Page 1

APOSTILA DE ESTUDOS WICCA


APOSTILA DE ESTUDOS WICCA

contato@grupoboiadeirorei.com.br

Introdução “Conheça-te a ti mesmo” Definimos que a auto-magia, bruxaria ou ocultismo é definitivamente o conhecimento de si mesmo; propriamente não podemos associar tais práticas à coisas negativas, rituais macabros ou satanismo, pois não nos ligamos a nenhuma denominação, igrejas ou reuniões, apenas buscamos o autoconhecimento, procuramos em cada doutrina o conhecimento e as coisas boas dessas mesmas doutrinas e nelas encontramos coisas escondidas aquelas que as pessoas não costumam enxergar, ver nas “entrelinhas”. Um dos ensinamentos mais belos e preciosos da auto-magia é a doutrima da liberdade, pois a liberdade é essência da magia. Ao começar ler esta apostila, sinta-se livre para se entreter nos assuntos nela discutidas. Queremos atentar que nessa apostila não estão tratados assuntos que não consideramos relevantes à nossa prática, nem menos estão registrados todos os tipos de rituais, objetos, incensos, chás e ervas, pois se fôssemos tratar de todos os assuntos não caberiam em apostilas; há um número infinito de assuntos. Aqui estão os tópicos mais importantes, então, sinta-se livre.

Espírito Ar

Água

Terra

Fogo

Nascimento: o início de tudo Infância: momento onde o indivíduo cria suas próprias bases Maturidade: fase da comunhão com as outras pessoas Velhice: fase de reflexão, momento de maior sabedoria Morte: tempo do término para um novo início

PONTA 1 - ESPÍRITO: representa os criadores , a Deusa e o Deus, pois eles guiam a nossa vida e nos ajudam na realização dos ritos e trabalhos mágicos. O Deus e a Deusa são 2


detentores dos 4 elementos e estes elementos são as outras 4 pontas. PONTA 2 - TERRA: representa as forças telúricas e os poderes dos elementais da terra, os Gnomos. É a ponta que simboliza os mistérios, o lado invisível da vida, a força da fertilização e do crescimento. PONTA 3 - AR: representa as forças aéreas e os poderes dos Silfos. Corresponde à inteligência , ao poder do saber, a força da comunicação e da criatividade. PONTA 4 - FOGO: representa a energia, a vontade e o poder das Salamandras. Corresponde às mudanças, às transformações. É a força da ativação e da agilidade. PONTA 5 - ÁGUA: representa as forças aquáticas e aos poderes das Ondinas. Está ligada às emoções, ao entardecer, ao inconsciente. Corresponde às forças da mobilidade e adaptabilidade. Portanto, o Bruxo que detém conhecimento sobre os elementos usa o Pentagrama como símbolo de domínio e poder sobre os mesmos.

Ocultismo Formada basicamente de fé e misticismo, podemos compreender que religião e ocultismo estão interconectados. Dessa forma, concluímos que ocultismo é o conhecimento secreto das religiões, que pode ser acessível apenas aos membros mais elevados na hierarquia de determinadas ordens. O ocultismo envolve outros segmentos não religiosos também. E há um momento em que se deve colocar até nossas próprias religiões dentro de uma gaveta de um guarda roupa e tentar ver o ocultismo sem o envolvimento de religião alguma.

Ocultismo Prático Ocultistas esperam pôr o conhecimento que buscam, ao longo do tempo, em prática, enquanto os ocultistas já praticam rituais e exercícios, fazendo de tais práticas, parte da própria rotina.Grandes iniciados, do quilate de Lévi e Papus, por exemplo, tinham suas percepções extra-sensoriais despertas e, além de escreverem sobre A GRANDE OBRA, criavam seus próprios sistemas, incluindo muitas passagens experimentais em seus grimórios. Todos começamos uma maratona com um passo. Os politeístas iniciam-se e praticam os rituais de acordo com a RODA DO ANO, os teúrgos confeccionam seus selos a fim de invocar uma egrégora apropriada ao que aspiram, alguns jogam o Tabuleiro Oui-ja, os médiuns consagram a água e abrem palestras para grupos de estudo. E tudo faz sentido. O que você procura é a vivência do ocultismo, como se fosse na época dos grandes mestres. Nos dias de hoje, existem poucas escolas de ocultismo, assim como existem poucos ocultistas que vão pesquisar e efetuar suas vivências porque os tempos mudaram. Não há mais uma disciplina austera e comprometida ou mesmo um tempo para se vivenciar as coisas como antes. A vida moderna empurra a todos para uma competição dentro e fora da vida mundana. Além de consumir o tempo precioso para a vida do dia a dia ao invés de um tempo maior para o aprendizado e para a pratica do dia a dia. Vejamos um caso típico, do grande mestre ocultista, Stanislas de Guaita. Tinha um tempo que ele vivia 3


em Paris, em busca por alfarrábios em sebos parisienses. Aonde se unia com amigos para estudar e vivenciar o ocultismo, de modo integral. E em outro tempo ia para sua chácara no campo. E estabelecia uma outra rotina mais ou menos semelhante. Existe hoje, somente a opção de um caminho solitário e nada mais. Mais penoso, mais difícil e mais lento. Porém com o tempo ajustado a necessidade de cada um. Não se trata de um tempo desejável mais de um tempo quase aceitável consumido por cada pessoa. É isso... Boa Sorte na sua procura!

Centros de Poder no Corpo Humano O corpo humano possui vários centros de poder. No nível físico, esses centros funcionam para manter o corpo e seus órgãos. Também conhecidos como “chackras”, os pontos de poder ativam certas áreas de nosso corpo astral e, aprendendo a trabalhar com eles, podemos explorar melhor a nossa natureza humana.

1. Centro de Energia Também chamado de Centro do Fogo ou Centro da Serpente, esse é o assento de poder onde residem energias vitais concentradas e energias psíquicas. É um ponto de transmissão ligado ao plano astral, como se fosse uma espécie de portal. Como todos os centros psíquicos, ele é influenciado pela Lua. O próprio Centro da serpente é influenciado pela Lua Nova, cuja energia é procriativa, potencial e latente. 2. Centro Pessoal É receptivo e transmissivo. Sua função é lidar com a condensação e a manifestação das energias astrais. É um dos muitos portais que a alma deixa para sair do corpo físico. Grandes quantidades de energia podem ser atraídas e enviadas por essa área, que é bastante usada em práticas xamânicas. 3. Centro de Poder Também é transmissivo e receptivo e lida com as energias vitais. Através dele nós alimentamos o nosso corpo físico e astral. É um centro ligado è energia da Lua Cheia, o que o torna mais poderoso. É o Fogo Sagrado dos alquimistas, que transforma tanto a matéria quanto o espírito. 4. Centro Emocional É essencialmente receptivo, mas também transmite. Este centro lida com os sentimentos e a ética dos humanos. É associado ao elemento criativo da Água e nos permite sentir outra pessoa em um nível emocional. 4


5. Centro Vibracional É transmissivo e trata da causa das ações e das reações. Apesar de todos os centros não serem físicos, este é o mais ligado á realidade física que os outros. Está associado ao elemento criativo do Ar. O Ar é o meio que transporta as vibrações e influi em sua eficácia. 6. Centro Psíquico É receptivo, mas também funciona de modo transmissivo. É também chamado de Terceira Visão ou Centro da Pureza. É um centro muito ativo e ponto de saída para o plano astral. Também é associado ao elemento Ar. 7. Centro Divino É receptivo e transmissivo. É o nosso self mais elevado e ponto de nossa união com a Criação. Ele dá vida aos outros centros e faz conexão com a luz divina. Podemos ver a aura do corpo como um campo de energia formado pelas emanações de cada centro de poder sob influência do nível divino.

Os 4 elementos Tudo que existe é uma personificação dos quatro elementos. O próprio corpo humano tem, em si, todos os elementos: terra (nossos ossos), água (sangue), ar (que respiramos) e fogo (nossa energia). Devemos aprender como mantê-los em harmonia. Os elementos são representações de padrões de energia e, a partir de seu estudo, podemos chegar a várias conclusões e até mesmo soluções para problemas tanto básicos quanto mais complicados. As bruxas e bruxos acreditam que, além do quarto elemento, existe um quinto, que é o equilíbrio. É o chamado Éter, que também é conhecido como Espírito. Trata-se de um ponto de equilíbrio que só alcançamos quando os outro quatro elementos estão relacionados de maneira harmoniosa. A Natureza sempre nos mostrou como atingir o equilíbrio. Vemos o nascer, o crescer e o morrer e todos os seres vivos interagindo com o ambiente onde vivem tecendo uma verdadeira teia que nos engloba todos. Com o passar das gerações, a humanidade foi se afastando cada vez mais da vida natural e se aglomerando em cidades de concreto, o que fez os humanos se desligarem quase completamente da Natureza. Os quatro elementos são maravilhosamente simples, mas absolutamente complexos. Vamos analisar todos os conceitos simples pois, a partir deles, chegaremos ao complexo.

O corpo humano e os 4 elementos Temos em nosso corpo os quatro elementos: Terra – estrutura do corpo físico e as sensações Água – bioquímica, emoções e sentimentos Fogo – energia e intuição Ar – mente 5


As terapias também podem ser consideradas em termos dos quatro elementos: Terra – terapias físicas como massagem, reflexologia, ajuste de ossos Ar – aconselhamento e outras terapias da mente Fogo – terapias energéticas como curas por cristais e a acupuntura Água – terapias que agem diretamente na bioquímica do corpo, como nutrição e ervas Entre os povos antigos, as terapias que provavelmente eram usadas eram massagens, nutrição, ervas, cura, aconselhamento e até ajustamento de ossos. Os celtas eram povos guerreiros e técnicas de sobrevivência e exercícios físicos melhoram a qualidade de nossa saúde e fortificam nossos quatro elementos. Cada elemento está relacionado a um órgão específico do corpo humano: Terra: rins Ar: pulmões e intestino grosso Fogo: fígado e vesícula Água: coração e intestino delgado Éter: baço, pâncreas e estômago

Éter é o quinto elemento, o equilíbrio. Este ponto deve ser encontrado em todos os níveis para que possamos alcançar a verdadeira paz e felicidade. Esses níveis são: Terra: físico Água: emocional Fogo: destino Ar: mental Éter: espiritual Apenas atingindo o equilíbrio em cada um dos elementos chegaremos ao equilíbrio total, que é representado pelo Éter. É por isso que encontrar o equilíbrio é uma parte fundamental da Magia. É impossível praticar Magia se não estamos verdadeiramente equilibrados. As doenças se manifestam em nosso corpo quando há o desequilíbrio de algum elemento dentro de nós. Por exemplo: pessoas muito distraídas (excesso de elemento Ar) ou pessoas com problemas mentais (fraqueza do elemento Ar). Pessoas que não se expressam e usam drogas e bebidas para tentar se esconder de sua própria dor geralmente têm problemas de fígado (fraqueza do elemento Fogo). Os elementos também estão relacionados aos orifícios do corpo humano: Ar: nariz Fogo: olhos Água: ouvidos Terra: ouvido interno Éter: boca Da mesma forma, também há relações entre os elementos e os tecidos internos do corpo: Terra: ossos Ar: pele 6


Fogo: músculos e tendões Água: sistema circulatório e vasos sangüíneos Éter: carne e sangue

Energia e Poder O universo está inteiramente associado. Isso quer dizer que, ao realizarmos uma ação, esta atingirá todas as coisas. Acender uma vela traz uma luz, mas também projeta uma sombra. Quando falamos em energia, logo pensamos em êxtase. O poder na Bruxaria não é o poder sobre os outros, mas o poder pessoal, que nos faz sentir nosso corpo como sagrados. “Energia é amor e amor é magia”. A energia é um dos conceitos mais simples e naturais da Magia. Nós podemos sentir o poder fluir em nossos corpos assim como podemos sentir o poder no ar ou em uma canção. São energias sutis e nós sempre trabalhamos com elas, pois são essas energias que movem o mundo. A Magia define-se, então, como a Arte de moldar e direcionar tais energias. A Magia faz parte da Natureza e não contraria as leis naturais. Apenas pela observação e pelo estudo da Natureza que podemos entender como funciona a realidade.

Algumas observações a respeito da energia e do poder - A energia está em constante movimento e não pode ser interrompida; não há como. As Bruxas simplesmente aprender a se concentrar para fluir junto com as energias. - A energia move-se em uma espiral; seu movimento é sempre circular. A Lua é um bom exemplo: seu ciclo nasce, cresce, chega ao auge, mingua e nasce novamente. - Essa noção cíclica da energia nos traz ao conceito de polaridades. Uma energia, estando sempre em movimento, e este movimento sendo cíclico, sempre passará por diversos momentos. Assim, da mesma forma que uma energia tem seu auge, tem também seu período de decadência. A atividade é contrabalanceada pela passividade. Reconhecer essas alternâncias nos ajuda a manter um certo equilíbrio. - Nunca mude uma coisa sequer sem antes saber que tipo de reações, positivas e negativas, tal coisa acarretará. Sempre afeta a todos, de alguma maneira. É por isso que não podemos usar o termo “feitiço não-manipulativo”, porque todo feitiço trabalha com a manipulação das energias. - As fontes de energia são infinitas e ilimitadas. Por isso, para gerar energia, devemos dar energia. Não há ganho sem esforço; não há limites na alternância das energias. Mais uma vez: não há mudança sem conseqüências.

Consagrando seus Instrumentos Mágicos Você deve consagrar todos os seus instrumentos de acordo com os Quatro Elementos da Natureza. Carregar um objeto quer dizer que você o está imbuindo com sua energia para que se torne efetivamente seu. Para isso, você vai precisar de um pires com sal (representando o elemento terra), um incenso de cravo (representando o elemento ar), uma 7


vela vermelha (representando o elemento fogo) e um copo de água (representando o elemento água). Organize seu altar de acordo com a correspondência de elementos. O padrão é: norte (terra), sul (fogo), leste (ar) e oeste (água). Coloque o pentáculo (pentagrama inscrito num círculo) no centro. Acenda o incenso e a vela. Você não precisa lançar o círculo mágico se não desejar. Se quiser um meio-termo, sente-se e visualize um círculo de luz azul ao seu redor. Quando achar que estiver bom, diga:

Eu invoco a Deusa e o Deus para que abençoem os instrumentos que consagrarei neste rito. Eu os dedicarei ao trabalho com a Arte. Eu invoco os espíritos dos quatro elementos da Natureza para que estejam presentes neste rito, trazendo sua força e proteção. Abençoados sejam! Segure o instrumento que deseja consagrar e toque-o no pires com sal, dizendo:

Eu consagro este instrumento pelos poderes da Terra. Que toda a sua memória seja anulada, pois de agora em diante você está dedicado aos trabalhados sagrados da Magia. Que assim seja e que assim se faça, para o bem de todos. Passe agora o instrumento na fumaça do incenso e diga:

Eu consagro este instrumento pelos poderes do Ar. Que toda a sua memória seja anulada, pois de agora em diante você está dedicado aos trabalhados sagrados da Magia. Que assim seja e que assim se faça, para o bem de todos. Passe agora o instrumento na chama da vela e repita:

Eu consagro este instrumento pelos poderes do Fogo. Que toda a sua memória seja anulada, pois de agora em diante você está dedicado aos trabalhados sagrados da Magia. Que assim seja e que assim se faça, para o bem de todos. Respingue um pouco de água no instrumento e diga:

Eu consagro este instrumento pelos poderes da Água. Que toda a sua memória seja anulada, pois de agora em diante você está dedicado aos trabalhados sagrados da Magia. Que assim seja e que assim se faça, para o bem de todos. Eleve o seu instrumento e diga:

Pelos poderes dos céus e da luz eu o consagro e o dedico à Arte da Grande Mãe! Toque o seu instrumento no chão e diga:

Pelos poderes do submundo e das trevas eu o consagro e o dedico à Arte da Grande Mãe! Sopre no seu instrumento e diga:

8


Pelo meu próprio poder eu o consagro e dou vida com este sopro para que você responda apenas a mim, me ajude e me proteja. Que assim seja e que assim se faça, pelo bem de todos. Desfaça o círculo de maneira habitual ou, se você apenas visualizou-o, feche novamente os olhos e veja-o se dissipando lentamente. Diga:

O círculo de luz e poder está aberto, mas não foi quebrado. Eu agradeço á Deusa e ao deus por suas bênçãos, Eu agradeço aos espíritos dos elementos que trouxeram as suas bênçãos. Vão em paz. Agora o seu rito acabou e o seu instrumento já está carregado. Guarde-o com cuidado ou coloque-o junto aos outros em seu altar. Se outras pessoas por acaso tocarem em seus instrumentos, você deverá reconsagrá-los.

Vassoura As bruxas e bruxos não usam suas vassouras para voar nem seus caldeirões para fazer cozidos de dragão ou sopa de sapo, mas estes instrumentos são utilizados nos rituais e feitiços, além do seu uso comum no dia a dia. A vassoura doméstica original era feita com um punhado de planta amarrado ao redor de um cabo. A vassoura está presente na sabedoria folclórica de diversos países e culturas, dos romanos aos chineses. A constante aparição possuía na verdade um significado fálico. Coisas que são símbolos de sexo são símbolos de vida e coisas boas, por isso muitas vezes a vassoura é utilizada para afastar o mau-olhado ou pessoas indesejadas.

Um termo de gíria de antigamente para um pênis artificial era um “cabo de vassoura”, e as genitais femininas eram conhecidas vulgarmente como “a vassoura” “Dar uma escovada” era o mesmo que ter relações sexuais. A vassoura pode ser vista como nada mais nada menos que a própria representação do rito sexual, com o cabo (pênis) ligado ao tufo (vagina). Essa definição provavelmente é muito antiga, especialmente se analisarmos o mito de “bruxas voando em vassouras”. Há uma teoria bastante provável de que as bruxas, para abençoar as colheitas (em um ritual de fertilidade), pulavam sobre vassouras à noite nos campos. Quanto mais alto se pulasse, maior a bênçãos da fertilidade. Além de tudo, era mais divertido. Uma teoria como essa pode ser ou não verdade, mas o fato é que faz bastante sentido. Algumas pessoas devem ter visto essa cena se repetir e espalhou-se que as bruxas “voavam” em suas vassouras. Todo o rito de fertilidade, o simbolismo sexual da vassoura, os festivais da colheita e as bruxas. É muito mais razoável do que simplesmente dizer que elas voavam mesmo em vassouras. Com o passar do tempo, os cabos das vassouras passaram a ser feitos com materiais mais duráveis, e a combinação comum era de galhos de bétula para a escova, estaca cinzenta 9


para o cabo e salgueiro de vime para amarrar. Mas isso variava bastante de região para região. Em outros lugares, as madeiras tradicionais são os ramos de carvalho para os galhos, nogueira para o cabo e bétula para amarrar. Todas essas plantas e árvores são cheias de significados mágicos e sagrados, aparecendo inclusive no alfabeto das árvores druidas (Ogham). Claro que isso é uma mistura total de culturas, mas os bruxos modernos têm todas essas informações disponíveis e podem usá-las em suas práticas, se seguirem uma linha mais eclética. Uma forma muito simples de usar sua vassoura magicamente é varrendo uma área cantando algo sobre purificação e visualizando a limpeza astral do lugar. Isso irá purificar todo o espaço e trazer tranqüilidade ao ambiente.

Fazendo a sua Própria Vassoura O festival celta de Imbolc é um período de purificação e é a época ideal para confeccionarmos uma vassoura, mas você pode confeccioná-la quando quiser. Ela servirá para varrermos tanto fisicamente como energeticamente as energias do local ritual, além, é claro, de varrer a sua casa. Salgueiro é “a árvore sagrada dos celtas” e é tradicionalmente a madeira usada para se fazer a vassoura. No entanto, qualquer madeira que lhe tenha um significado especial pode ser usada. Além do cabo da vassoura, você precisará de: - ramos e folhagens (pode ser também de salgueiro, ou de algumas ervas como arruda); - pincel e tintas coloridas; - fitas coloridas; Pinte o cabo da vassoura da maneira que quiser. Seja criativo (a); utilize cores e símbolos da maneira que achar melhor para você. Você pode pintar o cabo nas cores branca, preta e vermelha, que são as cores que representam as três faces da Deusa. Deixe um dia secando. Faça uma trança com as fitas que você escolheu. No dia seguinte, amarre as folhas ou folhagens em uma das pontas do cabo e prenda-as com as cordas trançadas. Depois que a vassoura estiver pronta, você deve consagrá-la. Para isso, acenda um incenso de sua preferência e passe toda a vassoura pela fumaça, dizendo:

Eu te consagro pelo elemento ar. Em seguida, passe a vassoura pelas chamas de uma vela vermelha e diga:

Eu te consagro pelo elemento fogo. Respingue um pouco de água na vassoura e diga:

Eu te consagro pelo elemento água. Toque o cabo da vassoura em um pires de sal, dizendo:

Eu te consagro pelo elemento terra. 10


Sua vassoura está consagrada e pronta para ser usada. Para limpar os lugares apenas energeticamente, varra a casa sem encostar a vassoura no chão, apenas simbolicamente, enquanto mentaliza todas as energias ruins sendo varridas de sua vida. Você também pode repetir este procedimento dentro do círculo ritual. A vassoura pode ser usada para proteger a sua casa, bastando colocá-la atrás da porta principal.

Como Criar um Círculo Mágico Este é um ritual básico usado para instaurarmos o nosso templo. Se estiver realizando o ritual sozinho, pode fazer em seu quarto ou em uma sala com os móveis recuados. Se tiver um aposento cujo espaço seja exclusivo para a prática da Magia, você tem muita sorte. Qualquer que seja o local utilizado para realizar o ritual, criar e banir o círculo é essencial. Geralmente, o modo como você lança o círculo é igual na maioria dos rituais. Você pode desejar modificar uma coisinha aqui e outra ali de acordo com o objetivo do ritual, mas no geral é tudo bastante parecido. A primeira coisa a se fazer é preparar o local do ritual. Tire tudo o que estiver obstruindo o lugar do círculo e coloque seu altar no ponto norte da circunferência (alguns bruxos preferem instalar o altar na ponta leste – é uma preferência pessoal). Em cada quadrante você deve colocar uma vela da cor correspondente ao elemento. O padrão é: azul (água), amarelo (ar), vermelho (fogo) e verde (terra), mas você pode alterar se usar correspondências diferentes. Essas velas devem ser acesas durante o ritual de lançamento do círculo e ficarão acesas durante todo o ritual. Você também pode querer usar música durante os seus rituais. É muito recomendável o uso de fitas-cassete ao invés de CDs, por exemplo. As fitas-cassete são mais dinâmicas e você pode gravar músicas cantadas por você, repetir faixas, etc. Você pode gravar suas fitas de acordo com a seqüência do ritual, para que não comece a tocar uma música de tambores durante o período de relaxamento, por exemplo. Tire o telefone do gancho, acenda o incenso e as velas, ligue a música e você estará pronto para começar.

Lançando o Círculo Mágico Ande pelo perímetro do círculo três vezes em sentido horário, visualizando uma luz azul que o contorna. Quando terminar as três voltas, pare no quadrante que deseja começar (geralmente é o leste), e faça uma invocação aos guardiões como a seguinte:

Eu saúdo os guardiões das torres de observação do Leste, os poderes do Ar, e agradeço por estarem comigo neste ritual de hoje. É claro que você pode elaborar novas invocações ou pegar outras já existentes, mas esta é a base. Faça o mesmo com todos os outros quadrantes, no sentido horário. Assim, o próximo quadrante a ser saudado é o quadrante Sul. Após o término das saudações dos guardiões, invoque a Deusa e o Deus (ou as divindades com as quais se identifica) a estarem presentes em seu ritual. Segure o seu athame ou o seu bastão com as mãos erguidas para o céu para fazer a invocação. Como os deuses pagãos são imanentes (estão em todas as coisas), pode até parecer redundante chamá-los para estarem com você (pois é claro que eles estarão). No entanto, é 11


bastante humilde e honroso de sua parte mostrar o quão importante eles são e o quanto você está feliz por sua presença. Assim, uma invocação aos deuses pode ser como a seguinte:

Eu invoco a Deusa e o Deus para estarem comigo neste ritual. Que todos sejamos abençoados! Sejam bem-vindos! Visualize uma luz branca azulada ao seu redor, formando o círculo desde o chão até o fechamento sobre sua cabeça. O círculo está lançado e você está entre os mundos.

Banindo o círculo Sempre que se lança um círculo mágico, ele deve ser banido. É quando encerramos o poder e agradecemos aos deuses e poderes dos elementos pela sua presença e força. Basicamente, banir o círculo é realizar o seu ritual de lançamento de forma contrária. Eleve seu athame da mesma forma como foi dito no lançamento do círculo. Rodeie três vezes a área ritual em sentido anti-horário e, um por um, agradeça aos quadrantes por sua presença. Pode ser algo do tipo:

Eu agradeço aos guardiões do Leste, poderes do Ar, por terem estado comigo hoje neste ritual. Sigam em paz! Repita o mesmo procedimento, só que desta vez no sentido anti-horário. Assim, o próximo será o ponto cardeal Norte. O que é bastante importante (e muitos acabam esquecendo) é de que devemos sempre fazer pedidos de paz para o mundo. Comece desejando isso aos quadrantes, e você verá como você mesma estará em paz após o término do ritual. Agradeça aos deuses de forma semelhante. É importante ser espontâneo, de certo modo, e dizer tudo com bastante sinceridade em seu coração. Diga tudo o que achar que deve dizer, em agradecimento. Ao final, diga algo do tipo:

O círculo está aberto, mas não foi quebrado. O amor dos deuses está dentro de mim.

Altar Os rituais pagãos sempre são celebrados com a presença de um altar. Geralmente, o altar é organizado com representações dos quatro elementos (água, ar, terra e fogo) e das divindades, mas isso não é obrigatório e muitas vezes fazemos rituais com o que temos no momento.

Qual o objetivo se ter um altar? Basicamente, ter uma representação física das energias sutis com as quais trabalhamos. Dispondo de certos utensílios à nossa frente, em um ritual, nos conectamos mais facilmente à inspiração que nos levou até ali. É o nosso apoio e onde focalizamos as energias invocadas e criadas no decorrer de um ritual.

Altar fixo e altar ritual 12


Você pode estabelecer um altar em cima de uma pequena mesa, escrivaninha ou até mesmo no chão. O importante não é o lugar, mas as suas intenções. Se você o fizer com amor e carinho, levando em conta algumas diretrizes básicas, estará tudo certo. Se você tiver um local exclusivamente dedicado à sua prática religiosa na sua casa, você é um (a) sortudo (a) e pode instalar o seu altar lá sem problemas. No entanto, se por qualquer motivo você não pode fazê-lo, você pode colocá-lo em qualquer outro lugar da casa. Se você não pode, em hipótese alguma, manter um altar fixo em sua casa, então você pode ter apenas um altar ritual mesmo. Trata-se de um altar que você montará no lugar onde realizará o ritual e, ao término deste, desmontará e guardará no lugar onde preferir. Não há problema nenhum nisso. De qualquer forma, pense seriamente na possibilidade de manter um altar fixo na sua casa. Será o seu cantinho espiritual e um lugar para uma conexão praticamente diária com as divindades. Analise as possibilidades!

Como montar um altar O primeiro passo é adquirir uma representação física para os quatro elementos mais a quintessência, o espírito. Depois, basta distribuí-los no altar mediante a correspondência com os pontos cardeais: Ar: relacionado ao Leste Fogo: relacionado ao Sul Água: relacionado ao Oeste Terra: relacionado ao Norte Espírito: no centro do círculo Há divergências da escolha dos pontos cardeais e vários autores fazem de forma diferente. Veja o que for mais coerente com você. Você deve escolher para que ponto irá voltar o seu altar. Tradicionalmente, ele é virado para o Norte, o ponto relacionado ao elemento Terra, mas muitas bruxas o viram para o Leste, ponto onde o Sol nasce, representando novos ares. Além da representação dos elementos, há a representação das divindades no altar. O lado esquerdo representa as energias femininas, enquanto que o lado direito representa as energias masculinas, porém não há obrigatoriedade. Alguns utensílios que podem ser adicionados ao seu altar, de acordo com esta representação: Elemento Terra: Pentagrama, pires com sal, cristais, pedras, plantas, flores, vela marrom ou verde, chifres, símbolo ou desenho de animais das florestas, como os cervos. Elemento Ar: Athame, sino, penas, incensos, vela amarela ou branca, símbolo ou desenho de aves, como a águia. Elemento Fogo: Bastão, lamparinas, pedras de vulcão, vela vermelha ou laranja, símbolo ou desenhos de animais relacionados ao fogo, como uma serpente. Elemento Água: Cálice, conchas, areia do mar, plantas aquáticas, símbolo ou desenho de peixes ou outros animais aquáticos. Elemento Éter: Caldeirão, vela roxa ou violeta, espiral. Sagrado feminino: Conchas, runa Berkana, Lua, cisne, gato, cavalo, pedra furada, pedra achatada, pedra da Lua, triskle, cálice, caldeirão, guirlanda de flores, símbolo das três fases

13


da Lua, ankh, maçã, bracelete, imagens de antigas deusas, vela preta, azul ou prateada, castiçal com a figura da Lua. Sagrado masculino: pedra pontuda, chifres, topázio, runa Sowilo, bolota, Sol, athame, bastão, serpente, cervo, touro, carneiro, guirlanda de folhas, triângulo com o vértice para cima, estaca, imagens de deuses antigos, vela branca, verde ou marrom, castiçal com a figura do Sol. Além desses existem muitos outros utensílios que podem ser adicionados. Aos poucos você irá fazendo relações pessoais de itens mágicos e acrescentando-os ao seu altar. Desnecessário dizer também que você não precisa (e nem deve) usar todos esses utensílios ao mesmo tempo. Tendo apenas uma representação de cada elemento e divindade, o seu altar já estará completo. Assim, se você não tiver dinheiro para comprar utensílios, isso não é desculpa, pois você pode usar, por exemplo, um incenso (ar), uma vela (fogo), um pires com sal (terra), um copo com água (água) e um desenho da Deusa e do Deus. Nunca se esqueça de que o altar é o seu ponto de poder, por isso ele deve permanecer limpo e em ordem, já que ele é usado em todos os rituais. O altar é o seu ponto de conexão com os deuses e com a Natureza; trate-o de acordo. Outros instrumentos que você deve ter sempre em seu altar durante os rituais: - velas sobressalentes - fósforos - suprimento de incensos - incensário - um pequeno pote com água - um pequeno pires com sal - sua faca de cabo branco - uma tigela com bolos ou bolachas - bebidas

Para que serve um altar? Um altar é muito importante para qualquer religião, para falar a verdade. Com as bruxas não é diferente. Trata-se de um “centro espiritual” na sua casa; o lugar onde você pode ir todos os dias meditar, refletir, acender velas e incensos, dispor objetos que são especiais para você e referentes aos deuses. Os rituais pagãos, na maioria das vezes, são realizados na presença de um altar, que podem ser extremamente simples ou totalmente rebuscados. Tradicionalmente, o altar é organizado com representações dos quatro elementos na Natureza mais a quintessência, que é o espírito, além de representações das divindades. O objetivo básico de um altar é o de se ter uma representação física das energias sutis com as quais trabalhamos. Dispondo de certos utensílios à nossa frente, em um ritual, nos conectamos mais facilmente à inspiração que nos levou até ali. É o nosso apoio e onde focalizamos as energias invocadas e criadas no decorrer de um ritual.

Mas como eu posso realizar um ritual sem todas as coisas que preciso no altar?

14


Já parou para pensar na simbologia do altar? Imagine que você irá disponibilizar os objetos em seu altar de acordo com os elementos e seus pontos cardeais. Assim, podemos ter: Oeste – Água: um copo com água Leste – Ar: um incenso queimando Norte – Terra: uma pedra ou um vaso com plantas Sul – Fogo: uma vela No centro, coloque uma imagem de um pentagrama (feita por você – desenhe em um papel), uma imagem da Deusa e do Deus. Procure você mesmo desenhar. Não importa se você é uma negação no desenho; desenhe simplesmente, com o coração. O que importa é o que significa para você. Dessa forma, você tem um altar absolutamente simples, mas que não perde em nada para qualquer altar cheio de castiçais prateados e toalhas com estampas lindas. Vá aos poucos.

Cálice O cálice (taça) é colocado no altar para representar o sagrado feminino e o elemento Água, ficando tradicionalmente no ponto Oeste. Você pode colocar dois cálices no altar (um com água e outro com vinho), se assim desejar. O cálice e o athame são utilizados atualmente para realizar o Grande Rito simbólico, representando a união do sagrado feminino com o sagrado masculino. O cálice ritual pode ser feito com qualquer tipo de material: cristal, prata, vidro, cerâmica e alguns outros metais (cuidado com metais que oxidam com água). Você também pode ter cálices de vários tipos para utilizar nos rituais, variando conforme o objetivo do ritual.

Bastão O bastão representa, para a maioria das tradições, o elemento Fogo. Isto porque seu material padrão é a madeira, e madeira alimenta o fogo. Bastões de outros materiais podem ser relacionados a outros elementos, assim como o próprio bastão de madeira. Depende da sua tradição e da sua visão. O bastão também está relacionado ao sagrado masculino, pois é um instrumento essencialmente fálico, assim como um athame ou uma espada.

Para que serve? O bastão pode ser utilizado para o lançamento do círculo e para o direcionamento das energias na realização de feitiços e encantamentos. O athame é originalmente usado para lançar o círculo, mas muitas bruxas preferem fazer isso usando o bastão.

15


Como fazer um bastão Você pode comprar um bastão pronto ou fazer um, mas é claro que um feito por você mesmo terá a sua energia contida nele desde o início. Para fazer um, o ideal é que você encontre um galho de árvore caído ou arranje um cano de cobre. Depende do material que irá utilizar. Não use materiais “artificiais”, como plástico e alumínio, por exemplo. É sempre mais adequado ter seus instrumentos de trabalho feitos com materiais naturais. De qualquer forma, o material mais tradicional para o bastão ainda é a madeira.

Meditação para conexão Você pode fazer esta meditação durante a consagração do bastão ou quando achar necessário. Segure o bastão com sua mão projetiva (a que você usa para escrever) e respire profundamente. Sinta o poder do elemento Fogo, a energia que existe dentro de seu corpo. Esteja consciente de si mesmo como um canal de energia. Isso porque você tem o poder de transformar espírito em matéria, idéia em realidade, conceito em forma. Sinta o seu próprio poder para criar as coisas, para realizar as mudanças. Perceba qual é a sua verdade, o que é verdadeiro para você. Sinta o que deve ser feito, o poder de traçar uma meta e trabalhar para conquistá-la. Deixe todo esse seu poder e vontade fluírem para o bastão.

Athame O athame é uma faca de cabo preto tradicional das bruxas. Ele é utilizado para lançar o círculo mágico, para traçar emblemas mágicos no ar, para direcionar a energia e para controlar e banir espíritos. A faca atualmente também é utilizada para representar o aspecto masculino da divindade e como um símbolo da vontade. Algumas bruxas só usam as suas facas em rituais e feitiços, mas outras acreditam que, quanto mais for usada a faca (mesmo em situações cotidianas), mais poderosa ela se torna. A escolha é pessoal.

Athame Tradicional de Cabo Preto O uso de uma faca sagrada em ritos pagãos é bastante antigo. Há um desenho de um vaso grego datado de aproximadamente 200 a.C. que mostra duas bruxas nuas tentando invocar os poderes da Lua para a sua magia. Uma delas está segurando uma varinha e a outra segura uma pequena espada. Em uma jóia da Roma Antiga, há a figura de Hécate na forma tripla, onde seus três pares de braços seguram os símbolos de uma tocha acesa, um açoite e uma adaga mágica. Uma xilogravura que ilustra a história de Gentibus Septenbrionalibus de Olaus Magnus, publicada em Roma em 1555, mostra uma bruxa controlando alguns fantasmas, brandindo um athame em uma mão e um punhado de ervas mágicas na outra. O mais curioso é como o uso do athame tem sido encontrado em mitos de lugares tão distantes. As origens da palavra athame foram perdidas na história. Alguns dizem que possa ter vindo de ‘A Chave de Salomão’ (1572) que se refere à faca como arthana, enquanto outros afirmam que athame vem da palavra árabe al-adhamme (“letra de sangue”), que se refere a 16


uma faca sagrada usada na tradição mourisca. Em qualquer um dos casos, há manuscritos datados do século XI que abordam o uso de facas rituais na Magia.

Mas não tenho um athame para lançar o círculo! Improvise. É claro que ter o athame é algo importante, pois existe toda a simbologia do instrumento. Mas você pode usar uma faca (previamente limpa e purificada para uso mágico, apenas), seu bastão ou mesmo o seu dedo. Não se limite apenas porque não tem os instrumentos, mas lembre-se de que isso é provisório, até você conseguir ter tudo. Você pode comprar pela Internet ou em lojas esotéricas os instrumentos para o seu uso mágico e pessoal. E outra: use a sua criatividade. Há diversos lugares por aí que vendem esse tipo de coisa. É claro que você não vai encontrar um lugar chamado “Loja das Bruxas – Tudo o que você precisa está aqui”, porque não vivemos no mundo do Harry Potter. Mas você costuma encontrar velas, incensos, cálices, castiçais e muitos outros utensílios em lojas populares e até supermercados. Corra atrás! Não se limite quanto a isso.

Como deve ser o meu athame? O athame geralmente tem cabo mais escuro, não necessariamente preto, e preferencialmente de madeira (por ser mais natural). A lâmina é dupla (dois cortes) e geralmente sem fio, pois ele serve para cortar energias. No entanto, o athame com corte deixa a simbologia ainda mais real (afinal, só algo que corte na realidade pode cortar no plano astral). Cabe a você decidir o que é mais correto em suas práticas pessoais, nesse sentido. Historicamente, o athame tem o cabo preto para fins de segurar a energia, mas não há nenhuma regra para isso; o importante é você se identificar com ele. É necessária a empatia com o utensílio. Muitos bruxos afirmam que o athame é de uso exclusivo ritualístico e, para fins práticos (cortar ervas e demais materiais), devemos usar a bolline (faca de cabo branco). Outros autores ainda afirmam que o athame deve ser usado para ambos os fins. Mais uma vez, você escolhe, mas o tradicional é que ele seja usado apenas para fins ritualísticos. Você deve escolher o que lhe for melhor. Se você seguir uma linha mais tradicional, faça o que for tradicional, para ter coerência. Depende das tradições, das vertentes, de você.

17


Rituais Um ritual é uma ação simbólica formalizada e pré-determinada, normalmente praticada num ambiente particular de forma regular e periodicamente. As ações que compreende um ritual incluem na sua generalidade recitações, cânticos, grupos de processos, danças repetitivas, manipulação de objetos sagrados etc. Normalmente os rituais têm por objetivo, invocações espirituais ou respostas a emoções pessoais. Também podem acontecer rituais de grupo, onde pessoas se unem num propósito para uma ação conjunta com o mesmo objetivo. As velas de cores diferentes têm finalidades energéticas diferentes. Podem ser usadas também para representar a Deusa e o Deus, ou até mesmo os quatro quadrantes: (leste/oeste; Norte/sul; ar/água; terra/fogo). A Natureza é habitada por espíritos associados às plantas, aos animais, aos minerais, à água, ao fogo e ao próprio ar. Esses espíritos, também conhecidos como seres elementais, seriam a "alma" de tudo que existe: pedras, terra, o vento, fogo, plantas, etc... Um dos mais poderosos elementos da natureza é o Fogo, que está associado, entre outros atributos, à transmutação e à purificação. Os espíritos do Fogo são as Salamandras. Estas são criaturas flamejantes, de cor vermelho-alaranjada. Não têm forma definida e medem de 70 a 90 centímetros de altura. Para você se valer da força das Salamandras, experimente recorrer às velas. Presentes em todos os ritos e nas mais diferentes liturgias, as velas associam dois fatores muito importantes: a força das salamandras e os poderes associados às cores.

Uso Mágico nos Rituais Seja nos rituais mais simples, seja nos mais complexos, o uso das velas é praticamente indispensável. Todos os Rituale Excelsis e quase todos os Rituale Vulgaris fazem uso das velas nas suas operações. Na verdade, pode-se dizer que acender uma vela é o mais simples dos rituais. Naturalmente, você deveria fabricar suas próprias velas e poderá fazê-las de vários 18


formatos (cilíndricas, piramidais, quadradas, esféricas) usando as cores e essências que melhor lhe convierem. Entretanto, na correria do dia a dia, isto nem sempre é possível. Mas não se desespere, você poderá encontrá-las em qualquer loja do ramo, em todas cores, aromas e formatos. No momento do ritual, (ou pouco antes) você poderá "prepará-las" à sua maneira e obterá os mesmos resultados, não duvide. Tenha sempre em mente que os tempos mudaram.Velhos grimórios (livro de conhecimento mágico, diário mágico) podem ser muito interessantes, mas a vida de hoje conta com certas comodidades que teriam parecido inexplicável magia aos nossos ancestrais. Não se agarre a anacronismos e aprenda a mudar com o devir. Isso é prova de inteligência. Consagre a sua vela, transformando-a num instrumento mágico. Use a lua certa e seu "estado de espírito certo". A cor da vela é imprescindível ao êxito de determinados rituais, porque a vela estabelece um elo psíquico entre os vários "planos" do Ser, de forma que esse contato tem de ser feito corretamente, e a cor é um fator-chave. Você pode untar sua vela com óleos essenciais e gravar nelas seus desejos, runas de sorte, selos angélicos, pode ordenar ou formular desejos.Use sua intuição, ela será seu guia SEMPRE.

Sobre a Consagração do óleo Esta parte é fundamental, pois, é a consagração que faz da vela um objeto mágico. Antes desta, ela não passa de um cilindro de parafina com um pavio, cuja única função será iluminar ambientes escuros. Contudo, consagração faz dela um instrumento de magia capaz de estabelecer contato direto com os planos sutis. A consagração deve ser feita com óleo, preferencialmente aquelas essências aromáticas à base de óleo. Essa prática é milenar e desde o Egito antigo encontram-se referências sobre os óleos aromáticos de consagração. No comércio especializado, você adquire (ou fabrica você mesmo) um vidro com essência à base de óleo.Pode ser canela, outras madeiras odoríficas, baunilha, violeta, almíscar, rosas, ou a que mais lhe agradar. Mas a condição sine qua non (“sem o qual não pode ser”) é que seja veiculada em óleo. Isso porque há muitos tipos de essência, mas nem todas a base de óleo, que nesse caso é fundamental. Pegue o vidro de óleo e retire-se para um lugar sossegado, onde não vá ser interrompido. Sente-se e respire fundo algumas vezes, visualizando uma luz dourada e cintilante envolvendo o ambiente. Após alguns minutos, abra o vidro, ponha um pouco do óleo nas mãos, esfregue-as até aquecer. Neste ponto, pegue novamente o vidro (cuidado para não deixar cair) e vá passando as mãos nele, repetindo em voz baixa: “Em nome do

Poder Maior, eu te consagrado para que a partir deste momento sagrado, sejas elo de ligação entre as coisas da Terra e a Divindade. Que possas ajudar-me em toda as minhas obras e que exerças a força que te concedo. Que tudo seja sempre feito de acordo com a vontade do Poder Maior, da qual compartilho”. Isso deve ser repetido três vezes, com muita convicção, a fim de que o óleo seja impregnado. A consagração do óleo é feita de uma vez só, pois o vidro ficará impregnado com suas vibrações por um bom tempo. Se achar necessário, pode repetir a consagração sempre que achar adequado.

19


Consagração da(s) Vela(s) Alguns místicos preferem chamar de "unção”. Pegue a vela (sendo muitas, deve ser feito a cada uma, para que a impregnação não seja diluída) e mergulhe seus dedos no óleo já consagrado. Visualize seu desejo com tanta convicção como se ele já estivesse realizado, visualize o ritual que irá executar como se seu objetivo já tivesse sido atingido. Se você deseja ATRAIR alguma coisa, esfregue os dedos com óleo na vela DE CIMA PARA BAIXO; se deseja AFASTAR algo, faça-o DE BAIXO PARA CIMA. Se desejar você também pode escrever na vela o que deseja ou o nome da pessoa a quem o ritual será dedicado: para escrever na vela use sempre uma ponta de aço. Depois de escrever, passe os dedos com óleo. Escrever na vela é opcional. Enquanto visualiza e passa o óleo, vá repetindo a mesma consagração do óleo. Tenha em mente que a força do seu pensamento é que tornará a vela um objeto mágico, por isso a chave é a visualização. Agora faça uma oração, de acordo com a sua crença pessoal.

Conselhos Úteis • Se precisar apagar uma vela que esteja sendo usada ritualisticamente JAMAIS o faça assoprando. Velas ritualísticas só devem ser apagadas com abafador ou com os dedos, nunca assopre uma destas velas. É muito importante a escolha do lugar onde a vela será acesa. Deve estar fora das correntes de ar, do alcance de crianças e animais e afastadas de materiais combustíveis, tais como papel, cortinas e outros. • A vela deve ser bem fixada, se não tiver uma base grande. Especialmente no caso das cilíndricas, é importante fixá-las corretamente para que não caiam. Use sua própria cera para fixá-la, mesmo que esteja em candelabro. Dependendo do tamanho é interessante colocá-la dentro de um copo de vidro refratário, COM UM POUQUINHO D'ÁGUA NO FUNDO, para que a parafina não fique irremediavelmente aderida.Havendo um pouquinho de água no fundo, o que sobrar da parafina sai inteirinha, sem grudar no fundo. De outra forma, você só vai conseguir limpar o copo se usar água fervendo. No comércio há vidros especiais para velas de sete dias e outros tipos de velas também. Escolha aqueles de sua preferência e necessidade. • Pode acontecer com qualquer tipo de vela, que à medida em que vai se consumindo, a parte já queimada do pavio acumula-se junto à chama, fazendo com que esta fique cada vez mais forte e intensa. Isso fará com que se queime depressa demais e "esparrame" a vela inteira. Neste caso, é aconselhável cortar com uma tesoura a parte preta do pavio já queimado. Por precaução, especialmente nas atividades que requeiram várias velas acesas simultaneamente, é recomendável que se disponha de meios para enfrentar uma possível emergência. Assim, aconselha-se que disponha uma reserva de água suficiente para alguma eventualidade, ou então, uma maneira rápida de abafar um eventual princípio de incêndio. Bruxaria sim, descuido jamais.

A mulher e a Lua 20


Sangue Menstrual Sangue que é expelido todo mês do corpo das mulheres, indicando que esta pode gerar vida. O sangue menstrual é visto como sagrado justamente por este motivo. A palavra “menstruação” vem do latim mens e significa “lua” e “mês”. A primeira forma de medir o tempo foi pelo ciclo menstrual das mulheres. A sincronia entre o ciclo lunar e o menstrual refletia o vínculo entre as mulheres, a Lua e as deusas da fertilidade. O poder da mulher vem de seu sangue, por isso ela não deve desprezá-lo, mas considerá-lo sagrado. O sangue menstrual liga a mulher ao poder da Criação. Com o advento das sociedades patriarcais, o sangue menstrual passou a ser visto como sujo e maligno, o que não deixa de ser irônico, visto que o sangue menstrual é o maior indicativo da fertilidade de uma mulher.

“Enquanto que nas sociedades matrifocais as sacerdotisas ofereciam seu sangue menstrual à Deusa e faziam suas profecias durante os estados de extrema sensibilidade psíquica da fase menstrual, a Inquisição atribuía a esse poder oracular a prova da ligação da mulher com o Diabo, punindo e perseguindo as mulheres ‘videntes’. E assim originaram-se os tabus, as proibições, as crendices e as superstições referentes ao sangue menstrual”. “Infelizmente, milênios de supremacia e domínio patriarcal despojaram as mulheres de seu poder inato e negaram-lhe até mesmo seu valor como criadoras e nutridoras da própria vida. Reduzidas a meras reprodutoras, fornecedoras de prazer ou de mão-de-obra barata, as mulheres foram consideradas incompetentes, incapazes, desprovidas de qualquer valor e até mesmo de uma alma!” “Em vez dos antigos rituais de renovação e purificação, a mulher moderna deveria disfarçar, esforçando-se para continuar com suas atribuições cotidianas, perdendo o contato e sintonia com seu corpo e com a energia da Lua. O resultado é a tensão pré-menstrual, as cólicas, o ciclo desordenado, o desconhecimento dos ritos de passagem e dos mistérios da mulher”. É complicado para as mulheres que moram em grandes cidades se adaptar a esse ritmo. Nos afastamos tanto da Natureza que acabamos até mesmo ficando confusas com relação ao nosso corpo. Não deveríamos temer o natural, mas o que nos é imposto artificialmente. Preocupamo-nos demais com consumismos e modismos e nos esquecemos de nosso poder como mulheres. Devemos retomar os antigos conhecimentos, estudar os antigos mitos lunares e reconhecer o poder mágico de nosso ventre. Desta forma, podemos nos reconectar à essência primordial de nossas vidas naturais.

Gravidez e Paganismo Dicas para ter uma gravidez tranqüila dentro do modo de vida pagão: •

Seu objetivo durante as 40 semanas, ou 9 meses lunares, de gestação, será fortalecer os laços emocionais, mentais e espirituais com o seu filho. Tenha a postura correta. 21


• •

• •

• •

Não veja a gravidez como indesejada etc. Mude já, caso tenha pensado em algo do tipo. Você está gerando um filho dentro de você. Dentro do possível, diminua o ritmo de atividade. A prioridade deve ser seu bemestar físico, energético, psicológico e espiritual. Praticar yoga, tai-chi, atividades artísticas, passear em ambientes naturais, descobrir métodos de relaxamento, meditação, usar florais e aliviar a tensão são extremamente importantes. Estar em uma relação tranqüila com o pai do bebê é fundamental. Estando juntos ou separados, cultivar a boa convivência é rudimentar. É sempre importante prestar atenção nisso, mas na gravidez, atenha-se ainda mais a sonhos, intuições, imagens mentais e coincidências que aparecerem pelo caminho. Se puder fazer um diário disso, tanto melhor. Pesquise sobre cerimônias e rituais antigos de nascimento, para se inspirar. Realize um ritual de bênção pré-natal indo a algum lugar dentro da natureza (um bosque, à beira de um rio ou cachoeira), preparando um pequeno altar com itens naturais e algo que represente a fertilidade. Apresente-se aos elementais, aos guardiões dos quatro pontos, às divindades que desejar, e agradeça por esse momento, pedindo todas as bênçãos possíveis para o seu bebê que irá nascer. Cante, medite, relaxe. Siga seu coração. Deixe algo do altar como oferenda à natureza, mas atente para que seja algo natural também, que não polua o ambiente. Posso ser trigo, folhas, enfim, o que você achar melhor. Borde em suas roupas da maternidade símbolos de amor e proteção. O mesmo vale para as primeiras roupas do bebê. É costume comum levar um amuleto para o momento do parto. Você pode levar a imagem de alguma divindade protetora do parto (Ísis, Tauret, Bast). Também pode levar pedras de lápis-lazúli ou cerâmica azul reproduzindo o “Olho de Hórus” (contra mau-olhado), ou gatos e hipopótamos para atrair suas bênçãos. Um outro amuleto utilizado na Grécia e na Roma antigas era a imagem de uma folha de arruda gravada sobre madeira, bronze ou prata. Você pode colocar galhinhos de arruda ou manjericão no sutiã, para se proteger da inveja, e ter um pingente com uma figa em seu pescoço. No Mediterrâneo, o mais famoso amuleto tradicional era formado por três miniaturas presas por um cordão vermelho (pedaço de coral vermelho, representação de um gato preto e uma tesourinha que corte de verdade). Um dos mais conhecidos amuletos para se ter um bom parto é o uso de uma chave, que pode ser usada durante toda a gravidez até o momento do parto. Para consagrar seus amuletos, deixe-os tomando banho de lua cheia durante uma noite, antes de usá-los. Com a proximidade da data prevista para o parto, a gestante poderá montar um pequeno altar com imagens de deusas protetoras, uma taça com água, símbolos de proteção e fertilidade, incensos de rosas e lótus, objetos de poder da mãe, amuletos de proteção e o que mais a futura mãe quiser. Se quiser seguir uma antiga tradição, pode enterrar a placenta embaixo de uma árvore frutífera, onde futuramente também serão acrescentados o cordão umbilical, o cabelo e as unhas do primeiro corte. Antigamente, era comum plantar uma árvore para cada filho que nascia. Se você tiver essa possibilidade, não a desperdice.

O ato de dar à luz 22


“A criança entra no mundo e a mãe alcança um novo nível de consciência; nenhum dos dois será o mesmo de antes”. Dar à luz é como um ritual de iniciação. Não deixa de ser um importante rito de passagem: a futura mãe desce ao mundo das sombras (e da dor), entrega-se à morte (do seu eu anterior), nascimento (da criança) e renascimento (de si mesma como mãe). O milagre do nascimento de um novo ser. A energia luminosa que transpira do corpo da mulher. O instinto materno. Tudo isso junto e chegando ao mesmo tempo para uma só pessoa: a nova mãe. Ela foi iniciada. Não é mais como as mulheres que não são mães. Apesar de todas as dores que ela sentiu, ela passaria por tudo novamente, por ter esta como a mais intensa e comovente vivência em sua vida. Tirando os casos onde se faz realmente necessária, a cirurgia cesariana muitas vezes vence pelo comodismo urbano, pelo afastamento da mulher da natureza, pela conveniência e pelas facilidades tecnológicas.

“Impede-se desta maneira artificial a metamorfose natural da mulher em mãe, que deixa de experimentar o estágio da dilatação como a entrega total, sem reservas, dissolvendo-se na dor até descer profundamente no próprio ventre da Terra, de onde precisa voltar juntando todas as suas forças para o trabalho final e árduo de empurrar a criança e alcançar o clímax orgásmico da vitória final”.

Dentro do possível, a mulher deve manter sua consciência e participação ativa no parto, para depois manter o contato físico com o bebê, acariciá-lo, sussurrar-lhe palavras carinhosas e dar-lhe o peito pela primeira vez. Para uma mulher pagã, é inconcebível a idéia de “optar” por uma cesariana simplesmente porque “não quer sentir dor”. Para quem tem condições financeiras, há diversas casas de parto e doulas que fazem parto domiciliar. De qualquer forma, há o resgate do parto natural, e se você tiver condições de fazer isso, sem complicações na gravidez, por favor, faça – por você e pelo seu bebê. O parto é uma cerimônia sagrada de iniciação e transformação. Não deixe passar batido.

A maternidade Pagã Desde o início dos tempos, a mulher é vista como sagrada, por ter o dom de dar à luz um novo ser humano. Hoje, apesar de a maioria das mulheres ter se distanciado da sua natureza, é comum as mulheres pagãs retomarem essa ligação, e a maternidade é um momento onde todos os sentimentos – inclusive essa ligação – ficam à flor da pele. O ato de dar à luz ainda é considerado sagrado. Não deve ser visto como um momento de sofrimento e ansiedade. Você, que está grávida, veja seu corpo como uma dádiva da natureza. O fato de ser fértil e capaz de gerar uma vida dentro de você deve ser visto como algo maravilhoso, porque realmente é. E, por maior que seja a participação do pai da criança, a gravidez até o parto é uma transformação da mulher. Desse ponto de vista, é chocante pensarmos em como hoje são as práticas obstetrícias: a imobilização forçada da gestante, a indução do parto, o uso de drogas que tiram a consciência da mãe, as intervenções cirúrgicas planejadas antecipadamente sem 23


necessidade, além do tratamento frio dado à mãe e ao recém-nascido. Existe o consenso de que só uma mulher que pariu pode compreender e apoiar o sofrimento de outra mulher. Atualmente, há o resgate da prática de doulas, ainda que não seja algo difundido comumente. O Cristianismo transformou o ato de dar à luz em algo impuro, e que a mulher deveria sofrer pois estava pagando pelos seus pecados. O que era visto como sagrado, passou a ser visto como parâmetro para dor: “aquilo doeu mais do que a dor do parto” ou “não existe dor pior que a dor do parto” – conceitos que ficaram na mente de todas as mulheres e transformaram o momento do parto em algo temido e indesejado. O batismo servia para “purificar” aquele bebê. Dentro das crenças pagãs, sabemos como isso tudo é absurdo. É necessário que as mulheres pagãs conheçam mais sobre a história da maternidade e reivindiquem seus direitos – resgatem rituais para reconsagrar seu corpo e sua alma. Fundamental é ter em mente que uma concepção consciente implica sexo consciente. Não faz parte do respeito aos nossos corpos induzir uma gravidez sem que você e seu parceiro estejam de acordo. Também não é respeitoso com ele, muito menos com o seu bebê.

A Lua e a Gravidez Mito ou realidade? O quanto a Lua influencia no parto? Uma mudança na fase da lua pode fazer uma criança nascer? Não existe uma só publicação científica na área da Medicina que comprove a influência da lua nos partos. Entretanto, muitos médicos admitem que há um número maior de nascimentos nos dias de virada ou durante a fase da lua cheia. Uma coincidência inexplicável e quase mística tratada com desdém pela comunidade científica por causa da falta de comprovação. Mas algo realmente inegável acontece, “uma ligação desconhecida entre a Lua e o nascimento”, concordam os ginecologista e obstetras. Há relatos médicos que dizem que conforme a transição lunar, o número de nascimentos nos hospitais chega a triplicar, fazendo inclusive com que alguns médicos programem o seu trabalho conforme o calendário lunar. Na tentativa de uma explicação para o fenômeno, alguns profissionais da saúde dizem que, por tradição, os ciclos menstruais da mulher são contados pelo sistema do mês lunar, com apenas 28 dias. A gestação também obedece ao mesmo ciclo. Em média, são contados nove ciclos da lua — e não nove meses completos —, desde a fecundação até o momento previsto do parto. Mesmo ainda sem comprovações sobre a influência da lua sobre o nascimento de bebês, é certo que o satélite é capaz de proporcionar mudanças em elementos da Terra. Os mais visíveis dizem respeito aos elementos fluidos, como a água das marés e os ventos atmosféricos. Alguns pais entendem a data provável do parto como um momento “limite” a partir do qual a gravidez não pode prosseguir, quando afinal ela é meramente uma referência que permite, de forma aproximada, identificar o momento em que ocorrerá o parto. Por isso, é importante que compreenda como é determinada esta data, qual o seu significado e o que deve esperar em termos de vigilância e atitudes clínicas quando a sua gravidez ultrapassa essa data. 24


As nossas avós e as suas mães, numa época em que não era comum a vigilância médica da gravidez, utilizavam o ciclo lunar para predizer o momento aproximado do parto. Efetivamente, o ritmo de luz noturna determinada pela variação lunar regula os ritmos biológicos da mulher, particularmente as variações hormonais subjacentes ao seu ciclo menstrual. É por esse motivo que ainda hoje se considera que o ciclo menstrual da mulher tem a duração média de 28 dias – mês lunar. A comunidade científica considera atualmente que a duração média da gravidez é de 280 dias, ou 40 semanas, a contar do primeiro dia da última menstruação. Isto corresponde a aproximadamente nove meses no calendário regular ou a dez meses lunares – pelo que a «contagem das luas» das nossas avós estava bem próxima da verdade! Subjacente a este cálculo estão as premissas de que a mulher tem ciclos menstruais regulares de 28 dias, e que terá ovulado e, portanto, concebido ao 14º dia do seu ciclo. É aqui que começam as variações, já que a duração do ciclo menstrual normal pode ser bem diferente. Se uma mulher tem ciclos de 35 dias, a sua ovulação ocorrerá provavelmente ao 21º dia do ciclo e essa diferença de sete dias (ou seja, uma semana) terá de ser acrescentada aos 280 dias de duração provável da gestação, já que a concepção, no seu caso, foi mais tardia! Talvez pareça confuso, mas pretende-se apenas que seja compreensível para si que a determinação da data provável do parto pode não ser fácil e que apenas cerca de 5% dos partos ocorrem na data esperada, considerando-se normal que ocorram até três semanas antes ou duas semanas depois da mesma, isto é, entre a 37ª e a 42ª semana de gravidez (período considerado como «gravidez de termo»).

Ritual de Proteção (objeto) Ao amanhecer e ao entardecer, erga o objeto acima de sua cabeça e diga: “Minha Deusa, por favor, abençoa este (diga o nome do objeto) com teu amor incondicional. Cobre-o com teu olhar sagrado e livra-o das impurezas deste ou do outro mundo. Que tua luz se faça agora sobre este (nome do objeto) assim como o Sol brilha de dia e a Lua brilha de noite. Que assim seja, que assim se faça!” Respingue água de chuva ou água benta no objeto abençoando-o.

Ritual de Purificação Fazer todo mês na Lua Minguante à noite passando em toda a casa. • Pires com sal; • Incenso de patchuli ou olíbano; • Um talismã; Pegar um punhado de sal na mão e cobrir com a mão esquerda pedindo bênçãos aos Deuses. Peça que lhe ajudem nesta limpeza espiritual. Nisso, vai caminhando pela casa deixando com que o incenso envolva os cômodos e no final jogue um pouco de sal que está na sua mão em todos os cômodos (comece a jogar de onde você estiver até onde começou a fazer até acabar o sal da mão).Depois deixe o 25


incenso queimar até o final e as cinzas e o sal do pires jogue em um jardim ou em água corrente.

Ritual de Defesa: Olho de Hórus Desenhando o olho de Hórus dizer: “O grande olho que tudo vê, que você possa se adiantar aos inimigos antes mesmo deles se adiantarem a nós”. Depois coloque no ambiente do inimigo, onde ninguém possa achar.

Purificação do Corpo A partir da meia-noite não coma nada e nem beba água. Caso estiver acordado (ou ao acordar) ofereça jejum aos Deuses. Peça para que seu corpo seja purificado de todas as impurezas e que seja limpo para receber influência dos Deuses e espíritos sobrenaturais. Faça meditação ao longo do dia. O jejum acabará às 18:00.

Ritual de Invocação (à noite) Desenhe numa cartolina preta o pentagrama. No centro dele coloque uma gota do seu sangue. Na ponta superior do pentagrama acenda uma vela comum. Sente no centro do pentagrama e medite. Quando estiver preparado diga: “Om om om yogena chittasya padena vacham malan sharirasya cha vai dyakena yopakarottam pravaram muninam patanjalim pranjaliranato’smi abahu purusakaram shankha chakrasi dharinam sahasra shirasam svetam pranamani (diga seu nome) Hari om” Volte a meditar (preste bastante atenção, pois poderá ouvir ou até ver algo). Não obtendo resultado, diga mais algumas vezes fazendo o ritual na mesma ordem (caso não aconteça, ao final diga as palavras abaixo).Obtendo resultado, diga: “EU TE CONJURO, COMANDO E ORDENO QUE SE REVELE”. Volte a meditar. Esse ritual invocará seu guardião. Lembre-se que mesmo não havendo resultado, o ritual já está feito.

Ritual de Iniciação 1º, 2º, 3º e 4º dia: Comer nada industrializado (doce, bolacha e refrigerante) e nenhum tipo de carne. 5º, 6º e 7º dia: Ao acordar: “Ó grande Mãe, me ofereço toda a voz em prova da minha entrega te dou meu coração. Entrego-te os meus sentidos e tudo que eu tenho quero que a voz pertença”. 26


Comer nada industrializado e de origem animal. Tomar banho com chá-mate (no final do banho esfregue no corpo todo e tire o excesso debaixo do chuveiro sem passar a mão). 7º dia: Comer apenas frutas, verduras ou barra de cereais (sem chocolate).

Ritual de Proteção Tenha consigo os seguintes materiais (serão utilizados na representação dos Elementais da Natureza). - 1 cristal (para o elemento Terra) - 1 cálice ou taça com água mineral até a borda (para o elemento Água) - 1 incenso de sua preferência (para o elemento Ar) - 1 vela branca (para o elemento Fogo) Faça uma cruz no chão, representando os pontos cardeais (dica: veja para que lado nasce o Sol e marque o Leste, pois terá que posicionar os pontos reais): Norte, Sul, Leste e Oeste. Coloque o cristal no ponto marcando Norte; o cálice com a água no ponto Oeste; o incenso (de preferência em um incensório) no ponto marcado por Leste e finalmente, no ponto Sul coloque a Vela Branca. Faça uma oração qualquer (a que você mais goste), antes de começar a invocação. Primeiramente, pegue o cristal na mão e segure-o firmemente, dizendo: "EU (seu nome) SAÚDO A TERRA, A NATUREZA, TODOS OS SEUS ELEMENTOS E A SUA FORÇA. EU AGRADEÇO POR TUDO QUE A TERRA ME PRESENTEIA TODOS OS DIAS DA MINHA VIDA. PEÇO QUE A ENERGIA DA TERRA ESTEJA SEMPRE PRESENTE E ME TRAGA CORAGEM, ESTÍMULO, DISCIPLINA, CONFORTO, ESTABILIDADE E SAÚDE. EU PEÇO A TERRA QUE, REPRESENTADA POR ESTE CRISTAL, ME PROTEJA E ME AJUDE SEMPRE. ASSIM SEJA."

Coloque o cristal de volta no lugar. Em seguida, erga o cálice (ou taça) de água para o céu e diga: "EU (seu nome) SAÚDO TODOS OS ELEMENTAIS E AS DEUSAS DA ÁGUA. AGRADEÇO À ÁGUA POR TODA A ÁGUA EXISTENTE NO PLANETA, PELA ÁGUA QUE BEBO E DE QUE NECESSITO PARA VIVER. PEÇO AO ELEMENTO ÁGUA INTUIÇÃO, CLAREZA, VISÃO, ENERGIA, FORÇA MÁGICA. EU PEÇO QUE A ÁGUA CONTIDA NESSA TAÇA ME PROTEJA E ME AJUDE SEMPRE. ASSIM SEJA."

Coloque a taça com a água no lugar. Depois, acenda o incenso e espalhe sua fumaça pelo ar, dizendo: "EU (seu nome) SAÚDO E INVOCO TODOS OS ELEMENTAIS DO AR. AGRADEÇO PELO AR QUE RESPIRO, PELOS VENTOS, PELA INTELIGÊNCIA, PELA CRIATIVIDADE, PELAS MINHAS VIRTUDES RACIONAIS. PEÇO AO ELEMENTO AR CAPACIDADE DE RACIOCÍNIO, CLAREZA DE IDÉIAS, CONDIÇÃO DE CRIAR E SER FELIZ. EU PEÇO QUE A FUMAÇA DESTE INCENSO QUE SE DESPRENDE NO AR ME PROTEJA E ME AJUDE SEMPRE. ASSIM SEJA."

Novamente, coloque o incenso no seu lugar. Agora é a vez da vela. Acenda-a e diga: 27


"EU (seu nome) SAÚDO E INVOCO TODOS OS ELEMENTAIS DO FOGO. PEÇO A INTUIÇÃO SAGRADA E A ENERGIA CURATIVA E CRIADORA DO FOGO. AGRADEÇO AO FOGO PELA VIDA. EU PEÇO QUE O CALOR QUE SE DESPRENDE DA CHAMA DESTA VELA SIRVA PARA OS MAIS NOBRES FINS, BEM COMO NA MINHA PROTEÇÃO E CUIDANDO DE MIM, ENQUANTO EU VIVER. ASSIM SEJA."

Agora, que a invocação chegou ao fim, você deve tomar os seguintes procedimentos: o cristal, servirá como um amuleto de proteção e auxílio, então leve-o sempre e carregue-o consigo; tome a água do cálice. Essa água, que fez parte da invocação, ajuda nas realizações mágicas (feitiços ou dicas mágicas) que você realizará. Já o incenso e a vela, deixe-os queimar até o fim. O que sobrar (o pó do incenso e a cera derretida da vela) é para ser jogado em um jardim ou água corrente.

Ritual do Animal Guardião Deite-se num lugar tranqüilo, faça uma contagem de 7 a 1, procurando relaxar. Imagine-se entrando numa caverna escura, onde encontrará vários animais. Pergunte a cada um deles se é o seu Animal Guardião. Se o animal ficar em silencio e ir embora, a resposta é não. O animal que responder será o seu Guardião. Pergunte seu nome e converse com ele. Não revele para ninguém o seu Guardião.

Ritual para expulsar Energias Negativas Entrelace os dedos sem fechar as mãos, se concentra e diga:

“Oriakanta Chitara eu repreendo e expulso toda as influências negativas, que elas sejam repelidas para longe de mim e dos meus a lugares inacessíveis”. Depois espere um pouco que você sentirá uma energia, uma pressão saindo dos ombros. Vá para um lugar aberto e abra as mãos. Assim você estará liberando essas energias.

Ritual para o Terceiro Olho Om burbu vaa suaa tatsa vitur varenn iammm bargooo de-vassia dii-marriiii dioio naa pratcho daiat. Obs.: Pratcho = “prantio” Repetir várias vezes ao dia todos os dias.

Boneca de Brigit Corte e costure pedacinhos de pano com algodão dentro e depois monte e costure a 28


boneca.Em seguida, com um pano branco, costure em volta da boneca um simples vestido para ela. Não precisa ser nada “profissional”, o que vale é a simbologia e a sua intenção. Pense nos atributos de Brigit enquanto confecciona a sua boneca. Seria adequado conseguir uma pequena cesta de vime (palha) para deitar a boneca, como se fosse mesmo uma caminha. Com palhas de milho, você pode forrar a “cama” e deitar a boneca em cima. Durante o seu ritual, coloque três velas acesas (representando a Deusa Tríplice) ao redor da cesta. Diga:

Abençoada seja Brigit, abençoada seja a Grande Mãe. Seja bem-vinda à sua cama. Abençoada seja a virgem, Abençoada seja a Mãe. Coloque o bastão na cama, junto com a boneca, enquanto diz:

Que a união da Deusa e do Deus traga luz e fertilidade a Terra. Apague as velas. Ao nascer do sol do dia seguinte coloque a boneca, sem as roupas, sobre a porta de entrada para trazer prosperidade, fertilidade e proteção. Se não tiver a possibilidade, guarde-a em algum lugar especial que você sinta a sua proteção.

Às manhãs Para que os espíritos bons possam te acompanhar, ao acordar diga:

“My balas my balas hadck arakmen” Obs.: Hadck = radiéqui Arakmen = o “e” tem som de “i”

Para a dor -

1 fio de azeite

-

1 fio de vinagre

Energizar o conteúdo: “Irmão Sol, irmã Lua, que toda a sua energia cósmica possa energizar essa poção para que ela traga benefício para o meu corpo e que assim eu seja purificado.” Beber o conteúdo.

29


Usar cabelo para cortar influências negativas • Cabelo da pessoa a ser amarrada; • Gengibre; • Sal grosso; • Sangue animal; • Cravo; Colocar em um recipiente com água. Ferver e derramar na terra. Ali você estará amarrando toda influência negativa da pessoa sobre você.

Ritual antes de Comer (comida enfeitiçada) “Com este feitiço muda a sorte para melhor, e eu experimento a transmutação dos inimigos da Sabedoria Encantada e do equilíbrio do tempo da sabedoria, e me comprometo a emergir no mundo externo. (Seu nome inteiro) estou protegida, os inimigos foram transmutados e separados do propósito concreto de prejudicar-me. Eu que alcancei a vitória, Eu que venci as batalhas, Graças a Ti, Grande Mãe, que me acolheu em Teu Seio até que estivesse pronta, agradeço as Suas Bênçãos, e reverencio a Sua Presença Infinita. Que Assim Seja”! Deve pronunciar os encantamentos, com firmeza na voz, de forma forte e pausada, para que fique realmente protegida em todos os planos maléficos. Isso antes de ingerir o alimento.

Invocação de espíritos ruins para purificação Entrelace os dedos sem fechar as mãos, se concentra e diga: “Eu vos conjuro a serem selados nos portais intermediários e que sejam despejados nos campos inferiores”. Depois espere um pouco que você sentirá uma energia, uma pressão saindo dos ombros. Vá para um lugar aberto e abra as mãos. Assim você estará liberando essas energias.

Rituais Simples para o Dia-a-Dia 30


Ser bruxa (o) é um modo de vida. Não é simplesmente realizarmos rituais no dia dos Sabbats e na Lua Cheia somente. Para ser um (a) bruxo (a), você deve viver como um (a), então a conexão com as divindades é permanente e ocorre todo o tempo. É um pequeno compêndio de atividades que podem ser realizadas no seu cotidiano, facilitando a sua conexão com os deuses. As formas de se fazer são infinitas. - Uma boa maneira de limpar o seu altar é lavando seus cristais, deixando-os submersos em água de chuva, fonte ou mesmo água comum (mineral, nunca de torneira) com algumas gotas de limão e sete gotas de essência de eucalipto ou pinheiro. Depois os exponha à luz do sol ou da lua, defume-os com incenso de sálvia ou mirra. Medite a respeito da arrumação de seu altar e troque ou acrescente tudo o que for necessário. - Você pode organizar um altar para se conectar ao deus Pan, reverenciando-o em si (se você for homem) ou em seu parceiro (se você for mulher). Prepare um altar com pinhas, chifres ou cascos de animais, galhos de pinheiros e cachos de uvas. Queime incenso de almíscar, acenda uma vela verde, brinde com vinho e dance ao som de flautas. - Quando for limpar a casa, faça como nossos ancestrais, arejando roupas e calçados, espanando as teias da estagnação e a poeira do passado. Arrume seus armários, desfazendo-se do que não usa mais. Abençoe seus utensílios de limpeza (vassouras, espanadores, aspirador, baldes) para que possam limpar não só a sujeira física, como também a astral. Finalize com uma oração para sua própria limpeza psíquica e energética. - A runa Ingwaz é o facho de luz que ilumina e abre um novo caminho. Mentalize-a, ao nascer do sol. Veja-a como um portal de entrada para a luz, abrindo uma nova fase em seu desenvolvimento pessoal e crescimento espiritual. Projete nesse portal o seu projeto ou objetivo, iluminado e renovado pela luz solar. Assuma um novo compromisso para consigo mesma e peça ajuda à luz maior para cumprir com sua responsabilidade. - Quando tiver que enfrentar algum desafio em algum dia, medite e procure visualizar a deusa celta Maeve, com seu cabelo ruivo e uma tiara e segurando nas mãos uma espada e um escudo. Pergunte aos seus pássaros mensageiros o que precisa combater em sua vida e como fazer isso. - Dedique-se a si mesma em um dia de primavera. Enfeite a sua casa com flores, acenda velas vermelhas e incenso de rosas no seu quarto ou banheiro. Tome um banho revigorante com essência de rosas ou jasmim e vista uma roupa rosa ou vermelha. Realce sua beleza da forma que está acostumada e medite um pouco, invocando a energia do amor para a sua vida. Depois saia para se divertir, sozinha ou acompanhada. - Antigamente, as mulheres limpavam e enfeitavam as fontes com guirlandas de flores e fitas, em Roma. Reverencie você também os espíritos e as deusas das águas. Procure um local onde haja uma fonte, rio, lago, mar ou cachoeira. Sente-se confortavelmente e contemple a superfície da água até atingir um estado profundo de relaxamento. Conecte-se aos espíritos e às deusas da água, dizendo-lhes quais são seus problemas ou suas dúvidas. Aguarde até perceber alguma imagem ou mensagem refletida na água. Agradeça oferecendo-lhes flores, perfume ou moedas. Leve um pouco dessa água para purificar seus cristais e outros objetos de seu altar. - Conecte-se á força das árvores abraçando uma, fundindo-se com seus galhos e raízes, recebendo seu vigor. Deixe uma oferenda como uma moeda, fitas coloridas em laço, 31


-

-

-

-

-

-

-

32

frutas ou um pouco de cereal. Neste dia, plante uma árvore ou uma planta e responsabilize-se por cuidar dela. Procure sensibilizar outras pessoas para proteger e evitar a destruição das florestas e matas. Escolha um símbolo pessoal (mandalas, ferradura, alho, figas, runas) e coloque-os nas portas e janelas como proteção, invocando seus guardiões espirituais. Inicie um calendário menstrual, observando a relação do seu período mensal com a fase da Lua. Quanto mais você se afinar com as energias lunares, mais seu ciclo menstrual se tornará regular e harmônico. Prepare uma bebida para atrair abundância e boa sorte para a sua vida. Bata no liquidificador leite com estes setes ingredientes: nozes, damascos, coco ralado, maçãs, amêndoas, aveia e mel. Reúna um grupo de amigas e façam um pequeno ritual, queimando incenso de lírio e acendendo sete velas brancas, pedindo a ajuda da deusa Anna Perenna em suas vidas. Compartilhem da bebida e ofereçam um pouco para a Deusa, junto com um pedaço de pão fresco e alguns lírios brancos, perto de um canteiro com flores brancas. Crie um ambiente favorável com música, velas, incensos e medite, abrindo o seu coração e pedindo à Deusa alguma imagem ou mensagem para a sua fase atual, orando para o seu fortalecimento interior e crescimento espiritual. Termine agradecendo pela luz e o amor de sua presença. Para homenagear a deusa Cerridwen, queime verbena em seu caldeirão, acenda uma vela verde e amarre uma fita verde em uma árvore frutífera. Faça uma pequena visualização, transportando-se, mentalmente para a sua morada. Peça-lhe um gole de seu caldeirão mágico e a bênçãos para suas atividades ou projetos criativos. Faça um pequeno ritual para homenagear as fadas. Vista-se de verde, acenda uma vela verde e um incenso de flores, enfeite seu altar com flores silvestres e folhas verdes e coloque uma música com flautas. Ofereça-lhes um cálice com vinho, brindando antes para a deusa Aine. Agradeça as energias benéficas das fadas na manutenção da vegetação e peça-lhes que protejam sua propriedade, suas plantas e seus animais. Comunique-se mentalmente com elas, procurando perceber sua manifestação. Depois leve uma oferenda de flores e vinho para algum bosque, amarrando uma fita verde em alguma árvore. Acorde cedo e faça uma prática de revitalização e harmonização. Saúde o sol direcionando seus primeiros raios para os seus centros de poder no corpo. Ore por sua saúde e vigor físicos. Visualize algum novo projeto ou desejo sendo iluminado e favorecido pelas energias cósmicas do céu e do sol, materializando-se na Terra. Desperte o fogo que existe em você e enfrente de maneira corajosa as nuvens escuras e os inimigos. Conecte-se ao seu guardião, reverenciando-o de acordo com sua fé e conhecimentos. Peça-lhe proteção, abertura de caminhos e força para vencer os obstáculos de sua vida. Consulte algum oráculo para uma orientação específica ou prepare alguma defesa para si como um talismã, patuá, amuleto ou runa de proteção. Honre as deusas dos grãos fazendo um bolo ou pão. Coloque enfeites de espiga de milho e trigo e faça uma oração de agradecimento pelo seu sustento. Agradeça à Mãe Terra e a todos os seres elementais. Peça para que jamais lhe falte sustento e lembrese de todas as pessoas que passam fome no mundo, mentalizando soluções para o sofrimento. Leve um pedaço do bolo ou pão e deixe como oferenda em uma árvore, junto com uma espiga de milho e uma fruta. Ofereça-os como gratidão às deusas dos grãos e assuma o compromisso de ajudar as crianças carentes ou abandonadas.


-

-

Acenda uma vela azul e um incenso de jasmim. Coloque uma música suave e mentalize uma nuvem azul envolvendo todo o planeta. Concentre-se naquelas áreas que estão em conflito. Peça pela paz no mundo. Emita vibrações de cooperação e compreensão, sem procurar soluções específicas, apenas afirmando a intenção de paz. Ofereça à deusa Juno uma vela rosa ou vermelha e um figo coberto com mel, toda vez que precisar conversar com o seu parceiro ou precisar de ajuda no relacionamento. Peça-lhe ajuda para encontrar compreensão para ambos. Renove suas energias preparando um banho com essência de pinheiro. Faça uma massagem com óleo de bétula e medite sobre a maneira pela qual você nutre o seu corpo, mente e espírito. Invoque a Grande Mãe e ofereça-lhe flores brancas, leite e mel, pedindo harmonia, saúde e proteção.

Livrando-se de Boatos Negativos Fase da Lua: Minguante - uma vela preta - uma vela rosa escuro - uma vela verde - qualquer incenso relacionado ao sucesso - óleo de patchuli - óleo de rosas - óleo de menta Se você estiver lidando com uma pessoa específica que causa boatos, escreva o nome dela na vela preta com uma faca. Se não houver uma pessoa em especial, escreva simplesmente “todos os boatos”. Unte a vela preta da base ao pavio com o óleo de patchuli e, enquanto unta, concentre-se na remoção de todos os boatos negativos na sua vida. Não especifique como isso deve ocorrer; apenas deposite a sua confiança nas forças divinas, que encontrarão a decisão correta. Peça que isso aconteça para o bem de todos. Então coloque a vela preta no centro do seu altar. Unte a vela rosa com óleo de rosas e a verde com óleo de menta, do pavio para a base. Enquanto estiver untando, concentre-se nas energias positivas que chegam à sua vida. Coloque as velas também no seu altar. Se quiser uma ordem, então coloque a vela rosa à esquerda da vela preta e a vela verde à direita da vela preta. Você jamais deve pedir a remoção de algo na sua vida sem pedir a substituição por algo positivo. Na Natureza não existem espaços vazios e, se você deixar um, ela tratará de preenchê-lo. Então é melhor preenchê-lo com coisas positivas do que deixar que as negativas retornem. Passe alguns momentos inspirando luz clara e expelindo a escuridão a cada expiração. Erga as palmas das mãos em direção às velas e diga:

Boatos não me atingem nem me comprometem. Pessoas negativas não se aproximam de mim. Eu sou luz. Eu sou verdade. Eu sou amor. Repita essas palavras três, cinco, sete ou nove vezes. Sinta seu significado positivo penetrando em seu subconsciente. Você está construindo um escudo de proteção ao seu redor, um escudo com uma energia positiva tão forte que as energias negativas não 33


conseguem entrar. Deixe as velas queimando até o fim em algum lugar seguro e, depois, jogue fora a cera.

Purificação Interna e do Ambiente A maneira mais óbvia de se purificar é tomar um banho físico, que limpa seu corpo e, simbolicamente “lava a alma”. A água é o símbolo da purificação em todas as religiões. Porém, há elementos que você pode adicionar para o seu banho ser ainda mais simbólico: • Queime incenso no banheiro enquanto toma banho. Seu aroma, misturado ao vapor do banho, causa uma agradável sensação de purificação. • Se tiver banheira em casa, coloque pétalas de flores na água ou um pouco de leite. Caso não tenha, encha um balde e, depois do banho, despeje-o do pescoço para baixo. • Quando sair do banho deixe o corpo secar naturalmente, sem o auxílio de toalhas. Se puder ficar nua, ótima, senão, use uma roupa branca de tecidos naturais. A cor branca é a cor da purificação. • Pegue um copo com água pura (se possível de fonte) e adicione sal. Sente-se confortavelmente em algum lugar onde possa respirar ar puro e visualize a água do copo. Se puder, realize este ritual embaixo do sol fraco da manhã ou em um dia de lua cheia. Visualize a Lua (ou o Sol) através da água do copo e sinta a energia deste astro impregnar na água. Quando achar que isso já ocorreu, beba a água vagarosamente, sentindo cada gole purificar o seu corpo. O sal representa o elemento terra e, misturado à água, confere esse poder de purificação. Para purificar o ambiente, a técnica mais utilizada é a queima de ervas ou incenso. A sálvia, o alecrim e a arruda são ervas fáceis de serem encontradas e são bastante eficazes para este fim. Você pode utilizar um turíbulo (pequeno incensário) ou um outro para queimar as ervas secas ou, se preferir, usar um incenso das mesmas.Você deve circular com o incenso no sentido anti-horário, pedindo para que as energias negativas ali impregnadas vão embora e venham apenas energias boas. Você pode até mesmo bolar uma canção, ou uma oração, para fortalecer o seu pedido, que funcionará numa espécie de mantra. Caso queira purificar mais de um ambiente, repita a mesma operação em cada local. Seria interessante deixar um incenso queimando em cada ambiente. Há diversas maneiras de purificar a si mesmo e ao ambiente em que estamos, mas estas são as mais simples.

Expulsando Entidades de Má Sorte É muito comum sermos visitados por entidades de má sorte, mesmo sem ter a menor intenção. Assim, é recomendável realizar, ao menos duas vezes por ano, este pequeno ritual de banimento de tais entidades para assim livrar a sua casa de energias negativas. Fase da Lua: Minguante - pires com sal - incensos de patchuli ou olíbano - um talismã

34


Para saber a melhor época de realizar este ritual, confie em sua intuição. Se sentir que o ambiente anda carregado, precisando de uma “mãozinha” sua, então o faça, mesmo que ainda não seja lua minguante. Porém, se puder esperar, é o período ideal. Nossa casa é nosso ambiente familiar e a primeira providência é limpar tais vibrações dela. Assim, pegue um punhado de sal em sua mão e cobre-a com a outra mão, pedindo bênçãos aos deuses. Peça que lhe ajudem nesta limpeza espiritual. Salpique um pouco de sal em cada canto dos cômodos e armários da sua casa e, quando terminar, tome um banho com um pouco do sal que sobrou no pires na água. Isso ajuda a limpar a sua aura, mesmo sendo uma ação física. Para evitar o retorno de tais criaturas, queime os incensos durante três dias e peça às entidades de boa sorte para que entrem em sua casa e em sua vida. Um vazio seria indesejável, pois atrairia de volta aquilo que você expulsou. Como uma precaução final, escolha um talismã para você usar junto a você, ou um talismã para a sua casa (no caso o talismã usado pode ser o seu ou o da casa). Passe-o pela fumaça do incenso antes de usar. Pode ser qualquer coisa, desde um pentagrama até um cristal. Limpe-o periodicamente passando-o pela fumaça do incenso para livrá-lo das vibrações negativas que possa ter absorvido com o passar do tempo.

Como Preparar Chás É de conhecimento geral – e estudos comprovam – que as plantas não só se alimentam, mas também curam. Muitas vezes, encontramos tratamentos naturais à base de ervas e outras plantas medicinais, mas não sabemos como usá-las corretamente. Há diferentes maneiras para se preparar os chás, e todas elas estão diretamente ligadas à composição e às qualidades de cada erva ou planta medicinal. As formas mais conhecidas são: Por maceração Você deve colocar de molho, em água fria, à temperatura ambiente, 1 a 2 colheres de chá de ervas secas ou frescas para cada xícara de água. Para as partes mais duras, o período de espera adequado é de 18 a 24 horas e, para as partes mais macias, de 12 a 18 horas. Em seguida, basta aquecer tudo levemente, coar e beber o chá (de preferência sem adoçá-lo), 3 a 5 xícaras por dia. Por infusão Coloque as ervas frescas ou secas, na proporção de 1 a 2 colheres do chá das ervas para cada xícara de água, dentro de um recipiente, e despeje água fervente sobre elas. Deixe repousar de 5 a 10 minutos (se forem utilizadas as partes mais duras das plantas – cascos, talos e raízes – o tempo de repouso na água fervente deverá ser de 20 a 30 minutos). Em seguida, coe e beba o chá, de preferência ao natural (ou seja, sem açúcar), de 3 a 5 vezes por dia. Por decocção Coloque em um recipiente adequado, contendo água fria, as ervas secas ou frescas, na proporção de 1 a 2 colheres de chá de erva para cada xícara de água. Leve ao fogo brando e deixe cozinhar. Se utilizar as partes mais duras das plantas (raízes, cascas, talos, sementes etc), estas deverão ser picadas e o tempo de cozimento deverá ficar entre 20 a 30 minutos. As partes mais tenras (flores e folhas) levam cerca de 3 a 5 minutos de cozimento. Depois 35


de fervida, deixe a mistura em repouso por alguns minutos, coe-a e beba-a (3 a 5 xícaras por dia, de preferência sem adoçar. Observações: • Para o preparo dos chás, recomenda-se o uso de recipientes emaltados, inoxidáveis, de vidro, de barro ou de louça, NUNCA de metal, alumínio, ferro ou estanho, pois podem alterar as propriedades terapêuticas do preparado. • Como medida, pode-se considerar: 1 colher de sopa de folhas verdes equivale, aproximadamente, a 5 gramas; e, de folhas secas, a 2 gramas. • Para gargarejos, inalações, compressas e outros usos externos, a concentração dos chás deve ser mais forte do que para uso interno. • Se quiser adoçar o chá, utilize somente mel, nunca açúcar. • Como a validade dos preparados naturais é curta, devem ser feitos apenas em pequenas quantidades, para consumo rápido, no caso dos chás, no mesmo dia. • Para as crianças, a dosagem a ser utilizada deve ser reduzida pela metade das que foram indicadas, que são para adultos. • Para obter um melhor resultado, aconselha-se tomar os chás longe das refeições (1 hora antes ou 2 horas depois), com exceção daqueles que são estimulantes para o apetite. • Para afecções catarrais, pulmonares, de garganta, resfriados e afecções febris, deve-se tomar o chá quente.

Sugestão de Ritual para Fazer no Solstício de Inverno - 1 vela representando a Criança da Promessa (pode ser dourada, amarela ou branca) - 1 vela verde - 1 vela vermelha - taça com vinho - seu caldeirão - incenso de pinho Coloque a vela dourada (ou da cor que você achou melhor) dentro do caldeirão. Verifique se ela está bem fixa. Em seguida, coloque a vela vermelha ao lado direito de seu altar e a vela verde do lado esquerdo. Acenda os incensos. Trace o círculo mágico da maneira como você costuma traçar e diga a seguinte invocação:

Eu hoje celebro o nascimento da Criança da promessa! A Deusa é Mãe e eu invoco os espíritos da luz! O Sol renasce! Acenda a vela vermelha que está ao seu lado direito e diga:

Com esta vela eu honro os espíritos do Fogo! Acenda a vela verde e diga:

Com esta vela eu honro os espíritos da Natureza! Acenda a vela que está dentro do caldeirão e diga: 36


Com esta vela, que está no ventre da Deusa, na escuridão, eu celebro e honro a Criança da Promessa que nasce agora e traz a volta da luz! Pelo chifre e pela luz, Eu celebro e dou as boas-vindas ao filho da Deusa, que é o Sol renascido. Seja bemvinda, criança divina! Entoe um cântico em homenagem ao Deus renascido ou leia algum texto sagrado em sua homenagem. Se quiser, medite sobre as características deste momento na Natureza e em sua vida. Quando achar que está bom, diga:

Abençoados sejam a Deusa e o Deus que giram mais uma vez a Roda da Vida. Dou as boas-vindas ao inverno e celebro o movimento eterno da Natureza. Que o Sol volte a brilhar cada dia mais, e que todos sejam beneficiados com isso! Eleve a taça com vinho e diga:

Eu bebo este vinho em homenagem à Deusa e à Criança Que Nasce! Beba o vinho e faça uma libação (derramar um pouco) aos deuses. Agradeça aos deuses pelo ritual. Finalize da maneira como está acostumado e desfaça o círculo.

Ritual de Imbolc para Praticantes Solitários Seguem algumas dicas para a celebração deste Sabbat. Logo abaixo você confere uma sugestão de ritual mais elaborado, para quem segue uma linha mais cerimonial. - Imbolc é tempo de purificação: limpe sua casa, seu corpo, seus armários, doe o que não usa mais, presenteie as pessoas queridas com objetos que elas possam gostar, etc. - Faça você mesma sua cruz de Brigit e pendure-a sobre a porta da cozinha, onde ocorre a transformação dos alimentos. Somos o que comemos, portanto, abençoe sua comida. - Doe comida para moradores de rua. Cozinhe para a sua família e celebre a volta da fartura após o inverno. Guarde um pouco para os pobres; não custa nada. - Crave na porta de sua casa um triskle, símbolo da Deusa Tríplice, para que abençoe e proteja seus entes familiares e seu lar. Se você deseja um ritual mais elaborado para celebrar este festival, segue uma sugestão para praticantes solitários. Arrume o seu altar de acordo com a ocasião. Coloque a sua roda de velas no centro do altar. Ao lado, coloque a sua coroa de velas (se você for mulher). Acenda um incenso de manjericão, violeta, mirra, limão, camomila, benjoim, sálvia, rosas ou calêndula. Coloque seu cálice com leite ou água sobre o pentáculo. Decore o altar com muitas flores brancas. Lance o círculo mágico da maneira como está acostumada, cantando alguma música de purificação que você tenha feito ou alguma outra que você goste. Enquanto canta, vá varrendo toda área do círculo. Quando achar que já foi o suficiente para purificar o local, faça a seguinte invocação:

Brigit, filha de Danu Brigit do fogo, da água e da inspiração 37


Toque sua harpa que é o instrumento de nossas vidas Que eu ouça sua canção assim como todos os seres. Acenda as velas da coroa e vista-a. Acenda as velas da roda e, a cada vela acesa, faça um pedido. Então diga:

Com as luzes eu abro caminho para que a Primavera chegue O Sol cresce cada vez mais e a esperança está viva. Contemple as flores sobre o altar e diga:

Eu ofereço estas flores à Donzela Eu honro os espíritos da Natureza O solo fica fértil e é terreno para novas sementes Que nós sejamos todos abençoados. Pegue seu cálice e eleve-o, dizendo:

Eu honro a Deusa Virgem e a luz crescente do Sol. Beba o seu conteúdo, fazendo uma libação (derramar um pouco) aos deuses. Entoe canções a Brigit ou leia algumas poesias inspiradas em voz alta. Canta, dance, festeje. Quando terminar, agradeça aos deuses e aos quadrantes, desfazendo o círculo.

Sugestão de Práticas para quem Celebra o Outono Sozinho(a) Algumas sugestões para celebrar o Outono: • Asse batatas celebrando a Terra. Afinal, esses tubérculos se desenvolvem embaixo dela. Se puder, chame os amigos e asse-as em uma fogueira, recordando os bons momentos em sua vida e agradecendo à Mãe Natureza por eles. • Honre os ancestrais familiares com uma ceia de biscoitos de aveia e nozes e suco de maçã. Reserve lugar na mesa para os ancestrais homenageados. • Folheie os álbuns de fotografia da família, procurando lembrar-se das histórias por trás de cada foto, ou imaginar a situação de cada uma delas, caso ainda não tivesse nascido ou não se lembre. Se não tiver um álbum, esta é uma excelente época para montar um. Ao terminar, agradeça aos seus ancestrais pelo papel que eles continuam a desempenhar na sua vida e na das outras pessoas presentes. • No dia do equinócio, acorde bem cedo, escute a música dos pássaros e despeça-se mentalmente das criaturas que começam a procurar abrigo para o inverno. Deseje o melhor para elas. Isso também vale para os seres humanos: comece a vasculhar seu guarda-roupa em busca de roupas que não use mais para poder doar mais para frente, quando estiver frio. • Com o auxílio de uma agulha, enfie flores de girassol numa linha e faça diversos cordões floridos. Depois pendure-os nas árvores, para que os pássaros comam as sementes.

38


Sugestão de ritual para solitários no Outono Organize o seu altar de acordo com a festividade deste festival. Com três velas marrons, faça um triângulo no centro do seu altar e coloque o caldeirão no meio. Acenda incenso de alecrim, camomila ou musgo de carvalho. Seu cálice deve estar com vinho ou suco de uva. Enfeite todo o altar com folhas secas representando o outono. Consiga um pequeno galho de madeira, que será uma representação do deus. Se quiser ornamentá-lo, arranje algumas fitas nas cores do sabbat (laranja, marrom, vermelho e amarelo). Lance o círculo da forma que está mais habituado e diga a seguinte exortação:

Hoje eu celebro a segunda colheita A Roda do Ano gira mais uma vez Os grãos são abençoados e a fartura reina na Terra. Acenda as três velas. Pegue o galho e enfeite-o com as fitas, amarrando-as da maneira que você preferir. Enquanto faz isso, mentalize um pedido para ser realizado até o próximo Sabbat. Seja específico. Quando tiver terminado a confecção do galho, eleve-o dizendo:

É equinócio de outono Luz e escuridão são iguais Assim é a dança eterna da vida e da morte A Roda gira mais uma vez e os deuses abençoam o mundo. Jogue o galho no caldeirão, jogando sobre ele algumas folhas secas e alguns grãos de trigo. Jogue um pouco de álcool e ateie fogo (tome cuidado). Então diga:

Eu peço aos deuses que abençoem as colheitas E agradeço à abundância recebida Que a Deusa nos guie pelos dias escuros que virão, até que a criança da promessa renasça para trazer alegria e felicidade a todos os seres vivos. Eleve o seu cálice com vinho e diga:

Bebo este vinho em homenagem ao Deus que se sacrifica e à Deusa da abundância. Sejamos todos abençoados! Beba o conteúdo do cálice, fazendo uma libação. Cante e dance em homenagem aos deuses. Quando terminar, agradeça a eles e desfaça o círculo.

Feitiço para Neutralizar Outro Feitiço Esse é um feitiço que se destina a quebrar feitiços mandados por outra pessoa. Deve ser sempre realizado pela pessoa atingida. A melhor maneira de reverter feitiços é descobrir que feitiço foi utilizado e realizá-lo de forma inversa, mas se você não sabe qual foi, esta é a melhor opção. Você vai precisar de um vidro vazio com tampa de metal, um pouco de água de fonte, doze agulhas de aço virgens e um pequeno fogareiro. Encha o vidro com a água da fonte, coloque dentro todas agulhas e tampe-o muito bem. Deposite o vidro sobre as brasas 39


do fogareiro e deixe-o esquentar até que o vidro exploda. Quando colocar o vidro no fogareiro, repita o seguinte encantamento:

Que minha vida a água purifique, Que todo pesar vá embora. Que forte como o aço eu fique, E que o bem retorne agora! E que assim seja, E assim se faça! Nunca realize esse feitiço dentro de casa, nem próximo a ninguém, pois, com a explosão, as agulhas e os cacos de vidro voarão. Portanto, nem você deverá estar perto. Depois de explodido o vidro, recolha tudo, embrulhe num pequeno pano branco e enterre na mata.

Princípios e Crenças Gerais da Bruxaria É muito complicado falar em um só texto sobre os princípios e as crenças da Bruxaria, pois esta não é unificada e um texto assim poderia passar uma visão eclética demais sobre a Arte. Porém, neste texto estará os principais pontos em comum às crenças de todas as bruxas e bruxos.

O uso da magia natural Existem diversas vertentes que se utilizam da magia, mas a Bruxaria caracteriza-se principalmente pelo uso da magia da Natureza para atingir fins específicos. Observamos seus ciclos (as estações, as fases da Lua) e os celebramos, para aprender sobre a vida. Bruxas/os também são feiticeiras (os), mas não só isso Um (a) feiticeiro (a) é uma pessoa que faz feitiços, não importa de qual vertente. As bruxas e bruxos também são feiticeiros, por fazerem feitiços, mas vão além disso e não se resume a isso. Bruxas e bruxos são pagãos Ser pagão é ver a Natureza como sagrada. Desta forma, quando dizemos que as bruxas e bruxos são pagãos, isso significa que a divindade deles está na Natureza, é imanente. Celebramos as mudanças das estações porque sabemos a importância de tais ciclos, e os reverenciamos pela vida e pela morte. O fato de as bruxas e bruxos serem pagãos significa que trabalhar com a magia da Natureza é muito além de fazer feitiços, mas também uma verdadeira forma de filosofia de vida como qualquer outra, pois ao fazer rituais de celebração à Natureza, estamos nos conectando com o Divino. Crença na lei do retorno “Tudo o que fazemos volta para a gente, não importa se é bom ou ruim”. Portanto, nada é “proibido” a quem estuda e pratica a Bruxaria, porém, toda pessoa tem consciência de que o que ela fizer voltará para ela. Cabe a cada um ter responsabilidades pelos seus atos.

40


Bruxas (os) são naturalmente politeístas O próprio fato de ser pagão já denota isso, pois vemos o sagrado em todas as coisas. Portanto, é comum a crença em vários Deuses, pois a Natureza em si é tão diversificada. Deusas da lua, Deuses do vento, do Sol etc. Em cada cultura, os Deuses têm suas lendas e características. Você pode se identificar mais com uma cultura do que com outra, ou pode acabar cultuando os Deuses de uma forma geral, a partir de seus atributos.

Porque a Bruxaria não é uma Religião Muitas pessoas confundem Wicca com Bruxaria, o que é um equívoco comum. Não são a mesma coisa.

Fatos: - a Bruxaria é o ofício da magia natural - as bruxas vêem a Natureza como sagrada - as bruxas buscam o desenvolvimento pessoal - a bruxaria não é uma religião Por quê? Porque nunca foi nem nunca será unificada. Todos esses atributos acima podem ser vistos em culturas diversas ao redor do mundo, desde tempos imemoráveis. Desde a préhistória, se querem saber, existe bruxaria. Bruxaria não é religião, é uma Filosofia de Vida. Só que é óbvio que a bruxaria pré-histórica não é igual à bruxaria africana, ou à bruxaria medieval, ou à bruxaria italiana, ou à bruxaria irlandesa, dentre tantas outras. Sim, também temos bruxaria praticada no Brasil pelos índios, assim como a bruxaria maia, asteca, enfim… Em cada cultura, temos manifestações da bruxaria, mas historicamente, do ponto de vista antropológico, isso sequer é Bruxaria… é somente Feitiçaria. Toda e qualquer utilização da magia através da natureza e com alguma conexão com o sagrado pode ser considerada Bruxaria, mas analisando hoje em dia, com o risco de chegarmos a vários anacronismos quando falamos do passado. Exemplos: Uma mulher que vai à igreja rouba a hóstia e faz um ritual em casa é uma bruxa? Não, pois ela não está usando nada da natureza, nem vê esta como sagrada. O que ela está fazendo é algo totalmente particular e não tem nada a ver com bruxaria. Um tiozinho planta uma semente, beija a terra e pede à Deus que a planta cresça forte. É bruxaria? Sim, pois ele está lidando com a natureza e a vê como sagrada e divina. Pessoas se juntam em um parque para cantar e dançar em roda, celebrando a mudança das estações e abençoando a si mesmos e seus entes queridos. É bruxaria? Sim.

41


Uma pessoa lê um livro do São Cipriano e faz um ritual para fazer crescer um demônio dentro de um vidrinho. É bruxaria? Não. Uma garota queima em uma fogueira um papel com o nome do ex-namorado, para que ele a esqueça. É bruxaria? Sim. Tudo o que é Bruxaria tem: magia + ligação com a natureza + conexão com a divindade + intenção. Sem essas quatro coisas, não é bruxaria. A bruxaria é tudo isso junto – uma coisa não é bruxaria sem a outra. E sim, você pode ser pagã, budista, hinduísta e bruxa. Geralmente, as bruxas são pagãs, por ser uma simples conseqüência de sua relação íntima com a Natureza. Mas ser pagão não é ser de outra religião. Uma pessoa pode ser pagã e ter a sua religião. Pagão -> palavra que vem do latim paganus e significa “aquele que vive do campo” ou “que mora no campo”. Isso porque antigamente esses “pagãos” tinham uma relação toda íntima com a Natureza, dançavam nos campos para as colheitas crescerem, etc. Esse é o sentido real do termo pagão. Assim, geralmente as bruxas e bruxos são pagãos e vêem as suas divindades na Natureza, mas há exceções.

Quem são as Bruxas de Hoje? Quem são as Bruxas hoje em dia? O que elas fazem e onde se escondem? Não, elas não se escondem. Quando as pessoas ouvem a palavra Bruxa, logo se lembram daquela velha imagem da senhora verde com nariz grande e uma verruga, mexendo em um caldeirão. Existem bruxas e bruxos. A Bruxaria não é um ofício exclusivamente feminino. Usa-se mais o termo “bruxa” por simples convenção. As bruxas e bruxos são pessoas normais, como você. Trabalham, têm filhos, obrigações, dívidas, problemas financeiros e amorosos. Antigamente, quando havia perseguição, é óbvio que elas (es) viviam escondidas (os), para evitar a morte. Hoje em dia, ainda há o preconceito com relação às bruxas e aos bruxos, mas é muito menor do que antigamente. Isso se dá principalmente pelo fato de as (os) bruxas (os) irem à público se defender das mais freqüentes acusações, como as de fazer pactos com o demônio ou comer criancinhas. Pura superstição popular. As pessoas costumam temer o que não conhecem bem, e é isso o que acontece com relação à Bruxaria. Logo abaixo há duas listas com informações bastante precisas sobre a Bruxaria hoje em dia. Aconselhamos a todos que queiram conhecer um pouco mais nossas crenças que leiam este compêndio antes de mais nada: O que as bruxas e bruxos NÃO fazem: - Bruxas não fazem pacto com o diabo. - Bruxas não reverenciam, adoram ou celebram a entidade conhecida como diabo ou satã. - Bruxas não usam fetos abortados em rituais. 42


- Bruxas não renunciam ao Deus cristão, apenas acreditam em outra forma de divindade. - Bruxas não são sexualmente anticonvencionais. - Bruxas não fazem uso de drogas nos rituais. - Bruxas não forçam ninguém a fazer algo que não queiram. - Bruxas não querem converter o mundo para a sua filosofia de vida. - Bruxas não profanam igrejas. - Bruxas não realizam “missas negras”. - Bruxas não cometem crimes em nome de sua religião. - Bruxas não comem criancinhas. - Bruxas não voam em vassouras. - Bruxas não são verdes. - Bruxas não acreditam que sexo seja pecado. - Bruxas não realizam orgias nos rituais, pois o sexo é visto como sagrado. O que as bruxas e bruxos FAZEM: - Plantam ervas em seu quintal para fins curativos e culinários. - Conversam e se comunicam com as plantas e animais. - Celebram a virada das estações do ano. - Celebram as fases da Lua. - Relacionam a sua menstruação às fases lunares. - Honram todos os alimentos, de carnes a vegetais. - Têm seu corpo como sagrado. - Sexo por amor e por prazer, por ser algo natural. - Bruxas acreditam em reencarnação. - Bruxas honram Deusas e Deuses. - Bruxas respeitam todos os seres vivos em igual importância. - Bruxas repudiam o proselitismo. - Bruxas servem à Terra. - Bruxas repudiam qualquer forma de preconceito. - Bruxas são cidadãs.

O que é ser um (a) Bruxo (a) Se você perguntar a seus conhecidos o que é uma bruxa, provavelmente eles lhe dirão que bruxas não existem. Bruxas, afirmarão eles, são personagens imaginários, representados como velhas horrorosas, com verrugas no nariz, chapéus compridos e pretos em formato de cone, montadas em cabos de vassoura, que criam gatos pretos e dão gargalhadas malignas, bastante parecidas com cacarejos. (…) Provavelmente, nenhuma bruxa, em tempo algum, jamais tenha tido as características desse estereótipo. Todavia, bruxas existem realmente. (…) Dentre as bruxas que conhecemos, nenhuma correspondeu a esse estereótipo, exceto talvez em festas à fantasia. As bruxas e bruxos são pessoas normais. Você diferencia algum católico ou budista na rua? Pois é, com as bruxas e bruxos também é assim que funciona. É uma escolha 43


espiritual e/ou religiosa, somente. Existem diversas abordagens hoje sobre o que é um bruxo ou uma bruxa. Vale a pena esclarecer que usamos mais comumente o termo no feminino que no masculino, por uma simples convenção histórica. Sempre se referiu mais às bruxas que aos bruxos, mas para nós não há diferença, é simplesmente um hábito. Sendo assim, garotos, não se ofendam. Abordagens que temos das bruxas e bruxos: 1. Bruxa é o mesmo que feiticeira (abordagem antropológica e “cientificamente” aceita); 2. Bruxas adoram o diabo (abordagem histórica da bruxaria européia e por alguns grupos religiosos intolerantes); 3. Bruxas reverenciam deusas e deuses e praticam magia (abordagem adotada pela maioria dos bruxos modernos). Cada um desses pontos de vista podem ser justificados. Infelizmente, quem deseja ir a fundo nessa questão encontrará pouca ajuda nos livros que existiam até pouco tempo em bibliotecas populares ou livrarias. Aos poucos, mais e mais livros sobre bruxaria vão surgindo, e a coisa vai ficando menos mistificada. Para falar, então, o que uma bruxa (ou bruxo) é, podemos falar, antes, do que uma bruxa (ou bruxo) não é. Veja o esclarecimento de algumas dúvidas abaixo:

Bruxas (os) são a mesma coisa que curandeiras (os)? Não totalmente. O curandeiro pratica magia, mas sua função, muitas vezes, é justamente a de combater as ameaças ou efeitos da bruxaria. No entanto, se pegarmos a palavra curandeiro e analisarmos a essência de seu significado (“curar”), veremos que muitas bruxas podem sim ser curandeiras. Preparamos chás, infusões, poções, tudo no sentido de curar, causar algum efeito no corpo. Sendo assim, vamos dizer que não, não são a mesma coisa. Mas as bruxas têm práticas de cura, sim. Não dá para generalizar. Não é 8 ou 80, como a maioria dos conceitos, realmente. Bruxas (os) são a mesma coisa que magas (os)? Não, mas têm a ver. Um mago é quem pratica magia. Ou seja, qualquer pessoa que pratica magia pode ser considerada um mago, teoricamente. Bruxas e bruxos também praticam magia, mas é uma magia mais específica – a magia que envolve a Natureza, os poderes naturais. E não há só esse tipo de magia. Uma pessoa pode praticar magia baseada na cabala, por exemplo. Isso não é bruxaria, só magia. Ou magia cristã e etc. Existem diversas formas de magia. A Bruxaria é apenas uma delas. Sendo assim, todo bruxo é um mago da Natureza, mas nem todo mago é um bruxo, pois ele pode fazer uso de outros tipos de magia, que não a natural. Bruxas (os) são a mesma coisa que wiccans? Não. Esse é o grande equívoco da atualidade. A Wicca é uma religião que foi criada no século XX e mistura elementos pagãos com diversas outras vertentes. Não é sinônimo de Bruxaria. É bem diferente. Porém, a visão dos wiccans é a de que sua religião é um “reavivamento da Antiga Religião”, então é normal ouvir esse tipo de crença por parte deles.

44


Todas as bruxas e bruxos são iguais no mundo inteiro? Não. Existem grandes e profundas variações entre a Bruxaria das diversas culturas. Bruxas (os) estão relacionadas (os) às possessões? Não necessariamente, mas há casos. A possessão é um ataque interno de maus espíritos sobre um indivíduo; uma invasão energética; já a obsessão é um ataque externo e físico perpetrado por tais espíritos malignos. Em nenhum dos casos a vítima realiza um pacto voluntário com o espírito maligno. Na chamada “bruxaria diabólica” das épocas da Renascença e da Reforma européias, por outro lado, a chamada bruxa convocava o mau espírito por meio de invocações, dentre outras formas. Quase todos os bruxos hoje condenam totalmente esse tipo de prática. Bruxas (os) praticam a “missa negra?” Não. A missa negra é desconhecida na história da bruxaria européia e certamente não faz parte do repertório dos bruxos modernos. A única ocasião em que a missa negra foi historicamente registrada foi na corte do rei francês Luis XIV, e ainda assim como uma forma de sátira grosseira do catolicismo. Alguns satanistas modernos celebram a missa negra, mas satanismo não tem nada a ver com bruxaria, portanto, não, as bruxas e bruxos não celebram a missa negra. As bruxas surgiram na Idade Média? Não. As crenças nas quais as bruxas e bruxos se baseiam remontam ao período Paleolítico. As acusações de bruxaria surgiram somente no final da Idade Média. As grandes perseguições às bruxas ocorreram durante a Renascença, a Reforma e o século XVII. Todas as bruxas são velhas? Não. Tanto no passado quanto no presente, muitos homens praticam a bruxaria, além do que muitas bruxas eram bastante jovens, até crianças. Até hoje é assim. Essa idéia de que as bruxas são velhas, têm verrugas no nariz etc vem da imagem construída ao longo da história, mas que nada tem a ver com a realidade. Há uma longa tradição artística que se estende do século XIII a Goya fixando essa imagem em nossas mentes.

Bruxos X Magos: Quais as Diferenças? Mago é quem pratica magia. Bruxo é quem pratica bruxaria. Pode parecer simples, e óbvia a diferença, e é mesmo. A Magia tem diversos ramos de estudo, e a bruxaria é apenas uma delas. A bruxaria é uma forma específica de magia que utiliza elementos da natureza. Você pode ser mago e não ser bruxo; pode trabalhar com a magia sem estar ligado à bruxaria. O foco do mago é a própria magia. Ele lida com ela o tempo todo. Estuda correspondências, astronomia, tabelas, transfigurações, hermetismo, espíritos, cabala, cálculos diversos, necromancia e tudo o que estiver relacionado à magia mais… científica. Um bruxo, não necessariamente. Muitas vezes o bruxo lida somente com seus objetos de prática no dia-a-dia, como o modo de cultivo e preparo de ervas, rituais para a lua e o sol, coisas do tipo. Não que um seja melhor ou pior que o outro, ou a evolução do outro; 45


somente o foco e o modo de trabalho são diferentes. Uma diferença que exemplifica bastante é o uso da razão. Não que os bruxos não sejam racionais, obviamente. Mas os magos calculam milimetricamente cada ação, cada ritual, cada trabalho. Usam símbolos, círculos dentro de círculos, uma coisa cerimonial. A bruxaria é infinitamente mais simples. O bruxo colhe as ervas e no momento seguinte já está sujando as mãos para preparar um unguento.Todo bruxo pratica magia. Mas é a magia natural, simples. Um mago é como um cientista. Sabe aquela imagem tradicional do mago sentado em meio a milhares de livros? É isso: é o pesquisador, o racional. É bastante comum existir uma tradição familiar de bruxos. De magos? Nem tanto. Magos formam ordens. Todo bruxo é pagão. Magos, não necessariamente. Aliás, muito raramente. A maioria dos magos é cristã. Claro que há controvérsias. Claro que há bruxas italianas (streghe) com algumas crenças cristãs. O mesmo ocorre na Irlanda. É uma característica da cultura local. A história fez isso. Quem somos nós para julgar essas pessoas? Cada um que acredite no que quiser. Estamos falando da prática da bruxaria. Uma outra diferença, ainda citando a cultura, entre magos e bruxos, é a origem de suas práticas. Os magos possuem suas práticas centradas nas antigas tradições persas, egípcias, babilônias. Os bruxos hoje, ao menos em sua maioria, têm suas crenças enraizadas na cultura européia; celta, italiana.

Equívocos mais Comuns Associados à Bruxaria Bruxas e bruxos não são anti-cristãos Nem querem acabar com o Cristianismo. Bruxos (as), acima de tudo, respeitam as demais religiões, assim como exigem o mesmo respeito pela religiosidade deles. É claro que há muitas mágoas guardadas por tudo o que foi feito na história da humanidade, mas não nos prendemos a isso, e sim a atos do presente. Queremos simplesmente viver e praticar a nossa filosofia de vida. As bruxas e bruxos têm crenças que remontam aos primórdios da humanidade, muito anteriores ao Cristianismo. O Cristianismo tentou suprimir tais sistemas, mas nós não queremos fazer o mesmo (e jamais quereremos). A Bruxaria não é um culto Um culto é, originalmente, um grupo de pessoas que segue um líder. Como na Bruxaria não há a existência de líderes (muitas vezes, as bruxas e bruxos praticam sozinhas (os) em suas casas, sem pertencerem a um grupo), não pode ser considerada como um culto. Bruxas e bruxos não cultuam o diabo Buscamos reviver as crenças de um período que remonta aos primórdios da humanidade, um período muito anterior ao Cristianismo. O diabo foi uma criação do Cristianismo e não tem absolutamente nada a ver com as crenças pagãs. Obviamente atribuir as práticas das bruxas e bruxos ao diabo era conveniente, visto que as religiões cristãs recriminam qualquer ato não-cristão como um ato “do diabo”. Há cultos ao diabo por todas as partes do mundo, mas estes nada têm a ver com a Bruxaria, tratando-se apenas de pessoas que praticam uma 46


inversão do Cristianismo. Cada um tem as suas crenças, mas felizmente esta não é a nossa. Celebramos os Deuses antigos na Natureza.

Os Deuses antigos não são demônios Alguns cristãos fundamentalistas afirmam que qualquer pessoa que não pratique a forma de Cristianismo deles é satanista por definição, e incluem sob essa denominação judeus, muçulmanos, kardecistas, budistas, hinduístas, metodistas, prebisterianos, entre muitos outros. As bruxas e bruxos celebram a Natureza, só isso. Bruxas (os) não assassinam pessoas Diversos atos maléficos de pessoas perturbadas são atribuídos à Bruxaria. Diversas vezes, vemos no noticiário coisas como “Ritual de Bruxaria leva à morte três pessoas” ou “Bruxa em Pernambuco afirma comer carne humana”. Isso é ridículo. Essas pessoas não são, nem de perto, praticantes da Bruxaria. São doentes mentais, criminosas, e devem ser presas. Não existem “ex-bruxas” Cansamos de ver em programas televisivos evangélicos pessoas que se intitulam “exbruxas”. Em tais programas, essas pessoas contam ao pastor-apresentador como faziam “trabalhos” para acabar com a vida das pessoas. Isso não existe. O que essas pessoas faziam (isto é, se chegaram a fazer realmente alguma coisa) não tem absolutamente nada a ver com Bruxaria. A regra de ouro das (os) bruxas (os) é: “Sem prejudicar ninguém, faça o que quiser”, pois sabemos que tudo o que fizermos voltará para a gente – é a lei do eterno retorno, que é vista em tudo na Natureza. As (os) bruxas (os) sabem que, se fizerem o mal, tudo voltará para elas de forma muito maior, assim como se fizerem o bem. Por isso, é claro que ninguém vai desejar o mal de ninguém, nem querer prejudicar ninguém. Pessoas com má índole existem em todos lugares, independente de sua religião. E, se uma pessoa é assim, isso significa que ela é uma pobre coitada que um dia pagará por seu atos, e não uma pessoa que pode ser considerada bruxa. Bruxas (os) não praticam “magia negra” Tais termos são errôneos e causam muita confusão. Bruxaria não é a mesma coisa que Wicca São caminhos extremamente diferentes. Como foi dito, a Wicca é uma religião que foi criada no século XX e mistura elementos pagãos com diversas outras vertentes. Mas não devemos confundir alhos com bugalhos. Bruxas (os) não são proselitistas Você jamais encontrará uma bruxa ou um bruxo distribuindo folhetos sobre Bruxaria nas esquinas da sua cidade, simplesmente porque acreditamos que a religiosidade de cada pessoa é absolutamente pessoal e só ela pode saber o que é bom para ela. A Bruxaria é uma opção pessoal, como qualquer outra religião, e os interessados devem correr atrás do aprendizado, se assim desejarem de coração. A Bruxaria não é um ato de rebeldia Pelo menos àqueles que a praticam de modo sério. Há certamente muitos jovens (e até adultos, por que não?) que buscam um meio de escape para fugir da sociedade opressora que os cerca, e dizem-se bruxos ou buscam a Bruxaria apenas para colocarem-se contrários 47


ao sistema. Infelizmente, esta é uma realidade. A Bruxaria não é um sistema de auto-ajuda e seus praticantes são pessoas sérias e idôneas, e não um bando de malucos.

Não usamos “símbolos satânicos” O pentagrama (estrela de cinco pontas), ao contrário do que dizem, não é um símbolo satanista. Ele é um símbolo muito antigo usado até por Pitágoras; seus seguidores o usavam para simbolizar o seu respeito pela beleza matemática do universo. Em muitos lugares e épocas, ele foi utilizado como um símbolo geométrico sagrado. O fato de satanistas usarem o pentagrama não significa que eles são bruxos (da mesma forma como usam o crucifixo e não são cristãos). Bruxas (os) não usam drogas em seus rituais Muito pelo contrário: querendo estar cada vez mais próximas à Natureza, a maioria das (os) bruxas (os) busca uma alimentação e hábitos saudáveis, o que descarta imediatamente o uso de drogas. Além disso, realizar um ritual torna-se praticamente impossível sem a pessoa estar consciente de seus atos. Drogas: estamos fora! Bruxas (os) não praticam orgias Também não somos pedófilos, comedores de carne humana e outros absurdos que são ditos por aí. As (os) bruxas (os) celebram a fertilidade da Natureza e consideramos o ato de fazer amor um ato totalmente sagrado. Algumas bruxas e alguns bruxos gostam de realizar seus ritos nus porque acreditam que, desta forma, sua energia flui melhor. Porém, trata-se de uma escolha pessoal e não há abusos ou sequer malícia. Viemos nus ao mundo e o pecado foi colocado na mentalidade humana com o decorrer dos tempos. As bruxas trabalharem nuas em seus rituais não significa que elas sejam “pecadoras” ou que estejam praticando sexo; só estão nuas.

Ética das Bruxas e dos Bruxos A Bruxaria, por não ser uma prática unificada, não possui leis próprias como algumas religiões, por exemplo, mas as bruxas e bruxos reconhecem um certo código de ética entre si, que não é secreto, e sim bastante dedutivo, à medida que você começa a lidar com a Magia. Obviamente a Magia em si possui algumas leis, que não passam de leis da própria Natureza. Há a célebre frase: “Não há nada que a ciência tenha dito que eu não tenha visto como Bruxa“, e é verdade. Nossas leis são as leis naturais. No entanto, a partir desse princípio, ao lidar com a Magia deparamos com certas questões que nos fazem cair num dilema moral: Feitiço de amor é válido? Até onde vai o conceito de livre-arbítrio? Qual o limite entre ajuda astral e intervenção desnecessária? Abrimos este espaço então para discutir todos esses fatores.

O que é o Livre-Arbítrio? Entende-se por livre-arbítrio a capacidade que o ser humano tem de escolher seu próprio caminho. Assim, se uma pessoa faz algo que você não gosta, você tende a respeitála, já que respeita seu livre-arbítrio. Não mandamos nas pessoas; não as manipulamos. 48


Manipular alguém é interferir no livre-arbítrio. Quando influenciamos alguém a tomar determinadas atitudes, o conceito do livre-arbítrio pode ficar confuso. Dar conselhos significa interferir no livre-arbítrio da pessoa? Ou seria intervenção apenas uma insistência psicológica com intenções nem tão louváveis? Vamos dar um exemplo dentro de nossas práticas. Suponhamos que Mariazinha é apaixonada por Zezinho. Acontece que Zezinho já gosta de outra pessoa. Mariazinha tem duas opções: ela pode fazer um ritual para atrair amor para sua vida (geral) ou pode fazer um ritual pedindo que Zezinho goste dela (específico). No segundo caso, ela está interferindo no livre-arbítrio daquela pessoa. No primeiro, ao pedir que o amor venha à sua vida na forma de um namorado, Mariazinha move as energias à sua volta para possibilitar novos encontros e oportunidades. Quem sabe com o próprio Zezinho, se as condições forem favoráveis. Mas, no segundo caso, ela direcionou a sua energia para ele, especificamente, pedindo que ele gostasse dela. Ela interferiu em seu livre-arbítrio. Seu feitiço provavelmente deve funcionar, mas aí entramos com a questão: isso foi certo?

O certo e o errado Como definir o que é certo e o que é errado na Bruxaria? Como definir o que é certo e o que é errado em nosssa vidas? Temos algo chamado consciência. Outra coisa chamada responsabilidade. Respeitar o livre-arbítrio não é uma “lei” da Bruxaria, mas é um código ético que a maioria das Bruxas respeita. Não há de fato como saber exatamente o que é certo e o que pode ser errado, mas temos certos parâmetros pessoais que moldam nossas atitudes. Certamente você deve estar achando a atitude de Mariazinha errada, quando ela faz um feitiço para conquistar Zezinho. De alguma forma, você sabe que interferir no livre-arbítrio das pessoas pode não ser o mais correto. Entremos então em outro caso. Suponhamos que a avó de uma Bruxa esteja muito doente. A velhinha já está quase no fim da vida, mas sua neta a ama muito e quer o seu bem. Dessa forma, ela (a bruxa) realiza um ritual de cura com o objetivo de fazer a sua avó sobreviver ao seu tratamento. Consegue. Porém, alguns dias depois a sua avó vem em sonho e pede-lhe que a deixe morrer, pois já está cansada demais da vida e deseja descansar. Esse é apenas um dos infinitos exemplos de como a Magia usada de forma “certa” pode acabar sendo “errada”. A bruxa queria apenas o bem para a sua avó, mas interferiu em seu livrearbítrio para escolher se era isso mesmo o que ela queria. De toda essa discussão, a única conclusão que podemos tirar é que o conceito de bem ou mal é relativo e que o respeito ao livre-arbítrio é uma das ferramentas mais importantes da ética das bruxas.

Como saber que atitude tomar? Você pode estar passando por uma situação semelhante. Se não passou ou está passando, provavelmente ainda irá passar muitas vezes. As indecisões com relação à intervenção (ou não) na vida das pessoas sempre nos fazem pensar. E está certo. Devemos realmente ponderar muito antes de realizar um feitiço, pois este só será realizado se as intenções forem verdadeiramente fortes. Há diversas maneiras de se tomar uma decisão a esse respeito. A mais óbvia, claro é confiar na intuição. Mas muitas vezes acabamos nos envolvendo tanto no problema que já não sabemos se a nossa intuição está sendo influenciada por nossos sentimentos. De qualquer forma, é sempre preferível confiar nela que em qualquer outra coisa. Outra atitude que você pode tomar é a consulta aos oráculos. Se você costuma lidar 49


com eles, podem ser de grande ajuda nessa hora. Deite as cartas, lance as runas, pergunte ao pêndulo, observe a água e o fogo. Cada um tem o seu oráculo preferido, que se dá melhor. Jamais se esquecendo de que a intuição não está nunca separada da interpretação dos mesmos. O que o código de ética das bruxas e bruxos diz: Não é proibido interferir no livrearbítrio das pessoas, mas lembre-se de que, ao fazer isso, você terá tudo de volta três vezes maior. Pense bem no que vai fazer. Ninguém vai lhe dizer o que é certo ou errado, mas você deve ter responsabilidade e desejar sempre o melhor para todas as pessoas, inclusive você mesma (o).

As Maiores Dificuldades para quem está Começando Para quem está começando na Bruxaria ou trilha o caminho solitário, há muitas dificuldade. Viva e descubra por si só. Não fique se preocupando com rótulos.

Se livrar de charlatões Pois é, infelizmente na Bruxaria, assim como em outras religiões, existe muita gente de má índole. O que tem por aí de cursinho de Bruxaria Tradicional ou Wicca que no final oferece uma iniciação não é brincadeira! E o pior é que muita gente cai nessas furadas, por falta de informação mesmo! Sabe, todo curso é válido. Você estar em contato com uma pessoa mais experiente que você lhe guiando é super bacana. O problema é quando chegamos ao limite que separa o ensino do abuso do poder, e oferecer iniciação é uma dessas coisas. A iniciação na Wicca requer uma intimidade muito grande entre o iniciante e o iniciado, e seria impossível alguém te iniciar sem te conhecer (alguns meses de curso não são o suficiente, obviamente). Toda vez que você se deparar com coisas do tipo, procure saber mais sobre a religião antes de entrar em tal curso. Procure saber se ele realmente vai atender às suas expectativas e se condiz com o que você aprendeu da religião. E, no mais, siga sempre a sua intuição. Ela nunca falha.

A família não aceita E é absolutamente normal. Mas o fato é que, se você tem menos de 18 anos, infelizmente tem que obedecer aos seus pais, e se eles disserem que você não pode de jeito nenhum ler livros sobre bruxaria ou ir a encontros públicos, fazer cursos, ter grupos de estudo etc, então você não pode fazer nada. Porém, isso não significa que você terá que desistir, lembre-se que podem te impedir moralmente, mas não intelectualmente. É só dar tempo ao tempo. Sabe, acesse sites, leia tudo o que puder. Quando for ao shopping com as suas amigas, dê uma paradinha na livraria e folheie alguns livros. Infelizmente, é a maneira que você terá de encontrar enquanto não faz 18 anos. Depois que você fizer 18 anos, você não tem mais que fazer só o que eles querem e muitas vezes, nessa idade, percebemos como nossos pais tomaram atitudes certas e erradas em nossa educação. Talvez você perceba que eles estavam certos, mas talvez você veja que eles erraram muito, são cabeças-duras pra caramba e você fique muito brava com isso, por não poder ter feito nada antes. O importante é você não desistir de ser bruxa (o), caso o seu coração realmente te 50


chame para este caminho. Basta ter perseverança e paciência. Se sua vontade for real, o que são alguns poucos anos perto de uma vida inteira?

É difícil praticar sozinho (a) Definitivamente sim. Jamais se esqueça de que você é responsável por seus atos, e isso inclui a disciplina para adquirir conhecimento e vivência dentro da Bruxaria. Estabeleça um programa de estudos e de vivências.

As Falhas de um Feitiço Freqüentemente me perguntam o que deu errado quando um feitiço falha. A primeira coisa que pergunto é se realmente falhou. É simples: basta analisar com cuidado o que você pediu e comparar com o que se manifestou. Por exemplo: se você tentou fazer se manifestar um carro novo e recebeu um modelo de brinquedo, você obteve o que pediu, independente do que esperava. Como qualquer outra, a energia mágica flui através do caminho que ofereça a menor resistência. Se você der o roteiro mais fácil para alcançar seu fim, então é esse o caminho que ele tomará. Por isso, é importante não pegar qualquer feitiço que encontrar em um livro ou receber de alguém, como se fosse uma peça de porcelana a ser protegida e mantida em seu estado original. Os feitiços são energias dispersas que são agrupadas e direcionadas para o seu objetivo pela nossa força de vontade e nossa necessidade exata. Eles funcionam melhor quando transformados para satisfazer suas necessidades e situações específicas. Um feitiço não dá certo por duas razões apenas: 1) Em primeiro lugar devido à energia e o empenho colocado no feitiço terem sido insuficientes (incluindo não ter objetivos claros); 2) Devido à existência de uma força oposta mais forte que seu feitiço. As forças opostas não precisam ser de natureza mágica. Pode não ser mais que a vontade de um indivíduo em preservar seu direito de livre escolha. Você pode refazer um feitiço para superar o primeiro obstáculo; o segundo, geralmente, não pode ser superado. Às vezes o livre arbítrio de uma pessoa não pode ser quebrado, não importando o quanto você esteja disposto à sucumbir à tentação de realizar uma magia negativa. É o direito de uma pessoa resistir à sua magia e não sucumbir à ela e continuar a interferir nessa vontade alheia só resultará em aborrecimentos posteriores. Você também deve ter expectativas realistas sobre o que a magia pode e o que não pode fazer, e deve ter bom senso suficiente para saber quando a magia não é necessária. Nenhum feitiço, sozinho, pode alterar permanentemente uma aparência física. Existem feitiços, conhecidos como glamour, que podem criar uma ilusão temporária, mas de forma realista isso não inclui a cor dos olhos. O outro problema é que a magia para fazer isso já existe no mundo físico, na “magia” das lentes de contato coloridas. A única maneira lógica de tornar esse objetivo uma realidade seria gastar dinheiro e esforço para se adaptar a essas lentes. De acordo com as leis naturais do universo, a magia não fará você voar, mas pode ajudar a encontrar o dinheiro necessário para fazer uma viagem de avião, ou a aprender 51


projeção astral, ou jornada da alma. A magia não força alguém famoso, que você nunca encontrou antes, a se apaixonar por você, embora possa chamar a atenção para você de maneira positiva e criar um jardim fértil no qual o amor possa florescer. A magia não pode fazer você ficar com uma aparência melhor, mais alto, mais gracioso, mais popular, etc., mas pode, temporariamente, projetar essas imagens a outras pessoas. Pode também realçar os dons que você já possui e lhe dar autoconfiança para superar as barreiras físicas e emocionais para esses objetivos.

Prepare seu Corpo para enfrentar o Frio Muitas pessoas, na primeira frente fria que aparece, logo ficam doentes. Oras, nós bruxas (os) temos como recorrer a métodos naturais e mágicos para combater esses “males”. Sim, males entre aspas porque tudo o que acontece em nosso corpo na verdade é uma resposta dele a algo, e devemos prestar atenção às causas. Porém, há pequenas atitudes que você pode tomar para precaver não só a sua saúde, mas a de seus filhos, por exemplo. 1. Beba muita água. Sim, o bom e velho conselho da água serve para todas as estações. Mas é importante beber água mesmo no frio para que seu corpo fique hidratado. Você também pode ingerir líquidos através de sopas e sucos. A água ajuda a fortalecer a imunidade do corpo. 2. Procure manter uma alimentação natural. Mais que uma questão pagã de proximidade com a terra, manter uma alimentação natural é o mais saudável. Encontre produtos locais e de época, crie receitas diferentes. 3. Tosse com catarro? Experimente esta receita: aqueça uma xícara de água. Coloque duas colheres de suco de abacaxi e uma colher de mel. Beba antes de dormir. 4. Para bronquite, siga esta receita de agrião: coloque em uma xícara de água uma colherada de folhas e flores secas, deixando-as por toda a noite. Pela manhã, filtre, esmagando o agrião com uma colherinha para fazer sair todo o suco. Beba em jejum, de manhã mesmo. 5. Livre-se da tralha. Não precisa ser especialista em energias ou feng shui para saber que coisas paradas deixam a energia estagnada, além de acumular muita poeira. Assim, evite todo esse acúmulo de pó doando o que não usa mais – inclusive roupas e bichinhos de pelúcia. 6. Para resfriado, tosse ou rouquidão, tente esta receita com ameixas: coloque no forno algumas ameixas secas, sem caroço. Quando estiverem duras como madeira, coloque em um pilão e reduza-as a um pó bem fino. Aqueça uma xícara de água, coloque uma pitada do pó, uma colher de mel e beba bem quente. 7. Não saia de casa sem um bom casaco. Evite choques de temperatura: ao entrar em lugares fechados, tire seu casaco e só o vista novamente ao sair. Meias e sapatos fechados são importantes para evitar pés molhados. Cuidado com a região dos rins. 52


8. Coloque uma bacia cheia d’água ou toalha molhada no quarto à noite, para amenizar o ar seco que você irá respirar. 9. Coma muitas frutas, legumes e verduras. Vitamina C você encontra em frutas cítricas, mas evite sucos industrializados. Coma uma laranja ou mexerica e faça seu próprio suco. Assim você terá um teor mais alto de vitamina C à disposição. Uma maçã ao dia também é uma boa pedida. A maçã contém cerca de 300 substâncias importantes para o organismo, entre elas vitaminas e sais minerais. 10. Evite aglomerações. É mais fácil se contaminar com resfriados e gripes em ambientes fechados e com muitas pessoas. Areje sua casa ou apartamento todos os dias. 11. Chá de camomila serve para acalmar e ter uma noite tranqüila, além de auxiliar no combate à febre. 12. A boa e velha receita de chá de limão com alho ainda é imbatível. Faça bem concentrado e beba com convicção!

Dias da Semana Esta tabela mostra uma correspondência básica entre os dias da semana, seus planetas regentes e atributos comuns. Dia Domingo

Planeta Atributos Sol Sucesso, prosperidade, abundância, riqueza, sorte, emprego, bom andamento de todas as coisas, influenciar alguém do sexo masculino. Segunda Lua Criatividade, percepção, fecundidade, intuição, fertilidade, influenciar pessoas do sexo feminino, família, lar, atividades públicas. Terça Marte Melhora do bem estar físico, justiça, aumento da força, coragem, proteção física, vitória, vingança, quebra de feitiços, disputas, desentendimentos. Quarta Mercúrio Aprimoramento do caminho espiritual, habilidades artísticas, imaginação, comunicação, vendas, comércio, negócios, saúde, atividades intelectuais, influenciar jovens, estudos. Quinta Júpiter Vigor, poder, devoção, dedicação, fortuna, autoridade, felicidade, nobreza, inteligência, prestígio, honra, posses. Sexta Vênus Liderança, estudo, amor, casamentos, harmonia nas relações, sociedade, fartura, equilíbrio, beleza, artes, caridade, entendimento familiar, relacionamentos no geral. Sábado Saturno Meditação, cautela, calma, prudência, limitar, restringir, amaldiçoar, estabilizar situações, localizar pessoas perdidas. 53


Propriedades Planetárias Sol

Mudanças, progresso, criatividade, ego, fama, generosidade, crescimento, orgulho, poder, amizade, cura, saúde, honra, esperança, alegria, esperança, energia vital, ganho monetário, sucesso, vitalidade. Lua Viagem astral, nascimento, sonhos, clarividência, emoções, fertilidade, lar, imaginação, inspiração, intuição, segredos, mistérios femininos, encarnação. Marte Negócios, compra e venda, comunicação, criatividade, intelecto, informação, memória, poderes mentais, adivinhação, poder psíquico, inteligência, percepção, sexo. Mercúrio Amor, arte, atração, beleza, amizade, fidelidade, sexualidade feminina, luxúria, juventude música, satisfação, prazer, sensualidade, assuntos sociais. Júpiter Agressão, ambição, discussão, conflito, destruição, energia, objetivo, cirurgia, luta, coragem, força, quebra de feitiço, proteção. Vênus Negócio, fama, apostas, ambição, crescimento, expansão, dinheiro, prosperidade, sorte, responsabilidade, dignidade, sucesso, visão, prosperidade, amor, relacionamentos. Saturno Plano astral, construção, morte, dívida, visão, longevidade, disciplina, dívidas kármicas, inteligência, obstáculos, conhecimentos mágicos, bens imobiliários, estrutura.

Banhos A água é fundamental para a saúde e a vida. Não é de hoje que seus efeitos terapêuticos são conhecidos. Segundo a medicina tradicional da Índia, a água possui um tipo de energia vital chamada “prana”, que também é encontrada nos outros elementos: Terra, Ar e Fogo. Entre as qualidades do prana está a capacidade de energizar o organismo, tornandoo mais saudável e vibrante. Também na Roma Antiga, balneários e termas ganharam um lugar de destaque na vida e na saúde dos cidadãos. O Japão também tem sua tradição quanto à água nos banhos de ofurô. A água quando ingerida já traz inúmeros benefícios para o corpo: ajuda a desintoxicar, estimula os rins e hidrata o organismo. Agora, imagine a água adicionada a algumas ervas: o efeito é maior e ainda por cima cura dores, distúrbios gerais da saúde, traumatismos, além de atuar no lado emocional. Os banhos são especialmente importantes antes de se fazer qualquer tipo de ritual. O ideal para banhos é ter uma banheira para deitar e relaxar, mas como isso nem sempre é possível, você pode jogar o banho aos poucos no corpo inteiro ou utilizar uma bacia grande. Confira agora os diversos tipos de banhos que curam o corpo e a alma.

Banho da Vitalidade: Com o baixo ventre imerso em água morna e erva-doce, faça movimentos suaves na região inferior ao umbigo, de cima para baixo e da direita para a esquerda, com uma pequena toalha encharcada, durante 20 minutos. Renovar as energias: Pegue um jarro de vidro transparente ou uma garrafa e encha com um litro de água. Acrescente 10 folhas de hortelã picadas, 4 cravos-da-índia moídos, pétalas 54


de uma rosa vermelha. Deixe no sol por uma hora e depois misture a 3 litros de água. Jogue o preparado desde a cabeça.

Para insônia: Coloque numa bacia água na temperatura ambiente. Entre na água e vá acrescentando água gelada até chegar numa temperatura de 8 a 15 graus. Fique de 2 a 5 minutos com a água cobrindo até o umbigo, depois saia da bacia e mergulhe os pés numa outra vasilha com água quente, em torno de 40 graus. Este banho vai ativar a circulação e ajudar a relaxar. Após o banho, agasalhe-se bem. Aliviar câimbras: Pegue duas bacias: em uma coloque água fria, na outra, quente. Vá mergulhando as mãos na água fria e depois na quente. Este banho produz efeito não apenas na região onde é aplicado, mas em todo o organismo. Mal-estar de gripe: Dentro de um jarro de vidro ou garrafa com um litro de água, coloque casca de maçã picada, folhas de erva-cidreira frescas e pétalas de uma rosa branca. Deixe no sol por uma hora e depois junte a 3 litros d’água e banhe-se do pescoço para baixo. Dores nas costas: Aqueça a água de 35 a 37 graus. Entre numa bacia e com uma vasilha, vá jogando o líquido do pescoço para baixo. Vá fazendo massagens com folhas de hortelã no baixo ventre. Combater cansaço físico e mental: Aqueça a água na temperatura em que agüente ficar com os pés dentro dela. Jogue um punhado de sal grosso e folhas de alecrim. A água tem que ficar até os tornozelos. Enxugue depois e não tome friagem nos pés. Revitalizante da pele: Cozinhe durante 20 minutos, em 2 litros de água, 250g de gérmen de trigo cru. Tome banho normalmente e depois jogue a mistura sobre o corpo. Deixe agir por 40 minutos e tome outro banho com água morna. Esse banho é rico em vitamina E, que ajuda no embelezamento da pele. Amaciante da pele: Junte 5 litros de água morna, 2 colheres (sopa) de farelo de aveia e 1 xícara (chá) de carqueja. Mexa bastante até que todos os ingredientes fiquem bem misturados. Derrame tudo na bacia e fique em imersão durante 15 minutos. Enquanto espera, esfregue com uma bucha natural todo o corpo, dando mais atenção aos cotovelos e joelhos. Depois é só enxaguar. Banho Relaxante: Faça um chá com um litro de água e 1 colher (sopa) de tília. Tome seu banho normal e depois derrame o chá por todo o corpo. Espere 5 minutos e seque o corpo suavemente. Não é preciso enxaguar. Cólica Menstrual: Um balde de água em temperatura ambiente e um balde de água bem quente (na temperatura que agüente ficar). A água de ambos os balde deverá cobrir até o tornozelo. Sentada, coloque os pés durante 4 minutos na água quente, depois 1 minuto na água fria e assim sucessivamente até totalizar 15 minutos (começa na água quente e termina na fria). Enxugue e não tome friagem nos pés.

55


Velas e suas Cores Uma das mais simples formas de magia é a magia das velas. Dizemos simples porque trata-se de uma prática realmente inicial e básica, que qualquer interessado em Magia pode realizar e, aos poucos, aprendendo a direcionar. É preciso atentar para três princípios básicos da Magia: concentração, força de vontade e visualização. Há velas dos mais variados tipos e formatos e você deve utilizar aquela que lhe for mais adequada. No entanto, velas comuns, daquelas vendidas em supermercados, costumam funcionar muito bem em todos os casos. Também é importante untar a(s) vela(s) com óleo antes de utilizá-la(s), pois dessa forma você anula as energias que já entraram em contato com ela(s) antes de chegar até você. Quando seu objetivo for atrair algo, unte a vela do pavio para a base. Quando sua intenção for afastar algo, unte a vela da base para o pavio. Use óleos neutros ou algum que tenha uma correspondência mágica de acordo com o seu objetivo também. Procure não reaproveitar velas; deixe-as queimando até o final. É claro que feitiços que duram mais de um dia devem prosseguir com a mesma vela (na maioria dos casos), mas salvas tais exceções, não reutilize. De acordo com o seu objetivo, escolha a cor da sua vela. Cada cor está relacionada a um aspecto de nossa vida e o sistema padrão é o seguinte: Vermelho Energia, força, paixão, coragem, fertilidade, sangue, guerras, batalhas, brigas, discussões acaloradas, ações rápidas, sobrevivência, lua de sangue, menstruação, iniciativa, sexo. Laranja Vitalidade, alegria, festas, negócios, sucesso no geral, vendas, assuntos legais, justiça. Amarelo Estudos, criatividade, inspiração, confidência, inteligência, Sol, memória, pensamento lógico, aumentar concentração, saúde mental. Rosa Romantismo, amizades, amor, ensinamento, paz, afeição, energias boas para o planeta, fazer as pazes com alguém. Verde Dinheiro, sorte, cura, fertilidade, abundância, saúde. Azul Paciência, projeção astral, sonhos proféticos, proteção divina, concentração, calma, esperança, inspiração espiritual, abrir bloqueios energéticos. Roxo Espiritualidade, habilidades psíquicas, terceiro olho, influenciar pessoas. Prata Feminilidade, Lua, telepatia, clarividência, sonhos, intuição, energia astral.

56


Dourado Masculinidade, saúde, força, vitalidade, sucesso, o Deus, felicidade. Preto Afastar negatividade, banimento, proteção, introspecção. Branco Paz, pureza, meditação, espiritualidade, a Deusa, nosso self profundo, pureza, paz, virgindade. A vela branca serve para qualquer propósito mágico, na falta da cor específica. Marrom Bens materiais, paciência, responsabilidade, trabalho, estudos, influenciar amigos, pedir favores especiais.

Princípios Fundamentais sobre Ataque e Autodefesa Psíquicos Ataques psíquicos existem? Sim. São sempre intencionais? Não. Partimos do ponto onde compreendemos que de tudo no universo emana energia. De pedras a pessoas. Magia é lidar com as diversas energias que existem. A Bruxaria lida especificamente com a magia da natureza, o que inclui pessoas. E nós vivemos em meio a isso tudo. Logo, recebemos e enviamos energia o tempo todo. Qual a principal vantagem em ser um estudante Ocultista ou praticante de Bruxaria? Identificar a influência dessas energias e fazer algo a respeito. Erro primário no tato com a magia: confiar somente em nossos instintos, pois eles podem nos enganar. Não somos feitos apenas de instinto, mas de intelecto. Por isso é importante estarmos preparados, e isso é constante, trabalho de uma vida.

Princípios fundamentais sobre ataques psíquicos: • Algumas forças da natureza são como são, e ir contra elas será desastroso somente para nós mesmos. • Há pessoas que sabem como lidar com tais forças e sempre existiram aquelas que usaram tais energias para propósitos egoístas e, muitas vezes, nocivos aos outros. • É necessário primeiramente identificar um ataque, antes de achar que “tudo é ataque” e sair se protegendo contra tudo e contra todos. Isso é desequilíbrio. O diagnóstico sempre deve vir antes do tratamento. • Nenhuma manifestação de ataque psíquico deve ser ignorada. • Antes de concluir que se trata de um ataque psíquico, deve-se tentar encontrar todas as soluções naturais e materiais possíveis. • Há duas portas de acesso para ataques psíquicos em qualquer pessoal: o instinto de autopreservação (medo) e o instinto sexual (desejo). Veja como o instinto pode se tornar facilmente um vício espiritual se você não sabe o que está fazendo. • Para atacar uma pessoa, é necessário criar uma atmosfera densa em torno de sua imagem. Isso é exaustivo. Essa atmosfera é criada a ponto de transbordar, e quando 57


• •

• • •

isso acontece, ela é direcionada a determinada pessoa. Se o atacante não sabe controlar essa energia, a mesma ficará dispersa no universo e será respondida por todos os seres que tiverem essa nota tônica como base de sua natureza. A lei do retorno. O que ele enviou, voltará para si mesmo, e freqüentemente de forma muito pior, pois envolverá outras energias e criaturas de todos os tipos. Uma pessoa que opera um ataque psíquico nunca se livrará do ato. Ficará preso para sempre em sua alma e consciência. Se existe um vínculo entre o atacante e o defensor, o ataque fica mais fácil. Tal vínculo pode inclusive vir de vidas passadas. Os ataques acontecem, em 99% dos casos, durante o sono da vítima, que é o momento quando sua mente está mais frágil e receptiva. Um ataque não necessariamente tem como foco a pessoa principal, mas pessoas vinculadas a ela que podem ser mais receptivas a esse tipo de problema. Trata-se de um ataque indireto. Animais percebem as energias mais rapidamente que os seres humanos. Se uma pessoa se aproxima do seu cão ou gato, e este sai correndo ou tem qualquer outra reação repulsiva, fique atento (a).

Natureza dos ataques: •

A forma mais comum de ataque psíquico não é intencional, provendo apenas de mentes ignorantes e malignas, mas não preparadas magicamente. Essas pessoas acabam se tornando as próprias vítimas de seu despreparo. Nesses casos, jamais um ataque deve ser respondido com outro ataque, pois você estará se rebaixando ao nível da ignorância. Outra forma comum de ataque psíquico se refere não somente à pessoas, mas a lugares. Aquela sensação de entrar em um lugar e se sentir mal é verdadeira. Algumas pessoas são sensíveis para identificar imediatamente o que está acontecendo, outras não. Identificando, você evita o problema. Tem gente que nunca percebe e sofre do mesmo mal há anos, pois não sabe qual é o problema. O ataque intencional, apesar de ser mais raro, também acontece, claro. É lançado por quem sabe o que está fazendo. Esses são os mais graves, pois não existe outra alternativa senão bater de frente.

Formas de ataques psíquicos: •

A projeção do corpo etéreo tem não apenas a mente em ação, como a manifestação no plano físico. Esse ato é chamado de duplo etéreo ou ectoplasma: quando a ação física é produzida à distância por meios ocultos e em transe profundo. Também é absolutamente exaustivo e pode levar o projetor ao limite de suas forças, ocasionando perda de peso etc. Uma mente confusa ou doente pode se projetar sem intenção, também. • Existe igualmente a projeção de elementais artificiais. Trata-se do mesmo tipo acima, mas a pessoa projeta outra coisa, que não sua imagem. Uma mãe que pede com muita fé a proteção do anjo da guarda para o seu filho pode projetar inconscientemente um elemental artificial nesse formato. Desnecessário dizer que a imagem mental bem definida é fundamental nesses casos. Além disso, a projeção 58


inconsciente pode aterrorizar o próprio projetor (projetar um fantasma no seu quarto, por exemplo). O conceito fundamental a respeito dessa “coisa” é que ela é uma parte do projetor exteriorizada. Uma espécie de “patrono do Harry Potter” de verdade, que fica ligado a você por um cordão fino em seu plexo solar (umbigo). O vampirismo é extremamente comum e trata-se basicamente da relação entre um parceiro dominante que mais ou menos conscientemente absorve a energia do mais fraco. A cura é o afastamento da vítima. Sempre que se tem o relato de uma união estreita e possessiva entre duas pessoas com a desvitalização de uma delas, é uma boa recomendar uma separação temporária e observar os resultados. É de essencial importância ao ocultista saber diferenciar o parasitismo do vampirismo. Como se pode deduzir, um é inconsciente e o outro consciente. Assombrações também podem acontecer, existindo duas formas que podemos considerar: uma alma presa a uma pessoa em particular e uma alma presa a um determinado lugar, afetando todas as pessoas que ali se encontrem. Exceto quando se trata de uma influência excepcionalmente forte, a pessoa insensível é imune. É importante ter em mente que, quando falamos de assombrações, primeiramente falamos em interferências, e não em ataques, pois a perturbação não necessariamente precisa constituir um ataque. Por isso o ensino espiritualista é tão popular (e valioso) – ele ajuda a suavizar a tensão entre os mundos. O que é necessário considerar é que existem almas e almas, assim como as pessoas são diferentes. Da mesma forma que existem almas de pessoas ignorantes, existem almas de pessoas que sabem bem o que estão fazendo. E obviamente a forma de lidar com cada uma delas difere enormemente. Contatos não-humanos caracterizam-se também como uma forma de ataque, se for o caso. Aqui entram criaturas diversas que habitam o imaginário das mais diversas culturas do planeta. Lobisomens, demônios, extraterrestres, seres das montanhas, goblins etc. Para saber como lidar com tais seres é necessário estudar sua literatura específica. Riscos incidentais da magia, ou a lei do retorno. Em todos os caminhos ocultistas, há suas conseqüências. Um ataque pode ser a resposta de algo que você tenha feito. O adepto iniciado é extremamente cauteloso quando trabalha com magia porque sabe o que existe na retaguarda. O ocultista não-iniciado vai sem destino e não pensa nas conseqüências, falando em voz alta nomes que leu em algum livro sobre o assunto, de tão fácil acesso, sem saber que tipo de energias está invocando ou acreditando que nada irá acontecer. Foi graças a esse tipo de pessoas que a magia ganhou tão má fama no decorrer da história da humanidade, pois existe uma freqüência assustadora de resultados desfavoráveis, quase sempre ligados ao despreparo dos praticantes.

Características comuns de quem está sofrendo um ataque psíquico: • • • •

Sonhos esquisitos relacionados ao ataque (geralmente é o primeiro sinal). Sensação de peso sobre o peito, como se alguém estivesse se ajoelhando sobre você à noite (geralmente esse é um sinal da influência do lugar). Sensação de mal eminente, medo e opressão. Exaustão progressivamente mais forte. 59


• • • • • • • •

Doença que nenhum médico consegue identificar. Colapso mental. Maus odores. Manchas pela casa. Pegadas bizarras. Presença de sino astral (audição de um som semelhante a um sino mesmo). Explosões inexplicáveis de fogo. Poltergeist (objetos que caem das estantes e outras manifestações ruidosas).

Princípios fundamentais para autodefesa psíquica: • • •

• • • •

Controle da imagem mental (auto-sugestão) é essencial. Paciência, equilíbrio, foco e concentração são essenciais. Toda mensagem à mente subconsciente deve ser expressa em termos muito simples. Nada de termos difíceis e conceitos complexos na hora de exteriorizar. Se pensamos em uma pessoa, estamos em contato com essa pessoa. Esse é um princípio básico. Se você a retratar com nitidez, será como se estivesse cara a cara com ela. Se não conseguir visualizar direito, é como se a visse à distância. Obviamente isso pode ser utilizado de diversas formas, e é assim que se opera tanto um ataque quanto uma defesa. Em todo ataque psíquico, o defensor sempre tem a vantagem, pois lidar com o inconsciente e as energias é exaustivo e demanda muito controle. Se tiver alguns poucos – mas eficientes – conhecimentos, dificilmente algum ataque lhe será problema. Enquanto a aura não for transpassada, não há nenhum acesso, e as duas maneiras pelas quais a aura pode ser transpassada é pelo medo ou pelo desejo vindos de dentro para fora, com relação à entidade atacante. Esses dois sentimentos são instintivos e, por isso mesmo, frágeis, fáceis. Um mago jamais se deixa levar por eles porque isso significa abrir as portas. É prudente afastar-se de pessoas que manifestam certo tipo de fascinação, obsessão ou paixonite a seu respeito. É prudente afastar-se de pessoas claramente desequilibradas e que ainda não tenham qualquer vínculo com você. Não deixe que tenham. O uso de talismãs e amuletos é útil, especialmente colares feitos de prata ou espelhos. Cuidar do seu corpo é uma das ações mais importantes. Nunca fique sem se alimentar, não perca muito peso, mantenha-se em equilíbrio. Corpo vazio é vítima mais fácil. O mesmo vale para o uso de álcool e substâncias prejudiciais ao corpo no geral: evite-as, pois alteram seu estado de equilíbrio. As impressões que temos são coisas importantes nos assuntos psíquicos, pois representam o conhecimento e a experiência que temos inconscientemente.

Ritual para Reconsagração do Ventre 60


Quando e por que fazer este ritual: Quando não nos damos bem com o fato de estarmos menstruadas, quando estivermos com cólicas menstruais, quando estivermos nos sentindo fracas como mulher, seja por uma queda de auto-estima, seja por qualquer tipo de abuso físico ou sexual. Procure fazer este ritual em um dia de Lua Cheia, especialmente quando estiver menstruada. Escolha um lugar calmo e tranqüilo e procure relaxar da maneira que achar melhor (você pode meditar, ouvir música celta, etc). Procure se concentrar na sua respiração. Sinta um ar novo e puro entrando por suas narinas, renovando todo o seu corpo por dentro. Quando expirar, imagine todas as energias negativas indo embora. Você está sendo purificada pelo poder do ar. Sinta uma energia que flui através do seu corpo, fruto dessa purificação. É uma luz branca e limpa, que percorre todas as partes do seu corpo; dos seus pés ás suas mãos; da sua cabeça à sua vagina; da garganta ao ventre. Pouse suas mãos sobre o seu umbigo e concentre-se nessa região. Respire tranqüila e calmamente. Sinta o seu ventre. Sinta a sua energia feminina pulsando dentro do seu corpo. O seu útero é vivo, e está dentro de você. Sinta o seu poder como mulher de dar à luz uma nova vida. Conecte-se à sua menstruação. Pense no que representa para uma mulher sangrar todos os meses. Imagine a Deusa em um oceano de sangue onde todas as mulheres estão inseridas. O útero Dela é o nosso útero. Sinta-o. Lembre-se da sua primeira menstruação. Como foi? Onde? Quando? O que você sentiu? Tente se lembrar exatamente das primeiras gotas de seu sangue menstrual. Lembrese de quando você percebeu que já era uma mulher. Que tipo de sensações você, como menina, sentiu? Quais as suas reações? E as pessoas que estavam ao seu redor, o que disseram? Como você lidou com isso? Tente reviver cada momento que se lembrar. Mergulhe na sua experiência como mulher desde menina. A partir dessa análise, comece a se perguntar que tipo de sentimentos você têm hoje com relação ao seu sangue. Quais suas experiências? Como você vê o seu sangue menstrual? Há alguma energia estagnada em seu corpo? Quais são as suas dificuldades? Há algum bloqueio? Por quê? Lembre-se de todas as pessoas que estavam envolvidas em sua primeira menstruação: mãe, amigas, avó, irmãs, tias, namorados. Qual foi a reação deles? Como é hoje em dia? As emoções podem parecer vagas, mas apegue-se a elas e tente se aprofundar o máximo que puder. Peça que a Deusa oriente você. Quando achar que conseguiu se lembrar de tudo o que foi mais significativo para você, coloque suas mãos sobre o seu peito e abra lentamente os olhos. Escreva em um caderno, diário ou mesmo em um pedaço de papel tudo o que está sentindo no momento e tudo o que sentiu enquanto meditava. Se você tiver alguma amiga que realizou uma experiência semelhante, troque experiências com ela. Após este ritual, tome um banho purificador. O ideal seria se banhar em uma cachoeira ou mar, mas se você não tiver a possibilidade, tome um banho comum com um incenso e velas acesas no banheiro. No banho, visualize a água levando embora qualquer energia negativa que possa ainda estar bloqueada em seu corpo e mente. Com movimentos circulares, faça uma massagem nos pontos do corpo que você acredita possuir certos bloqueios. Mentalize a sua cura espiritual. Você se limpou e se purificou, tanto fisicamente quanto mentalmente. Agora é hora de se energizar novamente. Faça isto se expondo à luz do Sol, da Lua ou das estrelas, canalizando suas energias para a sua cura emocional e espiritual, dentro do seu corpo. Quando estiver na sua casa novamente, abençoe todo o seu corpo com o óleo aromático que você preferir. Toque cada parte do seu corpo com bastante carinho, sentindo o seu poder de mulher sendo estabelecido. Ao tocar cada parte do corpo, diga uma oração. Um modelo a seguir: 61


Ao tocar seus olhos:

Abençoe meu olhos, Mãe, para ter uma visão clara. Ao tocar seus lábios:

Abençoe minha boca, Mãe, para que eu diga a verdade. Ao tocar seus ouvidos:

Abençoe meus ouvidos, Mãe, para que eu possa ouvir a todos. Ao tocar seu peito:

Abençoe meu coração, Mãe, para que ele se encha de amor. Ao tocar seu umbigo:

Abençoe meu ventre, Mãe, para que eu seja forte, criativa e sexual. Ao tocar seus pés:

Abençoe meus pés, Mãe, para que eu possa dar os passos certos. Vista uma roupa leve e passe o resto do dia lendo um livro, descansando, cozinhando. Enfim, dedicando-se a si mesma e às pessoas que você ama.

Ritual de Diana para ter um bom parto O parto é um evento profundamente místico e importante, porém muitas mulheres quando se aproximam dele ficam muito angustiadas e inquietas. Hoje a medicina está muito adiantada e hoje ter um filho já não apresenta tantos perigos como antigamente, entretanto há a possibilidade de se beneficiar da confiança que dá ao se invocar a Deusa Diana (Ártemis), padroeira das mulheres no momento do parto. Os gatos são sagrados para a Deusa Diana e você necessitará conseguir um pouco de pelo de gato negro para esse ritual. Não há necessidade de cortar, passe a mão em seu dorso, faça um carinho e ao mesmo tempo conseguirá adquirir um pouco de seu pelo. Entretanto, se for muito pouco, daí sim, corte uma mecha. Se conseguires encontrar uma gata e ela estiver esterilizada, melhor ainda. De posse da mecha de pelos guarde-os em uma bolsinha de veludo preto ou em uma caixinha de prata específica para guardar pelos (existem até pingentes para esse fim). Você deverá usar esse amuleto durante o parto, por isso escolha algo que goste muito. Dessa maneira, a Deusa Diana estará presente nesse momento mágico de sua vida, para cuidá-la.

Ritual para os seios ficarem bonitos após o período de amamentação Material necessário: 1 coco 1 vidro de óleo de amêndoas 62


Como preparar: Após o quinto mês da amamentação, tire a água do coco e corte-o ao meio. Coloque cada parte do coco nos seios e deixe por 5 minutos, em seguida passe o óleo. Esta simpatia deve ser feita por 5 dias consecutivos, usando o mesmo coco.

Plantas que devem ser evitadas durante a Gravidez Durante a gravidez, algumas plantas deverão ser evitadas pelo risco de malformações no feto ou provocarem o aborto ou mesmos outros efeitos indesejáveis. * Absinto/ Losna – pode provocar aborto * Açafrão – em doses elevadas surge o risco de aborto * Agrião – pode causar aborto * Alecrim – pode causar aborto * Aloés – provoca contrações uterinas * Amieiro-negro – provoca contrações uterinas * Anis – ação hormonal, estimula contrações do útero * Arnica – estimula contrações do útero, alta toxidade * Arruda – genotóxica * Babosa – estimula contrações do útero, abortiva, mutagênica, oxitócica, pode provocar diarréia * Boldo – pode afetar o feto e causar aborto * Calêndula – estimula contrações do útero, abortiva * Camomila – estimula contrações do útero, relaxante do útero * Capim-santo ou capim-limão – relaxante do útero * Carqueja – relaxante do útero, abortiva * Cascara sagrada – estimula contrações do útero, abortiva, pode provocar cólicas e diarréia * Cavalinha – causa deficiência de tiamina * Cefeeiro – faz diminuir o desenvolvimento do feto * Confrei – ação hormonal, hepatóxica * Dictâmno – risco de aborto * Erva-de-são-joão – risco de aborto * Erva doce – ação hormonal, estimula contrações do útero, abortiva * Guaco – interfere na coagulação sanguínea * Hibisco – estimula contrações do útero, abortiva * Hortelã japonesa – estimula contrações do útero, abortiva * Hortelã pimenta – estimula contrações do útero, teratogênica * Linhaça – estimula contrações do útero * Losna – estimula contrações do útero, neurotóxica * Lúpulo – pode causar contrações uterinas * Macela (camomila romana) – pode causar aborto ou provocar lesões no feto * Orégano – pode funcionar como estimulante uterino * Pêssego – estimula contrações do útero, abortiva, redução do leite * Poejo – estimula contrações do útero * Quebra pedra – abortiva * Romã – tem alcalóide que pode afetar o feto, estimula contrações do útero 63


* Ruibarbo – estimula contrações do útero, produz a congestão pélvica * Salsa – risco de aborto * Sálvia – estimula contrações do útero * Sene-da-índia – estimula contrações do útero * Tanaceto – risco de aborto * Tomilho – estimula contrações do útero * Urtiga – estimula contrações do útero, abortiva

As mulheres e a Terra A conexão entre as mulheres e a Terra tem história. Desde o período Paleolítico, as mulheres são associadas à fertilidade pelo claro fato de darem à luz novas vidas. Assim, quando são encontradas esculturas como a Vênus de Willendorf (datada de 35.000 anos antes da era cristã), sabemos que a fertilidade da mulher era algo praticamente sagrado para os nossos ancestrais. A humanidade demorou a perceber que o homem tinha um papel na concepção, e por muito tempo acreditou-se que a gravidez era ocasional, ou senão, fruto apenas do misterioso corpo da mulher. Há inúmeras lendas à respeito da concepção. Existe uma famosa entre o meio pagão: acreditava-se que as mulheres ficavam grávidas quando tomavam banho de lua à noite, nuas. Na verdade, há uma série de lendas, dependendo da civilização. Assim, aos poucos a mulher foi sendo comparada à tudo na Natureza que dava vida. A Terra, como a Deusa, tinha como sua representante humana a mulher. Nada de mais nessa comparação: se algum “ser divino” tinha o poder de criar novas vidas, obviamente deveria ser mulher, já que as fêmeas ficavam grávidas e davam à luz. Para os povos antigos, isso era muito claro e não havia problemas nessa visão. A conexão entre as mulheres e a Terra era óbvia para eles. No entanto, com o passar dos anos, séculos, a instituição das cidades e o distanciamento da Natureza, as mulheres foram perdendo essa conexão diária e real. Hoje em dia, há muitas mulheres resgatando essa crença, o que as tem beneficiado na relação com seu próprio corpo e com o seu eu interior. Não se trata de feminismo, mas do resgate de uma crença no Sagrado Feminino. De forma alguma o Sagrado Masculino é ignorado ou mesmo desprezado, visto que se complementam. Apenas por sermos mulheres, enfatizamos o lado feminino. Simples assim. Dessa forma, abaixo um ritual simples de conexão com a Terra, que pode ser feito por qualquer mulher que esteja interessada. O objetivo do ritual é a harmonização interior e a afirmação do amor por si mesma e por tudo o que a cerca.Você vai precisar para este ritual: *1 vela verde e 1 vela marrom; * Uma cumbuca com sementes de qualquer espécie; * Algumas folhagens ou flores silvestres; * Uma taça com lama (água + terra); * Incenso de lavanda; * Essência de hortelã ou capim-santo; * Pedras verdes e/ou marrons; * Música com sons da Natureza ou sons de tambor;

64


* 1 pão de cereais; * 1 copo de suco de verduras ou frutas. Você pode dedicar este ritual a uma Deusa da Terra especifica do panteão que você trabalha, ou dedicá-lo de maneira geral à Grande Mãe Terra. Qualquer forma que você escolher estará correta. Algumas Deusas da Terra são: Cerridwen, Deméter, Bona Dea, Cibele e Gea. Todo este material você vai organizar na forma de um altar, da forma como está habituada. Acenda as velas e o incenso. Unja seus pontos de poder (os chamados chackras) com a essência escolhida. Lance o círculo de forma usual e faça uma meditação para relaxamento, até achar que está pronta. Não demore menos de dez minutos com este exercício. Quando achar que está bom, visualize todos os itens no seu altar. Sinta-se na Natureza, pois você é Dela. Medite olhando para o fogo das velas… Depois observe como a água e a terra se completam virando a lama… Observe as sementes, que são os embriões de novas plantas, e pense no sentido da vida. Medite sobre todos esses aspectos. Diga para si mesma, finalmente: “Me sinto conectada ao Divino e com toda a humanidade”. Feche os olhos e imagine-se banhada por uma luz verde brilhante que sai da Terra e emana por todo o seu corpo. Sinta como essa luz remove todos os pontos escuros de sua vida. Preste atenção em sua respiração, e veja como seu coração pulsa junto com o centro da Terra. Somos apenas Uma. Visualize uma luz rosa saindo de seu coração e misturando-se à luz verde. Então diga: “Amo a mim mesma e tudo aquilo que me cerca”. Segure o pão e o copo de suco em suas mãos e consagre estes alimentos em nome da Deusa. Enquanto os ingere, sinta como está se conectando ainda mais com a Terra. Quando achar que está bom, agradeça à Deusa pelo ritual e desfaça o círculo. Enterre as sementes e jogue a lama por cima delas, assim como as folhas e flores. Enterre junto uma de suas pedras, como oferenda à Terra.

Preparação e Manipulação das Ervas As ervas após secas devem ser guardadas em recipientes de vidro ou de porcelana, separando-se as raízes, cascas e sementes das flores e folhas. As quantidades de ervas devem ser sempre cuidadosamente respeitadas, para tanto observar a seguinte tabela de equivalências: 1 colher de café = 2 gramas 1 colher de sopa = 5 gramas 1 xícara de café = 50 ml 1 xícara de chá = 100 ml Chás devem ser preparados em geral em utensílios de barro, louça ou cobre. A regra geral para a proporção água-erva é para cada litro de água, acrescentar 4 colheres de sopa de erva fresca ou 2 colheres de sopa de erva seca. Formas de preparo de chá: TISANA: Coloque a erva em água já fervendo, cozinhe por 5 minutos com panela tampada e deixe descansar por 10 minutos com panela tampada. Coe e use. 65


INFUSÃO: Ferva a água e despeje sobre a erva. Tampe e deixe em infusão por 10 minutos.Coe e use (para folhas e flores). DECOCÇÃO: Nesse processo o que se quer extrair da erva é um princípio amargo ou sal mineral. A erva fica de molho em água fria algumas horas e depois é posta para ferver. Usar geralmente cerca de 30 gs de planta seca para 2 xícaras de chá de água. Cozinhe a erva por 15 a 30 minutos. Coe e sirva (usada para raízes, cascas e sementes). MACERAÇÃO: Ponha a erva de molho em água fria, vinho, óleo ou vinagre, por 24 horas, coe e use sem levar ao fogo. Neste método as vitaminas e sais minerais são melhor preservados. A maceração de água não deve ser tomada 12 horas após seu preparo, pois existe proliferação de bactérias que podem ser prejudiciais. Existem formas de aplicar as ervas externamente sobre partes do corpo que estão machucadas, inchadas ou doloridas. Podemos citar: CATAPLASMA DE ERVAS FRESCAS: aplicadas amassadas diretamente sobre a parte afetada, sem preparação prévia. CATAPLASMA DE ERVAS SECAS: Colocadas no interior de um saquinho e aplicadas frias ou quentes, de acordo com o caso. Estas cataplasmas são recomendadas para combater câimbras, nevralgias, dores de ouvido, etc. CATAPLASMA SOB FORMA DE PASTA: Ervas são socadas até formarem uma papa, que podem ser aplicadas diretamente, ou sob dois panos, no local. Quando não se tem erva fresca, usa-se a seca. Aí é preciso água fervendo nas ervas, para auxiliar formação de papa. Outra maneira de preparar o cataplasma é mergulhar a erva em vinagre de maçã e misturar com farinha integral para dar liga. Espalha-se a mistura quente e úmida em um tecido, que se coloca sobre o local afetado. Passe óleo na pele antes de aplicar cataplasma quente. Um pedaço de plástico sobre o cataplasma conserva o calor. COMPRESSA: Cozinhar as ervas indicadas até se obter u m líquido bem forte (3 ou 4 vezes mais que o chá comum). A seguir mergulha-se pano no líquido, torcer levemente e aplicar sobre a parte afetada. As ervas também podem servir para INALAÇÕES, para casos de distúrbios ou doenças do aparelho respiratório, sob forma de tisanas ou infusões bem fortes. Outras formas de preparo de ervas: UNGUENTOS: Pomada de ervas trituradas, em gordura vegetal, de coco ou amendoim. No momento de uso é só derreter em fogo brando. Outro preparo: Picar ervas frescas, colocar em panela de aço inoxidável ou esmaltada. Cobrir as ervas com água, levar ao fogo por 20 minutos em temperatura média. Coar e adicionar ao caldo uma quantidade igual de azeite de oliva. Volte ao fogo e ferva até a água evaporar e sobrar só o óleo. Tirar do fogo, e adicionar cera o suficiente para dar à mistura consistência de pomada. Acondicionar ainda quente em vasilhas de plástico com tampa que vede bem.

66


XAROPES: Infusão concentrada que se caracteriza como bebida concentrada padrão. Geralmente usa-se 250g de ervas para 360ml de água fervente. Podem ser obtidos também por decocção ou maceração, e misturados com mel para se saturarem. BANHOS: Chás fortes para serem misturados à água do banho. TINTURA: Pôr 100g de erva em pó ou 225g de ervas frescas picadas num recipiente com tampa hermética. Acrescentar 5,5 decilitros de álcool a 60 graus. Agitá-lo duas vezes ao dia e deixar por 2 semanas. Coar e guardar num frasco escuro.(usado para flores e folhas mais freqüentemente). ÓLEOS ESSENCIAIS: São as essências concentradas das plantas obtidas a partir de processo de destilação. PÓ: Cortar as partes grandes das plantas secas, como raízes, casca ou caules grossos, esmagá-las num almofariz ou reduzí-las a pó num moinho de café.

Emplastros Emplastro de Arnica (Para contusões e torceduras) * tintura de arnica * água quente Misture a tintura na água e embeba um pano, aplicando-o quente sobre a parte afetada. Nunca empregue esta medicação em ferimentos abertos.

Emplastro de Confrei (Contra inchaços por contusões) * folhas verdes ou secas de confrei * água quente Amasse as folhas verdes ou umedeça um pouco as folhas secas. Coloque-as dentro de um pano e aplique-o sobre a parte afetada.

Emplastro de Manjerona (Para dor de dente, dor de ouvido, contusão ou abscesso.) * 1 parte de sementes de manjerona * 1 parte de sementes de linhaça * água fervente Misture bem os ingredientes, coloque-os em um tecido de algodão que deverá ser aplicado sobre o local dolorido. Pra fazer fricções que aliviam dores lombares, de artrite, distensão, contusão ou reumatismo, empregue tomilho, manjerona e azeite de oliva em partes iguais. 67


Emplastro de Mostarda (Contra inflamação e congestão dos tecidos) * 1 parte de sementes moídas de mostarda * 4 partes de farinha * água morna Junte a água às sementes de mostarda e à farinha até formar uma massa espessa. Espalhe sobre um tecido, dobre-o e aplique-o sobre a área congestionada. Caso a pessoa tenha pele delicada, unte a área com azeite de oliva antes de aplicar o emplastro. Não pare de mover o emplastro sobre o ponto tumefacto. Aconselha-se também juntar as sementes puras de mostarda à água quente para escalda-pés, que isto ajuda a aliviar a tumefação existente em outro ponto do corpo.

Emplastro de Morrião-dos-Passarinhos (Contra inflamações) * Folhas frescas de morrião-dos-passarinhos Nos casos mais brandos, basta aplicar as folhas frescas sobre a inflamação tumefacta. Se esta estiver causando febre, soque as folhas, espalhe-as sobre a área inflamada e recubra com uma folha de repolho. Substitua o emplastro por outro, várias vezes. O morrião-dospassarinhos absorve o calor provocado pela inflamação.

Emplastro de Alho (Para ferimentos infeccionados) Os casos muito graves exigem a assistência do médico. Os de menor gravidade pode ser tratados com estes ingredientes: * 10 dentes de alho * loção de calêndula * chá de salva

Cataplasmas Cataplasmas são usadas sobre a pele e órgãos subjacentes, como se fossem compressas e, geralmente, aplicadas frias, sobre inflamações, feridas doloridas e de difícil cicatrização, contusões agudas etc. Preferencialmente, utilize sempre instrumentos de madeira ao preparar cataplasmas. Sempre evite o contato das ervas com qualquer tipo de metal. Há várias formas de se fazer um cataplasma. As mais conhecidas são: 1. Aplicar as ervas frescas bem limpas diretamente sobre as partes afetadas. Repetir a operação, com ervas frescas, após 20 minutos. 2. Após limpar muito bem as ervas, amasse-as até que adquiram uma consistência pastosa. Aplique este preparado diretamente sobre a pele (ou envolva-o em um tecido fino e macio antes de colocá-lo no local desejado) por, aproximadamente, 20 minutos. Transcorrido esse período, repita a operação, porém, agora, com ervas frescas. 68


Observações: Na falta de ervas frescas, pegue as secas e coloque-as sobre um tecido fino e macio. Costure ao redor desse tecido transformando-o em um saquinho. Mergulhe o saquinho em água quente, retire-o, esprema-o e aplique-o sobre as partes afetadas. Deixe-o no local e cubra-o com um pano de lã ou de tecido mais grosso, deixando-o atuar por cerca de meia hora.

Sais de Banho Muitos praticantes de Magia se preparam para seus rituais tomando um banho antes utilizando sais especiais. Alguns usam apenas sal marinho, mas você também pode utilizar o sal comum. Afinal, todos os sais provêm da Terra. Acrescente cerca de 1 colher de sopa da mistura de sais, ervas e/ou óleos essenciais à banheira antes de mergulhar em um prazeroso banho (ou então em um balde e jogue aos poucos pelo corpo e fique um tempo sem se enxugar para surtir efeito). Todas as partículas sólidas devem ser bem moídas para que os resíduos possam ir pelo ralo. Se você possui alguma alergia, teste um pouco do óleo essencial (que é um dos ingredientes dos sais de banho) na parte interna de seu cotovelo antes de utilizá-lo na confecção de seus sais. Guarde seus sais de banho em um pote bem fechado. Observação: NUNCA ingira seus sais de banho.

Sais de Banho de Cernunnos 1 xícara de sal 2 gotas de óleó de cravo 6 gotas de óleo de âmbar 4 gotas de óleo de patchuli 3 gotas de óleo de rosa gerânio 2 gotas de óleo de pinho 8 gotas de óleo sintético de âmbar 8 gotas de óleo sintético de cinzento almíscar Sais de Banho de Pã 1 xícara de sal 2 gotas de óleo de pinho 2 gotas de óleo de cedro 8 gotas de óleo de patchuli 4 gotas de óleo de zimbro ou 3 gotas de óleo de verbena 4 de colher de chá de tintura de zimbro Sais de Banho dos Sátiros 1 xícara de sal 8 gotas de óleo de patchuli 4 gotas de óleo de cravo 8 gotas de óleo de baunilha 4 gotas de óleo sintético de almíscar 2 gotas de óleo de canela

69


Sais de Banho da Magia da Lua 1 xícara de sal 8 gotas de óleo de sândalo 1/8 de colher de chá de raiz de lírio florentino em pó 8 gotas de óleo de lótus

Receitas de óleos Apresentamos aqui algumas receitas de óleos para unção, que podem ser usados para fins específicos, meditações e rituais. Você pode usar um óleo base e adicionar as gotas dos outros, ou então adicionar essências.

Óleo simples para unção - 5 gotas de óleo de sândalo - 3 gotas de óleo de cedro - 1 gota de óleo de laranja - 1 gota de óleo de limão Óleo para purificação - 4 gotas de óleo de eucalipto - 2 gotas de óleo de cânfora - 1 gota de óleo de capim-limão Óleo para Sabbats - 1 gota de óleo de limão - 1 gota de óleo de flor de laranjeira - 2 gotas de óleo de sândalo - 2 gotas de óleo de mirra - 3 gotas de óleo de frankincenso Óleo para Lua Cheia - 3 gotas de óleo de rosas - 1 gota de óleo de jasmim - 1 gota de óleo de sândalo Óleo para a Lua Negra - 6 gotas de óleo de jasmim - 4 gotas de óleo de camomila - 4 gotas de óleo de limão - 3 gotas de óleo de patchuli - 1 gota de óleo de sândalo Óleo da Deusa - 2 gotas de óleo de rosas - 1 gota de óleo de limão - 1 gota de óleo de mirra 70


Óleo do Deus - 1 gota de óleo de musk - 1 gota de óleo de alecrim - 1 gota de óleo de louro - 1 gota de óleo de canela - 1 gota de óleo de frankincenso Óleo para viagem astral - 5 gotas de óleo de sândalo - 1 gota de óleo de ylang-ylang - 1 gota de óleo de canela

Sachês de Ervas Sachê de rosas 120g de amido de milho 30g de raiz de lírio fiorentino em pó 1/4 de colher de chá de canela 60g de talco 2 gotas de óleo de rosas Sachê de rosas temperadas 60g de amido de milho 15g de raiz de lírio florentino 1/4 de colher de chá de canela 30g de talco 2 gotas de óleo de rosas Sachê para colocar na árvore de inverno 300g de amido de milho 60g de goma de benjoim em pó 1 gota de óleo de bergamota 1/2 colher de chá de canela 180g de talco 1 gota de óleo de pinho 1/4 de colher de chá de noz-moscada Sachê das flores do prado 120g de amido de milho 30g de goma em pó de benjoim 15g de urze 1 gota de óleo de violeta 60g de talco 15g de aspérula doce 1 colher de chá de baunilha

71


Sachê inglês 120g de amido de milho 30g de raiz de lírio fiorentino em pó 60g de talco 1 gota de óleo de lavanda Sachê masculino Homens normalmente não se interessam por sachês e almofadas adocicadas. Esta mistura geralmente recebe sua aprovação. Pequenos sachês como estes podem também funcionar como desodorantes para sapatos. Seque e rale a casca de uma laranja em pedaços grossos. Não deixe que a casca seque muito, ou então será como tentar ralar pedras! Misture com uma colher de sopa de pó de lírio florentino e 15g de verbena de limão. Insira dentro de saquinhos para sachê. Mistura floral para sachês 15g de resedás ou outras flores de aroma doce 1 colher de sopa de pó de lírio fiorentino 15g de pétalas secas de rosas e/ou peônia 15g de lavanda 5 gotas de óleo de gerânio rosa Misture levemente as resedás, as rosas secas e a lavanda. Esparja o pó de lírio florentino e o óleo de gerânio. Misture levemente e insira dentro de pequenos saquinhos de sachê.

Ervas e especiarias Essenciais O mais bacana de plantar ervas é que não importa se você é rico ou pobre, se mora numa casa com quintal enorme ou numa kitnet – basta plantá-las no jardim, na varanda, na jardineira embaixo da janela, num vasinho ou até mesmo em um balde. Ervas que você pode plantar e colher durante o ano todo: - alecrim - sálvia - tomilho - manjericão - coentro - louro - orégano - hortelã - manjerona As ervas frescas são as melhores e podem ser usadas em praticamente todas as receitas que você fizer. O bom é que elas crescem muito facilmente – basta regar e fertilizar a terra. É muito gratificante plantar, cuidar, ver crescer e depois usar em alguma comida ou ritual uma erva plantada por você mesmo (a). Nos grandes supermercados encontramos 72


ervas frescas para vender, mas você pagará caro em algo com menos qualidade que a plantada em sua casa, sem falar no vínculo e na cumplicidade de mexer na terra e cultivar algo. As ervas secas também podem ter diversos usos, especialmente em rituais e feitiços simples, como purificação, produção de sachês e coisas do tipo. Vale a pena separar um pouco delas e deixar secando no lugar apropriado para isso. Para usar na comida, fique sempre atento (a) ao sabor, pois as ervas secas possuem-no mais acentuadamente. As especiarias são ótimas de se ter na cozinha, pois são imperecíveis, baratas e dão toque aquele toque em qualquer comida que você fizer. Algumas especiarias básicas de se ter em casa são: - cravo da índia - canela - pimenta do reino - chilli seco - noz moscada - sementes de coentro - sementes de erva doce - sementes de cominho Um bom investimento que você pode fazer para a sua cozinha é a compra de um pilão ou almofariz de qualidade, de pedra, que dura a vida inteira e aguenta bem o tranco. É só escolher o que vai usar e misturar ali, manualmente, como nos velhos – e novos – tempos.

Incensos e suas Propriedades O incenso é uma substância resinosa aromática, empregada desde a antiguidade queimado como perfume para aromatizar ambientes, afastar insetos e em rituais religiosos. O incensário pode ser feito de metal, barro, cerâmica ou conchas. O importante é o incensário permitir que o incenso dure até o final sem apagar. Os incensos devem ser queimados até o final. Depois, os restos dos incensos podem ser jogados fora normalmente, como lixo orgânico, ou enterrados em algum lugar de seu jardim próprio para isso, se tiver essa possibilidade.

Propriedades dos incensos Absinto: Estimulante geral para o cansaço mental e físico. Alecrim: Traz saúde e sucesso nos negócios, acalma. Alfazema: Acalma, limpa o ambiente. Almíscar: Afrodisíaco, traz sensualidade e atração. Amor Perfeito: Purifica, estudo, amor, elevação das vibrações. Angélica: Fortifica a espiritualidade. Anis: Para despertar o amor interno. Anúbis: Para desperta a força. Arruda: Proteção, limpa ambientes carregados. 73


Bálsamo: Acalma e equilibra a energia. Bálsamo Rosa: Acalma, purifica, estudo, amor, elevação das vibrações, psíquicos. Benjoim: Aumenta a espiritualidade, exorcismo. Camomila: Acalma, purifica, psíquicos. Canela: Estimulante; atrai prosperidade, bens matérias, equilíbrio mental. Cânfora: Acalma, limpa ambientes carregados, desenvolvimento psíquico. Cedro: Purifica, para despertar orças, psíquico. Côco: Estimula o bem estar. Cravo: Excitante, afrodisíaco, expulsar forças negativas, e expectorante. Cravo-da-Índia: Purifica, para despertar força, espiritualidade, sensualidade e atração. Dama-da-Noite: Ideal para encontros amorosos. Egípcio: Purifica, amor. Erva-Doce: Poderoso calmante. Espiritual: Purifica, para despertar forças e espiritualidade. Eucalipto: Purifica. Eternum: Estudo, espiritualidade, elevação das vibrações, psíquicos. Flôr-do-Campo: Equilíbrio emocional. Flôr-de-Pitanga: Incentiva a criatividade. Flôr-da-Índia (Kewda): Purifica as vias respiratórias. Floral: Afasta os sentimentos negativos. Eliotrópio: Amor. Jasmim: Afrodisíaco, atrai paixão, melhora o humor, espiritualidade, elevação das vibrações, psíquico. Kamarc: Para despertar força. Lavanda: Harmonia, paz e equilíbrio. Lótus: Estudo, elevação das vibrações. Maçã-Rosada: Acalma. Madeira: Energia positiva, amor, elevação das vibrações. Madeira Oriental: Sensualidade e atração. Mirra: Traz saúde e sucesso nos negócios, oferenda aos Deuses, boa sorte, acalma, purifica, espiritualidade, psíquico. Mirra Quefren: Para despertar força. Musk: Cria um ambiente de sensualidade. Nós Moscada: Diminui a ansiedade. Néfer: Amor, sensualidade e atração. Nefetis: Amor. Ópio: Favorece a determinação, elevação das vibrações, estudo e psíquico, alucinógeno. Ópio Rosa: Sensualidade e atuação. Orquídea: Afrodisíaco. Orquídea Azul: Psíquico. Patchuli: Desperta a alegria, clarividência, sensualidade, atração, para despertar força. Papoula: Psíquico. Quefren: Elevação das vibrações e psíquico. Rosa: Purifica, estudo, espiritualidade, amor, elevação das vibrações, psíquico. Rosa Branca: Purifica os sentimentos, acalma. Rosa Musgo: Rejuvenesce, embeleza e amacia a pele. Rosa Real: Útil na defesa da casa. Rosário: Acalma, amor, elevação das vibrações. 74


Romanus: Para despertar força e psíquico. Sândalo: Acalma, purifica, estudo, espiritualidade, amor, elevação das vibrações, sensualidade e atração, favorece a meditação e a intuição; equilíbrio mental. Sete Ervas: Atrai energias positivas e proteção. É composto por arruda, guiné, alecrim, espada de São Jorge, comigo-ninguém-pode, pimenteira e manjericão. Verbena: Atrai sorte. Vetiver: Ativa a sensualidade, comando. Violeta: Desperta autoconfiança, afrodisíaco. Templum: Estudo, espiritualidade, elevações das vibrações, psíquico. Ylang Ylang: Ativa a sensualidade, poderoso afrodisíaco.

Transforme Panelas Velhas em Vasos Quando a panela velha já não faz comida boa, o que fazer? Escolher as mais charmosas e transformá-las em vasos é uma boa alternativa. Os recipientes servem muito bem para plantar ervas aromáticas e temperos – que é bom ter sempre à mão, fresquinhos, na hora de preparar as receitas. Manjericão, sálvia, salsa, alecrim, manjerona e as pimentas miúdas são ótimas pedidas. Além deles, a clorofila se adapta com facilidade a diversos ambientes e é utilizada em vitaminas, por ter propriedades digestivas. Num cantinho da cozinha ou na área de serviço, a mini-horta fica tão bonita que dá gosto deixá-la bem à vista. E assim as ervas que brotam na panela vão direto para outra panela. Você vai precisar de: • Panelas • Mudas de ervas • Terra adubada (há pacotes prontos em lojas de plantas) • Bolinhas de argila ou pedaços de cascalho • Martelo • Prego grande Limpe a panela e faça alguns furos no fundo com o prego e o martelo. Apóie em uma superfície de madeira que possa ser furada e peça a ajuda de alguém para segurá-la. A quantidade de furos pode variar de quatro a oito, dependendo do tamanho da panela. Os buracos servem para drenar a água na hora da rega e para que a raiz da planta possa respirar. Depois coloque no fundo uma camada de bolinhas de argila ou de pedaços de cascalho, que irão ajudar na drenagem da água. Encaixe a muda no centro da panela e complete com a terra adubada. Os vasos com temperos devem ser colocados em locais onde a luz solar não incida diretamente sobre as plantas, mas que seja bem iluminado e ventilado. Regue as plantas a cada dois dias.

Faça com que suas Plantas vivam mais tempo Você é daquelas pessoas que não conseguem ter plantas bonitas em casa por muito tempo? Não é azar, não. É falta de cuidados… Veja as dicas para fazer com que elas vivam mais tempo. 75


Coloque sempre o dedo na terra para saber se falta água. Aproveite para descarregar suas energias: as plantas gostam e sabem transmutar essa energia. Seu contato com a terra vai criar uma relação de troca e identidade com sua planta. Ao regar, pegue seu vaso e leve para uma área onde você possa molhar bem a terra e as folhas. Após 1 hora da rega, jogue fora a água dos pratos, volte a planta para o seu lugar mantenha-a durante as semanas seguintes molhando com pequenas quantidades. Você pode repetir isso no verão uma vez por mês, mas no inverno uma vez a cada dois meses já é o suficiente. No inverno, as plantas não gostam de água à noite, elas preferem na parte da manhã. “Assim evitamos as baixas temperaturas da madrugada que ajudam a proliferar os fungos e parasitas.” Não sabe a quantidade ideal de água? Veja as dicas para um inverno seco: - Vaso pequeno 1/2 copo a 1 copo cada 4 dias - Vaso médio 1/2 litro 1 vez por semana - Vaso grande 1 litro a 1 litro e ½ 1 vez por semana - Vaso de barro precisam 2 vezes mais de água do que os de plástico - Se a umidade está alta no ar, não é preciso molhar Lugar ao sol (ou à sombra) As plantas são seres vivos especiais porque podem fabricar o seu próprio alimento retirando a energia que vem da luz solar. Na hora da compra, basta perguntar qual a necessidade dela. E, depois, descubra o melhor lugar da casa para acomoda-la. Pegue uma bússola e descubra qual janela recebe o sol, mas se não tem, basta observar onde o sol nasce, este lado é o leste. Onde ele se põe, o oeste. Aprenda a escolher o local apropriado: - Planta de sol: procure uma janela direcionada para norte ou oeste. Essa posição é excelente para esse tipo de planta, pois recebem o sol por mais tempo. - Planta de meia sombra: uma janela voltada para o leste, que recebe a luz do sol da manhã, mas ficará na sombra o resto do dia. - Planta de sombra: você deve procurar uma janela voltada para sul. Adubação verde Frutas e verduras fazem bem até para as plantas. Faça uma adubação verde, mas líquida. Podemos alimentar nossas plantas com um suco verde, que ajuda muito a planta. Da mesma maneira que o nosso corpo absorve rapidamente uma vitamina que tomamos, o mesmo acontece com elas. Use as sobras de vegetais e frutas que não foram cozidos e estão sem temperos. Bata tudo no liquidificador com água e, depois de bem batido, coe para retirar o bagaço. Dilua esse líquido em 3 litros de água e, depois, é só molhar como já foi explicado. Mas use esse método uma vez a cada 15 dias, adubo demais prejudica a planta. Outros adubos 76


Cada adubo tem a sua função. Você pode usar os químicos (aqueles de loja de jardinagem ou supermercado) somente na época das chuvas, que dissolvem e são assimilados melhor pelas plantas. Procure intercalar os minerais e os orgânicos de 3 em 3 meses para equilibrar o solo e, no inverno, dê um descanso para o jardim. A adubação química é aquela em que o adubo usado é formado por composto químico, originado industrialmente. São adubos sintéticos que contêm nitrogênio, fósforo e potássio. Já a adubação orgânica é aquela feita usando resíduos animais ou vegetais que desenvolvem a flora microbiana e, por conseqüência, melhoram as condições físicas do solo. Os mais conhecidos são a “torta de mamona” e a “farinha de osso” e também são encontrados no mercado facilmente. Por fim, a adubação mineral é extraída de minas e assimilada diretamente pelas plantas, ou sofrem pequenas transformações no solo para serem absorvidos. Também à venda em lojas de plantas.

Jardim Básico para quem não tem Espaço Essa questão de ter um jardinzinho ou uma pequena horta em casa já deve ter deixado aflita a maioria da comunidade pagã que vive em grandes cidades. As hortas podem ser feitas em qualquer lugar, de pequenos vasos a grandes canteiros. Grandes espaços (hortas de sítios, jardins): abobrinha, alecrim, berinjela, boldo, brócolis, chicória, couve, couve-flor, ervilha-torta, espinafre, melissa, milho, pimenta, quiabo, repolho, salsão, sálvia, tomate e vagem. Pequenos espaços (varandas de apartamento, quintais de casa): agrião, alface, almeirão, beterraba, capim-limão, cebolinha, cenoura, coentro, endro, estragão, hortelã, manjericão, manjerona, orégano, rabanete, rúcula, salsinha e tomilho. Ervas básicas que podem ser plantadas em pequenos vasinhos: - arruda - alecrim - sálvia - hortelã - manjericão - camomila Dicas importantes: •

As hortaliças precisam receber, no mínimo, cinco horas de luz solar por dia. Por isso, o ideal é instalar a horta na varanda ou junto à janela. Prefira locais que recebem sol pela manhã. Onde plantar? Em qualquer vasilhame, de jardineiras a jarros (com volume mínimo de 1 litro) até canos de PVC (de 30 cm de diâmetro) cortados ao meio. Dá para usar também garrafas PET de 2 litros (cortadas acima da metade) ou carrinhos de mão. É preciso sempre furar embaixo para a drenagem da água. Em apartamentos, opte por hortaliças com raízes curtas, como alface, coentro, cebolinha, salsa, pimentão e couve-folha (couve manteiga), ou até frutas de pequeno

77


porte, como tomate-cereja e morango. Vegetais de raízes longas, como cenoura, rabanete e mandioquinha, não se adaptam bem a solos pouco profundos. No início, regue três vezes por dia até que a semente germine ou a muda pegue. Depois, basta uma rega diária, de preferência pela manhã. Retire plantas invasoras e proteja a horta de insetos, principalmente borboletas. Seus ovos viram larvas, que se alimentam das plantas. Procure manter o vaso sempre levemente úmido, sem nunca encharcar, já que isso poderia matar a planta e causar doenças na mesma. Molhar uma vez por dia normalmente já é o suficiente. As pequenas plantas não duram pra sempre, uma hora começarão a exibir um mau aspecto. Quando isso ocorrer, você deverá replantar as mudas, utilizando o mesmo procedimento anterior, devendo-se trocar a terra do vaso.

Métodos Metafísicos de Cura As bruxas têm a Magia em toda a sua vida, então nada faz mais sentido do que tentar trazer métodos metafísicos para ações de cura. O fato de já ter familiaridade com determinados sistemas mágicos faz com que as bruxas tornem-se mais sensíveis aos métodos de cura aqui apresentados. Nós aprendemos a controlar as energias curativas para que fluam mais suaves e naturalmente, junto com a visão do praticante.

Trabalho com a aura O modo como cada bruxa percebe a aura varia bastante. Algumas sentem texturas, outras percebem aromas. Há algumas psiquicamente afinadas para ver cores. Basicamente, a aura é a atmosfera do corpo; uma película de energia que o rodeia, cuja situação varia de acordo com as condições espirituais, físicas e emocionais de cada pessoa. Examinando essas informações sensoriais, uma bruxa pode saber quais áreas da pessoa estão atingidas, podendo fornecer energia à aura para devolver-lhe o equilíbrio. Tal processo raramente envolve o toque direto. A maioria das bruxas simplesmente projeta a energia pelas palmas de suas mãos, que ficam sobre o corpo na margem externa da aura. A idéia é suavizar os níveis de energia externamente, para que o corpo não tenha tanto trabalho e possa se concentrar no problema principal. Cromoterapia As cores possuem significados mágicos. Paracelso, ainda no século XIII, usou essa idéia criando curas coloridas na forma de misturas herbáceas e elixires. Nós, bruxas, utilizamos tanto as idéias antigas quanto as modernas para a cromoterapia surtir o seu melhor efeito. O modo mais fácil e prático de aplicar a cromoterapia no seu dia a dia é colocando roupas de cores específicas em seu guarda-roupa. Fazendo isso, você estará colocando 78


energia em sua vida, não apenas cores mais vivas. Quando se sentir triste, por exemplo, procure usar uma roupa cor de rosa. Você também pode colocar toques decorativos em seu quarto ou local de trabalho, de acordo com as suas necessidades. Ingerir alimentos de determinadas cores também auxiliam no processo de cura pela cromoterapia. Cura através dos cristais A cura através dos cristais baseia-se na idéia de que o corpo humano possui inúmeras linhas de energia que se cruzam. Cada uma dessas linhas é importante para a saúde em seu conjunto, e os cristais entram quando a energia é mal direcionada ou cortada. Um terapeuta experiente sabe quais pedras (por sua cor, forma e tipo) vibram em certas freqüências capazes de afetar nossa mente, corpo e espírito. Ele põe o cristal certo na parte correspondente do corpo que precisa da energia, lembrando efetivamente o corpo de como ele deveria estar funcionando. Sons sagrados A qualidade tonal das palavras e da música têm a capacidade de ajudar a manter e encorajar o bem-estar não só das pessoas, mas também de plantas e animais. Há diversas maneiras de aplicação dos sons sagrados. Uma curandeira pode entoar uma canção especial para uma pessoa afligida, para que as vibrações da canção envolvam o corpo do paciente como uma bandagem. Outros métodos incluem cânticos para mudar vibrações internas e externas ou cantar uma saga que fala em ultrapassar limites e completude. Poções As poções não são usadas apenas para processos de cura, mas também podem ser utilizadas a seu favor. Algumas bruxas podem preparar um chá encantado com a energia direcionada. Outras podem criar uma tintura de cristal baseada nas vibrações das pedras. Vale lembrar que nem todas as poções são feitas para o consumo. Algumas são derramadas como forma de libação (oferenda). Rituais e feitiços Falar em cura das bruxas e não falar em feitiços soaria como piada. Definitivamente, há métodos testados e aprovados de direcionar a magia com fins específicos, e isso aplica-se à magia curativa. A hora mais oportuna de se trabalhar com feitiços de banimento de doenças é durante a Lua Minguante, para que a doença encolha e desapareça. Trabalhar durante a tarde expulsa a escuridão da doença. Cada bruxa deve buscar fazer seus feitiços de forma ética (com a permissão do paciente) e desenvolvendo seus melhores dons, para direcionar a energia de forma correta.

79


Simbologia Espirais Os espirais Celtas representam o equilíbrio do universo dentro de nós, ou seja, o equilíbrio espiritual interior e a consciência exterior. As espirais com movimentos no sentido horário estão associadas ao Sol e a harmonia com a Terra, ou seja, movimentos que representam à expansão e a atração (sol de verão). Desenha-se de fora para dentro.

Enquanto que as espirais com movimentos no sentido anti-horário estão associadas à manipulação da natureza e aos encantamentos que visam à interiorização e a transmutação de energias, assim como a proteção (sol de inverno). Desenha-se de fora para dentro.

São “As Espirais da Vida", que representam de um modo geral o ciclo da vida, da morte e do renascimento... A eternidade da alma!. 80


Espirais Duplas Representa um sinal de equilíbrio e também representante dos equinócios da primavera (norte) e do outono (sul).

Espirais Triplas Triskelion / Triskle

Triskelion

Triskle

Significa "três pernas".O número três era considerado sagrado pelos celtas, reforçando o conceito das tríades divinas e dos três reinos: Submundo, Mundo do Meio e Mundo Superior. O triskelion ou triskle também é conhecido por triskele, triqueta ou threefold e possui dois grandes níveis de simbolismo, que são: 1°- Simbologia ligada ao constante movimento de ir, ou seja, a ação, o progresso, a evolução, a criação e os ciclos. 2°- Simbologia ligada às representações da triplicidade: corpo, mente e espírito; terra, céu e mar; passado, presente e futuro; primavera, verão e inverno (antiga divisão das estações), e assim por diante. Para os celtas, os três elementos: terra, céu e mar – compunham o mundo – e por sua vez formavam os três reinos celtas, que eram vistos da seguinte forma: - A Terra que está sob nossos pés, ela nos dá o alimento, nos abriga e nos faz crescer, são as raízes fortes das árvores. - O Céu que está sobre nossa cabeça, ele nos oferece o Sol, a Lua, as estrelas e as chuvas que fertilizam o solo. - O Mar é a água que está em nós, representa o Portal para o Outro Mundo, ela sacia a sede e nos dá a vida, sem a água tudo perece. Esses três elementos são interdependentes, onde cada um possui seu significado próprio, mas que dependem um do outro para continuar existindo, permitido assim, que o mundo também exista. Os três mundos são: - O Outro Mundo: onde os espíritos, Deusas e Deuses vivem. - O Mundo Mortal: onde nós e a natureza vivemos. 81


- O Mundo Celestial: onde as energias cósmicas do Sol, da Lua, do vento e da água se movimentam. As três pontas do triskelion além de associadas ao fluxo das estações representam também os Três Reinos Celtas: Terra, Céu e Mar. Seu movimento, também, pode ser no sentido horário ou anti-horário. Com as mesmas características observadas nas espirais. Onde simbolicamente, o sentido horário representa a expansão e o sentido anti-horário à proteção. De um modo geral este símbolo está associado ao crescimento pessoal, ao desenvolvimento humano, o fluir da consciência e da expansão espiritual.

Triqueta Representa as três faces da Grande Mãe, a energia criadora do universo, cujas três faces são a Virgem, a Mãe e a Anciã. Pode ser interpretada como uma representação do Infinito nas três dimensões ou a Eternidade. Como um enorme poder de proteção, era interpretado como a interconexão e interpenetração dos níveis Físico, Mental e Espiritual. O círculo no meio, assim como no pentagrama, representa a perfeição e a precisão tornando os três níveis em um só.

Threefold É um símbolo que representa as tríades da vida em eterno movimento e equilíbrio(a unidade dos três poderes pelo centro do símbolo): • Nascimento, vida e morte; • Corpo, mente e espírito; • Céu, mar e terra.

Símbolos e seus significados

Ankh

82

É um antigo símbolo egípcio que nos lembra uma cruz encimada por um laço. O Ankh (Cruz com laço ou Cruz Egípcia) simboliza a vida, o conhecimento cósmico, o intercurso sexual e o renascimento. Devemos lembrar que o Deus e a Deusa do maior antigo panteão egípcio são representados portando sempre este símbolo. O Ankh também é conhecido por vários bruxos como "Cruz Ansata”, utilizado em rituais de encantamento, saúde, fertilidade e divinação.


Olho de Hórus

Pentagrama

Selo de Salomão

Suástica

Triângulo

É um outro antigo símbolo egípcio muito usado na feitiçaria moderna. Representa o olho divino do deus Hórus, as energias solar e lunar, e freqüentemente é usado para simbolizar a proteção espiritual, o poder clarividente do Terceiro Olho e também para afastar o mal.

É um dos símbolos pagãos mais poderosos e mais populares entre os Bruxos e Magos Cerimoniais. O pentagrama (uma estrela de cinco pontas circunscrita num círculo) representa os quatro antigos e místicos elementos: fogo, água, ar e terra, superados pelo espírito.

É um antigo e poderoso símbolo mágico. Este símbolo consiste em um hexagrama de dois triângulos entrelaçados, um voltado para cima (processo de evolução - indica a ascensão dos seres quer entendem a se divinizar cada vez mais) e outro para baixo (processo de involução - a involução da energia divina que desce às formas mais boçais). O selo de Salomão simboliza a alma humana, sendo utilizado por bruxos e magos cerimoniais para encantamentos, conjuração de espíritos, sabedoria, purificação e reforço dos poderes psíquicos. É símbolo usado como amuleto para dar sorte; representa o casamento perfeito entre masculino e feminino, compreensão entre sexos.

É um antigo símbolo religioso formado pela cruz grega com braços em ângulos retos. Antes de ter sido adotada pelo nazismo, a suástica era um símbolo sagrado de boa sorte e de saúde na Europa pré-cristã e em muitas outras culturas pagãs em todo mundo, incluindo as orientais, egípcias e tribais das Américas. A palavra suástica origina-se do sânscrito (svastika) que significa "um sinal de boa sorte". Existem milhares de símbolos da suástica pelo mundo e o mais antigo de todos, data do ano 12.000 a.C. É um símbolo de manifestação finita na magia ocidental, sendo usado em rituais para invocar os espíritos quando o selo ou sinal da entidade a ser invocada está no centro do triângulo. O triângulo é equivalente ao número três - número mágico poderoso - e é um símbolo sagrado da Deusa Tríplice: Virgem, Mãe e Anciã. Invertido simboliza o princípio masculino.

É um símbolo sagrado da Deusa e também um símbolo da magia, da energia feminina, da fertilidade, do crescimento abundante e dos poderes secretos da Natureza. É utilizado nas invocações à Deusa e a todas as Lua Crescente 83


deidades lunares (tanto masculinas quanto femininas), na magia da lua, nas celebrações dos Sabbats e nos rituais de cura das mulheres.

Círculo

Imagem altamente potente que não possui princípio e nem fim, um símbolo de unidade, que é usado por muitos bruxos e neopagãos como símbolo sagrado de "yoni” (representando a Deusa e o poder feminino), da energia mágica, da proteção, do infinito, da perfeição e da renovação constante.

É o símbolo da unificação da humanidade com as forças cósmicas. Misericórdia Estrela de Davi Perdão

Justiça

Amor

Bem Verdade

Cruz - Representa os quatro elementos, terra, ar, fogo e água. Banimento - É usado para o banimento da negatividade, sugando e transmutando as más energias. Desenha-se de dentro para fora. Invocação – É utilizado para carregar talismãs.Desenha-se de dentro para fora.

Energia mágica

Purificação

Bênçãos

Paz 84

instrumentos,

Símbolo da bruxa

Fertilidade

Força física e espiritual

Benefício e saúde

amuletos,


Amor

Amizade

Renascimento

Conhecimento psíquico

Para atrair o sono

Para perder peso

Proteção

Casamento

Espiritualidade

Círculo mágico traçado

Para se livrar de ciúmes

Viajem

Proteger 1 criança

Proteger 2 crianças

Proteger 3 crianças

Virgem

Mãe

Anciã

85


Ruína, términos

TERRA - Estabilidade, solidez, prosperidade, sucesso, fertilidade, estruturação, força de vontade. AR – Conhecimento, inspiração, criatividade, harmonia, liberdade, habilidades psíquicas. FOGO – Energia, vigor, purificação, transformação, mudança, paixão, sexualidade, coragem. ÁGUA – Emoção, sentimento, amor, inconsciente, felicidade, simpatia, intuição.

Roda do ano Nós, bruxas e bruxos acreditamos que tudo na vida é cíclico. O mito da Roda do Ano foi a forma encontrada para sacralizar os ritmos da Natureza. Assim, dentro da Roda observamos as mudanças das estações, festivais da colheita e mudanças de fase da Lua, todos ciclos que se complementam e nos sugerem um aprofundamento interior. A Roda do Ano é utilizada em praticamente todas as vertentes da Bruxaria, pois observamos e vivenciamos os ciclos da natureza no geral. As quatro estações do ano são o inverno, a primavera, o verão e o outono. Por estarmos no hemisfério sul, as estações são ao contrário do hemisfério norte. Porém, não é simplesmente inverter. O ideal é observar a natureza do local onde se vive. As estações têm características diferentes, mesmo sendo as mesmas. Assim, é comum vermos em livros as datas dos festivais de acordo com o outro hemisfério. Aqui, quando é verão, é inverno lá, e vice-versa. Dessa forma, é importante prestar atenção em determinados fatos. Os festivais da colheita são festivais essencialmente célticos. Como os povos pagãos eram extremamente ligados à Terra e dependiam da colheita para sobreviver, tudo era celebrado com muita festa e reverência. É importante, para quem está começando agora, 86


estudar com muita atenção as diversas simbologias contidas em tais datas. Os quatro festivais celtas da colheita são Samhaim, Imbolc, Beltane e Lughnasadh. Você verá diversos outros nomes para cada um destes festivais. É normal, pois varia de região para região e também de cada cultura. O nome que você atribuirá depende da vertente que você segue ou se identifica. Esses festivais evoluíram a partir de várias tradições, são sazonais e refletem o ciclo progressivo tanto das sociedades agrárias quanto das sociedades caçadoras. Representam o ciclo anual da Deusa como Donzela, Mãe e Anciã;e o nascimento, casamento, maturação e morte do Deus A Lua apresenta quatro fases e as Bruxas estão sempre ligadas a tais mudanças. Como a Lua esteve sempre relacionada à menstruação, é natural que as mulheres desenvolvam uma conexão mais natural com o satélite. As quatro fases da Lua são: nova, crescente, cheia e minguante. A Lua está intimamente relacionada à Grande Mãe e às suas faces. É importante notar como a Roda do Ano é, na verdade, uma espiral, pois apesar de tais ciclos sempre se repetirem de forma semelhante, nunca são exatamente iguais. Cada um vive os ciclos de uma maneira totalmente diferente da outra. As bruxas e bruxos vêem o ano como um ciclo que sempre muda e nunca chega ao fim. Observe como as datas dos solstícios e equinócios não são certas. Isso porque elas variam de ano para ano. Para saber exatamente, você pode consultar qualquer manual astrológico. Os equinócios são os dias de equilíbrio do ano, quando dia e noite têm a mesma duração. A partir do equinócio de outono, os dias passam a ser mais curtos, e a partir da primavera eles passam a ser mais longos. O dia do solstício de inverno traz a noite mais longa do ano, assim como o de verão traz o dia mais longo.

Sabbats Pronuncia-se “Sabá” e é um festival que celebra a passagem do ano com as estações do ano, épocas de colheita e lactação dos animais.Os quatros Sabbats principais (ou fixos) correspondem ao antigo ano gaélico e são chamados de Imbolc (Candlemas), Beltane, Lammas (Lughnassad) e Samhain. Os quatro menores (ou móveis) são Ostara, Litha, Mabon e Yule. Ao contrário da imagem que muitas pessoas têm do Sabbat dos Bruxos, eles não constituem uma ocasião em que as Bruxas se reúnem para realizar orgias, lançar encantamentos ou preparar poções misteriosas. A magia raramente é realizada, se é que isso acontece, num Sabbat de Bruxos. O Sabbat, infelizmente tem sido confundido também com a “Missa Negra” Satânica ou “Sabbat Negro”, sendo esse outro conceito errado que muitas pessoas têm e que é decorrente de séculos de propaganda antipagã da Igreja, do medo, da ignorância e da imaginação excessiva dos escritores desde a Idade Média. Uma Missa Negra não é um Sabbat de Bruxos, mas uma prática satânica que parodia o principal ritual do Catolicismo e que inclui supostamente o sacrifício de bebês não batizados, orgias sexuais pervertidas e a recitação de trás para frente do “Pai Nosso”. Nada disso jamais acontece nos Sabbats dos Bruxos. Não há sacrifícios (humano ou animal), não há o que chamam de magia negra, não há rituais anticatólicos. Os Sabbats são apenas datas em que os pagãos celebram a vida e tudo que nela existe, celebram a Natureza, dançam, cantam, deleitam-se com alimentos pagãos e honram as deidades da Religião Antiga (principalmente a Deusa da Fertilidade e Seu Consorte, o Deus). Em certas tradições, a Deusa é adorada nos Sabbats de Primavera e do Verão, enquanto o Deus é homenageado 87


nos Sabbats do Outono e do Inverno. A celebração de cada Sabbat é uma experiência espiritual intensa e sublime que nos permite permanecer em equilíbrio harmonioso com as forças da Mãe Natureza.

Como eu pronuncio o nome de cada Sabbat? Samhaim: “sôu-êin” Yule: “iúle” Imbolc ou Candlemas: “imbôlc” Ostara: “ostára” Beltane: “beltêine” Litha: “líta” Lammas/Lughnasadh: “lâmas”/ “Lunasá” Mabon: “mêibon”

Qual a importância da celebração dos Sabbats? - a sua conexão com a Natureza; - a prática da religião; - introspecção; - autoconhecimento; - percepção do mundo à sua volta; - celebrar a mudança das estações; - vivência dos ciclos; Entre muitos outros fatores. São inúmeros.

Calendário dos Sabbats no Hemisfério Sul Lammas ou Lughnasadh – Significa “mês de agosto”em gaélico-

1º de Fevereiro

irlandês. Era tipicamente uma festa agrícola, onde se agradecia pela primeira colheita do ano. Lugh é o Deus Sol. Na Mitologia Celta, ele é o maior dos guerreiros, que derrotou os Gigantes, que exigiam sacrifícios humanos do povo. A tradição pede que sejam feitos bonecos com espigas de milho ou ramos de trigo representando os Deuses, que nesse festival são chamados Senhor e Senhora do Milho. Nessa data deve-se agradecer a tudo o que colhemos durante o ano, sejam coisas boas ou más, pois até mesmo os problemas são veículos para a nossa evolução. O outro nome do Sabbat é Lammas, que significa "A Massa de Lugh". Isso se deve ao costume de se colher os primeiros grãos e fazer um pão que era dividido entre todos.

Plantas/ervas/frutos: flores da acácia, aloés, olíbano, nozes, cerejas, arroz, cevada, urze, murta, girassol, milho, aveia, trigo, amoras, maçãs, além de todos os grãos e frutos maduros da estação. Comidas típicas: pães caseiros, bolos de cevada, cordeiro assado, além de tortas e outros pratos feitos a partir dos frutos da estação. Bebidas típicas: vinhos, cervejas, chás e sidras, além de sucos e outras bebidas preparadas a partir dos frutos da estação. 88


Incensos: acácia, aloé, olíbano, rosa e sândalo. Cores: laranja e amarela. Pedras: aventurina, citrino, peridoto e sardônia. Deuses geralmente representados: Lugh, Baco, Apolo, Rá, Ceres, Deméter, Mani, Urihi, Kupeirup, Iaçá, Danu, Gaia, Pele, Brigit, Uzume, e os demais deuses e deusas da colheita, fartura e proteção. Algumas sugestões de jogos de Lammas: • Corrida com três pernas • Corrida com ovo na colher • Corridas de revezamento em equipe • Braço-de-força (em homenagem ao Deus)

Mabon - No Panteão Celta, Mabon, também conhecido como 20 de Março (equi nóci o de Outo no)*

Angus, era o Deus do Amor. Nessa noite devemos pedir harmonia no amor e proteção para as pessoas que amamos. Esta é a segunda colheita do ano. Este é o Festival em que devemos pedir pelos que estão doentes e pelas pessoas mais velhas que precisam de nossa ajuda e conforto. Também é nesse festival que homenageamos as nossas antepassadas femininas.

Plantas/ervas/frutos: flores de acácia, benjoim, madressilva, malmequer, mirra, folhas e cascas de carvalho. Comidas típicas: maçãs, nozes, castanhas, amêndoas, milho, amoras pretas, jabuticabas, cravo, além de pães, tortas e outros pratos feitos a partir dos frutos da estação. Bebidas típicas: vinhos, cervejas, sidras, além de sucos e outras bebidas preparadas a partir dos frutos da estação (em especial a maçã). Incensos: cravo, patchouli, mirra, maçã, benjoim e sálvia. Cores: marrom, verde, laranja e amarela. (Cores outonais no geral). Pedras: cornalina, lápis-lázuli, safira e ágata amarela.

Samhain – Significa “mês de novembro” em gaélico-irlandês.É o

1º de Maio

Ano-Novo dos bruxos. É a festa na qual se honra os ancestrais e àqueles que já tenham partido para o País do Verão. Essa é a noite em que o véu que separa o mundo material do mundo espiritual encontrase mais fino e o contato com nossos ancestrais torna-se mais fácil. É também o momento tradicional para celebrar (com ponches, bolos, doces, brincadeiras, danças e músicas) a última das colheitas e se preparar para o Verão. O poder de magia pode ser sentido no ar, nessa noite. O Outro Mundo se coaduna com o nosso conforme a luz do Sol baixa e o crepúsculo chega. Os espíritos daqueles que já partiram para o outro plano são mais acessíveis durante a noite de Samhain. É o dia 89


ideal para honrar os mortos, pois nele os véus que separam os mundos estão mais finos. Aqueles que morreram no ano passado e aqueles que estão reencarnando passam através dos véus e portais nesse dia. Os Portões das Sidhe (pequenas colinas ou montes de terra imaginados como o lar de um povo sobrenatural de espíritos da natureza vinculado às fadas, elfos) estão abertos e nem humanos nem fadas precisam de senhas para entrar e sair. É um festival do fogo e é a entrada para a parte sombria e fria da Roda do Ano. É em Samhain que as fogueiras são acesas para que os espíritos do outro mundo possam encontrar os caminhos para partirem ao Outro Mundo (País de Verão). Na mitologia Celta essa palavra significa "Sem Luz", pois, nessa noite, o Deus morreu e o mundo mergulha na escuridão. A Deusa vai ao Mundo das Sombras em busca do seu amado, que está esperando para nascer. Eles se amam, e, desse amor, a semente da luz espera no Útero da Mãe, para renascer no próximo Solstício de Inverno como a Criança da Promessa.

Plantas/ervas/frutos: nós-moscada, sálvia, menta, mirra, patchuli, artemísia, alecrim, musgo, calêndula, louro, mandrágora, bolotas, giesta, maçãs beladona, dictamo, fetos, linho, fumária, urze, verbasco, folhas do carvalho, abóboras, sálvia e palha. Comidas típicas: beterrabas, nabos, milho, castanhas, gengibre, cidra e pratos com abóboras e pratos com carne. Bebidas típicas: sidra, chá preto, vinho branco. Incensos: mirra, sálvia, carvalho ou cedro. Cores: preto e laranja Pedras: obsidiana, floco de neve, ônix, cornalina, turmalina negra, âmbar, granada, hematita.

21 de Junho (solstício de inverno)*

Yule – Provavelmente vem da palavra escandinava “iul”, que significa “roda”. Na mitologia celta, a Deusa dá à luz o Deus, que é reverenciado como criança prometida. Nesse Sabbat os bruxos dão adeus à Grande Mãe e bendizem o Deus renascido que governa a “metade escura do ano”.

Plantas/ervas/frutos: louro, fruto do loureiro, cardo santo, cedro, camomila, sempre-viva, olíbano, azevinho, junípero, visco, musgo, carvalho, pinhas, alecrim e sálvia. Comidas típicas: carne de porco, castanhas, frutas como a maçã e pêra, bolos de castanhas embebidos de cidra. Bebidas típicas: chás de gengibre ou hibisco, vinho quente, sopa. Incensos: louro, cedro, pinho e alecrim. Cores: dourada, verde, vermelha, branca. Pedras: olho-de-gato e rubi.

90


Imbolc ou Candlemas (candelária) – Significa “em leite” e diz respeito ao período de lactação das ovelhas. Apesar de ainda ser inverno, este festival é dedicado ao aumento da luz ao despertar das sementes enterradas na terra congelada. Simboliza a recuperação da Deusa após o parto da criança divina que nasceu no solstício de inverno, o Deus Sol, transformando-se em uma Donzela jovem e 1º de Agosto cheia de vigor. Na véspera do Sabbat, todos os fogos e luzes eram apagados para serem acesos, ritualisticamente, mais tarde, com as brasas das fogueiras dedicadas à Brigit. Eram colocadas “cruzes solares” de proteção em cima das portas e janelas da casa. Eram feitas de palha e representavam o olhar protetor da Deusa, vigiando e protegendo a casa. As crianças eram abençoadas por Brigit colocando fitas verdes ao redor de seus pescoços, dando vários nós enquanto o nome da Deusa era pronunciado com orações de proteção. Era costume abençoar a terra com leite, para que as plantas crescessem férteis. Isso ainda pode ser feito em nosso jardim, sempre pedindo as bênçãos da Deusa. Plantas/ervas/frutos: flores frescas. Comidas típicas: pães e comidas à base de leite. Bebidas típicas: leite, cerveja, chás. Incensos: sândalo, cravo ou canela. Cores: branca, amarela e azul.

Ostara - A duração do dia e a noite se fazem iguais, é, portanto uma 22 de Setembro (equinócio da primavera)*

data de equilíbrio e reflexão. Ostara é o Festival em homenagem à Deusa Oster, senhora da fertilidade, cujo símbolo é o coelho. Os bruxos acendem fogueiras novas ao nascer do sol, se alegram, tocam sinos e decoram ovos cozidos com símbolos e eram lançados ao fogo ou enterrados como oferendas à Deusa. Bolos de mel e as primeiras frutas da estação em ponche de leite são também alimentos tradicionais neste Sabbat.

Plantas/ervas/frutos: bolota, quelidônia, cinco-folhas, crocus, narciso, corniso, lírio-dapáscoa, madressilva, íris, jasmim, rosa, morango, atanásia e violetas. Comidas típicas: bolos, chocolates, ovos cozidos, bolos de mel, cremes, pães, saladas, primeiras frutas da estação em ponche de leite. Bebidas típicas: vinho, chá de flores, iogurte. Incensos: violeta africana, jasmim, rosa sálvia e morango. Cores: dourada, verde, amarela. Pedras: ametista, água-marinha, hematita, jaspe vermelho.

91


Beltane - Beltane é o mais alegre e festivo de todos os Sabbaths. O

1º de Novembro

Deus, que agora é um jovem no auge da sua fertilidade, se apaixona pela Deusa, que em Beltane se apresenta como a Virgem e é chamada "Rainha de Maio". Em Beltane se comemora esse amor que deu origem a todas as coisas do universo. Belenus é a face radiante do Sol, que voltou ao mundo na Primavera. Em Beltane se acendem duas fogueiras, pois é costume passar entre elas para se livrar de todas as doenças e energias negativas. Nos tempos antigos, costumava-se passar o gado e os animais domésticos entre as fogueiras com a mesma finalidade. Uma das mais belas tradições é o MAYPOLE, ou MASTRO DE FITAS. Trata-se de um mastro enfeitado com fitas coloridas. Durante um ritual, cada membro escolhe uma fita de sua cor preferida ou ligada a um desejo. Todos devem girar trançando as fitas, como se estivessem tecendo seu próprio destino, colocando-os sob a proteção dos Deuses. É costume pagão jamais se casar em Maio, pois esse mês é dedicado ao casamento do Deus e da Deusa.

Plantas/ervas/frutos: amêndoa, angélica, freixo, campainha, cinco-folhas, margarida, olíbano, espinheiro, hera, lilás, malmequer, barba-de-bode, prímula, rosas, raiz satyrion, aspérula e primaveras amarelas. Comidas típicas: bolo de mel, frutas vermelhas. Bebidas típicas: vinho. Incensos: olíbano, lilás e rosa. Cores das velas: verde escuro. Pedras: esmeralda, cornalina laranja, safira, quartzo rosa.

Litha - Após a união da Deusa e do Deus em Beltane, O Deus está

21 de Dezembro (solstício de verão)*

92

adulto, um homem formado, e tornou pai dos grãos. Em sua plenitude, ele traz o calor do verão e a promessa total de fertilização com o sucesso do enlace feito com a Deusa. Sendo o auge do Deus, também prenuncia o seu declínio, nesse momento o Deus, após cumprir a sua função de fertilizador, dá seu último beijo em sua amada e caminha ao país do Verão (Outro Mundo), utilizando o Barco da Morte para morrer em Samhain. Nesse dia o Sol atingiu a sua plenitude. É o dia mais longo do ano. Fadas, duendes e toda a sorte dos elementais correm pela Terra, celebrando o fervor da vida. É hora de pedirmos coragem, energia e saúde. Nos tempos antigos, a data era comemorada com jogos e festivais, onde o corpo e o físico eram reverenciados. Os Bruxos colhem as ervas mágicas para encantamentos e poções, pois acredita-se que o poder inato das ervas é mais forte nesse dia. É o momento ideal para as divinações, os rituais de cura e o corte de varinhas divinas e dos bastões. Todas as formas de magia (especialmente as do amor) são também extremamente potentes na véspera do Solstício do Verão, e acreditase que aquilo que for sonhado nessa noite se tornará verdade para


quem sonhar. Os alimentos tradicionais desse Sabbat são vegetais frescos, frutas do verão, pão de centeio integral, cerveja e hidromel. Plantas/ervas/frutos: camomila, cinco-folhas, sabugueiro, funcho, cânhamo, espera, lavanda, feto masculino, artemísia, pinho, rosas, erva-de-são-joão, tomilho selvagem, glicínia e verbena. Comidas típicas: vegetais frescos, frutas do verão, pão de centeio integral. Bebidas típicas: cerveja, hidromel. Incensos: olíbano, lilás e rosa. Cores das velas: verde escuro. Pedras: esmeralda, cornalina laranja, safira, quartzo rosa.

Calendário dos Sabbats no Hemisfério Norte 1º de Agosto 22 de Setembro 31 de Outubro 21 de Dezembro 2 de Fevereiro 20 de Março 1º de Maio 21 de Junho

Lamma Mabon Samhain – Daí que surge o Halloween. Yule - Daí que surge o Natal e o nascimento de Jesus. Imbolc Ostara – Daí que surge a Páscoa. Beltane Litha

* Sabbats móveis – são eventos astrológicos que podem mudar o dia de acordo com cada ano. Assim sendo, consultar todo ano as datas dos equinócios e solstícios.

Sugestões de Receitas para cada Sabbat Lembre-se que as receitas deverão ser feitas e não compradas prontas em uma padaria, por exemplo. Prefira sempre pelos ingredientes mais naturais possíveis. Para cada Sabbat uma sugestão principal, sendo que Lammas, Mabon e Ostara são receitas principais e os Sabbats restantes podem substituir por outras receitas de acordo com as comidas e bebidas típicas.

Lammas ou Lughnasadh Pão de Lammas O preparo desse pão começa quatro dias antes da cerimônia. Ponha dentro do seu Cálice grãos de cevada (representando a cor branca), trigo (representando a cor vermelha) e centeio (representando a cor negra) em tigelas pequenas sobre o Altar junto com o seu Cálice. Faça uma lista de boas coisas que você recebeu no ano que passou e agradeça pedindo pela multiplicação no próximo ano. Pegue uma pitada de cada um dos três grãos e 93


ofereça à Virgem, à Mãe e à Anciã, agradecendo-lhes e declare sua vontade de ver as bênçãos multiplicadas no próximo ano. Durante três dias, verta água sobre as sementes, escoando dia e noite e esperá-las brotar. Um dia antes de Lammas, coloque seu Cálice ao Sol, assim os brotos começarão a germinar. Eles serão utilizados na preparação do pão de Lammas. Então comece a fazer o pão no dia da celebração de Lammas. Numa panela coloque: - Meia xícara de chá de aveia - Meia xícara de chá de milho cozido - Duas xícaras de chá de água fria - Uma colher de sopa de sal Cozinhe por cinco minutos até formar um mingau. Adicione duas colheres de sopa de manteiga e meia xícara de chá de melado (para afazer um pão escuro) ou mel (para fazer um pão claro). Deixe esfriar a parte. Dissolva uma colher de sopa de açúcar em meia xícara de chá de água. Coloque uma colher de levedura seca na água. Deixe descansar por 10 minutos. Quando a levedura estiver como uma cobertura fofa sobre a água, mexa rapidamente com um garfo para misturar. Adicione o mingau e mexa em duas xícaras e meia de chá de farinha de trigo. Bata vigorosamente durante cinco minutos. Misturando dessa forma, você irá formar o glúten que dá ao pão uma textura elástica. Adicione os brotos. Adicione mais duas xícaras e meia de chá de farinha de trigo. Vire a massa sobre uma superfície polvilhada com farinha. Adicione outra xícara de chá de farinha se a massa estiver pegajosa. Cante cânticos apropriados ou algo alegre, enquanto vai amassando e medite agradecendo pela colheita do ano. Amolde a massa formando uma bola lisa e coloque em uma tigela untada com manteiga. Cubra a tigela com uma toalha úmida. Deixe a massa subir e dobrar de volume; isso leva de uma hora e meia a duas horas. Divida a massa em cinco partes iguais. Transforme cada parte em um redondo pão plano e pincele com manteiga derretida. Se desejar, você pode traçar símbolos mágicos na massa dos pães com uma faca afiada. Deixe-os crescer debaixo da toalha úmida durante mais 45 minutos. Asse a 350 graus durante 25 a 30 minutos. Enquanto você come o pão no seu ritual, medite nos presentes que você recebeu.

Mabon Pão de mabon - 3/4 Chávena de água - 1/2 Chávena de mel - 1/2 Chávena de limão finamente cortado - 1/2 Chávena de açúcar - 2 c. sopa de sementes de anis - 2 e1/3 Chávenas de farinha - 1 e 1/2 colher (café) de fermento - 1 colher (café) de noz-moscada - 1 colher (café) de canela - ¼ colher (café) de pimenta da Jamaica - 1 Pitada de sal Ferva a água num tacho. Acrescente o mel, o limão, o açúcar e as sementes de anis. Mexa até o açúcar estar completamente dissolvido e retire do lume. Acrescente a farinha, o fermento, o sal e a pimenta à mistura. Bata a massa para obter um pão com cerca de 20cm de comprimento, 12cm de largo e 7-8cm de espessura. Ponha no forno quente a 350º graus durante uma hora. 94


Samhain Pumpkin Pie - Torta de Abóbora Crosta: 1 1/2 xícara de farinha de trigo (simples sem fermento ou especial) 1/3 xícara de água fria 3/4 e1 xícara de gordura vegetal Misture o trigo e a gordura primeiramente. Use um garfo para "cortar" a gordura pra dentro do trigo. Misture e adicione a água que precisar aos poucos usando os dedos para "chuviscar" até a massa ter uma consistência. Trigo em geral tem níveis diferentes de umidade então acrescenta a água devagar, misturando, e só água suficiente que a massa aglomera em grânulos tamanho de ervilha. Achatar a massa. Utilize um saco plástico grande. Utilizando um rolo espalhe a massa até tiver uma grossura uniforme. Coloque a casca na panela e vai moldando no formato da panela. Não se preocupe se a massa quebrar isto pode ser tampado com os restos da massa. Se quiser pode separar um pouco da massa para decoração. Recheio: 1 xícara de açúcar 1 1/2 colher de chá de canela em pó 1 colher de chá de cravo da Índia em pó 1/2 colher de chá de gengibre em pó 4 de ovos 3 xícaras de purê de abóbora 1 1/2 latas de leite condensado Bata bem com a batedeira. Coloque a mistura na crosta enchendo até pouco mais da metade. Assar por 15 minutos a 200 graus, depois abaixar o forno (175 graus) e assar por mais 45 a 60 minutos.

Yule Kleinur de Yule (biscoitos de raio de sol) 900g de farinha de trigo 240g de açúcar branco 60g de margarina 1 colher (das de chá) de extrato de baunilha 1/2 colher (das de chá) de bicarbonato de sódio 5 colheres (das de chá) de fermento em pó 1/2 litro de leite 1 ovo

95


Misture a margarina na farinha e depois o ovo e os outros ingredientes secos. Abra um buraco na massa e coloque o leite e o extrato (ou essência comestível) de baunilha, misturando até obter uma massa homogênea, lisa e sem caroços. Deixe a massa repousar por aproximadamente duas horas e estique-a em uma superfície lisa com um rolo de macarrão. Corte com uma xícara de café ou cortador para que os biscoitos fiquem redondos e, com um palito de dente, faça raios de saem do centro do biscoito, imitando os raios solares. Pincele com gema de ovo e coloque-os em uma assadeira untada com manteiga ou margarina e farinha de trigo e leve ao fogo médio até assar.

Imbolc Muffins de Queijo - 300 g de farinha - 1 colher de sobremesa de açúcar - 1 colher de sopa de fermento em pó - 1 colher de café de sal - 1 copo de iogurte natural - 1 ovo - 5 colheres de sopa de óleo - 200 g de mussarela ralada Peneire a farinha de trigo com o fermento em pó, o açúcar e o sal. Reserve. Em outra tigela bata o ovo com o óleo, o iogurte e misture bem. Junte os ingredientes secos e misture bem. Junte a mussarela e coloque nas forminhas. Leve ao forno 180° por 20 minutos.

Ostara Ovos recheados Comer ovos no Equinócio da Primavera é o equivalente a estar ingerindo a energia PURA de OSTARA! 8 ovos cozidos 2 xícaras de maionese 1 colher (sobremesa) rasa de açúcar 1/2 xícara de vinagre de maçã Tomilho fresco ou manjericão (à vontade) Agrião (à vontade) Coloque os ovos para serem cozidos em água fervente por mais ou menos 25 minutos. Descasque os ovos e corte longitudinalmente. Escave as gemas dos ovos e triture-as ou misture-as em um liquidificador com a maionese, o açúcar e o vinagre. Bata até ficar bem cremoso. Encha as claras cozidas (de onde escavou as gemas) com a massa, usando uma bolsa de confeiteiro ou colocando o recheio cuidadosamente com uma colher de chá. Enfeite os ovos com o tomilho ou manjericão e decore o prato com as folhas de agrião. 96


Beltane Bolo de Mel 2 xícaras (chá) de farinha de trigo 3 colheres (sopa) de manteiga 1 xícara (chá) de mel 3 ovos 3 colheres (sobremesa) de fermento em pó

Coloque o mel e a manteiga ou margarina na vasilha da batedeira. Bata. Desligue. Junte os ovos e bata mais uma vez. Desligue. Adicione a farinha e volte a bater. Desligue. Coloque o fermento peneirado. Coloque em assadeira redonda de anel no centro (nº22) untada e polvilhada. Leve ao forno pré-aquecido (180ºC) por cerca de 20 minutos. Retire do forno e deixe esfriar. Espalhe a cobertura. Decore com fios de ovos, cerejas e granulado ou a gosto.

Litha Pão de Centeio Integral 250g de farinha de trigo 250g de centeio 25g de açúcar mascavo 10g de sal 20g de fermento biológico fresco 50g de margarina 500 ml de água Coloque numa bacia ou na batedeira, 50 gramas de farinha de trigo, o fermento e um pouquinho de água. Faça uma esponja e deixe descansar por 15 minutos. Após este descanso, adicione o restante dos ingredientes e faça uma massa bem macia. Deixe-a descansar durante uns 40 minutos. Após este descanso, faça os modelos, coloque-os em assadeiras levemente untadas, pincele com ovos batidos e espere o crescimento até quase atingir o seu dobro. Após tudo pronto, torne a pincelar com ovos e leve para assar. A temperatura do forno deve ser de 200 graus.

Abaixo estão outras sugestões de receitas. Sendo assim, consulte o Calendário para saber quais receitas fazem parte de cada Sabbat.

97


Bebida mágica de Mabon Essa bebida sagrada tem um significado profundo. A maçã rege o coração, a sidra representa o eu, por si só já é uma poção de amor. Mas quando misturada com canela, que é governada pelo Sol, representa a essência solar e, ao ingerirmos esta bebida, é como se estivéssemos ingerindo a própria luz do Sol. A bebida mágica de Mabon consiste de: - sidra de maçã quente - canela - pequenas rodelas de maçã

Limonada simples Ingredientes: - limão - mel - água gelada Modo de Preparo: Cortar e espremer o limão na hora. Juntar água gelada. Adoçar com mel, a gosto.

Hidromel O hidromel é uma bebida consumida desde a Antiguidade, antes mesmo do vinho e da cerveja. Na Grécia clássica se chamava “melikraton” e pelos romanos era conhecida pelo nome “agua mulsum”, ainda que esta possa ser uma variante feita com vinho de uva adocicado com mel. Foi Aristeu quem criou a primeira fórmula do hidromel. Outras culturas antigas consumidoras desta bebida foram os celtas, os saxões e os vikings. Também era conhecido o consumo de uma bebida similar pelos maias. Existia a tradição de que os casais recém casados deveriam consumir esta bebida durante o primeiro ciclo lunar após as bodas para nascer um filho varão. Daí surgiu a tradição atual da lua de mel. Na Mitologia Nórdica, o hidromel aparecia como a bebida favorita dos Deuses. Ingredientes: - 1 litro de chá mate - 1 limão grande - 1/2 copo de mel Modo de Preparo: Enquanto o chá estiver quente, adicionar algumas lascas de limão. Deixar esfriar e coar. Adicionar o mel e o suco de limão. Colocar gelo à vontade. É saudável e mata a sede.

Muffins de maçã e amora Uma receita perfeita para dar uma dose extra de proteção ao seu relacionamento amoroso. As amoras contidas nestes muffins possuem uma boa dose de antocianidina, o 98


pigmento azul-avermelhado que aumenta a circulação sangüínea do cérebro, contribuindo para uma boa memória, acuidade mental e capacidade de aprendizado. As frutas vermelhas, como a amora, são ricas em antocianidina, uma substância química natural que confere à fruta sua cor intensa. Estudos demonstram que ela melhora a atividade cerebral, incluindo a memória. As frutas vermelhas, como amoras e morangos, são bem cotadas na comunidade científica por serem a melhor proteção antioxidante para o cérebro em desenvolvimento das crianças. As maçãs são conhecidas desde a Antiguidade pelas suas propriedades mágicas ligadas ao amor. A amora confere proteção. Ingredientes: - 115 g de manteiga - 55 g / 1/4 de xícara de açúcar mascavo - 2 ovos - 1/2 colher (chá) de canela em pó - 2 colheres (sopa) de geléia de laranja - casca ralada de 1 laranja - 115 g / 1 xícara de farinha de trigo com fermento - 115 g / 1 xícara de aveia em flocos - 1 maçã sem sementes e ralada com a casca - 115 g / 1 xícara de amoras Modo de Preparo: 1- Pré-aqueça o forno a 200ºC. Bata a manteiga com o açúcar e acrescente os ovos, a canela, a geléia e a casca de laranja aos poucos, mexendo sempre. 2- Junte a farinha e a aveia, batendo até a massa ficar uniforme. Acrescente a maçã e as amoras e misture delicadamente. 3- Coloque colheradas da massa em forminhas de empadinha, cobrindo pouco mais da metade. Asse por 20 a 30 minutos até que estejam dourados. 4- Retire e deixe esfriar. Rendimento: 12 muffins Conservação: Pode ser guardado por até 1 semana em um pote hermeticamente fechado.

Muffins de milho Receita boa para fazer em dias frios, esses muffins podem ser servidos com caldos ou sopas e adoçados com mel sobre eles. Você também pode adicionar 1/2 xícara do queijo de sua preferência à sua mistura antes de cozinhar. Ingredientes: - 1 pacote de mistura para muffin - 1/3 de xícara de leite - 1 ovo - 1/4 de colher de chá de segurelha seca e moída Modo de Preparo: Misture o preparado para muffin, o leite, os ovos e a segurelha, até que os ingredientes secos estejam levemente umedecidos. Coloque em formas para muffins untadas, enchendo-as até a metade. Cozinhe a 150ºC durante 20 minutos. Rendimento: 8 muffins.

99


Quiche da colheita Ingredientes: - 2 maçãs, descascadas e fatiadas - 2 tabletes de manteiga - Queijo cheddar ralado a gosto - Massa para tortas (pode ser das industrializadas se não souber fazer) - 1 colher (sobremesa) de açúcar branco - 1 colher (chá) de canela - 4 ovos grandes inteiros - 1 1/2 xícaras de creme de leite Modo de Preparo: Deixe a maçã fritar na manteiga durante cinco minutos. Salpique açúcar e canela em cima das maçãs. Recheie a massa de torta com as maçãs. Bata os ovos junto com o creme de leite. Espalhe em cima da torta. Salpique o queijo sobre a torta (já fechada). Asse até que doure, por mais ou menos 35 minutos.

Maçãs assadas Ingredientes: - 6 Maçãs vermelhas - 6 colher (sopa) de mel - 4 colher (café) de canela moída - 1 cálice de vinho do porto Modo de Preparo: Corte as maçãs ao meio, retire o caroço e disponha-as numa assadeira. Misture o mel, a canela e o vinho do porto e pincele as maçãs, leve ao forno cerca de 20 minutos e pronto.

Strudel de Maçã Massa: - 220g de farinha de trigo - 2 Ovos - 1/2 c. sopa de manteiga - 1 Pitada de sal - 4 c. sopa de água Recheio: - 1kg de maçãs - 4 c. sopa de açúcar - 3 c. sopa de amêndoas raladas - 1/2 xícara de passas de uva - 1 c. sopa de manteiga Modo de Preparo: Comece por fazer a massa, numa tigela coloque os ingredientes todos e trabalhe a massa com as pontas dos dedos, vá colocando aos poucos a água e deixe repousar durante meia hora num lugar quente. Abra o papel filme sobre a mesa, polvilhe farinha, abra a massa com o rolo o mais fino possível. Coloque as maçãs sobre a massa estendida, vão-se dispondo as maças cortadas bem fininho e polvilhadas com açúcar e canela, bem como as passas, as amêndoas raladas e alguns 100


pedaços de manteiga. As maçãs devem cobrir assim toda a superfície da massa. Com o auxilio do papel filme, vai enrolando o strudel. Coloque-a numa assadeira untada com manteiga. Pincele com uma gema e leve-o para assar em forno médio durante 40 minutos. A seguir, corte em fatias e sirva quente.

Aperitivo de figo Ingredientes: - 1 Litro de vinho Rosé; - 8 Figos secos; - 2 Amêndoas; - 1 Cálice de aguardente; - 1 Pau de baunilha; - 200g. de açúcar; - 2 Copos de água; Modo de Preparo: Deixe os figos macerando no vinho Rosé durante 10 dias. Passados esses dias, filtre a mistura. Em fogo brando, derreta o açúcar na água, acrescente a preparação filtrada e deixe cozer durante 10 minutos. Misture bem e junte a aguardente, a baunilha e as amêndoas. Deixe descansar durante um mês. Filtre de novo para engarrafar e deixe envelhecer alguns tempos às escuras antes de provar com moderação.

Bolo Bretão A característica deste bolo é que ele conserva-se vários meses. Ingredientes: - 7 Gemas de ovos, (entre as quais uma será para a decoração) - 250g de manteiga com sal em temperatura ambiente - 250g de açúcar - 450g de farinha - 1/2 Pacote de fermento - 1 Pitada de sal - 1 Pequeno cálice de Rum Modo de Preparo: Ponha a farinha num recipiente grande, seguidamente acrescente o sal e o fermento, misture tudo e acrescente o açúcar. Separe as claras das gemas e acrescente 6 gemas ao preparado. Misture e acrescente o cálice de Rum. Corte a manteiga em pequenos cubos, junte-a ao preparado misturando bem, até ficar numa bola bem homogênea. Colocar seguidamente a massa na forma e com uma colher de pau igualize-a para que fique toda ao mesmo nível. Por último pincele a parte de cima com a gema do ovo que sobrou e com um garfo faça algumas decorações em zigue zague ou até mesmo umas decorações da época. Coloque a placa, (não a grelha), no meio do forno e ponha o bolo a cozer a uma temperatura de 180º, durante 50min. A cozedura deve ser muito precisa, pouco tempo o bolo ficará compactado, muito tempo o bolo ficará demasiado seco.

Pudim de mel Ingredientes: 101


- 1/2 quilo de farinha de rosca - 2 copos de mel - 6 ovos - 1 pacotinho de canela Modo de Preparo: Misturar tudo até obter massa bastante mole; levar ao forno quente durante meia hora; esfriar e colocar na geladeira.

Apple Crumble .Ingredientes: - 3 ou 4 maçãs grandes (opte pelas mais farinhentas) - 150g de farinha - 100g de açúcar em pó (confeiteiro) - 150g de manteiga Modo de Preparo: Comece preparando um pouco de caramelo numa panela. Corte as maçãs em fatias muito finas. Disponha-as num refratário e cobre-as com o caramelo. Prepare a massa, misturando a farinha com o açúcar em pó e acrescente a manteiga cortada em pequenos cubos. Misture tudo de modo a obter um resultado granulado. Por último, cubra as maçãs com a mistura obtida e ponha a cozer a forno médio durante cerca de 50 minutos. Estas devem ficar douradas.

Bebida de iogurte Ingredientes: - 1l de iogurte natural - 6 cubos de gelo - 6 colheres de sopa de mel ou açúcar mascavo - 2 colheres de sopa de água de rosas ou 4 gotas de essência de rosas Modo de Preparo: Coloque o iogurte, a água de rosas e o mel num liquidificador e bata. Acrescente os cubos de gelo e misture até que o iogurte esteja batido.

Bolinhos de talos de agrião Ingredientes: - talos de agrião cortados em rodelinhas (o equivalente a 1/2 xícara) - 2 ovos - 5 colheres (sopa) de farinha de trigo - meia cebola média - sal a gosto Modo de Preparo: Misture todos os ingredientes numa tigela e frite em óleo quente, em pequenas porções de cada vez. Rende 10 bolinhos.

102


Sopa de agrião Ingredientes: - 4 batatas - 1 copo de folhas de agrião bem lavadas - 1 litro de caldo de carne - 1 colher (sopa) de margarina Modo de Preparo: Descasque as batatas e cozinhe-as no caldo de carne. Quando estiverem macias, amasse-as bem e torne a juntá-las ao caldo. Deixe ferver. Coloque o agrião no fundo da terrina. Tire o caldo do fogo, junte a margarina e despeje fervente sobre o agrião. Sirva imediatamente. Rende três porções.

Abóbora Recheada Ingredientes: - meia abóbora japonesa média - 1 colher (chá) de óleo - meia cebola picada- 1 colher (chá) de sal - 250 g de queijo minas frescal light cortado em cubos pequenos - 250 g de peito de peru light cortado em cubos pequenos - 1 xícara (chá) de maionese light - 1 colher (chá) de salsinha picada 2 claras - 1 colher (sopa) de queijo parmesão light ralado

-

Modo de preparo: Retire as sementes da abóbora. Em uma panela grande, coloque a abóbora, cubra com água e cozinhe por 30 minutos ou até ficar macia. Escorra, retire com cuidado a polpa e reserve a casca. Pré-aqueça o forno em temperatura média (180°C). Em uma panela média, aqueça o óleo em fogo médio e doure a cebola. Junte a polpa da abóbora reservada e o sal, refogando por 2 minutos. Acrescente o queijo, o peito de peru, metade da maionese light e a salsinha. Misture e transfira para a abóbora reservada. Coloque-a em uma assadeira média (33 x 23 cm) e reserve. Na batedeira, bata as claras em neve. Misture delicadamente o restante da maionese light, sem bater. Espalhe sobre o recheio da abóbora e polvilhe o queijo ralado. Leve ao forno por 20 minutos ou até dourar. Sirva em seguida. Se preferir, misture ao recheio da abóbora 50 g de mussarela light ralada. A abóbora japonesa é redonda e também conhecida como abóbora cabochã.

Abóbora Gratinada Ingredientes: - 2 colheres (sopa) de manteiga - 1 unidade de cebola picada - 1 dente de alho amassado - 1 kg de abóbora japonesa em cubos médios - 200g de champignon em conserva fatiado - quanto baste de sal - quanto baste de pimenta-do-reino branca -1 lata de creme de leite - 1/2 xícara (chá) de ricota 103


- quanto baste de noz-moscada - 1 colher (sopa) de salsinha picada - 2 colheres (sopa) de queijo ralado Modo de Preparo: Em uma panela, derreta a manteiga e refogue a cebola e o alho. Junte a abóbora e deixe refogar até que fique cozida, porém, firme. Se necessário, pingue água durante o cozimento. Acrescente o champignon e cozinhe mais um pouco. Corrija o sal, mexa e reserve. Bata no liquidificador o creme de leite, a ricota e o sal. Tempere com a noz-moscada e a salsinha e reserve. Pegue um refratário e coloque camadas de abóbora refogada e do creme de ricota, terminando com o creme. Polvilhe o queijo ralado e leve ao forno até que esteja gratinado.

Pão de Milho de Mabon Ingredientes: - 250ml (1 xícara) de farinha de milho - 125ml (1/2 xícara) de farinha de trigo - 10ml (2 colher de chá) de fermento em pó - 5ml (1 colher de chá) de sal - 60ml (1/4 xícara) de manteiga - 2 Ovos - 250ml (1 xícara) de leite Modo de Preparo: Aqueça o forno a 200ºc, unte a forma (que tenha pelo menos cerca de 20cm de largura). Numa terrina misture as farinhas, o fermento o sal e a manteiga, previamente derretida, e misture tudo. Num outro recipiente bata os ovos com o leite. Com a ajuda de uma colher de pau, incorpore a mistura dos ovos e do leite às farinhas e mexa ate obter uma massa homogênea. Coloque a massa na forma e coloque-a no forno deixando cozer cerca de 25 minutos. Vá observando a cozedura com um palito, quando este sair seco é porque o pão está cozido.

Sangria de Mabon É preferível preparar esta receita algumas horas antes de ser servida para intensificar o sabor. Ingredientes: - 2 Garrafas de vinho tinto - 1Litro de sumo de mirtilos concentrado, (sirop de frutos silvestres também serve) - 2 Colheres de sopa de sumo de limão - 3/4 de taça de licor de laranja - 2 Colheres de sopa de mel - 1 Laranja lavada e cortada em pequenos cubos - 1 Lima lavada e cortada em pequenos cubos - 1 Limão lavado e cortado em pequenos cubos - 1 Pêra lavada e cortada em pequenos cubos - 1 Maçã lavada e cortada em pequenos cubos - 1 Garrafa de limonada fresca - Cubos de gelo

104


Modo de Preparo: Misture os ingredientes todos dentro de uma saladeira grande, menos a limonada e os cubos de gelo. Mexa bem todos os ingredientes e cubra para deixar repousar algumas horas. Antes de servir acrescente os cubos de gelo e a limonada bem fresca.

Compota de Frutas Ingredientes: - 2 xícaras (chá) de damascos - 1 xícara (chá) de uvas passas - 1 xícara (chá) de ameixas-pretas - 1 laranja - 1 limão - 1 maçã-verde - 1 pêra - 3 canelas em pau - 4 cravos-da-índia - 2 xícaras (chá) de açúcar - água Modo de Preparo: Lave muito bem sob água corrente a laranja, o limão, a maçã-verde e a pêra. Sobre uma tábua, corte a laranja e o limão em rodelas finas. Retire os caroços. Reserve. Com uma faquinha afiada, descasque a pêra e a maçã e corte-as em cruz (quatro fatias cada). Retire os miolinhos onde ficam os caroços. Numa panela média, coloque a maçã, a pêra, o limão, a laranja, as uvas passas, as ameixas, os damascos, o cravo, a canela e o açúcar. Adicione água o suficiente para cobrir as frutas (não exagere: não deve haver nem um pouquinho de água acima das frutas). Misture tudo com uma colher de pau. Leve a panela ao fogo médio e deixe cozinhar por aproximadamente 25 minutos ou até que as frutas amoleçam e a calda fique um pouco espessa. Tome cuidado: as frutas não devem se desmanchar. Desligue o fogo. Deixe a compota esfriar e sirva em tigelinhas.

Bolo de Aveia - 1 lata de leite condensado - 4 ovos - 1 colher (sopa) de fermento em pó - 1 xícara de aveia em flocos - 1/2 xícara de coco ralado Modo de Preparo: Bata no liquidificador todos os ingredientes. Leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 40 min ou até a superfície superior dourar.

Cookies de Aveia de Beltane Ingredientes: - 1 1/2 copo de farinha de aveia - 1/2 copo de açúcar mascavo (ou normal) 105


- 3/4 copo de manteiga - 1 ovo - 1 copo de banana amassada - 1 3/4 copo aveia (estilo daquelas que compramos para mingau) - 1/2 colher fermento - 1/4 colher canela Modo de Preparo: Aquecer o forno em temperatura media. Misture a farinha, fermento e açúcar juntos - misture bem. Adicione manteiga, ovo e fruta. Coloque colheres bem cheias em uma forma grande e plana, deixe três dedos de espaço entre as massas. Deixa assar por 15 min.

Biscoitos de sementes de Anis Uma deliciosa receita para a chegada da Primavera. Ingredientes: - 1 colher de chá de raspas de limão - 1 colher de sopa de semente de anis - 1 colher de sopa de gergelim - 1 colher de chá de raspas de casca de laranja - 1 colher de chá de canela em pó - 1 fornada de massa para cookies ou 1 caixa grande de massa pronta Para a cobertura: - 1 colher de sopa de canela em pó - 2 colheres de açúcar Modo de Preparo: Prepare a massa de cookies ou utilize a massa pronta conforme as instruções. Misture as sementes de anis e gergelim e as raspas de laranja e limão à massa, além da canela. Abra a massa em superfície polvilhada com farinha até atingir cerca de 0,5cm de espessura. Corte com um cortador de biscoitos (luas ou meia-luas são ideais) e coloque sobre fôrmas. Polvilhe a mistura com açúcar e canela e asse.

Pão de Abóbora Ingredientes: - 2 xícaras de açúcar - 3 1/2 xícaras de farinha - 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio - 2 xícaras de abóbora amassada - 1 colher de chá de canela - 4 ovos - 1 xícara de óleo - 2/3 de xícara de água - 1 xícara de passas - 1 colher de chá de noz-moscada

106


Modo de Preparo: Misture todos os ingredientes numa tigela grande. Unte duas formas grandes ou três pequenas para pão, e encha com a mistura. Asse a 150ºC por uma hora. Resfrie as formas num suporte. Embale para manter o frescor.

Abóbora com Carne Moída Ingredientes: - 1 abóbora pequena - 2 cebolas - 500 g de carne moída - 2 colheres de sopa de azeite - sal - pimenta - 2 g de canela - 2 g de cardamomo, moído - 2 g de cominho, moído - 2 colheres de chá de açúcar - 1 lata de tomates, cortado em cubos - 1 lata de molho de tomates - 2 colheres de sopa de salsa, cortada

Modo de Preparo: Abrir a abóbora, limpar, cortar em fatias finas e descascar. Picar as cebolas. Fritar a carne moída uma panela/frigideira grande com o azeite. Juntar as cebolas e os temperos. Depois adiciona a abóbora e o tomate e deixa-se cozer como tampa por 15-20 minutos. Ao servir põe-se a salsa cortada. Arroz fica muito bem como acompanhamento.

Bolinhos de Abóbora e Amêndoa Cozinhar cerca de 400 g de abóbora com 1/2 colher de sopa de canela em pó e raspas de 1 limão, deixar cozer até ficar macia e colocar para escorrer. Amassar bem a abóbora, juntar 2 chávenas de açúcar e mexer bem. Adicionar 2 ovos, bater até ficar um creme homogêneo, juntar 1 colher de sopa de canela, 1 cálice de vinho do porto, amêndoa quanto baste e envolver bem na massa. Por fim adicionar 1 chávena de farinha, 1 chávena de amido de milho e 1 colher de sobremesa de fermento em pó, envolver bem sem bater. Entretanto alinhe forminhas de papel nas formas de muffins e encha as forminhas com a massa, leve a cozer a forno quente cerca de 25 minutos. Decore a gosto depois de frias.

Purê de Abóbora com Carne de Sol

107


Ingredientes: - Purê de abóbora - 300g de abóbora cozida - 80g de manteiga - 1 colher de sopa de cebola - 100ml de leite de coco - 25ml de creme de leite - Sal a gosto Carne de sol: - 200g de carne de sol desfiada - 1 colher de sopa de azeite - 1 colher de sopa de manteiga - 1 cebola picada - Sal e coentro a gosto

Modo de Preparo: Purê de abóbora - Passe a abóbora cozida em uma peneira e reserve. Em uma panela quente, derreta a manteiga, refogue a cebola roxa, adicione a abóbora e sal a gosto. Acrescente o creme de leite e mexa em fogo baixo. Carne de sol - Cozinhe a carne em uma panela com água, que deve ser trocada até que todo o excesso de sal seja retirado. Depois de cozida, retire o excesso de gordura da carne de sol. Em uma frigideira, coloque o azeite, a cebola picada e a carne de sol desfiada, refogue os ingredientes e tempere com sal a gosto. Desligue o fogo e fique a vontade para decorar com o coentro. Monte o prato de acordo com sua preferência.

Sopa creme de milho verde 2 latas de milho 2 colheres de cebola ralada 1 colher de margarina 1 xícara de leite ½ xícara de catupiry ou requeijão 1 colher de sopa de farinha de trigo sal à gosto Modo de Preparo: Bata no liquidificador o milho sem a água, o leite, 1 copo de caldo de legumes e a farinha. Passe a mistura por uma peneira e reserve. Numa panela refogue a cebola com a margarina. Acrescente o restante do caldo e deixe ferver. Junte a mistura peneirada e o catupiry ao caldo fervente. Mexa até engrossar. Sirva com cubinhos de pão de milho tostados e queijo ralado.

Pudim de Imbolc Ingredientes: 1 xícara de arroz, lavado, escorrido e cozido; 4 xícaras de leite — simbolizando o leite da Deusa; 1 xícara de açúcar branco — para a doçura da vida; 2 ovos batidos — simbolizando o sol e fertilidade; 1 xícara de maisena, consistente; 108


Baunilha a gosto, porque toda receita deveria ter baunilha; Canela em pó a gosto.

Modo de Preparo: Junte o arroz, a maisena, o leite, o açúcar, os ovos e a baunilha até que se tornem uma massa, mas cuidado para não encaroçar ou endurecer demais (por causa da maisena). Depois disso, tire do fogo e disponha em tigelas, polvilhando com a canela em pó na parte de cima. Leve ao refrigerador quando estiver bem morno. Sirva gelado.

Pudim de Abóbora - 500 g de abóbora limpa - 50 g de coco ralado - 50 g de margarina - 4 ovos - 1 colher (sopa) de amido de milho - 4 colheres (sopa) de caramelo líquido - Raspa de 1 laranja Modo de Preparo: Parta a abóbora em pedaços e coza-os em água temperada de sal durante 20 minutos. Retire a abóbora, deixe-a escorrer bem, deite-a para uma tigela, junte o coco, o açúcar, o amido de milho, os ovos, a margarina derretida e a raspa da laranja e mexa muito bem. Barre uma forma com o caramelo, verta-lhe a mistura e leve a cozer em banho-maria durante 45 minutos. Deixe arrefecer dentro do banho-maria, desinforme e sirva decorado a gosto.

Suco de Laranja com Abóbora Ingredientes: - 200 g de abóbora cozida (1 copo) - Suco de 15 laranjas - Açúcar a gosto - Gelo Modo de Preparo: Cozinhar a abóbora, bater no liquidificador com o suco de laranja e água gelada. Servir gelado.

Suflê de Abóbora 800 gr de abóbora cortada em cubos 6 colheres de sopa de manteiga 1 xícara de leite quente Pimenta e noz moscada moídas 109


1/2 xícara de queijo parmesão ralado 3 ovos, gemas e claras separadas Sal a gosto Modo de Preparo: Pré-aqueça o forno em 205ºC. Cozinhe a abóbora como quiser.Depois passe pelo amassador de batatas ou amasse com um garfo. Junte a manteiga, o leite, adicione a pimenta, noz moscada. Coloque as gemas batidas, o queijo e sal a gosto. Bata as claras em neve e junte à mistura de abóbora. Coloque numa forma de suflê bem untada. Asse por 25 minutos. Sirva imediatamente.

Sopa de Abóbora com Maçãs Verdes e Camarões Ingredientes: - 4 colheres (sopa) de azeite de oliva - 1 cebola picada - 2 maçãs verdes picadas (sem casca e sem sementes) - 1 maçã verde em fatias finas para decorar - 1/2 colher (café) de noz moscada - 1 pitada de pimenta da Jamaica - 1 pitada de canela moída - 5 xícaras (chá) de abóbora japonesa sem casca e sem sementes picada - 6 xícaras (chá) de caldo de galinha - Sal e pimenta do reino a gosto - 24 camarões médios limpos Modo de Preparo: Refogue a cebola em duas colheres (sopa) de azeite. Acrescente a abóbora e as maçãs. Junte o caldo e os temperos. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe até a abóbora ficar macia. Bata no liquidificador e volte o creme para a panela. Confira a espessura e os temperos e se estiver muito espessa acrescente mais caldo. Doure os camarões em 2 colheres (sopa) de azeite. Sirva quente e decore os pratos com os camarões e as fatias de maçãs.

Aperitivo de Casca de Abóbora Ingredientes: 3 e 1/2 xícaras de batata 1/3 de xícara de pimentão verde 2 xícaras de casca de abóbora 1 dente de alho 2 colheres (sopa) de óleo 1/2 xícara de cebola ralada 1/2 xícara de farinha de rosca 1 ovo 1 xícara de óleo para fritar Modo de Preparo: Cozinhe a batata, descasque, esprema e reserve. Corte o pimentão em tiras finas e rale a casca de abóbora. Leve ao fogo uma panela com óleo, doure o alho e a cebola. Acrescente o 110


pimentão, a casca de abóbora e refogue. Se necessário, coloque um pouco de água para cozinhar bem até secar. Acrescente a batata, verifique o sal e cozinhe bem até desgrudar do fundo da panela. Deixe esfriar. Modele a massa em formato de bolinhas, passe no ovo e na farinha de rosca e frite em óleo quente.

Nhoque de Abobora- Pumpkin Gnocchi Ingredientes: ½ kilo de abóbora japonesa cozida e amassada ½ kilo de batata cozida e amassada 2 ovos 2 xícaras de parmesão ralado Sal Farinha de trigo (ate dar liga) Modo de Preparo: Cozinhe e passe pelo espremedor a abóbora e a batata quente. Despeje em uma tigela, junte os ovos, o queijo, sal a gosto e a farinha ate obter uma massa que solte das mãos. Em superfície enfarinhada faça rolinhos com porções da massa e corte os nhoques em pedaços de 2 centímetros. Coloque os nhoques em uma panela com água fervente e quando subirem à tona retireos com uma escumadeira. Sirva com molho à bolonhesa, ou de frango, ou de camarão.

Curau de abóbora Ingredientes: . 500 g de abóbora cortada em cubos . 1/2 xícara (chá) de água . 1 vidro pequeno de leite de coco . 2 xícaras (chá) de leite . 1/2 xícara (chá) de açúcar . 1 colher (café) de sal . 2 colheres (sopa) de maisena . 4 colheres (sopa) de margarina. Para polvilhar: Canela em pó a gosto Modo de preparo: Em uma panela de pressão, coloque a abóbora a água e deixe cozinhar durante 20 minutos depois que a panela começar a chiar. Espere sair a pressão, abra a panela, escorra a abóbora e deixe esfriar. No liquidificador, bata a abóbora, o leite de coco, o leite, o açúcar, o sal, a maisena e a margarina. Despeje a mistura em uma panela, leve ao fogo e deixe engrossar por 30 minutos em fogo baixo, mexendo para não grudar. Se precisar acrescente mais leite até ficar em ponto de curau. Transfira para um refratário, aguarde esfriar, polvilhe a canela e leve à geladeira até que fique firme. Dica: Se quiser sirva com queijo branco.

Bolas de Bourbon 111


As bolas de Bourbon são feitas de chocolate e não duram muito fora da geladeira. Ingredientes: - 1 pacote de 350g de chocolate meio amargo em pedaços - 1/2 xícara de açúcar - 1 xícara e 1/4 de waffers de baunilha moídos (cerca de 36 bolachas) - 3 colheres de sopa de xarope de milho light - 1/4 de xícara de Bourbon - 1 xícara de nozes bem picadas Modo de Preparo: Em banho-maria, derreta o chocolate, mexendo constantemente. Tire a panela do fogo e misture o Bourbon e o xarope de milho. Coloque também o açúcar, os waffers e as nozes. Misture bem. Quando estiver tudo bem misturado, desligue o fogo e deixe esfriar. Quando estiver menos quente, enrole as bolas com as mãos, semelhante a quando se faz brigadeiro. Faça-as do tamanho que quiser. Role cada bola em um pratinho com açúcar e coloque sobre papel-manteiga. Cubra e resfrie durante algumas horas.

Shortbread Escocês (amanteigado) Ingredientes: - 1 xícara e 1/2 de farinha peneirada - 1 xícara e 1/2 de açúcar peneirado - 1 xícara de manteiga Modo de Preparo: Peneire a farinha e o açúcar dentro de uma tigela. Misture a manteiga até que a mistura fique quebradiça. Trabalhe a massa formando uma bola com as mãos e bata por cerca de 10 minutos. Forme um retângulo de 0,5cm de espessura e corte nos formatos que desejar. Asse durante 45 minutos ou até ficar firme e um pouquinho dourado.

Delícias de cogumelos Ingredientes: - 1,3kg de cogumelos frescos - 1/2 xícara de cebolas picadas - 1 barra de margarina - margarina derretida para dourar - 1/2 xícara de parmesão ralado - pimenta e sal a gosto - 3/4 de xícara de farelo de pão - 450g de massa folhada ou rolos de massa pronta Modo de Preparo: Limpe os cogumelos e pique-os bem fininhos. Doure a cebola na margarina até que todo o líquido desapareça. Remova do fogo e acrescente o queijo, o sal, a pimenta e o farelo de pão. Separe a massa pronta. Forme círculos com a massa, de espessura bem fina. Use cerca de uma colher de chá do recheio em cada círculo. Dobre a massa formando um semicírculo e feche as bordas com um garfo. Coloque em uma forma antiaderente. Espalhe a margarina derretida sobre as massas. Asse no forno a 170ºC durante 15 a 20 minutos, ou até dourar. Sirva quente. Se não utilizar massa folhada, abra cuidadosamente uma folha de massa por vez e recheie. Dobre em formato triangular. 112


Massa de macarrão rápida para o Dia-a-dia Se você achar que a massa está muito úmida ou grudenta, coloque mais farinha; se achar que está muito seca, coloque mais ovo. A receita serve 4 pessoas. Ingredientes: - 500g de farinha de trigo duro - 5 ovos frescos grandes - semolina para polvilhar Modo de Preparo: Se você estiver fazendo a massa com as mãos, use uma superfície limpa ou uma tigela. Faça uma cavidade no centro da farinha e despeje nela os ovos. Quebre os ovos com cuidado e comece a misturar a partir das bordas do “buraco”. Quando começar a formar uma pasta meio mole, comece a usar as mãos. Agora é amassar a farinha com os ovos, sem precisar colocar óleo ou sal. Amasse tudo até a massa ficar homogênea, fina e com uma textura sedosa. Amasse até a massa ficar com uma certa elasticidade. Isso geralmente leva uns 3 minutos. Embrulhe a massa com filme e deixe-a descansando na geladeira durante 1 hora. Tire a massa da geladeira e divida-a em 2 bolas. Cubra uma delas e, com a palma da mão, achate bem a outra. Polvilhe farinha sobre uma superfície limpa e, usando o rolo de massa, comece a esticá-la, sempre rolando pra fora, polvilhando e mudando a direção do rolo em 90 graus. Vá repetindo esse procedimento até obter uma folha de 1 ou 2 mm de espessura, dependendo da massa que você for fazer. Tente deixar a massa num formato quadricular, apesar de isso não ser essencial. Sua massa está pronta. Você pode cortá-la da forma que desejar e usar em suas receitas.

Chocolate Quente Mexicano Ingredientes: - 250g de chocolate meio-amargo picado - 1l de leite - um punhado de cravos - 1 colher de chá de canela em pó - um pouco de extrato de amêndoas - açúcar a gosto Modo de Preparo: Aqueça levemente o chocolate com o leite, os cravos, a canela, o extrato de amêndoas e o açúcar. Mexa constantemente até que o chocolate derreta. Bata até formar uma espuma. Sirva imediatamente. Você pode substituir o chocolate por pó de cacau e o extrato de amêndoa por baunilha.

Chocolate quente de Outono Ingredientes: - 200 gramas de chocolate meio amargo - 1 litro de leite - 300 gramas de mel 113


- 2 colheres de sopa de cravos - 4 colheres de sopa de amido de milho Modo de Preparo: Aqueça o leite com o cravo em fogo baixo e mantenha até obter uma leve coloração caramelo. Retire os cravos com uma peneira, acrescente o chocolate em raspas, o amido de milho dissolvido em meio copo de leite frio e o mel. Deixe ferver e sirva em canecas individuais decoradas com fios de mel e cravos.

Chás Existem várias maneiras de se preparar chás da forma mais correta. Você pode seguir os procedimentos abaixo ou ler a parte de Como preparar chás e ver a melhor forma de preparar de acordo com os ingredientes.

114


Poção do sono Poções do sono nada mais são do que calmantes naturais. Procedimento: Deixe em imersão 9 gramas da raiz da valeriana em cerca de 120ml de água fria, durante 12 horas no mínimo. Depois coe e beba fria antes de se deitar.

Chá contra Bronquite Também combate gripe, catarro pulmonar, coceiras e resfriados. Ingredientes: - 1 colher de sobremesa de folhas fatiadas de língua-de-vaca - 1 xícara de água fervente Procedimento: Junte todos os ingredientes, abafe e deixe amornar. Tome 1 xícara, 3 vezes ao dia.

Chá contra Artrite, Artrose e Reumatismo Ingredientes: - 1 colher de sopa de capim-gordura - 1 xícara de chá de água fervente Procedimento: Abafe e deixe amornar. Indicado para tomar 1 xícara, 2 vezes ao dia.

Chá Digestivo Corrige o PH estomacal e combate a anemia. Ingredientes: - 2 colheres de sobremesa de funcho ou erva doce - 1 xícara de chá de água fervente Procedimento: Coloque o funcho ou erva doce na água, abafe e deixe amornar. Tomar de 1 a 2 xícaras por dia.

Chá para Combater Cólicas Menstruais Ingredientes: - 1 colher de sopa de orégano - 2 copos americanos de água fervente Procedimento: Abafe e deixe amornar. Tome 3 xícaras ao dia. 115


Chá contra Diarréia Combate a diarréia, inflamações da boca, garganta e gengivas. Para tratamento das anginas; purifica o sangue e trata das vias respiratórias. Ingredientes: - 1 colher de sopa de folhas fatiadas de tanchagem - 1 litro de água fervente Procedimento: Junte os ingredientes, abafe e deixe amornar. Tome de 3 a 4 xícaras ao dia.

Chá Tônico de Gengibre Ingredientes: - 100 g de gengibre - cascas de um abacaxi pequeno - casca de uma laranja - 1 pau de canela - 1/4 xícara de açúcar - 2 litros de água Procedimento: Lave bem as cascas da laranja e do abacaxi e pique-as grosseiramente. Descasque o gengibre e corte em fatias finas. Coloque em uma peneira e lave rapidamente em água corrente. Coloque em uma panela o açúcar e o gengibre. Leve ao fogo e cozinhe lentamente para que o açúcar dissolva e comece a adquirir um tom de caramelo claro. Acrescente as cascas de laranja e abacaxi e o pau de canela, misture bem e despeje a água. Cozinhe por cerca de 20 minutos em fogo bem baixo. Apague o fogo e deixe esfriar. Encha uma jarra com gelo e cubra com o chá. Preferindo, pode-se também servir quente.

Chá contra Arteriosclerose Também combate hipertensão arterial, palpitações do coração, depurativo do sangue, doenças venéreas, reumatismo e afecções da pele. Ingredientes: - 1 colher de sopa de folhas picadas de sete-sangrias - 1 litro de água fervente Procedimento: Acrescente as folhas à água e abafe; deixe amornar e tome de 4 a 5 xícaras ao dia.

Chá contra a Ansiedade Ingredientes: - 1 colher de sobremesa de folha de maracujá (fundamentalmente pré-fervida em água, para tirar sua toxidade) - 1 colher de sobremesa de talo de alface 116


- 1 colher de sobremesa de melissa - 2 xícaras de chá de água fervente Procedimento: Junte os ingredientes e abafe. Tome 3 xícaras ao dia.

Chá para combater Anemia, Fraqueza e Melancolia Ingredientes: - 1 colher de sobremesa de folhas fatiadas de açafrão - 1 xícara de chá de água fervente Procedimento: Junte os ingredientes, abafe e deixe amornar. Tome 1 xícara, 3 vezes ao dia.

Chá para combater Mau-hálito Ingredientes: - 1 colher de sobremesa de guaçatonga - 1 xícara de chá de água fervente - 1 colher de sobremesa de espinheira-santa Procedimento: Junte as folhas na água fervente, tampe e deixe amornar. Faça bochechos 3 vezes ao dia. Se não utilizar a espinheira-santa, tome em jejum 10 minutos antes das principais refeições.

Chá contra hepatite Ingredientes: - 1 pé de moranguinho - 2 xícaras de chá de água Procedimento: Junte os ingredientes e deixe ferver durante 5 minutos em fogo lento. Tome 1 xícara, 3 vezes ao dia.

Chá para a Gripe Ingredientes: - 9 folhas de eucalipto cheiroso (citrodoro) - 1 limão cortado em 4 partes - 3 dentes de alho amassados - 3 copos de água - mel para adoçar - própolis Procedimento: Coloque todos os ingredientes (menos o mel e o própolis) para ferver por 15 minutos. Deixe esfriar e adoce com mel. Pingue 20 gotas de própolis, divida em 3 doses, e tome 3 vezes ao dia.

117


Chá contra Enxaqueca Ingredientes: - 1 colher de sobremesa de macela-do-campo - 1 xícara de chá de água fervente Procedimento: Junte os ingredientes, abafe e deixe amornar. Tome de 1 a 4 xícaras por dia, sendo a primeira em jejum.

Chá contra Dor de cabeça, Febre e Resfriado Ingredientes: - 1 colher de sobremesa de flores secas de sabugueiro - 1 xícara de água fervente Procedimento: Coloque as flores secas na água fervente por 2 minutos. Deixe amornar. Tome de 1 a 2 xícaras por dia.

Chá diurético Ingredientes: - 1 colher de sopa de cabelo de milho - 1 xícara de chá de água fervente Procedimento: Junte os ingredientes e deixe amornar. Tome de 1 a 3 xícaras por dia.

Chá diurético que também combate a Hipertensão Arterial Ingredientes: - 1 folha seca, picada, de embaúba - 1/2 litro de água Procedimento: Ferva por 10 minutos. Deixe amornar e tome de 1 a 3 xícaras por dia.

Chá para combater Colesterol Alto Ingredientes: - 1 colher de sobremesa de sedoária ou carcuma - 1 colher de sobremesa de boldo-do-chile - 1 xícara de chá de água fervente Procedimento: Junte todos os ingredientes na água. Abafe. Deixe amornar. Tome 1 xícara pela manhã, ainda em jejum, e 1 xícara antes das principais refeições. Siga o tratamento por 7 dias.

118


Chá para combater cistite Ingredientes: - 1 colher de sopa de folhas fatiadas de jatobá - 1 xícara de chá de água fervente Procedimento: Junte as folhas com a água, abafe e deixe amornar. Tome até 3 xícaras ao dia.

Chá calmante contra depressão e ansiedade Ingredientes: - 1 colher de sobremesa de folhas de maracujá - 1 colher de sobremesa de melissa - 1 xícara de água fervente Procedimento: Junte as folhas, tampe, deixe amornar e tome até 3 xícaras por dia.

119


Ritual de Iniciação Você deve ter em mãos os materiais necessários para o Ritual: • Uma vela preta representando a Deusa; • Uma vela branca representando o Deus; • Quatro velas para os quadrantes, sendo uma vela preta para o quadrante Norte, uma vela branca para o quadrante Sul, uma vela vermelha para o quadrante Leste e uma vela azul para o quadrante Oeste. Essas são as cores da tradição Celta; • Um incensório com incenso de seu agrado; • Um pires com sal marinho; • Uma vasilha com água de fonte, de rio, ou se for difícil de conseguir pode ser água mineral comprada. Procure nunca usar em seus Rituais água de torneira; • Um Athame ou um punhal de sua escolha; • Um cálice de vinho tinto (caso você não possa ingerir bebidas alcoólicas, substitua por um suco de maçã ou mesmo água). O Ritual deve ser feito após o crepúsculo ou de preferência do sacerdote ou sacerdotisa. Deixe que o local escolhido receba a luz da Lua por alguns minutos. No dia do ritual, procure não comer carne e nem tome drogas de espécie alguma. Faça um jejum ou coma frutas e verduras. Quando for para o Círculo, tenha certeza de que levou o material necessário para não ter que sair e interromper o Ritual.Se houver outras pessoas na casa, peça para que você não seja interrompido(a) durante aquele período. Durante o ritual, você deve estar nu(a), sem jóias ou qualquer outro adorno. Os cabelos devem ficar soltos, se forem compridos. O objetivo do Ritual é nos apresentarmos aos Deuses de forma mais natural possível. Acenda as velas em seus respectivos quadrantes, que devem ser determinados com o auxílio de uma bússola antes do ritual. Monte o altar ao Norte, com a vela da Deusa à esquerda e a vela do Deus à direita. No altar também devem estar o Cálice, o Athame, o Sal, a Água e o Incenso, que deve ser aceso na vela da Deusa. Você também pode colocar no Altar coisas que sejam importantes para a sua vida e outros objetos de seu agrado. Lembre-se que a liberdade é a essência do Ocultismo. Apague as luzes e deixe que somente a luz das velas ilumine o aposento. Segure o Athame com ambas as mãos e trace o Círculo Mágico, no sentido horário, começando pelo Norte, diga com energia e máxima concentração:

“Em nome da Deusa, eu traço este Círculo de Proteção! Dele nenhum mal sairá. Dentro dele nenhum mal poderá entrar. Pelos Guardiões dos Quatro Quadrantes da Terra, eu convido todos os Elementais da Terra, do Ar, do Fogo e da água para entrarem neste Círculo e me auxiliarem nesta iniciação”. Volte ao Norte, beije a lâmina do seu Athame e coloque-o novamente no altar. Pegue o Sal, jogue três punhados na Água e diga:

“Abençoado seja o Sal que purifica esta Água”. 120


Segure a vasilha com a água salgada e dê três voltas ao redor do Círculo, em sentido horário, enquanto deixa cair algumas gotas no chão. Volte ao Norte e diga:

“Da mesma forma que o Sal purificou a Água, que minha vida seja purificada pelo Amor da Grande Mãe”. Pegue o Incenso e dê três voltas ao redor do Círculo no sentido horário, volte ao Norte e diga: “Abençoada seja esta criatura do Ar, que leva até aos Deuses a minha oferenda

de Alegria”. Fique de fronte para o Altar e diga:

“Eu, (diga o seu nome completo), compareço diante dos Deuses de minha livre e espontânea vontade, abrindo meu coração para as verdades e ensinamentos do Ocultismo. • Juro perante aos Deuses, jamais usar meus conhecimentos para prejudicar qualquer criatura viva ou para finalidades egoístas. • Juro nunca fazer em meus Rituais de Ocultismo nada que cause dor, sofrimento, humilhação ou medo a nenhuma criatura viva. • Juro defender meus irmãos e irmãs na Arte, bem como divulgar o Ocultismo para todos os que desejarem aprender, sem jamais tentar converter ninguém às minhas crenças ou menosprezar as crenças alheias. • Juro amar o Planeta Terra, procurar sempre harmonia com toda a natureza, e acima de tudo, colocar sempre a vida humana acima de interesses materiais. • Juro nunca prejudicar meus irmãos da Arte, ou revelar seus nomes mágicos, embora eu tenha o direito e a obrigação de me defender contra energias ou pessoas negativas que queiram me prejudicar ou fazer mal aos que eu amo. • A partir de agora, não existe nenhuma parte de mim que não seja doa Deuses; portanto, meu corpo é sagrado. Nenhuma parte dele é impura ou vergonhosa. Meu corpo merece todo o respeito, como fonte divina de vida e de prazer. • A partir de agora, a verdadeira autoridade sobre mim, virá somente dos deuses. Não aceitarei nenhum tipo de opressão, nem ficarei do lado daqueles que oprimem meus semelhantes em busca de poder. • A partir de hoje, lutarei para que a justiça do Deus e Amor da Deusa sejam estabelecidos na Terra. Assim seja!” Pegue o cálice, derrame um pouco de vinho no chão e diga:

“Da mesma forma que o vinho se derramou, que o poder me seja tirado se eu não cumprir meu juramento”. 121


Molhe o dedo no vinho, desenhe um Pentagrama no ponto entre as sobrancelhas e diga:

“Que meus pensamentos sejam guiados pela Luz dos Deuses”. Molhe novamente o dedo e desenhe um Pentagrama em cada pálpebra dizendo:

“Que meus olhos vejam o poder dos Deuses em toda a Natureza”. Molhe o dedo no vinho, desenhe um Pentagrama na boca dizendo:

“Que minhas palavras sejam para propagar o Amor dos Deuses”. Molhe o dedo e trace um Pentagrama no seu coração, dizendo:

“Que a grande Mãe esteja em meu coração, para que eu tenha compaixão por todos os seres humanos e por todas as criaturas”. Molhe novamente o dedo e trace um Pentagrama na região do seu sexo, dizendo:

“Que meu sexo seja abençoado pelos Deuses, para que haja fertilidade em minha vida”. Molhe os dedos e trace um Pentagrama em cada um dos seus pés, dizendo:

“Que meus passos me levem pelos caminhos da Felicidade, e que os Deuses guiem todos os meus passos”. Segure o cálice com ambas as mãos, beba o Vinho, deixando um pouco no fundo e diga:

“Este é o útero da Grande Mãe. Dele eu vim, e para ele voltarei com Alegria! Que assim seja, para o bem de todos!” Jogue o resto do vinho no chão. O ritual em si está terminado, mas você ainda pode ficar mais alguns minutos no círculo para meditar sobre o Ocultismo e em todas as promessas assumidas. Obs.: Se você quiser assumir um nome mágico, assim que derramar o Vinho no chão diga:

“De agora em diante, meu nome perante os Deuses é (diga seu nome mágico)”.

122


Anotações

123


Apostila de Estudos wicca  

Definimos que a auto-magia, bruxaria ou ocultismo é definitivamente o conhecimento de si mesmo; propriamente não po...

Apostila de Estudos wicca  

Definimos que a auto-magia, bruxaria ou ocultismo é definitivamente o conhecimento de si mesmo; propriamente não po...

Advertisement