Issuu on Google+

BIBLIOTHÈQUE - CURSO DE MAGIA

Página 1 de 3

&8562'(0$*,$ . &$3Ë78/2;,,, $35È7,&$'$&5,$d­2'((*5e*25$6 As inst ruções a seguir foram usadas com sucesso por nosso Grupo, que m ant ev e- as em t ot al sigilo durant e m uit o t em po. É chegado o m om ent o de t ornar públicas essas inst ruções.

Outros assuntos que podem ser do seu interesse agora: ...

Guarde- as com carinho. Elas poderão ser a chave de profundas t ransfor m ações posit ivas em sua v ida, se você assim o perm it ir. São as inst ruções para a criação de Egr égoras de t ipo definido, m as que serv em para a criação de qualquer Egr égora. O que pret endem os é criar um a Egrégora ( Form a- Pensam ent o colet iva) para at ender- vos a t odos, além de poder at ender aos v ossos parent es e am igos, por vosso int erm édio. Óbv iam ent e que, ao criar a "sua" part e da Egr égora, cada um deverá m ent alizar o que desej a para sí, e som ent e para sí, e quais os lim it es desse desej o ( Karm a, m issão, et c.) , de acordo com seus conhecim ent os e convicções pessoais. Esse t rabalho t em algum as caract eríst icas especiais: - cada um deve pensar o que espera ou desej a para sí apenas, ninguém sabe o que é bom para os out ros; - dividir para som ar - um pouco de cada um aj udará a t odos; - buscar aj uda obj et iva e subj et iv a: abert ura de cam inhos, oport unidades de negócio que não prej udiquem ou firam ao pr óxim o, aux ílio a que se v ej am as oport unidades no cam inho, que nunca falt em os m eios/ alim ent os m esm o em calam idades, que v osso pat rim ônio sej a prot egido, que se t enham os m eios de cont inuar os est udos, fart ura de conhecim ent o, liv ros, am igos, essas e out ras coisas; - cada um far á o rit ual em seu lar, e usar á da Egrégora quando necessit ar, sem t er que t er a int erfer ência de um líder; - a I m agem Telesm át ica da Egr égora é de liv re escolha; recom endam os, porém , a CORNUCÓPI A, sím bolo t radicional da fart ura e da riqueza; - além disso, num sent ido m ais herm ét ico, a CORNUCÓPI A sim boliza o vent re fem inino, fecundo, fért il, gerador e preserv ador da v ida; Ao sent ir v ont ade, ou necessidade, de aux ílio da Egrégora, dever- se- á visualizá- la, onde quer que sej a, idênt ica à ilust ração ut ilisada nos rit uais - e é j ust am ent e nesse m om ent o que vosso sub- conscient e acessar á a I m agem Telesm át ica, que, por sua v ez, acessará a Egrégora, fort alecendo- a; A form a de criar a Egrégora é a seguint e:

http://mortesubita.ifrance.com/mortesubita/bibliotheque/cursomag14.htm

9/10/2002


BIBLIOTHÈQUE - CURSO DE MAGIA

Página 2 de 3

- t odos dever ão t er à m ão a ilust ração da I m agem Telesm át ica, ist o é, conform e nossa sugest ão, da CORNUCÓPI A ( nest e caso) ; poderá, conform e as necessidades, e de acordo com a vont ade individual, ser subst it uída por out ra que represent e m elhor as aspirações dos prat icant es; - desde o prim eiro dia da Lua crescent e at é o últ im o dia da Lua cheia, t odos os dias, cada um se recolher á a um cant o qualquer, quando falt arem cinco m inut os para a m eia- noit e ( cinco m inut os para a um a hora da m anhã durant e o hor ário de verão) ; essa hora foi escolhida pois: a) é poderosa hora "abert a"; b) as out ras horas abert as são inv iáveis para um a boa quant idade dos m em bros do grupo ( seis da m anhã é m uit o cêdo; seis da t arde e m eio- dia são horas de at ividade profissional ou social; sobrou a m eia- noit e) ; - nas fases claras da Lua, m esm o que alguêm "bobeie" , não será gerada um a ent idade com aspect os negat ivos, pois as fases claras da Lua som ent e são adequadas para a geração de ent idades benéficas, enquant o que as fases escuras da Lua são adequadas para a geração de ent idades m aléficas; - a cada m ês, findo o período inicial, que é de um ano, cada um dev er á repet ir o rit ual no Dom ingo de Lua cheia, e, caso queira, t am bém no Dom ingo de Lua crescent e; - após os prim eiros seis m eses de t rabalho, caso desej e, poder á t rabalhar t odos os dias, em t odas as fases lunares, sem pre na m esm a hora; - para o rit ual se necessit a de: a) b) c) d)

um cálice; um a garrafa de vinho m oscat el ou t int o; um pãozinho ou coisa sem elhant e; a ilust ração da I m agem Telesm át ica;

([HFXomR - recolher - se a um local sossegado, falt ando cinco m inut os para a hora escolhida; - colocar vinho na t aça; - segurar a t aça nas m ãos; - ficar observando a ilust ração da I m agem Telesm át ica, m edit ando sobre seus aspect os e sobre o que desej am os obt er de bom ( assunt o conhecido) com a form ação da Egrégora; - após uns quat ro ou cinco m inut os, m olhar um pedaço do pãozinho no v inho, m edit ando sobre esse m ist ério, da Eucarist ia ( ver I nit iat ion I nt o Herm et ics, de Franz Bardon) ; - com er o pedacinho de pão, ainda concent rado; - ainda em m edit ação, sorv er t odo o v inho, sem deix ar nada; - colocar na t aça j á vazia, um pouco de água m ineral, o m esm o t ant o que foi colocado de vinho; - repet ir a m edit ação, sorv endo, ent ão, a água; - est á encerrado o rit ual; - guardar t udo, para repet ir no dia seguint e. 2EVHUYDomR os abst êm ios poderão subst it uir o vinho por suco de uva, ou água com um . Durant e t odo o t em po do rit ual, a pessoa dever á repet ir as seguint es palavras, na ordem

http://mortesubita.ifrance.com/mortesubita/bibliotheque/cursomag14.htm

9/10/2002


BIBLIOTHÈQUE - CURSO DE MAGIA

Página 3 de 3

dada, post o ser a alfabét ica: - ABUNDÂNCI A FARTURA FELI CI DADE PROSPERI DADE RI QUEZA SAÚDE - . Repet ir essas palavras, div ersas vezes, não im port a se m ent alm ent e ou de form a audível. Na concent ração do significado das palavras, conj ugadas sim ult âneam ent e com a concent ração na CORNUCÓPI A, reside o poder desse rit ual, ant igo e eficient e. As palavras escolhidas só fazem sent ido no caso de se est ar usando a I m agem Telesm át ica da CORNUCÓPI A; caso se t enha escolhido out ra I m agem Telesm át ica, as palav ras dever ão ser as adeqüadas à im agem escolhida e ao t rabalho. É im port ant e não quebrar a corrent e durant e o período que se escolher para ex ecut ar o rit ual. Se necessário, fazê- lo m ent alm ent e apenas, m as não deix ar, sob nenhum a hipót ese, de realizá- lo. Post eriorm ent e, a ilust ração poder á ser enquadrada e m ágicam ent e anim ada ( ver o m esm o livro cit ado acim a, de Franz Bardon) , para em it ir fluídos benéficos à t odos que por pert o dela passem , ou que a observem ; isso servirá a t odos que est ej am precisando de algo, e abram seu coração. Quant o m ais ut ilizada, m ais fort e a Egrégora ficar á. Eis o segredo rev elado. É m uit o sim ples e fácil. Foi- lhes rev elado o verdadeiro Mist ério da Eucarist ia. Sej am dignos dessa revelação. Est e liv ro foi ret irado do sit e Superv irt ual, um a bibliot eca virt ual com obras int eiras disponíveis para dow nload e leit ura, t odas em form at o t x t : ht t p: / / w w w. superv irt ual. com .br

capítulo anterior

(índice | | próximo capítulo) (MSInc. | volta) .

Morte Súbita Inc. | msinc@ifrance.com

Seus Gritos - Nossa Gargalhada

http://mortesubita.ifrance.com/mortesubita/bibliotheque/cursomag14.htm

9/10/2002


Curso de magia14