Issuu on Google+


Disponibilizado: Curly Claire Tradução: Simoni Lima Revisão: Sophie Leitura Final: Curly Formatação: Claire


NAUGHTY BOSS Whitney G.


Esta é uma obra de ficção. Nomes, personagens, lugares e incidentes são o produto da imaginação do autor ou são fictícios e qualquer semelhança com pessoas reais, vivas ou mortas, estabelecimentos comerciais, eventos ou locais é mera coincidência. Copyright © 2016 por Whitney G. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida, armazenada em um sistema de recuperação ou transmitida de qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônico, mecânico, fotocópia, gravação ou outro, sem autorização prévia do autor. Projeto por Najla Qamber de Najla Qamber Designs


Para Nicole London. Isto é pelos e-mails intermináveis que você me envia enquanto trabalha no seu horrível emprego todos os dias. Posso dizer honestamente que odeio o seu trabalho (e o seu chefe) mais do que você. Chefe impertinente Ele definitivamente não deveria ler esse e-mail...


Chefe Impertinente Ele definitivamente nunca deveria receber esse e-mail ... Assunto: meu chefe. Eu já te disse que eu odeio o meu chefe hoje? Sexy como o inferno ou não, este pomposo, arrogante, idiota me pediu para pegar a sua limpeza a seco no segundo em que entrei pela porta. Então ele me disse que eu precisava levar o seu Jaguar a uma lavagem de carro que era dez milhas fora da cidade, mas só depois que eu enfrentasse uma fila sem fim para comprar algum tipo de limitado, relógio de cem dólares. Eu honestamente não posso esperar para ver o olhar no seu rosto daqui a dois meses a partir de agora quando eu lhe disser que eu estou deixando a sua empresa e que ele pode beijar a minha bunda. BEIJAR. MINHA. BUNDA. Todas as fantasias anteriores a respeito dele me beijando com a sua “boca perfeita” ou me curvando na minha mesa e me enchendo com o seu longo pau acabaram. ACABARAM. Sua melhor amiga, Mya


PS - Por favor, me diga que o seu dia está indo melhor do que o meu... Assunto: Re: meu chefe. Não, você ainda não me disse que você odeia o seu chefe hoje, mas vendo como você me enviou este e-mail diretamente, eu sei agora... Sim, eu te pedi para pegar a minha lavagem a seco no segundo que você chegou para trabalhar. (Onde está?) E eu lhe disse para levar o meu Jaguar para a lavagem e pegar o meu relógio de MIL dólares. (Obrigado por levar cinco horas para fazer algo que poderia ser realizado em duas). Você não tem que esperar dois meses a partir de agora para ver o olhar no meu rosto quando você me disser que está saindo. Eu estou parado do lado de fora do seu escritório neste momento. (Abra à porta). Nenhum comentário sobre as suas “fantasias”, embora eu duvide que elas tenham “acabado”. Seu chefe, Michael PS - Sim. Meu dia está indo definitivamente muito melhor do que o seu...


O CHEFE Michael Manhattan, New York A última vez que o meu rosto esteve estampado na primeira página de um tabloide, a manchete era pelo menos um pouco verdadeira. O que eu estava atualmente encarando estava além do exagero, mesmo para alguém com uma reputação escandalosa e cheia de sexo como a minha. Playboy CEO da Leighton Publishing deixa mulher chorando no lobby do hotel depois de horas de sexo ruidoso na sacada. Folheei as páginas do The National Enquirer, esmiuçando os detalhes da chamada fonte confiável, enquanto resistia à vontade de revirar os olhos. De acordo com eles, eu tinha tido relações sexuais com essa mulher na suíte Penthouse de um hotel e simplesmente a pusera para fora para que eu pudesse fazer sexo com outra pessoa, e de acordo com a mulher que estava claramente inventado esta história idiota, ela disse que as minhas palavras exatas para ela foram, “Obrigado por me deixar foder a sua boceta. É hora de foder outra pessoa agora. Você sabe onde fica a saída”. Não houve menção ao fato de que essa mesma mulher foi recentemente condenada por mentir a um júri em um caso de


roubo, mas tabloides não estavam interessados na verdade. Eles só queriam vender jornais. Eu consegui passar por todo o artigo, sem uma reação, mas eu não pude deixar de rir com a última linha: “Os boatos girando agora são que o impertinente CEO se envolve em relações sexuais com duas mulheres diferentes a cada dia da semana. Ele, aparentemente, mantém uma agenda privada da sua vida sexual”. Eu balancei a minha cabeça. É apenas uma mulher diferente a cada dia da semana... Jogando o tabloide no lixo, lembrei-me de enviar um texto genérico para as mulheres que eu planejava ver essa semana. Havia Lisa na terça, Mariah na quarta-feira, Hannah na quinta-feira e Tiffany na sexta-feira. Michael: Ansioso para encontrá-la esta semana. As respostas vieram em sucessão exata. Lisa: Ansiosa para ver você também  Mariah: Mal posso esperar para transar com você de novo... Hannah: Deixe-me saber se você quiser antecipar o dia  Tiffany: A qualquer momento 


Com alguns minutos de sobra até a minha reunião das seis, eu coloquei uma caixa com a lista de potenciais romances em minha frente na mesa. Fiz duas xícaras de café e abri os novos blocos de notas. Então eu esperei impacientemente pela minha assistente executiva. Eu já tinha desistido que ela chegasse cedo para encontrar-me para qualquer coisa, porque ela sempre estava cinco minutos atrasada. Ela literalmente vivia do outro lado da rua do meu edifício e ela nunca deixou de me surpreender com as suas infinitas desculpas a respeito de por que não poderia chegar na hora. Dez minutos depois das seis, decidi dar-lhe o benefício da dúvida. Quinze minutos depois das seis, perguntei-me se os meus pensamentos

anteriores

de

que

ela

era

a

assistente

mais

incompetente que eu tinha tido era verdade, e vinte minutos depois das seis eu cedi e liguei. — Sim, senhor Leighton? — Ela respondeu ao primeiro toque. — Você esqueceu que nós deveríamos discutir as seleções de inverno hoje? — Eu perguntei. — Você sabe como me sinto sobre as coisas que precisam estar em dia. — Oh, certo! Eu sinto muitíssimo! Eu fiquei presa nestes relatórios, mas eu estou no meu caminho.


Ela desligou, e em poucos minutos, ela entrou no meu escritório carregando uma caixa de romances atribuídos. Ela os colocou na minha mesa e sentou na minha frente. — Espere. — Ela levantou a mão. — Antes de começarmos, eu posso perguntar algo pessoal? — Não. — E se for algo importante? — Não pode ser importante se for algo pessoal, porque você não tem o direito de saber nada sobre a minha vida pessoal. — Você é realmente tão ruim quanto todos os tablóides dizem que você é? — Ela levantou a sobrancelha. — Como, quando você eventualmente encontra tempo para dormir com tantas mulheres desde que você está sempre aqui trabalhando? Eu poderia jurar que tinha dito não... Eu dei-lhe um olhar vazio. — Eu mereço saber para que tipo de homem que estou trabalhando, — ela disse, cruzando os braços. — Especialmente se este homem quer de verdade saber como é difícil trabalhar sob sigilo. — Você está tentando me chantagear?


— Não. — Ela sorriu. — Eu realmente quero saber se a sua vida sexual é tão emocionante como a imprensa faz parecer. Na verdade, eu acho que é muito quente, e para registro, estou totalmente disposta a ignorar a política de não confraternização, se você quiser me experimentar. — Ela baixou a voz. — Eu posso ser impertinente no quarto também. Eu posso deixar você ter a minha boceta, e você pode até me abandonar no lobby do hotel, se é o que você gosta... — Podemos, por favor, começar com o trabalho? — Revirei os olhos. — Eu preciso de seus pensamentos sobre os títulos que foram atribuídos para que possamos enviá-los para o pessoal do marketing amanhã. — Então, logo depois disso eu posso ir? Não, logo depois que eu demitir você... — Sim. — Limpei a garganta. — O que você achou do mais recente de Grisham? — Seu mais recente o quê? — Seu livro mais recente. — Eu apontei para a caixa onde ela havia trazido à cópia final do Whistler. — É um dos três thrillers1 que você deveria ler este mês.

1

livros sobre romance policial, suspense.


— Oh, sim. — Ela pegou o livro de capa dura e folheou as páginas. — Eu achei muito bom. Muito legal e muito emocionante. — Você pode, por favor, ser um pouco mais específica do que isso? — Eu realmente gostei da capa do livro. — Ela correu os dedos pela capa. — Ele realmente me puxou para a história com isso, sabe? Esta imagem dos barcos ancorados em um mar alaranjado pelo por do sol foi bastante atraente. Eu acho que o artista gráfico definitivamente merece um prêmio. Silêncio. — Vamos voltar aos thrillers, — eu disse finalmente. — Você também deveria ler cinco romances. Qual deles você mais recomendaria? — Bem, — ela disse, inclinando-se — Foi uma escolha difícil, e eu quero dizer uma escolha muito difícil, mas... Apesar de todos que me foram atribuídos serem incríveis, acho que amei aquele que terminou em um ‘felizes para sempre’ no final. — Todo romance termina em um ‘felizes para sempre’, Penélope. — Eu senti minha pressão arterial subir. “Isso” é o que faz com que seja a porra de um romance. — Realmente? Uau. Eu nunca soube disso. Então, eu acho que eu amei todos eles!


Olhei para ela, apertando a minha mandíbula. Eu sempre achei que ela era incompetente desde o dia em que ela começou, a partir do momento em que ela disse: — Então, você tem uma editora literária e só publica livros? Por que não filmes? — E de alguma forma, eu tinha deixado isso passar. Mas isso? Isto era besteira e ela era muito pior do que qualquer um dos meus outros assistentes falhos e demitidos. — Você já leu algum dos livros da lista, Penélope? — Não, mas só porque eu não sabia que eu pessoalmente tinha que fazer. — Ela sorveu o seu café. — Quero dizer os livros foram lidos, mas você nunca disse que eu era a pessoa que realmente deveria lê-los. — Que diabos você está dizendo? — Estou dizendo que estou fazendo algo muito inteligente aqui. Eu contratei um assistente virtual e paguei a ela alguns dólares para ler todos eles. Ah, e eu enviei alguns deles para blogueiros de livros que eu sigo no Facebook. Eles gostam, totalmente

vivem

por este

material de

leitura,

assim,

eles

provavelmente terão esses ARC's2 feitos ainda mais cedo. Você pode acreditar que eles gostam, realmente gostam de ler?

2 Inicialmente construído para o The Washington Post, a Arc Publishing é um sistema editorial moderno projetado para atender às necessidades dos maiores editores do mundo. Muitos dos aspectos fundamentais do Arc são baseados em nossas experiências - o que gostamos, o que nos frustra e as mudanças que vimos acontecer - com CMSs anteriores que usávamos.


— Deixe-me ver se entendi... — Eu tentei manter a minha voz calma. — Eu contratei você para ser a minha assistente executiva e você terceirizou outras pessoas para fazer todo o seu trabalho? — Nem todo o meu trabalho. Apenas o material que eu não quero fazer. Quer dizer, de vez em quando, eu vou ler uma página ou duas para manter o meu cérebro fresco, mas a leitura não é realmente a minha coisa. E você só me deu um mês para ler dez livros. Dez, Sr.Leighton... Isso é um trabalho tecnicamente escravo e eu poderia processá-lo. — Isto é uma merda... -— Eu me seguro. — Isto é uma editora. Nós publicamos livros e livros sendo 'a sua coisa' foi à primeira coisa que perguntamos em sua entrevista. — Oh, eu menti sobre essa parte, mas apenas essa. Todo o resto que eu informei foi honesto, especialmente sobre o desejo de querer trabalhar para um CEO sexy para variar. — Penélope... — Eu segurei um gemido. Eu não precisava mais perder o meu tempo com isso. — Você pode obter o inferno fora do meu escritório agora. — Realmente? — Ela se levantou sorrindo. — Eu estava esperando que pudesse sair daqui cedo. Meu programa favorito começará em uma hora. Você sabe talvez você devesse me pedir para avaliar shows de TV, estou certa de que eu o impressionaria. — Ela deu de ombros e se dirigiu para a porta. — Até amanhã!


No segundo em que ela deixou o meu escritório, eu mandei um e-mail para o meu conselheiro Brad. Assunto: Diga ao RH para demitir a minha Assistente Executiva. Agora. Agora mesmo. Michael Leighton, CEO, Leighton Publishing. Fui até o meu armário de bebidas e o desbloqueei, servindome um tiro muito necessário de scotch, bebi e rapidamente servi outro. Enquanto ele estava queimando o seu caminho na minha garganta, o toque de Brad soou no meu celular. — Sim? — Eu respondi. — Você quer dar um bom palpite sobre o que eu estou olhando agora? — Depende se eu vou ganhar um prêmio por acertar ou não. — Estou olhando para a capa da Page Six, com uma inegável – sem photoshop – imagem sua fazendo compras. É definitivamente você e um de seus relógios ridiculamente caros com um charuto cubano entre os lábios.


— Parece uma boa foto. Sinta-se livre para me mandar uma cópia. — Oh, mas essa não é a melhor parte desta foto. A melhor parte é as três mulheres vestidas de biquíni com o cabelo desarrumado que literalmente parecem terem fodido com você. Você, pelo menos, gostaria de adivinhar a manchete? — Você ainda não mencionou um prêmio. Existe um prêmio? — Playboy CEO Transa com Três Loiras peitudas em Belize. O que você tem a dizer sobre isso, Michael? — Não muito. — Fui até a minha mesa e cliquei na imagem que ele me enviou. — Eles fizeram um trabalho brilhante com o uso de aliteração no título, no entanto. Eles devem ter finalmente contratado um editor competente. — Deus, Michael... — Ele respirou fundo e suspirou. — Temos alguma razão para ameaçá-los por difamação e retratação ou isso é verdade? — É parcialmente verdadeiro. — Qual parte? — A parte sobre eu estar em Belize. — Por favor, pare de me foder.


— Tudo bem. — Eu sorri. — Eu só 'transei' com duas das loiras peitudas. Não com três. — Oh, apenas duas. Isso é muito reconfortante e eu acho que eles lhe devem um pedido de desculpas. Não. Algo mais? — Sim. O artigo diz que eu estou usando um Rolex na foto. Eu não tenho usado um Rolex em mais de cinco anos. — Ugh. — Ele gemeu. — Estou usando cem mil dólares de nossa conta de relações públicas para impedi-los de circular isto na sexta-feira. Eu também estou enviando-lhes um adicional de duzentos a trezentos e cinquenta mil para abster-se de mencionar o seu nome ou publicar a sua imagem pelos próximos dois meses. — Obrigado. — Por favor, não. Vou precisar de uma lista de tudo o que você fez nos últimos oito meses para que eu possa limpá-lo com antecedência. E você sabe, para alguém que planeja levar a sua empresa pública nos próximos dois anos, eu acho que você deve tentar muito mais difícil limpar a sua imagem e ficar fora da imprensa. Caso contrário, os únicos investidores que você atrairá serei eu e você. — Anotado. — Eu tomei um último tiro de uísque. — Você recebeu o meu e-mail sobre uma nova assistente executiva? — Outra? Esta é a sétima.


— Oitava. No entanto, eu ainda espero por uma competente. Talvez se você usasse uma agência de triagem diferente, ou pelo menos me deixe participar de alguma das entrevistas. — Não, eu vou te dizer o que vou fazer, no entanto. Mas só se você fizer algo por mim. Fiquei em silêncio, então ele continuou. — Você poderia gentilmente manter o seu pau em suas calças pelos próximos doze meses e tentar não foder alguém? Doze meses? — Ninguém? — NINGUÉM. NIN-GUÉM. — Ele enunciou cada sílaba. — Pelo menos ninguém que vai definitivamente chamar a atenção para você e os seus métodos infelizes, insaciáveis. E isso inclui todas as mulheres que você alinhou para esta semana. Suas assistentes podem não saber o que aqueles pontos azuis pequenos em seu calendário digital significam, mas eu faço. Cancele-os agora. Você pode dormir com quem você quiser novamente depois de ser bemsucedido com a opinião pública. Eu hesitei por um longo tempo, mas percebi que o que ele estava dizendo fazia sentido pelo bem da empresa e a minha imagem.


— Tudo bem, — relutantemente, acabei lhes enviando, mensagens nos meus padrões, ‘Algo aconteceu. Vou ter que reprogramar’, e caminhei até a janela. — Eu não vou usar a nossa agência de costume para encontrar o sua nova assistente. Vou lidar com isso pessoalmente. Quaisquer exigências sobre a escolha final? — Contratar alguém que seja capaz de ler um livro é um bom começo. Eu também prefiro alguém com dez a quinze anos mais velha do que eu, casada ou comprometida, submissa o suficiente para completar as tarefas sem sarcasmo, educação Ivy League3, e alguém que sabe como chegar no maldito horário. — Sim, está bem. Vamos colocar a descrição do trabalho nessas palavras exatas e ver o quanto um dia de campo conseguimos com isso. — Eu estou disposto a deixar de lado a parte Ivy League se for uma faculdade com uma boa reputação, do resto não abro mão. — Nós veremos. — Ele definitivamente estava revirando os olhos, e eu poderia dizer que ele estava prestes a me dar a sua palestra infame sobre a contratação de leis e entrevistas as cegas, então eu o bati.

As oito instituições são Brown University, Columbia University, Cornell University, Dartmouth College, Universidade de Harvard, Universidade da Pensilvânia, Universidade de Princeton e Universidade de Yale. O termo Ivy League tem conotações de excelência acadêmica, seletividade nas admissões, e elitismo social. 33


— Apenas me traga a melhor pessoa para o trabalho. Eu posso esperar o tempo necessário se for pra evitar algo como o episódio de hoje, contratar da maneira anterior não está funcionando. E na verdade, apenas me pegue alguém que o impressione, porque se for esse o caso, eu sei que essa pessoa vai me impressionar. — Agora, você finalmente está sendo inteligente, — disse ele. — Dê-me seis semanas. Vou causar o inferno em todos e certificarme de que a próxima assistente executiva que você tem é alguém que vai durar mais de um ano. — Obrigado, Brad. — Eu desliguei, querendo me sentir otimista, mas com o meu histórico, eu sabia que as chances de eu manter a mesma assistente executiva por um ano eram altamente improváveis. Assim como eu sabia que as chances de eu ficar doze meses sem foder eram muito inacreditáveis para ser verdade. Eu tentarei, no entanto...


OS E-MAILS Mya Assunto:

Manhattan

Publisher

procura

Assistente

Executivo Então... Eu tenho certeza que este anúncio de emprego é para aquele sexy CEO que às vezes vemos em todos os tablóides! Você deve definitivamente se candidatar para isto. Você vai ser perfeita. Confira o anexo abaixo. Sua melhor amiga, Amy - - - Mensagem encaminhada - - Executivo de alto nível em Leighton Publishing busca um assistente

executivo

altamente

competente

e

profissional.

Requisitos e pacote salarial anexados via pdf abaixo. Enviar currículo(s) e informações de contato para: Brad.Collins@LeightonPublishing.com.


- Diploma de bacharel em uma instituição de faculdade (preferência mestrado) - Um mínimo de cinco (5) anos de experiência trabalhando para o alto nível executivo - Paixão pela literatura - Capacidade de trabalhar sob alta tensão e, pelo menos, 50 60 horas por semana. - Capacidade para elaborar comunicados de imprensa sem erros e cópia PR em qualquer momento Salary&Benefits@LeightonPublishing.pdf Assunto: Re: Manhattan Publisher procura Assistente Executivo Não pode ser. Não há nenhuma maneira que um indivíduo como esse publicaria um trabalho como este nos classificados, há? E essa enorme escala de salário?!! Oh meu Deus! Espere. Eu acho que ele é o ‘impertinente’ CEO? Não é assim que o chamam? Sua melhor amiga, Mya PS - Eu definitivamente vou me candidatar. 


Assunto: Re: Re: Manhattan Publisher procura Assistente Executivo ‘Impertinente’. ‘Sexy’. Tudo a mesma coisa. E quem sabe? Talvez ele esteja desesperado? De acordo com a Page Six e a sua ex-AE, ele não consegue manter um assistente por mais de dois meses. Ela afirma que ele era ‘muito exigente’ e pediu-lhe para fazer ‘trabalho duro’. Então, claramente, eu tenho certeza que a verdadeira razão que nenhuma mulher fica em torno dele é porque elas estão todas distraídas por quão grande é o seu pau. (Se você for contratada, por favor, descubra o quão grande ele é. Faça isso por mim, pelo menos.) Sua melhor amiga, Amy Assunto:

Re:

Re:

Re:

Manhattan

Publisher

procura

Assistente Executivo O tal Brad do anúncio me chamou e me disse para estar em Leighton Publishing na próxima sexta. UMA. ENTREVISTA! Deseje-me sorte! Sua melhor amiga,


Mya Assunto: Será que você conseguiu o emprego? Não ouvi nada de você em duas semanas! Nós duas não somos tão ocupadas assim e você mora do outro lado do corredor! O que aconteceu? Você conheceu Michael Leighton durante a entrevista? Sua melhor amiga (Será que realmente temos que continuar assinando assim em todos os e-mails como se ainda fossemos adolescentes?) Amy Assunto: Re: Será que você conseguiu o emprego? Desculpe, eu fui inundada com alguma leitura em massa e pré-pesquisa. (Não pergunte.) Mas sim! Eu fui contratada. No Local! O tal Brad (assessor de Leighton) até dobrou a oferta salarial inicial no meio de nossas negociações. Eu tecnicamente não consegui "ver" o Sr. Leighton até esta manhã, quando eu fui assinar oficialmente a papelada e eu não vou


mentir para você, ele é o homem mais sexy que eu já vi na minha vida. Mãos para baixo4. Ele me deixou molhada depois que apertou a minha mão e disse as palavras, "Bem vinda à minha empresa, Mya." Isso foi honestamente tudo o que bastou... Sexy como sempre ou não, eu estou determinada a durar mais do que todos os seus outros assistentes. Ele não pode ser tão ruim, certo? Sua melhor amiga (Sim. É tradição assinar assim)  Mya

4

Mãos para baixo é uma expressão que basicamente significa “sem perguntas”.


UM ANO DEPOIS...


A ASSISTENTE Mya Manhattan, New York Eu tropecei no hall de entrada brilhante de Leighton Publishing, equilibrando uma pequena caixa de arquivos em uma mão e uma pasta de relatórios na outra. Eu estava mais de uma hora adiantada, mas eu sabia que não seria o suficiente para o meu patrão. Tomando o elevador direto para o ultimo andar, eu revirei os olhos enquanto os números dourados piscavam acima das portas. Michael Leighton insistiu em ter todo o andar superior para si mesmo, e só me permitiu e aos humildes secretários acesso quando tivéssemos uma reunião matutina como hoje. Ou, quando ele estava com preguiça de descer um lance de escadas, ligando e dizendo — Venha até o meu escritório. No momento em que as portas se abriram, fui para a enorme sala

de

conferências

que

ficava

do

outro

lado

do

escritório. Destranquei as portas e acendi as luzes, puxando a tela do projetor enquanto caminhava pela sala.


Eu coloquei os blocos de notas e canetas em cada cadeira, e então eu disquei para o fornecedor de café da manhã. — Fifth Avenue Catering, — uma mulher atendeu ao primeiro toque. — Como posso ajudá-lo nesta manhã? — Olá, aqui é Mya London da Leighton Publishing, — eu disse. — Eu gostaria de saber a que horas o seu pessoal fará a entrega... — Eles estão no elevador agora, senhorita London. — Ela parou, um leve sorriso em sua voz. — Nós sabemos como o seu chefe se sente sobre o horário. Não se preocupe. — Obrigada. — Eu terminei a chamada e disquei para o agente literário que deveria vir para uma reunião separada hoje mais tarde, deixando-o saber que só teria vinte minutos de tempo. Então eu enviei um e-mail a cada pessoa da equipe com um lembrete para chegar à sala de reuniões, pelo menos, dez minutos mais cedo. Assim que eu cliquei em enviar a mensagem, um e-mail do Sr. Leighton apareceu em minha tela.

Assunto: O que precisamos hoje. O café da Dean & DeLuca. O novo livro de Mary Kubica. Relatório de anúncio. Confirmações de hotel para o próximo sábado


à noite, duas. Relatórios de receita Q35. Itinerário de viagem para janeiro. Arquivos para a reunião das três horas na minha mesa ao meio dia. Michael Leighton, CEO, Leighton Publishing. Nunca houve nenhum ponto em responder ao seu primeiro email do dia. Era cem por cento retórico e duzentos por cento rude, ele sempre enviou exatamente às sete horas e eles eram sempre compostos de frases desconectas. Nunca houve um "Olá", "Bom dia", ou um simples, "Espero que tudo esteja bem hoje." O idiota nunca disse, "Por favor." E mesmo quando eu completava tudo em suas ridículas listas em tempo recorde, em vez de dizer: "Obrigado", ele tinha a audácia de dizer: "De nada". — Não, não, não. — Peguei um prato de muffins de banana no segundo em que o funcionário do catering o colocou na mesa. — Meu chefe é extremamente alérgico a estes. Você pode substituí-los por mirtilos. — Olhei rapidamente para as outras coisas que ela estava servindo, certificando-me de que nada mais era suspeito. — Você tem certeza que quer substituí-los? — Ela sorriu. — Ele morrerá muito mais rápido se eu não. Q3 corresponde ao terceiro trimestre do ano, nesse caso ‘receita Q3’ seriam os resultados da empresa nesse período. 5


— Eu tenho certeza. — Eu disse. — Eu não estou tentando matá-lo... Ainda. Ela riu e tirou os muffins ofensivos, e antes que eu pudesse chamar Dean & DeLuca para pedir o seu café muito caro, ele me enviou outro e-mail. Assunto: Horário. Você estava dois minutos atrasada para o trabalho ontem, e um minuto atrasada para a reunião do meio-dia. Não deixe isso acontecer novamente hoje. Michael Leighton CEO, Leighton Publishing. Eu comecei a responder com "E você e a sua obsessão com o tempo, seu idiota egoísta", mas eu não ia o deixar chegar até mim hoje. Mandei-lhe um breve "Ok", pedi o café e percorri a minha caixa de entrada, procurando por contatos de qualquer um dos inúmeros

postos

de

trabalho

recentemente, mas só vi spam. Ugh ...

aos

quais

eu

me

candidatei


Disquei para o meu motorista pessoal do Town-car6, o melhor benefício que veio em ser a sua assistente executiva, e pedi para pegar o café para mim. E ainda disse a ele para comprar algo que parecesse incrível naquele café e adicionasse a conta. — Você tem certeza sobre isso, senhorita London? — Perguntou ele. — Absolutamente. — Eu desliguei. Eu deveria usar o cartão de crédito da empresa apenas para café e refeições do Sr. Leighton, mas desde que ele vinha sendo detestável para mim ao longo dos últimos meses, eu decido usá-lo, ele poderia muito bem pagar. O som repentino do elevador parando no andar me fez olhar mais uma vez para a sala, e percebi que mais um dia com ele estava apenas começando. — Bom dia, — eu disse enquanto vários membros da equipe começaram a encher a sala e tomar os seus lugares designados. — É bom ver todos vocês hoje. Todos eles me ofereceram os seus habituais ‘olas’ recebendo ligeiros olhares de simpatia em troca. — Obrigado a todos por chegarem cedo, — eu disse. — Como todos sabem, este mês vai ser extremamente ocupado no que diz

Carros de luxo da Lincoln (automóveis). Algumas unidades foram convertidas para Limousine e Chauffeur (motorista particular) nos Estados Unidos e Canadá. 6


respeito à nossa front-list7, e hoje vocês deverão informar os livros que vocês gostariam de lançar em suas sessões e quanto do orçamento vocês irão usar para promover cada título. O Sr. Leighton de repente entrou na sala enquanto eu falava, virando a cabeça de cada mulher na mesa. Ele estava vestido com um impecável terno de três peças azul marinho e gravata correspondente, e os diamantes em seu mais novo relógio de designer brilhavam contra a luz suave da sala. Seus lindos olhos se encontraram com os meus enquanto eu continuava a minha breve introdução, e por uma fração de segundos eu me lembrei de como ele era maravilhoso e cativante. Seu rosto estava perfeitamente esculpido com penetrantes olhos cor de amêndoa que me prendiam ao local a qualquer momento em que estivéssemos sozinhos. Seus lábios pareciam feitos para beijar, seus cabelos negros sempre estavam cortados o suficiente para que uma mulher passasse os dedos por eles, e a maneira como os seus ternos se encaixavam em seus músculos invadiram os meus sonhos mais vezes do que eu queria admitir. Quando terminei de falar, ele olhou para mim, dando-me um olhar familiar que ele me deu ao longo do tempo. Um que eu ainda tinha que descobrir. Era um cruzamento entre o jeito que ele parecia em minhas fantasias quando ele estava enterrando a sua Lista de vendas de um editor de livros recém ou recentemente publicados, especialmente os de apelo popular ou efêmeros. Comparar backlist. Origem de lançamentos 7


cabeça entre as minhas coxas, e quando ele estava me pedindo para ficar depois do trabalho. Um olhar que dizia que ele pode não ser um chefe tão horrível como era muitas vezes. — Pode sentar-se agora, senhorita London - disse ele. — A menos que você gostaria que nós passássemos o resto destas duas horas de reunião olhando para você. Acabou a fantasia... Sentei-me na cadeira. Eu só meio que escutei enquanto ele percorreu a sala e condescendentemente questionou os membros da equipe um por um, solicitando publicações, agendamentos, atualizações de novos clientes e cronogramas de orçamento. E enquanto dirigia o seu veneno ao funcionário ao meu lado, eu olhava para sua boca perfeita. Então discretamente puxei o meu telefone debaixo da mesa e enviei um e-mail para Amy. Assunto: Eu me pergunto se ele come boceta... Estou atualmente olhando para sua boca enquanto ele está (surpresa, surpresa) sendo um idiota e dizendo à equipe todas as coisas que ele quer que refaçam e o pensamento apenas cruzou a minha mente. Como, seus lábios são além de incríveis e se ele pudesse mantê-los fechados, ele seria muito mais sexy, mas eu me pergunto se ele os coloca em uso a portas fechadas... Sua melhor amiga,


Mya. PS- Se ele me disser que eu estava "um minuto" ou simplesmente "dois minutos" atrasada mais uma vez... Sua resposta foi imediata. Assunto: Re: Eu me pergunto se ele come boceta... Provavelmente não. Se ele é qualquer coisa como você diz, ele provavelmente é um captor no quarto. Quer dizer, eu tenho certeza que ele é um bom captor, mas não consigo ver um cara quente como ele usando a sua língua para outra coisa senão o sarcasmo. Sua melhor amiga, Amy. PS - Por que você ainda não envenenou o seu café da manhã? — Senhorita London? — A voz profunda do Sr. Leighton me fez olhar para cima do meu telefone. — Sim? — A reunião da manhã acabou agora. Sinta-se livre para deixar a minha sala de reuniões com todos os outros. — Eu mordi a minha língua e me levantei, forçando um sorriso enquanto eu me dirigia para a porta.


— Ah, e senhorita London? — Ele caminhou até mim antes de eu chegar ao corredor. — Sim? — Você estava prestes a sair sem seus arquivos para a nossa reunião de sexta-feira. Tenho certeza de que você vai precisar deles, se você planeja fazer o trabalho que lhe foi atribuído de agora em diante. — Ele me entregou o meu fichário maciço. —Não precisa agradecer.


A ASSISTENTE Mya Manhattan, New York A sexta-feira deveria ser o melhor dia da semana, aquele dia que estava entre as últimas horas da semana de trabalho e a liberdade, mas o Sr. Leighton conseguira tornar o meu pior dia durante mais de um ano. Ele insistia em se encontrar na sala de reuniões executiva das três horas até as sete. E então ele sempre se sentava na cabeceira da mesa, o que seria normal se ele estivesse em uma reunião, mas éramos as únicas duas pessoas na sala e sempre havia vários lugares entre nós. Hoje ele estava usando o meu terno favorito - um preto de três peças com uma gravata azul marinho se destacando. Suas abotoaduras com monograma ML brilhavam sob a luz da sala, e eu juro que do jeito que ele estava olhando para mim me fez pensar que ele queria me foder. — Você pretende ficar me olhando durante toda a reunião ou você finalmente gostaria de começar? — Ele ergueu a sobrancelha. Bastardo...


— Eu gostaria de começar. — Bom. — Ele abriu a pasta. — O que você achou do último Grisham? — Envolvente. — Folheei as minhas notas. — Me lembra do que me fez apaixonada por sua escrita em A Time to Kill. — Eu senti o mesmo. — Ele fez algumas anotações. — Você acha que é digno do front-list do próximo trimestre? — Ele é John Grisham, isso não deveria nem ser discutido, — eu disse. — Embora, em um mundo perfeito eu diria não. Mas só porque o seu próximo livro é muito mais comercial e acho que poderíamos fazer muito mais com isso. Seus lábios se curvaram brevemente em um sorriso, mas ele não o manteve. — Qual romance você recomendaria? — Um segundo... — Folheei outra página das minhas notas. — Castrando seu chefe8. — Desculpe-me? — Seus olhos encontraram os meus. — Que livro você acabou de dizer? — Lançando seu chefe.

8

No original ela faz uma troca de palavras “Castrating Her Boss” com “Casting Her Boss”


Ele estreitou os olhos para mim antes de escrever a minha sugestão. — Alguma coisa em particular que se destacou? Partes favoritas? — Provavelmente quando o chefe idiota se redime e para de tratar a heroína como merda... — eu murmurei sob a minha respiração, mas então eu limpei a minha garganta. — O realismo foi ótimo. A heroína era uma diretora de cinema e eu aprendi muito sobre Hollywood durante a leitura. — E a sua seleção Young Adult9? — Ele continuou a passar por todos os doze gêneros que me foram atribuídos para ler, fazendo perguntas aqui ou ali, mas como de costume, ele nunca deixou a nossa conversa sair do tópico ou ficar remotamente pessoal. Quando

terminamos

as

recomendações

dos

livros,

nós

passamos para o e-book do mês e ajustes promocionais, e quando ele finalmente decidiu me dispensar já eram nove horas. Nove. Horas. — Sr. Leighton? — Eu disse enquanto colocava o meu casaco. Ele não respondeu. Ele ainda estava escrevendo, olhando para as suas anotações.

9

Jovem Adulto


— Sr. Leighton? — Eu repeti com um pouco de entonação na minha voz, o suficiente para que ele finalmente, olhasse para mim. — Sim? Hesitei, odiando o fato de que algo tão simples como os seus olhos encontrando os meus foi o suficiente para deixar a minha calcinha molhada. — Esta é a décima quinta sexta-feira que você me manteve depois das seis horas. — Não, esta é a décima quinta sexta-feira que o ‘trabalho’ lhe manteve depois das seis, se você tivesse feito o serviço durante toda a semana, então talvez você fosse capaz de sair mais cedo. — Independentemente disso, — eu disse, mantendo minha voz firme. — Eu vou precisar sair às seis horas as sextas como todo mundo aqui, para que eu possa desfrutar de um fim de semana cheio. Se eu não sair daqui às seis horas, eu vou começar a chegar mais tarde às segundas. Ele colocou a sua caneta para baixo e recostou-se na cadeira. — Pode repetir? — Como hoje. — Peguei a minha bolsa e atirei-a por cima do meu ombro. — Hoje eu estou saindo às nove horas, que é três a mais de acordo com a seção 83B no manual da empresa. Então, na


segunda vou chegar três horas mais tarde por volta das onze horas. Eu vou também... — Você deverá chegar aqui às oito horas. — Ele me cortou, com a voz mais profunda do que o habitual. — E você ficará nestas reuniões de sexta, é para o que você é paga muito generosamente para fazer. — Não, eu não vou. — Eu não estava recuando. — Eu vou chegar às onze horas na segunda. — Não se esqueça de trazer uma caneta para assinar a sua advertência porque antes de tudo, — ele disse, olhando-me de cima a baixo. — Você não é como todo mundo aqui... Você é assalariada, não por hora. E pelo seu contrato e seção 89B no manual da empresa, reuniões de sexta-feira podem ir até as onze horas, dependendo da época, por isso, tecnicamente, eu estou lhe fazendo um favor desde o dia em que você começou aqui. — Ele fez uma pausa. — Você não precisa agradecer. — Além disso — ele disse, — se você quiser falar sobre seguir as regras ao pé da letra, podemos facilmente discutir como você tem usado o meu cartão de crédito para comprar coisas para si mesmo. Coisas como presentes caros, café da manhã no Dean & DeLuca, suprimentos de escritório desnecessário das lojas mais caras na Quinta Avenida, e um monte de outras coisas pessoais que eu não me lembro de autorizar. Eu acredito que qualquer outro chefe diria


que isso é tecnicamente roubo, e que é um motivo imediato para a rescisão, não é? Ele lentamente se levantou e se aproximou de mim, fazendo o meu coração disparar a mil por hora. — Nós também poderíamos ir mais a fundo e discutir como você usa o seu town-car para levá-la a locais não relacionados ao trabalho no fim de semana com a sua melhor amiga. Amy é o nome dela, correto? Minhas bochechas nunca tinham estado tão quentes, e eu lutava para segurar as palavras. Antes que eu pudesse pensar em uma réplica, ele deu um passo tão perto que nosso peito estava se tocando. Então ele enfiou a mão no bolso do casaco e tirou o meu celular, acessando o app de gravações de conversas, percebendo claramente que eu estava tentando registrar as suas atitudes de babaca para uso futuro. Sorrindo, ele devolveu o telefone para mim. — Até segunda às oito horas. *** Duas horas depois... — Então, deixe-me entender isso. — Amy serviu-me um copo de vinho em seu apartamento naquela noite. — Ele literalmente só te enviou um e-mail e te disse que ele mudou de ideia e você precisa


entrar no trabalho às seis horas da manhã de segunda-feira? E você acha que é porque você se queixou de sair tarde hoje? — Isso é definitivamente o porquê. — Tomei o vinho em um gole. — É como se ele me pressionasse ou fizesse coisas para ficar sob a minha pele, porque ele sente que pode. Ele sabe exatamente como me irritar, e eu ainda não posso lê-lo por algum motivo. Eu não entendo o porquê. — Ele é um idiota, é por isso. — Ela me serviu mais um copo. — Eu disse para você começar a manter o controle de todos aqueles e-mails autoritários das tarefas que ele envia para você. Comece a destacar os que ele está no seu momento mais rude e menos profissional. — Isso não vai funcionar — eu disse, rapidamente terminando em um gole o meu vinho e pegando a garrafa. — Ele é um grande profissional em comunicação. Além disso, você não pode interpretar o seu tom por um e-mail, e nenhuma equipe judicial em seu juízo perfeito iria perceber qualquer coisa nas frases curtas que ele me envia. — Bem, você já tentou gravar as suas reuniões como eu lhe disse para fazer semanas atrás? Guiá-lo para uma conversa que o faça dizer algo questionável? Eu balancei a cabeça, deixando de lhe dizer que ele facilmente contornou essa minha tentativa poucas horas atrás.


— Minha única esperança é um novo emprego. Eu só vou ficar lá, até que eu tenha ofertas dos lugares onde me candidatei. — Você sabe que poderia simplesmente sair amanhã e usar todo o tempo de licença que você adquiriu. Você tem o quê? Seis semanas pagas por todas àquelas loucas horas extras que você fez? — Sete. — Veja! E você nunca tirou uma licença por doença! Você poderia, pelo menos, usar algumas delas. E enquanto você estiver nisso... Eu a ignorei, balançando a cabeça percebendo que nunca seria capaz de seguir qualquer um dos seus conselhos ao pé da letra. Amy estava muito distante da cultura corporativa e ela não compreendia a política interna de trabalho ou o quadro geral. Se o Sr. Leighton fosse qualquer outro chefe, eu ficaria feliz em tirar licença médica a qualquer momento que ele ficasse sob a minha pele, mas se eu começasse a fazer isso agora, eu não teria mais nada. Não só isso, mas ele parecia ser o tipo de idiota que realmente mandaria alguém verificar e ver se eu realmente estava doente. Do tipo que realmente tentaria se vingar se descobrisse que eu estava mentindo. — Você sabe o quê? — Eu disse a Amy. — Eu só vou me aplicar dez vezes mais no emprego, e trabalhar com mais vontade, evitando-o tanto quanto possível. Não importa o quão grande de um


idiota ele seja comigo, vou continuar a ser profissional e nunca deixá-lo me ver quebrar até que eu possa gritar com ele quando eu finalmente sair. — Certo, certo. — Ela não parecia convencida, mas ela sorriu. — Bom para você. Pior cenário, é que ao menos você ainda pode trabalhar perto de um dos mais belos homens na cidade e você pode continuar a usar o seu rosto para as suas fantasias até que saia. Qual o tamanho que você disse que o seu pênis é? — Enorme. — Eu estava mais do que certa que era. Eu tinha testemunhado seriamente durante uma reunião aqui ou ali, o testemunhei cruzando e descruzando suas pernas sob a mesa da diretoria. — Eu vou ter certeza em me dedicar a olhar melhor antes de eu sair. — Por favor, faça. Por nós duas. — Ela ligou a televisão. — Ok, o seu chefe não existe mais para o resto do nosso fim de semana. Vamos falar de outra coisa. O MAIS RAPIDAMENTE POSSÍVEL.


O CHEFE Michael Manhattan, New York Saí do elevador na segunda-feira seguinte, notando que as luzes ainda estavam acesas na sala de reuniões. Confuso, eu me aproximei para desligá-las, mas eu vi Mya sentada sozinha no final da mesa. Ela estava flanqueada por várias caixas de arquivos e segurando uma das minhas melhores canetas de designer entre os dentes. Eu olhei para ela enquanto ela olhava o caderno, lembrandome de como eu havia tentado encontrar várias maneiras de livrarme dela quando ela começou. Como eu realmente tentei fazê-la sair. Nunca foi pessoal, e nunca porque ela era horrível. Na verdade, ela era a mulher mais inteligente que eu já conheci e a melhor assistente executiva que eu já contratara, mas a sua lamentável falha estava em ser sexy como uma merda. Mais, sexy pra caralho. Absolutamente impressionante, os olhos castanhos claros complementavam perfeitamente o seu longo cabelo castanho e inchado, lábios rosados. A sua luz, o riso rouco era sexy o suficiente


para pegar a atenção de qualquer homem, e ela possuía um guardaroupas sem fim de vestidos que se encaixavam em suas curvas, que eu ansiava em ver todos os dias. Durante meses, eu sonhei em ver a sua boca espertinha enrolada em torno do meu pau. Eu queria dobrar o seu corpo sobre a minha mesa e encher a sua boceta com o meu pau, enquanto transava com ela por trás, mas eu sabia que nunca tentaria transformar essa fantasia em realidade. Houve apenas algumas vezes em que fui negligente, quando eu deixei os meus olhares ficarem sobre ela por um tempo mais longo, ou quando ela usava um determinado tom de vestido que deixava pouco à imaginação. Tossindo, ela de repente olhou para cima e me viu olhando da porta. Suas bochechas coraram e ela limpou a sua garganta. — Posso ajudá-lo com alguma coisa, Sr. Leighton? — Não me lembro de ter dado permissão para vir ao meu andar hoje. — Isso é porque você não deu. — Ela deu de ombros. — Então? — Então, a menos que você me ouça pessoalmente dizer as palavras, ‘Entre no meu escritório’, ou ‘Sim, você tem permissão para sentar na minha sala de reuniões e fazer o seu trabalho’ sua bunda está invadindo.


— Oh, realmente? — Ela deu de ombros novamente. Então ela pegou o seu telefone celular e sorriu, clicando no maldito app de gravação. — Você poderia repetir gentilmente o que você estava dizendo, Sr. Leighton? Ou seja, Michael Leighton da Leighton Publishing? Particularmente a linha 'sua bunda está invadindo’... Fechei a porta, imediatamente seguindo para o meu próprio escritório. No segundo em que acendi as luzes, Brad saiu do armário de bebidas e ergueu uma garrafa de champanhe. — Parabéns a você! — Ele abriu, deixando a espuma borbulhante gotejar para o tapete. — Qual é a ocasião? — Tirei o meu casaco e sentei. — Três coisas, na verdade. — Ele serviu duas taças e se aproximou, me entregando uma — Primeiro, o mais óbvio, você teve o melhor ano que qualquer editor no país. — Segundo, você passou um ano inteiro sem aparecer na capa de um tablóide ou se envolver em quaisquer escândalos sexuais. — Isso não devia ser uma conquista, Brad. — É quando se trata de você. Confie em mim. Tentei pensar na terceira coisa e me antecipar, mas não tinha uma pista sobre o que poderia ser.


— E terceiro... —, ele disse. — Você aparentemente fez o impossível. Você manteve a mesma assistente executiva por mais de um ano. Você pode me agradecer um milhão de vezes mais tarde por encontrar Mya London. Tomei a minha bebida ao som de seu nome e revirei os olhos. Eu estava pensando em voltar para a sala de reuniões e dizer-lhe para se curvar sobre a cadeira. Ou talvez eu devesse foder com ela na mesa... Não. No chão... — Hum. Olá? — Brad acenou com a mão na frente do meu rosto. — Você está aí, Michael? — Minhas desculpas. O que você estava dizendo? — Eu estava dizendo que, é bastante irônico que a única vez que você encontrou um assistente que durou um ano, ela decide ir embora. — Ele riu. — Louco certo? Vou me certificar de encontrar alguém tão bom quanto ela quando ela sair. — O quê? O que quer dizer quando ela sair? Ele jogou para trás a sua bebida. — Ela me colocou como uma referência para alguns trabalhos que ela foi entrevistada e eles deixaram mensagens de voz pedindo-me para ligar e responder algumas de suas perguntas. — Ele pegou o seu telefone. — Falando nisso, eu preciso agendar isso para algum momento amanhã.


Que

empresas?

Meu

sangue

estava

fervendo

subitamente. — Os ladrões habituais de grandes funcionários. — Ele riu novamente. — Apple, Microsoft e Amazon. — E por que diabos ela não... -— Eu mudei de tom. — Porque ela não me usou como referência? Ou mesmo porra me dizer que ela estava indo embora? Ele encolheu os ombros. — Provavelmente assumiu que você é ocupado o suficiente e você não iria ter tempo para chamar as pessoas de volta. Ou, talvez ela legitimamente supõe que eu seja a melhor escolha. — Ele mudou de assunto e começou a falar sobre as nossas projeções para o próximo trimestre, mas eu não consegui prestar atenção. Eu estava furioso com a audácia de Mya por sequer pensar em sair. Eu estava pagando-lhe mais do que o dobro do que eu paguei a qualquer um dos meus AEs anteriormente, merecidamente, e seu pacote de benefícios foi adaptado especificamente para ela: O dia em que descobri que ela amava e preferia a versão de capa dura de romances, eu adicionei ao seu contrato uma ordem para que ela recebesse quinhentos dólares para livros de capa dura por mês de qualquer livraria que ela quisesse. O dia que eu descobri que ela não tinha seu próprio carro e usava um táxi para ir e vir ao


trabalho e reuniões? Eu adicionei uma ordem ao seu contrato que lhe dava acesso ilimitado a seu próprio town-car e motorista. (Nenhum outro assistente executivo no prédio já tinha tido o seu próprio town-car, e eu fiz com que mais ninguém na empresa soubesse sobre esse arranjo. Incluindo Brad.) E no dia eu descobri que ela realmente queria ser um assistente profissional e, eventualmente, subir para as fileiras de CEO de uma empresa algum dia, eu pensei que tinha encontrado um grande parceiro de negócios em potencial para o futuro. Mas agora, eu não tinha tanta certeza. Acrescente isso ao fato de que ela sequer pensou em me dizer que queria desistir. Isto era fodido. Isto era guerra. —

Então,

eu

estou

pensando.

Brad

ainda

estava

balbuciando. — Se investirmos mais na produção de áudio para o segundo trimestre do próximo ano... — Quanto é que outras empresas estão oferecendo? — Eu o interrompi. — Eles estão pagando muito mais do que nós? — O quê? — Ele deu um passo para trás. — Você ouviu alguma coisa do que eu disse nos últimos cinco minutos? — Nada. — Eu não iria nem mesmo tentar fingir o contrário. — Quanto eles estão pagando?


Ele piscou. — Na verdade, nem sequer responda a isso, — eu disse. — Encaminhe-me as perguntas das empresas, e quaisquer outras novas que surgir. Eu vou ser sua referência...


O CHEFE Michael Manhattan, New York — Aqui estão os relatórios solicitados, a impressão da front-list do próximo mês e o seu café. — Mya colocou uma caneca e uma pilha de pastas na minha frente na tarde seguinte. Ela estava usando um vestido azul brilhante que se agarrou aos seus quadris e expôs o topo de seus seios, e o meu pau tinha ficado duro no segundo em que eu a vi esta manhã. Mesmo durante a sua apresentação aos estagiários, horas atrás, eu ainda estava sentado na sala de reuniões e tentei me concentrar em qualquer outra coisa enquanto as palavras saíram de sua boca sedutora, mas não adiantou muito. Os pensamentos de dobrá-la sobre todas as superfícies do meu escritório só estavam piorando a cada dia. — Gostaria de qualquer outra coisa, Sr. Leighton? — Ela ajeitou a alça do sutiã exposta, me tirando dos meus pensamentos. — E o relatório Danbury? — Eu perguntei. — Feito. — Os arquivos Porterfield?


— Feito há semanas atrás. — Conseguiu os títulos backlist de... — Faith Sarandon foram contratados e assinados? — Ela me cortou e cruzou os braços. — Sim. Assim como todos os catálogos backlist dos outros vinte e dois autores que você me pediu para adquirir. Eles estão muito felizes com a sua chamada generosidade. Algo mais? — Na verdade, sim. — Eu ignorei a maneira como ela disse 'generosidade' e abri a gaveta da minha mesa. Peguei o seu arquivo pessoal e coloquei na minha frente. — Eu estive olhando o seu contrato para ter certeza de que está atualizado. Você está atualmente contratada por mais dois anos. Ainda está correto? — Pelo que sei. — Ela sorriu. — Isso está correto. — Então, nada mudou e você está muito feliz de trabalhar aqui? — Claro. — Ela olhou para longe de mim e limpou a garganta. — Isso é tudo que você precisa de mim, Sr. Leighton? Tenho toneladas de trabalho a fazer hoje. Nós temos uma reunião com Somerstein ao meio dia. Peguei uma caneta e empurrei o contrato sobre a minha mesa. — Eu fiz um reajuste salarial ao contrato. Se você rubricar, ele pode ser efetuado já nesta sexta feira.


Ela pegou o papel e finalmente olhou para mim, seus impressionantes olhos cor de avelã encontraram os meus. — Eu hum... Você se importa se eu olhar isso mais tarde? — Eu me importo. Olhe agora mesmo. Ela abriu os lábios, mas ela não disse uma palavra. Ela folheou os papéis, parando na página do salário e os seus olhos se arregalaram. — Isso é... — Ela piscou algumas vezes. — Este é um grande aumento. — É. — Apertei os olhos. — Eu acho que você deve assiná-lo. — Espere um minuto... Você adicionou uma cláusula de não concorrência, — ela disse, lendo em voz baixa. — Eu, Mya London, concordo em permanecer em Leighton Publishing por um mínimo de quarenta e oito meses, e até que esteja concluído, nunca irei buscar outras oportunidades na concorrência. — Há um conjunto de canetas a sua frente. Eu prefiro preto. Ela baixou os papéis e deu um passo atrás. — Preciso de tempo para pensar sobre isso. — Sobre o que exatamente você precisa pensar? — Eu estava além de confuso. — Essa oferta é o triplo do que você recebe atualmente, o que diz algo, desde que você está atualmente


recebendo o dobro do que qualquer outro assistente executivo aqui faz. — Eu acho que eu não gostaria de me comprometer com algo a menos que eu tenha cem por cento de certeza de que, pelo menos, será bom e agradável para mim. — Isso vai certamente ser mais do que 'bom' e extremamente agradável para você. — Você está se referindo ao trabalho, Sr. Leighton? — Ao que mais eu estaria me referindo? Silêncio. — Um... — Ela limpou a garganta, dando mais um pequeno passo para trás. — Certamente você mesmo não assina contratos depois de lê-los apenas uma vez. — Eu faria se fosse um contrato como este. Ela murmurou algo sob a sua respiração que eu não consegui entender, e depois o meu telefone de mesa tocou. Mantendo os meus olhos fixos nos dela, eu atendi. — Sim? — Eu disse. — Ei. — Era Brad. — Ainda bem que eu te peguei antes da reunião Somerstein. Acabei de receber um telefonema da Hilton


Corporate e passei para a sua linha direta, por isso tente estar disponível para as suas perguntas em algumas horas. Eu já lhes disse que Mya é incrível, mas eles precisam de uma segunda referência, mais direta. Eles querem detalhes que não tenho, por isso tente ser específico. — Eu definitivamente vou fazer isso. — Eu desliguei, ainda olhando para Mya. — Então, quanto tempo você precisa para estudar a minha proposta? — Alguns meses devem ser suficientes. — Meses? — Eu apertei a minha mandíbula. — Sim. — Ela olhou para mim. — Meses. Trabalhar para você por um longo período de tempo é muito para pensar. Silêncio. — Certo. — Peguei os papéis e os devolvi — Você pode dar o fora do meu escritório agora. Ela balançou a cabeça e olhou para as minhas calças, corando antes de sair da sala. Endireitei-me na minha cadeira e balancei a cabeça. Eu estava confuso e perturbado com o fato de que ela não só descaradamente mentiu na minha cara, mas ela também estava se recusando a admitir que ela estivesse procurando outros empregos. Isso e o fato dela ainda estar sob a minha pele com a sua besteira sexy.


EntĂŁo, novamente, se ela queria jogar, eu poderia fazer o mesmo...


OS E-MAILS Mya Assunto: O Idiota Relatório #235 (você acredita que eu ainda mantenho o controle disso?) Hoje nós deveríamos passar pelos títulos de ficção literária que serão lançados na Primavera. Eu enviei um e-mail a ele com as minhas escolhas semana passada, mas uma vez que ele ‘não se lembra’, ele me pediu para RE-FA-ZER todas as 200 páginas do relatório em uma hora. Uma hora! Claro, eu fiz muito mais do que uma cópia, então eu não estou realmente refazendo isso, mas foda-se. Foda-se. Sua melhor amiga, Mya PS - É triste que, idiota ou não, ele ainda faz a minha calcinha molhar mais do que uma vez por semana? Assunto: Re: O Idiota Relatório #235 (você acredita que eu ainda mantenho o controle disso?)


Você errou! Nós estamos no relatório O Idiota #335, não # 235!  E BRAVO por fazer cópias! Maneira inteligente de pensar! Ugh, eu mal posso esperar que você saia! Quer dizer, para onde quer que você vá depois disso, você provavelmente não vai ter todos aqueles principais benefícios, mas você não vai ter que lidar com ele, então é mais do que uma troca justa. Sua melhor amiga, Amy PS - Não, mas só porque você está ainda lamentavelmente solteira. Assunto: Seu pênis tem que ter, pelo menos, nove polegadas... (Pelo menos) Isto vai soar totalmente insano, mas eu juro que este homem estava excitado durante toda a minha apresentação de hoje. Tipo, ele tinha que estar, e ele tinha que saber que eu estava roubando olhares dele, porque ele se sentou na parte de trás da sala, recostando-se com as pernas abertas e mantendo os seus olhos sobre mim o tempo todo. Sua melhor amiga, Mya


Assunto: Re: Seu pênis tem que ter, pelo menos, nove polegadas... (Pelo menos) Você exclui esses e-mails, certo? LOL10. Eu vou aceitar a sua palavra sobre as nove polegadas. Tenho certeza de que ele não ganhou a sua reputação de playboy por nada. Talvez você possa dar um chute nas suas nove polegadas antes de sair? Foque em sair, mas comece a reduzir esses e-mails falando sobre o pau dele. (Caso contrário, você pode começar a acreditar inconscientemente que deve ficar. O_o). Sua melhor amiga, Amy

10

"laughing out loud" ou "rir em voz alta."


A ASSISTENTE Mya Manhattan, New York Eu não podia acreditar que o Sr. Leighton teve a audácia de me oferecer um contrato prolongado depois da maneira como ele me tratou, não podia acreditar que ele tinha mencionado isso em todos os seus e-mails desde o dia em que ele falou sobre o novo contrato. Enquanto eu olhava para fora da minha janela do town-car, eu decidi que eu precisava dizer a ele que eu realmente estava procurando por outro local de trabalho. Que não era nada pessoal, mas eu queria ir para um lugar onde eu seria realmente apreciada. E em algum lugar onde ele não seria uma distração... No segundo em que o motorista parou na frente da Leighton Publishing, o meu telefone tocou com o seu habitual e-mail da manhã. Assunto: O que eu preciso hoje. Café. O novo livro de Stephen King. Relatórios para a reunião das duas horas. Sua assinatura no contrato de extensão de emprego.


Não precisa agradecer. Michael Leighton CEO, Leighton Publishing Suspirei. Eu vinha fazendo o meu melhor para evitar essa última linha em todos os seus pedidos de tarefas, simplesmente ignorava via e-mail ou simplesmente dizia ‘Eu preciso de mais tempo para pensar sobre isso’, se ele trouxesse o assunto à tona durante uma de nossas reuniões. E mesmo que a tensão sexual entre nós estivesse nos níveis mais altos do que nunca, eu não poderia me dar ao luxo de deixar que nublasse o meu julgamento. Sua sensualidade arrogante não era uma razão boa o suficiente para ficar, e as chances de termos relações sexuais eram quase nulas. (Não que fazer sexo com ele era uma razão boa o suficiente para ficar também.) Depois de garantir uma cópia do livro mais recente de Stephen King na Barnes & Noble e uma xícara do seu caro café favorito, corri para dentro do edifício e me dirigi até o seu escritório. Bati na porta cinco vezes e esperei o seu familiar, — Sim? — Antes de abrir a porta. No momento em que entrei, senti os seus profundos olhos castanhos observando cada movimento meu, e eu tentei não fazer


contato visual quando me aproximei e coloquei o livro e o café em sua mesa. — Há alguma coisa em sua mente, Srta London? — Ele esperou que eu olhasse para ele, e eu finalmente cedi. — Alguma razão particular por que você está atualmente resmungando? — Não, senhor Leighton. É apenas... — Eu decidi ser honesta, para finalmente acabar com isso. — Eu não estou interessada em assinar o contrato de extensão. Ele levantou a sobrancelha. — Está se referindo a agora, ou nunca? — Nunca. — Eu dei um passo para trás, esperando a reação dele, mas não houve nenhuma. Seu rosto permaneceu impassível e ele simplesmente pegou o café e tomou um longo gole. — É justo, — disse ele. — Obrigado por me dizer. Depois de você se estabelecer em seu escritório, eu preciso que você pegue a minha limpeza a seco da Midtown. Deve haver quinze ternos e vinte camisas em meu nome. Que diabos? — Você gostaria que eu fizesse mais alguma coisa? — Mais nada. Forcei um sorriso e me dirigi para a porta.


— Obrigada por ser compreensivo sobre o contrato, Sr. Leighton. — A qualquer momento, Srta London. Eu deixei o seu escritório e me dirigi ao meu próprio, rapidamente imprimi os relatórios para a reunião das duas horas para que eu pudesse poupar tempo desde que eu tinha uma nova missão de limpeza a seco. Quando eu estava grampeando o primeiro conjunto de folhas, o meu telefone tocou com um novo email dele. Assunto: Algo mais que preciso hoje. Meu Jaguar precisa ser lavado. Leve-o para aquele lugar que eu gosto em New Jersey, dez milhas depois da ponte. Michael Leighton CEO, Leighton Publishing Ele está falando sério? Baixei os relatórios sobre a mesa, mal tendo a chance de reler a mensagem para ver se os meus olhos estavam me pregando peças ou não, porque ele me enviou outro e-mail. Assunto: E também...


Eu me esqueci de pegar um relógio em particular que eu encomendei semanas atrás no meu caminho para o trabalho nesta manhã. Você vai precisar ficar na fila da Audemars Piguet na 57th Street ao meio dia, para garantir que eu o receba hoje. Michael Leighton CEO, Leighton Publishing Fechei a minha porta com força para impedir-me de gritar. Caminhei em volta da sala algumas vezes antes de responder a ele com um curto ‘Ok’. Então eu fui até a garagem do estacionamento privado. Peguei as chaves do cofre e tentei o meu melhor para não pensar em usá-las para riscar o seu carro e rapidamente deslizei atrás do volante. Em vez de ir imediatamente em direção à tinturaria eu tomei o seu Jaguar para uma corrida de meia hora em primeiro lugar. Levei o meu tempo dirigindo pelas ruas da cidade, parando para o café de dez dólares e carregando o valor de cinco xícaras no seu cartão de uma só vez. Avistei um belo cachecol de caxemira através de uma vitrine na Macy's e corri para dentro para comprá-lo em todas as vinte e cinco cores. Na saída, eu notei uma nova linha de moda na loja de lingerie nas proximidades, então, usei o seu precioso cartão de crédito e comprei dez conjuntos correspondentes de calcinhas e sutiãs excessivamente caros.


Foda-se ele... Ainda me sentindo imprudente e muito menos profissional do que eu já me senti na vida, eu peguei a sua limpeza a seco e joguei no banco de trás. Eu dirigi através da ponte George Washington e sentei em um café por meia hora. Eu verifiquei o meu e-mail e vi que o bastardo do meu chefe já tinha me contatado. Assunto: Momento. Eu me recuso a acreditar que leva de três a quatro horas para pegar os ternos na lavagem e a encomenda de um relógio. Mesmo considerando ter o meu carro lavado, você deveria estar de volta. Michael Leighton CEO, Leighton Publishing Eu imediatamente o excluí e notei que havia vários outros novos e-mails na minha caixa de entrada que eu realmente queria ver. Apple, Microsoft e Amazon, enviaram mensagens pessoais positivas dizendo, ‘Parabéns! Você chegou à última rodada de entrevistas!

Nós

simplesmente

precisamos

verificar

as

suas

informações e referências. Depois, nós tomaremos uma decisão interna a portas fechadas’.


Eu quase pulei da minha cadeira, gritando pela minha liberdade iminente. Eu sabia que não havia nenhuma maneira no inferno que eu não iria receber uma oferta formal de pelo menos um desses postos de trabalho, e desde que eu ainda estava à espera de um retorno de outras vinte, eu me senti mais encorajada do que nunca. Eu me senti como se eu pudesse sair da Leighton Publishing agora e deixar o Jaguar de Michael no meio de New Jersey para que ele próprio tenha que ir buscá-lo amanhã. Demorou um minuto para eu perceber que eu não era tão ousada. Isso, e porque eu precisava dele para voltar para Nova York. Irritada, despejei toda a minha frustração em um longo fodido e-mail para Amy, e por causa do seu conselho, eu o exclui no segundo em que enviei. Assunto: Meu chefe. Eu já te disse que eu odeio o meu chefe hoje? Sexy como o inferno ou não, este pomposo, arrogante, idiota me pediu para pegar a sua limpeza a seco no segundo em que entrei pela porta. Então ele me disse que eu precisava levar o seu Jaguar a uma lavagem de carro que era dez milhas fora da cidade, mas só depois que eu enfrentasse uma fila sem fim para comprar algum tipo de limitado, relógio de cem dólares.


Eu honestamente não posso esperar para ver o olhar no seu rosto dois meses a partir de agora quando eu lhe disser que eu estou deixando a sua empresa e que ele pode beijar a minha bunda. BEIJAR. MINHA. BUNDA. Todas as fantasias anteriores a respeito dele me beijando com a sua — boca perfeita — ou me curvando na minha mesa e me enchendo com o seu pênis longo acabaram. ACABARAM. Sua melhor amiga, Mya PS - Por favor, me diga que o seu dia está indo melhor do que o meu...


OS E-MAILS Mya Assunto: Meu e-mail. Recebeu o meu e-mail desta tarde? Sua melhor amiga, Mya Assunto: Re: Meu e-mail. Não... Que e-mail? Sua melhor amiga, Amy Assunto: Re: Re: Re: Meu e-mail. Aquele sobre o meu patrão e toda a merda que ele me pediu para fazer hoje.  Gostaria de poder reenviá-lo, mas eu o deletei... Ele é tão ridículo, Amy.


Posso ligar-lhe daqui a vinte minutos, quando eu voltar ao escritรณrio? Sua melhor amiga, Mya Assunto: Re: Re: Re: Re: Meu e-mail. Claro. Vou esperar. Sua melhor amiga, Amy


A ASSISTENTE Mya Manhattan, New York Eu caí na minha cadeira do escritório minutos depois de deixar o Jaguar do Sr. Leighton na garagem. Eu não me incomodei em trazer nada de sua limpeza a seco para dentro, no entanto. Se ele quisesse esses ternos, ele poderia ir até a garagem e pegá-los. Agora, mais do que nunca, havia uma grande parte de mim que queria arrumar todas as minhas coisas e nunca mais voltar. No entanto, eu sabia que eu não poderia deixar este lugar sem dizerlhe pessoalmente para ir se foder em primeiro lugar. Eu mais que merecia isso. Quando eu, finalmente, deixei a raiva ir o suficiente, eu peguei o meu telefone de mesa e liguei para a Amy. — Ei lá! — Ela respondeu ao primeiro toque. — Você está se sentindo melhor? — Nem um pouco. — Eu suspirei. — Eu não sei como vou fazer isso por mais dois meses, Amy. Eu realmente não sei. — Você pode fazer isso, — disse ela. — Este é apenas um dia ruim e eu tenho certeza que quando você chegar em casa mais tarde, você vai se sentir de forma diferente. Não deixe que ele


chegue até você. Nunca. — Houve um súbito barulho forte ao fundo. — Ugh! Deixe-me ligar de volta, Mya. Os vizinhos estão sendo ridículos com a sua música hoje. Ela terminou a chamada antes que eu pudesse dizer adeus, e ouvi um ‘ping’ em minha caixa de entrada, segundos depois, sabendo que ela tinha me enviado um de seus habituais e-mails ‘fique calma’. Eu abri o meu e-mail, esperando ver algo inspirador, mas no instante em que eu vi a linha de assunto e o remetente o meu queixo caiu no chão. Assunto: Re: Meu chefe. Não, você ainda não me disse que você odeia o seu chefe hoje, mas vendo como você me enviou este e-mail diretamente, eu sei agora... Sim, eu te pedi para pegar a minha lavagem a seco no segundo em que você chegou para trabalhar. (Onde está?) E eu lhe disse para levar o meu Jaguar para a lavagem e pegar o meu relógio de MIL dólares. (Obrigado por levar cinco horas para fazer algo que poderia ser realizado em duas.) Você não tem que esperar dois meses a partir de agora para ver o olhar no meu rosto quando você me disser que está saindo. Eu estou parado do lado de fora do seu escritório neste momento. (Abra à porta.)


Nenhum comentário sobre as suas ‘fantasias’, embora eu duvide que elas tenham ‘acabado’. Seu chefe, Michael PS - Sim. Meu dia está indo definitivamente muito melhor do que o seu... Oh. Meu. Porra. Deus! Eu senti toda a cor drenar do meu rosto, e eu juro que eu não consegui respirar por mais de um minuto. Eu balancei a cabeça em descrença absoluta, recusando-me a acreditar, que eu tinha enviado o meu discurso para ele em vez de Amy. Eu atualizei repetidas vezes a tela do meu computador, na esperança de que isso fosse algum tipo de piada. A batida forte e repentina veio à minha porta e meu coração quase pulou fora do meu peito, mas eu não me levantei. Eu não fiz um único movimento. A batida veio de novo, muito mais alta desta vez, e desta vez eu ouvi a voz dele. — Senhorita London? — Ele bateu mais uma vez.


Eu lentamente levantei e olhei pelo olho mágico. Sr. Leighton estava olhando para o seu relógio, seu rosto ainda incrivelmente perfeito e impecável. Seus lábios cheios pressionados em uma linha fina pela raiva. Ele levantou os olhos do relógio e olhou para o olho mágico, deixando que seus olhos encontrassem os meus. Eu pulei para trás e considerei as minhas opções. Eu poderia abrir a porta e ouvir o que ele tinha a dizer, ou eu poderia sair pela porta lateral do meu escritório. Foi uma decisão óbvia. Eu agarrei o meu casaco, o meu laptop, e desliguei o meu computador. Em seguida, corri para fora pela minha porta lateral e tomei o elevador de carga até onde o meu town-car estava esperando. O meu motorista me olhou suspeitosamente enquanto eu, literalmente, corria pela garagem, mas ele não protestou quando eu implorei a ele para se apressar e levar-me para casa. Eu não esperei por ele para abrir a porta para mim ou me desejar um bom dia quando chegamos. Eu praticamente saltei do carro e corri rápido para o meu prédio, indo diretamente para o apartamento de Amy. — Amy? — Eu bati na sua porta. — Amy!


— Já vou! — Ela abriu a porta imediatamente e me puxou para dentro. — Não há necessidade de bater na minha porta assim, Mya. Que diabos está de errado com você? — Eu acho que acabei de ser demitida. — O quê? Como você acha que você acabou de ser demitida? Você foi ou não. — Ok, ok. Eu não fui demitida ainda, mas eu tenho certeza que ele vai me demitir. Ele definitivamente vai me demitir. Oh Deus, oh Deus, oh Deus... — Mya, se acalme. — Ela colocou as mãos nos meus ombros. — Fale Inglês, devagar. Muito lentamente. — Eu acidentalmente enviei a ele um de meus e-mails reclamando, um e-mail que era para ser cem por cento para você. — Foi pior do que aquele que você me enviou ontem de manhã? — Muito pior. Mencionei as minhas fantasias sobre o seu pênis neste... Eu o chamei de idiota e disse que eu costumava fantasiar sobre ele me curvar sobre a mesa. Seu rosto ficou vermelho, e ela abriu a boca para dizer algo, mas o som do meu telefone tocando chamou a nossa atenção.


Puxei-o do meu bolso e quase o derrubei ao ver o nome do Sr. Leighton na tela. Sem saber o que fazer, eu joguei-o no sofá. — É ele? — Amy perguntou. Eu só pude acenar. — Você pretende responder a isso? — Não. — Eu olhei para ele até que fosse para o correio de voz. Mas então o telefone tocou novamente. E de novo. Revirando os olhos, Amy pegou o meu telefone e atendeu antes de jogá-lo para mim. — Olá? — Eu respondi, a minha voz era basicamente um sussurro. — Olá, Srta London. — O som do meu nome saindo de sua boca me fez sentar. — Será que eu te peguei em um momento ruim? Eu balancei a cabeça, como se ele pudesse me ver. — Você está aí, senhorita London? — Sua voz profunda enviou calor pelo meu corpo. — Será que eu te peguei em um momento ruim? — Ele repetiu. — Na verdade não...


— Bom. Onde você está agora? — Oh, hum... — Olhei para Amy pedindo ajuda, mas ela estava sorrindo, olhando como se essa merda fosse realmente engraçada. — Eu corri para a sala de cópia. — Então, você ainda está no prédio? — Você poderia dizer isso. — Eu vi você entrar em seu town-car há meia hora. — Havia um sorriso em sua voz. — Você definitivamente não está no prédio neste momento. — Sim, bem... Há algo que você precisa de mim agora? — Há realmente, — ele disse, com a voz ainda mais profunda, mais sexy. — Eu vim para o escritório, está tarde, porque eu precisava discutir algo privado e muito importante que diz respeito a você e a mim, mas eu perdi você de alguma forma. Então, eu preciso que você venha trabalhar uma hora mais cedo amanhã para que possamos ter essa conversa particular e importante. Você pode fazer isso? Eu balancei a cabeça, um pouco ligada pela maneira como ele disse a palavra ‘particular’. — Senhorita London, — ele repetiu. — Você pode fazer isso? — Sim...


— Bom. Eu a verei pela manhã. — Ele terminou a chamada, e um grande copo de vinho foi imediatamente empurrado em minha mão por Amy. Merda. Merda. Merda... Ela tentou o seu melhor para me distrair do erro épico de hoje, fazendo-me assistir a terríveis shows no Netflix, e deixar-me ficar em seu sofá por horas, mas não adiantou. Acordei duas vezes no meio da noite, esperando que tudo isso fosse algum tipo de pesadelo. E por um momento, parecia que realmente era, até eu verificar o meu telefone e ver que o Sr. Leighton tinha me enviado uma mensagem minutos antes da meia noite. Assunto: Amanhã. Chegar uma hora mais cedo do que o normal. Não se esqueça. (Eu não vou.) Michael Leighton CEO, Leighton Publishing


A ASSISTENTE Mya Manhattan, New York Não havia nenhum e-mail ‘O que precisamos hoje’ dele essa manhã, nenhum pedido de ultima hora por café, lançamentos de livros, lanches. Enquanto eu me dirigia para o escritório uma hora mais cedo, como ele pediu, notei que o seu Jaguar não estava em seu local designado. Um pouco aliviada, peguei o elevador para o meu andar e abri o meu escritório, insegura se eu deveria começar a organizar as minhas coisas para uma rescisão próxima ou não. Quando ele decidisse falar sobre o meu e-mail, eu sabia que iria ter que escolher entre três opções para responder. Opção A: Negar. Negar. Negar. Opção B: Negar mais. Negar mais. Negar mais. Opção C: engolir o meu orgulho, admitir o erro, e esperar que ele não me demitisse porque eu ainda não havia recebido nenhuma oferta oficial para qualquer outro trabalho ainda. Tem que ser a Opção A...


Assim que eu estava prestes a sentar, o telefone da minha mesa tocou e o número do seu escritório apareceu na tela. Respirando fundo, eu peguei o receptor. — Sim, senhor Leighton? — Venha até o meu escritório. — Ele desligou sem uma única palavra a mais, me deixando confusa. Tranquei a minha bolsa na minha gaveta e tomei a escada, batendo

três

vezes

até

que

o

seu

familiar,

Sim?

Cumprimentou-me e fez-me abrir a porta. Ele estava sentado em sua cadeira, com as costas de frente para mim. Ao som dos meus saltos estalando contra o chão, ele lentamente virou e reuniu os seus profundos olhos castanhos com os meus. Seu terno de hoje era um que eu nunca tinha visto antes, um cinza escuro que combinou perfeitamente com o novo relógio de prata em seu pulso. O relógio que ele muito recentemente me fez ficar na fila para pegar. — Sente-se. — Ele fez sinal para eu sentar na frente da sua mesa. Sentei — Você sabe senhorita London, — Ele enfatizou cada sílaba do meu nome. — Eu honestamente pensei que você e eu estávamos em


melhores condições, especialmente depois de trabalhar juntos por mais de um ano. Mas parece que eu estava claramente enganado. Ele olhou como se ele estivesse esperando por algum tipo de explicação em relação ao meu e-mail, e eu ainda não tinha certeza se eu deveria usar as Opções A, B, ou C. Como se ele pudesse sentir que eu estava pesando as minhas opções, os seus lábios se curvaram em um sorriso. Tentei desviar o meu olhar, mesmo por um segundo, mas eu não poderia afastar o meu olhar do dele. — Você vai dizer alguma coisa? — Perguntou ele. — Ou você vai continuar sentada ai como se você não tivesse ideia do que eu estou falando? — Isso é sobre eu sair mais cedo ontem? — Eu decidi pela Opção A. — Eu estava me sentindo um pouco doente, isso é tudo. — Trata-se de um e-mail particularmente inadequado onde você faz uma menção de eu ‘te comer’. — Minhas bochechas estavam em chamas e eu sabia que ele não ia deixar passar isso de jeito nenhum. — Eu sinto muito, — eu disse rapidamente. — Eu não tinha ideia de que eu acidentalmente...


— Isto é também sobre... — ele disse, me cortando levantando a mão. Eu possivelmente tendo que ir até o RH e apresentar uma queixa. Uma queixa de assédio sexual. O que? Lentamente, levantou, andou na frente de sua mesa, me mantendo presa a cadeira com o olhar irritado, fazendo-me toda molhada com cada ligeira contração dos seus lábios. — O assédio sexual é um crime muito grave aqui na Leighton Publishing, senhorita London. — Ele me olhou de cima á baixo. — Eu tive pessoas demitidas por ofensas muito menos graves, e eu tecnicamente deveria estar fazendo o mesmo com você agora, pois isso seria mais do que justo. — Ele não me deixou falar. — Especialmente porque eu acho que você não entende por que o que você fez foi tão ofensivo. — Eu entendo... — Minha voz era um sussurro. — Ah, é mesmo? — Ele ergueu a sobrancelha. — Você pode imaginar se eu acidentalmente enviasse um e-mail semelhante a alguém como você fez? Eu não respondi. — Deixe-me colocar isso em outra perspectiva para você. — Ele se inclinou para frente, tão perto que os seus joelhos estavam tocando os meus. — Se eu mandasse um e-mail ‘acidentalmente’


para você, dizendo que eu queria que você sentasse a boceta no meu rosto desde que você começou a trabalhar aqui... Ou que eu queria dobrar o seu rabo sobre a minha própria mesa e fode-la até que você me implorasse para parar toda vez que você usa um vestido em especial, você não acha que eu teria de ser repreendido de alguma forma? Fiquei sem palavras com o que ele disse, e eu não tinha certeza se ele estava apenas dando um exemplo ou se ele realmente pensava sobre mim do jeito que eu pensava nele. — Responda-me, Mya. — A maneira como o meu nome caiu de seus lábios me fez chupar uma respiração. — Você não acha que haveria um tumulto, com graves consequências? — Talvez. — Talvez? Não, definitivamente. — Ele ajustou a gravata. — Na verdade, haveria um tumulto tal que eu acho que o departamento de TI seria forçado a passar por todos os e-mails que eu já enviei em qualquer equipamento da empresa, uma vez que nada enviado da empresa é verdadeiramente excluído do seu servidor. Na verdade, eles provavelmente teriam que investigar e ver se isso foi uma ofensa única ou um padrão particularmente interessante... Eu senti o meu queixo cair e me esforcei para manter os meus lábios fechados.


— Quero dizer, — ele disse, parecendo mais sério. — Dependendo

do

que

eles

encontrassem,

eles

teriam

que

pessoalmente me abordar e avaliar os danos. E se a pessoa que eu estava falando sobre 'foder ' em meus e-mails quisesse, eu tenho certeza que ela poderia fazer a minha vida muito infeliz. Silêncio. Ele pegou uma pasta de sua mesa e, lentamente, colocou no meu colo, de alguma forma conseguindo me ligar ainda mais, mesmo sem me tocar. — Trezentos e sessenta e sete e-mails entre você e a sua melhor amiga, Amy. Foi isso? — E só deste mês. — Sua fala foi curta. — Eu não tive tempo de ler mais do que alguns deles, mas eu estou assumindo que não vamos ver mais isso em nosso banco de dados de TI. Ou vamos? — Não. — Eu balancei a minha cabeça. — Bom. Eu tive todos eles permanentemente excluídos. Você não precisa agradecer. — Ele se levantou e olhou para o relógio. — Aqueles arquivos do Robert devem chegar antes da nossa reunião matutina com Lockwood. — Ele andou até a porta e a manteve aberta, esperando que eu saísse. Evitando o seu olhar, levantei-me e segui para o corredor.


— Ah, e uma última coisa, senhorita London, — disse ele, fazendo-me olhar por cima do ombro. — Sim? — Para o registro, por seu e-mail com o título de assunto, 'Eu me pergunto se ele come boceta'... — Ele me olhou de cima á baixo. — Eu como boceta, e se eu comeria a sua boceta... Se esse pensamento sujo já tivesse atravessado a minha mente e certas circunstâncias entre nós fossem diferentes, você não seria capaz de caminhar durante dias depois. Eu acabaria com você...


O CHEFE Michael Manhattan, New York Eu li todos os e-mails que eu puxei do TI. Todos. Um. Por. Um. Eles eram fáceis de controlar já que aparentemente ela e a sua amiga marcavam todos os que diziam respeito a mim como ‘O Idiota Relatório’, ‘Meu chefe’ ou ‘Este homem hoje’... Era muito evidente que ela me odiava e eu quase me arrependi de descontar a minha frustração sexual nela, exigindo muito. Quase. Sua mente estava malditamente perto de ser tão impertinente como a minha quando se tratava de sexo, e foi um pouco gratificante saber que a atração não era unilateral, mesmo que houvesse pouco que eu pudesse fazer sobre isso. Eu nunca tinha misturado negócios com prazer antes, e eu não iria começar agora. Eu só precisava passar por todas as nossas oito reuniões de hoje sem pensar no que eu tinha visto em seus emails, sem pensar que talvez não fosse misturar negócios com prazer, se ela estava tão decidida a sair em breve. Se eu estivesse a ' deixando ' sair em breve, quer dizer.


Porra...


A ASSISTENTE Mya Manhattan, New York Assunto: O que eu preciso em duas horas Os arquivos Lexington. Transferência de documentos sobre a aquisição Lerner e Taylor. Seu relatório front-list. As notas da reunião desta tarde. Michael Leighton CEO, Leighton Publishing Fechei o e-mail e suspirei. Eu estava começando a desejar que ele tivesse simplesmente me demitido. Desde aquela reunião em seu escritório há dois dias, ele tem sido duas vezes mais dominador. Duas vezes mais insuportável. Tinha levado tudo de mim para não sair da reunião da equipe quando ele propositadamente me colocou diante do pessoal e fez várias perguntas sobre um livro que ele sabia que eu não tinha lido ainda. Então, novamente, quando ele chamou a minha atenção na frente de todos pela apresentação de relatórios incompletos que nem eram esperados por mais quatro semanas.


Não havia nenhuma maneira que eu conseguiria completar todos os objetivos em menos de duas horas, como exigia o seu mais recente e-mail, então eu nem tentaria. Peguei a tarefa que eu já tinha terminado e me dirigi até a sua sala, enviando um e-mail para a Amy no caminho. Eu não me importava que ele pegasse está mensagem no servidor da empresa ou não. Assunto: Chefe Horrível + Típico Comportamento Idiota + Longo Dia = Vinho. Estatísticas! Vou sair do trabalho mais cedo hoje. Posso ir beber vinho em seu apartamento está noite? Sua melhor amiga, Mya Sua resposta veio em segundos. Assunto: Re: Chefe Horrível + Típico Comportamento Idiota + Longo Dia = Vinho. Estatísticas! Claro. Vou sair agora e comprar o seu favorito. Sua melhor amiga, Amy


Quando as portas do elevador se abriram, fui direto para o escritório dele e não me incomodei em bater. Abri a porta e o vi lendo um livro em sua mesa. — Posso ajudá-la com alguma coisa senhorita London? — Ele olhou para mim. — Aqui está o relatório sobre a minha front-list. — Eu bati um enorme maço de papéis em sua mesa. — O relatório Lexington, o que eu consegui terminar dele de qualquer maneira, deve estar em sua caixa de entrada em poucos minutos. — Você não precisava vir até aqui para dizer isso. Você deveria ter me enviado um e-mail... — Seu olhar foi para os meus lábios, mas, em seguida, ele estreitou os olhos para mim. — Você sabe que eu odeio quando as pessoas entram em meu escritório sem permissão. — Você odeia um monte de coisas. — Eu dei de ombros. — Talvez você devesse aprender a lidar com isso como todos os outros. Eu vou trazer as minhas notas sobre a reunião desta tarde assim que eu terminar, sem bater, desde que eu provavelmente vou ter que trazer o seu almoço mais tarde, e então o meu expediente estará encerrado por hoje. — Não. — Ele virou uma página em seu livro. — Você acha que o seu expediente está encerrado por hoje. Eu preciso que você fique até as oito horas.


— Eu não posso, — eu disse com firmeza. — Eu tenho planos. — Eu sei, — disse ele, pousando o romance. — Seus planos envolvem ficar aqui até as oito horas. — Sr. Leighton... — Eu o olhei nos olhos. — Com todo o respeito, que você merece mesmo depois da maneira como você me tratou está semana, eu não vou ficar hoje. Não tenho tempo. E, na verdade, você sabe outra coisa? — Eu bati a pasta que eu tinha acabado de colocar na sua mesa no chão, enviando centenas de folhas de relatório soltas para o chão. — Eu não vou juntar isso, eu não vou fazer mais nada hoje. Eu estou indo para casa. Agora. — Senhorita London... — Ele cerrou os dentes. — Não me faça... — O quê? Demitir-me? Por favor, faça. — Me virei e saí correndo da sala com o meu sangue fervendo e minha frustração no ponto mais alto. Fervendo, caminhei para o meu escritório e fechei a porta. Eu entrei em meu portal de agendamento e enviei e-mails cancelando o restante das minhas reuniões. Também enviei uma mensagem ao RH confirmando que eu estava saindo mais cedo por razões pessoais, e que eu talvez precisasse solicitar tempo adicional nos próximos dias.


Certifiquei-me que todos os e-mails foram enviados, desliguei o meu computador e então arrumei todas as pastas sobre a minha mesa. Quando eu estava colocando o meu casaco, a minha porta se abriu e Michael invadiu o meu escritório. — Indo a algum lugar? — Ele sussurrou, apertando a sua mandíbula. — Você não ouviu o que eu disse quando estávamos lá em cima? — Eu fiz. — Peguei o meu lenço. — Você não ouviu o que eu disse? Eu estou saindo. Você pode ficar ai e me ameaçar com os seus olhares o quanto quiser, mas eu estou indo para casa. — Mya... — Ele fechou a porta e trancou — Eu não vou pedir que você fique novamente. — Bom. — Eu dei de ombros. — Isso torna muito mais fácil para eu sair. — Pendurei a minha bolsa sobre o meu ombro e me dirigi para a porta lateral, mas ele agarrou o meu cotovelo por trás e me girou para encará-lo. — Por que você está sendo tão difícil? — Ele pressionou a testa contra a minha. — Eu realmente preciso que você fique aqui comigo hoje... — Então eu preciso que você me dê uma razão que valha a pena.


Seus lábios de repente colidiram contra os meus e os seus braços rodearam a minha cintura, os dedos habilmente abriram o cinto do meu casaco. Mantendo a sua boca na minha, ele abriu a minha lapela e empurrou o casaco dos meus ombros para o chão. Mordendo o meu lábio inferior, ele deslizou a mão para cima do

meu

vestido,

lentamente

arrancando

a

minha

calcinha

encharcada. Ele me beijou até que eu estivesse sem fôlego, gentilmente me empurrando para trás e contra a minha mesa. Deixando os meus lábios ir, rapidamente, ele empurrou todas as minhas pastas e arquivos para o chão. Meu telefone começou a tocar, e ele imediatamente o bateu para o chão, também. Sem dizer uma palavra, ele me agarrou pela cintura e me levantou, me plantando firmemente no tampo da minha mesa. Minha bunda nua acertou o metal frio e eu suspirei quando eu avistei o seu pau endurecido através de suas calças. — Abra as suas pernas para mim, — ele ordenou. O som de pessoas falando do lado de fora do meu escritório me fez querer saltar, mas ele colocou a mão no meu estômago e me olhou nos olhos. — Eles não serão capazes de nos ouvir, — ele sussurrou. — Faça o que eu lhe disse para fazer. Agora.


Eu lentamente abri as minhas pernas e ele afrouxou a gravata, mantendo o seu olhar entre as minhas coxas. Ele se colocou entre as pernas e pressionou o polegar contra o meu clitóris inchado, aplicando pressão apenas o suficiente para me fazer gemer. — Eu preciso que você me prometa que você não vai gritar, — disse ele. — Eles vão ouvir isso... Eu balancei a cabeça, incapaz de responder quando ele se inclinou para baixo e chupou o meu clitóris em sua boca. — Você pode me prometer isso, Mya? — Eu... — Eu balancei a cabeça novamente, respirando lentamente quando ele soprou contra a minha pele. — Sim... Eu prometo que não vou... Gritar enquanto você me fode... — Eu não estava me referindo a quando eu foder você. — Ele levantou a cabeça, sorrindo. — Eu tenho que comer a sua boceta em primeiro lugar. — De repente, ele agarrou-me pelos meus tornozelos e me puxou para mais perto da borda da mesa, posicionando rapidamente as minhas pernas sobre os seus ombros. Sem perder um segundo, ele enterrou a cabeça entre as minhas pernas e apertou a sua boca contra a minha boceta, enviando um choque por todos os nervos do meu corpo. Sua língua disparou contra o meu clitóris implacavelmente e eu gritei quando ele deslizou dois dedos grossos dentro de mim, enquanto ele gemia.


Minhas mãos foram para o seu cabelo, agarrando-o com força. Entre gemidos, eu quase comecei a gritar, mas ele só riu e os golpes de sua língua se tornaram poderosos. Enquanto as suas mãos seguravam as minhas pernas firmemente contra a sua boca, eu me senti há beira de um orgasmo, sentindo o meu corpo inteiro começar a tremer. — Michael, eu... Eu... — Eu lutei para conseguir falar. Meu corpo estremeceu contra a mesa, me forçando a quebrar a minha promessa e gritar tão alto que eu tinha certeza de que todos no andar podiam me ouvir. Senti-o pressionando os dedos contra a minha boca, o ouvi me ordenando que ficasse quieta, mas eu fechei os olhos e joguei a cabeça para trás, perdendo todo o controle. Eu não estava certa de por quanto tempo eu continuei a tremer, ou se qualquer um dos meus colegas de trabalho me ouviu, mas quando eu abri os meus olhos novamente, as minhas pernas ainda estavam em torno de Michael, e ele estava olhando para mim. Eu pensei que ele ia dizer alguma coisa, encontrar uma maneira de quebrar o silêncio aquecido, mas ele simplesmente tirou as minhas pernas que estavam em torno de seus ombros e desabotoou as calças. Meus olhos se arregalaram tanto quanto eles poderiam, quando ele tirou o seu pênis, quando eu percebi que ele era muito mais grosso e maior do que eu tinha imaginado.


Ele sorriu para a minha reação chocada, tocando o meu queixo com as pontas dos dedos. — Dobre sobre a mesa. Engoli em seco. — O quê? — Você me ouviu. — Ele agarrou a minha mão e me puxou. Então ele agarrou os meus quadris e me girou de modo que as minhas costas estavam em sua frente. — Dobre sobre a mesa, porra. Lentamente, eu pressionei o meu peito contra o metal. Eu ouvi o som de suas calças batendo no chão, o som dele desembrulhando

um

preservativo.

Por

trás,

ele

lentamente

empurrou o vestido até a cintura. Golpeando a minha bunda, ele lentamente deslizou o seu pau enorme em mim, polegada por polegada. Gemendo, eu lutava para manter o equilíbrio enquanto eu me ajustava ao seu comprimento impressionante. Quando ele estava completamente dentro de mim, ele agarrou um punhado do meu cabelo e puxou a minha cabeça para trás até


que nossos olhos se encontraram, sussurrando: — Foi assim que eu transei com você em suas fantasias? Eu não tive uma chance de responder. Ele bateu em mim incansavelmente, mantendo uma mão no meu cabelo e golpeando a minha bunda cada vez que eu gritei. Ele mordeu o meu ombro quando eu disse o nome dele, eu fechei os olhos mais uma vez e percebi que ele era dez vezes melhor na realidade do que em qualquer fantasia que eu já tinha tido. Ele soltou o meu cabelo e deslizou a mão para os meus seios, apertando-os enquanto sussurrava, — Eu queria sentir a sua boceta no meu pau desde que você começou a trabalhar aqui... Engoli em seco, incapaz de reagir quando as minhas pernas começaram a tremer mais uma vez. — Michael... Michael... — Mya... Mya... — Ele zombou de mim, um leve sorriso em sua voz. — Eu... Eu... — Eu agarrei a borda da mesa, quando ele bateu na minha bunda novamente. Ele sussurrou o meu nome enquanto os tremores continuaram a construir dentro de mim, e eu o ouvi dizer: — Espere por mim, — mas eu já estava lá. Minha boceta latejava de prazer e outro orgasmo abriu caminho através do meu corpo, deixando-me mole e sem fôlego


contra a minha mesa. Deixando-me perguntando quanto tempo ele me fodeu. Segurando-me ainda, ele encontrou a sua própria liberação segundos depois, e eu me esforcei para recuperar o fôlego. Nós dois ficamos entrelaçados, e ele beijou a parte de trás do meu pescoço. — Você está bem? — Ele perguntou suavemente. Eu balancei a cabeça. — Posso deixar você ir agora? — Não. Ele soltou uma risada baixa e me segurou contra ele por mais tempo, esperando até que eu lhe dei o ok para me deixar ir. Beijando a minha nuca, mais uma vez, ele lentamente saiu de mim e jogou o preservativo no lixo. Em seguida, ele passou os braços em volta de mim e me virou para que eu ficasse apoiada contra a mesa. Como se ele tivesse percebido que eu era incapaz de funcionar totalmente por conta própria, ele reajustou o meu vestido e me ajudou com o meu casaco. Então ele correu os dedos pelo meu cabelo e olhou para mim antes de pegar os meus sapatos e me ajudar a calçá-los. — Você deve chamar o seu motorista agora, — ele disse suavemente, pegando o meu telefone do chão e me entregando. — Eu vou te levar lá embaixo.


Eu balancei a cabeça e liguei para o meu motorista, vendo Michael vestir as suas calças e ajustar a sua gravata. Seus olhos nunca deixaram os meus, e assim que o meu motorista disse, ‘Eu estarei lá embaixo em cinco’, eu desliguei. Michael me entregou a minha bolsa e eu balançava sobre os meus saltos enquanto eu tentava andar, ganhando um sorriso sexy de reconhecimento dele. Ele me puxou para o seu lado e felizmente me acompanhou em direção aos elevadores de carga, para que ninguém nos visse. Evitei olhar para ele dentro do elevador. Eu estava em total e absoluto choque que eu realmente tinha transado com ele, que o líder em todas as minhas fantasias tinha feito estas passarem vergonha quando comparadas com a realidade. Quando saímos juntos, fiquei imediatamente confusa de por que o céu tinha escurecido tão rapidamente. Michael me levou direto até o town-car e abriu a porta de trás, esperando que eu entrasse. Ele olhou como se esperasse que eu dissesse algo, mas por alguma razão, eu só conseguia pensar em uma coisa. — Obrigada por ser compreensivo, Sr. Leighton, — eu disse, não querendo dar ao motorista qualquer tipo de impressão sobre o que diabos tinha acontecido entre nós. — Por compreender o que, senhorita London?


— Que eu não ficaria até as oito horas hoje. Fico feliz que chegamos a um entendimento. Um lento sorriso se espalhou pelo seu rosto e ele olhou para o relógio. — Eu acho que você está altamente mal informada agora, senhorita London. Já são nove horas. — Ele deu uma última olhada em mim e fechou a porta. — Até segunda.


OS E-MAILS Mya Assunto: Eu dormi com ele. Tipo, eu realmente dormi com ele... Sua melhor amiga, Mya Assunto: Re: Eu dormi com ele. Você realmente dormiu com quem? O encontro às escuras? E por que você está enviando um e-mail de uma nova conta do Gmail? Sua melhor amiga, Amy Assunto: Re: Re: Eu dormi com ele. Meu chefe... Super longa história. Sua melhor amiga,


Mya Assunto: Re: Re: Re: Eu dormi com ele. Que porra é essa? Você perdeu a MALDITA cabeça, MYA? Que diabos você tem de errado??? (Como foi, no entanto...?)  Gosto de histórias super longas. Sua melhor amiga, Amy Assunto: Re: Re: Re: Re: Eu dormi com ele. Foi o melhor sexo que eu já tive na minha vida. Eu acho que eu nunca serei capaz de parar de repetir isso na minha mente. E eu não acho que possa voltar ao trabalho na segunda e olhar para ele como se não tivesse acontecido nada, depois disso... Eu estarei na sua casa em cinco minutos. Sua melhor amiga, Mya


O CHEFE Michael Manhattan, New York Meu fim de semana voou em um borrão inquieto, pontuado por replays mentais de foder a Mya em seu escritório. Eu sinceramente nunca pensei sobre a mesma mulher depois de acabar de transar, mas quanto mais eu tentava parar de pensar em Mya, mais imagens dela se contorcendo contra os meus lábios vieram à mente. As imagens dela se inclinando sobre a mesa e dizendo o meu nome invadiu todos os meus pensamentos. Não só isso, mas eu não tinha ouvido falar dela hoje. Ela não respondeu ao meu e-mail ‘O que precisamos hoje’ com o seu habitual ‘Ok’, e ela já estava mais de duas horas atrasada. Achei que ela estava tentando puxar a sua famosa ‘Eu fiquei até tarde na sexta-feira, então vou chegar mais tarde na segunda’, besteira, então eu decidi não pensar mais em nada disso. Eu tentei o meu melhor para me distrair até a nossa reunião das duas horas porque ela sabia que não podia perder nenhum dia de trabalho pelo próximo mês, já que era época de aquisição. Quando eu estava lendo o mais recente livro da pilha de aprovados, uma batida suave veio à minha porta.


— Sim? — Eu coloquei os meus papéis para baixo, esperando ver Mya, mas era só Brad e um cara da entrega de comida. — Bom dia, — Brad disse enquanto caminhava até a minha mesa. — Eu queria vir cedo e oferecer a você e Mya um almoço tardio, se você não se importar. — Eu não me importo. — Eu menti, fazendo sinal para o entregador colocar a comida na minha mesa. — Fim de semana selvagem? — Perguntou Brad. — Não. O que te faz perguntar isso? — Parece que você está no limite, como você não dormisse há dias ou você estivesse estressado com alguma coisa. Ou talvez seja... — Ele fez uma pausa, deixando escapar um longo suspiro exasperado. — Você está se preparando para me contar sobre outra história de tablóide? — Ele balançou a cabeça. — Você estava indo tão bem, Michael. Tão bem... — Não. — Revirei os olhos. — E eu não estou no limite. Se você quer saber, eu não dormi bem na noite passada e eu ainda tenho que passar por uma sessão de três horas com você e Mya que deve chegar a qualquer momento. — Falando de Mya... -— Ele começou a dizer, mas eu o interrompi.


— Ela é alérgica ao alho, — eu disse para o entregador, pegando o cesto de pães que ele serviu. — Você pode substituir isso por rolos de trigo? — Sim, senhor. — E isso. — Fiz um gesto para uma garrafa de xarope de caramelo. — Ela vai pensar que isso é avelã e ter um acesso de tosse, se ela beber um gole. Leve e traga calda de chocolate em vez disso. — Sim, senhor. — Ele pegou os itens ofensivos e se dirigiu para á porta. — Volto já. Brad

ergueu

a

sobrancelha,

parecendo

completamente

confuso. — Você sempre memorizou as preferências alimentares de seus assistentes? — Somente aqueles que duram mais de um ano. — Ah. — Ele riu. — Bem, como eu estava dizendo, Apple e Microsoft chamaram para me dizer que você ainda não retornou as suas chamadas sobre as suas referências, então você realmente precisa fazer isso em algum momento desta semana. Você planeja dar-lhe uma boa recomendação, não é? Meu telefone tocou antes que eu pudesse resolver essa questão.


— Sim? — Eu respondi. — Bom dia, Sr. Leighton, — disse uma voz suave. — Aqui é Shelby do RH. Eu lamento entrar em contato tão tarde, mas a sua assistente executiva ligou mais cedo e solicitou por uma semana de licença médica. — Uma semana? — Sim, senhor. Você gostaria que eu preenchesse o seu cargo com uma temporária durante este tempo? — Não, obrigado. — Eu desliguei e recostei-me na cadeira. Mya nunca usou a licença médica, mesmo quando ela estava realmente doente. Ela viria a inúmeras reuniões com tosse e espirros quando ela provavelmente deveria estar em casa, então eu não tinha certeza se ela estava usando o nosso encontro recente como

alavanca,

ou

se

ela

de

alguma

maneira

tornou-se

mortalmente doente em um prazo de 48 horas. — Michael? — Brad tentou chamar a minha atenção. — Michael? Eu o ignorei, pegando o meu telefone e enviando um e-mail para Mya. Assunto: licença médica. É melhor ter um atestado médico maldito...


Michael Leighton CEO, Leighton Publishing Sua resposta foi imediata. Assunto: Re: licença médica. E se eu não tiver? Mya London Assistente Executivo CEO Leighton Publishing Assunto: Re: Re: licença médica. Se você não tiver, eu sugiro que você chame o RH agora e cancele a sua licença médica, desde que eu já sei que é falsa. Então sugiro que apareça magicamente em meu escritório dentro da próxima hora, para que possamos nos preparar para a próxima rodada da semana de aquisições de autores. Michael Leighton CEO, Leighton Publishing Assunto: Re: Re: Re: licença médica. Oh, isso mesmo. A próxima semana é muito importante... Eu provavelmente vou estar doente na próxima semana, também.


(Eu provavelmente ainda vou estar me recuperando de alguma coisa.) Talvez se eu estiver fora por algum tempo você verá o quão duro o meu trabalho realmente é. Talvez então você me aprecie mais. Mya London Assistente Executivo CEO Leighton Publishing Assunto: Re: Re: Re: Re: licença médica. Você não vai provavelmente estar doente na próxima semana. Você vai trazer a sua bunda para trabalhar. (Não é preciso duas semanas para se recuperar de ser devidamente fodida.) Eu vou lhe apreciar muito mais se você voltar a trabalhar hoje... Michael Leighton CEO, Leighton Publishing Fechei a minha caixa de entrada, sem esperar pela resposta dela. Olhei para cima e notei Brad olhando para mim como se ele tivesse acabado de ver um fantasma.


— O quê? — Eu disse. — Você fodeu a Mya, não foi? — Desculpe-me? — Você me ouviu. — Ele não recuou. — Você dormiu com ela... Você dormiu com ela, e é por isso que você não respondeu a essas empresas. E é exatamente por isso que você não quer que ela saia. — Não é por isso que eu não quero que ela saia. — Então você está admitindo à parte sobre transar com ela? — Não, — eu disse, negando e passando inúmeros minutos tentando acalmá-lo. Eu sabia que ele iria ter um ataque cardíaco se soubesse a verdade. Quando eu tive certeza que ele estava convencido, eu peguei os arquivos para a reunião de hoje e assim nós poderíamos passar por eles sozinho. Quando ele começou a organizar os seus próprios arquivos, abri uma nova guia no meu navegador e procurei por um florista local para que eu pudesse enviar flores de ‘melhoras’ para Mya, assim eu poderia de uma maneira mais direta mandar um recado de ‘Traga o seu traseiro para trabalhar’.


Eu escolhi um buquê de sete camadas de lírios desde que ela uma vez mencionou amá-los em uma reunião, e eu estava a meio caminho da tela de compra quando eu parei. Que diabos eu estou fazendo? Fechei a tela e cliquei na minha caneta. Eu definitivamente poderia sobreviver uma semana sem a ajuda dela desde que ela queria continuar a jogar. Eu tinha certeza de que eu poderia fazer o seu trabalho ainda melhor do que ela. Não poderia ser tão difícil.


O CHEFE Michael Manhattan, New York Uma semana de “licença médica” mais tarde...

Assunto: Meu chefe... Eu ainda não posso acreditar que eu fodi o meu chefe na semana passada... Você acha que ele ficaria louco se eu continuasse doente por uma segunda semana? Sua melhor amiga, Mya PS - É triste eu ainda querer desesperadamente transar com ele de novo? Assunto: Re: Meu chefe... Eu não consigo acreditar que você ainda não aprendeu a checar para quem você está enviando os seus e-mails.


Sim, ele ficaria muito furioso se você ficasse doente por uma segunda semana consecutiva. Seu chefe, Michael PS – Não é tão triste, considerando que ele quer transar com você de novo também. Eu cliquei em enviar no meu e-mail e coloquei o meu telefone longe. Ela não tinha aparecido para trabalhar está manhã, sem aviso prévio ao RH em tudo, mas eu não ousaria apresentar uma advertência ou até mesmo repreendê-la verbalmente. Eu quase enlouqueci durante a semana passada por tentar fazer tudo o que ela normalmente faz por mim, e estava começando a me perguntar se eu realmente era um chefe tão terrível como ela disse que eu era. Mesmo agora, enquanto eu estava sentado à mesa em frente a uma autora que estávamos tentando adquirir, eu me encontrava prestes a dizer, ‘Quer saber? Eu não sinto vontade de estar aqui agora’, e pedir-lhe para re-agendar. E eu estava muito tentado a dirigir para a casa de Mya para lidar com esse último ‘PS’ do seu email. Eu também estava lamentando fazer essa reunião durante o jantar em vez de no meu escritório. Na verdade, a única razão que eu agendei uma reserva neste restaurante cinco estrelas foi porque três meses atrás eu ouvi a Mya dizer a alguém que ela desejava


poder se dar ao luxo de jantar aqui um dia. Claro, eu negaria esse fato se ela perguntasse, mas desde que ela não estava aqui esta noite, eu não via vantagem em estar aqui também. — Então... — A autora na minha frente, uma morena bonita em seus trinta e poucos anos limpou a garganta. — Se eu assinar com Leighton Publishing, eu vou precisar de algumas promessas de você. — Que tipo de promessas, senhorita Sutherland? — Bem, eu vou precisar que você realmente promova o meu livro. — Nós promovemos todos os nossos livros. — Bem, eu sei disso. É por isso que a sua reputação é tão grande, mas isso é apenas o nível básico de promoção. Eu quero que você me prometa um filme dentro de dois anos, um adiantamento de seis dígitos por cada futuro livro que eu escreva, e eu quero uma turnê mundial apenas nas melhores livrarias. — Este é o seu livro de estréia... — Eu sei. E eu poderia totalmente auto publicar isto na Amazon e lançá-lo em cinco segundos. No entanto, aqui estou eu dando uma chance a você oferecendo-lhe o próximo best-seller do New York Times em uma bandeja de prata.


Revirei os olhos e tomei um longo gole de vinho. Comecei a mudar de assunto, mas ela começou a falar sobre quais os atores e atrizes que ela preferia que lesse o seu áudio-book, quais seriam os melhores, quais teriam a melhor sintonia. Esta era geralmente a parte onde a Mya iria intervir e dizer ao autor para ter expectativas realistas, á parte em que a minha paciência estava por um fio ainda mais fino e eu teria que me desculpar para buscar mais café. Sem ela aqui, eu estava a minutos de rachar e dizer a esta mulher para calar a boca e superar a si mesma. — Você sabe o que quero dizer? — A voz da senhorita Sutherland interrompeu os meus pensamentos. — Você não odeia quando Hollywood transforma os livros em filmes, mas depois eles tiram fora as melhores partes? Eu honestamente não posso assinar um contrato com você a menos que você me prometa que isso não acontecerá comigo. — Senhorita Sutherland... — Eu tentei esconder o incomodo na minha voz. — As chances de Hollywood levar o seu livro de estréia, que é um maldito livro de receitas de peixe-gato, são tão porra baixas... — Desculpe por chegar tão tarde. — O som da voz de Mya me parou de falar mais alguma coisa.


Trajando um curto vestido de cocktail preto que mostrava as suas longas pernas, ela parecia absolutamente deslumbrante. Seus lábios estavam pintados em um vermelho sedutor brilhante, e o seu cabelo estava empilhado no alto de sua cabeça adornado de bonitos cachos soltos. Ela andou até a senhorita Sutherland e apertou a mão dela, e então ela balbuciou ‘pare com isso’ para mim quando ela se sentou. — Eu acho que o Sr. Leighton está tentando dizer -— Mya enfrentou a senhorita Sutherland. — É que devemos nos concentrar em fazer tudo o que pudermos na esfera culinária por este livro. Então, podemos discutir ideias para a sua próxima coleção de receitas, e verificar se o seu futuro catálogo conosco é tão forte quanto ele pode ser. Olhei para ela e permaneci em silêncio durante o resto da reunião, apreciando como ela suavemente dirigiu o resto da conversa. Quando terminamos, a Srta. Sutherland assinou o contrato e nos desejava coisas boas. Quando todos nós levantamos para sair do restaurante, eu apertei a mão contra a parte baixa das costas de Mya e notei como ela tentou não reagir. No segundo em que a senhorita Sutherland saiu em seu táxi, Mya olhou para mim. — Não me agradeça. — Ela sorriu.


— Obrigado. Eu agradeço, — eu disse a olhando de cima à baixo mais uma vez. — Você parece muito, muito bem apesar de ter estado doente por uma semana. Ela não respondeu. Ela simplesmente olhou para mim, e levou cada gama de contenção para não tomar a sua mão e levá-la em meu carro pelo resto da noite. — Você está pensando em trabalhar amanhã ou você vai me manter em suspense? — Eu não tenho certeza ainda. Depende de como eu me sentir quando eu acordar, ou se eu quero que você veja ainda mais o que você me faz passar quando eu faço tudo sozinha. — Ela levantou a mão para o twon-car e ele estacionou na sua frente. — Mas devo dizer, eu estou feliz que você finalmente disse essas duas palavras preciosas para mim em relação ao meu trabalho. — Quais são as duas palavras? —Muito obrigado. Eu não disse nada. Eu só vi quando o seu motorista abriu a porta de trás e fez sinal para ela entrar. Eu deslizei para dentro ao lado dela antes que pudesse fechar a porta. — O que o... -— Ela afivelou o cinto de segurança. — O que você está fazendo?


— Motorista levante a partição, por favor. — Eu esperei o motorista fechar à divisória. — Mya London, você realmente acha que porque nós fodemos eu não posso demiti-la? — Michael Leighton, — ela disse, zombando de mim. — Eu sei que você não vai me demitir e não tem nada a ver com o fato de que nós termos dormido juntos. — Nós não ‘dormimos juntos’, nós fodemos. — Tudo bem. — Ela baixou a voz. — Fodemos Mas eu sei que você não ousaria me despedir. — Gostaria de apostar? — Não com um homem que sabe que eu sou a melhor maldita assistente que ele já teve. Eu sorri incapaz de encontrar uma refutação para isso. Antes que eu pudesse atirar de volta, a voz do motorista veio pelo interfone. — Senhorita London, você ainda está indo para o AMC11 na Times Square? — Sim, Archer. Obrigada. Eu desliguei o botão do alto falante.

11

Complexo de cinemas.


— O que tem no AMC da Times Square? — Eu tenho um encontro com um cavalheiro completo e absoluto. — Ela olhou para longe de mim, como se ela estivesse um pouco embaraçada. — Foi marcado semanas atrás. Eu não queria ser rude e cancelar no último minuto. — Qual é o nome dele? — Não é da sua conta. — Ela se virou para mim novamente. — E a menos que você queira ser uma terceira roda, você vai pedir a Archer para levá-lo de volta para o seu Jaguar enquanto estamos no cinema? Nós vamos precisar do carro para o jantar mais tarde, e sem ofensa, você não é uma boa companhia para o jantar. — Qual é o nome dele? — Eu repeti. — Taylor, — disse ela. — Gostaria de saber onde ele trabalha e quantos anos ele tem, também? — Eu gostaria. Diga-me. — Ele é um analista para os estúdios ABC, e ele tem vinte e sete. Feliz? — Ele é muito jovem para você, — eu disse. — E se com essa idade ele não tem uma posição significativa na referida empresa, você pode fazer melhor do que isso. — Você está se referindo a si mesmo?


— Não, eu sou o melhor, — eu disse. — Mas pode pelo menos fazer melhor, até você perceber isso. Ela estreitou os olhos para mim, mas ela não disse mais nada. — E se esse é o cara do e-mail com o assunto 'Passou uma semana e ele não me ligou ou mando mensagem’, então você provavelmente já sabe que eu estou certo. Ninguém no seu perfeito juízo iria esperar uma semana para chamá-la, a menos que ele seja o seu chefe. Suas bochechas ficaram vermelhas e o seu queixo caiu. — Nós chegamos senhorita London, — disse o motorista, parando na frente do teatro. Mya soltou o cinto de segurança e esperou que ele abrisse a porta. Eu andei na frente e segurei a porta do teatro para ela, seguindo-a enquanto ela caminhava em direção ao balcão. — Só estou pegando dois ingressos, — ela disse para mim. — Você realmente não vai nos seguir até o teatro, não é? — Não, mas eu vou esperar até que ele realmente apareça se você não se importar. — Eu me importo.


— Que merda pra você. — Tudo bem. — Ela pegou os seus ingressos na recepção e eu a segui para um sofá em um dos salões privados do teatro. Ela puxou o telefone de sua bolsa e sorriu para a tela. — Ele diz que está no tráfego, mas estará aqui em vinte minutos. Eu vou me certificar de lhe contar tudo amanhã no trabalho já que você está tão preocupado. — Eu não estou preocupado, mas obrigado por confirmar que você vai trabalhar amanhã. — Você não está preocupado que ele possa se comparar a você? — Nós já discutimos isso. Ninguém se compara a mim. — Eu sorri. — E você sabe disso. Você também sabe que você não tem nenhum desejo de transar com ele esta noite porque eu estou disposto a apostar que você ainda está pensando em me foder. Este é um encontro sem sentido que você esta com muito medo de cancelar, uma manobra para me fazer ciúmes, ou ambos. Ela corou e olhou para o seu telefone. Quinze minutos se passaram e ela não olhou para cima novamente. Ela simplesmente atualizava a tela do seu telefone, novamente e novamente.


Eu olhei para o meu relógio. O filme estava previsto para começar em dez minutos e o seu encontro não aparecia. Seu telefone de repente zumbiu em seu colo e ela sorriu, tocando no mesmo. Ela o levou até o seu rosto, seu sorriso desaparecendo em seguida. Ela digitou algumas palavras, e então ela olhou para mim. — Ele disse que algo surgiu assim... Ok. Você pode ir em frente e me fazer sentir como uma merda agora. Eu perdi isso no trabalho, então agora você pode aplicá-lo a minha vida pessoal, eu acho. — O que você está falando? — Você sabe me diga o quão idiota eu fui por convidar um cara que já me deu bolo duas vezes. E então você pode dizer o quão idiota, eu fui em perder o meu tempo me arrumando toda, tentando o meu melhor para fazer ciúmes... Eu cortei-a com um beijo, mordendo suavemente o seu lábio inferior a fazendo gemer. Até que ela parou de tentar falar e cedeu. — Vamos.


A ASSISTENTE Mya Manhattan, New York

Eu estava sentada no banco do passageiro do Jaguar enquanto Michael dirigia, ainda em choque por ele ter exigido passar o resto da noite comigo. Ele pediu ao meu motorista para nos levar de volta ao restaurante para pegar o seu carro, e garantir que tivéssemos total privacidade pelo resto da noite. Eu não tinha certeza do por que, mas quando ele olhou para mim em um semáforo, eu não poderia me ajudar, mas achar que uma parte disto parecia certo. Que, quando ele não estava sendo o meu patrão, mesmo por uma fração de segundo, ele era mais do que agradável. — Será muito difícil conseguir uma reserva está hora em Nova York, — eu disse, finalmente quebrando o silêncio. — Nós não precisamos de um reserva para onde nós estamos indo. — Vou aceitar a sua palavra sobre isso, mas para o registro, eu preciso me desculpar com antecedência.


— Pelo quê? — Porque desde que você está apenas supondo que eu vá gostar de onde nós estamos indo em vez de ser um cavalheiro e me perguntar, — eu disse. — Eu sou uma comedora muito exigente e sou alérgica a um monte de coisas. — Eu estou ciente. — Ele virou à direita no semáforo. — Você não come frutos do mar, você só come frango se ele for preparado de certa forma, você é intolerante à lactose, mas você ainda come certos tipos de queijo, e se você quiser, eu posso fazer uma lista inteira de merda aleatória que parece deixá-la doente por algum motivo. — Ele olhou para mim. — Você gostaria disso? Eu balancei a cabeça, atordoada. — Bom, — disse ele. — Eu não perguntei, por que eu não tenho que, porque ao contrário do que você pode pensar de mim, eu presto atenção em você. Você vai me dar uma chance de ser legal ou você vai passar a noite agindo como se estivéssemos no escritório? — Eu vou te dar uma chance... — Bom. — Ele colocou a mão na minha coxa exposta. — Porque eu tenho me esforçado muito para não te foder desde que você apareceu no jantar hoje à noite, então no segundo que você quiser que eu pare de tentar, por favor, não hesite em me avisar.


Corei e recostei-me no banco, ficando quieta pelo resto da viagem enquanto ele dirigia pelas ruas cobertas de neve. Trinta minutos depois, ele fez uma inversão se encaminhando para um edifício com uma torre alta. O porteiro se aproximou do seu carro e ele foi até o meu lado para abrir a porta para mim. Ele apertou a mão na parte inferior das minhas costas, e quando o porteiro abriu a porta para nós, ele olhou para mim e sussurrou. — Você realmente usou este vestido para me fazer ciúmes? — Depende. Funcionou? — Muito. — Ele me levou até um pequeno lance de escadas e para um elevador de vidro que dava para as luzes brilhantes e cintilantes de Manhattan. Nós seguimos o longo caminho para o nível superior, e no segundo em que as portas abriram, um garçom nos saudou e gesticulou para segui-lo à uma sala privada. A lareira brilhava calorosamente no canto, e havia apenas uma mesa no centro em frente a janelas do chão ao teto. O garçom sorriu e levou as nossas ordens de vinho antes de desaparecer. —

Este

lugar

é

normalmente

privados? — Eu perguntei.

preparado para jantares


— Nem um pouco. — Ele olhou para mim. — Mas eu acho que nenhum de nós gostaria de ser vistos juntos agora, considerando o nosso relacionamento. — Sim, eu não iria querer as pessoas pensando que eu estou dormindo com o 'chefe impertinente’ como dizem os tablóides para conseguir o meu emprego. — Nem eu. — Ele parecia estar se divertindo. — Quando é que você realmente volta a trabalhar? — Você quer dizer, quando você realmente vai poder me foder de novo? — Não, eu vou transar com você hoje à noite, — ele disse. — Eu realmente quero dizer, quando você vai voltar a trabalhar? — Quando você admitir que você precisa de mim muito mais do que você acha que faz, e uma vez que você peça desculpas por ser tão rude comigo no ano passado. — E se eu não? — Bem, sexo incrível de lado, eu tenho mais de três semanas de licença médica e alguns dias de férias muito generosas que eu posso usar. Por uma questão de fato... — Eu preciso de você e eu sinto muito. — Suas palavras saíram em uma corrida. — E eu realmente preciso que você volte para me ajudar, até que você saia isso é...


Eu sabia que ele queria que eu dissesse que não sairia que pelo menos, consideraria ficar, mas um encontro agradável e sexo incrível no escritório ou não, eu estava saindo da Leighton Publishing no instante em que recebesse uma oferta de emprego digno. Felizmente, o garçom voltou antes que eu pudesse dizer algo, e nós dois pedimos a mesma coisa. Uma simples massa suíça de frango. Para minha surpresa, Michael dirigiu a nossa conversa do jantar longe do trabalho e sexo. Por horas, falamos sobre todas as coisas que tínhamos em comum, o que, por alguma razão, era muito mais do que eu pensava. E mesmo que ele estivesse se comportando como um cavalheiro completo, toda vez que os nossos olhos se encontraram, ficou claro que ele estava segundos de distância de sugerir que eu o deixasse me foder no local. Às três horas da manhã, o garçom nos disse que ele não podia manter o espaço aberto um segundo mais, então Michael me ajudou com o meu casaco e nos aventuramos pela cidade. Ele me segurou contra ele enquanto a neve caia sobre nós, e nós caminhamos em direção à pista de patinação no Rockefeller Plaza. Apoiei-me no parapeito e durante vários minutos assistimos casais e famílias tentando manter o equilíbrio sobre o gelo.


— Posso te perguntar algo pessoal? — Eu olhei para Michael. — Sim. — Alguma daquelas histórias nos tablóides do ano passado era verdade? — Algumas delas. — Oh. — Eu fiz uma careta. — Sério? — O que você está realmente me perguntando, Mya? — Há algum motivo pelo qual você não aparece em um deles há um bom tempo? — Sim... É porque eu não fiz qualquer uma das coisas que eu costumava fazer por um tempo muito longo. — Ele arrastou o seu dedo contra os meus lábios. — Prometi a meu orientador que eu suavizaria as minhas 'atividades' pelo bem da empresa que abrirá o capital no futuro. — Ele fez uma pausa. — Eu também acidentalmente contratei uma distração muito atraente e sexy trabalhando no andar bem abaixo do meu. — Em outras palavras, você dormiu com as suas groupies usuais em privado. — Eu tentei. — Ele admitiu. — Mas eu estava honestamente extremamente atraído por alguém para perder o meu tempo com outras pessoas.


— Eu não acredito em você. — Corei. — Não há nenhuma maneira que você não tenha dormido com mais ninguém desde que comecei a trabalhar para você. — Você deveria, eu não tenho. — Ele correu os dedos pelo meu cabelo. — Eu não tenho nenhuma razão para mentir para você. Eu até tentei me livrar de você no início, desde que você era uma distração, mas claramente não consegui. — Você estava intencionalmente sendo mau para mim no começo para me fazer sair? Ele sorriu, confirmando silenciosamente. — Isso é tão... — Eu não podia acreditar que ele pudesse parecer tão genuíno ao dizer isso. — Isso é tão fodido. — Era. — Não, é. — Olhei em seus olhos. — Você ainda age como se você estivesse tentando me fazer sair. — Assine a extensão e eu serei muito mais agradável. — Que tal me tratar melhor primeiro e eu depois disso vou considerar pensar nisso? — Que tal os dois? — Ele gentilmente me empurrou contra a grade. — Eu realmente não fui ‘mau’ com você nos últimos seis meses. Exigente? Sim. Um pouco razoável com o tempo de


agendamento e ficando chateado por você se recusar a assinar o meu contrato? Talvez. — Definitivamente. — Tudo bem, — disse ele. — Mas eu não tenho sido ‘mau’ para você. — Você fez o seu melhor para me manter fora de sua vista e longe de você, porque você estava pensando em me ter tanto quanto eu estava pensando em tê-lo? — Exatamente. — Um sorriso se espalhou pelo seu rosto. — Eu estava apenas me protegendo. Eu dei uma gargalhada, sentindo os seus lábios contra os meus em segundos, sentindo o seu braço envolver a minha cintura e me puxando para perto. — Posso levá-la para casa e foder você agora? — Ele sussurrou contra a minha boca. — Ou será que precisamos fazer algo mais para que você veja que eu realmente gosto de você? — Nós podemos... — Corei com suas últimas cinco palavras. — Nós podemos fazer a primeira coisa que você disse. *** Michael abriu a porta da sua luxuosa cobertura, levando-me para o seu quarto que tinha uma bela vista da cidade. No segundo


em que ele fechou a porta atrás de nós, seus lábios estavam nos meus e os seus braços estavam em volta da minha cintura. — Eu não posso ficar muito tempo com você esta noite, — eu sussurrei. — Eu tenho que sair dentro de uma hora. — Uma hora? — Ele abriu o lado do meu vestido. — O que te faz pensar que eu vou ter terminado com você em uma hora? — Nada, mas o meu chefe é altamente obcecado por eu estar no horário para o trabalho, e já são cinco horas da manhã. Se eu tiver mais de um minuto de atraso, ele vai me enviar um e-mail e agir como se fosse o fim do mundo. Ele soltou uma risada baixa e arrancou a minha calcinha. — Eu acho que ele estará mais do que dispostos a fazer uma exceção neste caso. Movi a minha mão para baixo, para as suas calças, puxando o zíper. — Eu não tenho tanta certeza disso. Ele pode ser bastante idiota às vezes. — É mesmo? — Suas calças bateram no chão e ele me beijou mais forte, prendendo o meu lábio inferior entre os dentes. Ele empurrou o meu vestido para baixo dos meus ombros, e então ele me empurrou para a cama. — É muito assim. — Eu sorri quando ele subiu na cama ao meu lado, enquanto ele chupava um dos meus mamilos em sua


boca. — Eu ficaria muito surpresa se ele estivesse atrasado para o trabalho hoje em tudo. — Ele estará. — Ele agarrou a minha mão e me rolou em cima dele. Ele colocou um preservativo e, lentamente, me posicionou sobre o seu pau endurecido, silenciosamente me ordenando a me abaixar sobre ele. Eu tomei o meu tempo, enchendo-me com ele, polegada por polegada, e quando ele estava completamente dentro de mim, eu entrelacei as minhas mãos com as dele e comecei a balançar. — Foda-se... — Ele respirou enquanto eu tentava acelerar o meu ritmo, quando ele agarrou os meus quadris e me obrigou a abrandar. Liberando a mão direita da minha ele puxou a minha cabeça para mais perto e cobriu a minha boca com a sua, me beijando até que eu estivesse quase sem fôlego. Ele pressionou os seus dedos mais profundamente em minha pele, controlando o movimento dos meus quadris. Ele sussurrou o meu nome contra os meus lábios, e os meus músculos tencionaram quando senti o seu pau latejar dentro de mim. — Foda-se, Mya... — Ele me segurou firme quando ele gozou, e eu senti as ondas familiares de prazer rolando através de mim ao mesmo tempo.


Ofegando incontrolavelmente, todo o meu corpo ficou mole e eu desmoronei contra o seu peito. Fechei os olhos, esperando que ele me deixasse recuperar o fôlego, mas ele rapidamente me tirou de cima dele e me jogou de barriga para baixo. Confusa, mas muito cansada para perguntar o que ele estava fazendo, eu mantive os meus olhos fechados e gemi. A próxima coisa que eu senti foi a sua boca contra as minhas costas, ele deixando beijos leves em uma trilha suave todo o caminho até a minha espinha. Todo o caminho até as bochechas da minha bunda. Ambas. — Pronto, — ele disse, batendo na minha bunda e me virando. — Agora você pode oficialmente dizer que eu beijei a sua bunda. Nós dois caímos na risada incontrolável, e ele colocou um travesseiro sob a minha cabeça. — Você está bem? — Perguntou ele. — Precisa de alguma coisa? — Água... E uma grande turnê pelo seu apartamento depois. — Ok. Podemos definitivamente fazer isso. — Ele beijou a minha testa e se afastou.


Eu estremeci quando eu tentei esticar as minhas pernas e consegui rolar de lado. Olhei ao redor do quarto para a minha bolsa, notando o meu celular piscando indicando a entrada de um novo e-mail. Pensando que era Amy com uma emergência, eu me enrolei nos lençóis e saí da cama. Assunto: O que precisamos hoje. Você no meu escritório para uma reunião às dez. Michael Leighton CEO, Leighton Publishing O que?! Virei-me imediatamente, encontrando-me cara a cara com Michael. — Você espera seriamente que eu seja capaz de começar a trabalhar e realizar uma reunião com você hoje às dez horas? — Sim. — Ele me puxou para a cama. — Eu tenho algumas antigas fantasias com você para cumprir no meu escritório...


OS E-MAILS Mya Assunto: Não Idiota Relatório # 15 (se acostume com essa nova conta Gmail) Ele me comprou flores hoje. Lírios brancos frescos do meu florista favorito. (Um florista que não me lembro de ter lhe contado sobre...) Mas então ele me pediu para assinar a extensão novamente. Talvez ele não seja tão ruim depois de tudo? Ou isso é só o sexo falando? Sua melhor amiga, Mya Assunto: Re: Não Idiota Relatório # 15 (se acostume com essa nova conta Gmail) É. Somente. O. Sexo. Falando. Por favor!


(Mas vou admitir que ele enviando-lhe flores e pegando o seu café todas as manhãs é uma mudança agradável e necessária... Embora ainda seja o sexo falando)  Sua melhor amiga, Amy Assunto: Apple apenas me recusou... A Apple me ligou e disse que eles não serão capazes de me oferecer emprego com base em "extensas conversas com a minha referência." Você acha que Brad disse algo negativo sobre mim? 

PS - Google me chamou e disse a mesma coisa... Sua melhor amiga, Mya Assunto: Re: Apple apenas me recusou... Eu sinto muito, Mya. Eu tenho certeza que isso só significa que você vai conseguir um emprego em uma das outras empresas e vai ser um ajuste muito melhor para você. Eu duvido que Brad tenha dito algo negativo sobre você. Ele te amou desde a sua primeira entrevista e praticamente acha que você


é a razão pela qual o Sr. Leighton se tornou um executivo melhor. Por que não pergunta a ele o que ele disse? Sua melhor amiga, Amy PS - Bem, não vamos mais usar o Google! Estou mudando para o Bing, neste exato momento! Assunto: Re: Re: Apple apenas me recusou... Liguei para o Brad na minha pausa do almoço. Ele disse que não tinha nada além de grandes elogios sobre mim quando a Apple e Google telefonaram. Então ele disse que Michael foi á última pessoa a falar com todas as empresas. Eu não posso acreditar que ele tentaria me sabotar pelas costas... Especialmente agora que estamos dormindo juntos.  Sua melhor amiga, Mya


A ASSISTENTE Mya Manhattan, New York Eu balancei os meus quadris contra o rosto de Michael uma manhã, gemendo enquanto ele deslizava a sua língua contra o meu clitóris novamente e novamente. Suas mãos estavam agarrando as minhas coxas, me firmando quando eu comecei a tremer. — Oh Deussssss, oh Deusssss... — Eu gritei, segurando na parede atrás dele enquanto eu gozava em sua boca. Fechando os meus olhos, eu senti as minhas pernas amolecerem, senti-o me pegando no colo. Quando eu finalmente parei de tremer, ele me pegou e me levou para o sofá do escritório. Senti-o limpando entre as minhas pernas com um pano quente, e, em seguida, ele se afastou para o seu banheiro privado. Ele voltou segundos depois e sentou-se ao meu lado, correndo os dedos pelo meu cabelo. — Espero que você tenha gostado disso, — eu disse suavemente, empurrando a sua mão. — Eu tenho certeza de que é a última vez que eu vou deixar você me foder. —Desculpe-me?


— Você estava sabotando a minha carreira nas minhas costas na esperança de que eu, eventualmente, assinasse o seu contrato de extensão? Você honestamente acha que poderia de alguma forma usar o fato de que nós tivemos relações sexuais, ou o fato de que eu gosto de você, para me impedir de ir para outra empresa? Ele levantou a sobrancelha, tendo a audácia de parecer confuso. — A Apple me ligou ontem e disse que eles escolheram outro candidato, porque o meu patrão, ou seja, você, não foi capaz de fazer uma recomendação estrelar o suficiente para a sua empresa. — Levantei-me, impedindo-o de me puxar para perto. — Google me disse a mesma coisa. E está manhã, recebi dois e-mails, da Amazon e Microsoft, três de outras empresas, e eu tenho certeza que quando eu descer para lê-los, eles me dirão a mesma coisa. — Mya... — Não. — Eu balancei a minha cabeça. — Lamento por ter pensado que havia mesmo uma pequena chance de que nós dois pudéssemos dar certo quando eu saísse da sua empresa, e eu lamento ter pensado que você fosse algo mais do que um pomposo, egoísta, idiota porque você claramente ainda é. — Sexy como o inferno ou não? — Sim. Sexy como o inferno ou... — Eu parei. — Esse não é o pondo do que eu estou tentando dizer. Eu dei o meu aviso prévio ao


RH antes de eu vir para cá, então eu sugiro que você me dê um belo bônus de despedida porque você não vai me ver novamente. — Já terminou de falar? — Sim. — Corri para a porta, mas ele me pegou por trás e me girou. — Eu nunca iria sabotar você, Mya. — Ele limpou uma das minhas lágrimas perdidas com as pontas dos dedos. — É claro que, no fundo, eu quero que você fique, mas eu não tinha nada, somente coisas boas a dizer sobre você. Eu até disse que seriam tolos em não contratá-la, mas... — Mas? — Eu olhei para ele. — Mas o quê? — Mas se eles achavam que os baixos salários que eles estavam oferecendo eram bons o suficiente para você, eles precisavam aumentá-los de forma exponencial ou escolher outra pessoa. Pensei que você merecia mais. — Isso é tudo? — Não, — ele disse, olhando nos meus olhos. — Eu também precisei

entrevistar

pessoalmente

cada

um

dos

CEOs.

Era

necessário para garantir que eles eram um bom ajuste para você, e que a próxima pessoa que você trabalhasse já fosse casado. Eu abri a minha boca para perguntar-lhe se estava falando sério, mas ele me antecipou.


— Sim, — ele disse, sorrindo. — Sim, eu seriamente tinha necessidade de fazer isso. — O que o CEO estar casado tem a ver com algo, Michael? E se eu não tiver interesse em vê-lo depois de sair. — Você tem então nós nem mesmo vamos entrar nessa linha de conversa. — Ele revirou os olhos. — Se o CEO já está casado, eu não preciso me preocupar com o que esta acontecendo em seu próximo local de trabalho, e eu posso diminuir um pouco o meu ciúme. — Como você é egoísta. — Eu não podia acreditar nele, mas por algum motivo eu não pude evitar o sorriso que estava se formando no meu rosto. — Tenho certeza que quando você abrir os e-mails da Amazon, Microsoft, e das outras empresas, eles estarão oferecendo um inferno de um negócio. — Ele segurou o meu rosto em suas mãos. — Pelo menos, foi o que todos eles me disseram ontem. — Isso ainda não o desculpa por interferir na minha busca de trabalho e insistido que você seja a minha referência em vez de Brad. — Tenho certeza que sim. — Ele me beijou. — E agora que não há nenhuma chance no inferno de você assinar o contrato de extensão de prazo, e você espero tenha percebido que eu não estou


sabotando você, como se sente sobre namoro em longo prazo em vez disso? — Eu vou ter que pensar sobre isso. — Eu o beijei de volta. — Depende do que você está oferecendo...


OS E-MAILS (Bem, Acabou)

Mya Um ano depois... Assunto: meu chefe. Eu lhe disse que eu amo o meu chefe hoje? Do tipo cem por cento brilhante e super gentil com todos, ela não me faz pegar a limpeza a seco, buscar o seu café ou fazer qualquer outra coisa que os meus chefes (Sim, plural) costumavam fazer... Eu

tenho

duas

reuniões

esta

manhã

e

posso

dizer

honestamente que estou ansiosa por elas, porque ambas envolvem coisas que eu realmente gosto. Tenho certeza que eu posso me acostumar com isso. Sua namorada, Mya Assunto: Re: meu chefe.


Não, você não me disse que você ama o seu chefe hoje, mas vendo que tecnicamente você é o seu próprio chefe, espero que seja sempre esse o caso. Seu chefe da Microsoft foi muito pior do que eu um dia fui. (Eu estou realmente orgulhoso de você por deixar aquele lugar depois de três meses.) Se uma das reuniões que você está se referindo é aquela no meu escritório aonde nos vamos foder, é bom saber que você goste. Eu não tenho certeza se eu um dia me acostumarei com isso. (Quando é que você está pensando em mudar a sua assinatura final?) Michael Leighton, CEO, Leighton Publishing Assunto: Re: Re: meu chefe. Agora. Te vejo em cinco minutos. Mya London, CEO, London Publishing


A Carta ao Leitor Caro Incrível Leitor, Muito obrigado por ter dado esse tempo de sua vida para ler este livro! Eu espero que você tenha completamente se entretido e gostado de ler tanto quanto eu gostei de escrever. Se você sentir vontade e tiver algum tempo extra, por favor, deixe um comentário na Amazon.com, B & N.com, goodreads.com, OU encontrar-me aqui no Facebook para que eu possa agradecer pessoalmente. Se você o odiou, bem... Mantenha para si mesma. LOL (Brincadeirinha sinta-se livre para me informar como posso melhorar na próxima vez.) Sou eternamente grata por você e seu tempo, e espero ser reconvidada para sua estante de livros com o meu próximo lançamento. (Falando do meu próximo lançamento, se você quiser ser uma parte da minha lista de discussão para que possa ser notificado das próximas datas de lançamentos e ofertas especiais, inscreva-se nesse link. ) Amor, Whitney G.


Também por Whitney G. Para ser uma parte da minha lista de discussão e ser notificado sobre datas de lançamento e ofertas especiais, inscrevase nesse link. Turbulence Sincerely, Carter Sincerely, Arizona Reasonable Doubt Série Completa Reasonable Doubt # 1 Reasonable Doubt # 2 Reasonable Doubt # 3 Mid Life Series Love: Mid Love Life Mid Life Love: At Last *-*


Naughty Boss (LIvro Único) - Whitney G.