Page 1

1|


Sinopse: Dance Comigo, Baby Regra do indivíduo: Não se apaixone por um caso de uma noite. Declan McGowan soube que a linda bailarina com olhos violetas era sua no momento em que a viu pela primeira vez. Ele não quer deixá-la ir após a sua noite apaixonante juntos, mas ele não tinha uma escolha. Não quando a sua primeira turnê internacional significa o mundo para ela. Juliette Moureaux passou quatro longos meses sonhando com à noite com Declan. Ela nunca pensou que ela iria vê-lo novamente, mas ela subestimou sua necessidade por ela. Declan procura-a em sua primeira noite de volta — logo depois que ela acabou de descobrir que está grávida de seu bebê.

2|


http://rosase-book2.blogspot.com.br/

Tradução: Fanny, Alanna M.

3|


O amor é muito parecido com a dança - você se rende à música.

~ Desconhecido ~

4|


Prólogo Declan Eu nunca me importei sobre o balé. Isso não quer dizer que eu não gostasse, simplesmente não pensava sobre isso. Como médico, não tinha muito tempo para novos hobbies e interesses. Mas, quando a mulher incrivelmente grávida do seu melhor amigo tem ingressos para ver o Balé da Cidade de Nova Iorque com o show La Bayadère, e ela começa a chorar quando você recusa educadamente. Foi assim que eu acabei passando minha primeira noite fora em mais de um mês assistindo tutus voando e homens em calças collants. Não havia realmente nenhum mau lugar no teatro, mas sentado na orquestra do centro esquerdo foi como se o balé se tornasse o centro do meu mundo. Ou, mais precisamente, uma específica bailarina. Ela estava dançando do meu lado do palco, seu traje rosa abraçando seu corpo longo, ágil em todos os lugares. Sob as luzes brilhantes, sua pele parecia lustrosa e seus cabelos castanhos brilhavam em seu coque penteado para trás. Eu estava completamente cativado e ela se tornou a estrela do show. Em um ponto, seus olhos varreram a nossa seção e minha respiração ficou presa na minha garganta quando vi os lindos olhos violeta. Por um breve momento, nossos olhares colidiram e eu jurei que o mundo parou de girar. Meu corpo veio à vida pela primeira vez, eu nem sequer sei por quanto tempo. Meu coração estava acelerado, minha pele formigava e minha calça estava desconfortavelmente apertada pelo resto do show, mas eu mal notei. 5|


Quando a última música foi tocada e os dançarinos havia recuado do palco, eu não conseguia tirar meus olhos dela. Eu estava esperando até mesmo apenas o menor vislumbre da minha bailarina. "Declan." Eu fui arremessado de volta para o mundo real pela voz de Nancy, e a mão no meu ombro. Ela e Kevin estavam de pé na fila, olhando-me com curiosidade. "Você está pronto para ir?" ela perguntou. Eu balancei a cabeça e me levantei, esperando que a iluminação fraca escondesse o calor no meu rosto. Saímos para o corredor e Nancy escorregou o braço através dos meus, animadamente olhando para mim. "Eu tenho uma surpresa para você!" Kevin gemeu. "Nancy, não." Ele olhou para onde suas mãos agarravam meu braço e rapidamente a puxou para longe, enfiando-a em seu lado. Ela olhou para ele com olhos inocentes. "O quê"? Ele apenas balançou a cabeça, e ela deu de ombros antes de voltar para mim. "Minha amiga Lisa acabou de se juntar a NYCB e esta noite foi sua primeira apresentação com eles." Estreitei os olhos em Nancy, mas tentei manter o olhar sombrio fora do meu rosto. Eu reservo para Kevin em vez disso. Ele colocou seus braços em sinal de rendição. "Cara, não tive nada a ver com isso." Nancy suspirou, o ignora e fala sobre a amiga dela. Eu fingia escutar enquanto minha mente vagava de volta para a minha bailarina. "Ela convidou nós para nos reunir com alguns do elenco..." Isso chamou a minha atenção. "Espere, o quê?"

6|


"Estamos" — ela empurrou seu polegar no Kevin — "indo para uma festa com o elenco se quiser vir. Realmente acho que você gostaria de Lisa. Por favor?" Mesmo que eu pudesse ter resistido aos seus olhos lacrimejantes, não era necessário. E se a minha garota estivesse lá? Era minha chance de encontrá-la. "Claro, porque não?" Nancy gritou animadamente, e decidi não fazer ela estourar a pequena bolha dizendo-lhe que não tinha intenção de conhecer sua amiga. Alguém tinha reservado um grande loft industrial em Soho e tinha que haver pelo menos duzentas pessoas trabalhando. Com um e noventa e três, fiquei pelo menos uma cabeça mais alta do que a maioria dos ocupantes da sala e eu continuamente varri a multidão em busca de um par de impressionantes olhos violetas. Nancy teve o problema oposto e não podia ver muito de sua posição elevada, em seus poucos mais de um metro e meio. "Fique aqui", ela me disse, acariciando o meu braço. "Eu vou encontrar minha amiga." Kevin agarrou a mão dela antes que ela se perdesse entre a multidão de pessoas. "Esta é sua chance, Dec. Faça uma corrida para isso," ele murmurou alto suficiente para apenas meus ouvidos. Eu segui seu conselho e comecei a vadear a multidão na direção oposta. Uma hora depois, eu estava incrivelmente frustrado e começando a perder a esperança. Parei numa grande janela do chão ao teto e examinei a multidão novamente. Eu me desloquei e algo escavou em minhas costas me incitando a olhar para a origem do meu desconforto. Não era uma janela; era uma porta. Empurrando para baixo a maçaneta, sai para a noite, outono fresco soprando através de um terraço no último piso. Deixei a porta de balanço fechada atrás de mim e caminhei até uma grade de metal, alta. A vista da cidade era incrível, mas nada foi comparado ao que vi quando olhei para minha esquerda. 7|


Um pequeno grupo de pessoas em uma aconchegante área de estar, amontoados em torno de um aquecedor ao ar livre, conversando e rindo. Meus olhos estavam completamente fixos em uma morena com maçãs do rosto altas, olhos em forma de amêndoa e uma boca de arco cupido. Ela jogou a cabeça de volta e riu, e eu queria traçar as linhas graciosas do pescoço com a minha língua. Seu suéter azul distorcido era ajustado e, devido a posição, empurrava seu peito para a frente. Como muitos dançarinos profissionais, seus seios não eram grandes, mas porra, eles eram espetaculares. Como se puxado por uma linha invisível, comecei a aproximar-se do grupo, os meus olhos treinados exclusivamente na minha bailarina. O resto do grupo, o terraço, tudo desapareceu. A cerca de um metro e meio de distância, sua cabeça levantou e girou em minha direção. Assim como antes, nossos olhares bloquearam, mas desta vez, ela não tinha o show para afastá-la. Fechei o resto da lacuna e fiquei do lado de sua cadeira, pairando sobre ela. Foi quando notei o silêncio, e eu quebrei a nossa conexão para ver vários pares de olhos me estudando. "Podem emprestar-me esta linda senhorita?" Eu perguntei levemente, certificando-se que havia humor agradável no meu tom. Não queria assustá-la por trair o quão desesperadamente queria simplesmente jogá-la por cima do meu ombro e fugir para algum lugar onde eu poderia ficar com ela só para mim. Mais silêncio. Eu estendi minha mão para minha garota de olhos violeta e esperei. Eu esperava que em algum lugar dentro dela, ela entendeu que se ela aceitasse este gesto, ela não teria mais escolha. Ela seria minha. Foi o segundo mais longo da minha vida, mas então ela colocou a mão na minha e selou seu destino. Eu a ajudei a ficar 8|


em pé e, em seguida, coloquei minha mão sobre suas costas e a levei para um canto escuro e vazio do telhado. Quando estávamos escondidos da vista dos outros, fiquei sem paciência e lentamente abaixei minha boca na dela. No início foram algumas roçadas leves, mas não foi suficiente, então eu lambi ao longo de seu lábio inferior, pedindo entrada. Ela separaos imediatamente, ganhando um rosnado de aprovação do fundo no meu peito. Minhas mãos tinham encontrado seu caminho para a parte inferior de suas costas, e eu apertei o tecido em meus punhos enquanto eu puxava seu corpo alinhado contra o meu. Ela provou incrível, e o som de um suave gemido levou minha ereção irritante direto para um fodido bastão de beisebol. Droga, eu a queria. Eu precisava de privacidade, uma cama, e nossa pele nua se tocando. Eu finalmente levantei a cabeça e sorri para a expressão confusa no rosto dela. "Qual é seu nome, minha linda bailarina?" "Juliette," ela sussurrou. "Juliette Moureaux." Até o nome dela era sexy. Corri um dedo em seu arco de cupido. "Juliette", repeti, amando a maneira que o nome dela rolou fora de minha língua. "Eu sou Declan McGowan." Eu a beijei novamente, incapaz de me conter, e quando eu estava na beira da perdição e fodê-la contra a parede, eu rasguei meus lábios. Olhando profundamente nos olhos dela, eu decidi dar um salto. Indo devagar não era meu estilo. Quando eu queria algo, ia atrás disso, toda velocidade à frente. Ela poderia muito bem aprender isso sobre mim desde o início. "Venha para casa comigo," exigi, cuidando para manter minha voz suave, mas firme. Ela mordeu os lábios, que foi incrivelmente adorável e só fez o meu desejo crescer. A expressão dela foi tingida com 9|


preocupação, e eu sabia que não ia ficar contente com tudo o que ela dissesse a seguir. "Nunca fiz algo assim. Estou com vontade, Declan, não faz ideia, mas — " "Bom", eu a interrompi, não muito interessado no que ela tinha a dizer depois do ‘mas’. Comecei a guiá-la de volta para dentro até que ela parou e puxou meu casaco de fato para me impedir de continuar. "Mas, não tenho certeza se é uma boa ideia. Vou partir amanhã para uma viagem internacional de quatro meses." As palavras dela me atingiram como uma tonelada de tijolos. Amanhã? Peguei a mão dela e segurei forte, não podia deixá-la ir. Eu poderia? Não, tinha de convencê-la a ficar. "Mais uma razão para nós aproveitarmos ao máximo esta noite." Eu quase engasguei com as palavras. "A coisa é...há algo sobre você, Declan. Só sei que você é alguém que eu poderia cair duramente." Era isso, estava feito com a conversa. Eu a levantei contra meu peito e entrei, atravessando a multidão até alcançar a saída mais próxima. Para minha surpresa, ela colocou seus braços em volta do meu pescoço e colocou a cabeça no meu peito, não proferindo uma palavra de protesto. Quando cheguei na calçada, eu disse-lhe para me segurar e levantei a minha mão de volta para chamar um táxi. Colocando-a dentro, eu a segui quando ela saltou através do banco. "Quinta avenida rua 42", disse ao motorista antes de transportar Juliette ao meu colo e inclinar minha boca sobre a dela. Como típico taxista de New York, ele correu pelas ruas como um morcego fora do inferno, batendo os freios duro conforme chegamos ao meu prédio.

10|


Eu passei meu cartão e não deixei Juliette ir quando eu saí do carro. Depois de chutar a porta fechada, eu caminhei em meu edifício, balançando a cabeça para o porteiro que abriu o meu elevador privado para que eu pudesse me dirigir em linha reta. A porta se fechou e eu bati minha boca sobre a dela. Eu deixei os pés de Juliette no chão, então dobrei meus joelhos para pegar os globos de sua bunda incrível e levantei ela, forçando as pernas na minha cintura. Avançando, eu pressionei-a de volta para a parede e aterrei meu pênis no calor entre suas coxas. Ela gritou e levou cada gota de porra da minha força para não gozar ali. Eu fui salvo pelo ding do elevador me avisando que tínhamos chegado a cobertura no décimo quarto andar. Abriu-se à direita em minha sala de estar e fui direto para o sofá, incapaz de ir mais longe. Abaixei-nos ambos para baixo sobre as almofadas, minha boca liberando a dela para que pudéssemos recuperar o fôlego. Minhas mãos enfaixadas sob seu suéter, empurrando-a sobre a cabeça dela e fora. Então eu estalei o prendedor de seu sutiã e minha boca molhou constantemente. Seus seios eram fodidamente perfeitos. Redondos e cremosos, duros, pequenos picos cor-de-rosa. Eu fui para baixo e tomei um na minha boca, mordiscando e chupando enquanto ela gemia e estremecia debaixo de mim. Meu controle estava se esgotando e eu queria provar sua buceta antes que eu a levasse, então eu deslizei por seu corpo. Ela estava usando calça preta de marinheiro, abotoada sobre a barriga lisa. Surpreendentemente, não arranquei qualquer um dos botons de bronze na minha pressa para remover a parte de baixo. O mesmo não pode ser dito da virginal calcinha branca de renda que eu encontrei embaixo. Deixei cair minha cabeça para enterrar meu nariz contra ela, inalando profundamente, enchendo meus pulmões com o cheiro de sua excitação. 11|


O tecido estava ensopado e o rasguei facilmente quando eu puxei as costuras. Sem quaisquer barreiras mais, eu usei dois dedos para abrir os lábios amplos e lambi o centro. Eu gemi com a explosão de sabor na minha língua. Ela provou ainda melhor do que ela cheirava. "Esta buceta", eu gemia. "Droga, Juliette. Eu quero viver entre as suas pernas. Você está tão molhada, eu poderia beber de você e nunca ficar com sede." O corpo dela estava tenso, vibrando com a tensão, e minhas palavras fizeram seus quadris se agitarem bruscamente. Comecei a lamber e chupar, mergulhando minha língua dentro dela, fazendo tudo, mas deixando-a quebrar até que ela estava gritando meu nome, suas mãos enfiadas no meu cabelo, segurando meu rosto em sua buceta. Quando senti que ela não aguentava mais, eu enrijeci minha língua e a empurrei dentro dela enquanto eu beliscava seu clitóris, e ela gritou quando ela estremeceu violentamente, seu orgasmo rasgando através dela. Eu continuei empurrando dentro dela e puxando o clitóris dela até ela alcançar o cume novamente, então eu vagarosamente a lambo enquanto ela flutuava de volta à terra. Meu pau estava pronto para arrebentar com a minha calça e eu rapidamente a tiro, juntamente com o meu casaco e camisa. Eu começo a se estabelecer sobre ela, meu pau quase tocando seu calor quando ela agarrou meu bíceps e me segurou a uma distância. Que merda? "Camisinha", ela ofegou. Eu abri minha boca para argumentar, não queria nada entre nós, nunca. Na verdade, fiquei chocado com o quão ansioso eu senti para colocar meu bebê dentro de sua barriga. No entanto, até que tivemos a oportunidade de falar a sério, era provavelmente uma boa ideia. Eu a levantei em meus braços e corri para o quarto. Depois de deitá-la na cama, eu voei para o banheiro e procurei. E procurei. Porra! Eu não tinha 12|


estado com uma mulher desde que me mudei para Nova York há quase dois anos. Não tinha certeza se eu ainda tinha alguma. O tempo todo eu estava procurando, eu estava discutindo comigo mesmo sobre simplesmente esquecer sobre isso e comê-la até que ela também o faça. Mas, finalmente encontrei um pacote antigo enterrado numa mala de viagem debaixo da pia. Quando eu saí do banheiro, eu rosnei em completa aprovação da visão na minha frente. Juliette estava esparramada, pernas abertas na cama, seus olhos violeta brilhando enquanto perseguiam meu corpo da cabeça aos pés. O olhar dela ficou no meu pau, e eu podia ver sua ansiedade sobre o meu tamanho grande. Eu agarro a base, enquanto eu caminhava lentamente em direção a ela, bombeando o comprimento algumas vezes. "Relaxe, querida. Eu prometo, eu vou caber dentro de sua buceta apertada apenas perfeitamente." Eu alcancei seu lado e segurei seu rosto em minhas mãos. "Confie em mim para torná-lo bom para você, ok?" Ela derreteu e assentiu com um sorriso. Eu rolei um dos preservativos no meu eixo, então a beijei quando eu subi na cama e desci em cima dela. Quando a nossa pele se tocou, eu estava novamente lutando contra a necessidade de derramar a minha semente antes mesmo de eu entrar dentro dela. Algumas respirações profundas e eu era capaz de acalmar. Eu abri suas pernas largas e alinhei meu pau com sua buceta. Lentamente, pouco a pouco, eu empurrei dentro, parando para deixá-la a ajustar após cada progressão. Até bater em algo e não conseguia ir mais longe. Eu me lancei para cima em meus cotovelos e olhei para ela. "Juliette? Baby, você é virgem?" Eu perguntei com medo... Ela assentiu com a cabeça e corou profundamente, o que era apenas tão sexy como tudo mais sobre ela. 13|


Minha cara dividiu em um sorriso tão grande que quase doeu meu rosto. Ela já era minha, mas senti que a porra do cérebro assoprou ao saber que ela sempre seria minha. Não havia ninguém antes de mim, e não haveria ninguém depois. Naquele momento, eu lutei contra todos os instintos para puxar e arrancar o preservativo antes de empurrar de volta e levála naturalmente, a maneira que deve sempre estar entre nós. Mas, eu mantive o meu foco sobre os poucos obstáculos que enfrentaríamos vindo de manhã e mantive minhas convicções. "Olhe para mim, Juliette," ordenei, em seguida, esperei até que ela obedeceu. "Mantenha seus olhos nos meus, ok? Vai doer só um segundo." Ela mal concordou antes de eu empurrar todo o caminho, enterrando meu pau em sua buceta. Ela gritou e os olhos encheram de lágrimas, mas ela manteve trancado com os meus. Quando eu vi a névoa de dor começando a se dissipar, mudei-me para ver se ela estava pronta. Ela choramingou de prazer, e comecei a dirigir ociosamente dentro e fora, devagar, pegando o ritmo, usando seus gritos e gemidos como indicação. Minha garota era selvagem e ela se contorceu e gritou em êxtase quando eu estava dirigindo com tanta força que a cabeceira batia na parede. "Você se sente inacreditável, Jules. Sua buceta é tão apertada, me apertando tão forte. Oh, porra, sim!" Suas pernas agarraram minha cintura, e eu apoiei meus pés no pé da cama para me dar alavancagem adicional antes de deslizar minhas mãos até seus seios. Eu belisquei e puxei seus mamilos, ocasionalmente mordendo. "Sim! Ah, Declan, sim! Sim!" Ela grita várias vezes. Eu desci uma mão sob sua coxa e sustentei a perna por cima do meu ombro, aprofundando o ângulo, em seguida coloquei pressão sobre o clitóris dela, fazendo com que ela gritasse a porra do telhado para baixo enquanto ela se despedaçava em meus 14|


braços. As paredes dela fecharam ao redor do meu pau e não consegui segurá-lo por mais tempo. "Juliette! Ah, foda-se! porra! É isso querida! Pooooorra!" Eu rugi conforme eu gozava tão difícil que eu quase apaguei. Essa foi apenas a primeira vez, nós fodemos como coelhos pelo resto da noite. Mas, nesse meio tempo, nós nos conhecemos um pouco. Ela falou sobre seus sonhos para sua carreira, e eu lhe falei sobre como acabei em Nova York, chefe de cirurgia pediátrica. Tinha cumprido a maioria dos meus objetivos profissionais, mas Juliette estava à beira de alcançar os dela. Pela manhã, uma coisa estava clara para mim. Seria a coisa mais difícil que eu faria em toda a minha maldita vida. Eu tinha que deixá-la ir. Mas, não se enganem, isso era temporário. Um dia, eu viria para ela, e era melhor ela estar malditamente bem preparada, pois esta seria a última vez que a veria se afastar de mim.

15|


Capítulo 1 Juliette Quatro meses depois

"Você está grávida". Eu tinha certeza de que eu tinha entendido mal o anúncio da minha médica. "Me desculpe, pode repetir para mim por favor?" "Você está grávida". Não, as palavras não mudam na segunda vez, como eu tinha esperado que eles fizessem. Claro, eu tinha sentido um pouco estranha e tinha ganhado algum peso, mas nem por um minuto eu pensei que o motivo foi porque eu estava carregando um bebê. "Uma vez que seu ciclo é irregular, eu vou querer marcar um ultrassom para melhor identificar uma data. Normalmente calculamos usando o último período, mas isso não é possível com a sua natureza esporádica." Eu balancei minha cabeça, porque não havia qualquer necessidade de um ultrassom para determinar quanto tempo que eu estava. Se eu estava grávida, sabia exatamente quando tinha acontecido. Eu só não sabia como isso aconteceu. Mas ela foi mal incompreendida e foi explicando mais além. "Não é nada para se preocupar. Amenorreia, ou a cessação de períodos, não é incomum em atletas do sexo feminino. A intensidade do seu treino e dieta como uma bailarina pode afetar negativamente o seu equilíbrio hormonal."

16|


Eu segurei minha mão até parar o fluxo de informações. "Tenho dançado toda a minha vida. A anormalidade do meu ciclo não é nada novo para mim, mas a gravidez é." "Ahhh, sim, desculpe." A médica corou e murmurou um pedido de desculpas. "Tendo a tagarelar às vezes." "E aparentemente eu tendo a ficar um pouco irritada quando estou grávida. Desculpe, mas esta notícia chegou de surpresa, para mim. Pensei que o stress da minha primeira viagem internacional foi culpado pelo meu ganho de peso e irritabilidade." "Eu dificilmente chamaria quatro quilos um ganho de peso," ela provocou. "Sim, bem, diga isso ao meu parceiro de dança," eu murmurei. "Ele queixou-se sobre cada quilo adicional durante nossos levantamentos e sugeriu que eu me despedisse do macarrão quando estávamos na Itália". "Tenho medo de dizer isso, mas as minhas instruções são obrigadas a fazê-la queixar-se ainda mais desde que eu gostaria de vê-la ganhar, pelo menos, vinte e cinco quilos durante o curso de sua gravidez," aconselhou-me suavemente. "E você vai precisar de modificar a sua dança para acomodar sua barriga crescendo. Durante o primeiro trimestre, você pode sentir como você pode fazer quase tudo, mas haverá mudanças que você vai precisar fazer. Eu não estou dizendo que você não pode dançar em tudo, Juliette, mas é vital para que você ouça o seu corpo durante a gravidez, então você não se esforce demais." Foi uma coisa boa, que eu estava sentada, senão meus joelhos poderiam ter desabado quando eu considerei as ramificações da notícia que ela tinha me dado. Eu levanto a minha camisa para expor o meu estômago e fiquei chocada ao ver um pequeno inchaço de bebê. Como eu tinha perdido isso? "Já estou com quatro meses", eu admiti suavemente. 17|


Ela olhou para o laptop que ela trouxe e apertou algumas teclas. "Isso é certamente uma possibilidade com a data da última menstruação, mas não há nenhuma maneira de saber com certeza, considerando sua irregularidade." "Confie em mim, eu sei, sem sombra de dúvida, que eu fiquei grávida quatro meses atrás." Ela levantou suas sobrancelhas e me olhou interrogativamente. "Quando perdi a virgindade." "Ohhh," ela falou pausadamente em compreensão. "E não houve atividade sexual desde então?" "Só nos meus sonhos desde que ele esteve aqui, enquanto eu estava em turnê na Europa." Esses sonhos também não eram brincadeira. Ele viera até mim todas as noites em que eu tinha, me atormentando com a minha necessidade por ele. Eu revivi todas as coisas que ele tinha feito com meu corpo durante a noite que passei com ele. Uma e outra vez. Acordar com sua mão em sua calcinha e seu coração trovejando quando você estava compartilhando um quarto com outra bailarina não era minha ideia de diversão. Eu tive sorte que ela tinha um sono profundo e não me pegou em uma posição embaraçosa. "Parece que temos uma razão diferente para agendar o seu ultrassom então, uma vez que estamos a aproximar-se do tempo habitual para uma ultrassonografia." Tenho um caroço na minha garganta ao ouvir o termo 'ultrassonografia.' Eu senti como se eu tivesse já perdido tanto. "Embora o principal objetivo do exame é verificar que seu bebê está se desenvolvendo normalmente, nós podemos também ser capazes de dizer se você está esperando um menino ou uma menina. Você pode querer trazer o pai do bebê, um membro da família ou um amigo com você, já que é um momento tão especial." O pai do bebê. Eu tinha de ser a única mulher que perdeu sua virgindade durante um caso de uma noite, ficou grávida, embora eles usaram preservativos cada vez naquela noite, e não 18|


percebeu que ela estava grávida de quatro meses! Ah meu Deus, isso significava que eu tinha que enfrentar Declan novamente. Que mortificante. Não tinha outra escolha, no entanto. Não havia como evitar de eu dizer a ele que estava grávida. Não tinha seu número de telefone, o que significava que minha única opção era chegar até ele sem avisar no apartamento dele. Ele iria pensar que eu estava mentindo para ele ou que eu tinha guardado a gravidez um segredo nos últimos meses. O resto do que a médica tinha a dizer foi entrando por um ouvido e saindo pelo outro enquanto eu agonizava sobre o que dizer de Declan e quando. Conforme eu tropecei fora do escritório com todos os tipos de papelada na minha mão, olhei no meu relógio e soltei um grande suspiro de alívio. Minha visita a Declan teria que esperar, pois minha mentora de balé tinha organizado uma festa de boas-vindas para aqueles de nós que tinham estado em turnê juntos. A última coisa que eu queria fazer era ir a uma festa de qualquer tipo, não depois de ter essa bomba que caiu sobre mim, mas eu não queria decepcioná-la. Além disso, claro que não doeu que eu tinha a desculpa perfeita para esperar até amanhã para ver o rosto de Declan. E com meu estômago roncando, eu me lembrei da minha necessidade de comer por dois. Corri ao longo da rua, escolhendo andar os seis quarteirões entre a médica e o restaurante em vez de pegar um táxi. O ar fresco me ajudou a limpar a minha cabeça e foco sobre o que era importante. Quando entrei no restaurante, estava ainda assustada sobre todas as mudanças que iria trazer o bebê, mas eu também estava animada. Havia uma pequena vida crescendo dentro de mim, um que Declan e eu tínhamos criado em conjunto. Não tinha nenhuma ideia o que fazer ainda, mas recusei-me a lamentar esse bebê. Nem sequer por um momento. 19|


"Europa deve ter aprovado você, querida," Serena murmurou quando me beijou em ambos os lados do meu rosto. Como mentora de balé da empresa, seu trabalho era dar as aulas diárias para os dançarinos e ensaiar o repertório da companhia. Ela era uma mestra de tarefa dura, mas eu sempre tive um bom relacionamento com ela. "Praticamente está radiante". Eu estava tentada a deixar escapar minhas notícias com ela ali. Foi uma conversa que ia acontecer em breve, mas fomos interrompidas por uma das dançarinas que se juntou à empresa quando eu estava me preparando para sair para minha turnê. "Juliette, esta é Lisa Morisette, uma nova membra do corpo". "É um prazer conhecê-la." "Me desculpe interrompê-la," Lisa ofereceu. "Eu queria te dizer como estou animada para dançar com você. Não tive a oportunidade de lhe dizer quão maravilhosa você foi como Gamzatti no La Bayadère. Procurei você no elenco na noite anterior à sua partida, mas nunca consegui encontrá-la." "Sim, eu saí um pouco mais cedo." Deixei o 'para que eu pudesse ir engravidar pelo homem mais sexy de sempre' não dito, pensando que eu não deveria proferir para uma virtual estranha. "Bem, pelo menos tenho a chance de conhecê-la hoje à noite antes de eu me distrair por meu encontro às cegas." "Encontro às cegas?" "Sim, uma das minhas amigas tem me contado sobre o melhor amigo do marido dela desde que me mudei para cá. De tudo o que ela disse, ele parece bom demais para ser verdade. Bonito, inteligente, gentil," ela disse agitada. "Mmmhmm," eu murmurei sem compromisso, tentando pensar em uma maneira de sair dessa conversa graciosamente. Ela parecia ser uma menina doce, mas eu não estava realmente 20|


no humor para discutir a vida de outra pessoa em encontros, considerando o estado da minha. "Oh, Uau," Lisa suspirou sonhadora, sua atenção de repente remexeu para a porta. "Nancy não estava exagerando quando ela o descreveu. Íamos nos encontrar um tempo atrás, mas não rolou. Levou uma eternidade para levá-lo a concordar novamente, mas maldição, ele valeu a pena esperar. E falando sobre o alto, moreno e bonito..." Minha cabeça girou para o lado e meu olhar pousou no homem que ela estava tão feliz de conhecer. Ele era fácil de detectar, pois seu corpo alto e musculoso se erguia sobre todos os outros. Uma mecha de seu cabelo grosso e escuro tinha caído na testa, e meus dedos coçavam para varrê-lo para o lado. Seus olhos castanhos ferozes estavam analisando o local como se fosse dono, enquanto seus lábios firmes foram esticados em uma linha esticada. Não havia como negar que ele valia a pena esperar, especialmente quando você considerava que eu tinha passado os últimos quatro meses incapaz de tirar o pensamento dele da minha cabeça. Ou meu coração. O encontro de Lisa não era outro senão Declan McGowan — o pai do meu filho. E parecia que Lisa e eu não éramos os únicos excitados a vê-lo porque o bebê escolheu aquele momento exato, enquanto minha cabeça já estava girando, para chutar pela primeira vez. Eu não sabia se ria, chorava ou desmaiava.

21|


Capítulo 2 Declan Eu me senti com um pouco de déjà vu... quando meus olhos varreram uma sala cheia de dançarinos, mais uma vez. Eu tinha guardado minha noite com Juliette para mim mesmo, não estava pronto para compartilhá-la com ninguém ainda. Infelizmente, isso levou a esposa casamenteira do meu melhor amigo me assediar constantemente sobre encontrar sua amiga. Provavelmente fezme um completo idiota, mas quando sua última tentativa de me importunar incluiu a informação de que que o evento era uma festa para os dançarinos que estavam retornando, finalmente concordei em 'participar'. Eu deixei claro que eu não estava indo em um encontro às cegas, embora. Parecia que ela tinha me ignorado, pois ela e Kevin estavam longe de ser encontrados. Esperei quatro meses, tão pacientemente quanto pude, mas eu estava feito. Viver sem Juliette já não era uma opção, e era hora de que ela também saber. Meus olhos desembarcaram em uma mulher bonita, loira, trabalhando o seu caminho em direção a mim através da multidão, um ávido olhar na cara dela. Merda. Nancy claramente não falou a amiga minha recusa inflexível para um encontro. Eu precisava descobrir como lidar com isso sem ser um pateta completo. Todas as considerações em frente voaram para fora da janela quando vi a mulher com quem ela estava falando. Eu reconheceria essas belas piscinas violetas em qualquer lugar, mas ela estava diferente. Ela estava um pouco mais cheia, a pele dela estava praticamente brilhando e os olhos dela... estavam cheios de lágrimas. Ela virou-se indo na direção oposta, 22|


e antes que eu pudesse dar um passo em frente, fui confrontado com a evidência da intromissão de Nancy. "Declan?" ela perguntou, seus olhos brilhantes e um sorriso largo no rosto. Eu tentei não franzir o cenho em sua interferência. "Você deve ser Lisa. É um prazer conhecê-la. Ouça, peço desculpas se Nancy te deu a impressão errada, mas na verdade estou saindo com alguém, de modo que seria indigno de mim para levá-la de qualquer maneira," eu divaguei. O rosto dela caiu e eu me senti um idiota. Eu vou chutar sua bunda, Kevin. Mas, não tinha tempo para pensar nisso, Juliette estava rapidamente desaparecendo. "Eu realmente sinto muito, Lisa, mas você vai ter que me desculpar." Eu pisei em volta dela e comecei a ir atrás da minha mulher. Ela virou uma esquina e eu avancei através da multidão, determinado a chegar até ela. Encontrei-me em um corredor escuro e explorei um pouco mais adiante, descobri as portas para os banheiros. Duas mulheres estavam saindo e duas estavam paradas sussurrando enquanto caminhavam por mim. Ignorei-as e bati a porta que acabavam de sair. Juliette estava de pé no balcão, as mãos debaixo da torneira, seus olhos chocados e amplo quando ela olhou para mim. Uma mulher na outra extremidade estava na mesma posição, e eu olhei para ela. "Fora". Ela franziu a testa para mim, mas ela deve ter visto o assassino olhar nos meus olhos, porque ela pegou uma pilha de toalhas de papel, junto com a bolsa e correu para fora da sala. Uma vez que ela se foi, e ficou claro que as outras baias estavam vazias, eu virei a fechadura na porta e segui em direção a minha doce Juliette. O espaço era luxuoso e extravagante, os papéis de parede, luminárias, tapete vermelho e a coisa que eu estava mais interessado, um vermelho sofá de veludo. Casualmente, eu dirigi e tomei um assento. 23|


"Juliette," cumprimentei. Ela acariciou seu rosto com água e, em seguida, secou as mãos antes de virar para me enfrentar. "Declan, que bom te ver." Suas palavras eram duras, e ela não me olhava nos olhos. "Você está sendo muito rude a seu encontro. Você não acha?" Ela finalmente olhou para mim e eu estava temporariamente perdido nas esferas roxas turbulentas. Eu levantei uma sobrancelha. "Encontro?" Ela suspirou "Sim, seu encontro às cegas com uma das outras dançarinas. Acuado no banheiro das mulheres parece bastante a etiqueta para um encontro ruim." Eu sorri quando eu percebi do que se tratava a atitude dela. "Você é tão bonita quando você está com ciúmes, Jules." Sua mandíbula caiu em surpresa, mas as bochechas dela tingiram de rosa. Fiquei de pé e passei até ela, segurando seu rosto e escovando meus lábios ao longo do dela. "Você está incrível, Juliette. Como você conseguiu ficar mais linda?" Seu rosto corou, o rosa se aprofundou até ficar vermelho sobre a parte superior do seu corpo. Com o ombro de fora a blusa de camponês sedosa que ela vestia mostrava uma grande quantidade de pele, e eu estava hipnotizado pela cor roubando sobre ela. Meus olhos caíram para o seu decote, e eu rosnei no corte baixo do top dela. Mas isso era uma discussão para outra hora. "Por que você estava fugindo de mim, querida?" Eu perguntei baixinho. Ela balançou a cabeça e o ombro pulou em um pequeno encolher de ombros. "Eu não queria interromper o seu encontro e eu não sabia se —" ela fez uma pausa e olhou em todos os lugares, exceto para mim, até que eu forcei seu rosto de volta para o meu, tão perto que nossos olhares bloquearam —"se você ficaria feliz 24|


em me ver novamente. Quero dizer, nós tivemos um caso de uma noite e —" Eu cortei-a com a minha boca caindo sobre a dela. Eu aproveitei seu estado atordoado e empurrei minha língua em sua boca. Um gemido esfarrapado reverberou do fundo do meu peito. Eu senti como se os quatro meses fossem uma eternidade, e embora eu nunca tenha duvidado da minha decisão, ainda era uma confirmação de que ela foi feita para mim. Que eu não poderia viver sem ela. "Claro que estou feliz em te ver. E, não estou em um encontro, então não tenho que me sentir culpado por isso." Beijei-a novamente e minhas mãos encontraram seu caminho até sua bunda, levantando-a para que suas pernas enrolassem em torno de minha cintura, então tropeçamos para trás para cair no sofá. Ela montou meu colo e a saia dela agrupou ao redor de suas coxas. Tudo o que nos separava era minha calça e a fina camada de sua calcinha. "Você tem um sabor tão incrível como eu me lembro", eu resmunguei contra seus lábios. "Eu aposto que você está tão molhada para mim também." Eu deslizei minhas mãos por seus lados e ela ficou tensa por um momento, mas relaxou quando segurei seus seios. Me afastei e olhei para os globos, algo estava diferente. Usando meus dedos indicadores, eu puxei seu top e olhei. Os seios modestos de Juliette eram um bocado deliciosos, mas pequenos o suficiente para que ela pudesse facilmente ir sem sutiã. Então, fiquei surpreso ao vê-los derramando fora das taças de renda. "Eu não estou vendo coisas, certo?" Eu perguntei distraidamente. "Seus seios são maiores." Ela congelou, e eu sentia que ela pensou que eu tinha um problema com isso. "Não que eu esteja reclamando," Eu corri para lhe assegurar. "Você preencheu um pouco e é sexy pra caralho, baby." 25|


"Você — hum — você não está nada mal," Ela disse, seu rubor rosado retornando. "Adoro o jeito que você cora, Jules. É como derramar xarope de morango sobre a minha sobremesa favorita. Tudo o que eu quero fazer é te comer." Ela gemeu e meu pau já duro cresceu, ameaçando rasgar através de minhas calças para alcançar sua buceta aquecida. Eu já podia sentir o pré-sêmen vazando do instinto masculino para gerar em minha mulher. Cheguei ao seu redor para desenganchar o sutiã dela, mas ela empurrou minhas mãos, me fazendo rosnar em frustração. Quatro meses. Quatro malditos meses eu havia esperado por ela e minha capacidade de ir devagar era quase nulo. "Acho que devíamos falar antes que isso vá mais longe". "Depois". Minha boca perseguiu a dela, procurando um gosto, mas ela jogou um jogo cruel de manter distância. Eu suspirei e sentei. "O que você gostaria de falar?" Ela limpou a garganta e se contorceu um pouco, esfregando a sua buceta sobre minha ereção. Eu agarrei seus quadris para mantê-la de mover-se mais. Se ela queria alguma chance de manter minha atenção enquanto ela falava, eu precisava que ela ficasse quieta. "Vá em frente, querida. Eu estou escutando," murmurei. Inclinando-me, coloquei meus lábios em sua clavícula, mordiscando, lambendo, e deixando pequenas mordidas em seu pescoço. "Bem, eu descobri — hum — isso é muito perturbador, Declan. Isto é importante." "Então é isso, Jules." Beijei meu caminho para baixo de seu decote, enquanto ela arranhava por uma resposta. Abaixando seu 26|


sutiã, eu beijei cada mamilo rosado, encorajado a tomar um na minha boca quando ela gemia novamente. Minhas mãos caíram, com a intenção de tocá-la em toda parte. Eles pousaram em seu estômago e foi minha vez de congelar. Eu senti tudo ao redor da área, achando estranho que ela ganhasse peso em uma área tão concentrada. Exceto, eu sabia que não era o que estava sentindo. Orgulho e uma abundância de amor explodiu através de mim, esperando que eu estava certo. Olhei para cima e ela tinha as mãos sobre sua boca, os olhos cheios de lágrimas de medo. Ela não estava feliz com isso? Eu agarrei a bainha da blusa dela e puxei-o sobre a cabeça dela. Então eu deixei meus olhos caírem na barriga dela e com certeza, havia um pequeno inchaço. O pequeno inchaço mais bonito do mundo. Eu encontrei seu olhar violeta e havia maravilhas em minha voz quando eu perguntei, "Nós teremos um bebê?"

27|


Capítulo 3 Juliette Era realmente assim que Declan ia descobrir que eu estava grávida? No banheiro feminino de um restaurante enquanto eu estava de topless e sentada no colo dele? Isso foi ainda pior do que eu imaginava quando imaginei surpreendê-lo no seu apartamento para lhe contar as novidades. Comecei a embaralhar fora de seu colo, mas quando olhei para baixo, meus olhos estavam fixos pela visão de suas mãos na minha barriga. Nunca pensei que sentiria as suas mãos em mim novamente. Não durante qualquer um dos meses que eu tinha ido. Nem mesmo depois que descobri que estava esperando seu bebê da nossa noite de paixão. E certamente não quando eu vi ele na porta e sabia que ele era o encontro que Lisa tinha estado tagarelando — algo que eu tinha conseguido esquecer quando seus lábios pousaram no meu. Não era algo que eu poderia ignorar por mais tempo, porém. Eu me afastei de Declan, agarrando meu top do chão e puxandoo de volta. Após algumas respirações profundas, me virei e o enfrentei. "Sim, estou grávida de seu bebê." Seus olhos saltaram de minha barriga para meu rosto, e podia jurar que estavam cheios de felicidade, mas tinha que ser o desejo da minha parte. Eu tendia a tagarelar quando estava nervosa, e isto não foi exceção. "Literalmente descobri, quase não há mais de uma hora. Eu juro que eu ia visitá-lo amanhã e tentar explicar como isso tudo aconteceu. Depois que eu descobrisse o que dizer, isso é. Eu não estava indo para manter a notícia de você, mas eu não tenho certeza que estou pronta para falar com você sobre isso ainda. 28|


Aqui não. Não agora. Eu realmente não estava preparada para vêlo hoje à noite, muito menos em um encontro com outra mulher." "Eu já avisei que não estava em um encontro," ele rosnou, desenrolando-se de onde ele estava sentado no sofá de veludo vermelho e indo em direção a mim. "Não vou deixar você usar um estúpido mal-entendido como uma desculpa para evitar falar comigo hoje à noite. Esperei quatro longos meses para você voltar para casa e minha paciência se esgotou oficialmente." Ele esperou, o que? "Lamento que Lisa estava enganada sobre o motivo de estar aqui esta noite. Não vim para ela. Eu vim para você". Ele me puxou em direção a ele, inclinando meu queixo acima com um dedo. "Como é isso possível?" Eu sussurrei. "Eu nem sabia que ia estar aqui até esta manhã." "A mulher do meu melhor amigo é amiga de Lisa. Ela tem tentado marcar-nos durante meses. Eu não estava nem um pouco interessado em seus esforços de casamenteira e mal prestei atenção a ela, mas quando ela mencionou a razão por trás da festa hoje à noite, não havia nada que iria me afastar." "Lisa parecia ter perdido esse memorando," Eu resmunguei. "Ela faz ideia agora. Antes de te procurar aqui, fui extremamente claro para ela que eu já estou saindo com alguém e não tenho interesse em namorar mais ninguém." "Você está namorando?" Eu grifei, sentindo mal do estômago no pensamento. "Foda-se, querida. Não ouviu uma palavra do que eu disse?" Suas mãos me agarraram na minha cintura e puxou até eu estar rente ao seu corpo, seu comprimento endurecido pressionado contra o meu estômago. "Sim, estou fodidamente namorando alguém — você, a mulher que está carregando meu filho." 29|


Ah, bem, o bebê. Achei que fazia sentido que Declan gostaria de tentar construir um relacionamento comigo, agora que ele estava ciente de que estava grávida de um filho dele ele. Eu só desejava que ele tivesse sido tão ansioso para tentar isso antes de me deixar ir quatro meses antes. O lado lógico de mim sabia que seria uma coisa que não teria chance de dar certo, considerando que eu nem sequer o conhecia um dia inteiro antes de eu parti para a Europa, mas meu coração tinha ansiado por ele perguntar se pudéssemos tentar um relacionamento enquanto eu estivesse fora. Só que ele não tinha, e esta foi a primeira vez que eu ouvi a palavra "relacionamento" de seus deliciosos lábios. Embora, ele tinha dito que eu era a única razão pela qual ele viria para a festa em primeiro lugar, o que tinha que ser um bom sinal. Sério, eu ia enlouquecer-me sobre ele. Agora, eu realmente desejei ter passado um pouco menos de tempo focado em balé e um pouco mais de tempo interagindo com caras que não eram meus parceiros de dança. Alisamento minha espinha, na esperança de encontrar a força para lhe resistir, pelo menos no momento, eu tentei afastar, mas ele não me deixou ir longe. Mãos fortes agarraram a minha cintura e segurou-me no lugar. "Agora que já temos essa estupidez fora do caminho, eu gostaria de focar no que é verdadeiramente importante — sua gravidez com meu bebê." Deixei cair minha cabeça contra seu peito enquanto lágrimas enchiam meus olhos. Hormônios estúpidos. "Eu sei que você está provavelmente com medo, mas eu estarei com você em cada passo do caminho." Se ele ficasse com essa doçura, nunca ia ser capaz de resistir a cair na sua cama novamente. Mesmo que ele tivesse sido um idiota sobre a gravidez, eu provavelmente ainda não teria sido capaz de resistir por muito tempo. Fungando, eu respirei o perfume masculino que eu tinha perdido quando eu tinha ido. Parte de mim queria me chutar por cair na cama dele tão facilmente, mas não lamentaria verdadeiramente a noite mais 30|


mágica da minha vida. Bastou um toque, um beijo, um cheiro... e eu queria ele. Tanto é assim que eu não tinha ideia como eu alguma vez seria capaz de proteger meu coração quando nós íamos ser conectados para o resto de nossas vidas por causa do bebê. "Ei!" Uma voz feminina gritou através da porta, interrompendo minhas reflexões e me assustando. "Este é um banheiro público, você sabe. O único para as mulheres neste lugar, e alguns de nós temos que usar. Como agora." "Talvez devêssemos levar essa conversa para um lugar mais apropriado,” eu resmunguei em sua camisa. "É provavelmente uma boa ideia, desde que a última coisa que eu preciso é ser preso por atentado ao pudor de ser apanhado aqui com você," ele riu. "O hospital não aprovaria e não seria exatamente uma história que eu gostaria de compartilhar com nossos filhos mais tarde." "Você parece bastante decente para mim," eu suspirei, afastando-se dele e varrendo meu olhar por seu corpo. "Se você continuar me olhando assim por muito mais tempo, não há nenhuma maneira no inferno que qualquer um de nós sairá daqui com todas nossas roupas intactas." Kaboom! Lá foi minha calcinha. Sério, estava encharcada e de absolutamente nenhum uso para mim por mais tempo — que só provava que ele estava certo, maldito ele. Desta vez, quando eu tentei sair da sala ele me deixou ir, mas pegou minha mão conforme ele andava comigo em direção à porta. Com um movimento de seu outro pulso, a porta do banheiro estava aberta e eu estava mortificada quando voou aberta e revelou vários rostos espantados quando avistaram Declan e eu. Eu não podia culpálos desde que havia rumores rodopiando na companhia que eu poderia ser uma freira, porque eu nunca tinha encontros. 31|


Ele ignorou todos eles e me apressou a sair do restaurante e entrar em um táxi esperando. O passeio para seu lugar foi diferente da última vez, mas também o mesmo de certa forma. A química entre nós ainda chiava, e nós estávamos tão silenciosos, mas não havia nenhum dos beijos que eu tinha gostado. Em vez disso, Declan manteve-me embalada contra seu lado enquanto ele ficou olhando para baixo a mão descansando no meu baixo ventre. Foi tão sexy quanto a maneira como ele devorou minha boca quando eu finalmente me encontrei em um táxi com ele. Então, novamente, qualquer coisa que ele fez estava prestes a ser sexy, já que ele praticamente escorria apelo sexual de seus poros. Eu não era menos suscetível a ele hoje à noite do que eu tinha sido quatro meses antes, o que pode não ser bom para mim desde que parecia como se estivéssemos refazendo nossos passos daquela noite fatídica como ele me levou para o seu edifício. Minhas pernas tremiam quando eu entrei no elevador, lembrando a maneira que ele praticamente me tinha levado contra a parede da última vez que eu tinha montado nele. Ele esfregou minhas costas em um gesto calmante, mas eu mal o senti quando olhei para o outro lado do elevador e me lembrei de quão incrível era estar envolvida em torno de seu corpo musculoso com o calor de sua ereção entre minhas pernas. Apenas um minuto ou dois, passando antes de chegar o último andar onde se localizava o apartamento de cobertura do Declan. Quando as portas se abriram em seu Hall de entrada, eu estava a tremendo com a necessidade, o aviso da minha médica sobre o aumento do desejo sexual durante o segundo trimestre jogou novamente na minha cabeça. Desta vez, fui eu que o levei direto para o sofá e o encorajei para as almofadas. "Isto é tudo culpa sua, e você vai muito bem cuidar disso."

32|


Capítulo 4 Declan "Minha culpa"? Eu ri. Deixei a Juliette empurrar-me para o sofá e fui mais do que feliz em acomodá-la quando ela montou o meu colo. "São os estúpidos hormônios da gravidez! Eu preciso de você, Declan," ela implorou. Puta merda. Se isso era o que eu tinha que olhar para frente durante a gravidez, Juliette estaria se encontrando grávida para o futuro previsível. Claro, eu queria uma família grande de qualquer maneira, e ela tinha mencionado o mesmo quando conversamos sobre nossa noite juntos. Então, isso ia acontecer de qualquer maneira. Eu queria fazer o que ela pediu, na verdade, eu realmente estava gostando da ideia de fazê-la me implorar. Meu pau estava mais do que pronto para dar a ela exatamente o que ela queria depois da espera de quatro meses. Masturbar-se era um pobre substituto para afundar-se dentro de seu calor de seda, mas era tudo que eu tinha enquanto ela se foi. Esperando até mesmo mais um minuto foi a última coisa que meu corpo queria, mas era exatamente o que eu precisava fazer para o nosso relacionamento — o que significava que eu fui forçado a entregar meu cartão de homem para o que eu tinha que fazer a seguir. Ela entrou para um beijo, e embrulhei meus dedos em torno de seu bíceps tonificados para segurá-la um pouco longe de mim. Dor brilhou em seu rosto e eu não podia suportá-lo, então eu desloquei minhas mãos para cima para cobrir seu rosto e a beijei, liberando uma fração da paixão ainda reprimida dentro de mim. 33|


Assim que ela começou a experimentar e chegar mais perto, pressionando o seu calor contra o volume em minhas calças, eu a coloquei afastada novamente. Agora ela só olhou confusa e talvez um pouco atordoada de luxúria. Houve um rubor em sua pele que era tão bonito, eu estava tentado a transar com ela em primeiro lugar, depois conversar mais tarde. Felizmente, eu era capaz de falar fora da borda. Eu não queria nada pairando sobre nós, quando finalmente eu a levasse para a cama. Eu queria horas para adorá-la da cabeça aos pés, sem interrupções e sem perguntas que pairava sobre nós. "Querida, prometo que cuidarei de você. Sempre. Mas, precisamos conversar primeiro." A boca do arco de seu cupido virou para baixo em um bolo adorável, e eu tive que beijá-la. Ela suspirou e soou como uma combinação de exasperação e desejo. Algo tão simples e isso me levou. Eu capturei os seus lábios em um beijo profundo e corri minhas mãos por suas coxas e para o centro dela. Eu esfreguei um dedo através de sua calcinha e estava ensopado. Meu gemido foi engolido pelo emaranhamento de nossas línguas. "Tão molhada. Eu vou tomar a borda fora para você, baby. Ok?" Ela gemeu e a cabeça dela e deixou cair para trás, seus olhos fechando quando escorreguei um dedo por baixo do tecido. Estava no caminho, então eu enrolei meu dedo ao redor da tira central e o rasguei, deixando sua buceta nua. Ela ofegou e arqueou as costas. Corri o meu dedo na sua fenda e trouxe-o para minha boca, procedendo a sugá-lo para dentro e lambê-lo limpo. Ela tinha um gosto tão delicioso. Eu precisava de mais. Com minhas mãos na cintura dela, eu a encorajei a levantarse sobre os joelhos dela e, em seguida, para os pés dela, então ela estava no sofá. Era a altura fodidamente perfeita. Trocadilhos. Eu 34|


dobrei sua saia longa em sua cintura e bebi diante de seu sexorosa, brilhante. Eu lambi meus lábios e então olhei para cima para ver Juliette me observando com luxúria, escurecendo os olhos para um roxo profundo. Peguei as mãos dela e colocou-os em ambos os lados da minha cabeça, então ela estava segurando a parte de trás do sofá. "Segure firme, Juliette." Eu segurei as bochechas da bunda dela, puxei-a para a frente e enterrei meu rosto em sua buceta, inalação e tornando-se quase delirante de seu cheiro potente. Minha língua mergulhou dentro dela e então corri até o centro para circundar o clitóris sensível. "Monte-me, querida,” Eu grunhi áspero. Lambi-a e mordisquei-a num frenesi, forçando-a a trancar as pernas enquanto ela fodia o meu rosto. Eu levei-a beira e esperei lá até ela estava selvagem e desesperada, levei dois dedos dentro de sua buceta apertada e suguei sua pequena protuberância dura na minha boca. Ela gritou meu nome quando seus joelhos se dobraram, e eu a segurei para que eu pudesse trabalhar com ela através de seu orgasmo. À medida que os estremecimentos cessavam, eu a ajudei a descer de sua posição elevada e voltar para sua posição anterior. Ela era tão bonita sentada no meu colo, bochechas rosadas, as ametistas piscinas nebulosas com satisfação. Eu levei um momento para apreciar o fato de que ela era minha. Meus olhos caíram de seus lábios para a barriga dela e um sorriso largo dividiu minha face. Vamos ser uma família. Havia apenas algumas coisas que faria isto ainda mais perfeito. Falando de... "Você sabe que estou em êxtase sobre nosso bebê, certo?" Eu perguntei com entusiasmo. Seu beicinho se transformou em uma expressão inexpressiva, a cautela subitamente enevoando seus olhos violetas. Ela tentou subir em cima de meu colo, mas eu segurei seus quadris com

35|


firmeza, mantendo-a no lugar. Ela assentiu com a cabeça dura e não tentou se mover novamente. "Você tem um ultrassom agendado?" Eu não podia esperar para ver a nossa pequenina. A espera de quatro meses para Juliette retornar era insuportável, e eu precisava preencher meu tempo com esperança. Pode ter feito algumas pesquisas. Eu saberia tudo sobre ela (sim, eu acho que é uma menina) articulações e membros estariam totalmente formados e poderíamos vê-la se esticar, ou chupar o polegar, e nós seríamos capazes de ver suas expressões faciais. "Três dias a partir de hoje," ela disse, o tom sem emoção. De repente fui atingido por um terrível pensamento. "Juliette, por favor me diga você não estava pensando em não manter nosso filho." Só passamos uma noite juntos, mas eu senti como se eu a conhecia — meu corpo, meu coração, minha alma. Conhecia-a com cada fibra do meu ser. E ainda, eu tinha que perguntar. Ela recuou e sua expressão ficou horrorizada. "Não!" As mãos dela enroladas em proteção sobre sua barriga. "Absolutamente não. Aconteça o que acontecer com a gente, vou ficar com este bebê." Esmaguei a minha boca ao longo dela, feliz em saber que eu estava certo. Quando eu finalmente puxei para trás, senti tudo lavando sobre mim mais uma vez e um milhão de pensamentos começaram a colidir no meu cérebro. "Cancele seu outro compromisso e vou pegar um programado para você com a Dra. Frazier." "Mas, eu gosto da Dra..."

36|


"Ela é a melhor OB1 no estado", disse, cortando seu protesto. "Além disso, o escritório dela fica no meu hospital, então isso será mais fácil para mim atender todos seus compromissos." Ela assentiu com a cabeça, embora ela certamente parecia colocar para fora sobre isso. "Mandão", ela murmurou. Mentalmente dei de ombros. Ela iria se acostumar. "Eu não posso acreditar que vamos ter um bebê," Eu respirei com temor. "Sobre isso, como sabia que era seu?" "O quê"? Eu realmente estava confuso com sua pergunta. "Quando você percebeu que estava grávida, você disse 'Vamos ter um bebê,' você não perguntou se era seu." Nunca tinha ocorrido comigo, nem uma vez, que minha bela dançarina se envolvesse com outra pessoa, que era possível que não sentisse a mesma conexão forte entre nós. Eu franzi a testa e olhei para ela severamente. "Porque nós dois sabemos que você é minha. Você tem sido desde o momento em que eu coloquei os olhos em você." Eu estava irritado quando ela não concordou imediatamente, mas ela me distraiu com seu próximo comentário. "Eu não tenho intenção de mantê-lo longe do bebê, só para você saber. Você pode ser tão envolvido quanto quiser." "Eu vou estar lá para tudo, as aulas de preparação para o parto, as corridas de lanches noturnos, o bebê provando o apartamento. Embora", eu meditei, "podemos resolver isso depois que você se mudar e nos casarmos."

1

Obstetra. 37|


Capítulo 5 Juliette Eu pulei fora seu colo como um gato assustado, praticamente assobiando com irritação no caminho indireto que tinha trazido ao casamento. Algo tão sagrado deve ser tratado com mais respeito do que um comentário ocasional para a mulher que tinha engravidado durante uma noite de sexo — mesmo se que fosse eu a mulher em questão e uma parte de mim queria desesperadamente aceitar sua proposta. Ou sua suposição de que íamos casar desde que ele não teve realmente se incomodado a propor. "Eu não posso — você simplesmente — não é —" Eu gaguejei, incapaz de formar uma frase completa. "Pode", ele estalou, passando um braço em volta da minha cintura e puxando-me de volta para seu colo. "E isso não é motivo de debate." Sua mão repousava em meu estômago, dando-lhe um pequeno aperto para dar ênfase. "Perdoa-me por pensar que eu deveria ter uma palavra a dizer nas decisões que afetam o meu futuro." Minha resposta sarcástica me ganhou um golpe pequeno em minha bunda depois que ele me inclinou para o lado. "Ei!" Eu gritei. "Acho que você quis dizer o nosso futuro", ele retumbou. "Não é, Jules?" "Bem, sim. Um bocado. Mais ou menos,” Eu resmunguei, agitada pela pressa de calor em minhas veias da picada que sua mão deixou para trás. "Digo, obviamente nossas vidas vão ser interligadas de agora em diante por causa do bebê, mas isso não 38|


significa que você vai apenas proclamar que eu vou me mudar e me casar com você. Você não pode esperar que eu siga humildemente o seu ditado como uma bajuladora sem cérebro." "Eu nunca disse que não esperava que você precisasse de um pouco de tempo a concordar comigo, querida," ele riu. "Sinta-se livre para tentar resistir, contanto que você tenha em mente que é inútil, porque você vai ter o meu anel no dedo para ir junto com meu bebê em sua barriga. Pelo menos sua ousadia me dá uma desculpa para ser criativo quando se trata de te convencer a dizer que sim. " "Criativo"? Eu engasguei quando sua mão deslizou para cima da minha coxa para me cercar intimamente. "De que outra maneira eu deveria fazer com que você concordasse comigo a não ser para fazer com que você perca toda a razão?" Sua pergunta foi um estrondo de som contra a minha pele quando ele beijou minha garganta e trabalhou seu caminho de volta para o meu ouvido. "Parece justo desde que você me expulsou da minha por meses. É uma coisa muito boa que a nossa nova campanha de angariação de fundos tenha diminuído o meu tempo de cirurgia, porque você foi um inferno na minha concentração." "Sério?" Eu sussurrei de volta, surpresa em ouvir que ele tinha pensado em mim o suficiente para mexer com seu foco. "Não conseguia te tirar da minha cabeça." Ele agarrou meu pescoço para me atrair e deixou cair sua testa contra a minha. "Não me esforcei muito. Fez-me sentir mais perto de você." Eu derreti, totalmente encantada por sua admissão. Foi totalmente inesperado e me fez sentir que talvez ele me queria para mais do que apenas o bebê — e sexo. Não tenho dúvidas que ele me queria por isso, não com a prova do seu desejo duro debaixo de mim. 39|


"E agora que eu te tenho de volta onde você pertence, você vai ter um tempo difícil para me tirar de você. Eu preciso muito de você." Sua língua escorregou entre meus lábios e acariciou a minha lentamente. Esse beijo foi mais suave do que outros, mais profundo, enquanto ele vagarosamente explorava minha boca. Quando ele levantou a cabeça, eu estava ofegante e malditamente perto de implorar para me fazer gozar de novo. Agarrando-me em seus braços, ele se levantou e me levou para seu quarto como se eu fosse tão leve quanto uma pena. Quando minhas costas atingiram o colchão, eu só podia olhar para ele desamparadamente. Seus olhos escuros iluminaram com apreço quando ele olhou para mim, fazendo com que os meus mamilos endurecessem na excitação flagrante de brilho do seu olhar. Minha respiração ficou presa em minha garganta quando ele me levantou para levantar minha camisa sobre minha cabeça. Com um movimento do pulso, ele destravou meu sutiã e ele deslizou em meus ombros. Eu não conseguia parar o gemido que escapou de meus lábios quando ele traçou meu mamilo com a ponta de um dedo e ele atingiu um pico ainda mais sob seu toque. "Eu deveria te fazer implorar-me por isso, mas eu quero você demais para esperar mais para sentir seu calor envolvido em torno de mim." Ele não estava tentando esconder como eu o afetava, e sua honestidade me fez querer dar-lhe uma concentração. Talvez apenas uma pequena. "Por favor, Declan. Não faça nenhum de nós esperar." Não era bem implorando, mas achei que estava perto o suficiente. Pelo brilho da aprovação em seus olhos, parecia que ele concordou. Ele aliviou minha saia sobre meus quadris e minhas pernas, sua barba de cinco horas raspando minha pele sensível enquanto ele mordiscava seu caminho de volta para cima do meu corpo. 40|


"Eu sonhei com essa buceta toda noite," ele murmurou, Ele murmurou, sua palma me segurando novamente "Quando eu tomei sua virgindade, eu a reivindiquei como minha." A possessividade em seu tom enviou arrepios na minha coluna. Abri minhas pernas mais ampla para lhe dar melhor acesso, enquanto eu estava espalhada nua no colchão embaixo dele. Levantando-se, praticamente rasgou a roupa de seu corpo antes de voltar entre as minhas coxas. Seu pênis foi empurrado contra mim. "Eu estou limpo, passaram-se quase dois anos para mim antes que eu te vi no palco. Quero levar-te nua." Dois anos? Não parecia possível, considerando que Declan era um médico insanamente quente que era incrível na cama. Ele deve ter interpretado minha cara cética em resistência porque ele continuou a fazer seu argumento para ir sem camisinha. "Nem olhei para outra mulher desde aquela noite" Ele admitiu. "E plantei meu bebê dentro de você, então não há nenhuma necessidade para uma. Além do mais que, a última vez usamos a caixa inteira e ainda não a substituí." "Muito bom que fez." "Você acha que o chefe da cirurgia pediátrica teria pensado em olhar a validade em uma caixa de preservativos antes de usálos", ele respirou em meu ouvido, uma pitada de vergonha em seu tom. "Mas fiquei tão desesperado para entrar dentro de você que eu não estava pensando claramente." "Suas camisinhas estavam expiradas?" Eu fiquei boquiaberta. Isso resolvia o mistério de como eu tinha conseguido engravidar na noite que eu perdi minha virgindade. Era quase como se este bebê fosse para ser. Ele cutucou dentro de mim, cerca de uma polegada ainda. "É só um palpite. A última coisa que me importava quando você me 41|


deixou foi uma caixa vazia de preservativos. Eu estava muito ocupado tentando ir atrás de você e convencendo você a ficar lutando" ele sussurrou, antes de mudar seus quadris e deslizar lentamente o resto do caminho dentro de mim. As minhas emoções estavam em uma espiral fora de controle, droga meus hormônios e sua língua. Lágrimas nadaram em meus olhos, quando eu os fechei antes que eu perdesse o controle. "Juliette, não se esconde de mim," ele exigiu. Lentamente levantei minhas pálpebras, e me recompensou com um círculo de seus quadris. "Eu nunca quero passar tanto tempo longe de você novamente. Eu quero você e o nosso bebê na minha vida. Na minha casa. Nossa casa. " Ele retirou-se do meu corpo e mergulhou em volta, me fazendo suspirar. "Falaremos mais tarde. Mais movimento agora" choraminguei, balançando os quadris para a frente e para trás. Ele puxou e bateu de volta. "Eu estou feliz que aquelas camisinhas não funcionaram. Feliz pra caralho que meu bebê está crescendo dentro de você." "Por favor, Declan." "Diga que você vai casar comigo". "Preciso gozar" eu implorei. "Case comigo", ele repetiu. "Não assim" Eu respirei para fora. "Você quer dizer Sim, eu vejo nos seus olhos," ele disse, moendo sua pélvis contra mim. "Não vou ficar noiva enquanto estamos transando" gemi, enquanto meu corpo apertava de prazer. "Isto não é só sexo, baby. É muito mais". 42|


Ele balançou suavemente de volta para mim, e eu gemi. Nossa noite juntos tinha sido incrível, mas isto era ainda melhor, de alguma forma. Mais intensa com os nossos olhos aprisionados juntos enquanto ele calmamente mergulhava dentro e fora de mim. Não demorou muito tempo antes que eu começasse a tremer debaixo dele. "Case comigo". Minha cabeça mudou-se de um lado para o outro, como uma resposta e como um sinal de quão perto da borda, eu estava. Minhas mãos estavam cerradas sobre a pele húmida das costas dele, e os saltos estavam cavando firmemente na bunda dele. O que fosse preciso para aproximar o corpo dele do meu, que pude. "Muito bem, diga sim, mais tarde, mas venha para mim agora," ele insistiu. "Sim", eu gemi sobre a próxima onda de seus quadris, minha buceta apertando seu pau enquanto fogos de artifício explodiram atrás de minhas pálpebras. Ele empurrou dentro uma última vez antes de seu corpo ficar rígido. Em seguida empurrou profundo antes de me encher, rolando para o lado e me levando com ele quando ele estava vazio. Eu descansei minha cabeça em seu peito e ouvi seu batimento cardíaco voltar ao normal, pensando em quanto eu tinha perdido ele. Não tinha certeza se era a decisão certa, porque pareceu-me muito prendendo-o com a gravidez, mas eu fui em frente e o fiz de qualquer maneira, porque não queria deixá-lo ir. "Sim," eu suspirei. "Eu vou casar com você."

43|


Capítulo 6 Declan Eu estava muito exausto e odiava a ideia de largar minha mulher, nem por um minuto. Mas, uma parte mais forte de mim reagiu ao acordo de Juliette com uma explosão de energia e eu pulei da cama, voltando-se para enfrentá-la. "Não se mexa". Ela levantou-se em seus cotovelos e levantou uma sobrancelha, mas então deu de ombros e sentou-se e volta. Eu sorri para ela antes de girar no meu calcanhar e apressando-se para fora, no corredor e no meu escritório. Eu rapidamente introduzir a combinação para meu cofre de parede, ele começou a abrir e arrebatei uma minúscula caixa veludo preto, de dentro. Em seguida, fechei a porta pequena e girei rapidamente voltando à minha bela dançarina. Ela me olhou curiosamente quando eu subi na cama e puxeia em posição sentada, ignorando seus gemidos de protesto. "Você me desgastou", ela chorou divertidamente. Mas, seu rosto se transformou em choque de olhos arregalados quando apresenteilhe a caixa e abri-a para revelar um antigo anel de noivado. O anel era um solitário de ouro que acabava no centro e criava uma flor com um diamante de 2 quilates no centro. "Juliette Moureaux, casa comigo?" Foi uma pergunta, mas meu tom de voz e olhar de determinação não tolerava argumento. Seu rosto iluminava e um lindo sorriso enfeitou os lábios dela como ela olhava dentro da caixa de joias. "Você me comprou um anel?" ela respirou.

44|


"Bem, é uma relíquia de família. Pertenceu à mãe do meu pai," disse-lhe, supondo que ela iria gostar da história especial. Eu não teria dado este anel a qualquer pessoa. Se nunca conhecesse Juliette e acabasse propondo a outra mulher, não usaria isso. Era para o dedo de Juliette, mesmo que eu não saberia, eu senti isso. Então, fiquei chocado quando sua luz esmaeceu e ela parecia estar forçando o sorriso dela. "É linda, mas não tenho certeza se que eu deveria usá-lo ainda. Quer dizer, é obviamente muito especial para você e quem sabe o que vai acontecer. Vamos ver como vão as coisas primeiras, ok?" Meu maxilar endureceu de frustração e senti minha exaltação desinflar em dor. Eu tinha ido para meu banco no dia depois que Juliette saiu e trouxe para casa este anel. Ele tinha estado queimando um buraco no bolso proverbial desde então. Eu tinha pensado que ela sentiria a mesma verdade esmagadora, como eu tive, que fomos feitos um para o outro. Eu mentalmente sacudi os pensamentos melancólicos e falei com determinação: "Juliette, não posso fazer isso mais claro. Vocês... São. Meus. Você era desde que você fez a escolha de pegar na minha mão. Não há nenhum ‘se’ ou, ‘mas’, nesta situação. Nós vamos nos casar e não haverá nenhuma discussão, nem agora nem nunca, de nos separarmos." Tomando o anel na caixa, ela deslizou-o para o quarto dedo da mão esquerda e levantou-o nos meus lábios. Então eu me arrastei por causa dela, forçando-a deitar e enjaulando-a com meus braços em ambos os lados da cabeça. "Somos uma família, você, eu e nosso pequeno amendoim. Agora, mais animado do que estou por ter nosso bebê em nossa vida, temos de aproveitar os próximos cinco meses, não acha?" Eu bati minha boca para baixo sobre o dela, ainda agarrandose na pequena explosão de energia de antes. Depois de alguns 45|


minutos, abrandei e passei as próximas horas adorando cada polegada de seu corpo. Quando finalmente cheguei a provar sua buceta, ela estava encharcada e eu chupei cada pedacinho do seu creme quando a dirigi para um orgasmo intenso. Eu deslizei acima de seu corpo, nosso suor embebendo nossa pele facilitando a viagem. Antes de morrer a última de suas réplicas, eu empurrei dentro dela, gemendo na requintada sensação de sentir sua buceta nua pulsando em torno do meu pau. Não pensei que eu algum dia eu iria me acostumar com a sensação de estar dentro dela, sem proteção. Era o paraíso e eu queria saboreá-la para o resto de nossas vidas. Mudei-me lentamente para dentro e para fora, ociosamente fazendo amor com ela, fascinado por suas expressões, seus gritos de prazer, cada arrepio e contração do corpo dela. Cada impulso dentro dela, eu liberei mais do meu amor até que chegamos a altura do êxtase juntos. Eu daria tudo, tudo de mim, mas a verdade era que ela já tinha. *** "Jules," liguei no corredor do meu escritório, "que horas a mudança deve estar no teu apartamento amanhã?" Ela estava na cozinha fazendo o almoço e algo ressoou quando caiu no assoalho de pedra. Eu suspirei e me sentei de volta na minha cadeira, então perguntei ao programador no telefone se eu poderia chamá-la de volta. Então eu esperei, sabendo o que estava por vir. Com certeza, Juliette veio até minha porta e olhou para mim, as mãos dela apoiadas em seu quadril. Ela estava linda com seus olhos violetas cheios de fogo e meu pau endureceu à vista. 46|


Depois que eu tinha feito amor com ela, nós tínhamos conversamos um pouco, então adormecemos nos braços do outro. Mesmo inconsciente, não suportaria deixá-la ir. Eu tinha medo, que quando eu acordasse, ela teria ido embora. Seria uma tentativa fútil de sua parte, claro, porque eu iria atrás do rabo dela e a prenderia na porra da cama, se eu tivesse que fazer. Eu estava determinado a fazê-la se mudar e casar comigo logo que possível. "Com licença"? "Querida, falei ontem à noite. Você vai morar comigo. Agora, a que horas amanhã? Eles vão arrumar tudo e transportá-lo aqui." Franzi a testa em pensamento, em seguida, estreitei os olhos em alerta. "Não quero que levante uma única caixa, Juliette." Ela olhou de volta para mim. "Eu concordo que devo me mudar, eventualmente. Definitivamente antes do bebê nascer. Mas, você não pode decidir que vai ser amanhã! Temos tempo de sobra para se preocupar com isso, então nós vamos enfrentar o casamento após o nascimento." Eu quase ri com seu comentário ridículo, até que percebi que ela estava falando sério. "Juliette, que logo será McGowan," Eu rosnei. "Estou mudando sua bundinha sexy comigo imediatamente. E, você terá meu sobrenome antes de nosso bebê nasce..." eu estendi a minha mão quando eu vi que ela estava prestes a discutir "... isto não é motivo de debate, bebê. Mas, não sou completamente irracional, eu vou te dar três meses para planejar um casamento, ou eu vou arrastar você para o tribunal." Eu abri uma gaveta na minha mesa e tirei um envelope e, em seguida, joguei para ela. Ela o pegou e abriu cautelosamente, e sua testa franziu até a linha do cabelo com o conteúdo. "Aqueles que chegaram esta manhã. Não há limite no cartão de crédito e o outro é um cartão de débito temporário para nossa 47|


conta corrente. Vamos fazer um permanente assim que você alterar seu sobrenome." Eu ignorei a pulverização catódica e prossegui "Eu espero ver abundâncias de cobranças para o casamento e o bebê". "Declan..." "Se amanhã não for bom, escolha um dia desta semana, ou eu vou escolher um para você, Jules," interrompi teimosamente. Ela fez um som frustrado e jogou suas mãos no ar. "Tudo bem! Amanhã," ela rosnou. E droga, foi engraçado pra caralho. "Eu vou estar feita com trabalhar em três". Então ela pisou de volta para a cozinha. Eu esperei enquanto pude antes de deixar o riso estourar de meus pulmões. Tão adorável. Na noite seguinte, ela estava quase completamente movida e eu era capaz de dar um suspiro de alívio parcial. Depois de fazer amor com ela até ela dormir naquela noite, estávamos na cama e eu estava segurando-a com a mão repousando sobre sua barriga, quando o bebê chutou. Foi incrível. Eu não podia esperar para conhecer o nosso pequeno amendoim. *** "Dr. McGowan, ouvi dizer que os parabéns estão em ordem." Dra. Frazier sorriu para mim, quando ela entrou na sala de exame. Eu sorri para ela. "Pelo bebê ou o noivado?" Estava de pé à esquerda da Juliette, segurando a mão dela, então mostrei o anel. Dra. Frazier riu e acariciou meu braço quando ela manobrou o equipamento e parou no outro lado de Juliette. "Ambos. No entanto, eu não estava realmente ciente do compromisso."

48|


Segurando a mão, Dra. Frazier calorosamente apresentou-se Juliette. "Ouvi dizer que você está há cerca de quatro meses, Srta. Moureaux?" "Sim. Temos certeza sobre a data da concepção." Juliette corou e eu ri, mesmo ganhando uma carranca pouco bonita. "Pode me chamar de Juliette," acrescentou. Dra. Frazier assentiu com um sorriso. "Ok, vamos ver se este pequeno quer cooperar hoje?" Ela puxou a camisola de Juliette apenas sob os seios dela, expondo sua barriga. Depois de colocar um pouco de gel lá, ela começou a mover uma sonda ao redor e um zumbido emanou da máquina. Depois, houve uma pulsação, batimentos cardíacos e meus joelhos enfraqueceram um pouco. Eu olhei para a tela e assisti a pequena pessoa dentro de minha garota. Encheu-me com 1 milhão de emoções diferente, mas quando a mão de Juliette apertou ao meu redor, desgrudei meu olhar para enfrentar seus olhos líquidos roxos. Inclinando minha cabeça, eu beijei seus lábios suavemente, infundindo o gesto com amor e gratidão. Ela era o meu sonho se tornando realidade, e foi quase surreal naquele momento saber que ela e o bebê eram meus. "Vocês querem saber o sexo?"

49|


Capítulo 7 Juliette "Sim". "Não", eu respondi ao mesmo tempo que Declan. Olhar da Dra. Frazier disparou entre os dois de nós antes que uma risada surpresa alternasse até a garganta dela. "Eu acho que eu poderia dizer ao Dr. McGowan, mas duvido que ele vai ser capaz de manter o segredo de você por cinco dias, quem dirá cinco longos meses. Porque os dois não tomam um momento para discutir o que você gostaria de fazer? Eu vou sair para dar-lhes um pouco de privacidade." No minuto em que a porta se fechou atrás dela, Declan inclinou-se sobre mim, definindo suas mãos sobre a mesa de exame em ambos os lados da minha cabeça. Os olhos dele brilhavam praticamente com felicidade, e seu sorriso era a maior que já tinha visto. "Você acha que você vai me fazer concordar, não é?" Eu perguntei suspeitosamente. Ele deixou cair um breve beijo nos meus lábios antes de responder. "Eu espero, mas não é por isso que eu estou sorrindo como um tolo. Estou tão feliz de ser capaz de experimentar a primeira decisão que enfrentamos como novos pais juntos." "Nós não podemos nem mesmo concordar em algo tão simples quanto aprender o sexo de nosso bebê," soltei, torcendo o anel de noivado em volta do meu dedo. "Nós mal nos conhecemos e já estamos morando juntos, prestes a nos casar e vamos ter um bebê." 50|


"Mal posso esperar para aprender tudo o que há para saber sobre você, Juliette," ele sussurrou contra meus lábios, depois de dar-me outro beijo doce. "Mas eu discordo sobre ser uma decisão fácil. Eu sou um bocado de um planejador, tenho certeza que não é uma surpresa para você agora, mas não é por isso que eu quero saber. Não se trata de planejar o berçário ou comprar roupas de bebê para mim. Sinto essa necessidade profunda de aprender o máximo sobre ele ou ela, assim que eu puder. Já estou imaginando se nosso bebê terá seus olhos lindos e violetas, se ele ou ela será tão graciosa quanto você, se nosso filho terá meu amor para a medicina ou a sua dança. Temos de esperar as respostas a todas essas perguntas, mas o ultrassom pode nos dizer uma coisa sobre nosso bebê, se é um menino ou uma menina. " Sua confissão me comoveu ao ponto onde havia apenas uma resposta possível. "Chame Dra. Frazier de volta e vamos descobrir o sexo do nosso bebê". Declan caiu um último beijo nos meus lábios e caminhou até a porta. Tão logo ele a abriu, Dra. Frazier espiou a cabeça por ela. "Qual é o veredicto?" "Gostaríamos de saber, por favor." Ela sorriu em meu caminho na minha resposta. "Não me surpreende. Dr. McGowan pode ser bastante persuasivo quando ele quer ser." Eu disparei um olhar cauteloso entre os dois, imaginando o que ela quis dizer com isso e relaxei quando ela continuou. "Ele fez um excelente trabalho falando aos doadores sem dinheiro para a nova ala de pediatria. É só uma pena que não vai ser feito antes de sua filha nascer desde que a ala também será o lar das novas salas de parto." "Menina"? Eu estava boquiaberta. "Porra" Declan berrou, servindo-me da mesa de exame e girando comigo. "Uma menina que vai ser tão linda como a mamãe dela." 51|


"Talvez ela vá parecer o pai em vez disso," eu sugeri timidamente, olhando para ele quando ele colocou-me nos meus pés. Declan não estava nem um pouco constrangido pela Dra. Frazier assistindo-nos em um momento tão pessoal. Ele embalou meu rosto em suas mãos e capturou meus lábios, beijando-me com ternura. Pode não ter sido a hora ou o lugar certo, considerando que Declan trabalhava lá, mas era exatamente o que eu precisava para me sentir mais próxima dele. Perdidos no beijo, nenhum de nós ouviu a porta se fechar enquanto expressávamos fisicamente todas as emoções que o ultrassom tinha evocado. Seus polegares varreram minhas bochechas quando ele levantou a cabeça e me encarou. Então ele caiu de joelhos e sussurrou contra minha barriga, "Olá aí, menina McGowan. Este é o seu pai. Eu te amo muito e não posso esperar para conhecêla, minha pequena amendoim." As lágrimas voltaram — novamente. Embora desta vez foi nada mais do que simplesmente estúpidos hormônios. Fiquei emocionada que minha filhinha tinha o amor incondicional do pai dela. Só desejei que eu tivesse também. *** "Temos que ir ao estúdio hoje?" Declan murmurou da cama. Eu saí do armário vestida para um dia cheio de aulas de dança e deixei que meus olhos permanecessem em seu peito nu. O lençol pendurado baixa na cintura, olhos sonolentos, e seu cabelo escuro estava bagunçado, depois de uma noite fazendo amor comemorando a notícia sobre a nossa menina. Nós tínhamos estalado em seu escritório após o ultrassom, então ele poderia ter algum trabalho feito, mas não ficamos muito tempo. 52|


Após um rápido jantar cedo, passamos o resto da noite na cama. Esqueça o champanhe e o bolo, sexo com Declan era a melhor maneira de comemorar. Esta manhã foi um retorno ao mundo real, embora, e eu tive que sair da bolha privada que criamos em torno de nós mesmos. Eu adoraria ser capaz de esconder-me, particularmente naquele dia, mas não era possível. "Vou me encontrar com Serena hoje para falar sobre a gravidez." Estreitaram os olhos dele e ele inclina a cabeça para o lado. "Ela ainda não sabe?" "Só faz três dias que eu descobri," respondi defensivamente. "Como foi capaz de me conseguir um compromisso de ultrassom com a Dra. Frazier para o mesmo dia quando o meu foi originalmente programado, eu achei que não faria mal esperar até mais tarde para avisá-la." Ele levantou da cama e veio na minha direção, colocando a mão suavemente na minha barriga quando ele chegou perto. "Você não esteve empurrando-se muito duro, não é? Eu sei quão é importante a dança para você, mas agora está dançando para dois." "Dança para dois", eu repeti, sonhadora. O bebê chutou a sua mão, quase como se soubesse que estávamos falando sobre ela. "Eu acho que isso é um sinal que ela gosta da ideia de dançar com a mãe dela tanto quanto eu." "Talvez, mas acho que ela adora o som da voz do pai dela," Ele brincou. "Então ela deve adorar a mãe dela porque eu também faço." "Se você fugir das aulas comigo hoje, eu vou sussurrar palavras doces em seu ouvido enquanto você quiser" ele ofereceu com sorte.

53|


"Oh, por favor. Ambos sabemos que você realmente não vai tirar o dia todo," respondi, sacudindo meu dedo para ele. "Na verdade, eu vou provavelmente voltar para casa. Dependendo de como vai o meu encontro com a Serena, posso vir muito cedo para casa. Não sei como ela vai levar a notícia da minha gravidez, desde já estou de quatro meses. Faz anos desde que uma das principais bailarinas tem estado grávida, e ela tinha sido feliz casada e tentando um bebê há mais de um ano. Esta vez ao redor, vai ser um choque para todos. Se eles não estão dispostos a deixar-me continuar com aulas durante toda a gravidez, então ganhar meu lugar de principal de volta seria incrivelmente difícil." "Eu sei como sua carreira é importante para você. Acho que provei isso quando lidei com sua ausência de quatro meses." Eu balancei minha cabeça em confusão, mas ele não percebeu por que ele estava olhando para suas mãos na minha barriga. "Você tem o meu apoio, cem por cento, mas quero sua promessa de que vai ter cuidado e não exagere até o bebê estar aqui. Não sei o que faria se algo acontecesse a qualquer uma das minhas meninas. " "Você tem uma promessa" jurei, entrelaçando os meus dedos através dos dele e puxando-o contra mim. Ficamos juntos assim mais tempo do que eu tinha percebido. Quando nós finalmente nos separamos, eu tive que fazer uma corrida louca em toda a cidade para o estúdio e era quase tarde para minha reunião com Serena. A mentora de balé da empresa me adorava, mas o atraso era uma das suas maiores irritações. Era um fato que eu me lembrei quando eu mal consegui entrar em seu escritório com um minuto de sobra e ela apontou olhando para o relógio na parede. "Espero que a razão para esta reunião seja urgente, desde que você quase me fez esperar por você?"

54|


"Estou grávida de quatro meses", deixei escapar, saltando o discurso inteiro que eu tinha praticado na minha cabeça nos últimos dias. "Bem", ela murmurou, caindo em sua cadeira, com as sobrancelhas levantadas quando o olhar dela varreu meu corpo. "Isso explica o ganho de peso." "Apenas cinco quilos," Eu resmunguei. "E apenas quatro da última vez que me viu." "Haverá muitos quilos mais a seguir, tenho certeza. Quatro meses, você disse?" "Sim, eu só descobri esta semana e tive uma ecografia ontem. É uma menina e uma gravidez saudável." Enfiei alguns papéis para ela que a médica me deu a meu pedido. "Já falei com minha médica sobre isso, e ela é favorável de mim continuando com meu treino, enquanto eu for cuidadosa e ouvir os sinais do meu corpo." "Você pode dançar", ela admitiu, depois de analisar as informações da Dra. Frazier, e soltou um grande suspiro de alívio. "Em classes só, onde eu posso garantir que você está sendo cautelosa conforme seu corpo muda durante a gravidez. Eu vou falar com Hayes sobre a sua indisponibilidade para fundição." "Não quero fazer nada para colocar meu bebê em risco", garanti a ela, sentindo-me aliviada que ela ia atacar a conversa com o nosso diretor artístico para mim. "Minha médica mesmo disse que vai me ajudar a manter a minha força de corpo, que pode aliviar alguns dos efeitos negativos da gravidez. Além disso, o pai do bebê..." ela enviou um olhar aguçado para o anel no meu dedo, e eu mesmo corrigi "... meu noivo é um cirurgião pediátrico. Recentemente me mudei com ele, e ele vai querer ficar de olho na minha saúde, também, então não é como se eu fosse ser capaz de fugir com muito, mesmo que eu quisesse. O que eu não quero."

55|


"Sim," ela concordou. " Vamos trabalhar para manter seu núcleo forte para ajudá-la a evitar dor nas costas. Isso podemos fazer, mas sem desempenho. Nenhum grand jetés2." "Tudo o que você acha que é melhor," Eu concordei. "Lembre, Juliette. Você tem muitos anos para dançar, mesmo que talvez nem todos estejam no palco, mas você só tem tantos para se tornar uma mãe." Ela parecia triste por um momento, e eu não podia ajudar, mas perguntei se ela se arrependia de nunca se casar e ter filhos. O mundo da dança era diferente quando ela era uma bailarina. Fiquei profundamente grata pelas alterações ao longo dos anos, o que me permitiu viver o meu sonho e ser mãe também.

O Grand Jeté é um lindo movimento de balé no qual a dançarina dá u.m salto no ar para fazer uma abertura 2

56|


Capítulo 8 Declan De fora da porta, eu assisti o corpo gracioso de Juliette flutuar em torno do estúdio de dança vazia. As paredes de espelhos ampliavam sua elegância e as sapatilhas deslizavam ao longo do chão polido, de madeira. O cabelo de castanho mel foi torcido em um coque, descobrindo o pescoço delgado. Seu corpo magro estava em um collant preto, meia-calça nude e sapatos pink toe. As linhas do corpo só foram interrompidas pelo arredondamento crescente de sua barriga de grávida de seis meses. Ela era uma deusa e fiquei paralisado, incapaz de desviar o olhar por medo de perder um único movimento. Ela era forte e posicionada, e ainda, ela moviase como um líquido, fluindo e livre. Eu nunca me canso de ver minha linda bailarina. Cada passo de dança lembrava-me da forma como eu a amava, parecia fácil, mas eu sabia que era forte e cheia de emoção. Os últimos dois meses tinha sido incríveis, vivendo com ela, planejando nosso casamento, assistindo nosso bebê crescer. A única desvantagem era que meu horário no hospital era corrido e eu tinha saudades dela como um louco. Mas, estávamos prestes a ter uma semana inteira de folga juntos enquanto nós finalizávamos detalhes do casamento. Finalmente, não poderiam vir em um melhor momento. Após mais alguns minutos, ela parou e cuidadosamente caminhou até uma das paredes, dobrando para baixo (dando-me uma vista espetacular de seu traseiro de dar água na boca) e pegando um caderno esfarrapado. Ela rabiscou algo nele e, em 57|


seguida, olhou para o quarto, os olhos varrendo ao redor, como se ela estava vendo algo acontecer na frente dela. A cabeça dela mais uma vez mergulhou e ela escreveu furiosamente quando ela caminhou até uma tabela e colocou-a para baixo. Então um sorriso brilhante cresceu nos lábios doces e ele tirou o meu fôlego. Meu coração estava acelerado e meu pau estava duro e dolorido. Olhei ao redor, confirmando as salas vazias. Era depois das dez e o lugar estava praticamente deserto desde que a temporada ainda não tinha começado. Eu pisei dentro do quarto e fechei a porta atrás de mim com um clique suave. Juliette tinha feito o seu caminho para o sistema de som e estava pesquisando através de seu iPhone atentamente. Entre o foco e a música, ela não ouviu minha entrada. Uma parede do estúdio estavam as janelas, olhando para os corredores do edifício. Mas, havia um botão pelo interruptor de luz que baixava as luzes para privacidade e empurrei-o antes de ir para ela. O movimento finalmente chamou a atenção dela e ela girou em torno de surpresa, perdendo seu equilíbrio e caindo direto nos meus braços. Perfeito. Eu sorri para ela por um momento antes de reivindicar sua boca em um beijo profundo. Os sabores de seus beijos eram tão viciantes quanto o gosto da buceta dela. Esse pensamento estimulou meu corpo em ação e segurei em ambas as nádegas, levantando-lhe até que as pernas dela enrolaram em minha cintura. Eu podia sentir o calor de seu sexo ardente através da fina camada de meu avental e seu collant. Collant. Foda-se. Aquilo era como um maldito cinto de castidade. Felizmente, aconteceu de eu saber que Juliette tinha muitos outros, então eu senti remorso zero quando eu deslizei minha mão entre nós e fiz um buraco no tecido elástico, bem como suas meias. Ela ofegou e olhou para mim. "Declan!" Os olhos dela dispararam ao redor nervosamente. 58|


"Relaxe, querida," Eu ronronei. "Mesmo que este lugar não estivesse deserto, ninguém pode nos ver ou nos ouvir com a música." "Mas, minhas roupas..." "Sim," Eu resmunguei. "Vamos precisar fazer algo sobre isso. Preciso de fácil acesso." Ela me agarrou quando eu e caminhei até a parede ostentando a barra de balé. Eu a pousei bem à frente e virou-se para enfrentar o espelho. A pele dela foi liberada e parecia que ela tinha sido completamente beijada. Coloquei beijos quentes, molhados, de boca aberta ao longo do pescoço dela e encostei no ponto sensível atrás da orelha. Ela estremeceu e gemeu, amplificando a minha necessidade. "Segure a barra, bebê," sussurrei então esperei por ela para segurá-lo firme. Eu dei um aperto em seus quadris, a encorajando a subir para os dedos em seus sapatos. Coloquei-a apenas na altura certa para que meu pau estivesse na fenda da bunda dela. Suas bochechas eram redondas e firmes, pressionando contra mim na mais deliciosa forma de tortura. Eu precisava dela. Eu escorreguei uma mão sob uma perna, levantei-a e resolvi então descansá-la sobre a barra, abrindo-a. Eu amava que ela era flexível, fazia nosso tempo juntos mais aventureiro. Ficando com uma mão no seu quadril para deixá-la firme, eu trouxe a outra para a frente e mergulhei-a no largo, redondo decote do seu corpo para jogar com um dos seus mamilos duros. Eu torci, desfrutando de seus gemidos e a forma como sua bundinha firme pressionava ainda mais contra meu pau. Ver seu rosto no espelho, os olhos violetas nublados com paixão, tinhame à beira do êxtase. Depois de mostrar as duas mamas igual atenção, minha mão viajou para baixo, acariciando sua barriga e, em seguida, a fenda 59|


em sua roupa. Eu arrastei meu dedo indicador através dos lábios de sua buceta e levantei para mostrar-lhe o dígito reluzente. "Está tão molhada, Jules. Porra, embebida. Eu amo o quanto te excito." Chupei meu dedo limpo e gemi "Saboreia tão bem, querida." Luxúria, rugiu através do meu corpo e eu não podia esperar mais. Eu praticamente rasguei meu avental tentando soltar o meu pau, então usei minha mão livre para alinhá-lo e impulsionei forte e fundo em sua buceta encharcada. "Continue segurando a barra, Juliette, e bloqueie o seu joelho, assim você não cairá". Com ambas as mãos em seus quadris, eu dirigi nela várias vezes, olhando para a foto que fizemos do chão ao teto de vidro reflexivo. Juliette chorou com cada mergulho dentro dela e a cabeça dela caiu para trás, seus olhos fechados. "Abra seus olhos, querida," eu exigi suavemente. "Eu quero que você veja como que nós parecemos, como somos perfeitos juntos. Deixe-me ver seus lindos olhos, enquanto te fodo por trás. Eu quero vê-la nesta posição." Ela arrastou os cílios até encontrar meu olhar, fogo girando em suas profundezas. "Eu quero", ela ofegou "te ver também." "Você vai, baby," Eu resmunguei. "Mas primeiro, vou fazer-te vir com tanta força. A partir de hoje, te tenho só para mim por uma semana e eu vou ter certeza que você me sinta toda vez que você se mover quando a semana acabar. " Minhas palavras enviaram-na subindo rapidamente, atingindo o orgasmo dela, e seus olhos começaram a fechar. Eu liberei um quadril e dei um tapa bunda dela antes de eu rosnar: "Olhos abertos!"

60|


Eles se escancararam e eu dobrei meus joelhos para um ângulo mais profundo, atingindo e beliscando seu clitóris. Ela gritou meu nome quando ela gozou e as paredes dela apertaram meu pau em um punho de ferro, ordenhando meu orgasmo junto com o dela. Eu estremeci violentamente, tonto com a força do orgasmo. Mas, eu me segurei firme com ela, mantendo-a firme e segura. Quando ambos os nossos corpos estavam mais calmos, eu arrumei nossas roupas, o melhor que podia e a puxei em meus braços. Eu caminhei e a pus sobre a mesa enquanto eu erguia sua mochila pequena do chão e coloquei-a ao lado dela. Abrindo-a, puxei suas calças e um casaco com capuz, então a ajudei neles enquanto ela me olhava com um sorriso tonto. Eu balancei minha cabeça e sorri. "Você é adorável, você sabe disso?" Ela sorriu, desligou o sistema de som e pulou da mesa para arremessar seus braços em volta do meu pescoço e me beijar. Eu estava tentado a ir para a segunda rodada, mas eu queria ter as minhas meninas em casa. Eu tinha uma suspeita que Juliette tinha esquecido de comer. Ela era muito boa nisso, mas às vezes ela ficava presa no seu trabalho e não se lembrava de comida. "Vamos para casa, baby. Então você pode me violentar com o que quiser." O doce som da risada dela ecoou no quarto e aqueceu cada polegada de mim. Eu estiquei seus braços e coloquei um na minha cintura quando eu coloquei um dos meus sobre seus ombros. Eu agarrei a mochila e fomos para a porta. Depois de destrancá-la, nós saímos do salão e começamos a ir para a saída. O quarto ao lado estava aberto e uma mulher com cabelo preto e olhos verdes impressionantes desligava a luz e fechava a porta. Ela nos olhou, sombriamente pintando os lábios torcendo como se ela tivesse chupado limões. 61|


As duas mulheres pausaram e eu olhei para baixo em Juliette. A coluna estava reta e o queixo erguido, teimosamente, mas ela estava corando e eu tive que abafar um riso à vista. "Juliette," a mulher cumprimentou rigidamente. "Olá, Irina," Juliette respondeu. "Tenha uma noite agradável." Então ela agarrou minha cintura mais apertada e pediu-me para a frente. Saímos para a noite, relativamente tranquila para Nova York, mas em seguida Lincoln Center não era um lugar para a vida noturna na entressafra. Eu abracei Juliette perto quando nós pegamos a linha vermelha para nosso apartamento em Chelsea. Então, passei a noite trabalhando no meu objetivo de marcar seu corpo e certificar-me de que não havia nenhuma dúvida a quem ela pertencia. *** "Puta que pariu," Eu respirei, completamente atordoado. Muito para meu deleite, Juliette não estava muito tradicional e tinha me permitido acompanhá-la para ajudar a escolher um vestido de noiva. Ela tinha tentado quatro vestidos e quando ela saiu do provador no quinto, fiquei encantado. Ela estava tão bonita que quase doía. Bem, na verdade, doeu porque minha virilha estava dura e pronta para rasgar o vestido para fora dela. Era sem alças, com um veludo, rico, preto, dobrando-se todo o caminho de volta. Ele abraçou seus seios e com o decote profundo, deu-lhe o ‘sexy’ como a foda. Uma faixa preta larga, estabeleceu-se logo acima da cintura dela com uma flor correspondente anexada no lado direito. Os meus olhos foram 62|


para baixo, e continuaram seguindo o branco fluindo até o chão. Fazendo uma segunda leitura para cima, eu fui até a cabeça dela onde ela colocaria uma faixa, com um pano branco cobrindo uma parte do rosto dela. "Você gosta?" ela perguntou hesitante. "Eu sei que não é o tradicional branco, mas... eu..." Eu fiquei e rapidamente me aproximei dela, puxando-a em meus braços e beijei-a sem sentido. "É perfeito", sussurrei quando me afastei. "Agora vá mudar antes que eu acidentalmente o rasgue enquanto eu fodo você no provador." A pele dela virou um encantador tom de rosa, mas os olhos dela inflamaram-se com o desejo. Levou toda a minha força para girá-la e exortá-la de volta até o provador com um leve tapa na bunda dela. Sentei-me para esperar, mais do que pronto para levar minha namorada em casa e na cama. Embora, tivemos mais uma parada, a paragem eu tinha ganhado na barganha quando ela me convenceu a participar em todos os preparativos do casamento ao longo da semana que tivemos juntos fora. Juliette era um tipo prática de mulher e ela tinha sido rápida e decisiva com todas as decisões que ela teve de fazer. No final, eu realmente não tinha importado em ser arrastado ao longo de todos os compromissos. Mas, eu ainda ia fazê-la cumprir sua parte do negócio. Ela surgiu a partir do vestiário, em suas roupas de rua e falou com a atendente por alguns minutos. A outra mulher pegou o vestido e passou por uma porta nos fundos da loja. Com a minha mão na sua parte inferior das costas, guiei Juliette para a frente e puxou minha carteira para pagar a peça de roupa. "Não, Declan," ela protestou. "Eu deixei você pagar por todo o resto." Só depois que eu tinha usado meu poder de persuasão para convencê-la a parar de discutir comigo sobre isso. "Mas, se 63|


meus pais estivessem vivos, estariam pagando para meu vestido. É responsabilidade da noiva!" Eu a puxei no círculo de meus braços e beijei a ponta do seu nariz. "Querida, eu teria convencido eles para que pagasse tudo, então você também pode parar de lutar. Além disso, quantas vezes tenho de explicar como isso funciona? Vamos nos casar. O que é meu é seu e..." deslizei uma mão entre nós e em concha em sua buceta, sorrindo quando ela engasgou. "...o que é seu é meu." "Declan!", ela sussurrou, olhando ao redor freneticamente. Beijei o nariz dela novamente e me aproveitei de seu estado distraído para sacar meu cartão de crédito e pagar o vestido. Ela resmungou até a nossa próxima parada, fazendo com que o motorista do táxi me jogasse olhares de pena, ao qual eu respondi com um sorriso largo e satisfeito. Então, ele olhou para mim como se eu estivesse louco. Eu só podia supor que o homem nunca tinha tido uma mulher como Juliette, ou ele teria entendido. Seu olhar de inveja quando paramos na boutique de lingerie exclusiva foi a cereja no bolo. Até que ele ficou olhando para bunda de Juliette quando ela saiu do carro. Eu rosnei em aviso e abaixei sua dica para quase inexistente. Bastardo. Deixamos a loja com duas sacolas grandes, vermelhas e pegamos outro táxi. Olhei para o motorista a partir do momento em que ele parou e ele sabiamente evitou meus olhos. Juliette notou neste momento e revirou os olhos antes de deslizar através do assento de banco. Mas as bochechas dela ficaram um pouco rosa e um sorriso estava jogando em torno dos cantos dos seus lábios. Apesar da voz dela dizer o contrário, ela amava quão possessivo eu era com ela. Eu carreguei ela em todo o assento e aconcheguei-a a meu lado. Não podia esperar para chegar em casa e vasculhar os sacos de novos tesouros.

64|


Mas, quando finalmente chegamos em casa, Juliette estourou minha bolha, informando-me que os sacos seriam para a lua de mel e foi armazenรก-los no armรกrio enquanto eu fiquei para trรกs, com boca aberta em estado de choque.

65|


Capítulo 9 Juliette Quem disse que 'o tempo voa quando você está se divertindo' sabia o que estavam falando. A semana que passei com Declan preparando tudo para o casamento foi uma das melhores da minha vida. Infelizmente, parecia que voou num piscar de olhos. Se Declan não estivesse de pé e para fora da porta ao amanhecer, não sabia se que eu teria sido capaz de arrastar meu traseiro da cama para ir para o estúdio na hora. Eu iria rapidamente me tornar viciada em preguiçosas manhãs passadas na cama com ele. Embora, eu não tenho certeza que preguiçosa era bem a palavra certa para isso. Declan tinha decidido a melhor rotina de exercício durante meu tempo livre era um que incluía um monte de ação horizontal — com ele como meu próprio personal trainer. Eu não ia discutir, não quando isso significava que eu era capaz de ficar em forma, enquanto desfrutava de toneladas de orgasmos. Foi o melhor tipo de situação de ganha-ganha para mim, mas chegou ao fim e eu estava pronta para aproveitar ao máximo os próximos meses no estúdio antes do bebê nascer. Serena tinha sugerido que eu tentasse minha mão na coreografia, já que minhas horas de prática foram limitadas pela minha gravidez. Eu tinha sido hesitante no início, mas eu rapidamente tinha caído no amor com meu novo escape criativo. Havia uma peça em particular eu estava animada para mostrar a ela e nosso diretor artístico hoje. Tive um grande avanço na minha composição disso ontem no estúdio. Depois de atravessá-la na

66|


minha cabeça várias vezes durante o meu tempo fora, eu estava certa de que era exatamente o que eu queria. A primeira coisa que fiz quando cheguei foi encontrar Serena. "Ei," cumprimentei ela quando eu espiei minha cabeça em seu escritório. "Bem-vinda de volta". Os olhos derivaram até minha barriga e um grande sorriso dividiu o rosto dela. "Você está incrível. Seu tempo livre deve ter sido exatamente o que precisava." "Foi perfeito", eu concordei. "Tanto que acho que a peça que eu tenho trabalhado nos últimos meses está feito." "Você tem um tempo fantástico!" Ela pulou de seu assento e correu na minha direção, agarrando minha mão e levando-me ao fundo do corredor para o maior estúdio. "Hayes está olhando duas novas peças hoje, então você pode mostrar-nos duas ao mesmo tempo. Ele tem uma bela seleção de dançarinos para você escolher, e só vai levar-lhes algumas apresentações antes que eles estejam prontos para nos mostrar o que você tem." Borboletas levaram voo no estômago com o pensamento de ver os meus colegas dançarinos realizando a primeira peça que eu tinha coreografada na própria na frente de nosso diretor artístico, Leonard Hayes. Eu já estava nervosa sobre o gabarito da Serena, mas eu sabia que ela não seria muito dura. Ela seria construtiva, ao invés de severa, mesmo que ela odiasse. Além disso, ela gostava das peças que eu já havia mostrado a ela. Hayes foi uma história diferente, desde que ele poderia ser um pouco idiota sobre a coreografia de outras pessoas às vezes. Aparentemente, este não foi um daqueles dias desde que ele estava embevecido assistindo vários membros do corpo executarem. A peça era linda, inegavelmente... também era assustadoramente familiar. Era a mesma que eu tinha trabalhado para aperfeiçoar durante a minha última noite no estúdio há uma semana! Não pensei que alguém tivesse me visto. Eu ainda não 67|


tinha conhecido que outras bailarinas estavam no prédio no momento, não até que Irina tinha nos visto no corredor de saída. Irina! Eu procurei o espaço para essa puta morena, e lá estava ela — em pé no canto do quarto ao lado do Hayes, com um sorriso presunçoso no rosto dela. Por pouco... foi muito difícil resistir a marchar até ela, mas eu estava grávida, então fiquei ali e a perfurei diretamente na cara com um olhar. Ela havia roubado minha coreografia! Cada passo, sem nem mesmo se preocupar em mudar um único movimento. A ousadia daquela mulher nunca deixou de surpreender-me. "Ela tem bolas. Gigante e de bronze, querida. Eu vou lhe dar isso, mas não muito mais" eu murmurei. "Oh, eu tenho algo para lhe dar muito bem," Serena rosnou por trás de mim. "Um chute nela por trás no seu caminho para fora da porta." Minha mentora de dança marchou até onde Irina estava e lhe mostrou um sorriso que parecia obviamente falso para mim. "Tão magnífica sua coreografia" ela ecoou. O rosto de Irina iluminou com orgulho. "Obrigada, senhora". "E tão diferente de seu habitual estilo." "Você tem sempre nos incentivado a empurrar nossos próprios limites" explicou Irina. "É realmente um grande feito," Serena ofereceu, e Irina praticamente pulou de empolgação com o elogio — apenas para encontrar-se caindo para à realidade quando Serena continuou. "Para a bailarina que realmente coreografou a peça, que ambas sabemos que definitivamente não é você." Você poderia ter ouvido um alfinete cair no silêncio após seu anúncio, antes de Irina começar a falar. "O quê? Por que você sugeriria uma coisa dessas? Claro que sim!" 68|


Serena mudou seu foco para Hayes. "A menina está mentindo." "Eu não estou!" Irina guinchou. "Eu não sei como você achou que ia se safar roubando o trabalho de Juliette, mas eu sei sem sombra de dúvida que se trata de sua peça." "Por que? O animal de estimação de seu pequeno professor lhe disse que é uma tentativa desesperada dela para permanecer relevante, uma vez que ela não pode dançar mais?" Irina sussurrou. "Não, Irina. Porque já vi parte desta dança quando ela trabalhou nos últimos dois meses. Ela veio me pedir conselhos e pediu minha opinião, como eu poderia esperar de qualquer dançarino novo a coreografia para fazer. Você pode dizer o mesmo? Existe alguém que te viu a trabalhar nesta peça?" "Sim, na semana passada..." Serena não a deixou terminar. "Você acha que sou burra? Que eu não sei que essa é uma dança que já vi? Que é puramente coincidência que trabalhou nesta peça durante a semana quando Juliette estava ausente?" "Isso é verdade, Irina?" Hayes perguntou. "Eu... eu... eu não..." ela gaguejou. "Vá embora," ele ordenou, apontando um dedo longo em direção à porta. "... E leve suas coisas com você, porque não temos nenhum espaço para uma dançarina capaz de tal coisa em nossa companhia" acrescentou Serena. "O meu caderno", interrompi, percebendo que era por isso, que não tinha estado nos perdidos e encontrados quando eu tinha 69|


procurado. "Por favor, certifique-se que ela não o embale junto com as coisas dela. Gostaria de recuperá-lo." Irina invadiu em direção à porta, e eu mal consegui sair de seu caminho, antes que ela passasse. "Quinze minutos de descanso, todos" Hayes, chamou minha atenção longe da porta. "Juliette, por favor, marque uma reunião comigo para nesta semana discutirmos e possivelmente usarmos sua peça em um próximo show." Os dançarinos saíram para fora da sala, sussurrando o drama entre si. "Uau", murmurou Lisa quando ela andou ao meu lado, aparentemente indo na mesma direção. "Não sei se te dou parabéns ou peço desculpa por todo o drama. Você está bem? Quer dizer, eu sei que ainda não tivemos a chance de conhecer uma a outra muito bem, mas você está grávida de um filho do melhor amigo do marido da minha amiga. Soou de maneira menos estranha na minha cabeça do que em voz alta." Uma risadinha alternou até minha garganta, interrompendo quando soltei um yelp assustado ao som de uma outra voz atrás de nós. "Não admira que meus ouvidos estavam tocando," brincou Nancy. "Eu pensei que eu ia surpreender minha amiga e ver se ela poderia talvez fazer o almoço de hoje, mas almoço a três soa ainda melhor." "Oh, não quero me intrometer," Eu tentei recusar. "Você nunca poderia ser uma intrusão," Nancy me garantiu. "Não quando Kevin e eu estamos emocionados ao ver Declan perdidamente apaixonado por você e tão animado sobre o bebê." "De cabeça no amor?"

70|


"Sim," ela suspirou, com um olhar sonhador nos olhos dela. "Kevin e eu conversamos sobre isso no outro dia enquanto nós fomos às compras para o seu presente de casamento. Ele me disse que a primeira vez que ele viu os dois juntos, ele finalmente entendia por que Declan tinha sido um resmungão anti-social por tanto tempo. Kevin não é exatamente a pessoa mais perspicaz do mundo — quer dizer, bem, afinal ele é um cara — mas mesmo ele disse que era bom ver o seu melhor amigo finalmente encontrando seu par perfeito. "Estou tão chocada", murmurei, minha cabeça girando com todas as memórias do meu tempo com Declan. Sua ternura e proteção. Quão possessivo era comigo quando estávamos perto de outros homens. O tempo que ele havia mencionado quatro meses me esperando enquanto eu tinha ido em minha turnê internacional. O olhar em seus olhos quando fizemos amor. O jeito orgulhoso que ele tinha deslizado o anel de sua avó no meu dedo quando ele tinha proposto. Foi porque ele me amava. "Lisa, pode fazer-me um grande favor e certificar-se de que Serena pegou meu caderno de Irina? E peça-lhe desculpas, mas eu tive que sair inesperadamente?" Eu perguntei. Ela assentiu com a cabeça, e eu puxei Nancy para um abraço rápido. "Eu adoraria almoçar com você, mas hoje não." Eu mal tive tempo para pegar minha bolsa antes que eu corresse para fora do prédio e entrei no primeiro táxi que eu encontrei. Um texto rápido para Declan confirmou que ele estava em seu escritório, então fui direto para lá assim que o táxi me deixou na entrada do hospital. Eu não me incomodei em bater, só o invadi e me joguei no colo do Declan quando encontrei-o em sua cadeira, atrás de sua mesa. "Jules, querida, está tudo ok?"

71|


"Mais do que ok" Eu assegurei-lhe, salpicando seu rosto com beijos. "Incrível. Impressionante. Maravilhoso. Não posso nem pensar em uma palavra que explique." "Foi um bom dia no estúdio de dança?" "Você me ama", eu respirei para fora. "Claro que sim." Ele me olhou curiosamente, sobrancelha levantada e a cabeça inclinada para o lado.

uma

"E eu te amo." "Ainda bem que ama." "Eu te amo", repeti, desfrutando de como a frase saiu da minha língua. "Muito obrigada, mas eu adoraria ainda mais se pudesse dizer essas três palavras para mim." Seus olhos se arregalaram com surpresa. "Na verdade, eu nunca falei" Seus braços apertaram em volta de mim. "Foda-se, como isso é possível quando te amo tanto? Desde o momento que eu te vi no palco na primeira noite, eu reconheci que você deveria ser minha, Juliette. Eu sou o maior sortudo porque você está aqui, esperando meu bebê e com o meu anel no seu dedo. Eu não posso esperar para o dia do nosso casamento, para você se tornar minha esposa. É tudo o que eu quis desde o início, tão louco quanto parece." "Oh, Declan," eu suspirei, lágrimas escorrendo pelo meu rosto. "Eu te amo, Juliette Moureaux em breve McGowan." Seu discurso foi lindo, mas ele tinha falado uma coisa errada — eu fui a sortuda.

72|


Epílogo Declan Pulei para meus pés e aplaudi tanto que as minhas mãos começaram a arder e ficarem vermelhas. Não me importava, eu quase não vi mais do que eu senti o sorriso quase quebrando meu rosto. Uma linda bailarina deslizava para a frente do palco e fez uma reverência, segurando firme a sua tutu rosa, fofa. Ela sorriu brilhantemente, mostrando suas covinhas e brilhantes olhos violetas. Em seguida, ela se virou para voltar à linha com as outras dançarinas, mas não antes da mãozinha gordinha dela acenar para mim primeiro. Ela era muito adorável, assim como a mãe. No pensamento, estava distraído com minha linda esposa quando ela pisou no palco para ensurdecedores aplausos. Eu ri quando Cassie arremessou-se para fora da linha e correu para lançar os braços à volta das pernas de Juliette. Juliette abaixou-se e sussurrou algo no ouvido dela e Cassie riu antes de correr para seu lugar. A multidão se extinguiu, e o diretor da escola de dança pisou do palco com um microfone. "Gostaríamos de agradecer Juliette McGowan por tomar tempo fora de sua agenda lotada para coreografar uma peça para o recital. Foi realmente uma honra trabalhar com tal renomada coreógrafa e estamos gratos por New York City Ballet nos deixar roubar um pouco do seu tempo." Ele embrulhou o desempenho com algumas outras observações e então dispensou as dançarinas para encontrarem suas famílias. 73|


"Dadadadada! Gah!" Voltei minha atenção ao menino quieto nos braços de Nancy. Meu filho chegou para mim e eu levanteilhe alto, segurando sua barriguinha redonda. Calor encheu o meu peito com os pequenos guinchos encantados ao som de Henry e o brilho nos seus olhos castanhos quentes. Nancy acariciou seu quadril e em seguida, inclinou-se até a ponta dos dedos para beijar minha bochecha. "Nós temos que recolher nossos monstrinhos e levá-los para casa para a cama. Eu vou dizer adeus para as meninas na saída, mas vamos vê-lo na quinta-feira, certo?" "Grande. Meus pais estarão aqui no sábado para pegar as crianças na sua casa. Obrigado novamente por observá-los até que eles pudessem chegar aqui." "Você está brincando? Nossos filhos nos ignoram quando os seus vem para uma visita. Kevin diz que é como umas férias" brincou. Eu aconcheguei Henry no meu peito e os segui fora do auditório. Eles partiram para encontrar seus filhos, enquanto Henry e eu saímos juntos, esperando por nossas meninas. Depois de alguns minutos, um pacote gordinho e rosa brilhante veio do lobby e acabou comigo. "Papai!" ela gritou alegremente quando ela fugiu. Mudei meu filho de um braço e curvei para baixo para recolher Cassie no outro. "Você me viu?" Bati um beijo na sua bochecha antes de responder: "É claro que sim, princesa. Como eu poderia perder a mais bela bailarina no palco?" Eu pisquei para ela e ela deu uma risadinha. Eu olhei para além dela e assisti a abordagem de Juliette. Caramba, ela era incrível. Os olhos dela estavam suaves quando ela olhou para os tesouros que eu segurava em meus braços. 74|


Quando ela chegou até nós, ela envolveu seus braços em torno de nós e nos espremeu. "Ela fez muito orgulhosamente.

bem,

não

foi?"

Juliette

murmurou

"Como a mãe dela," concordei, então beijei seus lábios suavemente. "Vamos para casa." *** "Eu perdi meus bebês," Juliette murmurou chorando, e eu abracei ela por perto para o meu lado. Ela tinha estado chorosa desde que nós deixamos as crianças na noite passada, na casa de Nancy e Kevin. Nós tínhamos nos despedimos então porque tínhamos um voo cedo para o Havaí para o nosso aniversário. Na verdade, ela esteve em um estado triste por deixá-los por mais de uma semana. Eu estava familiarizado com essas mudanças de humor, mais ela tinha andado doente, e eu me perguntei quando ela iria pegar o fato de que ela estava grávida novamente. Sua cabeça repousava no meu peito e eu deixei cair um beijo na sua teste. "Eles vão se divertir tanto, Jules. Nem saberão que fomos." Ela fungou e assentiu com a cabeça. Claramente, ela precisava de uma distração. Com um dedo longo, levantei seu queixo e cobri sua boca com a minha, ociosamente, varrendo minha língua em sua boca e gemendo no seu delicioso sabor. Um pequeno gemido escapou de sua boca e senti um arrepio correr através dela. Antes que as coisas pudessem ficar fora de controle, eu puxei e simplesmente olhei para ela. Ela era uma deusa com sua pele corada e olhos violetas vidrados. 75|


"Hmmm, não sei se eu vou ser capaz de obter a minha dose de sua bunda sexy em dez dias, querida," Eu rosnei na orelha dela. Mentalmente estava a falando-me para arrastá-la para o banheiro do clube. Ela riu e acariciou a protuberância óbvia na minha calça. "Paciência, baby." Olhei para ela, mas não pude evitar cair vítima de seus encantos quando ela sorriu e levemente escovou os lábios por cima dos meus. "Aham". Olhamos para cima para a aeromoça de primeira classe esperando nossa atenção, um pequeno sorriso jogando em torno dos cantos da boca dela. "Recém-casados?" ela perguntou maliciosamente. Juliette deu uma risadinha e eu a abracei mais perto. "Aniversário", respondi. "Ah, parabéns! Gostariam de champanhe?" Juliette abriu a boca, mas eu a cortei. "Não, obrigado. Eu vou ter água e minha esposa vai ter suco de maçã". Então pensei em Juliette nas últimas duas gravidezes, e adicionei, "com um pouco de Sprite." A mulher estava claramente surpresa, mas ela simplesmente acenou com a cabeça e mudou-se para a próxima linha. Juliette franziu a testa para mim. "Eu queria que isso..." ela partiu-se quando o avião sofreu uma turbulência e o rosto dela ficou praticamente verde. Ela jogou fora seu cinto e rasgou-se pelo corredor até o banheiro. Segui-a rapidamente, pronto para cuidar de minha mulher. Ela estava muito grata pelo Sprite mais tarde e o resto do voo foi relativamente tranquilo. Onze horas depois, estávamos finalmente puxando ao nosso hotel. Descarregamos as malas do carro alugado e coloquei-as dentro do bangalô, então retornei para levar minha esposa no 76|


colo. Ela riu, mas permitiu-me o gesto bobo, as bochechas dela transformando com esse corar que eu ainda amava ver. Eu chutei a porta fechada e capotei o bloqueio, então me dirigi e aterrissamos no quarto. Ela caminhou até o banheiro para se refrescar enquanto desfiz algumas coisas. Quando ela começou a voltar para a sala, eu apertei um botão em meu telefone e agarrei a mão dela, puxando-a em meus braços. "Dance comigo, baby" cantei e comecei a balançar ao ritmo. Mudamos lentamente ao redor da sala, até que eu dancei com ela sobre a cama e ela riu. Eu estava sem paciência. Fazendo um trabalho rápido de nossas roupas, suspirei alto quando nossos corpos nus foram pressionados juntos. "Com pressa?" Ela perguntou em uma gargalhada. "Baby", eu suspirei. "Henry esteve doente, e você e eu temos trabalhado horas extras para terminar tudo então poderíamos tirar folga. Não tivemos mais do que uma foda rápida em quase três semanas. Não consigo dizer se eu estou desesperado para sentir-te contra mim, ou se eu quero saboreá-la. Na verdade," Eu disse. "Acho que vou mantê-lo nua nos próximos dez dias". Juliette riu e envolveu seus braços ao meu redor firmemente. "De acordo", ela sussurrou no meu ouvido. "Espero que você não ache que estou brincando, Sra. McGowan," respondi. Eu não estava. "Declan, cala a boca e faz amor comigo." Eu sorri, provocante. "Mas, você gosta quando eu falo". Eu suguei o lóbulo da orelha na minha boca e mordi suavemente. Em seguida, sussurrei "deixa você louca quando digo coisas sujas enquanto fodo o inferno fora de você." Ela gemeu e se contorceu, agitada.

77|


Comecei a beijar o meu caminho para baixo de seu corpo. "Vamos ver quantas vezes pode lembrar a esta buceta doce quem é seu dono durante os próximos dez dias." Muito, muito mais tarde, apanhei Juliette então a pressionei contra a minha frente. Eu coloquei uma mão sobre a barriga dela e sorri, fazendo carinho com meu nariz no seu cabelo macio. Ela suspirou. "Você me engravidou outra vez, não foi?" Eu ri e a abracei mais perto. "Pode apostar que fiz. Meus rapazes sabem como fazer o trabalho." Ela deu um soco nas minhas costelas com seu cotovelo, do lado do seu rosto amassado, mas deixou-me saber que ela estava sorrindo. A mão dela se juntou a minha sobre a barriga dela e ela suspirou novamente. Eu nunca admitiria a Nancy, mas eu ficaria para sempre grato que eu deixei a culpa dela por me fazer assistir o balé há tantos anos atrás. Eu não tinha ideia o que eu tinha feito para merecer uma vida tão perfeita e eu sabia que ela só iria ficar melhor.

Fim

78|


Série Yeah, Baby #4 Dance With Me - Fiona Davenport  

*Regra do indivíduo: Não se apaixone por um caso de uma noite. Declan McGowan soube que a linda bailarina com olhos violetas era sua no mom...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you