Page 5

AG R A DE CIM E N T O S

E

ste livro foi um trabalho de amor a duas pessoas: Jon e Kim. Não consigo agradecer a elas o suficiente por seu tempo, sua honestidade e sua coragem. E aos seus três filhos, Curtis, Robin e Caroline, obrigada por sua tolerância. Meus agradecimentos também à mãe de Jon, Elaine Zheutlin, e a seu marido, Bill; à irmã de Jon, Jane Sarkin, e a seu marido, Martin O’Connor; e ao falecido Richard Sarkin. À minha superagente, Wendy Strothman, e à minha supereditora, minha heroína, Emily Loose, também estendo meus humildes agradecimentos. À minha mãe e ao meu pai, Grace e Dave Nutt; a minhas irmãs, Eva Nies, Cora Chemidlin e Kate Barry, ao meu irmão, Ty, a meus cunhados, Rob Nies, David Chemidlin e Pat Barry; à minha cunhada Jane Nutt e aos meus doze fantásticos sobrinhos: Brendan, Evan e Cullen Nutt; Rachel, Maddie e Jordan Nies; Conor, Blair, Grant e Reid Chemidlin; e, por último, mas certamente não menos importantes, Bridget e Patrick Barry: amo vocês todos mais do que a minha vida. À minha ex-editora, amiga íntima e escritora extraordinária, Rosemary Parrillo, e ao meu atual editor, o “Senhor Poesia”, David Tucker, obrigada pela sabedoria, pela orientação, pela paciência e pelo apoio de todos vocês. Ao colunista Mark Di Ionno, que me contratou no jornal The Star-Ledger, há tantos anos; e à ex-editora Deborah Jerome, que foi uma das primeiras a apoiar o meu trabalho; vocês dois me ajudaram a me tornar a escritora que sou hoje. A Sandy Padwe, minha mentora e colega do curso de pós-graduação da Escola de Jornalismo da Columbia University: você é, e sempre será, a melhor. E aos meus extraordinários professores de lá, em especial Sam Freedman e a incomparável Judith Crist.

Profile for Grupo Autentica

O Brilho das Sombras  

Em uma tarde ensolarada de outono, ao se curvar para pegar uma bola de golfe, algo estranho aconteceu a Jon Sarkin. Por uma razão inexplicáv...

O Brilho das Sombras  

Em uma tarde ensolarada de outono, ao se curvar para pegar uma bola de golfe, algo estranho aconteceu a Jon Sarkin. Por uma razão inexplicáv...