Page 1

BIBLIOTHÈQUE - CURSO DE MAGIA

Página 1 de 2

&8562'(0$*,$ .

&$3Ë78/29 248(&$5$&7(5,=$263$5$0(1726'$0$*,$(92&$7,9$&(5,021,$/ O Mago que dispõe de t odos os param ent os para a Magia Cerim onial deverá ser bast ant e reservado em t udo que diz respeit o aos m esm os. I st o equivale a dizer que pouco deverá ele com ent ar sobre seus inst rum ent os, com quem quer que sej a.

Outros assuntos que podem ser do seu interesse agora: ...

Som ent e o Mago dev erá t ocar seus inst rum ent os, j á que bast a um olhar profano para dessacralizar um inst rum ent o m ágico j á consagrado. Aliás, após a consagração, só dever ão, esses inst rum ent os, serem t ocados - ou vist os pelo seu dono; est e só deverá m anuseá- los quando est iv er pront o para execut ar seu t rabalho m ágico. I nst rum ent o algum deverá, após consagrado, ser usado para qualquer função que não a prát ica da Magia Cerim onial. Qualquer uso fora do program ado significa dest ruir seus poderes m ágicos. O Mago som ent e dev erá m anusear seus im plem ent os quando est iver lim po, de corpo e alm a; ist o é, quando t odas influências ext ernas j á t iverem sido lavadas ( no sent ido real e figurat ivo) , poderá o Mago usar seus inst rum ent os m ágicos. Som ent e após t er t om ado seu banho, est ando ent ão v est ido com roupas de baixo lim pas e reservadas ao t rabalho rit ual ( se possível t udo em sêda, e na cor adequada ao rit ual) , é que poderá pegar suas ferram ent as. Apesar que m eias, cuecas e calcinhas em sêda não são obrigat órias para o t rabalho rit ual, recom ando- as. Ou se usa o m elhor, ou não se usa nada. Tudo isso dem onst ra, da part e do Mago, um a at it ude de respeit o com relação aos seus im plem ent os m ágicos. E quant o m aior for seu respeit o por esses inst rum ent os, m aior será o poder acum ulado nos m esm os. Pois é m uit o im port ant e que o Mago t enha, por seus inst rum ent os, o m aior respeit o e carinho. Na realidade, cada um dos im plem ent os em quest ão dever á ser t rat ado com o verdadeira relíquia religiosa. Pelo fat o de que cada inst rum ent o sim boliza as m ais div inas leis, cada inst rum ent o é realm ent e um a relíquia do poder cósm ico. Daí se conclúi que o Mago só deverá t ocar seus im plem ent os cerim oniais quando est iver t ot alm ent e pront o para levar adiant e sua operação m ágica. Som ent e nas m ãos de um Mago que conheça plenam ent e o sim bolism o univ ersal e est ej a conscient e do dit o nas linhas acim a é que os inst rum ent os da Magia Evocat iv a darão os

http://mortesubita.ifrance.com/mortesubita/bibliotheque/cursomag6.htm

9/10/2002


BIBLIOTHÈQUE - CURSO DE MAGIA

Página 2 de 2

result ados desej ados. E os param ent os da Magia Rit ual deverão ser consagrados, ist o é, dedicados às suas funções específicas, com o que se t ornar ão efet iv os, m esm o que séculos se passem desde sua últ im a aplicação. Vam os, agora, descrev er os im plem ent os da Magia Ev ocat iv a. Est e liv ro foi ret irado do sit e Superv irt ual, um a bibliot eca virt ual com obras int eiras disponíveis para dow nload e leit ura, t odas em form at o t x t : ht t p: / / w w w. superv irt ual. com .br

capítulo anterior

(índice | | próximo capítulo) (MSInc. | volta) .

Morte Súbita Inc. | msinc@ifrance.com

Seus Gritos - Nossa Gargalhada

http://mortesubita.ifrance.com/mortesubita/bibliotheque/cursomag6.htm

9/10/2002

Curso de magia6