Pessoas que não consultaram com Jesus as coisas das suas vidas, mas tomaram suas próprias decisões e fizeram as suas próprias vontades. 41


Pessoas que haviam bebido, comido e participado de coisas proibidas.

Castigo dos mentirosos

A penalidade por mentir. Castigo dos ladrões Castigo de quem machuca com as palavras

Jesus: "Por favor diga para aqueles que machucam o coração de outras pessoas usando suas palavras, que eles não devem machucar ou ferir seus irmãos e irmãs em Cristo. Eles não devem dizer coisas descuidadosamente, falando sem cuidado ou amor.” 42

Ladrões de dinheiro ou fundos… Pessoas que roubaram dinheiro e outras coisas serão penetradas por flechas e/ou espetadas por agulhas. 43


Perseguição do Evangelho

Este é o método que assassinos, estupradores e sequestradores serão atormentados.

Não consegue sair do Inferno

A primeira metade do quadro descreve os demônios que influenciam os perseguidores (Pessoas) a perseguir, prejudicar ou matar os mensageiros do evangelho completo e verdadeiro. Esta mulher vê o lado de fora… “Se eu somente pudesse sair daqui”. Eu gostaria de poder sair daqui…! 44

45


O castigo para as pessoas arrogantes e soberbas

O lugar de insetos que está localizado no inferno. Este inferno é para as pessoas que pecaram em suas mentes usando seus pensamentos; e para aquelas que eram soberbas com seus próprios pensamentos e conhecimento. Seus corpos estão cobertos por inúmeros vermes e insetos. Os vermes e insetos no inferno são maiores do que os da Terra. Neste quadro milhões de vermes e insetos estão entrando e saindo da boca, dos ouvidos e da cabeça da pessoa. Eles penetram e percorrem por todo seu corpo.

Castigo das pessoas duvidosas

Este inferno é para pessoas com uma mente duvidosa. Por exemplo: “Por que Jesus teria um plano na minha vida ou em mim? Quem sou eu? Eu não creio que Ele me ama. Eu sou ruim. Eu não creio que Ele amaria uma pessoa como eu”. Essas pessoas que não tentam alinhar os seus pensamentos com a vontade de Deus acabarão indo para o inferno. Nós devemos ajustar a nossa mente e os nossos pensamentos. Estes também são aqueles que violaram a palavra de Deus e ignoraram os seus mandamentos. Eles serão fritos numa frigideira queimando com o fogo do inferno. Castigo das pessoas que não propagam o Evangelho

Essas pessoas eram soberbas com os seus próprios pensamentos e conhecimento. 46

Este inferno é para as pessoas que não propagaram ou compartilharam o evangelho. Eles não evangelizaram as boas novas para os perdidos. Jesus tanto insistiu na Sagrada Escritura dizendo: “A messe é grande, mas os operários são poucos.” 47


Tormento daqueles que ignoram Jesus e continuam pecando

Castigo dos adúlteros, homossexuais e bissexuais

Este tormento é para as pessoas que ignoraram a palavra de Deus e continuaram a cometer pecados. Eles são aqueles que praticaram o mal perante os olhos do Senhor.

Este lugar é para aqueles que tiveram uma família, mas traíram seus parceiros e/ou viraram homossexuais e/ou bissexuais. Eles serão penetrados por facas e lanças. Castigo das pessoas que reclamam e resmungam

Este inferno é para as pessoas que reclamam e resmungam até em seus corações. 48

Homens que se corromperam sexualmente, eles terão suas partes íntimas perfuradas a cada segundo. 49


Castigo dos idólatras

Se você não se arrepender…

Este inferno é para as pessoas que adoravam ídolos, tinham pensamentos ruins em suas mentes e que eram teimosos em seus próprios caminhos.

Mãe e filho não se amam no Inferno

Yoga

O tormento não tem fim. O sofrimento será eterno no inferno. O lugar não tem fim. O tormento será eterno…

A mulher e o menino nesta pintura eram mãe e filho quando eles viviam na Terra. Mas por causa da sua dor insuportável, eles tentam escapar do tormento do inferno pisando um sobre o outro e não se amam mais. 50

51


Focalize-se somente em Jesus Jesus está dizendo: “Focalize-se em mim, você deve focalizar-se somente em mim…”

Essa imagem nos mostra que quando nós nos arrependemos e oramos perante a Deus, os exércitos de anjos descendem do céu com suas espadas e perfuram os demônios

Para derrotar o Diabo

Você deve matar o Satanás ou diabo que está vivendo dentro de você… Ser um bom cristão... Fazer uma boa confissão com um Sacerdote... Praticar os 10 mandamentos... Rezar o Santo Rosário. 52

NÃO VÁ PARA O INFERNO!!! FIM 53


TERRÍVEL! O INFERNO: A SEPARAÇÃO DE DEUS A existência do inferno é atestada por numerosas passagens da Sagrada Escritura, pela Tradição e pelo Magistério Eclesiástico. E grandes mestres da vida espiritual, como Santo Inácio de Loiola, recomendam que se medite sobre esse local de tormentos eternos, como medida salutar para se alcançar a salvação.

Imagine alguém numa situação de pesadelo, sofrendo todas as doenças possíveis, juntas, ao mesmo tempo. Quer dizer: tivesse no coração, a dor do enfarte; nos olhos, o tormento produzido por um tumor em cada olho; na espinha dorsal, e com reflexos em todo o aparelho sensitivo, os efeitos de um canivete de fogo que estivesse continuamente cortando a espinha de alto a baixo, e triturando e esmigalhando, com todos aqueles colapso e dores; no estômago, todas as náuseas imagináveis (a náusea é uma das sensações mais desagradáveis que pode haver), mas, ao mesmo tempo, nos rins, sensação de uma pedra enorme que não passa e os congestiona; sentisse todo o mal-estar de um homem com o sangue altamente infeccionado, no qual corressem continuamente as piores toxinas e venenos. Suponha que das narinas dessa pessoa saísse continuamente o pus mais asqueroso; nos ouvidos houvesse vermes roendo continuamente os tímpanos, e produzindo dores de estalar. Em uma palavra, houvesse em cada célula a maior dor de que aquela célula é capaz, de maneira que a pessoa sentisse, continuamente, eternamente, sem nenhuma interrupção, milhões de martelos descarregando sobre si, comprimindo e chagando continuamente seu corpo. 54

Pois bem, tudo isso é uma imagem fraca, irreal, dos tormentos que o corpo padece no inferno, porque os sofrimentos infernais são incomparavelmente piores do que esses. Pois os tormentos acima descritos ainda podemos imaginá-los enquanto que as torturas infernais são estritamente inimagináveis. Para se ter uma idéia disso, Santo Inácio de Loiola faz a comparação entre o fogo do inferno e o fogo da terra. Tomemos uma chama. Ninguém gostaria de ser condenado a viver dentro daquela chama, queimando-se eternamente. Bastaria propor a alguém que pusesse a mão na chama ou somente o dedo indicador, para que a pessoa sustentasse uma batalha de anos para evitar isso. O fogo do inferno é tão mais devorador do que o fogo da terra, que se se colocasse um rochedo (podemos imaginar o Pão de Açúcar) nas chamas infernais ele se consumiria imediatamente, a ponto de não restar do mesmo senão um monte de cinzas. Tal é o fogo do inferno. Imaginemos agora um corpo vivo – porque o que vai para o inferno não é o cadáver, é o corpo ressuscitado e com vida- posto eternamente num fogo capaz de, num segundo, liquefazer e queimar completamente um rochedo. Santo Inácio de Loiola, em seus “Exercícios Espirituais”, apresenta a meditação do inferno, recomendando ao retirante “tocar, de algum modo, aquele fogo, cuja ação queima a própria alma”. Com efeito, as almas dos condenados, mortos antes da ressurreição dos corpos que ocorrerá no fim do mundo, são atormentadas diretamente pelas chamas do inferno. O CORPO NÃO SE DESINTEGRA

55


Se todo esse tormento atingisse o homem e, ao cabo de um minuto, de uma hora, de um dia que fosse, passasse, isto seria na realidade terrível, mas, afinal, seria algo passageiro. No entanto, não é o que se dá com o inferno. O perecido é ali queimado continuamente e nunca o seu corpo se desintegra, ele nunca morre, nunca acaba. De maneira que a chama, ao mesmo tempo o torra e o mantém íntegro. O tormento que ele sofre ao cabo de cinco quinquilhões de anos é o mesmo que padece no primeiro momento em que tocou tal fogo. E aquela chama devoradora, que não pára! Além do fogo há outros tormentos internos e externos: sensações desagradáveis, cheiros pútridos, visões de coisas trágicas, audições de cacofonias monstruosas. No paladar, a sensação de ingerir as matérias mais purulentas e asquerosas, continuamente. Esta é a situação de um condenado no inferno. Como é verdade o que diz o Espírito Santo, na Sagrada Escritura: “Medita nos teus novíssimos e não pecarás eternamente!” (Ecl. 7,40).

répteis venenosos. No fundo havia uma concavidade, aberta numa parede, a modo de armário, onde me vi encerrada estreitíssimamente. Tudo isto era deleitoso à vista, em comparação do que ali senti. Entretanto, o que escrevi está muito aquém da verdade.”

A VISÃO DO INFERNO EM VIDA O Criador, em sua misericórdia, tanto quer nos livrar do inferno que dispôs que algumas almas eleitas fossem lá conduzidas em vida, para que os homens soubessem, através dessas testemunhas, o que está preparado ao homem que ousa violar os Mandamentos de seu Deus. Entre as almas privilegiadas que tiveram a graça de, em vida, ver o inferno encontra-se a grande mística espanhola do século XVI, Santa Teresa de Jesus: “Havia já muito tempo que o Senhor me fazia muitas das mercês que referi e outras grandíssimas, quando um dia, estando em oração, achei-me subitamente, ao que me parecia, metida corpo e alma no inferno. Entendi que queria o Senhor dar-me a ver o lugar que aí me haviam aparelhado os demônios, e eu merecera por meus pecados. Durou brevíssimo tempo, mas, ainda que vivesse muitos anos, tenho por impossível olvidá-lo. Pareceu-me a entrada um beco bem longo e estreito, semelhante a um forno muito baixo, escuro e apertado. O solo tinha aparência duma água, ou antes, dum lodo sujíssimo e de pestilencial odor, cheio de 56

Mas não foi só nos séculos passados que a Providência quis alertar os homens para os horrores do inferno, mas também no atual que estadeia impiedade e a luxúria. Com efeito, em 1923, falecia em odor de santidade a religiosa espanhola sóror Josefa Menéndez, da Société du Sacré Coeur de Jesus. Assim, narra ela uma de suas descidas ao inferno: “Então arrastaram-me por um longo caminho mergulhado em escuridão. Comecei a ouvir de todos os lados berros medonhos. Pelas paredes do estreito corredor havia nichos, uns em frente dos outros, de onde saía fumaça quase sem chama e com cheiro intolerável. Dali, vozes proferiam toda espécie de blasfêmias e palavras impuras. “Algumas maldiziam seus próprios corpos. Outras seus pais: Outras censuravam a si mesmas por não terem aproveitado tais ocasiões ou tais luzes para abandonarem o mal. Era uma confusão de berros, de raiva e de desespero.” 57


“Fui puxada através dessa espécie de corredor que não tinha mais fim. Depois deram-me um violento empurrão que me enfiou, dobrada entre tábuas incendiadas e espetada de lado a lado por agulhas em brasa. Diante de mim, almas amaldiçoavam e blasfemavam. Foi o que mais me fez sofrer.” “Mas o que não pode ter comparação com tormento algum é a angústia da alma que se vê separada de Deus.” INSTRUMENTO DA JUSTIÇA DIVINA Deus é infinito e por isso tudo o que Ele faz é marcado por esse atributo de sua divindade. Assim, quando Ele premia os justos, é superabundante em sua misericórdia. Mas também é superabundante quando se trata de punir o pecador que, tendo recusado os incontáveis chamados de sua graça, de ter desprezado seus inúmeros perdões, morre em estado de pecado mortal. Assim ensinam os teólogos, com base na Sagrada Escritura, ser o inferno o pior dos males enquanto suplício e aplicação da vingança divina:

2. É um fogo muito ardente, muito cruel e penetrante. 3. Consome diretamente as almas do mesmo modo que os corpos. 4. Tal fogo não ilumina; é uma densa treva, e atormenta os réprobos não só com sua intensidade, mas também com suas trevas, sua fumaça e seu insuportável odor de enxofre. A esse propósito, diz São João no Apocalipse: “E este (o condenado) beberá do vinho do furor de Deus, que foi derramado sem mistura na taça de sua ira e será atormentado com o fogo e o enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E o fumo do seu tormento subirá pelos séculos dos séculos e não terão repouso. Dia e noite aqueles que adorarem a besta e sua imagem, e os que receberem a marca do seu nome” (Apoc. 14, 10-11). “Meditai estas terríveis verdades, diz Santo Agostinho, e oponde aquele fogo do inferno às chamas da paixão e da cobiça que os atormentam nesta vida. O fogo material de que nos servimos se apodera dos objetos que recebe e os consome; mas o fogo do inferno devora os réprobos e os conserva inteiramente para castigo”. SEPARAÇÃO DE DEUS – O maior tormento

1. Porque aquele fogo é um fogo de enxofre, segundo aquelas palavras do Real Profeta: Fará chover sobre eles suas redes; o fogo, o enxofre, o vento das tempestades será o cálice que Ihes prepare (SI. 10,7). 58

Por ser Deus infinitamente sábio, infinitamente bom e infinitamente belo, ele é infinitamente cativante: Deus atrai. Deus empolga, Deus interessa; a pessoa fica ávida de ver todos os seus movimentos, tudo quanto se passa dentro de sua essência, que 59


iremos contemplar face a face; de maneira que tudo quanto o Céu apresenta de belo nada é em comparação com o que contemplaremos diretamente em Deus. O condenado sabe que todos os bem-aventurados estão vendo a Deus. Ele, porém, não pode fazê-lo, está mantido à distância, é o escorraçado, para quem isto foi proibido, porque ele não é digno, está marginalizado. E fácil imaginar o tormento que isso deve causar nele, devorado pela inveja e pelo ódio. Pode-se então ter uma idéia dos mil tormentos que percorrem a alma de um perecido. Com efeito, ensina a teologia, a separação ele Deus é a pena principal dos condenados. Um Deus perdido, o bem por excelência, o autor e o manancial de toda a felicidade. O desejo de ser feliz é um sentimento profundo, que domina o homem e o segue por toda a parte; é o móvel de todos os nossos passos e ações. Tal desejo é obra do próprio Deus, e só Deus pode satisfazê-lo: criou o coração do homem para Si e só Ele pode enchê-la. Por isso, aquele coração chama o seu Deus como a seu único e soberano bem …

Na Terra, o homem, distraído e enganado por tudo o que está ao seu redor, não reflete bastante sobre essa verdade, que passa desapercebida para as pessoas do mundo; mas no inferno não há distrações, porque já não há ilusão. A alma do pecador, que dormia na terra, desperta no inferno e desperta para não voltar a dormir. Vê a seu Deus como seu único bem, como o único objeto 60

que poderia fazê-la feliz: sente, por sua natureza, intensa atração para seu criador; mas um braço invisível a detém, a rechaça, um intervalo imenso a separa de seu Deus. Cadeias que não pode romper a detêm em seu cativeiro. Nenhum de nós gosta de ser odiado, imaginemos o precito sentir contra si, eternamente, como que um olho iracundo que nunca deixa de o olhar com cólera, sendo ele um excomungado, um rejeitado, um miserável, por toda a eternidade. Todo esse ódio, que cai como um gládio de fogo sobre a cabeça do precito, no inferno, tem como princípio e causa primeira a espantosa maldição com que fulmina o réprobo no momento de sua morte. Com efeito, a partir do instante em que o pecador entra na eternidade, por causa de um só pecado mortal, ele ouve do divino Juiz esta terrível sentença: “Afasta-te de mim maldito, paro o fogo eterno” E o condenado estará então eternamente sob o peso daquela maldição divina. Tal é o desgraçado estado dos condenados. É muito oportuno, ao concluirmos estas linhas, relembrar a necessidade imperiosa desse rechaço radical, tendo em vista que o influxo pestilêncial de Satanás se torna cada vez mais intenso em nossos dias.Na medida em que os últimos vestígios da civilização cristã vão sendo extintos, o neopaganismo vai dominando sempre mais a civilização e as manifestações da anticultura hodiernas.

FONTE: Resvista Catoliscismo 1. Plinio Corrêa de Oliveira, conferência pronunciada para sócios e cooperadores da TFP. em 22 de setembro de 1973. 2. Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida. em Obras Completas, tomo I, traduzidas pelas carmelitas descalças do convento de Santa Teresa do Rio de Janeiro, Vozes, Petrópolis, 1946. 3. Josefa Menéndez. Apelo ao Amor, Editora Santa Maria. Rio de Janeiro. 2ª edição, 1953, pp. 188·9. 4. Padre Barbier. Tesoros de Cornelio a Lapide, tomo II, Madrid-Barcelona. 1882, pp. 458 a 467

61


O INFERNO SEGUNDO OS SANTOS Visão do inferno segundo os santos O Inferno segundo Santa Teresa D' Avila 1. Havia muito tempo que o Senhor me fazia muitas graças já referidas e outras ainda maiores, quando um dia, estando em oração, achei-me subitamente, ao que me parecia, metida corpo e alma no inferno. Entendi que o Senhor queria fazer-me ver o lugar que os demônios aí me haviam preparado, e eu merecera por meus pecados. Durou brevíssimo tempo. Contudo ainda que vivesse muitos anos, acho impossível esquecê-lo. A entrada pareceu-me um túnel longo e estreito, semelhante a um forno muito baixo, escuro e apertado. O chão tinha aparência de uma água, ou antes, de um lodo sujíssimo e de odor pestilencial, cheio de répteis venenosos. No fundo havia uma concavidade aberta numa parede, como um armário, onde me vi, encerrada de maneira muito apertada. 2. O tormento interior é tal, que não há palavras para o definir, nem se entende como é realmente. Na alma senti tal fogo, que não tenho capacidade para o descrever. No corpo eram incomparáveis as dores. Tenho passado nesta vida dores gravíssimas. No dizer dos médicos são as maiores que se podem suportar, como, por exemplo, quando se encolheram todos os meus nervos, e fiquei tolhida. Já não falo de outras muitas dores de diversos gêneros e até algumas causa das pelo demônio. Posso afirmar que tudo foi nada em comparação do que ali experimentei. O pior era saber que seria sem fim, sem jamais cessar. Sim, repito, tudo mais pode chamar-se nada em relação ao agonizar da alma: é um aperto, um afogamento, uma aflição tão intensa, e acompanhada de uma tristeza tão desesperada e pungente, que não sei como posso explicar semelhante estado! Compará-lo à sensação de que vos estão sempre a arrancar a alma, é pouco. Em tal caso, seria como se alguém nos acabasse com a 62

vida. Aqui é a própria alma que se despedaça. O fato é que não sei como descrever aquele fogo interior e aquele desespero que se sobrepõem a tão grandes tormentos. Eu não via quem os provocava, mas sentia-me queimar e retalhar. Piores, repito, são aquele fogo e aquele desespero que me consumiam interiormente. Em lugar tão pestilencial, sem esperar consolo, é impossível sentar-se, ou deitar-se, nem há espaço para tal. Puseram-me numa espécie de fenda cavada na muralha. As próprias paredes, espantosas à vista, oprimem, e tudo ali sufoca. Por toda parte trevas escuríssimas. Não há luz. Não entendo como, sem claridade, se enxerga tudo, causando dor nos olhos. Nesta ocasião o Senhor não quis que eu visse mais de tudo aquilo que há no inferno. Em outra visão, vi coisas horripilantes acerca do castigo de alguns vícios. Pareceram muito mais horrorosas à vista. Como não sentia a pena, não me causaram tanto temor como na primeira visão, na qual o Senhor quis que eu verdadeiramente sentisse aquelas torturas e aquela aflição de espírito como se o corpo as estivesse padecendo. Como foi isso, não sei, mas bem entendi ser grande graça do Senhor querer que eu visse, com meus olhos, de onde sua misericórdia me havia livrado. Verdadeiramente é nada ouvir discorrer, ou ainda meditar, sobre a diversidade dos tormentos, como eu de outras vezes havia feito, embora raramente. A feição de minha alma não é ser levada pelo temor. Lia que os demônios atenazam as almas e lhes infligem outros suplícios. Tudo é nada a respeito da verdadeira pena, que é muito diferente. Numa palavra, é tão diferente quanto o esboço o é da realidade. Queimar-se aqui na terra é sofrimento muito leve em comparação com aquele fogo de lá. 4. Fiquei tão aterrorizada, e ainda agora o estou enquanto escrevo, apesar de terem decorrido quase seis anos. De tanto temor, tenho a impressão de ficar gelada. Desde então, ao que me recordo, cada vez que tenho sofrimentos ou dores, tudo o que se pode passar na terra, me parece nada. Penso que em parte nos queixamos sem motivo. Foi esta, repito, uma das maiores graças que o Senhor me fez. Valeu-me imensamente, quer para perder o medo quanto às tribulações e contradições desta vida, quer para me esforçar em padecê-Ias e a dar graças ao Senhor, por me ter livrado, ao que agora me parece, de males tão perpétuos e terríveis. 63


A VISÃO DO INFERNO SEGUNDO SANTA FAUSTINA Hoje, conduzida por um Anjo, fui levada às profundezas do Inferno um lugar de grande castigo, e como é grande a sua extensão. Tipos de tormentos que vi: - Primeiro tormento que constitui o Inferno é a perda de Deus; - O segundo, o contínuo remorso de consciência; - O terceiro, o de que esse destino já não mudará nunca; - O quarto tormento, é o fogo que atravessa a alma, mas não a destrói; é um tormento terrível, é um fogo puramente espiritual, aceso pela ira de Deus; - O quinto é a contínua escuridão terrível cheiro sufocante e, embora haja escuridão, os demônios e as almas condenadas vêem-se mutuamente e vêem todo o mal dos outros e o seu. - O sexto é a continua companhia do demônio; - O sétimo tormento, o terrível desespero, ódio a Deus, maldições, blasfêmias. São tormentos que todos os condenados sofrem juntos, mas não é ó fim dos tormentos. Existem tormentos especiais para as almas, os tormentos dos sentidos. Cada alma é atormentada com o que pecou, de maneira horrível e indescritível. Existem terríveis prisões subterrâneas, abismos de castigo, onde um tormento se distingue do outro. Eu teria morrido vendo esses terríveis tormentos, se não me sustentasse a onipotência de Deus. Que o pecador saiba que será atormentado com o sentido com que pecou, por toda a eternidade. Estou escrevendo por ordem de Deus, para que nenhuma alma se escuse dizendo que não há inferno ou que ninguém esteve lá e não sabe como é. Eu, Irmã Faustina, por ordem de Deus, estive nos abismos para falar às almas e testemunhar que o Inferno existe. Sobre isso não posso falar agora, tenho ordem de Deus para deixar isso por escrito. Os demônios tinham grande ódio contra mim, mas, por ordem de Deus tinham que me obedecer O que eu escrevi dá 64

apenas uma pálida imagem das coisas que vi. Percebi, no entanto, uma coisa: o maior número das almas que lá estão é justamente daqueles que não acreditavam que o Inferno existisse. Quando voltei a mim, não podia me refazer do terror de ver como as almas, sofrem terrivelmente ali e, por isso, rezo com mais fervor ainda pela conversão dos pecadores; incessantemente, peço a misericórdia de Deus para eles. “O meu Jesus, prefiro agonizar até o fim do mundo nos maiores suplícios a ter que vos ofender com o menor pecado que seja.” A VISÃO DO INFERNO SEGUNDO APARIÇÕES DE FÁTIMA!

Nossa Senhora mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra. Mergulhados nesse fogo, os demônios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras ou bronze com forma humana, que flutuavam no incêndio levadas pelas chamas; que delas mesmas saiam, juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das fagulhas em grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor, desespero que horrorizava e fazia estremecer de pavor. Os demônios; distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes como negro carvão em brasas. 65


Em seguida, levantamos os olhos para Nossa Senhora a que nos disse: "Com bondade e tristeza Vistes o inferno para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu imaculado coração Imaculado Coração. Se fizerem; salvar-se ão muitas almas e terão paz: A guerra vai acabar 'Mas, se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior. Quando virdes uma noite alumiada por uma luz desconhecida que é o grande sinal que Deus nos dá de que vai punir o mundo de seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições a Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir, virei pedir a consagração da Rússia a Meu Imaculado Coração a comunhão reparadora aos primeiros sábados.” LUTERO NO INFERNO: A VISÃO DA BEATA SERAFINA MICHELI Em 1883 a Bem-aventurada Sóror Maria Serafina Micheli (1849-1911), fundadora do Instituto das Irmãs dos Anjos, passava pela cidade de Eisleben, na Saxônia, Alemanha. Eisleben é a cidade natal de Lutero. E, naquele dia comemorava-se o quarto centenário do nascimento daquele grande heresiarca (10 de novembro de 1483). Lutero dividiu a Igreja e a Europa. Dessa divisão adviram crudelíssimas guerras de religião que duraram décadas a fio. A população aguardava o imperador alemão Guilherme I que devia presidir as solenidades. A futura beata não se interessou pela agitação e seu único desejo era encontrar uma igreja onde pudesse rezar e visitar a Jesus Sacramentado. As igrejas estavam fechadas e já era noite. Na escuridão localizou uma com as portas trancadas, mas se ajoelhou nos degraus de acesso. Pela falta de luz não percebeu que a igreja não era católica, mas protestante. Enquanto rezava lhe apareceu o anjo da guarda e lhe disse: 66

? ”Levante porque este é um templo protestante”. E acrescentou: ? ”Eu quero te fazer ver o lugar aonde Martinho Lutero foi condenado e a pena que sofre como castigo de seu orgulho”. Depois destas palavras, a santa religiosa viu uma horrível voragem de fogo, na qual era cruelmente atormentado um número incalculável de almas. No fundo dessa voragem via-se um homem: Martinho Lutero. Ele se distinguia dos outros porque estava rodeado de demônios que o obrigavam a ficar de joelhos, e todos eles equipados com martelos se esforçavam, em vão, para enfiar-lhe na cabeça um grande prego. A freira achou que se o povo que estava na festa visse aquela cena dramática, certamente não tributariam honras, lembranças, comemorações e festejos a semelhante personagem. Desde então, Sóror Serafina sempre que aparecia a ocasião exortava suas irmãs de religião a viverem na humildade e no

67


esquecimento dos outros. Ela estava convencida que Martinho Lutero foi condenado ao Inferno, sobre-tudo por causa do primeiro pecado capital: a soberba. O orgulho fez que ele caísse no pecado capital e o levou para a aberta rebelião contra a Igreja Católica. A sua péssima conduta moral, sua atitude de revolta contra o Papado e a sua pregação de más doutrinas pesaram muito no desvio de muitas almas superficiais e mundanas que caíram na perdição eterna. Sóror Serafina foi beatificada na diocese de Cerreto Sannita, província de Benevento, em 28 de maio de 2011. (Fonte: Milizia di San Michele Arcângelo). SANTO AFONSO MARIA DE LIGÓRIO: O pecador não quer obedecer a Deus. A saeculo confregisti iugum meum, rupisti vincula mea, et dixisti: non serviam «Quebraste desde o princípio o meu jugo, rompeste os meus laços, e disseste: não servirei» (Jer 2, 20). Sumário. Grande Deus! Todas as criaturas obedecem a Deus, como a seu supremo Senhor; os céus, a terra, o mar, os elementos obedecem-lhe de pronto ao menor sinal. E o homem, mais amado e privilegiado de Deus do que todas essas criaturas, não quer obedecer-lhe, e cada vez que peca, diz por suas obras com inaudita temeridade a Deus: Senhor, não Vos quero servir ? Confregisti iugum meum, dixisti: non serviam. Irmão meu, é isso o que tu também fizeste, se tiveste a desgraça de pecar. Santo Bispo e Doutor da Igreja que se tornou pelo seu testemunho "Patrono dos confessores e teólogos de doutrina moral". I. Grande Deus! Todas as criaturas obedecem a Deus como 68

ao seu soberano Senhor; os céus, a terra, o mar, os elementos obedecem-lhe de pronto ao menor sinal. E o homem, mais amado e privilegiado de Deus do que todas essas criaturas, não lhe quer obedecer, e cada vez que peca, diz, por suas obras, com inaudita temeridade a Deus: Senhor, não Vos quero servir. Confregisti iugum meum, dixisti: non serviam ? «Quebraste o meu jugo e disseste: não servirei». O Senhor lhe diz: não te vingues, e o homem responde: quero vingar-me; ? não te aposses dos bens alheios: quero apossar-me deles; ? abstém-te desse prazer desonesto: não quero abster-me. O pecador fala a Deus do mesmo modo que Faraó, quando Moisés lhe levou da parte de Deus a ordem de restituir o seu povo à liberdade. Aquele temerário respondeu: Quem é esse Senhor, para que eu ouça a sua voz? Não conheço o Senhor (Ex. 5, 2). O pecador diz a mesma coisa: Senhor, não Vos conheço, quero fazer o que me agrada. Numa palavra, ultraja-o face a face, e volta-lhe as costas. No dizer de Santo Tomás, é isso exatamente o pecado mortal: o voltar as costas a Deus, o Bem incomutável. É disso também de que o Senhor se queixa: Tu reliquiesti me, dicit Dominus; retrorsum abiisti (III Re 12, 28). Foste ingrato, assim fala Deus, porque me abandonaste ao passo que eu nunca te teria abandonado: retrorsum abiisti, voltaste-me as costas. Deus declarou que odeia o pecado; portanto não pode deixar de odiar igualmente a quem o comete. E o homem, quando peca, ousa declarar-se inimigo de Deus e resiste-lhe na face: Contra Omnipotentem roboratus est ― «ele se fez forte contra o Todo-poderoso», diz Jó (Jó 15, 25). O mesmo santo varão acrescenta que levanta o colo: isto é o orgulho, e corre para insultar a Deus: arma-se com uma testa dura, isto é, com ignorância, e diz: Quid feci? Que é que fiz? Onde está o grande mal que fiz pecando? Deus é misericordioso; perdoa aos pecadores. Que injúria! que temeridade! que insensatez! II. Irmão meu, se nós também no passado quebramos o jugo suave do Senhor, e recusando-lhe a obediência tornamo-nos escravos do demônio, peçamos agora, humilhados e contritos, o perdão de nossos pecados; esforcemo-nos, com o nosso arrependimento, e com os nossos obséquios, em reparar um pouco as muitas ofensas que, particularmente nestes dias de carnaval, são 69


feitas a nosso Pai celestial. Eis aqui a vossos pés, meu Deus, o rebelde, o temerário, que tantas vezes teve a audácia de Vos injuriar no rosto e de Vos voltar as costas, mas que agora Vos pede misericórdia. Vós dissestes: Clama ad me, et axaudiam te (Jer 33, 3) ? «Clama a mim e eu te atenderei». Um inferno ainda é pouco para mim: confesso-o; mas sabeis que tenho mais dor por Vos haver ofendido, ó Bondade infinita, do que se houvesse perdido todos os meus bens e a vida. Ah! meu Senhor; perdoai-me e não permitais que Vos torne a ofender. Vós por mim esperastes, a fim de que bendiga para sempre a vossa misericórdia, e Vos ame. Sim, bendigo-Vos, amo-Vos e espero pelos merecimentos de Jesus Cristo, nunca mais separarme do vosso amor. Foi o vosso amor que me livrou do inferno, esse mesmo amor deve livrar-me do pecado no futuro. Agradeço-Vos, meu Senhor, estas luzes e o desejo que me inspirais de sempre Vos amar. Peço-Vos que tomeis plena posse de mim, de minha alma, de meu corpo, das minhas faculdades, dos meus sentidos, de minha vontade e da minha liberdade: Tuus sum ego, salvum me fac (Sl 118, 94) ? «Eu sou vosso; salvai-me». Vós que sois o único bem, o único amável, sede também o meu único amor. Dai-me fervor em Vos amar. Já Vos ofendi muito; portanto não me posso contentar com amar-Vos simplesmente; quero amar-Vos muito para compensar as injúrias que Vos fiz. De Vós espero esta graça porque sois todo-poderoso; espero-a também, ó Maria, das vossas orações, que são todo-poderosas para com Deus. (*II 68.) Pieter Boel, Vanitas, 1663. "Vanitas vanitatum omnia vanitas" (Ecl, 1, 2) Santo Afonso Maria de Ligório. Meditações: Para todos os Dias e Festas do Ano: Tomo Primeiro: Desde o primeiro Domingo do Advento até Semana Santa inclusive. Friburgo: Herder & Cia, 1921, p. 252-254. PORQUE CRIOU DEUS O INFERNO? Argumentos Teológicos e Racionais. « Afastai-vos de mim, malditos, para o fogo do inferno, preparado para o diabo e os seus anjos... E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna» Mt 25,41,46. 70

Aquele que afirmou «Porque não entendeis a minha linguagem? Porque não podeis ouvir a minha palavra? Vós tendes por pai o diabo, e quereis realizar os desejos o vosso pai. Ele foi assassino desde o principio, e não esteve pela verdade, porque nele não à verdade... Por isso não acreditais em mim, porque vos digo a verdade...Se digo a verdade, porque não em acreditais? Quem é de Deus escuta as palavras de Deus; vós não as escutais porque não sois de Deus.» Jo, 8,42-47. Jesus não mente. Ele é a Verdade. Se ele afirmou que o inferno é uma realidade, por que duvidar? Todo aquele que nega a realidade do inferno, nega que Jesus seja a Verdade e todo aquele que não crê em Jesus, está dito: «Quem crê no Filho têm a vida eterna; quem se nega a crer no Filho não verá a vida, mas sobre ele pesa a ira de Deus.» Jo 3,36. E ainda « Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no Filho Unigênito de Deus» Jo3,18 Quem é que não acredita no inferno? Quem lhe convém que ele não exista! « De fato quem pratica o mal odeia a Luz e não se aproxima da Luz para que as suas ações não sejam desmascaradas. Mas quem pratica a verdade aproxima-se da Luz, de modo a tornar-se claro que os seus atos são feitos segundo Deus» Jo 3,20-21. Jesus referencia aproximadamente 20 vezes o inferno no evangelho S. Mateus e em cerca de 10 vezes fala em Fogo! E no Novo Testamento afirma-se cerca de 23 vezes que existe fogo. Porque esta preocupação, diria quase obsessiva, em alertar-nos para a terrível realidade do inferno, se ele não existisse? Deus, o Sumo Bem, afirma: « Porque quereis morrer, casa de Israel? Pois eu não me comprazo com a morte de quem quer que seja - oráculo do Senhor Deus. Convertei-vos e vivei.» Ez 18,32. « Porventura me hei de comprazer com a morte do pecador - oráculo do Senhor Deus - e não com o fato de ele se converter e viver?» Ez 18,23. Pergunta: Deus quis o inferno? R: O Inferno existe, porque existe o Pecado! O pecado é obra do homem e do demônio; o inferno é o fruto do pecado. Deus 71


não quer o inferno, como nós não queremos as prisões, mas assim como estas devem existir, pelo fato de os homens serem livres e de poderem abusar dessa liberdade, da mesma forma Deus teve de criar o inferno, para garantir a ordem e a justiça. Caso contrário, Deus não seria Justo e se Deus não fosse justo, seria injusto e como tal não seria Deus, o que não faz sentido algum! Existe um abismo infinito entre a criatura e o Criador. Pergunta: Porque Deus criou o Inferno? R: Para castigar o Pecador.

fruto do pecado é o inferno, e este têm uma gravidade infinita, tendo presente a dignidade do ofendido, o pecador merece um inferno eterno. Além disso, faria algum sentido que depois de ser condenado, o Diabo, que é a personificação da soberba, dissesse: «condenaste-me a um milhão de milênios no inferno, mas quando eu sair, ajustaremos contas...» Poderia uma justiça assim ficar satisfeita? Nem a justiça humana, quanto mais a divina. Além de que se as penas do inferno não fossem eternas, por analogia a felicidade dos eleitos não seria eterna, e estes ao saberem que o Céu não seria eterno, não teriam felicidade perfeita, logo o céu deixaria de ser Céu, o que não faz sentido algum.

Pergunta: Porque o inferno é tão terrível? R: A justiça perfeita exige que exista uma proporção entre a magnitude do crime e a magnitude do castigo. Sendo Deus, um Deus de natureza infinita, e sendo o pecado mortal uma ofensa voluntária contra Deus, encerra em si uma gravidade e uma malícia infinitas; Logo mereceria um castigo infinito. Como a criatura é finita, e não suportaria tal castigo, proporcional à gravidade da sua culpa, este em lugar de ser infinito em intensidade, por permissão divina, será infinito na sua duração. Além disso, se Deus fizesse um inferno «light» ou suave, como se diz agora, o pecador seria induzido a pecar indiretamente pois seria induzido a não temer o Senhor, nem os seus juízos, já que o castigo seria um «castigo» light. E nesse caso Deus, de forma indireta, seria agente de pecado. E se fosse assim, como poderia castigar o pecado que ele próprio induziu? Deus já não seria Justo e como tal não seria Deus. Pergunta: Então o inferno é eterno? R: Sim é eterno. Deus não pode perdoar a quem não quer ser perdoado. Seria uma monstruosidade e uma tirania. E como o pecador não quis aceitar o perdão de Deus e dessa forma ultrajou a Misericórdia Divina, pois a recusou, Deus deverá exercer a sua Justiça. Ora Justiça é dar a alguém, aquilo que é seu e que merece por direito. Como o pecador ofendeu a Deus, Deus pela sua Justiça, retira ao pecador tudo aquilo que Lhe pertence, ficando o pecador com aquilo que é seu por direito, isto é o seu pecado. Como o 72

Pergunta: Mas não existe proporção alguma entre 50 ou 60 anos de pecado e uma eternidade no inferno? R: Quando o assassino mata alguém e demora 5 segundos, significa isso que só mereceria ser castigado por 5 segundos. E se um violador demora-se uma hora a violar uma criança, mereceria ser castigado uma hora? A Justiça humana diz que não e isso repugna à inteligência humana. Então o castigo é dado não em função do tempo que demorou a ser executado o crime, mas em atenção à gravidade intrínseca do crime. Como um crime [pecado mortal] cometido contra Deus é de gravidade infinita, merece uma condenação proporcional à magnitude do crime cometido. Pergunta: Mas o objeto de um castigo não é a reforma daquele que faz o mal? R: Não. Existem duas espécies de castigo: Um para corrigir e outro para satisfazer a Justiça. Para corrigir, serve-se Deus das tribulações desta vida « Meu filho, não desprezes a disciplina de Iahweh, nem te canses com a sua exortação; porque Iahweh repreende os que ele ama, como um pai ao filho preferido» Pr. 3, 1112; mas se mesmo assim o pecador faz-se surdo ao apelos divinos, e despreza o seu Criador e as sua Leis, implícita ou explicitamente a Justiça exige que o mal efetuado seja satisfeito. Se o pecador não quis reparar o seu pecado, no tempo ,enquanto podia, então deve satisfazê-lo na eternidade. Se Deus 73


ameaça o homem com as penas do inferno, Ele deve levar a cabo a Sua ameaça se o homem não observa a sua Lei e continua a pecar. Deus não é só Infinitamente Bom e Santo. É também Infinitamente Justo e Sábio «...o senhor daquele servo virá em dia imprevisto e hora ignorada. Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes» Mt 24,50. Pergunta: Mas a maioria dos homens só peca provisoriamente, esperando arrepender-se depois. Por que condená-lo? R: Quem morre em pecado mortal significa que não se arrependeu. No entanto essa esperança num arrependimento futuro é uma ilusão vã e imoral. Vã, porque sem a graça de Deus o pecador não pode sair do seu pecado, isto é, sem a graça do arrependimento, que Deus não está obrigado a dar a ninguém e que pode inclusive negá-la em face de tanta ingratidão do pecador. O que se lança a um poço do qual não pode sair sem que lhe estendam uma corda, resigna-se a permanecer nele eternamente, se alguém de cima não lhe estender uma corda, corda essa que ninguém está obrigado a estender em função da sua temeridade. Imoral, porque se apóia precisamente na misericórdia de Deus para ofendê-lo com maior tranqüilidade. Pergunta: Mas Deus não é Infinitamente Bom e Pai de todos os homens. Como pode então condenar alguém ao inferno? R: Deus é infinitamente Bom, mas também é infinitamente Justo e a sua Justiça é infinitamente séria. A Justiça Divina assinalou um prazo para o exercício incondicional e total da sua misericórdia: a hora da morte. E a infinita Seriedade de Deus o impede de voltar atrás, oferecendo ao pecador uma nova oportunidade de salvação, depois deste ter injuriado a Misericórdia Divina. Se Deus voltasse atrás na sua decisão, estava a autorizar os pecadores a injuriá-Lo indefinidamente. Se Deus perdoasse de todas as formas mesmo para lá da morte, estava a induzir o pecador a pecar a rirse Dele eternamente, e então era um Deus pouco sério e nada Justo, isto é, não era Deus. 74

Além disso não é verdade que todos somos filhos de Deus: Todos somos criaturas de Deus, mas não filhos. Jesus é bem claro em Jo 8, 42,44,47 «...Se Deus fosse vosso pai, vós me amaríeis, porque saí de Deus e dele venho...Vós sois do Diabo, vosso pai, e quereis realizar os desejos do vosso pai...Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso não as ouvis: porque não sois de Deus» E diz S. João em 1 Jo 3, 8,10 «...Aquele que comete o pecado é do diabo, porque o diabo é pecador desde o principio. Para isto é que o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do diabo... Nisto se revelam os filhos de Deus e os filhos do Diabo: todo o que não pratica a justiça não é de Deus nem aquele que não ama o seu irmão.» Então existem os filhos do diabo e os filhos de Deus. Quem comete o pecado mortal e nele morre, renuncia voluntariamente à paternidade divina, mesmo sabendo que fere Deus infinitamente Ver o Deus Vivo Crucificado no meio de tormentos inarráveis numa cruz - e por isso não é Filho. Não é filho porque não quis e para sempre será filho do Diabo. Só é Filho de Deus, quem está na graça de Deus, quem se esforça em cumprir os mandamentos de Deus e o invoca como seu Pai. Pergunta: Porque é que Deus então, sendo infinitamente Bom e prevendo que uma alma iria para o inferno, a criou? R: Assumamos que Deus não tinha criado os "maus", mas só os "bons"! Estes, "os bons", não poderiam ser livres, pois não teriam possibilidade de escolha. Teriam de ser "bons" quer quisessem ou não! Ora, isso significaria que Deus seria um tirano e que tinha criado robôs, desprovidos de liberdade e de livre arbítrio. Aonde pára a dignidade humana de sermos criados à imagem e semelhança de Deus e de sermos livres? Qual a glória de Deus em ser servido por seres desprovidos de vontade? Ao argumentarmos assim, estamos a colocar o homem ao nível do animal irracional e repugna à inteligência humana e divina. Além de que, se Deus levado pela sua infinita misericórdia não criasse senão aqueles que se iriam salvar, mesmo que estes fossem criados livres, se seguiria que os homens podiam burlar-se de Deus, pecando incessantemente contra cada um dos mandamentos divinos. 75


Não seria necessário sequer arrepender-se dos seus pecados, já que Deus teria forçosamente que perdoar-lhe mais tarde ou mais cedo. Pelo que, depois de ter sofrido uma pena, mais ou menos larga no purgatório, entraria finalmente no Céu sem terse arrependido e sem ter pedido perdão a Deus! Quem não vê nisto uma monstruosidade espantosa! Deus ficaria escravo do pecador, pois estaria à mercê dos seus caprichos... Que triste Deus seria o nosso. Um Deus escravo da sua criatura! Numa palavra, deixava de ser Deus! Pergunta: Então Deus não criava os homens e o mundo. R: Mas aí seria Deus que não seria livre... Pois para evitar que algumas almas cometessem alguns crimes e fossem para o Inferno, deixaria de criar aqueles que o serviriam e amariam por toda a eternidade, voluntariamente, por sua livre escolha. O mal triunfava sobre o bem. Para evitar o mal, aniquilava-se o bem. Onde estaria liberdade divina? Seria Deus escravo do mal, que em atenção a este não poderia criar o bem. Este argumento também ele, repugna à nossa inteligência. Pergunta: Nesse caso Deus deveria aniquilar o pecador, isto é, fazê-lo voltar ao nada, de onde foi criado. R: Com este argumento, colocamos Deus abaixo de Hitler. Este matava os corpos, mas Deus, por esta forma de pensar, mataria os corpos e as almas, ao aniquilar o pecador. O Aniquilamento pressupõe uma retificação da obra de Deus por parte de Deus, e é a criatura culpável e não o Criador quem deve retificar. Além de que Deus seria injusto ao dar o mesmo castigo a todos os condenados que pecaram em graus muitos diferentes de maldade e malícia. O aniquilamento, igualaria todos os condenados num mesmo castigo e idêntico para todos. Ora a Justiça, exige que não se castigue por igual aos que fizeram pecados em graus desiguais variadíssimos. Paralelamente, o aniquilamento impossibilitaria a glória de Deus através da sua Justiça diante de toda a criação. Deus nunca 76

poderia receber Glória pelo fato de ser justo já que esta com o aniquilamento não poderia ser exercida. O nosso Deus seria um Deus finito e limitado e como tal não seria Deus. O problema deste argumento é que desconhece na totalidade a natureza divina. Deus é um ser infinito em todos os seus atributos. Se é infinito em todos os seus atributos, também o é na sua Bondade e Justiça. Assim quando Deus criou o homem, criouo à sua imagem e semelhança" Depois, Deus disse: « façamos o ser humano à nossa imagem, à nossa semelhança...» Gn 1,26. Como Deus é eterno, Deus ao criar o homem, não o criou para o tempo, mas para a eternidade, pois criou-o à sua imagem e semelhança, isto é, criou-o com uma alma imortal. Criou-o no tempo, para eternidade. «Assim raciocinam [os ímpios= os sem Deus], mas se enganam porque a sua maldade os cega. Eles ignoram os segredos de Deus, não esperam o prêmio pela santidade, não crêem na recompensa das vidas puras. Deus criou o homem para a incorruptibilidade e o fez imagem de sua própria natureza; foi por inveja do diabo que a morte entrou no mundo: experimentam-na quantos são do seu partido!» Sb 2,21-24 Deus não se contradiz a si mesmo. Depois de dar, Deus jamais volta atrás. « Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento» Rom 11,29 e em 1 Sm 15,29 diz «A Glória de Israel não mente nem se arrepende, porque não é homem para se arrepender». Jamais poderia chamar à existência um ser para a incorruptibilidade, sua imagem e semelhança e de seguida, porque as suas opções livres - liberdade oferecida por Deus - não foram de acordo com a sua vontade, aniquilava o pecador. Mas então não seria um Deus infinitamente Bom e Justo, mas um déspota, pois que criava e destruía por capricho... Se assim fosse o nosso Deus seria imperfeito e como tal não seria Deus. A morte de que fala a Sagrada escritura quando fala dos ímpios ou "sem Deus", não é o aniquilamento, mas a morte espiritual, mais conhecida como, "morte eterna" ou inferno, na linguagem cristã. Paralelamente, se fosse verdade o aniquilamento dos ímpios a bíblia estaria a mentir, pois afirma claramente : «O fumo do seu tormento subirá pelos séculos dos séculos» Ap 14,11 ; «O 77


diabo, que os tinha enganado, foi precipitado no lago de fogo e enxofre, onde também estão a besta e o falso profeta. Aí serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos» Ap 20,10. Se serão atormentados pelos séculos dos séculos é sinal que não foram aniquilados. Se fossem aniquilados, como defendem alguns hereges e apóstatas, então a Palavra de Deus é mentirosa, pois afirma o contrário. Em Mt 25,46 diz Jesus: « E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna». Como poderia o seu tormento ser eterno se foram aniquilados por Deus. Além disso porque é que Deus não destruiu o Diabo e os demônios? Em lugar, de os destruir, criou para eles um inferno... «Apartai-vos de mim malditos, para o fogo eterno preparado para o diabo e os seus anjos.» Mt 25,41. O homem foi criado livre, à imagem e semelhança de Deus e como tal foi criado para o mérito ou desmérito. Deus manifesta mais, o seu Poder e a sua Glória, na conservação dos seres que criou do que na sua destruição. Só acredita na aniquilação do pecador, quem está fora da verdade e a caminho do inferno, pois um dos pecados contra o Espírito Santo, que não têm perdão neste mundo nem no outro é "negar a verdade conhecida como tal". Foi o pecado dos Fariseus, pois conheciam a verdade mas não a queriam aceitar enquanto tal... « Todos os pecados e todas as blasfêmias que proferirem os filhos dos homens, tudo lhes será perdoado; mas quem blasfemar contra o Espírito Santo, nunca mais terá perdão; é réu de pecado eterno» Mc 3,28-29 « A todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do Homem, há-de perdoar-se; mas, a quem tiver blasfemado contra o Espírito Santo, jamais se perdoará» Lc 12,10. E ainda « Se alguém disser uma palavra contra o filho do homem ser-lhe-á perdoado, mas se disser contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo nem no vindouro» Mt 12,32. Reparem na expressão, «nem no vindouro». Significa que no mundo que há de vir estes infelizes, nem aí terão perdão! E para ter perdão terão de existir, pois não se perdoa algo ao que não existe! O grande mal, de alguns homens é a sua soberba descomu78

nal! Julgam-se melhores do que Deus. E querem impor ao Criador o que é ou não é justiça, segundo a sua tacanha inteligência. Se Deus nos revelou que o inferno existe e nos colocou de sobreaviso em relação a ele, mais vale escutá-LO, do que construir teorias no ar, e acabarmos por cair naquele abismo que não têm fim, porque nos recusamos a crer no óbvio. É impressionante o relato da Irmã Faustina, pois constatou que a maior parte dos que estavam no inferno não acreditavam nele...E é lógico, pois como não acreditavam, não procuraram evitá-lo e quando acreditaram já foi tarde demais. O inferno é um mistério! Mas um mistério é algo que existe, mas que não pode caber na nossa inteligência limitada ou que não é explicável por esta. O fato de eu não saber explicar o que é o Amor, não significa que ele não exista. Sinto-o, mas não sei explicá-lo. E no entanto o Amor existe. SÃO DOMINGOS DE GUSMÃO Nossa Senhora, pavor dos Demônios Quando São Domingos estava pregando o Rosário perto de Carcassona, trouxeram à sua presença um albigense que estava posseso pelo demônio, parece que mais de doze mil pessoas tinham vindo ouvi-lo pregar. Os demônios que possuíam esse infeliz foram obrigados a responder às perguntas de São Domingos, com muito constrangimento. Eles disseram que: 1 - Havia quinze mil deles no corpo desse pobre homem, porque ele atacou os quinze mistérios do Rosário; 2 - Eles continuaram a testemunhar que, quando São Domingos pregava o Rosário ele impunha medo e horror nas profundezas do inferno e que ele era o homem que eles mais odiavam em todo o Mundo, isto por causa das almas que ele arrancou dos demônios através da devoção do Santo Rosário; Eles então revelaram várias outras coisas. *** São Domingos colocou o seu Rosário em volta do pescoço 79


do albigense e pediu que os demônios lhe dissessem quem de todos os santos nos Céus eles mais temiam, e quem deveria ser, portanto mais amado e reverenciado pelos homens. Nesse momento eles soltaram um gemido inexprimível no qual a maioria das pessoas caiu por terra desmaiando de medo...e eles disseram: "Domingos, nós te imploramos, pela paixão de Jesus Cristo e pelos méritos de sua Mãe e de todos os santos, deixe-nos sair desse corpo sem que falemos mais, pois os anjos responderão sua pergunta a qualquer momento... São Domingos ajoelhou-se e rezou à Nossa Senhora para que ela forçasse os inimigos a proclamarem a verdade completa e nada mais que a verdade. Mal tinha terminado de rezar viu a Santíssima Virgem perto de si, rodeada por uma multidão de anjos. Ela bateu no homem possesso com um cajado de ouro que segurava e disse: "Responda ao meu servo Domingos imediatamente" . Então os demônios começaram a gritar: "Oh, vós, que sois nossa inimiga, nossa ruína e nossa destruição, porque desceste do Céus só para nos torturar tão cruelmente? Oh, Advogada dos pecadores, vós que os tirais das presas do inferno, vós que sois o caminho certeiro para o Céus, devemos nós, para o nosso próprio pesar, dizer toda a verdade e confessar diante de todos quem é que é a causa de nossa vergonha e nossa ruina? Oh, pobres de nós, príncipes da escuridão: então, ouçam bem, vocês cristãos: a Mãe de Jesus Cristo é todo-poderosa e ela pode salvar seus servos de caírem no Inferno. Ela é o Sol que destrói a escuridão de nossa astúcia e sutileza. É ela que descobre nossos planos ocultos, quebra nossas armadilhas e faz com que nossas tentações fiquem inúteis e sem efeito. *** Nós temos que dizer, porém de maneira relutante, que nem sequer uma alma que realmente perseverou no seu serviço foi condenada conosco; um simples suspiro que ela oferece à Santíssima Trindade é mais precioso que todas as orações, desejos e aspirações de todos os santos. Nós a tememos mais que todos os santos nos Céus juntos e não temos nenhum sucesso com seus fiéis servos. Muitos cristão que a invocam quando estão na hora da morte e que seriam condenados, de acordo com os nossos padrões ordinários, são 80

salvos por sua intercessão. Oh, se pelo menos essa Maria (assim era na sua fúria como eles a chamaram) não tivesse se oposto aos nossos desínios e esforços, teríamos conquistado a igreja e a teríamos destruido há muito tempo atrás; e teríamos feito que todas as Ordens da Igreja caíssem no erro e na desordem. Agora, que somos forçados a falar, também lhe diremos isto: ninguém que persevera ao rezar o Rosário será condenado, porque ela obtém para seus servos a graça da verdadeira contrição por seus pecados e por meio dele, eles obtêm o perdão e a misericórdia de Deus" (O Segredo do Rosário - São Luís Maria G. de Montfort -pág. 95 à 97) SÃO LUÍS DE MONTFORT Maria é a mais terrível inimiga que Deus armou contra o demônio É principalmente a estas últimas e cruéis perseguições do demônio, que se multiplicarão todos os dias até ao reino do Anticristo, que se refere aquela primeira e célebre predição e maldição que Deus lançou contra a serpente no paraíso terrestre. Vem a propósito explicá-la aqui, para glória da Santíssima Virgem, salvação de seus filhos e confusão do demônio. “Inimicitias ponan inter te et mulierem, et semen tuum et semen illius; ipsa conteret caput tuum, et tu insidiaberis calcaneo eius” (Gn 3, 15): Porei inimizades entre ti e a mulher, e entre a tua posteridade e a posteridade dela. Ela te pisará a cabeça, e tu armarás traições ao seu calcanhar. Uma única inimizade Deus promoveu e estabeleceu, inimizade irreconciliável, que não só há de durar, mas aumentar até ao fim: a inimizade entre Maria, sua digna Mãe, e o demônio; entre os filhos e servos da Santíssima Virgem e os filhos e sequazes de Lúcifer; de modo que Maria é a mais terrível inimiga que Deus armou contra o demônio. Ele lhe deu até, desde o paraíso, tanto ódio a esse amaldiçoado inimigo de Deus, tanta clarividência para descobrira malícia desta velha serpente, tanta força para vencer, esmagar e aniquilar esse ímpio orgulhoso, que o temor que Maria inspira ao demônio é maior que o que lhe inspiram todos os anjos e 81


homens e, em certo sentido, o próprio Deus. Não que a ira, o ódio, o poder de Deus não sejam infinitamente maiores que os da Santíssima Virgem, pois as perfeições de Maria são limitadas, mas, em primeiro lugar, Satanás, porque é orgulhoso, sofre incomparavelmente mais, por ser vencido e punido pela pequena e humilde escrava de Deus, cuja humildade o humilha mais que o poder divino; segundo, porque Deus concedeu a Maria tão grande poder sobre os demônios, que, como muitas vezes se viram obrigados a confessar, pela boca dos possessos, infunde-lhes mais temor um só de seus suspiros por uma alma, que as orações de todos os santos; e uma só de suas ameaças que todos os outros tormentos. O que Lúcifer perdeu por orgulho, Maria ganhou por humildade. O que Eva condenou e perdeu pela desobediência, salvou-o Maria pela obediência. Eva, obedecendo à serpente, perdeu consigo todos os seus filhos e os entregou ao poder infernal; Maria, por sua perfeita fidelidade a Deus, salvou consigo todos os seus filhos e servos e os consagrou a Deus. Deus não pôs somente inimizade, mas inimizades, e não somente entre Maria e o demônio, mas também entre a posteridade da Santíssima Virgem e a posteridade do demônio. Quer dizer, Deus estabeleceu inimizades, antipatias e ódios secretos entre os verdadeiros filhos e servos da Santíssima Virgem e os filhos e escravos do demônio. Não há entre eles a menor sombra de amor, nem correspondência íntima existe entre uns e outros. Os filhos de Belial, os escravos de Satã, os amigos do mundo (pois é a mesma coisa) sempre perseguiram até hoje e perseguirão no futuro aqueles que pertencem à Santíssima Virgem, como outrora Caim perseguiu seu irmão Abel, e Esaú, seu irmão Jacob, figurando os réprobos e os predestinados. Mas a humilde Maria será sempre vitoriosa na luta contra esse orgulhoso, e tão grande será a vitória final que ela chegará ao pontro de esmagar-lhe a cabeça, sede de todo o orgulho. Ela descobrirá sempre sua malícia de serpente, desvendará suas tramas infernais, desfará seus conselhos diabólicos, e até ao fim dos tempos garantirá seus fiéis servidores contra as garras de tão cruel inimigo. Mas o poder de Maria sobre todos os demônios há de patentear-se com mais intensidade, nos últimos tempos, quando Satanás começar a armar insídias ao seu calcanhar, isto é, aos seus humildes servos, aos seus pobres filhos, os quais ela suscitará 82

para combater o príncipe das trevas. Eles serão pequenos e pobres aos olhos do mundo, e rebaixados diante de todos como o calcanhar em comparação com os outros membros do corpo. Mas, em troca, eles serão ricos em graças de Deus, graças que Maria lhes distribuirá abundantemente. Serão grandes e notáveis em santidade diante de Deus, superiores a toda criatura, por seu zelo ativo, e tão fortemente amparados pelo poder divino, que, com a humildade de seu calcanhar e em união com Maria, esmagarão a cabeça do demônio e promoverão o triunfo de Jesus Cristo. São Luís de Montfort Tratado de Verdadeira Devoção à Ssma. Virgem Cap. I; Art. II; n. 51-54 TESTEMUNHAS DE ALÉM-TÚMULO Em sua infinita misericórdia, Deus, depois de haver revelado o dogma do inferno, tem permitido, de onde em onde, que alguma alma venha da eternidade para confirmar-nos a existência daquele lugar de penas. Tais aparições são mais frequentes do que comumente se crê; e quando são atestadas por pessoas idôneas e fidedignas, tornam-se fatos inegáveis, que se admitem como todos os outros fatos da história. Apresso-me, porém, a declarar que não entendo trazer esses fatos como argumento principal e básico com que se demonstre e se estabeleça o dogma do inferno, porque este nos é demonstrado pela palavra infalível de Deus; narro tais aparições somente para confirmar e elucidar essa verdade, e como argumento de salutar meditação. Monsenhor Luiz Gastão Ségur, no seu áureo opúsculo sobre o inferno narra três fatos, cada qual mais autêntico, acontecidos não faz muito tempo. *** O primeiro, diz ele, sucedeu quase em minha família, pouco antes da terrível campanha de 1812, na Rússia. Meu avô materno, o Conde Rostopkine, governador militar de Moscou, era intimamente relacionado com o general Conde Orloff, tão valoroso quanto ímpio. Um dia, após a ceia, o conde Orloff e um seu amigo, o general V…, volteriano como ele, puseram-se a ridicularizar a religião e 83


sobretudo o inferno: – Mas…, disse Orloff, e se houves-se alguma coisa além do túmulo? – Neste caso…, diz o general V…, o primeiro que morrer virá avisar o outro; de acordo? – Pois não, responde Orloff. E ambos prometeram seriamente não faltar à palavra. Algumas semanas após, desencadeou-se um daquelas guerras que Napoleão sabia suscitar; o exército russo foi chamado às armas, e o general V… recebeu ordem de partir incontinenti para um posto de comando. Duas ou três semanas depois da partida de Moscou, quando meu avô se levantara, bem cedo, viu abrir-se bruscamente a porto do quarto e entrar o conde Orloff, com roupa de dormir, de chinelos, cabelo em desalinho, olhos esbugalhados, pálido como cera. – Oh! Orloff vós aqui a esta hora? Neste traje? Que aconteceu? – Meu caro, responde Orloff, eu perco a cabeça; vi o general V… – Oh! Ele já voltou? – Não, continua Orloff, atirando-se a um divã, não, não voltou, e é isto que me espanta. Meu avô nada compreendia e procurava acalmá-lo. – Contai-me, então, lhe disse, o que aconteceu e o que significa tudo isto. Fazendo grande esforço para se acalmar, o conde Orloff contou o se-guinte: – Meu caro Rostopckine, não faz muito, o general V… e eu, juramos que o primeiro que morresse, viria avisar o outro se há de fato alguma coisa além do túmulo. Ora, pela madrugada, enquanto estava tranquilo na cama, acordado, sem pensar no amigo nem no juramento, abre-se de repente o cortinado do meu leito e vejo, a dois passos de mim, o general V… de pé, desfigurado, com a mão direita no peito, e me fala: “Existe um inferno, e eu lá estou…” e desapareceu. Na mesma hora corri até cá; eu perco a cabeça! Que coisa estranha! não sei o que pensar! Meu avô tranquilizou-o como pôde: falou-lhe de alucinação, fantasia… que ele talvez estivesse dormindo… que às vezes dão-se casos extraordinários, inexplicáveis… E procurava persuadi-lo com outros meios termos, que apesar de nada valerem, servem para 84

consolar os céticos. Mandou preparar o coche e acompanhou o conde à sua casa. Dez ou doze dias depois deste estranho acontecimento, um estafeta do exército comunicava ao meu avô, entre outras coisas, a morte do general V… Naquela madrugada em que o conde Orloff o tinha visto e ouvido, o infeliz general, saindo a estudar a posição do inimigo, foi varado por uma bala e caiu morto. “Existe um inferno, e eu lá estou…” Eis as palavras de um que veio do outro mundo! *** O segundo fato é referido pelo mesmo autor, que o tem por indubitável, como o precedente, pois o ouviu da boca de um respeitabilíssimo eclesiástico, superior de importante comunidade, o qual por sua vez, soube os pormenores mediante um parente da senhora, com a qual se deu tal fato. Naquele tempo, isto é, por ocasião do Natal de 1859, ela ainda vivia e contava pouco mais de quarenta anos. Achava-se essa dama em Londres no inverno de 1847 e 1848; enviuvara aos 29 anos, era muito rica e muito amiga dos divertimentos mundanos. Entre as pessoas elegantes que frequentavam a sua casa, notava-se especialmente um moço, cujas contínuas visitas a comprometiam não pouco e cuja vida estava longe de ser edificante. Uma noite, a senhora lia não sei que romance para conciliar o sono. Ouvindo bater o relógio, apagou a vela e dispunha-se para deitar, quando percebeu, com grande assombro, que uma luz estranha e pálida vinha da porta do salão contiguo e espalhava-se a pouco e pouco no quarto, aumentando sempre. Não sabendo o que era, do pasmo passou ao medo; eis senão quando, viu abrir-se lentamente a porta do salão e entrar no quarto o jovem desregrado, o qual, antes que ela pudesse pronunciar palavra, aproximou-se, tomando-a pelo braço esquerdo, apertando-lhe fortemente o pulso, e com aceno desesperado, lhe falou em inglês: – Existe o inferno! Foi tão grande o susto que a senhora perdeu os sentidos. Voltando a si, tocou nervosamente a campainha para chamar a criada, que a tendeu; entrando no quarto, esta sentiu logo um cheiro de queimado e chegando-se à ama, que com dificuldade 85


articulava umas palavras pôde ver que tinha ao redor do pulso uma queimadura tão profunda que a carne desaparecera e ficava à mostra o osso. Observou além disso, que da porta do salão até o leito e do leito à porta do salão estava impressa a pegada de um homem, que tinha queimado o pano de parte a parte. Por ordem da ama, abriu a porta do salão, e notou que lá terminavam as pegadas no tapete. No dia seguinte, a desditosa senhora soube com aquele medo que bem se compreende, que alta noite, o tal moço se embriagara com excesso, e transportado para casa, veio a morrer pouco depois. Ignoro, acrescenta o superior, se esta terrível lição tenha convertido a infeliz dama; o que sei é que ela ainda vive e para esconder aos olhares curiosos o sinal daquela sinistra queimadura, leva no pulso, à guisa de bracelete, um largo enfeite de ouro, que não deixa nem de dia nem de noite. Repito que os particulares eu os tive da boca de um seu parente próximo, católico sincero, a cuja palavra presto fé. Os parentes não falam do ocorrido e é por isso que tenho o cuidado de ocultar o nome da família. Apesar do véu, no qual esta aparição foi e deveu ser envolvida, não me parece, acrescenta Monsenhor Ségur, que se possa pôr em dúvida a formidável autenticidade. *** O terceiro fato aconteceu na Itália. Em 1873, em Roma, alguns dias antes da Assunção, uma moça, bastante má, machucou uma das mãos. Levaram-na para o Hospital da Consolação. Ou porque o sangue estivesse muito deteriorado ou porque sobreviesse grave complicação, a infeliz morreu naquela noite. No mesmo instante uma de suas companheiras, que não sabia o que acontecera no hospital, pôs-se a gritar desesperadamente, a tal ponto que acordou toda a vizinhança e provocou a intervenção da polícia. A companheira que morrera no hospital apareceu envolvida em chamas e lhe disse: –“Estou condenada, e se não queres condenar-te também, sai deste lugar infame e volta a Deus.” Nada consegui acalmar a agitação da jovem, que bem cedo abandonou aquela casa, deixando a todos atônitos, especialmente depois de divulgada a notícia da morte da companheira, no hospital. 86

Aconteceu que, logo depois, a proprietária da casa, uma garibaldina exaltada, caiu doente, mandou logo chamar um padre, dizendo que queria receber os sacramentos. A Autoridade Eclesiástica delegou para esse fim um digno sacerdote, Monsenhor Piroli, pároco de S. Salvador em Laura. Munido de especiais instruções, ele se apresentou e exigiu, antes de tudo, que a doente fizesse, perante testemunhas, plena retratação de suas blasfêmias e insultos contra o Sumo Pontífice e declarasse que afastaria as ocasiões de pecado. Sem a menor hesitação, a infeliz promete e então se confessa e recebe o Sagrado Viático com grandes sentimentos de penitência e humildade. Pressentindo o seu fim, a pobre mulher, com lágrimas nos olhos suplicou ao padre que não a abandonasse, amedrontada como estava por aquela aparição. Assim, teve a grande graça de ser assistida nos últimos momentos pelo ministro de Deus. Toda a Roma conheceu logo os particulares desta tragédia. Como sempre, os ímpios e os libertinos fizeram dela objeto de chacota, abstendo-se, à aposta, de obter oportunas informações; mas, de sua parte, os bons aproveitaram para se tornarem melhores e mais exatos no cumprimento de seus deveres. “O Filho do homem enviará seus Anjos, que retirarão de seu Reino todos os escândalos e todos os que fazem o mal e os lançarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes. Então, no Reino de seu Pai, os justos resplandecerão como o Sol. (Mt 13, 41-42).

SANTA CATARINA DE SENA Revelações de Deus Pai COMO SERÁ O NOSSO JULGAMENTO? No Juízo Particular, no instante final, quando a pessoa compreende que não pode fugir das Minhas Mãos recupera a visão que a atormenta interiormente fazendo-a ver que por própria culpa chegou a tão triste situação. 87


Se o pecador se deixar iluminar e se arrepender, não por medo dos castigos infernais, mas por ter ofendido a Suma e Eterna Bondade, AINDA SERÁ PERDOADO. Mas, se ultrapassar o momento da morte nas trevas, no remorso, sem esperança no Sangue, ou então, lamentando-se apenas pela infelicidade em que se acha - e não por ter Me ofendido - irá para a perdição. Sobrevirá, pois, a repreensão pela injustiça e falso julgamento. Em primeiro lugar a repreensão da injustiça e do julgamento falso em geral, praticados no conjunto de suas ações, durante a vida; depois, em particular, do último instante quando o pecador considera seu pecado maior que a Minha misericórdia. Este é o pecado que não será perdoado, nem aqui nem no além. O desprezo voluntário da Minha misericórdia constitui pecado mais grave que todos os anteriores Filha, tua linguagem é incapaz de descrever os sofrimentos desses infelizes condenados. Sendo três os seus vícios principais - egoísmo, medo de perder a boa fama e orgulho - aos quais se acrescentam a injustiça, a maldade e impureza, no inferno os pecadores padecem de quatro tormentos principais. O primeiro é a ausência da Minha visão. Um sofrimento tão grande que os condenados, se fosse possível, prefeririam sofrer o fogo vendo-Me, que ficar de fora dele sem Me ver. O segundo, como conseqüência, é o remorso que corrói o pecador privado de Mim, longe da conversação dos anjos, a conviver com os demônios. Aliás, a visão do diabo constitui o terceiro tormento. Ao vê-lo duplica-se o sofrer. Nestes (demônios), eles se conhecem melhor, entendendo que por própria culpa mereceram o castigo. Assim, o remorso os martiriza e jamais cessará o ardor da consciência. Muito grande é este tormento, porque o diabo é visto no próprio ser; tão horrível é a sua fealdade, que a mente humana não consegue imaginar. Se ainda o recordas, já te mostrei o demônio assim como ele é; foi por um átimo de tempo. Quando retornastes ao sentido, preferias caminhar por uma estrada de fogo até o juízo final que tornar a vê-lo. No entanto, apesar do que viste ignoras a sua fealdade, especialmente porque, segundo a justiça divina, ele é visto mais ou menos horrível pelos condenados, segundo a gravidade das culpas. O quarto é o fogo. Um fogo que arde sem consumir, sem destruir o ser humano. É algo de imaterial, que não destrói a alma 88

incorpórea. Na Minha justiça permito que tal fogo queime, faça padecer, aflija; mas não destrua. É ardente e fere de modo crudelíssimo em muitas maneiras, conforme a diversidade das culpas. A uns mais, a outros menos, segundo a gravidade dos pecados. Destes quatro tormentos derivam os demais: o frio, o calor, o ranger de dentes (Mt, 22,13) Grande é o ódio dos condenados, pois já não amam o bem. Blasfemam continuamente contra Mim! Queres saber por que já não podem desejar o bem? É porque, no fim desta vida, vincula-se o livre arbítrio. Com o cessar do tempo, já não se merece mais. Quem termina esta existência em pecado mortal, por direito divino fica para sempre apegado ao ódio, obstinado no mal, a roer-se interiormente. Seus sofrimentos irão aumentando sempre, especialmente por causa das demais pessoas que por sua causa irão para a condenação. O homem justo (no mesmo Juízo) ao encerrar sua vida terrena no amor, já não poderá progredir na virtude. Para sempre continuará a amar no grau de caridade que atingiu até Mim. Também será julgado na proporção do amor. Continuamente Me deseja, continuamente Me possuí; suas aspirações não caem no vazio. Ao desejar, será saciado; ao saciar-se, sentirá ainda fome; distanciando-se assim, do fastio da saciedade e do sofrimento da fome. Os bem-aventurados gozam da Minha eterna visão. Cada um no seu grau, de acordo com a caridade em que vieram participar de tudo o que possuo. Desfrutam na alegria e gozo - dos bens pessoais e comuns que mereceram. Colocados entre os anjos e santos com eles se rejubilam na proporção do bem praticado na terra. Entre si congraçados na caridade os bem-aventurados de modo especial comunicam-se com aqueles que amaram no mundo. Não penses que a felicidade celeste seja apenas individual. Não! Ela é participada por todos os cidadãos da pátria, homens e anjos. Quando chega alguém à vida eterna, todos sentem sua felicidade da mesma forma como ele participa do prazer de todos. Em seus anseios os eleitos clamam continuamente diante de Mim em favor do mundo inteiro. Suas vidas haviam terminado no amor fraterno; continuam no mesmo amor. Aliás, foi exatamente por tal caridade que passaram pela 89


porta que é Meu Filho Por ocasião do Juízo Final, o Verbo encarnado virá com divina majestade para repreender o mundo. Não mais se apresentará pobrezinho na forma como nasceu da Virgem, na estrebaria, entre animais, para morrer depois no meio de ladrões. Naquela ocasião, ocultei n'Ele o Meu poder e permiti que suportasse penas e dores como homem. A natureza divina se unira a humana e foi enquanto homem que sofreu para reparar as vossas culpas. No juízo final, não será assim, pois virá com poder a fim de julgar. As criaturas humanas estremecerão e Ele a cada um dará sentença conforme merecimento. Tua língua não conseguirá exprimir o que se sucederá aos condenados. Para os bons, Jesus será motivo de temor santo e alegria imensa. Os bem-aventurados continuam no céu, eternamente, aquele mesmo amor com que encerraram a vida terrena. Eles em nada se distanciam de Mim. Seus desejos estão saciados. Anseiam em ver-Me glorificado por vós viandantes e peregrinos que sois em direção à morte. Aspirando por Minha honra, querem vossa salvação e sempre rogam por vós. De Minha parte, escuto os seus pedidos naquilo em que vós, por maldade, não opondes resistência à Minha bondade. Os bem-aventurados desejam recuperar os seus corpos; todavia não sofrem por sua ausência. Até se alegram, na certeza de que tal aspiração será realizada. A ausência do corpo não lhes diminui o prazer, não é angustiante, não faz sofrer. Nem julgues que a satisfação de ter o corpo após a ressurreição lhes traga maior bemaventurança. Se isso fosse verdade, seria sinal que a felicidade anterior era imperfeita, enquanto não o reouvessem, e isso não pode ser. De fato, nenhuma perfeição lhes falta. Não é o corpo que faz feliz a alma, mas o contrário. Quando esta recupera o corpo no dia do juízo, participará ele da plenitude e da perfeição da alma. Naquele dia, esta se fixará para sempre em Mim, e o corpo em tal união, ficará imortal, sutil, leve. Deves saber que o corpo ressuscitado pode atravessar uma parede, que o fogo e a água não o ofendem. Tal propriedade lhe advém, não de uma virtude própria, mas por uma força que gratuitamente concedo à alma, que foi criada à Minha imagem e semelhança num inefável ato de amor. Tua inteligência não dispõe da capacidade necessária para entender, nem teus ouvidos para escutar, a língua para narrar e o coração para sentir qual é a 90

felicidade dos santos. Ocupei-Me da felicidade dos santos para que entendesses melhor a infelicidade dos condenados ao inferno. Aliás, outro tormento destes últimos, é ver quanto os bem-aventurados são felizes. Tal conhecimento acresce-lhes a pena, da mesma forma como a condenação dos maus leva os justos a glorificar Minha bondade. A luz é mais evidente na escuridão, e a escuridão na luz. Conhecer a alegria dos santos é dor para os réus do inferno. Os condenados aguardam com temor o dia do juízo final. Sabem que então seus sofrimentos aumentarão. Ao escutar o terrível convite: "mortui, venite ad judicium", a alma retornará ao corpo. Para os bemaventurados será um corpo de glória; para os réus um corpo para sempre obscurecido. Diante do Meu Filho, sentirão grande vergonha. Também diante dos santos. O remorso martirizará a profundidade do seu ser, quero dizer, a alma; mas também o corpo. Acusá-los-ão: o Sangue de Cristo, por eles derramado; as obras de misericórdia, espirituais e corporais, do Meu Filho, o bem que eles mesmos deveriam ter praticado em benefício dos outros, segundo o Evangelho. Terá seu castigo a maldade com que trataram os irmãos, pois Eu mesmo, compassivo, perdoara-lhes (Mt 18,33). Serão repreendidos pelo orgulho, egoísmo, impureza, ganância; e tudo isso reavivará seus padecimentos. No instante da morte, somente a alma é repreendida; no juízo final também o corpo, por ter sido instrumento da alma na prática do bem e do mal conforme a orientação da vontade. Todo bem e todo mal é feito através do corpo por este motivo, Minha filha, os justos terão no corpo glorificado uma luz e um amor infinitos; já os réus do inferno sofrerão pena eterna em seus corpos, usados para o pecado. Ao recuperar o corpo diante de Jesus ressuscitado, os réus sentirão tormento renovado e acrescido: a sensualidade sofrerá na sua impureza, vendo a natureza humana unida à divindade, contemplando este barro adâmico - vossa natureza – colocada acima de todos os coros angélicos, enquanto eles, os maus, estarão no mais profundo abismo. Os condenados verão brilhar sobre os eleitos a liberalidade e a misericórdia, quais frutos do Sangue de Cristo; saberão das dificuldades suportadas pelos bons e que agora se mostram em seus corpos como frisos de adornos para as vestes. O valor de tais sofrimentos físicos não provém do corpo, mas da riqueza da alma; é ela que dá o corpo o 91


merecimento da luta como companheira da prática das virtudes. Tal exteriorização se verifica porque o corpo manifesta o resultado das batalhas das alma, como o espelho reflete a face do homem. Ao se verem privados de tamanha beleza, os habitantes das trevas verão surgir nos próprios corpos os sinais dos pecados e terão maiores tormentos e confusão. E ao soar aquela terrível sentença: "Ide, malditos, para o fogo eterno", suas almas e corpos encaminhar-se-ão para a companhia de demônios, sem mais remédios nem esperança. Cada um a seu modo, se envolverá na podridão que viveu na terra, de acordo com as ações que praticou: o avarento arderá na sua ganância dos bens que desordenadamente amou; o maldoso, na sua ruindade; o impuro na imunda e infeliz concupiscência; o injusto nas suas iniqüidades; o rancoroso no seu ódio pelos outros. Quanto ao egoísmo fonte de todos os males arderá como princípio causador de tudo em sofrimentos insuportáveis. O orgulho terá igual sorte. Assim, corpo e alma serão punidos em todos os vícios. Sirvo-Me do demônio qual instrumento da Minha justiça para atormentar os que Me ofendem. Nesta vida o coloquei qual tentador, molestando os homens. Não para que estes sejam vencidos, mas para que conquistem a vitória e o prêmio pela comprovação das virtudes. Ninguém deve temer as possíveis lutas e tentações do demônio. Fortaleci os homens, dei-lhes energia para vencer, no Sangue de Cristo. Demônio ou criatura alguma conseguem dobrar a vontade. Ela vos pertence, é livre. Vós é que escolheis o querer ou não querer alguma coisa. Eu disse que o demônio convida os homens para a água-morta, a única que lhe pertence, cegando-os com prazeres e satisfações do mundo. Usa o anzol do prazer e fisga-os mediante a aparência de bem. Sabe ele que por outros caminhos nada conseguiria; sem o vislumbre de um bem ou satisfação, os homens não se deixam aprisionar; por sua própria natureza, a alma humana tende ao bem. Infelizmente, devido à cegueira do egoísmo, o homem não consegue discernir qual é o bem verdadeiro, realmente útil ao corpo e à alma. Percebendo isto, o demônio, maldoso, apresenta-lhe numerosos atrativos maus, disfarçados, porém sob alguma utilidade ou prazer. A certeza da Minha presença em suas vidas é o conhecimento da Minha verdade. Tal conhecimento se realiza na 92

inteligência que é, o olho da alma; pupila de tal olho é a fé. Pela iluminação da fé, eles distinguem, conhecem e seguem a estrada mensagem do Verbo Encarnado. Sem a fé ninguém reconhece tal estrada, à semelhança daquele que possuísse o olho, mas coberto por um pano. Sim, a pupila desse olhar é a fé; nada verá quem cobrir sua inteligência com o pano da infelicidade, por causa do egoísmo. Tal pessoa terá a inteligência, mas não a luz para conhecer. Como afirmei antes, ninguém consegue seguir o caminho da verdade sem a luz da razão - recebida de Mim com a inteligência - e sem a luz da fé, infundida na hora do santo batismo, supondo que não destruais esta última com vossos pecados. Fonte: Revelações de Deus Pai à Santa Catarina de Sena. VISÃO DO CÉU, INFERNO E PURGATÓRIO São João Bosco (1815-1888) teve sonhos que na verdade, eram visões dadas por Deus comprovadas com muitos sinais e profecias que se realizaram. Algumas das mais importantes são a visão do Céu, do Inferno e do Purgatório, acompanhadas de seu Anjo da Guarda. Céu: São João Bosco viu belíssimas paisagens, jardins, flores, plantas e casas cheias de ouro e pedras preciosas. As pessoas presentes e os Anjos estavam muito felizes e cantavam belos cânticos em louvor a Deus. Um dos Santos ali presentes, São Domingos Sávio, mostrou um ramalhete de flores e disse o significado: “Que todos tenham este ramalhete. Com ele terão o suficiente para serem felizes. A rosa é o símbolo da caridade. A violeta, da humildade. O girassol, da obediência. A genciana, da penitência e da mortificação. As espigas de trigo, da Comunhão freqüente. O lírio, da bela virtude da castidade. A sempre-viva, da perseverança e que todas essas virtudes devem durar sempre. Quanto melhores e mais puras são as criaturas, mais elas se aproximam de Deus. Quanto mais pior, desonesto e torpe é alguém, mais ele se afasta de Deus, dos Anjos e dos Santos.” 93


Inferno: O Anjo mostrou o Inferno como um mar de fogo. Os condenados se queimavam, gritavam, choravam e so-friam horrivelmente. O Anjo disse: “Eis uma das principais causas de tantas condenações: maus livros, maus companheiros e maus hábitos. As pessoas no mundo têm os Sacramentos. Que os freqüentem! Os condenados sabiam que iam para o fogo! Eles foram avisados mil vezes, mas correram voluntariamente por causa do pecado que não detestaram e não quiseram abandonar, pois desprezaram a misericórdia de Deus que os chamava incessantemente à penitência. A transgressão do Sexto Mandamento: não pecar contra a castidade, é a causa da ruína eterna de muitos jovens. Pregue contra a impureza por toda a parte. Para se conseguir isso é necessário a graça de Deus, a qual se for pedida, jamais faltará aos jovens. O Bom Deus manifesta especialmente seu poder em se compadecer e perdoar. Mudar de vida, mudar de vida! Os que querem ficar ricos caem nas tentação e na armadilha do demônio. Alguns têm o coração tão apegados a algum objeto material e esse afeto os afasta do amor de Deus. Por isso, eles faltam com a caridade, a piedade e a mansidão. Não somente o uso das riquezas perverte o coração, mas também o desejo delas. Alguns estão no Inferno por terem causado voluntariamente danos graves e não terem reparado. Sabe qual é a raiz de todos os males? Sabe qual foi o pecado de Adão e Eva? A desobediência. Precisamente, a desobediência é a raiz de todo mal. Os desobedientes vão preparando para si próprios esse fim tão lamentável. Ai do que se descuida da oração! Quem não reza, se condena! A obediência, mesmo nas menores coisas a Deus, à Igreja e aos pais os salvará. Evitem muito o ócio. Estejam sempre ocupados, porque assim o demônio não terá tempo de assaltá-los.” Purgatório: São João Bosco viu um bispo sofrendo no Purgatório e ouviu: “Os juízos do Senhor são completamente diferentes dos juízos do mundo. Vocês têm a Igreja, o Evangelho e a Bíblia que tudo dizem. Salvem suas almas porque todo o resto deste mundo de nada serve. Sejam bons e obedientes. Sejam puros e rezem. Confessem com freqüência e façam boas Confissões. Vocês têm uma neblina diante dos olhos e quando muitos conseguem vê-la, já é muito tarde. Afastem essa neblina que é feita por todas as coisas mundanas que impedem de ver as coisas celes94

tiais. Considerem como o mundo está. O mundo está todo posto no maligno. Não se deixem enganar pelas aparências. Tudo é vaidade e aflição de espírito. Vejam as coisas do mundo, não como se parecem, mas como realmente são. Assim como a virtude que mais brilha no Paraíso é a pureza, assim também a treva e a neblina são produzidas principalmente pelo orgulho e pela impureza. É como uma nuvem negra que tapa a visão de muitos jovens. Conservem zelosamente a virtude da pureza, porque os que a possuem, florescerão como o lírio na cidade de Deus. Para isso, são suficientes a obediência, o recolhimento, a oração e a fuga do ócio.” Fonte: Blog Sagrada Face de Jesus. 40 NEGAÇÕES DO ESPIRITISMO "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom." Mateus.6,24 "Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira." João.8,44. Se você é católico e por algum motivo frequenta centros espíritas saiba que: 1) O Espiritismo nega o mistério. 2) O Espiritismo nega o milagre. 3) O Espiritismo nega a inspiração divina da Sagrada Escritura! 4) O Espiritismo nega a autoridade do Magistério Eclesiástico! 5) O Espiritismo nega a infalibilidade do Papa. 6) O Espiritismo nega a instituição divina da Igreja. 7) O Espiritismo nega a suficiência da revelação cristã. 95


8) O Espiritismo nega o augusto mistério da Santíssima Trindade! 9) Grande parte dos espíritas nega a existência de um Deus, pessoal e distinto do mundo! 10) O Espiritismo nega a liberdade de Deus Criador. 11) O Espiritismo nega a criação do nada. 12) O Espiritismo nega a criação da alma humana. 13) O Espiritismo nega a criação do corpo humano e nos faz descender de macacos. 14) O Espiritismo nega a união substancial entre o corpo e a alma. 15) O Espiritismo nega a espiritualidade da alma. 16) O Espiritismo nega a unidade do gênero humano. 17) O Espiritismo nega a existência dos anjos. 18) O Espiritismo nega a existência do demônio. 19) O Espiritismo nega a divindade de Jesus Cristo! 20) O Espiritismo nega os milagres de Cristo. 21) Grande parte dos espíritas nega a humanidade de Cristo. 22) O Espiritismo nega os privilégios de Maria Santíssima! 23) O Espiritismo nega a nossa redenção por Cristo! 24) O Espiritismo nega o pecado original. 25) O Espiritismo nega a graça divina. 26) O Espiritismo nega a possibilidade do perdão dos pecados. 27) O Espiritismo nega o valor da vida contemplativa e ascética. 28) O Espiritismo nega toda a doutrina cristã do sobrenatural. 29) O Espiritismo nega o valor dos Sacramentos! 30) O Espiritismo nega a eficácia do Batismo. 31) O Espiritismo nega a presença de Cristo na Eucaristia. 32) O Espiritismo nega o valor da Confissão. 33) O Espiritismo nega a indissolubilidade do Matrimônio. 34) O Espiritismo nega a unicidade da vida terrestre. 35) O Espiritismo nega o juízo particular depois da morte. 36) O Espiritismo nega a existência do Purgatório. 37) O Espiritismo nega a existência do Céu. 96

38) O Espiritismo nega o Inferno! 39) O Espiritismo nega a ressurreição da carne. 40) O Espiritismo nega o juízo final. Conclusão: Foi muito acertada a denúncia dos Bispos proclamando que o Espiritismo "não nega apenas uma ou outra verdade de nossa Santa Religião, mas todas elas". Desde os tempos apostólicos os cristãos costumam professar a sua fé rezando o Credo, mas tudo isso é contestado pela doutrina espírita. Não permanece de pé uma só das verdades fundamentais de nossa santa, religião, verdades ensinadas por Cristo, pregadas pelos Apóstolos e integralmente conservadas e transmitidas pela Igreja. É pois evidente que é de todo impossível ser ao mesmo tempo católico e espírita. Negadores de todas as verdades básicas do Cristianismo, os espíritas deixaram de ser cristãos. Em vista de tão radical negação da Doutrina Cristã, reafirmemos a nossa fé rezando: Creio em Deus Pai... (..) A censura da excomunhão recai sobre os espíritas ipso facto, isto é, pelo mesmo fato de aderirem à doutrina espírita. São, portanto, eles mesmos que se excluem da comunhão dos fiéis. A Igreja é apenas consequente e coerente com o que eles próprios preferiram, escolheram e provocaram com sua contumaz e obstinada desobediência. Mas a Igreja está também sempre disposta e pronta a tornar a recebê-los, logo que acabar a contumácia do desobediente. Cân. 2242 § 3: "Considera-se terminada a contumácia, quando o réu se arrepender verdadeiramente do crime cometido e ao mesmo tempo der, ou ao menos seriamente prometer, côngrua satisfação pelos danos e escândalos; Mas, o julgar se é ou não verdadeira a penitência, côngrua a satisfação, ou séria a sua promessa, pertence a quem se pede a absolvição da censura.” 97


TATUAGENS DEMONÍACAS EM JOVENS Muitas imagens são fortes, mas é preciso conhecer a realidade do mundo de hoje, o avanço do satanismo e a apostasia que levam para o caminho da perdição. Muitos ainda dormem! Não podemos mostrar só coisas boas, enquanto o mundo caminha para a degradação. O Satanismo é real, assim como satanás é real. Precisamos nos informar para não cair nesta armadilha.

Diz na Sagrada Escritura: "Não façam cortes no corpo por causa dos mortos, nem tatuagens em si mesmos" (Lv 19,28 ). "não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis?" (ICor 6,19) “Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar”. (1Pd 5,8) “Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa.” (Mt 18, 7) As tatuagens são proibidas por Deus: As incisões no corpo, quaisquer que sejam (até as rosinhas), são proibidas por Deus nas Escrituras, pois não é o desenho que é condenado, mas a intenção de manchar o corpo que é TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO, para quem ainda não sabe, o corpo não é nosso! Ó corpo é obra de Deus, portanto é de Deus! 98

“Não fareis incisões na vossa carne por um morto, nem fareis figura alguma no vosso corpo. Eu sou o Senhor”. (Lv 19,28). Já possuo uma tatuagem o que devo fazer?: Hoje já existem muitas formas de apagar uma tatuagem, mas ainda são caras. Para quem não pode pagar ai vai uma dica: 1) Sinta vergonha de tê-las; 2) Evite mostrá-las, pois é esta a intenção da tatuagem ser exibida; AS TATUAGENS QUE OS JOVENS ESTÃO FAZENDO HOJE. OS ALUNOS FOLHEIAM REVISTAS SOBRE TATUAGENS NA SALA DE AULA E NA BIBLIOTECA, EM VEZ DE ESTUDAREM. A OBSESSÃO COM ESSES TIPOS DE SÍMBOLOS SATÂNICOS AUDACIOSOS É OUTRO SINAL SEGURO DO SATANISMO ENTRE OS ADOLESCENTES.

Você pode saber que uma sociedade caiu sob o controle de Satanás quando vir múltiplos piercings corporais. A língua para fora é também um dos sinais físicos mais comuns da rebelião satânica. Observe que este rapaz tem seis pinos, o número favorito dos satanistas. A língua para fora é também um símbolo do sexo oral. O MUNDO DA MODIFICAÇÃO CORPORAL “OS ALARGADORES” "não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis?" (ICor 6,19) Diz uma adolescente que utiliza alargadores: “Alargadores são plugs dos 99


mais diversos tipos de materiais, muito comum em países indianos, que tem como objetivo alargar o lóbulo da orelha. Alguns usam por estar na moda, outros por acharem legal e outros nem sabem por que usam, eu me encaixo nos que acham legal. Tenho um em cada orelha, os dois com 2mm, alargados direto sem frescurites de alargar aos poucos, até porque pra que frescura pra alargar 2mm? AHDHUAOIUH” Não se deixe levar pelas enganações mundanas, imposição da mídia (Internet, TV, Cartazes, etc…) que diz que tudo é permitido, tudo pode, que somos livres, e impõe modas que com ajuda efetiva do príncipe deste mundo manipula as mentes das pessoas que não compreendem que são templo do Espírito Santo (ICor 6,19). Jovens que através da ingratidão, falta de entendimento, busca dos prazeres mundano e não de Deus, ultrajam ao Senhor todo poderoso por muitos pecados cometidos, que ao invés disso deveriam engrandecer o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, corresponder o amor que Ele tem por cada um de nós, agradeceLo pelo dom da vida dado a nós, por pura graça, um dom gratuito na qual desperdiçamos e não damos valor. SINAL DOS TEMPOS: ADOLESCENTE DE 15 ANOS TATUA CORPO PARA MARCAR ASSASSINATOS Um adolescentes de 15 anos tatuou o corpo com caveiras para marcar os assassinatos que já cometeu. São seis caveiras nas costas, e a sétima só não foi feita, pois o menor foi apreendido. O jovem ainda disse que ao sair da cadeia vai continuar matando.

100

Veja o Vídeo: http://mais.uol.com.br/view/s70pk4i6az2h/adolesc ente-de-15-anos-tatua-corpo-para-marcar-assassinatos0402CC98356CD8A14326?types=A& Diz na Sagrada Escritura: (quem tiver ouvidos ouça, eis a Profecia se cumprindo) "Ouvi a palavra do Senhor, filhos de Israel! Porque o Senhor está em litígio com os habitantes da terra. Não há sinceridade nem bondade, nem conhecimento de Deus na terra. Juram falso, assassinam, roubam, cometem adultério, usam de violência e acumulam homicídio sobre homicídio. Por isso, a terra está de luto e todos os seus habitantes perecem; os animais selvagens, as aves do céu, e até mesmo os peixes do mar desaparecem." (Os 4, 1-3) "Partiu então outro cavalo, vermelho. Ao que o montava foi dado tirar a paz da terra, de modo que os homens se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada". (Apo 6,4) “Ó terra e mar, cuidado! Porque o Demônio desceu para vós, cheio de grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta” (Apo 12, 12). Fonte: www.rainhamaria.com.br MENSAGENS AO PROFETA PEDRO II U 16/07/1995 - UM POUCO DO INFERNO Quem não caminha por este caminho e quem se desvia para não passar por ele é perda para a sua alma. Quanto mais longe estiverem de Mim, mais as trevas vão se apoderar de seus olhos e deixarão endurecer o seu coração, é como uma pedra no fundo do mar, que cria todo tipo de craca, fazendo com que ela desapareça, só ficando aparecendo todo tipo de verme que se agarra nela. Assim são as pessoas que procuram se afastar de Mim, onde Minha luz não bate, as paredes ficam umedecidas, assim também é o coração do homem ou da mulher, se o esplendor do Meu Santo Espírito não tiver passagem para entrar, o corpo da pessoa ficará completamente em trevas. Bento, Meu filho querido, em todo jardim que é bem cuidado, as flores são lindas e perfumadas, elas têm uma beleza sem igual, assim a mesma coisa são as almas, pois se não houver 101


alguém para cuidar delas, a sombra do mal se apoderará delas e todas ficarão na escuridão. Eu, Jesus, queria e quero que todos Me deixem cuidar de suas almas, no entanto o Meu inimigo tomou a maioria para ele, levando para um caminho que não tem volta, o seu lugar é cheio de todo tipo de prazer diabólico, lá só se encontra marido traindo a esposa e esposa traindo o marido, mocinhas que mal acabaram de crescer, fumando e bebendo e se entregando aos prazeres da carne. O seu comércio é droga, sua bebida é só veneno, os ciúmes e as brigas levam à loucura todas as pessoas e ainda tem gente que diz que melhor caminho do que este, não existe. Meu filho, como é triste para Mim, que dei a vida por todos, só quis o bem, curei os cegos e mudos, fiz os coxos andarem, ressuscitei várias pessoas e a humanidade não dá importância a tudo isto. Eu, Jesus e Minha Mãe, não paramos um só momento para atrair todos para o Meu Reino, que é só amor, beleza e glória, mas a perda é grande. São poucos os que Me ouvem, as lágrimas quase já secaram de tanto cair de Nossos olhos ao ver Nossos filhos fugindo de Mim como se Eu fosse o pior. O Meu inimigo que é a peste mais triste que existe, não tem doença que se compare com ele e na sua morada só existe sofrimento. As pessoas se torcem de dor, como se uma serra estivesse rachando uma pessoa ao meio e as chamas do seu fogo não se apagam nunca (Mc. 9, 44-46). O espírito da pessoa não morre, só a carne é que vai se desmanchando como uma vela que deixa nos lados, os pingos que vão caindo. Dessa maneira fica o corpo da pessoa, os cabelos caindo pelo corpo abaixo, os olhos ficam deformados como se estivessem querendo explodir, os dedos não têm mais como segurar o seu corpo, as pernas ficam dilaceradas sem ter os pés para pisar e assim é o lugar do Meu inimigo. Meus filhos queridos, procurem evitar todo tipo de tentação e não deixem o diabo se aproximar de vocês. Procurem rezar sem cessar, façam com que os seus corações e sua mente só pensem em Mim, dando-Me sempre o maior amor possível, pois o tempo é curtíssimo. Obrigado, filho, és toda razão do Meu amor. Fique com a Minha paz. [Jesus] 102

Y 19/05/1995 - NÃO DEIXEM DE IR À SANTA MISSA Filhinhos! Se vocês soubessem o que Eu sei, do que irá acontecer com os que nada fizeram por um mundo melhor, muitos ficariam aterrorizados pelo sofrimento que irá passar essa gente. A cadeia, que é a prisão do diabo, é insuportável. É como tu viste no sonho, Meu filho, um por cima do outro. O mau cheiro é horrível, as almas se torcem de tanta dor, que os seus gritos são como os de uma manada de porcos loucos. Nunca mais poderão sair de lá. As unhas caem das mãos e dos pés como uma vela que vai se derretendo. Os cabelos caem também junto com o couro da cabeça. As orelhas e os olhos ficam tão deformados que não tem nada que se compare. As luzes se apagam eternamente para todos os que estiverem lá. Meus filhos queridos! Acreditem nesta mensagem dada por Mim à este Meu filho Bento, pois ela é autêntica. Se não fosse, este filho não poderia fazer tantos milagres dados por Jesus. Confiem nele, Meus filhos, este mensageiro é muito querido diante de Deus. Prova é que foi ele o único neste último século que recebeu o Seu Santo Nome naquele pequeno pé de árvore. Ali, Deus mostrou, como gosta dele. [Maria Santíssima, Rainha da Paz] U 31/07/1995 - VIVER COM SATANÁS Eu Jesus, teu Salvador, te peço, Meu filho que não bebas, não digas palavrão e muito menos brigues com o teu irmão, pois numa hora dessas pode chegar a tua vez de ajustar contas Comigo e como é que irás chegar na Minha frente embriagado? Com as mãos sujas de sangue do teu irmão? O que irás dizer? Uma coisa só te digo, Meu filho: aqui no Céu não aceito e não há lugar para esse tipo de gente, há um lugar que vai aceitá-lo, porém lá o teu sofrimento é eterno e não tem mais volta. Todos que lá estão foram filhos e filhas desobedientes. Este Meu mensageiro viu um pouco como é este lugar, que além de ser escuro e o mau cheiro é insuportável, os bichos não param de roer a carne da pessoa, as unhas do tirano são mais afiadas que uma navalha e os gritos de socorro são apavorantes e assim sofrem todos os que vivem lá. Meus filhos e Minhas filhas, obedeçam a seus pais para depois não se arrependerem, pais amem seus filhos como Me amam, 103


só que o amor de vocês tem que ser bem maior para Mim, porque Sou a única segurança de suas vidas, para que não caiam, em tentação. Se Me agradeceres sempre, Eu sempre ouvirei os teus pedidos, não te desesperes se tardar um pouco, porque Eu sei qual a hora para ser dado o que Me pediste, assim Meus filhos, Eu Sou feliz se tu continuares Me obedecendo. Obrigado, Meus filhos e filhas não se esqueçam do que estou lhes pedindo. Fiquem com a Minha paz. [Jesus] U 09/07/1997 - AS DELÍCIAS DO CÉU O júbilo festejado pela família aos seus pais, nas bodas de prata, de ouro ou de diamante, fazem por merecer, pelo amor que tiveram deles. O mesmo acontece no Céu quando um pecador se converte. Os festejos são maiores dados por Mim. Banquete este não só pelos vinte e cinco, cinqüenta ou setenta e cinco anos de união e sim, pelo esforço que fizeram para Me seguir, saindo do caminho do pecado para Me servir. São almas puras e santas. Isto se dá pelo mérito dele ou dela que se revestiu de uma pessoa nova. A idade não importa. A conversão sim, faz dos homens ou das mulheres santos verdadeiros diante do seu Salvador, que Sou Eu, Jesus Cristo, o Filho de Deus vivo, que permaneço dentro do coração de cada um que vem a Mim pedindo perdão dos seus atos cometidos. Por mais errado que tenha sido, posso per-doar, como fiz com Saulo que perseguia os cristãos. Hoje é um Santo que deu a sua vida por Mim. As delícias do Céu são maiores do que tudo nesta terra, o qual nenhum rei daqui pode dar. O Meu Reino é totalmente diferente. Nele não há classificação. O merecimento é antes de tudo ser tocado por Mim diante dos Anjos e dos Santos para gozar de tudo que é Meu no Céu. [Jesus] O CÉU Entram logo no Céu as almas dos que morreram na graça de Deus e se acham livres de todo pecado e das penas do pecado. 1) Os bem-aventurados do Céu veêm a Deus, face a face, e estão unidos a Ele com Amor infinito. 2) Estão livres de todo mal e inundados de alegria no corpo 104

e na alma. 3) Vivem na bem-aventurada companhia dos anjos e santos. 4) Sua morada brilha de beleza e glória Divina. 1 - Nós agora vemos a Deus como por um espelho, e enigma; mas então, (o veremos) face a face (1 Cor 13, 12). 2 - Deus lhe enxugará todas as lágrimas dos seus olhos; e não haverá mais morte, nem luto, nem clamor, nem mais dor (Ap 21, 4). - “Embriagar-se-ão com abundância de tua casa (ó Deus) e tu os fará beber na torrente das tuas delicias (Salmo 35, 9) 3 - Cada um possuirá tantas vezes o Céu, quantos são os companheiros e irmãos na felicidade (Santo Agostinho). 4 - E esta cidade (Jerusalém Celeste) não tem necessidade de sol, nem de luz que alumiem nela; porque a claridade de Deus a ilumina, e a Sua lâmpada é o Cordeiro (Ap 21, 23). A bem-aventurança celestial é muito mas elevada do que todas as coisas que se podem dizer ou imaginar; pois é uma participação da infinita bem-aventurança de Deus. Nem o olho viu, nem o ouvido ouviu, nem jamais passou pelo pensamento do homem o que Deus preparou para aqueles que O amam (1 Cor 2,9). Cada justo receberá a recompensa segundo o seu mérito. Aquele que semeia com abundância, também colherá em abundância ( 2 Cor 9,6). O Céu: 1. O Céu ou Paraíso é um lugar de delícias, no qual os Anjos e Santos gozam duma felicidade eterna e perfeita pela vista e posse de Deus. 2. Os que vão para o Céu são aqueles que, tendo morrido em estado de graça, satisfizeram inteiramente a justiça de Deus. 3. Sabemos que os Santos vêem Deus no Céu, pelas palavras de Nosso Senhor dizendo: “Bem-aventurados os de coração puro, porque verão a Deus.” 4. A felicidade dos céus é tão grande, que não podemos compreende-la cá na terra, onde nada pode dar-nos uma idéia do que é o Céu. São Paulo disse: “Os olhos do homem não viram, nem os ouvidos ouviram, nem jamais veio ao coração do homem o que 105


Deus tem preparado para aqueles que O amam.” 5. Atualmente, os Santos estão no Céu só em alma; os seus corpos não entrarão ali senão depois da Ressurreição e Juízo Final.

que não é Deus. 2. No segundo plano, figuram, à direita, São João Batista, Moisés, Davi, Abraão e outros Santos do Antigo Testamento; à esquerda, São José, São Pedro e os outros Apóstolos, um Evangelista com um livro e muitos Santos do Novo Testamento. 3. No terceiro plano vêem-se outros Santos, entre os quais alguns mártires, como Santo Estevão; Santos Pontífices, um Santo rei, Virgens, Santas e Mártires, como Santa Cecília e Santa Catarina e Santas mulheres, como Santa Maria Madalena. 4. Santo Estevão segura na mão uma pedra, porque sofreu o martírio do apedrejamento. 5. Santa Cecília tem uma Harpa porque cantava louvores a Deus ao som dos instrumentos musicais. 6. Santa Catarina tem aos pés uma roda quebrada, porque a condenaram a morte por meio de uma roda armada de instrumentos cortantes, mas a roda quebrou-se, mal a puseram em movimento. 7. Santa Maria Madalena segura um vaso, porque derramou um dia sobre a cabeça de Nosso Senhor um vaso cheio de precioso perfume. U 21/06/1999 - VIDA PLENA

Explicação da gravura 1. Esta gravura representa o Céu. Ao centro estão as três pessoas Divinas assentadas num triângulo sobre um trono de Glória, cercado pelos Anjos. Muitos deles tocam instrumentos diversos, outros queimam incenso em turíbulos. A Virgem Santíssima, Sua Rainha está à frente deles, a direita de Jesus Cristo Seu Filho e num trono inferior ao trono de Deus, mas superior a tudo o 106

É como os rios que recebem das cachoeiras as águas puras que descem das nuvens. Elas saíram da Terra com o calor, em vapor, formando-se em nuvens suspensas no Céu para depois voltarem purificadas à Terra novamente. Porém, ninguém sabe como se dá este procedimento. É da mesma forma, Meu filho, ao que Me perguntaste como são as vidas no Céu. É quase do mesmo processo do vapor que sai da Terra e nas nuvens se transforma em água para depois vir cair purificada na Terra novamente. Com os Santos é assim também, pois sua alma sobe ao Céu e seu corpo fica na Terra, mas o processo vem da beatificação e depois da canonização. Em Minhas Mãos todos têm uma vida plena do mesmo jeito como se vive na Terra, menos o pecado, porque no Céu só estão os puros de coração. É como uma fonte de água mineral. Nela não existe impureza. Também no Céu é a mesma forma. Se a água mineral sai do meio das rochas, pura e cristalina, com as vidas Santas se procede quase o mesmo como a água mineral e potável. Os Santos servem107


Me no Céu adorando-Me, pois Eu Sou a Água da Vida e nenhum deles vive sem ser por Mim. Veja que o Meu Santo Corpo não ficou na Terra. Eu subi ao Céu com Ele e da mesma forma a Minha Santa Mãe. Então, Meu filho, não somos fumaça, como pensaste, quer dizer, nuvem. É isto que posso te esclarecer. Céu significa infinito para que os olhos do homem não possam ver enquanto ele estiver na Terra. Mas todos aqueles que subirem até Mim passarão a conhecer um Reino que não terá fim. Tudo será deslumbrante. Tudo será perfeito. Será uma beleza sem tamanho que jamais o homem poderia descrever. É só assim mesmo que pode ser dito porque já és Meu, pois tu, filho, só vens fazendo o que Eu quero. Então o teu corpo serve como instrumento Meu. Veja que tu não és uma nuvem e nem és intocável. Come, bebe e andas por onde quer. Da mesma forma os Meus Anjos e Santos fazem, comem e bebem também. Um espírito não come! A prova Eu dei quando entrei na sala onde os Meus Apóstolos estavam reunidos (Lc. 24,39-43). Junto com eles comi do pão que estava sobre a mesa e bebi também do mesmo vinho. Vida plena, filho amado, quer dizer vida estável, eterna, que tem um corpo incorruptível e sem mais a mancha do pecado e continua recebendo alimentos puros e sadios, porque sem alimento ninguém pode sobreviver. [Jesus] MÁXIMAS QUE NINGUÉM DEVE ESQUECER: 1 – Perdida a alma, tudo está perdido. 2 – Deus me ver, Deus me escuta, Deus me há de julgar. 3 – De que serve ao homem ganhar o mundo inteiro, se depois perde sua alma? 4 – Deus é meu Pai, meu Benfeitor: como poderei ofendêLo? 5 – Não há paz, não há felicidade para quem vive em pecado mortal. 6 – Num instante se peca, morre-se e vai-se para o inferno. 7 – Um momento de prazer... E depois... Uma eternidade de sofrimentos. 8 – Ninguém se salva sem sofrer, sem fazer muitos esforços. 9 – Ai do mundo por causa dos seus escândalos! 10 – A Oração, a Confissão e a Santa Comunhão com devoção a Nossa Senhora, são os grandes meios de salvação. 108

11 – Rezai todos os dias, de manhã e à noite três Ave Marias em honra a Virgem Maria. 12 – Casados, vosso Sacramento é Santo, não o profaneis pelo pecado do adultério. 13 – Pais, vossa maior obrigação é educar cristãmente os vossos filhos, casa de pai escola de filhos. 14 – Filhos, sêde obedientes a vossos pais, são os representantes de Deus. 15 – Jovens, rezai para acertar com vosso estado de vida, e não esqueçais que namoros criminosos vos preparam um casamento infeliz. 16 – Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, fazei que perseveremos em praticar o que Jesus e Maria nos pedem na Bíblia, e nas Santas mensagens da A Palavra Viva de Deus. O SEGREDO DE MARIA Trabalhe e reze. Fique em silêncio, reze, ame e reze. Escute e reze. Não discuta, não queira ter razão: Cale-se. Não julgue, não condene: Ame. Não olhe, não queira saber: abandone-se. Não arrazoe, não entre na profundidade dos problemas: Creia. Não se agite, não procure fazer: Reze. Não se inquiete, não se preocupe: Tenha Fé. Quando você fala, Deus se cala e você diz coisas equivocadas. Quando discute, Deus é esquecido e você peca. Quando você argumenta, Deus é humilhado e você pensa em coisas vãs. Quando você se apura, Deus é distanciado e você tropeça e cai. Quando você se agita, Deus é lançado fora e você fica na obscuridade. Quando você julga o irmão, Deus é crucificado e você se julga a si mesmo. Quando você condena o irmão, Deus morre e você se condena a si mesmo. Quando desobedece, Deus fica distante e você morre. 109


A LUTA CONTRA O MAL

ORAÇÕES QUE O DEMÔNIO NÃO SUPORTA

Aqui, então, é o trabalho do Salvador. Jesus veio "para destruir as obras do diabo" (1 João 3,8), para nos libertar o homem da escravidão de Satanás e estabelecer o reino de Deus, depois de ter destruído o reino de Satanás. Então, tem uma importância muito especial episódios em que Jesus liberta os possuídos por demônios. Quando São Pedro resume na frente do centurião pagão Cornélio a obra de Cristo, não menciona outros milagres, mas apenas o fato de haver libertado "todos os que estavam sobre o poder do diabo" (ATO 10, 38). Entendemos, então por que o primeiro poder que Jesus dá aos Apóstolos é aquele de expulsar demônios. (Mt 10,1). Mas entre a primeira vinda de Cristo e a Segunda Vinda (a segunda vinda triunfal de Cristo como Juiz) o diabo tenta atrair para si mais pessoas que puder; é uma luta que leva ao desespero, sabendo que ele já está derrotado, e sabendo que lhe resta pouco tempo. (Apocalipse 12,12). Assim São Paulo nos diz francamente, que a nossa batalha não é contra criaturas de carne e sangue, mas contra os principados, contra as potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra os espíritos do mal nas regiões celeste. (Efésios 6,12). É também clara: Jesus triunfou sobre Satanás através de seu sacrifício na cruz, mas mesmo antes, através de seu ensinamento: “Se eu expulso os demônios pelo dedo de Deus”significa que já chegou para vocês o Reino de Deus. (Lucas 11, 20) Derrotado por Cristo, Satanás luta em contra seus seguidores, ou seja, os cristãos. A luta contra os maus espíritos malignos continua e vai durar, como diz o Senhor, até o último dia. (GS 37). Durante este tempo, cada um é colocado num estado de luta, sendo a vida terrena uma prova de lealdade, fidelidade a Deus. Assim os fiéis devem se esforçar para permanecer firmes contra as ciladas do diabo e resistir-lhe. Antes de reinar com Cristo na glória, acabado curso de nossa vida terrestre (não há outra evidência!) compareceremos todos diante do tribunal de Cristo, para relatar o que cada um fez na sua vida mortal, ou bem ou mal, e no final do mundo ouvirão: aqueles que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida, e aqueles que tiveram feito o mal para a ressurreição da condenação (LG 48).

Não suportam a Santa Missa; Não suportam a reza do Rosário; Não suportam a oração a São Miguel; Não suportam a oração a São José; Não suportam a consagração a São Miguel Arcanjo; Não suportam a sequência para o Espírito Santo; Não suportam a oração da Salve Rainha; Não suportam: Liberta-me do mal; Eles não podem suportar: a oração contra a bruxaria; Não suportam o terço da misericórdia; Não suportam a Consagração a Virgem Maria; Não suportam a oração a Coroa a Deus Pai; Não suportam as vésperas; Não suportam a oração de libertação a Jesus; Oração a Augusta Rainha dos Anjos; Não suportam esta oração; Não suportam a oração da coroinha de Santo Antônio; não suporta o rosário e a oração Liberta-me do mal; não suporta a Coroa ao Preciosíssimo Sangue de Jesus; não suporta a oração a São Biagio; não suporta a oração a São José, a oração a São Miguel e o santo rosário; não suporta a oração ao Espírito Santo;

110

TUDO INSTAURAR EM CRISTO DEFENDEI-NOS DO INIMIGO PEQUENO MANUAL PARA O BOM COMBATE Filho, falei-te da vida destes seres imundos, completamente centrados no mal. Eles são o mal. E são as origens e causa de todo o mal. Odeiam Deus que é o bem e odeiam todos aqueles que realizam o bem. Eis a razão porque os bons estão sujeitos a tantas dificuldades, que, entretanto os maus não reconhecem. Isto que para muitos é um mistério, é uma coisa fácil de compreender: eles odeiam a luz e a verdade. Eles são treva e erro e estão fixados na obscuridade e no erro. Saíram do inferno e cobrem a Terra e na Terra instalaram-se 111


em toda a parte; a sua aspiração suprema é entrar é na alma e no corpo do homem para o obscurecer, o desviar e o dominar e por fim o levar à perdição eterna. Não tem outra finalidade além desta porque só assim satisfazem o seu ódio contra Deus e contra a humanidade. Se os homens e em particular os cristãos não tiverem uma consciência clara desta terrível realidade, do grande perigo que constituem para eles estas potências do mal, arriscam-se à condenação eterna. Jesus aos Seus Sacerdotes e Fiéis, III/IV volume, 1983 O pecado dá, por seu lado, ocasião à intervenção ativa, em nós e no nosso mundo, de um agente obscuro e inimigo – o demônio. O mal não é só uma deficiência, mas também uma força ativa, é ação de um ser vivo espiritual, pervertido e perversor. Terrível, misteriosa e inquietante realidade! Papa Paulo VI em 15/11/1972. O MALÍGNO E AS DEFESAS DOS HOMENS A INTELIGÊNCIA DE S.S. LEÃO XIII Num tempo em que o mundo se inclina perigosamente para o Maligno e em que as almas mais atacadas dificilmente conseguem ajuda, há que lembrar a todos a poderosa oração escrita a mandada publicar por Sua Santidade Leão XIII, um gigante de Sabedoria entre os grandes Pontífices da Igreja Católica Romana. Não foi por mero acaso que ele ordenou a publicação de tal oração para ser rezada por sacerdotes e leigos. Foi um tempo de intenso ataque à Igreja, no final do Século passado, que o Papa Leão XIII deu autorização aos leigos para utilizar o “segundo formulário do Ritual”, sempre que se tratasse de uso privado. Os sacerdotes receberam a mesma autorização e Sua Santidade insistiu que estes se servissem dele freqüentemente; se possível, todos os dias”. Pressentindo um tempo conturbado para os fiéis e para a Igreja, prevendo a ação multifacetada do maligno, o Papa publicou essa salutar oração contra a Besta e completou o seu plano de defesa com outras orações: a oração a São Miguel, a oração a São José e as orações no fim da Missa. As suas Encíclicas, notáveis a todos os títulos, fulminaram as primeiras manifestações do diabo nas sociedades, condenaram o comunismo, o socialismo, o libera112

lismo e vibraram fortes machadadas nas seitas secretas, especialmente na Maçonaria, câmara de choco dos males da humanidade, que reúne e organiza para o trabalho de sapa e destruição os admiradores e adoradores de falsa luz-Lúcifer. A INFESTAÇÃO A infestação ocorre quando os demônios estão presentes fora de objeto, mas aplicando a sua força nos seus contornos como que criando uma rede envolvente. Podem manipulá-lo, deslocá-lo, produzir maus cheiros, criar ilusões, produzir sons e outros tipos de alucinações, chegando a ponto de alterar ou travar o desenvolvimento natural dos seres. As infestações podem declarar-se em objetos como casas, livros, alimentos, estatuetas e até searas ou animais. Nos campos infestados, os cereais não crescem e definham sem haver explicação para tal. Os animais infestados enfraquecem ou têm comportamentos estranhos. Mas as infestações podem alcançar as pessoas, o seu pensamento e as suas atividades, levando-as a ações incompreensíveis, a estados depressivos ou até mesmo a visões, audições e sensações falsas. A pessoa infestada, sobretudo mentalmente, raramente reconhece que o está, dado que não descobre nenhuma força estranha em si mesma, mas encontra-se realmente coberta por uma força que a “circunscreve”, e lhe impõe por graus subtis crescentes, umas crenças e umas idéias novas sobre coisas, pessoas, lugares, famílias, atividades ou teorias. Alguns exorcistas experimentados têm descoberto por de trás das doenças, estados histéricos, desordem mental e até paixões, a presença sutil e sistemática do maligno. Nestes casos, as forças diabólicas estão no exterior dos corpos, mas abraçam os seus contornos e forças, envolvendo nas suas redes o espírito, a inteligência ou as potências superiores da pessoa, atingindo muitas vezes as suas relações sociais e frações de sua esfera vital. De fato, a presença diabólica ativa tem forçosamente de afetar o ser humano de uma forma ou de outra e, como seu ódio é inextinguível, toda a sua ação se orienta para o controle da pessoa, se não fisicamente, pelo menos ao nível da mente. 113


O ENVOLVIMENTO A infestação apresenta ainda uma categoria que é o envolvimento. Como indica o termo, a pessoa encontra-se com o corpo e o espírito envolvidos em uma fina rede de força, que tende a dificultar-lhe a ação e o pensamento, arrastá-la para a inatividade ou para o mal. A grande vidente Ana Catarina Emmerich dá uma descrição do ponto onde opera a rede de forças diabólicas, declarando que ela age sobre um “fluído infinitamente subtil, que se chama forças vitais, que na realidade pertencem ao corpo, mas que são semelhantes à natureza da alma, que formam o primeiro e o principal instrumento da sua atividade vital”. Ao chegarem à penetração e eventual controle dessas forças vitais, as entidades malígnas passam a possuir canais de ação para a alma e para as funções superiores da mente. Grandes partes dos envolvimentos, que podem causar grande dano às pessoas com sensações de doenças, cansaço, irritação, desânimo, perturbação mental ou inquietação, são originadas pelo envio propositado de forças maléficas, por homens dados à bruxaria ou organizações apostadas na destruição das almas. Os bruxedos, os sortilégios, as más vontades, as cultuações do diabo em Missas Negras e outras cerimônias, catapultam sobre pessoas, famílias, cidades e paíes, as hordas saídas do inferno, que se encarniçam contra a alma e o corpo daqueles que tiveram a fortuna ou o infortúnio de estar nas listas das seitas, como inimigos ou de chamar a atenção por algum dom invejável. Por outro lado, não é raro que movidas pela curiosidade ou pelo desespero, as pessoas se tenham entregues a práticas maléficas, ao espiritismo, à magia, ao esoterismo, e até ido consultar bruxos e feiticeiros. Ações deste gênero só podem levar a fortes infestações das pessoas e famílias, agravar os males em vez de os curar, podendo muitas vezes dar origem a verdadeiras possessões em que o Diabo requer os seus direitos. A OBSESSÃO Um segundo grau é a obsessão, em que a força maligna se releva à pessoa por sugestão constante físico-mental. As pessoas assim atacadas estão permanentemente sob a pressão de um 114

pensamento ou tendência exacerbada, que repercute incontrolável de origem maléfica a que a pessoa cedeu. Em muitas neuroses e doenças depois ao nível dos nervos e do corpo. Muitas paixões e vícios baixos começam por uma obsessão mental, tem na sua base esta raiz. Um médico diretor de uma clínica psiquiátrica confidenciou a um esclarecido autor francês que “se os sacerdotes fizessem no meu hospital os exorcismos da Igreja estou certo que cinqüenta por cento dos doentes ficariam bons”. Realmente, com base na experiência de muitos investigadores, pode-se dizer que os demônios atacam o corpo tal como a alma nos pontos mais frágeis, e as desordens psicossomáticas são, às vezes, o sinal de uma presença maligna que incomoda e pretende destruir o corpo e a mente da pessoa atacada. O exorcismo de Leão XIII recitado repetidamente sobre a pessoa, vários dias seguidos, pode obter melhoras assinaláveis e até eliminar a obsessão ou a presença maligna. Há, no entanto, que eliminar da casa e do ambiente das pessoas afetadas tudo o que represente um culto aos demônios ou uma cedência às suas sugestões no mundo: estatuetas de culto pagão como budas, máscaras demoníacas, amuletos (chifres, punhos fechados, ferraduras, etc.), desenhos de monstros, cartas astrológicas, cartazes de conjuntos musicais ou de artistas luciferinos, livros espíritas, enfim, tudo aquilo que significa e é um espaço demoníaco no lar, um convite aberto à presença de potestades maléficas. A TENTAÇÃO Finalmente, a Tentação, que significa prova. É uma incitação ao mal que encontra eco nas tendências naturais do homem. Muitas tentações vêm de uma interpelação do mundo, da concupiscência da carne e do espírito, enfim, das paixões. Porém, direta ou indiretamente, está o poder demoníaco. Diz Santo Agostinho “O demônio ilude-nos com a sombra das coisas passageiras; com as ilusões nos engana e, ao enganar-nos, provoca-nos a morte”. Os demônios tentam-nos para confirmar as nossas debilidades e, depois, dirigem para ali todos os seus esforços, aproveitando todas as circunstâncias. A recomendação geral é resistir nos princípios da tentação, não a deixado crescer nem ficando ocioso; por isso, a mente 115


deve lançar-se para outros pensamentos, insistir na oração, nas jaculatórias e, se preciso recorrer a jejuns. É muito encorajante considerar que Deus está a ver o combate e que não deixará de ajudar e premiar quem a Ele humildemente recorre, pondo em prática uma resposta adequada. Assim a tentação confirmará o santo e, como diz o salmista “O mal que ele causou, voltará sobre a sua cabeça; e sua iniquilidade recairá sobre a sua fronte”. São Paulo na sua carta aos Efésios mostrava a correlação direta entre o pecado e a presença do Diabo no pecador. São dele estas terríveis palavras que bem merecem meditação atenta nestes dias de hoje. “Não pequeis. Não se ponha o sol sobre vosso ressentimento. Não deis lugar ao demônio”. O que o apóstolo sublima é fundamental; quem se vende ao demônio pelo pecado não o pode combater ou desalojar porque já o aceitou no fundo da sua mente e do seu coração. Daí que a oração do pequeno exorcismo se deva ser rezada por almas em estado de graça, por pessoas livres da tirania do diabo, enfim, as almas na amizade de Deus. Torna-se evidente que pessoas em pecado mortal, ou seja, na posse do inferno, estão longe de combater os poderes do inferno. O escravo obedece ao seu senhor e o escravo do Diabo, submetido pelo pecado, não pode desafiá-lo e muito menos enfrentá-lo. Daí que para rezar esta oração seja necessário grande fé, grande humildade, e uma consciência tranqüila e limpa, uma alma em amizade com Deus. Assim poderá expulsar a sombra maligna que perturba a vida pacífica e com isso dar grande glória a Deus. Porém, para lá disto, é claríssimo que o espaço demoníaco no lar e nas mentes deve ceder passo a Deus e a testemunhos de amor a Ele. Por isso, para que a oração do Pequeno Exorcismo tenha eficácia plena importa que na família e no lar se efetue uma verdadeira reconversão: oração familiar do Terço, confissão mensal, comunhão freqüente e, sobretudo, procurar viver na Presença de Deus e obedecer integralmente aos Seus Mandamentos da Santa Igreja. Com outro ambiente e em grande confiança, a pequena oração da Sua Santidade Leão XIII não se limitará a ser uma arma de último recurso, mas sim uma arma de defesa da paz e da fé no lar e na família. No fundo, o pequeno exorcismo é a recapitulação das ver116

dades da fé, impondo ao demônio a fuga pela força desses mistérios. A oração de S.S. Leão XIII é, assim, também um Credo dinâmico, que exige da alma que o reza a identificação total com a força dos mistérios que anuncia; para os demônios, estes mistérios são terríveis e ameaçadores, enquanto para os homens os mistérios são salutares e fonte de fortaleza. As almas muito atacadas intuíram esta verdade quando, em certas circunstâncias ameaçadoras, rezam com força o Credo e recapitulam, com amor, todas as Santas Verdades que nos revelou Nosso Senhor. Ora, o pequeno exorcismo solicita essa graça contida nos mistérios e confere-lhe uma força de ataque incalculável. Por isso se diz que a eficácia da oração de S.S. Leão XIII depende, em muito, de quem a reza; da sua fé nos mistérios, da sua conformação com Vontade de Deus, da sua humildade e confiança, enfim, das suas virtudes. O PODER DE EXPULSAR O poder de expulsar os demônios pertence, como se sabe, a Igreja católica, hierárquica, institucional, fundada e chefiada pela sua cabeça invisível, Cristo Jesus. São Lucas conta-nos no capitulo IX que Jesus “tendo convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios”, ou seja: confiou este poder aos Bispos e à instituição Eclesial. Porém, não é só o Grande Exorcismo, público, oficial e solene, que extrai a sua força e a sua divina eficácia dos poderes conferidos à Igreja pelo Rei dos Reis. Também o pequeno Exorcismo de S.S. Leão XIII, de uso corrente para leigos e sacerdotes na forma privada, extrai a sua divina eficácia e poder do seu valor de grande oração, autêntica e oficial, da Igreja institucional, hierárquica, instituída e confirmada no Sangue do Redentor. A Igreja é, pois, a única instituição munida do poder e da autoridade de Cristo em matéria do Exorcismo, como em todos os outros assuntos da sua esfera. A Igreja está, portanto habilitada a agir em nome de Cristo, bem assim com todos os seus ministros devidamente autorizados. Estes agem em nome da Igreja e, por conseguinte, em nome de Cristo. Mas também toda a alma sincera e limpa pode e deve invocar o nome de Cristo e agir então por força deste Nome, sustentada pela força de Cristo. 117


O AUXÍLIO DA RAINHA DOS ANJOS Há, no entanto, mesmo para almas muito perfeitas e determinadas, situações resistentes em que os demônios não parecem ser afetados ou até se escondem e disfarçam para não serem notados. Também os próprios discípulos do Senhor falharam perante um demônio surdo-mudo, como fica claro no evangelho de São Mateus. Cristo expulsa-o depois comenta: “Esta casta, coisa nenhuma a pode expulsar, a não ser a oração e o jejum”. Contudo, também aí afirma: “tudo é possível àquele que acredita!” (Mc. 9, 1429). Em casos muito resistentes há que recorrer a sacerdotes experientes ou a graças extraordinárias, como a bênção do Santo Lenho. Em Vera Cruz, no Alentejo, existe um fragmento da Verdadeira Cruz do Senhor e muitos possessos viram-se libertos dos demônios depois de benzidos com aquela relíquia. Esta passagem chama a atenção para a necessidade de jejum, muito eficaz contra o Maligno. Nesta Terra em que, como dizia Paulo VI, “o demônio adquiriu um certo poder sobre o homem”. Veio recentemente Nossa Senhora pedir dias de jejum aos seus filhos, nas suas revelações da Hungria (Chamada de Amor). Ela acentua a necessidade do jejum. Eis como se pode também, seguindo o conselho de Jesus, combater e vencer, dando ainda acolhimento às palavras da nossa Mãe do Céu, que nos vem lembrar a necessidade de submeter o corpo e dominar as paixões inferiores. A Santíssima Virgem é uma preciosa ajuda porque Ela é, por excelência, o adversário de satanás. É bom invocá-la antes do Exorcismo, com a Oração à Rainha dos Anjos. Na imponentíssima aparição de La Salette, de 1846, Nossa Senhora disse a Mélanie que a partir do ano de 1864 os demônios espalhar-se-iam sobre a terra. Esta afirmação é da maior importância para perceber profundamente o tempo que estamos a viver, em que as forças maléficas dispõem de tantos recursos e poder. Ora, a 13 de Janeiro desse famoso ano de 1864, o Padre Louis Cestac teve a visão “das devastações inexprimíveuis” provocadas pelos demônios na terra. Nossa Senhora ditou-lhe então uma oração que se espalhou por todo o mundo católico. Foi recomendada expressamente por S.S. Pio IV e enriquecida com indul118

gências pelos Grandes Papas (autênticos gigantes) Leão XIII e S. Pio X. Essa oração é conhecida como “Oração à Rainha dos Anjos”. Rezemo-la então com confiança antes de principiar o pequeno exorcismo e nas circunstâncias da vida, pedindo a essa doce Rainha que venha depressa em nosso auxilio. 2. PEQUENO EXORCISMO DE S.S. LEÃO XIII (Publicado por sua ordem em 1884, para uso público e privado, por parte de sacerdotes e leigos) Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém. (Segurar um crucifixo até o fim do exorcismo) ORAÇÃO A S. MIGUEL ARCANJO (de joelhos) Gloriosíssimo Príncipe dos Exércitos celestes, S. Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate contra os principados e as potestades, contra os chefes deste mundo de trevas, contra os espíritos malignos espalhados pelos ares (Ef. VI, 10-12). Vinde em auxílio dos homens que Deus fez à Sua imagem e semelhança, e resgatou com grande preço da tirania do Demônio (Sab. II, 23-24; I Cor. VI, 20). É a vós que a Santa Igreja venera como seu guardião e patrono, vós a quem o Senhor confiou as almas resgatadas para as introduzir na felicidade celeste. Suplicai, pois, ao Deus da Paz, que esmague Satanás sob os nossos pés a fim de lhe tirar o poder para prejudicar a igreja. Apresentai ao Altíssimo as nossas orações para que depressa desçam sobre nós as misericórdias do Senhor. E sujeitai a antiga serpente – que não é outro senão o Diabo ou Satanás – para o precipitar encadeado nos Abismos, de modo que não possa, nunca mais, seduzir as nações. (Apoc. XX, 3). EXORCISMO (de pé) Em nome de Jesus Cristo, nosso Deus e Senhor, com a intercessão da Imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus, de S. Miguel 119


Arcanjo, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, e de todos os santos, apoiados na autoridade sagrada: da Santa Igreja Católica (para os leigos) do nosso ministério (para os sacerdotes) nós empreendemos, com confiança, a batalha para afastar os ataques e as emboscadas do Demônio. SALMO Levanta-se o Senhor e sejam dispersos os seus inimigos! Fujam diante d'Ele aqueles que O odeiam! Desvaneçam como se desvanece o fumo. E como se derrete a cera ao fogo, assim pereçam os pecadores diante do rosto de deus (Salmo 67, 2 e 3). V. Eis a Cruz do Senhor, fugi potências inimigas! R. Venceu o leão da tribo de Judá, o descendente de David. V. Que a Tua misericórdia, senhor, seja sobre nós! R. Como nós esperamos em Ti. Nós te exorcizamos, espírito imundo, potência satânica, invasão do inimigo infernal, legião, reunião ou seita diabólica. Em nome e pela virtude de Nosso Senhor Jesus Cristo, sejas desarreigado e expulso da Igreja de Deus, das almas criadas à imagem de Deus e resgatadas pelo precioso Sangue do Divino Cordeiro. Desde este momento, não te atrevas mais, pérfida serpente, a enganar o gênero humano, perseguir a Igreja de Deus e sacudir e joeirar como o trigo os eleitos de Deus. Manda-to o Deus Altíssimo , ao qual, na tua grande soberba, presumes ainda ser semelhante. Ele “que deseja que todos os homens se salvem e conheçam a verdade”. (I Tim. II, 4). Manda-to Deus Pai Manda-to Deus Filho Manda-to Deus Espírito Santo Manda-to o Cristo, Verbo Eterno de Deus feito carne . Ele que para salvação da nossa progênie perdida por tua inveja – se humilhou e “tornou obediente até a morte” (Fil. II, 8) Ele que edificou a Sua Igreja sobre pedra firme e prometeu que as portas do inferno não prevaleceriam jamais contra Ela, querendo permanecer com Ela “todos os dias até o fim do mundo” 120

(Mat. XXVIII, 20). Manda-to o sinal sagrado da Cruz , e a virtude de todos os mistérios da nossa Fé Cristã . Manda-to a poderosa Mãe de Deus, a Virgem Maria, que desde o primeiro instante da sua Imaculada Conceição, pela sua humildade esmagou a tua cabeça orgulhosa. Manda-to a fé dos santos Apóstolos Pedro e Paulo, e dos outros apóstolos . Manda-to o sangue dos mártires e a piedosa intercessão de todos os Santos e Santas . Então, dragão amaldiçoado e toda a legião diabólica, nós te esconjuramos: Pelo Deus Vivo, pelo Deus Verdadeiro, pelo Deus Santo, pelo Deu que tanto amou o mundo que lhe deu Seu único Filho, para que quem creia n'Ele não pereça, mas tenha a Vida Eterna (Jô, III, 14 e 15): CESSA de enganar as criaturas humanas e de derramar sobre elas o veneno da condenação eterna: CESSA de danificar a Igreja e de armar laços à sua liberdade. VAI-TE Satanás, inventor e mestre de enganos, inimigo da salvação dos homens. CEDE o lugar a Cristo, em Quem não encontraste nada das tuas obras; CEDE o lugar à Igreja –Una, Santa, católica e Apostólica –que o próprio Cristo adquiriu com o Seu Sangue. HUMILHA-TE sob a poderosa Mão de Deus; treme e foge à invocação, feita por nós, do Santo e terrível nome de Jesus que faz tremer o inferno; a Quem as Virtudes dos Céus, as Potestades e as Dominações estão submissas; e que os Querubins e os Serafins louvam sem cessar dizendo: “Santo, Santo, é o Senhor o Deus dos Exércitos”. V. Senhor ouvi a minha oração. R. E cheque a Vós o meu clamor. V. O Senhor esteja convosco (para os sacerdotes) R. E contigo também. Estar dizendo: “Santo, Santo, é o Senhor o Deus dos Exércitos”. 121


ORAÇÃO FINAL (de joelhos) Oremos: Deus do Céu, Deus da Terra, Deus dos Anjos, Deus dos Arcanjos. Deus dos Patriarcas, Deus dos Profetas, Deus dos Apóstolos. Deus dos Mártires, Deus dos confessores, Deus das virgens. Deus que tendes o poder de dar a vida depois da morte, o repouso depois do trabalho; Porque não há outro Deus senão Vós; e não pode haver outro a não ser Vós; o Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis, cujo Reino não terá fim; Com humildade suplicamos que a Vossa Gloriosa Majestade se digne livrar-nos poderosamente, e guardar-nos sãos e salvos de todo o poder, laço, mentira e malvadez dos espíritos infernais. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém. Das emboscadas do Demônio, livra-nos Senhor. V. Dignai-vos conceder à vossa Igreja a segurança e a liberdade para Vos servir. R. Nós Vos suplicamos, ouvi-nos Senhor. V. Dignai-vos humilhar os inimigos da Santa Igreja. R. Nós Vos suplicamos, escutai-nos Senhor. (Aspergir com água benta as pessoas e o lugar). INVOCAÇÃO DA BÊNÇÃO DE DEUS (do Livro das Horas) Visitai, Senhor, esta morada e afastai dela as ciladas do inimigo; habitem nela os vossos Santos Anjos e nos guardem em paz; e a vossa bênção esteja sempre conosco. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. NOTA: O Sacerdote no lugar da faz o sinal da Cruz diante de si, sobre as pessoas ou objetos. As outras pessoas fazem o sinal da Cruz sobre si mesmas. 3. O TERÇO DE S. MIGUEL A IMPORTÂNCIA DOS ANJOS 122

Sendo os Anjos espíritos puros que derrotaram os espíritos malignos (e que Deus destinou para nosso auxílio nos perigos da vida), é bom e salutar lembrá-los, invocá-los e tudo fazer para nos associarmos a eles no louvor do Altíssimo e no combate espiritual. São Miguel tem um lugar destacado junto de Deus e a sua devoção dá muito consolo e coragem. Para lá das orações que o povo católico lhe costuma dirigir em suas tribulações, tem-se difundido um “Terço” que consiste num conjunto de nove invocações ao Arcanjo Miguel e a cada um dos nove Coros angélicos (Serafins, Querubins, Tronos, Dominações, Potestades, Virtudes, Principados, Arcanjos e Anjos) pedindo graças especialíssimas. Em cada invocação reza-se um Pai Nosso, três Ave-Marias, como está indicado na primeira invocação. O “Terço” com estas nove invocações foi inspirado a Antonia de Astonaco e o Arcanjo prometeu a quem o honrasse deste modo a sua ajuda e a dos santos anjos nesta vida e na outra. Na verdade, as nove saudações rememoram as criaturas angélicas, criadas por Deus, honrando-as quando quase ninguém se lembra de sua existência e dos seus serviços aos homens. E, na realidade, os anjos assistem com sua potência aqueles que os invocam com confiança e amor. Mais que um “Terço de S. Miguel” está-se de fato a recitar um “Terço dos Anjos”, elevando àqueles espíritos puros um hino que não deixarão de escutar. Escreveu Santo Agostinho: “O demônio quereria importunar-nos muitas vezes, mas não pode, porque o seu poder está subordinado a outro Poder. Se o demônio pudesse prejudicar-nos tanto quanto quer, não haveria já justos na terra”. E a chamada Ancilla Domini, Matilde, Taller, que desfrutou de uma enorme intimidade com os anjos, chegando a conhecê-los pelos seus nomes, anotou estas idéias: “Honramos tão pouco os anjos! A principal razão é muito simples: nós não o conhecemos ou então conhecemo-los muito pouco. Para honrar e amar alguém é preciso conhecê-lo primeiro. Se conhecêssemos a grandeza sublime dos anjos, a sua perfeição, a intimidade das suas relações com Deus, os seus privilégios e potência, punhamo-nos a honrá-los naturalmente. E se soubéssemos para mais quanto eles nos amam em Deus, de que viva afeição rodeiam a nossa alma, pois foram testemunhas do maior ato de amor que jamais existiu: aquela morte que, livremente, 123


sofreu Jesus Cristo, o Filho Único de Deus. Sabem assim qual o preço infinito que o próprio Deus pagou por cada alma”. O Terço dos Anjos ajuda a conhecer estes nossos grandes amigos e leva a alma a uma maior compreensão dos Mistérios do Altíssimo. A ORIGEM DO TERÇO A origem da oração perde-se na história de vários séculos. Uma tradição venerável atribui o Terço a uma manifestação do próprio Arcanjo. Uma alma piedosa, cuja vida é totalmente desconhecida. Antonia de Astonaco teria tido uma aparição do glorioso Arcanjo e a tradição relata que ouviu estas palavras: - “Quero que repitas em minha honra, nove vezes um Pai Nosso e três Ave-Marias, em união com cada um dos quatro PaiNossos: o primeiro em minha honra, o segundo em honra de São Gabriel, o terceiro em honra de São Rafael e o quarto em honra de teu Anjo da Guarda”. O glorioso Arcanjo prometeu que quem o honrasse desta maneira seria acompanhada à Comunhão por um Anjo dos nove Coros. Prometeu também a quem rezasse todos os dias estas nove saudações a sua assistência e a dos Anjos durante a sua vida e que depois da morte o livraria do Purgatório a ele e aos seus parentes. Aos Pai-Nossos e Ave-Marias foram mais tarde acrescentadas algumas invocações a São Miguel e a cada um dos nove coros angélicos, uma Antífona e uma oração final. É ao conjunto dessas fórmulas que estão ligadas as indulgências da Igreja e exige-se ainda que se use um terço especial*. As pessoas que não sabem ler estão dispensadas de rezar as nove saudações, a Antífona e oração, por uma disposição de setembro de 1852. Mas tudo indica que as promessas feitas por São Miguel estão simplesmente ligadas à simples recitação dos Pai-Nossos e das Ave-Marias em sua honra. MODO DE REZAR O TERÇO V. Deus vinde em nosso auxilio R. Senhor, socorrei-nos e salvai-nos 1. Pela intercessão de S. Miguel e o coro celeste dos serafins fazei-nos, Senhor, dignos de ser inflamados por uma perfeita caridade. Amém. (1 Pater e 3 Ave). 124

2. Pela intercessão de S. Miguel e do coro celeste dos Querubins concedei-nos, Senhor, a graça de abandonarmos a estrada do pecado e trilharmos a estrada da perfeição cristã. Amém. (Idem). * Indulgências: 7 anos e 7 quarentenas cada vez que se recitar o Terço; 100 dias cada dia que se traga o Terço ou se beije a sua medalha; indulgência plenária na festa das Aparições de S. Miguel (8 de Maio), da Dedicação da São Miguel (29 de setembro), de S. Gabriel (24 de Outubro) e dos Santos Anjos da Guarda (2 de Outubro), nas condições costumadas. As indulgências foram concedidas por S.S. Pio IX em 8 de Agosto de 1851. ** Segundo o folheto do Santuário de S. Miguel “Lê Chapelet de Saint Michel”, Foggia, Itália. . Pela intercessão de S. Miguel e do coro celeste dos Troncos derramai, Senhor, em nossos corações o espírito de uma verdadeira e sincera humildade. Amém. (Idem). . Pela intercessão de S. Miguel e do coro celeste das Dominações dai-nos, Senhor, a Graça de podermos dominar os nossos sentidos e corrigir as nossas más paixões. Amém (Idem). . Pela intercessão de S. Miguel e do coro celeste das Potestades, guardai, Senhor, as nossas almas das emboscadas e tentações do demônio. Amém. (Idem). . Pela intercessão de S. Miguel e do coro admirável das Virtudes celestes concedei-nos, Senhor, a graça de não sermos vencidos no combate perigoso das tentações e livrai-nos do mal. Amém. (Idem). . Pela intercessão de S. Miguel e do coro celeste dos Principados enchei, Senhor, as nossas almas com o espírito de uma verdadeira e sincera obediência. Amém. (Idem). . Pela intercessão de S. Miguel e do coro celeste dos Arcanjos concedei-nos, Senhor, o dom da perseverança na fé e boas obras, para podermos chegar à glória do Paraíso. Amém. (Idem). . Pela intercessão de S. Miguel e do coro celeste dos Anjos concedei-nos, Senhor, que estes espíritos bem-aventurados nos guardem durante esta vida mortal, para nos conduzirem depois à glória eterna do Céu. Amém. (Idem). P.N. em hora de S. Miguel; 1 P.N. em hora de S. Gabriel; P.N. em hora de S. Arcanjo; 1 P.N. em hora do Anjo da Guarda; 125


Antífona: Oh gloriosíssimo São Miguel, chefe e príncipe das milícias celestes, guarda fiel das almas, vencedor dos demônios, favorito da Casa de Deus, vós que acima de todos os anjos sois admirável protetor nosso, dotado de sobre-humana excelência e virtude, dignai-vos livrar-nos de todos os males já que a vós recorremos com toda a confiança e alcançai-nos com a vossa incomparável proteção que avancemos cada dia na fidelidade em servir a Deus. V. Rogai por nós, ó bem-aventurado São Miguel, Príncipe da Igreja de Jesus Cristo. R. Para que sejamos dignos das suas promessas. Oremos: Deus Todo-poderoso e Eterno, que por um prodígio de bondade e misericórdia para a salvação comum dos homens escolhestes para defensor da Vossa Igreja o glorioso Arcanjo São Miguel, fazei, nós vos suplicamos, que sejamos dignos de ser libertados pela sua benéfica proteção, de todos os nossos inimigos e que nenhum deles possa inquietar na hora da nossa morte; e que nos seja concedido ser por ele conduzidos à presença da Vossa excelsa e Divina Majestade. Pelos méritos de Jesus Cristo, Nosso Senhor. Amém. 4. OUTRAS INVOCAÇÕES AOS ANJOS INVOCAÇÃO AOS SANTOS ANJOS Deus Onipotente e eterno, concedei-nos o auxilio dos vossos exércitos celestes, para que, por eles, sejamos preservados dos terríveis ataques do espírito maligno. Pelo Precioso Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo e intercessão da Santíssima e Imaculada Virgem Maria pedimo-vos que nos livreis de todo o perigo para que possamos servir-Vos em paz. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, que é Deus convosco, na unidade do Espírito Santo. Amém. ORAÇÃO DIÁRIA DO ANJO DA GUARDA Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, pois que a ti me confiou a Piedade Divina hoje e sempre me governa, rege, guarda, defende e ilumina. Amém. 126

CONSAGRAÇÃO A SÃO MIGUEL ARCANJO Gloriosíssimo Príncipe das hierarquias angélicas, valente arauto de Deus Altíssimo, zeloso campeão da glória do Senhor, terror dos anjos rebeldes, amor e delícia dos Anjos fiéis, meu diletíssimo Arcanjo São Miguel, desejando pertencer ao número dos vossos devotos e servos, hoje me ofereço a Vós, dou-me e consagro-me a Vós. Coloco a minha pessoa, a minha família e os meus bens sob a vossa potentíssima proteção. É muito pouca coisa a oferta que vos faço, sendo eu um miserável pecador, mas não duvido que quereis aumentar o fervor no meu coração e proteger aquele que a vós recorre. Recordai aquele que agora se coloca sob o vosso patrocínio e de hoje em diante protegei-me, assisti-me em todas as dificuldades da minha existência terrena, alcança-me o perdão dos meus muitos e graves pecados, a graça de amar de todo coração o meu Deus, o meu doce Salvador Jesus e a minha doce Mãe Maria, e impetrai-me os auxílios necessários para obter a coroa da glória. Defendei a minha alma contra todos os seus inimigos e quando chegar a hora de deixar este mundo, vinde então, Príncipe Gloriosíssimo, assistir-me na luta final e que o vosso gládio potente afaste para longe, para os abismos da morte e do inferno, o anjo apóstata e soberbo que derrotaste em combate no Céu. Amém. INVOCAÇÃO AOS ARCANJOS S. MIGUEL (S.S. Leão XIII) S. Miguel Arcanjo, protegei-nos no combate, cobri-nos com o vosso escudo contra os embustes e ciladas do demônio. Que Deus lhe impere, instantemente o pedimos. E vós, Príncipe da Milícia Celeste, pelo poder divino, precipitai no Inferno a Satanás e aos outros espíritos malignos, que vagueiam pelo mundo para perder as almas. Assim seja. INVOCAÇÃO AOS ANJOS GUARDIÃES (Padre Puente SJ) Graça a vós dou, ó espíritos bem-aventurados, pelo cuidado com que vindes em minha defesa, pois não sereis menos vigilantes em defender-me que os demônios em perseguir-me, nem será menos profunda a vossa caridade para o meu bem, que a sua maldade para o meu mal. E já eles como leões andam rugindo, cercan127


do-me por todos os lados pra me devorar, vinde também, ó espíritos de Fortaleza, fazer um círculo à minha volta para me defender, pois vossas será a honra, se com a vossa ajuda eu alcançar a vitória. 5. OUTRAS ORAÇÕES Estas orações, tal como o pequeno exorcismo de S. S. Leão XIII, podem ser recitadas por intenção do próprio ou de outras pessoas, nomeadamente enfermos ou moribundos, obsessos e pessoas atacadas pelos espíritos malignos. BREVE EXORCISMO Em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Virgem Maria, eu vos ordeno, espíritos malignos, que vos afasteis de nós (deles) e deste lugar e que não ouseis voltar para nos (os) tentar ou nos (os) perturbar. S. Miguel Arcanjo protegei-nos no combate! Santos Anjos da Guarda protegei-nos da malícia e das emboscadas dos demônios. BÊNÇÃO Que a Bênção do Pai, o Amor do Filho, a força do Espírito Santo, a proteção maternal da Rainha do Céu, a assistência dos Santos Anjos, e a intercessão dos Santos, esteja conosco (com eles) e pertença conosco (com eles) para sempre e em toda a parte. Amém. S. Miguel Arcanjo protegei-nos no combate e da malícia e das emboscadas dos demônios. BREVE BÊNÇÃO DE SANTO ANTÔNIO (Do Ritual) Eis a Cruz do Senhor; fuji potências inimigas! Venceu o Leão da tribo de Judá, Filho de David! Aleluia! O Senhor Jesus Cristo esteja junto de nós para nos defender; dentro de nós, para nos conservar; à frente de nós, para nos guiar; atrás nós, para nos guardar; sobre nós para nos abençoar, Ele que, como o Pai e o Espírito Santo, vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém. 128

A bênção de Deus Todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre nós e permaneça para sempre. Amém. ORAÇÃO À RAINHA DOS ANJOS (do Padre Cestac) Augusta Rainha dos Céus e Senhora dos Anjos, Vós que recebestes de Deus o poder e a missão de esmagar a cabeça de Satanás, humildemente Vos rogamos que envieis as Legiões Celestes, para que às Vossas ordens, persigam e combatam os demônios por toda a parte, refreando a sua audácia e precipitandoos no abismo. Quem é como Deus? Ó bondosa e carinhosa Mãe, Vós sereis sempre o nosso amor e a nossa esperança. Ó divina Mãe, enviai os Santos Anjos em nossa defesa, afastando para longe de nós o cruel inimigo. S. Miguel e todos os Santos Anjos, combatei e rogai por nós. ORAÇÃO À MARIA AUXILIADORA (De S. João Bosco) Ó Maria, Virgem poderosa, grande e ilustre defensora da Igreja, Auxílio Maravilhoso dos Cristãos, terrível como exército em ordem de batalha, Vós que destruístes a heresia em todo o mundo, nas nossas angústias, nas nossas lutas, nas nossas aflições, defendei-nos do inimigo, e na hora da morte acolhei a nossa alma no Paraíso, Assim seja. À MARIA IMACULADA Virgem Imaculada que agradaste a Deus e foste eleita para sua Mãe, olhai benigna para nós, que imploramos o vosso potente patrocínio. A infernal serpente, contra a qual foi pronunciada a primeira maldição, continua a combater e a insidar os infelizes filhos de Eva. Vós, bendita Mãe nossa, nossa Rainha e Advogada, que desde o primeiro momento da Vossa Conceição esmagastes a cabeça do inimigo, acolhei as súplicas que, unidos convosco num só coração vos pedimos, apresentai diante do Trono de Deus, para que não 129


sejamos vitimas das insídias que nos têm armado, mas todos cheguemos incólumes ao Porto de Salvação, e entre tantos perigos a Igreja e a sociedade cristã cantem mais uma vez o hino da liberação, da vitória e da paz. Amém. V. Concedei-me a graça de Vos louvar, ó Santa Virgem. R. E dai-me força contra os vossos inimigos. V. Bendito seja Deus nos seus Santos. R. Amém. Ao vosso amparo recorremos Santa Mãe de Deus, não desprezeis as súplicas que Vos dirigimos em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. INVOCAÇÃO À CHAMA DE AMOR Mãe de Deus, derramai sobre a humanidade inteira a plenitude das graças da Vossa Chama de Amor, agora e na hora de nossa morte. Amém. 6. NOVENA AO ESPÍRITO SANTO O Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, Dom supremo concedido por Jesus Cristo Ressuscitado para a nossa conversão e santificação e edificação da Igreja. As almas desejosas de perfeição e muito provadas devem orar incessantemente ao “Santificador das almas”, o grande esquecido do povo católico e pedir-Lhe os Seus Dons e os Seus 12 frutos: Caridade, Gozo, Paz, Paciência, Benignidade, Bondade, Longanimidade, Mansidão, Fé, Modéstia, Continência e Castidade. Ele é o Bom Espírito, que procede do Pai e do Filho, o espírito de verdade e de Luz que nos ensina a rezar. . Vinde, Espírito de Sabedoria! Instruí o meu coração para que eu saiba estimar e amar os bens celestes e antepô-los a todos os bens da terra. Glória. . Vinde, Espírito de Inteligência! Iluminai a minha mente para que entenda e abrace os mistérios e mereça alcançar um pleno conhecimento Vosso, do Pai e do Filho. Glória. . Vinde, Espírito de Conselho! Assisti-me em todos os negócios desta vida instável, tornai-me dócil às Vossas inspirações, e 130

guiai-me sempre pelo direito caminho dos divinos mandamentos. Glória. . Vinde, Espírito de Fortaleza! Fortalecei o meu coração em todas as perturbações e adversidades e daí à minha alma o valor necessário para resistir a todos os seus inimigos. Glória. . Vinde, Espírito de Ciência! Fazei-me ver a vaidade de todos os bens caducos deste mundo, para não use deles senão para Vossa maior glória e salvação da minha alma. Glória. . Vinde, Espírito de Piedade! Vinde morar no meu coração e inclinai-o para a verdadeira piedade e santo amor de Deus. Gloria. . Vinde, Espírito de Temor de Deus! Repassai as minhas carnes com seu santo temor, de modo que tenha sempre Deus presente e evite tudo o que possa desagradar aos olhos da sua divina Majestade. Glória. Divino Espírito Santo, eu Vos ofereço todas as preces da Santíssima Virgem e dos Apóstolos reunidos no Cenáculo, e a estas uno todas as minhas orações, suplicando-Vos que Vos apresseis em vir renovar a face da terra. V. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado. R. E renovareis a face da terra. Oremos: Ó Deus, que instruístes os corações dos fiéis com a luz do Espírito Santo, dai-nos pelo mesmo Espírito o conhecimento e amor da justiça e que gozemos sempre da sua consolação. Amém. Ave-Maria a Nossa Senhora do cenáculo com a invocação: Rainha dos Apóstolos, rogai por nós! Defendei-nos do inimigo – É a súplica que dirigimos a Maria Auxiliadora e que não cessamos de elevar ao Céu por meio dos nossos Anjos e Santos. Tendo consciência clara de que o tempo que se vive é perigoso e cheio de ciladas para todas as almas, mas especialmente para as que guardam a fé verdadeira da Igreja de Cristo e dão testemunho da Verdade, esta publicação é uma arma de defesa para todos. Explica as devastações do Maligno e apresenta as belas e fortes orações tradicionais da Igreja e do povo católico no bom combate. Conhecimentos necessários e urgentes e orações ainda mais necessárias. Façamos nossas as palavras de São Paulo: “Não deis lugar ao demônio”. 131


A VERDADEIRA HISTÓRIA HUMANA Todos os dias os jornais despejam notícias e mais notícias em nossos olhos, e a televisão nos mostra o que acontece pelo mundo todo. Entretanto há uma história invisível e paralela, a verdadeira História do homem, que não aparece nos jornais: é a guerra feroz entre o bem e o mal, entre o céu e o inferno, desde a criação do mundo. O EXORCISMO praticado nos Evangelhos e na Igreja revela o choque entre essas duas forças: Deus e Satanás. O PRIMEIRO EXORCISMO: São Miguel e o Demônio Aconteceu antes da criação do mundo. Maria de Ágreda, vidente espanhola do século 17, nos conta como foi: Deus revelou aos anjos a criação de Jesus, Homem e Deus, e de Maria sua Mãe. Ordenou que adorassem a Jesus, Deus Encarnado, e prestassem homenagem a Maria, primeiro sacrário de Deus na terra. Lúcifer, o anjo mais belo e inteligente do paraíso, ficou enciumado. Achou que era uma humilhação para ele e para os anjos homenagear criaturas inferiores à natureza angélica. Começou a blasfemar contra Deus: “Deus está cometendo uma injustiça, elevando a natureza humana acima da natureza dos anjos. Eu sou o mais excelente e formoso anjo. É a mim que se deve essa honra. Hei de colocar meu trono lá nas estrelas e serei semelhante ao Altíssimo. Não me sujeitarei a ninguém de natureza inferior à minha. Não consentirei que alguém esteja antes de mim e seja maior do que eu.” Muitos anjos aplaudiram as palavras de Lúcifer e colocaram-se de seu lado. São Miguel intervém e responde a Lúcifer: “Quem é que pode comparar-se e igualar-se ao Senhor? Acaba com essas blasfêmias. Separa-te de nós, e vai com essa cega ignorância e maldade para as trevas e para o caos do inferno. E nós, anjos bons, espíritos do Senhor, vamos prestar reverência a esta ditosa Mulher que irá oferecer a sua carne humana ao Verbo Eterno. Vamos reconhecê-la como nossa Rainha e 132

Senhora.” Foi então que apareceu um grande sinal no céu, a Rainha dos anjos. Este sinal aniquilou a força de Satanás. E ao mesmo tempo surgiu outro sinal, o sinal do Dragão vermelho. Satanás foi despojado de seus títulos de honra, tomando uma forma horrorosa, para espanto e terror de seus sequazes, e admiração dos anjos bons. São Miguel, à frente dos seus anjos travou a grande batalha com o grito de guerra: “Quem como Deus?” (Mi-ka-él = Miguel). Satanás e os seus foram lançados no inferno. Foi o primeiro grande exorcismo, antes da criação do mundo. E também foi a primeira AVE MARIA, pronunciada no céu, por todos os anjos, saudando a CHEIA DE GRAÇA, a Mãe do Salvador. UM EXORCISMO ESPETACULAR: arcanjo São Rafael Outro grande exorcismo foi praticado pelo arcanjo São Rafael. O fato é narrado no livro de Tobias, (cap. 5 a 8). O jovem Tobias devia fazer uma longa viagem até a Pérsia, em busca de uma esposa, Sara, filha de Raquel. Mas fatos estranhos aconteciam sempre que a moça se casava. Na noite das núpcias um demônio de nome Asmodeu, que significa Destruição, matava o marido. Já tinha matado sete. Quando o pai de Sara ouviu o pedido de Tobias ficou perturbado. Até mandou seus criados cavarem a nova sepultura, durante a noite. Acontece que o companheiro de viagem de Tobias era o arcanjo São Rafael. O anjo deu instruções a Tobias para oferecer a Deus o fígado do peixe que pescara no rio. Enquanto a fumaça subia, o anjo agarrou o demônio Asmodeu e o lançou para longe, da Pérsia até o Egito, a 1.500 quilômetros dali. Uma bela distância, que equivale a distância de São Paulo a Porto Seguro na Bahia. Certamente um dos exorcismos mais poderosos em quilometragem. Por que o Peixe? É um símbolo assumido pelos primeiros cristãos. Na língua grega, Peixe se diz “ICHTYS” , que os cristãos traduziam: “Iesús Christôs Theú Yôs Sotér = Jesus Cristo de Deus Filho Salvador”. Cada letra da palavra Peixe (I - CH - T - Y - S) indica uma nova palavra. 133


Já no Antigo Testamento o nome de Jesus Cristo tinha a força do exorcismo.

Um exorcismo contra uma legião de demônios. JESUS E O DEMÔNIO NO DESERTO

JESUS E A LEGIÃO DE DEMÔNIOS O evangelista Marcos (cap.5), nos conta o episódio do possesso geraseno: “Um homem possesso do espírito imundo saiu do cemitério, onde tinha o seu sepulcro e foi ao encontro de Jesus. Não podiam amarrar o possesso com correntes porque ele as despedaçava e ninguém conseguia dominá-lo. Andava sempre, de dia e de noite, pelos sepulcros e pelos montes, gritando e ferindose com pedras. Vendo Jesus de longe, correu e prostrou-se diante dele, gritando em alta voz: Que queres de mim, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Conjuro-te que não me atormentes. Jesus perguntou-lhe: Qual o teu nome? Ele respondeu: Meu nome é Legião, porque somos muitos. E pediu-lhe com instância que não o lançasse fora daquela região. Ora, havia ali uma grande manada de porcos, pastando pela montanha. Os espíritos suplicaram: Manda-nos para os porcos, para entrarmos neles. Jesus permitiu. Então os espíritos imundos entraram nos porcos. E a manada, cerca de dois mil porcos, precipitou-se no mar e se afogou.” Esse fato é muito significativo. Note bem por onde andam os demônios: cemitério, sepulcros e porcos. Nem correntes são capazes de contê-los. Satanás e os demônios eram anjos de natureza sublime, superior aos homens. Agora estão sujeitos a viver nessa condição. Acham até um favor morar nos sepulcros e nos porcos. Pedem a Jesus que não os mande para o inferno, mas para dentro dos porcos. Você sabe que a legião romana se compunha de seis mil soldados. Portanto, aquele pobre possesso abrigava em si uns seis mil demônios. Por quê? Com que finalidade? Certamente para mostrar o nível baixo em que foram cair, por causa do pecado do orgulho. Deus queria também mostrar o poder extraordinário de Jesus sobre o inferno. Aquele mesmo demônio que teve a ousadia de pedir a Jesus, lá no deserto, para se ajoelhar e adorá-lo, agora é obrigado a prestar a Jesus essa homenagem. O possesso ajoelhou-se diante de Jesus. 134

Satanás não tinha certeza da divindade de Jesus. Resolveu tirar a prova com as tentações: “Se és o Filho de Deus, transforma esta pedra em pão.” “Se és o Filho de Deus, lança-te daqui para baixo.” “Eu te darei todos os reinos do mundo, se prostrares no chão para me adorar.” Uma solene mentira. O demônio nunca foi dono do mundo. E promete esse mesmo mundo a Deus, seu Criador. Uma mentira e um roubo. E também uma deslavada ambição: queria uma homenagem que só se deve a Deus: “Ajoelha e me adora.” Foi a mesma tentação que ele tinha soprado nos ouvidos de Adão e Eva no paraíso: “Sereis como Deus.” O diabo sempre quis ser como Deus. Jesus o exorciza com uma simples palavra: “Retira-te, Satanás.” A vidente espanhola Maria de Ágreda nos conta que o maior interesse dos demônios era descobrir a identidade de Jesus. Queriam saber se Ele era Deus ou um simples homem. Por isso, diz ela, no dia das tentações no deserto, o inferno ficou quase vazio. Todos acompanharam Satanás no combate com Jesus. E a vidente fala: “A resposta de Jesus lançou todos eles na região mais profunda do inferno. Ali ficaram prostrados e acorrentados por três dias, sem poderem se mover.” (Mística Cidade, vol. III, livro V, cap. 26). Certamente um exorcismo tão poderoso como aquele da legião de demônios contra o possesso geraseno. Infelizmente o demônio alcançou outra vitória. Não podendo conseguir que Jesus o adorasse e dobrasse os joelhos diante dele, conseguiu convencer os padres, os bispos e cristãos a não mais prestar essa homenagem a Deus na Eucaristia, na hora da comunhão. Os padres ficam nervosos e enraivecidos quando algum cristão se ajoelha para comungar. E também inventaram uma nova moda: escondem o sacrário da vista dos fiéis, num canto da igreja. Antes Cristo estava bem no centro, bem visível, podendo receber melhor as homenagens da adoração. Ai de quem ousar falar isso em público aos bispos e padres! É a nova Pastoral, que simplesmente esquece dois mil anos de tradição. Se você tiver a coragem de contradizer, é sim135


plesmente massacrado e lançado no ridículo: “Você não entende de Pastoral.” Satanás daria o mundo inteiro por um joelho no chão, diante dele. Pelo jeito o diabo entende mais de Pastoral do que os padres. EXORCISMO FEITO PELOS DISCÍPULOS “Jesus chamou os doze apóstolos e os enviou dois a dois, e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos.” (Mc. 6,7). Marcos fala dos doze apóstolos, Lucas diz que Jesus mandou os setenta e dois discípulos anunciar o reino de Deus. “E os setenta e dois voltaram alegres dizendo: Senhor, até os demônios nos obedecem em teu nome. E Jesus disse-lhes: Vi Satanás cair do céu como um relâmpago. Eis que vos dei poder para pisar em serpentes e escorpiões e todo o poder do inimigo. Contudo não vos alegreis porque os espíritos vos obedecem, mas alegrai-vos porque os vossos nomes estão escritos no céu.” (Lc. 10, 17-20) Esse mesmo poder Jesus transmitiu à sua Igreja. O Catecismo da Igreja Católica afirma que o Exorcismo manifesta a vitória da Redenção de Cristo (no 517) e a chegada do Reino de Deus (no 550). Afirma ainda que o primeiro Exorcismo já é efetuado no cerimonial do Batismo (no 1237). No decorrer da história da Igreja temos testemunhos impressionantes de possessos que, em nome de Deus e de Nossa Senhora foram obrigados a falar. Falam do paraíso que perderam: “Que esplendor lá em cima. Que maravilha. Infelizmente nunca mais o verei. Eu caminharia milhares de anos sobre navalhas afiadas para conseguir o paraíso. Mas para mim não há mais esperança.” “Os homens são burros. Têm os maiores tesouros e não aproveitam.” “Se eu tivesse apenas um minuto desse tempo que vocês esbanjam, eu já não seria demônio.” “Nós os demônios temos horror de olhar uns para os outros. É terrível demais a nossa imagem.” “Os demônios se maltratam uns aos outros.” “Preferimos o inferno a contemplar a beleza e a glória da Mãe de Deus.” 136

O EXORCISMO REALIZADO NO CALVÁRIO Quando Jesus pronunciou as palavras “Tudo está consumado” a natureza toda participava do mistério da Redenção. As trevas cobriam a terra, o sol negava-se a presenciar o crime da humanidade. Os rochedos se partiram, o véu do templo se rasgou de alto a baixo, os túmulos se abriram e muitos mortos apareceram pela cidade, não como pessoas ressuscitadas, mas como cadáveres ambulantes, testemunhando o horror do deicídio. A vidente Ana Catarina Emmerich nos fala: “Jesus ao morrer desceu à região dos mortos. Os anjos lhe abriram os portões do inferno. Havia ali um caos horrível de imprecações, injúrias, uivos e gritos de dor. Os anjos lançaram ao chão exércitos inteiros de demônios. Todos foram obrigados a reconhecer e adorar Jesus, o que foi para eles o maior suplício. Lúcifer foi acorrentado com os outros demônios e lançado num abismo de trevas, donde subiam negros vapores. O chefe dos demônios somente seria solto 50 ou 60 anos antes do ano 2000.” “Vi o Senhor andar por toda a terra, em diferentes lugares, até no mar. Abençoava e libertava todas as criaturas. Em toda a parte os maus espíritos fugiam diante dele e se lançavam nos abismos.” (Veja “Vida, Paixão e Glorificação do Cordeiro de Deus). Outra vidente, Maria de Ágreda, nos conta que Lúcifer descobriu só na Quinta Feira Santa o verdadeiro sentido da Paixão de Jesus: a libertação do mundo do poder infernal. Quis até impedir, na última hora, a morte de Cristo, mas já era tarde. Sentiu tanta raiva e pavor, que ele e os demais demônios quiseram fugir quando Cristo tomou a cruz às costas. Mas Deus inspirou Nossa Senhora a impedir essa fuga. Ela como Rainha e Corredentora deu ordem aos demônios para acompanharem Cristo e presenciarem a Redenção. Foram acorrentados aos milhões e tiveram de assistir apavorados a Paixão. Satanás chegou a se humilhar, pedindo a Nossa Senhora para ser precipitado no inferno, afim de não ver a vitória de Cristo. Mas não foi atendido. Deus assim glorificava a Mulher bendita que esmagava a cabeça da serpente. A cada palavra pronunciada por Jesus na cruz, eles rugiam 137


de raiva e desespero. Na palavra “Tudo está consumado”, os demônios tiveram o perfeito conhecimento da Encarnação e Redenção. Nesse momento foi-lhes lançada a sentença de se precipitarem no mais profundo do inferno. Essa ordem foi dada por Jesus e Maria. Os demônios foram lançados no inferno com a rapidez de um raio. Foi um estrondo mais fragoroso do que o primeiro exorcismo do arcanjo São Miguel, quando os lançou no inferno, expulsos do céu, no começo do mundo. (Veja “Mística Cidade” vol. III, pág. 391-398). O PAPA LEÃO XIII E O DEMÔNIO Certo dia, por volta de 1890, o Papa Leão XIII tinha acabado de celebrar a missa, e rezava sua ação de graças. As pessoas presentes perceberam um atitude estranha no Papa. Ergueu a cabeça num gesto rápido e olhava para cima. Estava maravilhado e assustado. Permaneceu assim durante algum tempo. Depois levantou-se e foi direto para seu escritório. Depois de meia hora mandou chamar o Cardeal Prefeito da Congregação dos ritos e entregou-lhe uma folha, com ordem de levá-la ao conhecimento dos bispos do mundo todo. Ele prescrevia uma oração de Exorcismo a ser recitada pelos sacerdotes logo depois da missa. Perguntaram ao Papa se havia ligação entre essa oração e o seu comportamento estranho no altar. O Papa revelou o que tinha acontecido. Enquanto rezava ouviu uma forte discussão entre Satanás e Jesus Cristo. O diabo desafiava a Jesus: - Sempre consegui fazer muitos estragos na tua Igreja. Se eu tivesse mais tempo e mais liberdade... Jesus perguntou: - O que farias se tivesses mais tempo e mais liberdade? - Eu destruiria a tua Igreja. Jesus: - Quanto tempo queres para isso? - Uns 50 ou 60 anos. Jesus: - Está bem, tens 100 anos. Depois veremos. **************** 138

Foi aí que o Papa levantou-se e prescreveu a oração de Exorcismo, invocando a proteção do Arcanjo São Miguel, depois de todas as missas. O Exorcismo rezava: “São Miguel Arcanjo, príncipe do exército celeste, precipitai no inferno a Satanás e a todos os espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para a perdição das almas.” Esta oração foi rezada durante mais de 80 anos, até a reforma litúrgica do Vaticano II. Então, uns liturgistas “inteligentes” julgaram melhor suprimir o Exorcismo de São Miguel Arcanjo. Há uns 40 anos que não se reza mais a oração. Imagine: 400 mil padres, rezando todo dia o Exorcismo. Sua abolição foi um dos maiores presentes que o inferno ganhou, além de outros. Comovido, o diabo agradece. O Papa não assinou a mudança? Assinou. Mas os liturgistas podem enganar o Papa. Foi o que aconteceu com João XXIII. Eles pediram licença para “algumas reformas”, e ultrapassaram a licença. Foi uma das poucas vezes que o bondoso Papa perdeu a paciência, e deu um murro na mesa, demitindo os principais responsáveis. O Papa mesmo fez esta declaração aos bispos americanos, no episódio da “cassação dos santos.” Quem engana uma vez, engana duas e três. O mesmo acontecia com os discursos do Papa. Ele dizia uma coisa de viva voz ao povo, e no dia seguinte o mesmo discurso saía “reformado e maquiado” no Osservatore Romano. Testemunho pessoal do bispo Dom Ariovaldo Amaral. APOCALIPSE E VITÓRIA DEFINITIVA DE CRISTO “Vi descer do céu um anjo que tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente. Ele agarrou o Dragão, a serpente antiga, que é o Demônio e Satanás, e o acorrentou por mil anos. Atirou-o no abismo, o trancou à chave e selou por cima, para que já não seduzisse as nações, até que se completassem mil anos. Depois disso ele deve ser solto por um pouco de tempo.” (Apc. 20, 1-3) Esse “pouco de tempo” talvez seja o tempo que Cristo concedeu a Satanás, segundo a visão do Papa Leão XIII. Apesar dos liturgistas, nada impede que você recite o Exorcismo de Leão XIII, mesmo que não seja padre. 139


VOCÊ SABIA? * Cada vez que você faz o Sinal da Cruz, está praticando o Exorcismo. * A Cruz na torre das igrejas católicas, nas salas, em cima dos túmulos, é um Exorcismo permanente. * Nas Missas antigas, antes da reforma litúrgica, o padre fazia 33 vezes o sinal da Cruz. Hoje só 3 vezes, ou pouco mais. * O Brasil começou a sua História com o Sinal da Cruz. A primeira árvore derrubada, no dia do descobrimento, não foi para fazer uma canoa ou uma cabana. Foi para fazer o Cruzeiro e o altar da Primeira Missa. Até os índios imitavam o gesto dos portugueses, quando faziam o sinal da Cruz. O primeiro sermão de Frei Henrique de Coimbra foi sobre a Santa Cruz. O escritor Pero Vaz de Caminha anotou em sua carta que havia no céu do Brasil uma constelação inexistente na Europa: o Cruzeiro do Sul. * Este Sinal sagrado sempre esteve em nossas bandeiras. Atualmente ainda está lá, nas três estrelas que assinalam a Constelação do Cruzeiro. Em baixo do Cruzeiro acha-se a Constelação do Escorpião, ou seja, a Cruz esmagando o inferno. A bandeira brasileira cumpre a palavra de Cristo: “Pisareis em cima de cobras e escorpiões.” (Lc. 10, 17-20) * Era a semana da Páscoa quando o Brasil foi descoberto. Por isso recebeu vários nomes: “Monte Pascoal”, “Ilha de Vera Cruz”, e “Terra de Santa Cruz”. Depois, “Brasil”, ou seja “Lenho Vermelho”. Ora, Cruz e Lenho Vermelho são a mesma coisa. * O Brasil carrega o Exorcismo no próprio nome. Nossa História está marcada pela oração. São 500 anos de oração e de Exorcismo, graças à piedade de nossos antepassados portugueses. Que Deus nos abençoe e atenda a essa oração: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Aparecida, 22 de Outubro de 2002 Pe. Rômulo Cândido de Souza C.SS.R.

140


Livro sete portas do inferno