Page 1

Hieróglifos Egípcios: um curso de introdução à leitura e decifração de textos do Antigo Egito

Antonio Fontoura Jr. (antonio@hieroglifos.com.br)

É proibida a reprodução total ou parcial desta obra, por qualquer meio e para qualquer fim, sem autorização prévia, por escrito, do autor. Obra protegida pela Lei dos Direitos Autorais.

Editado por PatolaGames.

Acesse www.hieroglifos.com.br/livro. Converse com o autor e saiba mais sobre seus trabalhos.

1ª edição, 2010.


Estela de Senusert, atualmente no museu do Louvre


INTRODUÇÃO A estela da página anterior foi colocada ali como um desafio a você. Se, neste momento, ela parece um documento indecifrável, impossível de ser compreendida, ao final deste livro você será capaz de retornar, olhar para o texto e decifrá-lo. Este é o objetivo deste livro e deve ser também o seu objetivo. Mantenha a lembrança de ver a estela de nosso amigo Senusert como algo intransponível. E, aos poucos – lendo e estudando – perceba como as informações contidas nestes hieróglifos vão sendo, gradualmente, compreendidas. Estudar hieróglifos egípcios não é uma tarefa simples. Estamos estudando uma língua que não é mais falada ou escrita, nativamente, há cerca de dois mil anos. Exige atenção, paciência e a noção de que se está estudando uma língua estrangeira – e não um código. Ou seja: para que você possa entender os textos hieroglíficos, demandará tanto tempo quanto o estudo de qualquer outra língua, antiga ou moderna. Com um agravante: não se pode falar em egípcio – pois, como não escreviam vogais, não se conhece a pronúncia completa das palavras – e, portanto, não se pode treinar pela fala. Apenas pela escrita. E o que estaremos estudando, exatamente? A escrita hieroglífica, como você deve imaginar, é a representação gráfica de um idioma – o egípcio antigo. Porém, os egípcios não mantiveram o mesmo idioma durante toda a sua história. Como um povo dinâmico, vivo – e considerando que


Hieróglifos Egípcios

sua história compreende mais de 2.000 anos – sua língua, sua escrita, suas concepções religiosas, mudavam. E embora buscassem manter uma ligação com o próprio passado, a escrita do chamado Antigo Império1 (época de construção das grandes pirâmides) é bem diferente do final de sua história, por exemplo. E mesmo os hieróglifos, que para nós é a escrita representativa da cultura egípcia, haviam deixado de ser uma escrita viva, no Novo Império, para se tornar uma escrita ritualizada, reservada para documentos religiosos e monumentos. A escrita do dia-adia passou a ser o hierático e, depois, o demótico, acompanhando inclusive as mudanças na própria língua. Por isso, os egiptólogos costumam chamar o chamado Médio Império de “Egito clássico”: é o período em que a escrita hieroglífica atinge o seu auge, enquanto representação escrita viva, de um idioma também vivo. Neste livro você poderá reviver um pouco desta história, e ter acesso a um sistema de escrita que, mesmo no período do Antigo Egito, era restrito a poucos membros das classes sociais superiores. Aqui você começa a sua jornada para se tornar um escriba. Contemporâneo, é claro. Ainda assim, um escriba.

1

Caso você não esteja familiarizado com os períodos da história egípcia, ao final do livro há uma cronologia que você poderá consultar.

-4-


SUMÁRIO 1. Princípios gerais da Escrita O trono de Tutancâmon

7 15

2. Ideogramas e fonogramas

23

3. Os sons e o alfabeto

37

Escrevendo seu nome em Hieróglifos

57

4. Iniciando a gramática egípcia

61

As cenas das tumbas

63

A lista de reis de Abidos

80

5. A reverência ao Faraó O painel de Nefertari

93 107

6. Os números e o calendário

115

7. Os textos religiosos

129

Termos de parentesco

154

8. Os textos nos templos

165

9. Como continuar os estudos

179

Respostas aos exercícios, lista de sinais e cronologia

185


Para meu pai, de quem herdei o nome e o gosto pela Hist贸ria.


Capítulo 1

Princípios gerais

Da escrita

Neste texto, retirado da tumba da Rainha Nefertari, os hieróglifos estão escritos em colunas e devem ser lidos da direita para a esquerda.


Hieróglifos Egípcios

A

escrita egípcia é composta de sinais figurativos. Ela pode ser escrita em linhas ou em colunas, tanto da direita para a esquerda quanto da esquerda para a

direita.

A grande maioria dos textos produzidos no período dos faraós era escrita da direita para a esquerda. Esta era, sem dúvida, a direção mais comum da escrita. Porém, por conta da influência da escrita ocidental, quase a totalidade dos livros sobre hieróglifos procura apresentar os textos da esquerda para a direita. Neste livro procuraremos seguir esta orientação. Usaremos outras direções apenas quando estivermos estudando um texto original egípcio. De toda forma, descobrir em qual direção um determinado texto foi escrito é relativamente simples. Basta estudar os sinais que aparecem no texto. As figuras humanas e de animais – e mesmo os objetos – estarão sempre voltados para o início do texto. Observe a seguinte frase, escrita em hieróglifos.

Repare que, no texto acima, as pessoas e os animais estão voltados para a direita. Portanto, esta frase deve ser lida da direita para a esquerda.

-8-


Antonio Fontoura Jr.

Lembre-se: Os hieróglifos estão sempre voltados para o início do texto. Observe o seguinte texto, extraído do templo de Ramsés II, em Abidos. Em que direção você acredita que o texto deva ser lido?

Observe a imagem da abelha, do cetro, ou mesmo do deus sentado. Estão todos voltados para a esquerda. E como você já sabe que os sinais hieroglíficos estão sempre voltados para o início do texto, podemos concluir que este texto deve ser lido da esquerda para a direita. Os textos hieroglíficos podem estar dispostos em linhas, ou em colunas. A seguir há a imagem de um pequeno vaso canópico. Estes vasos eram utilizados em cerimônias fúnebres, guardavam os órgãos internos do falecido e eram colocados junto ao corpo, em sua tumba.

-9-


Hieróglifos Egípcios

Estes hieróglifos apresentam uma escrita um pouco mais simplificada. Em tais objetos, ou em papiros, o escriba não tinha um cuidado em detalhar os sinais como quando, por exemplo, escrevia em templos ou nas paredes das tumbas. A primeira questão: qual a direção de leitura deste texto? No destaque, alguns dos sinais que nos indicam a direção de leitura deste texto.

- 10 -


Antonio Fontoura Jr.

As imagens do pássaro, da cabeça humana em perfil, da abelha (todos voltados para a direita), são alguns dos sinais que nos indicam que este texto deve ser lido da direita para a esquerda. E, com relação às colunas? Sendo um texto que deve ser lido da direita para a esquerda, a leitura das colunas respeita esta ordem. Lê-se, em primeiro lugar, a coluna da extrema direita e segue-se a leitura, até o final do texto. 3

2

1

Ordem da leitura das colunas.

A mesma regra serve para os textos escritos em linhas. Nesta estela funerária, os textos devem ser lidos da direita para a esquerda (observe a direção para onde estão voltados os pássaros, o trono, ou a planta).

A ordem da leitura das linhas, por sua vez, é igual á nossa: em primeiro lugar lêem-se as linhas superiores e continua-se, até o final do texto, passando para as linhas de baixo.

- 11 -


Hieróglifos Egípcios

É bastante comum que um mesmo objeto contenha várias direções de leitura. Observe o pequeno vaso abaixo, que contem o nome do faraó Amenhotep e de sua esposa Tyi. Você consegue identificar a direção de leitura dos hieróglifos neste objeto?

- 12 -


Antonio Fontoura Jr.

Podemos identificar dois grupos de textos neste objeto. O primeiro, mais longo, contém duas colunas, e deve ser lido da direita para a esquerda. O segundo, contendo apenas uma coluna de texto, deve ser lido da esquerda para a direita.

1

2

É importante observar a direção em que as figuras de homens e de deuses aparecem nos textos. Como regra geral, os personagens estão sempre voltados na direção dos textos a que se referem. Observe na estela funerária abaixo.

- 13 -


Hieróglifos Egípcios

O deus, sentado, está voltado para a direita. O texto que se refere a ele também está voltado para a direita. O falecido, por sua vez, está voltado para a esquerda. Assim, o texto que se refere a ele deve ser lido da esquerda para a direita.

Texto referente ao deus.

- 14 -

Texto referente ao falecido.


Desafio

Antonio Fontoura Jr.

Este texto foi retirado de um dos tronos de Tutancâmon, faraó da XVIIIª dinastia e cuja tumba foi encontrada praticamente intacta, em 1922, pelo arqueólogo Howard Carter.

Este espaldar de trono é um bom exemplo de como os textos hieroglíficos podem ser complicados de serem lidos. Procure responder às seguintes questões: ▪ Em que direção este texto deve ser lido? ▪ Há apenas um texto? Como você sabe disso? ▪ Se houver mais de um texto, quantos textos você acha que existem? ▪ Qual a relação que existe entre as figuras humanas e o texto em hieróglifos? Tente formular as respostas a estas questões. A seguir, confira se você acertou.

- 15 -


Hieróglifos Egípcios

Há quatro textos diferentes nesta imagem. Podemos chegar a esta conclusão, porque cada texto tem uma direção diferente. Repare. Direita para a esquerda.

Esquerda para a direita.

Direita para a esquerda.

Esquerda para a direita.

E, pela orientação dos textos e dos personagens, pode-se presumir que cada trecho de texto refere-se a um personagem específico da imagem. Caso você ainda não tenha o seu “caderno de hieróglifos” está na hora de comprar um. Nele, você irá treinar a escrita e traduzir os textos deste livro. Qualquer caderno serve – com pauta ou sem pauta. A escolha é sua. O texto a seguir está escrito da direita para a esquerda. Em um caderno copie o mesmo texto, só que escreva da esquerda para a direita.

A propósito, no texto está escrito “o sol brilha no céu”.

- 16 -


Antonio Fontoura Jr.

A SUA ESCRITA MANUSCRITA Se esta é sua primeira vez escrevendo hieróglifos (e se está lendo este livro, devo presumir que é), deve ter achado que seus sinais ficaram horríveis. E provavelmente ficaram. Sinais desalinhados, um hieróglifo maior que o outro, quarenta minutos para desenhar onze sinais, e aquela questão que sempre existe quando iniciamos o aprendizado de outro tipo de escrita: o que é importante de retratar neste sinal, e o que é só detalhe que poderia ser omitido? Apenas com o treinamento, tanto da escrita quanto da leitura, você conseguirá fazer com que seus olhos, e sua mão, saibam identificar e reproduzir os sinais de uma forma mais harmônica.

Este é um trecho de um de meus primeiros cadernos de hieróglifos. Com a prática, aprendi a simplificar alguns sinais, a desenhar rapidamente outros. Há aqueles, porém, que sempre serão feios e tortos, comparados com os impressos em livros. Com você deverá ocorrer a mesma coisa. É o treino que lhe dará a habilidade de escrever os hieróglifos mais correta e

- 17 -


Hieróglifos Egípcios

rapidamente. De toda forma, é importante que você entenda o que escreveu. E se um dia você quiser escrever um texto em hieróglifos para alguém – em uma carta, para seu namorado, para seus alunos, em uma apresentação, etc. – você poderá utilizar um software específico para a edição de hieróglifos egípcios. Ao final do livro, é dada a dica de um programa gratuito que você poderá usar. DISPOSIÇÃO DOS SINAIS Os escribas não colocavam os sinais aleatoriamente dentro de um texto. Para decidir de que forma os sinais deveriam ser agrupados, a preocupação deveria ser estética. Em qualquer texto, você poderá perceber que os egípcios buscavam a harmonia na disposição dos sinais. Ao buscar escrever Eu fiz a minha tumba com a bênção do Rei, os escribas não escreviam

Mas, sim, procuravam organizar os sinais de forma que a frase formasse um conjunto harmônico. Desta maneira, a mesma frase, escrita por um escriba, apareceria assim:

Diante de uma palavra, ou de uma frase, os escribas se esforçavam para agrupar os sinais em conjunto, adequando as suas proporções. Buscava-se organizar o texto de forma que

- 18 -


Antonio Fontoura Jr.

cada conjunto ficasse contido em um quadrado imaginário, cujas faces corresponderiam aos sinais maiores e mais longos. Veja alguns exemplos:

EXERCÍCIOS 1. Estude com atenção os textos abaixo. Depois, identifique a direção de leitura de cada um dos textos. Repare que, nos documentos, pode haver mais de um texto. As respostas aos exercícios estão no final do livro. a)

- 19 -


Hier贸glifos Eg铆pcios

b)

c)

- 20 -


Antonio Fontoura Jr.

2. Os sinais seguintes estão colocados lado a lado. Claramente, não seria assim que um escriba escreveria. Reescreva as frases abaixo, reagrupando os sinais de forma harmônica, à maneira egípcia. a) Adorar Amon na escadaria

b) Oferendas dadas pelo rei a Osíris Khemtimentu, grande deus

c) Que ele dê oferendas invocadas de pão, de cerveja, boi e pássaro.

d) Oferendas dadas por Anúbis em sua Montanha, ele que é o preparador de múmias, o senhor da Terra Sagrada.

- 21 -


Hieróglifos Egípcios

3. Abaixo você encontra quatro frases escritas em egípcio. Sua tarefa é escrever os números ao lado de cada hieróglifo, indicando a ordem em que cada sinal deve ser lido. Não se esqueça de verificar a direção da leitura de cada texto. a) b)

c)

- 22 -


Capítulo 2

Ideogramas e

Fonogramas

Nos cartuchos, nomes de faraós. As palavras egípcias eram formadas tanto por sinais que podiam representar idéias quanto sons.


Hieróglifos Egípcios

A

escrita hieroglífica possui, em primeiro lugar, sinais com valor fonético, que exprimem sons (semelhante às letras do nosso alfabeto). Estes sinais são chamados fonogramas. Além disso, há sinais que representam objetos. Estes sinais são os ideogramas, e servem para indicar, com precisão, o significado das palavras que acompanham. Como na maioria das escritas semitas, também os fonogramas egípcios representam apenas consoantes e semi-consoantes. A escrita egípcia não contem vogais.

O ideograma é um sinal que identifica uma palavra, como os nossos números: escrever “7” significa pronunciar sete, sem recorrer às letras S, E, T, E. Atualmente utilizamos muitos sinais que tem função semelhante àquela dos ideogramas egípcios.

No Egito, para expressar, por exemplo, a palavra “água”, são escritas três ondas pequenas . Os fonogramas, por sua vez, são sinais usados para identificar um ou vários sons. Estes sons, unidos, formam a grande maioria das palavras egípcias.

- 24 -


Antonio Fontoura Jr.

Por exemplo, em português, você pode escrever a palavra “samurai” através de desenhos que representam, convencionalmente, sa (pássaro), mu (água), ra (dia), i (ramo florescente):

Historicamente, os fonogramas egípcios surgiram dos ideogramas. Porém, com o desenvolver da sua escrita, passaram a significar apenas o som, independentemente daquilo que representavam. Por exemplo, o sinal , que é a representação de uma boca, passou a ter o significado fonético de r. Assim, é um sinal utilizado para escrever a palavra casa:

.

Aqui, o sinal significa apenas r, compondo assim a palavra pr, ou seja, casa.

DETERMINATIVOS No final da maioria das palavras egípcias aparecem sinais denominados determinativos, que tem a única função de revelar a qual categoria uma palavra pertence. Para entender melhor o papel que os determinativos desempenhavam na escrita egípcia, vamos supor que a escrita portuguesa seguisse algumas regras dos hieróglifos. Por exemplo: se na língua portuguesa não escrevêssemos vogais, como saber que palavra é esta?

- 25 -


Hieróglifos Egípcios

LVR Poderíamos supor, por exemplo, que estivesse escrito LiVRo (já que as vogais estão omitidas). Ou, então, LouVoR. Poderia, até mesmo, indicar o nome de uma pessoa, como áLVaRo. Como diferenciar? Se pudéssemos usar ideogramas, esta dúvida poderia ser resolvida facilmente: colocaríamos, ao final da palavra, um determinativo, indicando a categoria à qual a palavra pertence. Por exemplo, o que significaria esta palavra?

LVR E esta?

LVR Desta maneira, o leitor pode identificar qual o significado exato de cada palavra. Uma brincadeira interessante (e útil): que determinativo você poderia colocar, para indicar que LVR significa Álvaro? Use a sua imaginação e crie um determinativo:

LVR Depois, compare o sinal que você criou, com aquele utilizado pelos egípcios, para a mesma função. A maioria das palavras egípcias é construída desta forma: um conjunto de sinais que indicam o som da palavra e, ao final, um

- 26 -


Antonio Fontoura Jr.

ou mais determinativos que indicam a categoria à qual a palavra pertence. Por exemplo, o sinal é um determinativo para deus. Sabendo disso você pode imaginar que , e

sejam nomes de deuses. E de fato são. Na ordem, Amon, Ptah, e Temu. A própria palavra deus, em egípcio nTr, por vezes pode aparecer com o determinativo de deus.

Neste texto, a palavra em destaque é deus. O machado (nTr) representa o som, acompanhado do determinativo de deus.

- 27 -


Hieróglifos Egípcios

nbs Jujubeira,

nh.t Figueira,

Acácia, são nomes de árvores, indicados pelo determinativo

SnD .

AbDw Abidos, sAwt(y) Assiout, kmt Egito, são nomes de locais, indicados pelo determinativo . Convém abrir um parêntesis, antes de prosseguirmos. Você vê, acima, palavras que utilizam uma grafia estranha, em nosso alfabeto: AbDw, sAwt(y), kmt, nTr. Trata-se da transliteração das palavras, ou seja, a representação fonética dos sinais hieroglíficos. Por enquanto não se preocupe, pois você irá aprender o significado desta transliteração e sua importância. Fecha parêntesis. Muitas palavras têm um duplo determinativo: em fqA, recompensa, o sinal (pão) e o sinal (rolo de papiro) remetem, respectivamente às idéias de vantagem material e de conceito abstrato, evocados em conjunto pelos dois determinativos. Um outro exemplo é a palavra sinais pessoa.

- 28 -

e

Xrd, criança, em que os

dão, respectivamente, as idéias de infância e de


Antonio Fontoura Jr.

Os determinativos permitem, além disso, distinguir termos de significados diferentes, mas escritos pelos mesmos sinais fonéticos: Nilo.

smn, estabilidade,

smn, ganso do

Há quanto tempo você não brinca de “ligue os pontos”? Na primeira coluna você encontra palavras escritas em hieróglifos. Na segunda coluna, você tem uma lista de significados. Analisando os determinativos, descubra qual o significado das seguintes palavras: Inimigo

Ganso

Homem

Deus

Morto

A resposta você encontra no final do livro.

- 29 -


Hieróglifos Egípcios

EXERCÍCIOS 1. Abaixo você encontra imagens de textos egípcios em que aparecem nomes de alguns deuses. Todos os deuses, aqui, utilizam o símbolo determinativo.

como

Identifique e circule, nos textos abaixo, os nomes dos deuses Osíris -

Hapi -

Duamutef -

Geb -

E da deusa Haquet Não se esqueça de considerar a direção em que o texto foi escrito. a)

- 30 -

b)


Antonio Fontoura Jr.

c)

d)

e)

2. Por questões de economia de espaço, ou estilo, muitos nomes de deuses eram representados sem o seu determinativo. Era bastante comum, também, a opção de colocar, como determinativo, um sinal específico para um deus. Por exemplo, o deus Anúbis, representado por vezes como um chacal, ou como um homem com cabeça de chacal, tinha um determinativo próprio para seu nome.

- 31 -


Hieróglifos Egípcios

Poderia aparecer como

ou como

.

a) Identifique, abaixo, a direção em que o texto foi escrito.

b) Encontre e circule o nome do deus Anúbis. c) O escriba, por questões de espaço (provavelmente) ou por descuido, deixou de escrever um dos sinais que fazem parte do nome de Anúbis. Qual o sinal deixou de ser representado?

- 32 -


Antonio Fontoura Jr.

d) Com o auxílio do vocabulário abaixo, traduza o texto do monumento. É recomendável que você copie o texto original em seu caderno de hieróglifos (em colunas ou em linhas) e apenas depois realize a tradução. Vocabulário: - Senhor (da)

- Terra Sagrada

3. Era comum que a própria imagem do deus funcionasse como determinativo. Abaixo você encontra a imagem do deus Anúbis, em forma de chacal. Você consegue encontrar, neste texto, onde está escrito o nome do deus?

Repare que, aqui, o nome de Anúbis não possui determinativo. A própria representação do deus executa esta função.

- 33 -


Hieróglifos Egípcios

4. Este é um painel que aparece na tumba do escriba Roy.

O trecho que está destacado – e que você irá traduzir – é o seguinte:

a) Copie o texto em seu caderno de hieróglifos. Não se preocupe em reproduzir os sinais que você ainda não conhece. A cópia treina a escrita e, também o reconhecimento dos sinais.

- 34 -


Antonio Fontoura Jr.

Apenas para sua referência, a seguir está uma versão deste trecho, impressa em uma fonte atual.

b) Neste trecho está escrito o nome de dois deuses, que você já conhece. Circule o nome destes dois deuses e os traduza. c) Utilizando o vocabulário abaixo traduza o texto acima. - Escriba real

- Roy

- Verdadeiro da palavra

- 35 -


Capítulo 3

Os sons e o

Alfabeto

O nome do deus egípcio Ptah, escrito apenas com fonogramas alfabéticos.


Hieróglifos Egípcios

J

á sabemos que as palavras egípcias são formadas por uma combinação de fonogramas e ideogramas. Fonogramas são símbolos que representam sons.

Os ideogramas, por sua vez, representam idéias. Podem ser usados tanto para representar uma palavra (o sinal boca poderá representar a palavra boca), quanto funcionar como determinativos, mostrando a que grupo determinada palavra pertence. Neste capítulo iremos nos aprofundar no estudo dos fonogramas, que são a base de construção das palavras egípcias. E começar a entrar, realmente, na língua egípcia e nas traduções de textos.

FONOGRAMAS Os fonogramas representam apenas consoantes. Como foi visto no capítulo anterior, a escrita hieroglífica não representava vogais. (Aliás, esta regra é importante, caso desejemos escrever nomes não egípcios. Como escrever João? Pedro? Cleópatra? – que é um nome grego. Vamos ver como os próprios egípcios acharam solução para isso). Existem três tipos de sinais fonéticos (ou seja, fonogramas) no egípcio antigo.

- 38 -


Antonio Fontoura Jr.

▪ Os sinais unilíteros, ou seja, que representavam apenas um som. Estes sinais são também conhecidos como alfabéticos. Três exemplos são os sinais que representa o som p; que representa o som t. que representa um h aspirado, semelhante ao h de house, em inglês. Este som é representado por H. Como foi mostrado no início deste capítulo, é com estas letras que é escrito o nome do deus que hoje se convencionou pronunciar-se Ptah. ▪ Os sinais bilíteros2 representam dois sons. Como, por exemplo, que representa os sons wr; que representa os sons nb. ▪ Os sinais trilíteros, que representam três sons. Alguns exemplos de trilíteros são que representa os sons nfr; 2

Ao final do livro você encontra uma tabela com os sinais bilíteros e trilíteros.

- 39 -


Hieróglifos Egípcios

que representa os sons Htp; Porém, o sinal trilítero mais conhecido da escrita hieroglífica é cujos sons que representa são grafados anx. Com este conjunto de sinais, os egípcios escreviam seus textos. Nesta imagem, retirada de uma das salas da tumba da tainha Nefertari, tem-se a representação do deus Ptah. Você já sabe como o nome deste deus é escrito. Você consegue encontrar, na imagem, onde está escrito ptH?

No texto, acima da imagem do deus, está escrita uma pequena oração, de proteção à rainha Nefertari. Nesta imagem podemos identificar uma série de elementos que fazem parte da estrutura da escrita egípcia.

- 40 -


Antonio Fontoura Jr.

Podemos encontrar, por exemplo: Ideogramas, que funcionam aqui como determinativos (a imagem do deus, como vimos no capítulo anterior, funciona como determinativo).

E fonogramas: no destaque, podem ser identificados sinais unilíteros,...

...além de bilíteros...

... e um sinal trilítero.

- 41 -


Hieróglifos Egípcios

SONS Se os egípcios escreviam apenas consoantes, como sabemos a forma que eles pronunciavam as palavras? Não sabemos. Não há como saber. Uma palavra como ganso

era escrita com s, r e w, mais o determinativo de ganso. Quantas vogais poderiam ter entre as letras? Não se pode ter certeza. Assim, atualmente, é impossível “falar” egípcio antigo. Afinal, a forma de pronúncia das palavras está perdida. Porém, pode-se ter, ao menos, uma idéia de como poderia soar, aproximadamente, a língua egípcia. Há algumas pistas que os egiptólogos usam para descobrir como as palavras eram faladas no Egito Antigo. ▪ O Copta é uma língua que descende do antigo egípcio e é, ainda hoje, utilizada em rituais da igreja cristã copta. Tratase de uma língua morta (é falada apenas no contexto dos cultos), mas se conhece a pronúncia das palavras. Como se trata de uma língua que é herdeira da língua egípcia antiga sabe-se que as suas sonoridades devem ser semelhantes. Na verdade, várias palavras do copta são exatamente iguais às do antigo Egito, o que mostra a permanência da língua. ▪ línguas, relações escritos

- 42 -

Uma outra pista é dada pelos textos escritos em outras pelos próprios egípcios. Como o Egito mantinha comerciais com várias outras regiões, os textos eram em língua estrangeira. Estudando-se a aproximação


Antonio Fontoura Jr.

fonética para escrever em outra língua, pode-se ter uma idéia dos sons que os egípcios buscavam representar. ▪ Pode-se estudar os textos de outros povos da antiguidade que escreveram sobre os egípcios. Da mesma forma, ao escreverem nomes e palavras egípcias em sua própria língua, cria-se uma fonte de comparação para buscar entender a sonoridade do antigo egípcio.

A TRANSLITERAÇÃO Embora seja impossível saber como as palavras egípcias eram pronunciadas, os egiptólogos desenvolveram uma forma de escrever as palavras egípcias, com caracteres ocidentais. Isso é chamado de transliteração. Na transliteração, são representados os sons de cada um dos sinais que aparecem em uma palavra egípcia. Por exemplo, céu

é uma palavra transliterada pt

- 43 -


Hieróglifos Egípcios

Isso porque: representa o som p representa o som t e é determinativo de céu. E por ser um determinativo, não tem som. Portanto, não se translitera. Um outro exemplo: a palavra senhor

é transliterada nb Isso porque é um sinal bilítero que representa as consoantes n e b é um determinativo para ações realizadas por homens. Porém, sabe-se que o egípcio tinha consoantes cujos sons não existem em português. Ou seja, fonemas que não existem em nossa língua.

- 44 -


Antonio Fontoura Jr.

Para representar estes sinais, usam-se sinais de transliteração diferentes, que buscam indicar o som aproximado destes diferentes fonemas. Por exemplo, o hieróglifo alfabético

tem o som de um h bastante aspirado, produzido no fundo da garganta. Ele é transliterado com o símbolo x.

PARA QUE SERVE A TRANSLITERAÇÃO? É muito comum que, quando começamos a estudar hieróglifos, sejamos resistentes quanto a transliterar as palavras. Mas este é um procedimento que você deve ter desde o começo de seus estudos. Transforme em hábito transcrever (para seu caderno de hieróglifos) e transliterar palavras e frases, antes de traduzi-las. Encontrou uma palavra ou uma frase? 1. Copie a frase em seu caderno (em hieróglifos) 2. Translitere a palavra e a frase 3. Se possível, traduza a frase Veja a seguir uma página de meu caderno de traduções. Eu costumo escrever a lápis, pois facilita na hora das correções. Não digo que este seja o melhor método. Mas é aquele que melhor serviu para mim.

- 45 -


Hieróglifos Egípcios

E por que, a afinal, a transliteração é importante? Por várias razões: ▪ Memória: Porque se você não estudar a transliteração, terá que decorar a “imagem” de cada palavra em egípcio. Com a transliteração, além desta memória visual, você terá uma memória mecânica (a cópia e a transliteração) e sonora (as palavras passam a ter um som). Todas importantes para auxiliar na fixação das palavras e na compreensão da língua. ▪ Dicionários: Porque é pela transliteração que os dicionários de hieróglifos estão organizados. Quando utilizar um

- 46 -


Antonio Fontoura Jr.

dicionário de hieróglifos, você terá que ter a transliteração em sua cabeça. Caso contrário, não conseguirá achar palavra nenhuma. ▪ Gramática: Porque as regras gramaticais (plural, possessivo, genitivo, tempos verbais, etc., etc., etc.) são explicadas a partir das transliterações. ▪ Nomes: Como saber nomes de pessoas, reis, lugares e deuses se você não sabe transliterar, ou seja, não conhece o som que cada um dos sinais representa?

OS SINAIS UNILÍTEROS Também chamados de alfabéticos, estes sinais representam apenas um som. Por exemplo, a imagem da codorna representa o som w.

, que

Aliás, um parêntesis. Este hieróglifo parece com um pintinho, mas os egípcios não conheciam as galinhas. Este sinal é a representação de um filhote de codorna. Os alfabéticos são os sinais mais comuns da escrita hieroglífica. Vamos conhecer agora o alfabeto egípcio, os sons que cada sinal representa, e a transliteração de cada um deles.

- 47 -


Hieróglifos Egípcios

A i y a

b

Filhote de codorna Pé

p

Esteira

f

Cobra com chifre Coruja

w

m n r

- 48 -

Abutre egípcio Junco florescente Dois juncos florescentes Braço

Água ou coroa vermelha Boca

h

Planta casa

de

H x

Corda torcida Placenta (?)

X

Úbere

s

Fecho

Som que vem da laringe. Alef. Som ambíguo Som de “i” como no inglês Yes. Som que vem da faringe. U, como no inglês, war. B, como em português. P, como em português. F, como em português. M, como em português. N, como em português. R, como em português. H, som da laringe, como no inglês how. Som surdo, da faringe. Som de ch como no escocês loch. Som de ch como no alemão ich. S, como em rosa. (Há autores que transliteram este sinal como z).


Antonio Fontoura Jr.

s S q k g t

Roupa dobrada Piscina

S, como santo. Sh.

Colina

C, como em casa.

Cesto com alça Base para vaso Pão

C mais aspirado.

T d

Amarras

D

Cobra

Mão

em

G, como em gato. T, como português. Tsh.

em

D, menos sonoro que em português. Som intermediário entre G (de gelo) e o D.

CONVENÇÃO DE PRONÚNCIA De toda forma, ainda que não se possa saber a pronúncia das palavras, tal como os egípcios, criou-se uma convenção para que se possam falar as palavras. A utilidade desta convenção é permitir que se falem as palavras egípcias, para que se possa melhor estudá-las e lê-las. Por exemplo, a palavra “casa”

é composta pelos sinais p e r. Os egiptólogos convencionaram pronunciar “casa” como per – ou seja, inserindo um “e” entre as consoantes, para que fosse possível “falar” casa. As regras desta convenção são fáceis.

- 49 -


Hieróglifos Egípcios

▪ Os sinais de transliteração A e a são pronunciados “a”; ▪ w é pronunciado “u”; ▪ y é pronunciado “i”; ▪ e quando não houver outra indicação, coloca-se a letra “e” entre as consoantes. Usando esta mesma convenção, a palavra “ganso”,

srw é pronunciada seru. Lembre-se, porém, que se trata apenas de uma convenção para facilitar o estudo. Esta pronúncia não tem qualquer relação com aquela que os egípcios davam às palavras. EXERCÍCIOS 1. Os hieróglifos abaixo revelam a espécie do animal representado. Como os egípcios denominavam este animal?

- 50 -


Antonio Fontoura Jr.

Para facilitar sua leitura, a palavra aparece destacada na imagem à direita. Não esqueça de transliterar a palavra e apresentar, ainda, uma possível forma de pronúncia, baseada na convenção utilizada pelos egiptólogos.

2. No texto abaixo, o nome da pessoa representada na estela aparece em destaque. Consultando o alfabeto egípcio, descubra o nome do proprietário desta estela.

- 51 -


Hieróglifos Egípcios

3. Observe com atenção o painel abaixo.

A seguinte imagem é um destaque do painel anterior. Você consegue identificar o trecho que foi destacado?

No detalhe temos o nome do deus, a quem este texto foi oferecido. Os quatro últimos sinais de seu nome são

- 52 -


Antonio Fontoura Jr.

determinativos. Os primeiros sinais são os fonogramas do nome do deus. Quem é este deus? Translitere o seu nome.

4. Como muitos outros animais, também os babuínos eram considerados sagrados para os egípcios. E podiam representar deuses diferentes, dependendo do contexto em que eram invocados. O texto a seguir é retirado de uma das paredes da tumba de Tutancâmon, e representa os nomes de alguns deuses, apresentados em sua forma como babuínos.

Translitere os nomes dos deuses, como aparecem na tumba de Tutancâmon.

- 53 -


Hieróglifos Egípcios

5. Aquenaton foi um faraó egípcio da XVIIIª dinastia, e governou durante 17 anos até, aproximadamente, 1336 a.C. Seu governo foi marcado por muitas controvérsias, principalmente de cunho religioso. A sua principal alteração foi elevar um único deus à categoria de principal divindade egípcia. As centenas de outros deuses egípcios – bem como seus sacerdotes e templos – tiveram sua força e sua influência bastante reduzidos. No texto está escrito o nome do deus que foi elevado à categoria de principal divindade egípcia. O último sinal de seu nome é o determinativo , que representa o sol. Qual o nome deste deus?

- 54 -


Antonio Fontoura Jr.

6. Os egípcios costumam divulgar o sucesso de suas campanhas militares narrando, em templos, as batalhas e descrevendo o nome dos povos conquistados. A imagem ao lado representa um cativo (ele está amarrado pelos cotovelos, com os braços para trás) e o texto indica o povo ao qual ele pertence. O sinal é um determinativo usado para indicar povos e lugares estrangeiros. Outro sinal que você não conhece é . Trata-se de um bilítero, e representa as consoantes kA. Já o sinal não representa qualquer som, e é colocado apenas com funções estéticas. Estude o texto e translitere o nome do povo representado.

- 55 -


Hieróglifos Egípcios

7. O sinal é um determinativo bastante comum, utilizado para designar nomes de vilas e cidades. Sabendo

que

o

sinal é um bilítero e representa as consoantes mA, qual o nome da cidade que aparece em destaque?

- 56 -


Desafio

Antonio Fontoura Jr.

ESCREVENDO O SEU NOME EM HIERÓGLIFOS Desde o final da história do Egito antigo independente, quando a antiga língua egípcia (e, com ela, sua escrita) deixou de ser utilizada, a interpretação dos hieróglifos caiu no esquecimento. Foi apenas no século XIX que Jean François Champollion, estudando um texto escrito em hieróglifos, hierático (uma versão simplificada dos hieróglifos) e em grego, conseguiu decifrar a antiga língua egípcia.

O curioso é descobrir que a primeira palavra que Champollion conseguiu traduzir corretamente não era egípcia. Era grega. Mais precisamente o nome de uma rainha: Cleópatra. De 305 a 30 a.C. o Egito foi governado por uma família estrangeira, descendente de Ptolomeu, general de Alexandre, o Grande. Os governantes da dinastia Ptolemaica, como ficou conhecida, embora estrangeiros, buscaram manter as tradições egípcias. E, com elas, os hieróglifos. Porém, com isso surgiu um problema para os escribas: como escrever nomes de estrangeiros, com os caracteres hieroglíficos? Não era muito comum o uso apenas de letras alfabéticas para a escrita de nomes egípcios. Em geral, os nomes tinham

- 57 -


Hieróglifos Egípcios

determinados significados: eram pequenas frases e, portanto, os nomes egípcios usavam sinais alfabéticos, além de bilíteros, trilíteros e ideogramas. Como Ramsés, por exemplo,

que significava nascido de Rá. Ou Tutancâmon,

imagem viva de Amon. Porém, isso não era possível de ser feito com nomes estrangeiros. Para eles, deveriam ser usados apenas os símbolos alfabéticos. E, mais: determinados sinais egípcios deveriam ser modificados, para representar vogais, além de sons que os egípcios não conheciam – especialmente o “L” e o “O”. Para representar o “L” os egípcios passaram a utilizar um símbolo bilítero, nw: . Já a vogal “O” passaria a ser representada pelo bilítero wA: As demais vogais seriam: , para “A”; para “E”;

- 58 -

para “I” e

para “U”.


Antonio Fontoura Jr.

Estas regras só servem para a escrita de nomes estrangeiros. Quando traduzir textos hieroglíficos, os sinais voltam a seus valores originais. Desta maneira, os egípcios poderiam escrever (e Champollion, séculos depois, decifrar) o nome grego “Cleópatra”:

(note que o sinal não tem valor fonético: é escrito apenas para melhorar a estética das palavras). O nome, escrito dentro de um “cartucho”, usado para reis e rainhas (o sinal representava eternidade) pode ser lido: kleopadrat, que é a forma grega de Cleópatra. A letra t , ao final, era um sinal de palavra feminina, segundo as regras egípcias. Usando a mesma regra, Champollion pode também decifrar o nome de Ptolomeu:

Também em grego, Ptolmis. E é utilizando estas regras, inventadas pelos egípcios, que podemos escrever nomes estrangeiros em hieróglifos. Por exemplo, podemos escrever

- 59 -


Hieróglifos Egípcios

para “Cristiane”. E, se você quiser seguir estritamente a regra egípcia para nomes femininos, poderá escrever

adicionando um t

ao final.

Lembre-se que os egípcios seguiam o valor fonético das palavras – não faziam substituições letra-a-letra. Desta forma, para escrever “Rogério”, o correto seria

utilizando-se o ao invés do . A pronúncia seria “Rodjério”, mas é o mais próximo de “J” que os egípcios dispunham. tem o valor fonético de “g” como na Lembre-se que o sinal palavra “gato” (veja sua tabela de sinais alfabéticos). Se você escrever Rogério com , a pronúncia será “Roguério”. Escrever nomes estrangeiros em hieróglifos é uma diversão e, além disso, treina nosso conhecimento dos sinais alfabéticos. Mas não é muito mais do que isso: dificilmente você utilizará estas regras em suas traduções de textos originais egípcios. Escreva, aqui, seu nome em hieróglifos.

- 60 -


Capítulo 4

Iniciando a

Gramática egípcia

O bilítero wr, sinal egípcio para o adjetivo “grande”


Hieróglifos Egípcios

A

s preposições estão entre as palavras mais utilizadas em uma língua. Em português, preposições são palavras que aparecem antes de outras para indicar lugar EM, direção PARA, acompanhamento COM, modo POR, etc. As preposições, em egípcio, são palavras bastante curtas, e escritas com sinais alfabéticos.

No centro da imagem abaixo há uma palavra em destaque. Trata-se da preposição “com”, uma das palavras mais comuns do vocabulário egípcio. Utilize o alfabeto egípcio para encontrar o valor fonético de cada sinal.

- 62 -


Antonio Fontoura Jr.

Vejamos algumas preposições mais comuns em egípcio.

Desafio

in – “por”, no sentido de algo feito “por” alguém.

Senbi era um nobre egípcio que, como todo nobre, procurou construir uma tumba bela e refinada, para que seu Ka pudesse estar neste mundo por toda a eternidade.

Uma das várias cenas que estão pintadas na tumba de Senbi aparece na imagem abaixo.

Seu objetivo é traduzir o texto hieroglífico que está no destaque. Infelizmente, a imagem não está bem preservada.

- 63 -


Hieróglifos Egípcios

Assim, a seguir, você encontra uma ilustração, que permite uma melhor leitura do texto.

a) Encontre a preposição

no trecho acima e circule-a.

b) O nome de Senbi – sua transliteração é snbi – é escrito apenas com caracteres alfabéticos. Assim, você mesmo pode encontrar onde está escrito, no texto acima, o nome de Senbi. Circule o nome. c) A expressão Maa-kheru – transliterada mAa-Xrw – é uma das expressões mais comuns em textos funerários egípcios. Sua versão completa, em hieróglifos é

- 64 -


Antonio Fontoura Jr.

O significado desta expressão é verdadeiro da palavra. Para os egípcios, ser verdadeiro da palavra era algo religioso e muito importante: apenas quem era mAa-xrw poderia entrar no outro mundo. Significava que havia tido uma vida sem vícios, correta, digna. Como era hábito dos egípcios, expressões muito comuns eram constantemente abreviadas. Isso acontecia com mAa-xrw, que possuía muitas variações:

A mais comum de ser encontrada é a última. No texto de Senbi também aparece a expressão mAa-xrw. Procure e encontre no texto esta expressão. d) Veremos com mais detalhes que os egípcios possuíam várias formas de escrever o plural. Uma das mais comuns era a colocação de três traços ao final de uma palavra: Desta maneira, peixe, rm se transforma em peixes, rmw, quando são adicionados os traços: . Repare que, na transliteração, é adicionado um w na palavra. Este w é o fonema de plural. Encontre esta palavra – rmw – no texto que estamos estudando.

- 65 -


Hieróglifos Egípcios

e) Sabendo que stt – Arpoar (ou arpoando; acertando como arpão) translitere a cena de caça. f) Agora, traduza a cena completa. Outras preposições: m – “em”, como na expressão “em casa”: m pr Hna – “com”:

Hna s – com o homem

r – “para”, “até a” (relacionado a lugares): para casa.

r pr –

n – “por”, “para” (relacionado a pessoas). Observe o uso do destaque:

no texto em

n ka n imAxw sbk-Htp mAa-xrw Para (o) Ka do venerado Sobek-Hotep, verdadeiro da palavra.

- 66 -


Antonio Fontoura Jr.

Note que artigos (o, a, os, as) não são escritos.

ADJETIVOS Adjetivos são palavras usadas para descrever um substantivo. Casa feia, garoto magro, computador velho, etc. Para o Egito Antigo, a regra da gramática própria dos adjetivos é semelhante à que existe para o português: O adjetivo sempre vem depois do substantivo e concorda com ele. Em português dizemos casa feia. O adjetivo feia vem depois do substantivo casa. Além disso, o adjetivo concorda com o substantivo (no caso, os dois são femininos). Se fosse masculino, poderíamos dizer menino feio. Repare que o adjetivo foi modificado, para que pudesse concordar com o substantivo – agora, os dois são masculinos. Mas, como sabemos se uma palavra é feminina ou masculina em egípcio? Não é difícil: quase todas as palavras egípcias femininas terminam com t . Assim, se escrevemos s – homem,

- 67 -


Hieróglifos Egípcios

Deveremos escrever st – mulher. Note a adição do t, para palavras femininas; e a modificação do determinativo, para o de uma mulher sentada. Sabendo identificar as palavras femininas podemos, agora, ler e escrever corretamente os adjetivos em egípcio. Por exemplo, se temos no masculino s bin – homem mau teremos, para o feminino st bint – mulher má Repare na adição do t para o adjetivo má.

tanto para a palavra mulher quando

OS SINAIS BILÍTEROS Os sinais bilíteros, como o próprio nome diz, são sinais que representam duas consoantes. São muito comuns na escrita hieroglífica e os mais utilizados são em cerca de uma centena. Há palavras que são escritas com ajuda de bilíteros, outras com ajuda de unilíteros. Muitas vezes, misturando uma e outra.

- 68 -


Antonio Fontoura Jr.

Em geral, porém, a presença de bilíteros ou de unilíteros é convencionada, e não pode ser alterada. A palavra “senhor”, por exemplo, é escrita da seguinte forma:

É uma palavra formada pelo bilítero nb. Você, porém, não irá encontrar a mesma palavra escrita com unilíteros: nb (Aliás, e aproveitando, um pequeno desafio. Se “Senhor” se escreve desta maneira, como se escreve “Senhora”?) Outra palavra comum é o adjetivo “grande”

que é formada pelo bilítero wr. E, da mesma forma, você não verá esta palavra escrita wr

A palavra wr em uma frase.

- 69 -


Hieróglifos Egípcios

Há três páginas atrás, você viu a seguinte frase, quando estudava preposições:

n ka n imAxw sbk-Htp mAa-xrw Para a alma do venerado Sobek-Hotep, verdadeiro da palavra

Aqui, o sinal kA – um bilítero, portanto – representa a palavra Ka – um dos tipos de almas que os egípcios acreditavam. O mesmo sinal, porém, pode fazer parte de uma palavra como mfkAt – turquesa.

O kA, representado aqui sobre a cabeça do falecido.

Repare que, aqui, o sinal bilítero é somado aos sinais alfabéticos para formar a palavra completa.

COMPLEMENTOS FONÉTICOS Quando começamos a estudar hieróglifos, é comum acharmos que a quantidade de sinais bilíteros é bastante grande e, por isso, difícil de decorar. E realmente é difícil. - 70 -


Antonio Fontoura Jr.

Mas os escribas egípcios tinham um costume que facilitava a identificação dos sinais bilíteros e trilíteros: este costume era o de fazer os sinais bilíteros e trilíteros serem acompanhados de sinais alfabéticos, como se “soletrassem” as palavras. Veja, por exemplo, o sinal pr Trata-se de um sinal bilítero, representando as consoantes pr. Porém, era muito comum os egípcios escreverem

Repare que o símbolo alfabético r foi adicionado à palavra. No entanto – isso é importante – a palavra continua sendo pr. Aquele r a mais é denominado de complemento fonético. Os complementos fonéticos são usados para reforçar um sinal bilítero (e trilítero também, como veremos a seguir). E, como regra, não devem ser transliterados. Um outro exemplo.

Como vimos há pouco, wr é um sinal bilítero. É muito comum encontrarmos este sinal escrito com complemento fonético.

- 71 -


Hieróglifos Egípcios

No caso,

Por mais que haja uma letra a mais (novamente um palavra continua sendo transliterada wr.

r), a

Algumas regras deste complemento: ▪ são usados sempre para representar a segunda consoante do sinal bilítero; Por exemplo, no sinal bilítero mn, o complemento fonético será o n. Assim, poderá ser escrito mn; ▪ um sinal alfabético após um sinal bilítero é quase sempre um complemento fonético e não uma letra adicional. Por isso, se os egípcios quisessem escrever wrr escreveriam quisessem escrever prr escreveriam

; se

.

▪ apenas em situações raras, um complemento fonético vem antes do sinal bilítero. Assim, tome como regra prática: o complemento fonético é escrito depois do bilítero. O nome do deus Amon é escrito: imn - é um sinal alfabético, de valor i.

- 72 -


Antonio Fontoura Jr.

- é formado por um sinal bilítero mn e seu complemento fonético. - é o determinativo para deus. Os complementos fonéticos desempenham também uma função estética. Imagine que em uma mesma inscrição temos que escrever várias vezes a palavra Servo. Caso, ao final de uma linha, haja bastante espaço disponível, podemos escrever a palavra inteira, usando o seu complemento fonético: bAk Porém, se em outro momento houver pouco espaço, podemos diminuir o complemento fonético, e escrever simplesmente

ou mesmo apenas

sem complemento ou determinativo. Mas não se esqueça. Em cada um destes casos a palavra continua sendo bAk.

- 73 -


Hieróglifos Egípcios

TRILÍTEROS Os sinais trilíteros representam três consoantes. Como os bilíteros, também os trilíteros são escritos com muita frequência acompanhados de complementos fonéticos. O mais conhecido sinal trilítero, sem dúvida, é anx que significa vida. Os sinais trilíteros são bem menos comuns que os bilíteros. Além disso, eles são emblemáticos: seu significado é facilmente reconhecido, pela frequência com que aparecem: anx – vida nfr – bom nTr - deus são tão comuns que se tornam quase que ideogramas. Quase ideogramas. Saliente-se o quase. Não são, afinal, ideogramas. O sinal

- 74 -


Antonio Fontoura Jr.

por exemplo, é a representação de uma sandália, vista de cima. Se fosse um ideograma, seu significado seria de sandália. Mas como é um sinal trilítero, representa os sons anx, que formava a palavra vida para os egípcios.

MAIS COMPLEMENTOS FONÉTICOS Os sinais trilíteros são frequentemente acompanhados de complementos fonéticos. E, como manda a regra, são colocados após o sinal trilítero. Por exemplo: anx nfr nTr Repare que, nestes exemplos, cada sinal trilítero apresenta dois complementos fonéticos. Este número pode variar: podem aparecer três complementos, dois, um ou mesmo nenhum. Assim, as palavras egípcias, quando escritas em papiros, templos e objetos podem variar. Volte-se a frisar: a transliteração é anx, e não anxnx; é nfr e não nfrfr.

- 75 -


Hieróglifos Egípcios

Esta imagem foi retirada da tumba da rainha Nefertari, e representa do deus Khepra, que tem a cabeça de escaravelho. O sinal é um trilítero e representa as letras xpr. Sabendo isso, o nome do deus pode ser assim transliterado:

- xpr - complemento fonético (repare que o é a última letra de xpr); - i; - determinativo de deus. Portanto

- 76 -

é transliterado xpri.

r


Antonio Fontoura Jr.

Na imagem ao lado o deus Anúbis é descrito como aquele que está à frente do templo. Em destaque podese identificar a expressão estar à frente xnty O hieróglifo é um trilítero que representa as letras xnt. Por n quanto o t são complementos fonéticos. O isso, tanto o y finaliza a transliteração da palavra.

- 77 -


Hieróglifos Egípcios

EXERCÍCIOS Para a realização destes exercícios, você irá utilizar muito as tabelas de sinais bilíteros e trilíteros, que estão ao final de seu livro. 1. Qual o nome do deus representado na imagem?

2. Translitere e traduza a palavra em destaque.

- 78 -


Antonio Fontoura Jr.

3. Translitere as duas palavras que aparecem em destaque, neste obelisco.

4. Ao lado você tem, em destaque, o nome de uma cidade sagrada egípcia. Sabendo que o sinal superior à esquerda é um , translitere o nome desta cidade.

- 79 -


Desafio

Hieróglifos Egípcios

NOMES DE FARAÓS É bastante simples identificar o nome de um faraó em um texto hieroglífico. Afinal, são as únicas palavras que estão escritas dentro de cartuchos.

Os nomes dos faraós eram escritos com sinais alfabéticos, bilíteros e trilíteros, além de ideogramas. Como foi dito anteriormente, os nomes egípcios tinham significado: em geral, eram frases de força ou orações. Para que se possa traduzir corretamente o nome de um faraó, você deve conhecer duas regras da gramática egípcia. A primeira delas é a chamada inversão honorífica. Os egípcios eram um povo profundamente religioso, e isso era expresso, também, em seus textos. Por conta disso – por razões de respeito e devoção – era bastante comum que o nome de deuses fossem colocados à frente em uma oração, mesmo que não fossem lidos em primeiro lugar. Tome-se, por exemplo, o seguinte prenome, do faraó Senusert I (também conhecido como Sesótris I).

- 80 -


Antonio Fontoura Jr.

A partir da disposição dos hieróglifos, podemos transliterar o nome: - ra - xpr - kA Portanto, a transliteração seria ra xpr kA. Porém, ra está colocado em primeiro lugar apenas por respeito ao deus Rá. Sabendo disso, deveremos transliterar o texto colocando-o na forma que seria correta: hpr kA ra. ra, assim, é colocado ao final, onde ficaria naturalmente para a escrita da frase. Aliás, o prenome hpr kA ra significa algo como “a forma do Ka de Rá”. Observe, no trecho da chamada Lista de Abidos, os prenomes de alguns faraós da sexta dinastia.

Observe que todos estes nomes começam, também, com ra . E, da mesma forma, em todos a transliteração deve colocar ra como a última palavra do nome.

- 81 -


Hieróglifos Egípcios

A segunda regra que se deve conhecer para a transliteração correta dos nomes – e sobre a qual já falamos rapidamente –, é a formação do plural. Há duas formas básicas de se escrever uma palavra egípcia no plural. A primeira é a repetição da mesma palavra três vezes. Assim, por exemplo, escreve-se casas: prw A segunda forma de formação do plural é através da adição de três traços. Portanto, pode-se também escrever casas da seguinte forma. prw Outro exemplo. Se temos a palavra nfr belo Teremos nfrw belos ou

nfrw belos

Lembre-se que, ao transliterar o plural, é adicionado um w ao final da palavra. nfr é belo, nfrw é belos; nTr é deus, nTrw é deuses.

- 82 -


Antonio Fontoura Jr.

Existe ainda uma forma de plural que é específica dos egípcios: o dual. Esta forma de escrita refere-se, especificamente, a palavras que aparecem, normalmente, em duplas, como dois olhos, duas pernas, dois obeliscos, etc. Na transliteração, adiciona-se wy ao dual. Se braço é braços será awy.

a, dois

Vejamos como estas duas regras – a inversão honorífica e o plural – nos ajudam na tradução do nome de um faraó.

Você tem, nos cartuchos acima, o prenome e o nome do faraó Tutancâmon. Podemos começar transliterando o prenome, da seguinte forma: - ra - nb (que aqui tem o significado de todos, todas) - xprw (

xpr significa forma – além de ser o nome

do deus Khepra. Como está no plural, transliterado xprw)

deve ser

- 83 -


Hieróglifos Egípcios

A princípio temos ra nb xprw. Recolocando a palavra na ordem correta, corrigindo a inversão honorífica teremos, portanto, nb xprw ra. O significado do prenome de Tutancâmon é Todas as formas de Rá. Agora, o segundo cartucho. Começamos com imn – que é o nome do deus Amon. Você já traduziu este nome e não deve ter problemas. Atenção que tem a função de complemento apenas ao fonético e, portanto, não se translitera. twt, formando a palavra imagem, apenas com sinais alfabéticos. anx – vida. Repare que aqui não é o deus Rá (

ra), mas sim o deus Amon

imn) que está submetido à regra da inversão honorífica. ( Desta maneira, devemos rearranjar a transliteração da seguinte forma: twt anx imn. Forma-se, assim, o nome de Tutancâmon, Imagem viva de Amon. Por fim, ao final do cartucho, temos não os nomes, mas sim abreviações de frases e títulos comuns de reis. HqA iwnw Sma

- 84 -


Antonio Fontoura Jr.

Sendo que HqA é governante; iwnw é o nome egípcio para Heliópolis, uma das cidades mais importantes da região do delta do Nilo; Sma significa sul. Assim, Tutancâmon também é o Governante da Heliópolis do Sul. Nos exemplos acima, além de transliterar, também foi feita a tradução dos nomes dos faraós. Porém, em geral, não é feita esta tradução – apenas a transliteração. A LISTA DE REIS DE ABIDOS A reverência aos antigos faraós fazia parte das concepções religiosas dos egípcios.

Seti I leva seu filho, Ramsés II, diante da lista dos antigos reis do Egito: a lista de Abidos.

Ao se adorar um antigo rei, não apenas a sua memória era relembrada, mas também o novo rei era legitimado no poder.

Buscava-se, assim, a construção de uma ligação entre o passado (os antigos reis) e o presente (o atual faraó). São poucas as listas de faraós que os egípcios nos legaram. A lista de Abidos é uma das mais completas e interessantes, pelo que revela e pelo que esconde. Revela um conjunto de nomes de faraós que são conhecidos até hoje pela história, e outros que são considerados míticos, e que não deixaram vestígios arqueológicos.

- 85 -


Hieróglifos Egípcios

Esconde, também, nomes de faraós importantes – como Aquenaton e Tutancâmon – associados com uma revolução religiosa que os faraós posteriores quiseram apagar da lembrança – e da história. A seguir, você irá transliterar duas listas de reis do Médio Império e Novo Império. E irá diretamente à fonte; ou seja, procurará transliterar os nomes dos faraós diretamente da lista de Abidos. Utilize o glossário, que aparece ao final deste desafio, para auxiliá-lo na transliteração. 1. Reis do Médio Império b)

a)

d)

- 86 -

e)

c)


Antonio Fontoura Jr.

2. Reis do Novo Império b)

a)

d)

sinal

c)

e)

transliteração

ib

tradução coração

n

de

xa

aparecer/surgir

kA

o espírito Ka

- 87 -


Hieróglifos Egípcios

ou

nbw

ouro

xpr

o ser, a forma

sHtp

satisfazer

kAw

os espíritos Ka

ra Dsr aA

o deus Ra sagrado grande

EXERCÍCIOS 1. Os nomes, à esquerda, são adaptações dos nomes modernos, pelos quais estes reis do Novo Império são conhecidos. Utilize o glossário abaixo para este exercício. Nebpehtyre Ahmose Dyeserkare Amenhotep (I) Aakheperkare Thotmes (I) Aakheperenre Thotmes (II) Maatkare HatshepsutKhenmetamon

- 88 -


Antonio Fontoura Jr.

Menkheperre Thotmes (III) Aakhperure Amenhotep hekaiunu (II) Menkheperure Thotmes (IV) Nebmaatre Amenhotep hekawaset (III) Neferkheperurewaenre Akhenaton Nebkheperure Tutankhamonhekaiiunushema Dyeserkheperure -setepenre Horemhebmeriamun Menpehtyre Ramesse (RamsĂŠs I) Menmaatre Seti-meryenptah Usermaatresetepenre Ramessemeryamun (RamsĂŠs II)

- 89 -


Hieróglifos Egípcios

Glossário - Ax - espírito - iwnw - Heliópolis - itn – Aton (disco solar) - anx - vida - wAst - Tebas - pHty ou pHtt - força - m - em - mn - estabelecido - ms – dar a luz, formar - iaH – deus lunar ou

- imn – deus

Amon

aA - grande

ou

wa - único wsr - podroso - ptH – deus Ptah

mAat – deusa Maat (a verdade) ou - amado

ou

- mry

- n - de - nb - senhor ou

- ra – deus Ra

- Hb - festival - HqA - governante - xpr – chegar a ser, formar - xnmt – unida (com) - sty – Seti, ou o homem do deus Seth - Spswt – mulheres nobres - kA – o espírito Ka - DHwty – o deus Thot - nfr – bom, perfeito

- 90 -


Antonio Fontoura Jr.

- HAt – frente, primeiro - Hr – o deus Hórus ou

- Htp - satisfeito

ou

- sw - o

- stp - escolhido - Sma – do sul - twt - imagem

- xprw – seres, formar

- Dsr – sagrado

- 91 -


Capítulo 5

A reverência ao

Faraó

Um trecho do nome completo de Ramsés II. Os faraós possuíam vários nomes e títulos especiais.


Hieróglifos Egípcios

A

palavra faraó, que hoje usamos corriqueiramente como sinônimo de governante do Egito, só passou a ser usada pelos próprios egípcios a partir da XVIIIª dinastia.

Na imagem acima, inserido no cartucho, está a palavra pr aA origem da palavra faraó e que significa palácio (literalmente casa grande) era um dos inúmeros títulos e epítetos destinados aos faraós. O nome completo de um faraó – ou seja, o nome que envolve todos os seus títulos – é composto por cinco “grandes nomes”. Cada um destes nomes, que poderiam ou não aparecer em sua forma completa, nos diversos textos, eram precedidos de determinados sinais específicos.

- 94 -


Antonio Fontoura Jr.

Nome Nebty

Nome de Hórus

Nome Hórus de Ouro

Nome nsw bity

Nome Filho de Rá

Os vários nomes de um faraó eram compostos de fórmulas que se repetiam.

O nome de Hórus aparece escrito dentro do sinal

- 95 -


Hieróglifos Egípcios

Hr Este hieróglifo representa o deus Hórus – uma divindade associada à figura do faraó – pousado sobre o muro do palácio real. À esquerda pode-se ler, no destaque, o nome de Hr sm(A) tAwy

Ou seja, Hórus Semataui, o nome de Hórus do faraó Mentuotep.

O nome Nebty é precedido pelo título

- 96 -


Antonio Fontoura Jr.

A expressão Nebty significa, literalmente, “as duas damas” e representa duas divindades ligadas ao governante. Estas duas divindades são nxbt Nekhbet, deusa protetora do alto Egito (ou seja, do sul do Egito) e wADyt Uadjet, deusa protetora do baixo Egito (ou seja, do norte do Egito). O nome Hórus de Ouro é precedido pelo título Hr nbw Na imagem ao lado, o símbolo de Hórus de ouro é acompanhado pela palavra nTr deus, divino. Este trecho deve ser traduzido, então, Hr nbw nTr, ou divino Hórus de ouro.

- 97 -


Hieróglifos Egípcios

O nome nsw bity (costuma-se pronunciar nesu biti) é precedido pelos sinais

E se traduz como rei do Alto e do Baixo Egito. Em geral, este título precede o prenome do faraó. É um dos títulos mais comuns e aparece com frequência especialmente em templos. Na imagem, pode-se ler o nome nsw bity de Ramsés II: Nsw bity wsr mAat ra stp n ra São vários os sinais, expressões e títulos que se referem ao fato de o faraó ser governante de “dois Egitos” – Alto e Baixo Egito, Senhor das Duas Terras, Senhor das Duas Coroas, etc. Isto ocorre porque os próprios egípcios viam o nascimento de sua história quando Narmer – considerado o primeiro faraó – teria unido dois reinos, um ao norte e outro ao sul e, assim, criado o reino unificado de kmt ou seja, do Egito. O nome sA ra (ou filho de Rá) é um dos mais comuns do Antigo Egito. Em geral, precede o nome do faraó e aparece junto à expressão

- 98 -


Antonio Fontoura Jr.

sA ra Os faraós não eram vistos exatamente como deuses, mas eram consideradas, sem dúvida, pessoas ligadas diretamente a eles. A justificativa do poder faraônico estava no relacionamento que mantinha com o divino. Por isso, os faraós se descreviam como filhos de Rá, deixando clara esta identificação. No texto ao lado, em destaque, podese ler

sA ra DHwty ms nfr xpr e que se traduz como Filho de Ra, DHwty ms nfr xpr (nome Filho de Rá do faraó Tutmés III).

AS PALAVRAS “TODO” E “SENHOR” A palavra nb tem dois significados muito diferentes em egípcio. E como é uma palavra de uso bastante comum, é importante diferenciá-los. Em primeiro lugar, há o significado de todo, toda. Por exemplo:

- 99 -


Hieróglifos Egípcios

xt nbt – todas as coisas. E há o sentido de “Senhor”. Por exemplo, a mulher egípcia era frequentemente descrita como nbt pr – Senhora da Casa. Ou, ainda, aparece quando Osíris é descrito como nb AbDw – Senhor de Abidos. A regra para determinar o significado correto é simples. Caso nb venha antes da palavra a que se refere, o seu significado é de senhor, dono; caso venha depois, é todo, toda. Por isso, podemos ter: nTrw nb – Todos os deuses E nb nTrw – Senhor dos Deuses.

- 100 -


Antonio Fontoura Jr.

TÍTULOS REAIS Havia várias expressões para denominar o faraó. A mais comum, que usualmente se traduz como rei, era nsw Perdeu-se na história a razão de por que esta palavra, ainda que escrita com o bilítero sw e os sinais alfabéticos t e n, era pronunciada nsw. Outra forma de se referir ao faraó era utilizando a palavra ity governante. E, em alguns casos, utilizava-se simplesmente a palavra “Senhor”

nb, por vezes escrita simplesmente

nb.

Além do nome composto de cinco partes, os reis possuíam, ainda, uma série de títulos, que se repetiam nas inscrições, como verdadeiras fórmulas. nTr nfr – Bom deus (ou deus perfeito); nb tAwy – Senhor das duas terras (ou seja, do Alto e do Baixo Egito);

- 101 -


Hieróglifos Egípcios

ou

nb xaw - Senhor das coroas

nb irt xt – Senhor celebrante dos rituais (ou, mestre dos rituais). Observe com atenção o trecho destacado da seguinte imagem:

O trecho começa com nTr nfr, Bom deus (referindo-se ao próprio rei), e continua com seus títulos

- 102 -


Antonio Fontoura Jr.

nb tAwy nb ir Xt – Senhor das duas terras, Senhor dos rituais. A partir deste momento, aparecem duas partes do nome do faraó, o nome nsw bity: nsw bity mn-xpr-ra E o nome Filho de Rá sA ra DHwty ms nfr xpr Juntando-se todo o trecho, translitera-se:

nTr nfr nb tAwy nb ir Xt nsw bity mn-xpr-ra sA ra DHwty ms nfr xpr E traduz-se: Bom deus, Senhor das Duas Terras, Senhor dos Rituais, Rei do Alto e do Baixo Egito mn xpr ra, Filho de Rá, DHwty ms nfr xpr Observe esta imagem. No trecho em destaque temos:

- 103 -


Hieróglifos Egípcios

nb tAwy wsr-mAat-ra stp-n-ra nb xaw ra-ms-mr-imn Ou: Senhor das duas terras wsr-mAat-ra stp-n-ra, Senhor das Coroas, ra-ms-mr-imn.

ELOGIOS AO REI Ao final do nome, é bastante comum a presença de uma série de elogios e o destaque do que seriam qualidades do faraó. São frases escritas de forma bastante simplificada, e por vezes sua variação na escrita é grande. Porém, como se repetem com constância, sua identificação é facilitada. Assim, os egípcios constantemente diziam que seu faraó era: anx – vivo (ou vivente); anx wdA snb – vivo, próspero e saudável; di anx – dotado de vida; di anx wDA snb – dotado de vida, prosperidade e saúde;

- 104 -


Antonio Fontoura Jr.

di anx Dd wAs – dotado de vida, estabilidade e poder; Dt – para sempre; Dt r nHH – para sempre na eternidade; mi ra Dt r nHH – como Rá, para sempre na eternidade. Observe como estes nomes, títulos e elogios aparecem em um texto. O trecho em destaque começa com Hr nbw wADy Sendo que Hr nbw é a transliteração de Hórus de Ouro e wADy significa verde – palavra usada, aqui, em seu sentido metafórico de renascimento.

- 105 -


Hieróglifos Egípcios

A seguir tem-se, dentro do cartucho wnis, nome do faraó conhecido atualmente como Unas. Os últimos hieróglifos referem-se a qualidades do faraó: di anx nb Dd wAs nb Repare que nb, aqui, segue as palavras a que se refere. Portanto, tem o significado de todo, toda. Sabendo-se disso, e consultando-se o glossário das duas páginas anteriores, tem-se: dotado de toda vida, toda estabilidade e poder. Outro exemplo. Os primeiros hieróglifos do trecho em destaque são: nTr nfr Ou seja, bom deus. Segue-se o nome do faraó DHwty ms ou Tutmés. O texto é finalizado com uma série de elogios e qualidades do faraó:

- 106 -


Antonio Fontoura Jr.

di anx Dd wAs nb mi ra Dt

Desafio

Dotado de toda vida, estabilidade e poder, como Rá, para sempre.

O PAINEL DE NEFERTARI Se você acompanhou este capítulo com cuidado, e fez os exercícios dos capítulos anteriores, irá perceber que sua capacidade de traduzir textos aumentou consideravelmente.

Você já deve ser capaz, por exemplo, de traduzir o famoso painel que aparece na tumba da rainha Nefertari.

- 107 -


Hieróglifos Egípcios

Por incrível que pareça, as únicas palavras que aparece neste texto, e que você não conhece, são xr – perante, diante de; Hmt sw – Rainha (literalmente, esposa do Rei) Assim, translitere e traduza o texto do painel (a transliteração do nome de Osíris é Asir). Mas, lembre-se: este é um desafio. Não se preocupe se você não conseguir traduzir o texto inteiro, e ficar com dúvidas sobre determinados sinais e palavras. Isto é normal e faz parte do processo de aprendizagem. E, para evitar que você possa colar – ou, ao menos, para evitar a tentação de dar uma “olhadinha” – a resposta a este desafio está no final do livro.

Observe, aqui, o nome completo de Hatshepsut, uma das poucas mulheres a se tornarem faraós do Egito.

anx Hrt wsrt-kAw nbty wADt-rnp-wt Hr nbw nTrt-xaw nsw bity mAatkA-ra sAt rA hAt-Sps-wt-Xnmt-imn anx Dt nHH imn-ra sAt imit ib=f

- 108 -


Antonio Fontoura Jr.

Viva Hórus feminino Usert-kau, Nebty Uadjetrenput, Hórus de ouro Netchertkhau, rei (ela não transformou para o feminino) do alto e baixo Egito maat-kA-ra, filha de Ra, Hatshepsutkhenemetamon, viva para sempre na eternidade, filha de Amonra, que está em seu coração.

EXERCÍCIOS 1. Com ajuda do glossário a seguir, translitere e traduza o seguinte texto.

kA-nxt-xa m-mAat – Touro vitorioso que vive na verdade. Trata-se de um título real: o rei era frequentemente associado à imagem de touro.

- 109 -


Hieróglifos Egípcios

anx Hr –Hórus vivo.

2. Translitere e traduza o seguinte texto, que se refere ao faraó Ramsés II.

3. Translitere e traduza o seguinte trecho em destaque. Como o nome do faraó está muito danificado, você pode optar por não traduzilo.

- 110 -


Antonio Fontoura Jr.

4.Translitere e traduza o seguinte texto.

- 111 -


Hieróglifos Egípcios

5. Translitere e traduza as duas frases que aparecem neste pequeno vaso.

A última palavra do texto é

- 112 -

snb – saúde.


Antonio Fontoura Jr.

6. Translitere e traduza os textos que aparecem neste vaso. Trabalhe apenas com o trecho que estรก em destaque.

- 113 -


Capítulo 6

Os números e o

Calendário

Na estela, a repetição do número mil indica as milhares de oferendas a serem recebidas pela falecida.


Hieróglifos Egípcios

O

s egípcios são conhecidos pelo desenvolvimento de sua matemática que permitiu, especialmente, a evolução de sua arquitetura monumental. Construções como as grandes pirâmides só foram possíveis devido ao conhecimento que possuíam da matemática e, em especial, da geometria.

O sistema numérico egípcio era decimal, como o nosso. O número 1 era escrito com um traço simples: . Este símbolo era repetido até chegar à representação do número desejado. Por exemplo, o número 5 era representado

Este processo era repetido até o número 10, quando se mudava o sinal: . Somando-se as repetições destes sinais, tinha-se o número desejado.

No exemplo acima, tem-se a representação do número 27. Os egípcios conheciam e utilizavam os seguintes números: wa – 1

xA – 1000

mD – 10 SnT – 100

- 116 -

Dba – 10 000


Antonio Fontoura Jr.

Hfn – 100 000

HH – 1 000 000. Este era o maior valor que os egípcios conheciam. Era usado mais para exprimir uma quantidade muito grande do que um número real.

Somando e repetindo, adequadamente, estes símbolos, os egípcios representavam as quantidades. Que número está representado abaixo?

O CALENDÁRIO EGÍPCIO Os egípcios registravam as datas de acordo com o ano de reinado do monarca. Seria como se disséssemos Ano 1 do governo de Lula, ou Ano 5 do governo de Fernando Henrique Cardoso. Tratava-se, portanto, de uma forma variável de marcação do tempo, e não fixa como a que usamos hoje em dia. Assim, a palavra Ano rnpt era, na verdade, o ano real. Ou seja, o ano em que determinado rei estava governando.

- 117 -


Hieróglifos Egípcios

A fórmula para escrever datas seguia um determinado modelo fixo. Sempre se dizia Ano x sob o reinado de... . “x”

“...” rnpt xr Hm n

Observe o trecho que iremos estudar, e que se encontra na parte superior desta estela.

Na primeira linha temos a indicação do ano rnpt 3 Ou seja, ano 3. Na segunda linha, e curiosamente, não apenas o nome do faraó, mas também alguns de seus títulos foram colocados dentro do cartucho.

- 118 -


Antonio Fontoura Jr.

A primeira parte da segunda linha segue a fórmula de produção de datas: xr Hm n – Sob o reinado de Esta estrutura anuncia o nome do faraó que reinava ao tempo da produção desta estela. No caso: nsw bity nb-kAw-ra di anx mi ra Rei do Alto e do Baixo Egito nb-kAw-ra dotado de vida, como Rá. O ano egípcio era dividido em três grandes estações, ligadas diretamente ao funcionamento das cheias do rio Nilo e da agricultura. axt Aquet. Era a estação da inundação e ia de Estação meados de julho a meados de novembro. A estação prt Pert era a estação da germinação e ia de meados de novembro a meados de março. E, por fim, a estação Smw Shemu, a estação da colheita, ia de meados de março a meados de julho.

- 119 -


Hieróglifos Egípcios

Estas estações eram divididas em meses ( Abd, usualmente representados simplesmente ) e cada mês tinha 30 dias (

hrw), formando um total 360 dias.

O ano egípcio era complementado com os chamados dias adicionais, no total de 5, formando o total de 365 dias. Ano

Estações

rnpt

Mês

axt

Abd prt

(usualmente )

Dia hrw Ou sw

Smw

PRONOMES Pronomes são palavras que substituem nomes. Assim, se dizemos CASA DO JOÃO Podemos dizer CASA DELE

- 120 -


Antonio Fontoura Jr.

O pronome mais utilizado em egípcio é o pronome significa ele, dele. Assim, podemos dizer em hieróglifos

f que

pr=f – casa dele. Repare no sinal = que aparece na transliteração. Este sinal é utilizado para indicar que a palavra seguinte é um pronome e que, por isso, ambas estão diretamente relacionadas. Um título bastante comum do deus Anúbis, e que aparece com bastante frequência em textos hieroglíficos, é este: inpw tpy Dw=f Que significa Anúbis em sua montanha – a montanha sagrada na qual o deus habitaria. Decompondo esta frase, teríamos - inpw – O nome do deus Anúbis - Tpy – Sobre Dw – Montanha f – Sua, dele. Como ocorre em português, também no egípcio antigo os pronomes flexionam. Ou seja, mudam, conforme a pessoa a que

- 121 -


Hieróglifos Egípcios

se referem esteja no masculino ou no feminino. Assim, se dizemos pr=f – casa dele deveremos mudar o pronome ao dizer pr=s – casa dela. Como seria de se esperar, há pronomes para o singular e para o plural. E também para o feminino e o masculino. Temos ainda, gramaticamente, três pessoas. Ou seja, a primeira pessoa do singular, a segunda e a terceira pessoa do singular. Além disso, temos a primeira, segunda e terceira pessoas do plural. Tudo isso para que possamos dizer corretamente minha casa, casa dele, nossa casa, etc.

- 122 -


Antonio Fontoura Jr.

TABELAS DE PRONOMES Eu

, =i Eu feminino

Tu, Você Ele

=k Tu, você feminino

=s =n =Tn ou

Vós, vocês Eles

=T

=f

Ela ou Nós

=i;

ou

=tn

=sn

O uso destes pronomes é bastante simples. Após o substantivo, é adicionado o pronome: hm.t=f – Sua esposa (literalmente, “mulher de ele”). Outro exemplo: sS=z – Seu escriba (literalmente, “escriba de ela”).

- 123 -


Hieróglifos Egípcios

E uma expressão comum em textos egípcios sA=f mry=f – Seu filho, seu amado (ou, se você desejar, seu filho amado) Observe com atenção o texto ao lado. No destaque temos: nb=f – Seu senhor

Observe este outro texto. Ele começa com a palavra it que significa pai. Repare que o f não é transliterado. Na verdade, o f cumpre aqui uma dupla função: ▪ como determinativo: não se sabe a razão, mas desde o período prédinástico da história do Egito, a cobra com chifres é um

- 124 -


Antonio Fontoura Jr.

determinativo para a palavra pai. ▪ como pronome, no caso, com o significado de

=f.

Assim, temos: it=f mry=f intf mAa-xrw Sabendo que intf é o nome de uma pessoa, você mesmo consegue traduzir este texto. Tente por um instante, antes de prosseguir. Traduzindo a frase, tem-se: seu pai, seu amado, Intef, verdadeiro da palavra.

EXERCÍCIOS 1. Em que ano, e sob o reinado de qual faraó, o seguinte texto foi escrito?

- 125 -


Hier贸glifos Eg铆pcios

2. Translitere e traduza a primeira linha da seguinte estela.

3. Translitere e traduza os dois trechos selecionados da seguinte estela.

I

II

- 126 -


Antonio Fontoura Jr.

xpS – pata de boi; força. O nome Hórus de Ouro do faraó é s-wADy-tAwy

4. Translitere e traduza o seguinte trecho selecionado.

mry – Amado de

AbDw – Abidos 5. Translitere e traduza o trecho em destaque. Note a ocorrência do dual na frase.

- 127 -


Hier贸glifos Eg铆pcios

6. Translitere e traduza o texto em destaque.

- 128 -


Capítulo 7

Os textos

Religiosos

Estela com uma fórmula de oferenda aos mortos – garantia ao falecido de vida eterna.


Hieróglifos Egípcios

Q

uando se afirma que os egípcios utilizavam-se de várias fórmulas para escrever seus textos, isso se refere ao uso de expressões que se repetem. Utilizam-se, portanto, de um modelo estereotipado, ao qual eram adicionados diferentes elementos. Você viu, por exemplo, que os elogios feitos aos faraós repetiam-se com frequência. Por isso, pode-se falar de fórmulas para escrever sobre o rei. A vida religiosa era muito importante para os egípcios. Muitos aspectos de seu cotidiano eram direcionados à religião. Por isso, muitos textos religiosos eram produzidos e, considerando-se seus objetivos comuns, muitas vezes repetiam-se. As estelas funerárias, especialmente, repetiam uma fórmula conhecida como fórmula de oferenda. São, basicamente, orações, em que se pedem que as oferendas dedicadas pelos familiares ao falecido, sejam divididas com os deuses. Repare no trecho selecionado destas estelas:

- 130 -


Antonio Fontoura Jr.

Todas as estelas começam seus textos da mesma forma, utilizando os sinais Htp di nsw A seguir estudaremos os elementos que fazem parte desta fórmula, aprender seus significados e, claro, sua tradução.

OS ELEMENTOS DA FÓRMULA DE OFERENDA 1.

Htp di nsw

É o elemento que caracteriza e que inicia a fórmula de oferenda. Já no Médio Império havia se tornado uma expressão estereotipada. Note que nsw, rei, é a primeira frase da fórmula, mas lê-se ao final, aparecendo em primeiro lugar devido à inversão honorífica, como acontece com o nome de deuses. A palavra Htp significa oferendas, enquanto abreviação de dar.

di é uma

- 131 -


Hieróglifos Egípcios

Curiosamente, e embora seja repetida aos milhares em estelas egípcias, o significado deste início da fórmula é incerto. É provável que seu significado exato tivesse se perdido mesmo para os egípcios, sendo repetido nos textos por conta da tradição. De toda forma, usualmente se traduz Htp di nsw como “Oferendas dadas pelo rei”, considerando o faraó, aqui, como um intermediário entre o mundo dos homens e o mundo dos deuses. 2. Nome da divindade A segunda parte da fórmula indica o nome da divindade (ou divindades) que irá receber as oferendas. No caso, a oferenda deve ser dirigida a Osíris Khentimentu. Em hieróglifos, seria: Asir xnty imntw ▪ O nome do deus

Asir você já conhece.

▪ A segunda parte de seu nome significa Aquele que está à frente dos ocidentais. Sendo:

- 132 -


Antonio Fontoura Jr.

xnty estar à frente

imntw do ocidente

O sol se põe no oeste (ocidente); por isso, os egípcios acreditavam que os mortos iriam para o ocidente, acompanhando a “morte” do sol. Osíris, por sua vez, é o deus ligado aos mortos; é o seu faraó, aquele que os lidera. Ele é, portanto, portanto, o que está “à frente dos ocidentais”. Osíris, neste texto, é ainda identificado como nb AbDw (esta última palavra é uma contração de ) Ou seja, ele é Senhor de AbDw, Senhor de Abidos. Outro deus ao qual é muito comum o oferecimento de estelas funerárias é o deus Anúbis inpw E, especialmente, uma das formas do deus, wp wAwt Upuaut, ou Anúbis que abre os caminhos. Porém, vários outros deuses podem receber homenagens pela fórmula de oferenda como, por exemplo,

- 133 -


Hieróglifos Egípcios

Ast – Ísis ptH- Ptah gb – Geb ra - Rá Observe o início desta outra estela.

As oferendas, aqui, são dirigidas a vários deuses: ptH - Ptah skr – Sokar, divindade funerária, representada como um falcão mumificado Asir – Osíris Hw.t-Hr nbt imntt - Hathor, senhora do ocidente

- 134 -


Antonio Fontoura Jr.

3. Que ele dê; que lhe seja dado As oferendas que a família do falecido apresenta serão, por sua vez (e por intermédio do faraó), ofertadas aos deuses citados no texto. Este trecho, portanto, indica o desejo do falecido de apresentar estas oferendas. Para isso, usa-se a expressão di=f – que ele dê. Outros tipos de ações podem ser descritas: que ele diga, que eles beijem, etc. Mas, sem dúvida, di=f é a mais comum. 4. As oferendas invocadas Este trecho da fórmula de oferenda é também conhecido como prt-xrw.

Nesta parte da estela são listados todos os itens que devem ser oferecidos ao

- 135 -


Hieróglifos Egípcios

deus (ou deuses). Note que na própria expressão abreviada já aparecem os sinais de t pão e Hnqt que devem ser lidos, transliterados e traduzidos. Vejamos a lista de oferendas que é apresentada nesta estela. Temos: kA – Boi (significando a oferenda de carne boi); Apd – Pássaro (da mesma forma, com o significado de oferenda de carne de pássaro); Ss – Alabastro, uma pedra utilizada pelos egípcios para construção de pequenos objetos, como estátuas; mnXt – Linho, o tecido mais nobre conhecido pelos egípcios. Além disso, devem ser oferecidas ainda,

xt nbt nfrt wabt anxt nTrt im Que se pode traduzir como Todas as coisas boas e puras de que um deus vive. A palavra adição de - 136 -

xt coisa, coisas, aparece aqui abreviada. Com a nb temos, então, Todas as coisas.


Antonio Fontoura Jr.

A seguir o texto coloca os adjetivos para estas coisas. Elas são: nfrt – boas e - wabt – puras. Esta frase é comumente acompanhada da expressão anxt nTrt im que significa de que um deus vive. Assim, se fôssemos traduzir as oferendas invocadas, do texto que estamos estudando, teríamos:

prt-xrw t Hnkt kA Apd Ss mnxt xt nbt nfrt wabt anxt nTrt im Oferendas invocadas de pão, cerveja, boi, pássaro, alabastro, linho (e) todas as coisas boas e puras de que vive um deus. São, ainda, expressões comuns das oferendas invocadas: dd(w).t p.t3 – que dá o céu qnA(w).t tA – que cria a terra inn(w).t Hapy – que chega a inundação

3

As letras que aparecem entre parêntesis referem-se a hieróglifos que deveriam aparecer no texto, mas que foram omitidos pelo escriba.

- 137 -


Hieróglifos Egípcios

ou

hAt prt – que vem e que vão

ax m pt – (de um) espírito do céu (a outro) wsr m tA – poderoso sobre a terra DA=f biA – que atravessa o firmamento

5. “Para o Ka de” Este trecho indica que as oferendas, oferecidas aos deuses, são também em benefício do morto. Mais, especialmente, de sua alma kA: a alma relacionada à presença terrena do falecido. Quanto maior o número de oferendas – e, em geral, quanto mais o egípcio era lembrado – melhor era para seu Ka.

- 138 -


Antonio Fontoura Jr.

6. O nome do dono da estela Trata-se de uma estela mortuária. Seu objetivo era garantir ao falecido, na eternidade, a lembrança entre os homens e o apreço dos deuses. Por isso, quase todas as pessoas descreviam a si mesmas como alguém imAxy – venerado PROFISSÕES Usualmente, após esta expressão segue-se o título ou a profissão que a pessoa tinha em vida. Muitos dos títulos começam com ou

mr

que significa estar com a palavra, usando-se no sentido que damos hoje à palavra chefe. No caso desta estela, em particular, o seu proprietário se declara mr pr – Chefe da casa.

- 139 -


Hieróglifos Egípcios

Uma posição administrador.

que

poderíamos

traduzir

melhor

como

Algumas profissões que você pode encontrar em suas traduções: HAt-a – governador mr-exnwty – supervisor da câmara (do rei) mr-mSa – supervisor do exército Há ainda, títulos religiosos, como wab – sacerdote Hm-nTr – sacerdote Xry-Hbt – sacerdote leitor

NOMES PRÓPRIOS Deixando claro que é uma pessoa venerada, e sua profissão – ou títulos que possui – é apresentado o nome do dono da estela. Neste caso, seu proprietário é

- 140 -


Antonio Fontoura Jr.

sn-wsrt Senusert – note a inversão honorífica na transliteração do nome. Senusert, neste caso, faz questão ainda de dizer que é seja, nascido de

ir-n, ou

Htpt Que vem a ser o nome de sua mãe. Sabemos que é o nome de uma mulher pelo t ao final do nome e pelo determinativo de mulher. ms, que significa Pode aparecer, por vezes, a expressão gerado por. Esta expressão, ao contrário de ir-n, é usada apenas para se referir a mulheres. Por fim, as duas últimas palavras do texto indicam que Senusert é mAa-xrw, ou seja, verdadeiro da palavra.

- 141 -


Hieróglifos Egípcios

EXERCÍCIOS 1. Estudamos que a fórmula de oferenda, em geral, é composta por seis grandes partes: 1. Htp di nsw

4. Oferendas invocadas

2. Nome da divindade ou divindades

5. Para o Ka de 6. Nome do dono da estela

3. Que ele dê Identifique e, depois, circule e numere, na pequena estela abaixo, cada uma dessas partes. Note que dois itens da lista acima não estão presentes no texto.

- 142 -


Antonio Fontoura Jr.

2. Observe a seguinte estela. Ela possui todos os elementos da fórmula de oferenda. a) A qual deus é dedicada a estela? Quais são os títulos deste deus (destaque 1)? 2

1

b) Encontre a expressão Que ele dê, na primeira linha da estela. c) Encontre a expressão deus vive, no texto.

anxt nTrt im De que um

d) Quais são as oferendas listadas no texto (destaque 2)? e) Encontre a expressão Para o Ka de, no texto. f) Encontre a forma como foi escrita a profissão do falecido mr-exnwty – supervisor da câmara (do rei).

- 143 -


Hieróglifos Egípcios

g) Encontre o nome do falecido no texto:

3. Observe a seguinte estela com atenção: a) A que deus é dedicada a estela abaixo?

b) Translitere e traduza a primeira frase do texto.

- 144 -

sA xr ti.


Antonio Fontoura Jr.

4. Este tipo de estátua funerária é conhecido como estátua bloco e unia a representação do falecido à escrita de textos funerários.

Observe com atenção a primeira linha desta estátua

- 145 -


Hieróglifos Egípcios

a) Encontre a expressão Htp di nsw que classifica este texto como uma fórmula de oferenda. b) O texto é oferecido a uma das formas do deus Osíris, Asir wnefrw. Encontre este nome na frase. c) Sabendo que Hr significa aquele que está sobre, que habita, translitere e traduza o texto em destaque.

5. A fórmula de oferenda do texto abaixo é dedicada a três deuses.

a) Quais são estes três deuses? b) Que deus é chamado de governante da eternidade c) Que deus está diante do templo

- 146 -

xnt Hwt-nTr?

HqA Dt?


Antonio Fontoura Jr.

6. A estela abaixo, que se encontra no Museu Britânico, é da XIXª dinastia (aproximadamente 1250 a. C.).

- 147 -


Hieróglifos Egípcios

a) Repare que os hieróglifos, em textos originais, por vezes são escritos de forma pouco precisa – esta é uma das dificuldades que você vai enfrentar em suas traduções. Independentemente disso, você é capaz de identificar, na parte superior da estela, o nome do deus representado? Uma dica: é o mesmo deus da estela de Senusert, que estudamos na fórmula de oferenda. b) Translitere e traduza o texto da parte inferior da estela. Atente para os seguintes detalhes: ▪ O escriba repetiu, em dois locais diferentes, a palavra Hnqt, cerveja; ▪ Traduza servo. ▪ leite. ▪

- 148 -

irp – vinho;

como

(na verdade,

sDm aS –

) irTt –

é o nome do dono da estela


Antonio Fontoura Jr.

7. Translitere e traduza as duas primeiras linhas desta estela, que se encontra no Museu Britânico, e data do período do Médio Império (aproximadamente 1800 a. C.).

Note que o nome do dono da estela é

- 149 -


Hieróglifos Egípcios

b) Observe este detalhe da estela.

Qual é o nome do pai de Renefesenbi (o dono da estela)?

- 150 -


Antonio Fontoura Jr.

8. Observe com atenção a seguinte estela da XIIª dinastia, que se encontra no Museu do Louvre.

São várias frases diferentes, referindo-se a orações específicas. Utilize o esquema abaixo como guia para as frases. a) Translitere e traduza a frase 1. Atente que: ▪

sn – Beijar

▪ A palavra terra usualmente é escrita tA, mas pode

- 151 -


Hieróglifos Egípcios

aparecer, também, sem os três pontos: ▪

.

prt – procissão

▪ mAA – ver. Este é um dos poucos verbos egípcios em que o determinativo aparece no meio da palavra. ▪ nfrw – Esta palavra é um falso plural. Temos a tendência de querer traduzi-la como belezas, mas seu significado real é perfeição. ▪ caminhos.

wp wAwt – Upuaut, ou Anúbis que abre os

▪ A parte de baixo da estela está danificada. Ali está escrito . Sendo que ▪

tpy significa primeiro, primeira.

xtmw Xr-a – chanceler.

b) Translitere e traduza a frase 2. c) Logo abaixo da frase 2, ao lado do personagem a que a frase se refere, está a seguinte inscrição.

- 152 -


Antonio Fontoura Jr.

Sabendo que rn significa a palavra nome, translitere e traduza esta legenda.

d) Translitere e traduza a frase 3. e) Observe o seguinte detalhe da estela.

- 153 -


Hieróglifos Egípcios

O trecho assinalado refere-se à pequena mulher, que aparece na parte de baixo da imagem. O que diz o texto? Lembre-se que ms n – gerado por.

Desafio

f) O pequeno personagem à esquerda tem o seu nome mencionado na estela. Qual o seu nome?

A maioria dos textos funerários egípcios não se refere apenas ao falecido, mas estende-se também aos membros da família.

Não apenas pelo desejo de que todos compartilhassem a vida no outro mundo mas, também, porque a produção de estelas era um empreendimento caro – assim, buscava-se minimizar os custos inserindo vários membros da família em um mesmo texto de proteção divina.

- 154 -


Antonio Fontoura Jr.

Nesta estela, por exemplo, não são apresentados apenas os nomes: pequenas estátuas dos parentes foram colocadas.

Você já conhece algumas palavras do vocabulário relacionado ao parentesco. Você sabe que filho é sA como aparece, por exemplo, no nome sA ra filho de Rá do faraó. Filha, pelas regras de escrita do egípcio antigo, é sAt com a adição de um apareça).

t e a mudança no determinativo (caso este

Já trabalhamos, também, com a palavra estranho determinativo.

it pai, e seu

- 155 -


Hieróglifos Egípcios

A palavra mãe, por sua vez, é mwt mesmo nome de uma divindade egípcia. Temos ainda as palavras para sn – irmão snt – irmã Sendo que a palavra como sinônimo de esposa.

snt irmã é, por vezes, utilizada

De toda forma, há uma palavra específica para esposa, em egípcio antigo: Hmt Nefertari, como você viu em sua tradução do painel em sua tumba, é apresentada como rainha.

Hmt sw ou seja, esposa do rei:

Observe, por exemplo, a seguinte estela, da XIª dinastia.

- 156 -


Antonio Fontoura Jr.

No texto à direita temos o nome do proprietário da estela: imAxw imn-m-mHAt Venerado Amenemat E, à esquerda, uma mulher, que é assim apresentada: Hmt=f mryt=f Hnit Note que o escriba aproveitou ou espaço disponível, e escreveu apenas uma vez o pronome f. A tradução, então, deve ser: sua esposa, sua amada, Henit.

- 157 -


Hieróglifos Egípcios

Temos, nesta estela, a representação de quatro pessoas. O texto, basicamente, apresenta seus nomes e funções. A primeira pessoa à direita é assim descrita:

iryt r pr n imn iu-f-r-bA-k mAa-xrw Guardião do templo de Amon, iu-f-r-bA-k, verdadeiro da palavra

- 158 -


Antonio Fontoura Jr.

Procure traduzir as funções, o parentesco e os nomes das demais pessoas representadas. Lembre-se que nbt prt era um título comum para mulheres, e significa Senhora da casa. Além disso wab n imn é um título religioso e significa Sacerdote de Amon (literalmente, “o puro de Amon”). Além disso, nbt iwnt é um nome próprio (e que, se fôssemos traduzir, significaria Senhora de Iwnw, ou seja, Senhora de Heliópolis). As respostas, como sempre, encontram-se ao final do livro. De toda forma, não é este o seu desafio. Este foi, digamos, um treino. Seu desafio é transliterar e traduzir, por completo, a estela da página seguinte, e que hoje se encontra no Museu Britânico. Trata-se de um texto da XIIª dinastia. Se você acompanhou este livro até aqui, e fez todos os exercícios, certamente estará em condições de traduzir textos bastante complexos, como o que segue.

- 159 -


Hier贸glifos Eg铆pcios

- 160 -


Antonio Fontoura Jr.

Como se trata de um texto bastante longo, vamos estudar cada parte separadamente. Trecho 1

Comece traduzindo o texto da fórmula de oferenda, antes de seguir para os nomes de cada um dos personagens. Todas as palavras que aparece neste texto já foram vistas neste livro e trabalhadas em exercícios. Convém ainda lembrar que mr pr – Administrador Além disso, a expressão

xA m significa um milhar de.

- 161 -


Hieróglifos Egípcios

Trecho 2

Aqui você deve saber que: ▪ imnt nfr – Belo Ocidente; ▪ ▪

snTr – incenso; mrHt – óleo;

▪ m Abd smdt – Nos festivais do mês e da metade do mês

- 162 -

▪ Wag

nt wAg – do festival

▪ r-pqr – Peker; cidade ligada ao culto de Osíris ▪ Thot.

DHwtt – Na festa


Trecho 3

Trecho 4

Neste último trecho, em que funcionários são representados, não há títulos ou frases: apenas os nomes das pessoas.


Capítulo 8

Os textos

Nos Templos

Ramsés II é representado aqui recebendo o sinal de vida do deus Amon.


Hieróglifos Egípcios

A

s paredes dos templos egípcios eram utilizadas, pelos faraós, com uma dupla função: religiosa e política. Textos e imagens com narrações de suas conquistas (militares ou não) dividiam espaço com imagens de sua presença diante de deuses e deusas. Como se sabe, o relacionamento do faraó com os deuses egípcios era fonte da legitimação de seu poder.

Quando as representações do rei envolviam seu relacionamento com divindades, determinadas fórmulas e padrões eram utilizados tanto na representação das imagens, quanto na criação dos textos.

- 166 -


Antonio Fontoura Jr.

Estas cenas são delimitadas pelos hieróglifos da terra, tA do céu, pt sustentados por pilares que, por vezes, têm a forma do centro wAs . Nestas cenas, o rei aparece fazendo oferendas a um ou mais deuses que, por sua vez, fala em favor do monarca. O nome do rei é geralmente escrito sobre ele, e os hieróglifos são orientados na mesma direção em que está olhando.

São colocadas, ainda, uma ou mais divindades protetoras – o disco solar alado, o falcão, etc. – sobre o rei.

- 167 -


Hieróglifos Egípcios

Observe, neste exemplo, a disposição dos elementos.

A deusa protetora que aparece nesta cena é Behedety, uma deusa do Médio Império associada a Hórus.

- 168 -


Antonio Fontoura Jr.

No texto que identifica a deusa, pode-se ler:

Ast wrt nTrt mwt nbt pt Ísis, grande deusa, Mãe do deus, Senhora do céu.

A ação é apresentada com uma pequena legenda inscrita entre os dois personagens. Em geral, a ação é expressa no infinitivo (dar libações, oferecer vinho, etc.). Algumas das ações mais comuns: rdt qbH – oferecer libações

rdt t-Hd consagrar o pão branco

rdt jrp – oferecer vinho rdt Dsrt oferecer a cerveja forte rdt oferecer incenso

snTr

dwA imn Hr xtyw – adorar Amon sobre a escadaria rdt Sat n imn-ra oferecer o pão Sat a Amon Ra

- 169 -


No texto em destaque está escrito: rdt Saty – Oferecer dois pães Shat (um tipo de pão dos antigos egípcios). E, na parte de cima, temos a identificação do rei: nsw bity nb irt-xt sxm-rawAd-xaw di anx Dd wAs mi ra - Rei do Alto e do Baixo Egito, Senhor dos Rituais, Sxm-ra-wAd-xaw dotado de vida, estabilidade e poder, como Ra.


Antonio Fontoura Jr.

AS PALAVRAS DA DIVINDADE Nas imagens dos templos, a divindade responde à oferenda do rei, garantindo a ele vida, estabilidade, poder, sobre o Egito. Ou então, ações mais concretas, como a vitória contra países estrangeiros. A frase dita pela divindade é também uma fórmula iniciada por Dd mdw – Diz as palavras. ou i – (eu) nunca é escrito. Afinal, a O pronome sufixo imagem do próprio deus funciona como pronome.

- 171 -


Hieróglifos Egípcios

Nesta estela, as três linhas em destaque são palavras da divindade (no caso, a deusa Tanet) para o faraó (à direita, em imagem já apagada). Na primeira coluna (lendo-se da direita para a esquerda, acompanhando a direção da leitura), tem-se a fórmula que começa com Dd mdw – Diz as palavras A seguir, afirma: din n=k O hieróglifo di, como vimos várias vezes, especialmente na fórmula de oferenda, é traduzido como dar. Dentro da gramática egípcia, quando um n que não seja um pronome é colocado após o verbo, a ação é apresentada no passado. Assim se

di=i é eu dou,

din=i é eu dei.

O segundo n faz o papel de pronome (para) enquanto o k é um pronome sufixo: tu, você. Juntando todo este conjunto temos que din n=k – Dei para ti.

- 172 -


Antonio Fontoura Jr.

A partir daqui, a tradução da primeira coluna torna-se simples:

Dd-mdw din n=k anx wAs nb Ddt nbt mi-ra Diz as palavras: eu dei para ti toda vida, todo poder, toda estabilidade, como Ra A segunda coluna mantém a mesma estrutura e a mesma fórmula. O texto diz

Dd mdw din n=k Htpwt nbwt Diz as palavras: eu ofereci para ti todas as oferendas Note aqui que o plural de oferenda repetição da palavra por três vezes.

Htp foi construído com a

E, por fim, na terceira coluna:

Dd mdw din n=k DfAw nbw Diz as palavras: eu dei para ti todos os alimentos. Muitas vezes, logo após a expressão Dd mdw (diz as palavras) surge a preposição por in, indicando o nome da divindade que está falando as palavras.

- 173 -


Hieróglifos Egípcios

Observe, no texto abaixo, o trecho em destaque.

Dd mdw in imn-ra Hr-tp nTr nb pt Palavras ditas por Amon-Ra, (que está) sobre os deuses, senhor do céu.

A FÓRMULA DE PROTEÇÃO É comum aparecer, nas cenas de oferendas, uma fórmula de proteção ao faraó. Esta fórmula, bastante abreviada, costuma ser escrita atrás do personagem.

- 174 -


Antonio Fontoura Jr.

O hieróglifo

sA é traduzido como proteção, e muitas vezes

sA. Já o conjunto substituído pelo sinal significado de que o cerca.

HA=f tem o

Assim, no texto apresentado acima, temos a seguinte tradução:

sA nb anx nb HA=f mi ra Toda proteção, toda vida, que o cercam, como Rá.

- 175 -


Hieróglifos Egípcios

Exercícios 1. Vamos estudar o seguinte painel, com oferendas do faraó Tutmés. a) Translitere e traduza, em primeiro lugar, o nome e os títulos do faraó. Pelo conhecimento que você tem das fórmulas de escrita, procure determinar os hieróglifos que aparecem apagados no texto. Lembre-se que saúde.

- 176 -

snb significa


Antonio Fontoura Jr.

b) Translitere e traduza a oferenda que o faraó apresenta ao deus. Saiba que ir=f di anx significa para que ele possa dar a vida.

c) Translitere e traduza os títulos e elogios do deus ▪

skr Sokar.

Awt-ibt – felicidade.

- 177 -


Hieróglifos Egípcios

d) Translitere e traduza as palavras do deus. Para traduzir este trecho você deve saber que: ▪ ▪

- 178 -

Hb sdw – festivais, festas religiosas; aSA – muitos.


Capítulo 9

Como continuar

Os estudos

Um sarcófago do médio império: o treino e a busca por textos a traduzir levam ao aprendizado.


Hieróglifos Egípcios

O

s estudos dos hieróglifos egípcios são infindáveis. Sempre haverá novos textos, novos períodos, novas palavras para ler e traduzir. Nos museus de todo o mundo há, literalmente, milhões de peças a serem traduzidas. E, ainda hoje, descobertas arqueológicas revelam mais artefatos da antiga religião egípcia. Mas, como continuar com o aprendizado? Embora eu espere que você tenha aprendido muito com este livro, ele é, certamente, apenas uma introdução à leitura e tradução dos antigos hieróglifos. Para que você possa realizar este aprofundamento – e ter uma vida inteira de estudos (pois ninguém, nunca, poderá dizer que sabe tudo sobre hieróglifos) – há boas e más notícias. A boa notícia é que existe uma quantidade de recursos muito grande, boa parte deles gratuitos (na internet), para quem deseja estudar mais sobre o Egito e a escrita egípcia. A má notícia é que a maioria destes recursos está em língua estrangeira e, especialmente, em inglês. A seguir, um pequeno guia que poderá servir para você como ponto de partida para seus estudos em hieróglifos egípcios.

SITES ▪ No Brasil existe o hieroglifos.com.br, site que oferece cursos multimídia, com tutoria, para o aprendizado de hieróglifos.

- 180 -


Antonio Fontoura Jr.

O curso oferecido pelo site é um pouco mais aprofundado que o deste livro. Opte por ser inscrever se você deseja reforçar o que aprendeu aqui, por meio de exercícios diferenciados e o acompanhamento de um tutor em seu processo de estudo. ▪ Em patolagames.com.br/nefertari você poderá fazer o download de uma reprodução em 3D da tumba da rainha Nefertari. Este simulador é gratuito e permite a você que caminhe pelo interior da tumba, observando e analisando todas as pinturas e inscrições. Todas as pinturas e inscrições possuem explicações complementares. Uma boa forma de você treinar a sua leitura e escrita, passeando pela tumba e buscando traduzir as inscrições, como se estivesse no Egito. ▪ O famoso site de hospedagem de imagens Flickr (flickr.com) possui diversos grupos que divulgam imagens do antigo Egito. Desde imagens bastante gerais como Arte Egípcia até bem específicos como Hieróglifos, você tem no site uma fonte de estudos praticamente inesgotável. Além disso, poderá trocar idéias com outros amantes da egiptologia.

- 181 -


Hieróglifos Egípcios

Lembre-se de realizar as suas buscas no site com palavras em inglês. A maioria dos estudiosos e amantes do Egito que estão no site conversam, também, em inglês.

LIVROS Não há muitos livros que façam um adequado aprofundamento do estudo de hieróglifos. Recomendo aqui dois, para que você possa escolher. ▪ Egyptian Grammar, de Sir Alan Gardiner. Ainda hoje o melhor e mais profundo livro para estudo da língua egípcia antiga. Trata-se, como o nome diz, de uma gramática, então não espere ver imagens de textos originais – você irá se deparar com questões áridas de formas verbais, pronomes, tempos, etc. Ainda assim, se você quiser ser considerado um estudioso sério da língua egípcia, deve ter este livro. O grande problema desta obra é que ela não possui respostas para as centenas de exercícios que propõe. Isto não é exatamente uma grande dificuldade, pois o conteúdo é bem explicado e, de toda forma, a internet possui uma grande quantidade de soluções aos exercícios para você comparar suas respostas. ▪ Middle Egyptian: An Introduction to the Language and Culture of Hieroglyphs, de James Allen. Este livro vem substituindo o livro de Gardiner na preferência dos cursos de egiptologia no exterior.

- 182 -


Antonio Fontoura Jr.

Basicamente, trata das mesmas questões, e é também uma grande gramática do antigo egípcio. Porém, a leitura é um pouco mais agradável (o que não afeta sua profundidade), além de possuir respostas a todos os exercícios apresentados. De todas as formas, ambos os livros são uma boa compra e você os encontra na livraria virtual Amazon.com. Antes de considerar a compra, lembre-se de dar uma olhada nas bibliotecas de sua cidade. É possível que você encontre uma destas obras nas prateleiras. ▪ Caso você procure um bom dicionário de hieróglifos, está preso a praticamente uma única opção: Concise Dictionary of Middle Egyptian de Raymond Faulkner. Todas as outras opções são incompletas ou profundamente equivocadas.

SOFTWARE Este livro foi todo escrito com a utilização do software JSesh, que você deve ter em seu computador (jsesh.qenherkhopeshef.org, ou simplesmente digite JSesh no Google). É um programa de fácil utilização e fácil aprendizado. Considerando-se, é claro, as peculiaridades de você transpor, para o teclado, todas as centenas de hieróglifos conhecidos.

- 183 -


Hieróglifos Egípcios

Produzido por egiptólogos, é um programa gratuito e mantido por doações (considere seriamente ajudar). Possui, ainda, um fórum para iniciantes, que pode ajudá-lo em seus primeiros passos no programa. (Quer um exercício extra? Passe para o JSesh os hieróglifos que você traduziu neste livro. Reforçará o que aprendeu e treinará os comandos do programa).

SENUSERT E, caso você tenha esquecido, a estela de Senusert, na página 2, está te esperando. Você pode começar seus exercícios de leitura lendo-a por completo. Divirta-se.

- 184 -


Antonio Fontoura Jr.

RESPOSTAS DOS EXERCĂ?CIOS p. 9 - Da esquerda para a direita p. 12 - A primeira e a segunda colunas devem ser lidas da direita para a esquerda. A terceira coluna deve ser lida da esquerda para a direita. p.19 - 1a. Da direita para a esquerda. p. 20 - 1b.

1.c - Da esquerda para a direita p. 21 - 2a.

- 185 -


Hier贸glifos Eg铆pcios

2b.

2c.

2d.

p. 22 - 3a.

3b.

2 1

23 22

18

2 4

5 6

7

9 12 13

11

14

15

8 10

16 17 18 19 20 21

- 186 -

24 25 26 27 28 29

8 19 11 20

10 9

13

12

14 21

1

6 7

15 16

2 3 4 5


Antonio Fontoura Jr.

3c.

29

23 19 15 11 30 6 24 20 31 16 12 25 21 7 33 32 17 13 8 26 36 35 34 27 9 22 18 10 28 14 37

17 1 2 3 4 5

p. 26 O determinativo utilizado pelos egípcios é p.29

p. 30 – 1a.

1b.

Hapi Osíris

- 187 -


Hieróglifos Egípcios

p. 31 – 1c.

1d.

Geb

1e.

Haqet

Duamutef

p. 32 – 2a. Da direita para a esquerda.

2b.

2c. Não foi escrita a letra

p. 33 – 2d. Anúbis, Senhor da Terra Sagrada.

3.

- 188 -


Antonio Fontoura Jr.

p. 35 – 4b.

Osíris e Anúbis.

4c. Osíris, escriba real Roy, verdadeiro da Palavra, Anúbis (... continuação do texto). p. 50 – 1. niA p.51 – 2. mTTi p.52 – 3. Hapy p. 53 – 4. bnty, ifw, DhDh p. 54 – 5. itn (Aton) p. 55 – 6. bwkAk p. 56 – 7. mAdw p. 62 – Hna

- 189 -


Hieróglifos Egípcios

p. 64 e seguintes d. a. c.

p. 78 – 1. mnTw 2. anx, vida p. 79 – 3. mnw, imn 4. Ddw p. 86 – a. s-Htp-ib-ra b. xa-kAw-ra c. xa-xpr-ra d. xpr-kA-ra e. nbw-kAw-ra p. 87 – a. aA-xprw-ra b.Dsr-kA-ra

- 190 -

e. stt rmw in snbi mAa xrw b.

f. Arpoando peixes para Senbi, verdadeiro da palavra.


Antonio Fontoura Jr.

c. xa-xpr-ra d.(aA)-xpr-n (o sinal aA estรก danificado). e. aA-xpr-kA-ra p. 88 e seguintes Nebpehtyre Ahmose Dyeserkare Amenhotep (I) Aakheperkare Thotmes (I)

Aakheperenre Thotmes (II)

Maatkare HatshepsutKhenmetamon

Menkheperre Thotmes (III)

nbpHtyra iaH-ms DsrkA-ra imnHtp aAxprkA-ra DHwty -ms aAxpr-nra Dhwty -ms mAatkA-ra HAtSpswtXnmtimn mnxpr-ra Dhwty -ms

- 191 -


Hier贸glifos Eg铆pcios

Aakhperure Amenhotep hekaiunu (II)

Menkheperure Thotmes (IV)

Nebmaatre Amenhotep hekawaset (III)

Neferkheperurewaenre Akhenaton

Nebkheperure Tutankhamonhekaiiunushema

Dyeserkheperure -setepenre Horemhebmeriamun

- 192 -

aAxprwra imnhtpHqAiwnw mnxprwra Dhwty -ms nbmAat-ra imnHtpHaAwAst nfrxprwre wan-ra Ax-nitn nbxprwra twtanximn HqAiwnuSma Dsrxprwra stpn-ra Hr-mHb mry-


Antonio Fontoura Jr.

Menpehtyre Ramesse (Ramsés I) Menmaatre Seti-meryenptah

Usermaatresetepenre Ramessemeryamun (Ramsés II)

Usermaatremeryamun Ramessehekaiunu

imn mnpHtyra ra-mssw mnmAat-ra sty mryn-ptH wsrmAat-ra stp-nra ra-mssw mryimn wsrmAat-ra mryimn ra-mss(w) HqAiwnw

p. 108 – Asir Hmt sw wrt nbt tAwy (o wy é adicionado porque se trata de um dual – veja p. 83) nfr-itry-mryt-n-mwt, mAa-xrw xr Asir aA Osíris, grande rainha, Senhora das Duas Terras, Nefertari, mrytn-mwt, verdadeira da palavra perante Osíris, grande deus. p. 109 – 1. anx Hr kA-nxt-xa m-mAat nTr nfr nb-mAat-ra sA ra imnHtp HqA wAs di anx

- 193 -


Hieróglifos Egípcios

Hórus vivo, touro vitorioso que vive na verdade, bom deus, nbmAat-ra, filho de Rá, imn-Htp, dotado de vida. p. 110 – 2. nsw bit wsr-mAat-ra stp-n-ra sA ra rms-mry-imn di anx Dt Rei do Alto e do Baixo Egito wsr-mAat-ra stp-n-ra, filho de Rá, rms-mry-imn, dotado de vida, para sempre. 3. nb tAwy mn-mAat-ra nb xaw sty mry-n-ptH di anx mi ra Dt Senhor das duas terras, mn-mAat-ta, senhor das Coroas sty mry-nptH (Seti I), dotado de vida, como Rá, para sempre. p. 111 – 4. Hr anx ms tw nsw bity anx ms tw, sA ra, sn-wsrt, nTr nfr, nb irt xt Hr anx ms tw nsw bity anx ms tw, Filho de Rá, sn-wsrt, bom deus, senhor dos rituais p. 112 – 5. nTr nfr nb-mAat-ra sA ra imn-Htp HaA was di anx Dt Bom deus nb-mAat-ra, filho de Rá, imn-Htp HqA was, dotado de vida, para sempre sw-Hmt tyi snb Rainha Tyi, saúde

- 194 -


Antonio Fontoura Jr.

p. 113 – 6. nTr nfr nb tAwy xprw-nb-ra sA ra nb xaw twt-anx-imn HqA-iwnw-Sma di anx Dt nHH ra mi Bom deus, senhor das duas terras, nb-xprw-ra, filho de Rá, twtanx-imn HqA-iwnw-Sma dotado de vida, para sempre, na eternidade, como Rá. sw-Hmt wrt anx-s-imn Grande Rainha, anx-s-imn (Anquesenamon) p. 117 - 152.123 p. 125 – 1. Ano 21, no reinado do faraó psmTk (Psamético) p. 126 – 2 rnpt 23 Smw sw 13 xr Hm n nsw bity xnm-ib-ra di anx Dd Ano 23, estação Shemu, dia 13, sob o reinado do rei do Alto e do Baixo Egito, xnm-ib-ra dotado de vida, para sempre. p. 126 – 3.I. Hr Hr ib nsw bity h-awy-ib-ra sA ra sk-ib-ra nTr nfr nb tAwy nb irt xt di anx Dd wAs snb Dt Hr Hr ib Rei do Alto e do Baixo Egito eawy-ib-ra bom deus, senhor das duas terras, senhor dos rituais, dotado de vida, estabilidade, poder, saúde, para sempre. II. rnpt 12, Abd 2 Smw, sw 21, xr Hm nsw bity nxbt-wADyt nb xpS nbw Hr s-wADy-tAwy h-awy-ib-ra sA ra sk-ib-ra

- 195 -


Hieróglifos Egípcios

Ano 12, mês 2 da estação Shemu, dia 21, sob sua majestade, o Rei do Sul e no Norte, protegido das duas Damas, senhor da força, Hórus de Ouro s-wADy-tAwy h-awy-ib-ra, Filho de Rá, skib-ra. p. 127 – 4. rnpt 19 xr Hm nTr nfr nsw bity nbw-kAw-ra mry Asir nTr aA nb AbDw di anx Dd wAs ra mi Dt Ano 19 sob sua majestade, bom deus, rei do Alto e do Baixo Egito, nbw-kAw-ra, amado de Osíris, grande deus, senhor de Abidos, dotado de vida, estabilidade, poder, como Rá, para sempre. 5. irwy=k - Teus dois olhos. p. 128 – 6. inpw tpy Dw=f - Anúbis em sua montanha. p. 142 – 1. Não estão presentes “que ele dê” nem “para a alma de”.

1 4 6

- 196 -

2


Antonio Fontoura Jr.

p. 143 – 2a. Osíris, Senhor de Djedu, grande deus, senhor de Abidos.

2b.

2c. 2d. Oferendas invocadas de pão, cerveja, boi, pássaro, todas as coisas boas e puras.

2e. 2f. p. 143 - 2g. 3a. Anúbis. b. Htp-di-nsw inpw tpy Dw=f - O rei dá oferendas a Anúbis, que está em sua montanha. p. 146 – 4a.

- 197 -


Hieróglifos Egípcios

4b. 4c. Htp di nsw Asir wn-nfrw nTr aA Hr AbDw – O rei dá oferendas a Osíris Unefer, grande deus, que habita Abidos. 5a. Osíris, Anúbis e Hator. 5b. Osíris. 5c. Anúbis. p. 148 – 6a. Osíris Khentimentu (Asir xnty-imn-tw) 6b. Htp-di-nsw- Asir di=f xt nbt wabt tw Hnktw kAw Apdw Hnkt irp irtt n kA n sDm aS imn-r-HAt-f O rei dá oferendas a Osíris. Que ele dê todas as coisas boas e puras, pães, cervejas, bois, pássaros, cerveja, vinho, leite para a alma do servo imn-r-HAt-f p. 149 – 7. Htp-di-nsw Asir nb Ddw di=f prt-xrw t Hnkt kAw Apdw xt nbt nfrt wabt anxt nTrt im n kA n r-n-f-snb O rei dá oferendas a Osíris, Senhor de Djedu. Que ele dê oferendas invocadas de pão e cerveja, bois e pássaros, todas as coisas boas e puras de que um deus vive, para a alma de r-n-fsnb p. 150 – 7b. Hpw

- 198 -


Antonio Fontoura Jr.

p. 151 – 8a. sn tA n xnt-imn-tw m prt aA mAA nfrw wp-wawt m prt tpy in imAxw xtmw Xr-a mry, mAa-xrw Beijar a terra de Khentimentu, na grande procissão, ver a perfeição de Upuaut na primeira procissão, pelo venerado chanceler mry, verdadeiro da palavra. p. 152 – 8b. Htp-di-nsw inpw Htp Dw=f di=f mw Hnkt prt-xrw n xtmw Xr-a imAxw Htpwy, mAa-xrw O rei dá oferendas da Anúbis que está em sua montanha. Que ele dê água, cerveja, oferendas invocadas para o venerado chanceler Htpwy, verdadeiro da palavra. 8c. rn=f nfr – Seu belo nome. 8d. Htp-di-nsw Asir xnt-imn-tw nTr aA nb AbDw di=f mw prt-xrw t Hnkt kA Apd n imAx xtmw Xr-a aA-i-ti mAa-xrw O rei dá oferendas a Osíris Khentimentu, grande deus, senhor de Abidos. Que ele dê água, oferendas invocadas de pão, cerveja, boi e pássaro, para o venerado chanceler aA-i-ti, verdadeiro da palavra. 8e. ms n Htpt, mAat xrw – Gerado por Htpt, verdadeira da palavra. p. 154 – 8f. sn-wsrt p. 158 – iryt r pr n imn iu-f-r-bA-k mAa-xrw snt=f nbt pr nbtiwnwt sA=f iryt r pr n imn nfr-Htp mAa xrw sA=f wAb n imn nxt

- 199 -


Hieróglifos Egípcios

Guardião do templo de Amon, iu-f-r-bA-k, verdadeiro da palavra; sua irmã4, senhora da casa, nbt-iwnwt, verdadeira da palavra; seu filho, guardião do templo de Amon, nfr-Htp, verdadeiro da palavra; seu filho, sacerdote de Amon, nxt.

p. 161 – trecho 1. Htp-di-nsw Asir nb Ddw xnt-imn-tw nTr aA nb AbDw di=f prt-xrw t Hnkt xA kA Apd Ss mnxt xt nbt nfrt wabt anxt nTrt im n imAxw sw-mr-nb-f O rei dá oferendas a Osíris, senhor de Djedu, Khentimentu, grande deus, senhor da Abidos. Que ele oferendas invocadas de pão e cerveja; um milhar de boi, pássaro, alabastro, linho, todas as coisas puras e boas de que um deus vive para o venerado swmr-nb-f mr sA-Hwt-Hr mAa-xrw - Administrador sA-Hwt-Hr, verdadeiro da palavra Hmt=f mryt=f - Sua amada esposa sA=f mry=f sA-mn mr-pr mAa-xrw - Seu filho amado, sA-mn, administrador, verdadeiro da palavra. p. 162 – trecho 2. Htp-di-nsw Asi nb imn nfr aA nTr nb AbDw di-f mw Hnktw snTr mrHtw xt nbt nfrt wabt anxt nTrt im m Abd smdt nt wAg DHwtt nTr aA r-pkr n imAxw mr imn-sA, mAa-xrw

4

Aqui, no sentido de esposa.

- 200 -


Antonio Fontoura Jr.

O rei dá oferendas a Osíris, senhor do Belo Ocidente, grande deus, Senhor de Abidos. Que ele dê água, cervejas, incenso, óleos, todas as coisas boas e puras de que um deus vive nas festas do mês, na festa Wag, na festa de Thot, grande deus de Peker, para o venerado administrador imn-sA, verdadeiro da palavra. Hmt=f mryt=f - Sua amada esposa h-ib-s-Htp (nome de pessoa) p. 163 – trecho 3. sA=f mry=f imny – Seu filho amado, imny Hmt=f mryt=f – Sua esposa amada sAt sn-wsr – Filha sn-wsr sA=f mry=f – Seu filho amado nTr-aA- sn-wsrt Hmt=f mryt=f mn-Tw-sAt – Sua esposa amada mn-Tw-sAt sA=f mry=f mr pr imn-m-HAt – Seu filho amado, administrador imn-m-HAt mwt=f bt – Sua mãe bt Trecho 4. Lista de nomes: sms-w-tA-A-w, pt-pr-nxt-w, sSm-tA, sAHwt-Hr, ibt-Htpt, wrt-awyt, rxti, sA-Hwt-Hr.

- 201 -


Hieróglifos Egípcios

p. 176 – 1a. nTr nfr nb tAwy nb ir-xt nsw bity mn-xpr-ra sA ra DHwty-ms-nfr xpr di (anx) Dd (wAs) snb nb ra mi Dd Bom deus, senhor das duas terras, senhor dos rituais, rei do Alto e do Baixo Egito, mn-xpr-ra, filho de Rá, DHwty-ms-nfr, dotado de toda (vida), estabilidade, (poder), saúde, como (rá), (para sempre). p. 177 – 1b. irp ir=f di anx –Vinho, para que ele possa dar a vida. 1c. di=f anx5 nb Dd was nb snb nb Awt-ibt nb skr nTr aA nb pt Ele dá toda vida, toda estabilidade e poder, toda saúde, toda felicidade, Sokar, grande deus, senhor do céu. p. 178 – 1d. Dd mdw din n=k irt HH m Hb sdw aSA wrt ra mi Dd Diz as palavras: dou para ti milhões de rituais, muitos grandes festivais, como Rá, para sempre.

5

Por uma questão estética o escriba inverteu e hieróglifos.

- 202 -

na escrita dos


Antonio Fontoura Jr.

LISTA DE SINAIS Lista de sinais bilíteros mais usados Aw Ab Ax ib in in ir is aA

bit bH pA pr pH mA mi mw mn

nm nn nH ns nD pt ra rm HA

mr

Hw Hm

mr

Hm

wA

mr Ab

Hn

wa

mH

wp

ms

wn

mt

wr

m(w)t

wD

nw nb

ou

aq aD

bA

Hp Hr Hs HD xA xa xw

- 203 -


Hier贸glifos Eg铆pcios

xw

sk

tA

xt

AS

ti

XA

Sw

tp

Xn

Sn

tm

Xn

Ss

TA

xr

Sd

dA

sA

qd

di

sA

kA kA

Dw

sA sA

kA

sw

km

sn

gm

sn

gs tA

- 204 -

Dr Dd


Antonio Fontoura Jr.

Lista de sinais trilíteros mais usados Apd iAm

Htp

iaH iwn

xpS xnm

anx

xnt

aHa

xrw

wAh

Xnm

wAt wAs

Xnm

wab

xpr

sbk

wHn

spd sSm

wsr

Sps

mAa mSa nbw

Sms Stm

nfr

sDm dwA

nTr

Dsr

rnp HAt HqA

- 205 -


CRONOLOGIA 5.000 a.C.

4500-2920 a.C. Período pré-dinástico

4.000 a.C.

3.000 a.C. 2920-2575 a.C. 1ª a 3ª dinastias 2575-2134 a.C. Antigo Império

2.000 a.C.

2134-2040 a.C. 1º Período Intermediário 2040-1640 a.C. Médio Império

1640-1532 a.C. 2º Período Intermediário

1.000 a.C.

1550-1070 a.C. Novo Império 1070-712 a.C. 3º Período Intermediário 712-332 a.C. Período Tardio

0

332 a.C.-395 d.C Período Ptolemaico 395-635 Período Copta

1.000 d.C.

Hieróglifos egípcios um curso de introdução á leitura e decifração de textos do antigo egito  

A estela da página anterior foi colocada ali como um desafio a você. Se, neste momento, ela parece um documento indecifrável, impossível de...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you